SlideShare uma empresa Scribd logo
CLIMOGRAMA ,[object Object]
  Meses   Temperaturas   Chuvas   Janeiro   27   440   Fevereiro   26   450   Março   25   280   Abril   26   370   Maio   27   80   Junho   28   60   Julho   28   40   Agosto   25   45   Setembro   26   30   Outubro   26   100   Novembro   27   260   Dezembro   27   255
Análise : Manaus apresenta duas estações de chuvas bem diferenciadas: de maio a outubro, com pouca chuva (inferior a 100 mm mensais); e de novembro a abril, com grandes quantidades, variando de 250 a 450 mm. As temperaturas variam pouco entre 25º C e 28º C, em média.  Quais são os dados representados?   Temperaturas (dados quantitativos, contínuos e absolutos), precipitações (dados quantitativos, absolutos) e meses (ordenados).
GRANDES TIPOS CLIMÁTICOS
EQUATORIAL
TROPICAL
DESÉRTICO
TEMPERADO
MEDITERRÂNEO
SUBTROPICAL
CLIMA SEMI-ÁRIDO
FRIO FAIXA LIMÍTROFE DA ZONA TEMPERADA; PRECIPITAÇÃO BAIXA (POUCA EVAPORAÇÃO) BAIXAS TEMPERATURAS AMPLITUDE TÉRMICA ANUAL
POLAR
FRIO DE ALTA MONTANHA
 
 
CLIMA NO BRASIL ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
CLIMA NO BRASIL ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
 

Mais conteúdo relacionado

Mais de Maria Olandina Machado

Coletânea questões de geografia
Coletânea questões de geografiaColetânea questões de geografia
Coletânea questões de geografia
Maria Olandina Machado
 
Vegetação Litorânea
Vegetação Litorânea Vegetação Litorânea
Vegetação Litorânea
Maria Olandina Machado
 
Pantanal
Pantanal Pantanal
Floresta de Araucárias
Floresta de Araucárias Floresta de Araucárias
Floresta de Araucárias
Maria Olandina Machado
 
Campos
Campos Campos
Vegetação Litorânea
Vegetação Litorânea Vegetação Litorânea
Vegetação Litorânea
Maria Olandina Machado
 
Pantanal
Pantanal Pantanal
Mata dos cocais
Mata dos cocais Mata dos cocais
Mata dos cocais
Maria Olandina Machado
 
Cerrado
Cerrado Cerrado
Caatinga
CaatingaCaatinga
Floresta Amazônica
Floresta AmazônicaFloresta Amazônica
Floresta Amazônica
Maria Olandina Machado
 
Vegetação Litorânea
Vegetação Litorânea Vegetação Litorânea
Vegetação Litorânea
Maria Olandina Machado
 
Pantanal
Pantanal Pantanal
Mata dos Cocais
Mata dos CocaisMata dos Cocais
Mata dos Cocais
Maria Olandina Machado
 
Floresta de araucárias
Floresta de araucárias Floresta de araucárias
Floresta de araucárias
Maria Olandina Machado
 
Floresta Atlântica
Floresta Atlântica Floresta Atlântica
Floresta Atlântica
Maria Olandina Machado
 
Cerrado
Cerrado Cerrado
Campos
Campos Campos
Caatinga
CaatingaCaatinga
Biomas terrestres
Biomas terrestresBiomas terrestres
Biomas terrestres
Maria Olandina Machado
 

Mais de Maria Olandina Machado (20)

Coletânea questões de geografia
Coletânea questões de geografiaColetânea questões de geografia
Coletânea questões de geografia
 
Vegetação Litorânea
Vegetação Litorânea Vegetação Litorânea
Vegetação Litorânea
 
Pantanal
Pantanal Pantanal
Pantanal
 
Floresta de Araucárias
Floresta de Araucárias Floresta de Araucárias
Floresta de Araucárias
 
Campos
Campos Campos
Campos
 
Vegetação Litorânea
Vegetação Litorânea Vegetação Litorânea
Vegetação Litorânea
 
Pantanal
Pantanal Pantanal
Pantanal
 
Mata dos cocais
Mata dos cocais Mata dos cocais
Mata dos cocais
 
Cerrado
Cerrado Cerrado
Cerrado
 
Caatinga
CaatingaCaatinga
Caatinga
 
Floresta Amazônica
Floresta AmazônicaFloresta Amazônica
Floresta Amazônica
 
Vegetação Litorânea
Vegetação Litorânea Vegetação Litorânea
Vegetação Litorânea
 
Pantanal
Pantanal Pantanal
Pantanal
 
Mata dos Cocais
Mata dos CocaisMata dos Cocais
Mata dos Cocais
 
Floresta de araucárias
Floresta de araucárias Floresta de araucárias
Floresta de araucárias
 
Floresta Atlântica
Floresta Atlântica Floresta Atlântica
Floresta Atlântica
 
Cerrado
Cerrado Cerrado
Cerrado
 
Campos
Campos Campos
Campos
 
Caatinga
CaatingaCaatinga
Caatinga
 
Biomas terrestres
Biomas terrestresBiomas terrestres
Biomas terrestres
 

Último

APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
jbellas2
 
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manualUFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
Manuais Formação
 
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdfEJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
Escola Municipal Jesus Cristo
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Mary Alvarenga
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
ssuser701e2b
 
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e MateusAtividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Mary Alvarenga
 
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdfos-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
GiselaAlves15
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
JulianeMelo17
 
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
Escola Municipal Jesus Cristo
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
CarinaSoto12
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 

Último (20)

APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
 
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manualUFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
 
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdfEJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
 
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e MateusAtividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
 
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdfos-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
 
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 

Grandes tipos climáticos

  • 1.
  • 2.   Meses Temperaturas Chuvas Janeiro 27 440 Fevereiro 26 450 Março 25 280 Abril 26 370 Maio 27 80 Junho 28 60 Julho 28 40 Agosto 25 45 Setembro 26 30 Outubro 26 100 Novembro 27 260 Dezembro 27 255
  • 3. Análise : Manaus apresenta duas estações de chuvas bem diferenciadas: de maio a outubro, com pouca chuva (inferior a 100 mm mensais); e de novembro a abril, com grandes quantidades, variando de 250 a 450 mm. As temperaturas variam pouco entre 25º C e 28º C, em média. Quais são os dados representados? Temperaturas (dados quantitativos, contínuos e absolutos), precipitações (dados quantitativos, absolutos) e meses (ordenados).
  • 12. FRIO FAIXA LIMÍTROFE DA ZONA TEMPERADA; PRECIPITAÇÃO BAIXA (POUCA EVAPORAÇÃO) BAIXAS TEMPERATURAS AMPLITUDE TÉRMICA ANUAL
  • 13. POLAR
  • 14. FRIO DE ALTA MONTANHA
  • 15.  
  • 16.  
  • 17.
  • 18.
  • 19.