SlideShare uma empresa Scribd logo
VESTUÁRIO NA IDADE MÉDIA<br />O vestuário da Idade MédiaPoucas pessoas se podiam dar ao luxo de se vestirem com elegância, e durante a maior parte do séc. XVI os homens e as mulheres que o faziam copiavam os modelos usados na corte de Espanha. No entanto, nos finais do século, o centro da moda deslocou-se para Paris, donde eram enviadas pequenas bonecas, vestidas segundo a última moda, a quem desejava segui-la e, de acordo com o grupo social onde se inseriam, assim era o seu vestuário. Clero O Clero vestia vestidos escuros e compridos de lã, com capas igualmente escuras e compridas, alguns andavam descalços, outros calçados com sapatos de couro e possuíam terços e adereços da sua religião. O Clero mais rico possuía vestuário rico de acordo com a sua condição.NobrezaAs rainhas tinham, regra geral, armários atulhados de magníficos vestidos, muitos deles bordados a ouro e pedras preciosas. Os reis também se vestiam luxuosamente pois a riqueza dos trajes era uma das formas utilizadas pelos monarcas para cultivarem a obediência dos seus súbditos. PovoEsta classe social vestia-se com trajes práticos, já que a sua função, na maioria, era o trabalho pesado e o comércio.<br />Trajes usados pelos Monges<br />A Idade Média começou com a queda do Império Romano do Ocidente, no fim do século V, e durou até o século XV. No início as roupas eram feiras em casa. As famílias criavam ovelhas e cultivavam o linho. Quando as cidades começaram a crescer, surgiram lojas especializadas, dirigidas por tecelões, alfaiates, remendões e outros artesões que faziam roupas. No século XII, esses artesãos organizaram -se em corporações chamadas guildas. As mulheres começaram a usar vestidos compridos, e justos no busto. Os homens vestiam calções soltos debaixo da túnica, além de vários tipos de coberturas para as pernas. Nos séculos XII e XIII, as mulheres punham redes nos cabelos, usavam véus e panos para cobrir o pescoço, como algumas ordens de religiosas usam até hoje. Os homens usavam na cabeça capuzes com pontas compridas. Tanto homens quanto mulheres vestiam uma sobreveste copiada dos trajes dos cruzados.<br />Durante o século XIV, as roupas das classes dominantes ganharam muitos enfeites e acessórios, como botões e cintos ornamentados com pedrarias. Os tecidos variavam de acordo com a classe social. Nobreza: Os muito ricos vestiam seda e enfeitavam suas roupas com peles valiosas. Homem NobrePelote com longas cavas Touca de pano ou seda Manto ou capaSaio justo ao corpoPOVOA maioria das pessoas vestiam roupas de lã e linho. Já as pessoas mais humildes vestiam-se com roupas feitas de pele de cabra carneiro ou lobo.Fato de mongeMulher Nobre Touca sobre o lenço passadoou véu passado sobre o queixoVestido justo de manga larga<br />O TRAJE DO CLEROOs clérigos que pertenciam a uma ordem religiosa usavam hábitos próprios dessa ordem. Os Dominicanos por exemplo vestiam um hábito branco. Os Franciscanos vestiam um hábito castanho O clero secular tinha, como hoje tem, paramentos especiais, ou seja, vestuário próprio para as diferentes cerimónias religiosas.<br />
Vestuário na idade média
Vestuário na idade média
Vestuário na idade média
Vestuário na idade média
Vestuário na idade média

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

0 reinado de d.joão v
0 reinado de d.joão v0 reinado de d.joão v
0 reinado de d.joão v
Anabela Sobral
 
Séc. xii a xiv
Séc. xii a xivSéc. xii a xiv
Séc. xii a xiv
cattonia
 
O modelo ateniense uma cultura aberta à cidade
O modelo ateniense   uma cultura aberta à cidadeO modelo ateniense   uma cultura aberta à cidade
O modelo ateniense uma cultura aberta à cidade
home
 
01 02_o_modelo_romano
01  02_o_modelo_romano01  02_o_modelo_romano
01 02_o_modelo_romano
Vítor Santos
 
Sociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIV
Sociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIVSociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIV
Sociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIV
Catarina Castro
 
Imagens da vida quotidiana na Idade Medieval
Imagens da vida quotidiana na Idade MedievalImagens da vida quotidiana na Idade Medieval
Imagens da vida quotidiana na Idade Medieval
Constantino Alves
 
O país urbano e concelhio
O país urbano e concelhioO país urbano e concelhio
O país urbano e concelhio
Escola Luis de Freitas Branco
 
Operariado
OperariadoOperariado
Operariado
Carla Teixeira
 
Atividades económicas nos séculos XIII e XIV
Atividades económicas nos séculos XIII e XIVAtividades económicas nos séculos XIII e XIV
Atividades económicas nos séculos XIII e XIV
Cátia Botelho
 
Invasoes barbaras
Invasoes barbarasInvasoes barbaras
Invasoes barbaras
cattonia
 
Modulo
ModuloModulo
O absolutismo 11º ano
O absolutismo 11º anoO absolutismo 11º ano
O absolutismo 11º ano
Carla Teixeira
 
A Sociedade Europeia nos séculos IX a XII
A Sociedade Europeia nos séculos IX a XIIA Sociedade Europeia nos séculos IX a XII
A Sociedade Europeia nos séculos IX a XII
Jorge Almeida
 
D. JOÃO V
D. JOÃO VD. JOÃO V
D. JOÃO V
guest10964e
 
O modelo ateniense
O modelo atenienseO modelo ateniense
O modelo ateniense
Escoladocs
 
Concelhos e cortes - séculos XIII e XIV
Concelhos e cortes - séculos XIII e XIVConcelhos e cortes - séculos XIII e XIV
Concelhos e cortes - séculos XIII e XIV
Cátia Botelho
 
História da Moda - Europa Medieval
História da Moda - Europa MedievalHistória da Moda - Europa Medieval
História da Moda - Europa Medieval
Daniela Hinerasky
 
A burguesia xix
A burguesia xixA burguesia xix
A burguesia xix
Carla Teixeira
 
Indumentária na Idade Média
Indumentária na Idade MédiaIndumentária na Idade Média
Indumentária na Idade Média
Karina Candiotto Lessa
 
A vida no campo em Portugal no século XIX
A vida no campo  em Portugal no século XIXA vida no campo  em Portugal no século XIX
A vida no campo em Portugal no século XIX
anabelasilvasobral
 

Mais procurados (20)

0 reinado de d.joão v
0 reinado de d.joão v0 reinado de d.joão v
0 reinado de d.joão v
 
Séc. xii a xiv
Séc. xii a xivSéc. xii a xiv
Séc. xii a xiv
 
O modelo ateniense uma cultura aberta à cidade
O modelo ateniense   uma cultura aberta à cidadeO modelo ateniense   uma cultura aberta à cidade
O modelo ateniense uma cultura aberta à cidade
 
01 02_o_modelo_romano
01  02_o_modelo_romano01  02_o_modelo_romano
01 02_o_modelo_romano
 
Sociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIV
Sociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIVSociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIV
Sociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIV
 
Imagens da vida quotidiana na Idade Medieval
Imagens da vida quotidiana na Idade MedievalImagens da vida quotidiana na Idade Medieval
Imagens da vida quotidiana na Idade Medieval
 
O país urbano e concelhio
O país urbano e concelhioO país urbano e concelhio
O país urbano e concelhio
 
Operariado
OperariadoOperariado
Operariado
 
Atividades económicas nos séculos XIII e XIV
Atividades económicas nos séculos XIII e XIVAtividades económicas nos séculos XIII e XIV
Atividades económicas nos séculos XIII e XIV
 
Invasoes barbaras
Invasoes barbarasInvasoes barbaras
Invasoes barbaras
 
Modulo
ModuloModulo
Modulo
 
O absolutismo 11º ano
O absolutismo 11º anoO absolutismo 11º ano
O absolutismo 11º ano
 
A Sociedade Europeia nos séculos IX a XII
A Sociedade Europeia nos séculos IX a XIIA Sociedade Europeia nos séculos IX a XII
A Sociedade Europeia nos séculos IX a XII
 
D. JOÃO V
D. JOÃO VD. JOÃO V
D. JOÃO V
 
O modelo ateniense
O modelo atenienseO modelo ateniense
O modelo ateniense
 
Concelhos e cortes - séculos XIII e XIV
Concelhos e cortes - séculos XIII e XIVConcelhos e cortes - séculos XIII e XIV
Concelhos e cortes - séculos XIII e XIV
 
História da Moda - Europa Medieval
História da Moda - Europa MedievalHistória da Moda - Europa Medieval
História da Moda - Europa Medieval
 
A burguesia xix
A burguesia xixA burguesia xix
A burguesia xix
 
Indumentária na Idade Média
Indumentária na Idade MédiaIndumentária na Idade Média
Indumentária na Idade Média
 
A vida no campo em Portugal no século XIX
A vida no campo  em Portugal no século XIXA vida no campo  em Portugal no século XIX
A vida no campo em Portugal no século XIX
 

Semelhante a Vestuário na idade média

Palestr vest pdf
Palestr vest pdfPalestr vest pdf
Palestr vest pdf
Filipe Silva
 
Pesquisa Histórica - Vestuário Masculino e Acessórios dos Séculos XIII, XIV e XV
Pesquisa Histórica - Vestuário Masculino e Acessórios dos Séculos XIII, XIV e XVPesquisa Histórica - Vestuário Masculino e Acessórios dos Séculos XIII, XIV e XV
Pesquisa Histórica - Vestuário Masculino e Acessórios dos Séculos XIII, XIV e XV
NicolasSantos70
 
Trajesépocadescobrimentos
TrajesépocadescobrimentosTrajesépocadescobrimentos
Trajesépocadescobrimentos
Maria Gomes
 
Trajes renascentistas
Trajes renascentistasTrajes renascentistas
Trajes renascentistas
Raul Nunes
 
A moda do século xx
A moda do século xxA moda do século xx
A moda do século xx
Camila Rabello
 
Idade Moderna
Idade ModernaIdade Moderna
Idade Moderna
Viviane Carvalho
 
Sar sof joa_cata_moda_vestuario
Sar sof joa_cata_moda_vestuarioSar sof joa_cata_moda_vestuario
Sar sof joa_cata_moda_vestuario
cs
 
SéC XIX
SéC XIXSéC XIX
Moda Romana
Moda RomanaModa Romana
Moda Romana
guestf342e
 
História do Vestuário na Antiguidade
História do Vestuário na Antiguidade História do Vestuário na Antiguidade
História do Vestuário na Antiguidade
Daniela Hinerasky
 
A vida quotidiana dos romanos
A vida quotidiana dos romanosA vida quotidiana dos romanos
A vida quotidiana dos romanos
Carla Daniela
 
Avidaquotidianadosromanos 100521130731-phpapp01
Avidaquotidianadosromanos 100521130731-phpapp01Avidaquotidianadosromanos 100521130731-phpapp01
Avidaquotidianadosromanos 100521130731-phpapp01
Luis Raposo
 
A vida quotidiana dos romanos
A vida quotidiana dos romanosA vida quotidiana dos romanos
A vida quotidiana dos romanos
Carla Daniela
 
Avidaquotidianadosromanos 100521130731-phpapp01
Avidaquotidianadosromanos 100521130731-phpapp01Avidaquotidianadosromanos 100521130731-phpapp01
Avidaquotidianadosromanos 100521130731-phpapp01
Luis Raposo
 
PS04 A NOVA ERA DAS DESCOBERTAS
PS04 A NOVA ERA DAS DESCOBERTASPS04 A NOVA ERA DAS DESCOBERTAS
PS04 A NOVA ERA DAS DESCOBERTAS
Odair Tuono
 
Idade Moderna - Novas Descobertas
Idade Moderna - Novas DescobertasIdade Moderna - Novas Descobertas
Idade Moderna - Novas Descobertas
Odair Tuono
 
Neoclassicismo
NeoclassicismoNeoclassicismo
Neoclassicismo
Rachel de Lima
 
Renascimento
Renascimento Renascimento
Renascimento
Barbara Allexia
 
Moda no Rococó
Moda no RococóModa no Rococó
Moda no Rococó
Silene Haber
 
PADRÕES DE BELEZA.pptx
PADRÕES DE BELEZA.pptxPADRÕES DE BELEZA.pptx
PADRÕES DE BELEZA.pptx
aliceferro3
 

Semelhante a Vestuário na idade média (20)

Palestr vest pdf
Palestr vest pdfPalestr vest pdf
Palestr vest pdf
 
Pesquisa Histórica - Vestuário Masculino e Acessórios dos Séculos XIII, XIV e XV
Pesquisa Histórica - Vestuário Masculino e Acessórios dos Séculos XIII, XIV e XVPesquisa Histórica - Vestuário Masculino e Acessórios dos Séculos XIII, XIV e XV
Pesquisa Histórica - Vestuário Masculino e Acessórios dos Séculos XIII, XIV e XV
 
Trajesépocadescobrimentos
TrajesépocadescobrimentosTrajesépocadescobrimentos
Trajesépocadescobrimentos
 
Trajes renascentistas
Trajes renascentistasTrajes renascentistas
Trajes renascentistas
 
A moda do século xx
A moda do século xxA moda do século xx
A moda do século xx
 
Idade Moderna
Idade ModernaIdade Moderna
Idade Moderna
 
Sar sof joa_cata_moda_vestuario
Sar sof joa_cata_moda_vestuarioSar sof joa_cata_moda_vestuario
Sar sof joa_cata_moda_vestuario
 
SéC XIX
SéC XIXSéC XIX
SéC XIX
 
Moda Romana
Moda RomanaModa Romana
Moda Romana
 
História do Vestuário na Antiguidade
História do Vestuário na Antiguidade História do Vestuário na Antiguidade
História do Vestuário na Antiguidade
 
A vida quotidiana dos romanos
A vida quotidiana dos romanosA vida quotidiana dos romanos
A vida quotidiana dos romanos
 
Avidaquotidianadosromanos 100521130731-phpapp01
Avidaquotidianadosromanos 100521130731-phpapp01Avidaquotidianadosromanos 100521130731-phpapp01
Avidaquotidianadosromanos 100521130731-phpapp01
 
A vida quotidiana dos romanos
A vida quotidiana dos romanosA vida quotidiana dos romanos
A vida quotidiana dos romanos
 
Avidaquotidianadosromanos 100521130731-phpapp01
Avidaquotidianadosromanos 100521130731-phpapp01Avidaquotidianadosromanos 100521130731-phpapp01
Avidaquotidianadosromanos 100521130731-phpapp01
 
PS04 A NOVA ERA DAS DESCOBERTAS
PS04 A NOVA ERA DAS DESCOBERTASPS04 A NOVA ERA DAS DESCOBERTAS
PS04 A NOVA ERA DAS DESCOBERTAS
 
Idade Moderna - Novas Descobertas
Idade Moderna - Novas DescobertasIdade Moderna - Novas Descobertas
Idade Moderna - Novas Descobertas
 
Neoclassicismo
NeoclassicismoNeoclassicismo
Neoclassicismo
 
Renascimento
Renascimento Renascimento
Renascimento
 
Moda no Rococó
Moda no RococóModa no Rococó
Moda no Rococó
 
PADRÕES DE BELEZA.pptx
PADRÕES DE BELEZA.pptxPADRÕES DE BELEZA.pptx
PADRÕES DE BELEZA.pptx
 

Último

Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
CleideTeles3
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 

Último (14)

Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 

Vestuário na idade média

  • 1. VESTUÁRIO NA IDADE MÉDIA<br />O vestuário da Idade MédiaPoucas pessoas se podiam dar ao luxo de se vestirem com elegância, e durante a maior parte do séc. XVI os homens e as mulheres que o faziam copiavam os modelos usados na corte de Espanha. No entanto, nos finais do século, o centro da moda deslocou-se para Paris, donde eram enviadas pequenas bonecas, vestidas segundo a última moda, a quem desejava segui-la e, de acordo com o grupo social onde se inseriam, assim era o seu vestuário. Clero O Clero vestia vestidos escuros e compridos de lã, com capas igualmente escuras e compridas, alguns andavam descalços, outros calçados com sapatos de couro e possuíam terços e adereços da sua religião. O Clero mais rico possuía vestuário rico de acordo com a sua condição.NobrezaAs rainhas tinham, regra geral, armários atulhados de magníficos vestidos, muitos deles bordados a ouro e pedras preciosas. Os reis também se vestiam luxuosamente pois a riqueza dos trajes era uma das formas utilizadas pelos monarcas para cultivarem a obediência dos seus súbditos. PovoEsta classe social vestia-se com trajes práticos, já que a sua função, na maioria, era o trabalho pesado e o comércio.<br />Trajes usados pelos Monges<br />A Idade Média começou com a queda do Império Romano do Ocidente, no fim do século V, e durou até o século XV. No início as roupas eram feiras em casa. As famílias criavam ovelhas e cultivavam o linho. Quando as cidades começaram a crescer, surgiram lojas especializadas, dirigidas por tecelões, alfaiates, remendões e outros artesões que faziam roupas. No século XII, esses artesãos organizaram -se em corporações chamadas guildas. As mulheres começaram a usar vestidos compridos, e justos no busto. Os homens vestiam calções soltos debaixo da túnica, além de vários tipos de coberturas para as pernas. Nos séculos XII e XIII, as mulheres punham redes nos cabelos, usavam véus e panos para cobrir o pescoço, como algumas ordens de religiosas usam até hoje. Os homens usavam na cabeça capuzes com pontas compridas. Tanto homens quanto mulheres vestiam uma sobreveste copiada dos trajes dos cruzados.<br />Durante o século XIV, as roupas das classes dominantes ganharam muitos enfeites e acessórios, como botões e cintos ornamentados com pedrarias. Os tecidos variavam de acordo com a classe social. Nobreza: Os muito ricos vestiam seda e enfeitavam suas roupas com peles valiosas. Homem NobrePelote com longas cavas Touca de pano ou seda Manto ou capaSaio justo ao corpoPOVOA maioria das pessoas vestiam roupas de lã e linho. Já as pessoas mais humildes vestiam-se com roupas feitas de pele de cabra carneiro ou lobo.Fato de mongeMulher Nobre Touca sobre o lenço passadoou véu passado sobre o queixoVestido justo de manga larga<br />O TRAJE DO CLEROOs clérigos que pertenciam a uma ordem religiosa usavam hábitos próprios dessa ordem. Os Dominicanos por exemplo vestiam um hábito branco. Os Franciscanos vestiam um hábito castanho O clero secular tinha, como hoje tem, paramentos especiais, ou seja, vestuário próprio para as diferentes cerimónias religiosas.<br />