SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 21
Baixar para ler offline
Modernismo
Contexto histórico Criação do automóvel Evolução do rádio e do jornal Primeira Guerra Mundial e Revolução Russa
Principais nomes do modernismo Mário de Andrade Oswald de Andrade Graça Aranha Menotti delPicchia Ronald de Carvalho Villa-Lobos Lasar Segall Anita Malfati
Objetivos da semana Ruptura com os modelos tradicionais Abertura para novas formas de criação
Correntes modernistas Nacionalismo ufanista Primitivista
Manifesto Poesia Pau-Brasil A poesia existe nos fatos. Os casebres de açafrão e de ocre nos verdes da Favela, sob o azul cabralino, são fatos estéticos. O Carnaval no Rio é o acontecimento religioso da raça. Pau-Brasil. Wagner submerge ante os cordões de Botafogo. Bárbaro e nosso. A formação étnica rica. Riqueza vegetal. O minério. A cozinha. O vatapá, o ouro e a dança.
Características do primeiro momento Total liberdade na forma Nacionalismo Oposição ao academicismo Poema-piada
Oswald de Andrade Canto de regresso à pátria  	Minha terra tem palmaresOnde gorjeia o marOs passarinhos daquiNão cantam como os de láMinha terra tem mais rosasE quase que mais amoresMinha terra tem mais ouroMinha terra tem mais terraOuro terra amor e rosasEu quero tudo de láNão permita Deus que eu morraSem que volte para láNão permita Deus que eu morraSem que volte pra São PauloSem que veja a Rua 15E o progresso de São Paulo
Mário de Andrade INSPIRAÇÃO São Paulo! Comoção de minha vida....Os meus amores são flores feitas de original!...Arlequinal!... Trajes de losangos... Cinza e ouro...Luz e bruma... Forno e inverno morno...Elegâncias sutis sem escândalos, sem ciúmes...Perfumes de Paris... Arys!Bofetadas líricas no Trianon... Algodoal!...São Paulo! Comoção da minha vida...Galicismo a berar nos desertos da América.
Manuel Bandeira Poema retirado de uma notícia de jornal 	João Gostoso era carregador de feira livre e morava no morroda Babilônia num barracão sem númeroUma noite ele chegou no bar Vinte de NovembroBebeuCantouDançouDepois se atirou na lagoa Rodrigo de Freitas e morreu afogado.
Segundo tempo modernista1930-1945 Ditadura de Getúlio Vargas Revolução Constitucionalista Segunda Guerra Mundial – participação do Brasil
Características gerais Retorno à formas de poesia fixas – soneto Predomínio da prosa sobre a poesia Preocupação com o homem Requinte na linguagem Romances “realistas”
Principais poetas
Carlos Drummond de Andrade Poema de sete faces 	Quando nasci, um anjo tortodesses que vivem na sombradisse: Vai, Carlos! ser gauche na vida.As casas espiam os homensque correm atrás de mulheres.A tarde talvez fosse azul,não houvesse tantos desejos.O bonde passa cheio de pernas:pernas brancas pretas amarelas.Para que tanta perna, meu Deus, pergunta meu coração.Porém meus olhosnão perguntam nada.
	O homem atrás do bigodeé sério, simples e forte.Quase não conversa.Tem poucos, raros amigoso homem atrás dos óculos e do bigode.Meu Deus, por que me abandonastese sabias que eu não era Deus,se sabias que eu era fraco.Mundo mundo vasto mundose eu me chamasse Raimundoseria uma rima, não seria uma solução.Mundo mundo vasto mundo,mais vasto é meu coração.Eu não devia te dizermas essa luamas esse conhaquebotam a gente comovido como o diabo.
Cecília Meireles 	Motivo  Eu canto porque o instante existee a minha vida está completa.Não sou alegre nem sou triste:sou poeta.Irmão das coisas fugidias,não sinto gozo nem tormento.Atravesso noites e diasno vento.Se desmorono ou se edifico,se permaneço ou se desfaço,- Não sei, não sei. Não sei se ficoou passo.Sei que canto. E a canção é tudo.Tem sangue eterno e asa ritmada.E um dia sei que estarei mudo:- mais nada.
Vinícius de Moraes De repente do riso fez-se o prantoSilencioso e branco como a brumaE das bocas unidas fez-se a espumaE das mãos espalmadas fez-se o espantoDe repente da calma fez-se o ventoQue dos olhos desfez a última chamaE da paixão fez-se o pressentimentoE do momento imóvel fez-se o dramaDe repente não mais que de repenteFez-se de triste o que se fez amanteE de sozinho o que se fez contenteFez-se do amigo próximo, distanteFez-se da vida uma aventura erranteDe repente, não mais que de repente

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Poesia 2ª fase modernista
Poesia 2ª fase modernistaPoesia 2ª fase modernista
Poesia 2ª fase modernistaLuciene Gomes
 
Carlos drummond de andrade próprio
Carlos drummond de andrade   próprioCarlos drummond de andrade   próprio
Carlos drummond de andrade próprioWilliam Ferraz
 
A poesia de carlos drummond de andrade
A poesia de carlos drummond de andradeA poesia de carlos drummond de andrade
A poesia de carlos drummond de andradema.no.el.ne.ves
 
Carlos drummond de andrade
Carlos drummond de andradeCarlos drummond de andrade
Carlos drummond de andradeLany da Silva
 
Carlos Drummond de andrade
Carlos Drummond de andradeCarlos Drummond de andrade
Carlos Drummond de andradeAline Almeida
 
A Rosa do Povo - Carlos Drummond de Andrade
A Rosa do Povo - Carlos Drummond de AndradeA Rosa do Povo - Carlos Drummond de Andrade
A Rosa do Povo - Carlos Drummond de Andradevestibular
 
Carlos Drummond de Andrade [4ª fase - Memorialista]
Carlos Drummond de Andrade [4ª fase - Memorialista]Carlos Drummond de Andrade [4ª fase - Memorialista]
Carlos Drummond de Andrade [4ª fase - Memorialista]Marynara Barros
 
O 25 de Abril na Poesia Portuguesa
O 25 de Abril na Poesia PortuguesaO 25 de Abril na Poesia Portuguesa
O 25 de Abril na Poesia PortuguesaAna Isabel Falé
 
Movimentos literários
Movimentos literáriosMovimentos literários
Movimentos literáriosprofluizferraz
 
Carlos Drummond de Andrade A rosa do povo
Carlos Drummond de Andrade  A rosa do povoCarlos Drummond de Andrade  A rosa do povo
Carlos Drummond de Andrade A rosa do povoZanah
 
Segunda geração modernista
Segunda geração modernistaSegunda geração modernista
Segunda geração modernistaAndrieli Muhl
 
Modernismo poesia - 2.a fase - Ose
Modernismo   poesia - 2.a fase - OseModernismo   poesia - 2.a fase - Ose
Modernismo poesia - 2.a fase - OseAndré Damázio
 
Carlos Drummond de Andrade - 4ª fase (Memorialista)
Carlos Drummond de Andrade - 4ª fase (Memorialista)Carlos Drummond de Andrade - 4ª fase (Memorialista)
Carlos Drummond de Andrade - 4ª fase (Memorialista)Marynara Barros
 

Mais procurados (20)

Poesia 2ª fase modernista
Poesia 2ª fase modernistaPoesia 2ª fase modernista
Poesia 2ª fase modernista
 
Carlos drummond de andrade próprio
Carlos drummond de andrade   próprioCarlos drummond de andrade   próprio
Carlos drummond de andrade próprio
 
A poesia de carlos drummond de andrade
A poesia de carlos drummond de andradeA poesia de carlos drummond de andrade
A poesia de carlos drummond de andrade
 
Carlos drummond de andrade
Carlos drummond de andradeCarlos drummond de andrade
Carlos drummond de andrade
 
Oswald de andrade
Oswald de andradeOswald de andrade
Oswald de andrade
 
Carlos Drummond de andrade
Carlos Drummond de andradeCarlos Drummond de andrade
Carlos Drummond de andrade
 
A Rosa do Povo - Carlos Drummond de Andrade
A Rosa do Povo - Carlos Drummond de AndradeA Rosa do Povo - Carlos Drummond de Andrade
A Rosa do Povo - Carlos Drummond de Andrade
 
Carlos Drummond de Andrade [4ª fase - Memorialista]
Carlos Drummond de Andrade [4ª fase - Memorialista]Carlos Drummond de Andrade [4ª fase - Memorialista]
Carlos Drummond de Andrade [4ª fase - Memorialista]
 
O 25 de Abril na Poesia Portuguesa
O 25 de Abril na Poesia PortuguesaO 25 de Abril na Poesia Portuguesa
O 25 de Abril na Poesia Portuguesa
 
Movimentos literários
Movimentos literáriosMovimentos literários
Movimentos literários
 
Carlos drummond
Carlos drummondCarlos drummond
Carlos drummond
 
Carlos Drummond de Andrade A rosa do povo
Carlos Drummond de Andrade  A rosa do povoCarlos Drummond de Andrade  A rosa do povo
Carlos Drummond de Andrade A rosa do povo
 
Trovadorismo - aula.pdf
Trovadorismo - aula.pdfTrovadorismo - aula.pdf
Trovadorismo - aula.pdf
 
Segunda geração modernista
Segunda geração modernistaSegunda geração modernista
Segunda geração modernista
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
 
Manuel Bandeira
Manuel BandeiraManuel Bandeira
Manuel Bandeira
 
Modernismo poesia - 2.a fase - Ose
Modernismo   poesia - 2.a fase - OseModernismo   poesia - 2.a fase - Ose
Modernismo poesia - 2.a fase - Ose
 
Carlos Drummond de Andrade - 4ª fase (Memorialista)
Carlos Drummond de Andrade - 4ª fase (Memorialista)Carlos Drummond de Andrade - 4ª fase (Memorialista)
Carlos Drummond de Andrade - 4ª fase (Memorialista)
 
Carlos Drummond de Andrade
Carlos Drummond de AndradeCarlos Drummond de Andrade
Carlos Drummond de Andrade
 
Paul verlaine
Paul verlainePaul verlaine
Paul verlaine
 

Semelhante a Modernismo

A Geração De 30 (Verso) - Prof. Kelly Mendes - Literatura
A Geração De 30 (Verso) - Prof. Kelly Mendes - LiteraturaA Geração De 30 (Verso) - Prof. Kelly Mendes - Literatura
A Geração De 30 (Verso) - Prof. Kelly Mendes - LiteraturaHadassa Castro
 
SEMANA DE ARTE MODERNA - UMA VISÃO
SEMANA DE ARTE MODERNA - UMA VISÃOSEMANA DE ARTE MODERNA - UMA VISÃO
SEMANA DE ARTE MODERNA - UMA VISÃOSérgio Pitaki
 
Antologia poética e alguns de seus poetas
Antologia poética e alguns de seus poetas Antologia poética e alguns de seus poetas
Antologia poética e alguns de seus poetas Vinicius Soco
 
Carlos drumond de andrade
Carlos drumond de andradeCarlos drumond de andrade
Carlos drumond de andradeRita Santana
 
Romantismo - poesia - brasil
Romantismo - poesia - brasilRomantismo - poesia - brasil
Romantismo - poesia - brasilJosi Motta
 
Modernismo Brasileiro (1ª fase)
Modernismo Brasileiro (1ª fase)Modernismo Brasileiro (1ª fase)
Modernismo Brasileiro (1ª fase)Blog Estudo
 
Carlos Drummond de Andrade
Carlos Drummond de AndradeCarlos Drummond de Andrade
Carlos Drummond de AndradeLeonardo Costa
 
AULÃO LITERATURA - MODERNISMO BRASILEIRO 1.pptx
AULÃO LITERATURA - MODERNISMO BRASILEIRO 1.pptxAULÃO LITERATURA - MODERNISMO BRASILEIRO 1.pptx
AULÃO LITERATURA - MODERNISMO BRASILEIRO 1.pptxProfessoraAline7
 
MODERNISMO BRASILEIRO 1 (2).pptx
MODERNISMO BRASILEIRO 1 (2).pptxMODERNISMO BRASILEIRO 1 (2).pptx
MODERNISMO BRASILEIRO 1 (2).pptxPabloGabrielKdabra
 
Aula - A poesia brasileira de 1930 a 1945.pptx
Aula - A poesia brasileira de 1930 a 1945.pptxAula - A poesia brasileira de 1930 a 1945.pptx
Aula - A poesia brasileira de 1930 a 1945.pptxMariaGabriellaFlores
 
2º momento modernista poema
2º momento modernista   poema2º momento modernista   poema
2º momento modernista poemaCicero Luciano
 
Primeira Fase do Modernismo
Primeira Fase do ModernismoPrimeira Fase do Modernismo
Primeira Fase do ModernismoCamila Jamyly
 
ANÁLISE ALGUMA POESIA KDABRA.pptx
ANÁLISE ALGUMA POESIA KDABRA.pptxANÁLISE ALGUMA POESIA KDABRA.pptx
ANÁLISE ALGUMA POESIA KDABRA.pptxPabloGabrielKdabra
 

Semelhante a Modernismo (20)

A Geração De 30 (Verso) - Prof. Kelly Mendes - Literatura
A Geração De 30 (Verso) - Prof. Kelly Mendes - LiteraturaA Geração De 30 (Verso) - Prof. Kelly Mendes - Literatura
A Geração De 30 (Verso) - Prof. Kelly Mendes - Literatura
 
SEMANA DE ARTE MODERNA - UMA VISÃO
SEMANA DE ARTE MODERNA - UMA VISÃOSEMANA DE ARTE MODERNA - UMA VISÃO
SEMANA DE ARTE MODERNA - UMA VISÃO
 
Modernismo brasileiro 1ª geração
Modernismo brasileiro 1ª geraçãoModernismo brasileiro 1ª geração
Modernismo brasileiro 1ª geração
 
Antologia poética e alguns de seus poetas
Antologia poética e alguns de seus poetas Antologia poética e alguns de seus poetas
Antologia poética e alguns de seus poetas
 
Carlos drumond de andrade
Carlos drumond de andradeCarlos drumond de andrade
Carlos drumond de andrade
 
Romantismo - poesia - brasil
Romantismo - poesia - brasilRomantismo - poesia - brasil
Romantismo - poesia - brasil
 
Keilla
KeillaKeilla
Keilla
 
Keilla
KeillaKeilla
Keilla
 
Modernismo Brasileiro (1ª fase)
Modernismo Brasileiro (1ª fase)Modernismo Brasileiro (1ª fase)
Modernismo Brasileiro (1ª fase)
 
Romantismo
 Romantismo Romantismo
Romantismo
 
Modernismo Brasileiro
Modernismo BrasileiroModernismo Brasileiro
Modernismo Brasileiro
 
Carlos Drummond de Andrade
Carlos Drummond de AndradeCarlos Drummond de Andrade
Carlos Drummond de Andrade
 
AULÃO LITERATURA - MODERNISMO BRASILEIRO 1.pptx
AULÃO LITERATURA - MODERNISMO BRASILEIRO 1.pptxAULÃO LITERATURA - MODERNISMO BRASILEIRO 1.pptx
AULÃO LITERATURA - MODERNISMO BRASILEIRO 1.pptx
 
MODERNISMO BRASILEIRO 1 (2).pptx
MODERNISMO BRASILEIRO 1 (2).pptxMODERNISMO BRASILEIRO 1 (2).pptx
MODERNISMO BRASILEIRO 1 (2).pptx
 
Aula - A poesia brasileira de 1930 a 1945.pptx
Aula - A poesia brasileira de 1930 a 1945.pptxAula - A poesia brasileira de 1930 a 1945.pptx
Aula - A poesia brasileira de 1930 a 1945.pptx
 
2º momento modernista poema
2º momento modernista   poema2º momento modernista   poema
2º momento modernista poema
 
Modernismo2
Modernismo2Modernismo2
Modernismo2
 
Primeira Fase do Modernismo
Primeira Fase do ModernismoPrimeira Fase do Modernismo
Primeira Fase do Modernismo
 
MODERNISMO BRASILEIRO 1.pptx
MODERNISMO BRASILEIRO 1.pptxMODERNISMO BRASILEIRO 1.pptx
MODERNISMO BRASILEIRO 1.pptx
 
ANÁLISE ALGUMA POESIA KDABRA.pptx
ANÁLISE ALGUMA POESIA KDABRA.pptxANÁLISE ALGUMA POESIA KDABRA.pptx
ANÁLISE ALGUMA POESIA KDABRA.pptx
 

Mais de martinsramon

As frases estão corretas
As frases estão corretasAs frases estão corretas
As frases estão corretasmartinsramon
 
Como Fazer Uma DissertaçãO
Como Fazer Uma DissertaçãOComo Fazer Uma DissertaçãO
Como Fazer Uma DissertaçãOmartinsramon
 
Vanguardas Europeias
Vanguardas EuropeiasVanguardas Europeias
Vanguardas Europeiasmartinsramon
 
Antecedentes E A Semana De Arte Moderna De 1210290778407615 8
Antecedentes E A Semana De Arte Moderna De 1210290778407615 8Antecedentes E A Semana De Arte Moderna De 1210290778407615 8
Antecedentes E A Semana De Arte Moderna De 1210290778407615 8martinsramon
 
A Prosa Modernista Ppt
A Prosa Modernista PptA Prosa Modernista Ppt
A Prosa Modernista Pptmartinsramon
 
Discurso Direto E Indireto
Discurso Direto E IndiretoDiscurso Direto E Indireto
Discurso Direto E Indiretomartinsramon
 
Realismo E Naturalismo
Realismo E NaturalismoRealismo E Naturalismo
Realismo E Naturalismomartinsramon
 
Formas De RedaçãO
Formas De RedaçãOFormas De RedaçãO
Formas De RedaçãOmartinsramon
 
Barroco CaracteríSticas Universais
Barroco   CaracteríSticas UniversaisBarroco   CaracteríSticas Universais
Barroco CaracteríSticas Universaismartinsramon
 

Mais de martinsramon (20)

As frases estão corretas
As frases estão corretasAs frases estão corretas
As frases estão corretas
 
Restart
RestartRestart
Restart
 
Como Fazer Uma DissertaçãO
Como Fazer Uma DissertaçãOComo Fazer Uma DissertaçãO
Como Fazer Uma DissertaçãO
 
Vanguardas Europeias
Vanguardas EuropeiasVanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
 
Pré Modernismo
Pré ModernismoPré Modernismo
Pré Modernismo
 
Antecedentes E A Semana De Arte Moderna De 1210290778407615 8
Antecedentes E A Semana De Arte Moderna De 1210290778407615 8Antecedentes E A Semana De Arte Moderna De 1210290778407615 8
Antecedentes E A Semana De Arte Moderna De 1210290778407615 8
 
A Prosa Modernista Ppt
A Prosa Modernista PptA Prosa Modernista Ppt
A Prosa Modernista Ppt
 
Discurso Direto E Indireto
Discurso Direto E IndiretoDiscurso Direto E Indireto
Discurso Direto E Indireto
 
A DescriçãO
A DescriçãOA DescriçãO
A DescriçãO
 
Parnasianismo
ParnasianismoParnasianismo
Parnasianismo
 
Realismo E Naturalismo
Realismo E NaturalismoRealismo E Naturalismo
Realismo E Naturalismo
 
Formas De RedaçãO
Formas De RedaçãOFormas De RedaçãO
Formas De RedaçãO
 
Arcadismo
ArcadismoArcadismo
Arcadismo
 
Arcadismo
ArcadismoArcadismo
Arcadismo
 
Arcadismo
ArcadismoArcadismo
Arcadismo
 
Arcadismo
ArcadismoArcadismo
Arcadismo
 
Animais
AnimaisAnimais
Animais
 
Marra
MarraMarra
Marra
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
 
Barroco CaracteríSticas Universais
Barroco   CaracteríSticas UniversaisBarroco   CaracteríSticas Universais
Barroco CaracteríSticas Universais
 

Modernismo

  • 2.
  • 3. Contexto histórico Criação do automóvel Evolução do rádio e do jornal Primeira Guerra Mundial e Revolução Russa
  • 4.
  • 5. Principais nomes do modernismo Mário de Andrade Oswald de Andrade Graça Aranha Menotti delPicchia Ronald de Carvalho Villa-Lobos Lasar Segall Anita Malfati
  • 6.
  • 7. Objetivos da semana Ruptura com os modelos tradicionais Abertura para novas formas de criação
  • 8.
  • 9. Correntes modernistas Nacionalismo ufanista Primitivista
  • 10. Manifesto Poesia Pau-Brasil A poesia existe nos fatos. Os casebres de açafrão e de ocre nos verdes da Favela, sob o azul cabralino, são fatos estéticos. O Carnaval no Rio é o acontecimento religioso da raça. Pau-Brasil. Wagner submerge ante os cordões de Botafogo. Bárbaro e nosso. A formação étnica rica. Riqueza vegetal. O minério. A cozinha. O vatapá, o ouro e a dança.
  • 11. Características do primeiro momento Total liberdade na forma Nacionalismo Oposição ao academicismo Poema-piada
  • 12. Oswald de Andrade Canto de regresso à pátria Minha terra tem palmaresOnde gorjeia o marOs passarinhos daquiNão cantam como os de láMinha terra tem mais rosasE quase que mais amoresMinha terra tem mais ouroMinha terra tem mais terraOuro terra amor e rosasEu quero tudo de láNão permita Deus que eu morraSem que volte para láNão permita Deus que eu morraSem que volte pra São PauloSem que veja a Rua 15E o progresso de São Paulo
  • 13. Mário de Andrade INSPIRAÇÃO São Paulo! Comoção de minha vida....Os meus amores são flores feitas de original!...Arlequinal!... Trajes de losangos... Cinza e ouro...Luz e bruma... Forno e inverno morno...Elegâncias sutis sem escândalos, sem ciúmes...Perfumes de Paris... Arys!Bofetadas líricas no Trianon... Algodoal!...São Paulo! Comoção da minha vida...Galicismo a berar nos desertos da América.
  • 14. Manuel Bandeira Poema retirado de uma notícia de jornal João Gostoso era carregador de feira livre e morava no morroda Babilônia num barracão sem númeroUma noite ele chegou no bar Vinte de NovembroBebeuCantouDançouDepois se atirou na lagoa Rodrigo de Freitas e morreu afogado.
  • 15. Segundo tempo modernista1930-1945 Ditadura de Getúlio Vargas Revolução Constitucionalista Segunda Guerra Mundial – participação do Brasil
  • 16. Características gerais Retorno à formas de poesia fixas – soneto Predomínio da prosa sobre a poesia Preocupação com o homem Requinte na linguagem Romances “realistas”
  • 18. Carlos Drummond de Andrade Poema de sete faces Quando nasci, um anjo tortodesses que vivem na sombradisse: Vai, Carlos! ser gauche na vida.As casas espiam os homensque correm atrás de mulheres.A tarde talvez fosse azul,não houvesse tantos desejos.O bonde passa cheio de pernas:pernas brancas pretas amarelas.Para que tanta perna, meu Deus, pergunta meu coração.Porém meus olhosnão perguntam nada.
  • 19. O homem atrás do bigodeé sério, simples e forte.Quase não conversa.Tem poucos, raros amigoso homem atrás dos óculos e do bigode.Meu Deus, por que me abandonastese sabias que eu não era Deus,se sabias que eu era fraco.Mundo mundo vasto mundose eu me chamasse Raimundoseria uma rima, não seria uma solução.Mundo mundo vasto mundo,mais vasto é meu coração.Eu não devia te dizermas essa luamas esse conhaquebotam a gente comovido como o diabo.
  • 20. Cecília Meireles Motivo Eu canto porque o instante existee a minha vida está completa.Não sou alegre nem sou triste:sou poeta.Irmão das coisas fugidias,não sinto gozo nem tormento.Atravesso noites e diasno vento.Se desmorono ou se edifico,se permaneço ou se desfaço,- Não sei, não sei. Não sei se ficoou passo.Sei que canto. E a canção é tudo.Tem sangue eterno e asa ritmada.E um dia sei que estarei mudo:- mais nada.
  • 21. Vinícius de Moraes De repente do riso fez-se o prantoSilencioso e branco como a brumaE das bocas unidas fez-se a espumaE das mãos espalmadas fez-se o espantoDe repente da calma fez-se o ventoQue dos olhos desfez a última chamaE da paixão fez-se o pressentimentoE do momento imóvel fez-se o dramaDe repente não mais que de repenteFez-se de triste o que se fez amanteE de sozinho o que se fez contenteFez-se do amigo próximo, distanteFez-se da vida uma aventura erranteDe repente, não mais que de repente