SlideShare uma empresa Scribd logo
PROJETO DE VIDA /
EMPREENDEDORISMO
PROFESSORES: VANISE / TATIANA / JEFFERSON
1º ano
CONCEITO DE RESPONSABILIDADE SOCIAL
O termo “responsabilidade social” é bastante amplo e engloba uma
diversidade de ações e posturas em relação aos diversos públicos que
mantém contato com a empresa ou instituição.
❏ Deve-se implementar ações para proteger o meio ambiente, respeitar
a legislação trabalhista, promover igualdade social, disseminar cultura
e não apenas fazer caridade ou ser assistencialista (voluntariado).
❏ Ideias e projetos devem estar coerentes com a prática. Não basta
incluir o assunto numa pauta de reunião ou nas páginas de um
projeto mas transformar a intenção em atitudes concretas e bem
estruturadas.
O QUE É FILANTROPIA?
É o ato de realizar doações de dinheiro, bens ou trabalho em prol
de uma causa. O termo vem do Grego; filos significa amor e tropos
significa Homem. Portanto, trata-se de uma ação movida pelo "amor à
Humanidade".
❏ O contrário de Filantropia é Misantropia.
❏ Misantropia: 1. Ódio pela humanidade.
2. Falta de sociabilidade.
QUAL A DIFERENÇA ENTRE FILANTROPIA E
RESPONSABILIDADE SOCIAL?
❏ A responsabilidade social refere-se a entender o papel da empresa no
contexto mais amplo da sociedade e lidar com as consequências de
sua própria ação. Por exemplo, é responsabilidade social avaliar o
impacto das atividades da empresa na geração de renda da
comunidade ao seu entorno.
❏ Fazer filantropia é mais fácil do que refletir e agir com
responsabilidade social pois, responsabilidade social inclui refletir
sobre gestão, práticas, processos, projetos etc.
O QUE É ENTIDADE FILANTRÓPICA?
❏ A maneira encontrada por muitos para realizar a filantropia é
instituindo uma entidade filantrópica. Essas entidades são pessoas
jurídicas de direito privado sem fins lucrativos, cujo objetivo é prestar
assistência social. Elas podem ser isentas de tributação.
❏ É importante destacar que, enquanto toda entidade filantrópica é uma
ONG, nem toda ONG é uma entidade filantrópica.
❏ Outro fato importante é que as entidades filantrópicas podem realizar
atividades que gerem receita (dinheiro). Porém, essa receita não pode
ser embolsada pelas pessoas por trás da entidade. Em vez disso, deve
ser reinvestida para manutenção da entidade e revertida para suas
atividades.
FILANTROPIA EMPRESARIAL
Falamos em filantropia empresarial, ou filantropia corporativa,
quando uma empresa toma a iniciativa de realizar contribuições para
uma causa.
❏ É importante lembrar que essa contribuição não precisa ser,
necessariamente, na forma material; em alguns casos, as
empresas formam grupos de colaboradores que dedicam tempo
para apoiar uma entidade filantrópica ou realizar ações
independentes junto à comunidade.
❏ SENAC: Turma do curso Cabeleireiro promove ação social em entidade filantrópica.
O QUE SÃO ONGS?
❏ ONG é a sigla para Organização Não-Governamental.
❏ São todas as organizações, sem fins lucrativos, criadas por pessoas
que trabalham voluntariamente em defesa de uma causa, seja ela,
proteção do meio ambiente, defesa dos direitos humanos,
erradicação do trabalho infantil etc.
❏ A expressão “Organização não Governamental” foi empregada
pela primeira vez no ano de 1950, pela ONU (Organização das
Nações Unidas), para fazer referência às organizações civis que
não tinham nenhum vínculo com o governo.
EXEMPLO: ONG GREENPEACE
❏ O Greenpeace é "uma organização não governamental de ambiente, sem fins
lucrativos, com mais de 30 anos de luta pacífica em defesa do meio ambiente.
Presente no Brasil desde 1992, atua em 30 países".
❏ O Greenpeace Brasil é o braço do Greenpeace no Brasil. Atuando na defesa do
planeta por diferentes meios, promovendo conhecimento e conscientização
pública, mobilização social e articulação política para diversas causas, sempre de
forma independente. Só assim podemos denunciar os crimes ambientais e
confrontar governos e empresas que ameaçam o meio ambiente. Conheça o
trabalho que realizamos no Brasil.
RESPONSABILIDADE EMPRESARIAL
EXEMPLO: Trata-se de uma preocupação específica
com a integridade física e mental dos
colaboradores, tanto em relação à
preservação do ambiente de trabalho
quanto em relação à manutenção do
bem-estar dos indivíduos enquanto pessoas.
Pode-se exemplificar esse conceito de
diversas maneiras, como o simples incentivo
de lavagem de mãos na utilização de
sanitários, promoção de votação para
escolha do melhor menu do restaurante
interno e até mesmo realização de
iniciativas externas, como parcerias com
empresas de educação, alimentação e
auxílio de saúde.
REDE INTERNACIONAL DE HOTÉIS GRAND HYATT
RESPONSABILIDADE SOCIAL NA ESCOLA
“Educar para valores” é contribuir para a
formação de pessoas mais generosas, que
colaborem para o bem comum. E isso está
centrado no aprendizado da vida cotidiana
dos estudantes e na interação social que cada
um estabelece com o seu entorno, pois,
ninguém pode ser solidário sozinho. A
respeito disso, a escola deve estimular a
participação dos estudantes em ações
solidárias para que eles possam, livremente,
incorporá-las como parte integrante de sua
identidade e autoestima. Buscar, a partir do
contexto social dos estudantes e levá-los a
refletirem como é possível agir de forma
solidária no espaço onde vivem.
“Ser socialmente responsável não se restringe ao
cumprimento de todas as obrigações legais – implica ir
além com mais investimento em capital humano, no
ambiente e nas relações com outras partes interessadas e
comunidades locais.” Livro Verde

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A importância do trabalho voluntário.
A importância do trabalho voluntário.A importância do trabalho voluntário.
A importância do trabalho voluntário.
Willian Abravanel
 
Apresentação Institucional ONG Parceiros Voluntários
Apresentação Institucional ONG Parceiros VoluntáriosApresentação Institucional ONG Parceiros Voluntários
Apresentação Institucional ONG Parceiros Voluntários
ongparceirosvoluntarios
 
Manual para Capacitação Inicial do Voluntário - Fundação Telefônica
Manual para Capacitação Inicial do Voluntário - Fundação TelefônicaManual para Capacitação Inicial do Voluntário - Fundação Telefônica
Manual para Capacitação Inicial do Voluntário - Fundação Telefônica
Portal Voluntários Online
 
ONG Orientavida
ONG OrientavidaONG Orientavida
ONG Orientavida
orientavida
 
Voluntariado Transformador #servoluntariovaleapena
Voluntariado Transformador  #servoluntariovaleapena Voluntariado Transformador  #servoluntariovaleapena
Voluntariado Transformador #servoluntariovaleapena
Fernanda Bornhausen Sá
 
Deivid
DeividDeivid
Deivid
ticsjb
 
Sustentabilidade Terceiro Setor
Sustentabilidade Terceiro SetorSustentabilidade Terceiro Setor
Sustentabilidade Terceiro Setor
Celia Carvalho
 
Capacitação para ONGs - Voluntariado Online Telefônica - Módulo 1
Capacitação para ONGs - Voluntariado Online Telefônica - Módulo 1Capacitação para ONGs - Voluntariado Online Telefônica - Módulo 1
Capacitação para ONGs - Voluntariado Online Telefônica - Módulo 1
Portal Voluntários Online
 
Ajuda humanitária na atualidade
Ajuda humanitária na atualidadeAjuda humanitária na atualidade
Ajuda humanitária na atualidade
franciscaf
 
5 historias inspiradoras
5 historias inspiradoras5 historias inspiradoras
5 historias inspiradoras
Marcos Todeschi
 
Entrevista André Martins
Entrevista André MartinsEntrevista André Martins
Entrevista André Martins
raquel_tgur
 
Voluntariado Belloyanis Monteiro – SOS Mata Atlântica
Voluntariado Belloyanis Monteiro – SOS Mata AtlânticaVoluntariado Belloyanis Monteiro – SOS Mata Atlântica
Voluntariado Belloyanis Monteiro – SOS Mata Atlântica
Rede Brasil Voluntario
 
Fc 1
Fc 1Fc 1
Ongs
OngsOngs
Ongs
ticsjb
 
Economia solidária laura e andressa
Economia solidária  laura e andressaEconomia solidária  laura e andressa
Economia solidária laura e andressa
Lau_Schmitt
 
Festival 2019 - Voluntariado Juvenil
Festival 2019 - Voluntariado JuvenilFestival 2019 - Voluntariado Juvenil
Festival 2019 - Voluntariado Juvenil
ABCR
 
Marco, mes do Voluntariado!
Marco, mes do Voluntariado!Marco, mes do Voluntariado!
Marco, mes do Voluntariado!
Gladys Ferreira
 
Mecenato
MecenatoMecenato
Mecenato
totosalvia18
 
Estudo voluntariado
Estudo voluntariadoEstudo voluntariado
Estudo voluntariado
Miguel Gomes Alexandre
 
Organizacoes ajuda humanitaria
Organizacoes ajuda humanitariaOrganizacoes ajuda humanitaria
Organizacoes ajuda humanitaria
ProfessoraCarlaFerna
 

Mais procurados (20)

A importância do trabalho voluntário.
A importância do trabalho voluntário.A importância do trabalho voluntário.
A importância do trabalho voluntário.
 
Apresentação Institucional ONG Parceiros Voluntários
Apresentação Institucional ONG Parceiros VoluntáriosApresentação Institucional ONG Parceiros Voluntários
Apresentação Institucional ONG Parceiros Voluntários
 
Manual para Capacitação Inicial do Voluntário - Fundação Telefônica
Manual para Capacitação Inicial do Voluntário - Fundação TelefônicaManual para Capacitação Inicial do Voluntário - Fundação Telefônica
Manual para Capacitação Inicial do Voluntário - Fundação Telefônica
 
ONG Orientavida
ONG OrientavidaONG Orientavida
ONG Orientavida
 
Voluntariado Transformador #servoluntariovaleapena
Voluntariado Transformador  #servoluntariovaleapena Voluntariado Transformador  #servoluntariovaleapena
Voluntariado Transformador #servoluntariovaleapena
 
Deivid
DeividDeivid
Deivid
 
Sustentabilidade Terceiro Setor
Sustentabilidade Terceiro SetorSustentabilidade Terceiro Setor
Sustentabilidade Terceiro Setor
 
Capacitação para ONGs - Voluntariado Online Telefônica - Módulo 1
Capacitação para ONGs - Voluntariado Online Telefônica - Módulo 1Capacitação para ONGs - Voluntariado Online Telefônica - Módulo 1
Capacitação para ONGs - Voluntariado Online Telefônica - Módulo 1
 
Ajuda humanitária na atualidade
Ajuda humanitária na atualidadeAjuda humanitária na atualidade
Ajuda humanitária na atualidade
 
5 historias inspiradoras
5 historias inspiradoras5 historias inspiradoras
5 historias inspiradoras
 
Entrevista André Martins
Entrevista André MartinsEntrevista André Martins
Entrevista André Martins
 
Voluntariado Belloyanis Monteiro – SOS Mata Atlântica
Voluntariado Belloyanis Monteiro – SOS Mata AtlânticaVoluntariado Belloyanis Monteiro – SOS Mata Atlântica
Voluntariado Belloyanis Monteiro – SOS Mata Atlântica
 
Fc 1
Fc 1Fc 1
Fc 1
 
Ongs
OngsOngs
Ongs
 
Economia solidária laura e andressa
Economia solidária  laura e andressaEconomia solidária  laura e andressa
Economia solidária laura e andressa
 
Festival 2019 - Voluntariado Juvenil
Festival 2019 - Voluntariado JuvenilFestival 2019 - Voluntariado Juvenil
Festival 2019 - Voluntariado Juvenil
 
Marco, mes do Voluntariado!
Marco, mes do Voluntariado!Marco, mes do Voluntariado!
Marco, mes do Voluntariado!
 
Mecenato
MecenatoMecenato
Mecenato
 
Estudo voluntariado
Estudo voluntariadoEstudo voluntariado
Estudo voluntariado
 
Organizacoes ajuda humanitaria
Organizacoes ajuda humanitariaOrganizacoes ajuda humanitaria
Organizacoes ajuda humanitaria
 

Semelhante a Responsabilidade social

Voluntariado
VoluntariadoVoluntariado
Apresentação projeto social.pptx
Apresentação projeto social.pptxApresentação projeto social.pptx
Apresentação projeto social.pptx
FranciscaKeilaSilvad
 
(Legado 2016) Imersão 1
(Legado 2016) Imersão 1(Legado 2016) Imersão 1
(Legado 2016) Imersão 1
Ink_conteudos
 
Administracao e-o-terceiro-setor
Administracao e-o-terceiro-setorAdministracao e-o-terceiro-setor
Administracao e-o-terceiro-setor
Augusto Canuto
 
DIÁLOGOS SOBRE AVALIAÇÃO NA PRIMEIRA INFÂNCIA
DIÁLOGOS SOBRE AVALIAÇÃO NA PRIMEIRA INFÂNCIA DIÁLOGOS SOBRE AVALIAÇÃO NA PRIMEIRA INFÂNCIA
DIÁLOGOS SOBRE AVALIAÇÃO NA PRIMEIRA INFÂNCIA
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Artigo: As empresas sociais e a mudança que queremos ver
Artigo: As empresas sociais e a mudança que queremos verArtigo: As empresas sociais e a mudança que queremos ver
Artigo: As empresas sociais e a mudança que queremos ver
Marianne Costa
 
Princípios de Empreendedorismo Social
Princípios de Empreendedorismo SocialPrincípios de Empreendedorismo Social
Princípios de Empreendedorismo Social
Emmanoel Messias
 
Responsabilidade social 2
Responsabilidade social 2Responsabilidade social 2
Responsabilidade social 2
Gabriel Nabuco
 
empreendedorismo social.pdf
empreendedorismo social.pdfempreendedorismo social.pdf
empreendedorismo social.pdf
Ricardo Pereira
 
(Transformar) Impacto_I
(Transformar) Impacto_I(Transformar) Impacto_I
(Transformar) Impacto_I
Ink_conteudos
 
(Transformar) Impacto_II
(Transformar) Impacto_II(Transformar) Impacto_II
(Transformar) Impacto_II
Ink_conteudos
 
Manual do Voluntário
Manual do VoluntárioManual do Voluntário
Manual do Voluntário
Aghata Gonsalves
 
Mundo do Trabalho 4º Bimestre_240201_191723.pdf
Mundo do Trabalho 4º Bimestre_240201_191723.pdfMundo do Trabalho 4º Bimestre_240201_191723.pdf
Mundo do Trabalho 4º Bimestre_240201_191723.pdf
arletequeiros
 
Da Experiência, Um Método - Manual de Sistematização de Jornada Integral para...
Da Experiência, Um Método - Manual de Sistematização de Jornada Integral para...Da Experiência, Um Método - Manual de Sistematização de Jornada Integral para...
Da Experiência, Um Método - Manual de Sistematização de Jornada Integral para...
Everton742248
 
Aula 2 cidadania
Aula 2   cidadaniaAula 2   cidadania
Aula 2 cidadania
RASC EAD
 
Educação para a solidariedade
Educação para a solidariedadeEducação para a solidariedade
Educação para a solidariedade
bolonas
 
Introdução a Captação de Recursos
Introdução a Captação de RecursosIntrodução a Captação de Recursos
Introdução a Captação de Recursos
Squadra Assessoria e Consultoria
 
A importância do Voluntariado Corporativo
A importância do Voluntariado CorporativoA importância do Voluntariado Corporativo
A importância do Voluntariado Corporativo
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
(Transformar 16) Impacto I
(Transformar 16) Impacto I(Transformar 16) Impacto I
(Transformar 16) Impacto I
Ink_conteudos
 
Ações Sociais nas Empresas
Ações Sociais nas EmpresasAções Sociais nas Empresas
Ações Sociais nas Empresas
Google
 

Semelhante a Responsabilidade social (20)

Voluntariado
VoluntariadoVoluntariado
Voluntariado
 
Apresentação projeto social.pptx
Apresentação projeto social.pptxApresentação projeto social.pptx
Apresentação projeto social.pptx
 
(Legado 2016) Imersão 1
(Legado 2016) Imersão 1(Legado 2016) Imersão 1
(Legado 2016) Imersão 1
 
Administracao e-o-terceiro-setor
Administracao e-o-terceiro-setorAdministracao e-o-terceiro-setor
Administracao e-o-terceiro-setor
 
DIÁLOGOS SOBRE AVALIAÇÃO NA PRIMEIRA INFÂNCIA
DIÁLOGOS SOBRE AVALIAÇÃO NA PRIMEIRA INFÂNCIA DIÁLOGOS SOBRE AVALIAÇÃO NA PRIMEIRA INFÂNCIA
DIÁLOGOS SOBRE AVALIAÇÃO NA PRIMEIRA INFÂNCIA
 
Artigo: As empresas sociais e a mudança que queremos ver
Artigo: As empresas sociais e a mudança que queremos verArtigo: As empresas sociais e a mudança que queremos ver
Artigo: As empresas sociais e a mudança que queremos ver
 
Princípios de Empreendedorismo Social
Princípios de Empreendedorismo SocialPrincípios de Empreendedorismo Social
Princípios de Empreendedorismo Social
 
Responsabilidade social 2
Responsabilidade social 2Responsabilidade social 2
Responsabilidade social 2
 
empreendedorismo social.pdf
empreendedorismo social.pdfempreendedorismo social.pdf
empreendedorismo social.pdf
 
(Transformar) Impacto_I
(Transformar) Impacto_I(Transformar) Impacto_I
(Transformar) Impacto_I
 
(Transformar) Impacto_II
(Transformar) Impacto_II(Transformar) Impacto_II
(Transformar) Impacto_II
 
Manual do Voluntário
Manual do VoluntárioManual do Voluntário
Manual do Voluntário
 
Mundo do Trabalho 4º Bimestre_240201_191723.pdf
Mundo do Trabalho 4º Bimestre_240201_191723.pdfMundo do Trabalho 4º Bimestre_240201_191723.pdf
Mundo do Trabalho 4º Bimestre_240201_191723.pdf
 
Da Experiência, Um Método - Manual de Sistematização de Jornada Integral para...
Da Experiência, Um Método - Manual de Sistematização de Jornada Integral para...Da Experiência, Um Método - Manual de Sistematização de Jornada Integral para...
Da Experiência, Um Método - Manual de Sistematização de Jornada Integral para...
 
Aula 2 cidadania
Aula 2   cidadaniaAula 2   cidadania
Aula 2 cidadania
 
Educação para a solidariedade
Educação para a solidariedadeEducação para a solidariedade
Educação para a solidariedade
 
Introdução a Captação de Recursos
Introdução a Captação de RecursosIntrodução a Captação de Recursos
Introdução a Captação de Recursos
 
A importância do Voluntariado Corporativo
A importância do Voluntariado CorporativoA importância do Voluntariado Corporativo
A importância do Voluntariado Corporativo
 
(Transformar 16) Impacto I
(Transformar 16) Impacto I(Transformar 16) Impacto I
(Transformar 16) Impacto I
 
Ações Sociais nas Empresas
Ações Sociais nas EmpresasAções Sociais nas Empresas
Ações Sociais nas Empresas
 

Mais de Paulo Alexandre

Calendário escolar 2021.xlsx - 1
Calendário escolar 2021.xlsx - 1Calendário escolar 2021.xlsx - 1
Calendário escolar 2021.xlsx - 1
Paulo Alexandre
 
El idioma de los indígenas de Brasil
El idioma de los indígenas de BrasilEl idioma de los indígenas de Brasil
El idioma de los indígenas de Brasil
Paulo Alexandre
 
LA LENGUA NATIVA DE LOS PUEBLOS ANDINOS
 LA LENGUA NATIVA DE LOS PUEBLOS ANDINOS LA LENGUA NATIVA DE LOS PUEBLOS ANDINOS
LA LENGUA NATIVA DE LOS PUEBLOS ANDINOS
Paulo Alexandre
 
NATIVE AMERICANS CHEROKEE TRIBES
NATIVE AMERICANS CHEROKEE TRIBESNATIVE AMERICANS CHEROKEE TRIBES
NATIVE AMERICANS CHEROKEE TRIBES
Paulo Alexandre
 
Saludos en Quéchua
Saludos en QuéchuaSaludos en Quéchua
Saludos en Quéchua
Paulo Alexandre
 
El Guarani en Paraguay
El Guarani en ParaguayEl Guarani en Paraguay
El Guarani en Paraguay
Paulo Alexandre
 
Espelhos planos e esféricos
Espelhos planos e esféricosEspelhos planos e esféricos
Espelhos planos e esféricos
Paulo Alexandre
 
Conectaaí
ConectaaíConectaaí
Conectaaí
Paulo Alexandre
 
SOCIOLOGIA 1 (JAMBOARD)
SOCIOLOGIA 1 (JAMBOARD)SOCIOLOGIA 1 (JAMBOARD)
SOCIOLOGIA 1 (JAMBOARD)
Paulo Alexandre
 
FILOSOFIA 2 (jAMBOARD)
FILOSOFIA 2 (jAMBOARD)FILOSOFIA 2 (jAMBOARD)
FILOSOFIA 2 (jAMBOARD)
Paulo Alexandre
 
FILOSOFIA 1 (jAMBOARD)
FILOSOFIA 1 (jAMBOARD)FILOSOFIA 1 (jAMBOARD)
FILOSOFIA 1 (jAMBOARD)
Paulo Alexandre
 
SOCIOLOGIA 3 (JAMBOARD)
SOCIOLOGIA 3 (JAMBOARD)SOCIOLOGIA 3 (JAMBOARD)
SOCIOLOGIA 3 (JAMBOARD)
Paulo Alexandre
 
SOCIOLOGIA 2 (JAMBOARD)
SOCIOLOGIA 2 (JAMBOARD)SOCIOLOGIA 2 (JAMBOARD)
SOCIOLOGIA 2 (JAMBOARD)
Paulo Alexandre
 
Citoplasma - parte 2
Citoplasma - parte 2Citoplasma - parte 2
Citoplasma - parte 2
Paulo Alexandre
 
Geometria molecular
Geometria molecularGeometria molecular
Geometria molecular
Paulo Alexandre
 
Citoplasma parte 2
Citoplasma parte 2Citoplasma parte 2
Citoplasma parte 2
Paulo Alexandre
 
Subdesenvolvimento
SubdesenvolvimentoSubdesenvolvimento
Subdesenvolvimento
Paulo Alexandre
 
Estratificação social
Estratificação socialEstratificação social
Estratificação social
Paulo Alexandre
 
Comunidade sociedade e cidadania
Comunidade sociedade e cidadaniaComunidade sociedade e cidadania
Comunidade sociedade e cidadania
Paulo Alexandre
 
Filosofia Política
Filosofia PolíticaFilosofia Política
Filosofia Política
Paulo Alexandre
 

Mais de Paulo Alexandre (20)

Calendário escolar 2021.xlsx - 1
Calendário escolar 2021.xlsx - 1Calendário escolar 2021.xlsx - 1
Calendário escolar 2021.xlsx - 1
 
El idioma de los indígenas de Brasil
El idioma de los indígenas de BrasilEl idioma de los indígenas de Brasil
El idioma de los indígenas de Brasil
 
LA LENGUA NATIVA DE LOS PUEBLOS ANDINOS
 LA LENGUA NATIVA DE LOS PUEBLOS ANDINOS LA LENGUA NATIVA DE LOS PUEBLOS ANDINOS
LA LENGUA NATIVA DE LOS PUEBLOS ANDINOS
 
NATIVE AMERICANS CHEROKEE TRIBES
NATIVE AMERICANS CHEROKEE TRIBESNATIVE AMERICANS CHEROKEE TRIBES
NATIVE AMERICANS CHEROKEE TRIBES
 
Saludos en Quéchua
Saludos en QuéchuaSaludos en Quéchua
Saludos en Quéchua
 
El Guarani en Paraguay
El Guarani en ParaguayEl Guarani en Paraguay
El Guarani en Paraguay
 
Espelhos planos e esféricos
Espelhos planos e esféricosEspelhos planos e esféricos
Espelhos planos e esféricos
 
Conectaaí
ConectaaíConectaaí
Conectaaí
 
SOCIOLOGIA 1 (JAMBOARD)
SOCIOLOGIA 1 (JAMBOARD)SOCIOLOGIA 1 (JAMBOARD)
SOCIOLOGIA 1 (JAMBOARD)
 
FILOSOFIA 2 (jAMBOARD)
FILOSOFIA 2 (jAMBOARD)FILOSOFIA 2 (jAMBOARD)
FILOSOFIA 2 (jAMBOARD)
 
FILOSOFIA 1 (jAMBOARD)
FILOSOFIA 1 (jAMBOARD)FILOSOFIA 1 (jAMBOARD)
FILOSOFIA 1 (jAMBOARD)
 
SOCIOLOGIA 3 (JAMBOARD)
SOCIOLOGIA 3 (JAMBOARD)SOCIOLOGIA 3 (JAMBOARD)
SOCIOLOGIA 3 (JAMBOARD)
 
SOCIOLOGIA 2 (JAMBOARD)
SOCIOLOGIA 2 (JAMBOARD)SOCIOLOGIA 2 (JAMBOARD)
SOCIOLOGIA 2 (JAMBOARD)
 
Citoplasma - parte 2
Citoplasma - parte 2Citoplasma - parte 2
Citoplasma - parte 2
 
Geometria molecular
Geometria molecularGeometria molecular
Geometria molecular
 
Citoplasma parte 2
Citoplasma parte 2Citoplasma parte 2
Citoplasma parte 2
 
Subdesenvolvimento
SubdesenvolvimentoSubdesenvolvimento
Subdesenvolvimento
 
Estratificação social
Estratificação socialEstratificação social
Estratificação social
 
Comunidade sociedade e cidadania
Comunidade sociedade e cidadaniaComunidade sociedade e cidadania
Comunidade sociedade e cidadania
 
Filosofia Política
Filosofia PolíticaFilosofia Política
Filosofia Política
 

Último

Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
jbellas2
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
CarinaSoto12
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
carlaslr1
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 mateasocialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
ILDISONRAFAELBARBOSA
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
IslanderAndrade
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
JulianeMelo17
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Centro Jacques Delors
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 

Último (20)

Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 mateasocialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 

Responsabilidade social

  • 1. PROJETO DE VIDA / EMPREENDEDORISMO PROFESSORES: VANISE / TATIANA / JEFFERSON 1º ano
  • 2.
  • 3. CONCEITO DE RESPONSABILIDADE SOCIAL O termo “responsabilidade social” é bastante amplo e engloba uma diversidade de ações e posturas em relação aos diversos públicos que mantém contato com a empresa ou instituição. ❏ Deve-se implementar ações para proteger o meio ambiente, respeitar a legislação trabalhista, promover igualdade social, disseminar cultura e não apenas fazer caridade ou ser assistencialista (voluntariado). ❏ Ideias e projetos devem estar coerentes com a prática. Não basta incluir o assunto numa pauta de reunião ou nas páginas de um projeto mas transformar a intenção em atitudes concretas e bem estruturadas.
  • 4. O QUE É FILANTROPIA? É o ato de realizar doações de dinheiro, bens ou trabalho em prol de uma causa. O termo vem do Grego; filos significa amor e tropos significa Homem. Portanto, trata-se de uma ação movida pelo "amor à Humanidade". ❏ O contrário de Filantropia é Misantropia. ❏ Misantropia: 1. Ódio pela humanidade. 2. Falta de sociabilidade.
  • 5. QUAL A DIFERENÇA ENTRE FILANTROPIA E RESPONSABILIDADE SOCIAL? ❏ A responsabilidade social refere-se a entender o papel da empresa no contexto mais amplo da sociedade e lidar com as consequências de sua própria ação. Por exemplo, é responsabilidade social avaliar o impacto das atividades da empresa na geração de renda da comunidade ao seu entorno. ❏ Fazer filantropia é mais fácil do que refletir e agir com responsabilidade social pois, responsabilidade social inclui refletir sobre gestão, práticas, processos, projetos etc.
  • 6. O QUE É ENTIDADE FILANTRÓPICA? ❏ A maneira encontrada por muitos para realizar a filantropia é instituindo uma entidade filantrópica. Essas entidades são pessoas jurídicas de direito privado sem fins lucrativos, cujo objetivo é prestar assistência social. Elas podem ser isentas de tributação. ❏ É importante destacar que, enquanto toda entidade filantrópica é uma ONG, nem toda ONG é uma entidade filantrópica. ❏ Outro fato importante é que as entidades filantrópicas podem realizar atividades que gerem receita (dinheiro). Porém, essa receita não pode ser embolsada pelas pessoas por trás da entidade. Em vez disso, deve ser reinvestida para manutenção da entidade e revertida para suas atividades.
  • 7. FILANTROPIA EMPRESARIAL Falamos em filantropia empresarial, ou filantropia corporativa, quando uma empresa toma a iniciativa de realizar contribuições para uma causa. ❏ É importante lembrar que essa contribuição não precisa ser, necessariamente, na forma material; em alguns casos, as empresas formam grupos de colaboradores que dedicam tempo para apoiar uma entidade filantrópica ou realizar ações independentes junto à comunidade. ❏ SENAC: Turma do curso Cabeleireiro promove ação social em entidade filantrópica.
  • 8. O QUE SÃO ONGS? ❏ ONG é a sigla para Organização Não-Governamental. ❏ São todas as organizações, sem fins lucrativos, criadas por pessoas que trabalham voluntariamente em defesa de uma causa, seja ela, proteção do meio ambiente, defesa dos direitos humanos, erradicação do trabalho infantil etc. ❏ A expressão “Organização não Governamental” foi empregada pela primeira vez no ano de 1950, pela ONU (Organização das Nações Unidas), para fazer referência às organizações civis que não tinham nenhum vínculo com o governo.
  • 9. EXEMPLO: ONG GREENPEACE ❏ O Greenpeace é "uma organização não governamental de ambiente, sem fins lucrativos, com mais de 30 anos de luta pacífica em defesa do meio ambiente. Presente no Brasil desde 1992, atua em 30 países". ❏ O Greenpeace Brasil é o braço do Greenpeace no Brasil. Atuando na defesa do planeta por diferentes meios, promovendo conhecimento e conscientização pública, mobilização social e articulação política para diversas causas, sempre de forma independente. Só assim podemos denunciar os crimes ambientais e confrontar governos e empresas que ameaçam o meio ambiente. Conheça o trabalho que realizamos no Brasil.
  • 10. RESPONSABILIDADE EMPRESARIAL EXEMPLO: Trata-se de uma preocupação específica com a integridade física e mental dos colaboradores, tanto em relação à preservação do ambiente de trabalho quanto em relação à manutenção do bem-estar dos indivíduos enquanto pessoas. Pode-se exemplificar esse conceito de diversas maneiras, como o simples incentivo de lavagem de mãos na utilização de sanitários, promoção de votação para escolha do melhor menu do restaurante interno e até mesmo realização de iniciativas externas, como parcerias com empresas de educação, alimentação e auxílio de saúde. REDE INTERNACIONAL DE HOTÉIS GRAND HYATT
  • 11. RESPONSABILIDADE SOCIAL NA ESCOLA “Educar para valores” é contribuir para a formação de pessoas mais generosas, que colaborem para o bem comum. E isso está centrado no aprendizado da vida cotidiana dos estudantes e na interação social que cada um estabelece com o seu entorno, pois, ninguém pode ser solidário sozinho. A respeito disso, a escola deve estimular a participação dos estudantes em ações solidárias para que eles possam, livremente, incorporá-las como parte integrante de sua identidade e autoestima. Buscar, a partir do contexto social dos estudantes e levá-los a refletirem como é possível agir de forma solidária no espaço onde vivem.
  • 12. “Ser socialmente responsável não se restringe ao cumprimento de todas as obrigações legais – implica ir além com mais investimento em capital humano, no ambiente e nas relações com outras partes interessadas e comunidades locais.” Livro Verde