SlideShare uma empresa Scribd logo
NOTIFICAÇÃO DE DOENÇAS INFECTOCONTAGIOSAS
Serviço de Controle de
Infecção Hospitalar
Contato: (31) 3330-3177 (31) 3330-3283
10º ANDAR – SALA 1005
CONCEITO
É obrigatória a notificação de doenças, agravos e eventos
de saúde pública constantes da Portaria nº 104, de 25 de
janeiro de 2011, do Ministério da Saúde.
NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA: comunicação da
ocorrência de casos individuais, agregados de casos ou
surtos, suspeitos ou confirmados, da lista de agravos, que
deve ser feita às autoridades sanitárias por profissionais de
saúde ou qualquer cidadão, visando à adoção das medidas
de controle pertinentes.
DEVER
A notificação é obrigatória a todos os profissionais de
saúde: médicos, enfermeiros, médicos veterinários,
biólogos, biomédicos, farmacêuticos e outros no
exercício da profissão, bem como os responsáveis por
organizações e estabelecimentos públicos e
particulares de saúde e de ensino.
O QUE NOTIFICAR?
COMO NOTIFICAR DOENÇAS E AGRAVOS DE
NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA NO HOSPITAL SOCOR
1. Acesse a Intranet;
2. Na página inicial, no lado
ASSISTENCIAL à direita da tela,
3. Procure por "Fichas de
Notificação".
CASO SUSPEITO OU CONFIRMADO DE
DOENÇAS INFECTOCONTAGIOSAS
PRENCHER DUAS VIAS. 01 ORIGINAL PARA O SCIH, 01 CÓPIA
PARA O PRONTUÁRIO DO PACIENTE. QUANDO NECESSÁRIO
PREENCHER UMA TERCEIRA VIA PARA A FARMÁCIA.
ENTREGAR A FICHA DE NOTIFICAÇÃO AO SCIH
IMEDIATAMENTE APÓS O PREENCHIMENTO DA MESMA.
O PROFISSIONAL DE SAÚDE DO SETOR EM QUE O PACIENTE FOI
ATENDIDO DEVE FAZER A NOTIFICAÇÃO, UTILIZANDO A FICHA DO
SINAN (SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO),
CORRESPONDENTE A DOENÇA. ESTA FICHA ENCONTRA-SE
DISPONÍVEL NA INTRANET.
A FICHA ORIGINAL SERÁ ENVIADA PARA VIGILÂNCIA
EPIDEMIOLÓGICA NOROESTE.
 AIDS;
 Sífilis;
 Atendimento Anti-Rábico;
 Botulismo;
 Cólera;
 Coqueluche;
 Tuberculose;
 Varicela;
 Difteria;
 Doença de Chagas Aguda;
 Doenças Exantemáticas-
Sarampo/Rubéola;
 Epizootia;
 Esquitossomose;
 Febre Amarela;
 Febre Maculosa;
 Febre por Virus do Nilo Ocidental;
 Febre Tifóide;
 Hantavirose;
 Hepatites Virais;
 Intoxicação Exógena;
 Leishmaniose Visceral;
 Leptospirose;
 Malária;
 Meningite;
 Paralisia Flácida Aguda / Poliomielite;
 Peste;
 Rotavírus;
 Síndrome Respiratória Aguda Grave;
 Tétano.
DOENÇAS INFECTOCONTAGIOSAS NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA
 ACIDENTE DE TRABALHO COM EXPOSIÇÃO À MATERIAL BIOLÓGICO
 ACIDENTE DE TRABALHO GRAVE
 ATENDIMENTO ANTI-RÁBICO HUMANO
 DOENÇA RELACIONADA AO TRABALHO:
 CÂNCER RELACIONADO AO TRABALHO
 DERMATOSES OCUPACIONAIS
 LER/DORT
 PAIR
 VIOLÊNCIA DOMÉSTICA, SEXUAL E/OU OUTRAS VIOLÊNCIAS
AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA
PREENCHIMENTO DA FICHA DE NOTIFICAÇÃO
PRIMEIROS SINTOMAS E EXAMES
REALIZADOS
FICHA MAIS
COMPLETA POSSÍVEL
IMPORTANTE
• Doenças e agravos devem ser notificados à Secretaria Municipal de saúde em
no máximo 24horas.
• As notificações imediatas podem ser feitas a Vigilância Epidemiológica dos
Distritos Sanitários em horário comercial durante a semana e nos finais de
semana e feriados e a partir de 18 horas ao Plantão da Epidemiologia.
• A ocorrência de casos novos de uma doença/agravo passível de prevenção e
controle pelos serviços de saúde, indica que a população está sob risco e
pode representar ameaças à saúde e precisam ser detectadas e controladas
ainda em seus estágios iniciais.
TELEFONES DA VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DA
SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE BH
VIGILÂNCIA SEMPRE
• Alteração no padrão epidemiológico de doença conhecida.
• Doença de origem desconhecida.
FLUXOGRAMAS
IMPORTANTES NO
HOSPITAL SOCOR
FLUXOGRAMA DE
NOTIFICAÇÃO PARA CASOS
SUSPEITOS/CONFIRMADOS
DE H1N1
PROTOCOLO DE FEBRES HEMORRÁGICA
DOENÇAS:
Febre Amarela Febre Maculosa Hantavirose
Hepatites Dengue Leptospirose
Ficha mais completa possível + Relatório médico com primeiros sintomas + Médico
precisa assinar e carimbar a notificação e escrever na ficha (Percorrer protocolo de
febre hemorrágica) + coleta de material para enviar para FUNED.
As febres hemorrágicas englobam síndromes que variam da doença
hemorrágica febril, com fragilidade capilar, ao choque grave agudo.
FLUXOGRAMA PARA
SOLICITAÇÃO DE
IMUNOBIOLÓGICOS
ESPECIAIS
FLUXOGRAMA PARA ATENDIMENTO DE PACIENTES TRANSFERIDOS DE
OUTRAS INSTITUIÇÃO
NOTIFICAÇÃO DE DOENÇAS INFECTOCONTAGIOSAS
NOTIFICAÇÃO DE DOENÇAS INFECTOCONTAGIOSAS

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a NOTIFICAÇÃO DE DOENÇAS INFECTOCONTAGIOSAS

DOENÇAS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIAEPIEDMIOLOGIA SUS.pdf
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIAEPIEDMIOLOGIA SUS.pdfDOENÇAS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIAEPIEDMIOLOGIA SUS.pdf
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIAEPIEDMIOLOGIA SUS.pdf
MarianaSavyasp
 
Vigilância em Saúde.pdf
Vigilância em Saúde.pdfVigilância em Saúde.pdf
Vigilância em Saúde.pdf
MichelMarcossiCintra
 
Palestra meningite atualizada 07.08.2012
Palestra meningite atualizada 07.08.2012Palestra meningite atualizada 07.08.2012
Palestra meningite atualizada 07.08.2012
Hosana maniero
 
Acidente com material perfurocortante [modo de compatibilidade]
Acidente com material perfurocortante [modo de compatibilidade]Acidente com material perfurocortante [modo de compatibilidade]
Acidente com material perfurocortante [modo de compatibilidade]
Cosmo Palasio
 
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIA
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIADOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIA
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIA
Ana Carolina Costa
 
INFECÇÃO COMPARTILHAR.pptx
INFECÇÃO COMPARTILHAR.pptxINFECÇÃO COMPARTILHAR.pptx
INFECÇÃO COMPARTILHAR.pptx
FabianoDoVale
 
doenças ocupacionais na saúde para profissionais de enfermagem
doenças ocupacionais na saúde para profissionais de enfermagemdoenças ocupacionais na saúde para profissionais de enfermagem
doenças ocupacionais na saúde para profissionais de enfermagem
janenfa95
 
aula de VE.pdf
aula de VE.pdfaula de VE.pdf
aula de VE.pdf
LIANEDEMUNER1
 
Risco+biologico+hc[1]
Risco+biologico+hc[1]Risco+biologico+hc[1]
Risco+biologico+hc[1]
itsufpr
 
Meningite viral
Meningite viral Meningite viral
Meningite viral
Natália Lima
 
vigilancierrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrawdfwdqs ep.pptx
vigilancierrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrawdfwdqs ep.pptxvigilancierrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrawdfwdqs ep.pptx
vigilancierrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrawdfwdqs ep.pptx
CintiaGiselle
 
Aula Vig Epidemiologica Res Med
Aula Vig Epidemiologica Res MedAula Vig Epidemiologica Res Med
Aula Vig Epidemiologica Res Med
Sandra Flôr
 
Iras12 pub geral
Iras12 pub geralIras12 pub geral
Iras12 pub geral
adriana pinheiro
 
AULA - VIGILÂNCIA EM SAÚDE.pptx
AULA - VIGILÂNCIA EM SAÚDE.pptxAULA - VIGILÂNCIA EM SAÚDE.pptx
AULA - VIGILÂNCIA EM SAÚDE.pptx
Antonio Elielton
 
 As vacinas pertencem a um dos grupos de produtos biológicos com excelente p...
	As vacinas pertencem a um dos grupos de produtos biológicos com excelente p...	As vacinas pertencem a um dos grupos de produtos biológicos com excelente p...
 As vacinas pertencem a um dos grupos de produtos biológicos com excelente p...
SileneMaria2
 
Infecção Hospitalar
Infecção HospitalarInfecção Hospitalar
Infecção Hospitalar
Naiara Wonghon
 
Introduçao o controle das infecções relacionadas a assitência à saúde
Introduçao o controle das infecções relacionadas a assitência à saúdeIntroduçao o controle das infecções relacionadas a assitência à saúde
Introduçao o controle das infecções relacionadas a assitência à saúde
Mônica Santos Braga
 
Biossegurança (2)
Biossegurança (2)Biossegurança (2)
Biossegurança (2)
Marcilene Onorio
 
conhecendomedicoveterinario.ppt
conhecendomedicoveterinario.pptconhecendomedicoveterinario.ppt
conhecendomedicoveterinario.ppt
vanessaprofeta
 
Programa de Educação em Saúde
Programa de Educação em SaúdePrograma de Educação em Saúde
Programa de Educação em Saúde
nuiashrl
 

Semelhante a NOTIFICAÇÃO DE DOENÇAS INFECTOCONTAGIOSAS (20)

DOENÇAS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIAEPIEDMIOLOGIA SUS.pdf
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIAEPIEDMIOLOGIA SUS.pdfDOENÇAS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIAEPIEDMIOLOGIA SUS.pdf
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIAEPIEDMIOLOGIA SUS.pdf
 
Vigilância em Saúde.pdf
Vigilância em Saúde.pdfVigilância em Saúde.pdf
Vigilância em Saúde.pdf
 
Palestra meningite atualizada 07.08.2012
Palestra meningite atualizada 07.08.2012Palestra meningite atualizada 07.08.2012
Palestra meningite atualizada 07.08.2012
 
Acidente com material perfurocortante [modo de compatibilidade]
Acidente com material perfurocortante [modo de compatibilidade]Acidente com material perfurocortante [modo de compatibilidade]
Acidente com material perfurocortante [modo de compatibilidade]
 
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIA
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIADOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIA
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIA
 
INFECÇÃO COMPARTILHAR.pptx
INFECÇÃO COMPARTILHAR.pptxINFECÇÃO COMPARTILHAR.pptx
INFECÇÃO COMPARTILHAR.pptx
 
doenças ocupacionais na saúde para profissionais de enfermagem
doenças ocupacionais na saúde para profissionais de enfermagemdoenças ocupacionais na saúde para profissionais de enfermagem
doenças ocupacionais na saúde para profissionais de enfermagem
 
aula de VE.pdf
aula de VE.pdfaula de VE.pdf
aula de VE.pdf
 
Risco+biologico+hc[1]
Risco+biologico+hc[1]Risco+biologico+hc[1]
Risco+biologico+hc[1]
 
Meningite viral
Meningite viral Meningite viral
Meningite viral
 
vigilancierrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrawdfwdqs ep.pptx
vigilancierrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrawdfwdqs ep.pptxvigilancierrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrawdfwdqs ep.pptx
vigilancierrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrawdfwdqs ep.pptx
 
Aula Vig Epidemiologica Res Med
Aula Vig Epidemiologica Res MedAula Vig Epidemiologica Res Med
Aula Vig Epidemiologica Res Med
 
Iras12 pub geral
Iras12 pub geralIras12 pub geral
Iras12 pub geral
 
AULA - VIGILÂNCIA EM SAÚDE.pptx
AULA - VIGILÂNCIA EM SAÚDE.pptxAULA - VIGILÂNCIA EM SAÚDE.pptx
AULA - VIGILÂNCIA EM SAÚDE.pptx
 
 As vacinas pertencem a um dos grupos de produtos biológicos com excelente p...
	As vacinas pertencem a um dos grupos de produtos biológicos com excelente p...	As vacinas pertencem a um dos grupos de produtos biológicos com excelente p...
 As vacinas pertencem a um dos grupos de produtos biológicos com excelente p...
 
Infecção Hospitalar
Infecção HospitalarInfecção Hospitalar
Infecção Hospitalar
 
Introduçao o controle das infecções relacionadas a assitência à saúde
Introduçao o controle das infecções relacionadas a assitência à saúdeIntroduçao o controle das infecções relacionadas a assitência à saúde
Introduçao o controle das infecções relacionadas a assitência à saúde
 
Biossegurança (2)
Biossegurança (2)Biossegurança (2)
Biossegurança (2)
 
conhecendomedicoveterinario.ppt
conhecendomedicoveterinario.pptconhecendomedicoveterinario.ppt
conhecendomedicoveterinario.ppt
 
Programa de Educação em Saúde
Programa de Educação em SaúdePrograma de Educação em Saúde
Programa de Educação em Saúde
 

Último

Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...
Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...
Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...
Fabiano Pessanha
 
1-A Organização do Sistema de Saúde e a Atenção Primária à Saúde (APS) no Bra...
1-A Organização do Sistema de Saúde e a Atenção Primária à Saúde (APS) no Bra...1-A Organização do Sistema de Saúde e a Atenção Primária à Saúde (APS) no Bra...
1-A Organização do Sistema de Saúde e a Atenção Primária à Saúde (APS) no Bra...
LuFelype
 
introdução a psicologia voltada a ASB.pptx
introdução a psicologia  voltada a ASB.pptxintrodução a psicologia  voltada a ASB.pptx
introdução a psicologia voltada a ASB.pptx
profafernandacesa
 
Prevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasiva
Prevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasivaPrevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasiva
Prevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasiva
ClarissaNiederuaer
 
Guia completo para secar de maneira saudável
Guia completo para secar de maneira saudávelGuia completo para secar de maneira saudável
Guia completo para secar de maneira saudável
barbosakennedy04
 
mapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdf
mapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdfmapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdf
mapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdf
AdrianoPompiroCarval
 
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptxA-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
walterjose20
 

Último (7)

Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...
Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...
Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...
 
1-A Organização do Sistema de Saúde e a Atenção Primária à Saúde (APS) no Bra...
1-A Organização do Sistema de Saúde e a Atenção Primária à Saúde (APS) no Bra...1-A Organização do Sistema de Saúde e a Atenção Primária à Saúde (APS) no Bra...
1-A Organização do Sistema de Saúde e a Atenção Primária à Saúde (APS) no Bra...
 
introdução a psicologia voltada a ASB.pptx
introdução a psicologia  voltada a ASB.pptxintrodução a psicologia  voltada a ASB.pptx
introdução a psicologia voltada a ASB.pptx
 
Prevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasiva
Prevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasivaPrevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasiva
Prevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasiva
 
Guia completo para secar de maneira saudável
Guia completo para secar de maneira saudávelGuia completo para secar de maneira saudável
Guia completo para secar de maneira saudável
 
mapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdf
mapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdfmapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdf
mapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdf
 
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptxA-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
 

NOTIFICAÇÃO DE DOENÇAS INFECTOCONTAGIOSAS

  • 1. NOTIFICAÇÃO DE DOENÇAS INFECTOCONTAGIOSAS
  • 2. Serviço de Controle de Infecção Hospitalar Contato: (31) 3330-3177 (31) 3330-3283 10º ANDAR – SALA 1005
  • 3. CONCEITO É obrigatória a notificação de doenças, agravos e eventos de saúde pública constantes da Portaria nº 104, de 25 de janeiro de 2011, do Ministério da Saúde. NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA: comunicação da ocorrência de casos individuais, agregados de casos ou surtos, suspeitos ou confirmados, da lista de agravos, que deve ser feita às autoridades sanitárias por profissionais de saúde ou qualquer cidadão, visando à adoção das medidas de controle pertinentes.
  • 4. DEVER A notificação é obrigatória a todos os profissionais de saúde: médicos, enfermeiros, médicos veterinários, biólogos, biomédicos, farmacêuticos e outros no exercício da profissão, bem como os responsáveis por organizações e estabelecimentos públicos e particulares de saúde e de ensino.
  • 6. COMO NOTIFICAR DOENÇAS E AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA NO HOSPITAL SOCOR 1. Acesse a Intranet; 2. Na página inicial, no lado ASSISTENCIAL à direita da tela, 3. Procure por "Fichas de Notificação".
  • 7. CASO SUSPEITO OU CONFIRMADO DE DOENÇAS INFECTOCONTAGIOSAS PRENCHER DUAS VIAS. 01 ORIGINAL PARA O SCIH, 01 CÓPIA PARA O PRONTUÁRIO DO PACIENTE. QUANDO NECESSÁRIO PREENCHER UMA TERCEIRA VIA PARA A FARMÁCIA. ENTREGAR A FICHA DE NOTIFICAÇÃO AO SCIH IMEDIATAMENTE APÓS O PREENCHIMENTO DA MESMA. O PROFISSIONAL DE SAÚDE DO SETOR EM QUE O PACIENTE FOI ATENDIDO DEVE FAZER A NOTIFICAÇÃO, UTILIZANDO A FICHA DO SINAN (SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO), CORRESPONDENTE A DOENÇA. ESTA FICHA ENCONTRA-SE DISPONÍVEL NA INTRANET. A FICHA ORIGINAL SERÁ ENVIADA PARA VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA NOROESTE.
  • 8.  AIDS;  Sífilis;  Atendimento Anti-Rábico;  Botulismo;  Cólera;  Coqueluche;  Tuberculose;  Varicela;  Difteria;  Doença de Chagas Aguda;  Doenças Exantemáticas- Sarampo/Rubéola;  Epizootia;  Esquitossomose;  Febre Amarela;  Febre Maculosa;  Febre por Virus do Nilo Ocidental;  Febre Tifóide;  Hantavirose;  Hepatites Virais;  Intoxicação Exógena;  Leishmaniose Visceral;  Leptospirose;  Malária;  Meningite;  Paralisia Flácida Aguda / Poliomielite;  Peste;  Rotavírus;  Síndrome Respiratória Aguda Grave;  Tétano. DOENÇAS INFECTOCONTAGIOSAS NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA
  • 9.  ACIDENTE DE TRABALHO COM EXPOSIÇÃO À MATERIAL BIOLÓGICO  ACIDENTE DE TRABALHO GRAVE  ATENDIMENTO ANTI-RÁBICO HUMANO  DOENÇA RELACIONADA AO TRABALHO:  CÂNCER RELACIONADO AO TRABALHO  DERMATOSES OCUPACIONAIS  LER/DORT  PAIR  VIOLÊNCIA DOMÉSTICA, SEXUAL E/OU OUTRAS VIOLÊNCIAS AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA
  • 10. PREENCHIMENTO DA FICHA DE NOTIFICAÇÃO PRIMEIROS SINTOMAS E EXAMES REALIZADOS FICHA MAIS COMPLETA POSSÍVEL
  • 11. IMPORTANTE • Doenças e agravos devem ser notificados à Secretaria Municipal de saúde em no máximo 24horas. • As notificações imediatas podem ser feitas a Vigilância Epidemiológica dos Distritos Sanitários em horário comercial durante a semana e nos finais de semana e feriados e a partir de 18 horas ao Plantão da Epidemiologia. • A ocorrência de casos novos de uma doença/agravo passível de prevenção e controle pelos serviços de saúde, indica que a população está sob risco e pode representar ameaças à saúde e precisam ser detectadas e controladas ainda em seus estágios iniciais.
  • 12. TELEFONES DA VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE BH
  • 13. VIGILÂNCIA SEMPRE • Alteração no padrão epidemiológico de doença conhecida. • Doença de origem desconhecida.
  • 15. FLUXOGRAMA DE NOTIFICAÇÃO PARA CASOS SUSPEITOS/CONFIRMADOS DE H1N1
  • 16. PROTOCOLO DE FEBRES HEMORRÁGICA DOENÇAS: Febre Amarela Febre Maculosa Hantavirose Hepatites Dengue Leptospirose Ficha mais completa possível + Relatório médico com primeiros sintomas + Médico precisa assinar e carimbar a notificação e escrever na ficha (Percorrer protocolo de febre hemorrágica) + coleta de material para enviar para FUNED. As febres hemorrágicas englobam síndromes que variam da doença hemorrágica febril, com fragilidade capilar, ao choque grave agudo.
  • 18. FLUXOGRAMA PARA ATENDIMENTO DE PACIENTES TRANSFERIDOS DE OUTRAS INSTITUIÇÃO

Notas do Editor

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. 4
  5. 5
  6. 6
  7. 7
  8. 8
  9. 9
  10. 10
  11. 11
  12. 12
  13. 13
  14. 14
  15. 15
  16. 16
  17. 17
  18. 18
  19. 19
  20. 20