SlideShare uma empresa Scribd logo
•
•
S'Jpremo Tribunal Federal
08/05/2017 18:23 0022657
11111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111
MINISTÉRIO PúBLICO FEDERAL
Procuradoria-Geral da República
W 108339/2017 - GTLJ/PGR
Questão de Ordem no INQ n. 4.446/DF
Relator: Ministro Edson Fachin
Suscitante: Hebert Lamarck Gomes da Silva
o Procurador-Geral da República vem manifestar-se perante a
QUESTÃO DE ORDEM suscitada por HEBERT LAMARCK
GOMES DA SILVA às fls. 37/40 do presente inquérito, nos se-
guintes termos.
I. Relatório
Trata-se de inquérito instaurado no Supremo Tribunal Federal
para investigar possíveis crimes praticados pelo Deputado Federal
HEBERTE LAMARCK GOMES DA SILVA (BETINHO GO-
MES), entre outros, a partir de depoimentos prestados pelos cola-
boradores Djean Vasconcelos Cruz e Paul Elie AItit.
Conforme destacado pela Procuradoria-Geral da República no
requerimento de abertura do inquérito, os relatos e os documentos
apresentados pelos referidos colaboradores apontam que, em 20
•
•
PGR
07Questão de Ordem no INQ 4.446/DF / I
. I
e 2014, a ODEBRECHT teria efetuado pagamentos ilícitos em prol
do parlamentar ora investigado e de outros políticos, como contra-
partida à obtenção pelo grupo empresarial de benefícios no em-
preendimento denominado "Reserva do Paiva", complexo que
congrega construções residenciais e comerciais localizado no Cabo
de Santo Agostinho/PE.
Ante o possível cometimento pelos envolvidos, em tese, dos
crimes tipificados nos arts. 317 e 333 do Código Penal e no art. 10
da Lei 9.613/98, a Procuradoria-Geral da República manifestou-se
no sentido da instauração de inquérito, requerendo a realização de
diligências a serem adotadas pela autoridade policial, bem como a
juntada dos depoimentos e o levantamento do sigilo dos autos.
Em decisão monocrática datada de 4/4/2017 (fls. 14/18), am-
bos os pleitos foram integralmente deferidos, pelos seguintes fun-
damentos:
[.. ·1
2. Como sabido, apresentado o pedido de instaura-
ção de inquérito pelo Procurador-Geral da República; in-
cumbe ao Relator deferi-lo, nos termos do art. 21, xv, do
RISTF, não lhe competindo qualquer aprofundamento sobre
o mérito das suspeitas indicadas, exceto se, a toda evidência,
revelarem-se inteiramente infundadas, conforme as exceções
elencadas nas letras tá" a "e'~ da norma regimental, as quais,
registro, não se fazem presentes no caso.
3. Quanto à unicidade da apuração, com potencial de
abrangência de agentes não detentores de prerrogativa de
foro perante esta Corte, nesse embrionário momento apura-
tório a conveniência da condução da investigação deve ser
aferida prioritariamente pelos agentes afetos à persecução
penal, descabendo conferir, em tal ambiência, papel de desta-
que ao Estado-Juiz. À obviedade, eventual amadurecimento
2 de 8
PGR
•
•
Questão de Ordem no INQ 4.446fDF
da investigação poderá conduzir à reavaliação da competên-
cia, contudo, deve ser prestigiada, nesta etapa, a conveniência
motivada pelo Ministério Público, providência agasalhada
pela Súmula 704/S1F.
4. Com relação ao pleito de levantamento do sigilo
dos autos, anoto que, como regra geral, a Constituição Fede-
ral veda a restrição à publicidade dos atos processuais, ressal-
vada a hipótese em que a defesa do interesse social e da
intimidade exigir providência diversa (art. 5°, LX), e desde
que"apreservação do direito à intimidade do interessado no sigilo não
prejudique ointeressepúblico à i'!fOrmação" (art. 93, IX).
Percebe-se, nesse cenário, que a própria Constituição,
em antecipado juízo de ponderação iluminado pelos ideais
democráticos e republicanos, no campo dos atos
jurisdicionais, prestigia o interesse público à informação.
Acrescenta-se que a exigência de motivação e de publicidade
das decisões judiciais integra o mesmo dispositivo
constitucional (art. 93, IX), fato decorrente de uma razão
lógica: ambas as imposições, a um só tempo, propiciam o
controle da atividade jurisdicional tanto sob uma ótica
endoprocessual (pelas partes e outros interessados), quanto
extraprocessual (pelo povo em nome de quem o poder é
exercido). Logo, o Estado-Juiz, devedor da prestação
jurisdicional, ao aferir a indispensabilidade, ou não, da
restrição à publicidade, não pode se afastar da eleição de
diretrizes normativas vinculantes levadas a efeito pelo
legislador constitucional.
O'outro lado, a Lei 12.850/2013, ao tratar da
colaboração premiada em investigações criminais, impôs
regime de sigilo ao acordo e aos procedimentos
correspondentes (art. 7"), circunstância que, em princípio,
perdura, se for o caso, até o eventual recebimento da
denúncia (art. 7°, § 3"). Observe-se, entretanto, que referida
sistemática deve ser compreendida à luz das regras e
princípios constitucionais, tendo como lastro suas finalidades
precípuas, quais sejam, a garantia do êxito das investigações
(art. 7°, § 2°) e a proteção à pessoa do colaborador e de seus
próximos (art. 5°, lI). Não fosse isso, compete enfatizar que
o mencionado art. 7°, § 3°, relaciona-se ao exercício do
direito de defesa, assegurando ao denunciado, após o
recebimento da peça acusatória, e com os meios e recursos
inerentes ao contraditório, a possibilidade de insurgir-se
contra a denúncia. Todavia, referido dispositivo que, como
3 de 8
PGR
•
•
Questão de Ordem no INQ 4.446/DF
dito, tem a preservação da ampla defesa como razão de ser,
não veda a implementação da publicidade em momento
processual anterior.
5. No caso, a manifestação do órgão acusador revela,
desde logo, que não mais subsistem, sob a ótica do sucesso
da investigação, razões que determinem a manutenção do
regime restritivo da publicidade.
Em relação aos direitos do colaborador, as
patticularidadcs da situação evidenciam que o contexto
fático subjacente, notadamente o envolvimento em delitos
associados à gestão da coisa pública, atraem o interesse
público à informação e, portanto, desautorizam o
afastamento da norma constitucional que confere predileção
à publicidade dos atos processuais. Com esse pensamento,
aliás, o saudoso Min. TEOR! ZAVASCKI, meu antecessor
na Relatoria de inúmeros feitos a este relacionados, já
determinou o levantamento do sigilo em autos de
colaborações premiadas em diversas oportunidades, citando-
se: Pet. 6.149 (23.11.2016); Pet. 6.122 (18.11.2016); Pet.
6.150 (21.11.2016); Pet. 6.121 (25.10.2016); Pet. 5.970
(01.09.2016); Pet. 5.886 (30.05.2016); Pet. 5.899 (09.03.2016);
Pet. 5.624 (26.11.2015); Pet. 5.737 (09.12.2015); Pet. 5.790
(18.12.2015); Pet. 5.780 (15.12.2015); Pet. 5.253 (06.03.2015);
Pet. 5.259 (06.03.2015) e Pet. 5.287 (06.03.2015). Na mesma
linha, registro o julgamento, em 21.02.2017, do agravo
regimental na Pet. 6.138 (acórdão pendente de publicação),
ocasião em que a Segunda Turma desta Corte, por
unanimidade, considerou legítimo o levantamento do sigilo
de autos que contavam com colaboração premiada, mesmo
anteriormente ao recebimento da denúncia.
No que toca à divulgação da imagem do colaborador,
cumpre enfatizat que a Lei 12.850;2013 determina que,
sempre que possível, o registro das respectivas declarações
deve ser realizado por meio audiovisual (art. 4°, §13). Trata-
se, corno se vê, de regra legal que busca conferir maior
fidedignidade ao registro do ato processual e, nessa
perspectiva, corporifica o próprio meio de obtenção da
prova. Em tese, seria possível cogítar que o colaborador,
durante a colheita de suas declarações, por si ou por
intermédio da defesa técnica que o acompanhou no ato,
expressasse insurgência contra tal proceder, todavia, na
Iúpótese concreta não se verifica, a tempo e modo, qualquer
impugnação, somente tatdiamente veiculada.
4 de 8
•
•
PGR Questão de Ordem no INQ 4.446/DF
Assim, considerando a falta de impugnação
tempestiva e observada a recomendação normativa quanto à
formação do ato, a imagem do colaborador não deve ser
dissociada dos depoimentos colhidos, sob pena de
verdadeira desconstrução de ato processual perfeito e
devidamente homologado.
Por fim, as informações próprias do acordo de
colaboração, como, por exemplo, tempo, forma de
cumprimento de pena e multa, não estão sendo reveladas,
porque sequer juntadas aos autos.
À luz dessas considerações, tenho como pertinente o
pedido para levantamento do sigilo, em vista da regra geral
da publicidade dos atos processuais.
Em seguida, o ora investigado HEBERT LAMARCK GO-
MES DA SILVA suscitou a presente QUESTÃO DE ORDEM às
fls. 37/40, em que, em síntese, sob a alegação de que os fatos inves-
tigados no presente inquérito não guardam relação com a denomi-
nada Operação Lava Jato, requer "seja determinada a livre distribuição do
presentefeito entre todos os Ministros dessa E. Corte, para que então possa o
Requerente exercer oseu amplo direito de difesa".
Eis, em síntese, os fatos de interesse.
11. Fundamentação
Do que se pode verificar, especialmente pela narrativa do
quanto investigado no bojo da intitulada Operação Lava Jato e dos
fatos versados no presente inquérito, não há conexão direta e
tampouco continência entre os fatos investigados em ambos os
apuratórios.
5 de 8
$}
{It
•
•
~~PGR Questão de Ordem no INQ 4.446/DF {tI
Realmente, não há aqui conexão ou continência propriamente
dita com os fatos já distribuídos à relatoria do Ministro Edson
Fachin. Isso porque não ocorrem na espécie as hipóteses dos arts.
76 e 77 do cpp - e, por consequência, do art. 69 do Regimento
Interno do Supremo Tribunal Federal. Não há, tampouco
elementos que apontem para a necessidade ou conveniência de
reunião do presente procedimento com aqueles que apuram
irregularidades no âmbito da Operação LavaJato.
Conforme já decidiu essa Egrégia Corte, o simples fato de
haver encontro de provas em uma investigação não é suficiente
para justificar a conexão e a reunião de feitos perante o mesmo
órgão julgador:
Ementa: PENAL E PROCESSO PENAL. COMPETÊN-
CIA. CONEXÃO. INEXISTÊNCIA. ADITAMENTO DA
DENÚNCIA. SISTEMA ACUSATÓRIO. 1. O princípio
acusatório é vulnerado de forma reflexa nas hipóteses em que
a decisão do magistrado, após a manifestação do Ministério
Público Federal no sentido de remessa dos autos ao juízo
competente, determina o aditamento da denúncia para incluir
fatos constantes do relatório policial em função da conexão.
2. O sistema acusatório confere ao Ministério Público, exclu-
sivamente, na ação penal pública, a formação do opinio delic-
ti, separando a função de acusar daquela de julgar. 3. A cone-
xão perfiÚte o Juízo disputar a competência para julgamento
do feito, mas não o autoriza, a pretexto do liame probatório, a
superar o dofiÚnus Iitis, o Ministério Público, e determinar o
oferecimento de denúncia contra o impetrante, formulando
prévio juízo de culpa, gerador de nulidade processual. 4. A
conexão intersubjetiva ou instrumental decorrente de encon-
tro fortuito de prova que nada tem a ver com o objeto da in-
vestigação principal, não tem o condão de impor o unum et
idem judex, máxime com vulneração do princípio acusatório.
6 de 8
•
•
PGR Questão de Ordem no INQ 4.446/DF
5. A conexão no processo dá-se em favor da jurisdição de
modo a facilitar a colheita da prova, evitar decisões contradi-
tórias e permitir cognição mais profunda e exauriente da ma-
téria posta a julgamento. O simples encontro fortuito de pro-
va de infração que não possui relação com o objeto da inves-
tigação em andamento não enseja o simultaneus processus. 6.
In casu, durante a "Operação Abate" que investigava fraude
na obtenção de selo sanitário em frigoríficos no estado de
Rondônia, descobriu-se esquema de corrupção envolvendo
diversos órgãos federais e estaduais, autarquias e instituições
financeiras públicas e privadas com a finalidade de obtenção
de vantagem ilicita pelas empresas da família Bihl, no estado
do Mato Grosso. O impetrante, ex-funcionário do Ministério
da Integração Nacional, supostamente emitiu cartas de anu-
ência mediante fraude para facilitar a formalização de hipote-
ca pelas empresas do Grupo Bihl. 7. Recurso parcialmente
provido para remeter o aditamento da denúncia, apenas em
relação ao recorrente, à Justiça Federal no Distrito Federal,
com traslado integral dos autos.
(STF, RHC 120379, Relator(a): Min. LUIZ FUX, Primeira
Turma, julgado em 26/08/2014, PROCESSO ELETRÔNI-
CO DJe-210 DIVULG 23-10-2014 PUBLIC 24-10-2014)
Assim, por não haver fundamento jurídico para a apuração
conjunta do presente inquérito no contexto dos demais casos
investigados no âmbito da denominada Operação Lava Jato, o feito
há de ser submetido a livre distribuição no âmbito do Supremo
Tribunal Federal.
lU. Conclusão
Ante o exposto, o Procurador-Geral da República requer o de-
ferimento da questão de ordem suscitada por HEBERT LA-
7 de 8
~----------------------------------------------------------------------------- - -
•
•
PGR Questão de Ordem no [NQ 4.446/DF
MARCK GOMES DA SILVA, a fim de ser o presente inquérito
submetido a livre distribuição no Supremo Tribunal Federal.
Brasília (DF), 8 de maio de 2017.
Rodrigo Ja onteiro de Barros
Procurador-Geral da República
vfl
8 de 8

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Decio lima e ana paula lima
Decio lima e ana paula limaDecio lima e ana paula lima
Decio lima e ana paula lima
Miguel Rosario
 
Fachin anula condenações de Lula
Fachin anula condenações de Lula Fachin anula condenações de Lula
Fachin anula condenações de Lula
Aquiles Lins
 
Romero jucá
Romero jucáRomero jucá
Romero jucá
Miguel Rosario
 
Vanessa graziotin
Vanessa graziotinVanessa graziotin
Vanessa graziotin
Miguel Rosario
 
Kassab lista fachin
Kassab   lista fachinKassab   lista fachin
Kassab lista fachin
Miguel Rosario
 
HC Juvanete
HC JuvaneteHC Juvanete
HC Juvanete
Jamildo Melo
 
Relator diz para não soltar Lula
Relator diz para não soltar LulaRelator diz para não soltar Lula
Relator diz para não soltar Lula
R7dados
 
Voto Ricardo Lewandowski - suspeição de Moro
Voto Ricardo Lewandowski - suspeição de MoroVoto Ricardo Lewandowski - suspeição de Moro
Voto Ricardo Lewandowski - suspeição de Moro
Gisele Federicce
 
Inquérito de Betinho, Vado e Cianinho
Inquérito de Betinho, Vado e CianinhoInquérito de Betinho, Vado e Cianinho
Inquérito de Betinho, Vado e Cianinho
Giovanni Sandes
 
Manifestação da PGR pelo indiciamento de Aécio Neves
Manifestação da PGR pelo indiciamento de Aécio NevesManifestação da PGR pelo indiciamento de Aécio Neves
Manifestação da PGR pelo indiciamento de Aécio Neves
Nossa Política
 
Habeas corpus de Henrique Alves: 0805054-39.2017.4.05.0000
Habeas corpus de Henrique Alves: 0805054-39.2017.4.05.0000Habeas corpus de Henrique Alves: 0805054-39.2017.4.05.0000
Habeas corpus de Henrique Alves: 0805054-39.2017.4.05.0000
Portal NE10
 
Jarbas no STF
Jarbas no STFJarbas no STF
Jarbas no STF
Jamildo Melo
 
Renan 1
Renan 1Renan 1
Voto de Gilmar Mendes sobre a suspeição de Sérgio Moro
Voto de Gilmar Mendes sobre a suspeição de Sérgio Moro Voto de Gilmar Mendes sobre a suspeição de Sérgio Moro
Voto de Gilmar Mendes sobre a suspeição de Sérgio Moro
Aquiles Lins
 
CPI Rio Grande do Sul
CPI Rio Grande do SulCPI Rio Grande do Sul
CPI Rio Grande do Sul
Luiz Carlos Azenha
 
Decisão ministro Ricardo Lewandowski
Decisão ministro Ricardo LewandowskiDecisão ministro Ricardo Lewandowski
Decisão ministro Ricardo Lewandowski
Editora 247
 
Jucá 3
Jucá 3Jucá 3
Habeas corpus de Eduardo Cunha: 0805144-47.2017.4.05.0000
Habeas corpus de Eduardo Cunha: 0805144-47.2017.4.05.0000Habeas corpus de Eduardo Cunha: 0805144-47.2017.4.05.0000
Habeas corpus de Eduardo Cunha: 0805144-47.2017.4.05.0000
Portal NE10
 
Oficio 707 versao final
Oficio 707   versao finalOficio 707   versao final
Oficio 707 versao final
Luis Nassif
 

Mais procurados (19)

Decio lima e ana paula lima
Decio lima e ana paula limaDecio lima e ana paula lima
Decio lima e ana paula lima
 
Fachin anula condenações de Lula
Fachin anula condenações de Lula Fachin anula condenações de Lula
Fachin anula condenações de Lula
 
Romero jucá
Romero jucáRomero jucá
Romero jucá
 
Vanessa graziotin
Vanessa graziotinVanessa graziotin
Vanessa graziotin
 
Kassab lista fachin
Kassab   lista fachinKassab   lista fachin
Kassab lista fachin
 
HC Juvanete
HC JuvaneteHC Juvanete
HC Juvanete
 
Relator diz para não soltar Lula
Relator diz para não soltar LulaRelator diz para não soltar Lula
Relator diz para não soltar Lula
 
Voto Ricardo Lewandowski - suspeição de Moro
Voto Ricardo Lewandowski - suspeição de MoroVoto Ricardo Lewandowski - suspeição de Moro
Voto Ricardo Lewandowski - suspeição de Moro
 
Inquérito de Betinho, Vado e Cianinho
Inquérito de Betinho, Vado e CianinhoInquérito de Betinho, Vado e Cianinho
Inquérito de Betinho, Vado e Cianinho
 
Manifestação da PGR pelo indiciamento de Aécio Neves
Manifestação da PGR pelo indiciamento de Aécio NevesManifestação da PGR pelo indiciamento de Aécio Neves
Manifestação da PGR pelo indiciamento de Aécio Neves
 
Habeas corpus de Henrique Alves: 0805054-39.2017.4.05.0000
Habeas corpus de Henrique Alves: 0805054-39.2017.4.05.0000Habeas corpus de Henrique Alves: 0805054-39.2017.4.05.0000
Habeas corpus de Henrique Alves: 0805054-39.2017.4.05.0000
 
Jarbas no STF
Jarbas no STFJarbas no STF
Jarbas no STF
 
Renan 1
Renan 1Renan 1
Renan 1
 
Voto de Gilmar Mendes sobre a suspeição de Sérgio Moro
Voto de Gilmar Mendes sobre a suspeição de Sérgio Moro Voto de Gilmar Mendes sobre a suspeição de Sérgio Moro
Voto de Gilmar Mendes sobre a suspeição de Sérgio Moro
 
CPI Rio Grande do Sul
CPI Rio Grande do SulCPI Rio Grande do Sul
CPI Rio Grande do Sul
 
Decisão ministro Ricardo Lewandowski
Decisão ministro Ricardo LewandowskiDecisão ministro Ricardo Lewandowski
Decisão ministro Ricardo Lewandowski
 
Jucá 3
Jucá 3Jucá 3
Jucá 3
 
Habeas corpus de Eduardo Cunha: 0805144-47.2017.4.05.0000
Habeas corpus de Eduardo Cunha: 0805144-47.2017.4.05.0000Habeas corpus de Eduardo Cunha: 0805144-47.2017.4.05.0000
Habeas corpus de Eduardo Cunha: 0805144-47.2017.4.05.0000
 
Oficio 707 versao final
Oficio 707   versao finalOficio 707   versao final
Oficio 707 versao final
 

Semelhante a pETIÇÃO JANOT bETINHO gOMES

Paulo pereira da silva 2
Paulo pereira da silva 2Paulo pereira da silva 2
Paulo pereira da silva 2
Miguel Rosario
 
Jose dirceu
Jose dirceuJose dirceu
Jose dirceu
Miguel Rosario
 
Roberto freire
Roberto freireRoberto freire
Roberto freire
Miguel Rosario
 
Lula quer mensagens
Lula quer mensagensLula quer mensagens
Lula quer mensagens
Luiz Carlos Azenha
 
Milton monti e valdemar costa neto
Milton monti e valdemar costa netoMilton monti e valdemar costa neto
Milton monti e valdemar costa neto
Miguel Rosario
 
MPF LULA
MPF LULAMPF LULA
MPF LULA
Portal NE10
 
Lula
LulaLula
Manifestação da República do Paraná contra Lula
Manifestação da República do Paraná contra LulaManifestação da República do Paraná contra Lula
Manifestação da República do Paraná contra Lula
Miguel Rosario
 
Arlindo chinaglia
Arlindo chinagliaArlindo chinaglia
Arlindo chinaglia
Miguel Rosario
 
Vicente candido da silva
Vicente candido da silvaVicente candido da silva
Vicente candido da silva
Miguel Rosario
 
STF mantém decisão que deu a Lula acesso a mensagens da Lava Jato
STF mantém decisão que deu a Lula acesso a mensagens da Lava JatoSTF mantém decisão que deu a Lula acesso a mensagens da Lava Jato
STF mantém decisão que deu a Lula acesso a mensagens da Lava Jato
Luís Carlos Nunes
 
Aecio
AecioAecio
Lindberg
LindbergLindberg
Lindberg
Miguel Rosario
 
Cassio cunha lima
Cassio cunha limaCassio cunha lima
Cassio cunha lima
Miguel Rosario
 
Aecio 2
Aecio 2Aecio 2
Jutahy magalhaes junior
Jutahy magalhaes juniorJutahy magalhaes junior
Jutahy magalhaes junior
Miguel Rosario
 
Maria do rosario
Maria do rosarioMaria do rosario
Maria do rosario
Miguel Rosario
 
Rhc 144615
Rhc 144615Rhc 144615
Rhc 144615
Editora 247
 
Katia abreu
Katia abreuKatia abreu
Katia abreu
Miguel Rosario
 
Jose carlos aleluia da costa
Jose carlos aleluia da costaJose carlos aleluia da costa
Jose carlos aleluia da costa
Miguel Rosario
 

Semelhante a pETIÇÃO JANOT bETINHO gOMES (20)

Paulo pereira da silva 2
Paulo pereira da silva 2Paulo pereira da silva 2
Paulo pereira da silva 2
 
Jose dirceu
Jose dirceuJose dirceu
Jose dirceu
 
Roberto freire
Roberto freireRoberto freire
Roberto freire
 
Lula quer mensagens
Lula quer mensagensLula quer mensagens
Lula quer mensagens
 
Milton monti e valdemar costa neto
Milton monti e valdemar costa netoMilton monti e valdemar costa neto
Milton monti e valdemar costa neto
 
MPF LULA
MPF LULAMPF LULA
MPF LULA
 
Lula
LulaLula
Lula
 
Manifestação da República do Paraná contra Lula
Manifestação da República do Paraná contra LulaManifestação da República do Paraná contra Lula
Manifestação da República do Paraná contra Lula
 
Arlindo chinaglia
Arlindo chinagliaArlindo chinaglia
Arlindo chinaglia
 
Vicente candido da silva
Vicente candido da silvaVicente candido da silva
Vicente candido da silva
 
STF mantém decisão que deu a Lula acesso a mensagens da Lava Jato
STF mantém decisão que deu a Lula acesso a mensagens da Lava JatoSTF mantém decisão que deu a Lula acesso a mensagens da Lava Jato
STF mantém decisão que deu a Lula acesso a mensagens da Lava Jato
 
Aecio
AecioAecio
Aecio
 
Lindberg
LindbergLindberg
Lindberg
 
Cassio cunha lima
Cassio cunha limaCassio cunha lima
Cassio cunha lima
 
Aecio 2
Aecio 2Aecio 2
Aecio 2
 
Jutahy magalhaes junior
Jutahy magalhaes juniorJutahy magalhaes junior
Jutahy magalhaes junior
 
Maria do rosario
Maria do rosarioMaria do rosario
Maria do rosario
 
Rhc 144615
Rhc 144615Rhc 144615
Rhc 144615
 
Katia abreu
Katia abreuKatia abreu
Katia abreu
 
Jose carlos aleluia da costa
Jose carlos aleluia da costaJose carlos aleluia da costa
Jose carlos aleluia da costa
 

Mais de Portal NE10

Edital do concurso da EPE 2024 - 07.06.2024
Edital do concurso da EPE 2024 - 07.06.2024Edital do concurso da EPE 2024 - 07.06.2024
Edital do concurso da EPE 2024 - 07.06.2024
Portal NE10
 
CNH Pai DÉgua: veja lista de classificados
CNH Pai DÉgua: veja lista de classificadosCNH Pai DÉgua: veja lista de classificados
CNH Pai DÉgua: veja lista de classificados
Portal NE10
 
Brasileirão: CBF divulga tabela da Série B 2024
Brasileirão: CBF divulga tabela da Série B 2024Brasileirão: CBF divulga tabela da Série B 2024
Brasileirão: CBF divulga tabela da Série B 2024
Portal NE10
 
Concurso do edital da Polícia Civil de Pernambuco
Concurso do edital da Polícia Civil de PernambucoConcurso do edital da Polícia Civil de Pernambuco
Concurso do edital da Polícia Civil de Pernambuco
Portal NE10
 
CNH Gratuita em Belém: veja o resultado CNH Pai d'Égua.pdf
CNH Gratuita em Belém: veja o resultado CNH Pai d'Égua.pdfCNH Gratuita em Belém: veja o resultado CNH Pai d'Égua.pdf
CNH Gratuita em Belém: veja o resultado CNH Pai d'Égua.pdf
Portal NE10
 
Edital Caixa 2024 - nível superior - DOU.pdf
Edital Caixa 2024 - nível superior - DOU.pdfEdital Caixa 2024 - nível superior - DOU.pdf
Edital Caixa 2024 - nível superior - DOU.pdf
Portal NE10
 
Edital Caixa 2024 - nível médio - DOU.pdf
Edital Caixa 2024 - nível médio - DOU.pdfEdital Caixa 2024 - nível médio - DOU.pdf
Edital Caixa 2024 - nível médio - DOU.pdf
Portal NE10
 
Carnaval 2024: Veja a lista das linhas de ônibus que terão o itinerário modif...
Carnaval 2024: Veja a lista das linhas de ônibus que terão o itinerário modif...Carnaval 2024: Veja a lista das linhas de ônibus que terão o itinerário modif...
Carnaval 2024: Veja a lista das linhas de ônibus que terão o itinerário modif...
Portal NE10
 
Edital do concurso público do Banco do Nordeste
Edital do concurso público do Banco do NordesteEdital do concurso público do Banco do Nordeste
Edital do concurso público do Banco do Nordeste
Portal NE10
 
Concurso para a Saúde da Prefeitura do Recife
Concurso para a Saúde da Prefeitura do RecifeConcurso para a Saúde da Prefeitura do Recife
Concurso para a Saúde da Prefeitura do Recife
Portal NE10
 
Edital do concurso PMPE e Corpo de Bombeiros.pdf
Edital do concurso PMPE e Corpo de Bombeiros.pdfEdital do concurso PMPE e Corpo de Bombeiros.pdf
Edital do concurso PMPE e Corpo de Bombeiros.pdf
Portal NE10
 
TV JORNAL - REGULAMENTO DO QUADRO SENAC NA PRESSÃO
TV JORNAL - REGULAMENTO DO QUADRO SENAC NA PRESSÃOTV JORNAL - REGULAMENTO DO QUADRO SENAC NA PRESSÃO
TV JORNAL - REGULAMENTO DO QUADRO SENAC NA PRESSÃO
Portal NE10
 
Cartilha do Piso salarial da enfermagem
Cartilha do Piso salarial da enfermagemCartilha do Piso salarial da enfermagem
Cartilha do Piso salarial da enfermagem
Portal NE10
 
Mapa do Metrô de São Paulo
Mapa do Metrô de São PauloMapa do Metrô de São Paulo
Mapa do Metrô de São Paulo
Portal NE10
 
Piso salarial da enfermagem - Portaria GM_MS Nº 1.135, DE 16 DE AGOSTO DE 2023
Piso salarial da enfermagem - Portaria GM_MS Nº 1.135, DE 16 DE AGOSTO DE 2023Piso salarial da enfermagem - Portaria GM_MS Nº 1.135, DE 16 DE AGOSTO DE 2023
Piso salarial da enfermagem - Portaria GM_MS Nº 1.135, DE 16 DE AGOSTO DE 2023
Portal NE10
 
Bula do Ozempic, remédio para tratar diabetes tipo 2 usado para emagrecer
Bula do Ozempic, remédio para tratar diabetes tipo 2 usado para emagrecerBula do Ozempic, remédio para tratar diabetes tipo 2 usado para emagrecer
Bula do Ozempic, remédio para tratar diabetes tipo 2 usado para emagrecer
Portal NE10
 
Piso salarial da enfermagem: Portaria nº 597 do Ministério da Saúde é republi...
Piso salarial da enfermagem: Portaria nº 597 do Ministério da Saúde é republi...Piso salarial da enfermagem: Portaria nº 597 do Ministério da Saúde é republi...
Piso salarial da enfermagem: Portaria nº 597 do Ministério da Saúde é republi...
Portal NE10
 
Relatório Termômetro LIDE-Conectar - Abril 2023
Relatório Termômetro LIDE-Conectar - Abril 2023Relatório Termômetro LIDE-Conectar - Abril 2023
Relatório Termômetro LIDE-Conectar - Abril 2023
Portal NE10
 
INVASÃO EM BRASÍLIA: AGU pede prisão em flagrante dos invasores e de Anderson...
INVASÃO EM BRASÍLIA: AGU pede prisão em flagrante dos invasores e de Anderson...INVASÃO EM BRASÍLIA: AGU pede prisão em flagrante dos invasores e de Anderson...
INVASÃO EM BRASÍLIA: AGU pede prisão em flagrante dos invasores e de Anderson...
Portal NE10
 
Lula decreta intervenção federal no Distrito Federal
Lula decreta intervenção federal no Distrito FederalLula decreta intervenção federal no Distrito Federal
Lula decreta intervenção federal no Distrito Federal
Portal NE10
 

Mais de Portal NE10 (20)

Edital do concurso da EPE 2024 - 07.06.2024
Edital do concurso da EPE 2024 - 07.06.2024Edital do concurso da EPE 2024 - 07.06.2024
Edital do concurso da EPE 2024 - 07.06.2024
 
CNH Pai DÉgua: veja lista de classificados
CNH Pai DÉgua: veja lista de classificadosCNH Pai DÉgua: veja lista de classificados
CNH Pai DÉgua: veja lista de classificados
 
Brasileirão: CBF divulga tabela da Série B 2024
Brasileirão: CBF divulga tabela da Série B 2024Brasileirão: CBF divulga tabela da Série B 2024
Brasileirão: CBF divulga tabela da Série B 2024
 
Concurso do edital da Polícia Civil de Pernambuco
Concurso do edital da Polícia Civil de PernambucoConcurso do edital da Polícia Civil de Pernambuco
Concurso do edital da Polícia Civil de Pernambuco
 
CNH Gratuita em Belém: veja o resultado CNH Pai d'Égua.pdf
CNH Gratuita em Belém: veja o resultado CNH Pai d'Égua.pdfCNH Gratuita em Belém: veja o resultado CNH Pai d'Égua.pdf
CNH Gratuita em Belém: veja o resultado CNH Pai d'Égua.pdf
 
Edital Caixa 2024 - nível superior - DOU.pdf
Edital Caixa 2024 - nível superior - DOU.pdfEdital Caixa 2024 - nível superior - DOU.pdf
Edital Caixa 2024 - nível superior - DOU.pdf
 
Edital Caixa 2024 - nível médio - DOU.pdf
Edital Caixa 2024 - nível médio - DOU.pdfEdital Caixa 2024 - nível médio - DOU.pdf
Edital Caixa 2024 - nível médio - DOU.pdf
 
Carnaval 2024: Veja a lista das linhas de ônibus que terão o itinerário modif...
Carnaval 2024: Veja a lista das linhas de ônibus que terão o itinerário modif...Carnaval 2024: Veja a lista das linhas de ônibus que terão o itinerário modif...
Carnaval 2024: Veja a lista das linhas de ônibus que terão o itinerário modif...
 
Edital do concurso público do Banco do Nordeste
Edital do concurso público do Banco do NordesteEdital do concurso público do Banco do Nordeste
Edital do concurso público do Banco do Nordeste
 
Concurso para a Saúde da Prefeitura do Recife
Concurso para a Saúde da Prefeitura do RecifeConcurso para a Saúde da Prefeitura do Recife
Concurso para a Saúde da Prefeitura do Recife
 
Edital do concurso PMPE e Corpo de Bombeiros.pdf
Edital do concurso PMPE e Corpo de Bombeiros.pdfEdital do concurso PMPE e Corpo de Bombeiros.pdf
Edital do concurso PMPE e Corpo de Bombeiros.pdf
 
TV JORNAL - REGULAMENTO DO QUADRO SENAC NA PRESSÃO
TV JORNAL - REGULAMENTO DO QUADRO SENAC NA PRESSÃOTV JORNAL - REGULAMENTO DO QUADRO SENAC NA PRESSÃO
TV JORNAL - REGULAMENTO DO QUADRO SENAC NA PRESSÃO
 
Cartilha do Piso salarial da enfermagem
Cartilha do Piso salarial da enfermagemCartilha do Piso salarial da enfermagem
Cartilha do Piso salarial da enfermagem
 
Mapa do Metrô de São Paulo
Mapa do Metrô de São PauloMapa do Metrô de São Paulo
Mapa do Metrô de São Paulo
 
Piso salarial da enfermagem - Portaria GM_MS Nº 1.135, DE 16 DE AGOSTO DE 2023
Piso salarial da enfermagem - Portaria GM_MS Nº 1.135, DE 16 DE AGOSTO DE 2023Piso salarial da enfermagem - Portaria GM_MS Nº 1.135, DE 16 DE AGOSTO DE 2023
Piso salarial da enfermagem - Portaria GM_MS Nº 1.135, DE 16 DE AGOSTO DE 2023
 
Bula do Ozempic, remédio para tratar diabetes tipo 2 usado para emagrecer
Bula do Ozempic, remédio para tratar diabetes tipo 2 usado para emagrecerBula do Ozempic, remédio para tratar diabetes tipo 2 usado para emagrecer
Bula do Ozempic, remédio para tratar diabetes tipo 2 usado para emagrecer
 
Piso salarial da enfermagem: Portaria nº 597 do Ministério da Saúde é republi...
Piso salarial da enfermagem: Portaria nº 597 do Ministério da Saúde é republi...Piso salarial da enfermagem: Portaria nº 597 do Ministério da Saúde é republi...
Piso salarial da enfermagem: Portaria nº 597 do Ministério da Saúde é republi...
 
Relatório Termômetro LIDE-Conectar - Abril 2023
Relatório Termômetro LIDE-Conectar - Abril 2023Relatório Termômetro LIDE-Conectar - Abril 2023
Relatório Termômetro LIDE-Conectar - Abril 2023
 
INVASÃO EM BRASÍLIA: AGU pede prisão em flagrante dos invasores e de Anderson...
INVASÃO EM BRASÍLIA: AGU pede prisão em flagrante dos invasores e de Anderson...INVASÃO EM BRASÍLIA: AGU pede prisão em flagrante dos invasores e de Anderson...
INVASÃO EM BRASÍLIA: AGU pede prisão em flagrante dos invasores e de Anderson...
 
Lula decreta intervenção federal no Distrito Federal
Lula decreta intervenção federal no Distrito FederalLula decreta intervenção federal no Distrito Federal
Lula decreta intervenção federal no Distrito Federal
 

pETIÇÃO JANOT bETINHO gOMES

  • 1. • • S'Jpremo Tribunal Federal 08/05/2017 18:23 0022657 11111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111 MINISTÉRIO PúBLICO FEDERAL Procuradoria-Geral da República W 108339/2017 - GTLJ/PGR Questão de Ordem no INQ n. 4.446/DF Relator: Ministro Edson Fachin Suscitante: Hebert Lamarck Gomes da Silva o Procurador-Geral da República vem manifestar-se perante a QUESTÃO DE ORDEM suscitada por HEBERT LAMARCK GOMES DA SILVA às fls. 37/40 do presente inquérito, nos se- guintes termos. I. Relatório Trata-se de inquérito instaurado no Supremo Tribunal Federal para investigar possíveis crimes praticados pelo Deputado Federal HEBERTE LAMARCK GOMES DA SILVA (BETINHO GO- MES), entre outros, a partir de depoimentos prestados pelos cola- boradores Djean Vasconcelos Cruz e Paul Elie AItit. Conforme destacado pela Procuradoria-Geral da República no requerimento de abertura do inquérito, os relatos e os documentos apresentados pelos referidos colaboradores apontam que, em 20
  • 2. • • PGR 07Questão de Ordem no INQ 4.446/DF / I . I e 2014, a ODEBRECHT teria efetuado pagamentos ilícitos em prol do parlamentar ora investigado e de outros políticos, como contra- partida à obtenção pelo grupo empresarial de benefícios no em- preendimento denominado "Reserva do Paiva", complexo que congrega construções residenciais e comerciais localizado no Cabo de Santo Agostinho/PE. Ante o possível cometimento pelos envolvidos, em tese, dos crimes tipificados nos arts. 317 e 333 do Código Penal e no art. 10 da Lei 9.613/98, a Procuradoria-Geral da República manifestou-se no sentido da instauração de inquérito, requerendo a realização de diligências a serem adotadas pela autoridade policial, bem como a juntada dos depoimentos e o levantamento do sigilo dos autos. Em decisão monocrática datada de 4/4/2017 (fls. 14/18), am- bos os pleitos foram integralmente deferidos, pelos seguintes fun- damentos: [.. ·1 2. Como sabido, apresentado o pedido de instaura- ção de inquérito pelo Procurador-Geral da República; in- cumbe ao Relator deferi-lo, nos termos do art. 21, xv, do RISTF, não lhe competindo qualquer aprofundamento sobre o mérito das suspeitas indicadas, exceto se, a toda evidência, revelarem-se inteiramente infundadas, conforme as exceções elencadas nas letras tá" a "e'~ da norma regimental, as quais, registro, não se fazem presentes no caso. 3. Quanto à unicidade da apuração, com potencial de abrangência de agentes não detentores de prerrogativa de foro perante esta Corte, nesse embrionário momento apura- tório a conveniência da condução da investigação deve ser aferida prioritariamente pelos agentes afetos à persecução penal, descabendo conferir, em tal ambiência, papel de desta- que ao Estado-Juiz. À obviedade, eventual amadurecimento 2 de 8
  • 3. PGR • • Questão de Ordem no INQ 4.446fDF da investigação poderá conduzir à reavaliação da competên- cia, contudo, deve ser prestigiada, nesta etapa, a conveniência motivada pelo Ministério Público, providência agasalhada pela Súmula 704/S1F. 4. Com relação ao pleito de levantamento do sigilo dos autos, anoto que, como regra geral, a Constituição Fede- ral veda a restrição à publicidade dos atos processuais, ressal- vada a hipótese em que a defesa do interesse social e da intimidade exigir providência diversa (art. 5°, LX), e desde que"apreservação do direito à intimidade do interessado no sigilo não prejudique ointeressepúblico à i'!fOrmação" (art. 93, IX). Percebe-se, nesse cenário, que a própria Constituição, em antecipado juízo de ponderação iluminado pelos ideais democráticos e republicanos, no campo dos atos jurisdicionais, prestigia o interesse público à informação. Acrescenta-se que a exigência de motivação e de publicidade das decisões judiciais integra o mesmo dispositivo constitucional (art. 93, IX), fato decorrente de uma razão lógica: ambas as imposições, a um só tempo, propiciam o controle da atividade jurisdicional tanto sob uma ótica endoprocessual (pelas partes e outros interessados), quanto extraprocessual (pelo povo em nome de quem o poder é exercido). Logo, o Estado-Juiz, devedor da prestação jurisdicional, ao aferir a indispensabilidade, ou não, da restrição à publicidade, não pode se afastar da eleição de diretrizes normativas vinculantes levadas a efeito pelo legislador constitucional. O'outro lado, a Lei 12.850/2013, ao tratar da colaboração premiada em investigações criminais, impôs regime de sigilo ao acordo e aos procedimentos correspondentes (art. 7"), circunstância que, em princípio, perdura, se for o caso, até o eventual recebimento da denúncia (art. 7°, § 3"). Observe-se, entretanto, que referida sistemática deve ser compreendida à luz das regras e princípios constitucionais, tendo como lastro suas finalidades precípuas, quais sejam, a garantia do êxito das investigações (art. 7°, § 2°) e a proteção à pessoa do colaborador e de seus próximos (art. 5°, lI). Não fosse isso, compete enfatizar que o mencionado art. 7°, § 3°, relaciona-se ao exercício do direito de defesa, assegurando ao denunciado, após o recebimento da peça acusatória, e com os meios e recursos inerentes ao contraditório, a possibilidade de insurgir-se contra a denúncia. Todavia, referido dispositivo que, como 3 de 8
  • 4. PGR • • Questão de Ordem no INQ 4.446/DF dito, tem a preservação da ampla defesa como razão de ser, não veda a implementação da publicidade em momento processual anterior. 5. No caso, a manifestação do órgão acusador revela, desde logo, que não mais subsistem, sob a ótica do sucesso da investigação, razões que determinem a manutenção do regime restritivo da publicidade. Em relação aos direitos do colaborador, as patticularidadcs da situação evidenciam que o contexto fático subjacente, notadamente o envolvimento em delitos associados à gestão da coisa pública, atraem o interesse público à informação e, portanto, desautorizam o afastamento da norma constitucional que confere predileção à publicidade dos atos processuais. Com esse pensamento, aliás, o saudoso Min. TEOR! ZAVASCKI, meu antecessor na Relatoria de inúmeros feitos a este relacionados, já determinou o levantamento do sigilo em autos de colaborações premiadas em diversas oportunidades, citando- se: Pet. 6.149 (23.11.2016); Pet. 6.122 (18.11.2016); Pet. 6.150 (21.11.2016); Pet. 6.121 (25.10.2016); Pet. 5.970 (01.09.2016); Pet. 5.886 (30.05.2016); Pet. 5.899 (09.03.2016); Pet. 5.624 (26.11.2015); Pet. 5.737 (09.12.2015); Pet. 5.790 (18.12.2015); Pet. 5.780 (15.12.2015); Pet. 5.253 (06.03.2015); Pet. 5.259 (06.03.2015) e Pet. 5.287 (06.03.2015). Na mesma linha, registro o julgamento, em 21.02.2017, do agravo regimental na Pet. 6.138 (acórdão pendente de publicação), ocasião em que a Segunda Turma desta Corte, por unanimidade, considerou legítimo o levantamento do sigilo de autos que contavam com colaboração premiada, mesmo anteriormente ao recebimento da denúncia. No que toca à divulgação da imagem do colaborador, cumpre enfatizat que a Lei 12.850;2013 determina que, sempre que possível, o registro das respectivas declarações deve ser realizado por meio audiovisual (art. 4°, §13). Trata- se, corno se vê, de regra legal que busca conferir maior fidedignidade ao registro do ato processual e, nessa perspectiva, corporifica o próprio meio de obtenção da prova. Em tese, seria possível cogítar que o colaborador, durante a colheita de suas declarações, por si ou por intermédio da defesa técnica que o acompanhou no ato, expressasse insurgência contra tal proceder, todavia, na Iúpótese concreta não se verifica, a tempo e modo, qualquer impugnação, somente tatdiamente veiculada. 4 de 8
  • 5. • • PGR Questão de Ordem no INQ 4.446/DF Assim, considerando a falta de impugnação tempestiva e observada a recomendação normativa quanto à formação do ato, a imagem do colaborador não deve ser dissociada dos depoimentos colhidos, sob pena de verdadeira desconstrução de ato processual perfeito e devidamente homologado. Por fim, as informações próprias do acordo de colaboração, como, por exemplo, tempo, forma de cumprimento de pena e multa, não estão sendo reveladas, porque sequer juntadas aos autos. À luz dessas considerações, tenho como pertinente o pedido para levantamento do sigilo, em vista da regra geral da publicidade dos atos processuais. Em seguida, o ora investigado HEBERT LAMARCK GO- MES DA SILVA suscitou a presente QUESTÃO DE ORDEM às fls. 37/40, em que, em síntese, sob a alegação de que os fatos inves- tigados no presente inquérito não guardam relação com a denomi- nada Operação Lava Jato, requer "seja determinada a livre distribuição do presentefeito entre todos os Ministros dessa E. Corte, para que então possa o Requerente exercer oseu amplo direito de difesa". Eis, em síntese, os fatos de interesse. 11. Fundamentação Do que se pode verificar, especialmente pela narrativa do quanto investigado no bojo da intitulada Operação Lava Jato e dos fatos versados no presente inquérito, não há conexão direta e tampouco continência entre os fatos investigados em ambos os apuratórios. 5 de 8 $} {It
  • 6. • • ~~PGR Questão de Ordem no INQ 4.446/DF {tI Realmente, não há aqui conexão ou continência propriamente dita com os fatos já distribuídos à relatoria do Ministro Edson Fachin. Isso porque não ocorrem na espécie as hipóteses dos arts. 76 e 77 do cpp - e, por consequência, do art. 69 do Regimento Interno do Supremo Tribunal Federal. Não há, tampouco elementos que apontem para a necessidade ou conveniência de reunião do presente procedimento com aqueles que apuram irregularidades no âmbito da Operação LavaJato. Conforme já decidiu essa Egrégia Corte, o simples fato de haver encontro de provas em uma investigação não é suficiente para justificar a conexão e a reunião de feitos perante o mesmo órgão julgador: Ementa: PENAL E PROCESSO PENAL. COMPETÊN- CIA. CONEXÃO. INEXISTÊNCIA. ADITAMENTO DA DENÚNCIA. SISTEMA ACUSATÓRIO. 1. O princípio acusatório é vulnerado de forma reflexa nas hipóteses em que a decisão do magistrado, após a manifestação do Ministério Público Federal no sentido de remessa dos autos ao juízo competente, determina o aditamento da denúncia para incluir fatos constantes do relatório policial em função da conexão. 2. O sistema acusatório confere ao Ministério Público, exclu- sivamente, na ação penal pública, a formação do opinio delic- ti, separando a função de acusar daquela de julgar. 3. A cone- xão perfiÚte o Juízo disputar a competência para julgamento do feito, mas não o autoriza, a pretexto do liame probatório, a superar o dofiÚnus Iitis, o Ministério Público, e determinar o oferecimento de denúncia contra o impetrante, formulando prévio juízo de culpa, gerador de nulidade processual. 4. A conexão intersubjetiva ou instrumental decorrente de encon- tro fortuito de prova que nada tem a ver com o objeto da in- vestigação principal, não tem o condão de impor o unum et idem judex, máxime com vulneração do princípio acusatório. 6 de 8
  • 7. • • PGR Questão de Ordem no INQ 4.446/DF 5. A conexão no processo dá-se em favor da jurisdição de modo a facilitar a colheita da prova, evitar decisões contradi- tórias e permitir cognição mais profunda e exauriente da ma- téria posta a julgamento. O simples encontro fortuito de pro- va de infração que não possui relação com o objeto da inves- tigação em andamento não enseja o simultaneus processus. 6. In casu, durante a "Operação Abate" que investigava fraude na obtenção de selo sanitário em frigoríficos no estado de Rondônia, descobriu-se esquema de corrupção envolvendo diversos órgãos federais e estaduais, autarquias e instituições financeiras públicas e privadas com a finalidade de obtenção de vantagem ilicita pelas empresas da família Bihl, no estado do Mato Grosso. O impetrante, ex-funcionário do Ministério da Integração Nacional, supostamente emitiu cartas de anu- ência mediante fraude para facilitar a formalização de hipote- ca pelas empresas do Grupo Bihl. 7. Recurso parcialmente provido para remeter o aditamento da denúncia, apenas em relação ao recorrente, à Justiça Federal no Distrito Federal, com traslado integral dos autos. (STF, RHC 120379, Relator(a): Min. LUIZ FUX, Primeira Turma, julgado em 26/08/2014, PROCESSO ELETRÔNI- CO DJe-210 DIVULG 23-10-2014 PUBLIC 24-10-2014) Assim, por não haver fundamento jurídico para a apuração conjunta do presente inquérito no contexto dos demais casos investigados no âmbito da denominada Operação Lava Jato, o feito há de ser submetido a livre distribuição no âmbito do Supremo Tribunal Federal. lU. Conclusão Ante o exposto, o Procurador-Geral da República requer o de- ferimento da questão de ordem suscitada por HEBERT LA- 7 de 8
  • 8. ~----------------------------------------------------------------------------- - - • • PGR Questão de Ordem no [NQ 4.446/DF MARCK GOMES DA SILVA, a fim de ser o presente inquérito submetido a livre distribuição no Supremo Tribunal Federal. Brasília (DF), 8 de maio de 2017. Rodrigo Ja onteiro de Barros Procurador-Geral da República vfl 8 de 8