SlideShare uma empresa Scribd logo
Qualificação da Atenção à Saúde de Usuários com
Hipertensão Arterial Sistêmica e/ou Diabetes mellitus na
ESF IV Valim, Mostardas / RS
Elsa Maria Bignotte Romero
Orientadora: Fabiana Vargas Ferreira
Introdução
 A Diabetes mellitus (DM) e a Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS)
são responsáveis pela primeira causa de mortalidade e de
hospitalizações no Sistema Único de Saúde (SUS) e são fatores
desencadeantes de outras doenças que provocam incapacidade ao
indivíduo;
 A prevalência de HAS varia de 22% e 44% para adultos, chegando a
mais de 50% para indivíduos com 60 a 69 anos e 75% para
indivíduos com mais de 70 anos e a prevalência de DM acima de 18
anos aumentou de 5,3% a 5,6%, entre 2006 e 2011.
Vigitel, 2014
• Mostardas (RS) - Faz parte do litoral sul do
Estado Rio Grande do Sul, entre a Laguna dos
Patos e o Océano Atlántico;
• População estimada de 12.124 habitantes;
• Clima subtropical úmido;
• Conta com 5 UBS, todas com ESF, 2 situadas na
cidade e 3 em área rural.
• ESF IV Valim - Localização rural;
• 1 equipe;
• População da área de abrangência: 1445;
• 531 familias.
Situação da ação programática HAS e/ou DM antes da
intervenção
 Cobertura incompleta de usuarios com HAS (98,7%) e DM (57,6%);
 Não existência na unidade de protocolos de atendimento para
usuarios portadores de HAS e DM;
 Atendimentos sem a qualidade requerida;
 Não existência de grupos para atividade de promoção e prevenção à
saúde;
 Sem registros específicos para usuários portadores de HAS e DM;
 Necessidade de capacitação da equipe sobre os protocolos de
atenção;
 Necessidade de maior envolvimento da equipe nos atendimentos.
Objetivo Geral e Específicos
*Melhorar a atenção aos usuários Hipertensos e Diabéticos na ESF IV
Valim, Mostardas/ RS.
1. Ampliar a cobertura de usuários hipertensos e/ou diabéticos na
UBS;
2. Melhorar a qualidade da atenção a hipertensos e/ou diabéticos na
UBS;
3. Melhorar a adesão de usuários hipertensos e/ou diabéticos ao
programa na UBS;
4. Melhorar o registro das informações dos usuários hipertensos ou
diabéticos na UBS;
5. Mapear hipertensos e/ou diabéticos de risco para doença
cardiovascular;
6. Promover a saúde de hipertensos e diabéticos na UBS.
Metodologia
 Capacitação da equipe sobre os protocolos de atenção a usuários com
HAS e DM;
 Realização dos grupos para atividades educativas de promoção e
prevenção de saúde;
 Divulgação da ação programática na comunidade;
 Participação dos líderes comunitários e gestora municipal;
 Organização do serviço;
 Atendimento com uso dos registros específicos;
 Visitas domiciliares;
 Monitoramento e avaliaçaõ das atividades.
Resultados
Objetivo 1: Ampliar a cobertura de usuários hipertensos e/ou diabéticos na
UBS.
Meta: 1.1 Cadastrar 100% dos Hipertensos da área de abrangência no
Programa de Atenção à Hipertensão Arterial e à Diabetes Mellitus da unidade de
saúde
Antes da intervenção: 98,7%.
Mês 1: 108 (33,4%) Mês 2: 223 (69,0%) Mês 3: 323 (100,0%).
33.4%
69.0%
100.0%
0%
10%
20%
30%
40%
50%
60%
70%
80%
90%
100%
Mês 1 Mês 2 Mês 3
Figura 1: Cobertura do programa de atenção ao hipertenso na unidade de saúde.
Meta 1.2- Cadastrar 70% dos Diabéticos da área de abrangência no Programa
de Atenção à Hipertensão Arterial e à Diabetes Mellitus da unidade de saúde.
Antes da intervenção: 57,6%
28.3%
55.4%
75.0%
0%
10%
20%
30%
40%
50%
60%
70%
80%
90%
100%
Mês 1 Mês 2 Mês 3
Mês 1: 26 (28,3%) Mês 2: 51 (55,4%) Mês 3: 69 (75,0%)
Figura 2: Cobertura do programa de atenção ao diabético na unidade de saúde
Objetivo 2: Melhorar a qualidade da atenção a hipertensos e/ou diabéticos na
UBS.
Meta 2.1: Realizar exame clínico apropriado em 100% dos hipertensos.
Mês 1: 108 (100%) Mês 2: 223 (100%) Mês 3: 323 (100%).
Meta 2.2: Realizar exame clínico apropriado em 100% dos diabéticos.
Mês 1: 26 (100%) Mês 2: 51 (100%) Mês 3: 69 (100%).
Meta 2.3: Garantir a 100% dos hipertensos a realização de exames
complementares em dia de acordo com o protocolo.
Mês 1: 108 (100%) Mês 2: 223 (100%) Mês 3: 323 (100%).
Meta 2.4: Garantir a 100% dos diabéticos a realização de exames
complementares em dia de acordo com o protocolo.
Mês 1: 26 (100%) Mês 2: 51 (100%) Mês 3: 69 (100%).
Meta 2.5: Priorizar a prescrição de medicamentos da farmácia popular para 100%
dos hipertensos cadastrados na unidade de saúde
Mês 1: 108 (100%) Mês 2: 223 (100%) Mês 3: 319 (98,8%).
100.0% 100.0% 98.8%
0.0%
10.0%
20.0%
30.0%
40.0%
50.0%
60.0%
70.0%
80.0%
90.0%
100.0%
Mês 1 Mês 2 Mês 3
Figura 3: Proporção de pessoas com hipertensão com prescripção de medicamentos da
Farmácia Popular/Hiperdia priorizada
Meta 2.6: Priorizar a prescrição de medicamentos da farmácia popular para 100%
dos diabéticos cadastrados na unidade de saúde.
Mês 1 : 26 (100%) Mês 2: 51 (100%) Mês 3: 69 (100%).
Meta 2.7: Realizar avaliação da necessidade de atendimento odontológico em 100%
dos hipertensos na UBS.
Mês 1: 108 (100%) Mês 2: 223 (100%) Mês 3: 323 (100%).
Meta 2.8: Realizar avaliação da necessidade de atendimento odontológico em 100%
dos diabéticos na UBS.
Mês 1: 26 (100%) Mês 2: 51 (100%) Mês 3: 69 (100%).
Objetivo 3: Melhorar a adesão de hipertensos e/ou diabéticos ao programa.
Meta 3: Buscar 100% dos hipertensos e diabéticos faltosos às consultas na
unidade de saúde conforme a periodicidade recomendada.
Durante o desenvolvimento da intervenção somente dois usuários hipertensos
faltaram às consultas no primeiro mês e eles foram buscados. Não houve usuários
diabéticos faltosos.
Objetivo 4: Melhorar os registros das informações
Meta 4: Manter ficha de acompanhamento de 100% dos hipertensos e
diabéticos cadastrados na unidade de saúde.
Todos os usuários tiveram seu registro adequadamente preenchido.,
totalizando 100% em todos os meses.
Objetivo 5: Mapear hipertensos e diabéticos de risco para doenças cardiovascular.
Meta 5: Realizar estratificação do risco cardiovascular em 100% dos hipertensos e
diabéticos cadastrados na unidade de saúde.
Para HAS Mês 1: 108 (100%) Mês 2: 223 (100%) Mês 3: 323 (100%)
Para DM Mês 1: 26 (100%) Mês 2: 51 (100%) Mês 3: 69 (100%).
Objetivo 6: Promover a saúde de hipertensos e diabéticos da unidade de
saúde.
 Metas 6.1 e 6.2: Garantir orientação nutricional sobre alimentação saudável a
100% dos hipertensos e 100% dos diabéticos;
 Metas 6.3 e 6.4: Garantir orientação em relação à prática regular de atividade
física a 100% dos usuários hipertensos e diabéticos;
 Metas 6.5 e 6.4: Garantir orientação sobre os riscos do tabagismo a 100% dos
usuários hipertensos e diabéticos;
 Metas 6.7 e 6.8: Garantir orientação sobre higiene bucal a 100% dos usuários
hipertensos e diabéticos.
Discussão - Importância da intervenção para a equipe
 Capacitação dos profissionais;
 Atribução, compromisso e divisão de responsabilidades;
 Troca de experiências, discussões e ideias sobre práticas para
realizar ações de promoção de saúde;
 Propiciou a descentralização do papel da médica na atenção e a
interação entre os funcionários;
 Facilitou o trabalho em equipe com mais união, dedicação,
harmonia, integralidade e amor melhorando assim as relações
interpessoais entre os integrantes;
 Permitiu cadastrar o 100% de cobertura para o programa que
envolve os usuários hipertensos e aumentou a cobertura a 75% para
o programa dos usuários diabéticos.
Importância da intervencão para o serviço
 Melhorou o acolhimento aos usuarios;
 Propiciou a organização da agenda para atendimento aos usuários e
a demanda espontânea e também dos prontuários assim como a
classificação de risco para a priorização deles;
 Permitiu a realização de arquivo específico para melhor organização
e monitoramento;
 incremento da quantidade de exames complementares no
laboratório do município;
 integração da equipe com outros profissionais como a nutricionista,
psicóloga e o educador físico;
 incorporação a rotina da unidade como uma ação de
acompanhamento dos portadores de Hipertensão Arterial Sistémica
e/ou Diabetes mellitus.
Importância da intervenção para a comunidade
 Satisfação dos usuários hipertensos e diabéticos com o trabalho
realizado;
 Maior engajamento nas questões de saúde;
 Oferta de um serviço mais eficiente, organizado e com qualidade;
 Mudanças no estilo de vida dos usuários e maior qualidade de vida;
 Melhor relação equipe-comunidade;
 Proposta de ampliação a outras áreas programáticas.
Reflexão crítica sobre o processo pessoal de
aprendizagem
 Proporcionou superação profissional, aperfeiçoamento dos
conhecimentos e adquisição de novos;
 A participação nos fóruns e nos casos interativos propicio interagir
com outros profissionais e com orientadores, troca de ideias e
experiências;
 Os estudos das práticas clínicas permitiram investigar e pesquisar os
temas com dificuldades nos testes de qualificação cognitiva;
 Melhor qualidade de atenção na área programática de HAS e DM;
 Melhorar a língua portuguesa.
Obrigada a todos!

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a previsão ao tabagismo alcoolismo e drogas

Cetam - hiperdia
Cetam - hiperdiaCetam - hiperdia
SP Carinhosa - CRS Centro-oeste
SP Carinhosa - CRS Centro-oesteSP Carinhosa - CRS Centro-oeste
estudo de caso
estudo de casoestudo de caso
estudo de caso
Luciano José Raimundo
 
Vera_Programacao_atendimento
Vera_Programacao_atendimentoVera_Programacao_atendimento
Vera_Programacao_atendimento
comunidadedepraticas
 
Menezes, 2011 - Fatores associados ao diabetes
Menezes, 2011 - Fatores associados ao diabetesMenezes, 2011 - Fatores associados ao diabetes
Menezes, 2011 - Fatores associados ao diabetes
Mariana Menezes
 
Hipertensão arterial e_saúde_bucal_
Hipertensão arterial e_saúde_bucal_Hipertensão arterial e_saúde_bucal_
Hipertensão arterial e_saúde_bucal_
sedis-suporte
 
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Conduta terapeutica
Conduta terapeuticaConduta terapeutica
Conduta terapeutica
Inaiara Bragante
 
369
369369
Diabetes fitoterapicos
Diabetes fitoterapicosDiabetes fitoterapicos
Diabetes fitoterapicos
Danúbia Ap
 
Homero_Saude_bucal
Homero_Saude_bucalHomero_Saude_bucal
Homero_Saude_bucal
comunidadedepraticas
 
Plano diretor da atenção primária à saúde.
Plano diretor da atenção primária à saúde.Plano diretor da atenção primária à saúde.
Plano diretor da atenção primária à saúde.
Cinthia13Lima
 
Plano diretor da ap cínthia (1)
Plano diretor da ap  cínthia (1)Plano diretor da ap  cínthia (1)
Plano diretor da ap cínthia (1)
Cínthia Lima
 
Pns2012 2015 07jun
Pns2012 2015 07junPns2012 2015 07jun
Pns2012 2015 07jun
tccardoso
 
A EXPERIÊNCIA DO LABORATÓRIO DE INOVAÇÃO EM ATENÇÃO ÀS CONDIÇÕES CRÔNICAS (LI...
A EXPERIÊNCIA DO LABORATÓRIO DE INOVAÇÃO EM ATENÇÃO ÀS CONDIÇÕES CRÔNICAS (LI...A EXPERIÊNCIA DO LABORATÓRIO DE INOVAÇÃO EM ATENÇÃO ÀS CONDIÇÕES CRÔNICAS (LI...
A EXPERIÊNCIA DO LABORATÓRIO DE INOVAÇÃO EM ATENÇÃO ÀS CONDIÇÕES CRÔNICAS (LI...
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Apresentação natal 20_03_2014
Apresentação natal 20_03_2014Apresentação natal 20_03_2014
83 764-1-pb
83 764-1-pb83 764-1-pb
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
allex1234
 
TelessaúdeUFSC_Webpalestra_LinhaCuidadoDiabetesMellitus.pdf
TelessaúdeUFSC_Webpalestra_LinhaCuidadoDiabetesMellitus.pdfTelessaúdeUFSC_Webpalestra_LinhaCuidadoDiabetesMellitus.pdf
TelessaúdeUFSC_Webpalestra_LinhaCuidadoDiabetesMellitus.pdf
BrunoFranciscodeAssi
 
Revista diabetes portugual
Revista diabetes portugualRevista diabetes portugual
Revista diabetes portugual
Santos de Castro
 

Semelhante a previsão ao tabagismo alcoolismo e drogas (20)

Cetam - hiperdia
Cetam - hiperdiaCetam - hiperdia
Cetam - hiperdia
 
SP Carinhosa - CRS Centro-oeste
SP Carinhosa - CRS Centro-oesteSP Carinhosa - CRS Centro-oeste
SP Carinhosa - CRS Centro-oeste
 
estudo de caso
estudo de casoestudo de caso
estudo de caso
 
Vera_Programacao_atendimento
Vera_Programacao_atendimentoVera_Programacao_atendimento
Vera_Programacao_atendimento
 
Menezes, 2011 - Fatores associados ao diabetes
Menezes, 2011 - Fatores associados ao diabetesMenezes, 2011 - Fatores associados ao diabetes
Menezes, 2011 - Fatores associados ao diabetes
 
Hipertensão arterial e_saúde_bucal_
Hipertensão arterial e_saúde_bucal_Hipertensão arterial e_saúde_bucal_
Hipertensão arterial e_saúde_bucal_
 
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
 
Conduta terapeutica
Conduta terapeuticaConduta terapeutica
Conduta terapeutica
 
369
369369
369
 
Diabetes fitoterapicos
Diabetes fitoterapicosDiabetes fitoterapicos
Diabetes fitoterapicos
 
Homero_Saude_bucal
Homero_Saude_bucalHomero_Saude_bucal
Homero_Saude_bucal
 
Plano diretor da atenção primária à saúde.
Plano diretor da atenção primária à saúde.Plano diretor da atenção primária à saúde.
Plano diretor da atenção primária à saúde.
 
Plano diretor da ap cínthia (1)
Plano diretor da ap  cínthia (1)Plano diretor da ap  cínthia (1)
Plano diretor da ap cínthia (1)
 
Pns2012 2015 07jun
Pns2012 2015 07junPns2012 2015 07jun
Pns2012 2015 07jun
 
A EXPERIÊNCIA DO LABORATÓRIO DE INOVAÇÃO EM ATENÇÃO ÀS CONDIÇÕES CRÔNICAS (LI...
A EXPERIÊNCIA DO LABORATÓRIO DE INOVAÇÃO EM ATENÇÃO ÀS CONDIÇÕES CRÔNICAS (LI...A EXPERIÊNCIA DO LABORATÓRIO DE INOVAÇÃO EM ATENÇÃO ÀS CONDIÇÕES CRÔNICAS (LI...
A EXPERIÊNCIA DO LABORATÓRIO DE INOVAÇÃO EM ATENÇÃO ÀS CONDIÇÕES CRÔNICAS (LI...
 
Apresentação natal 20_03_2014
Apresentação natal 20_03_2014Apresentação natal 20_03_2014
Apresentação natal 20_03_2014
 
83 764-1-pb
83 764-1-pb83 764-1-pb
83 764-1-pb
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
 
TelessaúdeUFSC_Webpalestra_LinhaCuidadoDiabetesMellitus.pdf
TelessaúdeUFSC_Webpalestra_LinhaCuidadoDiabetesMellitus.pdfTelessaúdeUFSC_Webpalestra_LinhaCuidadoDiabetesMellitus.pdf
TelessaúdeUFSC_Webpalestra_LinhaCuidadoDiabetesMellitus.pdf
 
Revista diabetes portugual
Revista diabetes portugualRevista diabetes portugual
Revista diabetes portugual
 

Último

Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
sula31
 
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptxSíndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
marjoguedes1
 
História da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdf
História da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdfHistória da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdf
História da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdf
JandersonGeorgeGuima
 
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
Luiz Henrique Pimentel Novais Silva
 
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do TrabalhoApostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
CatieleAlmeida1
 
DESVIOS POSTURAIS DA COLUNA VERTEBRAL 0001.pptx
DESVIOS POSTURAIS DA COLUNA VERTEBRAL 0001.pptxDESVIOS POSTURAIS DA COLUNA VERTEBRAL 0001.pptx
DESVIOS POSTURAIS DA COLUNA VERTEBRAL 0001.pptx
Klaisn
 
4.Tecidos Excitáveis - Tecido Nervoso.pptx
4.Tecidos Excitáveis - Tecido Nervoso.pptx4.Tecidos Excitáveis - Tecido Nervoso.pptx
4.Tecidos Excitáveis - Tecido Nervoso.pptx
AmaroAlmeidaChimbala
 
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 

Último (8)

Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
 
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptxSíndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
 
História da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdf
História da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdfHistória da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdf
História da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdf
 
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
 
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do TrabalhoApostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
 
DESVIOS POSTURAIS DA COLUNA VERTEBRAL 0001.pptx
DESVIOS POSTURAIS DA COLUNA VERTEBRAL 0001.pptxDESVIOS POSTURAIS DA COLUNA VERTEBRAL 0001.pptx
DESVIOS POSTURAIS DA COLUNA VERTEBRAL 0001.pptx
 
4.Tecidos Excitáveis - Tecido Nervoso.pptx
4.Tecidos Excitáveis - Tecido Nervoso.pptx4.Tecidos Excitáveis - Tecido Nervoso.pptx
4.Tecidos Excitáveis - Tecido Nervoso.pptx
 
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
 

previsão ao tabagismo alcoolismo e drogas

  • 1. Qualificação da Atenção à Saúde de Usuários com Hipertensão Arterial Sistêmica e/ou Diabetes mellitus na ESF IV Valim, Mostardas / RS Elsa Maria Bignotte Romero Orientadora: Fabiana Vargas Ferreira
  • 2. Introdução  A Diabetes mellitus (DM) e a Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) são responsáveis pela primeira causa de mortalidade e de hospitalizações no Sistema Único de Saúde (SUS) e são fatores desencadeantes de outras doenças que provocam incapacidade ao indivíduo;  A prevalência de HAS varia de 22% e 44% para adultos, chegando a mais de 50% para indivíduos com 60 a 69 anos e 75% para indivíduos com mais de 70 anos e a prevalência de DM acima de 18 anos aumentou de 5,3% a 5,6%, entre 2006 e 2011. Vigitel, 2014
  • 3. • Mostardas (RS) - Faz parte do litoral sul do Estado Rio Grande do Sul, entre a Laguna dos Patos e o Océano Atlántico; • População estimada de 12.124 habitantes; • Clima subtropical úmido; • Conta com 5 UBS, todas com ESF, 2 situadas na cidade e 3 em área rural. • ESF IV Valim - Localização rural; • 1 equipe; • População da área de abrangência: 1445; • 531 familias.
  • 4. Situação da ação programática HAS e/ou DM antes da intervenção  Cobertura incompleta de usuarios com HAS (98,7%) e DM (57,6%);  Não existência na unidade de protocolos de atendimento para usuarios portadores de HAS e DM;  Atendimentos sem a qualidade requerida;  Não existência de grupos para atividade de promoção e prevenção à saúde;  Sem registros específicos para usuários portadores de HAS e DM;  Necessidade de capacitação da equipe sobre os protocolos de atenção;  Necessidade de maior envolvimento da equipe nos atendimentos.
  • 5. Objetivo Geral e Específicos *Melhorar a atenção aos usuários Hipertensos e Diabéticos na ESF IV Valim, Mostardas/ RS. 1. Ampliar a cobertura de usuários hipertensos e/ou diabéticos na UBS; 2. Melhorar a qualidade da atenção a hipertensos e/ou diabéticos na UBS; 3. Melhorar a adesão de usuários hipertensos e/ou diabéticos ao programa na UBS; 4. Melhorar o registro das informações dos usuários hipertensos ou diabéticos na UBS; 5. Mapear hipertensos e/ou diabéticos de risco para doença cardiovascular; 6. Promover a saúde de hipertensos e diabéticos na UBS.
  • 6. Metodologia  Capacitação da equipe sobre os protocolos de atenção a usuários com HAS e DM;  Realização dos grupos para atividades educativas de promoção e prevenção de saúde;  Divulgação da ação programática na comunidade;  Participação dos líderes comunitários e gestora municipal;  Organização do serviço;  Atendimento com uso dos registros específicos;  Visitas domiciliares;  Monitoramento e avaliaçaõ das atividades.
  • 7. Resultados Objetivo 1: Ampliar a cobertura de usuários hipertensos e/ou diabéticos na UBS. Meta: 1.1 Cadastrar 100% dos Hipertensos da área de abrangência no Programa de Atenção à Hipertensão Arterial e à Diabetes Mellitus da unidade de saúde Antes da intervenção: 98,7%. Mês 1: 108 (33,4%) Mês 2: 223 (69,0%) Mês 3: 323 (100,0%). 33.4% 69.0% 100.0% 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80% 90% 100% Mês 1 Mês 2 Mês 3 Figura 1: Cobertura do programa de atenção ao hipertenso na unidade de saúde.
  • 8. Meta 1.2- Cadastrar 70% dos Diabéticos da área de abrangência no Programa de Atenção à Hipertensão Arterial e à Diabetes Mellitus da unidade de saúde. Antes da intervenção: 57,6% 28.3% 55.4% 75.0% 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80% 90% 100% Mês 1 Mês 2 Mês 3 Mês 1: 26 (28,3%) Mês 2: 51 (55,4%) Mês 3: 69 (75,0%) Figura 2: Cobertura do programa de atenção ao diabético na unidade de saúde
  • 9. Objetivo 2: Melhorar a qualidade da atenção a hipertensos e/ou diabéticos na UBS. Meta 2.1: Realizar exame clínico apropriado em 100% dos hipertensos. Mês 1: 108 (100%) Mês 2: 223 (100%) Mês 3: 323 (100%). Meta 2.2: Realizar exame clínico apropriado em 100% dos diabéticos. Mês 1: 26 (100%) Mês 2: 51 (100%) Mês 3: 69 (100%). Meta 2.3: Garantir a 100% dos hipertensos a realização de exames complementares em dia de acordo com o protocolo. Mês 1: 108 (100%) Mês 2: 223 (100%) Mês 3: 323 (100%). Meta 2.4: Garantir a 100% dos diabéticos a realização de exames complementares em dia de acordo com o protocolo. Mês 1: 26 (100%) Mês 2: 51 (100%) Mês 3: 69 (100%).
  • 10. Meta 2.5: Priorizar a prescrição de medicamentos da farmácia popular para 100% dos hipertensos cadastrados na unidade de saúde Mês 1: 108 (100%) Mês 2: 223 (100%) Mês 3: 319 (98,8%). 100.0% 100.0% 98.8% 0.0% 10.0% 20.0% 30.0% 40.0% 50.0% 60.0% 70.0% 80.0% 90.0% 100.0% Mês 1 Mês 2 Mês 3 Figura 3: Proporção de pessoas com hipertensão com prescripção de medicamentos da Farmácia Popular/Hiperdia priorizada
  • 11. Meta 2.6: Priorizar a prescrição de medicamentos da farmácia popular para 100% dos diabéticos cadastrados na unidade de saúde. Mês 1 : 26 (100%) Mês 2: 51 (100%) Mês 3: 69 (100%). Meta 2.7: Realizar avaliação da necessidade de atendimento odontológico em 100% dos hipertensos na UBS. Mês 1: 108 (100%) Mês 2: 223 (100%) Mês 3: 323 (100%). Meta 2.8: Realizar avaliação da necessidade de atendimento odontológico em 100% dos diabéticos na UBS. Mês 1: 26 (100%) Mês 2: 51 (100%) Mês 3: 69 (100%).
  • 12. Objetivo 3: Melhorar a adesão de hipertensos e/ou diabéticos ao programa. Meta 3: Buscar 100% dos hipertensos e diabéticos faltosos às consultas na unidade de saúde conforme a periodicidade recomendada. Durante o desenvolvimento da intervenção somente dois usuários hipertensos faltaram às consultas no primeiro mês e eles foram buscados. Não houve usuários diabéticos faltosos. Objetivo 4: Melhorar os registros das informações Meta 4: Manter ficha de acompanhamento de 100% dos hipertensos e diabéticos cadastrados na unidade de saúde. Todos os usuários tiveram seu registro adequadamente preenchido., totalizando 100% em todos os meses.
  • 13. Objetivo 5: Mapear hipertensos e diabéticos de risco para doenças cardiovascular. Meta 5: Realizar estratificação do risco cardiovascular em 100% dos hipertensos e diabéticos cadastrados na unidade de saúde. Para HAS Mês 1: 108 (100%) Mês 2: 223 (100%) Mês 3: 323 (100%) Para DM Mês 1: 26 (100%) Mês 2: 51 (100%) Mês 3: 69 (100%).
  • 14. Objetivo 6: Promover a saúde de hipertensos e diabéticos da unidade de saúde.  Metas 6.1 e 6.2: Garantir orientação nutricional sobre alimentação saudável a 100% dos hipertensos e 100% dos diabéticos;  Metas 6.3 e 6.4: Garantir orientação em relação à prática regular de atividade física a 100% dos usuários hipertensos e diabéticos;  Metas 6.5 e 6.4: Garantir orientação sobre os riscos do tabagismo a 100% dos usuários hipertensos e diabéticos;  Metas 6.7 e 6.8: Garantir orientação sobre higiene bucal a 100% dos usuários hipertensos e diabéticos.
  • 15. Discussão - Importância da intervenção para a equipe  Capacitação dos profissionais;  Atribução, compromisso e divisão de responsabilidades;  Troca de experiências, discussões e ideias sobre práticas para realizar ações de promoção de saúde;  Propiciou a descentralização do papel da médica na atenção e a interação entre os funcionários;  Facilitou o trabalho em equipe com mais união, dedicação, harmonia, integralidade e amor melhorando assim as relações interpessoais entre os integrantes;  Permitiu cadastrar o 100% de cobertura para o programa que envolve os usuários hipertensos e aumentou a cobertura a 75% para o programa dos usuários diabéticos.
  • 16. Importância da intervencão para o serviço  Melhorou o acolhimento aos usuarios;  Propiciou a organização da agenda para atendimento aos usuários e a demanda espontânea e também dos prontuários assim como a classificação de risco para a priorização deles;  Permitiu a realização de arquivo específico para melhor organização e monitoramento;  incremento da quantidade de exames complementares no laboratório do município;  integração da equipe com outros profissionais como a nutricionista, psicóloga e o educador físico;  incorporação a rotina da unidade como uma ação de acompanhamento dos portadores de Hipertensão Arterial Sistémica e/ou Diabetes mellitus.
  • 17. Importância da intervenção para a comunidade  Satisfação dos usuários hipertensos e diabéticos com o trabalho realizado;  Maior engajamento nas questões de saúde;  Oferta de um serviço mais eficiente, organizado e com qualidade;  Mudanças no estilo de vida dos usuários e maior qualidade de vida;  Melhor relação equipe-comunidade;  Proposta de ampliação a outras áreas programáticas.
  • 18. Reflexão crítica sobre o processo pessoal de aprendizagem  Proporcionou superação profissional, aperfeiçoamento dos conhecimentos e adquisição de novos;  A participação nos fóruns e nos casos interativos propicio interagir com outros profissionais e com orientadores, troca de ideias e experiências;  Os estudos das práticas clínicas permitiram investigar e pesquisar os temas com dificuldades nos testes de qualificação cognitiva;  Melhor qualidade de atenção na área programática de HAS e DM;  Melhorar a língua portuguesa.