Qabalah 01 apresentacao_geral

688 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre Cabala. Aula 01.

Publicada em: Espiritual
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
688
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
55
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Qabalah 01 apresentacao_geral

  1. 1. Grupo de Estudos de Qabalah Com: Frater Goya (Anderson Rosa) Aula 01 – Os princípios
  2. 2. A Qabalah Tradição Oral, Misticismo Hebraico, Interpretação da Torah e os Livros dos Profetas. A palavra Qabalah quer dizer tradição, assim como Caibalion. Qabalah também quer dizer aquilo que foi recebido e é transmitido que na verdade corresponde a palavra tradição que antigamente queria designar a LEI (Torah) que foi implantada por Moisés. Tradição ou aquilo que é recebido. Antigamente – A Lei de Moisés (mosaica). Ou ainda, a busca pelo equilíbrio entre o desejo de Deus de dar e o de receber do homem.
  3. 3. As duas Escolas: Primeiro, a escola judaica; A principal diferença entre as duas é que a escola judaica impede que se faça qualquer representação, para impedir a formação de idolatria. Para eles a Qabalah é uma ferramenta de conhecimento intelectual, que os ajuda e decifrar a Torah escrita (Torah shebichtáv) e a Torah oral (Torah shebealpê)
  4. 4. Segundo, a escola Hermética. A escola hermética difere principalmente e justamente na liberdade ao utilizar-se ferramentas gráficas, como a Árvore das Vidas, e a capa da apostila. Existindo ainda diferenças sutis entre ambas, que poderão ser vistas futuramente por cada indivíduo, ao longo do nosso estudo
  5. 5. “A Qabalah , do ponto de vista histórico, pode ser definida como um produto da interpenetração entre o gnosticismo judaico e o neoplatonismo” Gershon Scholen, Kabalah.
  6. 6. A origem histórica da Qabalah vem da criação do que se chama de Merkabah (carruagem), Merkabah é a descrição de Ezequiel em relação ao carro de Deus. É a carruagem que carregava o trono de Deus da esfera celeste. A crença comum é que este carro ia e vinha entre o céu e a terra e tinha um determinado conhecimento místico potencial para explicar o Merkabah. A partir deste momento é que se foram se desenvolvendo outras estruturas como a Árvore das Vidas. A Qabalah não é somente um conjunto de coisas absurdas. Devemos que vê-la como uma chave capaz de elucidar o que nós não podemos responder sozinhos.
  7. 7. A visão do Carro de Deus (Merkaba)
  8. 8. Origem Histórica – Merkabah ( carruagem) É a carruagem que transportou o trono de Deus ou o Trono do mundo. Como todas as “ciências e escolas esotéricas”, a Qabalah tem uma origem tradicional e uma origem histórica, e necessariamente a origem tradicional não coincide com a histórica. Segundo a origem tradicional, a Qabalah foi ensinada pelos anjos a Adão para que Adão, através do estudo e da utilização cabalística pudesse retornar ao paraíso. Adão passou a Abraão, Abraão levou estes ensinamentos até o Egito eles absorveram parcialmente a Qabalah. Mais tarde, Moisés aprendeu esse conhecimento e aprimorou esse conhecimento no deserto, durante os quarenta anos que por lá perambulou. Essa é a origem tradicional, também se dizendo que ele foi ajudado por anjos no deserto, existindo todo um folclore sobre isto.
  9. 9. As Quatro Categorias da Qabalah 1) A qabalah prática - que trata da Magia Talismânica, Cerimonial, e do tarot. 2) A qabalah dogmática - que consiste na literatura Qabalística; 3) A qabalah literal - que trata do uso das letras e dos números – possui subdivisões; 4) A qabalah não-escrita - que consiste no conhecimento correto da maneira pela qual os sistemas simbólicos estão dispostos na Árvore das Vidas.
  10. 10. A Qabalah Literal divide-se em três partes: 1) A Gematria - que baseia-se nos valores das palavras; 2) O Notariqon - que baseia-se nas letras de uma palavra que formam as iniciais de outras palavras, formando uma sentença; 3) A Temura - ou permutação, sendo esta a substituição de uma letra por outra que a precede no alfabeto.
  11. 11. A Qabalah Literal divide-se em três partes: 1) A Gematria - que baseia-se nos valores das palavras; 2) O Notariqon - que baseia-se nas letras de uma palavra que formam as iniciais de outras palavras, formando uma sentença; 3) A Temura - ou permutação, sendo esta a substituição de uma letra por outra que a precede no alfabeto.
  12. 12. Gematria
  13. 13. A Gematria Em hebraico, os termos Serpente do Gênesis (Nechesh xjn), e Messias (Messiach hyxm), ambos somam 358; União (achad dha) vale 13; Amor (ahbh hbha) vale 13; Logo, o amor manifesta-se na unidade, ou a unidade no amor. O nome de Deus em hebraico ( hwhy ), equivale a 26, que é a soma de 13+13. Logo, Deus manifesta-se na unidade do amor.
  14. 14. Todas as sefiroth recebem energia vinda dos planos superiores, além da Árvore, de Ein Soph Aur. No entanto, as sefiroth 7 e 8, Netzach e Hod respectivamente, tem sua energia debilitada, uma vez que sua posição estã muito abaixo das Supernas e também estão fora do Pilar do Meio.
  15. 15. No conjunto, podemos entender que somos a esfera do pinball, que circula ou rebate nas sephiroth, de forma dinâmica. O entendimento das regras da Árvore das Vidas, não torna o mundo real num processo sequencial.
  16. 16. 1=4=7=10 Adição Teosófica ou os valores místicos dos números Axioma: A cada 4 números retorna a unidade, conforme o exemplo abaixo: Para encontrar a adição de um número, soma-se o valor e os precedentes até chegar na unidade. Por ex.: 1=1 2=2+1=3 3=3+2+1=6 4=4+3+2+1=10=1 5=5+4+3+2+1=15=6 6=6+5+4+3+2+1=21=3 7=7+6+5+4+3+2+1=28=10=1 8=8+7+6+5+4+3+2+1=36=9 9=9+8+7+6+5+4+3+2+1=45=9 10=10+9+8+7+6+5+4+3+2+1=55=10=1 11=11+10+9+8+7+6+5+4+3+2+1=66=12=3 12=12+11+10+9+8+7+6+5+4+3+2+1=78=15=6 Esses valores também São obtidos pela equação: N*(1+N)/2

×