SlideShare uma empresa Scribd logo
Memorial
Descritivo
Instalação de posto de transformação particular de 150 kVA – 13,8kV –
220/380V, para atender Laudir Luiz Camini Cia e LTDA.
Memorial descritivo
REFERÊNCIA:

Instalação de posto de transformação particular com
potência de 150 kVA, tensão primária 13,8 kV e tensão
secundária 380/220V

PRETENDENTE:
LOCALIDADE:

1.

Página 2 de 6

Laudir Luiz Camini e Cia LTDA.
Guarapuava - PR

INFORMAÇÕES GERAIS
PROPRIEDADE: Laudir Luiz Camini e Cia LTDA.
CNPJ: 09.666.458/0001-59
I.E.: 90445368-43
ATIVIDADE: Comércio atacadista de madeira e produtos
derivados.
MUNICÍPIO-ESTADO: Guarapuava - PR
DATA DO PROJETO: JUL/2013
DATA PARA LIGAÇÃO: AGO/2013
PROJETO ELÉTRICO: Instalação de posto de transformação
particular 150 kVA – 13,8 kV – 380/220V

2.

OBJETIVO

O projeto compreende a instalação de um posto de transformação,
com atendimento de entrada de serviço em alta tensão “ES/A.T.”, através
de ramal aéreo, trifásico, tensão nominal 13,8KV, potência do
transformador de 150kVA 380/220V.
As pranchas de desenho de projeto elétrico da entrada de serviço
para aprovação da CFLO e execução da obra estão em três pranchas, com
as devidas referências indicadas, sendo:
Folha 01: Situação
Folha 02: Detalhe do posto de transformação/medição/proteção geral,
quadro de cargas, aterramento e diagrama unifilar.

Engª Eletricista Jacqueline S. Tsuji
CREA PR 116.198/D

(42) 9950-4998
jacquesatiko@hotmail.com
Memorial descritivo
3.

Página 3 de 6

ENTRADA DE ENERGIA

A entrada geral de energia será aérea, em alta tensão 13,8kV, vinda
da derivação a ser construída pela CFLO, em frente ao terreno do
pretendente. O ramal de entrada será composto de cabos de alumínio nu
de bitola 02 AWG para as 3 fases, com aproximadamente 08m até o poste
tipo Duplo-T B-600-10,5m, fixados por isoladores de ancoragem
polimérico classe 15kV, passam pelo transformador trifásico de 150kVA
– 13,8kV – 380/220V, derivam para os pára-raios poliméricos classe
15kV/10kA e seguem para a mureta de medição através de cabos
2X(3#50(25))mm² em 2 eletrodutos de PVC rígido de 2.1/2” (cada
eletroduto contém um circuito completo).

4.

MEDIÇÃO DE ENERGIA

A medição de energia elétrica é de forma indireta, montada junto à
base do posto de transformação, onde serão instaladas as caixas do tipo
GN alongada para alojar o disjuntor geral, a caixa FN para os
transformadores de corrente (TC’s) a serem a ser instalados pela CFLO, e
o medidor tipo EN conforme prancha 02.
A descida dos cabos será realizada através de 2 eletrodutos de PVC
rígido de 2.1/2”, por onde passarão os cabos até a alimentação da caixa
FN dos transformadores de corrente, que serão 2x50mm² para as 3 fases
(RST) e 2x25mm² para o neutro, ambos com isolação 750V. A partir da
caixa FN será alimentado o disjuntor geral de 250A, alojado em uma caixa
GN alongada que alimentará o quadro de distribuição geral (QDG) desta
unidade. Os cabos que alimentarão o QDG serão de 2x70mm² para as
três fases (RST) e 2x35mm² para o neutro (N), ambos com isolação 750V,
protegidos por eletroduto de PVC 2.1/2” embutido, passando pela caixa
de passagem e seguindo via subterrânea para o QDG.
Os condutores deverão ser identificados no início e no fim de cada
seção com as seguintes cores: fase A – Amarelo, fase B – Branco, fase C –
Vermelho, Neutro N – Azul Claro.
O ramal de ligação será fornecido pela concessionária e fará a
conexão entre a derivação e o ponto de entrega. O mesmo terá um lance
de 08m, formado por condutores de alumínio nú, bitola 02 AWG.

Engª Eletricista Jacqueline S. Tsuji
CREA PR 116.198/D

(42) 9950-4998
jacquesatiko@hotmail.com
Memorial descritivo
5.

Página 4 de 6

ATERRAMENTO

Nas proximidades do novo posto de transformação deverão ser
cravadas hastes de terra do tipo Copperweld de 2,4m x 5/8”, distanciadas
uma das outras em aproximadamente 5,0m, interligadas através de
condutores de cobre de 25mm² de diâmetro, cuja resistência de
aterramento em qualquer época do ano não poderá ultrapassar a 10 (dez)
Ohms.
Será construída uma caixa de aterramento de (0,3x0,3x0,3)m sem
fundos e com tampa de sobrepor para que haja a possibilidade de
funcionários da CFLO efetuarem a medição/inspeção neste aterramento.
Os pára-raios e todas as partes metálicas sem tensão deverão ser
conectadas por condutores de cobre 25mm² e abrigadas em um
eletroduto de 1/2” que, por sua vez, estará conectado ao sistema de
aterramento geral da medição.
As caixas de medição deverão ser interligadas com o aterramento
através de cabo de cobre nu 35mm² protegido por eletroduto de PVC
rígido de 3/4”.

6.

CÁLCULO DA DEMANDA

Para o cálculo da corrente foi considerado um fator de diversidade
de 1,1 sobre o total da carga instalada resultando em um valor de
121,82kW e um fator de simultaneidade de 0,8, chegando a uma corrente
de 185,30A.

7.

CÁLCULO DE QUEDA TENSÃO
Partindo das seguintes considerações:

O cabo utilizado do transformador, até a medição possui bitola
2X(50(25))mm2 750V e o cabo utilizado da medição até o quadro de
distribuição geral (QDG) é de 2X(70(35))mm² 1kV;


A distância do transformador até o QDG é de 25m ou 0,025kM;



A corrente é de 185,30A;



A tensão de alimentação é de 380V;



A impedância do cabo utilizado no trecho trafo - medição é de
0,75V/A.km.



A impedância do cabo utilizado no trecho medição – QDG é de
0,56V/A.km.

Engª Eletricista Jacqueline S. Tsuji
CREA PR 116.198/D

(42) 9950-4998
jacquesatiko@hotmail.com
Memorial descritivo

Página 5 de 6

A queda de tensão de cada trecho foi calculada segundo a fórmula
a seguir:
𝑍 𝑐𝑎𝑏𝑜 × 𝐼 × ℓ
× 100
𝑉𝑓

𝑄𝑢𝑒𝑑𝑎 𝑑𝑒 𝑡𝑒𝑛𝑠ã𝑜 (%) =

Onde:
Zcabo – Impedância do cabo
I – Corrente de projeto (185,30A)
l – Comprimento do trecho
Vf – Tensão fase-neutro

Trecho

Queda de Tensão ( % )

TRAFO - Medição

0,507

Medição - QDG

Queda de Tensão Total
(%)

1,182

8.

1,689

CONSIDERAÇÕES FINAIS:

Todas os motores de potência superior a 5,0 CV deverão ter partida
indireta através de chaves estrela/triângulo ou compensadoras com
tensão de operação igual a 380/220V.
A elaboração do projeto foi com base em levantamento no local,
projetos de implantação e lay-out com as cargas fornecidas, conforme as
normas:
Referentes à CFLO:


Montagem de Redes de Distribuição Aérea – NTD-003;



Projeto de Rede de Distribuição Urbana;



Norma Geral de Desenho Técnico;



Fornecimento em Tensão Primária de Distribuição - NTD – 011

Referentes à ABNT:


NBR–5410: Instalações elétricas de baixa tensão – 2004;



NBR–14039: Instalações
Dezembro/1997.

Engª Eletricista Jacqueline S. Tsuji
CREA PR 116.198/D

elétricas

de

média

tensão

–

(42) 9950-4998
jacquesatiko@hotmail.com
Memorial descritivo

Página 6 de 6

Guarapuava - PR, 29 de Junho de 2013.

Atenciosamente,

De acordo,

Engª Eletricista Jacqueline S. Tsuji
CREA PR 116.198/D
(42) 9950-4998
(42) 3035-1093
jacquesatiko@hotmail.com

Proprietário: Laudir Luiz Camini
Laudir Luiz Camini e Cia LTDA.
CNPJ: 09.666.458/0001-59
(42) 9112-4080

Engª Eletricista Jacqueline S. Tsuji
CREA PR 116.198/D

(42) 9950-4998
jacquesatiko@hotmail.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lcmlmanual3vias
Lcmlmanual3viasLcmlmanual3vias
Lcmlmanual3vias
Show de Piscinas
 
E cap 8- dimensionamento de eletrodutos
E cap 8- dimensionamento de eletrodutosE cap 8- dimensionamento de eletrodutos
E cap 8- dimensionamento de eletrodutos
André Felipe
 
Instalações eletricas cabos e afins
Instalações eletricas cabos e afinsInstalações eletricas cabos e afins
Instalações eletricas cabos e afins
Guilherme Raposo
 
Corrente de curto_metodo_simplificado_v2.02
Corrente de curto_metodo_simplificado_v2.02Corrente de curto_metodo_simplificado_v2.02
Corrente de curto_metodo_simplificado_v2.02
Émerson Gross
 
Projeto de um PLL ( Phase Locked Loop )
Projeto de um PLL ( Phase Locked Loop )Projeto de um PLL ( Phase Locked Loop )
Projeto de um PLL ( Phase Locked Loop )
Ciro Marcus
 
Instalações elétricas industriais_slides_parte_i
Instalações elétricas industriais_slides_parte_iInstalações elétricas industriais_slides_parte_i
Instalações elétricas industriais_slides_parte_i
Jeziel Rodrigues
 
Dimensionamento de uma instalação colectiva
Dimensionamento de uma instalação colectivaDimensionamento de uma instalação colectiva
Dimensionamento de uma instalação colectiva
Miguel Fusco
 
9537 chassis sk4.0_l-ca_manual_de_servicio
9537 chassis sk4.0_l-ca_manual_de_servicio9537 chassis sk4.0_l-ca_manual_de_servicio
9537 chassis sk4.0_l-ca_manual_de_servicio
humberto salazar
 
Electricidade
ElectricidadeElectricidade
Electricidade
CarolinaNunes98
 
Pisca de led com transistor 2 n3904
Pisca de led com transistor 2 n3904Pisca de led com transistor 2 n3904
Pisca de led com transistor 2 n3904
Masaya Ito
 
14826195 o-regulador-de-voltagem
14826195 o-regulador-de-voltagem14826195 o-regulador-de-voltagem
14826195 o-regulador-de-voltagem
Wanderley Trouy
 
Noções básicas de instalações elétricas prediais
Noções básicas de instalações elétricas prediaisNoções básicas de instalações elétricas prediais
Noções básicas de instalações elétricas prediais
Rone Sousa
 
Multivibradores
MultivibradoresMultivibradores
Multivibradores
Jim Naturesa
 
Conserto smps 12 a 24 v
Conserto smps 12 a 24 vConserto smps 12 a 24 v
Conserto smps 12 a 24 v
Wholer
 
Conserto smps 12 a 24 v
Conserto smps 12 a 24 vConserto smps 12 a 24 v
Conserto smps 12 a 24 v
Wholer
 
Artigo multivibrador biestável
Artigo multivibrador biestávelArtigo multivibrador biestável
Artigo multivibrador biestável
Diego Dandolini Pasini
 
Aula 02 tipos de encapsulamentos e eletricidade
Aula 02 tipos de encapsulamentos e eletricidadeAula 02 tipos de encapsulamentos e eletricidade
Aula 02 tipos de encapsulamentos e eletricidade
Alexandrino Sitoe
 
Nbr 12992 1993_extintor_de_incêndio_classe_c_ensaio_de_condutividade_elétrica
Nbr 12992 1993_extintor_de_incêndio_classe_c_ensaio_de_condutividade_elétricaNbr 12992 1993_extintor_de_incêndio_classe_c_ensaio_de_condutividade_elétrica
Nbr 12992 1993_extintor_de_incêndio_classe_c_ensaio_de_condutividade_elétrica
Felipe Willians
 
ci temporizador 555
ci  temporizador 555ci  temporizador 555
ci temporizador 555
rogeriomarcio
 
000599
000599000599

Mais procurados (20)

Lcmlmanual3vias
Lcmlmanual3viasLcmlmanual3vias
Lcmlmanual3vias
 
E cap 8- dimensionamento de eletrodutos
E cap 8- dimensionamento de eletrodutosE cap 8- dimensionamento de eletrodutos
E cap 8- dimensionamento de eletrodutos
 
Instalações eletricas cabos e afins
Instalações eletricas cabos e afinsInstalações eletricas cabos e afins
Instalações eletricas cabos e afins
 
Corrente de curto_metodo_simplificado_v2.02
Corrente de curto_metodo_simplificado_v2.02Corrente de curto_metodo_simplificado_v2.02
Corrente de curto_metodo_simplificado_v2.02
 
Projeto de um PLL ( Phase Locked Loop )
Projeto de um PLL ( Phase Locked Loop )Projeto de um PLL ( Phase Locked Loop )
Projeto de um PLL ( Phase Locked Loop )
 
Instalações elétricas industriais_slides_parte_i
Instalações elétricas industriais_slides_parte_iInstalações elétricas industriais_slides_parte_i
Instalações elétricas industriais_slides_parte_i
 
Dimensionamento de uma instalação colectiva
Dimensionamento de uma instalação colectivaDimensionamento de uma instalação colectiva
Dimensionamento de uma instalação colectiva
 
9537 chassis sk4.0_l-ca_manual_de_servicio
9537 chassis sk4.0_l-ca_manual_de_servicio9537 chassis sk4.0_l-ca_manual_de_servicio
9537 chassis sk4.0_l-ca_manual_de_servicio
 
Electricidade
ElectricidadeElectricidade
Electricidade
 
Pisca de led com transistor 2 n3904
Pisca de led com transistor 2 n3904Pisca de led com transistor 2 n3904
Pisca de led com transistor 2 n3904
 
14826195 o-regulador-de-voltagem
14826195 o-regulador-de-voltagem14826195 o-regulador-de-voltagem
14826195 o-regulador-de-voltagem
 
Noções básicas de instalações elétricas prediais
Noções básicas de instalações elétricas prediaisNoções básicas de instalações elétricas prediais
Noções básicas de instalações elétricas prediais
 
Multivibradores
MultivibradoresMultivibradores
Multivibradores
 
Conserto smps 12 a 24 v
Conserto smps 12 a 24 vConserto smps 12 a 24 v
Conserto smps 12 a 24 v
 
Conserto smps 12 a 24 v
Conserto smps 12 a 24 vConserto smps 12 a 24 v
Conserto smps 12 a 24 v
 
Artigo multivibrador biestável
Artigo multivibrador biestávelArtigo multivibrador biestável
Artigo multivibrador biestável
 
Aula 02 tipos de encapsulamentos e eletricidade
Aula 02 tipos de encapsulamentos e eletricidadeAula 02 tipos de encapsulamentos e eletricidade
Aula 02 tipos de encapsulamentos e eletricidade
 
Nbr 12992 1993_extintor_de_incêndio_classe_c_ensaio_de_condutividade_elétrica
Nbr 12992 1993_extintor_de_incêndio_classe_c_ensaio_de_condutividade_elétricaNbr 12992 1993_extintor_de_incêndio_classe_c_ensaio_de_condutividade_elétrica
Nbr 12992 1993_extintor_de_incêndio_classe_c_ensaio_de_condutividade_elétrica
 
ci temporizador 555
ci  temporizador 555ci  temporizador 555
ci temporizador 555
 
000599
000599000599
000599
 

Destaque

Modelo para elaboração de memorial descritivo
Modelo para elaboração de memorial descritivoModelo para elaboração de memorial descritivo
Modelo para elaboração de memorial descritivo
Elicio Lima
 
Memorial fossa sumidouro
Memorial fossa sumidouroMemorial fossa sumidouro
Memorial fossa sumidouro
kso_01
 
Posto de Combustível Siga Bem
Posto de Combustível Siga BemPosto de Combustível Siga Bem
Posto de Combustível Siga Bem
Marco Coghi
 
Orçamento e custos
Orçamento e custosOrçamento e custos
Orçamento e custos
Daniela Maracaba
 
Memorial descritivo
Memorial descritivoMemorial descritivo
Memorial descritivo
Corretora Imóveis
 
Como elaborar o memorial
Como elaborar o memorialComo elaborar o memorial
Como elaborar o memorial
UNICEP
 
Aula pratica spda
Aula pratica spdaAula pratica spda
Aula pratica spda
Daniel Morais
 
Aterramento elétrico __
Aterramento elétrico  __Aterramento elétrico  __
Aterramento elétrico __
TAMEBRA CESS Ltda
 
Memorial descritivo das obras relativas ao Loteamento Ville Sainte Hélène
Memorial descritivo das obras relativas ao Loteamento Ville Sainte HélèneMemorial descritivo das obras relativas ao Loteamento Ville Sainte Hélène
Memorial descritivo das obras relativas ao Loteamento Ville Sainte Hélène
Resgate Cambuí
 
Síntese descarga atmosférica
Síntese descarga atmosférica Síntese descarga atmosférica
Síntese descarga atmosférica
Marcio Neris
 
Importância do Aterramento
Importância do AterramentoImportância do Aterramento
Importância do Aterramento
Mario Kleber
 
E cap 7- dimensionamento de condutores elétricos
E cap 7- dimensionamento de condutores elétricosE cap 7- dimensionamento de condutores elétricos
E cap 7- dimensionamento de condutores elétricos
André Felipe
 
Spda
SpdaSpda
Memorial descritivo Terra Nova Rua Joao Dembinski, Fazendinha Curitiba
Memorial descritivo Terra Nova Rua Joao Dembinski, Fazendinha CuritibaMemorial descritivo Terra Nova Rua Joao Dembinski, Fazendinha Curitiba
Memorial descritivo Terra Nova Rua Joao Dembinski, Fazendinha Curitiba
Imobiliária Curitiba
 
Subestação
SubestaçãoSubestação
Subestação
Marco Coghi
 
02 Memorial Descritivo
02 Memorial Descritivo02 Memorial Descritivo
02 Memorial Descritivo
estúdioSANZ
 
Tcpo
TcpoTcpo
Equipamentos elétricos e telecomunicações - Apresentação principal
Equipamentos elétricos e telecomunicações - Apresentação principalEquipamentos elétricos e telecomunicações - Apresentação principal
Equipamentos elétricos e telecomunicações - Apresentação principal
profelder
 
Esquemas de aterramento
Esquemas de aterramentoEsquemas de aterramento
Esquemas de aterramento
Ellen Albuquerque
 
Parecer técnico posto chapéu do sol 2.2.1
Parecer técnico  posto chapéu do sol 2.2.1Parecer técnico  posto chapéu do sol 2.2.1
Parecer técnico posto chapéu do sol 2.2.1
Marcelo Forest
 

Destaque (20)

Modelo para elaboração de memorial descritivo
Modelo para elaboração de memorial descritivoModelo para elaboração de memorial descritivo
Modelo para elaboração de memorial descritivo
 
Memorial fossa sumidouro
Memorial fossa sumidouroMemorial fossa sumidouro
Memorial fossa sumidouro
 
Posto de Combustível Siga Bem
Posto de Combustível Siga BemPosto de Combustível Siga Bem
Posto de Combustível Siga Bem
 
Orçamento e custos
Orçamento e custosOrçamento e custos
Orçamento e custos
 
Memorial descritivo
Memorial descritivoMemorial descritivo
Memorial descritivo
 
Como elaborar o memorial
Como elaborar o memorialComo elaborar o memorial
Como elaborar o memorial
 
Aula pratica spda
Aula pratica spdaAula pratica spda
Aula pratica spda
 
Aterramento elétrico __
Aterramento elétrico  __Aterramento elétrico  __
Aterramento elétrico __
 
Memorial descritivo das obras relativas ao Loteamento Ville Sainte Hélène
Memorial descritivo das obras relativas ao Loteamento Ville Sainte HélèneMemorial descritivo das obras relativas ao Loteamento Ville Sainte Hélène
Memorial descritivo das obras relativas ao Loteamento Ville Sainte Hélène
 
Síntese descarga atmosférica
Síntese descarga atmosférica Síntese descarga atmosférica
Síntese descarga atmosférica
 
Importância do Aterramento
Importância do AterramentoImportância do Aterramento
Importância do Aterramento
 
E cap 7- dimensionamento de condutores elétricos
E cap 7- dimensionamento de condutores elétricosE cap 7- dimensionamento de condutores elétricos
E cap 7- dimensionamento de condutores elétricos
 
Spda
SpdaSpda
Spda
 
Memorial descritivo Terra Nova Rua Joao Dembinski, Fazendinha Curitiba
Memorial descritivo Terra Nova Rua Joao Dembinski, Fazendinha CuritibaMemorial descritivo Terra Nova Rua Joao Dembinski, Fazendinha Curitiba
Memorial descritivo Terra Nova Rua Joao Dembinski, Fazendinha Curitiba
 
Subestação
SubestaçãoSubestação
Subestação
 
02 Memorial Descritivo
02 Memorial Descritivo02 Memorial Descritivo
02 Memorial Descritivo
 
Tcpo
TcpoTcpo
Tcpo
 
Equipamentos elétricos e telecomunicações - Apresentação principal
Equipamentos elétricos e telecomunicações - Apresentação principalEquipamentos elétricos e telecomunicações - Apresentação principal
Equipamentos elétricos e telecomunicações - Apresentação principal
 
Esquemas de aterramento
Esquemas de aterramentoEsquemas de aterramento
Esquemas de aterramento
 
Parecer técnico posto chapéu do sol 2.2.1
Parecer técnico  posto chapéu do sol 2.2.1Parecer técnico  posto chapéu do sol 2.2.1
Parecer técnico posto chapéu do sol 2.2.1
 

Semelhante a Memorial_descritivo

2020-3854-175020-ANEXO-V-Sistema-fotovoltaico projeto.pdf
2020-3854-175020-ANEXO-V-Sistema-fotovoltaico projeto.pdf2020-3854-175020-ANEXO-V-Sistema-fotovoltaico projeto.pdf
2020-3854-175020-ANEXO-V-Sistema-fotovoltaico projeto.pdf
Faculdades Santo Agostinho
 
2020-3854-175020-ANEXO-V-Sistema-fotovoltaico.pdf
2020-3854-175020-ANEXO-V-Sistema-fotovoltaico.pdf2020-3854-175020-ANEXO-V-Sistema-fotovoltaico.pdf
2020-3854-175020-ANEXO-V-Sistema-fotovoltaico.pdf
Faculdades Santo Agostinho
 
Ged 2856
Ged 2856Ged 2856
Ged 2856
Danilo Lima
 
Equipamento de transformação - Transformador de Força e de Instrumento. Equip...
Equipamento de transformação - Transformador de Força e de Instrumento. Equip...Equipamento de transformação - Transformador de Força e de Instrumento. Equip...
Equipamento de transformação - Transformador de Força e de Instrumento. Equip...
Rafael Silveira
 
Tecnvolt engenharia 12
Tecnvolt engenharia 12Tecnvolt engenharia 12
Tecnvolt engenharia 12
Anderson Pereira
 
Apresentação Projecto.pptx
Apresentação Projecto.pptxApresentação Projecto.pptx
Apresentação Projecto.pptx
AmericoTivane
 
Manutenção
ManutençãoManutenção
Manutenção
josinaldop
 
Ctc m5 v3_t
Ctc m5 v3_tCtc m5 v3_t
Ctc m5 v3_t
confidencial
 
Dicas instalaeseltricasprediais-residenciais-130320084634-phpapp01
Dicas instalaeseltricasprediais-residenciais-130320084634-phpapp01Dicas instalaeseltricasprediais-residenciais-130320084634-phpapp01
Dicas instalaeseltricasprediais-residenciais-130320084634-phpapp01
Carlos Reutymann
 
Pratel kit electronica
Pratel kit electronicaPratel kit electronica
Pratel kit electronica
Alvaro Silva
 
te344 aula 08 - divisao da instalacao_(2) (1).pdf
te344 aula 08 - divisao da instalacao_(2) (1).pdfte344 aula 08 - divisao da instalacao_(2) (1).pdf
te344 aula 08 - divisao da instalacao_(2) (1).pdf
Priscilla Ramallo
 
Maquina de solda
Maquina de soldaMaquina de solda
Maquina de solda
Marcio Varotto da fonseca
 
Circuitos retificadores
Circuitos retificadoresCircuitos retificadores
Circuitos retificadores
pjclima
 
Manual do proprietario edificio garagem gru
Manual do proprietario edificio garagem gruManual do proprietario edificio garagem gru
Manual do proprietario edificio garagem gru
Jorge Martins de Oliveira
 
Tabelaeletricista v2
Tabelaeletricista v2Tabelaeletricista v2
Tabelaeletricista v2
Ariosto Júnior
 
Metodos de chaves de partida para motores.ppt
Metodos de chaves de partida para motores.pptMetodos de chaves de partida para motores.ppt
Metodos de chaves de partida para motores.ppt
MauroArthuzo1
 
Transformadores calculo1
Transformadores calculo1Transformadores calculo1
Transformadores calculo1
vitormdmendes
 
Contatores e relés de proteção weg
Contatores e relés de proteção wegContatores e relés de proteção weg
Contatores e relés de proteção weg
itamar2019
 
Edmv reg clientes_rev0
Edmv reg clientes_rev0Edmv reg clientes_rev0
Edmv reg clientes_rev0
confidencial
 
DA - Unidade 14- INST ELETRICAS.pdf
DA - Unidade 14- INST ELETRICAS.pdfDA - Unidade 14- INST ELETRICAS.pdf
DA - Unidade 14- INST ELETRICAS.pdf
Universidade Federal do Rio Grande - FURG
 

Semelhante a Memorial_descritivo (20)

2020-3854-175020-ANEXO-V-Sistema-fotovoltaico projeto.pdf
2020-3854-175020-ANEXO-V-Sistema-fotovoltaico projeto.pdf2020-3854-175020-ANEXO-V-Sistema-fotovoltaico projeto.pdf
2020-3854-175020-ANEXO-V-Sistema-fotovoltaico projeto.pdf
 
2020-3854-175020-ANEXO-V-Sistema-fotovoltaico.pdf
2020-3854-175020-ANEXO-V-Sistema-fotovoltaico.pdf2020-3854-175020-ANEXO-V-Sistema-fotovoltaico.pdf
2020-3854-175020-ANEXO-V-Sistema-fotovoltaico.pdf
 
Ged 2856
Ged 2856Ged 2856
Ged 2856
 
Equipamento de transformação - Transformador de Força e de Instrumento. Equip...
Equipamento de transformação - Transformador de Força e de Instrumento. Equip...Equipamento de transformação - Transformador de Força e de Instrumento. Equip...
Equipamento de transformação - Transformador de Força e de Instrumento. Equip...
 
Tecnvolt engenharia 12
Tecnvolt engenharia 12Tecnvolt engenharia 12
Tecnvolt engenharia 12
 
Apresentação Projecto.pptx
Apresentação Projecto.pptxApresentação Projecto.pptx
Apresentação Projecto.pptx
 
Manutenção
ManutençãoManutenção
Manutenção
 
Ctc m5 v3_t
Ctc m5 v3_tCtc m5 v3_t
Ctc m5 v3_t
 
Dicas instalaeseltricasprediais-residenciais-130320084634-phpapp01
Dicas instalaeseltricasprediais-residenciais-130320084634-phpapp01Dicas instalaeseltricasprediais-residenciais-130320084634-phpapp01
Dicas instalaeseltricasprediais-residenciais-130320084634-phpapp01
 
Pratel kit electronica
Pratel kit electronicaPratel kit electronica
Pratel kit electronica
 
te344 aula 08 - divisao da instalacao_(2) (1).pdf
te344 aula 08 - divisao da instalacao_(2) (1).pdfte344 aula 08 - divisao da instalacao_(2) (1).pdf
te344 aula 08 - divisao da instalacao_(2) (1).pdf
 
Maquina de solda
Maquina de soldaMaquina de solda
Maquina de solda
 
Circuitos retificadores
Circuitos retificadoresCircuitos retificadores
Circuitos retificadores
 
Manual do proprietario edificio garagem gru
Manual do proprietario edificio garagem gruManual do proprietario edificio garagem gru
Manual do proprietario edificio garagem gru
 
Tabelaeletricista v2
Tabelaeletricista v2Tabelaeletricista v2
Tabelaeletricista v2
 
Metodos de chaves de partida para motores.ppt
Metodos de chaves de partida para motores.pptMetodos de chaves de partida para motores.ppt
Metodos de chaves de partida para motores.ppt
 
Transformadores calculo1
Transformadores calculo1Transformadores calculo1
Transformadores calculo1
 
Contatores e relés de proteção weg
Contatores e relés de proteção wegContatores e relés de proteção weg
Contatores e relés de proteção weg
 
Edmv reg clientes_rev0
Edmv reg clientes_rev0Edmv reg clientes_rev0
Edmv reg clientes_rev0
 
DA - Unidade 14- INST ELETRICAS.pdf
DA - Unidade 14- INST ELETRICAS.pdfDA - Unidade 14- INST ELETRICAS.pdf
DA - Unidade 14- INST ELETRICAS.pdf
 

Último

Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas PráticasSegurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Danilo Pinotti
 
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdfManual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdfCertificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
joaovmp3
 
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdfTOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
Momento da Informática
 
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptxLogica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Momento da Informática
 
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdfEscola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Gabriel de Mattos Faustino
 
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptxHistória da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
TomasSousa7
 
ATIVIDADE 1 - ADSIS - ESTRUTURA DE DADOS II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - ADSIS - ESTRUTURA DE DADOS II - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - ADSIS - ESTRUTURA DE DADOS II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - ADSIS - ESTRUTURA DE DADOS II - 52_2024.docx
2m Assessoria
 
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
Faga1939
 
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdfDESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
Momento da Informática
 

Último (10)

Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas PráticasSegurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
 
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdfManual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
 
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdfCertificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
 
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdfTOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
 
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptxLogica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
 
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdfEscola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
 
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptxHistória da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
 
ATIVIDADE 1 - ADSIS - ESTRUTURA DE DADOS II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - ADSIS - ESTRUTURA DE DADOS II - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - ADSIS - ESTRUTURA DE DADOS II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - ADSIS - ESTRUTURA DE DADOS II - 52_2024.docx
 
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
 
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdfDESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
 

Memorial_descritivo

  • 1. Memorial Descritivo Instalação de posto de transformação particular de 150 kVA – 13,8kV – 220/380V, para atender Laudir Luiz Camini Cia e LTDA.
  • 2. Memorial descritivo REFERÊNCIA: Instalação de posto de transformação particular com potência de 150 kVA, tensão primária 13,8 kV e tensão secundária 380/220V PRETENDENTE: LOCALIDADE: 1. Página 2 de 6 Laudir Luiz Camini e Cia LTDA. Guarapuava - PR INFORMAÇÕES GERAIS PROPRIEDADE: Laudir Luiz Camini e Cia LTDA. CNPJ: 09.666.458/0001-59 I.E.: 90445368-43 ATIVIDADE: Comércio atacadista de madeira e produtos derivados. MUNICÍPIO-ESTADO: Guarapuava - PR DATA DO PROJETO: JUL/2013 DATA PARA LIGAÇÃO: AGO/2013 PROJETO ELÉTRICO: Instalação de posto de transformação particular 150 kVA – 13,8 kV – 380/220V 2. OBJETIVO O projeto compreende a instalação de um posto de transformação, com atendimento de entrada de serviço em alta tensão “ES/A.T.”, através de ramal aéreo, trifásico, tensão nominal 13,8KV, potência do transformador de 150kVA 380/220V. As pranchas de desenho de projeto elétrico da entrada de serviço para aprovação da CFLO e execução da obra estão em três pranchas, com as devidas referências indicadas, sendo: Folha 01: Situação Folha 02: Detalhe do posto de transformação/medição/proteção geral, quadro de cargas, aterramento e diagrama unifilar. Engª Eletricista Jacqueline S. Tsuji CREA PR 116.198/D (42) 9950-4998 jacquesatiko@hotmail.com
  • 3. Memorial descritivo 3. Página 3 de 6 ENTRADA DE ENERGIA A entrada geral de energia será aérea, em alta tensão 13,8kV, vinda da derivação a ser construída pela CFLO, em frente ao terreno do pretendente. O ramal de entrada será composto de cabos de alumínio nu de bitola 02 AWG para as 3 fases, com aproximadamente 08m até o poste tipo Duplo-T B-600-10,5m, fixados por isoladores de ancoragem polimérico classe 15kV, passam pelo transformador trifásico de 150kVA – 13,8kV – 380/220V, derivam para os pára-raios poliméricos classe 15kV/10kA e seguem para a mureta de medição através de cabos 2X(3#50(25))mm² em 2 eletrodutos de PVC rígido de 2.1/2” (cada eletroduto contém um circuito completo). 4. MEDIÇÃO DE ENERGIA A medição de energia elétrica é de forma indireta, montada junto à base do posto de transformação, onde serão instaladas as caixas do tipo GN alongada para alojar o disjuntor geral, a caixa FN para os transformadores de corrente (TC’s) a serem a ser instalados pela CFLO, e o medidor tipo EN conforme prancha 02. A descida dos cabos será realizada através de 2 eletrodutos de PVC rígido de 2.1/2”, por onde passarão os cabos até a alimentação da caixa FN dos transformadores de corrente, que serão 2x50mm² para as 3 fases (RST) e 2x25mm² para o neutro, ambos com isolação 750V. A partir da caixa FN será alimentado o disjuntor geral de 250A, alojado em uma caixa GN alongada que alimentará o quadro de distribuição geral (QDG) desta unidade. Os cabos que alimentarão o QDG serão de 2x70mm² para as três fases (RST) e 2x35mm² para o neutro (N), ambos com isolação 750V, protegidos por eletroduto de PVC 2.1/2” embutido, passando pela caixa de passagem e seguindo via subterrânea para o QDG. Os condutores deverão ser identificados no início e no fim de cada seção com as seguintes cores: fase A – Amarelo, fase B – Branco, fase C – Vermelho, Neutro N – Azul Claro. O ramal de ligação será fornecido pela concessionária e fará a conexão entre a derivação e o ponto de entrega. O mesmo terá um lance de 08m, formado por condutores de alumínio nú, bitola 02 AWG. Engª Eletricista Jacqueline S. Tsuji CREA PR 116.198/D (42) 9950-4998 jacquesatiko@hotmail.com
  • 4. Memorial descritivo 5. Página 4 de 6 ATERRAMENTO Nas proximidades do novo posto de transformação deverão ser cravadas hastes de terra do tipo Copperweld de 2,4m x 5/8”, distanciadas uma das outras em aproximadamente 5,0m, interligadas através de condutores de cobre de 25mm² de diâmetro, cuja resistência de aterramento em qualquer época do ano não poderá ultrapassar a 10 (dez) Ohms. Será construída uma caixa de aterramento de (0,3x0,3x0,3)m sem fundos e com tampa de sobrepor para que haja a possibilidade de funcionários da CFLO efetuarem a medição/inspeção neste aterramento. Os pára-raios e todas as partes metálicas sem tensão deverão ser conectadas por condutores de cobre 25mm² e abrigadas em um eletroduto de 1/2” que, por sua vez, estará conectado ao sistema de aterramento geral da medição. As caixas de medição deverão ser interligadas com o aterramento através de cabo de cobre nu 35mm² protegido por eletroduto de PVC rígido de 3/4”. 6. CÁLCULO DA DEMANDA Para o cálculo da corrente foi considerado um fator de diversidade de 1,1 sobre o total da carga instalada resultando em um valor de 121,82kW e um fator de simultaneidade de 0,8, chegando a uma corrente de 185,30A. 7. CÁLCULO DE QUEDA TENSÃO Partindo das seguintes considerações: O cabo utilizado do transformador, até a medição possui bitola 2X(50(25))mm2 750V e o cabo utilizado da medição até o quadro de distribuição geral (QDG) é de 2X(70(35))mm² 1kV;  A distância do transformador até o QDG é de 25m ou 0,025kM;  A corrente é de 185,30A;  A tensão de alimentação é de 380V;  A impedância do cabo utilizado no trecho trafo - medição é de 0,75V/A.km.  A impedância do cabo utilizado no trecho medição – QDG é de 0,56V/A.km. Engª Eletricista Jacqueline S. Tsuji CREA PR 116.198/D (42) 9950-4998 jacquesatiko@hotmail.com
  • 5. Memorial descritivo Página 5 de 6 A queda de tensão de cada trecho foi calculada segundo a fórmula a seguir: 𝑍 𝑐𝑎𝑏𝑜 × 𝐼 × ℓ × 100 𝑉𝑓 𝑄𝑢𝑒𝑑𝑎 𝑑𝑒 𝑡𝑒𝑛𝑠ã𝑜 (%) = Onde: Zcabo – Impedância do cabo I – Corrente de projeto (185,30A) l – Comprimento do trecho Vf – Tensão fase-neutro Trecho Queda de Tensão ( % ) TRAFO - Medição 0,507 Medição - QDG Queda de Tensão Total (%) 1,182 8. 1,689 CONSIDERAÇÕES FINAIS: Todas os motores de potência superior a 5,0 CV deverão ter partida indireta através de chaves estrela/triângulo ou compensadoras com tensão de operação igual a 380/220V. A elaboração do projeto foi com base em levantamento no local, projetos de implantação e lay-out com as cargas fornecidas, conforme as normas: Referentes à CFLO:  Montagem de Redes de Distribuição Aérea – NTD-003;  Projeto de Rede de Distribuição Urbana;  Norma Geral de Desenho Técnico;  Fornecimento em Tensão Primária de Distribuição - NTD – 011 Referentes à ABNT:  NBR–5410: Instalações elétricas de baixa tensão – 2004;  NBR–14039: Instalações Dezembro/1997. Engª Eletricista Jacqueline S. Tsuji CREA PR 116.198/D elétricas de média tensão – (42) 9950-4998 jacquesatiko@hotmail.com
  • 6. Memorial descritivo Página 6 de 6 Guarapuava - PR, 29 de Junho de 2013. Atenciosamente, De acordo, Engª Eletricista Jacqueline S. Tsuji CREA PR 116.198/D (42) 9950-4998 (42) 3035-1093 jacquesatiko@hotmail.com Proprietário: Laudir Luiz Camini Laudir Luiz Camini e Cia LTDA. CNPJ: 09.666.458/0001-59 (42) 9112-4080 Engª Eletricista Jacqueline S. Tsuji CREA PR 116.198/D (42) 9950-4998 jacquesatiko@hotmail.com