SlideShare uma empresa Scribd logo
João Vieira Soares 800413 – Turma 7 Velhice # PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO 01 01    02 03 04 05 06 07 08 09 10
# 02 01 02    03 04 05 06 07 08 09 10 “ É uma certa categoria social, mais ou menos valorizada segundo as circunstâncias. É, para cada indivíduo, um destino singular – o seu próprio. O primeiro ponto de vista é a dos legisladores, dos moralistas; o segundo, o dos poetas; quase sempre, eles se opõem radicalmente um ao outro. [...] Os ideólogos forjam concepções da velhice de acordo com os interesses de sua classe.”  (BEAUVOIR, 1990, p. 109).
Senso comum e Velhice A velhice possui componentes preconceituosas e estereotipadas de uma fase do  desenvolvimento humano marcada por acontecimentos negativos # 03 01 02 03    04 05 06 07 08 09 10
Velhice Ideia que:  velhice é o mesmo que doença;  os idosos só vivem do passado;  os idosos dependem dos outros para tudo;  as pessoas idosas não conseguem acompanhar as mudanças do mundo moderno. Velhice é sinónimo de:  ficar acamado; dar trabalho aos filhos;  ficar numa cadeira de rodas;  de sofrer; de perder a vista;  ir parar a um Lar. # 04 01 02 03 04    05 06 07 08 09 10
# Velhice 05 01 02 03 04 05    06 07 08 09 10 Características da velhice: perda gradativa de energia física e mental;  baixa auto-estima;  falta de confiança em si mesmos;  intolerância; a perda do sentimento de importância; hipersensibilidade;  conformismo com as perdas sofridas;  sentimento de solidão, de isolamento;  depressão. A representação do idoso é percebida geralmente como inútil, inválido, não produtivo economicamente, um peso social.
Velhice Apesar de ainda ser frequente encontrarem-se os estereótipos tradicionais, verifica-se que cada vez mais dão espaço a uma nova imagem da pessoa mais velha, em que aparece a velhice associada a sabedoria que induz respeito e legitimação da autoridade.  Uma nova forma de vivenciar a velhice que ultrapassa as imagens preconceituosas que a associavam à inactividade, à morte social, ao isolamento. # 06 01 02 03 04 05 06    07 08 09 10
Velhice # 07 01 02 03 04 05 06 07    08 09 10 ►  A sociedade deve implementar e promover medidas, onde haja responsabilidade individual e colectiva de reconhecer as contribuições passadas e presentes dos idosos, procurando resistir a mitos e ideias pré-concebidas e, consequentemente, tratar os idosos com respeito e gratidão, dignidade e consideração. ►  Devemos estimular, como espectadores críticos e activos, os meios de comunicação social a promoverem imagens que destaquem a sabedoria, os pontos fortes, as contribuições, o valor e a criatividade das pessoas idosas, incluindo aqueles idosos com incapacidades.
Velhice # 08 01 02 03 04 05 06 07 08    09 10 ►  Uma política de valorização do idoso passa pela constatação de que algumas perdas inexoráveis do processo de envelhecimento podem ser compensadas ou serem objecto de adaptações, ainda que parcialmente, por outros factores passíveis de desenvolvimento nessa fase da vida.
# “ A velhice, mais do que ser a assunção de uma identidade ‘nova’ atribuída socialmente, corresponde a uma auto-reconstrução que valoriza a continuidade da trajectória individual.” (Ester Vaz, 2006). 09 01 02 03 04 05 06 07 08 09    10
# 10 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10    Viver é envelhecer e envelhecer é viver

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Andre, miguel, pinto
Andre, miguel, pintoAndre, miguel, pinto
Andre, miguel, pinto
Rodrigo Pinto
 
Psicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoPsicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimento
paulalmeida
 
Hábitos de vida saudável
Hábitos de vida saudávelHábitos de vida saudável
Hábitos de vida saudável
Morganauca
 
Envelhecimento populacional
Envelhecimento populacionalEnvelhecimento populacional
Envelhecimento populacional
Anna Paula Tenorio
 
O que é envelhecer
O que é envelhecerO que é envelhecer
O que é envelhecer
Dersonoliveira
 
O Idoso, Suas Teorias e as Principais Modificações da Terceira Idade
O Idoso, Suas Teorias e as Principais Modificações da Terceira IdadeO Idoso, Suas Teorias e as Principais Modificações da Terceira Idade
O Idoso, Suas Teorias e as Principais Modificações da Terceira Idade
Greicy Kapisch
 
Hereditariedade X Ambiente
Hereditariedade X AmbienteHereditariedade X Ambiente
Hereditariedade X Ambiente
Andréa Forgiarni Cechin
 
Teorias do Envelhecimento
Teorias do EnvelhecimentoTeorias do Envelhecimento
Teorias do Envelhecimento
Anabelazita
 
Envelhecimento
EnvelhecimentoEnvelhecimento
Envelhecimento
Martina Podolan
 
Fases do desenvolvimento humano - Velhice
Fases do desenvolvimento humano - VelhiceFases do desenvolvimento humano - Velhice
Fases do desenvolvimento humano - Velhice
Ligia Coppetti
 

Destaque (10)

Andre, miguel, pinto
Andre, miguel, pintoAndre, miguel, pinto
Andre, miguel, pinto
 
Psicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoPsicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimento
 
Hábitos de vida saudável
Hábitos de vida saudávelHábitos de vida saudável
Hábitos de vida saudável
 
Envelhecimento populacional
Envelhecimento populacionalEnvelhecimento populacional
Envelhecimento populacional
 
O que é envelhecer
O que é envelhecerO que é envelhecer
O que é envelhecer
 
O Idoso, Suas Teorias e as Principais Modificações da Terceira Idade
O Idoso, Suas Teorias e as Principais Modificações da Terceira IdadeO Idoso, Suas Teorias e as Principais Modificações da Terceira Idade
O Idoso, Suas Teorias e as Principais Modificações da Terceira Idade
 
Hereditariedade X Ambiente
Hereditariedade X AmbienteHereditariedade X Ambiente
Hereditariedade X Ambiente
 
Teorias do Envelhecimento
Teorias do EnvelhecimentoTeorias do Envelhecimento
Teorias do Envelhecimento
 
Envelhecimento
EnvelhecimentoEnvelhecimento
Envelhecimento
 
Fases do desenvolvimento humano - Velhice
Fases do desenvolvimento humano - VelhiceFases do desenvolvimento humano - Velhice
Fases do desenvolvimento humano - Velhice
 

Semelhante a Para e folioc 800413

Estereótipos da velhice
Estereótipos da velhiceEstereótipos da velhice
Estereótipos da velhice
Sonia Sousa
 
1886 6445-1-pb
1886 6445-1-pb1886 6445-1-pb
1886 6445-1-pb
Rogério Gonçalves
 
Esteretiposdavelhice 100530181507-phpapp01
Esteretiposdavelhice 100530181507-phpapp01Esteretiposdavelhice 100530181507-phpapp01
Esteretiposdavelhice 100530181507-phpapp01
Márcia Avila
 
Entender a velhice aluna 700481
Entender a velhice   aluna 700481Entender a velhice   aluna 700481
Entender a velhice aluna 700481
Maria João Gomes
 
Educação das Pessoas Adultas
Educação das Pessoas AdultasEducação das Pessoas Adultas
Educação das Pessoas Adultas
carbgarcia
 
Envelhecimento 2021.ppt
Envelhecimento 2021.pptEnvelhecimento 2021.ppt
Envelhecimento 2021.ppt
AnaPaulaHoroback
 
Trabalho Violência Contra Idosos
Trabalho Violência Contra IdososTrabalho Violência Contra Idosos
Trabalho Violência Contra Idosos
Ricardo da Palma
 
Saber envelhecer (2)
Saber envelhecer (2)Saber envelhecer (2)
Saber envelhecer (2)
manuela
 
Psicologia do desenvolvimento, é folio c
Psicologia do desenvolvimento, é folio cPsicologia do desenvolvimento, é folio c
Psicologia do desenvolvimento, é folio c
Cristina Silva
 
envelhecimento na atualidade.pptx
envelhecimento na atualidade.pptxenvelhecimento na atualidade.pptx
envelhecimento na atualidade.pptx
Daiana Moreira
 
Aula base dhc (1)
Aula base dhc (1)Aula base dhc (1)
Juventudes
Juventudes Juventudes
Juventudes
Henrique Dias
 
Psicologia Do Desenvolvimento Slides
Psicologia Do Desenvolvimento SlidesPsicologia Do Desenvolvimento Slides
Psicologia Do Desenvolvimento Slides
Paola Ribeiro
 
Psicologia Do Desenvolvimento Slides
Psicologia Do Desenvolvimento SlidesPsicologia Do Desenvolvimento Slides
Psicologia Do Desenvolvimento Slides
Paola Ribeiro
 
Psicologia Do Desenvolvimento Slides
Psicologia Do Desenvolvimento SlidesPsicologia Do Desenvolvimento Slides
Psicologia Do Desenvolvimento Slides
Paola Ribeiro
 
Psicologia Do Desenvolvimento Slides
Psicologia Do Desenvolvimento SlidesPsicologia Do Desenvolvimento Slides
Psicologia Do Desenvolvimento Slides
Paola Ribeiro
 
TRABALHO GEO. CULTURAL2.pptx
TRABALHO GEO. CULTURAL2.pptxTRABALHO GEO. CULTURAL2.pptx
TRABALHO GEO. CULTURAL2.pptx
EduardoLima824632
 
Psicologia desenvolvimento
Psicologia desenvolvimentoPsicologia desenvolvimento
Psicologia desenvolvimento
linacosta94
 
Envelhecimento ativo e promoção da saúde
Envelhecimento ativo e promoção da saúdeEnvelhecimento ativo e promoção da saúde
Envelhecimento ativo e promoção da saúde
ElisabeteRolanda
 
Psicologia do desenvolvimento velhice
Psicologia do desenvolvimento velhicePsicologia do desenvolvimento velhice
Psicologia do desenvolvimento velhice
Jocarte
 

Semelhante a Para e folioc 800413 (20)

Estereótipos da velhice
Estereótipos da velhiceEstereótipos da velhice
Estereótipos da velhice
 
1886 6445-1-pb
1886 6445-1-pb1886 6445-1-pb
1886 6445-1-pb
 
Esteretiposdavelhice 100530181507-phpapp01
Esteretiposdavelhice 100530181507-phpapp01Esteretiposdavelhice 100530181507-phpapp01
Esteretiposdavelhice 100530181507-phpapp01
 
Entender a velhice aluna 700481
Entender a velhice   aluna 700481Entender a velhice   aluna 700481
Entender a velhice aluna 700481
 
Educação das Pessoas Adultas
Educação das Pessoas AdultasEducação das Pessoas Adultas
Educação das Pessoas Adultas
 
Envelhecimento 2021.ppt
Envelhecimento 2021.pptEnvelhecimento 2021.ppt
Envelhecimento 2021.ppt
 
Trabalho Violência Contra Idosos
Trabalho Violência Contra IdososTrabalho Violência Contra Idosos
Trabalho Violência Contra Idosos
 
Saber envelhecer (2)
Saber envelhecer (2)Saber envelhecer (2)
Saber envelhecer (2)
 
Psicologia do desenvolvimento, é folio c
Psicologia do desenvolvimento, é folio cPsicologia do desenvolvimento, é folio c
Psicologia do desenvolvimento, é folio c
 
envelhecimento na atualidade.pptx
envelhecimento na atualidade.pptxenvelhecimento na atualidade.pptx
envelhecimento na atualidade.pptx
 
Aula base dhc (1)
Aula base dhc (1)Aula base dhc (1)
Aula base dhc (1)
 
Juventudes
Juventudes Juventudes
Juventudes
 
Psicologia Do Desenvolvimento Slides
Psicologia Do Desenvolvimento SlidesPsicologia Do Desenvolvimento Slides
Psicologia Do Desenvolvimento Slides
 
Psicologia Do Desenvolvimento Slides
Psicologia Do Desenvolvimento SlidesPsicologia Do Desenvolvimento Slides
Psicologia Do Desenvolvimento Slides
 
Psicologia Do Desenvolvimento Slides
Psicologia Do Desenvolvimento SlidesPsicologia Do Desenvolvimento Slides
Psicologia Do Desenvolvimento Slides
 
Psicologia Do Desenvolvimento Slides
Psicologia Do Desenvolvimento SlidesPsicologia Do Desenvolvimento Slides
Psicologia Do Desenvolvimento Slides
 
TRABALHO GEO. CULTURAL2.pptx
TRABALHO GEO. CULTURAL2.pptxTRABALHO GEO. CULTURAL2.pptx
TRABALHO GEO. CULTURAL2.pptx
 
Psicologia desenvolvimento
Psicologia desenvolvimentoPsicologia desenvolvimento
Psicologia desenvolvimento
 
Envelhecimento ativo e promoção da saúde
Envelhecimento ativo e promoção da saúdeEnvelhecimento ativo e promoção da saúde
Envelhecimento ativo e promoção da saúde
 
Psicologia do desenvolvimento velhice
Psicologia do desenvolvimento velhicePsicologia do desenvolvimento velhice
Psicologia do desenvolvimento velhice
 

Para e folioc 800413

  • 1. João Vieira Soares 800413 – Turma 7 Velhice # PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO 01 01  02 03 04 05 06 07 08 09 10
  • 2. # 02 01 02  03 04 05 06 07 08 09 10 “ É uma certa categoria social, mais ou menos valorizada segundo as circunstâncias. É, para cada indivíduo, um destino singular – o seu próprio. O primeiro ponto de vista é a dos legisladores, dos moralistas; o segundo, o dos poetas; quase sempre, eles se opõem radicalmente um ao outro. [...] Os ideólogos forjam concepções da velhice de acordo com os interesses de sua classe.” (BEAUVOIR, 1990, p. 109).
  • 3. Senso comum e Velhice A velhice possui componentes preconceituosas e estereotipadas de uma fase do desenvolvimento humano marcada por acontecimentos negativos # 03 01 02 03  04 05 06 07 08 09 10
  • 4. Velhice Ideia que: velhice é o mesmo que doença; os idosos só vivem do passado; os idosos dependem dos outros para tudo; as pessoas idosas não conseguem acompanhar as mudanças do mundo moderno. Velhice é sinónimo de: ficar acamado; dar trabalho aos filhos; ficar numa cadeira de rodas; de sofrer; de perder a vista; ir parar a um Lar. # 04 01 02 03 04  05 06 07 08 09 10
  • 5. # Velhice 05 01 02 03 04 05  06 07 08 09 10 Características da velhice: perda gradativa de energia física e mental; baixa auto-estima; falta de confiança em si mesmos; intolerância; a perda do sentimento de importância; hipersensibilidade; conformismo com as perdas sofridas; sentimento de solidão, de isolamento; depressão. A representação do idoso é percebida geralmente como inútil, inválido, não produtivo economicamente, um peso social.
  • 6. Velhice Apesar de ainda ser frequente encontrarem-se os estereótipos tradicionais, verifica-se que cada vez mais dão espaço a uma nova imagem da pessoa mais velha, em que aparece a velhice associada a sabedoria que induz respeito e legitimação da autoridade. Uma nova forma de vivenciar a velhice que ultrapassa as imagens preconceituosas que a associavam à inactividade, à morte social, ao isolamento. # 06 01 02 03 04 05 06  07 08 09 10
  • 7. Velhice # 07 01 02 03 04 05 06 07  08 09 10 ► A sociedade deve implementar e promover medidas, onde haja responsabilidade individual e colectiva de reconhecer as contribuições passadas e presentes dos idosos, procurando resistir a mitos e ideias pré-concebidas e, consequentemente, tratar os idosos com respeito e gratidão, dignidade e consideração. ► Devemos estimular, como espectadores críticos e activos, os meios de comunicação social a promoverem imagens que destaquem a sabedoria, os pontos fortes, as contribuições, o valor e a criatividade das pessoas idosas, incluindo aqueles idosos com incapacidades.
  • 8. Velhice # 08 01 02 03 04 05 06 07 08  09 10 ► Uma política de valorização do idoso passa pela constatação de que algumas perdas inexoráveis do processo de envelhecimento podem ser compensadas ou serem objecto de adaptações, ainda que parcialmente, por outros factores passíveis de desenvolvimento nessa fase da vida.
  • 9. # “ A velhice, mais do que ser a assunção de uma identidade ‘nova’ atribuída socialmente, corresponde a uma auto-reconstrução que valoriza a continuidade da trajectória individual.” (Ester Vaz, 2006). 09 01 02 03 04 05 06 07 08 09  10
  • 10. # 10 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10  Viver é envelhecer e envelhecer é viver

Notas do Editor

  1. E-learning significava originalmente electronic learning , ou ensino/aprendizagem com auxilio electrónico. Hoje em dia o termo é aplicado a toda a forma de ensino através de plataformas que utilizam a Internet como meio de comunicação entre alunos e professores.
  2. Plataforma Moodle permite gerir e partilhar online as unidades curriculares permite a utilização de metodologias activas e participativas no processo de ensino e aprendizagem; permite a criação de processos de avaliação dos alunos representa uma forma de comunicação assíncrona: acesso a qualquer hora, em qualquer local, privilegiando a comunicação através da utilização de posts e fóruns de discussão fomenta a partilha de experiências/recursos/saberes no seio da comunidade educativa; fomenta a utilização e avaliação de recursos educativos digitais potenciadores da construção do conhecimento permite gestão fácil de quaisquer tipos de ficheiros, que podem ser consultados pelos alunos As ferramentas de comunicação educacional multimédia podem ser potenciadas na promoção de boas práticas nos vários contextos e modelos de aprendizagem. A implementação de novos modelos curriculares com maior ênfase em competências transversais e na realização de tarefas de uma forma autónoma por parte do aluno, transforma as FCEM em ferramentas potenciadoras e geradoras de novas situações de aprendizagem e metodologias de trabalho.
  3. Trata-se de uma unidade curricular de natureza prática, procurando explorar as potencialidades das ferramentas informáticas na produção do discurso mediatizado e da sua importância na Educação; O estudante deverá trabalhar as diversas possibilidades de aplicação das ferramentas trabalhadas em contextos educacionais, com particular ênfase em documentos de apresentação de informação. O estudante no final deverá ser capaz de: • Usar com eficiência programas de Processamento de Texto e Folhas de Cálculo; • Seleccionar e utilizar adequadamente programas para Apresentações, tendo em conta o perfil dos destinatários e o tipo de comunicação.
  4. O balanço da minha experiência como estudante online da UAB é extremamente positivo. Em primeiro lugar, só com este modelo pedagógico virtual tinha possibilidade de frequentar esta licenciatura, tendo em conta as minhas responsabilidades profissionais, familiares e cívicas. Por outro lado, a flexibilidade que apresenta, a qualquer hora, em qualquer lugar, a interacção que propicia, entre colegas e professores, são princípios deveras motivadores. Ainda, a inclusão digital a que obriga, especialmente nesta UC. Tudo, motivos para considerar esta experiência enriquecedora.