SlideShare uma empresa Scribd logo
Ecoesgoto
Sistema Integrado de Infraestrutura Verde e
Reciclagem de Águas e
Resíduos Orgânicos
Eng. Agr. João Manuel Linck Feijó
joao@ecotelhado.com.br
Infraestrutura verde
Infraestrutura urbana

Infraestrutura verde

•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•

• Parques, praças,
• ciclovias
• Recuperação de orla de rios
,arroios, lagoas, praias.
• Telhados e lajes vegetados
• Jardim Vertical, Brise Vegetal
• Estacionamentos permeáveis e
vegetados
• Calçadas permeáveis
• ETE integrada, reciclagem em
irrigação de plantas
• Compostagem lixo orgânico
• Aumento biodiversidade

Sistema viário interconectado
Pressão de crescimento urbano
Impermeabilização das vias
Impermeabilização telhados
Transito crescente
Estacionamentos impermeáveis
Coleta de lixo
Distribuição de água
Coleta de esgoto
Coleta de pluvial
poluição
Sistema Convencional
Sistema Integrado
Diminui consumo na:
rede água potável
Independência da:
Rede esgoto cloacal
Rede de esgoto pluvial
Coleta de lixo orgânico
Coleta de óleo de cozinha
Vantagens da Integração
•
•
•
•
•
•
•

Energia (climatização, transporte , bombas)
Reposição do aquífero
controle de enchentes e poluição
Desonera investimento na rede pública
Melhora qualidade de vida urbana
Aumenta Biodiversidade
Sem cheiro
Fontes de água
•
•
•
•
•
•
•

Água de chuva
Água de fundação
Água cinza
Água negra
Torre de resfriamento
Osmose reversa
Piscina (retro lavagem)
Uso potencial água da chuva
ou reuso
Potáveis

•
•
•
•

Água de beber
Cozinhar
Lavar louça
Banho

Não Potáveis
• Reservatório incêndio
• Irrigação
• Piscina
• Lavagem chão
• Conforto térm. evaporativo
• Agricultura urbana
• Processos industriais
• Lavanderia
• Descarga sanitário
Ecoesgoto

É um novo conceito biofílico para reciclagem de
água, nutrientes e dejetos orgânicos nos diversos
ambientes residenciais e industriais.

Ele permite a reciclagem dos efluentes de forma
natural, permitindo a reutilização da água e seus
nutrientes.
Coleta

Dejetos sólidos tanto de sanitários como de
cozinha são canalizados para serem digeridos
no Vermilfiltro.
Primeira fase: Vermifiltro
O Vermifiltro separa a parte solida dos dejetos
da parte liquida. Nesta fase aeróbica pode ser
colocado dejetos orgânicos que serão
consumidos pelas minhocas.
Entrada do Efluente no
Vermifiltro

Os resíduos sólidos são filtrados e digeridos
pelas oligoquetas, isto gera os coprólitos que
se assemelham à borra de café sendo diluídos
na água.
Oligoquetas
As minhocas digerem todos os detritos orgânicos.
Dando inicio à primeira fase da purificação do
esgoto.
Após, este efluente pré tratado é bombeado ao
Sistema Laminar.
Camadas do Vermifiltro
O Vermifiltro cones e membranas recicladas que formam um
piso elevado livre de água evitando afogar ou sufocar as
oligoquetas.

As camadas formam um habitat artificial para
as minhocas, permitindo que elas trabalhem
consumindo os dejetos e purificando a água.
Eficiência Vermifiltro
(ingestão)
•
•
•
•
•

90% para DBO
80-90% para DQO
90-92% para STD
90-95% para SST
23-64% para NH4
Desinfecção (doenças)
•
•
•
•

Bactérias
Fungos
Protozoários
Nematódeos
Bioacumulador
• Metais pesados
• Estradiol e outros fármacos
• Substancias químicas
Torre de exaustão

As minhocas necessitam de oxigênio para
respiração cutânea, este sistema permite a
exaustão do gás carbônico através de torres
colocadas no sistema.
Segunda fase : Sistema Laminar

Após circular pelo Vermifiltro, o líquido já pré tratado é
bombeado para o Sistema Laminar passando pela Torre
Verde onde micro organismos continuam a digerir o
esgoto.
Sistema Laminar

O Sistema Laminar receberá o efluente
tratado. A laje deverá estar impermeabilizada
com manta de EPDM.
Montagem Laminar
Os cones de Ecodreno são encaixados
facilmente formando um piso elevado. A altura
é regulável, permite aumentar o volume de
reserva de tratamento.
Montagem Cones Sistema
Laminar
Os cones de plástico reciclado possuem alta
resistência à compressão e sobre eles será
colocada a vegetação de macrófitas e outras.
Sistema Instalado

A instalação do Sistema Laminar é feita com a
colocação dos Ecodrenos lado a lado de
maneira a formar um grande piso elevado com
reservatório.
Preenchimento com argila
expandida

A argila expandida colocada no cone de
Ecodreno é um substrato leve e inerte que
permite a fixação das plantas aquáticas.
Plantas Aquáticas

O sistema radicular das plantas serve de substrato para
microrganismos aeróbios e fornecedor de oxigênio.
Já os anaeróbios são encontrados na parte inferior do
sistema Laminar.
Eficiência da fase Banhado
Construído
•
•
•
•
•
•

70,5 a 81,7% para DQO
56,7 a 91,0% para DBO5
34,6 a 65,3% para NH3
60,0 a 83,1% para SST
42,9 a 46,7% para PO4-3.
75,5 a 99,7% de coliformes fecais
Vista do Sistema Laminar

O sistema integra-se ao paisagismo da construção
permitindo a combinação de estética com
tratamento de efluente de forma natural e inodoro.
Terceira fase :Jardim Vertical
A água proveniente do sistema poderá ser
utilizada para a rega de jardim vertical ou
horizontal.
Em prédios :Brise Vegetal
Quarta Fase:Cisterna ou Infiltração

O Efluente tratado remanescente poderá ser
infiltrado no subsolo sem risco de contaminação
do lençol freático.
Cisterna de água chuva e reúso
Reservatório de infiltração
Manutenção Sistema de
Reciclagem

O Sistema Ecoesgoto Vermifiltro, ao contrário dos
convencionais, não requer a retirada de lodo nem
de limpeza periódica.
Possui baixíssima manutenção é inodoro.
Pavimento Natural Permeável
Tendências Futuras
• Descentralização da distribuição e tratamento
de água;
• Desregulamentação ( barreiras regulatórias)
• Integração com Infraestrutura Verde.
Obrigado!
Eng. Agr. João Manuel Linck Feijó
joao@ecotelhado.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

034
034034
Seminário Drenagem Urbana FIESP - Técnicas naturalisticas em drenagem urbana
Seminário Drenagem Urbana FIESP - Técnicas naturalisticas em drenagem urbanaSeminário Drenagem Urbana FIESP - Técnicas naturalisticas em drenagem urbana
Seminário Drenagem Urbana FIESP - Técnicas naturalisticas em drenagem urbana
Fluxus Design Ecológico
 
Água para Todos
Água para Todos Água para Todos
Beneficios dos Sistemas Naturais em Sistemas de Manejo Integrado de Agua
Beneficios dos Sistemas Naturais em Sistemas de Manejo Integrado de AguaBeneficios dos Sistemas Naturais em Sistemas de Manejo Integrado de Agua
Beneficios dos Sistemas Naturais em Sistemas de Manejo Integrado de Agua
Fluxus Design Ecológico
 
Ecopavimento
EcopavimentoEcopavimento
Ecopavimento
Tarcila de Paiva
 
Tratamento de efluentes ou reciclagem de nutrientes?
Tratamento de efluentes ou reciclagem de nutrientes?Tratamento de efluentes ou reciclagem de nutrientes?
Tratamento de efluentes ou reciclagem de nutrientes?
Fluxus Design Ecológico
 
Projeto de Lei 016-2012 Estabelece a obrigatoriedade da implantação de mecani...
Projeto de Lei 016-2012 Estabelece a obrigatoriedade da implantação de mecani...Projeto de Lei 016-2012 Estabelece a obrigatoriedade da implantação de mecani...
Projeto de Lei 016-2012 Estabelece a obrigatoriedade da implantação de mecani...
Antônio Rosalvo Batista Neto
 
Tratamento de esgotos infiltração rápida
Tratamento de esgotos infiltração rápidaTratamento de esgotos infiltração rápida
Tratamento de esgotos infiltração rápida
Silenezé Souza
 
Uso de Efluente de Sistemas de Tratamento de Esgoto na Agricultura, por Adolp...
Uso de Efluente de Sistemas de Tratamento de Esgoto na Agricultura, por Adolp...Uso de Efluente de Sistemas de Tratamento de Esgoto na Agricultura, por Adolp...
Uso de Efluente de Sistemas de Tratamento de Esgoto na Agricultura, por Adolp...
Instituto Besc
 
Seguranca Hidrica em Debate
Seguranca Hidrica em Debate Seguranca Hidrica em Debate
Seguranca Hidrica em Debate
Fluxus Design Ecológico
 
Apresentação - FITABES - Regulamentação do Reuso
Apresentação - FITABES - Regulamentação do ReusoApresentação - FITABES - Regulamentação do Reuso
Apresentação - FITABES - Regulamentação do Reuso
Fernando S. Marcato
 
Tecnologia GCDE Catálogo
Tecnologia GCDE CatálogoTecnologia GCDE Catálogo
Tecnologia GCDE Catálogo
Katia Nuno
 
Ponte de terra prognóstico urbanismo
Ponte de terra prognóstico urbanismoPonte de terra prognóstico urbanismo
Ponte de terra prognóstico urbanismo
Camila Bittar
 
Palestra no Escritório Piloto da Escola Politécnica da USP
Palestra no Escritório Piloto da Escola Politécnica da USPPalestra no Escritório Piloto da Escola Politécnica da USP
Palestra no Escritório Piloto da Escola Politécnica da USP
Fluxus Design Ecológico
 
Sistemas de Irrigação por Gotejamento e microaspersão
Sistemas de Irrigação por Gotejamento e microaspersãoSistemas de Irrigação por Gotejamento e microaspersão
Sistemas de Irrigação por Gotejamento e microaspersão
Robson de Aguiar
 
Gestão dos Recursos Hídricos
Gestão dos Recursos HídricosGestão dos Recursos Hídricos
Gestão dos Recursos Hídricos
Ana Daniela Castro do Nascimento
 
BSI - Biossistemas Integrados
BSI - Biossistemas IntegradosBSI - Biossistemas Integrados
BSI - Biossistemas Integrados
Fluxus Design Ecológico
 
Curso basico de formacao em manejo integrado de agua - Estacao Luz
Curso basico de formacao em manejo integrado de agua - Estacao LuzCurso basico de formacao em manejo integrado de agua - Estacao Luz
Curso basico de formacao em manejo integrado de agua - Estacao Luz
Fluxus Design Ecológico
 
Arine prognóstico urbanismo
Arine prognóstico urbanismoArine prognóstico urbanismo
Arine prognóstico urbanismo
Camila Bittar
 
32 irrigacao por gotejamento
32 irrigacao por gotejamento32 irrigacao por gotejamento
32 irrigacao por gotejamento
Luiz Antonio de Jesus Araujo
 

Mais procurados (20)

034
034034
034
 
Seminário Drenagem Urbana FIESP - Técnicas naturalisticas em drenagem urbana
Seminário Drenagem Urbana FIESP - Técnicas naturalisticas em drenagem urbanaSeminário Drenagem Urbana FIESP - Técnicas naturalisticas em drenagem urbana
Seminário Drenagem Urbana FIESP - Técnicas naturalisticas em drenagem urbana
 
Água para Todos
Água para Todos Água para Todos
Água para Todos
 
Beneficios dos Sistemas Naturais em Sistemas de Manejo Integrado de Agua
Beneficios dos Sistemas Naturais em Sistemas de Manejo Integrado de AguaBeneficios dos Sistemas Naturais em Sistemas de Manejo Integrado de Agua
Beneficios dos Sistemas Naturais em Sistemas de Manejo Integrado de Agua
 
Ecopavimento
EcopavimentoEcopavimento
Ecopavimento
 
Tratamento de efluentes ou reciclagem de nutrientes?
Tratamento de efluentes ou reciclagem de nutrientes?Tratamento de efluentes ou reciclagem de nutrientes?
Tratamento de efluentes ou reciclagem de nutrientes?
 
Projeto de Lei 016-2012 Estabelece a obrigatoriedade da implantação de mecani...
Projeto de Lei 016-2012 Estabelece a obrigatoriedade da implantação de mecani...Projeto de Lei 016-2012 Estabelece a obrigatoriedade da implantação de mecani...
Projeto de Lei 016-2012 Estabelece a obrigatoriedade da implantação de mecani...
 
Tratamento de esgotos infiltração rápida
Tratamento de esgotos infiltração rápidaTratamento de esgotos infiltração rápida
Tratamento de esgotos infiltração rápida
 
Uso de Efluente de Sistemas de Tratamento de Esgoto na Agricultura, por Adolp...
Uso de Efluente de Sistemas de Tratamento de Esgoto na Agricultura, por Adolp...Uso de Efluente de Sistemas de Tratamento de Esgoto na Agricultura, por Adolp...
Uso de Efluente de Sistemas de Tratamento de Esgoto na Agricultura, por Adolp...
 
Seguranca Hidrica em Debate
Seguranca Hidrica em Debate Seguranca Hidrica em Debate
Seguranca Hidrica em Debate
 
Apresentação - FITABES - Regulamentação do Reuso
Apresentação - FITABES - Regulamentação do ReusoApresentação - FITABES - Regulamentação do Reuso
Apresentação - FITABES - Regulamentação do Reuso
 
Tecnologia GCDE Catálogo
Tecnologia GCDE CatálogoTecnologia GCDE Catálogo
Tecnologia GCDE Catálogo
 
Ponte de terra prognóstico urbanismo
Ponte de terra prognóstico urbanismoPonte de terra prognóstico urbanismo
Ponte de terra prognóstico urbanismo
 
Palestra no Escritório Piloto da Escola Politécnica da USP
Palestra no Escritório Piloto da Escola Politécnica da USPPalestra no Escritório Piloto da Escola Politécnica da USP
Palestra no Escritório Piloto da Escola Politécnica da USP
 
Sistemas de Irrigação por Gotejamento e microaspersão
Sistemas de Irrigação por Gotejamento e microaspersãoSistemas de Irrigação por Gotejamento e microaspersão
Sistemas de Irrigação por Gotejamento e microaspersão
 
Gestão dos Recursos Hídricos
Gestão dos Recursos HídricosGestão dos Recursos Hídricos
Gestão dos Recursos Hídricos
 
BSI - Biossistemas Integrados
BSI - Biossistemas IntegradosBSI - Biossistemas Integrados
BSI - Biossistemas Integrados
 
Curso basico de formacao em manejo integrado de agua - Estacao Luz
Curso basico de formacao em manejo integrado de agua - Estacao LuzCurso basico de formacao em manejo integrado de agua - Estacao Luz
Curso basico de formacao em manejo integrado de agua - Estacao Luz
 
Arine prognóstico urbanismo
Arine prognóstico urbanismoArine prognóstico urbanismo
Arine prognóstico urbanismo
 
32 irrigacao por gotejamento
32 irrigacao por gotejamento32 irrigacao por gotejamento
32 irrigacao por gotejamento
 

Semelhante a Sistema Integrado de Infraestrutura Verde e Reciclagem de Aguas e Resíduos Orgânicos

Reuso de água nas edificações
Reuso de água nas edificações Reuso de água nas edificações
Reuso de água nas edificações
Patricia Dellalibera
 
Cartilha bet tds_b
Cartilha bet tds_bCartilha bet tds_b
Cartilha bet tds_b
Lilo Moura
 
Tratamento e disposição de resíduos e efluentes
Tratamento e disposição de resíduos e efluentesTratamento e disposição de resíduos e efluentes
Tratamento e disposição de resíduos e efluentes
RafaelNeves651350
 
Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2
Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2
Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2
João Boos Boos
 
Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2
Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2
Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2
João Boos Boos
 
Tratamento de água e esgoto
Tratamento de água e esgotoTratamento de água e esgoto
Tratamento de água e esgoto
Grazi Grazi
 
9 pequenas eta rs
9 pequenas eta rs9 pequenas eta rs
9 pequenas eta rs
Gilson Adao
 
Valdir Folgosi - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de A...
Valdir Folgosi - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de A...Valdir Folgosi - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de A...
Valdir Folgosi - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de A...
FGV | Fundação Getulio Vargas
 
Rec agua 1
Rec agua 1Rec agua 1
Rec agua 1
Rogerio Catanese
 
CaptaçãO De áGua De Chuva
CaptaçãO De áGua De ChuvaCaptaçãO De áGua De Chuva
CaptaçãO De áGua De Chuva
Ionara Urrutia Moura
 
7 sistemas de tratamento natural
7 sistemas de tratamento natural7 sistemas de tratamento natural
7 sistemas de tratamento natural
Gilson Adao
 
TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.
TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.
TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.
João Boos Boos
 
Escola SecundáRia De Seia Ost
Escola SecundáRia De Seia OstEscola SecundáRia De Seia Ost
Escola SecundáRia De Seia Ost
guestb6e50c
 
Dejetos Na Propriedade Rural
Dejetos Na Propriedade RuralDejetos Na Propriedade Rural
Dejetos Na Propriedade Rural
marcelo otenio
 
Esgotos e Lixeiras
Esgotos e LixeirasEsgotos e Lixeiras
Esgotos e Lixeiras
claudialopes
 
Sisnate200705
Sisnate200705Sisnate200705
Sisnate200705
Tiago Soares
 
Manejo de resíduos em sistemas de produção de leite: limpeza hidráulica dos ...
Manejo de resíduos em sistemas de produção de leite:  limpeza hidráulica dos ...Manejo de resíduos em sistemas de produção de leite:  limpeza hidráulica dos ...
Manejo de resíduos em sistemas de produção de leite: limpeza hidráulica dos ...
marcelo otenio
 
32 irrigacao por_gotejamento
32 irrigacao por_gotejamento32 irrigacao por_gotejamento
32 irrigacao por_gotejamento
Sídio Marcos O. Nascimento
 
tratamento de efluentes
tratamento de efluentestratamento de efluentes
tratamento de efluentes
Jaqueline Santos
 
Slides lodos ativados
Slides lodos ativadosSlides lodos ativados
Slides lodos ativados
Emelayne Prata
 

Semelhante a Sistema Integrado de Infraestrutura Verde e Reciclagem de Aguas e Resíduos Orgânicos (20)

Reuso de água nas edificações
Reuso de água nas edificações Reuso de água nas edificações
Reuso de água nas edificações
 
Cartilha bet tds_b
Cartilha bet tds_bCartilha bet tds_b
Cartilha bet tds_b
 
Tratamento e disposição de resíduos e efluentes
Tratamento e disposição de resíduos e efluentesTratamento e disposição de resíduos e efluentes
Tratamento e disposição de resíduos e efluentes
 
Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2
Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2
Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2
 
Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2
Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2
Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2
 
Tratamento de água e esgoto
Tratamento de água e esgotoTratamento de água e esgoto
Tratamento de água e esgoto
 
9 pequenas eta rs
9 pequenas eta rs9 pequenas eta rs
9 pequenas eta rs
 
Valdir Folgosi - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de A...
Valdir Folgosi - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de A...Valdir Folgosi - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de A...
Valdir Folgosi - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de A...
 
Rec agua 1
Rec agua 1Rec agua 1
Rec agua 1
 
CaptaçãO De áGua De Chuva
CaptaçãO De áGua De ChuvaCaptaçãO De áGua De Chuva
CaptaçãO De áGua De Chuva
 
7 sistemas de tratamento natural
7 sistemas de tratamento natural7 sistemas de tratamento natural
7 sistemas de tratamento natural
 
TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.
TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.
TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.
 
Escola SecundáRia De Seia Ost
Escola SecundáRia De Seia OstEscola SecundáRia De Seia Ost
Escola SecundáRia De Seia Ost
 
Dejetos Na Propriedade Rural
Dejetos Na Propriedade RuralDejetos Na Propriedade Rural
Dejetos Na Propriedade Rural
 
Esgotos e Lixeiras
Esgotos e LixeirasEsgotos e Lixeiras
Esgotos e Lixeiras
 
Sisnate200705
Sisnate200705Sisnate200705
Sisnate200705
 
Manejo de resíduos em sistemas de produção de leite: limpeza hidráulica dos ...
Manejo de resíduos em sistemas de produção de leite:  limpeza hidráulica dos ...Manejo de resíduos em sistemas de produção de leite:  limpeza hidráulica dos ...
Manejo de resíduos em sistemas de produção de leite: limpeza hidráulica dos ...
 
32 irrigacao por_gotejamento
32 irrigacao por_gotejamento32 irrigacao por_gotejamento
32 irrigacao por_gotejamento
 
tratamento de efluentes
tratamento de efluentestratamento de efluentes
tratamento de efluentes
 
Slides lodos ativados
Slides lodos ativadosSlides lodos ativados
Slides lodos ativados
 

Último

RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
rihabkorbi24
 
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfilApostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Carlos Eduardo Coan Junior
 
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoedaRevolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Renan Batista Bitcoin
 
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
Paulo Emerson Pereira
 
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
InsttLcioEvangelista
 
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdfGUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
AlfeuBuriti1
 
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdfVeronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Dantas
 
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Paulo Emerson Pereira
 

Último (8)

RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
 
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfilApostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
 
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoedaRevolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
 
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
 
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
 
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdfGUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
 
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdfVeronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
 
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
 

Sistema Integrado de Infraestrutura Verde e Reciclagem de Aguas e Resíduos Orgânicos

  • 1. Ecoesgoto Sistema Integrado de Infraestrutura Verde e Reciclagem de Águas e Resíduos Orgânicos Eng. Agr. João Manuel Linck Feijó joao@ecotelhado.com.br
  • 2. Infraestrutura verde Infraestrutura urbana Infraestrutura verde • • • • • • • • • • • • Parques, praças, • ciclovias • Recuperação de orla de rios ,arroios, lagoas, praias. • Telhados e lajes vegetados • Jardim Vertical, Brise Vegetal • Estacionamentos permeáveis e vegetados • Calçadas permeáveis • ETE integrada, reciclagem em irrigação de plantas • Compostagem lixo orgânico • Aumento biodiversidade Sistema viário interconectado Pressão de crescimento urbano Impermeabilização das vias Impermeabilização telhados Transito crescente Estacionamentos impermeáveis Coleta de lixo Distribuição de água Coleta de esgoto Coleta de pluvial poluição
  • 4. Sistema Integrado Diminui consumo na: rede água potável Independência da: Rede esgoto cloacal Rede de esgoto pluvial Coleta de lixo orgânico Coleta de óleo de cozinha
  • 5. Vantagens da Integração • • • • • • • Energia (climatização, transporte , bombas) Reposição do aquífero controle de enchentes e poluição Desonera investimento na rede pública Melhora qualidade de vida urbana Aumenta Biodiversidade Sem cheiro
  • 6. Fontes de água • • • • • • • Água de chuva Água de fundação Água cinza Água negra Torre de resfriamento Osmose reversa Piscina (retro lavagem)
  • 7. Uso potencial água da chuva ou reuso Potáveis • • • • Água de beber Cozinhar Lavar louça Banho Não Potáveis • Reservatório incêndio • Irrigação • Piscina • Lavagem chão • Conforto térm. evaporativo • Agricultura urbana • Processos industriais • Lavanderia • Descarga sanitário
  • 8. Ecoesgoto É um novo conceito biofílico para reciclagem de água, nutrientes e dejetos orgânicos nos diversos ambientes residenciais e industriais. Ele permite a reciclagem dos efluentes de forma natural, permitindo a reutilização da água e seus nutrientes.
  • 9. Coleta Dejetos sólidos tanto de sanitários como de cozinha são canalizados para serem digeridos no Vermilfiltro.
  • 10. Primeira fase: Vermifiltro O Vermifiltro separa a parte solida dos dejetos da parte liquida. Nesta fase aeróbica pode ser colocado dejetos orgânicos que serão consumidos pelas minhocas.
  • 11. Entrada do Efluente no Vermifiltro Os resíduos sólidos são filtrados e digeridos pelas oligoquetas, isto gera os coprólitos que se assemelham à borra de café sendo diluídos na água.
  • 12. Oligoquetas As minhocas digerem todos os detritos orgânicos. Dando inicio à primeira fase da purificação do esgoto. Após, este efluente pré tratado é bombeado ao Sistema Laminar.
  • 13. Camadas do Vermifiltro O Vermifiltro cones e membranas recicladas que formam um piso elevado livre de água evitando afogar ou sufocar as oligoquetas. As camadas formam um habitat artificial para as minhocas, permitindo que elas trabalhem consumindo os dejetos e purificando a água.
  • 14. Eficiência Vermifiltro (ingestão) • • • • • 90% para DBO 80-90% para DQO 90-92% para STD 90-95% para SST 23-64% para NH4
  • 16. Bioacumulador • Metais pesados • Estradiol e outros fármacos • Substancias químicas
  • 17. Torre de exaustão As minhocas necessitam de oxigênio para respiração cutânea, este sistema permite a exaustão do gás carbônico através de torres colocadas no sistema.
  • 18. Segunda fase : Sistema Laminar Após circular pelo Vermifiltro, o líquido já pré tratado é bombeado para o Sistema Laminar passando pela Torre Verde onde micro organismos continuam a digerir o esgoto.
  • 19. Sistema Laminar O Sistema Laminar receberá o efluente tratado. A laje deverá estar impermeabilizada com manta de EPDM.
  • 20. Montagem Laminar Os cones de Ecodreno são encaixados facilmente formando um piso elevado. A altura é regulável, permite aumentar o volume de reserva de tratamento.
  • 21. Montagem Cones Sistema Laminar Os cones de plástico reciclado possuem alta resistência à compressão e sobre eles será colocada a vegetação de macrófitas e outras.
  • 22. Sistema Instalado A instalação do Sistema Laminar é feita com a colocação dos Ecodrenos lado a lado de maneira a formar um grande piso elevado com reservatório.
  • 23. Preenchimento com argila expandida A argila expandida colocada no cone de Ecodreno é um substrato leve e inerte que permite a fixação das plantas aquáticas.
  • 24. Plantas Aquáticas O sistema radicular das plantas serve de substrato para microrganismos aeróbios e fornecedor de oxigênio. Já os anaeróbios são encontrados na parte inferior do sistema Laminar.
  • 25. Eficiência da fase Banhado Construído • • • • • • 70,5 a 81,7% para DQO 56,7 a 91,0% para DBO5 34,6 a 65,3% para NH3 60,0 a 83,1% para SST 42,9 a 46,7% para PO4-3. 75,5 a 99,7% de coliformes fecais
  • 26. Vista do Sistema Laminar O sistema integra-se ao paisagismo da construção permitindo a combinação de estética com tratamento de efluente de forma natural e inodoro.
  • 27. Terceira fase :Jardim Vertical A água proveniente do sistema poderá ser utilizada para a rega de jardim vertical ou horizontal.
  • 29. Quarta Fase:Cisterna ou Infiltração O Efluente tratado remanescente poderá ser infiltrado no subsolo sem risco de contaminação do lençol freático.
  • 30. Cisterna de água chuva e reúso
  • 32. Manutenção Sistema de Reciclagem O Sistema Ecoesgoto Vermifiltro, ao contrário dos convencionais, não requer a retirada de lodo nem de limpeza periódica. Possui baixíssima manutenção é inodoro.
  • 34. Tendências Futuras • Descentralização da distribuição e tratamento de água; • Desregulamentação ( barreiras regulatórias) • Integração com Infraestrutura Verde.
  • 35. Obrigado! Eng. Agr. João Manuel Linck Feijó joao@ecotelhado.com.br