Como monitorar seus concorrentes e fazer
pesquisa de mercado nas redes sociaisPor Gustavo Valvasori
1. Introdução
2. Por que monitorar?
3. O que monitorar?
4. Como dialogar
5. Fluxo de comunicação
6. Influenciadores
7. Con...
A internet e as mídias sociais afetam cada vez mais de
forma profunda a política brasileira. Com base nas opiniões
emitida...
A internet e as mídias sociais são uma nova forma importante
de expressar preferências políticas e se envolver.
Mudanças n...
3. O que monitorar?
3.1. Canais próprios
Primeiramente, devemos monitorar os canais oficiais do
candidato.
Esses são os me...
3. O que monitorar?
3.2. Busca pública
Também é necessário ouvir o que está sendo falado a
respeito dos candidatos, fora d...
3. O que monitorar?
3.3. Concorrentes
Em seguida, podemos monitorar também o que os demais
candidatos estão publicando em ...
3. O que monitorar?
3.4 Assuntos do momento
Além disso, é possível monitorar nas redes os assuntos
mais comentados pela po...
3. O que monitorar?
Os dados coletados devem ser classificados. Cada
resultado, ou seja, cada publicação no Facebook, no
T...
4. Como dialogar
É necessário entender que os seguidores de seus perfis
oficiais nas redes sociais esperam possuir nesse t...
5. Fluxo de comunicação
Candidato Eleitores
Auto-promoção/discussões/campanha
Feedback/opiniões/sugestões
Opiniões polític...
6. Influenciadores
Ao criar um banco de dados com todas as
menções coletadas, é possível identificar quem
são influenciado...
Ficar atento aos seus influenciadores é essencial, pois assim
como eles podem atuar como defensores da sua marca, esse tip...
Dessa forma é possível saber, por exemplo, que existe
um grupo de influenciadores que está falando muito
sobre a saúde em ...
7. Conclusões
Algumas das principais vantagens decorrentes do monitoramento político nas redes sociais são:
• Acompanhamen...
í
6. Influenciadores
Ferramentas de monitoramento como o zMonitor, desenvolvido pela
Zubit, podem ajudar na criação de bus...
designed by Freepik.com
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Como fazer monitoramento político nas redes sociais

302 visualizações

Publicada em

Dicas de como fazer monitoramento político nas redes sociais

Publicada em: Marketing
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
302
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Como fazer monitoramento político nas redes sociais

  1. 1. Como monitorar seus concorrentes e fazer pesquisa de mercado nas redes sociaisPor Gustavo Valvasori
  2. 2. 1. Introdução 2. Por que monitorar? 3. O que monitorar? 4. Como dialogar 5. Fluxo de comunicação 6. Influenciadores 7. Conclusão Índice í
  3. 3. A internet e as mídias sociais afetam cada vez mais de forma profunda a política brasileira. Com base nas opiniões emitidas nesses meios, é possível refazer o modelo sobre o qual eleições são vencidas ou perdidas, o modo através do qual a política é feita, e como as pessoas se envolvem de forma formal e informal. Os jovens permanecem particularmente interessados ​​em política, e estão usando as mídias sociais para encontrar novas maneiras de se comunicar. É raro que em nossas timelines não existam diariamente pelo menos duas ou três publicações que contenham em seu conteúdo críticas políticas a partidos ou candidatos. E apesar de haver uma grande desconfiança no sistema político, apatia política não se faz presente nas redes. 1. Introdução í
  4. 4. A internet e as mídias sociais são uma nova forma importante de expressar preferências políticas e se envolver. Mudanças na comunicação também afetam a maneira com que os políticos podem emitir a sua mensagem para o eleitorado - e, de fato ouvir potenciais eleitores. As mídias sociais permitem que as pessoas conectem-se com os candidatos de forma mais rápida e fácil do que nunca. Novos movimentos sociais estão surgindo tendo como base as mídias sociais e partidos existentes são desafiados de forma que seria impensável há uma década atrás. Os movimentos e as manifestações do ano passado são uma grande prova da força de atos que nasceram nas redes sociais e tiveram um significativo impacto político e social. 2. Por que monitorar? í
  5. 5. 3. O que monitorar? 3.1. Canais próprios Primeiramente, devemos monitorar os canais oficiais do candidato. Esses são os meios sobre os quais o candidato e o partido tem controle do que será publicado: - Página de Facebook - Perfil de Twitter - Página do Google Plus - Canal no Youtube - Blogs É necessário mensurar o engajamento (ou seja, quanto seu público interage com cada publicação) e verificar a forma com a qual os eleitores reagem a cada conteúdo. í
  6. 6. 3. O que monitorar? 3.2. Busca pública Também é necessário ouvir o que está sendo falado a respeito dos candidatos, fora de seus canais próprios. Essa busca pode ser baseada em palavras-chave, locais, ou feed/RSS. Esse é um ambiente não controlado, que deve estar sob observação em tempo real, para que qualquer eventual crise possa seja evitada. Nele podem ser coletados importantes insights a respeito da postura do candidato e de como deve ser sua aproximação com aqueles a quem ele está tentando convencer. í
  7. 7. 3. O que monitorar? 3.3. Concorrentes Em seguida, podemos monitorar também o que os demais candidatos estão publicando em seus canais, o que as pessoas estão falando deles na busca pública, e saber qual a reação do público a seu discurso. Com esta visão mais ampla, poderemos comparar quantos fãs/seguidores cada candidato possui, quantos e que tipo de comentários cada um recebe, e de que forma os conteúdos são compartilhados. Além de nos permitir analisar em quais assuntos o concorrente X está melhor ou pior comparado a nosso candidato. No e-book anterior, debatemos como monitorar concorrentes e fazer pesquisas de mercado nas redes sociais. í
  8. 8. 3. O que monitorar? 3.4 Assuntos do momento Além disso, é possível monitorar nas redes os assuntos mais comentados pela população local em tempo real. Dessa forma, os candidatos terão uma visão do que os eleitores mais desejam, assim podendo ajustar ou melhorar os seus discursos, projetos e planejamentos para um possível mandato. Essa geração de insights, ou seja, saber com antecedência o que o eleitorado pensa e demanda acerca de cada tópico e assunto pode ser primordial para vencer a eleição. í
  9. 9. 3. O que monitorar? Os dados coletados devem ser classificados. Cada resultado, ou seja, cada publicação no Facebook, no Twitter e nas demais redes, pode ser classificada por sensibilidade, assunto, influenciador, etc. Dessa forma, poderemos tabular os dados em uma planilha, facilitando sua leitura e análise. Com os dados tabulados, podemos começar a criar relatórios que mostrem quais são as maiores dúvidas, críticas e elogios feitas pelos eleitores, para que esses pontos possam ser trabalhados da melhor forma possível durante o decorrer da campanha. í
  10. 10. 4. Como dialogar É necessário entender que os seguidores de seus perfis oficiais nas redes sociais esperam possuir nesse tipo de canal uma proximidade maior com seus candidatos. A conversa tem que ser recíproca. O candidato tem que estar atento às opiniões e sugestões de seus leitores, e não apenas focar na comunicação unilateral de seu discurso. Quanto maior for a interação e a discussão entre o candidato e os eleitores, melhor será a sua imagem. O principal benefício das redes sociais é fazer com que as pessoas se sintam ouvidas, sabendo que sua opinião é importante. í
  11. 11. 5. Fluxo de comunicação Candidato Eleitores Auto-promoção/discussões/campanha Feedback/opiniões/sugestões Opiniões políticas/discussões políticas/comunidades políticas Na figura abaixo podemos ver como pode ser o fluxo de troca de informações entre o candidato e seus eleitores: í
  12. 12. 6. Influenciadores Ao criar um banco de dados com todas as menções coletadas, é possível identificar quem são influenciadores do candidato e de seus concorrentes. Um influenciador pode ser tanto um grande canal de comunicação como o perfil de um grande jornal no Twitter ou mesmo um perfil pessoal que possua poucos seguidores, mas tenha um alto nível de engajamento, ou seja, um alto poder de influência. Identificar este tipo de usuário é muito importante para os candidatos, pois eles podem atuar como porta-voz ou defensores da marca, transmitindo mensagens que tenham impacto nas ações de seus leitores. í
  13. 13. Ficar atento aos seus influenciadores é essencial, pois assim como eles podem atuar como defensores da sua marca, esse tipo de perfil também tem o poder de prejudicar o nome ou a campanha do candidato, principalmente se sua experiência com ele não for boa. Estas pessoas podem ser classificadas em diferentes grupos (ex: grupo mídia, grupo partidários, grupo alianças, etc), para entendermos quais são os que defendem e os que atacam a candidatura. Isso pode ser realizado tanto para as pessoas que interagirem com os perfis oficiais quanto para aquelas que forem identificadas através das pesquisas públicas. Existem ferramentas de monitoramento no mercado que fornecem a criação automática de listas de influenciadores e possibilitam sua classificação em diferentes grupos. 6. Influenciadores í
  14. 14. Dessa forma é possível saber, por exemplo, que existe um grupo de influenciadores que está falando muito sobre a saúde em determinado hospital público. E que todas as pessoas desse grupo são moradoras de SP na região sul e estudam na universidade XYZ. O candidato pode propor uma reunião junto ao grupo para discutir o assunto e postar um vídeo da conversa no Youtube. Assim, assuntos críticos podem rapidamente ser convertidos em estratégias de sucesso, que podem gerar a captação de novos votos e na conversão de influenciadores. 6. Influenciadores í
  15. 15. 7. Conclusões Algumas das principais vantagens decorrentes do monitoramento político nas redes sociais são: • Acompanhamento de intenção de voto • Análise de concorrentes • Identificação de apoiadores e detratores • Criação de um canal de diálogo próximo aos eleitores • Mensuração de satisfação com relação a propostas e projetos • Coleta de insights O monitoramento das redes é imprescindível para o gerenciamento de uma campanha política, então comece a monitorar seu candidato, seu partido e seus concorrentes agora mesmo! í
  16. 16. í 6. Influenciadores Ferramentas de monitoramento como o zMonitor, desenvolvido pela Zubit, podem ajudar na criação de buscas mais precisas, no gerenciamento e agendamento de publicações, na identificação de influenciadores, na categorização das menções e dos usuários envolvidos, na extração de relatórios e no armazenamento e exportação dos dados coletados. Nossa equipe consultiva ainda pode auxiliá-lo com dicas de mercado e de configuração para que sua estratégia de Social Media seja otimizada da melhor forma possível. A Zubit fornece um período de testes, durante o qual a ferramenta pode ser avaliada gratuitamente por uma semana. Solicite seu trial agora mesmo!
  17. 17. designed by Freepik.com

×