SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 3
Baixar para ler offline
Entidades brasileiras se unem em aliança
                               pelo combate às mudanças climáticas

São Paulo, 2 de setembro de 2009 – Catorze das principais entidades brasileiras representativas do
agronegócio, florestas plantadas e bioenergia anunciaram hoje a formação da Aliança Brasileira pelo
Clima, com o objetivo de contribuir com propostas concretas para as negociações ligadas à Convenção
Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas. O foco principal é a agenda que o governo
brasileiro vem defendendo nas negociações globais, que culminarão na 15ª Conferência das Partes da
Convenção (COP 15) em dezembro próximo em Copenhague, na Dinamarca.

Em seu Documento de Posicionamento, a Aliança destaca a natureza global dos desafios ligados às
mudanças climáticas como um dos principais motivadores da união de esforços. É apontada também a
necessidade de ações coordenadas e urgentes por todas as partes envolvidas, que priorizem tecnologias
disponíveis, economicamente viáveis e de impacto no curto prazo. “Na visão da Aliança, o Documento de
Posicionamento é um texto vivo, que evoluirá de acordo com o andamento das negociações e de outras
iniciativas na mesma linha”, explica o Presidente da Associação Brasileira de Agribusiness (ABAG), Carlo
Lovatelli.

A forte contribuição dos setores que compõem a Aliança para a mitigação das mudanças climáticas é
enfatizada, especialmente por serem fontes de energias renováveis, como o etanol, o biodiesel, a
bioeletricidade, as florestas plantadas, o carvão vegetal renovável e outras formas de biomassa, capazes de
substituir combustíveis fósseis e altamente poluentes. Juntos, os diversos produtos dos setores que
integram a Aliança representam 28% de toda a matriz energética brasileira. Além disso, os setores
representados apresentam potencial significativo para captura, manutenção e aumento de estoques de
carbono.

“É essencial que o Brasil leve adiante propostas que ampliem as possibilidades de captação de créditos de
carbono, algo a que o Brasil injustamente tem tido pouco acesso. É como se fossemos penalizados por ter
sido pioneiros em várias iniciativas que claramente ajudam na redução de emissões de carbono, mas não
são reconhecidas pelos mecanismos existentes, como a própria produção e uso em larga escala do etanol,”
pontua o Presidente da União da Indústria de Cana-de-Açúcar, Marcos Jank.

A Aliança Brasileira pelo Clima – Agricultura, Florestas Plantadas, Bioenergia frisa que o Brasil, por exibir
hoje uma das matrizes energéticas mais limpas do mundo, com mais de 40% de seu conteúdo originado de
fontes renováveis, deveria assumir um papel de liderança nas discussões globais sobre o clima. “Apesar
desse número, a imagem que prevalece e precisa ser desfeita é a do Brasil emissor, particularmente devido
ao desmatamento e queimadas que ocorrem na Amazônia. Por isso, o Brasil acaba incluído entre os vilões
do aquecimento global. É preciso mostrar que o Brasil tem as florestas plantadas mais produtivas e
sustentáveis do mundo, que absorvem cerca de 63 milhões de toneladas de carbono por ano”, afirma
Elizabeth de Carvalhaes, Presidente Executiva da Associação Brasileira de Celulose e Papel (Bracelpa).




       ALIANÇA BRASILEIRA PELO CLIMA: AGRICULTURA - FLORESTAS PLANTADAS - BIOENERGIA
          ABAG, ABAG-RP, ABIOVE, ABRAF, ABTCP, ALCOPAR, ARES, BIOSUL, BRACELPA, ICONE, ORPLANA, SIAMIG, SIFAEG, UNICA   1
O Documento de Posicionamento frisa que os setores representados na Aliança contribuem com 16% das
exportações totais do Brasil. Além disso, são setores reconhecidos por desenvolver e disseminar práticas de
produção responsáveis que, no entanto, não recebem o devido reconhecimento. Trata-se de uma situação
que impacta diretamente o acesso a importantes mercados consumidores, que acabam enxergando estes
setores fora de contexto e penalizando seus produtos.

A Aliança Brasileira pelo Clima expõe seu posicionamento em dois pilares: (i) recomendações ligadas ao
regime internacional que deverá ser definido pelas negociações no âmbito da Convenção do Clima, e (ii)
recomendações para ações no plano interno brasileiro.

Entre as recomendações de âmbito global, vale destacar que:

   •   As reduções no ritmo do desmatamento propostas no Plano Nacional sobre Mudanças do Clima
       devem ser assumidas pelo Brasil perante a comunidade internacional como Ações de Mitigação
       Nacionalmente Apropriadas, conhecidas como NAMAs, que são compromissos assumidos
       voluntariamente no âmbito da Convenção por países em desenvolvimento para mitigação das
       mudanças climáticas;

   •    É necessário reformar e tornar mais prático o Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL),
       criado para que países em desenvolvimento possam contribuir com as metas de mitigação
       assumidas por países desenvolvidos. Para tanto, é essencial desenvolver ferramentas e
       metodologias mais simples e eficazes, além de estimular projetos em nível setorial.

   •   A implementação de seguros e monitoramento periódico é recomendada como solução para a
       questão do “risco de não permanência”, que se refere à manutenção do carbono seqüestrado em
       projetos florestais. Para tanto, é essencial que a União Européia remova suas barreiras internas à
       comercialização de créditos florestais no âmbito do MDL;

   •   É fundamental que as Ações de Mitigação Nacionalmente Apropriadas, ou NAMAs, também
       considerem as atividades agrícolas, de florestas plantadas e de bioenergia que efetivamente
       contribuam para a redução de emissões, ou para a remoção de gases de efeito estufa da
       atmosfera;

   •    O mecanismo conhecido como Redução de Emissões de Desmatamento e Degradação (REDD) deve
       ser estruturado de forma a garantir que incentivos financeiros dele resultantes alcancem
       diretamente os agentes responsáveis pelas reduções, como populações tradicionais e proprietários
       rurais;




       ALIANÇA BRASILEIRA PELO CLIMA: AGRICULTURA - FLORESTAS PLANTADAS - BIOENERGIA
          ABAG, ABAG-RP, ABIOVE, ABRAF, ABTCP, ALCOPAR, ARES, BIOSUL, BRACELPA, ICONE, ORPLANA, SIAMIG, SIFAEG, UNICA   2
No tocante a ações específicas do Governo brasileiro, a Aliança recomenda a adoção de iniciativas
direcionadas ao desenvolvimento de uma economia de baixa intensidade de emissões de gases causadores
do efeito estufa:

   •   Buscar um melhor alinhamento da atuação das diversas áreas e níveis governamentais envolvidos
       com o tema, para evitar propostas contraditórias, ou que não considerem as oportunidades
       geradas por mecanismos internacionais de mitigação como o MDL e outros que venham a ser
       criados;

   •   Políticas públicas nacionais de mitigação devem privilegiar mecanismos de comércio de redução de
       emissões (cap and trade), evitando a simples imposição de taxas sobre emissões de carbono;

   •   Além das negociações multilaterais, reconhecer a importância para o Brasil de uma estratégia
       simultânea e pró-ativa de negociações bilaterais sobre mudanças climáticas, e dos desafios e
       oportunidades que tais negociações podem produzir;

   •   Incrementar a relação entre governo e setor privado, por meio de um mecanismo permanente de
       consulta e diálogo sobre as negociações internacionais relacionadas às mudanças climáticas.



Entidades que participam da Aliança Brasileira pelo Clima:

ABAG – Associação Brasileira de Agribusiness
ABAG/RP – Associação Brasileira do Agronegócio da Região de Ribeirão Preto
ABIOVE – Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais
ABRAF – Associação Brasileira de Produtores de Florestas Plantadas
ABTCP – Associação Brasileira Técnica de Celulose e Papel
ALCOPAR – Associação de Produtores de Álcool e Açúcar do Estado do Paraná
ARES – Instituto para o Agronegócio Responsável
BIOSUL – Associação dos Produtores de Bioenergia de Mato Grosso do Sul
BRACELPA – Associação Brasileira de Celulose e Papel
ICONE (apoio técnico) – Instituto de Estudos do Comércio e Negociações Internacionais
ORPLANA – Organização dos Plantadores de Cana da Região Centro-Sul do Brasil
SIAMIG – Sindicato da Indústria de Fabricação do Álcool no Estado de Minas Gerais
SIFAEG – Sindicato da Indústria de Fabricação de Álcool do Estado de Goiás
UNICA – União da Indústria de Cana-de-Açúcar




       ALIANÇA BRASILEIRA PELO CLIMA: AGRICULTURA - FLORESTAS PLANTADAS - BIOENERGIA
          ABAG, ABAG-RP, ABIOVE, ABRAF, ABTCP, ALCOPAR, ARES, BIOSUL, BRACELPA, ICONE, ORPLANA, SIAMIG, SIFAEG, UNICA   3

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Políticas públicas ambientais no brasil mitigação das mudanças climáticas
Políticas públicas ambientais no brasil mitigação das mudanças climáticasPolíticas públicas ambientais no brasil mitigação das mudanças climáticas
Políticas públicas ambientais no brasil mitigação das mudanças climáticasJeferson Valdir da Silva
 
Politica Ambiental em Portugal - 1
Politica Ambiental em Portugal - 1Politica Ambiental em Portugal - 1
Politica Ambiental em Portugal - 1Jorge Pereira
 
Valorização ambiental em portugal (almada)
Valorização ambiental em portugal (almada)Valorização ambiental em portugal (almada)
Valorização ambiental em portugal (almada)geografia114
 
DESENVOLVIMENTO & SUSTENTABILIDADE
DESENVOLVIMENTO & SUSTENTABILIDADE  DESENVOLVIMENTO & SUSTENTABILIDADE
DESENVOLVIMENTO & SUSTENTABILIDADE Laercio Bruno
 
Plano de Recuperação Verde
Plano de Recuperação Verde Plano de Recuperação Verde
Plano de Recuperação Verde IvanLongo3
 
Seminário política nacional de resíduos sólidos 19-08-2010 - apresentação d...
Seminário política nacional de resíduos sólidos   19-08-2010 - apresentação d...Seminário política nacional de resíduos sólidos   19-08-2010 - apresentação d...
Seminário política nacional de resíduos sólidos 19-08-2010 - apresentação d...FecomercioSP
 
Os Impactos nas Administrações Municipais e as Ações do Governo Federal para ...
Os Impactos nas Administrações Municipais e as Ações do Governo Federal para ...Os Impactos nas Administrações Municipais e as Ações do Governo Federal para ...
Os Impactos nas Administrações Municipais e as Ações do Governo Federal para ...Instituto Besc
 
Mudanças Climáticas na Amazônia: Contexto das Políticas Públicas, REDD+ e a ...
Mudanças Climáticas na Amazônia:  Contexto das Políticas Públicas, REDD+ e a ...Mudanças Climáticas na Amazônia:  Contexto das Políticas Públicas, REDD+ e a ...
Mudanças Climáticas na Amazônia: Contexto das Políticas Públicas, REDD+ e a ...Bernhard J Smid
 
Infografico propostas coalizão florestas
Infografico propostas coalizão florestasInfografico propostas coalizão florestas
Infografico propostas coalizão florestasElaine Dutra
 
Agenda Ambiental na Administração Pública
Agenda Ambiental na Administração PúblicaAgenda Ambiental na Administração Pública
Agenda Ambiental na Administração PúblicaRicardo Ferrao
 
Trabalho de ambiente joana tinoco 12º tar
Trabalho de ambiente   joana tinoco 12º tarTrabalho de ambiente   joana tinoco 12º tar
Trabalho de ambiente joana tinoco 12º tarprofcarladias
 
Carta Fórum Amazônia Sustentável
Carta Fórum Amazônia SustentávelCarta Fórum Amazônia Sustentável
Carta Fórum Amazônia Sustentávelvfalcao
 
A política brasileira de biocombustíveis
A política brasileira de biocombustíveisA política brasileira de biocombustíveis
A política brasileira de biocombustíveisProjetoBr
 
A Produção de biodiesel no Nordeste
A  Produção de biodiesel  no  NordesteA  Produção de biodiesel  no  Nordeste
A Produção de biodiesel no NordesteProjetoBr
 
Aula 1 normas e legislação
Aula 1 normas e legislaçãoAula 1 normas e legislação
Aula 1 normas e legislaçãoGiovanna Ortiz
 

Mais procurados (18)

Políticas públicas ambientais no brasil mitigação das mudanças climáticas
Políticas públicas ambientais no brasil mitigação das mudanças climáticasPolíticas públicas ambientais no brasil mitigação das mudanças climáticas
Políticas públicas ambientais no brasil mitigação das mudanças climáticas
 
Politica Ambiental em Portugal - 1
Politica Ambiental em Portugal - 1Politica Ambiental em Portugal - 1
Politica Ambiental em Portugal - 1
 
Valorização ambiental em portugal (almada)
Valorização ambiental em portugal (almada)Valorização ambiental em portugal (almada)
Valorização ambiental em portugal (almada)
 
DESENVOLVIMENTO & SUSTENTABILIDADE
DESENVOLVIMENTO & SUSTENTABILIDADE  DESENVOLVIMENTO & SUSTENTABILIDADE
DESENVOLVIMENTO & SUSTENTABILIDADE
 
Plano de Recuperação Verde
Plano de Recuperação Verde Plano de Recuperação Verde
Plano de Recuperação Verde
 
TCC_2010_REDD+
TCC_2010_REDD+TCC_2010_REDD+
TCC_2010_REDD+
 
Seminário política nacional de resíduos sólidos 19-08-2010 - apresentação d...
Seminário política nacional de resíduos sólidos   19-08-2010 - apresentação d...Seminário política nacional de resíduos sólidos   19-08-2010 - apresentação d...
Seminário política nacional de resíduos sólidos 19-08-2010 - apresentação d...
 
Os Impactos nas Administrações Municipais e as Ações do Governo Federal para ...
Os Impactos nas Administrações Municipais e as Ações do Governo Federal para ...Os Impactos nas Administrações Municipais e as Ações do Governo Federal para ...
Os Impactos nas Administrações Municipais e as Ações do Governo Federal para ...
 
Mudanças Climáticas na Amazônia: Contexto das Políticas Públicas, REDD+ e a ...
Mudanças Climáticas na Amazônia:  Contexto das Políticas Públicas, REDD+ e a ...Mudanças Climáticas na Amazônia:  Contexto das Políticas Públicas, REDD+ e a ...
Mudanças Climáticas na Amazônia: Contexto das Políticas Públicas, REDD+ e a ...
 
Infografico propostas coalizão florestas
Infografico propostas coalizão florestasInfografico propostas coalizão florestas
Infografico propostas coalizão florestas
 
Agenda Ambiental na Administração Pública
Agenda Ambiental na Administração PúblicaAgenda Ambiental na Administração Pública
Agenda Ambiental na Administração Pública
 
Trabalho de ambiente joana tinoco 12º tar
Trabalho de ambiente   joana tinoco 12º tarTrabalho de ambiente   joana tinoco 12º tar
Trabalho de ambiente joana tinoco 12º tar
 
Aula 7
Aula 7Aula 7
Aula 7
 
Introdução aula 6
Introdução   aula 6Introdução   aula 6
Introdução aula 6
 
Carta Fórum Amazônia Sustentável
Carta Fórum Amazônia SustentávelCarta Fórum Amazônia Sustentável
Carta Fórum Amazônia Sustentável
 
A política brasileira de biocombustíveis
A política brasileira de biocombustíveisA política brasileira de biocombustíveis
A política brasileira de biocombustíveis
 
A Produção de biodiesel no Nordeste
A  Produção de biodiesel  no  NordesteA  Produção de biodiesel  no  Nordeste
A Produção de biodiesel no Nordeste
 
Aula 1 normas e legislação
Aula 1 normas e legislaçãoAula 1 normas e legislação
Aula 1 normas e legislação
 

Destaque (20)

Boletin de cierre 13.09.12
Boletin de cierre 13.09.12Boletin de cierre 13.09.12
Boletin de cierre 13.09.12
 
RIM Conference
RIM ConferenceRIM Conference
RIM Conference
 
Emerald Ash Borer Interviews
Emerald Ash Borer Interviews Emerald Ash Borer Interviews
Emerald Ash Borer Interviews
 
Health and safety
Health and safetyHealth and safety
Health and safety
 
European Interoperability Strategy (EIS), Presentation perspectives from memb...
European Interoperability Strategy (EIS), Presentation perspectives from memb...European Interoperability Strategy (EIS), Presentation perspectives from memb...
European Interoperability Strategy (EIS), Presentation perspectives from memb...
 
자료집 우양 세미나
자료집   우양 세미나자료집   우양 세미나
자료집 우양 세미나
 
Los cuerpos-de-la-violencia-genero-y-publicidad
Los cuerpos-de-la-violencia-genero-y-publicidadLos cuerpos-de-la-violencia-genero-y-publicidad
Los cuerpos-de-la-violencia-genero-y-publicidad
 
Teorija donjeg vesa
Teorija donjeg vesaTeorija donjeg vesa
Teorija donjeg vesa
 
F Filosofia Barata2
F Filosofia Barata2F Filosofia Barata2
F Filosofia Barata2
 
Cartashope
CartashopeCartashope
Cartashope
 
Dsc07319
Dsc07319Dsc07319
Dsc07319
 
Toma de desiciones
Toma de desicionesToma de desiciones
Toma de desiciones
 
G RESUME
G  RESUMEG  RESUME
G RESUME
 
O Principiodo Vazio
O Principiodo VazioO Principiodo Vazio
O Principiodo Vazio
 
Avc
AvcAvc
Avc
 
Biblia
BibliaBiblia
Biblia
 
Oshomenspensam
OshomenspensamOshomenspensam
Oshomenspensam
 
Revista 5ªA
Revista 5ªARevista 5ªA
Revista 5ªA
 
Limão
LimãoLimão
Limão
 
A Aranha
A AranhaA Aranha
A Aranha
 

Semelhante a Release Aliança Brasileira Pelo Clima

Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura
Coalizão Brasil Clima, Florestas e AgriculturaCoalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura
Coalizão Brasil Clima, Florestas e AgriculturaAdeildo Caboclo
 
Propostas da Coalizão Brasil
Propostas da Coalizão BrasilPropostas da Coalizão Brasil
Propostas da Coalizão BrasilFábio Santos
 
Instituto ethos - Carta Mudanças Climáticas
Instituto ethos -  Carta Mudanças ClimáticasInstituto ethos -  Carta Mudanças Climáticas
Instituto ethos - Carta Mudanças ClimáticasFabricio
 
Apresentação - Secretaria Nacional de Mudanças do Clima - SMC_25/05/23.pptx
Apresentação - Secretaria Nacional de Mudanças do Clima - SMC_25/05/23.pptxApresentação - Secretaria Nacional de Mudanças do Clima - SMC_25/05/23.pptx
Apresentação - Secretaria Nacional de Mudanças do Clima - SMC_25/05/23.pptxReservadaBiosferadaM
 
A petrobrás e a falácia de sua política de desenvolvimento sustentável
A petrobrás e a falácia de sua política de desenvolvimento sustentávelA petrobrás e a falácia de sua política de desenvolvimento sustentável
A petrobrás e a falácia de sua política de desenvolvimento sustentávelFernando Alcoforado
 
Wwf Brasil Combatendo Mudancas Climaticas
Wwf Brasil Combatendo Mudancas ClimaticasWwf Brasil Combatendo Mudancas Climaticas
Wwf Brasil Combatendo Mudancas Climaticasvilanic
 
Wwf Brasil Combatendo Mudancas Climaticas
Wwf Brasil Combatendo Mudancas ClimaticasWwf Brasil Combatendo Mudancas Climaticas
Wwf Brasil Combatendo Mudancas Climaticasvilanic
 
Biodiesel no Brasil: diversificação energética e inclusão social
Biodiesel no Brasil: diversificação energética e inclusão socialBiodiesel no Brasil: diversificação energética e inclusão social
Biodiesel no Brasil: diversificação energética e inclusão socialProjetoBr
 
Biodiesel no Brasil: diversificação energética e inclusão social
Biodiesel no Brasil: diversificação energética e inclusão socialBiodiesel no Brasil: diversificação energética e inclusão social
Biodiesel no Brasil: diversificação energética e inclusão socialProjetoBr
 
Cooperativismo como ferramenta para a economia de baixo carbono
Cooperativismo como ferramenta para a economia de baixo carbonoCooperativismo como ferramenta para a economia de baixo carbono
Cooperativismo como ferramenta para a economia de baixo carbonoFAIR PLAY AD / @VeronicaRRSouza
 
ICONE - Agricultura de baixo impacto: construindo a economia verde brasileira...
ICONE - Agricultura de baixo impacto: construindo a economia verde brasileira...ICONE - Agricultura de baixo impacto: construindo a economia verde brasileira...
ICONE - Agricultura de baixo impacto: construindo a economia verde brasileira...AgroTalento
 
Trabalho indstria
Trabalho indstriaTrabalho indstria
Trabalho indstriajoaoaliardi
 
Resenha do Primeiro Relatório de Avaliação Nacional Volume 3. Mitigação à Mud...
Resenha do Primeiro Relatório de Avaliação Nacional Volume 3. Mitigação à Mud...Resenha do Primeiro Relatório de Avaliação Nacional Volume 3. Mitigação à Mud...
Resenha do Primeiro Relatório de Avaliação Nacional Volume 3. Mitigação à Mud...Marcos
 
O valor Estratégico do selo Made In Brazil
O valor Estratégico do selo Made In BrazilO valor Estratégico do selo Made In Brazil
O valor Estratégico do selo Made In BrazilLaercio Bruno
 
Avanços da Insutria sobre a Rio+20
Avanços da Insutria sobre a Rio+20Avanços da Insutria sobre a Rio+20
Avanços da Insutria sobre a Rio+20Sistema FIEB
 
A importância da floresta em pé
A importância da floresta em pé   A importância da floresta em pé
A importância da floresta em pé Silmara Vedoveli
 

Semelhante a Release Aliança Brasileira Pelo Clima (20)

Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura
Coalizão Brasil Clima, Florestas e AgriculturaCoalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura
Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura
 
Propostas da Coalizão Brasil
Propostas da Coalizão BrasilPropostas da Coalizão Brasil
Propostas da Coalizão Brasil
 
Instituto ethos - Carta Mudanças Climáticas
Instituto ethos -  Carta Mudanças ClimáticasInstituto ethos -  Carta Mudanças Climáticas
Instituto ethos - Carta Mudanças Climáticas
 
Apresentação - Secretaria Nacional de Mudanças do Clima - SMC_25/05/23.pptx
Apresentação - Secretaria Nacional de Mudanças do Clima - SMC_25/05/23.pptxApresentação - Secretaria Nacional de Mudanças do Clima - SMC_25/05/23.pptx
Apresentação - Secretaria Nacional de Mudanças do Clima - SMC_25/05/23.pptx
 
A petrobrás e a falácia de sua política de desenvolvimento sustentável
A petrobrás e a falácia de sua política de desenvolvimento sustentávelA petrobrás e a falácia de sua política de desenvolvimento sustentável
A petrobrás e a falácia de sua política de desenvolvimento sustentável
 
Wwf Brasil Combatendo Mudancas Climaticas
Wwf Brasil Combatendo Mudancas ClimaticasWwf Brasil Combatendo Mudancas Climaticas
Wwf Brasil Combatendo Mudancas Climaticas
 
Wwf Brasil Combatendo Mudancas Climaticas
Wwf Brasil Combatendo Mudancas ClimaticasWwf Brasil Combatendo Mudancas Climaticas
Wwf Brasil Combatendo Mudancas Climaticas
 
Meioambi
MeioambiMeioambi
Meioambi
 
Mudanças Climáticas
Mudanças Climáticas Mudanças Climáticas
Mudanças Climáticas
 
Biodiesel no Brasil: diversificação energética e inclusão social
Biodiesel no Brasil: diversificação energética e inclusão socialBiodiesel no Brasil: diversificação energética e inclusão social
Biodiesel no Brasil: diversificação energética e inclusão social
 
Biodiesel no Brasil: diversificação energética e inclusão social
Biodiesel no Brasil: diversificação energética e inclusão socialBiodiesel no Brasil: diversificação energética e inclusão social
Biodiesel no Brasil: diversificação energética e inclusão social
 
Cooperativismo como ferramenta para a economia de baixo carbono
Cooperativismo como ferramenta para a economia de baixo carbonoCooperativismo como ferramenta para a economia de baixo carbono
Cooperativismo como ferramenta para a economia de baixo carbono
 
ICONE - Agricultura de baixo impacto: construindo a economia verde brasileira...
ICONE - Agricultura de baixo impacto: construindo a economia verde brasileira...ICONE - Agricultura de baixo impacto: construindo a economia verde brasileira...
ICONE - Agricultura de baixo impacto: construindo a economia verde brasileira...
 
Trabalho indstria
Trabalho indstriaTrabalho indstria
Trabalho indstria
 
Resenha do Primeiro Relatório de Avaliação Nacional Volume 3. Mitigação à Mud...
Resenha do Primeiro Relatório de Avaliação Nacional Volume 3. Mitigação à Mud...Resenha do Primeiro Relatório de Avaliação Nacional Volume 3. Mitigação à Mud...
Resenha do Primeiro Relatório de Avaliação Nacional Volume 3. Mitigação à Mud...
 
O valor Estratégico do selo Made In Brazil
O valor Estratégico do selo Made In BrazilO valor Estratégico do selo Made In Brazil
O valor Estratégico do selo Made In Brazil
 
Avanços da Insutria sobre a Rio+20
Avanços da Insutria sobre a Rio+20Avanços da Insutria sobre a Rio+20
Avanços da Insutria sobre a Rio+20
 
Sequestro de carbono
Sequestro de carbonoSequestro de carbono
Sequestro de carbono
 
A importância da floresta em pé
A importância da floresta em pé   A importância da floresta em pé
A importância da floresta em pé
 
Mapa fernando costa
Mapa fernando costaMapa fernando costa
Mapa fernando costa
 

Mais de Laercio Bruno

In Sustentabilidade! Eis o "Momentum"
In Sustentabilidade! Eis o "Momentum"In Sustentabilidade! Eis o "Momentum"
In Sustentabilidade! Eis o "Momentum"Laercio Bruno
 
Oportunidade de Negócios no Mercado de Carbono no Brasil
Oportunidade de Negócios no Mercado de Carbono no BrasilOportunidade de Negócios no Mercado de Carbono no Brasil
Oportunidade de Negócios no Mercado de Carbono no BrasilLaercio Bruno
 
O Brasil e a Questão Climatica
O Brasil e a Questão ClimaticaO Brasil e a Questão Climatica
O Brasil e a Questão ClimaticaLaercio Bruno
 
Onde EstãO As Oportunidades De NegóCio No Mercado De Carbono No Brasil Ligth
Onde EstãO As Oportunidades De NegóCio No Mercado De Carbono No Brasil LigthOnde EstãO As Oportunidades De NegóCio No Mercado De Carbono No Brasil Ligth
Onde EstãO As Oportunidades De NegóCio No Mercado De Carbono No Brasil LigthLaercio Bruno
 
As Oportunidades de Negócio com Projetos de Carbono no Brasil
As Oportunidades de Negócio com Projetos de Carbono no BrasilAs Oportunidades de Negócio com Projetos de Carbono no Brasil
As Oportunidades de Negócio com Projetos de Carbono no BrasilLaercio Bruno
 
Estudo de Caso em Green IT
Estudo de Caso em Green ITEstudo de Caso em Green IT
Estudo de Caso em Green ITLaercio Bruno
 
Palestra Green It Blog
Palestra Green It BlogPalestra Green It Blog
Palestra Green It BlogLaercio Bruno
 
A Arquitetura Da Sustentabilidade Out 2009
A Arquitetura Da Sustentabilidade Out 2009A Arquitetura Da Sustentabilidade Out 2009
A Arquitetura Da Sustentabilidade Out 2009Laercio Bruno
 
The Architecture Of Sustainable Business
The Architecture Of Sustainable BusinessThe Architecture Of Sustainable Business
The Architecture Of Sustainable BusinessLaercio Bruno
 

Mais de Laercio Bruno (9)

In Sustentabilidade! Eis o "Momentum"
In Sustentabilidade! Eis o "Momentum"In Sustentabilidade! Eis o "Momentum"
In Sustentabilidade! Eis o "Momentum"
 
Oportunidade de Negócios no Mercado de Carbono no Brasil
Oportunidade de Negócios no Mercado de Carbono no BrasilOportunidade de Negócios no Mercado de Carbono no Brasil
Oportunidade de Negócios no Mercado de Carbono no Brasil
 
O Brasil e a Questão Climatica
O Brasil e a Questão ClimaticaO Brasil e a Questão Climatica
O Brasil e a Questão Climatica
 
Onde EstãO As Oportunidades De NegóCio No Mercado De Carbono No Brasil Ligth
Onde EstãO As Oportunidades De NegóCio No Mercado De Carbono No Brasil LigthOnde EstãO As Oportunidades De NegóCio No Mercado De Carbono No Brasil Ligth
Onde EstãO As Oportunidades De NegóCio No Mercado De Carbono No Brasil Ligth
 
As Oportunidades de Negócio com Projetos de Carbono no Brasil
As Oportunidades de Negócio com Projetos de Carbono no BrasilAs Oportunidades de Negócio com Projetos de Carbono no Brasil
As Oportunidades de Negócio com Projetos de Carbono no Brasil
 
Estudo de Caso em Green IT
Estudo de Caso em Green ITEstudo de Caso em Green IT
Estudo de Caso em Green IT
 
Palestra Green It Blog
Palestra Green It BlogPalestra Green It Blog
Palestra Green It Blog
 
A Arquitetura Da Sustentabilidade Out 2009
A Arquitetura Da Sustentabilidade Out 2009A Arquitetura Da Sustentabilidade Out 2009
A Arquitetura Da Sustentabilidade Out 2009
 
The Architecture Of Sustainable Business
The Architecture Of Sustainable BusinessThe Architecture Of Sustainable Business
The Architecture Of Sustainable Business
 

Último

[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)Alessandro Almeida
 
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIAEAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIAMarcio Venturelli
 
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx2m Assessoria
 
Apostila e caderno de exercicios de WORD
Apostila e caderno de exercicios de  WORDApostila e caderno de exercicios de  WORD
Apostila e caderno de exercicios de WORDRONDINELLYRAMOS1
 
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASCOI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASMarcio Venturelli
 
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...Dirceu Resende
 
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdfFrom_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdfRodolpho Concurde
 
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiEntrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiPaulo Pagliusi, PhD, CISM
 
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx2m Assessoria
 
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPalestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPaulo Pagliusi, PhD, CISM
 
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx2m Assessoria
 

Último (11)

[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
 
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIAEAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
 
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
 
Apostila e caderno de exercicios de WORD
Apostila e caderno de exercicios de  WORDApostila e caderno de exercicios de  WORD
Apostila e caderno de exercicios de WORD
 
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASCOI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
 
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
 
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdfFrom_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
 
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiEntrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
 
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
 
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPalestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
 
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
 

Release Aliança Brasileira Pelo Clima

  • 1. Entidades brasileiras se unem em aliança pelo combate às mudanças climáticas São Paulo, 2 de setembro de 2009 – Catorze das principais entidades brasileiras representativas do agronegócio, florestas plantadas e bioenergia anunciaram hoje a formação da Aliança Brasileira pelo Clima, com o objetivo de contribuir com propostas concretas para as negociações ligadas à Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas. O foco principal é a agenda que o governo brasileiro vem defendendo nas negociações globais, que culminarão na 15ª Conferência das Partes da Convenção (COP 15) em dezembro próximo em Copenhague, na Dinamarca. Em seu Documento de Posicionamento, a Aliança destaca a natureza global dos desafios ligados às mudanças climáticas como um dos principais motivadores da união de esforços. É apontada também a necessidade de ações coordenadas e urgentes por todas as partes envolvidas, que priorizem tecnologias disponíveis, economicamente viáveis e de impacto no curto prazo. “Na visão da Aliança, o Documento de Posicionamento é um texto vivo, que evoluirá de acordo com o andamento das negociações e de outras iniciativas na mesma linha”, explica o Presidente da Associação Brasileira de Agribusiness (ABAG), Carlo Lovatelli. A forte contribuição dos setores que compõem a Aliança para a mitigação das mudanças climáticas é enfatizada, especialmente por serem fontes de energias renováveis, como o etanol, o biodiesel, a bioeletricidade, as florestas plantadas, o carvão vegetal renovável e outras formas de biomassa, capazes de substituir combustíveis fósseis e altamente poluentes. Juntos, os diversos produtos dos setores que integram a Aliança representam 28% de toda a matriz energética brasileira. Além disso, os setores representados apresentam potencial significativo para captura, manutenção e aumento de estoques de carbono. “É essencial que o Brasil leve adiante propostas que ampliem as possibilidades de captação de créditos de carbono, algo a que o Brasil injustamente tem tido pouco acesso. É como se fossemos penalizados por ter sido pioneiros em várias iniciativas que claramente ajudam na redução de emissões de carbono, mas não são reconhecidas pelos mecanismos existentes, como a própria produção e uso em larga escala do etanol,” pontua o Presidente da União da Indústria de Cana-de-Açúcar, Marcos Jank. A Aliança Brasileira pelo Clima – Agricultura, Florestas Plantadas, Bioenergia frisa que o Brasil, por exibir hoje uma das matrizes energéticas mais limpas do mundo, com mais de 40% de seu conteúdo originado de fontes renováveis, deveria assumir um papel de liderança nas discussões globais sobre o clima. “Apesar desse número, a imagem que prevalece e precisa ser desfeita é a do Brasil emissor, particularmente devido ao desmatamento e queimadas que ocorrem na Amazônia. Por isso, o Brasil acaba incluído entre os vilões do aquecimento global. É preciso mostrar que o Brasil tem as florestas plantadas mais produtivas e sustentáveis do mundo, que absorvem cerca de 63 milhões de toneladas de carbono por ano”, afirma Elizabeth de Carvalhaes, Presidente Executiva da Associação Brasileira de Celulose e Papel (Bracelpa). ALIANÇA BRASILEIRA PELO CLIMA: AGRICULTURA - FLORESTAS PLANTADAS - BIOENERGIA ABAG, ABAG-RP, ABIOVE, ABRAF, ABTCP, ALCOPAR, ARES, BIOSUL, BRACELPA, ICONE, ORPLANA, SIAMIG, SIFAEG, UNICA 1
  • 2. O Documento de Posicionamento frisa que os setores representados na Aliança contribuem com 16% das exportações totais do Brasil. Além disso, são setores reconhecidos por desenvolver e disseminar práticas de produção responsáveis que, no entanto, não recebem o devido reconhecimento. Trata-se de uma situação que impacta diretamente o acesso a importantes mercados consumidores, que acabam enxergando estes setores fora de contexto e penalizando seus produtos. A Aliança Brasileira pelo Clima expõe seu posicionamento em dois pilares: (i) recomendações ligadas ao regime internacional que deverá ser definido pelas negociações no âmbito da Convenção do Clima, e (ii) recomendações para ações no plano interno brasileiro. Entre as recomendações de âmbito global, vale destacar que: • As reduções no ritmo do desmatamento propostas no Plano Nacional sobre Mudanças do Clima devem ser assumidas pelo Brasil perante a comunidade internacional como Ações de Mitigação Nacionalmente Apropriadas, conhecidas como NAMAs, que são compromissos assumidos voluntariamente no âmbito da Convenção por países em desenvolvimento para mitigação das mudanças climáticas; • É necessário reformar e tornar mais prático o Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL), criado para que países em desenvolvimento possam contribuir com as metas de mitigação assumidas por países desenvolvidos. Para tanto, é essencial desenvolver ferramentas e metodologias mais simples e eficazes, além de estimular projetos em nível setorial. • A implementação de seguros e monitoramento periódico é recomendada como solução para a questão do “risco de não permanência”, que se refere à manutenção do carbono seqüestrado em projetos florestais. Para tanto, é essencial que a União Européia remova suas barreiras internas à comercialização de créditos florestais no âmbito do MDL; • É fundamental que as Ações de Mitigação Nacionalmente Apropriadas, ou NAMAs, também considerem as atividades agrícolas, de florestas plantadas e de bioenergia que efetivamente contribuam para a redução de emissões, ou para a remoção de gases de efeito estufa da atmosfera; • O mecanismo conhecido como Redução de Emissões de Desmatamento e Degradação (REDD) deve ser estruturado de forma a garantir que incentivos financeiros dele resultantes alcancem diretamente os agentes responsáveis pelas reduções, como populações tradicionais e proprietários rurais; ALIANÇA BRASILEIRA PELO CLIMA: AGRICULTURA - FLORESTAS PLANTADAS - BIOENERGIA ABAG, ABAG-RP, ABIOVE, ABRAF, ABTCP, ALCOPAR, ARES, BIOSUL, BRACELPA, ICONE, ORPLANA, SIAMIG, SIFAEG, UNICA 2
  • 3. No tocante a ações específicas do Governo brasileiro, a Aliança recomenda a adoção de iniciativas direcionadas ao desenvolvimento de uma economia de baixa intensidade de emissões de gases causadores do efeito estufa: • Buscar um melhor alinhamento da atuação das diversas áreas e níveis governamentais envolvidos com o tema, para evitar propostas contraditórias, ou que não considerem as oportunidades geradas por mecanismos internacionais de mitigação como o MDL e outros que venham a ser criados; • Políticas públicas nacionais de mitigação devem privilegiar mecanismos de comércio de redução de emissões (cap and trade), evitando a simples imposição de taxas sobre emissões de carbono; • Além das negociações multilaterais, reconhecer a importância para o Brasil de uma estratégia simultânea e pró-ativa de negociações bilaterais sobre mudanças climáticas, e dos desafios e oportunidades que tais negociações podem produzir; • Incrementar a relação entre governo e setor privado, por meio de um mecanismo permanente de consulta e diálogo sobre as negociações internacionais relacionadas às mudanças climáticas. Entidades que participam da Aliança Brasileira pelo Clima: ABAG – Associação Brasileira de Agribusiness ABAG/RP – Associação Brasileira do Agronegócio da Região de Ribeirão Preto ABIOVE – Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais ABRAF – Associação Brasileira de Produtores de Florestas Plantadas ABTCP – Associação Brasileira Técnica de Celulose e Papel ALCOPAR – Associação de Produtores de Álcool e Açúcar do Estado do Paraná ARES – Instituto para o Agronegócio Responsável BIOSUL – Associação dos Produtores de Bioenergia de Mato Grosso do Sul BRACELPA – Associação Brasileira de Celulose e Papel ICONE (apoio técnico) – Instituto de Estudos do Comércio e Negociações Internacionais ORPLANA – Organização dos Plantadores de Cana da Região Centro-Sul do Brasil SIAMIG – Sindicato da Indústria de Fabricação do Álcool no Estado de Minas Gerais SIFAEG – Sindicato da Indústria de Fabricação de Álcool do Estado de Goiás UNICA – União da Indústria de Cana-de-Açúcar ALIANÇA BRASILEIRA PELO CLIMA: AGRICULTURA - FLORESTAS PLANTADAS - BIOENERGIA ABAG, ABAG-RP, ABIOVE, ABRAF, ABTCP, ALCOPAR, ARES, BIOSUL, BRACELPA, ICONE, ORPLANA, SIAMIG, SIFAEG, UNICA 3