SlideShare uma empresa Scribd logo
FACULDADES SANTA CRUZ DE CURITIBA
DEROCI NONATO JÚNIOR
HISTÓRICO DAS COMUNICAÇÕES, TELEPROCESSAMENTO E TIPOS DE
PROCESSAMENTO
Curitiba/PR
2014
DEROCI NONATO JÚNIOR
HISTÓRICO DAS COMUNICAÇÕES, TELEPROCESSAMENTO E TIPOS DE
PROCESSAMENTO
Trabalho apresentado ao Professor Vandro Borges da disciplina
Fundamentos de Redes do curso Tecnologia em Redes de
Computadores do 1° ano do 1° período do 1° bimestre da Faculdades
Santa Cruz de Curitiba.
Curitiba/PR
2013
Introdução
Em tempos passados a comunicação progredia a cada década, nos dias de hoje pode
se dizer que ela progride a cada minuto ou menos. Possuímos celulares que reúnem diversos
aparelhos que antes só se podiam usar-se separadamente, como rádio, filmadora, ter acesso a
internet, GPS, mp3. Mas isto é apenas o que o usuário tem acesso, pois nos laboratórios de
pesquisas onde a tecnologia é desenvolvida as pessoas de lá já contam com tecnologia muito
superior.
A necessidade de comunicação das pessoas é algo muito antigo, já que o homem está
fadado a viver em comunidade se faz necessário o máximo de comunicação e o máximo de
velocidade possível nela, por este motivo a evolução no setor de comunicação é de longe
muito mais rápido que qualquer outro setor que existe. Hoje além da necessidade
comunicação das pessoas, contamos com a necessidade de comunicação entre uma máquina e
outra, para transmissão de dados, confirmação de transações, comparação de dados etc.
Histórico das comunicações
O meio de comunicação mais primitivo e utilizado é a voz. Os antigos quando havia
necessidade de enviar mensagens a longas distancias o recado era passado de pessoas para
pessoa em uma espécie de telefone sem fio.
Com a invenção dos instrumentos de percussão, foi possível a troca de informações a
distância, uma distância bem maior do que a voz humana poderia alcançar. A sequência de
sons emitidos era combinado entre as tribos que as utilizavam na maioria das vezes como
forma de aviso ou alerta de ataque. O ouvido era encostado no chão para melhor por distinguir
a sequência de batidas quando a distância ou a força do vento era muita.
Utilizado também foi o instrumento de sopro, feito com chifre de animais, em nosso
país chamado de berrante. Era também combinado a sequência de som com as pessoas para
que quando precisassem a utilizassem para transmitir mensagens a distancias maiores.
Os chamados telégrafos visuais também eram utilizados. Pessoas combinavam os
sinais entre eles e quando se fazia necessários elas subiam em colinas ou montes, acendiam
uma fogueira ou tocha e repetia os sinais combinados conforme a necessidade.
Com a habilidade de montar a cavalo, foi possível ganhar mais tempo na transmissão
de mensagens boca a boca. Este método foi muito utilizado até o século XVIII.
Francis Bacon, em 1605, desenvolve o alfabeto binário.
Instrumentos para a comunicação eram inventados ou idealizado a todos os
momentos em vista da busca de reduzir o tempo de transmissão das mensagens e também dar
segurança do recebimento, sem haver a captação da mesma por terceiros.
Em 1667 o físico inglês Robert Hooke sugeriu o uso do fio esticado para transmitir
som. Em 1684, Dom Gauthier, monge francês, realizou experiências de telefonia acústica,
utilizando tubos pneumáticos.
Em 1791, em Paris, Claude Chappe efetuou as primeiras demonstrações do
"telégrafo ótico" ligando Paris - Lilíe. Era um conjunto de hastes móveis que transmitiam
letras e sinais de um código. Colocada em lugares altos, ou torres, essa máquina podia mandar
mensagens a distância a 700 km em 20 minutos.
Alexandre Volta, em 1801, inventou a pilha elétrica que propiciou avanços absurdos
no campo das comunicações. No mesmo ano, Joseph Jacquard sugeriu a ideia de um comando
de tear, utilizando cartões perfurados, para tecer complexos desenhos e amostras em tapetes.
Hermann Hollerith inspirado no sistema de Jacquard, aplicou a ideia dos cartões perfurados
para o processamento de dados que viria a inventar as leitoras dos computares de cartões
perfurados. O sistema levou seu nome, hoje chamado IBM.
Em 1809, Von Soemmerring, um cientista alemão, demonstrou a possibilidade de
funcionamento de seu telégrafo "eletroquímico", que aplicava a energia produzida pela pilha
de Volta.
O físico inglês Michael Faraday, em 1831, demonstrou a possibilidade de produção
de uma corrente elétrica a partir da indução magnética.
Samuel Morse inventa o telegrafo elétrico em 1837.
No ano de 1837, Pagge, físico americano, descobriu a música galvânica, depois
aperfeiçoada pelo genovês Auguste de La Rive. Surge a ideia de induzir corrente num
eletroímã com um número de interrupções superior ao limite humano de audição. A barra
imantada de teste produziu sons. Esta invenção logo provocou inúmeras experiências no
mesmo campo e Philippe Reis, em 1860, imaginou transmitir os sons musicais à distância,
usando processo semelhante ao do telefone elétrico. Criou um telefone rudimentar chamado
telefone "filosófico".
O telégrafo de fio elétrico de Samuel Morse teve a sua primeira linha inaugurada a
24 de maio de 1844, ligando Baltimore a Washington (EUA), aplicando um código de sinais,
também inventado por ele.
O divisor de águas foi em 1876. No dia 7 de março, Alexander Graham Bell, um
escocês que vivia nos Estados Unidos, patenteou o desenho de um aparelho chamado de
telefone, que viria alterar as comunicações de forma drástica mundialmente.
No ano de 1886, Otto Mergenthaler, inventou o linotipo, revolucionando a imprensa
escrita. O linotipo imprimiu nova velocidade à composição de texto, superando o antigo
método manual da compor letra a letra.
Herman Hollerith, em 1890, o norte-americano inventou 3 "máquina de recensear",
capaz de computar informações do 240 diferentes áreas, o que deu origem ao Sistema IBM
dos nossos dias.
Em 2 de junho de 1896, Guglielmo Marconi patenteou em Londres um sistema
prático de telegrafia sem fio por meio de ondas elétricas, inventando, desta maneira, um novo
e revolucionário meio de comunicação: o rádio.
No Brasil, Landell de Moura também fazia experiências de comunicação e, em 1893
realizou com êxito, em São Paulo, as primeiras transmissões no mundo de sinais telegráficos e
de voz humana em telefonia sem fio.
Na década de 20 baseando-se em trabalhos de Paul Nipkow, o alemão John Logie
Baird conseguiu realizar transmissões pioneiras, concluindo com um acordo com a BBC, em
1926, para emissões experimentais. As pesquisas tiveram continuidade pelo russo-americano
Vladimir Zworykin e pelo alemão Ferdinand Braun; mas, em 1930, foi o francês René
Barthelemy que conseguiu fazer funcionar um transmissor.
O ano de 1935 encontra a BBC iniciando transmissões regulares de TV. Também a
França instalou sua primeira estação na Torro Eiffel.
O primeiro computador digital eletronico do mundo foi criado em 1946, o ENIAC.
Em 18 de dezembro de 1958, os Estados Unidos lança o primeiro satélite de
comunicações, o Score I, que transmitiu uma mensagem de Natal pelo Presidente Eisenhower.
Depois, subiu o ECO I, em agosto de 1960, quando ficou provado que as comunicações
podiam ser transmitidas através de um refletor em órbita.
O desenvolvimento da transmissão de dados por pacotes entre computadores se dá
em 1961.
J. C. R. Licklider conceitua a chamada “Rede Galáctica” em 1962.
A fibra óptica em foi inventada pelo físico indiano Narinder Singh Kanpany, ela se
tornou mais prática durante os anos 60 com o surgimento das fontes de luz de estado sólido,
raio lazer e os LEDs, e das fibras de vidro de alta qualidade livres de impurezas. As
companhias telefônicas foram as primeiras a se beneficiar do uso de técnicas de fibra ótica em
conexões de longa distância, em meados da década de 1980, foram estendidos, nos Estados
Unidos e no Japão, milhares de quilômetros de cabos de fibra óptica para estabelecer
comunicações telefônicas.
Em outubro de 1969, a ARPANET teve seu primeiro sucesso ao transmitir uma
mensagem através de sua rede, da Universidade de Los Angeles até o instituto em Stanford,
em uma distância de quase 650 quilômetros.
História do teleprocessamento e tipos de processamento
Com grandes empresas surgiu a necessidade de terem um centro de processamento
de dados e núcleos interligados em vários locais distantes.
Primeiramente todo o processamento de dados era centralizado, tanto a cpu como os
dispositivos de entrada/saída tinham de estar no mesmo ambiente. O era absurdamente grande
para o processamento de dados devido a coleta manual de informações, manuseio excessivo
de documentos, transporte de documentos entre localidades remotas. Erros detectados pelo
computador só poderiam ser corrigidos no próximo ciclo de processamento, após a correção
da informação no local onde foi gerada.
Para uso eficaz dos recursos de processamento, sentiu-se a necessidade de que os
dispositivos de entrada e saída estivessem fisicamente nos locais onde estava a informação a
ser processada. O processamento mantinha-se centralizado, mas surgiu o conceito de
processamento à distância ou teleprocessamento.
Com a internet foi possível a descentralização dos dispositivos de entrada e
saída, consequentemente, descentralizando o poder de cálculo, permitindo assim,
pontos remotos que através de unidade de processamento de menor porte, executam
localmente parte dos trabalhos, somente recorrendo ao processador central nas
aplicações mais complexas. As vantagens são a redução dos erros de transcrição e de
entrada de dados, acesso de um número muito maior de pessoas ao sistemas de
processamentos de dados, coleta e disseminação imediata da informação à
velocidade eletrônica.
Os tipos de sinais podem ser:
 Analógicos: os sinais elétricos pode assumir, no tempo, infinitos
valores possíveis de amplitude permitida pelo meio de transmissão,
tais sinais são utilizados em telefonia e televisão.
 Digitais: os sinais elétricos que representam a informação assumem
valores de amplitude predeterminados no tempo, tais sinais digitais
são normalmente utilizadas em telegrafia e transmissão de dados,
como por exemplo código Morse e telegrafia.
Os tipos de transmissão podem ser:
 Simplex: comunicação em uma única direção.
 Half-duples: comunicação possível em ambas as direções, porém
não simultaneamente.
 Full-duplex: comunicação possível em ambas as direções
simultaneamente.
Os tipos de transmissão podem ser:
 Assíncrona: para cada caractere que desejamos transmitir, utiliza-se
um elemento de sinalização para indicar o início do caractere(start) e
um outro para indicar o término(stop). O start bit de partida
corresponde a uma interrupção do sinal na linha e o stop bit de
parada, à condição de marca ou repouso.
 Síncrona: os bits de um caracteres são enviados imediatamente
após o anterior, não existindo start-stop e tempo de repouso entre
eles. A transmissão síncrona é estabelecida através de uma cadência
fixa de para cada transmissor dos bits de todo o conjunto de
caracteres.
As ligações em um teleprocessamento podem ser multiponto ou ponto a
ponto. Uma ligação multiponto consiste nas facilidades de comunicação
compartilhada entre diversos usuários. Nesta configuração, o usuário principal é
designada com estação de controle central. Os terminais que estão partilhados da
linha passam a ter endereços para que a estação central possa enviar corretamente o
tráfego de dados ao ponto de destino.
Uma ligação ponto a ponto pode ser estabelecido por linha de comunicação
ponto a ponto dedicado ou ponto a ponto comutado.
 Dedicado: o circuito utiliza linha privativa para comunicação de
dados, mantendo os equipamentos terminais sempre ligados entre si,
mesmo quando não há informações a serem transmitidas.
 Comutado: utiliza-se a rede pública de telefonia para a interligação
de duas estações. O datalink é desfeito após as duas estações
completarem suas transmissões. Um novo datalink é criado para
subsequentes transmissões pelo processo de discagem.
Uma rede de teleprocessamento é composta por: Host, Unidade de controle
de terminais, Controladores de comunicação, Controladoras hardwired,
Controladoras programáveis, Multiplexador, Multiplexador estatístico, Concentrador,
Unidade de derivação digital, Derivação digital de modem, Derivação digital da
porta, Unidade de derivação analógica e Terminal.
Conclusão
Segundo Lavoisier "Na natureza, nada se cria, nada se perde, tudo se
transforma", seguindo esta ideia, na comunicação não é diferente. Parindo da forma
de comunicação primaria e mais rudimentar, a voz, que o único intuito é transmitir
informação, todas as outras formas de comunicação criadas é unicamente para isso,
possibilitar uma pessoa conversar com a outra.
A transformação é unicamente no meio de transmissão e consequentemente
em sua velocidade, cada vez mais a prioridade é transmitir o máximo de informações
em menos tempo e com o nível de segurança mais elevado possível.
Os seres humanos são criadores por natureza. Todo e qualquer problema
que eles encontram alguém se habilita para sana-lo.
Com a evolução do mundo e das pessoas, se faz necessário uma grande
troca de informação, desde pessoas para pessoas, empresas para empresas ou
computadores para computadores. Para isto foi criado várias forma de se enviar,
receber e processar essas informações. O pensamento principal é que enquanto
existirem pessoas e informações para transmitir e processar os meios de
comunicações estarão em constante evolução.
Referências
NETO, Pedro de Alcântara. História das comunicações e das telecomunicações.
Disponível em:
<http://www2.ee.ufpe.br/codec/Historia%20das%20comunicaes%20e%20das%20tel
ecomunicaes_UPE.pdf> Acesso em 11 de Fevereiro de 2014 às 08:30.
QUEIROZ, Pedro Campanholo de. Redes de Computadores e Teleprocessamento.
Unemat. 09 de Novembro de 2006. Disponível em:
<http://amigonerd.net/exatas/informatica/redes-de-computadores-e-
teleprocessamento> Acesso em 11 de Fevereiro de 2014 às 08:51.
KLEINA, Nilton. A história da Internet: pré-década de 60 até anos 80
[infográfico]. 29 de Abril de 2011. Disponível em: <
http://www.tecmundo.com.br/infografico/9847-a-historia-da-internet-pre-decada-de-
60-ate-anos-80-infografico-.htm> Acesso em 11 de Fevereiro de 2014 às 10:05.
A história da evolução do teleprocessamento na informativa. Disponível em:
<http://www.topgyn.com.br/estudenet/albums/escola/trabalhos-
escolares/informatica/A-historia-da-evolucao-do-teleprocessamento-na-
informativa.doc> Acesso em 11 de Fevereiro de 2014 às 12:44.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A origem e evolução da Internet
A origem e evolução da InternetA origem e evolução da Internet
A origem e evolução da InternetPepe Rocker
 
5G - Redes Móveis Celular de Quinta Geração
5G - Redes Móveis Celular de Quinta Geração5G - Redes Móveis Celular de Quinta Geração
5G - Redes Móveis Celular de Quinta GeraçãoMiguel_Arcanjo3
 
Calçada Acessível
Calçada AcessívelCalçada Acessível
Calçada AcessívelScott Rains
 
Cartaz-Medidas-Universais.pdf
Cartaz-Medidas-Universais.pdfCartaz-Medidas-Universais.pdf
Cartaz-Medidas-Universais.pdfNohemyGomes1
 
A História Da Internet
A História Da InternetA História Da Internet
A História Da InternetBugui94
 
Simplex, Half-Duplex e Full-Duplex
Simplex, Half-Duplex e Full-DuplexSimplex, Half-Duplex e Full-Duplex
Simplex, Half-Duplex e Full-DuplexYohana Alves
 
A História e Evolução dos Computadores
A História e Evolução dos ComputadoresA História e Evolução dos Computadores
A História e Evolução dos ComputadoresNascimentoeli
 
Transparência Pública - Carta enviada à Prefeito e Câmara de Vereadores de Pi...
Transparência Pública - Carta enviada à Prefeito e Câmara de Vereadores de Pi...Transparência Pública - Carta enviada à Prefeito e Câmara de Vereadores de Pi...
Transparência Pública - Carta enviada à Prefeito e Câmara de Vereadores de Pi...Florespi
 
74 autismo escola e família por simone helen drumond
74  autismo  escola e família por simone helen drumond74  autismo  escola e família por simone helen drumond
74 autismo escola e família por simone helen drumondSimoneHelenDrumond
 
Lados Negativos da Tecnologia.
Lados Negativos da Tecnologia.Lados Negativos da Tecnologia.
Lados Negativos da Tecnologia.Nicole Gouveia
 
10 de março dia do Assistente de Educação
10 de março dia do Assistente de Educação10 de março dia do Assistente de Educação
10 de março dia do Assistente de EducaçãoDaiana de Ávila
 
As 10 regras da segurança na internet
As 10 regras da segurança na internetAs 10 regras da segurança na internet
As 10 regras da segurança na internetDiogo Guerreiro
 
Apostila projetode redes
Apostila projetode redesApostila projetode redes
Apostila projetode redesredesinforma
 

Mais procurados (20)

A origem e evolução da Internet
A origem e evolução da InternetA origem e evolução da Internet
A origem e evolução da Internet
 
Historia da internet
Historia da internetHistoria da internet
Historia da internet
 
5G - Redes Móveis Celular de Quinta Geração
5G - Redes Móveis Celular de Quinta Geração5G - Redes Móveis Celular de Quinta Geração
5G - Redes Móveis Celular de Quinta Geração
 
Placa fax - modem slide
Placa   fax - modem slidePlaca   fax - modem slide
Placa fax - modem slide
 
Calçada Acessível
Calçada AcessívelCalçada Acessível
Calçada Acessível
 
Cartaz-Medidas-Universais.pdf
Cartaz-Medidas-Universais.pdfCartaz-Medidas-Universais.pdf
Cartaz-Medidas-Universais.pdf
 
A História Da Internet
A História Da InternetA História Da Internet
A História Da Internet
 
Ipv4 e ipv6
Ipv4 e ipv6Ipv4 e ipv6
Ipv4 e ipv6
 
Simplex, Half-Duplex e Full-Duplex
Simplex, Half-Duplex e Full-DuplexSimplex, Half-Duplex e Full-Duplex
Simplex, Half-Duplex e Full-Duplex
 
A História e Evolução dos Computadores
A História e Evolução dos ComputadoresA História e Evolução dos Computadores
A História e Evolução dos Computadores
 
Transparência Pública - Carta enviada à Prefeito e Câmara de Vereadores de Pi...
Transparência Pública - Carta enviada à Prefeito e Câmara de Vereadores de Pi...Transparência Pública - Carta enviada à Prefeito e Câmara de Vereadores de Pi...
Transparência Pública - Carta enviada à Prefeito e Câmara de Vereadores de Pi...
 
74 autismo escola e família por simone helen drumond
74  autismo  escola e família por simone helen drumond74  autismo  escola e família por simone helen drumond
74 autismo escola e família por simone helen drumond
 
Lados Negativos da Tecnologia.
Lados Negativos da Tecnologia.Lados Negativos da Tecnologia.
Lados Negativos da Tecnologia.
 
10 de março dia do Assistente de Educação
10 de março dia do Assistente de Educação10 de março dia do Assistente de Educação
10 de março dia do Assistente de Educação
 
Wifi
WifiWifi
Wifi
 
Páscoa
PáscoaPáscoa
Páscoa
 
CyberBullying
CyberBullyingCyberBullying
CyberBullying
 
Internet das Coisas
Internet das CoisasInternet das Coisas
Internet das Coisas
 
As 10 regras da segurança na internet
As 10 regras da segurança na internetAs 10 regras da segurança na internet
As 10 regras da segurança na internet
 
Apostila projetode redes
Apostila projetode redesApostila projetode redes
Apostila projetode redes
 

Semelhante a Histórico das comunicações, teleprocessamento e tipos de processamento

Curso efa ns cultura, língua e comunicação. clc 5
Curso efa ns cultura, língua e comunicação. clc 5Curso efa ns cultura, língua e comunicação. clc 5
Curso efa ns cultura, língua e comunicação. clc 5claramatos
 
01_aula1_jol_t-3.ppt
01_aula1_jol_t-3.ppt01_aula1_jol_t-3.ppt
01_aula1_jol_t-3.pptArtur Araujo
 
01_aula1_jol_t-5.ppt
01_aula1_jol_t-5.ppt01_aula1_jol_t-5.ppt
01_aula1_jol_t-5.pptArtur Araujo
 
8ºA Trabalho de Grupo
8ºA Trabalho de Grupo8ºA Trabalho de Grupo
8ºA Trabalho de Grupoizidoro3
 
Curso redes sociais cidade rio 24012011
Curso redes sociais cidade rio 24012011Curso redes sociais cidade rio 24012011
Curso redes sociais cidade rio 24012011Fernando Flessati
 
Aula 2, curso de administração, matéria TI.
Aula 2, curso de administração, matéria TI.Aula 2, curso de administração, matéria TI.
Aula 2, curso de administração, matéria TI.Luiz Marques
 
Introdução-a-Redes-01-2023.pptx
Introdução-a-Redes-01-2023.pptxIntrodução-a-Redes-01-2023.pptx
Introdução-a-Redes-01-2023.pptxTutorEADAlcidesMaya
 
14.08.2022 TECNOLOGIA DAS COMUNICAÇÕES.pptx
14.08.2022 TECNOLOGIA DAS COMUNICAÇÕES.pptx14.08.2022 TECNOLOGIA DAS COMUNICAÇÕES.pptx
14.08.2022 TECNOLOGIA DAS COMUNICAÇÕES.pptxtaloGardner
 
A ciência e os avanços nos sistemas de informação
A ciência e os avanços nos sistemas de informaçãoA ciência e os avanços nos sistemas de informação
A ciência e os avanços nos sistemas de informaçãoFernando Alcoforado
 
Curso de Telecom Aplicada a TI-Rev1.ppt
Curso de Telecom Aplicada a TI-Rev1.pptCurso de Telecom Aplicada a TI-Rev1.ppt
Curso de Telecom Aplicada a TI-Rev1.pptargemiro5
 
Apostila sistematelefonico
Apostila sistematelefonicoApostila sistematelefonico
Apostila sistematelefonicosartur
 
Rct 1 - histórico e evolução das redes de telecomunicações e de computadores
Rct   1 - histórico e evolução das redes de telecomunicações e de computadoresRct   1 - histórico e evolução das redes de telecomunicações e de computadores
Rct 1 - histórico e evolução das redes de telecomunicações e de computadoresUniversal.org.mx
 

Semelhante a Histórico das comunicações, teleprocessamento e tipos de processamento (20)

Curso efa ns cultura, língua e comunicação. clc 5
Curso efa ns cultura, língua e comunicação. clc 5Curso efa ns cultura, língua e comunicação. clc 5
Curso efa ns cultura, língua e comunicação. clc 5
 
01 Aula1 Jol T 3
01 Aula1 Jol T 301 Aula1 Jol T 3
01 Aula1 Jol T 3
 
01 Aula1 Jol T 5
01 Aula1 Jol T 501 Aula1 Jol T 5
01 Aula1 Jol T 5
 
01_aula1_jol_t-3.ppt
01_aula1_jol_t-3.ppt01_aula1_jol_t-3.ppt
01_aula1_jol_t-3.ppt
 
01_aula1_jol_t-5.ppt
01_aula1_jol_t-5.ppt01_aula1_jol_t-5.ppt
01_aula1_jol_t-5.ppt
 
Trabalho do grupo A5
Trabalho do grupo A5 Trabalho do grupo A5
Trabalho do grupo A5
 
8ºA Trabalho de Grupo
8ºA Trabalho de Grupo8ºA Trabalho de Grupo
8ºA Trabalho de Grupo
 
Curso redes sociais cidade rio 24012011
Curso redes sociais cidade rio 24012011Curso redes sociais cidade rio 24012011
Curso redes sociais cidade rio 24012011
 
Aula 2, curso de administração, matéria TI.
Aula 2, curso de administração, matéria TI.Aula 2, curso de administração, matéria TI.
Aula 2, curso de administração, matéria TI.
 
Introdução-a-Redes-01-2023.pptx
Introdução-a-Redes-01-2023.pptxIntrodução-a-Redes-01-2023.pptx
Introdução-a-Redes-01-2023.pptx
 
P T 8
P T  8P T  8
P T 8
 
Aula 3 Comu e inform .pptx
Aula 3 Comu e inform .pptxAula 3 Comu e inform .pptx
Aula 3 Comu e inform .pptx
 
Trabalhoredes
TrabalhoredesTrabalhoredes
Trabalhoredes
 
Apostila teelcomunicações básicas
Apostila teelcomunicações básicasApostila teelcomunicações básicas
Apostila teelcomunicações básicas
 
14.08.2022 TECNOLOGIA DAS COMUNICAÇÕES.pptx
14.08.2022 TECNOLOGIA DAS COMUNICAÇÕES.pptx14.08.2022 TECNOLOGIA DAS COMUNICAÇÕES.pptx
14.08.2022 TECNOLOGIA DAS COMUNICAÇÕES.pptx
 
A ciência e os avanços nos sistemas de informação
A ciência e os avanços nos sistemas de informaçãoA ciência e os avanços nos sistemas de informação
A ciência e os avanços nos sistemas de informação
 
O rádio e a internet
O rádio e a internetO rádio e a internet
O rádio e a internet
 
Curso de Telecom Aplicada a TI-Rev1.ppt
Curso de Telecom Aplicada a TI-Rev1.pptCurso de Telecom Aplicada a TI-Rev1.ppt
Curso de Telecom Aplicada a TI-Rev1.ppt
 
Apostila sistematelefonico
Apostila sistematelefonicoApostila sistematelefonico
Apostila sistematelefonico
 
Rct 1 - histórico e evolução das redes de telecomunicações e de computadores
Rct   1 - histórico e evolução das redes de telecomunicações e de computadoresRct   1 - histórico e evolução das redes de telecomunicações e de computadores
Rct 1 - histórico e evolução das redes de telecomunicações e de computadores
 

Mais de Deroci Nonato Júnior

Utilização de sistemas distribuidos
Utilização de sistemas distribuidosUtilização de sistemas distribuidos
Utilização de sistemas distribuidosDeroci Nonato Júnior
 
Sistema de Banco de Dados Distribuídos
Sistema de Banco de Dados DistribuídosSistema de Banco de Dados Distribuídos
Sistema de Banco de Dados DistribuídosDeroci Nonato Júnior
 
V Workshop de Sistemas Distribuídos Autonômicos - WoSiDA
V Workshop de Sistemas Distribuídos Autonômicos - WoSiDAV Workshop de Sistemas Distribuídos Autonômicos - WoSiDA
V Workshop de Sistemas Distribuídos Autonômicos - WoSiDADeroci Nonato Júnior
 
SIG - Sistema de Informações Gerenciais
SIG - Sistema de Informações GerenciaisSIG - Sistema de Informações Gerenciais
SIG - Sistema de Informações GerenciaisDeroci Nonato Júnior
 
COBIT - Control Objectives for Information and related Technology
COBIT - Control Objectives for Information and related TechnologyCOBIT - Control Objectives for Information and related Technology
COBIT - Control Objectives for Information and related TechnologyDeroci Nonato Júnior
 
Sistema de Informacoes Gerenciais - SIG
Sistema de Informacoes Gerenciais - SIGSistema de Informacoes Gerenciais - SIG
Sistema de Informacoes Gerenciais - SIGDeroci Nonato Júnior
 
COBIT - Objetivo de Controle para Tecnologia da Informação e Áreas Relacionadas
COBIT - Objetivo de Controle para Tecnologia da Informação e Áreas RelacionadasCOBIT - Objetivo de Controle para Tecnologia da Informação e Áreas Relacionadas
COBIT - Objetivo de Controle para Tecnologia da Informação e Áreas RelacionadasDeroci Nonato Júnior
 
Interconexão de redes - Documentação de Rede
Interconexão de redes - Documentação de RedeInterconexão de redes - Documentação de Rede
Interconexão de redes - Documentação de RedeDeroci Nonato Júnior
 
Proposta Executiva do Projeto - Asterisk
Proposta Executiva do Projeto - AsteriskProposta Executiva do Projeto - Asterisk
Proposta Executiva do Projeto - AsteriskDeroci Nonato Júnior
 
Queijos Nacionais - Proposta de Negócio
Queijos Nacionais - Proposta de NegócioQueijos Nacionais - Proposta de Negócio
Queijos Nacionais - Proposta de NegócioDeroci Nonato Júnior
 

Mais de Deroci Nonato Júnior (19)

Utilização de sistemas distribuidos
Utilização de sistemas distribuidosUtilização de sistemas distribuidos
Utilização de sistemas distribuidos
 
Nova Genesis - Internet do Futuro
Nova Genesis - Internet do FuturoNova Genesis - Internet do Futuro
Nova Genesis - Internet do Futuro
 
Resenha WoSida 2015
Resenha WoSida 2015Resenha WoSida 2015
Resenha WoSida 2015
 
Banco de dados distribuidos
Banco de dados distribuidosBanco de dados distribuidos
Banco de dados distribuidos
 
Sistema de Banco de Dados Distribuídos
Sistema de Banco de Dados DistribuídosSistema de Banco de Dados Distribuídos
Sistema de Banco de Dados Distribuídos
 
Nova Genesis - Internet do Futuro
Nova Genesis - Internet do FuturoNova Genesis - Internet do Futuro
Nova Genesis - Internet do Futuro
 
V Workshop de Sistemas Distribuídos Autonômicos - WoSiDA
V Workshop de Sistemas Distribuídos Autonômicos - WoSiDAV Workshop de Sistemas Distribuídos Autonômicos - WoSiDA
V Workshop de Sistemas Distribuídos Autonômicos - WoSiDA
 
SIG - Sistema de Informações Gerenciais
SIG - Sistema de Informações GerenciaisSIG - Sistema de Informações Gerenciais
SIG - Sistema de Informações Gerenciais
 
COBIT - Control Objectives for Information and related Technology
COBIT - Control Objectives for Information and related TechnologyCOBIT - Control Objectives for Information and related Technology
COBIT - Control Objectives for Information and related Technology
 
Sistema de Informacoes Gerenciais - SIG
Sistema de Informacoes Gerenciais - SIGSistema de Informacoes Gerenciais - SIG
Sistema de Informacoes Gerenciais - SIG
 
COBIT - Objetivo de Controle para Tecnologia da Informação e Áreas Relacionadas
COBIT - Objetivo de Controle para Tecnologia da Informação e Áreas RelacionadasCOBIT - Objetivo de Controle para Tecnologia da Informação e Áreas Relacionadas
COBIT - Objetivo de Controle para Tecnologia da Informação e Áreas Relacionadas
 
Segurança de redes wi fi - WPA
Segurança de redes wi fi - WPASegurança de redes wi fi - WPA
Segurança de redes wi fi - WPA
 
Segurança de rede wi fi - WPA
Segurança de rede wi fi - WPASegurança de rede wi fi - WPA
Segurança de rede wi fi - WPA
 
Interconexão de redes - Documentação de Rede
Interconexão de redes - Documentação de RedeInterconexão de redes - Documentação de Rede
Interconexão de redes - Documentação de Rede
 
Projeto Asterisk - Empresa
Projeto Asterisk - EmpresaProjeto Asterisk - Empresa
Projeto Asterisk - Empresa
 
Proposta Executiva do Projeto - Asterisk
Proposta Executiva do Projeto - AsteriskProposta Executiva do Projeto - Asterisk
Proposta Executiva do Projeto - Asterisk
 
Queijos Nacionais - Proposta de Negócio
Queijos Nacionais - Proposta de NegócioQueijos Nacionais - Proposta de Negócio
Queijos Nacionais - Proposta de Negócio
 
Automação Residencial
Automação ResidencialAutomação Residencial
Automação Residencial
 
Windows Server
Windows ServerWindows Server
Windows Server
 

Histórico das comunicações, teleprocessamento e tipos de processamento

  • 1. FACULDADES SANTA CRUZ DE CURITIBA DEROCI NONATO JÚNIOR HISTÓRICO DAS COMUNICAÇÕES, TELEPROCESSAMENTO E TIPOS DE PROCESSAMENTO Curitiba/PR 2014
  • 2. DEROCI NONATO JÚNIOR HISTÓRICO DAS COMUNICAÇÕES, TELEPROCESSAMENTO E TIPOS DE PROCESSAMENTO Trabalho apresentado ao Professor Vandro Borges da disciplina Fundamentos de Redes do curso Tecnologia em Redes de Computadores do 1° ano do 1° período do 1° bimestre da Faculdades Santa Cruz de Curitiba. Curitiba/PR 2013
  • 3. Introdução Em tempos passados a comunicação progredia a cada década, nos dias de hoje pode se dizer que ela progride a cada minuto ou menos. Possuímos celulares que reúnem diversos aparelhos que antes só se podiam usar-se separadamente, como rádio, filmadora, ter acesso a internet, GPS, mp3. Mas isto é apenas o que o usuário tem acesso, pois nos laboratórios de pesquisas onde a tecnologia é desenvolvida as pessoas de lá já contam com tecnologia muito superior. A necessidade de comunicação das pessoas é algo muito antigo, já que o homem está fadado a viver em comunidade se faz necessário o máximo de comunicação e o máximo de velocidade possível nela, por este motivo a evolução no setor de comunicação é de longe muito mais rápido que qualquer outro setor que existe. Hoje além da necessidade comunicação das pessoas, contamos com a necessidade de comunicação entre uma máquina e outra, para transmissão de dados, confirmação de transações, comparação de dados etc.
  • 4. Histórico das comunicações O meio de comunicação mais primitivo e utilizado é a voz. Os antigos quando havia necessidade de enviar mensagens a longas distancias o recado era passado de pessoas para pessoa em uma espécie de telefone sem fio. Com a invenção dos instrumentos de percussão, foi possível a troca de informações a distância, uma distância bem maior do que a voz humana poderia alcançar. A sequência de sons emitidos era combinado entre as tribos que as utilizavam na maioria das vezes como forma de aviso ou alerta de ataque. O ouvido era encostado no chão para melhor por distinguir a sequência de batidas quando a distância ou a força do vento era muita. Utilizado também foi o instrumento de sopro, feito com chifre de animais, em nosso país chamado de berrante. Era também combinado a sequência de som com as pessoas para que quando precisassem a utilizassem para transmitir mensagens a distancias maiores. Os chamados telégrafos visuais também eram utilizados. Pessoas combinavam os sinais entre eles e quando se fazia necessários elas subiam em colinas ou montes, acendiam uma fogueira ou tocha e repetia os sinais combinados conforme a necessidade. Com a habilidade de montar a cavalo, foi possível ganhar mais tempo na transmissão de mensagens boca a boca. Este método foi muito utilizado até o século XVIII. Francis Bacon, em 1605, desenvolve o alfabeto binário. Instrumentos para a comunicação eram inventados ou idealizado a todos os momentos em vista da busca de reduzir o tempo de transmissão das mensagens e também dar segurança do recebimento, sem haver a captação da mesma por terceiros. Em 1667 o físico inglês Robert Hooke sugeriu o uso do fio esticado para transmitir som. Em 1684, Dom Gauthier, monge francês, realizou experiências de telefonia acústica, utilizando tubos pneumáticos. Em 1791, em Paris, Claude Chappe efetuou as primeiras demonstrações do "telégrafo ótico" ligando Paris - Lilíe. Era um conjunto de hastes móveis que transmitiam letras e sinais de um código. Colocada em lugares altos, ou torres, essa máquina podia mandar mensagens a distância a 700 km em 20 minutos.
  • 5. Alexandre Volta, em 1801, inventou a pilha elétrica que propiciou avanços absurdos no campo das comunicações. No mesmo ano, Joseph Jacquard sugeriu a ideia de um comando de tear, utilizando cartões perfurados, para tecer complexos desenhos e amostras em tapetes. Hermann Hollerith inspirado no sistema de Jacquard, aplicou a ideia dos cartões perfurados para o processamento de dados que viria a inventar as leitoras dos computares de cartões perfurados. O sistema levou seu nome, hoje chamado IBM. Em 1809, Von Soemmerring, um cientista alemão, demonstrou a possibilidade de funcionamento de seu telégrafo "eletroquímico", que aplicava a energia produzida pela pilha de Volta. O físico inglês Michael Faraday, em 1831, demonstrou a possibilidade de produção de uma corrente elétrica a partir da indução magnética. Samuel Morse inventa o telegrafo elétrico em 1837. No ano de 1837, Pagge, físico americano, descobriu a música galvânica, depois aperfeiçoada pelo genovês Auguste de La Rive. Surge a ideia de induzir corrente num eletroímã com um número de interrupções superior ao limite humano de audição. A barra imantada de teste produziu sons. Esta invenção logo provocou inúmeras experiências no mesmo campo e Philippe Reis, em 1860, imaginou transmitir os sons musicais à distância, usando processo semelhante ao do telefone elétrico. Criou um telefone rudimentar chamado telefone "filosófico". O telégrafo de fio elétrico de Samuel Morse teve a sua primeira linha inaugurada a 24 de maio de 1844, ligando Baltimore a Washington (EUA), aplicando um código de sinais, também inventado por ele. O divisor de águas foi em 1876. No dia 7 de março, Alexander Graham Bell, um escocês que vivia nos Estados Unidos, patenteou o desenho de um aparelho chamado de telefone, que viria alterar as comunicações de forma drástica mundialmente. No ano de 1886, Otto Mergenthaler, inventou o linotipo, revolucionando a imprensa escrita. O linotipo imprimiu nova velocidade à composição de texto, superando o antigo método manual da compor letra a letra.
  • 6. Herman Hollerith, em 1890, o norte-americano inventou 3 "máquina de recensear", capaz de computar informações do 240 diferentes áreas, o que deu origem ao Sistema IBM dos nossos dias. Em 2 de junho de 1896, Guglielmo Marconi patenteou em Londres um sistema prático de telegrafia sem fio por meio de ondas elétricas, inventando, desta maneira, um novo e revolucionário meio de comunicação: o rádio. No Brasil, Landell de Moura também fazia experiências de comunicação e, em 1893 realizou com êxito, em São Paulo, as primeiras transmissões no mundo de sinais telegráficos e de voz humana em telefonia sem fio. Na década de 20 baseando-se em trabalhos de Paul Nipkow, o alemão John Logie Baird conseguiu realizar transmissões pioneiras, concluindo com um acordo com a BBC, em 1926, para emissões experimentais. As pesquisas tiveram continuidade pelo russo-americano Vladimir Zworykin e pelo alemão Ferdinand Braun; mas, em 1930, foi o francês René Barthelemy que conseguiu fazer funcionar um transmissor. O ano de 1935 encontra a BBC iniciando transmissões regulares de TV. Também a França instalou sua primeira estação na Torro Eiffel. O primeiro computador digital eletronico do mundo foi criado em 1946, o ENIAC. Em 18 de dezembro de 1958, os Estados Unidos lança o primeiro satélite de comunicações, o Score I, que transmitiu uma mensagem de Natal pelo Presidente Eisenhower. Depois, subiu o ECO I, em agosto de 1960, quando ficou provado que as comunicações podiam ser transmitidas através de um refletor em órbita. O desenvolvimento da transmissão de dados por pacotes entre computadores se dá em 1961. J. C. R. Licklider conceitua a chamada “Rede Galáctica” em 1962. A fibra óptica em foi inventada pelo físico indiano Narinder Singh Kanpany, ela se tornou mais prática durante os anos 60 com o surgimento das fontes de luz de estado sólido, raio lazer e os LEDs, e das fibras de vidro de alta qualidade livres de impurezas. As companhias telefônicas foram as primeiras a se beneficiar do uso de técnicas de fibra ótica em conexões de longa distância, em meados da década de 1980, foram estendidos, nos Estados
  • 7. Unidos e no Japão, milhares de quilômetros de cabos de fibra óptica para estabelecer comunicações telefônicas. Em outubro de 1969, a ARPANET teve seu primeiro sucesso ao transmitir uma mensagem através de sua rede, da Universidade de Los Angeles até o instituto em Stanford, em uma distância de quase 650 quilômetros. História do teleprocessamento e tipos de processamento Com grandes empresas surgiu a necessidade de terem um centro de processamento de dados e núcleos interligados em vários locais distantes. Primeiramente todo o processamento de dados era centralizado, tanto a cpu como os dispositivos de entrada/saída tinham de estar no mesmo ambiente. O era absurdamente grande para o processamento de dados devido a coleta manual de informações, manuseio excessivo de documentos, transporte de documentos entre localidades remotas. Erros detectados pelo computador só poderiam ser corrigidos no próximo ciclo de processamento, após a correção da informação no local onde foi gerada. Para uso eficaz dos recursos de processamento, sentiu-se a necessidade de que os dispositivos de entrada e saída estivessem fisicamente nos locais onde estava a informação a ser processada. O processamento mantinha-se centralizado, mas surgiu o conceito de processamento à distância ou teleprocessamento. Com a internet foi possível a descentralização dos dispositivos de entrada e saída, consequentemente, descentralizando o poder de cálculo, permitindo assim, pontos remotos que através de unidade de processamento de menor porte, executam localmente parte dos trabalhos, somente recorrendo ao processador central nas aplicações mais complexas. As vantagens são a redução dos erros de transcrição e de entrada de dados, acesso de um número muito maior de pessoas ao sistemas de processamentos de dados, coleta e disseminação imediata da informação à velocidade eletrônica. Os tipos de sinais podem ser:  Analógicos: os sinais elétricos pode assumir, no tempo, infinitos valores possíveis de amplitude permitida pelo meio de transmissão, tais sinais são utilizados em telefonia e televisão.
  • 8.  Digitais: os sinais elétricos que representam a informação assumem valores de amplitude predeterminados no tempo, tais sinais digitais são normalmente utilizadas em telegrafia e transmissão de dados, como por exemplo código Morse e telegrafia. Os tipos de transmissão podem ser:  Simplex: comunicação em uma única direção.  Half-duples: comunicação possível em ambas as direções, porém não simultaneamente.  Full-duplex: comunicação possível em ambas as direções simultaneamente. Os tipos de transmissão podem ser:  Assíncrona: para cada caractere que desejamos transmitir, utiliza-se um elemento de sinalização para indicar o início do caractere(start) e um outro para indicar o término(stop). O start bit de partida corresponde a uma interrupção do sinal na linha e o stop bit de parada, à condição de marca ou repouso.  Síncrona: os bits de um caracteres são enviados imediatamente após o anterior, não existindo start-stop e tempo de repouso entre eles. A transmissão síncrona é estabelecida através de uma cadência fixa de para cada transmissor dos bits de todo o conjunto de caracteres. As ligações em um teleprocessamento podem ser multiponto ou ponto a ponto. Uma ligação multiponto consiste nas facilidades de comunicação compartilhada entre diversos usuários. Nesta configuração, o usuário principal é designada com estação de controle central. Os terminais que estão partilhados da linha passam a ter endereços para que a estação central possa enviar corretamente o tráfego de dados ao ponto de destino. Uma ligação ponto a ponto pode ser estabelecido por linha de comunicação ponto a ponto dedicado ou ponto a ponto comutado.
  • 9.  Dedicado: o circuito utiliza linha privativa para comunicação de dados, mantendo os equipamentos terminais sempre ligados entre si, mesmo quando não há informações a serem transmitidas.  Comutado: utiliza-se a rede pública de telefonia para a interligação de duas estações. O datalink é desfeito após as duas estações completarem suas transmissões. Um novo datalink é criado para subsequentes transmissões pelo processo de discagem. Uma rede de teleprocessamento é composta por: Host, Unidade de controle de terminais, Controladores de comunicação, Controladoras hardwired, Controladoras programáveis, Multiplexador, Multiplexador estatístico, Concentrador, Unidade de derivação digital, Derivação digital de modem, Derivação digital da porta, Unidade de derivação analógica e Terminal.
  • 10. Conclusão Segundo Lavoisier "Na natureza, nada se cria, nada se perde, tudo se transforma", seguindo esta ideia, na comunicação não é diferente. Parindo da forma de comunicação primaria e mais rudimentar, a voz, que o único intuito é transmitir informação, todas as outras formas de comunicação criadas é unicamente para isso, possibilitar uma pessoa conversar com a outra. A transformação é unicamente no meio de transmissão e consequentemente em sua velocidade, cada vez mais a prioridade é transmitir o máximo de informações em menos tempo e com o nível de segurança mais elevado possível. Os seres humanos são criadores por natureza. Todo e qualquer problema que eles encontram alguém se habilita para sana-lo. Com a evolução do mundo e das pessoas, se faz necessário uma grande troca de informação, desde pessoas para pessoas, empresas para empresas ou computadores para computadores. Para isto foi criado várias forma de se enviar, receber e processar essas informações. O pensamento principal é que enquanto existirem pessoas e informações para transmitir e processar os meios de comunicações estarão em constante evolução.
  • 11. Referências NETO, Pedro de Alcântara. História das comunicações e das telecomunicações. Disponível em: <http://www2.ee.ufpe.br/codec/Historia%20das%20comunicaes%20e%20das%20tel ecomunicaes_UPE.pdf> Acesso em 11 de Fevereiro de 2014 às 08:30. QUEIROZ, Pedro Campanholo de. Redes de Computadores e Teleprocessamento. Unemat. 09 de Novembro de 2006. Disponível em: <http://amigonerd.net/exatas/informatica/redes-de-computadores-e- teleprocessamento> Acesso em 11 de Fevereiro de 2014 às 08:51. KLEINA, Nilton. A história da Internet: pré-década de 60 até anos 80 [infográfico]. 29 de Abril de 2011. Disponível em: < http://www.tecmundo.com.br/infografico/9847-a-historia-da-internet-pre-decada-de- 60-ate-anos-80-infografico-.htm> Acesso em 11 de Fevereiro de 2014 às 10:05. A história da evolução do teleprocessamento na informativa. Disponível em: <http://www.topgyn.com.br/estudenet/albums/escola/trabalhos- escolares/informatica/A-historia-da-evolucao-do-teleprocessamento-na- informativa.doc> Acesso em 11 de Fevereiro de 2014 às 12:44.