SlideShare uma empresa Scribd logo
Editorial
O Mensageiro do Algarve
Boletim das Agremiações Filatélicas e de Coleccionismo do AlgarveBoletim das Agremiações Filatélicas e de Coleccionismo do AlgarveBoletim das Agremiações Filatélicas e de Coleccionismo do Algarve
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E J A N E I R O D E 2 0 1 4 - A N O I I , N º 8
Com o número deste mês,
igualmente saído tardiamente,
pelas razões apresentadas no
anterior número, acabamos o
segundo ano de publicação.
Estamos satisfeitos com a acei-
tação que este tem tido não só
entre aqueles que sabemos que
são filatelistas como também
outros leitores que pessoalmen-
te ou por mensagens nos dão o
incentivo para continuar.
Também as notícias que rece-
bemos de uma das plataformas
onde O Mensageiro do Algarve foi inserida, nos inclui nas 25%
das “revistas on line” mais lidas no universo das publicações
recebidas.
Agora é a Federação Portuguesa de Filatelia que nos brindou,
pensamos que justamente, com o prémio “O Philatelista –
Melhor Periódico”, nos Prémios que anualmente promove, a
par de uma outra, a Voz Filatélica do Sul do Tejo, com a entre-
ga durante as comemorações dos 60 Anos da Federação que
tiveram lugar no Centro Cultural de Belém, notícia que desen-
volvemos neste número.
Mas nem tudo foi bom neste último trimestre.
Não deixamos aqui de lamentar a extinção de dois agrupa-
mentos, O Núcleo de Filatelia do Algarve – ATAF e o Núcleo
Infanto-Juvenil “Os Amiguinhos dos Selos” do G. D. C. Jograis
António Aleixo de Estói e a consequente desfiliação da FPF,
colaboradores assíduos de “O Mensageiro do Algarve”, e que,
embora a título individual dos filatelistas que constituíram estas
núcleos, continuem a colaborar, como até aqui o fizeram.
NESTA EDIÇÃO:
2. Moedas do Algarve
4. O Painho Casquilho
visto através da Maxi-
mafilia
5. Actividades Filaté-
licas do 4º Trimestre
24. Actividades pre-
vistas para 2015 (1º e
2º Trimestres)
27. À Margem
28. Produtos
Filatélicos
As moedas cunhadas no
nosso Algarve
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
Moedas do Algarve
Página 2
É com grande prazer aceitei este "desafio" por parte do meu amigo Prof. Borralho
de participar na Revista "O Mensageiro do Algarve" com uma rubrica de Numismáti-
ca, o qual não me considero nenhum expert mas sei uma coisa ou outra...
Hoje trago um assunto que nos diz muito respeito que são as moedas cunhadas no
"nosso" Algarve.
No final do séc. II antes de Cristo, na Hispânia sob o domínio romano, várias povoa-
ções foram autorizadas a bater moeda própria.
As localidades conhecidas no Algarve a cunhar moeda própria são:
Baesuris (Castro Marim)
Balsa (Tavira)
Cilpes (Silves)
Ipses (Alvor)
Ossonoba (Faro)
Quanto à localização das mesmas ainda não há consenso nas hostes arqueológicas
em relação a alguns locais mas isso é outro assunto...
BAESURIS (Castro Marim), uma localidade perto do mar que apresenta em uma
das suas faces barcos ou peixes (atum) e na outra a espiga que representa a fertili-
dade da região.
Presume-se que no I séc. a.C. tenha cunhado asses em cobre, semisses e quadran-
tes em chumbo sendo qualquer um deles espécies raras...
Junto anexo uma foto de um pequeno Sextante com a espiga visível:
Balsa (Tavira) foi identificada por vestígios que se acharam nas proximidades de
Tavira, onde segundo consta é hoje Torre de Ares mas a povoação já existiria antes
da ocupação romana do território mas depois ter-se-á desenvolvido muito.
Só se conheciam emissões em chumbo, do séc. I a.C. nos valores de Asse, semis-
ses e quadrantes mas apareceram há pouco raros numismas em cobre...
Para mim das localidades mais comuns em relação a moedas batidas em chumbo
pois aparecem com alguma regularidade no mercado.
Cilpes (Silves) um povoado sempre com importância apreciável na região,
pois é um dos poucos aglomerados populacionais do sul de Portugal que
cunhou moeda divisionária...
Para mim dos numismas mais difíceis de aparecer no mercado e nunca tive a
sorte de ver uma ao vivo.
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 3
Ipses (Alvor) este antigo povoado foi recentemente identificado com o Sítio de Vila Velha ,
em Alvor e das raras moedas conhecidas que emitiu, conhecem-se exemplares em chumbo
e cobre todas do I séc. a.C.
Apresento em baixo um exemplar da minha colecção:
Finalmente Ossónoba (Faro) presumivelmente anterior ao domínio romano e de fundação cartagine-
sa, apresenta moedas chumbo e cobre do I séc. a.C. mas de muitas tipologias a qual apresento em
baixo, mais uma vez, uma da minha colecção que espero que gostem…
Ficamos por aqui em relação às moedas romanas cunhadas no Algarve, e apesar de gostar de
algum anonimato adorei esta expêriencia e espero continuar a ajudar a cultivar o gosto numismático
pelas terras dos Algarves e gostaria de alguma participação dos leitores em relação ao próximo
tema, o qual terei mais disponibilidade para aprofundar.
Obrigado e até à próxima...
Paulo Silva
moedaspaulo@hotmail.com
Alguns excertos e estudos foram retirados do conhecido livro de numismática "Alberto Gomes" 6ª Edição 2013
Postal Máximo
Marca de Dia de
Sagres
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
Página 4
O Painho Casquilho visto através da Maximafilia
O Painho casquilho (Oceanitis oceanicus) é uma ave marinha de pequenas dimen-
sões, quase totalmente preta, salientando-se o uropígio branco. Pertence à ordem
dos Podicipediformes e à família Hydrobatidae. Possui patas compridas e amarelas
e distingue-se das outras espécies de painhos pelo voo “ dançante “.
Esta espécie nidifica nas ilhas que rodeiam o Polo Sul e durante a época das migra-
ções pode ser observado em bandos de grandes dimensões, sendo muito frequente
nos barcos de pesca. Em Portugal pode ser observado nas seguintes zonas:
Litoral centro - Ilhas das Berlengas e Cabo Carvoeiro
Lisboa e Vale do Tejo – Cabo Raso
Algarve - Cabo S. Vicente, Aljezur e Sagres.
O ninho é construído simultaneamente pelo casal, num buraco ou numa toca, em
colónias situadas numa vertente de grande altura sobre a costa. Faz uma postura
por ano, entre Janeiro e Abril, pondo 1 ovo branco, sendo a sua incubação de 39 a
48 dias.
A alimentação é a base de pequenos peixes, crustáceos e lulas.
Filatelicamente têm sido emitidas, em diversos países, várias séries de selos e pos-
tais máximos alusivos a esta ave e os C.T.T de Portugal não ficaram indiferentes a
esta situação tendo lançado, no ano de 2008, uma emissão “Ano Polar Internacio-
nal ” onde está incluída esta espécie, conforme o exemplar aqui demonstrado o tes-
temunha.
Postal Máximo
Postal: O Painho casquilho (Oc eanitis oceanicus)
Selo: € 0.61- Impressão Offset na Cartor
Emissão: 23.6.2008 – Ano Polar Internacional
Denteado: 12 x 11 ¾ e Cruz de Cristo nos lados verticais
Papel: Esmalte Folhas: 50 selos (5 x 10)
Obliteração: Marca postal dos CTT de Vila de Sagres – 23.06.2008 (Concelho de Vila do Bispo).
Edição: Edições Século XXI.
BIBLIOGRAFIA:
 Catálogo de Selos Postais e Marcas Pré-Adesivas – Afinsa 2012 – 29ª Edição
 Guia das Aves Aquáticas da Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo
António – Instituto Da Conservação da Natureza e Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila
Real de Santo António.
 Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal - Instituto da Conservação da Natureza -
Editora Assírio & Alvim – 2ª Edição - 2006
Elaborado por Américo Rebelo
Outubro 2014
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 5
Actividades filatélicas
do 4º trimestre
Exposición de Coleccionismo
Ayamonte (Espanha)
O Círculo Filatélico y Numismático de Huelva há muito
que vinha prometendo uma exposição para Ayamonte.
As conversações com o Ayuntamento local não terão
sido difíceis, o agendamento de datas talvez. Estas
conversações foram conduzidas por parte do Círculo
pelo filatelista aymontino José Pérez Vásquez que a
aprontou para o mês de Outubro de 2014, foram esco-
lhidas as datas de abertura para o dia 3 e a de encer-
ramento para o dia 25. Quanto ao Local foi escolhida a
Casa Grande, que é o local onde funciona a Biblioteca
Pública Jiménez Barberi e a Secretaria da Cultura do
Auntamento de Ayamonte. É um edifício do século
XVII, mandado construir por Manuel Rivero González, um conhecido e rico comerciante de Cadiz,
possuidor de vários navios naquele porto, os quais trouxeram a pedra necessária para a sua constru-
ção, daquela cidade do sul de Espanha. Uma casa de família composta por vários quartos que se
abrem para um pátio central, característico na Andaluzia.
Ao entrar no século XX, o edifício estava num quase abandono e o Conselho Ayamontenino adquiriu-
o à família Solesio, descendentes de Rivero e tornou-o Casa da Cultura, abrindo os novos espaços e
dando-lhes outros usos a bem da cultura. É um facto que a sua estrutura interior não permitia um
melhor aproveitamento sem o adulterar contudo, está bem aproveitado com diversas salas para expo-
sições temporárias, um auditório para mais de centena e meia de espectadores, salas para serviços e
uma biblioteca.
É nesta casa cheia de história, que foi palco da “Exposición de Coleccionismo”, uma exposição que
abriu com 20 participações de filatelistas espanhóis e portugueses distribuída 56 quadros, versando
várias disciplinas filatélicas das quais destacamos uma participação de José Pérez Vásquez “Sellos
locales e censuras militares de Huelva y Província”, que mostram todos os locais onde foram emiti-
dos selos locais, muito comuns durante a guerra civil espanhola e uma outra, também dedicada ao
local onde se insere a exposição do filatelista Fernando Suardiáz Figuereo “Sellos Fiscales y viñetas
de Ayamonte y Huelva”.
Ao destaque que demos a estas duas colecções olhámos para as suas características filatélicas, bem
elaboradas e sobretudo apresentam ao visitante a história de um período bastante difícil para os
espanhóis, através de algumas raridades e muitas curiosidades.
As outras colecções, mais oito espanholas e doze portuguesas, destas, enumeramos as presenças
de Albano Parra Santos com “Postais – Encontro de Coleccionismo”, Sandra Santos com “Algarve,
Turismo História e Filatelia” e “Algarve – Pacotes de Açúcar”, Secção de Coleccionismo dos Bombei-
ros com “Realizações da Secção”, Francisco Matoso Galveias com “Inteiros Postais Ilustrados do
Algarve”, Sérgio Pedro com “Marcofilia Comemorativa, Marcofilia do Sec. XXI, e Maximafilia do Algar-
ve”, José Palma com “Marcofilia de Olhão” e Francisco Paiva com Marcofilia de Faro”.
O Cartaz da exposição
de 2006
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
Página 6
À sessão de abertura, bastante concorrida, a que não faltou a comunicação social,
através dum canal local de televisão que transmite em canal aberto para a região,
abriu a sessão Francisco Blasquez Martin, Vereador Cultural de Ayamonte, que deu
a boas vindas aos visitantes e agradecendo a presença dos filatelistas portuguesas
e andaluzes, afirmando que esta exposição é uma oportunidade para a cidade. Por
sua vez, Albano Santos, por parte da delegação portuguesa agradeceu o convite e
enalteceu a cooperação entre os filatelistas de cá de lá do Guadiana, finalmente
Manuel Guadalupe García, presidente do Círculo de Huelva, clube organizador
agradeceu a disponibilidade do Ayuntamento de Ayamonte para este evento e
agradeceu a todos os filatelistas presentes.
Seguiu-se uma visita à exposição devidamente comentada pelos filatelistas presen-
tes.
A exposição teve o patrocínio do Ayuntamento e da Eurocidade do Guadiana, cujo
logótipo foi escolhido para confeccionar um selo personalizado que foi aproveitado
para embelezar a peça filatélica.
Resta acrescentar que este mesmo local, já serviu de palco a outra exposição no
ano de 2006, onde foi apresentado o selo sobre a Ponte Internacional de Ayamonte
cuja emissão foi conjunta com Portugal.
Esta exposição foi pois a segunda naquela cidade raiana na última dezena de anos.
O Cartaz da Exposição
A Casa Grande, Local
da Exposição
Um aspecto do público,
transmissão em directo
para a televisão local
Os oradores: Manuel
Guadalupe, Albano Santos
e Francisco Martin
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 7
Como noticiado na imprensa no passado dia 29 de Setembro abriu ao público mais uma exposição
organizada pelo Núcleo de Filatelia de Faro - ATAF, tendo como tema a Implantação da Repúbli-
ca.
Aqui vos deixamos algumas imagens de peças filatélicas e de algumas das coleções expostas no
Museu Regional do Algarve.
Estiveram expostas as seguintes participações: Cartofilia alusiva ao 5 de Outubro de 1910
(cartofilia) de Luís Brás; A Implantação da República (temática) de Luís Brás; Escritores Portugue-
ses (temática) de Sérgio Pedro; Maravilhas do Mundo (temática) de José Palma; Individualidades
do Reino Unido (temática) de Sérgio Pedro; Cruz Vermelha (temática) de José Palma; A Nossa
Saúde Mental (temática) de Sérgio Pedro; Transportes (temática) de Sérgio Pedro; Bélgica – 100
Anos de Filatelia (clássica) de Jorge Bomba; Património da UNESCO (maximafilia) de Francisco
Paiva.
Esta Mostra Filatélica foi organizada pelo Núcleo de Filatelia de Faro
e teve lugar no Museu Regional de Faro, na Praça da Liberdade e
esteve patente de 2ª a 6ª feira das 10h00 às 13h30h e das 14h00 às
18h00, Foi provida de um carimbo comemorativo (ver página 28),
tendo o Posto de Correio funcionado no dia 5 de Outubro das 15h00
às 17h30.
A Implantação da República Portuguesa foi o resultado de uma revo-
lução organizada pelo Partido Republicano Português iniciada no dia
2 e vitoriosa na madrugada do dia 5 de outubro de 1910, que desti-
tuiu a monarquia e implantou um regime republicano em Portugal.
A subjugação do país aos interesses coloniais Britânicos, os gastos da
família real, o poder da igreja, a instabilidade política e social, o
sistema de alternância de dois partidos no poder (os progressistas e
os regeneradores), a ditadura de João Franco, a aparente incapacidade de acompanhar a evolu-
ção dos tempos e se adaptar à modernidade – tudo contribuiu para um inexorável processo de
erosão da monarquia portuguesa do qual os defensores da república, particularmente do Partido
Republicano, souberam tirar o melhor proveito. Por contraponto, o partido republicano apresen-
tava-se como o único que tinha um programa capaz de devolver ao país o prestígio perdido e
colocar Portugal na senda do progresso.
Após a relutância do exército em combater os cerca de dois mil soldados e marinheiros revolto-
sos entre 3 e 4 de Outubro de 1010, a República foi proclamada às 9 horas da manhã do dia
seguinte da varanda dos Paços do Concelho de Lisboa. Após a revolução, um governo provisório
chefiado por Teófilo de Braga dirigiu os destinos do país até à aprovação da Constituição de 1911
que deu início à Primeira República. Entre outras mudanças, com a implantação da república,
foram substituídos os símbolos nacionais, o hino nacional e a bandeira.
Mostra Filatélica - Implantação da República
Faro
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
Página 8
Decorreu em Almada de 18 a 26 de Outubro a “Mostra de Filatelia e Coleccionis-
mo” da APCA – Associação de Reformados, Pensionistas e Idosos do Concelho
de Almada, este ano integradas nas comemorações dos 40 Anos do 25 de Abril,
organizada pela sua Secção de Filatelia e Coleccionismo.
Esta manifestação de filatelia e coleccionismo teve lugar na Oficina de Cultura de
Almada, um local bastantes acessível e aprazível, tendo sido visitada por inúme-
ras pessoas, coleccionadores ou não, que ficaram agradadas com as colecções
em exposição.
Destas participações destacamos duas, não porque se diferenciassem das res-
tantes pela qualidade ou por serem de mais bonitas do que as restantes, mas por
serem oriundas do Algarve, são elas: “Voar pelo Mundo”, de Francisco Matoso
Galveias, na Classe de Aerofilatelia e a “História dos Correios – 1520 à actualida-
de” de Pinheiro da Silva, na Classe de Maximafilia.
Do Catálogo da Exposição, destacamos um interessante artigo sobre o tratamen-
to da correspondência no Lazareto de Porto Brandão da autoria Pedro Vaz Perei-
ra.
►
◄
►
8ª Mostra de Filatelia e Coleccionismo
Almada
O sobrescrito
comemorativo
O Postal
Máximo
O Cartaz da
Exposição
Colecções do
Algarve expostas
em Almada
Bulcollect’2014 - Plovdiv (Bulgária)
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 9
Decorreu de 24 a 26 de Outubro de 2014, na cidade de Plovdiv, a segunda cidade mais importante
da Bulgária e num dos pavilhões da Feira de Exposições da cidade a Exposição Búlgara-
Portuguesa denominada “Bulcollect’2014” que contou com um lote de boas colecções portugue-
sas: Esta exposição que foi simultaneamente comemorativa dos 25 Anos da fundação da FEPA
contou com uma delegação portuguesa incluiu o comissário, Rui Alves e os jurados João Soeiro e
Júlio Maia e o presidente da Federação, Pedro Vaz Pereira.
A comitiva portuguesa foi recebida por diversas entidades, nomeadamente pelo Embaixador de
Portugal na Bulgária e pelo Rei da Bulgária, Sua Majestade Simeon II.
As colecções portuguesas, foram agraciadas com altas classificações, sendo o Grande Prémio da
Exposição atribuído à colecção “Carimbos Nominativos usados no Período Adesivo” de Pedro Vaz
Pereira.
A participação portuguesa contava ainda, na Classe de Literatura com o Livro “Os Bombeiros na
Filatelia Portuguesa”, de Francisco Matoso Galveias, mas esta participação não chegou a compe-
tir, ao que nos disseram, por não haver outras participações nesta classe.
A Delegação Portuguesa, por (da esquerda para a direi-
ta) Rui Alves, Filipa Rocha, Ana Vaz Pereira, Pedro Vaz
Pereira, Júlio Maia e João Soeiro, recebida por Sua
Majestade o Rei da Bulgária, Simeon II, ao centro .
(Foto retirada da “Filatelia Lusitana” Série III, Nº 28).
Momentos antes da inauguração. O Posto de Correio. Projecção de imagens Coro da Associação de Reformados, Pensionistas e Idosos do Concelho de Almada
Fotos gentilmente cedidas pelo filatelista Luís Fernando Santos
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
Página 10
Mostra Filatélica “Maria Keil na Filatelia”
Silves
Decorreu, em Silves, no Museu Municipal de Arqueologia, uma Mostra Filatélica
denominada “Maria Keil na Filatelia”, organizada pela AFAL e pelo Município de
Silves e apoios da Federação Portuguesa de Filatelia e dos Correios de Portugal.
Integrada no plano Exposicional para 2014, com um Carimbo Comemorativo.
Esteve patente ao público de 31 de outubro de 2014 a 4 de janeiro de 2015, na
Sala de Exposições Temporárias do Museu e contou com a visita de centenas de
visitantes, na maioria estrangeiros.
Na Mostra Filatélica participaram além dos expositores do Algarve com temas
filatélicos de pintura e da mulher, Francisco Galveias, Maria Armanda Borralho,
Carlos Alberto Macedo, Albano Parra Santos e Francisco Leal Paiva, os Correios
de Portugal com utensílios postais do século XX e a AFAL com material filatélico
de Silves.
A inauguração decorreu com a presença da Diretora do
Museu a Arquiteta Maria José Gonçalves em representa-
ção do Presidente da Câmara, elementos do pelouro da
Cultura do Município, elementos da comunicação social e
dos Correios assim como filatelistas de todo o Algarve.
Procedeu-se ao lançamento do Carimbo Comemorativo
(ver pag. 29), um Postal Máximo e sobrescrito comemora-
tivo.
Transcrevemos parte do texto inserido no Catálogo sobre
a vida e obra da pintora Maria Keil:
“Maria Keil, natural de Silves, foi um dos expoentes máxi-
mos do panorama artístico português dos últimos 100
anos, cujo primeiro centenário do seu nascimento se está a comemorar um pou-
co por todo o país. Na sua terra natal comemora-se o Centenário da pintora com
obras da autora na Exposição Itinerários Artísticos, patente na Igreja da Miseri-
córdia, promovida pelo Museu da Presidência em parceria com a Câmara Munici-
pal.
Os Correios de Portugal incluíram, no seu Plano anual uma emissão dedicada
aos Vultos da História para recordar personalidades da escrita, das artes plásti-
cas e da ciência. Uma das seis personalidades inseridas na emissão foi Maria
keil, com um selo de 0,50 € com a artista em primeiro plano e, em segundo pla-
no, o painel de azulejos „O Mar', da Avenida Infante Santo, em Lisboa, da sua
autoria.
Definia-se como uma “mulher de várias artes” e notabilizou-se como pintora,
desenhadora, ilustradora de livros, decoradora de interiores, designer gráfica e
de mobiliário, ceramista, cenógrafa e figurinista, autora de cartões para tapeçaria,
azulejaria e designer de vários selos emitidos pelos nossos Correios.
Durante a sua brilhante carreira foram-lhe atribuídos inúmeros prémios e distin-
ções. Em 2009 é distinguida com o Grande Prémio Aquisição pela Academia
Nacional de Belas Artes. O presidente da Academia, António Valdemar, afirmou
nessa altura: “Maria Keil tem um lugar muito representativo no panorama portu-
guês do século XX da pintura, do desenho, da cerâmica, da ilustração e „design‟
do livro e até da filatelia”.
Com efeito, a sua participação no design de selos é notável e enorme o seu con-
tributo para a filatelia nacional. A nossa Associação, cujos objetivos são os de
promover e divulgar a filatelia no Algarve, não podia deixar de se associar ao
Maria Keil,
natural de Silves
na filatelia
portuguesa
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 11
Município para colaborar nas comemorações em curso e levar a efeito uma Mostra Filatélica no
Museu Municipal de Arqueologia. “
A Filatelia reaparece no Concelho de Silves com esta Mostra. Ainda está na nossa lembrança a
atividade filatélica desenvolvida em Silves sobretudo na última década do século passado e prin-
cípios deste, com a existência de um Núcleo Juvenil orientado pelo Professor Olímpio a quem a
Filatelia do Algarve muito deve. A este Núcleo deve-se a realização de uma Nacional Juvenil, inú-
meras Mostras filatélicas sobretudo juvenis e colaboração numa Philaibéria, em 1995, organizada
pela AFAL.
Esperemos que, com esta Mostra da Maria Keil, renasça a Filatelia nesta cidade de Silves.
◄
1. À Entrada da Exposição
2. Um aspecto da Exposição
3. O Posto de Correio
4. A vitrina com ferramentas antigas dos Correios
5. Um aspecto da Exposição
6. Conversas entre filatelistas do Algarve
O Postal Máximo O Sobrescrito
O Catálogo da
Exposição
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
Página 12
XXIV Exposição Filatélica Nacional
Viana do Castelo
Viana do Castelo recebeu de 5 a 9 de Novembro de 2014 a XXIV Exposição Fila-
télica Nacional a “VIANNA-2014” com a participação da Associação Italiana de
História Postal. Paralelamente, numa das galerias do Pavilhão foi apresentada
uma belíssima coleção de Postais Antigos do Distrito de Viana intitulada
“Memórias de Viana”. A organização coube à Associação de Filatelia e Coleccio-
nismo do Vale do Neiva e contou com apoios e patrocínios do Município de Viana
do Castelo, Federação Portuguesa de Filatelia e CTT Correios.
O certame decorreu no novo Pavilhão Multiusos, concebido pelo Arquiteto Souto
Moura, que oferece as melhores condições logísticas para este tipo de eventos.
Inaugurada dia 5 pelas 21,30, num horário pouco habitual, contou com a presen-
ça de entidades oficiais, colecionadores e muito público. Os CTT Correios estive-
ram presentes com um posto de vendas onde foi vendido o Inteiro Postal emitido
para assinalar a Exposição e foram apostos os 4 carimbos comemorativos (ver
página 29), diários, alusivos à Cidade com o “Coração de Viana”, ao Mar com o
“Navio Museu Gil Eanes” (antigo barco hospital de apoio aos pescadores da pes-
ca do bacalhau), ao Bordado com “Bordado de Viana” e ao Monte com o
“Funicular de Santa Luzia”. Presentes, também, 3 stands para comerciantes, fator
dinamizador e que atraiu muitos colecionadores.
Participaram 96 expositores na Classe de Competição com 346 quadros e 5 na
Corte de Honra com 33 quadros. O Júri foi constituído por António Borralho
(Presidente), Júlio Maia, João Soeiro e António Cristóvão todos de Portugal,
Mario Mentachi da Itália e Gjorn Sohrne da Suécia como jurado observador.
Eduardo de Sousa foi o Coordenador da Federação Portuguesa de Filatelia.
O Algarve esteve representado com as seguintes participações: na Corte de Hon-
ra (Júri) “Entières Postaux Illustrés du Congo Belge”, de António Borralho; na
Classe de Maximafilia “Animais em Vias de Extinção” com Prata Dourada e na
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 13
Classe de Literatura Filatélica “Os Bombeiros na Filatelia Portuguesa” com Prata Dourada, ambas
de Francisco Oliveira Matoso Galveias; na Classe de Um Quadro “Sigmund Freud – Explorando o
Inconsciente” com Prata, de Sérgio Miguel Gaspar Pedro.
A participação de “O Mensageiro do Algarve”, na Classe de Literatura Filatélica (programas filatéli-
cos através do formato audiovisual ou informático, incluindo páginas Web) foi retirada da competi-
ção em virtude de um dos seus principais colaboradores pertencer ao Corpo de Jurados.
A primeira Exposição Filatélica Nacional realizou-se em 1935 na Biblioteca Nacional, em Lisboa.
Assinalamos, 79 anos depois, o alto nível atingido pelas participações expostas nesta vigésima
quarta Exposição Nacional, provavelmente, o melhor de sempre.
A medalha da Exposição
O aspecto geral da Exposição
O Corpo de Jurados: Júlio Maia, Mário Mentaschi (Itália), Vice-
presidente do Júrí, António Cristóvão, António Borralho (Presidente
do Júri), João Soeiro e o jurado aprendiz Bjorn Sohrn (Suécia)
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
Página 14
Mostra Filatélica Edifício da Alfândega
Vila Real de Santo António
A Mostra Filatélica dedicada ao Edifício da Alfândega de Vila Real de Santo Antó-
nio, o mais antigo edifício público da cidade. Sobre este aspecto, vale a pena
aqui transcrever parte de um artigo do Catálogo da Exposição, da autoria de
Francisco Matoso Galveias “ Foi assim quem a 17 de Março de 1774, O Juiz de
Fora de Castro Marim lançou a primeira pedra da vila de Santo António de Areni-
lha, cuja construção, junto à foz do Rio Guadiana na sua margem direita, em
frente à cidade espanhola de Ayamonte, fazendo-a ornar de belos e vistosos edi-
fícios em um dos mais próprios e mais engraçados de todo o Reino.
Lançada que foi a primeira pedra, começaram as obras, dando-se início de ime-
diato aos trabalhos do primeiro edifício da vila, a Alfândega, cuja construção era
responsável o Dr. Alberto Luís Pereira”.
A Mostra, que inicialmente estava prevista para o próprio edifício, que esteve em
funções aduaneiras até 1992, sendo então abandonado, o que provocou uma
acelerada deterioração, até que a Câmara Municipal tomou a sua posse já neste
século, não estando pois em condições de receber no seu seio uma exposição,
foi transferida para o átrio principal da Câmara Municipal.
Estiveram em exposição onze colecções, todas dedicadas à cidade, onde o pró-
prio Edifício esteve em destaque, cuja fachada, recentemente reabilitada pela
Câmara, foi o tema de um selo personalizado e do próprio carimbo comemorativo
da Mostra Filatélica. Esta Mostra esteve patente de 22 a 29 de Novembro de
2014 tendo sido bastante visitada.
À inauguração estiveram presentes dirigentes do clube organizador, a Secção de
Coleccionismo dos Bombeiros, da Câmara Municipal, representada por Dr. Bruno
Inácio e dos Correios por Dra. Ana Fadista.
Francisco Galveias agradeceu a disponibilidade da Câmara Municipal pela parce-
ria nesta organização, lamentando o facto da Mostra não se realizar o edifício
emblemático que é a Alfândega, embora compreendendo que em primeiro lugar
está a segurança das pessoas e das peças expostas, já Bruno Inácio, endereçou
em nome do Sr. Presidente que era uma honra e um privilégio associar-se à
exposição filatélica que tem por base o edifício da Alfândega e que a Secção de
Coleccionismo dos Bombeiros quis levar a efeito num dos espaços da Câmara
Municipal, enquanto que a representante dos Correios disse que esta empresa
estará sempre disponível para todas as manifestações que promovam a filatelia
já que é uma das funções da empresa que representa.
Para esta Mostra foi editado um sugestivo Sobrescrito, um Postal Ilustrado e um
Catálogo, além do Selo Personalizado, como afirmamos anteriormente e com os
quais foram produzidas excelentes peças filatélicas que ficarão como recordação
desta manifestação filatélica.
Alfândega, o
primeiro Edifício
publico de Vila
Real de Santo
António
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 15
Sobrescrito comemorativo da Mostra
Filatélica da Alfândega, para a aposi-
ção do Carimbo Comemorativo, com
a assinatura dos representantes da
Secção de Coleccionismo, da Câmara
Municipal e dos Correios de Portugal,
respectivamente Francisco Galveias,
Bruno Inácio e Ana Fadista.
Postal Máximo: Selo Personalizado do
Edifício da Alfândega; Marca Postal
comemorativa da Mostra Filatélica do
Edifício da Alfândega; Postal Ilustrado
editado em 2014 pela Secção de Colec-
cionismo dos Bombeiros de Vila Real
de Santo António representando uma
aguarela da pintora Garielle (2001).
1. Francisco Galveias, por parte da organização, Bruno Inácio por parte da Câmara Municipal e Ana
Fadista dos Directora de Lojas dos CTTCorreios (Algarve-Sotavento), dão as boas as vindas aos
visitantes
2. Um aspecto da Exposição no dia da inauguração, Manuel Currito, Sérgio Pedro, Bárbara Galveias,
Sérgio Fernandes e Sandra Santos
Mensagem da
Organização
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
Página 16
Mostra Filatélica no Ria Schoping
Olhão
Visitámos Olhão no dia 30 de Novembro, dia da inauguração da Mostra Filatélica
realizada no Ria Shoping daquela cidade, organizada pelos Amigos da Filatelia
de Faro. Um lote agradável de colecções distribuídas por diversos painéis estra-
tegicamente colocados em espaço nobre na Loja 1.11, no primeiro andar daquele
centro comercial, .
Estiveram expostas as seguintes colecções:
História dos Faróis de José Palma;
Cartões de Felicitações, Edições SAMD de João Catarino;
Cartões de Boas Festas de Sérgio Pedro;
Maravilhas do Mundo de José Palma;
Barcos de Jorge Bomba;
Maximafilia no Algarve de Sérgio Pedro;
Cartões de Boas Festas, Edição SAMD de João Catarino;
Por mares nunca dantes navegados de José Palma;
Postais Ilustrados, Edição Dinternal de Sérgio Pedro;
Gastronomia Portuguesa de Luís Brás;
Aviação de António Fonseca;
Natal de Ricardo Brito
Sérgio Pedro, por parte da Organização agradeceu aos filatelistas que se propu-
seram ali apresentar algumas das suas colecções e ao público que, no dia da
inauguração quis abrilhantar o acontecimento, raramente visto em Centros
Comerciais. Enalteceu a localização do espaço, um local com bastantes visitan-
tes, que na azáfama das compras de Natal, ainda dispozeram de algum tempo
para visitar a exposição e apreciar as colecções expostas.
Seguiu-se um Porto de Honra e um agradável convívio filatélico, onde filatelistas
se juntaram com alguns visitantes bastante interessados numa troca de conver-
sas à volta da filatelia.
1. Um grupo de Filatelistas do Algarve
2. Um aspecto da Exposição
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 17
130 Anos do Nascimento do Poeta Emiliano da Costa
Estói
No passado dia 3 de Dezembro de 2014, realizou-se na EB 2/3 Poeta Emiliano da Costa em
Estói, as comemorações alusivas aos 130 anos do nascimento do seu patrono, o poeta Emiliano
da Costa.
Entre muitas outras actividades houve a parceria entre a referida Escola e o Grupo Desportivo e
Cultural Jograis António Aleixo, através do seu Núcleo Filatélico Infanto-Juvenil, oferecer a toda a
comunidade educativa uma exposição de coleccionismo.
Para além disso houve ainda um carimbo comemorativo dos CTT (ver pág. 29) para assinalar a
data.
A notícia foi ainda divulgada pelo blog da Biblioteca Amilcar Quaresma, que publicou também a
notícia alusiva a esta actividade e que passamos a transcrever e que divulgou a actividade com
algumas fotografias:
“Comemorações do Dia do Patrono. As comemorações relativas aos 130 anos do nascimento do
Poeta Emiliano da Costa tiveram início logo pela manhã em diversos espaços da escola.
Na Biblioteca este presente uma funcionária dos CTT que atendeu alunos e professores no envio
dos postais e os distinguiu com um carimbo comemorativo da efeméride. Esta actividade teve a
parceria dos Jograis António Aleixo”.
A actividade proposta aos alunos que visitaram o posto de correio foi enviar um postal de Natal
aos seus familiares."
Esta exposição contou com o Posto de Correio que funcionou no dia 3 de Dezembro das 9h30 às
12h30, na Escola EB 2/3 Poeta Emiliano da Costa e foi provida de um Carimbo Comemorativo.
O sobrescrito oficial da Exposição
1. O Posto de Correio atendendo os alunos da Escola 2. A fila para o Posto de Correio
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
Página 18
Congresso da
Federação Portuguesa de Filatelia
O Congresso da Federação Portuguesa de Filatelia – APD teve lugar no dia 6 de
Dezembro, no Park Hotel em Lisboa, pelas 15 horas.
A convite da Direcção da Federação a concentração dos representantes dos clu-
bes e elementos dos seus vários Órgãos Sociais foi marcada para a manhã desse
dia nas novas instalações da Federação situadas na Rua Cidade de Cardiff, 36 B,
não muito longe das antigas instalações, a fim de as dar a conhecer e se proceder
à sua inauguração oficial, seguido de um Porto de Honra.
Após o almoço de confraternização deslocámo-nos para o local da realização do
Congresso onde, de imediato, se procedeu ao seu início com a seguinte ordem de
Trabalhos e presidido pelo Prof. António Gonçalves Borralho
Apresentação do Orçamento para 2015;
Plano de Acção para 2015;
Marcação do local da sessão ordinária do próximo Congresso da FPF-APD.
Foram credenciados 17 representantes de 21 possíveis agremiações filatélicas.
O Presidente da Mesa agradeceu a presença de tão grande número de federadas
no congresso do 60º aniversário, lembrando que a primeira Sede Provisória era
uma dependência do Clube Filatélico de Portugal. Seguiu-se minuto de silêncio em
memória dos fundadores da Federação, destacando-se entre outros os seguintes
filatelistas: Dr. Carlos Trincão, Brigadeiro José Cunha Lamas, Dr. António Fragoso,
Prof. Doutor António Oliveira Marques, Capitão Alexandre Guedes de Magalhães,
António Correia Júnior, General Mário Nogueira e Dr. Artur Vasconcelos de Carva-
lho.
O Presidente da Federação lembrou ainda que os clubes signatários da fundação
da FPF foram o Clube Filatélico de Portugal, o Clube Internacional de Filatelia, o
Clube Filatélico de Moçambique, o Clube Filatélico da Madeira e o Núcleo Filatélico
de Angra do Heroísmo.
Entrou-se depois na discussão dos pontos da ordem de trabalho, sendo apreciados
os primeiro e segundo pontos. Quanto ao terceiro ponto, e dado que o congresso
referente à apresentação de contas é sempre em Lisboa, ficou a Federação de
informar as federadas do respectivo local e data.
Seguidamente o Presidente da Mesa do Congresso deu por encerrada a sessão.
Findo o congresso, seguiu-se um almoço de confraternização.
Dois aspecto da nova Sede da Federação Portuguesa de Filatelia
Federação em
instalações
próprias
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 19
O almoço do congresso
O Congresso da Federação Portuguesa de Filatelia . A Mesa e os Congressistas
Comemorações dos 60 anos da
Federação Portuguesa de Filatelia
A Federação Portuguesa de Filatelia comemorou 60 anos. Para assinalar este efeméride, realizou-
se no Restaurante A Comenda, no Centro Cultural de Belém uma cerimónia evocativa e um jantar
onde estiveram presente cerca de uma centena de pessoas.
Desta cerimónia, que se iniciou pelas 19 horas com um cocktail de boas vindas, onde as conversas
se cruzaram entre filatelistas e convidados, serviu igualmente para criar um ambiente festivo e para
um período de espera para os que o trânsito citadino reteve durante mais tempo.
A sala, disposta em mesas redondas estava acolhedora, num dos recantos, onde foi servido o cock-
tail estavam dispostos, sobre duas mesas os troféus, numa outra o bolo de aniversário e ainda outra
com os dispositivos para o lançamento do Inteiro Postal comemorativo dos 60 anos da Federação
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
Página 20
Portuguesa de Filatelia, local por onde os presentes deambulavam.
Às 19H30 iniciou-se a cerimónia do lançamento do Inteiro Postal, cabendo ao Dr.
Raul Moreira, Director de Filatelia dos CTT abrir as hostilidades, oferecendo ao
Presidente da Direcção da Federação, Pedro Vaz Pereira, a primazia para a pri-
meira obliteração do primeiro IP ao que se seguiram, por esta ordem os Presiden-
tes da Mesa do Congresso, António Borralho, Presidente do Conselho Disciplinar,
Jorge de Oliveira, Presidente do Conselho Fiscal, António Cavaco e finalmente o
representante dos CTT, Raul Moreira.
Após esta cerimónia as pessoas distribuíram-se pelas mesas iniciando-se o jantar
comemorativo dos 60 anos e, porque não dizê-lo, do Dia do Selo. Terminado o jan-
tar, procedeu-se ao partir do bolo sem que antes fosse cantado “os parabéns a
você”, seguido do apagar das velas e do partir do bolo, a cargo dos presidentes da
Direcção, da Mesa do Congresso e do Conselho Disciplinar.
Finalmente procedeu-se à distribuição dos “Prémios Anuais de Literatura”, refe-
rentes ao ano de 2013 que foram os seguintes:
Prémio “O Philatelista – Melhor Periódico” – Exéquo para os periódicos “O Men-
sageiro do Algarve “ e “Voz Filatélica do Sul do Tejo”, prémios entregues respecti-
vamente aos representante da AFAL-Associação Filatélica Alentejo-Algarve, Sec-
ção Filatélica do Lions Clube de Portimão e Secção de Coleccionismo da Associa-
ção Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Real de Santo António, ao pri-
meiro dos periódicos e Associação de Filatelia e Coleccionismo Sul do Tejo para o
segundo;
Prémio “Godofredo Ferreira – O melhor Livro” – exécuo para o livro “Os Bombei-
ros na Filatelia Portuguesa” de Francisco de Oliveira Matoso Galveias e o livro
“Carimbos Comemorativos de Coimbra” de António Bracons e José Cura;
Prémio “A Guedes de Magalhães – Melhor Autor” – para Eduardo José Oliveira
Sousa pela sua contribuição em artigos publicados em diversas revistas;
Prémio “Aníbal Queiroga – Melhor Website e Blog de Filatelia“ para o “Melhor
Website” o (www.filaneiva.com) pertencente à Associação Filatélica e Coleccionis-
mo do Vale do Neiva e para “Melhor Blog” o (http:/sfaac-filatelia.blogspot.com/)
pertencente à Secção Filatélica da Associação Académica de Coimbra.
“O Mensageiro
do Algarve” o
melhor periódico
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 21
Finalmente o prémio “Juvenil de Literatura Filatélica” para Débora Ramos Pereira com um artigo
publicado no nº 9 da Revista “Vale do Neiva Filatélico”.
Entregues que foram os prémios da literatura, procedeu-se à distinção de diversos filatelistas, a
saber:
Com a Medalha de Serviços Inestimáveis, prémio que é outorgado a pessoas que durante vários
anos têm prestado um serviço activo e contínuo à Filatelia de Portugal, trazendo para o país um
maior prestígio, foram distinguidos 9 filatelistas, um dos quais do Algarve, António Manuel Pimentel
Perestrelo Cavaco
Com a Ordem de Mérito Filatélico, prémio que é outorgado a pessoas ou entidades que prestam
relevantes serviços à filatelia portuguesa, foram distinguidos os CTT – Correios de Portugal e 9 fila-
telistas, um dos quais do Algarve, Francisco de Oliveira Matoso Galveias.
Se a noite já estava bonita, ficou mais reluzente ficou com mais as sessenta velas que brilharam
em homenagem à Federação Portuguesa de Filatelia – APD.
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
Página 22
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 23
1. Convívio antes do início das comemorações.
2. Dr. Raul Moreira, Director de Filatelia dos CTT a preparar o Lançamento do Inteiro Postal.
3. Dr. Raul Moreira no uso da palavra na cerimónia do Lançamento do Inteiro Postal.
4. Pedro Vaz Pereira, Presidente da Direcção da FPF a obliterar o Inteiro Postal.
5. António Gonçalves Borralho, Presidente da Mesa do Congresso da FPF a obliterar o IP.
6. Pedro Vaz Pereira e António Gonçalves Borralho a rubricarem o IP.
7. Raul Moreira, Pedro Vaz Pereira, António Gonçalves Borralho, Jorge Oliveira, Presidente do
Conselho de Disciplina da FPF e António Cavaco, Presidente do Conselho Fiscal, exibindo os
Inteiros Postais, durante o seu lançamento.
8. Exposição dos Prémios a atribuir.
9. Bolo de Aniversário .
10. Aspecto de uma das mesas do Jantar Comemorativo dos 60 Anos da FPF.
11. Cerimónia do partir do Bolo de Aniversário.
12. Francisco Galveias, António Borralho e António Cavaco a receber o Prémio Philatelista -
Melhor Periódico, atribuído a “O Mensageiro do Algarve.
13. Francisco Galveias a receber o Prémio Godofredo Ferreira - Melhor Livro atribuído à sua obra
“Os Bombeiros na Filatelia Portuguesa” (ao lado o prémio recebido).
14. António Cavaco a receber a Medalha de Serviços Inestimáveis que lhe foi atribuída pelo Servi-
ço activo e contínuo à Filatelia de Portugal.
15. Raul Moreira a receber a Medalha de Serviços Inestimáveis pelo Serviço que foi atribuída aos
CTT Correios de Portugal, S.S. pelo activo e contínuo à Filatelia de Portugal.
16. Francisco Galveias a receber a Medalha de Serviços Inestimáveis que lhe foi atribuída pelo
serviço activo e contínuo à Filatelia de Portugal (ao lado o prémio recebido).
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
Página 24
Actividades previstas para 2015
(1º Trimestre)
125 Anos do Corpo de Bombeiros de
Vila Real de Santo António
Vai realizar-se 12 a 22 de Janeiro em Vila Real de Santo Antó-
nio, no Quartel de Bombeiros uma Mostra de Filatelia e Colec-
cionismo, comemorativa dos 125 Anos do Corpo de Bombeiros
naquela cidade.
Do programa oficial consta:
Dia 12 às 18H00 – Início das festividades:
Inauguração da Exposição Filatélica e de Coleccionismo no Pavilhão do
Quartel;
Dia 13 das 10H00 às 17H00 – Quartel Aberto:
Exposição e Demonstração de Meios
Exposição de Coleccionismo
Dia 15 – Dia de Aniversário
09H00 – Içar das bandeiras;
09H15 – Deposição de flores no monumento alusivo ao Bombeiro
12H00 – Toque de sirene de saudação à cidade
18H00 – Lançamento de um Inteiro Postal dos CTT comemorativo dos
125 Anos
19H00 – Porto de Honra
19H30 – Desfile Motorizado
.Dia 17 – Sessão solene
Recepção às entidades convidadas
Sessão Solene
Momento de convívio com animação musical
Vai realizar-se de 3 a 28 de Fevereiro na Galeria
Municipal de São Brás de Alportel uma exposição
de Filatelia e Cartofilia, comemorativa 100 Anos
daquela vila, para o qual serão convidados alguns
filatelistas da terra que em tempos fizeram parte de
um Clube filatélico que existiu naquela localidade.
Contam, também, com o apoio de filatelistas de Faro. Está previsto, para o dia da
inauguração um Posto de Correio com Carimbo Comemorativo e a emissão de um
Selo Personalizado
100 Anos do Concelho de São Brás de Alportel
O Corpo de
Bombeiros de
Vila Real de
Santo António
faz 125 anos
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 25
Para o dia 19, pelas 17 horas está prevista uma conferência intitulada “A Filatelia do Algarve, Pas-
sado, Presente e Futuro”, para o qual foram convidados para apresentar trabalhos os seguintes
filatelistas; António Borralho, Sérgio Pedro e Vitor Lourenço
Mostra Filatélica do Núcleo Juvenil
Núcleo Filatélico do Agrupamento de Escolas Silves Sul de Armação de Pêra
“O Bichinho do Selo” vai levar a efeito uma Mostra Filatélica, no Clube Armace-
lence (ao lado da Estação dos CTT), dedicada aos 35 Anos do Agrupamento
598 do Corpo Nacional de Escutas, sediado naquela localidade. Esta Mostra
Filatélica está integrada no Plano Exposicional para 2015, e efectuar-se-á no
próximo dia 29 de Março e contará com um Carimbo Comemorativo e um selo
personalizado.
Congresso da Federação Portuguesa de Filatelia - APD
Lisboa
Em Março, em data e local a determinar, realizar-se-á em Lisboa o Congresso da Federação Portu-
guesa de Filatelia - APD para Apreciação do Parecer do Conselho Fiscal sobre Relatório de Activi-
dades, as Contas e o Balanço, elaborados pela Direcção e respeitante ao ano de 2014. Igualmente
serão apreciados outros documentos pelos restantes Órgãos da Federação.
(2º e 3º Trimestres)
O Fórum dos Numismatas, comunidade online
dedicada ao estudo da Numismática, vai reali-
zar nos dias 1, 2 e 3 de Maio, um conjunto de
iniciativas no âmbito do seu 7º aniversá-
rio.
No dia 1 de Maio a partir das 16h30, realiza-se
no Auditório do Centro Autárquico de Quartei-
ra, um Seminário sobre a Numismática algar-
via.
O evento, com apoio da Câmara Municipal de
Loulé, conta com os oradores: António Miguel Trigueiros, Dália Paulo, Directora da Divisão de Cul-
tura e Património da Câmara de Loulé, José Ruivo e Rui Santos.
No dia 2 de Maio, realiza-se o almoço de aniversário, no Restaurante Zé do Norte, onde se espera
a presença de mais de 80 numismatas de todo o país.
7º Aniversário de Numismatas
Quarteira
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
Página 26
III Encontro Internacional de Coleccionismo
Vila Real de Santo António
Mais uma vez a Secção de Coleccionismo dos Bombeiros Voluntários de Vila Real
de Santo António vão realizar o Encontro Internacional de Coleccionismo, que se
realizará no dia 6 de Junho. Este encontro, que de ano para ano tem vindo a impor
-se a nível nacional, trazendo até ao Algarve coleccionados não só portugueses,
desde o Minho ao Algarve, mas também do estrangeiro, de Espanha e de Itália.
Este Encontro terá lugar no Centro Cultural da cidade.
Paralelamente, nos dias 6 e 7, na Praça Marquês de Pombal, a sala de visitas da
cidade, irá realizar-se a 3ª Feira de Floricultura e Artesanato, também numa orga-
nização da Secção de Coleccionismo.
Algarpex 2015 - Exposição Filatélica do Algarve
Castro Marim
Mostra Filatélica dedicada à Mulher
Portimão
A Secção Filatélica do Lions Clube de Portimão vai levar a efeito no próximo mês
de Maio, em data a determinar, dedicada à mãe, Mostra esta integrada no Plano
Exposicional da Federação Portuguesa de Filatelia, com Carimbo Comemorativo.
A VI ALGARPEX – Exposição Filatélica do Algarve, irá ter lugar na vila de Castro
Marim de 3 a 12 de Julho de 2015, na Casa do Sal. A organização do evento, que
é rotativa entre os agrupamentos filatélicos do Algarve, caberá esta à Secção de
Coleccionismo da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila
Real de Santo António, sendo o tema desta exposição o sal e o turismo naquela
vila.
Esta é a segunda vez que a Secção de Coleccionismo dos Bombeiros está a orga-
nizar esta exposição, pelo que encetou contactos com a Câmara de Castro Marim,
para aí ter lugar o certame, tendo sido bem aceite por parte da vereação daquele
Município. Será também a segunda vez que ali organizamos um evento filatélico,
ficando na altura, uma vontade de ali organizarmos uma exposição de maior
Algarpex de 2015
é em Castro
Marim
Estará também presente, Vítor Aleixo, Presidente da Câmara Municipal, a verea-
dora Ana Machado e José Ruivo, doutorado em Arqueologia e responsável pelos
Serviços Técnicos de Arqueologia do Museu de Conimbriga.
No decurso do evento irão realizar-se diversas actividades ligadas ao coleccionis-
mo, venda e sorteio de moedas, notas e livros temáticos e ainda a eleição do foris-
ta do ano que será galardoado com o prémio Flor-de-Cunho.
A terminar o dia, será ainda apresentada a medalha do evento, dedicada à cidade
anfitriã do encontro.
Ainda no mesmo dia, estarão patentes duas mostras expositivas. A primeira sob o
tema Expansão Marítima Portuguesa através da Moeda e uma outra, em homena-
gem ao escultor Espiga, composta por moedas e medalhas de autoria do consa-
grado artista.
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 27
À Margem
O que dizem do nós
João Violante joao.ms.violante@xxxx
Prezado Matoso Galveias
Acabo de receber o nº 7 de "O Mensageiro do Algarve", que tive então a oportunidade de ler.
Agradeço-lhe, não só, o seu envio, como aproveito a oportunidade para o felicitar, a si e a toda
restante equipa responsável pela publicação, pela magnífico trabalho desenvolvido nessa obra.
Aguardo, sempre com expectativa, a saída de novos números na certeza de, neles, encontrar sem-
pre
material de interesse filatélico, que muito me apraz ler.
Com as minhas saudações filatélicas
João Violante
Luis Frazão luisvbp.frazao@xxxx Seg, 2 Mar 2015 (19:08:51 WET)
Caro amigo
Li com todo o interesse o seu artigo sobre o correio fluvial do Guadiana. Os meus parabéns pelo
escrito e sobretudo pelo seu conteúdo interessante para a história postal do Algarve.
Um abraço e muito obrigado
Luis Frazão
envergadura. Esperamos pois que Julho,
além de tempo de férias seja também tempo
de filatelia.
Em breve irá ser feita a distribuição do regula-
mento pelos filatelistas nascidos ou morado-
res no Algarve.
O quadro que apresentamos, pintado por
Hélène Beauvoir pintora francesa, irmã da
famosa escritora Simone de Beauvoir, repre-
senta a faina da produção e transporte do sal
nas salinas de Castro Marim.
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
Página 28
Fernando Teixeira Xavier Martins fer.martins@xxxx 27 FEV 2015 (11:00).
Bom dia
Gostei do vosso boletim, está interessante, muita carolice, agradeço o seu envio,
mas vocês esqueceram-se nas comemorações dos 150 Anos da Palavra Filatelia,
de referenciarem a marca comemorativa do Troféu Dias Ferreira, que julgo ser
uma marca comemorativa, uma referencia da Filatelia Nacional, alem de que jul-
go também ser uma falta de consideração pelos sócios da AFAL, que também são
sócios do Clube Filatélico de Portugal, quer dizer o 25 de Abril já foi e já lá vão 40
anos.
Bom trabalho e muito espírito de iniciativa/carolice e solidariedade junto da vos-
sa Juventude Algarvia.
Sempre ao v/dispor
Um Abç
Sobre este reparo foi respondido pelo Corpo redactorial:
Agradecemos a sua mensagem e esclarecemos o seguinte:
Não nos esquecemos da marca postal relacionada com o Troféu do Comendador
Dias Ferreira, que nos merece a nossa melhor consideração.
Simplesmente, como deve ter reparado:
 O n.º 7 do Mensageiro saiu com atraso, e é referente ao 3.º Trimestre de
2014 (Julho, Agosto e Setembro). No nosso Editorial a isso nos referimos;
 O Mensageiro é uma publicação de carácter regional e, por isso, damos notí-
cias desta província;
 Referenciamos a participação de coleccionadores desta província em qual-
quer manifestação filatélica nacional ou internacional;
 Publicamos notícias relacionadas com eventos relacionados, de algum
modo, com o Algarve;
 Publicamos artigos relacionados com a filatelia do Algarve, cujos autores
sejam ou não naturais ou residentes daqui;
 Publicamos artigos sobre Filatelia, em geral, que consideremos de interesse
para o coleccionador e que sirvam para o enriquecimento dos seus conheci-
mentos nas áreas a que se dedicam;
 Referenciamos todo o material filatélico emitido pelos Correios de Portugal
(selos, blocos inteiros postais, carimbos etc.), no trimestre e só do trimestre
da publicação (O carimbo Dias Ferreira é de Outubro);
 Afastamos, por completo, o envolvimento da nossa publicação em qualquer
espécie de sectarismo político.
Assim, a referência à marca postal será feita no n.º 8 da nossa publicação a sair
ainda este mês.
Colocamos à disposição do prezado amigo Fernando Martins, que já tem participa-
do em eventos no Algarve, as páginas do Mensageiro para publicação de artigos
da sua especialidade filatélica e que estejam relacionados com o Algarve. Seria
um prazer para nós e uma mais-valia para a Filatelia não só regional mas também
nacional.
Fomos informados que o Comendador Dias Ferreira teria nascido no Algarve.
Agradecíamos essa confirmação e, em caso afirmativo, colocamos também as
páginas do Mensageiro à disposição de alguém, em nome individual ou em nome
do Clube para nos enviarem uma notícia sobre a vida e obra, em prol da Filatelia,
de tão ilustre personagem.
Sempre ao dispor, enviamos as nossas melhores.
Saudações Filatélicas,
Pel' O Mensageiro Filatélico
(António Borralho)
Os produtos
filatélicos
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 29
Produtos Filatélicos
Marcofilia Comemorativa de Portugal - 4º Trimestre
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E
Página 30
 2014.Outubro – Santos e Beatos de Portugal
Data de Edição: Outubro de 2014
Autor: Paulo Mendes Pinto
Tiragem: 3.700 exemplares
Preço: 36,00
 Instituto Geofísico da Universidade de Coimbra – 150
Anos
Data de Emissão: 2014.10.03
Selos:
O,42€; 0,52€; 0,72; €0,80€
Bloco:
1 Selo de 2,80€
Carimbos de 1º Dia:
Lisboa, Porto, Funchal, Ponta Delgada e Coimbra
Produtos Filatélicos colocados em circulação pelos CTT no
Portugal em
Selos.
Todas as emissões
de 2014 num livro
Marcofilia no Algarve (4º trimestre)
Faro, 2014.10.05 – Mostra Filatélica – Implantação da República
Silves, 2014.10.31 – Mostra Filatélica – 1º Cent. Pintora Maria Keil
V. R. Sto. António, 2014.11.22 – Mostra Filatélica – Alfândega
Estói, 2014.12.03 – 130 anos do nascimento do poeta Emiliano da Costa – Amiguinhos
dos Selos
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 31
 Tapeçarias de Portalegre
Data de Emissão: 2014.10.09
Selos:
0,42€ (Cruzeiro Seixas); 0,42€ (Eduardo Nery), 0,50€ (Vieira da Silva); 0,62€ (Júlio Pomar); 0,72
(Almada Negreiros); €0,80€ (Joana de Vasconcelos)
Bloco:
1 Selo de 1,70€ (António Charrua)
Carimbos de 1º Dia:
Lisboa, Porto, Funchal, Ponta Delgada e Portalegre
 Novembro – Portugal em Selos 2014
Data de Edição: Novembro de 2014
Autor: Jorge M. Martins
Tiragem: 8.000 exemplares
Preço: 99,28€
 Inteiro Postal, Navio Gil Eanes
Data de Emissão: 2014.11.05
Taxa Paga (Válido para Portugal) – N20g – 1º Escalão Nacional
 Inteiro Postal, Igreja Santuário do Santo Cristo do Outeiro
Data de Emissão: 2014.11.08
Taxa Paga (Válido para Portugal) – N20g –1º Escalão Nacional
 Inteiro Postal, 40 Anos da Associação de Deficientes das Forças Arma-
das
Data de Emissão: 2014.11.23
Taxa Paga (Válido para Portugal) – N20g – 1º Escalão Nacional
 2014.12.06 – Inteiro Postal, 60 Anos de Federação Portuguesa de Filate-
lia
Data de Emissão: 2014.12.06
Taxa Paga (Válido para Portugal) – N20g – 1º Escalão Nacional
 2014.12.09 – Inteiro Postal, 25 Anos da Fundação Serralves
Data de Emissão: 2014.12.09
Taxa Paga (Válido para Todo o Mundo) – I20g – 1º Escalão Internacional
O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 32
Endereços das Agremiações:
AFAL - Associação Filatélica Alentejo Algarve
Avenida 25 de Abril, Bloco 2, r/c
8500-610 Portimão
Núcleo Filatélico Juvenil de Armação de Pêra
Sítio da Torre,
Armação de Pêra,
8365-184 Silves
Núcleo Juvenil de Filatelia e Coleccionismo de Lagoa
Biblioteca Municipal de Lagoa
Largo dos Combates da Grande Guerra
8400-338 LAGOA
Secção Filatélica do Lions Clube de Portimão
Auditório Municipal
Rua Miguel Bombarda
8500-299 Portimão
Secção de Coleccionismo da Associação Humanitária dos
Bombeiros Voluntários de Vila Real de Santo António
Rua Francisco Sá Carneiro S/N
8900-307 Vila Real de Santo António
Colaboraram neste número:
Américo Rebelo
António Borralho
Francisco Galveias
Paulo Silva
Sérgio Pedro
Paginação e Montagem:
Francisco Galveias
Os artigos publicados são da
inteira responsabilidade dos
seus autores
Contacte-nos para
Email:
omensageirodoalgarve@gmail.com
Se tens conhecimento de eventos ligados ao coleccionismo que ocorram no Algarve
não hesites em informar-nos, ou escreve uma notícia e envia-a para nós a publicarmos
nas páginas desta revista
Se és possuidor de alguma curiosidade sobre uma peça de coleccionismo e que de
alguma forma a ligue ao Algarve, escreve-nos um texto que nós publicamos nas pági-
nas desta revista
Se tens conhecimento que no lugar onde vives houve no passado alguma exposição de
filatelia e dela tens algum documento, faz uma notícia sobre esse evento para ser publi-
cada nas páginas desta revista, enviando-nos igualmente imagens se possível
Enfim, colabora connosco

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Catalogo Algarpex 2012
Catalogo Algarpex 2012Catalogo Algarpex 2012
Catalogo Algarpex 2012
Museu Filatelia Sérgio Pedro
 
Catalogo filapex
Catalogo filapexCatalogo filapex
O mensageiro do Algarve 6
O mensageiro do Algarve 6O mensageiro do Algarve 6
O mensageiro do Algarve 6
mensageiro2013
 
Os salões do centro português
Os salões do centro portuguêsOs salões do centro português
Os salões do centro português
Kika Da Costa
 
Catalogo Mostra filatélica Albufeira
Catalogo Mostra filatélica AlbufeiraCatalogo Mostra filatélica Albufeira
Catalogo Mostra filatélica Albufeira
Museu Filatelia Sérgio Pedro
 
Os caretos de podence e lazarim artur filipe dos santos
Os caretos de podence e lazarim   artur filipe dos santosOs caretos de podence e lazarim   artur filipe dos santos
Os caretos de podence e lazarim artur filipe dos santos
Artur Filipe dos Santos
 
Projetos Culturais - Exposições
Projetos Culturais -  ExposiçõesProjetos Culturais -  Exposições
Projetos Culturais - Exposições
Cláudia Magalhães
 
Avaliação ensino médio. professor elicio
Avaliação ensino médio. professor elicioAvaliação ensino médio. professor elicio
Avaliação ensino médio. professor elicio
Elicio Lima
 
Análise do Jantar no Hotel Central
Análise do Jantar no Hotel CentralAnálise do Jantar no Hotel Central
Análise do Jantar no Hotel Central
Dina Baptista
 

Mais procurados (9)

Catalogo Algarpex 2012
Catalogo Algarpex 2012Catalogo Algarpex 2012
Catalogo Algarpex 2012
 
Catalogo filapex
Catalogo filapexCatalogo filapex
Catalogo filapex
 
O mensageiro do Algarve 6
O mensageiro do Algarve 6O mensageiro do Algarve 6
O mensageiro do Algarve 6
 
Os salões do centro português
Os salões do centro portuguêsOs salões do centro português
Os salões do centro português
 
Catalogo Mostra filatélica Albufeira
Catalogo Mostra filatélica AlbufeiraCatalogo Mostra filatélica Albufeira
Catalogo Mostra filatélica Albufeira
 
Os caretos de podence e lazarim artur filipe dos santos
Os caretos de podence e lazarim   artur filipe dos santosOs caretos de podence e lazarim   artur filipe dos santos
Os caretos de podence e lazarim artur filipe dos santos
 
Projetos Culturais - Exposições
Projetos Culturais -  ExposiçõesProjetos Culturais -  Exposições
Projetos Culturais - Exposições
 
Avaliação ensino médio. professor elicio
Avaliação ensino médio. professor elicioAvaliação ensino médio. professor elicio
Avaliação ensino médio. professor elicio
 
Análise do Jantar no Hotel Central
Análise do Jantar no Hotel CentralAnálise do Jantar no Hotel Central
Análise do Jantar no Hotel Central
 

Semelhante a Mensageiro 8

Messageiro 17 18-19-20
Messageiro 17 18-19-20Messageiro 17 18-19-20
Messageiro 17 18-19-20
Museu Filatelia Sérgio Pedro
 
Postais Máximos do Algarve (Concelho de Olhão)
Postais Máximos do Algarve (Concelho de Olhão)Postais Máximos do Algarve (Concelho de Olhão)
Postais Máximos do Algarve (Concelho de Olhão)
Museu Filatelia Sérgio Pedro
 
Visita A Belmonte
Visita A BelmonteVisita A Belmonte
Visita A Belmonte
gueste746bf
 
Alentejo
AlentejoAlentejo
Fam trip omíada vila do bispo
Fam trip omíada vila do bispoFam trip omíada vila do bispo
Fam trip omíada vila do bispo
arqueomike
 
Conseq expansao
Conseq expansaoConseq expansao
Conseq expansao
cattonia
 
Conseq expansao
Conseq expansaoConseq expansao
Conseq expansao
cattonia
 
006 cidade do porto roteiro 3ª parte
006 cidade do porto roteiro 3ª parte006 cidade do porto roteiro 3ª parte
006 cidade do porto roteiro 3ª parte
venture-spain
 
O Mensageiro do Algarve n.º 10
O Mensageiro do Algarve n.º 10O Mensageiro do Algarve n.º 10
O Mensageiro do Algarve n.º 10
mensageiro2013
 
Oceanario lisboa solteirosvscasados
Oceanario lisboa   solteirosvscasadosOceanario lisboa   solteirosvscasados
Oceanario lisboa solteirosvscasados
Diogo Teixeira
 
Bfd020 p
Bfd020 pBfd020 p
Tiat- Lisboa Patrimonio
Tiat- Lisboa PatrimonioTiat- Lisboa Patrimonio
Tiat- Lisboa Patrimonio
Artur Cristo
 
Estremadura e ribatejo
Estremadura e ribatejoEstremadura e ribatejo
Estremadura e ribatejo
Endl Félix Muriel
 
Ericeira
EriceiraEriceira
Ericeira
BiaEsteves
 
Carta Náutica do Porto de Lisboa - julho 2017
Carta Náutica do Porto de Lisboa - julho 2017Carta Náutica do Porto de Lisboa - julho 2017
Carta Náutica do Porto de Lisboa - julho 2017
APL - Administração do Porto de Lisboa
 
Breve ensaio geo-económico sobre o Algarve na primeira metade do séc. XIX
Breve ensaio geo-económico sobre o Algarve na primeira metade do séc. XIXBreve ensaio geo-económico sobre o Algarve na primeira metade do séc. XIX
Breve ensaio geo-económico sobre o Algarve na primeira metade do séc. XIX
José Mesquita
 
LISBOA - Turismo
LISBOA - TurismoLISBOA - Turismo
LISBOA - Turismo
Patricia Martins
 
Cidade do Porto-Portugal
Cidade do Porto-PortugalCidade do Porto-Portugal
Cidade do Porto-Portugal
BiaEsteves
 
Judice Fialho, o maior industrial conserveiro do Algarve
Judice Fialho, o maior industrial conserveiro do AlgarveJudice Fialho, o maior industrial conserveiro do Algarve
Judice Fialho, o maior industrial conserveiro do Algarve
José Mesquita
 
HISTÓRIA DA CIDADE E DOS MONUMENTOS PORTUENSES - A Comunidade Britânica do Po...
HISTÓRIA DA CIDADE E DOS MONUMENTOS PORTUENSES - A Comunidade Britânica do Po...HISTÓRIA DA CIDADE E DOS MONUMENTOS PORTUENSES - A Comunidade Britânica do Po...
HISTÓRIA DA CIDADE E DOS MONUMENTOS PORTUENSES - A Comunidade Britânica do Po...
Artur Filipe dos Santos
 

Semelhante a Mensageiro 8 (20)

Messageiro 17 18-19-20
Messageiro 17 18-19-20Messageiro 17 18-19-20
Messageiro 17 18-19-20
 
Postais Máximos do Algarve (Concelho de Olhão)
Postais Máximos do Algarve (Concelho de Olhão)Postais Máximos do Algarve (Concelho de Olhão)
Postais Máximos do Algarve (Concelho de Olhão)
 
Visita A Belmonte
Visita A BelmonteVisita A Belmonte
Visita A Belmonte
 
Alentejo
AlentejoAlentejo
Alentejo
 
Fam trip omíada vila do bispo
Fam trip omíada vila do bispoFam trip omíada vila do bispo
Fam trip omíada vila do bispo
 
Conseq expansao
Conseq expansaoConseq expansao
Conseq expansao
 
Conseq expansao
Conseq expansaoConseq expansao
Conseq expansao
 
006 cidade do porto roteiro 3ª parte
006 cidade do porto roteiro 3ª parte006 cidade do porto roteiro 3ª parte
006 cidade do porto roteiro 3ª parte
 
O Mensageiro do Algarve n.º 10
O Mensageiro do Algarve n.º 10O Mensageiro do Algarve n.º 10
O Mensageiro do Algarve n.º 10
 
Oceanario lisboa solteirosvscasados
Oceanario lisboa   solteirosvscasadosOceanario lisboa   solteirosvscasados
Oceanario lisboa solteirosvscasados
 
Bfd020 p
Bfd020 pBfd020 p
Bfd020 p
 
Tiat- Lisboa Patrimonio
Tiat- Lisboa PatrimonioTiat- Lisboa Patrimonio
Tiat- Lisboa Patrimonio
 
Estremadura e ribatejo
Estremadura e ribatejoEstremadura e ribatejo
Estremadura e ribatejo
 
Ericeira
EriceiraEriceira
Ericeira
 
Carta Náutica do Porto de Lisboa - julho 2017
Carta Náutica do Porto de Lisboa - julho 2017Carta Náutica do Porto de Lisboa - julho 2017
Carta Náutica do Porto de Lisboa - julho 2017
 
Breve ensaio geo-económico sobre o Algarve na primeira metade do séc. XIX
Breve ensaio geo-económico sobre o Algarve na primeira metade do séc. XIXBreve ensaio geo-económico sobre o Algarve na primeira metade do séc. XIX
Breve ensaio geo-económico sobre o Algarve na primeira metade do séc. XIX
 
LISBOA - Turismo
LISBOA - TurismoLISBOA - Turismo
LISBOA - Turismo
 
Cidade do Porto-Portugal
Cidade do Porto-PortugalCidade do Porto-Portugal
Cidade do Porto-Portugal
 
Judice Fialho, o maior industrial conserveiro do Algarve
Judice Fialho, o maior industrial conserveiro do AlgarveJudice Fialho, o maior industrial conserveiro do Algarve
Judice Fialho, o maior industrial conserveiro do Algarve
 
HISTÓRIA DA CIDADE E DOS MONUMENTOS PORTUENSES - A Comunidade Britânica do Po...
HISTÓRIA DA CIDADE E DOS MONUMENTOS PORTUENSES - A Comunidade Britânica do Po...HISTÓRIA DA CIDADE E DOS MONUMENTOS PORTUENSES - A Comunidade Britânica do Po...
HISTÓRIA DA CIDADE E DOS MONUMENTOS PORTUENSES - A Comunidade Britânica do Po...
 

Mensageiro 8

  • 1. Editorial O Mensageiro do Algarve Boletim das Agremiações Filatélicas e de Coleccionismo do AlgarveBoletim das Agremiações Filatélicas e de Coleccionismo do AlgarveBoletim das Agremiações Filatélicas e de Coleccionismo do Algarve O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E J A N E I R O D E 2 0 1 4 - A N O I I , N º 8 Com o número deste mês, igualmente saído tardiamente, pelas razões apresentadas no anterior número, acabamos o segundo ano de publicação. Estamos satisfeitos com a acei- tação que este tem tido não só entre aqueles que sabemos que são filatelistas como também outros leitores que pessoalmen- te ou por mensagens nos dão o incentivo para continuar. Também as notícias que rece- bemos de uma das plataformas onde O Mensageiro do Algarve foi inserida, nos inclui nas 25% das “revistas on line” mais lidas no universo das publicações recebidas. Agora é a Federação Portuguesa de Filatelia que nos brindou, pensamos que justamente, com o prémio “O Philatelista – Melhor Periódico”, nos Prémios que anualmente promove, a par de uma outra, a Voz Filatélica do Sul do Tejo, com a entre- ga durante as comemorações dos 60 Anos da Federação que tiveram lugar no Centro Cultural de Belém, notícia que desen- volvemos neste número. Mas nem tudo foi bom neste último trimestre. Não deixamos aqui de lamentar a extinção de dois agrupa- mentos, O Núcleo de Filatelia do Algarve – ATAF e o Núcleo Infanto-Juvenil “Os Amiguinhos dos Selos” do G. D. C. Jograis António Aleixo de Estói e a consequente desfiliação da FPF, colaboradores assíduos de “O Mensageiro do Algarve”, e que, embora a título individual dos filatelistas que constituíram estas núcleos, continuem a colaborar, como até aqui o fizeram. NESTA EDIÇÃO: 2. Moedas do Algarve 4. O Painho Casquilho visto através da Maxi- mafilia 5. Actividades Filaté- licas do 4º Trimestre 24. Actividades pre- vistas para 2015 (1º e 2º Trimestres) 27. À Margem 28. Produtos Filatélicos
  • 2. As moedas cunhadas no nosso Algarve O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Moedas do Algarve Página 2 É com grande prazer aceitei este "desafio" por parte do meu amigo Prof. Borralho de participar na Revista "O Mensageiro do Algarve" com uma rubrica de Numismáti- ca, o qual não me considero nenhum expert mas sei uma coisa ou outra... Hoje trago um assunto que nos diz muito respeito que são as moedas cunhadas no "nosso" Algarve. No final do séc. II antes de Cristo, na Hispânia sob o domínio romano, várias povoa- ções foram autorizadas a bater moeda própria. As localidades conhecidas no Algarve a cunhar moeda própria são: Baesuris (Castro Marim) Balsa (Tavira) Cilpes (Silves) Ipses (Alvor) Ossonoba (Faro) Quanto à localização das mesmas ainda não há consenso nas hostes arqueológicas em relação a alguns locais mas isso é outro assunto... BAESURIS (Castro Marim), uma localidade perto do mar que apresenta em uma das suas faces barcos ou peixes (atum) e na outra a espiga que representa a fertili- dade da região. Presume-se que no I séc. a.C. tenha cunhado asses em cobre, semisses e quadran- tes em chumbo sendo qualquer um deles espécies raras... Junto anexo uma foto de um pequeno Sextante com a espiga visível: Balsa (Tavira) foi identificada por vestígios que se acharam nas proximidades de Tavira, onde segundo consta é hoje Torre de Ares mas a povoação já existiria antes da ocupação romana do território mas depois ter-se-á desenvolvido muito. Só se conheciam emissões em chumbo, do séc. I a.C. nos valores de Asse, semis- ses e quadrantes mas apareceram há pouco raros numismas em cobre... Para mim das localidades mais comuns em relação a moedas batidas em chumbo pois aparecem com alguma regularidade no mercado. Cilpes (Silves) um povoado sempre com importância apreciável na região, pois é um dos poucos aglomerados populacionais do sul de Portugal que cunhou moeda divisionária... Para mim dos numismas mais difíceis de aparecer no mercado e nunca tive a sorte de ver uma ao vivo.
  • 3. O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 3 Ipses (Alvor) este antigo povoado foi recentemente identificado com o Sítio de Vila Velha , em Alvor e das raras moedas conhecidas que emitiu, conhecem-se exemplares em chumbo e cobre todas do I séc. a.C. Apresento em baixo um exemplar da minha colecção: Finalmente Ossónoba (Faro) presumivelmente anterior ao domínio romano e de fundação cartagine- sa, apresenta moedas chumbo e cobre do I séc. a.C. mas de muitas tipologias a qual apresento em baixo, mais uma vez, uma da minha colecção que espero que gostem… Ficamos por aqui em relação às moedas romanas cunhadas no Algarve, e apesar de gostar de algum anonimato adorei esta expêriencia e espero continuar a ajudar a cultivar o gosto numismático pelas terras dos Algarves e gostaria de alguma participação dos leitores em relação ao próximo tema, o qual terei mais disponibilidade para aprofundar. Obrigado e até à próxima... Paulo Silva moedaspaulo@hotmail.com Alguns excertos e estudos foram retirados do conhecido livro de numismática "Alberto Gomes" 6ª Edição 2013
  • 4. Postal Máximo Marca de Dia de Sagres O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 4 O Painho Casquilho visto através da Maximafilia O Painho casquilho (Oceanitis oceanicus) é uma ave marinha de pequenas dimen- sões, quase totalmente preta, salientando-se o uropígio branco. Pertence à ordem dos Podicipediformes e à família Hydrobatidae. Possui patas compridas e amarelas e distingue-se das outras espécies de painhos pelo voo “ dançante “. Esta espécie nidifica nas ilhas que rodeiam o Polo Sul e durante a época das migra- ções pode ser observado em bandos de grandes dimensões, sendo muito frequente nos barcos de pesca. Em Portugal pode ser observado nas seguintes zonas: Litoral centro - Ilhas das Berlengas e Cabo Carvoeiro Lisboa e Vale do Tejo – Cabo Raso Algarve - Cabo S. Vicente, Aljezur e Sagres. O ninho é construído simultaneamente pelo casal, num buraco ou numa toca, em colónias situadas numa vertente de grande altura sobre a costa. Faz uma postura por ano, entre Janeiro e Abril, pondo 1 ovo branco, sendo a sua incubação de 39 a 48 dias. A alimentação é a base de pequenos peixes, crustáceos e lulas. Filatelicamente têm sido emitidas, em diversos países, várias séries de selos e pos- tais máximos alusivos a esta ave e os C.T.T de Portugal não ficaram indiferentes a esta situação tendo lançado, no ano de 2008, uma emissão “Ano Polar Internacio- nal ” onde está incluída esta espécie, conforme o exemplar aqui demonstrado o tes- temunha. Postal Máximo Postal: O Painho casquilho (Oc eanitis oceanicus) Selo: € 0.61- Impressão Offset na Cartor Emissão: 23.6.2008 – Ano Polar Internacional Denteado: 12 x 11 ¾ e Cruz de Cristo nos lados verticais Papel: Esmalte Folhas: 50 selos (5 x 10) Obliteração: Marca postal dos CTT de Vila de Sagres – 23.06.2008 (Concelho de Vila do Bispo). Edição: Edições Século XXI. BIBLIOGRAFIA:  Catálogo de Selos Postais e Marcas Pré-Adesivas – Afinsa 2012 – 29ª Edição  Guia das Aves Aquáticas da Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António – Instituto Da Conservação da Natureza e Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António.  Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal - Instituto da Conservação da Natureza - Editora Assírio & Alvim – 2ª Edição - 2006 Elaborado por Américo Rebelo Outubro 2014
  • 5. O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 5 Actividades filatélicas do 4º trimestre Exposición de Coleccionismo Ayamonte (Espanha) O Círculo Filatélico y Numismático de Huelva há muito que vinha prometendo uma exposição para Ayamonte. As conversações com o Ayuntamento local não terão sido difíceis, o agendamento de datas talvez. Estas conversações foram conduzidas por parte do Círculo pelo filatelista aymontino José Pérez Vásquez que a aprontou para o mês de Outubro de 2014, foram esco- lhidas as datas de abertura para o dia 3 e a de encer- ramento para o dia 25. Quanto ao Local foi escolhida a Casa Grande, que é o local onde funciona a Biblioteca Pública Jiménez Barberi e a Secretaria da Cultura do Auntamento de Ayamonte. É um edifício do século XVII, mandado construir por Manuel Rivero González, um conhecido e rico comerciante de Cadiz, possuidor de vários navios naquele porto, os quais trouxeram a pedra necessária para a sua constru- ção, daquela cidade do sul de Espanha. Uma casa de família composta por vários quartos que se abrem para um pátio central, característico na Andaluzia. Ao entrar no século XX, o edifício estava num quase abandono e o Conselho Ayamontenino adquiriu- o à família Solesio, descendentes de Rivero e tornou-o Casa da Cultura, abrindo os novos espaços e dando-lhes outros usos a bem da cultura. É um facto que a sua estrutura interior não permitia um melhor aproveitamento sem o adulterar contudo, está bem aproveitado com diversas salas para expo- sições temporárias, um auditório para mais de centena e meia de espectadores, salas para serviços e uma biblioteca. É nesta casa cheia de história, que foi palco da “Exposición de Coleccionismo”, uma exposição que abriu com 20 participações de filatelistas espanhóis e portugueses distribuída 56 quadros, versando várias disciplinas filatélicas das quais destacamos uma participação de José Pérez Vásquez “Sellos locales e censuras militares de Huelva y Província”, que mostram todos os locais onde foram emiti- dos selos locais, muito comuns durante a guerra civil espanhola e uma outra, também dedicada ao local onde se insere a exposição do filatelista Fernando Suardiáz Figuereo “Sellos Fiscales y viñetas de Ayamonte y Huelva”. Ao destaque que demos a estas duas colecções olhámos para as suas características filatélicas, bem elaboradas e sobretudo apresentam ao visitante a história de um período bastante difícil para os espanhóis, através de algumas raridades e muitas curiosidades. As outras colecções, mais oito espanholas e doze portuguesas, destas, enumeramos as presenças de Albano Parra Santos com “Postais – Encontro de Coleccionismo”, Sandra Santos com “Algarve, Turismo História e Filatelia” e “Algarve – Pacotes de Açúcar”, Secção de Coleccionismo dos Bombei- ros com “Realizações da Secção”, Francisco Matoso Galveias com “Inteiros Postais Ilustrados do Algarve”, Sérgio Pedro com “Marcofilia Comemorativa, Marcofilia do Sec. XXI, e Maximafilia do Algar- ve”, José Palma com “Marcofilia de Olhão” e Francisco Paiva com Marcofilia de Faro”.
  • 6. O Cartaz da exposição de 2006 O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 6 À sessão de abertura, bastante concorrida, a que não faltou a comunicação social, através dum canal local de televisão que transmite em canal aberto para a região, abriu a sessão Francisco Blasquez Martin, Vereador Cultural de Ayamonte, que deu a boas vindas aos visitantes e agradecendo a presença dos filatelistas portuguesas e andaluzes, afirmando que esta exposição é uma oportunidade para a cidade. Por sua vez, Albano Santos, por parte da delegação portuguesa agradeceu o convite e enalteceu a cooperação entre os filatelistas de cá de lá do Guadiana, finalmente Manuel Guadalupe García, presidente do Círculo de Huelva, clube organizador agradeceu a disponibilidade do Ayuntamento de Ayamonte para este evento e agradeceu a todos os filatelistas presentes. Seguiu-se uma visita à exposição devidamente comentada pelos filatelistas presen- tes. A exposição teve o patrocínio do Ayuntamento e da Eurocidade do Guadiana, cujo logótipo foi escolhido para confeccionar um selo personalizado que foi aproveitado para embelezar a peça filatélica. Resta acrescentar que este mesmo local, já serviu de palco a outra exposição no ano de 2006, onde foi apresentado o selo sobre a Ponte Internacional de Ayamonte cuja emissão foi conjunta com Portugal. Esta exposição foi pois a segunda naquela cidade raiana na última dezena de anos. O Cartaz da Exposição A Casa Grande, Local da Exposição Um aspecto do público, transmissão em directo para a televisão local Os oradores: Manuel Guadalupe, Albano Santos e Francisco Martin
  • 7. O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 7 Como noticiado na imprensa no passado dia 29 de Setembro abriu ao público mais uma exposição organizada pelo Núcleo de Filatelia de Faro - ATAF, tendo como tema a Implantação da Repúbli- ca. Aqui vos deixamos algumas imagens de peças filatélicas e de algumas das coleções expostas no Museu Regional do Algarve. Estiveram expostas as seguintes participações: Cartofilia alusiva ao 5 de Outubro de 1910 (cartofilia) de Luís Brás; A Implantação da República (temática) de Luís Brás; Escritores Portugue- ses (temática) de Sérgio Pedro; Maravilhas do Mundo (temática) de José Palma; Individualidades do Reino Unido (temática) de Sérgio Pedro; Cruz Vermelha (temática) de José Palma; A Nossa Saúde Mental (temática) de Sérgio Pedro; Transportes (temática) de Sérgio Pedro; Bélgica – 100 Anos de Filatelia (clássica) de Jorge Bomba; Património da UNESCO (maximafilia) de Francisco Paiva. Esta Mostra Filatélica foi organizada pelo Núcleo de Filatelia de Faro e teve lugar no Museu Regional de Faro, na Praça da Liberdade e esteve patente de 2ª a 6ª feira das 10h00 às 13h30h e das 14h00 às 18h00, Foi provida de um carimbo comemorativo (ver página 28), tendo o Posto de Correio funcionado no dia 5 de Outubro das 15h00 às 17h30. A Implantação da República Portuguesa foi o resultado de uma revo- lução organizada pelo Partido Republicano Português iniciada no dia 2 e vitoriosa na madrugada do dia 5 de outubro de 1910, que desti- tuiu a monarquia e implantou um regime republicano em Portugal. A subjugação do país aos interesses coloniais Britânicos, os gastos da família real, o poder da igreja, a instabilidade política e social, o sistema de alternância de dois partidos no poder (os progressistas e os regeneradores), a ditadura de João Franco, a aparente incapacidade de acompanhar a evolu- ção dos tempos e se adaptar à modernidade – tudo contribuiu para um inexorável processo de erosão da monarquia portuguesa do qual os defensores da república, particularmente do Partido Republicano, souberam tirar o melhor proveito. Por contraponto, o partido republicano apresen- tava-se como o único que tinha um programa capaz de devolver ao país o prestígio perdido e colocar Portugal na senda do progresso. Após a relutância do exército em combater os cerca de dois mil soldados e marinheiros revolto- sos entre 3 e 4 de Outubro de 1010, a República foi proclamada às 9 horas da manhã do dia seguinte da varanda dos Paços do Concelho de Lisboa. Após a revolução, um governo provisório chefiado por Teófilo de Braga dirigiu os destinos do país até à aprovação da Constituição de 1911 que deu início à Primeira República. Entre outras mudanças, com a implantação da república, foram substituídos os símbolos nacionais, o hino nacional e a bandeira. Mostra Filatélica - Implantação da República Faro
  • 8. O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 8 Decorreu em Almada de 18 a 26 de Outubro a “Mostra de Filatelia e Coleccionis- mo” da APCA – Associação de Reformados, Pensionistas e Idosos do Concelho de Almada, este ano integradas nas comemorações dos 40 Anos do 25 de Abril, organizada pela sua Secção de Filatelia e Coleccionismo. Esta manifestação de filatelia e coleccionismo teve lugar na Oficina de Cultura de Almada, um local bastantes acessível e aprazível, tendo sido visitada por inúme- ras pessoas, coleccionadores ou não, que ficaram agradadas com as colecções em exposição. Destas participações destacamos duas, não porque se diferenciassem das res- tantes pela qualidade ou por serem de mais bonitas do que as restantes, mas por serem oriundas do Algarve, são elas: “Voar pelo Mundo”, de Francisco Matoso Galveias, na Classe de Aerofilatelia e a “História dos Correios – 1520 à actualida- de” de Pinheiro da Silva, na Classe de Maximafilia. Do Catálogo da Exposição, destacamos um interessante artigo sobre o tratamen- to da correspondência no Lazareto de Porto Brandão da autoria Pedro Vaz Perei- ra. ► ◄ ► 8ª Mostra de Filatelia e Coleccionismo Almada O sobrescrito comemorativo O Postal Máximo O Cartaz da Exposição Colecções do Algarve expostas em Almada
  • 9. Bulcollect’2014 - Plovdiv (Bulgária) O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 9 Decorreu de 24 a 26 de Outubro de 2014, na cidade de Plovdiv, a segunda cidade mais importante da Bulgária e num dos pavilhões da Feira de Exposições da cidade a Exposição Búlgara- Portuguesa denominada “Bulcollect’2014” que contou com um lote de boas colecções portugue- sas: Esta exposição que foi simultaneamente comemorativa dos 25 Anos da fundação da FEPA contou com uma delegação portuguesa incluiu o comissário, Rui Alves e os jurados João Soeiro e Júlio Maia e o presidente da Federação, Pedro Vaz Pereira. A comitiva portuguesa foi recebida por diversas entidades, nomeadamente pelo Embaixador de Portugal na Bulgária e pelo Rei da Bulgária, Sua Majestade Simeon II. As colecções portuguesas, foram agraciadas com altas classificações, sendo o Grande Prémio da Exposição atribuído à colecção “Carimbos Nominativos usados no Período Adesivo” de Pedro Vaz Pereira. A participação portuguesa contava ainda, na Classe de Literatura com o Livro “Os Bombeiros na Filatelia Portuguesa”, de Francisco Matoso Galveias, mas esta participação não chegou a compe- tir, ao que nos disseram, por não haver outras participações nesta classe. A Delegação Portuguesa, por (da esquerda para a direi- ta) Rui Alves, Filipa Rocha, Ana Vaz Pereira, Pedro Vaz Pereira, Júlio Maia e João Soeiro, recebida por Sua Majestade o Rei da Bulgária, Simeon II, ao centro . (Foto retirada da “Filatelia Lusitana” Série III, Nº 28). Momentos antes da inauguração. O Posto de Correio. Projecção de imagens Coro da Associação de Reformados, Pensionistas e Idosos do Concelho de Almada Fotos gentilmente cedidas pelo filatelista Luís Fernando Santos
  • 10. O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 10 Mostra Filatélica “Maria Keil na Filatelia” Silves Decorreu, em Silves, no Museu Municipal de Arqueologia, uma Mostra Filatélica denominada “Maria Keil na Filatelia”, organizada pela AFAL e pelo Município de Silves e apoios da Federação Portuguesa de Filatelia e dos Correios de Portugal. Integrada no plano Exposicional para 2014, com um Carimbo Comemorativo. Esteve patente ao público de 31 de outubro de 2014 a 4 de janeiro de 2015, na Sala de Exposições Temporárias do Museu e contou com a visita de centenas de visitantes, na maioria estrangeiros. Na Mostra Filatélica participaram além dos expositores do Algarve com temas filatélicos de pintura e da mulher, Francisco Galveias, Maria Armanda Borralho, Carlos Alberto Macedo, Albano Parra Santos e Francisco Leal Paiva, os Correios de Portugal com utensílios postais do século XX e a AFAL com material filatélico de Silves. A inauguração decorreu com a presença da Diretora do Museu a Arquiteta Maria José Gonçalves em representa- ção do Presidente da Câmara, elementos do pelouro da Cultura do Município, elementos da comunicação social e dos Correios assim como filatelistas de todo o Algarve. Procedeu-se ao lançamento do Carimbo Comemorativo (ver pag. 29), um Postal Máximo e sobrescrito comemora- tivo. Transcrevemos parte do texto inserido no Catálogo sobre a vida e obra da pintora Maria Keil: “Maria Keil, natural de Silves, foi um dos expoentes máxi- mos do panorama artístico português dos últimos 100 anos, cujo primeiro centenário do seu nascimento se está a comemorar um pou- co por todo o país. Na sua terra natal comemora-se o Centenário da pintora com obras da autora na Exposição Itinerários Artísticos, patente na Igreja da Miseri- córdia, promovida pelo Museu da Presidência em parceria com a Câmara Munici- pal. Os Correios de Portugal incluíram, no seu Plano anual uma emissão dedicada aos Vultos da História para recordar personalidades da escrita, das artes plásti- cas e da ciência. Uma das seis personalidades inseridas na emissão foi Maria keil, com um selo de 0,50 € com a artista em primeiro plano e, em segundo pla- no, o painel de azulejos „O Mar', da Avenida Infante Santo, em Lisboa, da sua autoria. Definia-se como uma “mulher de várias artes” e notabilizou-se como pintora, desenhadora, ilustradora de livros, decoradora de interiores, designer gráfica e de mobiliário, ceramista, cenógrafa e figurinista, autora de cartões para tapeçaria, azulejaria e designer de vários selos emitidos pelos nossos Correios. Durante a sua brilhante carreira foram-lhe atribuídos inúmeros prémios e distin- ções. Em 2009 é distinguida com o Grande Prémio Aquisição pela Academia Nacional de Belas Artes. O presidente da Academia, António Valdemar, afirmou nessa altura: “Maria Keil tem um lugar muito representativo no panorama portu- guês do século XX da pintura, do desenho, da cerâmica, da ilustração e „design‟ do livro e até da filatelia”. Com efeito, a sua participação no design de selos é notável e enorme o seu con- tributo para a filatelia nacional. A nossa Associação, cujos objetivos são os de promover e divulgar a filatelia no Algarve, não podia deixar de se associar ao Maria Keil, natural de Silves na filatelia portuguesa
  • 11. O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 11 Município para colaborar nas comemorações em curso e levar a efeito uma Mostra Filatélica no Museu Municipal de Arqueologia. “ A Filatelia reaparece no Concelho de Silves com esta Mostra. Ainda está na nossa lembrança a atividade filatélica desenvolvida em Silves sobretudo na última década do século passado e prin- cípios deste, com a existência de um Núcleo Juvenil orientado pelo Professor Olímpio a quem a Filatelia do Algarve muito deve. A este Núcleo deve-se a realização de uma Nacional Juvenil, inú- meras Mostras filatélicas sobretudo juvenis e colaboração numa Philaibéria, em 1995, organizada pela AFAL. Esperemos que, com esta Mostra da Maria Keil, renasça a Filatelia nesta cidade de Silves. ◄ 1. À Entrada da Exposição 2. Um aspecto da Exposição 3. O Posto de Correio 4. A vitrina com ferramentas antigas dos Correios 5. Um aspecto da Exposição 6. Conversas entre filatelistas do Algarve O Postal Máximo O Sobrescrito
  • 12. O Catálogo da Exposição O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 12 XXIV Exposição Filatélica Nacional Viana do Castelo Viana do Castelo recebeu de 5 a 9 de Novembro de 2014 a XXIV Exposição Fila- télica Nacional a “VIANNA-2014” com a participação da Associação Italiana de História Postal. Paralelamente, numa das galerias do Pavilhão foi apresentada uma belíssima coleção de Postais Antigos do Distrito de Viana intitulada “Memórias de Viana”. A organização coube à Associação de Filatelia e Coleccio- nismo do Vale do Neiva e contou com apoios e patrocínios do Município de Viana do Castelo, Federação Portuguesa de Filatelia e CTT Correios. O certame decorreu no novo Pavilhão Multiusos, concebido pelo Arquiteto Souto Moura, que oferece as melhores condições logísticas para este tipo de eventos. Inaugurada dia 5 pelas 21,30, num horário pouco habitual, contou com a presen- ça de entidades oficiais, colecionadores e muito público. Os CTT Correios estive- ram presentes com um posto de vendas onde foi vendido o Inteiro Postal emitido para assinalar a Exposição e foram apostos os 4 carimbos comemorativos (ver página 29), diários, alusivos à Cidade com o “Coração de Viana”, ao Mar com o “Navio Museu Gil Eanes” (antigo barco hospital de apoio aos pescadores da pes- ca do bacalhau), ao Bordado com “Bordado de Viana” e ao Monte com o “Funicular de Santa Luzia”. Presentes, também, 3 stands para comerciantes, fator dinamizador e que atraiu muitos colecionadores. Participaram 96 expositores na Classe de Competição com 346 quadros e 5 na Corte de Honra com 33 quadros. O Júri foi constituído por António Borralho (Presidente), Júlio Maia, João Soeiro e António Cristóvão todos de Portugal, Mario Mentachi da Itália e Gjorn Sohrne da Suécia como jurado observador. Eduardo de Sousa foi o Coordenador da Federação Portuguesa de Filatelia. O Algarve esteve representado com as seguintes participações: na Corte de Hon- ra (Júri) “Entières Postaux Illustrés du Congo Belge”, de António Borralho; na Classe de Maximafilia “Animais em Vias de Extinção” com Prata Dourada e na
  • 13. O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 13 Classe de Literatura Filatélica “Os Bombeiros na Filatelia Portuguesa” com Prata Dourada, ambas de Francisco Oliveira Matoso Galveias; na Classe de Um Quadro “Sigmund Freud – Explorando o Inconsciente” com Prata, de Sérgio Miguel Gaspar Pedro. A participação de “O Mensageiro do Algarve”, na Classe de Literatura Filatélica (programas filatéli- cos através do formato audiovisual ou informático, incluindo páginas Web) foi retirada da competi- ção em virtude de um dos seus principais colaboradores pertencer ao Corpo de Jurados. A primeira Exposição Filatélica Nacional realizou-se em 1935 na Biblioteca Nacional, em Lisboa. Assinalamos, 79 anos depois, o alto nível atingido pelas participações expostas nesta vigésima quarta Exposição Nacional, provavelmente, o melhor de sempre. A medalha da Exposição O aspecto geral da Exposição O Corpo de Jurados: Júlio Maia, Mário Mentaschi (Itália), Vice- presidente do Júrí, António Cristóvão, António Borralho (Presidente do Júri), João Soeiro e o jurado aprendiz Bjorn Sohrn (Suécia)
  • 14. O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 14 Mostra Filatélica Edifício da Alfândega Vila Real de Santo António A Mostra Filatélica dedicada ao Edifício da Alfândega de Vila Real de Santo Antó- nio, o mais antigo edifício público da cidade. Sobre este aspecto, vale a pena aqui transcrever parte de um artigo do Catálogo da Exposição, da autoria de Francisco Matoso Galveias “ Foi assim quem a 17 de Março de 1774, O Juiz de Fora de Castro Marim lançou a primeira pedra da vila de Santo António de Areni- lha, cuja construção, junto à foz do Rio Guadiana na sua margem direita, em frente à cidade espanhola de Ayamonte, fazendo-a ornar de belos e vistosos edi- fícios em um dos mais próprios e mais engraçados de todo o Reino. Lançada que foi a primeira pedra, começaram as obras, dando-se início de ime- diato aos trabalhos do primeiro edifício da vila, a Alfândega, cuja construção era responsável o Dr. Alberto Luís Pereira”. A Mostra, que inicialmente estava prevista para o próprio edifício, que esteve em funções aduaneiras até 1992, sendo então abandonado, o que provocou uma acelerada deterioração, até que a Câmara Municipal tomou a sua posse já neste século, não estando pois em condições de receber no seu seio uma exposição, foi transferida para o átrio principal da Câmara Municipal. Estiveram em exposição onze colecções, todas dedicadas à cidade, onde o pró- prio Edifício esteve em destaque, cuja fachada, recentemente reabilitada pela Câmara, foi o tema de um selo personalizado e do próprio carimbo comemorativo da Mostra Filatélica. Esta Mostra esteve patente de 22 a 29 de Novembro de 2014 tendo sido bastante visitada. À inauguração estiveram presentes dirigentes do clube organizador, a Secção de Coleccionismo dos Bombeiros, da Câmara Municipal, representada por Dr. Bruno Inácio e dos Correios por Dra. Ana Fadista. Francisco Galveias agradeceu a disponibilidade da Câmara Municipal pela parce- ria nesta organização, lamentando o facto da Mostra não se realizar o edifício emblemático que é a Alfândega, embora compreendendo que em primeiro lugar está a segurança das pessoas e das peças expostas, já Bruno Inácio, endereçou em nome do Sr. Presidente que era uma honra e um privilégio associar-se à exposição filatélica que tem por base o edifício da Alfândega e que a Secção de Coleccionismo dos Bombeiros quis levar a efeito num dos espaços da Câmara Municipal, enquanto que a representante dos Correios disse que esta empresa estará sempre disponível para todas as manifestações que promovam a filatelia já que é uma das funções da empresa que representa. Para esta Mostra foi editado um sugestivo Sobrescrito, um Postal Ilustrado e um Catálogo, além do Selo Personalizado, como afirmamos anteriormente e com os quais foram produzidas excelentes peças filatélicas que ficarão como recordação desta manifestação filatélica. Alfândega, o primeiro Edifício publico de Vila Real de Santo António
  • 15. O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 15 Sobrescrito comemorativo da Mostra Filatélica da Alfândega, para a aposi- ção do Carimbo Comemorativo, com a assinatura dos representantes da Secção de Coleccionismo, da Câmara Municipal e dos Correios de Portugal, respectivamente Francisco Galveias, Bruno Inácio e Ana Fadista. Postal Máximo: Selo Personalizado do Edifício da Alfândega; Marca Postal comemorativa da Mostra Filatélica do Edifício da Alfândega; Postal Ilustrado editado em 2014 pela Secção de Colec- cionismo dos Bombeiros de Vila Real de Santo António representando uma aguarela da pintora Garielle (2001). 1. Francisco Galveias, por parte da organização, Bruno Inácio por parte da Câmara Municipal e Ana Fadista dos Directora de Lojas dos CTTCorreios (Algarve-Sotavento), dão as boas as vindas aos visitantes 2. Um aspecto da Exposição no dia da inauguração, Manuel Currito, Sérgio Pedro, Bárbara Galveias, Sérgio Fernandes e Sandra Santos
  • 16. Mensagem da Organização O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 16 Mostra Filatélica no Ria Schoping Olhão Visitámos Olhão no dia 30 de Novembro, dia da inauguração da Mostra Filatélica realizada no Ria Shoping daquela cidade, organizada pelos Amigos da Filatelia de Faro. Um lote agradável de colecções distribuídas por diversos painéis estra- tegicamente colocados em espaço nobre na Loja 1.11, no primeiro andar daquele centro comercial, . Estiveram expostas as seguintes colecções: História dos Faróis de José Palma; Cartões de Felicitações, Edições SAMD de João Catarino; Cartões de Boas Festas de Sérgio Pedro; Maravilhas do Mundo de José Palma; Barcos de Jorge Bomba; Maximafilia no Algarve de Sérgio Pedro; Cartões de Boas Festas, Edição SAMD de João Catarino; Por mares nunca dantes navegados de José Palma; Postais Ilustrados, Edição Dinternal de Sérgio Pedro; Gastronomia Portuguesa de Luís Brás; Aviação de António Fonseca; Natal de Ricardo Brito Sérgio Pedro, por parte da Organização agradeceu aos filatelistas que se propu- seram ali apresentar algumas das suas colecções e ao público que, no dia da inauguração quis abrilhantar o acontecimento, raramente visto em Centros Comerciais. Enalteceu a localização do espaço, um local com bastantes visitan- tes, que na azáfama das compras de Natal, ainda dispozeram de algum tempo para visitar a exposição e apreciar as colecções expostas. Seguiu-se um Porto de Honra e um agradável convívio filatélico, onde filatelistas se juntaram com alguns visitantes bastante interessados numa troca de conver- sas à volta da filatelia. 1. Um grupo de Filatelistas do Algarve 2. Um aspecto da Exposição
  • 17. O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 17 130 Anos do Nascimento do Poeta Emiliano da Costa Estói No passado dia 3 de Dezembro de 2014, realizou-se na EB 2/3 Poeta Emiliano da Costa em Estói, as comemorações alusivas aos 130 anos do nascimento do seu patrono, o poeta Emiliano da Costa. Entre muitas outras actividades houve a parceria entre a referida Escola e o Grupo Desportivo e Cultural Jograis António Aleixo, através do seu Núcleo Filatélico Infanto-Juvenil, oferecer a toda a comunidade educativa uma exposição de coleccionismo. Para além disso houve ainda um carimbo comemorativo dos CTT (ver pág. 29) para assinalar a data. A notícia foi ainda divulgada pelo blog da Biblioteca Amilcar Quaresma, que publicou também a notícia alusiva a esta actividade e que passamos a transcrever e que divulgou a actividade com algumas fotografias: “Comemorações do Dia do Patrono. As comemorações relativas aos 130 anos do nascimento do Poeta Emiliano da Costa tiveram início logo pela manhã em diversos espaços da escola. Na Biblioteca este presente uma funcionária dos CTT que atendeu alunos e professores no envio dos postais e os distinguiu com um carimbo comemorativo da efeméride. Esta actividade teve a parceria dos Jograis António Aleixo”. A actividade proposta aos alunos que visitaram o posto de correio foi enviar um postal de Natal aos seus familiares." Esta exposição contou com o Posto de Correio que funcionou no dia 3 de Dezembro das 9h30 às 12h30, na Escola EB 2/3 Poeta Emiliano da Costa e foi provida de um Carimbo Comemorativo. O sobrescrito oficial da Exposição 1. O Posto de Correio atendendo os alunos da Escola 2. A fila para o Posto de Correio
  • 18. O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 18 Congresso da Federação Portuguesa de Filatelia O Congresso da Federação Portuguesa de Filatelia – APD teve lugar no dia 6 de Dezembro, no Park Hotel em Lisboa, pelas 15 horas. A convite da Direcção da Federação a concentração dos representantes dos clu- bes e elementos dos seus vários Órgãos Sociais foi marcada para a manhã desse dia nas novas instalações da Federação situadas na Rua Cidade de Cardiff, 36 B, não muito longe das antigas instalações, a fim de as dar a conhecer e se proceder à sua inauguração oficial, seguido de um Porto de Honra. Após o almoço de confraternização deslocámo-nos para o local da realização do Congresso onde, de imediato, se procedeu ao seu início com a seguinte ordem de Trabalhos e presidido pelo Prof. António Gonçalves Borralho Apresentação do Orçamento para 2015; Plano de Acção para 2015; Marcação do local da sessão ordinária do próximo Congresso da FPF-APD. Foram credenciados 17 representantes de 21 possíveis agremiações filatélicas. O Presidente da Mesa agradeceu a presença de tão grande número de federadas no congresso do 60º aniversário, lembrando que a primeira Sede Provisória era uma dependência do Clube Filatélico de Portugal. Seguiu-se minuto de silêncio em memória dos fundadores da Federação, destacando-se entre outros os seguintes filatelistas: Dr. Carlos Trincão, Brigadeiro José Cunha Lamas, Dr. António Fragoso, Prof. Doutor António Oliveira Marques, Capitão Alexandre Guedes de Magalhães, António Correia Júnior, General Mário Nogueira e Dr. Artur Vasconcelos de Carva- lho. O Presidente da Federação lembrou ainda que os clubes signatários da fundação da FPF foram o Clube Filatélico de Portugal, o Clube Internacional de Filatelia, o Clube Filatélico de Moçambique, o Clube Filatélico da Madeira e o Núcleo Filatélico de Angra do Heroísmo. Entrou-se depois na discussão dos pontos da ordem de trabalho, sendo apreciados os primeiro e segundo pontos. Quanto ao terceiro ponto, e dado que o congresso referente à apresentação de contas é sempre em Lisboa, ficou a Federação de informar as federadas do respectivo local e data. Seguidamente o Presidente da Mesa do Congresso deu por encerrada a sessão. Findo o congresso, seguiu-se um almoço de confraternização. Dois aspecto da nova Sede da Federação Portuguesa de Filatelia Federação em instalações próprias
  • 19. O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 19 O almoço do congresso O Congresso da Federação Portuguesa de Filatelia . A Mesa e os Congressistas Comemorações dos 60 anos da Federação Portuguesa de Filatelia A Federação Portuguesa de Filatelia comemorou 60 anos. Para assinalar este efeméride, realizou- se no Restaurante A Comenda, no Centro Cultural de Belém uma cerimónia evocativa e um jantar onde estiveram presente cerca de uma centena de pessoas. Desta cerimónia, que se iniciou pelas 19 horas com um cocktail de boas vindas, onde as conversas se cruzaram entre filatelistas e convidados, serviu igualmente para criar um ambiente festivo e para um período de espera para os que o trânsito citadino reteve durante mais tempo. A sala, disposta em mesas redondas estava acolhedora, num dos recantos, onde foi servido o cock- tail estavam dispostos, sobre duas mesas os troféus, numa outra o bolo de aniversário e ainda outra com os dispositivos para o lançamento do Inteiro Postal comemorativo dos 60 anos da Federação
  • 20. O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 20 Portuguesa de Filatelia, local por onde os presentes deambulavam. Às 19H30 iniciou-se a cerimónia do lançamento do Inteiro Postal, cabendo ao Dr. Raul Moreira, Director de Filatelia dos CTT abrir as hostilidades, oferecendo ao Presidente da Direcção da Federação, Pedro Vaz Pereira, a primazia para a pri- meira obliteração do primeiro IP ao que se seguiram, por esta ordem os Presiden- tes da Mesa do Congresso, António Borralho, Presidente do Conselho Disciplinar, Jorge de Oliveira, Presidente do Conselho Fiscal, António Cavaco e finalmente o representante dos CTT, Raul Moreira. Após esta cerimónia as pessoas distribuíram-se pelas mesas iniciando-se o jantar comemorativo dos 60 anos e, porque não dizê-lo, do Dia do Selo. Terminado o jan- tar, procedeu-se ao partir do bolo sem que antes fosse cantado “os parabéns a você”, seguido do apagar das velas e do partir do bolo, a cargo dos presidentes da Direcção, da Mesa do Congresso e do Conselho Disciplinar. Finalmente procedeu-se à distribuição dos “Prémios Anuais de Literatura”, refe- rentes ao ano de 2013 que foram os seguintes: Prémio “O Philatelista – Melhor Periódico” – Exéquo para os periódicos “O Men- sageiro do Algarve “ e “Voz Filatélica do Sul do Tejo”, prémios entregues respecti- vamente aos representante da AFAL-Associação Filatélica Alentejo-Algarve, Sec- ção Filatélica do Lions Clube de Portimão e Secção de Coleccionismo da Associa- ção Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Real de Santo António, ao pri- meiro dos periódicos e Associação de Filatelia e Coleccionismo Sul do Tejo para o segundo; Prémio “Godofredo Ferreira – O melhor Livro” – exécuo para o livro “Os Bombei- ros na Filatelia Portuguesa” de Francisco de Oliveira Matoso Galveias e o livro “Carimbos Comemorativos de Coimbra” de António Bracons e José Cura; Prémio “A Guedes de Magalhães – Melhor Autor” – para Eduardo José Oliveira Sousa pela sua contribuição em artigos publicados em diversas revistas; Prémio “Aníbal Queiroga – Melhor Website e Blog de Filatelia“ para o “Melhor Website” o (www.filaneiva.com) pertencente à Associação Filatélica e Coleccionis- mo do Vale do Neiva e para “Melhor Blog” o (http:/sfaac-filatelia.blogspot.com/) pertencente à Secção Filatélica da Associação Académica de Coimbra. “O Mensageiro do Algarve” o melhor periódico
  • 21. O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 21 Finalmente o prémio “Juvenil de Literatura Filatélica” para Débora Ramos Pereira com um artigo publicado no nº 9 da Revista “Vale do Neiva Filatélico”. Entregues que foram os prémios da literatura, procedeu-se à distinção de diversos filatelistas, a saber: Com a Medalha de Serviços Inestimáveis, prémio que é outorgado a pessoas que durante vários anos têm prestado um serviço activo e contínuo à Filatelia de Portugal, trazendo para o país um maior prestígio, foram distinguidos 9 filatelistas, um dos quais do Algarve, António Manuel Pimentel Perestrelo Cavaco Com a Ordem de Mérito Filatélico, prémio que é outorgado a pessoas ou entidades que prestam relevantes serviços à filatelia portuguesa, foram distinguidos os CTT – Correios de Portugal e 9 fila- telistas, um dos quais do Algarve, Francisco de Oliveira Matoso Galveias. Se a noite já estava bonita, ficou mais reluzente ficou com mais as sessenta velas que brilharam em homenagem à Federação Portuguesa de Filatelia – APD.
  • 22. O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 22
  • 23. O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 23 1. Convívio antes do início das comemorações. 2. Dr. Raul Moreira, Director de Filatelia dos CTT a preparar o Lançamento do Inteiro Postal. 3. Dr. Raul Moreira no uso da palavra na cerimónia do Lançamento do Inteiro Postal. 4. Pedro Vaz Pereira, Presidente da Direcção da FPF a obliterar o Inteiro Postal. 5. António Gonçalves Borralho, Presidente da Mesa do Congresso da FPF a obliterar o IP. 6. Pedro Vaz Pereira e António Gonçalves Borralho a rubricarem o IP. 7. Raul Moreira, Pedro Vaz Pereira, António Gonçalves Borralho, Jorge Oliveira, Presidente do Conselho de Disciplina da FPF e António Cavaco, Presidente do Conselho Fiscal, exibindo os Inteiros Postais, durante o seu lançamento. 8. Exposição dos Prémios a atribuir. 9. Bolo de Aniversário . 10. Aspecto de uma das mesas do Jantar Comemorativo dos 60 Anos da FPF. 11. Cerimónia do partir do Bolo de Aniversário. 12. Francisco Galveias, António Borralho e António Cavaco a receber o Prémio Philatelista - Melhor Periódico, atribuído a “O Mensageiro do Algarve. 13. Francisco Galveias a receber o Prémio Godofredo Ferreira - Melhor Livro atribuído à sua obra “Os Bombeiros na Filatelia Portuguesa” (ao lado o prémio recebido). 14. António Cavaco a receber a Medalha de Serviços Inestimáveis que lhe foi atribuída pelo Servi- ço activo e contínuo à Filatelia de Portugal. 15. Raul Moreira a receber a Medalha de Serviços Inestimáveis pelo Serviço que foi atribuída aos CTT Correios de Portugal, S.S. pelo activo e contínuo à Filatelia de Portugal. 16. Francisco Galveias a receber a Medalha de Serviços Inestimáveis que lhe foi atribuída pelo serviço activo e contínuo à Filatelia de Portugal (ao lado o prémio recebido).
  • 24. O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 24 Actividades previstas para 2015 (1º Trimestre) 125 Anos do Corpo de Bombeiros de Vila Real de Santo António Vai realizar-se 12 a 22 de Janeiro em Vila Real de Santo Antó- nio, no Quartel de Bombeiros uma Mostra de Filatelia e Colec- cionismo, comemorativa dos 125 Anos do Corpo de Bombeiros naquela cidade. Do programa oficial consta: Dia 12 às 18H00 – Início das festividades: Inauguração da Exposição Filatélica e de Coleccionismo no Pavilhão do Quartel; Dia 13 das 10H00 às 17H00 – Quartel Aberto: Exposição e Demonstração de Meios Exposição de Coleccionismo Dia 15 – Dia de Aniversário 09H00 – Içar das bandeiras; 09H15 – Deposição de flores no monumento alusivo ao Bombeiro 12H00 – Toque de sirene de saudação à cidade 18H00 – Lançamento de um Inteiro Postal dos CTT comemorativo dos 125 Anos 19H00 – Porto de Honra 19H30 – Desfile Motorizado .Dia 17 – Sessão solene Recepção às entidades convidadas Sessão Solene Momento de convívio com animação musical Vai realizar-se de 3 a 28 de Fevereiro na Galeria Municipal de São Brás de Alportel uma exposição de Filatelia e Cartofilia, comemorativa 100 Anos daquela vila, para o qual serão convidados alguns filatelistas da terra que em tempos fizeram parte de um Clube filatélico que existiu naquela localidade. Contam, também, com o apoio de filatelistas de Faro. Está previsto, para o dia da inauguração um Posto de Correio com Carimbo Comemorativo e a emissão de um Selo Personalizado 100 Anos do Concelho de São Brás de Alportel O Corpo de Bombeiros de Vila Real de Santo António faz 125 anos
  • 25. O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 25 Para o dia 19, pelas 17 horas está prevista uma conferência intitulada “A Filatelia do Algarve, Pas- sado, Presente e Futuro”, para o qual foram convidados para apresentar trabalhos os seguintes filatelistas; António Borralho, Sérgio Pedro e Vitor Lourenço Mostra Filatélica do Núcleo Juvenil Núcleo Filatélico do Agrupamento de Escolas Silves Sul de Armação de Pêra “O Bichinho do Selo” vai levar a efeito uma Mostra Filatélica, no Clube Armace- lence (ao lado da Estação dos CTT), dedicada aos 35 Anos do Agrupamento 598 do Corpo Nacional de Escutas, sediado naquela localidade. Esta Mostra Filatélica está integrada no Plano Exposicional para 2015, e efectuar-se-á no próximo dia 29 de Março e contará com um Carimbo Comemorativo e um selo personalizado. Congresso da Federação Portuguesa de Filatelia - APD Lisboa Em Março, em data e local a determinar, realizar-se-á em Lisboa o Congresso da Federação Portu- guesa de Filatelia - APD para Apreciação do Parecer do Conselho Fiscal sobre Relatório de Activi- dades, as Contas e o Balanço, elaborados pela Direcção e respeitante ao ano de 2014. Igualmente serão apreciados outros documentos pelos restantes Órgãos da Federação. (2º e 3º Trimestres) O Fórum dos Numismatas, comunidade online dedicada ao estudo da Numismática, vai reali- zar nos dias 1, 2 e 3 de Maio, um conjunto de iniciativas no âmbito do seu 7º aniversá- rio. No dia 1 de Maio a partir das 16h30, realiza-se no Auditório do Centro Autárquico de Quartei- ra, um Seminário sobre a Numismática algar- via. O evento, com apoio da Câmara Municipal de Loulé, conta com os oradores: António Miguel Trigueiros, Dália Paulo, Directora da Divisão de Cul- tura e Património da Câmara de Loulé, José Ruivo e Rui Santos. No dia 2 de Maio, realiza-se o almoço de aniversário, no Restaurante Zé do Norte, onde se espera a presença de mais de 80 numismatas de todo o país. 7º Aniversário de Numismatas Quarteira
  • 26. O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 26 III Encontro Internacional de Coleccionismo Vila Real de Santo António Mais uma vez a Secção de Coleccionismo dos Bombeiros Voluntários de Vila Real de Santo António vão realizar o Encontro Internacional de Coleccionismo, que se realizará no dia 6 de Junho. Este encontro, que de ano para ano tem vindo a impor -se a nível nacional, trazendo até ao Algarve coleccionados não só portugueses, desde o Minho ao Algarve, mas também do estrangeiro, de Espanha e de Itália. Este Encontro terá lugar no Centro Cultural da cidade. Paralelamente, nos dias 6 e 7, na Praça Marquês de Pombal, a sala de visitas da cidade, irá realizar-se a 3ª Feira de Floricultura e Artesanato, também numa orga- nização da Secção de Coleccionismo. Algarpex 2015 - Exposição Filatélica do Algarve Castro Marim Mostra Filatélica dedicada à Mulher Portimão A Secção Filatélica do Lions Clube de Portimão vai levar a efeito no próximo mês de Maio, em data a determinar, dedicada à mãe, Mostra esta integrada no Plano Exposicional da Federação Portuguesa de Filatelia, com Carimbo Comemorativo. A VI ALGARPEX – Exposição Filatélica do Algarve, irá ter lugar na vila de Castro Marim de 3 a 12 de Julho de 2015, na Casa do Sal. A organização do evento, que é rotativa entre os agrupamentos filatélicos do Algarve, caberá esta à Secção de Coleccionismo da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Real de Santo António, sendo o tema desta exposição o sal e o turismo naquela vila. Esta é a segunda vez que a Secção de Coleccionismo dos Bombeiros está a orga- nizar esta exposição, pelo que encetou contactos com a Câmara de Castro Marim, para aí ter lugar o certame, tendo sido bem aceite por parte da vereação daquele Município. Será também a segunda vez que ali organizamos um evento filatélico, ficando na altura, uma vontade de ali organizarmos uma exposição de maior Algarpex de 2015 é em Castro Marim Estará também presente, Vítor Aleixo, Presidente da Câmara Municipal, a verea- dora Ana Machado e José Ruivo, doutorado em Arqueologia e responsável pelos Serviços Técnicos de Arqueologia do Museu de Conimbriga. No decurso do evento irão realizar-se diversas actividades ligadas ao coleccionis- mo, venda e sorteio de moedas, notas e livros temáticos e ainda a eleição do foris- ta do ano que será galardoado com o prémio Flor-de-Cunho. A terminar o dia, será ainda apresentada a medalha do evento, dedicada à cidade anfitriã do encontro. Ainda no mesmo dia, estarão patentes duas mostras expositivas. A primeira sob o tema Expansão Marítima Portuguesa através da Moeda e uma outra, em homena- gem ao escultor Espiga, composta por moedas e medalhas de autoria do consa- grado artista.
  • 27. O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 27 À Margem O que dizem do nós João Violante joao.ms.violante@xxxx Prezado Matoso Galveias Acabo de receber o nº 7 de "O Mensageiro do Algarve", que tive então a oportunidade de ler. Agradeço-lhe, não só, o seu envio, como aproveito a oportunidade para o felicitar, a si e a toda restante equipa responsável pela publicação, pela magnífico trabalho desenvolvido nessa obra. Aguardo, sempre com expectativa, a saída de novos números na certeza de, neles, encontrar sem- pre material de interesse filatélico, que muito me apraz ler. Com as minhas saudações filatélicas João Violante Luis Frazão luisvbp.frazao@xxxx Seg, 2 Mar 2015 (19:08:51 WET) Caro amigo Li com todo o interesse o seu artigo sobre o correio fluvial do Guadiana. Os meus parabéns pelo escrito e sobretudo pelo seu conteúdo interessante para a história postal do Algarve. Um abraço e muito obrigado Luis Frazão envergadura. Esperamos pois que Julho, além de tempo de férias seja também tempo de filatelia. Em breve irá ser feita a distribuição do regula- mento pelos filatelistas nascidos ou morado- res no Algarve. O quadro que apresentamos, pintado por Hélène Beauvoir pintora francesa, irmã da famosa escritora Simone de Beauvoir, repre- senta a faina da produção e transporte do sal nas salinas de Castro Marim.
  • 28. O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 28 Fernando Teixeira Xavier Martins fer.martins@xxxx 27 FEV 2015 (11:00). Bom dia Gostei do vosso boletim, está interessante, muita carolice, agradeço o seu envio, mas vocês esqueceram-se nas comemorações dos 150 Anos da Palavra Filatelia, de referenciarem a marca comemorativa do Troféu Dias Ferreira, que julgo ser uma marca comemorativa, uma referencia da Filatelia Nacional, alem de que jul- go também ser uma falta de consideração pelos sócios da AFAL, que também são sócios do Clube Filatélico de Portugal, quer dizer o 25 de Abril já foi e já lá vão 40 anos. Bom trabalho e muito espírito de iniciativa/carolice e solidariedade junto da vos- sa Juventude Algarvia. Sempre ao v/dispor Um Abç Sobre este reparo foi respondido pelo Corpo redactorial: Agradecemos a sua mensagem e esclarecemos o seguinte: Não nos esquecemos da marca postal relacionada com o Troféu do Comendador Dias Ferreira, que nos merece a nossa melhor consideração. Simplesmente, como deve ter reparado:  O n.º 7 do Mensageiro saiu com atraso, e é referente ao 3.º Trimestre de 2014 (Julho, Agosto e Setembro). No nosso Editorial a isso nos referimos;  O Mensageiro é uma publicação de carácter regional e, por isso, damos notí- cias desta província;  Referenciamos a participação de coleccionadores desta província em qual- quer manifestação filatélica nacional ou internacional;  Publicamos notícias relacionadas com eventos relacionados, de algum modo, com o Algarve;  Publicamos artigos relacionados com a filatelia do Algarve, cujos autores sejam ou não naturais ou residentes daqui;  Publicamos artigos sobre Filatelia, em geral, que consideremos de interesse para o coleccionador e que sirvam para o enriquecimento dos seus conheci- mentos nas áreas a que se dedicam;  Referenciamos todo o material filatélico emitido pelos Correios de Portugal (selos, blocos inteiros postais, carimbos etc.), no trimestre e só do trimestre da publicação (O carimbo Dias Ferreira é de Outubro);  Afastamos, por completo, o envolvimento da nossa publicação em qualquer espécie de sectarismo político. Assim, a referência à marca postal será feita no n.º 8 da nossa publicação a sair ainda este mês. Colocamos à disposição do prezado amigo Fernando Martins, que já tem participa- do em eventos no Algarve, as páginas do Mensageiro para publicação de artigos da sua especialidade filatélica e que estejam relacionados com o Algarve. Seria um prazer para nós e uma mais-valia para a Filatelia não só regional mas também nacional. Fomos informados que o Comendador Dias Ferreira teria nascido no Algarve. Agradecíamos essa confirmação e, em caso afirmativo, colocamos também as páginas do Mensageiro à disposição de alguém, em nome individual ou em nome do Clube para nos enviarem uma notícia sobre a vida e obra, em prol da Filatelia, de tão ilustre personagem. Sempre ao dispor, enviamos as nossas melhores. Saudações Filatélicas, Pel' O Mensageiro Filatélico (António Borralho) Os produtos filatélicos
  • 29. O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 29 Produtos Filatélicos Marcofilia Comemorativa de Portugal - 4º Trimestre
  • 30. O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 30  2014.Outubro – Santos e Beatos de Portugal Data de Edição: Outubro de 2014 Autor: Paulo Mendes Pinto Tiragem: 3.700 exemplares Preço: 36,00  Instituto Geofísico da Universidade de Coimbra – 150 Anos Data de Emissão: 2014.10.03 Selos: O,42€; 0,52€; 0,72; €0,80€ Bloco: 1 Selo de 2,80€ Carimbos de 1º Dia: Lisboa, Porto, Funchal, Ponta Delgada e Coimbra Produtos Filatélicos colocados em circulação pelos CTT no Portugal em Selos. Todas as emissões de 2014 num livro Marcofilia no Algarve (4º trimestre) Faro, 2014.10.05 – Mostra Filatélica – Implantação da República Silves, 2014.10.31 – Mostra Filatélica – 1º Cent. Pintora Maria Keil V. R. Sto. António, 2014.11.22 – Mostra Filatélica – Alfândega Estói, 2014.12.03 – 130 anos do nascimento do poeta Emiliano da Costa – Amiguinhos dos Selos
  • 31. O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 31  Tapeçarias de Portalegre Data de Emissão: 2014.10.09 Selos: 0,42€ (Cruzeiro Seixas); 0,42€ (Eduardo Nery), 0,50€ (Vieira da Silva); 0,62€ (Júlio Pomar); 0,72 (Almada Negreiros); €0,80€ (Joana de Vasconcelos) Bloco: 1 Selo de 1,70€ (António Charrua) Carimbos de 1º Dia: Lisboa, Porto, Funchal, Ponta Delgada e Portalegre  Novembro – Portugal em Selos 2014 Data de Edição: Novembro de 2014 Autor: Jorge M. Martins Tiragem: 8.000 exemplares Preço: 99,28€  Inteiro Postal, Navio Gil Eanes Data de Emissão: 2014.11.05 Taxa Paga (Válido para Portugal) – N20g – 1º Escalão Nacional  Inteiro Postal, Igreja Santuário do Santo Cristo do Outeiro Data de Emissão: 2014.11.08 Taxa Paga (Válido para Portugal) – N20g –1º Escalão Nacional  Inteiro Postal, 40 Anos da Associação de Deficientes das Forças Arma- das Data de Emissão: 2014.11.23 Taxa Paga (Válido para Portugal) – N20g – 1º Escalão Nacional  2014.12.06 – Inteiro Postal, 60 Anos de Federação Portuguesa de Filate- lia Data de Emissão: 2014.12.06 Taxa Paga (Válido para Portugal) – N20g – 1º Escalão Nacional  2014.12.09 – Inteiro Postal, 25 Anos da Fundação Serralves Data de Emissão: 2014.12.09 Taxa Paga (Válido para Todo o Mundo) – I20g – 1º Escalão Internacional
  • 32. O M E N S A G E I R O D O A L G A R V E Página 32 Endereços das Agremiações: AFAL - Associação Filatélica Alentejo Algarve Avenida 25 de Abril, Bloco 2, r/c 8500-610 Portimão Núcleo Filatélico Juvenil de Armação de Pêra Sítio da Torre, Armação de Pêra, 8365-184 Silves Núcleo Juvenil de Filatelia e Coleccionismo de Lagoa Biblioteca Municipal de Lagoa Largo dos Combates da Grande Guerra 8400-338 LAGOA Secção Filatélica do Lions Clube de Portimão Auditório Municipal Rua Miguel Bombarda 8500-299 Portimão Secção de Coleccionismo da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Real de Santo António Rua Francisco Sá Carneiro S/N 8900-307 Vila Real de Santo António Colaboraram neste número: Américo Rebelo António Borralho Francisco Galveias Paulo Silva Sérgio Pedro Paginação e Montagem: Francisco Galveias Os artigos publicados são da inteira responsabilidade dos seus autores Contacte-nos para Email: omensageirodoalgarve@gmail.com Se tens conhecimento de eventos ligados ao coleccionismo que ocorram no Algarve não hesites em informar-nos, ou escreve uma notícia e envia-a para nós a publicarmos nas páginas desta revista Se és possuidor de alguma curiosidade sobre uma peça de coleccionismo e que de alguma forma a ligue ao Algarve, escreve-nos um texto que nós publicamos nas pági- nas desta revista Se tens conhecimento que no lugar onde vives houve no passado alguma exposição de filatelia e dela tens algum documento, faz uma notícia sobre esse evento para ser publi- cada nas páginas desta revista, enviando-nos igualmente imagens se possível Enfim, colabora connosco