SlideShare uma empresa Scribd logo
Urânio
O urânio é um elemento químico que, por possuir tantas características singulares ocupa um lugar de destaque entre todos os elementos da tabela periódica. 	A sua grande eficiência quer na produção de    energia quer na destruição     em massa, fazendo com que    haja quem defenda a sua uti-    lização e quem a condene.
1-Urânio Foi descoberto em 1789 pelo alemão MartinHeinrichKlaproth e foi também o primeiro elemento da T.P onde se achou radioactividade.        É o elemento mais “pesado”,  que existe naturalmente na Terra: tem 92 protões e 135 a 148 neutrões. Quando em estado sólido apresenta uma cor que varia do cinza ao amarelo.
1.1 - Propriedades 1.1.1 – Propriedades atómicas 1.1.2 – Propriedades físicas
1.1.3 – Isótopos
1.1.4 – Urânio enriquecido Adiciona-se flúor ao metal formando o gás hexafluoreto de urânio (UF6) O urânio é extraído da natureza O 238UF6 e o 235UF6 são separados, os métodos mais comuns são a Difusão Gasosa e a Ultracentrifugação. O Urânio enriquecido é convertido em um pó de dióxido de urânio (UO2) que é prensado em pastilhas.
1.2 - História 1789 – Descoberta do metal por MartinHeinrichKlaproth; 1896 – Descoberta da propriedade radioactiva; 1934 – Observação da produção de partículas alfa através do bombardeamento de neutrões; 1942 – Primeira reacção nuclear de fissão auto-sustentada em Chicago; 1945 – Primeiro teste de arma nuclear no Novo México.
1.3 - Ocorrência Existem vestígios de urânio em quase todas as rochas sedimentares da crosta. 		O urânio obtêm-se através de minérios como uranita e euxenita que estão indicados no mapa em baixo.
1.4 - Aplicações
1.5 – Doenças no ser humano  O manuseamento do urânio pode provocar, devido á sua radioactividade: Náuseas; Vómitos; Diarreia; Cancro Enfraquecimento do sistema linfático, sangues, ossos, fígado e rins;
2 – Energia Nuclear A energia nuclear está no núcleo dos átomos, nas forças que mantém unidos os seus componentes. Numa reacção de fissão essa energia é libertada. Devido ás suas características próprias o urânio é o principal recurso energético neste tipo de energia, principalmente o enriquecido.
2.1 – Fissão nuclear O urânio – 235, por exemplo, ao ser bombardeado com neutrões, reparte-se em dois núcleos atómicos mais pequenos.
2.1.1 – Reacção em cadeia A fissão realizado de forma sucessiva é denominado de reacção em cadeiae é o processo utilizado num reactor nuclear.
2.2 – Centrais nucleares As centrais nucleares usam as reacções em cadeia para produzir calor que vai ferver água, produzir vapor e movimentar as turbinas criando energia eléctrica.
2.2.1 – Funcionamento Reactor  O reactor tem os seguintes componentes: Combustível – urânio convertido em pastilhas, posto em tubos; Tubos – que evitam a contaminação do reactor ;
Material moderador – intervêm no arrefecimento; Barras de controlo – absorvem parte dos neutrões e permitem que haja reacções controladas e estáveis, tendo assim um grande papel na segurança das centrais.
2.3 – Tipos de reactores Existem 3 tipos de reactores: De água; De altas temperaturas; Reprodutores. Para além de disso existem 3 gerações de reactores: 1º geração – antigos e em desuso 2ª geração – maioria dos  reactores 3ªgeração – topo de gama, mas ainda pouco usados.
2.4 – Lixos Nucleares O lixo pode ser de três categorias: Lixo alto nível – resíduos gerados durante o processo de fissão que contêm altos níveis de radioactividade letal; Lixo intermédio – apresentam menores graus de radioactividade; Lixo de baixo nível – resíduos produzidos em hospitais , laboratórios e indústrias.
2.5 – Impacto Ambiental e Humano 		As centrais nucleares actualmente são totalmente inofensivas para o ambiente e para o ser humanos, mas incidentes do passado mostraram que se mal geridas podem ser muito perigosas, como é no caso de Chernobyl. 	Nos seres vivos os efeitos da radiação podem ser: A nível somático; A nível genético
2.5.1 – “Toxicidade” das radiações
2.6 – Prós e contras
2.7 – Energia nuclear em Portugal 	Embora não tenha nenhuma central Portugal tem várias minas de Urânio que estão a ser exploradas actualmente por empresas internacionais. 	O mapa mostra a localização dessas minas.
3 – Fins Bélicos : a arma nuclear 		Uma reacção nuclear de fissão não controlada pode facilmente gerar uma explosão de proporções catastróficas. Apercebendo-se deste facto muito dirigentes de países aproveitaram-se deste facto para criar bombas para promover a guerra e a destruição. 	Para ocorrer esta explosão aumentam as quantidades de urânio enriquecido para quase 90% fazendo com que se dê uma enorme explosão, ao invés de uma reacção controlada
3.1 – Modelo da bomba atómica
Bibliografia Internet: http://atomico.no.sapo.pt/04_03.html http://www.biodieselbr.com/energia/nuclear/fissao-nuclear.htm http://pt.wikipedia.org/wiki/Energia_nuclear http://pt.wikipedia.org/wiki/uranio http://www.abcdaenergia.com/enervivas/cap07.htm http://www.cfn.ist.utl.pt/pt/consultorio/listA.html Livros: Enciclopédia Temática Juvenil, Editora: Multilar, 10º Edição

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Energias alternativas
Energias alternativasEnergias alternativas
Energias alternativas
Espa Cn 8
 
Energia Eólica
Energia EólicaEnergia Eólica
Energia Eólica
Gabriel Resende
 
Energia Nuclear
Energia NuclearEnergia Nuclear
Energia Nuclear
Cláudia Melchíades
 
Energias Renovaveis e Nao Renovaveis
Energias Renovaveis e Nao RenovaveisEnergias Renovaveis e Nao Renovaveis
Energias Renovaveis e Nao Renovaveis
Miguel Santos
 
Carvão mineral
Carvão mineralCarvão mineral
Carvão mineral
Marcos Otilio
 
Energia Nuclear
Energia NuclearEnergia Nuclear
Energia Nuclear
João Adolfo Pinheiro
 
Recursos energéticos
Recursos energéticosRecursos energéticos
Recursos energéticos
Ilda Bicacro
 
Energia nuclear.
Energia nuclear. Energia nuclear.
Energia nuclear.
- Daniela Sousa
 
Energia nuclear
Energia nuclearEnergia nuclear
Energia nuclear
Lyzaa Martha
 
Energias Renováveis
Energias RenováveisEnergias Renováveis
Energias Renováveis
vallmachado
 
Energia solar
Energia solarEnergia solar
Energia solar
eduardosalgdo
 
Energia Eólica
Energia EólicaEnergia Eólica
Energia Eólica
Pedro Peixoto
 
Energia solar
Energia solarEnergia solar
Energia solar
Wilson Cesar
 
Energia: transformação e conservação
Energia: transformação e conservaçãoEnergia: transformação e conservação
Energia: transformação e conservação
Carlos Priante
 
Energia nuclear
Energia nuclearEnergia nuclear
Energia nuclear
Rick Harley Mesquita
 
ENERGIA NUCLEAR
ENERGIA NUCLEAR ENERGIA NUCLEAR
ENERGIA NUCLEAR
- Daniela Sousa
 
Usina hidreletrica
Usina hidreletricaUsina hidreletrica
Usina hidreletrica
Fernando Pereira
 
Energia nuclear
Energia nuclearEnergia nuclear
Energia nuclear
Nicole Schneider
 
1ª lei de newton
1ª lei de newton1ª lei de newton
1ª lei de newton
Isadora Girio
 
Carvão mineral
Carvão mineralCarvão mineral
Carvão mineral
Carlos Dantas
 

Mais procurados (20)

Energias alternativas
Energias alternativasEnergias alternativas
Energias alternativas
 
Energia Eólica
Energia EólicaEnergia Eólica
Energia Eólica
 
Energia Nuclear
Energia NuclearEnergia Nuclear
Energia Nuclear
 
Energias Renovaveis e Nao Renovaveis
Energias Renovaveis e Nao RenovaveisEnergias Renovaveis e Nao Renovaveis
Energias Renovaveis e Nao Renovaveis
 
Carvão mineral
Carvão mineralCarvão mineral
Carvão mineral
 
Energia Nuclear
Energia NuclearEnergia Nuclear
Energia Nuclear
 
Recursos energéticos
Recursos energéticosRecursos energéticos
Recursos energéticos
 
Energia nuclear.
Energia nuclear. Energia nuclear.
Energia nuclear.
 
Energia nuclear
Energia nuclearEnergia nuclear
Energia nuclear
 
Energias Renováveis
Energias RenováveisEnergias Renováveis
Energias Renováveis
 
Energia solar
Energia solarEnergia solar
Energia solar
 
Energia Eólica
Energia EólicaEnergia Eólica
Energia Eólica
 
Energia solar
Energia solarEnergia solar
Energia solar
 
Energia: transformação e conservação
Energia: transformação e conservaçãoEnergia: transformação e conservação
Energia: transformação e conservação
 
Energia nuclear
Energia nuclearEnergia nuclear
Energia nuclear
 
ENERGIA NUCLEAR
ENERGIA NUCLEAR ENERGIA NUCLEAR
ENERGIA NUCLEAR
 
Usina hidreletrica
Usina hidreletricaUsina hidreletrica
Usina hidreletrica
 
Energia nuclear
Energia nuclearEnergia nuclear
Energia nuclear
 
1ª lei de newton
1ª lei de newton1ª lei de newton
1ª lei de newton
 
Carvão mineral
Carvão mineralCarvão mineral
Carvão mineral
 

Semelhante a Urânio - 10º B

Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
Radioatividade
Rafael Feitosa
 
Aula Radioatividade aplicacoes e riscos.pdf
Aula Radioatividade aplicacoes e riscos.pdfAula Radioatividade aplicacoes e riscos.pdf
Aula Radioatividade aplicacoes e riscos.pdf
Andre Luiz Nascimento
 
Energia nuclear
Energia nuclearEnergia nuclear
Energia nuclear
Jonatas Santana Obal
 
Histórico da radiação
Histórico da radiaçãoHistórico da radiação
Histórico da radiação
ProfªThaiza Montine
 
Histrico da-radiao1212
Histrico da-radiao1212Histrico da-radiao1212
Histrico da-radiao1212
Cakage
 
Todos Os Pratos
Todos Os PratosTodos Os Pratos
Todos Os Pratos
guest3fd4ee
 
Radioatividade e energia nuclear
Radioatividade e energia nuclearRadioatividade e energia nuclear
Radioatividade e energia nuclear
IFMT - Pontes e Lacerda
 
Radiação fisica
Radiação fisicaRadiação fisica
Radiação fisica
Ederson Wermeier
 
Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
Radioatividade
fisicaatual
 
Formação Nuclear.pptx
Formação Nuclear.pptxFormação Nuclear.pptx
Formação Nuclear.pptx
NataliaCardoso40
 
Seminario energia nuclear_p_gmat_rev05
Seminario energia nuclear_p_gmat_rev05Seminario energia nuclear_p_gmat_rev05
Seminario energia nuclear_p_gmat_rev05
UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina)
 
Tabela periódica
Tabela periódicaTabela periódica
Tabela periódica
alinemaiahistoria
 
Radioactividade
RadioactividadeRadioactividade
Radioactividade
omaisestupido
 
O problema do lixo radioativo
O problema do lixo radioativoO problema do lixo radioativo
O problema do lixo radioativo
josé cencic
 
Radiação no meio ambiente 3 e noturno
Radiação no meio ambiente  3 e noturnoRadiação no meio ambiente  3 e noturno
Radiação no meio ambiente 3 e noturno
Maria Teresa Iannaco Grego
 
Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
Energia Nuclear (Quimica)
Energia  Nuclear (Quimica)Energia  Nuclear (Quimica)
Energia Nuclear (Quimica)
Gabriella Bueno
 
Quimica lixo nuclear
Quimica lixo nuclearQuimica lixo nuclear
Quimica lixo nuclear
Carolina Santana
 
Tipos de reatores nucleares
Tipos de reatores nuclearesTipos de reatores nucleares
Tipos de reatores nucleares
Alex Junior
 
Energia nuclear e as consequências ambientais
Energia nuclear e as consequências ambientais Energia nuclear e as consequências ambientais
Energia nuclear e as consequências ambientais
luz_19
 

Semelhante a Urânio - 10º B (20)

Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
Radioatividade
 
Aula Radioatividade aplicacoes e riscos.pdf
Aula Radioatividade aplicacoes e riscos.pdfAula Radioatividade aplicacoes e riscos.pdf
Aula Radioatividade aplicacoes e riscos.pdf
 
Energia nuclear
Energia nuclearEnergia nuclear
Energia nuclear
 
Histórico da radiação
Histórico da radiaçãoHistórico da radiação
Histórico da radiação
 
Histrico da-radiao1212
Histrico da-radiao1212Histrico da-radiao1212
Histrico da-radiao1212
 
Todos Os Pratos
Todos Os PratosTodos Os Pratos
Todos Os Pratos
 
Radioatividade e energia nuclear
Radioatividade e energia nuclearRadioatividade e energia nuclear
Radioatividade e energia nuclear
 
Radiação fisica
Radiação fisicaRadiação fisica
Radiação fisica
 
Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
Radioatividade
 
Formação Nuclear.pptx
Formação Nuclear.pptxFormação Nuclear.pptx
Formação Nuclear.pptx
 
Seminario energia nuclear_p_gmat_rev05
Seminario energia nuclear_p_gmat_rev05Seminario energia nuclear_p_gmat_rev05
Seminario energia nuclear_p_gmat_rev05
 
Tabela periódica
Tabela periódicaTabela periódica
Tabela periódica
 
Radioactividade
RadioactividadeRadioactividade
Radioactividade
 
O problema do lixo radioativo
O problema do lixo radioativoO problema do lixo radioativo
O problema do lixo radioativo
 
Radiação no meio ambiente 3 e noturno
Radiação no meio ambiente  3 e noturnoRadiação no meio ambiente  3 e noturno
Radiação no meio ambiente 3 e noturno
 
Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
Radioatividade
 
Energia Nuclear (Quimica)
Energia  Nuclear (Quimica)Energia  Nuclear (Quimica)
Energia Nuclear (Quimica)
 
Quimica lixo nuclear
Quimica lixo nuclearQuimica lixo nuclear
Quimica lixo nuclear
 
Tipos de reatores nucleares
Tipos de reatores nuclearesTipos de reatores nucleares
Tipos de reatores nucleares
 
Energia nuclear e as consequências ambientais
Energia nuclear e as consequências ambientais Energia nuclear e as consequências ambientais
Energia nuclear e as consequências ambientais
 

Mais de Física Química A

Carvão - 10º E
Carvão - 10º ECarvão - 10º E
Carvão - 10º E
Física Química A
 
Ondas e Marés - 10º C
Ondas e Marés - 10º COndas e Marés - 10º C
Ondas e Marés - 10º C
Física Química A
 
Petróleo e gás natural - 10º C
Petróleo e gás natural - 10º CPetróleo e gás natural - 10º C
Petróleo e gás natural - 10º C
Física Química A
 
Vento - 10º C
Vento - 10º CVento - 10º C
Vento - 10º C
Física Química A
 
Matéria orgânica em decomposição - 10º C
Matéria orgânica em decomposição - 10º CMatéria orgânica em decomposição - 10º C
Matéria orgânica em decomposição - 10º C
Física Química A
 
Água - 10º C
Água - 10º CÁgua - 10º C
Água - 10º C
Física Química A
 
Vento - 10º B
Vento - 10º BVento - 10º B
Vento - 10º B
Física Química A
 
Sol - 10º B
Sol - 10º BSol - 10º B
Sol - 10º B
Física Química A
 
Petróleo e Gás Natural - 10º B
Petróleo e Gás Natural - 10º BPetróleo e Gás Natural - 10º B
Petróleo e Gás Natural - 10º B
Física Química A
 
Ondas e Marés - 10º B
Ondas e Marés - 10º BOndas e Marés - 10º B
Ondas e Marés - 10º B
Física Química A
 
Matéria Orgânica em Decomposição - 10º B
Matéria Orgânica em Decomposição - 10º BMatéria Orgânica em Decomposição - 10º B
Matéria Orgânica em Decomposição - 10º B
Física Química A
 
Carvão - 10º B
Carvão - 10º BCarvão - 10º B
Carvão - 10º B
Física Química A
 
Água - 10º B
Água - 10º BÁgua - 10º B
Água - 10º B
Física Química A
 
Petróleo e Gás Natural - 10º A
Petróleo e Gás Natural - 10º APetróleo e Gás Natural - 10º A
Petróleo e Gás Natural - 10º A
Física Química A
 
Ondas e Marés - 10º A
Ondas e Marés - 10º AOndas e Marés - 10º A
Ondas e Marés - 10º A
Física Química A
 
Vento - 10º A
Vento - 10º AVento - 10º A
Vento - 10º A
Física Química A
 
Sol - 10º A
Sol - 10º ASol - 10º A
Sol - 10º A
Física Química A
 
Matéria orgânica em decomposição - 10º A
Matéria orgânica em decomposição - 10º AMatéria orgânica em decomposição - 10º A
Matéria orgânica em decomposição - 10º A
Física Química A
 
Carvão - 10º A
Carvão - 10º ACarvão - 10º A
Carvão - 10º A
Física Química A
 
Água - 10º A
Água - 10º AÁgua - 10º A
Água - 10º A
Física Química A
 

Mais de Física Química A (20)

Carvão - 10º E
Carvão - 10º ECarvão - 10º E
Carvão - 10º E
 
Ondas e Marés - 10º C
Ondas e Marés - 10º COndas e Marés - 10º C
Ondas e Marés - 10º C
 
Petróleo e gás natural - 10º C
Petróleo e gás natural - 10º CPetróleo e gás natural - 10º C
Petróleo e gás natural - 10º C
 
Vento - 10º C
Vento - 10º CVento - 10º C
Vento - 10º C
 
Matéria orgânica em decomposição - 10º C
Matéria orgânica em decomposição - 10º CMatéria orgânica em decomposição - 10º C
Matéria orgânica em decomposição - 10º C
 
Água - 10º C
Água - 10º CÁgua - 10º C
Água - 10º C
 
Vento - 10º B
Vento - 10º BVento - 10º B
Vento - 10º B
 
Sol - 10º B
Sol - 10º BSol - 10º B
Sol - 10º B
 
Petróleo e Gás Natural - 10º B
Petróleo e Gás Natural - 10º BPetróleo e Gás Natural - 10º B
Petróleo e Gás Natural - 10º B
 
Ondas e Marés - 10º B
Ondas e Marés - 10º BOndas e Marés - 10º B
Ondas e Marés - 10º B
 
Matéria Orgânica em Decomposição - 10º B
Matéria Orgânica em Decomposição - 10º BMatéria Orgânica em Decomposição - 10º B
Matéria Orgânica em Decomposição - 10º B
 
Carvão - 10º B
Carvão - 10º BCarvão - 10º B
Carvão - 10º B
 
Água - 10º B
Água - 10º BÁgua - 10º B
Água - 10º B
 
Petróleo e Gás Natural - 10º A
Petróleo e Gás Natural - 10º APetróleo e Gás Natural - 10º A
Petróleo e Gás Natural - 10º A
 
Ondas e Marés - 10º A
Ondas e Marés - 10º AOndas e Marés - 10º A
Ondas e Marés - 10º A
 
Vento - 10º A
Vento - 10º AVento - 10º A
Vento - 10º A
 
Sol - 10º A
Sol - 10º ASol - 10º A
Sol - 10º A
 
Matéria orgânica em decomposição - 10º A
Matéria orgânica em decomposição - 10º AMatéria orgânica em decomposição - 10º A
Matéria orgânica em decomposição - 10º A
 
Carvão - 10º A
Carvão - 10º ACarvão - 10º A
Carvão - 10º A
 
Água - 10º A
Água - 10º AÁgua - 10º A
Água - 10º A
 

Urânio - 10º B

  • 2. O urânio é um elemento químico que, por possuir tantas características singulares ocupa um lugar de destaque entre todos os elementos da tabela periódica. A sua grande eficiência quer na produção de energia quer na destruição em massa, fazendo com que haja quem defenda a sua uti- lização e quem a condene.
  • 3. 1-Urânio Foi descoberto em 1789 pelo alemão MartinHeinrichKlaproth e foi também o primeiro elemento da T.P onde se achou radioactividade. É o elemento mais “pesado”, que existe naturalmente na Terra: tem 92 protões e 135 a 148 neutrões. Quando em estado sólido apresenta uma cor que varia do cinza ao amarelo.
  • 4. 1.1 - Propriedades 1.1.1 – Propriedades atómicas 1.1.2 – Propriedades físicas
  • 6. 1.1.4 – Urânio enriquecido Adiciona-se flúor ao metal formando o gás hexafluoreto de urânio (UF6) O urânio é extraído da natureza O 238UF6 e o 235UF6 são separados, os métodos mais comuns são a Difusão Gasosa e a Ultracentrifugação. O Urânio enriquecido é convertido em um pó de dióxido de urânio (UO2) que é prensado em pastilhas.
  • 7. 1.2 - História 1789 – Descoberta do metal por MartinHeinrichKlaproth; 1896 – Descoberta da propriedade radioactiva; 1934 – Observação da produção de partículas alfa através do bombardeamento de neutrões; 1942 – Primeira reacção nuclear de fissão auto-sustentada em Chicago; 1945 – Primeiro teste de arma nuclear no Novo México.
  • 8. 1.3 - Ocorrência Existem vestígios de urânio em quase todas as rochas sedimentares da crosta. O urânio obtêm-se através de minérios como uranita e euxenita que estão indicados no mapa em baixo.
  • 10. 1.5 – Doenças no ser humano O manuseamento do urânio pode provocar, devido á sua radioactividade: Náuseas; Vómitos; Diarreia; Cancro Enfraquecimento do sistema linfático, sangues, ossos, fígado e rins;
  • 11. 2 – Energia Nuclear A energia nuclear está no núcleo dos átomos, nas forças que mantém unidos os seus componentes. Numa reacção de fissão essa energia é libertada. Devido ás suas características próprias o urânio é o principal recurso energético neste tipo de energia, principalmente o enriquecido.
  • 12. 2.1 – Fissão nuclear O urânio – 235, por exemplo, ao ser bombardeado com neutrões, reparte-se em dois núcleos atómicos mais pequenos.
  • 13. 2.1.1 – Reacção em cadeia A fissão realizado de forma sucessiva é denominado de reacção em cadeiae é o processo utilizado num reactor nuclear.
  • 14. 2.2 – Centrais nucleares As centrais nucleares usam as reacções em cadeia para produzir calor que vai ferver água, produzir vapor e movimentar as turbinas criando energia eléctrica.
  • 15. 2.2.1 – Funcionamento Reactor O reactor tem os seguintes componentes: Combustível – urânio convertido em pastilhas, posto em tubos; Tubos – que evitam a contaminação do reactor ;
  • 16. Material moderador – intervêm no arrefecimento; Barras de controlo – absorvem parte dos neutrões e permitem que haja reacções controladas e estáveis, tendo assim um grande papel na segurança das centrais.
  • 17. 2.3 – Tipos de reactores Existem 3 tipos de reactores: De água; De altas temperaturas; Reprodutores. Para além de disso existem 3 gerações de reactores: 1º geração – antigos e em desuso 2ª geração – maioria dos reactores 3ªgeração – topo de gama, mas ainda pouco usados.
  • 18. 2.4 – Lixos Nucleares O lixo pode ser de três categorias: Lixo alto nível – resíduos gerados durante o processo de fissão que contêm altos níveis de radioactividade letal; Lixo intermédio – apresentam menores graus de radioactividade; Lixo de baixo nível – resíduos produzidos em hospitais , laboratórios e indústrias.
  • 19. 2.5 – Impacto Ambiental e Humano As centrais nucleares actualmente são totalmente inofensivas para o ambiente e para o ser humanos, mas incidentes do passado mostraram que se mal geridas podem ser muito perigosas, como é no caso de Chernobyl. Nos seres vivos os efeitos da radiação podem ser: A nível somático; A nível genético
  • 20. 2.5.1 – “Toxicidade” das radiações
  • 21. 2.6 – Prós e contras
  • 22. 2.7 – Energia nuclear em Portugal Embora não tenha nenhuma central Portugal tem várias minas de Urânio que estão a ser exploradas actualmente por empresas internacionais. O mapa mostra a localização dessas minas.
  • 23. 3 – Fins Bélicos : a arma nuclear Uma reacção nuclear de fissão não controlada pode facilmente gerar uma explosão de proporções catastróficas. Apercebendo-se deste facto muito dirigentes de países aproveitaram-se deste facto para criar bombas para promover a guerra e a destruição. Para ocorrer esta explosão aumentam as quantidades de urânio enriquecido para quase 90% fazendo com que se dê uma enorme explosão, ao invés de uma reacção controlada
  • 24. 3.1 – Modelo da bomba atómica
  • 25. Bibliografia Internet: http://atomico.no.sapo.pt/04_03.html http://www.biodieselbr.com/energia/nuclear/fissao-nuclear.htm http://pt.wikipedia.org/wiki/Energia_nuclear http://pt.wikipedia.org/wiki/uranio http://www.abcdaenergia.com/enervivas/cap07.htm http://www.cfn.ist.utl.pt/pt/consultorio/listA.html Livros: Enciclopédia Temática Juvenil, Editora: Multilar, 10º Edição