SlideShare uma empresa Scribd logo
Revoltas
Coloniais

Inconfidência Mineira
Você sabe por que dia 21 de abril
           é feriado?

           Uma dica: Está relacionado
           com a pessoa ao lado.

            Foi um dos representantes
            do movimento em favor da
            liberdade do país .


   Se você esqueceu, não tem problema,
   pois vamos aprender mais na aula de hoje!
Revoltas Coloniais
     Este é Joaquim José da Silva
     Xavier, mais conhecido como
     Tiradentes.
     Junto com outros militares e
     pensadores do século XVIII,
     lutou pela emancipação do
     país.
     O feriado diz respeito ao dia
     de sua morte, portanto um
     símbolo busca pela liberdade.
Revoltas Coloniais
Portanto na aula de hoje você vai
 aprender:
 Contexto   internacional do final do século
  XVIII;
 Causas da Revolta na capitania mineira;
 As características da Inconfidência Mineira;
 Consequências dessa revoltas para o país.
Revoltas Coloniais
      Desde o final do século XVII, diversos
acontecimentos originaram uma crise em Portugal,
entre eles:

A disputa com Holanda e Inglaterra no comércio de

especiarias;
A participação em guerras durante a União Ibérica;
A concorrência do açúcar brasileiro com o produzido
no Caribe.
Revoltas Coloniais
    Com o objetivo de restaurar sua
economia, Portugal reforça sua política
mercantilista através do Pacto Colonial.

     Na prática foi o aumento de impostos e
do controle do que era produzido na colônia.

     E junto dessa cobrança vinha a
repressão àqueles que se recusavam a pagar
ou não tinham o valor estipulado.
Revoltas Coloniais
      O Iluminismo exerceu seu papel nessas
revoltas. Essas ideias surgiram na França com
pensadores e economistas.

     Esse movimento defendia, entre outras
coisas, o respeito a liberdade individual, o livre
comércio e o controle do Estado pela sociedade.

       O Iluminismo chegou ao Brasil através dos
filhos dos grandes proprietários que estudavam fora
da capitania.
Revoltas Coloniais
     Como      vimos,      essas      ideias
correspondiam aos desejos de toda população
colonial.

     O Iluminismo ultrapassou o território
francês,atingindo as colônias do Novo Mundo,
fundamentando         as       revoltas    e
questionamentos ao Pacto Colonial.

    Podemos confirmar essa influência na
bandeira de Minas Gerais.
Revoltas Coloniais




 LIBERDADE AINDA QUE TARDIA
Revoltas Coloniais
     A Independência dos Estados Unidos, em 1783
mostrou ao mundo o poder econômico e político da
burguesia.

     Foi muito importante, pois é a primeira vez que
coloca-se em prática as ideias Iluministas.

     Foi a prova de que era possível romper com a
metrópole e sua intervenção.
Revoltas Coloniais

                                         Crise em
                                         Portugal

Revoltas    Inconfidência   Fatores    Iluminismo
Coloniais      Mineira      Externos

                                         Independência
                                       dos Estados Unidos
Revoltas Coloniais
     É hora de colocar em prática!


1. O que representou a Revolução
  Francesa    e   Independência    dos
  Estados Unidos para os revoltosos?
Revoltas Coloniais
Resposta:


1. Essas duas revoluções além da crítica,
  romperam com o Antigo Regime, com a
  política centralizadora e sociedade sem
  mobilidade.
  Foi um grande incentivo aos colonos do
  Brasil, que compartilhavam dos mesmos
  interesses.
Revoltas Coloniais
       É hora de colocar em prática!

2. Porque Portugal intensificou a política
  a mercantilista no Brasil?
Revoltas Coloniais
Resposta:



2. Portugal enfrentava uma crise
  econômica e para sanar essa questão,
  recorreu a colônia para através o
  aumento de impostos, recuperar-se
  financeiramente.
Revoltas Coloniais
  A situação da colônia
também foi decisiva para
o     aparecimento     de
  revoltas,   como      a
  cobrança de impostos,
  política mercantilista,
  crise no setor de
  açúcar e
exploração de ouro.
                            EXPLORAÇÃO DE OURO
Revoltas Coloniais
                                        Crise em Portugal


                            Fatores        Iluminismo
                            Externos
                                           Independência
                                         dos Estados Unidos

Revoltas    Inconfidência                 Revolução Francesa
Coloniais      Mineira

                                        Cobrança de impostos


                                        Mercantilismo
                             Fatores
                             Internos
                                        Crise no setor no ouro
Revoltas Coloniais
    O Brasil sentiu esses acontecimentos
internacionais, e somados às questões internas
originou revoltas

   Esse     movimento     é       de     caráter
emancipacionistas, ou seja,        focados na
independência da colônia.

   É a primeira vez começa-se a falar em ruptura
com a metrópole.
Revoltas Coloniais
Inconfidência Mineira:

     O início da exploração do ouro na
capitania foi bastante próspera, muitas
pessoas saíram de outros locais para o novo
empreendimento da metrópole.

      A Coroa desde a descoberta do metal,
instituiu o imposto chamado “ Quinto”, o que
isso significava?
Revoltas Coloniais
     Um quinto do ouro extraído, ou seja, 20%
era destinado a Coroa portuguesa.

     Com o exploração contínua, ficou difícil
atender ao Quinto. A Metrópole estipula que a
o valor do imposto não poderia se inferior a
1.500 quilos do produto.
Revoltas Coloniais
     Aquela região que não correspondesse,
sofreria a derrama.

     A derrama era a cobrança pela repressão
aos que não pagavam o exigido.

    O cálculo era a diferença entre o imposto
pago e o devido. As casas seriam invadias e
bens confiscados pelo exército do rei.
Revoltas Coloniais
      A insatisfação do tributo, o declínio da
exploração do ouro, a proibição de manufaturas, a
crescente dívida com a Coroa e as constantes
ameaças levaram a elite e pensadores a organizarem
o movimento contra política metropolitana.

     Nesse instante que identificamos a influência
dos ideais Iluministas e da Independência dos
Estados Unidos, questionando a arbitrariedade da
metrópole.
Revoltas Coloniais
                                            Crise em Portugal

                            Fatores
                            Externos        Iluminismo


                                             Independência dos Estados Unidos


                                               Revolução Francesa


Revoltas    Inconfidência                                                      Cobrança
Coloniais      Mineira                                                         do Quinto
                                       Cobrança de impostos
                                                                               Dívida com
                                                                                a Coroa
                            Fatores
                            Internos                            Proibição de
                                        Mercantilismo           manufaturas



                                       Declínio do         Derrama
                                         ouro
Revoltas Coloniais
        Os objetivos dos inconfidentes eram:

 Constituir uma república;
 Transferência da capital para São João Del-Rei;
 Aumentar o valor do ouro;
 Desenvolvimento das indústrias;
 Criação de universidade em Vila Rica.

Sobre a escravidão não tinham posicionamento.
Revoltas Coloniais
                                         LEITURA DA SENTENÇA




        O movimento fracassou por falta de armamento,
ausência da população, pois foi idealizado pela elite
insatisfeita, e traição e um inconfidente em troca do perdão da
Coroa.
        Os revoltosos foram identificados, presos, exilados ou
mortos.
Revoltas Coloniais




Você sabe por que a Praça Tiradentes, no centro do Rio, tem esse nome?
Revoltas Coloniais
     Este foi o local que Tiradentes foi
enforcado e esquartejado; seu corpo foi
espalhado pelo caminho até Minas Gerais, e
sua cabeça exposta em praça pública.

       Antes se chamava Lampadosa, mas em
1890, com o centenário de sua morte, o nome
foi alterado.
Revoltas Coloniais

  Mesmo sem sucesso, a Inconfidência
  Mineira
foi um movimento extremamente importante
  para a história do Brasil.

 Suas contestações não acabaram com a
 morte de seus líderes, sendo o exemplo de
 luta pela liberdade e símbolo da resistência.
Revoltas Coloniais
           É hora de colocar em prática!

1. (Mackenzie-SP) A situação política e econômica,
  responsável pelo aparecimento da Inconfidência
  Mineira, pode ser descrita como:
a)Enfraquecimento do fisco, que diante da crise na
  mineração, abrandava cobrança de impostos.
b) Apogeu do ciclo do ouro, enriquecimento da
  sociedade mineira e rejeição das elites às ideias
  francesas.
c) Fase de declínio da mineração, crescimento da
  opressão metropolitana e influência das ideias
  Iluministas.
Revoltas Coloniais


d) Movimento liderado pelas elites empobrecidas,
  extremamente organizado militarmente e voltado
  para a solução dos problemas das camadas pobres
  da população.

e) Revolta das camadas populares oprimidas, sem
  influência filosófica externa.
Revoltas Coloniais
                    Resposta:

1. (Mackenzie-SP) A situação política e econômica,
  responsável pelo aparecimento da Inconfidência
  Mineira, pode ser descrita como:

a)Enfraquecimento do fisco, que diante da crise na
  mineração, abrandava cobrança de impostos.

b) Apogeu do ciclo do ouro, enriquecimento da
  sociedade mineira e rejeição das elites às ideias
  francesas.
Revoltas Coloniais

c) Fase de declínio da mineração, crescimento da
  opressão metropolitana e influência das ideias
  iluministas.

d) Movimento liderado pelas elites empobrecidas,
  extremamente organizado militarmente e voltado
  para a solução dos problemas das camadas pobres
  da população.

e) Revolta das camadas populares oprimidas, sem
  influência filosófica externa.
Revoltas Coloniais
2.(FUVEST) A Inconfidência Mineira foi um episódio
   marcado:

a) pela influência dos acontecimentos de julho de 1789,
   Tomada da Bastilha.
b) pela atitude anti-escravista, consensual entre seus
   participantes.
c) pelo intuito de acabar com o predomínio da companhia
   de comércio do Brasil.
d) pelas ideias Iluministas e pela independência dos
   Estados Unidos.
Revoltas Coloniais
                        Resposta
2.(FUVEST) A Inconfidência Mineira foi um episódio
   marcado:


a) pela influência dos acontecimentos de julho de 1789,
   Tomada da Bastilha.
b) pela atitude anti-escravista, consensual entre seus
   participantes.
c) pelo intuito de acabar com o predomínio da
   companhia de comércio do Brasil.
d) pelas ideias Iluministas e pela independência dos
   Estados Unidos.
Revoltas Coloniais
3.(PUC – MG – 1998) A execução de Tiradentes, em 21 de
   abril de 1792, teve um sentido mais amplo que o de um
   enforcamento. Para a Coroa Portuguesa tratava-se:

a) de exterminar um alferes de cavalaria, para impor respeito
   às tropas militares.
b) de sacrificar uma vida humana, para manter a estrutura do
   sólido sistema colonial.
c) de um castigo de morte nunca antes decretado nos
   domínios coloniais no Brasil.
d) de matar um homem simples e rude e criar um herói para
   o povo.
e) de um castigo exemplar, para impor o medo àqueles que
   cometessem um crime de lesa-majestade.
Revoltas Coloniais
                      Resposta
3.(PUC – MG – 1998) A execução de Tiradentes, em 21 de
   abril de 1792, teve um sentido mais amplo que o de
   um enforcamento. Para a Coroa Portuguesa tratava-se:

a) de exterminar um alferes de cavalaria, para impor respeito
   às tropas militares.
b) de sacrificar uma vida humana, para manter a estrutura do
   sólido sistema colonial.
c) de um castigo de nunca antes decretado nos domínios
   coloniais no Brasil.
d) de matar um homem simples e rude e criar um herói para
   o povo.
e) de um castigo exemplar, para impor o medo àqueles que
   cometessem um crime de lesa-majestade.
Revoltas Coloniais
4. Marque (V) verdadeiro ou (F) Falso e justifique sua
    resposta.

( ) A Inconfidência Mineira estava diretamente vinculada ao
    declínio da mineração, no momento em que não foi
    pago os impostos a Coroa, Portugal decreta a Derrama.

(   ) O único movimento que incentivou as revoltas
    emancipacionistas foi a Revolução Francesa.
Revoltas Coloniais
                    Respostas:
4. V

  F – Além da Revolução Francesa, a Independência dos
  Estados Unidos contribuíram para a revolta.
Bibliografia:

KOSHIBA ,Luiz ; MANZI, Denise F. Pereira.
História Geral e Brasil . Ed. Atual, 2004.


 PAZZINATO ,Alceu L. ; SENISE, Maria
Helena.  História      Moderna     e
Contemporânea.Ed. Ática

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Manifestações contra a metrópole revoltas nativistas
Manifestações contra a metrópole revoltas nativistasManifestações contra a metrópole revoltas nativistas
Manifestações contra a metrópole revoltas nativistas
Ócio do Ofício
 
175 abcdefghi brasil colonial 1750 1801 crise na produção aurifera e do siste...
175 abcdefghi brasil colonial 1750 1801 crise na produção aurifera e do siste...175 abcdefghi brasil colonial 1750 1801 crise na produção aurifera e do siste...
175 abcdefghi brasil colonial 1750 1801 crise na produção aurifera e do siste...
cristianoperinpissolato
 
Inconfidência mineira
Inconfidência mineiraInconfidência mineira
Inconfidência mineira
DCRDANYLA
 
Mercantilismo
MercantilismoMercantilismo
Mercantilismo
cattonia
 
A Inconfidência Mineira
A Inconfidência MineiraA Inconfidência Mineira
A Inconfidência Mineira
Sylvio Bazote
 
Movimentos nativistas e de libertação – inconfidência mineira/Estude para o E...
Movimentos nativistas e de libertação – inconfidência mineira/Estude para o E...Movimentos nativistas e de libertação – inconfidência mineira/Estude para o E...
Movimentos nativistas e de libertação – inconfidência mineira/Estude para o E...
Joemille Leal
 
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Idependência do Brasil
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Idependência do Brasilwww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Idependência do Brasil
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Idependência do Brasil
AulasDeHistoriaApoio
 
Conjuração Mineira
Conjuração MineiraConjuração Mineira
Conjuração Mineira
Renan Rodrigues
 
Incofidencia mineira e baiana
Incofidencia mineira e baianaIncofidencia mineira e baiana
Incofidencia mineira e baiana
Fatima Freitas
 
4 03 triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii
4 03 triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii4 03 triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii
4 03 triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii
Vítor Santos
 
Inconfidência mineira
Inconfidência mineiraInconfidência mineira
Inconfidência mineira
Pitágoras
 
3ano 2bi historia_pe1
3ano 2bi historia_pe13ano 2bi historia_pe1
3ano 2bi historia_pe1
takahico
 
Unidade 5 da_revolução_agrivcola_à_revolução_industrial
Unidade 5 da_revolução_agrivcola_à_revolução_industrialUnidade 5 da_revolução_agrivcola_à_revolução_industrial
Unidade 5 da_revolução_agrivcola_à_revolução_industrial
Vítor Santos
 
Inconfidência mineira e independência do brasil
Inconfidência mineira e independência do brasilInconfidência mineira e independência do brasil
Inconfidência mineira e independência do brasil
Jefferson Barroso
 
Brasil Colônia IV
Brasil Colônia IVBrasil Colônia IV
Brasil Colônia IV
José Augusto Fiorin
 
Idependência do brasil
Idependência do brasilIdependência do brasil
Idependência do brasil
Lúcia Santana
 
4 03 15_16triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii
4 03 15_16triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii4 03 15_16triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii
4 03 15_16triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii
Vítor Santos
 
3. hesitações do crescimento
3. hesitações do crescimento3. hesitações do crescimento
3. hesitações do crescimento
cattonia
 
5 02 a revolucao francesa.pptx
5 02 a revolucao francesa.pptx5 02 a revolucao francesa.pptx
5 02 a revolucao francesa.pptx
Vítor Santos
 

Mais procurados (19)

Manifestações contra a metrópole revoltas nativistas
Manifestações contra a metrópole revoltas nativistasManifestações contra a metrópole revoltas nativistas
Manifestações contra a metrópole revoltas nativistas
 
175 abcdefghi brasil colonial 1750 1801 crise na produção aurifera e do siste...
175 abcdefghi brasil colonial 1750 1801 crise na produção aurifera e do siste...175 abcdefghi brasil colonial 1750 1801 crise na produção aurifera e do siste...
175 abcdefghi brasil colonial 1750 1801 crise na produção aurifera e do siste...
 
Inconfidência mineira
Inconfidência mineiraInconfidência mineira
Inconfidência mineira
 
Mercantilismo
MercantilismoMercantilismo
Mercantilismo
 
A Inconfidência Mineira
A Inconfidência MineiraA Inconfidência Mineira
A Inconfidência Mineira
 
Movimentos nativistas e de libertação – inconfidência mineira/Estude para o E...
Movimentos nativistas e de libertação – inconfidência mineira/Estude para o E...Movimentos nativistas e de libertação – inconfidência mineira/Estude para o E...
Movimentos nativistas e de libertação – inconfidência mineira/Estude para o E...
 
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Idependência do Brasil
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Idependência do Brasilwww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Idependência do Brasil
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Idependência do Brasil
 
Conjuração Mineira
Conjuração MineiraConjuração Mineira
Conjuração Mineira
 
Incofidencia mineira e baiana
Incofidencia mineira e baianaIncofidencia mineira e baiana
Incofidencia mineira e baiana
 
4 03 triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii
4 03 triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii4 03 triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii
4 03 triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii
 
Inconfidência mineira
Inconfidência mineiraInconfidência mineira
Inconfidência mineira
 
3ano 2bi historia_pe1
3ano 2bi historia_pe13ano 2bi historia_pe1
3ano 2bi historia_pe1
 
Unidade 5 da_revolução_agrivcola_à_revolução_industrial
Unidade 5 da_revolução_agrivcola_à_revolução_industrialUnidade 5 da_revolução_agrivcola_à_revolução_industrial
Unidade 5 da_revolução_agrivcola_à_revolução_industrial
 
Inconfidência mineira e independência do brasil
Inconfidência mineira e independência do brasilInconfidência mineira e independência do brasil
Inconfidência mineira e independência do brasil
 
Brasil Colônia IV
Brasil Colônia IVBrasil Colônia IV
Brasil Colônia IV
 
Idependência do brasil
Idependência do brasilIdependência do brasil
Idependência do brasil
 
4 03 15_16triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii
4 03 15_16triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii4 03 15_16triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii
4 03 15_16triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii
 
3. hesitações do crescimento
3. hesitações do crescimento3. hesitações do crescimento
3. hesitações do crescimento
 
5 02 a revolucao francesa.pptx
5 02 a revolucao francesa.pptx5 02 a revolucao francesa.pptx
5 02 a revolucao francesa.pptx
 

Destaque

Brasil das conjuracoes a independencia
  Brasil das conjuracoes a independencia  Brasil das conjuracoes a independencia
Brasil das conjuracoes a independencia
Marcia Fernandes
 
Brasil colonia revoltas colonias
Brasil colonia   revoltas coloniasBrasil colonia   revoltas colonias
Brasil colonia revoltas colonias
lucasdanielviei
 
Segunda revolução industrial
Segunda revolução industrialSegunda revolução industrial
Segunda revolução industrial
Denis Gasco
 
Revoltas coloniais e independência do brasil
Revoltas coloniais e independência do brasilRevoltas coloniais e independência do brasil
Revoltas coloniais e independência do brasil
Fatima Freitas
 
Guerras, revoltas e revoluções brasileiras
Guerras, revoltas e revoluções brasileirasGuerras, revoltas e revoluções brasileiras
Guerras, revoltas e revoluções brasileiras
Rafael Ávila
 
Motins, sedições e resistência escrava
Motins, sedições e resistência escravaMotins, sedições e resistência escrava
Motins, sedições e resistência escrava
Edenilson Morais
 
Revoltas nativistas 97 2003
Revoltas nativistas 97 2003Revoltas nativistas 97 2003
Revoltas nativistas 97 2003
ProfessoraTalitaBarreto
 
Slide revoluçao tecnologica
Slide revoluçao tecnologicaSlide revoluçao tecnologica
Slide revoluçao tecnologica
estudosacademicospedag
 
Revoltas nativistas no brasil colonial
Revoltas nativistas no brasil colonialRevoltas nativistas no brasil colonial
Revoltas nativistas no brasil colonial
Nivaldo Francisco Neves
 
Brasil: Revoltas, Lutas e Conquistas - Prof. Medeiros 2015
Brasil: Revoltas, Lutas e Conquistas - Prof. Medeiros 2015Brasil: Revoltas, Lutas e Conquistas - Prof. Medeiros 2015
Brasil: Revoltas, Lutas e Conquistas - Prof. Medeiros 2015
João Medeiros
 
A Terceira Revolução Industrial. Robotization, 3D Printing and Social Manufa...
A Terceira Revolução Industrial. Robotization, 3D Printing  and Social Manufa...A Terceira Revolução Industrial. Robotization, 3D Printing  and Social Manufa...
A Terceira Revolução Industrial. Robotization, 3D Printing and Social Manufa...
matheusmutta
 
Revoltas do Brasil Colônia
Revoltas do Brasil ColôniaRevoltas do Brasil Colônia
Revoltas do Brasil Colônia
Luizelene Moreira
 
Revoltas no brasil colonial
Revoltas no brasil colonialRevoltas no brasil colonial
Revoltas no brasil colonial
seixasmarianas
 
A revolução técnico científica
A revolução técnico científicaA revolução técnico científica
A revolução técnico científica
Charlles Moreira
 
AS TRANSFORMAÇÕES TÉCNICO-CIENTÍFICAS, ECONÔMICAS E POLÍTICAS
AS TRANSFORMAÇÕES TÉCNICO-CIENTÍFICAS, ECONÔMICAS E POLÍTICAS AS TRANSFORMAÇÕES TÉCNICO-CIENTÍFICAS, ECONÔMICAS E POLÍTICAS
AS TRANSFORMAÇÕES TÉCNICO-CIENTÍFICAS, ECONÔMICAS E POLÍTICAS
Julhinha Camara
 
Revolução industrial 3
Revolução industrial 3Revolução industrial 3
Revolução industrial 3
Tamara Silva
 
Revoltas Nativistas e Emancipacionistas
Revoltas Nativistas e EmancipacionistasRevoltas Nativistas e Emancipacionistas
Revoltas Nativistas e Emancipacionistas
Valéria Shoujofan
 
evolução da tecnologia
evolução da tecnologiaevolução da tecnologia
evolução da tecnologia
Lucas Valerio
 
Brasil - Revoltas Coloniais
Brasil - Revoltas ColoniaisBrasil - Revoltas Coloniais
Brasil - Revoltas Coloniais
carlosbidu
 
História do Brasil: Ditadura Militar (1964-1985). Prof. Medeiros
História do Brasil: Ditadura Militar (1964-1985). Prof. MedeirosHistória do Brasil: Ditadura Militar (1964-1985). Prof. Medeiros
História do Brasil: Ditadura Militar (1964-1985). Prof. Medeiros
João Medeiros
 

Destaque (20)

Brasil das conjuracoes a independencia
  Brasil das conjuracoes a independencia  Brasil das conjuracoes a independencia
Brasil das conjuracoes a independencia
 
Brasil colonia revoltas colonias
Brasil colonia   revoltas coloniasBrasil colonia   revoltas colonias
Brasil colonia revoltas colonias
 
Segunda revolução industrial
Segunda revolução industrialSegunda revolução industrial
Segunda revolução industrial
 
Revoltas coloniais e independência do brasil
Revoltas coloniais e independência do brasilRevoltas coloniais e independência do brasil
Revoltas coloniais e independência do brasil
 
Guerras, revoltas e revoluções brasileiras
Guerras, revoltas e revoluções brasileirasGuerras, revoltas e revoluções brasileiras
Guerras, revoltas e revoluções brasileiras
 
Motins, sedições e resistência escrava
Motins, sedições e resistência escravaMotins, sedições e resistência escrava
Motins, sedições e resistência escrava
 
Revoltas nativistas 97 2003
Revoltas nativistas 97 2003Revoltas nativistas 97 2003
Revoltas nativistas 97 2003
 
Slide revoluçao tecnologica
Slide revoluçao tecnologicaSlide revoluçao tecnologica
Slide revoluçao tecnologica
 
Revoltas nativistas no brasil colonial
Revoltas nativistas no brasil colonialRevoltas nativistas no brasil colonial
Revoltas nativistas no brasil colonial
 
Brasil: Revoltas, Lutas e Conquistas - Prof. Medeiros 2015
Brasil: Revoltas, Lutas e Conquistas - Prof. Medeiros 2015Brasil: Revoltas, Lutas e Conquistas - Prof. Medeiros 2015
Brasil: Revoltas, Lutas e Conquistas - Prof. Medeiros 2015
 
A Terceira Revolução Industrial. Robotization, 3D Printing and Social Manufa...
A Terceira Revolução Industrial. Robotization, 3D Printing  and Social Manufa...A Terceira Revolução Industrial. Robotization, 3D Printing  and Social Manufa...
A Terceira Revolução Industrial. Robotization, 3D Printing and Social Manufa...
 
Revoltas do Brasil Colônia
Revoltas do Brasil ColôniaRevoltas do Brasil Colônia
Revoltas do Brasil Colônia
 
Revoltas no brasil colonial
Revoltas no brasil colonialRevoltas no brasil colonial
Revoltas no brasil colonial
 
A revolução técnico científica
A revolução técnico científicaA revolução técnico científica
A revolução técnico científica
 
AS TRANSFORMAÇÕES TÉCNICO-CIENTÍFICAS, ECONÔMICAS E POLÍTICAS
AS TRANSFORMAÇÕES TÉCNICO-CIENTÍFICAS, ECONÔMICAS E POLÍTICAS AS TRANSFORMAÇÕES TÉCNICO-CIENTÍFICAS, ECONÔMICAS E POLÍTICAS
AS TRANSFORMAÇÕES TÉCNICO-CIENTÍFICAS, ECONÔMICAS E POLÍTICAS
 
Revolução industrial 3
Revolução industrial 3Revolução industrial 3
Revolução industrial 3
 
Revoltas Nativistas e Emancipacionistas
Revoltas Nativistas e EmancipacionistasRevoltas Nativistas e Emancipacionistas
Revoltas Nativistas e Emancipacionistas
 
evolução da tecnologia
evolução da tecnologiaevolução da tecnologia
evolução da tecnologia
 
Brasil - Revoltas Coloniais
Brasil - Revoltas ColoniaisBrasil - Revoltas Coloniais
Brasil - Revoltas Coloniais
 
História do Brasil: Ditadura Militar (1964-1985). Prof. Medeiros
História do Brasil: Ditadura Militar (1964-1985). Prof. MedeirosHistória do Brasil: Ditadura Militar (1964-1985). Prof. Medeiros
História do Brasil: Ditadura Militar (1964-1985). Prof. Medeiros
 

Semelhante a www.acompanhamentoescolar.net.br - História - Revoltas Coloniais

www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Revoltas Coloniais
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Revoltas Coloniaiswww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Revoltas Coloniais
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Revoltas Coloniais
AulasDeHistoriaApoio
 
Independência do Brasil
 Independência do Brasil Independência do Brasil
Independência do Brasil
Lyzaa Martha
 
Independencias
IndependenciasIndependencias
Independencias
dinicmax
 
Brasil surge um país
Brasil   surge um paísBrasil   surge um país
Brasil surge um país
Lídia Barreto
 
Independência do brasil
Independência do brasilIndependência do brasil
Independência do brasil
Marilia Pimentel
 
O BRASIL E A CRISE DO ANTIGO SISTEMA COLONIAL.pptx
O BRASIL E A CRISE DO ANTIGO SISTEMA COLONIAL.pptxO BRASIL E A CRISE DO ANTIGO SISTEMA COLONIAL.pptx
O BRASIL E A CRISE DO ANTIGO SISTEMA COLONIAL.pptx
ClaudiaMeneses17
 
33 e 34 - Conjuração Mineira e Baiana.pptx
33 e 34 - Conjuração Mineira e Baiana.pptx33 e 34 - Conjuração Mineira e Baiana.pptx
33 e 34 - Conjuração Mineira e Baiana.pptx
ALESSANDRAMARZOLLACA
 
Periodopombalinoecrisecolonial 170308154359
Periodopombalinoecrisecolonial 170308154359Periodopombalinoecrisecolonial 170308154359
Periodopombalinoecrisecolonial 170308154359
lilian123438
 
www.AulasParticularesApoio.Com - História - Independência do Brasil
www.AulasParticularesApoio.Com - História -  Independência do Brasilwww.AulasParticularesApoio.Com - História -  Independência do Brasil
www.AulasParticularesApoio.Com - História - Independência do Brasil
ApoioAulas ParticularesCom
 
www.explicadoraescolar.com.br - História - Independência do Brasil
www.explicadoraescolar.com.br - História -  Independência do Brasilwww.explicadoraescolar.com.br - História -  Independência do Brasil
www.explicadoraescolar.com.br - História - Independência do Brasil
Márcia De Bianci
 
www.videoaulagratisapoio.com.br - História - Independência do Brasil
www.videoaulagratisapoio.com.br - História -  Independência do Brasilwww.videoaulagratisapoio.com.br - História -  Independência do Brasil
www.videoaulagratisapoio.com.br - História - Independência do Brasil
Video Aulas Apoio
 
Movimentos Nativistas x Movimentos Emancipacionistas
Movimentos Nativistas x Movimentos EmancipacionistasMovimentos Nativistas x Movimentos Emancipacionistas
Movimentos Nativistas x Movimentos Emancipacionistas
Clara Mendes
 
A inconfidência mineira
A inconfidência mineiraA inconfidência mineira
A inconfidência mineira
Francisco Santos
 
Brasil Colonial Conjurações.ppt
Brasil Colonial Conjurações.pptBrasil Colonial Conjurações.ppt
Brasil Colonial Conjurações.ppt
Alex Fonte
 
Sa ce 2o's anos tx t cmplt (crise do a s c regência) 2a 3aetp's 2011
Sa  ce 2o's anos tx t cmplt (crise do a s c  regência) 2a  3aetp's 2011Sa  ce 2o's anos tx t cmplt (crise do a s c  regência) 2a  3aetp's 2011
Sa ce 2o's anos tx t cmplt (crise do a s c regência) 2a 3aetp's 2011
GabrielaMansur
 
Sa ce 2o's anos tx t cmplt (crise do a s c regência) 2a 3aetp's 2011
Sa  ce 2o's anos tx t cmplt (crise do a s c  regência) 2a  3aetp's 2011Sa  ce 2o's anos tx t cmplt (crise do a s c  regência) 2a  3aetp's 2011
Sa ce 2o's anos tx t cmplt (crise do a s c regência) 2a 3aetp's 2011
GabrielaMansur
 
Trabalho de historia
Trabalho de historiaTrabalho de historia
Trabalho de historia
Maira Alves
 
Brasil colonial
Brasil colonialBrasil colonial
Brasil colonial
Paulo Alexandre
 
Movimentoscoloniais
MovimentoscoloniaisMovimentoscoloniais
Movimentoscoloniais
Gean Bonatto
 
Roteiro de Aula - Da Crise do Sistema Colonial de Exploração à Proclamação da...
Roteiro de Aula - Da Crise do Sistema Colonial de Exploração à Proclamação da...Roteiro de Aula - Da Crise do Sistema Colonial de Exploração à Proclamação da...
Roteiro de Aula - Da Crise do Sistema Colonial de Exploração à Proclamação da...
josafaslima
 

Semelhante a www.acompanhamentoescolar.net.br - História - Revoltas Coloniais (20)

www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Revoltas Coloniais
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Revoltas Coloniaiswww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Revoltas Coloniais
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Revoltas Coloniais
 
Independência do Brasil
 Independência do Brasil Independência do Brasil
Independência do Brasil
 
Independencias
IndependenciasIndependencias
Independencias
 
Brasil surge um país
Brasil   surge um paísBrasil   surge um país
Brasil surge um país
 
Independência do brasil
Independência do brasilIndependência do brasil
Independência do brasil
 
O BRASIL E A CRISE DO ANTIGO SISTEMA COLONIAL.pptx
O BRASIL E A CRISE DO ANTIGO SISTEMA COLONIAL.pptxO BRASIL E A CRISE DO ANTIGO SISTEMA COLONIAL.pptx
O BRASIL E A CRISE DO ANTIGO SISTEMA COLONIAL.pptx
 
33 e 34 - Conjuração Mineira e Baiana.pptx
33 e 34 - Conjuração Mineira e Baiana.pptx33 e 34 - Conjuração Mineira e Baiana.pptx
33 e 34 - Conjuração Mineira e Baiana.pptx
 
Periodopombalinoecrisecolonial 170308154359
Periodopombalinoecrisecolonial 170308154359Periodopombalinoecrisecolonial 170308154359
Periodopombalinoecrisecolonial 170308154359
 
www.AulasParticularesApoio.Com - História - Independência do Brasil
www.AulasParticularesApoio.Com - História -  Independência do Brasilwww.AulasParticularesApoio.Com - História -  Independência do Brasil
www.AulasParticularesApoio.Com - História - Independência do Brasil
 
www.explicadoraescolar.com.br - História - Independência do Brasil
www.explicadoraescolar.com.br - História -  Independência do Brasilwww.explicadoraescolar.com.br - História -  Independência do Brasil
www.explicadoraescolar.com.br - História - Independência do Brasil
 
www.videoaulagratisapoio.com.br - História - Independência do Brasil
www.videoaulagratisapoio.com.br - História -  Independência do Brasilwww.videoaulagratisapoio.com.br - História -  Independência do Brasil
www.videoaulagratisapoio.com.br - História - Independência do Brasil
 
Movimentos Nativistas x Movimentos Emancipacionistas
Movimentos Nativistas x Movimentos EmancipacionistasMovimentos Nativistas x Movimentos Emancipacionistas
Movimentos Nativistas x Movimentos Emancipacionistas
 
A inconfidência mineira
A inconfidência mineiraA inconfidência mineira
A inconfidência mineira
 
Brasil Colonial Conjurações.ppt
Brasil Colonial Conjurações.pptBrasil Colonial Conjurações.ppt
Brasil Colonial Conjurações.ppt
 
Sa ce 2o's anos tx t cmplt (crise do a s c regência) 2a 3aetp's 2011
Sa  ce 2o's anos tx t cmplt (crise do a s c  regência) 2a  3aetp's 2011Sa  ce 2o's anos tx t cmplt (crise do a s c  regência) 2a  3aetp's 2011
Sa ce 2o's anos tx t cmplt (crise do a s c regência) 2a 3aetp's 2011
 
Sa ce 2o's anos tx t cmplt (crise do a s c regência) 2a 3aetp's 2011
Sa  ce 2o's anos tx t cmplt (crise do a s c  regência) 2a  3aetp's 2011Sa  ce 2o's anos tx t cmplt (crise do a s c  regência) 2a  3aetp's 2011
Sa ce 2o's anos tx t cmplt (crise do a s c regência) 2a 3aetp's 2011
 
Trabalho de historia
Trabalho de historiaTrabalho de historia
Trabalho de historia
 
Brasil colonial
Brasil colonialBrasil colonial
Brasil colonial
 
Movimentoscoloniais
MovimentoscoloniaisMovimentoscoloniais
Movimentoscoloniais
 
Roteiro de Aula - Da Crise do Sistema Colonial de Exploração à Proclamação da...
Roteiro de Aula - Da Crise do Sistema Colonial de Exploração à Proclamação da...Roteiro de Aula - Da Crise do Sistema Colonial de Exploração à Proclamação da...
Roteiro de Aula - Da Crise do Sistema Colonial de Exploração à Proclamação da...
 

Último

Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
ProfessoraSilmaraArg
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
helenawaya9
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
Manuais Formação
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
 
Festa dos Finalistas .
Festa dos Finalistas                    .Festa dos Finalistas                    .
Festa dos Finalistas .
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Elogio da Saudade .
Elogio da Saudade                          .Elogio da Saudade                          .
Elogio da Saudade .
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 

www.acompanhamentoescolar.net.br - História - Revoltas Coloniais

  • 2. Você sabe por que dia 21 de abril é feriado? Uma dica: Está relacionado com a pessoa ao lado. Foi um dos representantes do movimento em favor da liberdade do país . Se você esqueceu, não tem problema, pois vamos aprender mais na aula de hoje!
  • 3. Revoltas Coloniais Este é Joaquim José da Silva Xavier, mais conhecido como Tiradentes. Junto com outros militares e pensadores do século XVIII, lutou pela emancipação do país. O feriado diz respeito ao dia de sua morte, portanto um símbolo busca pela liberdade.
  • 4. Revoltas Coloniais Portanto na aula de hoje você vai aprender:  Contexto internacional do final do século XVIII;  Causas da Revolta na capitania mineira;  As características da Inconfidência Mineira;  Consequências dessa revoltas para o país.
  • 5. Revoltas Coloniais Desde o final do século XVII, diversos acontecimentos originaram uma crise em Portugal, entre eles: A disputa com Holanda e Inglaterra no comércio de especiarias; A participação em guerras durante a União Ibérica; A concorrência do açúcar brasileiro com o produzido no Caribe.
  • 6. Revoltas Coloniais Com o objetivo de restaurar sua economia, Portugal reforça sua política mercantilista através do Pacto Colonial. Na prática foi o aumento de impostos e do controle do que era produzido na colônia. E junto dessa cobrança vinha a repressão àqueles que se recusavam a pagar ou não tinham o valor estipulado.
  • 7. Revoltas Coloniais O Iluminismo exerceu seu papel nessas revoltas. Essas ideias surgiram na França com pensadores e economistas. Esse movimento defendia, entre outras coisas, o respeito a liberdade individual, o livre comércio e o controle do Estado pela sociedade. O Iluminismo chegou ao Brasil através dos filhos dos grandes proprietários que estudavam fora da capitania.
  • 8. Revoltas Coloniais Como vimos, essas ideias correspondiam aos desejos de toda população colonial. O Iluminismo ultrapassou o território francês,atingindo as colônias do Novo Mundo, fundamentando as revoltas e questionamentos ao Pacto Colonial. Podemos confirmar essa influência na bandeira de Minas Gerais.
  • 9. Revoltas Coloniais LIBERDADE AINDA QUE TARDIA
  • 10. Revoltas Coloniais A Independência dos Estados Unidos, em 1783 mostrou ao mundo o poder econômico e político da burguesia. Foi muito importante, pois é a primeira vez que coloca-se em prática as ideias Iluministas. Foi a prova de que era possível romper com a metrópole e sua intervenção.
  • 11. Revoltas Coloniais Crise em Portugal Revoltas Inconfidência Fatores Iluminismo Coloniais Mineira Externos Independência dos Estados Unidos
  • 12. Revoltas Coloniais É hora de colocar em prática! 1. O que representou a Revolução Francesa e Independência dos Estados Unidos para os revoltosos?
  • 13. Revoltas Coloniais Resposta: 1. Essas duas revoluções além da crítica, romperam com o Antigo Regime, com a política centralizadora e sociedade sem mobilidade. Foi um grande incentivo aos colonos do Brasil, que compartilhavam dos mesmos interesses.
  • 14. Revoltas Coloniais É hora de colocar em prática! 2. Porque Portugal intensificou a política a mercantilista no Brasil?
  • 15. Revoltas Coloniais Resposta: 2. Portugal enfrentava uma crise econômica e para sanar essa questão, recorreu a colônia para através o aumento de impostos, recuperar-se financeiramente.
  • 16. Revoltas Coloniais A situação da colônia também foi decisiva para o aparecimento de revoltas, como a cobrança de impostos, política mercantilista, crise no setor de açúcar e exploração de ouro. EXPLORAÇÃO DE OURO
  • 17. Revoltas Coloniais Crise em Portugal Fatores Iluminismo Externos Independência dos Estados Unidos Revoltas Inconfidência Revolução Francesa Coloniais Mineira Cobrança de impostos Mercantilismo Fatores Internos Crise no setor no ouro
  • 18. Revoltas Coloniais O Brasil sentiu esses acontecimentos internacionais, e somados às questões internas originou revoltas Esse movimento é de caráter emancipacionistas, ou seja, focados na independência da colônia. É a primeira vez começa-se a falar em ruptura com a metrópole.
  • 19. Revoltas Coloniais Inconfidência Mineira: O início da exploração do ouro na capitania foi bastante próspera, muitas pessoas saíram de outros locais para o novo empreendimento da metrópole. A Coroa desde a descoberta do metal, instituiu o imposto chamado “ Quinto”, o que isso significava?
  • 20. Revoltas Coloniais Um quinto do ouro extraído, ou seja, 20% era destinado a Coroa portuguesa. Com o exploração contínua, ficou difícil atender ao Quinto. A Metrópole estipula que a o valor do imposto não poderia se inferior a 1.500 quilos do produto.
  • 21. Revoltas Coloniais Aquela região que não correspondesse, sofreria a derrama. A derrama era a cobrança pela repressão aos que não pagavam o exigido. O cálculo era a diferença entre o imposto pago e o devido. As casas seriam invadias e bens confiscados pelo exército do rei.
  • 22. Revoltas Coloniais A insatisfação do tributo, o declínio da exploração do ouro, a proibição de manufaturas, a crescente dívida com a Coroa e as constantes ameaças levaram a elite e pensadores a organizarem o movimento contra política metropolitana. Nesse instante que identificamos a influência dos ideais Iluministas e da Independência dos Estados Unidos, questionando a arbitrariedade da metrópole.
  • 23. Revoltas Coloniais Crise em Portugal Fatores Externos Iluminismo Independência dos Estados Unidos Revolução Francesa Revoltas Inconfidência Cobrança Coloniais Mineira do Quinto Cobrança de impostos Dívida com a Coroa Fatores Internos Proibição de Mercantilismo manufaturas Declínio do Derrama ouro
  • 24. Revoltas Coloniais Os objetivos dos inconfidentes eram:  Constituir uma república;  Transferência da capital para São João Del-Rei;  Aumentar o valor do ouro;  Desenvolvimento das indústrias;  Criação de universidade em Vila Rica. Sobre a escravidão não tinham posicionamento.
  • 25. Revoltas Coloniais LEITURA DA SENTENÇA O movimento fracassou por falta de armamento, ausência da população, pois foi idealizado pela elite insatisfeita, e traição e um inconfidente em troca do perdão da Coroa. Os revoltosos foram identificados, presos, exilados ou mortos.
  • 26. Revoltas Coloniais Você sabe por que a Praça Tiradentes, no centro do Rio, tem esse nome?
  • 27. Revoltas Coloniais Este foi o local que Tiradentes foi enforcado e esquartejado; seu corpo foi espalhado pelo caminho até Minas Gerais, e sua cabeça exposta em praça pública. Antes se chamava Lampadosa, mas em 1890, com o centenário de sua morte, o nome foi alterado.
  • 28. Revoltas Coloniais Mesmo sem sucesso, a Inconfidência Mineira foi um movimento extremamente importante para a história do Brasil. Suas contestações não acabaram com a morte de seus líderes, sendo o exemplo de luta pela liberdade e símbolo da resistência.
  • 29. Revoltas Coloniais É hora de colocar em prática! 1. (Mackenzie-SP) A situação política e econômica, responsável pelo aparecimento da Inconfidência Mineira, pode ser descrita como: a)Enfraquecimento do fisco, que diante da crise na mineração, abrandava cobrança de impostos. b) Apogeu do ciclo do ouro, enriquecimento da sociedade mineira e rejeição das elites às ideias francesas. c) Fase de declínio da mineração, crescimento da opressão metropolitana e influência das ideias Iluministas.
  • 30. Revoltas Coloniais d) Movimento liderado pelas elites empobrecidas, extremamente organizado militarmente e voltado para a solução dos problemas das camadas pobres da população. e) Revolta das camadas populares oprimidas, sem influência filosófica externa.
  • 31. Revoltas Coloniais Resposta: 1. (Mackenzie-SP) A situação política e econômica, responsável pelo aparecimento da Inconfidência Mineira, pode ser descrita como: a)Enfraquecimento do fisco, que diante da crise na mineração, abrandava cobrança de impostos. b) Apogeu do ciclo do ouro, enriquecimento da sociedade mineira e rejeição das elites às ideias francesas.
  • 32. Revoltas Coloniais c) Fase de declínio da mineração, crescimento da opressão metropolitana e influência das ideias iluministas. d) Movimento liderado pelas elites empobrecidas, extremamente organizado militarmente e voltado para a solução dos problemas das camadas pobres da população. e) Revolta das camadas populares oprimidas, sem influência filosófica externa.
  • 33. Revoltas Coloniais 2.(FUVEST) A Inconfidência Mineira foi um episódio marcado: a) pela influência dos acontecimentos de julho de 1789, Tomada da Bastilha. b) pela atitude anti-escravista, consensual entre seus participantes. c) pelo intuito de acabar com o predomínio da companhia de comércio do Brasil. d) pelas ideias Iluministas e pela independência dos Estados Unidos.
  • 34. Revoltas Coloniais Resposta 2.(FUVEST) A Inconfidência Mineira foi um episódio marcado: a) pela influência dos acontecimentos de julho de 1789, Tomada da Bastilha. b) pela atitude anti-escravista, consensual entre seus participantes. c) pelo intuito de acabar com o predomínio da companhia de comércio do Brasil. d) pelas ideias Iluministas e pela independência dos Estados Unidos.
  • 35. Revoltas Coloniais 3.(PUC – MG – 1998) A execução de Tiradentes, em 21 de abril de 1792, teve um sentido mais amplo que o de um enforcamento. Para a Coroa Portuguesa tratava-se: a) de exterminar um alferes de cavalaria, para impor respeito às tropas militares. b) de sacrificar uma vida humana, para manter a estrutura do sólido sistema colonial. c) de um castigo de morte nunca antes decretado nos domínios coloniais no Brasil. d) de matar um homem simples e rude e criar um herói para o povo. e) de um castigo exemplar, para impor o medo àqueles que cometessem um crime de lesa-majestade.
  • 36. Revoltas Coloniais Resposta 3.(PUC – MG – 1998) A execução de Tiradentes, em 21 de abril de 1792, teve um sentido mais amplo que o de um enforcamento. Para a Coroa Portuguesa tratava-se: a) de exterminar um alferes de cavalaria, para impor respeito às tropas militares. b) de sacrificar uma vida humana, para manter a estrutura do sólido sistema colonial. c) de um castigo de nunca antes decretado nos domínios coloniais no Brasil. d) de matar um homem simples e rude e criar um herói para o povo. e) de um castigo exemplar, para impor o medo àqueles que cometessem um crime de lesa-majestade.
  • 37. Revoltas Coloniais 4. Marque (V) verdadeiro ou (F) Falso e justifique sua resposta. ( ) A Inconfidência Mineira estava diretamente vinculada ao declínio da mineração, no momento em que não foi pago os impostos a Coroa, Portugal decreta a Derrama. ( ) O único movimento que incentivou as revoltas emancipacionistas foi a Revolução Francesa.
  • 38. Revoltas Coloniais Respostas: 4. V F – Além da Revolução Francesa, a Independência dos Estados Unidos contribuíram para a revolta.
  • 39. Bibliografia: KOSHIBA ,Luiz ; MANZI, Denise F. Pereira. História Geral e Brasil . Ed. Atual, 2004. PAZZINATO ,Alceu L. ; SENISE, Maria Helena. História Moderna e Contemporânea.Ed. Ática