Utilização de Modelos BIM para a
Verificação Automática de
Projetos
Plano de Acessibilidades
João Pedro Pereira Rodrigues
...
A PROBLEMÁTICA
Atual processo de licenciamento de projetos:
• Manual
• Demorado
• Suscetível a falhas
A RESPOSTA
Nova abordagem com o processo verificação automática de
projetos:
• Automático
• Rápido
• Desmaterializado
INICIATIVAS
Autor(es) Especialidades
(Jiang e Leicht, 2015) Estruturas/Construções
(Poças Martins e
Monteiro, 2013) Hidráu...
COMUNICAÇÃO E INTEROPERABILIDADE:
Autor(es) Áreas da Construção Tipo de
ficheiro
(Jiang e Leicht, 2015) Estruturas/Constru...
VERIFICAÇÃO AUTOMÁTICA DE PROJETOS:
REGULAMENTAÇÃO
(Plano de Acessibilidades)
MODELOS DE
INFORMAÇÃO (BIM)
PLATAFORMA DE
VE...
INFORMAÇÃO A CONTER NOS MODELOS BIM:
Componente Parâmetros
Tipo de
dados
Stair
Bar depht
(leftRailbarDepth)
Numérico
Bar d...
VERIFICAÇÃO AUTOMÁTICA DE PROJETOS:
REGULAMENTAÇÃO
(Plano de Acessibilidades)
MODELOS DE
INFORMAÇÃO (BIM)
PLATAFORMA DE
VE...
PLATAFORMA DE VERIFICAÇÃO AUTOMÁTICA (SMC):
Importância dos sistemas de classificação nos modelos
MODELOS
PARAMETRIZAÇÃO
(...
PLATAFORMA DE VERIFICAÇÃO AUTOMÁTICA (SMC):
Irregularidades na modelação
PLATAFORMA DE VERIFICAÇÃO AUTOMÁTICA (SMC):
Irregularidades de semântica nas regras e modelos
VERIFICAÇÃO AUTOMÁTICA DE PROJETOS:
REGULAMENTAÇÃO
(Plano de Acessibilidades)
MODELOS DE
INFORMAÇÃO (BIM)
PLATAFORMA DE
VE...
RESULTADOS DA ANÁLISE REGULAMENTAR – ISO
RESULTADOS ANÁLISE REGULAMENTAR – ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA
RESULTADOS ANÁLISE REGULAMENTAR – REINO UNIDO
Aproved Document M – Vol 1 Aproved Document M – Vol 2 Aproved Document K
RESULTADOS ANÁLISE REGULAMENTAR - PORTUGAL
CONCLUSÕES:
Gerais:
• Existem meios para efetuar uma verificação automática de
projetos (Plano de Acessibilidades);
• Aind...
Conclusões:
Modelos BIM e Plataforma de Verificação Automática:
• Formato IFC para resolver a interoperabilidade
• Exigênc...
Obrigado pela Atenção…
FIM
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Utilização de Modelos BIM para a Verificação Automática de Projetos - Plano de Acessibilidades. João Rodrigues, FEUP

311 visualizações

Publicada em

Apresentação tese de mestrado de João Rodrigues, FEUP, 2015
Mais informação:
http://paginas.fe.up.pt/~gequaltec/w/index.php?title=Lista_de_teses_MIEC

Publicada em: Engenharia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
311
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Os projetos são entregues nos Municípios
    São vistos por entidades licenciadoras – processo manual
    Um processo que demora cerca de 30 dias (RJUE)
    Em Portugal: o RJUE (Decreto-Lei 136/2014) e Portaria 113/2015 indicam a apreciação feita no licenciamento de projetos e quais os elementos necessários para a apreciação.
    Sempre suscetível a falhas humanas
  • Agilizar o processo por parte da entidade licenciadora
    Permite que os projetistas possam efetuar verificações parciais de conformidade durante o processo de elaboração dos projetos
    Desmaterializar os elementos entregues para licenciamento
    Introduzir para o próximo slide que existem Iniciativas em várias especialidades
  • Tem havido desenvolvimentos na verificação automática de projetos em várias especialidades
    Destacar os artigos das acessibilidades e coordenação de espaços
  • Dizer só as vantagens do IFC: comunicação e interoperabilidade entre softwares
    componentes básicas pertencentes a cada objeto existente num determinado modelo de informação: a geometria, as relações e as propriedades
  • Definição de Modelo de verificação automática: aspetos são geralmente os que são propostos a serem abordados pelos projetistas na fase da elaboração dos seus projetos, e que terão de estar presentes no modelo de verificação automática.
    Modelo BIM de um edifício e a sua zona envolvente, concretamente, as suas zonas de acesso.
    MODELOS: Explicar porque previ dois tipos de modelos (Portaria 701H)
    EP: modelo BIM onde é discutido, solucionado e por fim dimensionados os principais volumes e espaços pertencentes ao modelo.
    Execução: anterior + conter informação detalhada de todas as peças, objetos, sistemas e componentes que irão existir no edifício
  • Explicar o que são os LODS no BIM
    Exigir LODs nos modelos para garantir a informação necessária
    Sistemas de classificação: São meras “etiquetas” para distinguir componentes num modelo; São importantes para a verificação automática; Tem organizações diferentes, o que leva a que cada sistema de classificação venha vantagens e desvantagens face uns aos outros.
    Exemplo de checklist da informação que um componente terá de conter para a verificação do plano de acessibilidades.
  • 1 - PLAT.V.A: Funciona por regras, user-friendly, não dá para programar regras, estruturei regras da forma mais conveniente, vantagens, desvantagens, etc.
    2 - MODELOS: Explicar porque previ dois tipos de modelos (Portaria 701H)
    3 - Analise Regulamentar: Decreto-Lei 163/2006, precisei de dar uma definição para modelos (dizer qual foi), falar dos níveis de análise (enquadramento do modelo) e (% verificável)
    (Esquema que servirá de ponte para os resultados (slides seguintes): 1) analise regulamentação, 2) Informação a conter nos modelos e 3) irregularidades do SMC)
  • Modelos com sistemas de classificação diferentes
    Parametrização de acordo com a modelação (BIM)
  • Irregularidades de modelação são difíceis de ser detetadas automaticamente.
    Parte dos princípios de modelação (entidade modeladora)
  • Explicar o que são problemas de semântica.
    Pode, por exemplo faltar parâmetros necessários à realização de uma qualquer operação com o modelo BIM.
    Exemplo: modelo contém a informação mas não é possível parametrizar regras para associar essa informação
  • 1 - PLAT.V.A: Funciona por regras, user-friendly, não dá para programar regras, estruturei regras da forma mais conveniente, vantagens, desvantagens, etc.
    2 - MODELOS: Explicar porque previ dois tipos de modelos (Portaria 701H)
    3 - Analise Regulamentar: Decreto-Lei 163/2006, precisei de dar uma definição para modelos (dizer qual foi), falar dos níveis de análise (enquadramento do modelo) e (% verificável)
    (Esquema que servirá de ponte para os resultados (slides seguintes): 1) analise regulamentação, 2) Informação a conter nos modelos e 3) irregularidades do SMC)
  • ISO: 929 requisitos (Accessibility and usability of the built environment)
    EUA: 997 requisitos (2010 ADA standards for Accessible Design)
  • Vol1: 335 requisitos (Aproved Document M – Access and Use of Buildings – Volume 1: Dwellings) - Habitaçoes
    Vol2: 429 requisitos (Aproved Document M – Access and Use of Buildings – Volume 1: Buildings other than Dwellings)
    Doc K: 200 requisitos (Aproved Document K – Protection from falling, collision and impact)
  • Decreto-Lei 163/2006 de
    388 requisitos
  • A verificação automática é possível mas ainda necessita de desenvolvimento
    Deverão ser feitas iniciativas para progredir nos aspetos que ainda não são verificáveis, quer porque o SMC não permite, quer porque a regulamentação é ambígua.
  • Utilização de Modelos BIM para a Verificação Automática de Projetos - Plano de Acessibilidades. João Rodrigues, FEUP

    1. 1. Utilização de Modelos BIM para a Verificação Automática de Projetos Plano de Acessibilidades João Pedro Pereira Rodrigues 5ºano MIEC-Construções Civis Apresentação de Dissertação de Mestrado Julho 2015
    2. 2. A PROBLEMÁTICA Atual processo de licenciamento de projetos: • Manual • Demorado • Suscetível a falhas
    3. 3. A RESPOSTA Nova abordagem com o processo verificação automática de projetos: • Automático • Rápido • Desmaterializado
    4. 4. INICIATIVAS Autor(es) Especialidades (Jiang e Leicht, 2015) Estruturas/Construções (Poças Martins e Monteiro, 2013) Hidráulica (Eastman et al., 2009) Acessibilidades (Liu et al., 2014) Sistemas AVAC (Eastman et al., 2009) Incêndios (Eastman et al., 2009) Coordenação espaços (Zhang et al., 2013) Segurança em Obra
    5. 5. COMUNICAÇÃO E INTEROPERABILIDADE: Autor(es) Áreas da Construção Tipo de ficheiro (Jiang e Leicht, 2015) Estruturas/Construções IFC (Poças Martins e Monteiro, 2013) Hidráulica xml (Eastman et al., 2009) Acessibilidades IFC (Eastman et al., 2009) Incêndios IFC (Eastman et al., 2009) Coordenação espaços IFC
    6. 6. VERIFICAÇÃO AUTOMÁTICA DE PROJETOS: REGULAMENTAÇÃO (Plano de Acessibilidades) MODELOS DE INFORMAÇÃO (BIM) PLATAFORMA DE VERIFICAÇÃO AUTOMÁTICA (SMC) Definição de Modelo Tipos de modelos Estudo Prévio Execução Informação a conter nos modelos BIM
    7. 7. INFORMAÇÃO A CONTER NOS MODELOS BIM: Componente Parâmetros Tipo de dados Stair Bar depht (leftRailbarDepth) Numérico Bar depht (rightRailbarDepth) Numérico Bar thickness (leftRailbarDepth) Numérico Bar depht (rightRailbarDepth) Numérico Clear Width between Railing Bars Numérico Flight Width Numérico Hight of rail (leftRailHeight) Numérico Hight of rail (rightRailHeight) Numérico Number of risers Numérico Nosing Numérico Number of Half landings Numérico Riser Height Numérico (Outro) (Outro) (Outro) Omniclass Uniclass 2 Space usage Building Elements Uniformat SISTEMAS DE CLASSIFICAÇÃO PARA MODELOS BIM: NIVEIS DE DETALHE (LOD): LOD 100 LOD 200 LOD 300 LOD 350 LOD 400 LOD 500
    8. 8. VERIFICAÇÃO AUTOMÁTICA DE PROJETOS: REGULAMENTAÇÃO (Plano de Acessibilidades) MODELOS DE INFORMAÇÃO (BIM) PLATAFORMA DE VERIFICAÇÃO AUTOMÁTICA (SMC) Análise das Regras Parametrização das Regras Estruturação das Regras
    9. 9. PLATAFORMA DE VERIFICAÇÃO AUTOMÁTICA (SMC): Importância dos sistemas de classificação nos modelos MODELOS PARAMETRIZAÇÃO (SMC) RESULTADOS (SMC)
    10. 10. PLATAFORMA DE VERIFICAÇÃO AUTOMÁTICA (SMC): Irregularidades na modelação
    11. 11. PLATAFORMA DE VERIFICAÇÃO AUTOMÁTICA (SMC): Irregularidades de semântica nas regras e modelos
    12. 12. VERIFICAÇÃO AUTOMÁTICA DE PROJETOS: REGULAMENTAÇÃO (Plano de Acessibilidades) MODELOS DE INFORMAÇÃO (BIM) PLATAFORMA DE VERIFICAÇÃO AUTOMÁTICA (SMC) Análise Regulamentar Definição de Modelo Tipos de modelos Análise de Nível 2 Análise de Nível 1 Estudo Prévio Execução Análise das Regras Parametrização das Regras Estruturação das Regras Informação a conter nos modelos BIM Enquadra Não Enquadra Sim = Verificável Não = Não Verificável Não Proposição
    13. 13. RESULTADOS DA ANÁLISE REGULAMENTAR – ISO RESULTADOS ANÁLISE REGULAMENTAR – ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA
    14. 14. RESULTADOS ANÁLISE REGULAMENTAR – REINO UNIDO Aproved Document M – Vol 1 Aproved Document M – Vol 2 Aproved Document K
    15. 15. RESULTADOS ANÁLISE REGULAMENTAR - PORTUGAL
    16. 16. CONCLUSÕES: Gerais: • Existem meios para efetuar uma verificação automática de projetos (Plano de Acessibilidades); • Ainda necessita de desenvolvimento para uma aplicação futura; Regulamentação: • A forma de redação da regulamentação influencia a verificação;
    17. 17. Conclusões: Modelos BIM e Plataforma de Verificação Automática: • Formato IFC para resolver a interoperabilidade • Exigência de LOD’s nos BIM • LOD 300 a 350 para modelos de estudo prévio • LOD 400 a 500 Para modelos de execução • Exigência de Sistemas de Classificação em coerência com o que for usado na parametrização
    18. 18. Obrigado pela Atenção… FIM

    ×