Raquel Camargo - Responsabilidade Social (Media) e Open Data

258 visualizações

Publicada em

Você já gerou dados hoje? Usar redes sociais, as atividades políticas, sua privacidade, andar pela cidade, enfim, tudo que fazemos hoje é uma questão de dados. Como podemo usar de forma inteligente tudo isso? É possível falarmos de uma responsabilidade social de quem trabalha com a internet? Como podemos melhora a sociedade e sermos cidadãos ativos através disso?

Publicada em: Marketing
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
258
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Raquel Camargo - Responsabilidade Social (Media) e Open Data

  1. 1. Responsabilidade Social (media) e Cultura Open Data margo www.lhama.me – www.raquelcamargo.com/
  2. 2. Legado Responsabilidade social Social media para melhorar o mundo Open data e cases
  3. 3. Qual legado você vai deixar para o mundo?
  4. 4. QUEM FALA E QUAL É O MEU LEGADO? • Raquel Camargo é jornalista, mestre em estudos de linguagens (CEFET-MG). • Fundadora da agência lhama.me • Professora de pós-graduação • Trabalhou no UOL, Escritório de Prioridades Estratégicas do Governo de MG, prestou consultoria de social media para artistas e políticos, etc. • Apaixonada pelas formas de fazer o conhecimento ser livre e acessível www.raquelcamargo.com/blog www.lhama.me twitter.com/raquelcamargo
  5. 5. Conversação Inovação Colaboração Com nosso jeito de fazer eventos, o legado é construído a partir da inteligência coletiva. Trazemos recursos do design thinking e de várias outas fontes para criar dinâmicas produtivas e impactantes Metodologias de conversação permitem a criação de um ambiente propício para a comunicação horizontal e integração dos participantes Qual o DNA dos eventos da Lhama.me?
  6. 6. www.politicaesporteclube.com
  7. 7. Legado Responsabilidade social Social media para melhorar o mundo Open data e cases
  8. 8. Responsabilidade social • aproximação dos interesses das organizações e os da sociedade resultar em esforços múltiplos para o cumprimento de objetivos compartilhados. • responsabilidade social como estratégia de inserção na comunidade: A instituição busca aprimorar suas relações com a comunidade e a sociedade e também a definição de novas formas de continuar nela inserida. • responsabilidade social vista como uma estratégia para o desenvolvimento social da comunidade. A instituição passa a assumir papel de agente do desenvolvimento local, junto com outras entidades comunitárias e o próprio governo. Você como protagonista da evolução social
  9. 9. Auto- responsabilização social?
  10. 10. Legado Responsabilidade social Social media para melhorar o mundo Open data e cases
  11. 11. “Eles” Os órgãos públicos
  12. 12. E nós? E você?
  13. 13. Quem é você nesse processo?
  14. 14. Mídias sociais como ferramentas de mudança social
  15. 15. Menos STORYTELLING Mais STORYDOING *Frase roubartilhada do Facebook do professor Caio César
  16. 16. Case da aluna Alba Joacy, da pós-graduação de Comunicação Digital e Mídias Sociais www.facebook.com/precisofalarcomdeus
  17. 17. Case da aluna Dálcia, da pós-graduação de Comunicação Digital e Mídias Sociais
  18. 18. AMOR – Ato a favor dos Moradores de Rua
  19. 19. AMOR – Ato a favor dos Moradores de Rua
  20. 20. http://www.votenaweb.com.br/
  21. 21. Modelo Caórdico
  22. 22. Chamos: O extremo do agressivo do caos, dominado pelo ambiente destrutivo e o desmantelamento das estruturas e da organização. Caos: O espaço criativo da incerteza, onde acontecimentos espontâneos, o improviso e o imprevisível ocorrem. Excelente lugar para o surgimento do novo, porém a falta de pragmatismo impede que haja continuidade e concretização de ações e planos, tornando difícil a estabilidade de formas. Ordem: O espaço regular da previsibilidade, onde os padrões se repetem. Ótimo para ações práticas, mas o excesso de rigidez pode podar a imaginação e impedir a fertilidade. Controle: O extremo dominador da ordem, no qual a imposição forçada de conceitos e vontades pré-determinadas paralisa toda a inovação. O espaço mecanizado resultante sufoca a vida. O controle é o paradigma dominante na sociedade atual. Fonte: Co Criar
  23. 23. Onde nos encontramos?
  24. 24. Como nos envolvermos positivamente em tudo isso?
  25. 25. Legado Responsabilidade social Social media para melhorar o mundo Open data e cases
  26. 26. OPEN DATA MATÉRIA PRIMA DE UMA (R)EVOLUÇÃO SOCIAL
  27. 27. MEÇA OS SEUS DADOS, PARÇA
  28. 28. SEGUNDO A DEFINIÇÃO DA OPEN KNOWLEDGE FOUNDATION, DADOS SÃO ABERTOS QUANDO QUALQUER PESSOA PODE LIVREMENTE USÁ-LOS, REUTILIZÁ-LOS E REDISTRIBUÍ-LOS, ESTANDO SUJEITO A, NO MÁXIMO, A EXIGÊNCIA DE CREDITAR A SUA AUTORIA E COMPARTILHAR PELA MESMA LICENÇA. ISSO GERALMENTE É SATISFEITO PELA PUBLICAÇÃO DOS DADOS EM FORMATO ABERTO E SOB UMA LICENÇA ABERTA.
  29. 29. 1 Se o dado não pode ser encontrado e indexado na Web, ele não existe; 2 Se não estiver aberto e disponível em formato compreensível por máquina, ele não pode ser reaproveitado; 3 e se algum dispositivo legal não permitir sua replicação, ele não é útil. As leis foram propostas para os Dados Abertos Governamentais, mas pode-se dizer que elas se aplicam aos Dados Abertos de forma geral. O especialista em políticas públicas e ativista dos dados abertos David Eaves propôs as seguintes “leis”:
  30. 30. LAI É dever do Estado garantir o direito de acesso à informação, que será franqueada, mediante procedimentos objetivos e ágeis, de forma transparente, clara e em linguagem de fácil compreensão. Lei nº 12527/2011
  31. 31. Análise de 492 municípios com até 50 mil habitantes, incluindo todas capitais, além dos 26 estados e do Distrito Federal Todos os entes avaliados receberam uma nota de 0 a 10 pontos, calculada pela soma de dois critérios: regulamentação da Lei de Acesso (25%) e efetiva existência e atuação do Serviço de Informação ao Cidadão (75%). A ideia é refletir sobre o cenário de transparência em todo o Brasil.
  32. 32. “Os dados são o novo petróleo da era digital e a nova moeda da democracia” Neelie Kroes
  33. 33. ANÁLISE DE VOTOS CÂMARA DOS DEPUTADOS
  34. 34. A TECNOLOGIA A SERVIÇO DO CIDADÃO / CIDADÃ - UMA FERRAMENTA PARA ANÁLISE PARTIDÁRIA DAS CASAS LEGISLATIVAS. O RADAR PARLAMENTAR É UM APLICATIVO QUE ILUSTRA AS SEMELHANÇAS ENTRE PARTIDOS POLÍTICOS COM BASE NA ANÁLISE MATEMÁTICA DOS DADOS DE VOTAÇÕES QUE OCORREM NA CASA LEGISLATIVA. AS SEMELHANÇAS SÃO APRESENTADAS EM UM GRÁFICO BIDIMENSIONAL, EM QUE CÍRCULOS REPRESENTAM PARTIDOS OU PARLAMENTARES, E A DISTÂNCIA ENTRE ESSES CÍRCULOS REPRESENTA O QUÃO PARECIDO OS MESMOS VOTAM. RADAR PARLAMENTAR
  35. 35. QUANTO MAIS PRÓXIMOS DOIS PARLAMENTARES OU PARTIDOS, MAIS PARECIDOS FORAM SEUS VOTOS EM PLENÁRIO NO PERÍODO. A MOVIMENTAÇÃO DE UM PARLAMENTAR AO LONGO DO TEMPO EM RELAÇÃO AO PLANO DE FUNDO NÃO POSSUE SIGNIFICADO, O QUE VALE É A SUA DISTÂNCIA EM RELAÇÃO AOS OUTROS PARLAMENTARES. http://radarparlamentar.polignu.org/analises/analise/cdep/
  36. 36. HACKATHONS
  37. 37. http://geoleis.herokuapp.com #HACKATHONS #HACKATHONS
  38. 38. Hackathon do Governo de Minas Hackathon do Governo de Minas
  39. 39. Hackathon do Governo de Minas - http://dataminas.info
  40. 40. http://olhoneles.org/
  41. 41. http://olhoneles.org/
  42. 42. http://queremossaber.org.br
  43. 43. NÃO SE TRATA APENAS DE POLÍTICA
  44. 44. COMO SE MEDE A QUALIDADE DE UMA ESCOLA?
  45. 45. http://www.escolaquequeremos.org
  46. 46. Empresas que geram dados abertos
  47. 47. INTELIGÊNCIA COLETIVA COMO MODELO DE NEGÓCIO
  48. 48. CU CULTURA DATERA
  49. 49. Seja a mudança
  50. 50. Raquel Camargo www.lhama.me www.raquelcamargo.com/blog twitter.com/raquelcamargo Obrigada

×