SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 32
Baixar para ler offline
Mais um número de “O Mensageiro do Algarve”.
Quando as revistas filatélicas, sejam elas versão
papel ou electrónicas, são um trabalho de amadorismo e
carolice de alguns, surgem imprevistos a toda a hora,
razão porque, mais uma vez saímos com algum atraso.
As nossas desculpas.
Faz-nos repensar no timing de publicação. Um mês
é bastante escasso para se reunir, refazer, e articular
toda uma informação que nos vem chegando quase a
conta gotas e, grande parte das vezes a pedido e, até
com alguma insistência.
Esta revista, nasceu essencialmente para informar
o que se produz, em termos filatélicos, no Algarve. Claro
está que estamos atentos a outros eventos não só no
país como também no estrangeiro, especialmente quan-
do algum dos “nossos” participa.
Publicamos também alguns artigos, dando desta-
que a assuntos ligados ao Algarve, que é muito rico em
história do correio e que de algum modo temos explora-
do e vamos continuar a explorar.
Em Portugal, no ano que se avizinha, temos mais
uma Lubrapex, a XXII Exposição Filatélica Bilateral Luso
-Brasileira. Evento iniciado no Rio de Janeiro, no Museu
Nacional de Belas-Artes, em 1966, que têm vindo a ser
realizado, alternadamente, no Brasil e em Portugal. É a
mais antiga bilateral do Mundo realizada de uma manei-
ra continuada.
Desta vez e a comemorar 50 anos sobre a realiza-
ção da primeira exposição, o certame vai ocorrer no
Centro Cultural de Viana do Castelo de 26 de Abril a 1
de Maio, no magnífico Pavilhão concebido pelo arquiteto
Siza Vieira.
A Exposição conta, também, com a participação de
dois países, a Alemanha e a Itália, prevendo-se a ocu-
pação de cerca de 900 quadros.
Paralelamente realizar-se-á o Congresso da FEPA
– Federação Europeia de Filatelia, com a participação
de 40 países, o que engrandece a realização desta
Exposição e o nome do nosso país.
EditorialEditorialEditorial
O Mensageiro do AlgarveO Mensageiro do AlgarveO Mensageiro do Algarve
P U B L I C A Ç Ã OP U B L I C A Ç Ã O T R I M E S T R A LT R I M E S T R A L —— A N OA N O I I I N . º 1 2 D E Z E M B R O D E 2 0 1 5I I I N . º 1 2 D E Z E M B R O D E 2 0 1 5
NESTA EDIÇÃO:
2. Marcas Aéreas de
Companhias de Aviação
Estrangeiras no
Aeroporto de Faro
7. A Classe de Cartofilia
13. As moedas do Al-Gharb
14. Actividades filatélicas no
Algarve de Outubro a
Dezembro
23. Actividades filatélicas
noutras localidades de
Outubro de Dezembro
27.Próximos eventos
filatélicos
28. Produtos filatélicos
Os Artigos publicados são
da responsabilidade dos
seus autores
As Marcas Aéreas são confecionadas pelas Companhias de Aviação para assinalar
os primeiros voos entre duas localidades uma para a viagem de ida e outra para a viagem
de regresso, colocadas no sobrescrito, não obliterando o selo. Este é obliterado com a
marca de dia dos Correios, comemorativa ou não. Caso haja marca comemorativa dos
correios, esta oblitera o selo e a companhia de aviação, em geral, não utiliza marca aérea
própria.
Como é normal, a maior parte das Marcas Aéreas conhecidas e utilizadas no Aero-
porto de Faro são da TAP. Apenas possuímos 3 marcas aéreas e uma marca comemora-
tiva em sobrescritos comemorativos de Companhias de Aviação estrangeiras a escalar o
Aeroporto Faro, a Lufthansa e a KLM, para assinalar Primeiros Voos.
Supomos não ter havido mais.
06.04.1969 - 1.º Voo da Lufthansa: Frankfurt - Faro - Frankfurt com o Boeing 737:
Sobrescrito Lufthansa com carimbo comemorativo a obliterar dois selos alemães no Aeroporto de Frankfurt.
No verso, marca de dia chegada ao Aeroporto de Faro. Selos da Série 50º Aniversário do Correio Aéreo
Alemão, emitidos em 6/2/1969 (Série completa 20Pfg + 30Pfg).
P Á G I N A 2
Marcas Aéreas de Companhias de AviaçãoMarcas Aéreas de Companhias de AviaçãoMarcas Aéreas de Companhias de Aviação
Estrangeiras noEstrangeiras noEstrangeiras no
Aeroporto de FaroAeroporto de FaroAeroporto de Faro
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
Sobrescrito Lufthansa com marca de dia do Aeroporto de Faro, a obliterar dois selos portugueses e marca
aérea da Lufthansa ao lado. Marca de dia da chegada a Frankfurt, no verso. Selos alusivos à Madeira e
Comemorativos da Lubrapex 68
A Lufthansa é uma das companhias aéreas mais antigas do mundo, com 90 anos de
existência. Foi constituída a 6 de Janeiro de 1926, resultado da fusão de duas pequenas
companhias aéreas existentes na Alemanha. Durante a Segunda Guerra Mundial este-
ve ao serviço do Governo Alemão havendo voos comerciais apenas para países neutros.
Em 1970 começa a operar com os “Jumbos” Boeing 747 e a partir de 2001 com os Airbus
A380
24.06.1979 - 1.º Voo da Lufthansa: Frankfurt - Faro - Frankfurt com o Airbus A-300
Sobrescrito Lufthansa com dois selos alemães obliterados com a marca de dia e flâmula do Aeroporto de
Frankfurt e marca aérea ao lado. No verso marca de chegada a Faro. Selos de Balonismo de 13+15 Pfennig
e de Asa Delta de 40+20 Pfennig da Série de Balonismo de 1978.
P Á G I N A 3P U B L I C A Ç Ã O T R I M E S T R A L — A N O I I I N . º 1 2
Sobrescrito Lufthansa com carimbo comemorativo a obliterar dois selos portugueses, no Aeroporto de Faro.
Marca de chegada ao Aeroporto de Frankfurt, no verso. Selos da Série Base “Instrumentos de Trabalho” e
“Desporto para todos” ambos de 1978.
A KLM é a companhia mais antiga do mundo, sempre com a actual designação.
Fundada 1919, efectua o primeiro voo de carreira a 17 de Maio de 1920, entre Amester-
dão e Londres. O primeiro voo intercontinental com destino às Índias Orientais realiza-se
em 1924 e o primeiro voo transatlântico com destino às Antilhas Holandesas em 1934. No
final do século XX possuía uma frota de cento e vinte aviões em ligações de mais de qui-
nhentas cidades,
01.04 1988 - 1.º Voo da KLM - Amsterdam - Faro - Amsterdam com o Boeing 737
Sobrescrito KLM com carimbo comemorativo a obliterar um selo holandês, no Aeroporto de Amsterdam, No
verso, marca de dia da chegada, ao Aeroporto de Faro. Selo de 75C, da Emissão Alusiva à Agricultura de
1987.
P Á G I N A 4
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
Sobrescrito KLM com marca de dia do Aeroporto de Faro a obliterar um selo português e marca aérea da
KLM ao lado com data errada de 1987, rectificada com uma pequena marca com o ano de 1988. Marca de
chegada a Amsterdam, no verso. Selo de 60$00 da emissão Datas da História de Portugal de 1985.
31.03.1990 - 1.º Voo da Lufthansa - Dusseldorf - Faro- Dusseldorf com o Boeing 737
Sobrescrito Lufthansa com circulação mista e marcas, marítima de Paquebot e marca de dia de Kiel sobre
selo sueco e marca aérea da KLM em Dusseldorf No verso, marca de dia da chegada ao Aeroporto de Faro.
(1) Selo sueco de 3,60 coroas da Emissão Laureados do Prémio Nobel da Filosofia, de 1989.
(1) O M/S Stena Germânica é um navio de passageiros que liga Gotemburgo na Suécia a Kiel na Alema-
nha. A carta comemorativa que se reproduz, escrita a bordo, é endereçada ao senhor Gurgen Sche-
pers, em Faro. Entregue ao Comissário de bordo com um selo da Suécia colado no canto superior direi-
to, pois o barco navega com bandeira sueca. É o responsável pelo seu encaminhamento postal. Leva
uma marca do barco M/S Stena Germânica e a marca "Paquebot" que identifica a proveniência da car-
ta. Entregue na Estação de Correios em Kiel, é-lhe aposta a marca de dia de Kiel sobre o selo sueco.
De Kiel é expedida para Faro via Dusseldorf. Nova marca, desta vez, aérea e da Lufthansa. À chegada
a Faro é colocada, no verso, a marca de dia do aeroporto.
P Á G I N A 5P U B L I C A Ç Ã O T R I M E S T R A L — A N O I I I N . º 1 2
Sobrescrito Lufthansa com marca de dia do Aeroporto de Faro a obliterar um selo português e marca
aérea da Lufthansa ao lado, Marca de chegada ao Aeroporto de Dusseldorf, no verso. Selo de 40$00 da Emis-
são Transportes Típicos da Madeira de 1985.
António Gonçalves Borralho
P Á G I N A 6
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
Apontamento
AEROFILATELIA
A Aerofilatelia um ramo da filatelia que se dedica ao estudo do correio aéreo, desde o
aparecimento dos primeiros aviões, no primeiro quartel do século XX. Embora com percur-
sos pequenos no seu início, os aviões cedo se mostraram um ótimo meio de transporte rápi-
do de pessoas, de correio e até de mercadorias.
As primeiras companhias de aviação apareceram após a primeira grande guerra. O
transporte de passageiros e de correspondência iniciam-se. Os colecionadores se apercebe-
ram, desde o início, desta nova forma de colecionar selos, que tivessem efetuado o seu per-
curso por avião.
Assim, na Aerofilatelia podem ser inseridos:
- os selos de correio aéreo;
- etiquetas de franquia de correio aéreo;
- documentos postais enviados por via aérea,
- marcas postais relacionadas com o correio aéreo;
- tarifas de correio por via aérea;
- rotas, em especial dos primeiros voos e de outros eventos aéreos especiais;
- correio acidentado proveniente de acidentes de aviação (crash covers)
A maioria do material colecionável e de estudo refere-se ao material transportado por
aviões mas existem dentro da Classe várias especialidades como sejam, o correio por balão,
dirigível, zepelim, helicóptero, míssil e foguetão.
Nos últimos 50 anos nasceu uma nova especialidade a de correio no espaço, a Astrofi-
latelia.
Nasceu uma nova Classe Filatélica de Postais Ilustrados
A Cartofilia
A 15 de Novembro de 2015, no Congresso da FEPA - Federação Europeia de Filate-
lia, em Atenas, foi aprovado o Regulamento e as Diretrizes para a Classe de Postais Ilustra-
dos. A partir de agora, os Postais Ilustrados poderão concorrer em exposições filatélicas
europeias. Esta proposta deverá ser apresentada no próximo Congresso FIP de 2018, com
vista à aprovação desta Classe a nível mundial.
A cartofilia está de parabéns por ter sido reconhecida, pela entidade máxima da Filate-
lia Europeia, como Classe Filatélica. Congratulamos-mos por este fato, excelente etapa
para o desenvolvimento deste tipo de colecionismo. Não podemos deixar de felicitar a Dire-
ção da FEPA, liderada por Ramon Moreno.
Há no nosso país inúmeros colecionadores de postais ilustrados que os colecionam
por terras, países, temas ou, indiscriminadamente, sem qualquer plano ou modo de organi-
zação. Para expor há princípios aos quais o expositor deve obedecer. Elaborámos uma
série informações baseadas na regulamentação em vigor, por acharmos de interesse para
quem se dedica a colecionar postais ilustrados. Servem para quem tiver em vista a competi-
ção ou, simplesmente, para ter um a ideia como selecionar e ordenar devidamente os seus
postais.
Material colecionável
Os Postais ilustrados devem ser originais (evitar reproduções) e ter a melhor qualida-
de possível disponível. A ênfase é dada à imagem e não ao uso ou particularidades filatéli-
cas (se houver). Variam no tamanho, forma e no material em que são produzidos. Os pos-
tais podem ser usado com tratamento postal ou comprovadamente circulados através de
um sistema de serviço postal. Em estado de novo, não utilizados, podem ser considerados
desde que tenham impresso linhas de endereço, local delimitado para o selo ou outras ins-
crições mostrando que o item foi destinado a ser enviado sem envelope. Em competição, o
postal circulado será muito mais valorizado.
Como elaborar a coleção (conceito, plano e tratamento)
A imagem do postal ilustrado entra, na maior parte das coleções, sempre de acordo
com a própria escolha do expositor, desde o tratamento geográfico, focando um lugar, cida-
de, região, país, ao desenvolvimento dos mais diversos temas. Um acontecimento pode ser
mostrado em forma de reportagem. Pode também ter como tema o fotógrafo, o artista, a
entidade impressora, o processo de impressão ou o material.
O título e o plano devem ser apresentados na página introdutória e devem refletir o
conteúdo da coleção da melhor maneira possível.
O título bem como os principais capítulos e subcapítulos do plano devem mostrar
objetivamente a estrutura e o desenvolvimento lógico ao longo da participação e demons-
trar criatividade, conhecimento e investigação.
P Á G I N A 7P U B L I C A Ç Ã O T R I M E S T R A L — A N O I I I N . º 1 2
A Classe de CartofiliaA Classe de CartofiliaA Classe de Cartofilia
P Á G I N A 8
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
Tem de haver uma ligação clara entre o título e o plano para uma boa estrutura e trata-
mento da coleção. A escolha adequada de postais para ilustrar e mostrar o desenvolvimento
do tema proposto deve ser feita com originalidade, imaginação e ideias criativas.
O tratamento do material exposto deve estar de acordo com o título e o plano. Cada
postal ilustrado deve ter uma ligação ao tema escolhido e ter um texto temático apropriado
relacionado com a imagem, o mais sucinto possível, podendo, também, conter informações
sobre o fotógrafo ou artista. Paralelamente deverá haver uma descrição cartófila, detalhada,
indicando a tipografia, método de impressão e editor. Se esta última informação não estiver
disponível deve ser explicada a razão. No caso dos postais com tratamento postal terá que
haver a informação filatélica.
Material original de arquivo fotográfico usado como base para ensaios e provas na pro-
dução de um postal pode ser incluído e valoriza a coleção. Postais ilustrados produzidos com
fotos do foro privado, mesmo que enviados pelo serviço postal, só devem ser incorporados
em número muito limitado e em casos especiais.
(Folha de coleção de cartofilia “COIMBRA”)
Estado e Raridade
Os postais selecionados devem ter a melhor qualidade possível disponível para o
tema escolhido. Cantos cortados, ausentes ou desgastados, riscos, manchas, furos, etc.
desvalorizam bastante o postal, havendo a tolerância necessária dependendo da raridade
para os postais antigos e circulados. São aceites Postais Ilustrados escritos do lado da
imagem antes da introdução da divisão no verso, mesmo que a escrita esteja esborratada
ou tenha manchas de tinta. O bom estado do selo e nitidez e raridade das obliterações são
elementos de valorização.
A raridade está diretamente relacionada com a dificuldade em encontrar os Postais
Ilustrados desejados e a sua dificuldade na aquisição. Verifica-se sobretudo nos Postais
Ilustrados antigos, tanto nos postais RPPCs (1) ou "Real Foto" como nos postais impressos,
dado o número reduzido de exemplares normalmente emitidos.
As imagem de postais mostrando detalhes com pessoas, atividades, transportes, etc.
são mais importantes do que os postais apenas com vistas gerais ou monumentos. Nos
postais antigos frequentemente a mesma imagem serviu para a edição em várias editoras,
com algumas variações na apresentação. As variações contemporâneas podem ser trata-
das como originais, enquanto reproduções modernas, devendo ser apresentadas como tal
Postais falsos não devem integrar uma coleção.
Apresentação
A montagem é importante, devendo haver um bom enquadramento na disposição das
imagens e textos dos postais e dar uma boa impressão visual à coleção. As folhas devem
ser brancas ou de cores claras e o texto ser atraente e bem adequado. Mapas, desenhos
ou objetos que tenham uma conexão direta com o tema ou o desenvolvimento da imagem
do postal, podem ser utilizados, em número limitado, desde que a imagem não passe a ser
secundária no contexto da coleção.
Montagem
A montagem de uma coleção deve ter em vista tanto a maneira prática de a acondicio-
nar e guardar bem como a de a expor. Hoje em dia os painéis expositores permitem expor,
16, 12 ou 8 folhas em 4 filas. O mais usual é expor 16 folhas (4 folhas x 4 filas) Estas folhas
poderão ter as dimensões de 21cm x 29,7cm (A4) ou 24 cm x 29,7cm, permitindo no pri-
meiro caso expor 2 postais formato antigo e, no segundo, 2 postais no formato mais gene-
ralizado.
(1)
RPPCs - Postais Ilustrados Real Foto
Apareceram em 1899 graças sobretudo à KODAK. Foram concebidas máquinas em que as
imagens podiam ser impressas em formato e papel cartão postal, com as palavras Post
Card previamente impressas no verso dividido para texto endereço e espaço para o selo.
Acessíveis aos possuidores das máquinas, eram postais a preto e branco. Apareçam
alguns coloridos à mão. A legenda na face da imagem, sempre em letras maiúsculas em
geral brancas, sobre a imagem, a começar no lado inferior esquerdo.
P Á G I N A 9P U B L I C A Ç Ã O T R I M E S T R A L — A N O I I I N . º 1 2
Pontuações a atribuir numa participação (2)
Título, plano (10) e Tratamento (20) 30 pontos
Conhecimentos de Pesquisa 35 pontos
Estado (10) e Raridade (20) 30 pontos
Apresentação 5 pontos
Total 100 pontos
(2)
A participação é a parte da coleção que o colecionador, como expositor, apresenta num
determinado certame.
Postais Ilustrados nas Classes Filatélicas de Inteiros Postais e Maximafilia
Inteiros Postais
Na classe de Inteiros Postais são aceites coleções que apresentem documentos com o
selo impresso ou um elemento pré-impresso e oficialmente autorizado com a indicação de
que um valor especifico de porte foi pré-pago.
(Folha de coleção de Inteiros Postais “Pintores Portugueses nos Inteiros Postais”)
P Á G I N A 1 0
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
É isto que nos diz o Regulamento da Classe de Inteiros Postais. Quanto às imagens
impressas no mesmo documento conjuntamente com o selo impresso, o regulamento nada
diz. Conclusão, as imagens dos Inteiros Postais Ilustrados editados pelos correios, um pou-
co por todo o Mundo, não são consideradas filatelicamente nesta Classe. Daí a impossibili-
dade de concorrer com as imagens dos Inteiros Postais na sua própria classe.
Curiosamente, na Classe de Filatelia Temática, estas imagens dos Inteiros Postais
são consideradas há muitos anos. Estas peças são de muito interesse, obrigatórias nas
temáticas e uma mais-valia para o desenvolvimento lógico de toda e qualquer coleção.
Com a nova Classe de Postais Ilustrados, os Inteiros Postais Ilustrados (com as cara-
terísticas do Postal Ilustrado), passam a poder concorrer nesta nova classe e a ser possível
apresentá-los tematicamente.
Maximafilia
Nesta Classe são apenas apresentados Postais Máximos constituídos por Postais
com o selo colado do lado da imagem e obliterados postalmente.
(Folha da Coleção de Maximafilia “Filatelia Algarvia - Subsídios para a sua História”)
P Á G I N A 1 1P U B L I C A Ç Ã O T R I M E S T R A L — A N O I I I N . º 1 2
Esta modalidade nasceu com o aparecimento dos Postais Ilustrados, em finais do século
XIX e que, para circularem, era necessário colar um selo, normalmente do lado da ima-
gem. Eram os chamados T.C.V. (Timbre Coté Vue). Da coincidência de aparecerem pos-
tais em que o selo tinha o mesmo motivo do postal e obliteração da localidade que a ima-
gem representava, nasceu o Postal Máximo. Não é mais que uma peça filatélica colecio-
nável em que figuram os três elementos, postal, selo e obliteração, apresentando uma
estreita concordância entre eles.
A partir da segunda década de século passado nasceu o hábito de produzir estas
peças, por parte de determinados colecionadores. Na maior parte das vezes apenas com
tratamento postal pois não chegavam a circular. Com a proibição de colocar o selo do
lado da imagem, no princípio dos anos 30, deixou de haver definitivamente, Postais Máxi-
mos comprovadamente circulados. Este tipo de colecionismo continuou e tem bastantes
seguidores com tratamento postal, no lado da imagem, de favor, sem poder de franquia.
Sujeita a críticas, por parte de muitos filatelistas, em virtude de a franquia postal não
servir para cumprir a sua missão, a de pagar o serviço de entrega de uma mensagem.
Também por parte dos cartofilistas que não aceitam que bons postais clássicos sejam
sacrificados para se produzirem Postais Máximos com selos modernos, como infelizmente
muitas vezes encontramos. Para o cartofilista, todo e qualquer e postal não poderá ter o
selo colado sobre a imagem, exceto os T.C.V. com selo da época. De qualquer maneira
não deixa de ser uma modalidade de colecionismo muito divulgada e aceite pela Federa-
ção Internacional de Filatelia, desde 1978.
A terminar
Com a introdução desta nova classe de Postais Ilustrados concluímos:
 Deu ao Postal Ilustrado a dignidade que merecia, a de ter sido criado para envio de
mensagens;
 Valorizaram-se todas as peças que com selos e comprovadamente circuladas;
 Aceitou-se, no seu seio, os Inteiros Postais Ilustrados que, até aqui, a parte ilustrada
apenas tinha valor nas coleções de Filatelia Temática e na Maximafilia;
-
Como sugestão de montagem reproduzimos 3 folhas de coleções do Algarve, com
Postais Ilustrados circulados, Inteiros Postais Ilustrados e Postais Máximos, devidamente
enquadrados no texto
António Gonçalves Borralho
Apontamento
A edição do primeiro postal do Mundo data de 1 de Outubro de 1869, pelos Cor-
reios austríacos e deve-se a Emanuel Herrmann.
No nosso país, presume-se que o primeiro postal terá sido editado pelos Correios de
Portugal, em 1878, ainda não ilustrado.
Em 1893 é lançado, em Zurique, o primeiro postal ilustrado a nível mundial. Um ano
depois, é Portugal, com um postal ilustrado comemorativo do V Centenário do Infante D.
Henrique, editado pelos correios portugueses.
P Á G I N A 1 2
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
Hoje apresento 6 Dirhams , moedas em prata que circulavam no nosso Al-Gharb nos
anos de 965-1013 D.C. tendo em destaque neste lote o Dirham cunhado pelo General
Wadeh em 965 D.C. em nome do Califa de Córdoba Hisham II e pelo rebelde Zirí Ben Atyya
cunhado em 966 D.C. também em nome do Califa de Córdoba Hisham II.
Moedas com muita historia que espero que gostem...até á próxima
Dírham de Abderraman III, ceca Medina Azahara, año 338
Dírham de Abderramán III, Medina Azahara año 337
Dírham de Hisham II, al-Andalus 381
Dírham de Hisham II, al-Andalus año 382
Dírham acuñado en Fez en el año 388 H. por el rebelde Zirí ben Atiyya, a nombre del califa cordobés Hisham II
Dírham ceca Fez, 389 H. Acuñado por el general Wadeh en nombre del califa Hisham (II)
Paulo Silva
Apontamento
DIRHAM - Dirham é uma unidade da moeda de diversos países árabes. A palavra
“dirham” é derivada do nome da moeda grega “dracma”.
Utilizada em todo o Norte de África, em muitos países mediterrânicos incluindo Al-
Aldaluz (Mourisca Espanhola) tornou-se, perto do final do século VII até ao século XII como
moeda islâmica, em prata, como o nome do soberano numa das faces e um motivo religio-
so na outra
P Á G I N A 1 3P U B L I C A Ç Ã O T R I M E S T R A L — A N O I I I N . º 1 2
As Moedas do AlAs Moedas do AlAs Moedas do Al---GharbGharbGharb
Actividades filatélicas no AlgarveActividades filatélicas no AlgarveActividades filatélicas no Algarve
de Outubro a Dezembrode Outubro a Dezembrode Outubro a Dezembro
P Á G I N A 1 4
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
Quarteira, Biblioteca da Escola EB 2/3 D. Dinis
Implantação da República
No passado mês de outubro esteve patente Escola EB 2/3 D. Dinis em Quarteira uma
coleção de cartofilia pertencente a Luís Brás alusiva à República Portuguesa no sentido de
assinalar os 105 anos da implantação da República em Portugal.
Destaque ainda para os alunos que visitarem a exposição e puderam observar um
vídeo, com selos emitidos pelos CTT, aquando do centenário da república, acompanhado
com o som do hino nacional e que poderá ver em https://www.youtube.com/watch?
v=Taqx_of4bCo
Agrupamento de Escolas Pinheiro e Rosa no concelho de Faro
No âmbito das atividades programadas para as bibliotecas escolares do Agrupamento
de Escolas Pinheiro e Rosa, realizaram-se uma série de exposições temáticas nas diversas
escolas que integram aquele agrupamento, as quais foram bastantes concorridas com visi-
tas guiadas aos alunos.
Na Escola EB 2/3 Poeta Emiliano da Costa – Estói
Destinadas aos alunos desta escola em 5 de Outubro foi montada na Biblioteca
Escolar Amilcar Quaresma uma coleção de Luís Brás, denominada “1º Centenário da Revo-
lução Republicana de 5 de Outubro – 1910-
2010”.
A exposição foi bastante concorrida,
sendo os alunos acompanhados pelas respec-
tivas professoras, que se foram revezando por
turmas e, entre a algazarra normal das crian-
ças desta idade, puderam apreciar, além da
coleção exposta, também um vídeo com
alguns selos emitidos pelos CTT para assina-
lar o Centenário da República Portuguesa e
que despertou nos alunos alguma curiosidade
tendo sido tema para algumas perguntas,
prontamente respondidas pelos professores.
Na Escola EB 2/3 Dr. José Neves Júnior – Faro
E no passado dia 7 de outubro foi colocada em exibição na Biblioteca
Escolar da EB 2/3 Dr. José Neves Júnior, destinada aos alunos desta
escola, uma coleção de filatelia temática de Francisco Paiva alusiva à
União Postal Universal
(UPU) no sentido de assi-
nalar o Dia Mundial dos
Correios, que ocorreu no
dia 9 de Outubro.
A UPU foi fundada em 1874, na cidade
suíça de Berna, e dela fazem parte actual-
mente 192 países, sendo Portugal foi um dos
vinte e dois países fundadores. É uma organi-
zação inter-governamental e internacional
agrupando os serviços postais dos países
aderentes, é a segunda organização interna-
cional mais antiga do mundo.
P Á G I N A 1 5P U B L I C A Ç Ã O T R I M E S T R A L — A N O I I I N . º 1 2
Na Escola Secundária Pinheiro da Rosa – Faro
No dia 8 de outubro foi colocada em exposição na Biblioteca
Escolar da Escola Pinheiro e Rosa a coleção de filatelia temática
de Sérgio Pedro, denominada "Sigmund Freud - Explorando o
Inconsciente" para assim assinalar junto daquela comunidade edu-
cativa o Dia Mundial da Saúde Mental que se comemora anual-
mente no dia 10 de Outubro.
Dia Nacional do Mar
O Dia Nacional do Mar, que se comemora anualmente no dia 16 de Outubro, teve a
sua origem na “Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar”, sendo comemora-
do em Portugal desde o ano de 1997, data em que Portugal ratificou aquela Convenção.
Para comemorar este dia, os Amigos da Filatelia, no âmbito da colaboração com as
Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Pinheiro da Rosa, colocaram nas escolas que a
seguir se indicam as coleções que a seguir referenciamos
Escola EB 2/3 Poeta Emiliano da Costa –
Estói
Nesta escola esteve patente a coleção do
filatelista José Palma “Por Mares Nunca Dantes
Navegados”
Escola EB 2/3 Dr. José Neves Junior – Faro
Nesta escola esteve patente a coleção do
filatelista Sérgio Pedro “Os Portugueses e o Mar”
P Á G I N A 1 6
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
19 de Novembro – Dia Internacional do Homem
O Dia Internacional do Homem é comemorado anualmente a 19 de
Novembro. A sua origem data de 1992, altura em que Jerome Tee-
lucksinhg, homem de Trinidad e Tobago, com o apoio da ONU e de
vários grupos de defesa dos direitos masculinos de todo o mundo o
instituiu. Não tem (ainda) a repercussão que o Dia Internacional da
Mulher tem, mas os seus precursores bem se têm debatido para que
esta paridade seja uma realidade.
É para assinalar este dia que esteve patente na Biblioteca da Escola
Pinheiro da Rosa uma colecção de personalidades portuguesas que se destacaram pelo
seu altruísmo.
Exposições de Natal 2015 - Escola Poeta Emiliano da Costa
Na Escola Poeta Emiliano da Costa (Estói) uma exposição alusiva ao Natal composta
por Postais alusivas à quadra natalícia pertencente a Sérgio Pedro, a qual esteve patente
desde a primeira semana de Dezembro até final do primeiro período escolar.
Escola EB 2/3 Dr. José Neves Júnior – Faro
Igualmente, na Biblioteca da EB 2/3 Dr. José
Neves Júnior, em Faro os alunos puderam apreciar
uma colecção de filatelia temática sobre o Natal do
filatelista Ricardo Brito a qual esteve patente duran-
te o mesmo período
P Á G I N A 1 7P U B L I C A Ç Ã O T R I M E S T R A L — A N O I I I N . º 1 2
Mostra Filatélica “Antíqua 2015”
A Secção Filatélica do Lions Clube de Portimão levou a
efeito a "ANTIQUA 2015" - Feira de Antiguidades, Velharias e
Colecionismo e uma Mostra Filatélica nos dias 27, 28 e 29 de
Novembro na sala Medronheiro do Hotel Júpiter, na Praia da
Rocha, com o lema: "NÓS SERVIMOS" - ação de apoio a idosos
carenciados do concelho de Portimão na quadra natalícia de
2015.
Este evento contou com a colaboração e Apoios da AFAL -
Associação Filatélica Alentejo-Algarve, Hotel Júpiter, Associação dos Antiquários do
Algarve e Alentejo, Câmara Municipal de Portimão, Correios de Portugal e Federação
Portuguesa de Filatelia.
A inauguração decorreu no dia 27 pelas 18 horas na presença de expositores, enti-
dades convidadas e visitantes. Nos dois primeiros dias a Feira permaneceu aberta ao
público até às 24 horas.
Atividade integrada no Plano Exposicional da FPF para este ano, a Mostra filatélica
foi subordinada ao tema "A Mulher". Solicitou-se aos colecionadores do Algarve que apre-
sentassem material suscetível de ser integrado na temática proposta. Assim, sucedeu e
as nossas previsões foram superadas. Francisco Leal Paiva mostrou, em 5 quadros, uma
bem elaborada participação temática que intitulou de "A Mulher" assim como, num qua-
dro, uma sequência de magníficos postais máximos relacionados com "A Mulher; Sérgio
Pedro levou-nos a relembrar, através da Filatelia, alguns dos "Vultos da História e da Cul-
tura no Feminino", sobretudo do Algarve; Francisco Matoso Galveias apresentou "Trajes
no Feminino" em dois quadros, início de uma bem estruturada participação; Maria Arman-
da Gonçalves Borralho extraiu da sua coleção "Pintores nos Inteiros Postais" 3 quadros
sobre "A Mulher nos Inteiros Postais Portugueses"; António Borralho expôs dois quadros,
P Á G I N A 1 8
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
um sobre "A Mulher nos Inteiros Postais do Congo Belga
(1912-1928)" e o outro de cartofilia "A Mulher nos Pos-
tais do Congo Belga (até 1930)" ambos com peças das
suas coleções; Bárbara Galveias, em Cartofilia, mostrou
em dois quadros, um belo e raro conjunto de "Postais
Clássicos do séc. XIX e XX - A Mulher".
Na Feira de Antiguidades, Velharias e Colecionis-
mo estiveram presentes uma dezena de expositores,
com o mais diverso material, livros, postais, selos, reló-
gios, porcelanas, pinturas, mobiliário antigo etc. De real-
çar o interesse dos visitantes, dado o bom nível de
material apresentado.
Durante os três dias do evento registou-se grande
afluência de público, sobretudo colecionadores. No
Domingo, dia 29, o funcionamento do Posto de Correio
atraiu um maior número de pessoas em virtude de haver
uma marca postal comemorativa. Os estrangeiros, muitos deles filatelistas, foram visita
constante durante os três dias do evento, um pouco devido à boa ocupação dos Hotéis da
Praia da Rocha.
No Domingo realizou-se um Almoço Buffet de Confraternização, no Hotel, aberto a
todos os expositores filatelistas e antiquários e sócios e apoiantes dos Clubes do Algarve
P Á G I N A 1 9P U B L I C A Ç Ã O T R I M E S T R A L — A N O I I I
EDP Promoção do voluntariado na UNIR
e promoção da Filatelia
Decorreu na sede da UNIR, no passado dia 10 de dezembro mais uma iniciativa com
caráter de responsabilidade social da autoria da EDP Distribuição intitulada “Uma Parte
de Nós” que se define pela promoção do voluntariado entre os seus colaboradores junto
da comunidade. No Algarve, a UNIR foi a instituição selecionada, o que nos encheu de
orgulho.
Foi organizada a 2ª exposição de Filatelia nas instalações da sede da UNIR (coleção
de Francisco Galveias) sobre Eletricidade, assim como a exposição de telas pintadas para
este dia com o tema “Distribuição de Eletricidade in e outdoor da UNIR” pelos utentes da
UNIR com a supervisão do Monitor de Pintura.
Houve ainda um show de magia e dança ao som do acordeão. No final, a EDP Dis-
tribuição em conjunto com a LouléDoce (Loulé), Pastelaria Riviera (Albufeira) e a Fábrica
de Bolos Mónica Guerra (São Brás de Alportel) ofereceram um lanche a todos os presen-
tes.
P Á G I N A 2 0
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
Mostra Filatélica em Alcalar
Esteve patente ao público, de 10 de dezembro de 2015 a 10 de janeiro de 2016 no
Centro Interpretativo das Ruínas Megalíticas de Alcalar, uma Mostra Filatélica subordinado
ao tema "A Arqueologia na Filatelia Portuguesa" organizada pela AFAL com o apoio e
patrocínio do Museu e Município de Portimão, da Federação Portuguesa de Filatelia e Cor-
reios de Portugal, integrada no plano Exposicional para 2015.
No local funcionou um Posto de Correios com carimbo comemorativo alusivo ao
monumento funerário n.º 7, um "Tholos". A AFAL editou um sobrescrito e um postal. Tam-
bém, à disposição dos colecionadores, dois postais das ruinas, edição conjunta do Nucleo
de Filatelia de Faro e da Direção Regional de Cultura de Faro. Os postais permitiram a con-
feção de Postais Máximos Triplos.
A Mostra Filatélica dedicada ao tema Arqueologia apresentou material dos coleciona-
dores Ilídio Pires dos Santos, António Borralho, José Reis Luís, António Cavaco, Rui Bastos
e Fernando Reis. Apresentou-se uma panorâmica geral da Arqueologia desde a Pré-história
até à moderna Arqueologia Industrial com especial relevância dada ao material do Algarve.
A inauguração da Mostra decorreu com a abertura do Posto de Correio e lançamento
da Marca postal e a presença de elementos do Museu Municipal e colecionadores de Porti-
mão e Faro. Durante o período de permanência foi bastante visitada por colecionadores
que propositadamente aí se deslocaram e visitantes das Ruínas, sobretudo estrangeiros.
Transcrevemos um breve apontamento sobre as ruínas inserido num folheto editado
para a Mostra.
"A cerca de 12 km de Portimão, situa-se a Necrópole Megalítica de Alcalar datada do
III milénio a.C. e descoberta em 1880 pelo arqueólogo Estácio da Veiga. Nesta localidade
existiu um povoado, situado num pequeno monte e, em seu redor, outros aglomerados
habitacionais periféricos. Em pequenas elevações circundantes encontram-se cerca de vin-
te templos funerários megalíticos com mamoa, revelando uma grande diversidade de
P Á G I N A 2 1P U B L I C A Ç Ã O T R I M E S T R A L — A N O I I I N . º 1 2
soluções arquitetónicas com os tholoi com cripta rematada em falsa cúpula, a cons-
trução dolménica com grandes monólitos de arenito e hipogeu artificialmente escavado na
rocha, numa área de cerca de 20 hectares e a maior parte deles em terrenos agrícolas
rurais.
Todos os monumentos se encontram em ruínas, bastante danificados exceto o
número 7 o mais bem conservado da necrópole e que foi alvo de recuperação por parte
das entidades competentes. O monumento é constituído por um cairn, mamoa de pedras
que envolve um tholos, construção com corredor e cripta coberta em falsa cúpula. A plan-
ta circular tem um diâmetro de quase 27 metros, com uma fachada retilínea voltada a nas-
cente. A cripta ocupa o centro geográfico do túmulo e o seu pavimento foi revestido por
um lajeado de calcário."
P Á G I N A 2 2
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
Huelva “Tema Religião”
Integrado nos dos 500 anos
da Paróquia da Imaculada Concei-
ção de Huelva, cujas comemora-
ções se iniciaram em Novembro de
2014 e das quais se destacou a
recepção de 6 a 13 de Fevereiro do
passado ano, a visita de imagem
peregrina de Nossa Senhora de
Fátima, o Pároco da freguesia con-
vidou o Círculo Filatélico y Numis-
mático de Huelva a organizar uma
Mostra Filatélica dedicada à religião
em geral, tendo esta tido lugar no
Palácio de Mora Claros naquela
cidade andaluza de 16 a 31 do
Outubro.
Esta mostra contou com um lote de interessantes colecções da temática religião,
entre as quais algumas colecções provenientes do Algarve
Almada Exposição na “ARPCA”
Associação de Reformados, Pensionistas e Idosos do Concelho de Almada (ARPCA),
realizou-se a já tradicional Mostra de Filatelia e Coleccionismo, a qual vai já na sua nona
edição e que teve lugar na Oficina de Cultura em Almada de 17 a 25 de Outubro de 2015..
Esta Mostra, que está inserida no Plano Exposicional da Federação Portuguesa de
Filatelia e conta com o apoio, além da Fede-
ração, com os Correios de Portugal e da
Câmara Municipal de Almada.
No dia da inauguração, bastante con-
corrido, contou com a presença de várias
entidades nomeadamente a representante
da Câmara Municipal de Almada e o presi-
dente da Federação Portuguesa de Filatelia,
que no acto em breves palavras de circuns-
tância testemunharam mais um evento reali-
zado pela Secção de Filatelia e Coleccionis-
mo da ARPCA.
P Á G I N A 2 3P U B L I C A Ç Ã O T R I M E S T R A L — A N O I I I N . º 1 2
Actividades filatélicas noutros locais deActividades filatélicas noutros locais deActividades filatélicas noutros locais de
Outubro a DezembroOutubro a DezembroOutubro a Dezembro
P Á G I N A 2 4
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
A Mostra de Filatelia e Coleccionismo contou com um Posto de Correio no dia da
inauguração, provido de um Carimbo Comemorativo ilustrado com o Farol de Cacilhas, e
que funcionou das 15,30 às 17,30 horas, sendo o acto da obliteração da peça filatélica pre-
senciado por um elevado número de pessoas.
Estiveram expostas 29 colecções de Filatelia, distribuídas por 81 quadros, 10 colec-
ções de outras formas de coleccionismo. O Algarve fez-se representar com duas colecções
pertencentes a Francisco Matoso Galveias.
Grécia NOTOS 12/11/2015
Realizou-se de 12 a 15 de Novembro na cidade de Peristeri, nos arredores de Ate-
nas, a “NOTOS 2015 – International Philatelic Exhibition”, uma exposição destinada a reu-
nir naquela cidade a elite dos filatelistas do sul da Europa (Notos =
sul).
Esta exposição, que teve lugar no Peristeri Exhibition Cen-
ter, foi organizada pela Helenic Philotelic Socity,e foi patrocinada
pela FEPA – Federação das Associações Europeia de Filatelia,
conforme aprovação no Congresso de Lugano de 13 de Setembro
de 2014. Contou com a presença de 385 participações de 36 paí-
ses.
A representação portuguesa foi constituída por 14 participações,
assim distribuídas: Grande Competição, 1; FilateliaTradicional, 3;
História Postal, 1; Inteiros Postais, 1; Aerofitalelia 1; Juventude, 1;
Literatura 6. Foram oriundas do Algarve duas colecções: “German Aerophilately, 1888-
1938” de Cosh Graham e o livro “Os Bombeiros na Filatelia Portuguesa” de Francisco
Matoso Galveias.
O palmarés da participação portuguesa honrou bem o nosso país, tendo-se saldado
por 3 Medalhas Ouro Grande, 3 Medalhas de Ouro, 4 Medalhas de Vermeil Grande, 1
Medalha Vermeil e 3 Medalhas de Prata. Às participações do Algarve foram atribuídas,
uma Medalha de Ouro (90 pontos) a Cosh Graham e Medalha de Prata (73 pontos) a Fran-
cisco Galveias.
Círculo Filatélico y Numismático de Huelva
Do Círculo de Huelva recebemos a “Memória de Actividades 2015” que remeteram
para a estrutura filatélica andaluza sobre a sua actividade durante o ano de 2015.
Porque, grande parte dessas actividades já foram divulgadas nas páginas de “O Men-
sageiro do Algarve”, limitar-nos-emos a reproduzir algumas passagens dessa “Memória”,
mantendo, neste caso, a língua castelhana, para não desvirtuando assim o original.
A “Memória” que nos foi enviada começa por informar que “mantenemos la reunión
semanal durante todos los viernes del año ajustándonos al “calendario escolar”, en la sede
actual del Círculo y en la que llevamos ya varios años,”, para mais à frente indicar que a
realização da ONUGARVE 2015, a qual já noticiámos nas páginas desta revista, explicando
que a razão da mudança de local desta exposição se deve a “El cam-
bio de Rector, y su equipo, en la Universidad de Huelva, y a pesar del
convenio que teníamos firmado con el anterior, nos dejó sin poder con-
tar con el espacio expositivo que veníamos utilizando durante los cua-
tro años”. Para esta exposição emitiram um selo personalizado utilizan-
do “el mismo diseño del matasellos especial de la primera Onugarve,
con la fecha actualizada y eliminando la referencia a la Universidad”.
Ainda durante esta exposição fizeram a “presentación del sello perso-
nalizado en honor a José García del Hierro, socio fundador del Círculo,
en el décimo aniversario de su fallecimiento” convidando a família para
o seu lançamento.
P Á G I N A 2 5P U B L I C A Ç Ã O T R I M E S T R A L — A N O I I I N . º 1 2
Foi ainda lembrada a participação dos filatelistas do Círculo na exposição Algarpex
2015, que se realizou na Casa do Sal em Castro Marim, onde apresentaram um quadro
com os catálogos das Onugarves, para mais à frente anunciar o próximo evento em
“octubre, de 16 al 31, ambos inclusive, en Huelva, y con motivo de la celebración del V
Centenario de la Parroquia de la Purísima Concepción, en el Pala-
cio de Mora Claros llevamos a cabo una exposición de Filatelia y
Coleccionismo prácticamente monotemática, todas las coleccio-
nes versaron sobre temas religiosos, iglesias o la Virgen. La inau-
guración de la exposición fue presidida por el Cura Párroco de la
Parroquia de la PURÍSIMA Concepción, Don Diego Capado,
acompañado del presidente de la asociación de la 3ª edad que se
reúne en ese edificio así como del presidente del Circulo. De igual forma, se procedió a la
clausura” (ver selo personalizado em notícia página 23).
O último dos eventos realizado foi em Moguer, uma localidade nas imediações de
Huelva, “del 16 al 30 de noviembre, en la sede de la Peña de Cante Jondo de Moguer, y
con motivo de la celebración de los 40 años de la misma, llevamos a cabo la última de
este año, con 24 paneles (48 cuadros), en la que participamos los miembros del Círculo
además de 2 expositores de Cádiz y 1 del propio Moguer”.
Esta “Memória” foi concluída com uma referência à exposição realizada em Vila
Real de Santo António comemorativa do 2º Aniversário da Eurocidade do Guadiana (que
inclui as localidades de Ayamonte, Castro Marim e Vila Real de Santo António) e para a
qual contribuíram a pedido “del Ayuntamiento, se edita un “Tu sello” de tarifa B, apta para
enviar la correspondencia a Europa, en este caso a Portugal, al igual que Villa Real emite
un “Meu selo”; ambos sellos con composición pareja: El logo de la Eurociudad y un barco
(portugués ellos, español nosotros)”, além de participar “uno de nuestros socios con su
colección Sellos locales de Huelva”.
Endereçamos pois, aos nossos companheiros de Huelva, na pessoa do seu presi-
dente, Manuel Guadalupe Gonzalez García o nosso bem-haja, agradecendo igualmente a
cooperação que têm tido connosco já ao longo de quase seis anos, enviando-nos sempre
notícias sobre o que se vai produzindo do outro lado da fronteira.
P Á G I N A 2 6
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
Actividades dos Amigos da filatelia (Faro)
Da programação para o primeiro trimestre do Amigos da Filatelia (Faro) estão previs-
tas as seguintes actividades:
3/1/2016 – “Cartofilia da Europa” ilustrada com motivos infantis na EB 2/3 Poeta Emiliano
da Costa (Estói).
12/1/2016 – Exposição de Filatelia “A Electricidade”, na escola Dr. José Neves Júnior
(Faro).
15/1/2016 - Exposição alusiva aos “Grandes Compositores” na Escola Secundária Pinheiro
da Rosa, assinalando-se assim o Dia Mundial dos Compositores.
1/2/2016 – (Prolongando-se durante todo o mês de Fevereiro), Mostra de Coleccionismo no
Museu Municipal de Faro.
3/3/2016 – Dia Internacional da Mulher é assinalado nas três Bibliotecas do Agrupamento
de Escolas Pinheiro da Rosa, com exposições de filatelia.
4/3/2016 – Em Estói, na Sede do Grupo de Jograis António Aleixo va estar patente uma
exposição filatélica onde estará em evidência a “Marcofilia de S. Brás de Alportel”
14/3/2016 – Na Escola AB 2/3 D. Dinis (Quarteira) e durante a semana de Leitura que se
realiza neste estabelecimento de ensino, vai estar patente uma colecção filatélica.
Exposição de Coleccionismo em Beja
Vai decorrer na cidade de Beja, de 1 a 18 de Março, nas instalações do Instituto Poli-
técnico de Beja, na Rua Pedro Soares – Campus Universitário de Instituto Politécnico de
Beja uma Exposição de Coleccionismo a que se intitulou “Mente sã em corpo sénior”. A
exposição, da responsabilidade do Grupo Filatélico da Associação Humanitária de Dadores
de Sangue de Beja conta ainda com a ajuda da Associação de Saberes e Aprendizagens
Beja Sénior – Universidade Sénior de Beja.
Esta exposição conta com participações de coleccionadores oriundos do Algarve.
Lisboa – congresso da Federação Portuguesa de Filatelia
Como é previsível, irá realizar-se durante o mês de Março o Congresso Ordinário da
Federação Portuguesa de Filatelia – APD em sessão ordinária, para apreciação do Parecer
do Conselho Fiscal sobre o Relatório de Actividades, as Contas e o Balanço referentes ao
ano de 2015, à discussão e votação do mesmo Relatório, à apreciação do Relatório Disci-
plinar, fixação de da quota federativa e do valor do Cartão de Filatelista para o ano de 2017,
além da designação do local do próximo Congresso.
P Á G I N A 2 7P U B L I C A Ç Ã O T R I M E S T R A L — A N O I I I N . º 1 2
Próximos Eventos
Filatélicos
Produtos Filatélicos
P Á G I N A 2 8
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
O que foi a produção filatélica durante o ano de 2015
Durante o ano de 2015, muitos foram os produtos filatélicos que os CTT – Correios de
Portugal, S. A. emitiram, demasiados, dizemos nós, uma política de emissões, que não se
coaduna com dimensão do país, quer em número de emissões e quantidades de selos, quer
também nos temas (ou mensagens) que os selos nos transmitem. As emissões, e consequen-
temente os selos, são muitos e os temas, algumas vezes, nada dizem ao comum dos portu-
gueses, estas repetem-se, embora espaçados num tempo mais ou menos longo.
Um rol de produtos filatélicos traduzidos em Selos, Blocos, Mini-folhas, Etiquetas,
Bilhetes Postais (para montagem de Postais Máximos), FDC (em duas verões C5 e C6) e as
Pagelas. Todos estes produtos devidamente referenciados nas pagelas, a que podemos ain-
da acrescentar os Inteiros Postais e os Carimbos e nestes enumerar os de 1ª Dia, os de lan-
çamento de Inteiros Postais e os Comemorativos, as carteiras de selos (de emissões e anuais
ou esporádicas), os selos personalizados, ditos “oficiais”, isto é, aqueles que são produzidos
pelos CTT apresentados comercialmente em carteiras temáticas. Se a todos isto, acrescen-
tarmos ainda os livros que anualmente são editados pelos CTT…
Quantificar em valores todos estes produtos, descobrimos que temos de despender
anualmente uma pequena fortuna.
Pensamos que não haverá filatelista que consiga juntar na sua colecção todos destes
produtos, contudo, se optar pelos mais importantes, os selos (incluindo etiquetas) e os blocos,
isto porque a maior parte dos blocos contêm selos não incluídas nas emissões, teria de pagar
150,00€ (todos os valores apresentados, são valores aproximados).
Se quiser também incluir os FDCs (C6), ao valor anterior juntaria mais 130,00€, se se
juntam os DFCs (C5), adicionaria no seu “carrinho” mais 95,00€, mais 42,00€ para as Mini-
folhas, 22,00€ para os Postais Máximos e 23,00e para as Pagelas.
Vejamos agora só os Carimbos
Para os FDCs (C6) com Carimbos de 1º Dia todos os locais 550,00€;
Idem para os FDCs (C5), 410,00€;
Idem para os Inteiros Postais, incluindo o IP mais o custo do pedido para o respectivo
Posto de Correio, 20,00€ a que se podia acrescentar mais 5,40€ para os seis IP que não tive-
ram carimbo de Lançamento, mas que poderia ser fornecidos com Marca-de-dia da localidade
de lançamento, caso de desejasse.
Já os Carimbos Comemorativos, para os quais tínhamos de os solicitar para os respec-
tivos Postos de Correio devidamente selados com um selo de 0,45€, o valor total a despender
seriam de 54,00€.
Para ter todos estes produtos, um filatelista gastaria cerca de 1.500,00€, não contando
com as Carteiras (de selos oficiais e personalizados) e com os livros.
Mas há ainda outros produtos que os CTT anualmente “adoçam a gosto” dos filatelis-
tas que se sentem atraídos ou não, para outras formas de coleccionismo paralelos à filatelia.
Finalmente, atente-se aos números (custos à parte) referentes ao ano de 2015:
Emissões, 33; Selos, 101, Etiquetas, 14; Blocos, 24; Muni-folhas, 9; Bilhetes-Postais
(para fazer Postais Máximos) 18; FDCs, (C5) 23 (multiplicar pelos locais onde houve Carimbo
de 1º Dia); FDCs (C6) 33 (multiplicar pelos locais onde houve Carimbo de 1º Dia); Pagelas,
33; Inteiros Postais, 29; Carimbos de 1º Dia, 134; Carimbos de lançamento de Inteiros Pos-
tais, 22; Carimbos Comemorativos, 61.
Um exagero… Francisco Matoso Galveias
Plano de Emissões para 2016
Está a ser divulgado pelos CTT o Plano de Emissões para o ano de 2016, sendo que
apenas as emissões referentes ao primeiro trimestre estão datadas no tempo, mas mesmo
assim sem previsão da data de entrada em circulação para todas essas emissões.
Reserva-se ainda o facto de “as datas, produtos e valores indicados poderão ser objecto
de alterações sem aviso prévio”. Eis pois as emissões:
Para o primeiro trimestre:
16 de Fevereiro – Museu Centenário, Abade Braçal – 1 selo (0,80€) + 1 Bloco (2,50€) + 1
Postal + 1 Postal Máximo
25 de Fevereiro – Desportos Radicais (3ª Série) – Autoadesivos – 3 selos (0,47€; 0,58€;
0,75€)
16 de Março – Museu Centenário, Grão Vasco – 1 selo (0,80€) + 1 Bloco (2,50€) + 1 Postal
+ 1 Postal Máximo
Março – Vultos da História e da Cultura – 3 selos
Março – Desportos Radicais (3ª Série) – 5 selos
Março – Jesuítas, Construtores da Globalização – 4 selos + 1 Bloco
A definir – Os Dias da Rádio – 4 selos + 1 Bloco
Para e segundo trimestre:
Madeira, Festas do Fim de Ano – 4 selos + 2 Blocos + 4 Postais + 4 Postais Máximos
50 Anos da Lubrapex, Adornos de Pescoço – 2 selos + 1 Folha Específica
Cante Alentejano – 2 selos + 1 Bloco
Açores, Turismo Sustentável – 4 selos + 2 Blocos + 4 Postais + 4 Postais Máximos
Santuários Marianos (Emissão conjunta com Alemanha e Áustria) – 2 selos + 1 Bloco
Europa, Ecologia – 3 selos + 3 Blocos + 3 Postais + 3 Postais Máximos
Tesouros, Museus Portugueses (1ª Série) – 2 selos + 2 Blocos
500 Anos de Contactos Indo-Portugueses (Emissão conjunta com a Índia) - 2 selos+1 Bloco
As Nossas Cidades, (Bairros Populares de Lisboa e Porto) (1ª Série) – 6 selos + 6 Postais +
6 Postais Máximos
Simetria Passos a Passo – 4 selos + 1 Bloco
Ano Unesco da Compreensão Global (Etiquetas) – 5 etiquetas + Correio Azul (Nacional e
Internacional)
Para o terceiro trimestre:
500 Anos da Chegada dos Portugueses à Conchichina (Emissão conjunta com o Vietnam) –
2 selos
Peixes do Mediterrâneo (UPMED) – 4 selos + 1 Bloco
Centenário do 1º Voo Militar – 2 selos + 1 Bloco
Mamíferos Predadores – 6 selos
Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro – 2 selos
Vinhas Velhas de Portugal – 4 selos + 1 Bloco
Para o quarto trimestre:
450 Anos da Publicação dos Petri Norii Salaciencis Opera – 1 selo + 1 Bloco
500 Anos do Correio em Portugal (1ª Série) – 4 selos + 1 Bloco
950 Anos do Contacto Franco-Português (Emissão conjunta com a França) – 2 selos
Cafés Históricos de Portugal (1ª Série) – 4 selos + 1 Bloco
Indústria Conserveira – 4 selos + 1 Folha Específica
Brasões de Armas do Exército Português – 4 selos
75 Anos da Liga Portuguesa Contra o Cancro (Etiquetas) – 5 etiquetas + Correio Azul
(Nacional e Internacional)
P Á G I N A 2 9P U B L I C A Ç Ã O T R I M E S T R A L — A N O I I I N . º 1 2
Plano Editorial para 2016
Foi divulgado pelos CTT através de carta aos seus assinantes em Conta Corrente
o Plano de Edições para o ano de 2016 e que inclui as seguintes edições:
Catedrais de Portugal, da autoria de Carlos Saraiva (PVP de 36,00€)
Jesuítas – Construtores da Globalização, da autoria de Carlos Fiolhais e José Eduardo
Franco (PVP previsto 35,00€)
Simetria Passo a Passo – Calçada Portuguesa, da autoria de Ana Cannas da Silva
(PVP previsto 36,00€)
Vinhas Velhas de Portugal, da autoria de Luís Antunes ((PVP previsto 39,00€)
Diz ainda a mesma missiva ofertar o livro “”Heranças das Américas”, cujo valor de
venda é de 42,00€ o qual inclui 6 selos e um bloco e que irá ser distribuído juntamente
com o segundo dos livros anunciados, além de um desconto no valor de 10% aplicado no
último dos livros. Receberá ainda a Revista do Coleccionador, que em 2016 celebra 30
anos de publicação, cujo valor de assinatura é de 10,00€.
Para usufruir destas vantagens poderá contactar através do telefone 707262626 ou
através do e-mail: filatelia@ctt.pt
A carta não o diz, mas certamente irá também ser publicado o “Portugal em Selos
2016” e eventualmente outros não assinalados na carta distribuída.
Carimbos Comemorativos
P Á G I N A 3 0
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
Emissões Filatélicas
175 Anos da Associação Mutualista Montepio
Data da Emissão: 01/10/2015
Selos: 0,45€; 0,80€
Bloco; 2,50€
Carimbos de 1º Dia: Lisboa, Porto, Funchal e Ponta Delgada
Pioneiros da dança em Portugal
Data da Emissão: 09/10/2015
Selos:0,45€; 0,55€; 0,62€; 0,72€; 0,80€; 1,00€
Carimbos de 1º Dia: Lisboa, Porto, Funchal e Ponta Delgada
2015 Ano Internacional da luz / 2015 Ano Internacional dos Solos
Data da Emissão: 14/10/2015
Selos:2 x 0,45€ + 2 x 045€
Carimbos de 1º Dia: Lisboa, Porto, Funchal e Ponta Delgada
Açores Autoadesivos
Data da Emissão: 23/10/2015
Selos:E20g (Europa); E20g (Florestas); E20g (Visite… Fajas-Açores); E20g (Visite…Fajas-Açores);
E20g (Visite…Jardins de Portugal)
Carimbos de 1º Dia: Lisboa, Porto, Funchal e Ponta Delgada
Portugal / Timor Leste – 500 Anos
Data da Emissão: 28/10/2015
Selos: 0,80€; 1,00€
Bloco: 2,50€
Carimbos de 1º Dia: Lisboa, Porto, Funchal e Ponta Delgada
Inteiros Postais
Comemorações do Centenário de Mirita Casimiro.
Data de emissão: 10 de Outubro de 2015
Taxa Paga/Postage Paid – N20g (1º Escalão Nacional)
Tiragem: 3.000 exemplares / Design: António Magalhães
70 Anos das Nações Unidas (dois postais).
Data de emissão: 23 de Outubro de 2015
Taxa Paga/Postage Paid – N20g (1º Escalão Nacional)
Tiragem: 24.000 exemplares / Design: Jorge Mihai Varas-Mardones
Uma variedade deste Inteiro Postal, que não possui as barras de endereçamento, foi distribuído gra-
tuitamente pelo jornal “PUBLICO” do dia 24 de Outubro de 2015, devidamente direccionado para o
“Apartado 3316 / 1301-904 LISBOA”, para ser inserida uma mensagem ao Secretário-Geral da ONU,
END POLIO NOW (Luta contra a Poliomielite)
Data de emissão: 24 de Outubro de 2015(não foi emitido Carimbo de 1º Dia de Emissão)
Taxa Paga/Postage Paid – N20g (1º Escalão Nacional)
Tiragem: 4.600 exemplares / Design: Ana Rita Matos
Sociedade de Geografia de Lisboa – 140 Anos
Data de emissão: 10 de Novembro de 2015
Taxa Paga/Postage Paid – N20g (1º Escalão Nacional)
Tiragem: 4.000 exemplares / Design: António Magalhães
Pátio das Cantigas
Data de emissão: 17 de Novembro de 2015(não foi emitido Carimbo de 1º Dia de Emissão)
Taxa Paga/Postage Paid – N20g (1º Escalão Nacional)
Tiragem: 6.000 exemplares / Design: Partners
Leão da Estrela
Data de emissão: 17 de Novembro de 2015 (não foi emitido Carimbo de 1º Dia de Emissão)
Taxa Paga/Postage Paid – N20g (1º Escalão Nacional)
Tiragem: 6.000 exemplares / Design: Partners
65 anos – World Skills Portugal (Foram emitidos dois tipos de Inteiros Postais)
Data de emissão: 24 de Novembro de 2015
Disign: Atelier Design & etc / Túlio Coelho
Taxa Paga/Postage Paid – N20g (1º Escalão Nacional) / Tiragem: 7.000 exemplares
Taxa Paga/Postage Paid – I20g (Resto do Mundo) / Tiragem: 4.000 exemplares
P Á G I N A 3 1P U B L I C A Ç Ã O T R I M E S T R A L — A N O I I I N . º 1 2
Endereços das Agremiações:
AFAL - Associação Filatélica Alentejo Algarve
Avenida 25 de Abril, Bloco 2, r/c
8500-610 Portimão
Núcleo Filatélico Juvenil de Armação de Pera
Sítio da Torre,
Armação de Pêra,
8365-184 Silves
Secção Filatélica do Lions Clube de Portimão
Auditório Municipal
Rua Miguel Bombarda
8500-299 Portimão
Secção de Colecionismo da Associação Humanitária
dos Bombeiros Voluntários de Vila Real de Santo
António
Rua Francisco Sá Carneiro S/N
8900-307 Vila Real de Santo António
O Mensageiro do Algarve
Colaboraram neste número:
António Borralho
Francisco Galveias
Manuel G G García (Espanha)
Paulo Silva
Sérgio Pedro
Paginação e Montagem
Francisco Galveias
Os artigos publicados são da inteira
responsabilidade dos seus autores.
Contacte-nos para
Email:
omensageirodoalgarve@gmail.com
SERVIÇO DE ANUNCIOS GRÁTIS
O Mensageiro do Algarve abre as suas páginas aos colecionadores com a introdução de
uma seção dedicada a trocas, com o seguinte regulamento:
1. Qualquer colecionador, leitor de “O Mensageiro do Algarve”, nacional ou estrangeiro,
poderá anunciar gratuitamente nesta seção. É obrigatória a inscrição prévia para o e-mail
para omensageirodoalgarve@gmail.com com as seguintes informações:
Nome
Morada completa
Telefone / telemóvel
E-mail
Com a inscrição será atribuído ao colecionador um número que deverá indicar sempre
que anuncie.
2. O colecionador enviará o seu pedido para trocasmensageiro@gmail.com , podendo inserir
até três anúncios por número. A Direcção de O Mensageiro do Algarve, reserve-se na sua
publicação ou não, dependendo esta apenas do espaço disponível.
3. Os anúncios a publicar poderão ter o máximo de 100 caracteres (inclui espaços),
iniciando sempre por uma das palavras TROCO, DISPENSO, PROCUR
4. Os anúncios serão aceites até ao dia 20 dos meses de março, junho, setembro e
dezembro.
5. Os anunciantes informarão para o e-mail trocasmensageiro@gmail.com sobre a
concretização da troca, unicamente para fins estatísticos e de eficácia dos anúncios.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (7)

Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 126-127
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 126-127Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 126-127
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 126-127
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 134-135
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 134-135Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 134-135
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 134-135
 
Os Lusíadas
Os LusíadasOs Lusíadas
Os Lusíadas
 
Joao cesar
Joao cesarJoao cesar
Joao cesar
 
Miolo extracto_Enigma Magalhães
Miolo extracto_Enigma MagalhãesMiolo extracto_Enigma Magalhães
Miolo extracto_Enigma Magalhães
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 121-122
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 121-122Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 121-122
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 121-122
 
Fado
FadoFado
Fado
 

Destaque

O Mensageiro do Algarve n.º 13 - 2016
O Mensageiro do Algarve n.º 13 - 2016O Mensageiro do Algarve n.º 13 - 2016
O Mensageiro do Algarve n.º 13 - 2016
mensageiro2013
 
Catálogo "A História Através do Colecionismo"
Catálogo "A História Através do Colecionismo"Catálogo "A História Através do Colecionismo"
Catálogo "A História Através do Colecionismo"
Museu Filatelia Sérgio Pedro
 
O mensageiro algarve_1_2014
O mensageiro algarve_1_2014O mensageiro algarve_1_2014
O mensageiro algarve_1_2014
mensageiro2013
 
Boletim mensageiro do_algarve _iii_2013
Boletim mensageiro do_algarve _iii_2013Boletim mensageiro do_algarve _iii_2013
Boletim mensageiro do_algarve _iii_2013
Museu Filatelia Sérgio Pedro
 
O Mensageiro do Algarve n.º 11
O Mensageiro do Algarve n.º 11O Mensageiro do Algarve n.º 11
O Mensageiro do Algarve n.º 11
mensageiro2013
 
Mensageiro do algarve_4_2013
Mensageiro do algarve_4_2013Mensageiro do algarve_4_2013
Mensageiro do algarve_4_2013
mensageiro2013
 
O mensageiro do Algarve 6
O mensageiro do Algarve 6O mensageiro do Algarve 6
O mensageiro do Algarve 6
mensageiro2013
 
O Mensageiro do Algarve n.º 10
O Mensageiro do Algarve n.º 10O Mensageiro do Algarve n.º 10
O Mensageiro do Algarve n.º 10
mensageiro2013
 
Boletim mensageiro do_algarve _i
Boletim mensageiro do_algarve _iBoletim mensageiro do_algarve _i
Boletim mensageiro do_algarve _i
mensageiro2013
 
O Mensageiro do Algarve n.º 9
O Mensageiro do Algarve n.º 9O Mensageiro do Algarve n.º 9
O Mensageiro do Algarve n.º 9
mensageiro2013
 

Destaque (20)

Catálogo Mostra Filatélica "Homenagem ao Corpo de Bombeiros
Catálogo Mostra Filatélica "Homenagem ao Corpo de BombeirosCatálogo Mostra Filatélica "Homenagem ao Corpo de Bombeiros
Catálogo Mostra Filatélica "Homenagem ao Corpo de Bombeiros
 
O Mensageiro do Algarve n.º 13 - 2016
O Mensageiro do Algarve n.º 13 - 2016O Mensageiro do Algarve n.º 13 - 2016
O Mensageiro do Algarve n.º 13 - 2016
 
Folheto IV Encontro Internacional de Coleccionismo de Vila Real de Santo António
Folheto IV Encontro Internacional de Coleccionismo de Vila Real de Santo AntónioFolheto IV Encontro Internacional de Coleccionismo de Vila Real de Santo António
Folheto IV Encontro Internacional de Coleccionismo de Vila Real de Santo António
 
Catálogo "A História Através do Colecionismo"
Catálogo "A História Através do Colecionismo"Catálogo "A História Através do Colecionismo"
Catálogo "A História Através do Colecionismo"
 
O mensageiro algarve_1_2014
O mensageiro algarve_1_2014O mensageiro algarve_1_2014
O mensageiro algarve_1_2014
 
Boletim mensageiro do_algarve _iii_2013
Boletim mensageiro do_algarve _iii_2013Boletim mensageiro do_algarve _iii_2013
Boletim mensageiro do_algarve _iii_2013
 
O Mensageiro do Algarve n.º 11
O Mensageiro do Algarve n.º 11O Mensageiro do Algarve n.º 11
O Mensageiro do Algarve n.º 11
 
Mensageiro do algarve_4_2013
Mensageiro do algarve_4_2013Mensageiro do algarve_4_2013
Mensageiro do algarve_4_2013
 
O mensageiro do Algarve 6
O mensageiro do Algarve 6O mensageiro do Algarve 6
O mensageiro do Algarve 6
 
Franquias publicitarias algarve
Franquias publicitarias algarveFranquias publicitarias algarve
Franquias publicitarias algarve
 
História do Núcleo de Filatelia de Faro em Carimbos Comemorativos
História do Núcleo de Filatelia de Faro em Carimbos ComemorativosHistória do Núcleo de Filatelia de Faro em Carimbos Comemorativos
História do Núcleo de Filatelia de Faro em Carimbos Comemorativos
 
Catalogo da Mostra Filatélica 110 anos da chegada do comboio a Vila Real de S...
Catalogo da Mostra Filatélica 110 anos da chegada do comboio a Vila Real de S...Catalogo da Mostra Filatélica 110 anos da chegada do comboio a Vila Real de S...
Catalogo da Mostra Filatélica 110 anos da chegada do comboio a Vila Real de S...
 
Marcas Postais Nominativas do Sotavento Algarve
Marcas Postais Nominativas do Sotavento AlgarveMarcas Postais Nominativas do Sotavento Algarve
Marcas Postais Nominativas do Sotavento Algarve
 
Onugarve 2015
Onugarve 2015Onugarve 2015
Onugarve 2015
 
Mensageiro 8
Mensageiro 8Mensageiro 8
Mensageiro 8
 
O Mensageiro do Algarve n.º 10
O Mensageiro do Algarve n.º 10O Mensageiro do Algarve n.º 10
O Mensageiro do Algarve n.º 10
 
Boletim mensageiro do_algarve _ii
Boletim mensageiro do_algarve _iiBoletim mensageiro do_algarve _ii
Boletim mensageiro do_algarve _ii
 
Boletim mensageiro do_algarve _i
Boletim mensageiro do_algarve _iBoletim mensageiro do_algarve _i
Boletim mensageiro do_algarve _i
 
O Mensageiro do Algarve n.º 9
O Mensageiro do Algarve n.º 9O Mensageiro do Algarve n.º 9
O Mensageiro do Algarve n.º 9
 
Catálogo Mostra Filatélica Beja Dezembro 2010
Catálogo Mostra Filatélica Beja Dezembro 2010Catálogo Mostra Filatélica Beja Dezembro 2010
Catálogo Mostra Filatélica Beja Dezembro 2010
 

O Mensageiro do Algarve n.º 12

  • 1. Mais um número de “O Mensageiro do Algarve”. Quando as revistas filatélicas, sejam elas versão papel ou electrónicas, são um trabalho de amadorismo e carolice de alguns, surgem imprevistos a toda a hora, razão porque, mais uma vez saímos com algum atraso. As nossas desculpas. Faz-nos repensar no timing de publicação. Um mês é bastante escasso para se reunir, refazer, e articular toda uma informação que nos vem chegando quase a conta gotas e, grande parte das vezes a pedido e, até com alguma insistência. Esta revista, nasceu essencialmente para informar o que se produz, em termos filatélicos, no Algarve. Claro está que estamos atentos a outros eventos não só no país como também no estrangeiro, especialmente quan- do algum dos “nossos” participa. Publicamos também alguns artigos, dando desta- que a assuntos ligados ao Algarve, que é muito rico em história do correio e que de algum modo temos explora- do e vamos continuar a explorar. Em Portugal, no ano que se avizinha, temos mais uma Lubrapex, a XXII Exposição Filatélica Bilateral Luso -Brasileira. Evento iniciado no Rio de Janeiro, no Museu Nacional de Belas-Artes, em 1966, que têm vindo a ser realizado, alternadamente, no Brasil e em Portugal. É a mais antiga bilateral do Mundo realizada de uma manei- ra continuada. Desta vez e a comemorar 50 anos sobre a realiza- ção da primeira exposição, o certame vai ocorrer no Centro Cultural de Viana do Castelo de 26 de Abril a 1 de Maio, no magnífico Pavilhão concebido pelo arquiteto Siza Vieira. A Exposição conta, também, com a participação de dois países, a Alemanha e a Itália, prevendo-se a ocu- pação de cerca de 900 quadros. Paralelamente realizar-se-á o Congresso da FEPA – Federação Europeia de Filatelia, com a participação de 40 países, o que engrandece a realização desta Exposição e o nome do nosso país. EditorialEditorialEditorial O Mensageiro do AlgarveO Mensageiro do AlgarveO Mensageiro do Algarve P U B L I C A Ç Ã OP U B L I C A Ç Ã O T R I M E S T R A LT R I M E S T R A L —— A N OA N O I I I N . º 1 2 D E Z E M B R O D E 2 0 1 5I I I N . º 1 2 D E Z E M B R O D E 2 0 1 5 NESTA EDIÇÃO: 2. Marcas Aéreas de Companhias de Aviação Estrangeiras no Aeroporto de Faro 7. A Classe de Cartofilia 13. As moedas do Al-Gharb 14. Actividades filatélicas no Algarve de Outubro a Dezembro 23. Actividades filatélicas noutras localidades de Outubro de Dezembro 27.Próximos eventos filatélicos 28. Produtos filatélicos Os Artigos publicados são da responsabilidade dos seus autores
  • 2. As Marcas Aéreas são confecionadas pelas Companhias de Aviação para assinalar os primeiros voos entre duas localidades uma para a viagem de ida e outra para a viagem de regresso, colocadas no sobrescrito, não obliterando o selo. Este é obliterado com a marca de dia dos Correios, comemorativa ou não. Caso haja marca comemorativa dos correios, esta oblitera o selo e a companhia de aviação, em geral, não utiliza marca aérea própria. Como é normal, a maior parte das Marcas Aéreas conhecidas e utilizadas no Aero- porto de Faro são da TAP. Apenas possuímos 3 marcas aéreas e uma marca comemora- tiva em sobrescritos comemorativos de Companhias de Aviação estrangeiras a escalar o Aeroporto Faro, a Lufthansa e a KLM, para assinalar Primeiros Voos. Supomos não ter havido mais. 06.04.1969 - 1.º Voo da Lufthansa: Frankfurt - Faro - Frankfurt com o Boeing 737: Sobrescrito Lufthansa com carimbo comemorativo a obliterar dois selos alemães no Aeroporto de Frankfurt. No verso, marca de dia chegada ao Aeroporto de Faro. Selos da Série 50º Aniversário do Correio Aéreo Alemão, emitidos em 6/2/1969 (Série completa 20Pfg + 30Pfg). P Á G I N A 2 Marcas Aéreas de Companhias de AviaçãoMarcas Aéreas de Companhias de AviaçãoMarcas Aéreas de Companhias de Aviação Estrangeiras noEstrangeiras noEstrangeiras no Aeroporto de FaroAeroporto de FaroAeroporto de Faro O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
  • 3. Sobrescrito Lufthansa com marca de dia do Aeroporto de Faro, a obliterar dois selos portugueses e marca aérea da Lufthansa ao lado. Marca de dia da chegada a Frankfurt, no verso. Selos alusivos à Madeira e Comemorativos da Lubrapex 68 A Lufthansa é uma das companhias aéreas mais antigas do mundo, com 90 anos de existência. Foi constituída a 6 de Janeiro de 1926, resultado da fusão de duas pequenas companhias aéreas existentes na Alemanha. Durante a Segunda Guerra Mundial este- ve ao serviço do Governo Alemão havendo voos comerciais apenas para países neutros. Em 1970 começa a operar com os “Jumbos” Boeing 747 e a partir de 2001 com os Airbus A380 24.06.1979 - 1.º Voo da Lufthansa: Frankfurt - Faro - Frankfurt com o Airbus A-300 Sobrescrito Lufthansa com dois selos alemães obliterados com a marca de dia e flâmula do Aeroporto de Frankfurt e marca aérea ao lado. No verso marca de chegada a Faro. Selos de Balonismo de 13+15 Pfennig e de Asa Delta de 40+20 Pfennig da Série de Balonismo de 1978. P Á G I N A 3P U B L I C A Ç Ã O T R I M E S T R A L — A N O I I I N . º 1 2
  • 4. Sobrescrito Lufthansa com carimbo comemorativo a obliterar dois selos portugueses, no Aeroporto de Faro. Marca de chegada ao Aeroporto de Frankfurt, no verso. Selos da Série Base “Instrumentos de Trabalho” e “Desporto para todos” ambos de 1978. A KLM é a companhia mais antiga do mundo, sempre com a actual designação. Fundada 1919, efectua o primeiro voo de carreira a 17 de Maio de 1920, entre Amester- dão e Londres. O primeiro voo intercontinental com destino às Índias Orientais realiza-se em 1924 e o primeiro voo transatlântico com destino às Antilhas Holandesas em 1934. No final do século XX possuía uma frota de cento e vinte aviões em ligações de mais de qui- nhentas cidades, 01.04 1988 - 1.º Voo da KLM - Amsterdam - Faro - Amsterdam com o Boeing 737 Sobrescrito KLM com carimbo comemorativo a obliterar um selo holandês, no Aeroporto de Amsterdam, No verso, marca de dia da chegada, ao Aeroporto de Faro. Selo de 75C, da Emissão Alusiva à Agricultura de 1987. P Á G I N A 4 O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
  • 5. Sobrescrito KLM com marca de dia do Aeroporto de Faro a obliterar um selo português e marca aérea da KLM ao lado com data errada de 1987, rectificada com uma pequena marca com o ano de 1988. Marca de chegada a Amsterdam, no verso. Selo de 60$00 da emissão Datas da História de Portugal de 1985. 31.03.1990 - 1.º Voo da Lufthansa - Dusseldorf - Faro- Dusseldorf com o Boeing 737 Sobrescrito Lufthansa com circulação mista e marcas, marítima de Paquebot e marca de dia de Kiel sobre selo sueco e marca aérea da KLM em Dusseldorf No verso, marca de dia da chegada ao Aeroporto de Faro. (1) Selo sueco de 3,60 coroas da Emissão Laureados do Prémio Nobel da Filosofia, de 1989. (1) O M/S Stena Germânica é um navio de passageiros que liga Gotemburgo na Suécia a Kiel na Alema- nha. A carta comemorativa que se reproduz, escrita a bordo, é endereçada ao senhor Gurgen Sche- pers, em Faro. Entregue ao Comissário de bordo com um selo da Suécia colado no canto superior direi- to, pois o barco navega com bandeira sueca. É o responsável pelo seu encaminhamento postal. Leva uma marca do barco M/S Stena Germânica e a marca "Paquebot" que identifica a proveniência da car- ta. Entregue na Estação de Correios em Kiel, é-lhe aposta a marca de dia de Kiel sobre o selo sueco. De Kiel é expedida para Faro via Dusseldorf. Nova marca, desta vez, aérea e da Lufthansa. À chegada a Faro é colocada, no verso, a marca de dia do aeroporto. P Á G I N A 5P U B L I C A Ç Ã O T R I M E S T R A L — A N O I I I N . º 1 2
  • 6. Sobrescrito Lufthansa com marca de dia do Aeroporto de Faro a obliterar um selo português e marca aérea da Lufthansa ao lado, Marca de chegada ao Aeroporto de Dusseldorf, no verso. Selo de 40$00 da Emis- são Transportes Típicos da Madeira de 1985. António Gonçalves Borralho P Á G I N A 6 O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Apontamento AEROFILATELIA A Aerofilatelia um ramo da filatelia que se dedica ao estudo do correio aéreo, desde o aparecimento dos primeiros aviões, no primeiro quartel do século XX. Embora com percur- sos pequenos no seu início, os aviões cedo se mostraram um ótimo meio de transporte rápi- do de pessoas, de correio e até de mercadorias. As primeiras companhias de aviação apareceram após a primeira grande guerra. O transporte de passageiros e de correspondência iniciam-se. Os colecionadores se apercebe- ram, desde o início, desta nova forma de colecionar selos, que tivessem efetuado o seu per- curso por avião. Assim, na Aerofilatelia podem ser inseridos: - os selos de correio aéreo; - etiquetas de franquia de correio aéreo; - documentos postais enviados por via aérea, - marcas postais relacionadas com o correio aéreo; - tarifas de correio por via aérea; - rotas, em especial dos primeiros voos e de outros eventos aéreos especiais; - correio acidentado proveniente de acidentes de aviação (crash covers) A maioria do material colecionável e de estudo refere-se ao material transportado por aviões mas existem dentro da Classe várias especialidades como sejam, o correio por balão, dirigível, zepelim, helicóptero, míssil e foguetão. Nos últimos 50 anos nasceu uma nova especialidade a de correio no espaço, a Astrofi- latelia.
  • 7. Nasceu uma nova Classe Filatélica de Postais Ilustrados A Cartofilia A 15 de Novembro de 2015, no Congresso da FEPA - Federação Europeia de Filate- lia, em Atenas, foi aprovado o Regulamento e as Diretrizes para a Classe de Postais Ilustra- dos. A partir de agora, os Postais Ilustrados poderão concorrer em exposições filatélicas europeias. Esta proposta deverá ser apresentada no próximo Congresso FIP de 2018, com vista à aprovação desta Classe a nível mundial. A cartofilia está de parabéns por ter sido reconhecida, pela entidade máxima da Filate- lia Europeia, como Classe Filatélica. Congratulamos-mos por este fato, excelente etapa para o desenvolvimento deste tipo de colecionismo. Não podemos deixar de felicitar a Dire- ção da FEPA, liderada por Ramon Moreno. Há no nosso país inúmeros colecionadores de postais ilustrados que os colecionam por terras, países, temas ou, indiscriminadamente, sem qualquer plano ou modo de organi- zação. Para expor há princípios aos quais o expositor deve obedecer. Elaborámos uma série informações baseadas na regulamentação em vigor, por acharmos de interesse para quem se dedica a colecionar postais ilustrados. Servem para quem tiver em vista a competi- ção ou, simplesmente, para ter um a ideia como selecionar e ordenar devidamente os seus postais. Material colecionável Os Postais ilustrados devem ser originais (evitar reproduções) e ter a melhor qualida- de possível disponível. A ênfase é dada à imagem e não ao uso ou particularidades filatéli- cas (se houver). Variam no tamanho, forma e no material em que são produzidos. Os pos- tais podem ser usado com tratamento postal ou comprovadamente circulados através de um sistema de serviço postal. Em estado de novo, não utilizados, podem ser considerados desde que tenham impresso linhas de endereço, local delimitado para o selo ou outras ins- crições mostrando que o item foi destinado a ser enviado sem envelope. Em competição, o postal circulado será muito mais valorizado. Como elaborar a coleção (conceito, plano e tratamento) A imagem do postal ilustrado entra, na maior parte das coleções, sempre de acordo com a própria escolha do expositor, desde o tratamento geográfico, focando um lugar, cida- de, região, país, ao desenvolvimento dos mais diversos temas. Um acontecimento pode ser mostrado em forma de reportagem. Pode também ter como tema o fotógrafo, o artista, a entidade impressora, o processo de impressão ou o material. O título e o plano devem ser apresentados na página introdutória e devem refletir o conteúdo da coleção da melhor maneira possível. O título bem como os principais capítulos e subcapítulos do plano devem mostrar objetivamente a estrutura e o desenvolvimento lógico ao longo da participação e demons- trar criatividade, conhecimento e investigação. P Á G I N A 7P U B L I C A Ç Ã O T R I M E S T R A L — A N O I I I N . º 1 2 A Classe de CartofiliaA Classe de CartofiliaA Classe de Cartofilia
  • 8. P Á G I N A 8 O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Tem de haver uma ligação clara entre o título e o plano para uma boa estrutura e trata- mento da coleção. A escolha adequada de postais para ilustrar e mostrar o desenvolvimento do tema proposto deve ser feita com originalidade, imaginação e ideias criativas. O tratamento do material exposto deve estar de acordo com o título e o plano. Cada postal ilustrado deve ter uma ligação ao tema escolhido e ter um texto temático apropriado relacionado com a imagem, o mais sucinto possível, podendo, também, conter informações sobre o fotógrafo ou artista. Paralelamente deverá haver uma descrição cartófila, detalhada, indicando a tipografia, método de impressão e editor. Se esta última informação não estiver disponível deve ser explicada a razão. No caso dos postais com tratamento postal terá que haver a informação filatélica. Material original de arquivo fotográfico usado como base para ensaios e provas na pro- dução de um postal pode ser incluído e valoriza a coleção. Postais ilustrados produzidos com fotos do foro privado, mesmo que enviados pelo serviço postal, só devem ser incorporados em número muito limitado e em casos especiais. (Folha de coleção de cartofilia “COIMBRA”)
  • 9. Estado e Raridade Os postais selecionados devem ter a melhor qualidade possível disponível para o tema escolhido. Cantos cortados, ausentes ou desgastados, riscos, manchas, furos, etc. desvalorizam bastante o postal, havendo a tolerância necessária dependendo da raridade para os postais antigos e circulados. São aceites Postais Ilustrados escritos do lado da imagem antes da introdução da divisão no verso, mesmo que a escrita esteja esborratada ou tenha manchas de tinta. O bom estado do selo e nitidez e raridade das obliterações são elementos de valorização. A raridade está diretamente relacionada com a dificuldade em encontrar os Postais Ilustrados desejados e a sua dificuldade na aquisição. Verifica-se sobretudo nos Postais Ilustrados antigos, tanto nos postais RPPCs (1) ou "Real Foto" como nos postais impressos, dado o número reduzido de exemplares normalmente emitidos. As imagem de postais mostrando detalhes com pessoas, atividades, transportes, etc. são mais importantes do que os postais apenas com vistas gerais ou monumentos. Nos postais antigos frequentemente a mesma imagem serviu para a edição em várias editoras, com algumas variações na apresentação. As variações contemporâneas podem ser trata- das como originais, enquanto reproduções modernas, devendo ser apresentadas como tal Postais falsos não devem integrar uma coleção. Apresentação A montagem é importante, devendo haver um bom enquadramento na disposição das imagens e textos dos postais e dar uma boa impressão visual à coleção. As folhas devem ser brancas ou de cores claras e o texto ser atraente e bem adequado. Mapas, desenhos ou objetos que tenham uma conexão direta com o tema ou o desenvolvimento da imagem do postal, podem ser utilizados, em número limitado, desde que a imagem não passe a ser secundária no contexto da coleção. Montagem A montagem de uma coleção deve ter em vista tanto a maneira prática de a acondicio- nar e guardar bem como a de a expor. Hoje em dia os painéis expositores permitem expor, 16, 12 ou 8 folhas em 4 filas. O mais usual é expor 16 folhas (4 folhas x 4 filas) Estas folhas poderão ter as dimensões de 21cm x 29,7cm (A4) ou 24 cm x 29,7cm, permitindo no pri- meiro caso expor 2 postais formato antigo e, no segundo, 2 postais no formato mais gene- ralizado. (1) RPPCs - Postais Ilustrados Real Foto Apareceram em 1899 graças sobretudo à KODAK. Foram concebidas máquinas em que as imagens podiam ser impressas em formato e papel cartão postal, com as palavras Post Card previamente impressas no verso dividido para texto endereço e espaço para o selo. Acessíveis aos possuidores das máquinas, eram postais a preto e branco. Apareçam alguns coloridos à mão. A legenda na face da imagem, sempre em letras maiúsculas em geral brancas, sobre a imagem, a começar no lado inferior esquerdo. P Á G I N A 9P U B L I C A Ç Ã O T R I M E S T R A L — A N O I I I N . º 1 2
  • 10. Pontuações a atribuir numa participação (2) Título, plano (10) e Tratamento (20) 30 pontos Conhecimentos de Pesquisa 35 pontos Estado (10) e Raridade (20) 30 pontos Apresentação 5 pontos Total 100 pontos (2) A participação é a parte da coleção que o colecionador, como expositor, apresenta num determinado certame. Postais Ilustrados nas Classes Filatélicas de Inteiros Postais e Maximafilia Inteiros Postais Na classe de Inteiros Postais são aceites coleções que apresentem documentos com o selo impresso ou um elemento pré-impresso e oficialmente autorizado com a indicação de que um valor especifico de porte foi pré-pago. (Folha de coleção de Inteiros Postais “Pintores Portugueses nos Inteiros Postais”) P Á G I N A 1 0 O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
  • 11. É isto que nos diz o Regulamento da Classe de Inteiros Postais. Quanto às imagens impressas no mesmo documento conjuntamente com o selo impresso, o regulamento nada diz. Conclusão, as imagens dos Inteiros Postais Ilustrados editados pelos correios, um pou- co por todo o Mundo, não são consideradas filatelicamente nesta Classe. Daí a impossibili- dade de concorrer com as imagens dos Inteiros Postais na sua própria classe. Curiosamente, na Classe de Filatelia Temática, estas imagens dos Inteiros Postais são consideradas há muitos anos. Estas peças são de muito interesse, obrigatórias nas temáticas e uma mais-valia para o desenvolvimento lógico de toda e qualquer coleção. Com a nova Classe de Postais Ilustrados, os Inteiros Postais Ilustrados (com as cara- terísticas do Postal Ilustrado), passam a poder concorrer nesta nova classe e a ser possível apresentá-los tematicamente. Maximafilia Nesta Classe são apenas apresentados Postais Máximos constituídos por Postais com o selo colado do lado da imagem e obliterados postalmente. (Folha da Coleção de Maximafilia “Filatelia Algarvia - Subsídios para a sua História”) P Á G I N A 1 1P U B L I C A Ç Ã O T R I M E S T R A L — A N O I I I N . º 1 2
  • 12. Esta modalidade nasceu com o aparecimento dos Postais Ilustrados, em finais do século XIX e que, para circularem, era necessário colar um selo, normalmente do lado da ima- gem. Eram os chamados T.C.V. (Timbre Coté Vue). Da coincidência de aparecerem pos- tais em que o selo tinha o mesmo motivo do postal e obliteração da localidade que a ima- gem representava, nasceu o Postal Máximo. Não é mais que uma peça filatélica colecio- nável em que figuram os três elementos, postal, selo e obliteração, apresentando uma estreita concordância entre eles. A partir da segunda década de século passado nasceu o hábito de produzir estas peças, por parte de determinados colecionadores. Na maior parte das vezes apenas com tratamento postal pois não chegavam a circular. Com a proibição de colocar o selo do lado da imagem, no princípio dos anos 30, deixou de haver definitivamente, Postais Máxi- mos comprovadamente circulados. Este tipo de colecionismo continuou e tem bastantes seguidores com tratamento postal, no lado da imagem, de favor, sem poder de franquia. Sujeita a críticas, por parte de muitos filatelistas, em virtude de a franquia postal não servir para cumprir a sua missão, a de pagar o serviço de entrega de uma mensagem. Também por parte dos cartofilistas que não aceitam que bons postais clássicos sejam sacrificados para se produzirem Postais Máximos com selos modernos, como infelizmente muitas vezes encontramos. Para o cartofilista, todo e qualquer e postal não poderá ter o selo colado sobre a imagem, exceto os T.C.V. com selo da época. De qualquer maneira não deixa de ser uma modalidade de colecionismo muito divulgada e aceite pela Federa- ção Internacional de Filatelia, desde 1978. A terminar Com a introdução desta nova classe de Postais Ilustrados concluímos:  Deu ao Postal Ilustrado a dignidade que merecia, a de ter sido criado para envio de mensagens;  Valorizaram-se todas as peças que com selos e comprovadamente circuladas;  Aceitou-se, no seu seio, os Inteiros Postais Ilustrados que, até aqui, a parte ilustrada apenas tinha valor nas coleções de Filatelia Temática e na Maximafilia; - Como sugestão de montagem reproduzimos 3 folhas de coleções do Algarve, com Postais Ilustrados circulados, Inteiros Postais Ilustrados e Postais Máximos, devidamente enquadrados no texto António Gonçalves Borralho Apontamento A edição do primeiro postal do Mundo data de 1 de Outubro de 1869, pelos Cor- reios austríacos e deve-se a Emanuel Herrmann. No nosso país, presume-se que o primeiro postal terá sido editado pelos Correios de Portugal, em 1878, ainda não ilustrado. Em 1893 é lançado, em Zurique, o primeiro postal ilustrado a nível mundial. Um ano depois, é Portugal, com um postal ilustrado comemorativo do V Centenário do Infante D. Henrique, editado pelos correios portugueses. P Á G I N A 1 2 O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
  • 13. Hoje apresento 6 Dirhams , moedas em prata que circulavam no nosso Al-Gharb nos anos de 965-1013 D.C. tendo em destaque neste lote o Dirham cunhado pelo General Wadeh em 965 D.C. em nome do Califa de Córdoba Hisham II e pelo rebelde Zirí Ben Atyya cunhado em 966 D.C. também em nome do Califa de Córdoba Hisham II. Moedas com muita historia que espero que gostem...até á próxima Dírham de Abderraman III, ceca Medina Azahara, año 338 Dírham de Abderramán III, Medina Azahara año 337 Dírham de Hisham II, al-Andalus 381 Dírham de Hisham II, al-Andalus año 382 Dírham acuñado en Fez en el año 388 H. por el rebelde Zirí ben Atiyya, a nombre del califa cordobés Hisham II Dírham ceca Fez, 389 H. Acuñado por el general Wadeh en nombre del califa Hisham (II) Paulo Silva Apontamento DIRHAM - Dirham é uma unidade da moeda de diversos países árabes. A palavra “dirham” é derivada do nome da moeda grega “dracma”. Utilizada em todo o Norte de África, em muitos países mediterrânicos incluindo Al- Aldaluz (Mourisca Espanhola) tornou-se, perto do final do século VII até ao século XII como moeda islâmica, em prata, como o nome do soberano numa das faces e um motivo religio- so na outra P Á G I N A 1 3P U B L I C A Ç Ã O T R I M E S T R A L — A N O I I I N . º 1 2 As Moedas do AlAs Moedas do AlAs Moedas do Al---GharbGharbGharb
  • 14. Actividades filatélicas no AlgarveActividades filatélicas no AlgarveActividades filatélicas no Algarve de Outubro a Dezembrode Outubro a Dezembrode Outubro a Dezembro P Á G I N A 1 4 O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Quarteira, Biblioteca da Escola EB 2/3 D. Dinis Implantação da República No passado mês de outubro esteve patente Escola EB 2/3 D. Dinis em Quarteira uma coleção de cartofilia pertencente a Luís Brás alusiva à República Portuguesa no sentido de assinalar os 105 anos da implantação da República em Portugal. Destaque ainda para os alunos que visitarem a exposição e puderam observar um vídeo, com selos emitidos pelos CTT, aquando do centenário da república, acompanhado com o som do hino nacional e que poderá ver em https://www.youtube.com/watch? v=Taqx_of4bCo
  • 15. Agrupamento de Escolas Pinheiro e Rosa no concelho de Faro No âmbito das atividades programadas para as bibliotecas escolares do Agrupamento de Escolas Pinheiro e Rosa, realizaram-se uma série de exposições temáticas nas diversas escolas que integram aquele agrupamento, as quais foram bastantes concorridas com visi- tas guiadas aos alunos. Na Escola EB 2/3 Poeta Emiliano da Costa – Estói Destinadas aos alunos desta escola em 5 de Outubro foi montada na Biblioteca Escolar Amilcar Quaresma uma coleção de Luís Brás, denominada “1º Centenário da Revo- lução Republicana de 5 de Outubro – 1910- 2010”. A exposição foi bastante concorrida, sendo os alunos acompanhados pelas respec- tivas professoras, que se foram revezando por turmas e, entre a algazarra normal das crian- ças desta idade, puderam apreciar, além da coleção exposta, também um vídeo com alguns selos emitidos pelos CTT para assina- lar o Centenário da República Portuguesa e que despertou nos alunos alguma curiosidade tendo sido tema para algumas perguntas, prontamente respondidas pelos professores. Na Escola EB 2/3 Dr. José Neves Júnior – Faro E no passado dia 7 de outubro foi colocada em exibição na Biblioteca Escolar da EB 2/3 Dr. José Neves Júnior, destinada aos alunos desta escola, uma coleção de filatelia temática de Francisco Paiva alusiva à União Postal Universal (UPU) no sentido de assi- nalar o Dia Mundial dos Correios, que ocorreu no dia 9 de Outubro. A UPU foi fundada em 1874, na cidade suíça de Berna, e dela fazem parte actual- mente 192 países, sendo Portugal foi um dos vinte e dois países fundadores. É uma organi- zação inter-governamental e internacional agrupando os serviços postais dos países aderentes, é a segunda organização interna- cional mais antiga do mundo. P Á G I N A 1 5P U B L I C A Ç Ã O T R I M E S T R A L — A N O I I I N . º 1 2
  • 16. Na Escola Secundária Pinheiro da Rosa – Faro No dia 8 de outubro foi colocada em exposição na Biblioteca Escolar da Escola Pinheiro e Rosa a coleção de filatelia temática de Sérgio Pedro, denominada "Sigmund Freud - Explorando o Inconsciente" para assim assinalar junto daquela comunidade edu- cativa o Dia Mundial da Saúde Mental que se comemora anual- mente no dia 10 de Outubro. Dia Nacional do Mar O Dia Nacional do Mar, que se comemora anualmente no dia 16 de Outubro, teve a sua origem na “Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar”, sendo comemora- do em Portugal desde o ano de 1997, data em que Portugal ratificou aquela Convenção. Para comemorar este dia, os Amigos da Filatelia, no âmbito da colaboração com as Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Pinheiro da Rosa, colocaram nas escolas que a seguir se indicam as coleções que a seguir referenciamos Escola EB 2/3 Poeta Emiliano da Costa – Estói Nesta escola esteve patente a coleção do filatelista José Palma “Por Mares Nunca Dantes Navegados” Escola EB 2/3 Dr. José Neves Junior – Faro Nesta escola esteve patente a coleção do filatelista Sérgio Pedro “Os Portugueses e o Mar” P Á G I N A 1 6 O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
  • 17. 19 de Novembro – Dia Internacional do Homem O Dia Internacional do Homem é comemorado anualmente a 19 de Novembro. A sua origem data de 1992, altura em que Jerome Tee- lucksinhg, homem de Trinidad e Tobago, com o apoio da ONU e de vários grupos de defesa dos direitos masculinos de todo o mundo o instituiu. Não tem (ainda) a repercussão que o Dia Internacional da Mulher tem, mas os seus precursores bem se têm debatido para que esta paridade seja uma realidade. É para assinalar este dia que esteve patente na Biblioteca da Escola Pinheiro da Rosa uma colecção de personalidades portuguesas que se destacaram pelo seu altruísmo. Exposições de Natal 2015 - Escola Poeta Emiliano da Costa Na Escola Poeta Emiliano da Costa (Estói) uma exposição alusiva ao Natal composta por Postais alusivas à quadra natalícia pertencente a Sérgio Pedro, a qual esteve patente desde a primeira semana de Dezembro até final do primeiro período escolar. Escola EB 2/3 Dr. José Neves Júnior – Faro Igualmente, na Biblioteca da EB 2/3 Dr. José Neves Júnior, em Faro os alunos puderam apreciar uma colecção de filatelia temática sobre o Natal do filatelista Ricardo Brito a qual esteve patente duran- te o mesmo período P Á G I N A 1 7P U B L I C A Ç Ã O T R I M E S T R A L — A N O I I I N . º 1 2
  • 18. Mostra Filatélica “Antíqua 2015” A Secção Filatélica do Lions Clube de Portimão levou a efeito a "ANTIQUA 2015" - Feira de Antiguidades, Velharias e Colecionismo e uma Mostra Filatélica nos dias 27, 28 e 29 de Novembro na sala Medronheiro do Hotel Júpiter, na Praia da Rocha, com o lema: "NÓS SERVIMOS" - ação de apoio a idosos carenciados do concelho de Portimão na quadra natalícia de 2015. Este evento contou com a colaboração e Apoios da AFAL - Associação Filatélica Alentejo-Algarve, Hotel Júpiter, Associação dos Antiquários do Algarve e Alentejo, Câmara Municipal de Portimão, Correios de Portugal e Federação Portuguesa de Filatelia. A inauguração decorreu no dia 27 pelas 18 horas na presença de expositores, enti- dades convidadas e visitantes. Nos dois primeiros dias a Feira permaneceu aberta ao público até às 24 horas. Atividade integrada no Plano Exposicional da FPF para este ano, a Mostra filatélica foi subordinada ao tema "A Mulher". Solicitou-se aos colecionadores do Algarve que apre- sentassem material suscetível de ser integrado na temática proposta. Assim, sucedeu e as nossas previsões foram superadas. Francisco Leal Paiva mostrou, em 5 quadros, uma bem elaborada participação temática que intitulou de "A Mulher" assim como, num qua- dro, uma sequência de magníficos postais máximos relacionados com "A Mulher; Sérgio Pedro levou-nos a relembrar, através da Filatelia, alguns dos "Vultos da História e da Cul- tura no Feminino", sobretudo do Algarve; Francisco Matoso Galveias apresentou "Trajes no Feminino" em dois quadros, início de uma bem estruturada participação; Maria Arman- da Gonçalves Borralho extraiu da sua coleção "Pintores nos Inteiros Postais" 3 quadros sobre "A Mulher nos Inteiros Postais Portugueses"; António Borralho expôs dois quadros, P Á G I N A 1 8 O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
  • 19. um sobre "A Mulher nos Inteiros Postais do Congo Belga (1912-1928)" e o outro de cartofilia "A Mulher nos Pos- tais do Congo Belga (até 1930)" ambos com peças das suas coleções; Bárbara Galveias, em Cartofilia, mostrou em dois quadros, um belo e raro conjunto de "Postais Clássicos do séc. XIX e XX - A Mulher". Na Feira de Antiguidades, Velharias e Colecionis- mo estiveram presentes uma dezena de expositores, com o mais diverso material, livros, postais, selos, reló- gios, porcelanas, pinturas, mobiliário antigo etc. De real- çar o interesse dos visitantes, dado o bom nível de material apresentado. Durante os três dias do evento registou-se grande afluência de público, sobretudo colecionadores. No Domingo, dia 29, o funcionamento do Posto de Correio atraiu um maior número de pessoas em virtude de haver uma marca postal comemorativa. Os estrangeiros, muitos deles filatelistas, foram visita constante durante os três dias do evento, um pouco devido à boa ocupação dos Hotéis da Praia da Rocha. No Domingo realizou-se um Almoço Buffet de Confraternização, no Hotel, aberto a todos os expositores filatelistas e antiquários e sócios e apoiantes dos Clubes do Algarve P Á G I N A 1 9P U B L I C A Ç Ã O T R I M E S T R A L — A N O I I I
  • 20. EDP Promoção do voluntariado na UNIR e promoção da Filatelia Decorreu na sede da UNIR, no passado dia 10 de dezembro mais uma iniciativa com caráter de responsabilidade social da autoria da EDP Distribuição intitulada “Uma Parte de Nós” que se define pela promoção do voluntariado entre os seus colaboradores junto da comunidade. No Algarve, a UNIR foi a instituição selecionada, o que nos encheu de orgulho. Foi organizada a 2ª exposição de Filatelia nas instalações da sede da UNIR (coleção de Francisco Galveias) sobre Eletricidade, assim como a exposição de telas pintadas para este dia com o tema “Distribuição de Eletricidade in e outdoor da UNIR” pelos utentes da UNIR com a supervisão do Monitor de Pintura. Houve ainda um show de magia e dança ao som do acordeão. No final, a EDP Dis- tribuição em conjunto com a LouléDoce (Loulé), Pastelaria Riviera (Albufeira) e a Fábrica de Bolos Mónica Guerra (São Brás de Alportel) ofereceram um lanche a todos os presen- tes. P Á G I N A 2 0 O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
  • 21. Mostra Filatélica em Alcalar Esteve patente ao público, de 10 de dezembro de 2015 a 10 de janeiro de 2016 no Centro Interpretativo das Ruínas Megalíticas de Alcalar, uma Mostra Filatélica subordinado ao tema "A Arqueologia na Filatelia Portuguesa" organizada pela AFAL com o apoio e patrocínio do Museu e Município de Portimão, da Federação Portuguesa de Filatelia e Cor- reios de Portugal, integrada no plano Exposicional para 2015. No local funcionou um Posto de Correios com carimbo comemorativo alusivo ao monumento funerário n.º 7, um "Tholos". A AFAL editou um sobrescrito e um postal. Tam- bém, à disposição dos colecionadores, dois postais das ruinas, edição conjunta do Nucleo de Filatelia de Faro e da Direção Regional de Cultura de Faro. Os postais permitiram a con- feção de Postais Máximos Triplos. A Mostra Filatélica dedicada ao tema Arqueologia apresentou material dos coleciona- dores Ilídio Pires dos Santos, António Borralho, José Reis Luís, António Cavaco, Rui Bastos e Fernando Reis. Apresentou-se uma panorâmica geral da Arqueologia desde a Pré-história até à moderna Arqueologia Industrial com especial relevância dada ao material do Algarve. A inauguração da Mostra decorreu com a abertura do Posto de Correio e lançamento da Marca postal e a presença de elementos do Museu Municipal e colecionadores de Porti- mão e Faro. Durante o período de permanência foi bastante visitada por colecionadores que propositadamente aí se deslocaram e visitantes das Ruínas, sobretudo estrangeiros. Transcrevemos um breve apontamento sobre as ruínas inserido num folheto editado para a Mostra. "A cerca de 12 km de Portimão, situa-se a Necrópole Megalítica de Alcalar datada do III milénio a.C. e descoberta em 1880 pelo arqueólogo Estácio da Veiga. Nesta localidade existiu um povoado, situado num pequeno monte e, em seu redor, outros aglomerados habitacionais periféricos. Em pequenas elevações circundantes encontram-se cerca de vin- te templos funerários megalíticos com mamoa, revelando uma grande diversidade de P Á G I N A 2 1P U B L I C A Ç Ã O T R I M E S T R A L — A N O I I I N . º 1 2
  • 22. soluções arquitetónicas com os tholoi com cripta rematada em falsa cúpula, a cons- trução dolménica com grandes monólitos de arenito e hipogeu artificialmente escavado na rocha, numa área de cerca de 20 hectares e a maior parte deles em terrenos agrícolas rurais. Todos os monumentos se encontram em ruínas, bastante danificados exceto o número 7 o mais bem conservado da necrópole e que foi alvo de recuperação por parte das entidades competentes. O monumento é constituído por um cairn, mamoa de pedras que envolve um tholos, construção com corredor e cripta coberta em falsa cúpula. A plan- ta circular tem um diâmetro de quase 27 metros, com uma fachada retilínea voltada a nas- cente. A cripta ocupa o centro geográfico do túmulo e o seu pavimento foi revestido por um lajeado de calcário." P Á G I N A 2 2 O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
  • 23. Huelva “Tema Religião” Integrado nos dos 500 anos da Paróquia da Imaculada Concei- ção de Huelva, cujas comemora- ções se iniciaram em Novembro de 2014 e das quais se destacou a recepção de 6 a 13 de Fevereiro do passado ano, a visita de imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima, o Pároco da freguesia con- vidou o Círculo Filatélico y Numis- mático de Huelva a organizar uma Mostra Filatélica dedicada à religião em geral, tendo esta tido lugar no Palácio de Mora Claros naquela cidade andaluza de 16 a 31 do Outubro. Esta mostra contou com um lote de interessantes colecções da temática religião, entre as quais algumas colecções provenientes do Algarve Almada Exposição na “ARPCA” Associação de Reformados, Pensionistas e Idosos do Concelho de Almada (ARPCA), realizou-se a já tradicional Mostra de Filatelia e Coleccionismo, a qual vai já na sua nona edição e que teve lugar na Oficina de Cultura em Almada de 17 a 25 de Outubro de 2015.. Esta Mostra, que está inserida no Plano Exposicional da Federação Portuguesa de Filatelia e conta com o apoio, além da Fede- ração, com os Correios de Portugal e da Câmara Municipal de Almada. No dia da inauguração, bastante con- corrido, contou com a presença de várias entidades nomeadamente a representante da Câmara Municipal de Almada e o presi- dente da Federação Portuguesa de Filatelia, que no acto em breves palavras de circuns- tância testemunharam mais um evento reali- zado pela Secção de Filatelia e Coleccionis- mo da ARPCA. P Á G I N A 2 3P U B L I C A Ç Ã O T R I M E S T R A L — A N O I I I N . º 1 2 Actividades filatélicas noutros locais deActividades filatélicas noutros locais deActividades filatélicas noutros locais de Outubro a DezembroOutubro a DezembroOutubro a Dezembro
  • 24. P Á G I N A 2 4 O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E A Mostra de Filatelia e Coleccionismo contou com um Posto de Correio no dia da inauguração, provido de um Carimbo Comemorativo ilustrado com o Farol de Cacilhas, e que funcionou das 15,30 às 17,30 horas, sendo o acto da obliteração da peça filatélica pre- senciado por um elevado número de pessoas. Estiveram expostas 29 colecções de Filatelia, distribuídas por 81 quadros, 10 colec- ções de outras formas de coleccionismo. O Algarve fez-se representar com duas colecções pertencentes a Francisco Matoso Galveias. Grécia NOTOS 12/11/2015 Realizou-se de 12 a 15 de Novembro na cidade de Peristeri, nos arredores de Ate- nas, a “NOTOS 2015 – International Philatelic Exhibition”, uma exposição destinada a reu- nir naquela cidade a elite dos filatelistas do sul da Europa (Notos = sul). Esta exposição, que teve lugar no Peristeri Exhibition Cen- ter, foi organizada pela Helenic Philotelic Socity,e foi patrocinada pela FEPA – Federação das Associações Europeia de Filatelia, conforme aprovação no Congresso de Lugano de 13 de Setembro de 2014. Contou com a presença de 385 participações de 36 paí- ses. A representação portuguesa foi constituída por 14 participações, assim distribuídas: Grande Competição, 1; FilateliaTradicional, 3; História Postal, 1; Inteiros Postais, 1; Aerofitalelia 1; Juventude, 1; Literatura 6. Foram oriundas do Algarve duas colecções: “German Aerophilately, 1888- 1938” de Cosh Graham e o livro “Os Bombeiros na Filatelia Portuguesa” de Francisco Matoso Galveias. O palmarés da participação portuguesa honrou bem o nosso país, tendo-se saldado por 3 Medalhas Ouro Grande, 3 Medalhas de Ouro, 4 Medalhas de Vermeil Grande, 1 Medalha Vermeil e 3 Medalhas de Prata. Às participações do Algarve foram atribuídas,
  • 25. uma Medalha de Ouro (90 pontos) a Cosh Graham e Medalha de Prata (73 pontos) a Fran- cisco Galveias. Círculo Filatélico y Numismático de Huelva Do Círculo de Huelva recebemos a “Memória de Actividades 2015” que remeteram para a estrutura filatélica andaluza sobre a sua actividade durante o ano de 2015. Porque, grande parte dessas actividades já foram divulgadas nas páginas de “O Men- sageiro do Algarve”, limitar-nos-emos a reproduzir algumas passagens dessa “Memória”, mantendo, neste caso, a língua castelhana, para não desvirtuando assim o original. A “Memória” que nos foi enviada começa por informar que “mantenemos la reunión semanal durante todos los viernes del año ajustándonos al “calendario escolar”, en la sede actual del Círculo y en la que llevamos ya varios años,”, para mais à frente indicar que a realização da ONUGARVE 2015, a qual já noticiámos nas páginas desta revista, explicando que a razão da mudança de local desta exposição se deve a “El cam- bio de Rector, y su equipo, en la Universidad de Huelva, y a pesar del convenio que teníamos firmado con el anterior, nos dejó sin poder con- tar con el espacio expositivo que veníamos utilizando durante los cua- tro años”. Para esta exposição emitiram um selo personalizado utilizan- do “el mismo diseño del matasellos especial de la primera Onugarve, con la fecha actualizada y eliminando la referencia a la Universidad”. Ainda durante esta exposição fizeram a “presentación del sello perso- nalizado en honor a José García del Hierro, socio fundador del Círculo, en el décimo aniversario de su fallecimiento” convidando a família para o seu lançamento. P Á G I N A 2 5P U B L I C A Ç Ã O T R I M E S T R A L — A N O I I I N . º 1 2
  • 26. Foi ainda lembrada a participação dos filatelistas do Círculo na exposição Algarpex 2015, que se realizou na Casa do Sal em Castro Marim, onde apresentaram um quadro com os catálogos das Onugarves, para mais à frente anunciar o próximo evento em “octubre, de 16 al 31, ambos inclusive, en Huelva, y con motivo de la celebración del V Centenario de la Parroquia de la Purísima Concepción, en el Pala- cio de Mora Claros llevamos a cabo una exposición de Filatelia y Coleccionismo prácticamente monotemática, todas las coleccio- nes versaron sobre temas religiosos, iglesias o la Virgen. La inau- guración de la exposición fue presidida por el Cura Párroco de la Parroquia de la PURÍSIMA Concepción, Don Diego Capado, acompañado del presidente de la asociación de la 3ª edad que se reúne en ese edificio así como del presidente del Circulo. De igual forma, se procedió a la clausura” (ver selo personalizado em notícia página 23). O último dos eventos realizado foi em Moguer, uma localidade nas imediações de Huelva, “del 16 al 30 de noviembre, en la sede de la Peña de Cante Jondo de Moguer, y con motivo de la celebración de los 40 años de la misma, llevamos a cabo la última de este año, con 24 paneles (48 cuadros), en la que participamos los miembros del Círculo además de 2 expositores de Cádiz y 1 del propio Moguer”. Esta “Memória” foi concluída com uma referência à exposição realizada em Vila Real de Santo António comemorativa do 2º Aniversário da Eurocidade do Guadiana (que inclui as localidades de Ayamonte, Castro Marim e Vila Real de Santo António) e para a qual contribuíram a pedido “del Ayuntamiento, se edita un “Tu sello” de tarifa B, apta para enviar la correspondencia a Europa, en este caso a Portugal, al igual que Villa Real emite un “Meu selo”; ambos sellos con composición pareja: El logo de la Eurociudad y un barco (portugués ellos, español nosotros)”, além de participar “uno de nuestros socios con su colección Sellos locales de Huelva”. Endereçamos pois, aos nossos companheiros de Huelva, na pessoa do seu presi- dente, Manuel Guadalupe Gonzalez García o nosso bem-haja, agradecendo igualmente a cooperação que têm tido connosco já ao longo de quase seis anos, enviando-nos sempre notícias sobre o que se vai produzindo do outro lado da fronteira. P Á G I N A 2 6 O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
  • 27. Actividades dos Amigos da filatelia (Faro) Da programação para o primeiro trimestre do Amigos da Filatelia (Faro) estão previs- tas as seguintes actividades: 3/1/2016 – “Cartofilia da Europa” ilustrada com motivos infantis na EB 2/3 Poeta Emiliano da Costa (Estói). 12/1/2016 – Exposição de Filatelia “A Electricidade”, na escola Dr. José Neves Júnior (Faro). 15/1/2016 - Exposição alusiva aos “Grandes Compositores” na Escola Secundária Pinheiro da Rosa, assinalando-se assim o Dia Mundial dos Compositores. 1/2/2016 – (Prolongando-se durante todo o mês de Fevereiro), Mostra de Coleccionismo no Museu Municipal de Faro. 3/3/2016 – Dia Internacional da Mulher é assinalado nas três Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Pinheiro da Rosa, com exposições de filatelia. 4/3/2016 – Em Estói, na Sede do Grupo de Jograis António Aleixo va estar patente uma exposição filatélica onde estará em evidência a “Marcofilia de S. Brás de Alportel” 14/3/2016 – Na Escola AB 2/3 D. Dinis (Quarteira) e durante a semana de Leitura que se realiza neste estabelecimento de ensino, vai estar patente uma colecção filatélica. Exposição de Coleccionismo em Beja Vai decorrer na cidade de Beja, de 1 a 18 de Março, nas instalações do Instituto Poli- técnico de Beja, na Rua Pedro Soares – Campus Universitário de Instituto Politécnico de Beja uma Exposição de Coleccionismo a que se intitulou “Mente sã em corpo sénior”. A exposição, da responsabilidade do Grupo Filatélico da Associação Humanitária de Dadores de Sangue de Beja conta ainda com a ajuda da Associação de Saberes e Aprendizagens Beja Sénior – Universidade Sénior de Beja. Esta exposição conta com participações de coleccionadores oriundos do Algarve. Lisboa – congresso da Federação Portuguesa de Filatelia Como é previsível, irá realizar-se durante o mês de Março o Congresso Ordinário da Federação Portuguesa de Filatelia – APD em sessão ordinária, para apreciação do Parecer do Conselho Fiscal sobre o Relatório de Actividades, as Contas e o Balanço referentes ao ano de 2015, à discussão e votação do mesmo Relatório, à apreciação do Relatório Disci- plinar, fixação de da quota federativa e do valor do Cartão de Filatelista para o ano de 2017, além da designação do local do próximo Congresso. P Á G I N A 2 7P U B L I C A Ç Ã O T R I M E S T R A L — A N O I I I N . º 1 2 Próximos Eventos Filatélicos
  • 28. Produtos Filatélicos P Á G I N A 2 8 O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E O que foi a produção filatélica durante o ano de 2015 Durante o ano de 2015, muitos foram os produtos filatélicos que os CTT – Correios de Portugal, S. A. emitiram, demasiados, dizemos nós, uma política de emissões, que não se coaduna com dimensão do país, quer em número de emissões e quantidades de selos, quer também nos temas (ou mensagens) que os selos nos transmitem. As emissões, e consequen- temente os selos, são muitos e os temas, algumas vezes, nada dizem ao comum dos portu- gueses, estas repetem-se, embora espaçados num tempo mais ou menos longo. Um rol de produtos filatélicos traduzidos em Selos, Blocos, Mini-folhas, Etiquetas, Bilhetes Postais (para montagem de Postais Máximos), FDC (em duas verões C5 e C6) e as Pagelas. Todos estes produtos devidamente referenciados nas pagelas, a que podemos ain- da acrescentar os Inteiros Postais e os Carimbos e nestes enumerar os de 1ª Dia, os de lan- çamento de Inteiros Postais e os Comemorativos, as carteiras de selos (de emissões e anuais ou esporádicas), os selos personalizados, ditos “oficiais”, isto é, aqueles que são produzidos pelos CTT apresentados comercialmente em carteiras temáticas. Se a todos isto, acrescen- tarmos ainda os livros que anualmente são editados pelos CTT… Quantificar em valores todos estes produtos, descobrimos que temos de despender anualmente uma pequena fortuna. Pensamos que não haverá filatelista que consiga juntar na sua colecção todos destes produtos, contudo, se optar pelos mais importantes, os selos (incluindo etiquetas) e os blocos, isto porque a maior parte dos blocos contêm selos não incluídas nas emissões, teria de pagar 150,00€ (todos os valores apresentados, são valores aproximados). Se quiser também incluir os FDCs (C6), ao valor anterior juntaria mais 130,00€, se se juntam os DFCs (C5), adicionaria no seu “carrinho” mais 95,00€, mais 42,00€ para as Mini- folhas, 22,00€ para os Postais Máximos e 23,00e para as Pagelas. Vejamos agora só os Carimbos Para os FDCs (C6) com Carimbos de 1º Dia todos os locais 550,00€; Idem para os FDCs (C5), 410,00€; Idem para os Inteiros Postais, incluindo o IP mais o custo do pedido para o respectivo Posto de Correio, 20,00€ a que se podia acrescentar mais 5,40€ para os seis IP que não tive- ram carimbo de Lançamento, mas que poderia ser fornecidos com Marca-de-dia da localidade de lançamento, caso de desejasse. Já os Carimbos Comemorativos, para os quais tínhamos de os solicitar para os respec- tivos Postos de Correio devidamente selados com um selo de 0,45€, o valor total a despender seriam de 54,00€. Para ter todos estes produtos, um filatelista gastaria cerca de 1.500,00€, não contando com as Carteiras (de selos oficiais e personalizados) e com os livros. Mas há ainda outros produtos que os CTT anualmente “adoçam a gosto” dos filatelis- tas que se sentem atraídos ou não, para outras formas de coleccionismo paralelos à filatelia. Finalmente, atente-se aos números (custos à parte) referentes ao ano de 2015: Emissões, 33; Selos, 101, Etiquetas, 14; Blocos, 24; Muni-folhas, 9; Bilhetes-Postais (para fazer Postais Máximos) 18; FDCs, (C5) 23 (multiplicar pelos locais onde houve Carimbo de 1º Dia); FDCs (C6) 33 (multiplicar pelos locais onde houve Carimbo de 1º Dia); Pagelas, 33; Inteiros Postais, 29; Carimbos de 1º Dia, 134; Carimbos de lançamento de Inteiros Pos- tais, 22; Carimbos Comemorativos, 61. Um exagero… Francisco Matoso Galveias
  • 29. Plano de Emissões para 2016 Está a ser divulgado pelos CTT o Plano de Emissões para o ano de 2016, sendo que apenas as emissões referentes ao primeiro trimestre estão datadas no tempo, mas mesmo assim sem previsão da data de entrada em circulação para todas essas emissões. Reserva-se ainda o facto de “as datas, produtos e valores indicados poderão ser objecto de alterações sem aviso prévio”. Eis pois as emissões: Para o primeiro trimestre: 16 de Fevereiro – Museu Centenário, Abade Braçal – 1 selo (0,80€) + 1 Bloco (2,50€) + 1 Postal + 1 Postal Máximo 25 de Fevereiro – Desportos Radicais (3ª Série) – Autoadesivos – 3 selos (0,47€; 0,58€; 0,75€) 16 de Março – Museu Centenário, Grão Vasco – 1 selo (0,80€) + 1 Bloco (2,50€) + 1 Postal + 1 Postal Máximo Março – Vultos da História e da Cultura – 3 selos Março – Desportos Radicais (3ª Série) – 5 selos Março – Jesuítas, Construtores da Globalização – 4 selos + 1 Bloco A definir – Os Dias da Rádio – 4 selos + 1 Bloco Para e segundo trimestre: Madeira, Festas do Fim de Ano – 4 selos + 2 Blocos + 4 Postais + 4 Postais Máximos 50 Anos da Lubrapex, Adornos de Pescoço – 2 selos + 1 Folha Específica Cante Alentejano – 2 selos + 1 Bloco Açores, Turismo Sustentável – 4 selos + 2 Blocos + 4 Postais + 4 Postais Máximos Santuários Marianos (Emissão conjunta com Alemanha e Áustria) – 2 selos + 1 Bloco Europa, Ecologia – 3 selos + 3 Blocos + 3 Postais + 3 Postais Máximos Tesouros, Museus Portugueses (1ª Série) – 2 selos + 2 Blocos 500 Anos de Contactos Indo-Portugueses (Emissão conjunta com a Índia) - 2 selos+1 Bloco As Nossas Cidades, (Bairros Populares de Lisboa e Porto) (1ª Série) – 6 selos + 6 Postais + 6 Postais Máximos Simetria Passos a Passo – 4 selos + 1 Bloco Ano Unesco da Compreensão Global (Etiquetas) – 5 etiquetas + Correio Azul (Nacional e Internacional) Para o terceiro trimestre: 500 Anos da Chegada dos Portugueses à Conchichina (Emissão conjunta com o Vietnam) – 2 selos Peixes do Mediterrâneo (UPMED) – 4 selos + 1 Bloco Centenário do 1º Voo Militar – 2 selos + 1 Bloco Mamíferos Predadores – 6 selos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro – 2 selos Vinhas Velhas de Portugal – 4 selos + 1 Bloco Para o quarto trimestre: 450 Anos da Publicação dos Petri Norii Salaciencis Opera – 1 selo + 1 Bloco 500 Anos do Correio em Portugal (1ª Série) – 4 selos + 1 Bloco 950 Anos do Contacto Franco-Português (Emissão conjunta com a França) – 2 selos Cafés Históricos de Portugal (1ª Série) – 4 selos + 1 Bloco Indústria Conserveira – 4 selos + 1 Folha Específica Brasões de Armas do Exército Português – 4 selos 75 Anos da Liga Portuguesa Contra o Cancro (Etiquetas) – 5 etiquetas + Correio Azul (Nacional e Internacional) P Á G I N A 2 9P U B L I C A Ç Ã O T R I M E S T R A L — A N O I I I N . º 1 2
  • 30. Plano Editorial para 2016 Foi divulgado pelos CTT através de carta aos seus assinantes em Conta Corrente o Plano de Edições para o ano de 2016 e que inclui as seguintes edições: Catedrais de Portugal, da autoria de Carlos Saraiva (PVP de 36,00€) Jesuítas – Construtores da Globalização, da autoria de Carlos Fiolhais e José Eduardo Franco (PVP previsto 35,00€) Simetria Passo a Passo – Calçada Portuguesa, da autoria de Ana Cannas da Silva (PVP previsto 36,00€) Vinhas Velhas de Portugal, da autoria de Luís Antunes ((PVP previsto 39,00€) Diz ainda a mesma missiva ofertar o livro “”Heranças das Américas”, cujo valor de venda é de 42,00€ o qual inclui 6 selos e um bloco e que irá ser distribuído juntamente com o segundo dos livros anunciados, além de um desconto no valor de 10% aplicado no último dos livros. Receberá ainda a Revista do Coleccionador, que em 2016 celebra 30 anos de publicação, cujo valor de assinatura é de 10,00€. Para usufruir destas vantagens poderá contactar através do telefone 707262626 ou através do e-mail: filatelia@ctt.pt A carta não o diz, mas certamente irá também ser publicado o “Portugal em Selos 2016” e eventualmente outros não assinalados na carta distribuída. Carimbos Comemorativos P Á G I N A 3 0 O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
  • 31. Emissões Filatélicas 175 Anos da Associação Mutualista Montepio Data da Emissão: 01/10/2015 Selos: 0,45€; 0,80€ Bloco; 2,50€ Carimbos de 1º Dia: Lisboa, Porto, Funchal e Ponta Delgada Pioneiros da dança em Portugal Data da Emissão: 09/10/2015 Selos:0,45€; 0,55€; 0,62€; 0,72€; 0,80€; 1,00€ Carimbos de 1º Dia: Lisboa, Porto, Funchal e Ponta Delgada 2015 Ano Internacional da luz / 2015 Ano Internacional dos Solos Data da Emissão: 14/10/2015 Selos:2 x 0,45€ + 2 x 045€ Carimbos de 1º Dia: Lisboa, Porto, Funchal e Ponta Delgada Açores Autoadesivos Data da Emissão: 23/10/2015 Selos:E20g (Europa); E20g (Florestas); E20g (Visite… Fajas-Açores); E20g (Visite…Fajas-Açores); E20g (Visite…Jardins de Portugal) Carimbos de 1º Dia: Lisboa, Porto, Funchal e Ponta Delgada Portugal / Timor Leste – 500 Anos Data da Emissão: 28/10/2015 Selos: 0,80€; 1,00€ Bloco: 2,50€ Carimbos de 1º Dia: Lisboa, Porto, Funchal e Ponta Delgada Inteiros Postais Comemorações do Centenário de Mirita Casimiro. Data de emissão: 10 de Outubro de 2015 Taxa Paga/Postage Paid – N20g (1º Escalão Nacional) Tiragem: 3.000 exemplares / Design: António Magalhães 70 Anos das Nações Unidas (dois postais). Data de emissão: 23 de Outubro de 2015 Taxa Paga/Postage Paid – N20g (1º Escalão Nacional) Tiragem: 24.000 exemplares / Design: Jorge Mihai Varas-Mardones Uma variedade deste Inteiro Postal, que não possui as barras de endereçamento, foi distribuído gra- tuitamente pelo jornal “PUBLICO” do dia 24 de Outubro de 2015, devidamente direccionado para o “Apartado 3316 / 1301-904 LISBOA”, para ser inserida uma mensagem ao Secretário-Geral da ONU, END POLIO NOW (Luta contra a Poliomielite) Data de emissão: 24 de Outubro de 2015(não foi emitido Carimbo de 1º Dia de Emissão) Taxa Paga/Postage Paid – N20g (1º Escalão Nacional) Tiragem: 4.600 exemplares / Design: Ana Rita Matos Sociedade de Geografia de Lisboa – 140 Anos Data de emissão: 10 de Novembro de 2015 Taxa Paga/Postage Paid – N20g (1º Escalão Nacional) Tiragem: 4.000 exemplares / Design: António Magalhães Pátio das Cantigas Data de emissão: 17 de Novembro de 2015(não foi emitido Carimbo de 1º Dia de Emissão) Taxa Paga/Postage Paid – N20g (1º Escalão Nacional) Tiragem: 6.000 exemplares / Design: Partners Leão da Estrela Data de emissão: 17 de Novembro de 2015 (não foi emitido Carimbo de 1º Dia de Emissão) Taxa Paga/Postage Paid – N20g (1º Escalão Nacional) Tiragem: 6.000 exemplares / Design: Partners 65 anos – World Skills Portugal (Foram emitidos dois tipos de Inteiros Postais) Data de emissão: 24 de Novembro de 2015 Disign: Atelier Design & etc / Túlio Coelho Taxa Paga/Postage Paid – N20g (1º Escalão Nacional) / Tiragem: 7.000 exemplares Taxa Paga/Postage Paid – I20g (Resto do Mundo) / Tiragem: 4.000 exemplares P Á G I N A 3 1P U B L I C A Ç Ã O T R I M E S T R A L — A N O I I I N . º 1 2
  • 32. Endereços das Agremiações: AFAL - Associação Filatélica Alentejo Algarve Avenida 25 de Abril, Bloco 2, r/c 8500-610 Portimão Núcleo Filatélico Juvenil de Armação de Pera Sítio da Torre, Armação de Pêra, 8365-184 Silves Secção Filatélica do Lions Clube de Portimão Auditório Municipal Rua Miguel Bombarda 8500-299 Portimão Secção de Colecionismo da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Real de Santo António Rua Francisco Sá Carneiro S/N 8900-307 Vila Real de Santo António O Mensageiro do Algarve Colaboraram neste número: António Borralho Francisco Galveias Manuel G G García (Espanha) Paulo Silva Sérgio Pedro Paginação e Montagem Francisco Galveias Os artigos publicados são da inteira responsabilidade dos seus autores. Contacte-nos para Email: omensageirodoalgarve@gmail.com SERVIÇO DE ANUNCIOS GRÁTIS O Mensageiro do Algarve abre as suas páginas aos colecionadores com a introdução de uma seção dedicada a trocas, com o seguinte regulamento: 1. Qualquer colecionador, leitor de “O Mensageiro do Algarve”, nacional ou estrangeiro, poderá anunciar gratuitamente nesta seção. É obrigatória a inscrição prévia para o e-mail para omensageirodoalgarve@gmail.com com as seguintes informações: Nome Morada completa Telefone / telemóvel E-mail Com a inscrição será atribuído ao colecionador um número que deverá indicar sempre que anuncie. 2. O colecionador enviará o seu pedido para trocasmensageiro@gmail.com , podendo inserir até três anúncios por número. A Direcção de O Mensageiro do Algarve, reserve-se na sua publicação ou não, dependendo esta apenas do espaço disponível. 3. Os anúncios a publicar poderão ter o máximo de 100 caracteres (inclui espaços), iniciando sempre por uma das palavras TROCO, DISPENSO, PROCUR 4. Os anúncios serão aceites até ao dia 20 dos meses de março, junho, setembro e dezembro. 5. Os anunciantes informarão para o e-mail trocasmensageiro@gmail.com sobre a concretização da troca, unicamente para fins estatísticos e de eficácia dos anúncios.