AQUAE SACRAE. Agua e sacralidad en época antigua                     Seminario Internacional - Girona 12-13 Julio 2011    ...
Termas        (1977)                 Teatro                 (1999)forum
Panorâmica do início da escavação das termas da Cividade (anos 70)  Perspectiva dos hipocaustos tardios descobertos em 197...
Edifício pré-termal     (século I)
Fase I Inícios século IIPrimeiro projecto
Apodyterium (área 6)Hipocausto
Frigidarium (área 9)Alçado sul do muro M20. Ao centro a soleira    da porta de entrada no frigidarium
TepidariumApodyterium                                                     Área 11  Área 6              Corredor           ...
Tepidaria (áreas 11 e 12) Hipocausto da área 11                         Parte conservada do hipocausto da área 12
Tepidário (área 12)              Tepidário (área 11)Alçado oeste do muro M36, que integra a boca do praefurnium Pr2
Caldarium (área 13)Perspectiva . Em primeiro plano o alveus e    vestígios da suspensura ao fundo
Caldarium (área 13)   Testemunho conservado da suspensura e dos tubuli laterici
Tecnologia de aquecimentoPilae        Tubuli                 Aduelas das abóbadas
Tecnologia de iluminaçãoUtilização de vidro nas janelas viradas  poente para iluminação das salas
Fase IIFinais do século II/     inícios III
Interpretação da remodelação da área centraldas termas (Desenhos de Ricardo Mar)
Perspectiva da remodelação operada na área de serviços 17, com a construção do muro                             M24 sobre ...
Fase IIIFinais do século III/      inícios IV
Face sul do muro M50 que define o                      limite norte da área de banhosPr4                  Inutilização do ...
Nova área aquecida das termasMuro M43 com passagem de ar quente
TaTa
Fase IVMeados do século IV
O abastecimento de água às termas     Aqueduto da Colina da Cividade
O aqueduto da Colina da Cividade   spectus                                                   spectus0,60m altura          ...
Análise do aqueduto do Alto da CividadePendor de 0,10m em                                       194,10m 60 m de extensão  ...
Circulação de água limpaPerspectiva da cisterna construída na fase II               Canalização A que alimentava a piscina...
Circulação de água limpaPormenor da canalização que alimentava  a piscina interior a partir da cisterna                  (...
Drenagem de águas residuaisPormenor da canalização que servia    Canalização que drenava a água     as latrinas (fases III...
O balneum das Carvalheiras
O balneum das Carvalheiras                       apodyterium   hipocaustos                                     frigidarium
O balnea das Carvalheiras                            apodyterium           frigidarium                  caldarium         ...
apodyteriumtepidarium               caldarium                           piscina
tepidarium               caldariumVestígios residuais dos solos dos hipocaustos do caldarium e tepidarium
piscina                          caldariumVestígios do hipocausto do caldarium e da piscina associada
Alveus do frigidarium                        Parte conservada do praefurnium
190m2 de área de banhos
Tecnologia de aquecimento                 Pilae                            Aduelas das abóbadas     Tubuli
Sistema de abastecimento    e drenagem de água
Abastecimento de água às termas das Carvalheiras                                  Fistula aquariae
Fistula aquariae das Carvalheiras                                              quinquagenaria (148 mm de diâmetro)Comprime...
Canalização onde encaixava a fistula
Drenagem de água suja do alveus        do frigidarium
Localização dos balneários públicos de Bracara Augusta
Hipocaustos das salas quentes
Mosaicos das termas
Eventual traçado de um aqueduto e cota de circulaçãoBalneário pré-romano                                                  ...
Manilhas de sifão encontradas na área do forum
Localização de Bracara Augusta no contexto geomorfológico e                     hidrológico regional                  Home...
Extrato da carta geológica    de Braga 1:50.000
Provável origem do abastecimento de água à cidade romana                                          Dados climatológicos    ...
Traçado conjectural de um aqueduto romano
Captações de água nos finais da Idade Média
Traçado conjectural de um segundo aqueduto romano
Aqueduto de Gualtar
02 - III meet (es) - martins - as termas publicas de bracara augusta
02 - III meet (es) - martins - as termas publicas de bracara augusta
02 - III meet (es) - martins - as termas publicas de bracara augusta
02 - III meet (es) - martins - as termas publicas de bracara augusta
02 - III meet (es) - martins - as termas publicas de bracara augusta
02 - III meet (es) - martins - as termas publicas de bracara augusta
02 - III meet (es) - martins - as termas publicas de bracara augusta
02 - III meet (es) - martins - as termas publicas de bracara augusta
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

02 - III meet (es) - martins - as termas publicas de bracara augusta

823 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

02 - III meet (es) - martins - as termas publicas de bracara augusta

  1. 1. AQUAE SACRAE. Agua e sacralidad en época antigua Seminario Internacional - Girona 12-13 Julio 2011 As termas públicas de Bracara Augusta e o abastecimento de água da cidade romana Manuela Martins , Maria do Carmo Ribeiro e José Luiz Meireles Projecto Europeu Cultura 2007-2013Unidade de Arqueologia
  2. 2. Termas (1977) Teatro (1999)forum
  3. 3. Panorâmica do início da escavação das termas da Cividade (anos 70) Perspectiva dos hipocaustos tardios descobertos em 1977-78
  4. 4. Edifício pré-termal (século I)
  5. 5. Fase I Inícios século IIPrimeiro projecto
  6. 6. Apodyterium (área 6)Hipocausto
  7. 7. Frigidarium (área 9)Alçado sul do muro M20. Ao centro a soleira da porta de entrada no frigidarium
  8. 8. TepidariumApodyterium Área 11 Área 6 Corredor Frigidarium Área de serviços Área 8 Área 9 Área 17 Área de serviços Área 18 Alçado da parede sul do frigidarium
  9. 9. Tepidaria (áreas 11 e 12) Hipocausto da área 11 Parte conservada do hipocausto da área 12
  10. 10. Tepidário (área 12) Tepidário (área 11)Alçado oeste do muro M36, que integra a boca do praefurnium Pr2
  11. 11. Caldarium (área 13)Perspectiva . Em primeiro plano o alveus e vestígios da suspensura ao fundo
  12. 12. Caldarium (área 13) Testemunho conservado da suspensura e dos tubuli laterici
  13. 13. Tecnologia de aquecimentoPilae Tubuli Aduelas das abóbadas
  14. 14. Tecnologia de iluminaçãoUtilização de vidro nas janelas viradas poente para iluminação das salas
  15. 15. Fase IIFinais do século II/ inícios III
  16. 16. Interpretação da remodelação da área centraldas termas (Desenhos de Ricardo Mar)
  17. 17. Perspectiva da remodelação operada na área de serviços 17, com a construção do muro M24 sobre o praefurnium Pr2
  18. 18. Fase IIIFinais do século III/ inícios IV
  19. 19. Face sul do muro M50 que define o limite norte da área de banhosPr4 Inutilização do caldarium e instalação do prefurnium Pr4 Alçado oeste dos muros M39 e M50
  20. 20. Nova área aquecida das termasMuro M43 com passagem de ar quente
  21. 21. TaTa
  22. 22. Fase IVMeados do século IV
  23. 23. O abastecimento de água às termas Aqueduto da Colina da Cividade
  24. 24. O aqueduto da Colina da Cividade spectus spectus0,60m altura 0,60m altura0,45m largura 0,45m largura spectus spectus 0,70m altura 0,35m largura 0,40m largura
  25. 25. Análise do aqueduto do Alto da CividadePendor de 0,10m em 194,10m 60 m de extensão 194,05m Captação acima de 194m 194,00m
  26. 26. Circulação de água limpaPerspectiva da cisterna construída na fase II Canalização A que alimentava a piscina central a partir da cisterna (Fase II)
  27. 27. Circulação de água limpaPormenor da canalização que alimentava a piscina interior a partir da cisterna (fase II) Canalização de água limpa no corredor 8
  28. 28. Drenagem de águas residuaisPormenor da canalização que servia Canalização que drenava a água as latrinas (fases III e IV) vinda das piscina do apodyterium
  29. 29. O balneum das Carvalheiras
  30. 30. O balneum das Carvalheiras apodyterium hipocaustos frigidarium
  31. 31. O balnea das Carvalheiras apodyterium frigidarium caldarium tepidarium
  32. 32. apodyteriumtepidarium caldarium piscina
  33. 33. tepidarium caldariumVestígios residuais dos solos dos hipocaustos do caldarium e tepidarium
  34. 34. piscina caldariumVestígios do hipocausto do caldarium e da piscina associada
  35. 35. Alveus do frigidarium Parte conservada do praefurnium
  36. 36. 190m2 de área de banhos
  37. 37. Tecnologia de aquecimento Pilae Aduelas das abóbadas Tubuli
  38. 38. Sistema de abastecimento e drenagem de água
  39. 39. Abastecimento de água às termas das Carvalheiras Fistula aquariae
  40. 40. Fistula aquariae das Carvalheiras quinquagenaria (148 mm de diâmetro)Comprimento: 1,58m Secção ovalada Nome de fabricante de tubos de horizontal: 141mm chumbo vertical: 146 mm TFLGRAPTVSF [T(itus) Fl(avius) Graptus f(ecit)]
  41. 41. Canalização onde encaixava a fistula
  42. 42. Drenagem de água suja do alveus do frigidarium
  43. 43. Localização dos balneários públicos de Bracara Augusta
  44. 44. Hipocaustos das salas quentes
  45. 45. Mosaicos das termas
  46. 46. Eventual traçado de um aqueduto e cota de circulaçãoBalneário pré-romano Fonte do Ídolo 488,40m = pendor de 0,81m = 194,91m
  47. 47. Manilhas de sifão encontradas na área do forum
  48. 48. Localização de Bracara Augusta no contexto geomorfológico e hidrológico regional Homem Eiras Vedras 474 m. Cávado Pedroso Mte. Vasconcelos 366 m. 332 m. Braga 199 m. Sameiro Este 566 m. Picoto 296 m. Mte. Frio 554 m. Veiga Sta. Marta 561 m.
  49. 49. Extrato da carta geológica de Braga 1:50.000
  50. 50. Provável origem do abastecimento de água à cidade romana Dados climatológicos (1961-1990) Precipitação média anual – 1515mm Temperatura média anual – 14,4ºC
  51. 51. Traçado conjectural de um aqueduto romano
  52. 52. Captações de água nos finais da Idade Média
  53. 53. Traçado conjectural de um segundo aqueduto romano
  54. 54. Aqueduto de Gualtar

×