SlideShare uma empresa Scribd logo
PALESTRANTE: Vera Thorstensen, CCGI/EESP-FGV 10 de setembro de 2014. 
OS DESAFIOS DO SISTEMA MULTILATERAL DE COMÉRCIO
O Multissistema do Comércio Global 
2 
Brasil 
Regras Nacionais 
UE, EUA, China, Índia, 
África do Sul… 
Regras Preferenciais 
Acordos Regionais, Bilaterais e Não Recíprocos 
Regras Multilaterais OMC (DSB), FMI, BM, OCDE, UNCTAD, FAO, OMPI
Os Desafios 
•Proliferação de Acordos Preferenciais de Comércio (APCs/PTAs); 
•A lógica das Cadeias Globais de Valor 
•As “Guerras Cambiais” 
3
1 - APCs/PTAs 
•Tipos: RTAs, Bilateral, Non-reciprocal 
–Acordos Regionais de Comércio (ARCs/RTAs) 
–Acordos bilaterais 
–Acordos Não-recíprocos 
•Escopo: Bens + Serviços + PI + Investimentos + Concorrência + Clima 
•Regras: OMC-in + OMC-plus + OMC-extra 
•Mega-Acordos: TTIP, TPP, China+Coreia+Japão 
4
Quantidade de APCs/PTAs 
5 
Source: WTO, 2012
Acordos velha geração 
•Acesso a mercados de bens: tarifas e quotas 
•Regras de origem, aduaneiras 
•Acesso a mercados de serviços 
•Cooperação TBT + SPS 
•Propriedade intelectual + 
•Investimentos e TRIMs + 
•Concorrência 
•Meio ambiente e Padrões sociais
MEGA-ACORDOS 
•Acordos sobre regras e não sobre tarifas 
•TBT+ e SPS+ 
•Serviços++ e PI +++ (OMC-plus) 
•Investimento + Concorrência + Meio Ambiente (OMC-extra) 
•Coerência Regulatória (OMC-extra 
•Solução de Controvérsias x DSB 
•65% do Comércio de Bens 
7
Efeitos na OMC 
•Novas regras OMC-plus e OMC-extra 
•Compatibilidade com as regras da OMC ? 
•DSB x Mecanismo de solução de controvérsias dos Mega 
•QUAL O PAPEL DA OMC ? 
•Propostas: 
–Reforçar o Comitê sobre Acordos Regionais 
–Discutir os Mega-Acordos em cada Comitê da OMC 
–Levar novos casos para o DSB 
–Devem os que estão fora desses acordos propor uma nova agenda para a OMC ? 
8
2 – Transnacionais e CGVs 
•Importância do comércio entre elas (60%) 
•Atores: trans x estados 
•Forte influência: nos governos nacionais; na arena internacional 
•Organizações sem rosto 
9
Fóruns de Negociação 
•Transnacionais: 
•Atores importantes em negociações: 
. nacionais 
. acordos preferenciais 
. acordos plurilaterais 
10
ATORES : Estados x Transnacionais 
11 
Lógica transnacional 
• Comércio por tarefas (cadeias de valor) 
• Sem tarifas, sem AD, sem CVM, sem Salvaguardas, sem RO preferenciais 
• Investimentos, concorrência, PI e serviços 
• Padrões harmonizados (TBT/SPS) 
• ARBITRAGEM 
Lógica estatal 
• Comércio de bens 
• Cotas e tarifas 
• AD, CVM, Salvaguardas 
• RO 
• Subsídios 
• SOLUÇÃO DE CONTROVÉRSIAS
Efeitos dos interesses das Trans: na OMC e nos outsiders 
•Instrumentos de comércio obsoletos: 
tarifas, AD, CVM, RO ? 
•Novos instrumentos de Comércio na OMC: concorrência, investimentos, meio ambiente e mudanças do clima ? 
•Os Mega-Acordos estão criando uma OMC dual ? 
•Os Mega estão criando um sistema DSB fragmentado ? 
•Transnacionais e cadeias globais de valor 
•Implicações para outsiders nas CGVs ? 
•Deveriam os outsiders propor uma nova agenda para a OMC ? 
12
3 – “Guerras Cambiais” 
QUESTÕES 
•Número de países com desalinhamentos 
•Persistência e magnitude dos desalinhamentos 
•Onde julgar violações cambiais ? 
•Manipuladores (FMI Art. IV) e Frustradores (GATT Art. XV) 
13
Como estimar os desalinhamentos? 
•PPP 
•Equilibrium rate to current account balance (flow) 
•Equilibrium rate to net foreign asstes (stocks) 
14
Câmbio – Índice Big Mac 1/ 2014 
15
FMI – Estimativas de Desalinhamentos Cambiais (7/2014): Pilot External Sector Report 
16
PIIE - FEER – Desainhamentos Cline-Williamson (10/2013) 
17 
-40% -30% -20% -10% 0% 10% 20% 30% 40% ArgentinaAustraliaBrazilCanadaChileChinaColombiaCzech RepublicEuro AreaHong KongHungaryIndiaIndonesiaIsraelJapanKoreaMalaysiaMexicoNew ZealandNorwayPhilippinesPolandRussiaSaudi ArabiaSingaporeSouth AfricaSwedenSwitzerlandTaiwanThailandTurkeyUnited KingdomUnited StatesVenezuela Misalignment from FEER -Cline & WilliamsonMay-10Oct-10Apr-11Oct-11Apr-12Oct-12May-13Oct-13
FGV - China: câmbio real, fundamentos e desalinhamento cambial 2013 
18 
Sources: Misalignment estimates – Observatory on Exchange Rate - EESP/FGV (2013)
FGV - EUA: câmbio real, fundamentos e desalinhamento cambial 2013 
19 
Source: Observatory on Exchange Rate - EESP/FGV (2013)
FGV - Brasil: câmbio real, fundamentos e desalinhamento cambial - 04/2014 
20 
Taxa de câmbio real Fundamentos 198019851990199520002005201075100125150175Taxa Desalinhamento cambial 1980198519901995200020052010-0.250.000.25Desalinhamento
FGV - BRASIL: Desalinhamentos – os diferentes métodos 
• 
• 
21
FGV - Argentina: câmbio real, fundamentos e desalinhamento cambial (por ano) - 7/ 2013 
22
FGV – Desalinhamentos de 2013 Observatório de Câmbio 
23 
-15% 
-10% 
-5% 
0% 
5% 
10% 
15% 
20% 
25% 
30% 
35% 
% to the equilibrium 
REER Misalignments - FGV 
2011 
2012 
2013
“Tarifficação” dos desalinhamentos cambiais 
•Para examinar o impacto dos desalinhamentos cambiais no comércio, uma possibilidade é transformar o desalinhamento em uma tarifa e, então, ajustá-la à tarifa de importação de cada país por meio de um exercício de tarificação. 
•Um câmbio valorizado tem o efeito de reduzir ou de anular as tarifas de importação do país sobrevalorizado, criando um incentivo para as importações de terceiros países. 
•Um câmbio desvalorizado, por outro lado, consistirá em um incentido às exportações do país subvalorizado. A moeda desvalorizada de um país terá o efeito de aumentar suas tarifas de importação, algumas vezes, inclusive, acima dos níveis consolidados (bound) na OMC. 
•A equação utilizada para “tarificar” os efeitos dos desalinhamentos cambiais está no slide seguinte.
Tarificação dos desalinhamentos 
25
Simulações relativas aos efeitos dos desalinhamentos cambiais em Perfis Tarifários selecionados 
•Usando uma “metodologia de tarificação”, é possível representar os efeitos dos desalinhamentos cambiais no Perfil Tarifário de um dado país. 
•O Perfil Tarifário (Tariff Profile) é composto por tarifas aplicadas (applied) e consolidadas (bound). 
•Tarifas Consolidadas são tarifas negociadas na OMC que estabelecem o nível máximo permitido para uma determinada tarifa de importação. 
•Tarifas aplicadas são as tarifas de importação praticadas por um país e notificadas à OMC 
•Depois de aplicar a “metodologia de tarificação” os resultados são ajustados entre as tarifas aplicadas e consolidadas, uma vez que representam o nível de proteção comercial de um dado país. 
•Nos slides seguintes, apresentados as simulações para os Perfis Tarifários de Brasil, da China, dos EUA e da União Europeia, considerando os efeitos dos desalinhamentos cambiais nesses países selecionados.
CHINA – Impactos do Câmbio no Perfil Tarifário da China China: desvalorização de 15% em 2013 
0,00% 10,00% 20,00% 30,00% 40,00% 50,00% 60,00% 1 -4 -7 -10 -13 -16 -19 -22 -25 -28 -31 -34 -37 -40 -43 -46 -49 -52 -55 -58 -61 -64 -67 -70 -73 -76 -79 -82 -85 -88 -91 -94 -97 - China Tariffs x Adjusted Tariffs -Effects of China Exchange Rate Devaluation Simple averages at HS 2 digits Applied Tariffs (simple average) Adjusted Applied Tariffs: China -14% Bound Tariffs (simple average) CerealsSugarWoolMeatFootwearVehiclesMusical instrumentsFurskinsClothingTobacco
CHINA – Impactos do Câmbio no Perfil Tarifário da China Ch-Brazil, Ch-Germany, Ch-US em 2013 DESALINHAMENTOS BILATERAIS 
0% 20% 40% 60% 80% 100% 120% 1 -4 -7 -10 -13 -16 -19 -22 -25 -28 -31 -34 -37 -40 -43 -46 -49 -52 -55 -58 -61 -64 -67 -70 -73 -76 -79 -82 -85 -88 -91 -94 -97 - China Tariffs x Adjusted Tariffs -Effects of Selected Countries Exchange Rate Deviations Simple averages at HS 2 digits Adjusted Applied Tariffs -effect of CH + BR deviations -54% Adjusted Applied Tariffs -effect of CH + BR (06/12) deviations: 29% Adjusted Applied Tariffs -effect of GER + CH deviations: 12,5% Adjusted Applied Tariffs -effect of CH + USA deviations: 7% Bound Tariffs (simple average) Applied Tariffs (simple average) Brazilian exporter (2011) American exporterGerman exporterBrazilian exporter (06/12)
EUA – Impactos do Câmbio no Perfil Tarifário dos EUA EUA: desvalorização de - 5% em 2013 
141% 158% 146% 0% 20% 40% 60% 80% 100% 120% 140% 160% 180% 0% 5% 10% 15% 20% 25% 30% 1 -4 -7 -10 -13 -16 -19 -22 -25 -28 -31 -34 -37 -40 -43 -46 -49 -52 -55 -58 -61 -64 -67 -70 -73 -76 -79 -82 -85 -88 -91 -94 -97 - US Applied Tariffs x Adjusted Tariffs -Effects of US Exchange Rate Devaluation Simple averages at HS 2 digits Adjusted applied tariffs: USA -7% Bound tariffsApplied tariffsDairy TobaccovegetablesLeatherClothingFootwearLocomotive
Impactos do Câmbio no Perfil Tarifário dos EUA US-Brazil US-Spain US-China and US-Brazil em 2013 DESALINHAMENTOS BILATERAIS 
-20% -10% 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 1 -4 -7 -10 -13 -16 -19 -22 -25 -28 -31 -34 -37 -40 -43 -46 -49 -52 -55 -58 -61 -64 -67 -70 -73 -76 -79 -82 -85 -88 -91 -94 -97 - USA Applied Tariffs x Adjusted Tariffs -Effects of Selected Countries Deviations (Article I) Simple averages at HS 2 digits Adjusted applied tariffs -effect of USA + BR: 47% Adjusted applied tariffs -effect of USA + BR: 22% (06/2012) Adjusted applied tariffs -effect of USA + SPAIN: 13,8% Bound tariffsApplied tariffsAdjusted applied tariffs -effect of USA + CH: 7% Brazilian exporter(2011) Brazilian exporter (06/2012) Spanish exporterChinese exporter
31 
Impactos do Câmbio no Perfil Tarifário da UE, Brasil, EUA e China em 2013 
-20% 0% 20% 40% 60% 80% 100% 120% 1 -4 -7 -10 -13 -16 -19 -22 -25 -28 -31 -34 -37 -40 -43 -46 -49 -52 -55 -58 -61 -64 -67 -70 -73 -76 -79 -82 -85 -88 -91 -94 -97 - EU Market -Effects of Selected Countries Deviations (Article I) Simple averages at HS 2 digits -Exchange rate misalignments for 2011-12Adjusted Applied Tariffs - Exchange Rate Overvaluation BR -40% Adjusted Applied Tariffs - Exchange Rate Overvaluation BR -15% (06/2012) Bound Tariffs Applied Tariffs Adjusted Applied Tariffs - Exchange Rate Devaluation USA -7% Adjusted Applied Tariffs - Exchange Rate Devaluation China -14% Brazilianexporter (2011) Brazilianexporter (06/2012) Americanexporter Chineseexporter
BRASIL – Impactos dos desalinhamentos nas 
Tarifas 2012 (+20%) e 2013 (+15%) 
-30% 
-20% 
-10% 
0% 
10% 
20% 
30% 
40% 
50% 
60% 
1 - 4 - 7 - 10 - 13 - 16 - 19 - 22 - 25 - 28 - 31 - 34 - 37 - 40 - 43 - 46 - 49 - 52 - 55 - 58 - 61 - 64 - 67 - 70 - 73 - 76 - 79 - 82 - 85 - 88 - 91 - 94 - 97 - 
Brazil Tariffs x Adjusted Tariffs - Effects of Brazil Exchange Rate Overvaluation (2012) 
Simple averages at HS 2 digits 
Bound Tariffs (simple 
averages) 
Applied Tariffs 
Adjusted Bound Tariffs - 
Exchange Rate 
Overvaluation BR + 20% 
Adjusted Applied Tariffs - 
Exchange Rate 
Overvaluation BR + 20% 
Dairy 
Sugar Beverages 
Tobacco 
Leather 
Cotton 
Clothing 
Steel 
Tools 
Vehicles 
32
33 
Impactos do Câmbio no Perfil Tarifário do Brasil Brazil-China Brazil-US Brazil-Germany DESALINHAMENTOS BILATERAIS EM 2013 
-50% -40% -30% -20% -10% 0% 10% 20% 30% 40% 1 -4 -7 -10 -13 -16 -19 -22 -25 -28 -31 -34 -37 -40 -43 -46 -49 -52 -55 -58 -61 -64 -67 -70 -73 -76 -79 -82 -85 -88 -91 -94 -97 - Brazilian Market Adjusted for Multiple Exchange Rate Misalignments Simple averages at HS 2 digits Applied Tariffs Brazilian ProducerAdjusted Applied Tariffs - effect of BR + GER: 24% Adjusted Applied Tariffs - effect of BR + USA: 25% Adjusted Applied Tariffs - effect of BR + CH: 37% DairySugarBeveragesTobaccoLeatherCottonClothingSteelToolsVehicles
CONCLUSÕES 
- Os países com câmbios valorizados (Brasil, África do Sul, Austrália, etc.) tiveram suas tarifas negociadas reduzidas ou anuladas. 
- Os países com câmbio desvalorizado (EUA, China, Alemanha, etc.) concederam subsídios às suas exportações e suas tarifas aplicadas ultrapassam os níveis consolidades acordados na OMC. 
- Desalinhamentos cambiais substanciais e persistentes afetam significativamente ou até mesmo anulam a maioria das regras da OMC: tarifas, anti-dumping, medidas compensatórias (CVM), salvaguardas, regras de origem (RO), acordos regionais e retaliações autorizadas pelo DSB. 
- PROBLEMA: 
A OMC tem as regras adequadas para tratar de câmbio ? 
34
–FMI: Manipulação (Artigo IV) 
•manipulation 
–OMC: Frustração (Artigo XV do GATT) 
•Frustrate / frustrator 
COMO RESOLVER O PROBLEMA ?
General Agreement on Tariffs and Trade (GATT) 
Article XV.4 
Contracting parties shall not, by exchange action, frustrate* the intent of the provisions of this Agreement, nor, by trade action, the intent of the provisions of the Articles of Agreement of the International Monetary Fund. 
* Ad Article XV -Paragraph 4 
The word “frustrate” is intended to indicate, for example, that infringements of the letter of any Article of this Agreement by exchange action shall not be regarded as a violation of that Article if, in practice, there is no appreciable departure from the intent of the Article. Thus, a contracting party which, as part of its exchange control operated in accordance with the Articles of Agreement of the International Monetary Fund, requires payment to be received for its exports in its own currency or in the currency of one or more members of the International Monetary Fund will not thereby be deemed to contravene Article XI or Article XIII. Another example would be that of a contracting party which specifies on an import license the country from which the goods may be imported, for the purpose not of introducing any additional element of discrimination in its import licensing system but of enforcing permissible exchange controls. 
OMC: Regras relativas ao Comércio e ao Câmbio
- Criar uma moeda global 
- Negociar uma margem ou banda de flutuação 
- Resolver os conflitos bilateralmente 
UMA NOVA PROPOSTA 
37
CAIXA DE SERPENTES Banda de desalinhamento de 23 países (03/14) 
38 
-4-3-2-101234 Jan-80Nov-80Sep-81Jul-82May-83Mar-84Jan-85Nov-85Sep-86Jul-87May-88Mar-89Jan-90Nov-90Sep-91Jul-92May-93Mar-94Jan-95Nov-95Sep-96Jul-97May-98Mar-99Jan-00Nov-00Sep-01Jul-02May-03Mar-04Jan-05Nov-05Sep-06Jul-07May-08Mar-09Jan-10Nov-10Sep-11Jul-12May-13Mar-14 Normalized World Trade Currency PPP United StatesBrazilAustraliaAustriaBelgiumCanadaChinaFranceGermanyIndiaItalyJapanSouth KoreaMexicoNetherlandsSpainSwedenSwitzerlandUnited KingdomMalaysiaNoruegaPortugalFinlândia+-2 S.D.+-1 S.D.
CAIXA DE SERPENTES PARA O TTIP (03-2014) 
39 
-4-3-2-101234 Jan-80Nov-80Sep-81Jul-82May-83Mar-84Jan-85Nov-85Sep-86Jul-87May-88Mar-89Jan-90Nov-90Sep-91Jul-92May-93Mar-94Jan-95Nov-95Sep-96Jul-97May-98Mar-99Jan-00Nov-00Sep-01Jul-02May-03Mar-04Jan-05Nov-05Sep-06Jul-07May-08Mar-09Jan-10Nov-10Sep-11Jul-12May-13Mar-14 Normalized World Trade Currency PPP -Selected TTIP CountriesUnited StatesAustriaBelgiumFranceGermanyItalyNetherlandsSpainSwedenSwitzerlandUnited KingdomPortugalFinlândia+-2 S.D.+-1 S.D.
CAIXA DE SERPENTES PARA O TPP (03/2014) 
40 
-4-3-2-101234 Jan-80Nov-80Sep-81Jul-82May-83Mar-84Jan-85Nov-85Sep-86Jul-87May-88Mar-89Jan-90Nov-90Sep-91Jul-92May-93Mar-94Jan-95Nov-95Sep-96Jul-97May-98Mar-99Jan-00Nov-00Sep-01Jul-02May-03Mar-04Jan-05Nov-05Sep-06Jul-07May-08Mar-09Jan-10Nov-10Sep-11Jul-12May-13Mar-14 Normalized World Trade Currency PPP -TPP CountriesUnited StatesAustraliaCanadaJapanSingaporeChileMexicoMalaysia+-2 S.D.+-1 S.D.
CAIXA DE SERPENTES PARA BRASIL E UE (03/2014) 
41 
-4-3-2-101234 Jan-80Nov-80Sep-81Jul-82May-83Mar-84Jan-85Nov-85Sep-86Jul-87May-88Mar-89Jan-90Nov-90Sep-91Jul-92May-93Mar-94Jan-95Nov-95Sep-96Jul-97May-98Mar-99Jan-00Nov-00Sep-01Jul-02May-03Mar-04Jan-05Nov-05Sep-06Jul-07May-08Mar-09Jan-10Nov-10Sep-11Jul-12May-13Mar-14 Normalized World Trade Currency PPP -Selected TTIP Countries + BrazilUnited StatesAustriaBelgiumFranceGermanyItalyNetherlandsSpainSwedenSwitzerlandUnited KingdomPortugalFinlândiaBrazil+-2 S.D.+-1 S.D.
Como neutralizar ? ? 
•Na OMC 
–Tarifas 
–Anti-subsídios 
–Salvaguardas cambiais 
–Compensações 
•Nos APCs/PTAs 
–Redução das preferências comericais 
42
OBRIGADO 
Thank you 
vera.thorstensen@fgv.br Centro do Comércio Global e do Investimento EESP-FGV WTO Chair Acesse: http://ccgi.fgv.br/

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Omc
OmcOmc
OMC
OMCOMC
OMC
IPN
 
Organização mundial do comércio
Organização mundial do comércioOrganização mundial do comércio
Organização mundial do comércio
Tamiris Damasceno
 
Omc
OmcOmc
Slide sobre OMC: Direito economico
Slide sobre OMC: Direito economicoSlide sobre OMC: Direito economico
Slide sobre OMC: Direito economico
PriscillaCristinaSousa
 
Sistema multilateral de comércio
Sistema multilateral de comércioSistema multilateral de comércio
Sistema multilateral de comércio
efcamargo1968
 
OMC - Organização Mundial do Comércio
OMC - Organização Mundial do ComércioOMC - Organização Mundial do Comércio
OMC - Organização Mundial do Comércio
efcamargo1968
 
Omc organização mundial do comércio
Omc  organização mundial do comércioOmc  organização mundial do comércio
Omc organização mundial do comércio
Rodrigo Baglini
 
Organização mundial do comércio
Organização mundial do comércioOrganização mundial do comércio
Organização mundial do comércio
Rayla Pereira
 
Organização Mundial do Comércio
Organização Mundial do ComércioOrganização Mundial do Comércio
Organização Mundial do Comércio
lena21cruz
 
A organização mundial do comércio (omc)
A organização mundial do comércio (omc)A organização mundial do comércio (omc)
A organização mundial do comércio (omc)
aldeliziafeio
 

Destaque (11)

Omc
OmcOmc
Omc
 
OMC
OMCOMC
OMC
 
Organização mundial do comércio
Organização mundial do comércioOrganização mundial do comércio
Organização mundial do comércio
 
Omc
OmcOmc
Omc
 
Slide sobre OMC: Direito economico
Slide sobre OMC: Direito economicoSlide sobre OMC: Direito economico
Slide sobre OMC: Direito economico
 
Sistema multilateral de comércio
Sistema multilateral de comércioSistema multilateral de comércio
Sistema multilateral de comércio
 
OMC - Organização Mundial do Comércio
OMC - Organização Mundial do ComércioOMC - Organização Mundial do Comércio
OMC - Organização Mundial do Comércio
 
Omc organização mundial do comércio
Omc  organização mundial do comércioOmc  organização mundial do comércio
Omc organização mundial do comércio
 
Organização mundial do comércio
Organização mundial do comércioOrganização mundial do comércio
Organização mundial do comércio
 
Organização Mundial do Comércio
Organização Mundial do ComércioOrganização Mundial do Comércio
Organização Mundial do Comércio
 
A organização mundial do comércio (omc)
A organização mundial do comércio (omc)A organização mundial do comércio (omc)
A organização mundial do comércio (omc)
 

Semelhante a VI Encontro CECIEx - Vera Thorstensen

Simplificando a Formação do Preço de Venda
Simplificando a Formação do Preço de Venda Simplificando a Formação do Preço de Venda
Simplificando a Formação do Preço de Venda
Heloisa Motoki
 
Conpedi2010[1]
Conpedi2010[1]Conpedi2010[1]
Conpedi2010[1]
comexemdebate
 
Apresentação do Projeto
Apresentação do ProjetoApresentação do Projeto
Apresentação do Projeto
comexemdebate
 
Café com Seguro - Cenário Econômico e Mercado de Seguros
Café com Seguro - Cenário Econômico e Mercado de SegurosCafé com Seguro - Cenário Econômico e Mercado de Seguros
Café com Seguro - Cenário Econômico e Mercado de Seguros
Oficina do Texto Assessoria de Comunicação
 
Projeto de importação de cerveja de malte atualizado
Projeto de importação de cerveja de malte atualizadoProjeto de importação de cerveja de malte atualizado
Projeto de importação de cerveja de malte atualizado
IBSolutions Soluções em Comércio Internacional
 
Projeto de Importação EPI - Óculos de Proteção
Projeto de Importação EPI - Óculos de ProteçãoProjeto de Importação EPI - Óculos de Proteção
Projeto de Importação EPI - Óculos de Proteção
IBSolutions Soluções em Comércio Internacional
 
Desenvolvimento, política industrial e negociações internacionais - Evaristo ...
Desenvolvimento, política industrial e negociações internacionais - Evaristo ...Desenvolvimento, política industrial e negociações internacionais - Evaristo ...
Desenvolvimento, política industrial e negociações internacionais - Evaristo ...
24x7 COMUNICAÇÃO
 
Aula 1 log e scm
Aula 1   log e scmAula 1   log e scm
Aula 1 log e scm
egrimar
 
Apresentação 4T14 - CPFL Energia
Apresentação 4T14 - CPFL EnergiaApresentação 4T14 - CPFL Energia
Apresentação 4T14 - CPFL Energia
CPFL RI
 
Legislação Aduaneira, Comércio Internacional e Direito Previdenciário para Re...
Legislação Aduaneira, Comércio Internacional e Direito Previdenciário para Re...Legislação Aduaneira, Comércio Internacional e Direito Previdenciário para Re...
Legislação Aduaneira, Comércio Internacional e Direito Previdenciário para Re...
Estratégia Concursos
 
X Encontro com Investidores - CPFL Energia
X Encontro com Investidores - CPFL EnergiaX Encontro com Investidores - CPFL Energia
X Encontro com Investidores - CPFL Energia
CPFL RI
 
Projeto de importação de roda automotiva
Projeto de importação de roda automotivaProjeto de importação de roda automotiva
Projeto de importação de roda automotiva
IBSolutions Soluções em Comércio Internacional
 
Guia Antidumping - Fiesp
Guia Antidumping - FiespGuia Antidumping - Fiesp
Apresentação 1T15
Apresentação 1T15Apresentação 1T15
Apresentação 1T15
CCR Relações com Investidores
 
Política fiscal e ciclos econômicos
Política fiscal e ciclos econômicosPolítica fiscal e ciclos econômicos
Política fiscal e ciclos econômicos
Ministério da Economia
 
Barreiras tarifarias e nao tarifarias - by Rui Duarte Barros
Barreiras tarifarias e nao tarifarias - by Rui Duarte BarrosBarreiras tarifarias e nao tarifarias - by Rui Duarte Barros
Barreiras tarifarias e nao tarifarias - by Rui Duarte Barros
Rui Duarte Barros
 
Manual CNI-Apex sobre barreiras comerciais
Manual CNI-Apex sobre barreiras comerciaisManual CNI-Apex sobre barreiras comerciais
Manual CNI-Apex sobre barreiras comerciais
Barreiras Comerciais
 
Possib alternat polít econ bras fernando ferrari
Possib alternat polít econ bras   fernando ferrariPossib alternat polít econ bras   fernando ferrari
Possib alternat polít econ bras fernando ferrari
Fundação de Economia e Estatística
 
Padrão OECD de Preços de Transferência
Padrão OECD de Preços de TransferênciaPadrão OECD de Preços de Transferência
Padrão OECD de Preços de Transferência
ssusere74c42
 
Projeto de importação de shampoo
Projeto de importação de shampooProjeto de importação de shampoo
Projeto de importação de shampoo
IBSolutions Soluções em Comércio Internacional
 

Semelhante a VI Encontro CECIEx - Vera Thorstensen (20)

Simplificando a Formação do Preço de Venda
Simplificando a Formação do Preço de Venda Simplificando a Formação do Preço de Venda
Simplificando a Formação do Preço de Venda
 
Conpedi2010[1]
Conpedi2010[1]Conpedi2010[1]
Conpedi2010[1]
 
Apresentação do Projeto
Apresentação do ProjetoApresentação do Projeto
Apresentação do Projeto
 
Café com Seguro - Cenário Econômico e Mercado de Seguros
Café com Seguro - Cenário Econômico e Mercado de SegurosCafé com Seguro - Cenário Econômico e Mercado de Seguros
Café com Seguro - Cenário Econômico e Mercado de Seguros
 
Projeto de importação de cerveja de malte atualizado
Projeto de importação de cerveja de malte atualizadoProjeto de importação de cerveja de malte atualizado
Projeto de importação de cerveja de malte atualizado
 
Projeto de Importação EPI - Óculos de Proteção
Projeto de Importação EPI - Óculos de ProteçãoProjeto de Importação EPI - Óculos de Proteção
Projeto de Importação EPI - Óculos de Proteção
 
Desenvolvimento, política industrial e negociações internacionais - Evaristo ...
Desenvolvimento, política industrial e negociações internacionais - Evaristo ...Desenvolvimento, política industrial e negociações internacionais - Evaristo ...
Desenvolvimento, política industrial e negociações internacionais - Evaristo ...
 
Aula 1 log e scm
Aula 1   log e scmAula 1   log e scm
Aula 1 log e scm
 
Apresentação 4T14 - CPFL Energia
Apresentação 4T14 - CPFL EnergiaApresentação 4T14 - CPFL Energia
Apresentação 4T14 - CPFL Energia
 
Legislação Aduaneira, Comércio Internacional e Direito Previdenciário para Re...
Legislação Aduaneira, Comércio Internacional e Direito Previdenciário para Re...Legislação Aduaneira, Comércio Internacional e Direito Previdenciário para Re...
Legislação Aduaneira, Comércio Internacional e Direito Previdenciário para Re...
 
X Encontro com Investidores - CPFL Energia
X Encontro com Investidores - CPFL EnergiaX Encontro com Investidores - CPFL Energia
X Encontro com Investidores - CPFL Energia
 
Projeto de importação de roda automotiva
Projeto de importação de roda automotivaProjeto de importação de roda automotiva
Projeto de importação de roda automotiva
 
Guia Antidumping - Fiesp
Guia Antidumping - FiespGuia Antidumping - Fiesp
Guia Antidumping - Fiesp
 
Apresentação 1T15
Apresentação 1T15Apresentação 1T15
Apresentação 1T15
 
Política fiscal e ciclos econômicos
Política fiscal e ciclos econômicosPolítica fiscal e ciclos econômicos
Política fiscal e ciclos econômicos
 
Barreiras tarifarias e nao tarifarias - by Rui Duarte Barros
Barreiras tarifarias e nao tarifarias - by Rui Duarte BarrosBarreiras tarifarias e nao tarifarias - by Rui Duarte Barros
Barreiras tarifarias e nao tarifarias - by Rui Duarte Barros
 
Manual CNI-Apex sobre barreiras comerciais
Manual CNI-Apex sobre barreiras comerciaisManual CNI-Apex sobre barreiras comerciais
Manual CNI-Apex sobre barreiras comerciais
 
Possib alternat polít econ bras fernando ferrari
Possib alternat polít econ bras   fernando ferrariPossib alternat polít econ bras   fernando ferrari
Possib alternat polít econ bras fernando ferrari
 
Padrão OECD de Preços de Transferência
Padrão OECD de Preços de TransferênciaPadrão OECD de Preços de Transferência
Padrão OECD de Preços de Transferência
 
Projeto de importação de shampoo
Projeto de importação de shampooProjeto de importação de shampoo
Projeto de importação de shampoo
 

Mais de 24x7 COMUNICAÇÃO

Marketing de Alimentos na China - Perspectivas para a Indústria Nacional - Se...
Marketing de Alimentos na China - Perspectivas para a Indústria Nacional - Se...Marketing de Alimentos na China - Perspectivas para a Indústria Nacional - Se...
Marketing de Alimentos na China - Perspectivas para a Indústria Nacional - Se...
24x7 COMUNICAÇÃO
 
China Consumer Trends 2018 - BlueFocus + Metta
China Consumer Trends 2018 - BlueFocus + MettaChina Consumer Trends 2018 - BlueFocus + Metta
China Consumer Trends 2018 - BlueFocus + Metta
24x7 COMUNICAÇÃO
 
E commerce Overview & Landscape China - 24x7 Digital
E commerce Overview & Landscape China - 24x7 DigitalE commerce Overview & Landscape China - 24x7 Digital
E commerce Overview & Landscape China - 24x7 Digital
24x7 COMUNICAÇÃO
 
Fórum Náutico Paulista - Apresentação Inicial - Lidera Consultoria
Fórum Náutico Paulista - Apresentação Inicial - Lidera ConsultoriaFórum Náutico Paulista - Apresentação Inicial - Lidera Consultoria
Fórum Náutico Paulista - Apresentação Inicial - Lidera Consultoria
24x7 COMUNICAÇÃO
 
Comunicacao interna endomarketing 24x7
Comunicacao interna endomarketing 24x7Comunicacao interna endomarketing 24x7
Comunicacao interna endomarketing 24x7
24x7 COMUNICAÇÃO
 
Painel 4 - Mercado de capitais e os instrumentos de financiamento para o agro...
Painel 4 - Mercado de capitais e os instrumentos de financiamento para o agro...Painel 4 - Mercado de capitais e os instrumentos de financiamento para o agro...
Painel 4 - Mercado de capitais e os instrumentos de financiamento para o agro...
24x7 COMUNICAÇÃO
 
Painel 2 - Desafios e oportunidades para o agronegocio brasileiro - Luiz Lour...
Painel 2 - Desafios e oportunidades para o agronegocio brasileiro - Luiz Lour...Painel 2 - Desafios e oportunidades para o agronegocio brasileiro - Luiz Lour...
Painel 2 - Desafios e oportunidades para o agronegocio brasileiro - Luiz Lour...
24x7 COMUNICAÇÃO
 
Painel 3 - Cenários para o mercado de commodities - André Pessoa
Painel 3 - Cenários para o mercado de commodities - André PessoaPainel 3 - Cenários para o mercado de commodities - André Pessoa
Painel 3 - Cenários para o mercado de commodities - André Pessoa
24x7 COMUNICAÇÃO
 
Palestra - A reconstrução do agronegócio do Brasil - Roberto Rodrigues
Palestra - A reconstrução do agronegócio do Brasil - Roberto RodriguesPalestra - A reconstrução do agronegócio do Brasil - Roberto Rodrigues
Palestra - A reconstrução do agronegócio do Brasil - Roberto Rodrigues
24x7 COMUNICAÇÃO
 
Painel 2 - Desafios e oportunidades para o agronegócio brasileiro - Marcos Lutz
Painel 2 - Desafios e oportunidades para o agronegócio brasileiro - Marcos LutzPainel 2 - Desafios e oportunidades para o agronegócio brasileiro - Marcos Lutz
Painel 2 - Desafios e oportunidades para o agronegócio brasileiro - Marcos Lutz
24x7 COMUNICAÇÃO
 
Painel 1 - Impactos do câmbio sobre a economia e o agronegócio brasileiro - J...
Painel 1 - Impactos do câmbio sobre a economia e o agronegócio brasileiro - J...Painel 1 - Impactos do câmbio sobre a economia e o agronegócio brasileiro - J...
Painel 1 - Impactos do câmbio sobre a economia e o agronegócio brasileiro - J...
24x7 COMUNICAÇÃO
 
Painel 3 - Cenários para o mercado de commodities - Guilherme Nastari
Painel 3 - Cenários para o mercado de commodities - Guilherme NastariPainel 3 - Cenários para o mercado de commodities - Guilherme Nastari
Painel 3 - Cenários para o mercado de commodities - Guilherme Nastari
24x7 COMUNICAÇÃO
 
Painel 3 - Cenários para o mercado de commodities - John Kemp
Painel 3 - Cenários para o mercado de commodities - John KempPainel 3 - Cenários para o mercado de commodities - John Kemp
Painel 3 - Cenários para o mercado de commodities - John Kemp
24x7 COMUNICAÇÃO
 
Propósito: novo marketing ou genuinidade?
Propósito: novo marketing ou genuinidade?Propósito: novo marketing ou genuinidade?
Propósito: novo marketing ou genuinidade?
24x7 COMUNICAÇÃO
 
HBR Women Leadership Summit - Empower Women Brasil - e-book
HBR Women Leadership Summit - Empower Women Brasil - e-bookHBR Women Leadership Summit - Empower Women Brasil - e-book
HBR Women Leadership Summit - Empower Women Brasil - e-book
24x7 COMUNICAÇÃO
 
Aumento da competitividade econômica do Brasil e desonerações no comércio ext...
Aumento da competitividade econômica do Brasil e desonerações no comércio ext...Aumento da competitividade econômica do Brasil e desonerações no comércio ext...
Aumento da competitividade econômica do Brasil e desonerações no comércio ext...
24x7 COMUNICAÇÃO
 
Aumento da competividade econômica do Brasil e desonerações no comércio exter...
Aumento da competividade econômica do Brasil e desonerações no comércio exter...Aumento da competividade econômica do Brasil e desonerações no comércio exter...
Aumento da competividade econômica do Brasil e desonerações no comércio exter...
24x7 COMUNICAÇÃO
 
Brasil: novo plano nacional de exportações - Roberto Gianetti - AEB - VII Enc...
Brasil: novo plano nacional de exportações - Roberto Gianetti - AEB - VII Enc...Brasil: novo plano nacional de exportações - Roberto Gianetti - AEB - VII Enc...
Brasil: novo plano nacional de exportações - Roberto Gianetti - AEB - VII Enc...
24x7 COMUNICAÇÃO
 
A micro e pequena empresa exportadora no Brasil – desafios e oportunidades - ...
A micro e pequena empresa exportadora no Brasil – desafios e oportunidades - ...A micro e pequena empresa exportadora no Brasil – desafios e oportunidades - ...
A micro e pequena empresa exportadora no Brasil – desafios e oportunidades - ...
24x7 COMUNICAÇÃO
 
Demandas para o crescimento da exportação e importação no Brasil - Roberto Ti...
Demandas para o crescimento da exportação e importação no Brasil - Roberto Ti...Demandas para o crescimento da exportação e importação no Brasil - Roberto Ti...
Demandas para o crescimento da exportação e importação no Brasil - Roberto Ti...
24x7 COMUNICAÇÃO
 

Mais de 24x7 COMUNICAÇÃO (20)

Marketing de Alimentos na China - Perspectivas para a Indústria Nacional - Se...
Marketing de Alimentos na China - Perspectivas para a Indústria Nacional - Se...Marketing de Alimentos na China - Perspectivas para a Indústria Nacional - Se...
Marketing de Alimentos na China - Perspectivas para a Indústria Nacional - Se...
 
China Consumer Trends 2018 - BlueFocus + Metta
China Consumer Trends 2018 - BlueFocus + MettaChina Consumer Trends 2018 - BlueFocus + Metta
China Consumer Trends 2018 - BlueFocus + Metta
 
E commerce Overview & Landscape China - 24x7 Digital
E commerce Overview & Landscape China - 24x7 DigitalE commerce Overview & Landscape China - 24x7 Digital
E commerce Overview & Landscape China - 24x7 Digital
 
Fórum Náutico Paulista - Apresentação Inicial - Lidera Consultoria
Fórum Náutico Paulista - Apresentação Inicial - Lidera ConsultoriaFórum Náutico Paulista - Apresentação Inicial - Lidera Consultoria
Fórum Náutico Paulista - Apresentação Inicial - Lidera Consultoria
 
Comunicacao interna endomarketing 24x7
Comunicacao interna endomarketing 24x7Comunicacao interna endomarketing 24x7
Comunicacao interna endomarketing 24x7
 
Painel 4 - Mercado de capitais e os instrumentos de financiamento para o agro...
Painel 4 - Mercado de capitais e os instrumentos de financiamento para o agro...Painel 4 - Mercado de capitais e os instrumentos de financiamento para o agro...
Painel 4 - Mercado de capitais e os instrumentos de financiamento para o agro...
 
Painel 2 - Desafios e oportunidades para o agronegocio brasileiro - Luiz Lour...
Painel 2 - Desafios e oportunidades para o agronegocio brasileiro - Luiz Lour...Painel 2 - Desafios e oportunidades para o agronegocio brasileiro - Luiz Lour...
Painel 2 - Desafios e oportunidades para o agronegocio brasileiro - Luiz Lour...
 
Painel 3 - Cenários para o mercado de commodities - André Pessoa
Painel 3 - Cenários para o mercado de commodities - André PessoaPainel 3 - Cenários para o mercado de commodities - André Pessoa
Painel 3 - Cenários para o mercado de commodities - André Pessoa
 
Palestra - A reconstrução do agronegócio do Brasil - Roberto Rodrigues
Palestra - A reconstrução do agronegócio do Brasil - Roberto RodriguesPalestra - A reconstrução do agronegócio do Brasil - Roberto Rodrigues
Palestra - A reconstrução do agronegócio do Brasil - Roberto Rodrigues
 
Painel 2 - Desafios e oportunidades para o agronegócio brasileiro - Marcos Lutz
Painel 2 - Desafios e oportunidades para o agronegócio brasileiro - Marcos LutzPainel 2 - Desafios e oportunidades para o agronegócio brasileiro - Marcos Lutz
Painel 2 - Desafios e oportunidades para o agronegócio brasileiro - Marcos Lutz
 
Painel 1 - Impactos do câmbio sobre a economia e o agronegócio brasileiro - J...
Painel 1 - Impactos do câmbio sobre a economia e o agronegócio brasileiro - J...Painel 1 - Impactos do câmbio sobre a economia e o agronegócio brasileiro - J...
Painel 1 - Impactos do câmbio sobre a economia e o agronegócio brasileiro - J...
 
Painel 3 - Cenários para o mercado de commodities - Guilherme Nastari
Painel 3 - Cenários para o mercado de commodities - Guilherme NastariPainel 3 - Cenários para o mercado de commodities - Guilherme Nastari
Painel 3 - Cenários para o mercado de commodities - Guilherme Nastari
 
Painel 3 - Cenários para o mercado de commodities - John Kemp
Painel 3 - Cenários para o mercado de commodities - John KempPainel 3 - Cenários para o mercado de commodities - John Kemp
Painel 3 - Cenários para o mercado de commodities - John Kemp
 
Propósito: novo marketing ou genuinidade?
Propósito: novo marketing ou genuinidade?Propósito: novo marketing ou genuinidade?
Propósito: novo marketing ou genuinidade?
 
HBR Women Leadership Summit - Empower Women Brasil - e-book
HBR Women Leadership Summit - Empower Women Brasil - e-bookHBR Women Leadership Summit - Empower Women Brasil - e-book
HBR Women Leadership Summit - Empower Women Brasil - e-book
 
Aumento da competitividade econômica do Brasil e desonerações no comércio ext...
Aumento da competitividade econômica do Brasil e desonerações no comércio ext...Aumento da competitividade econômica do Brasil e desonerações no comércio ext...
Aumento da competitividade econômica do Brasil e desonerações no comércio ext...
 
Aumento da competividade econômica do Brasil e desonerações no comércio exter...
Aumento da competividade econômica do Brasil e desonerações no comércio exter...Aumento da competividade econômica do Brasil e desonerações no comércio exter...
Aumento da competividade econômica do Brasil e desonerações no comércio exter...
 
Brasil: novo plano nacional de exportações - Roberto Gianetti - AEB - VII Enc...
Brasil: novo plano nacional de exportações - Roberto Gianetti - AEB - VII Enc...Brasil: novo plano nacional de exportações - Roberto Gianetti - AEB - VII Enc...
Brasil: novo plano nacional de exportações - Roberto Gianetti - AEB - VII Enc...
 
A micro e pequena empresa exportadora no Brasil – desafios e oportunidades - ...
A micro e pequena empresa exportadora no Brasil – desafios e oportunidades - ...A micro e pequena empresa exportadora no Brasil – desafios e oportunidades - ...
A micro e pequena empresa exportadora no Brasil – desafios e oportunidades - ...
 
Demandas para o crescimento da exportação e importação no Brasil - Roberto Ti...
Demandas para o crescimento da exportação e importação no Brasil - Roberto Ti...Demandas para o crescimento da exportação e importação no Brasil - Roberto Ti...
Demandas para o crescimento da exportação e importação no Brasil - Roberto Ti...
 

Último

RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
rihabkorbi24
 
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoedaRevolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Renan Batista Bitcoin
 
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdfVeronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Dantas
 
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Paulo Emerson Pereira
 
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
InsttLcioEvangelista
 
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfilApostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Carlos Eduardo Coan Junior
 
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
Paulo Emerson Pereira
 
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdfGUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
AlfeuBuriti1
 

Último (8)

RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
 
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoedaRevolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
 
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdfVeronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
 
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
 
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
 
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfilApostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
 
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
 
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdfGUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
 

VI Encontro CECIEx - Vera Thorstensen

  • 1. PALESTRANTE: Vera Thorstensen, CCGI/EESP-FGV 10 de setembro de 2014. OS DESAFIOS DO SISTEMA MULTILATERAL DE COMÉRCIO
  • 2. O Multissistema do Comércio Global 2 Brasil Regras Nacionais UE, EUA, China, Índia, África do Sul… Regras Preferenciais Acordos Regionais, Bilaterais e Não Recíprocos Regras Multilaterais OMC (DSB), FMI, BM, OCDE, UNCTAD, FAO, OMPI
  • 3. Os Desafios •Proliferação de Acordos Preferenciais de Comércio (APCs/PTAs); •A lógica das Cadeias Globais de Valor •As “Guerras Cambiais” 3
  • 4. 1 - APCs/PTAs •Tipos: RTAs, Bilateral, Non-reciprocal –Acordos Regionais de Comércio (ARCs/RTAs) –Acordos bilaterais –Acordos Não-recíprocos •Escopo: Bens + Serviços + PI + Investimentos + Concorrência + Clima •Regras: OMC-in + OMC-plus + OMC-extra •Mega-Acordos: TTIP, TPP, China+Coreia+Japão 4
  • 5. Quantidade de APCs/PTAs 5 Source: WTO, 2012
  • 6. Acordos velha geração •Acesso a mercados de bens: tarifas e quotas •Regras de origem, aduaneiras •Acesso a mercados de serviços •Cooperação TBT + SPS •Propriedade intelectual + •Investimentos e TRIMs + •Concorrência •Meio ambiente e Padrões sociais
  • 7. MEGA-ACORDOS •Acordos sobre regras e não sobre tarifas •TBT+ e SPS+ •Serviços++ e PI +++ (OMC-plus) •Investimento + Concorrência + Meio Ambiente (OMC-extra) •Coerência Regulatória (OMC-extra •Solução de Controvérsias x DSB •65% do Comércio de Bens 7
  • 8. Efeitos na OMC •Novas regras OMC-plus e OMC-extra •Compatibilidade com as regras da OMC ? •DSB x Mecanismo de solução de controvérsias dos Mega •QUAL O PAPEL DA OMC ? •Propostas: –Reforçar o Comitê sobre Acordos Regionais –Discutir os Mega-Acordos em cada Comitê da OMC –Levar novos casos para o DSB –Devem os que estão fora desses acordos propor uma nova agenda para a OMC ? 8
  • 9. 2 – Transnacionais e CGVs •Importância do comércio entre elas (60%) •Atores: trans x estados •Forte influência: nos governos nacionais; na arena internacional •Organizações sem rosto 9
  • 10. Fóruns de Negociação •Transnacionais: •Atores importantes em negociações: . nacionais . acordos preferenciais . acordos plurilaterais 10
  • 11. ATORES : Estados x Transnacionais 11 Lógica transnacional • Comércio por tarefas (cadeias de valor) • Sem tarifas, sem AD, sem CVM, sem Salvaguardas, sem RO preferenciais • Investimentos, concorrência, PI e serviços • Padrões harmonizados (TBT/SPS) • ARBITRAGEM Lógica estatal • Comércio de bens • Cotas e tarifas • AD, CVM, Salvaguardas • RO • Subsídios • SOLUÇÃO DE CONTROVÉRSIAS
  • 12. Efeitos dos interesses das Trans: na OMC e nos outsiders •Instrumentos de comércio obsoletos: tarifas, AD, CVM, RO ? •Novos instrumentos de Comércio na OMC: concorrência, investimentos, meio ambiente e mudanças do clima ? •Os Mega-Acordos estão criando uma OMC dual ? •Os Mega estão criando um sistema DSB fragmentado ? •Transnacionais e cadeias globais de valor •Implicações para outsiders nas CGVs ? •Deveriam os outsiders propor uma nova agenda para a OMC ? 12
  • 13. 3 – “Guerras Cambiais” QUESTÕES •Número de países com desalinhamentos •Persistência e magnitude dos desalinhamentos •Onde julgar violações cambiais ? •Manipuladores (FMI Art. IV) e Frustradores (GATT Art. XV) 13
  • 14. Como estimar os desalinhamentos? •PPP •Equilibrium rate to current account balance (flow) •Equilibrium rate to net foreign asstes (stocks) 14
  • 15. Câmbio – Índice Big Mac 1/ 2014 15
  • 16. FMI – Estimativas de Desalinhamentos Cambiais (7/2014): Pilot External Sector Report 16
  • 17. PIIE - FEER – Desainhamentos Cline-Williamson (10/2013) 17 -40% -30% -20% -10% 0% 10% 20% 30% 40% ArgentinaAustraliaBrazilCanadaChileChinaColombiaCzech RepublicEuro AreaHong KongHungaryIndiaIndonesiaIsraelJapanKoreaMalaysiaMexicoNew ZealandNorwayPhilippinesPolandRussiaSaudi ArabiaSingaporeSouth AfricaSwedenSwitzerlandTaiwanThailandTurkeyUnited KingdomUnited StatesVenezuela Misalignment from FEER -Cline & WilliamsonMay-10Oct-10Apr-11Oct-11Apr-12Oct-12May-13Oct-13
  • 18. FGV - China: câmbio real, fundamentos e desalinhamento cambial 2013 18 Sources: Misalignment estimates – Observatory on Exchange Rate - EESP/FGV (2013)
  • 19. FGV - EUA: câmbio real, fundamentos e desalinhamento cambial 2013 19 Source: Observatory on Exchange Rate - EESP/FGV (2013)
  • 20. FGV - Brasil: câmbio real, fundamentos e desalinhamento cambial - 04/2014 20 Taxa de câmbio real Fundamentos 198019851990199520002005201075100125150175Taxa Desalinhamento cambial 1980198519901995200020052010-0.250.000.25Desalinhamento
  • 21. FGV - BRASIL: Desalinhamentos – os diferentes métodos • • 21
  • 22. FGV - Argentina: câmbio real, fundamentos e desalinhamento cambial (por ano) - 7/ 2013 22
  • 23. FGV – Desalinhamentos de 2013 Observatório de Câmbio 23 -15% -10% -5% 0% 5% 10% 15% 20% 25% 30% 35% % to the equilibrium REER Misalignments - FGV 2011 2012 2013
  • 24. “Tarifficação” dos desalinhamentos cambiais •Para examinar o impacto dos desalinhamentos cambiais no comércio, uma possibilidade é transformar o desalinhamento em uma tarifa e, então, ajustá-la à tarifa de importação de cada país por meio de um exercício de tarificação. •Um câmbio valorizado tem o efeito de reduzir ou de anular as tarifas de importação do país sobrevalorizado, criando um incentivo para as importações de terceiros países. •Um câmbio desvalorizado, por outro lado, consistirá em um incentido às exportações do país subvalorizado. A moeda desvalorizada de um país terá o efeito de aumentar suas tarifas de importação, algumas vezes, inclusive, acima dos níveis consolidados (bound) na OMC. •A equação utilizada para “tarificar” os efeitos dos desalinhamentos cambiais está no slide seguinte.
  • 26. Simulações relativas aos efeitos dos desalinhamentos cambiais em Perfis Tarifários selecionados •Usando uma “metodologia de tarificação”, é possível representar os efeitos dos desalinhamentos cambiais no Perfil Tarifário de um dado país. •O Perfil Tarifário (Tariff Profile) é composto por tarifas aplicadas (applied) e consolidadas (bound). •Tarifas Consolidadas são tarifas negociadas na OMC que estabelecem o nível máximo permitido para uma determinada tarifa de importação. •Tarifas aplicadas são as tarifas de importação praticadas por um país e notificadas à OMC •Depois de aplicar a “metodologia de tarificação” os resultados são ajustados entre as tarifas aplicadas e consolidadas, uma vez que representam o nível de proteção comercial de um dado país. •Nos slides seguintes, apresentados as simulações para os Perfis Tarifários de Brasil, da China, dos EUA e da União Europeia, considerando os efeitos dos desalinhamentos cambiais nesses países selecionados.
  • 27. CHINA – Impactos do Câmbio no Perfil Tarifário da China China: desvalorização de 15% em 2013 0,00% 10,00% 20,00% 30,00% 40,00% 50,00% 60,00% 1 -4 -7 -10 -13 -16 -19 -22 -25 -28 -31 -34 -37 -40 -43 -46 -49 -52 -55 -58 -61 -64 -67 -70 -73 -76 -79 -82 -85 -88 -91 -94 -97 - China Tariffs x Adjusted Tariffs -Effects of China Exchange Rate Devaluation Simple averages at HS 2 digits Applied Tariffs (simple average) Adjusted Applied Tariffs: China -14% Bound Tariffs (simple average) CerealsSugarWoolMeatFootwearVehiclesMusical instrumentsFurskinsClothingTobacco
  • 28. CHINA – Impactos do Câmbio no Perfil Tarifário da China Ch-Brazil, Ch-Germany, Ch-US em 2013 DESALINHAMENTOS BILATERAIS 0% 20% 40% 60% 80% 100% 120% 1 -4 -7 -10 -13 -16 -19 -22 -25 -28 -31 -34 -37 -40 -43 -46 -49 -52 -55 -58 -61 -64 -67 -70 -73 -76 -79 -82 -85 -88 -91 -94 -97 - China Tariffs x Adjusted Tariffs -Effects of Selected Countries Exchange Rate Deviations Simple averages at HS 2 digits Adjusted Applied Tariffs -effect of CH + BR deviations -54% Adjusted Applied Tariffs -effect of CH + BR (06/12) deviations: 29% Adjusted Applied Tariffs -effect of GER + CH deviations: 12,5% Adjusted Applied Tariffs -effect of CH + USA deviations: 7% Bound Tariffs (simple average) Applied Tariffs (simple average) Brazilian exporter (2011) American exporterGerman exporterBrazilian exporter (06/12)
  • 29. EUA – Impactos do Câmbio no Perfil Tarifário dos EUA EUA: desvalorização de - 5% em 2013 141% 158% 146% 0% 20% 40% 60% 80% 100% 120% 140% 160% 180% 0% 5% 10% 15% 20% 25% 30% 1 -4 -7 -10 -13 -16 -19 -22 -25 -28 -31 -34 -37 -40 -43 -46 -49 -52 -55 -58 -61 -64 -67 -70 -73 -76 -79 -82 -85 -88 -91 -94 -97 - US Applied Tariffs x Adjusted Tariffs -Effects of US Exchange Rate Devaluation Simple averages at HS 2 digits Adjusted applied tariffs: USA -7% Bound tariffsApplied tariffsDairy TobaccovegetablesLeatherClothingFootwearLocomotive
  • 30. Impactos do Câmbio no Perfil Tarifário dos EUA US-Brazil US-Spain US-China and US-Brazil em 2013 DESALINHAMENTOS BILATERAIS -20% -10% 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 1 -4 -7 -10 -13 -16 -19 -22 -25 -28 -31 -34 -37 -40 -43 -46 -49 -52 -55 -58 -61 -64 -67 -70 -73 -76 -79 -82 -85 -88 -91 -94 -97 - USA Applied Tariffs x Adjusted Tariffs -Effects of Selected Countries Deviations (Article I) Simple averages at HS 2 digits Adjusted applied tariffs -effect of USA + BR: 47% Adjusted applied tariffs -effect of USA + BR: 22% (06/2012) Adjusted applied tariffs -effect of USA + SPAIN: 13,8% Bound tariffsApplied tariffsAdjusted applied tariffs -effect of USA + CH: 7% Brazilian exporter(2011) Brazilian exporter (06/2012) Spanish exporterChinese exporter
  • 31. 31 Impactos do Câmbio no Perfil Tarifário da UE, Brasil, EUA e China em 2013 -20% 0% 20% 40% 60% 80% 100% 120% 1 -4 -7 -10 -13 -16 -19 -22 -25 -28 -31 -34 -37 -40 -43 -46 -49 -52 -55 -58 -61 -64 -67 -70 -73 -76 -79 -82 -85 -88 -91 -94 -97 - EU Market -Effects of Selected Countries Deviations (Article I) Simple averages at HS 2 digits -Exchange rate misalignments for 2011-12Adjusted Applied Tariffs - Exchange Rate Overvaluation BR -40% Adjusted Applied Tariffs - Exchange Rate Overvaluation BR -15% (06/2012) Bound Tariffs Applied Tariffs Adjusted Applied Tariffs - Exchange Rate Devaluation USA -7% Adjusted Applied Tariffs - Exchange Rate Devaluation China -14% Brazilianexporter (2011) Brazilianexporter (06/2012) Americanexporter Chineseexporter
  • 32. BRASIL – Impactos dos desalinhamentos nas Tarifas 2012 (+20%) e 2013 (+15%) -30% -20% -10% 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 1 - 4 - 7 - 10 - 13 - 16 - 19 - 22 - 25 - 28 - 31 - 34 - 37 - 40 - 43 - 46 - 49 - 52 - 55 - 58 - 61 - 64 - 67 - 70 - 73 - 76 - 79 - 82 - 85 - 88 - 91 - 94 - 97 - Brazil Tariffs x Adjusted Tariffs - Effects of Brazil Exchange Rate Overvaluation (2012) Simple averages at HS 2 digits Bound Tariffs (simple averages) Applied Tariffs Adjusted Bound Tariffs - Exchange Rate Overvaluation BR + 20% Adjusted Applied Tariffs - Exchange Rate Overvaluation BR + 20% Dairy Sugar Beverages Tobacco Leather Cotton Clothing Steel Tools Vehicles 32
  • 33. 33 Impactos do Câmbio no Perfil Tarifário do Brasil Brazil-China Brazil-US Brazil-Germany DESALINHAMENTOS BILATERAIS EM 2013 -50% -40% -30% -20% -10% 0% 10% 20% 30% 40% 1 -4 -7 -10 -13 -16 -19 -22 -25 -28 -31 -34 -37 -40 -43 -46 -49 -52 -55 -58 -61 -64 -67 -70 -73 -76 -79 -82 -85 -88 -91 -94 -97 - Brazilian Market Adjusted for Multiple Exchange Rate Misalignments Simple averages at HS 2 digits Applied Tariffs Brazilian ProducerAdjusted Applied Tariffs - effect of BR + GER: 24% Adjusted Applied Tariffs - effect of BR + USA: 25% Adjusted Applied Tariffs - effect of BR + CH: 37% DairySugarBeveragesTobaccoLeatherCottonClothingSteelToolsVehicles
  • 34. CONCLUSÕES - Os países com câmbios valorizados (Brasil, África do Sul, Austrália, etc.) tiveram suas tarifas negociadas reduzidas ou anuladas. - Os países com câmbio desvalorizado (EUA, China, Alemanha, etc.) concederam subsídios às suas exportações e suas tarifas aplicadas ultrapassam os níveis consolidades acordados na OMC. - Desalinhamentos cambiais substanciais e persistentes afetam significativamente ou até mesmo anulam a maioria das regras da OMC: tarifas, anti-dumping, medidas compensatórias (CVM), salvaguardas, regras de origem (RO), acordos regionais e retaliações autorizadas pelo DSB. - PROBLEMA: A OMC tem as regras adequadas para tratar de câmbio ? 34
  • 35. –FMI: Manipulação (Artigo IV) •manipulation –OMC: Frustração (Artigo XV do GATT) •Frustrate / frustrator COMO RESOLVER O PROBLEMA ?
  • 36. General Agreement on Tariffs and Trade (GATT) Article XV.4 Contracting parties shall not, by exchange action, frustrate* the intent of the provisions of this Agreement, nor, by trade action, the intent of the provisions of the Articles of Agreement of the International Monetary Fund. * Ad Article XV -Paragraph 4 The word “frustrate” is intended to indicate, for example, that infringements of the letter of any Article of this Agreement by exchange action shall not be regarded as a violation of that Article if, in practice, there is no appreciable departure from the intent of the Article. Thus, a contracting party which, as part of its exchange control operated in accordance with the Articles of Agreement of the International Monetary Fund, requires payment to be received for its exports in its own currency or in the currency of one or more members of the International Monetary Fund will not thereby be deemed to contravene Article XI or Article XIII. Another example would be that of a contracting party which specifies on an import license the country from which the goods may be imported, for the purpose not of introducing any additional element of discrimination in its import licensing system but of enforcing permissible exchange controls. OMC: Regras relativas ao Comércio e ao Câmbio
  • 37. - Criar uma moeda global - Negociar uma margem ou banda de flutuação - Resolver os conflitos bilateralmente UMA NOVA PROPOSTA 37
  • 38. CAIXA DE SERPENTES Banda de desalinhamento de 23 países (03/14) 38 -4-3-2-101234 Jan-80Nov-80Sep-81Jul-82May-83Mar-84Jan-85Nov-85Sep-86Jul-87May-88Mar-89Jan-90Nov-90Sep-91Jul-92May-93Mar-94Jan-95Nov-95Sep-96Jul-97May-98Mar-99Jan-00Nov-00Sep-01Jul-02May-03Mar-04Jan-05Nov-05Sep-06Jul-07May-08Mar-09Jan-10Nov-10Sep-11Jul-12May-13Mar-14 Normalized World Trade Currency PPP United StatesBrazilAustraliaAustriaBelgiumCanadaChinaFranceGermanyIndiaItalyJapanSouth KoreaMexicoNetherlandsSpainSwedenSwitzerlandUnited KingdomMalaysiaNoruegaPortugalFinlândia+-2 S.D.+-1 S.D.
  • 39. CAIXA DE SERPENTES PARA O TTIP (03-2014) 39 -4-3-2-101234 Jan-80Nov-80Sep-81Jul-82May-83Mar-84Jan-85Nov-85Sep-86Jul-87May-88Mar-89Jan-90Nov-90Sep-91Jul-92May-93Mar-94Jan-95Nov-95Sep-96Jul-97May-98Mar-99Jan-00Nov-00Sep-01Jul-02May-03Mar-04Jan-05Nov-05Sep-06Jul-07May-08Mar-09Jan-10Nov-10Sep-11Jul-12May-13Mar-14 Normalized World Trade Currency PPP -Selected TTIP CountriesUnited StatesAustriaBelgiumFranceGermanyItalyNetherlandsSpainSwedenSwitzerlandUnited KingdomPortugalFinlândia+-2 S.D.+-1 S.D.
  • 40. CAIXA DE SERPENTES PARA O TPP (03/2014) 40 -4-3-2-101234 Jan-80Nov-80Sep-81Jul-82May-83Mar-84Jan-85Nov-85Sep-86Jul-87May-88Mar-89Jan-90Nov-90Sep-91Jul-92May-93Mar-94Jan-95Nov-95Sep-96Jul-97May-98Mar-99Jan-00Nov-00Sep-01Jul-02May-03Mar-04Jan-05Nov-05Sep-06Jul-07May-08Mar-09Jan-10Nov-10Sep-11Jul-12May-13Mar-14 Normalized World Trade Currency PPP -TPP CountriesUnited StatesAustraliaCanadaJapanSingaporeChileMexicoMalaysia+-2 S.D.+-1 S.D.
  • 41. CAIXA DE SERPENTES PARA BRASIL E UE (03/2014) 41 -4-3-2-101234 Jan-80Nov-80Sep-81Jul-82May-83Mar-84Jan-85Nov-85Sep-86Jul-87May-88Mar-89Jan-90Nov-90Sep-91Jul-92May-93Mar-94Jan-95Nov-95Sep-96Jul-97May-98Mar-99Jan-00Nov-00Sep-01Jul-02May-03Mar-04Jan-05Nov-05Sep-06Jul-07May-08Mar-09Jan-10Nov-10Sep-11Jul-12May-13Mar-14 Normalized World Trade Currency PPP -Selected TTIP Countries + BrazilUnited StatesAustriaBelgiumFranceGermanyItalyNetherlandsSpainSwedenSwitzerlandUnited KingdomPortugalFinlândiaBrazil+-2 S.D.+-1 S.D.
  • 42. Como neutralizar ? ? •Na OMC –Tarifas –Anti-subsídios –Salvaguardas cambiais –Compensações •Nos APCs/PTAs –Redução das preferências comericais 42
  • 43. OBRIGADO Thank you vera.thorstensen@fgv.br Centro do Comércio Global e do Investimento EESP-FGV WTO Chair Acesse: http://ccgi.fgv.br/