SlideShare uma empresa Scribd logo
EDUCAÇÃO AMBIENTAL
PROGRAMA
1. Objetivos
2. Introdução
3. Evolução historica Ambiental
4. Problemática Angolana sobre meio Ambiente
5. Definições
 Ambiente
 Sustentabilidade
Educação Ambiental
1. Importancia da Educação Ambiental no cotidiano
2. Desenvolvimento Sustentavel
3. Legislação Ambiental em Angola
4. Problemas Ambientais
5. Desequilibrio Ecologico
6. Poluição em Angola
7. Impactos Ambiental
8. Residuos Sólidos
9. CINFOTEC e o Meio Ambiente
Objectivo
 Dotar os formandos de conhecimento, habilidade e
atitude sobre o meio ambiente
 Ajudar os formandos a adquirir um comportamento
sustentável
 Prepara os formandos com de técnicas de Gestão
Ambiental
 Formatar os formandos de conhecimento sobre a
legislação Ambiental angolana
Introdução
Durante muito tempo o homem preocupava-se simplesmente
com questões económica e extraia da natureza vários recursos
naturais sem se importar com os danos que esta ação
representava para o ambiente. As alterações ambientais foram
se intensificado ao longo dos tempos e o homem foi buscando a
compreensão dos fenómenos naturais e antrópico e
compreendeu que deve se agir como parte integrante do
sistema natural de forma a proteger melhor a Natureza.
Evolução histórica da preocupação ambiental
A década de 1960 foi conhecida pelo conflito entre preservação e desenvolvimento. O debate iniciou com a
Publicação do livro primavera Silenciosa de Rachel Carson em 1962, que alertou sobre a utilização de pesticidas na
agricultura.
A década de 1970
Em 1972, um grupo de cientistas do Massachusetts Institute of Technology- MIT, que assessorava o Clube de Roma,
advertiu sobre os riscos económico contínuo baseado na exploração de recursos naturais não renováveis.
A década de 1980
No início da década de 1980, a ONU retomou o debate das questões ambientais. Gró Herlem Brundtland, primeira-
ministra da Noruega, foi indicada pela ONU para chefiar a comissão Mundial sobre o Meio Ambiente e
Desenvolvimento com o objectivo de estudar o assunto.
A década de 1990
Na década de 1990, já havia uma consciência colectiva sobre a importância da preservação e o equilíbrio ambiental.
A conferência das nações Unidas sobre o Meio Ambiente e desenvolvimento, conhecida também como Cúpula da
Terra ou Rio 92, realizada na cidade do Rio de Janeiro, resultou em importantes documentos como a carta da Terra
(Declaração do Rio) e a Agenda 21.
Século XXI
Em 2002 dez anos mais tarde da realização do Rio 92, foi realizada pela ONU, em Joanesburgo, na África do Sul, a
Cúpula Mundial sobre o Desenvolvimento Sustentável, também conhecida como Rio + 10.
ÓRGÃO RESPONSÁVEL PELO AMBIENTE EM ANGOLA
LEI DO AMBIENTE( lei de base)
Lei nº5/98 de 19 de junho
A presente lei define os conceitos e os princípios básicos do ambiente.
O Ministério do Ambiente, abreviadamente designado por MINAMB, é o Departamento Ministerial que tem por
missão propor a formulação, conduzir, executar e controlar a política do Executivo relativa ao ambiente numa
perspetiva de Protecção, preservação e conservação da qualidade ambiental, controlo da poluição, áreas de
conservação e valorização do património natural, bem como a preservação e uso racional dos recursos
naturais.
Ambiente: é o conjunto dos sistemas fisicos, químicos,
biológicos e suas relações e dos factores económicos, sociais e
culturais com efeito directo ou indirecto, mediato ou imediato,
sobre os seres vivos e a Qualidade de Vida dos seres humanos.
Educação Ambiental: é um processo de educação responsável
por formar indivíduos preocupado com os problemas ambientais e
que busquem a conservação e preservação dos recursos naturais
e a sustentabilidade.
Importância Da Educação Ambiental No Quotidiano
Educação ambiental tem sido de grande relevância
mundial para identificação de problemas ambientais,
ecológico, socioeconómico e até mesmo cultural. É
possível observar também que os seres humanos têm
buscado meios para solucionar esses problemas, e um
desses meios é a educação ambiental.
A sustentabilidade
ambiental consiste na manutenção
das funções e componentes
dos ecossistemas para assegurar
que continuem viáveis capazes de
se auto- reproduzir e se adaptar a
alterações, para manter a sua
variedade biológica.
A sustentabilidade
económica é um conjunto de
medidas e politicas que visam a
incorporação de preocupações e
conceitos ambientais e sociais.
A sustentabilidade
sociopolítica é orientada para o
desenvolvimento humano, a
estabilidade das instituições
públicas e culturais, bem como a
redução de conflitos sociais.
SUSTENTABILIDADE
Sustentabilidade é a capacidade
de sustentação ou conservação
de um processo ou sistema.
Sustentabilidade: é um termo
usado para definir ações e atividades
humanas que visam suprir as
necessidades atuais dos seres
humanos, sem comprometer o futuro
das próximas gerações.
DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL
O desenvolvimento que procura
satisfazer as necessidades da
geração atual, sem comprometer a
capacidade das gerações futuras de
satisfazerem as suas próprias
necessidades, significa possibilitar
que as pessoas, agora e no futuro,
atinjam um nível satisfatório de
desenvolvimento social e econômico
e de realização humana e cultural,
fazendo, ao mesmo tempo, um uso
razoável dos recursos da terra e
preservando as espécies e os habitats
naturais.
Tripé da Sustentabilidade
O chamado tripé da sustentabilidade é baseado em três princípios: o social, o ambiental
e o económico. Esses três fatores precisam ser integrados para que a sustentabilidade
de fato aconteça. Sem eles, a sustentabilidade não se sustenta.
 Social: Engloba as pessoas e suas condições de vida, como educação, saúde,
violência, lazer, dentre outros aspectos.
 Ambiental: Refere-se aos recursos naturais do planeta e a forma como são utilizados
pela sociedade, comunidades ou empresas.
 Económico: Relacionado com a produção, distribuição e consumo de bens e serviços.
A economia deve considerar a questão social e ambiental.
1. Reduzir: A própria palavra já diz é a redução do consumo do lixo, isso significa que podemos diminuir
tudo o que é jogado no meio ambiente. Seja papel, vidro, plástico metais e outros objetos que poderiam
ser reutilizados.
2. Reutilizar: Muitos materiais que são jogados no lixo, poderiam ser reutilizados e ter outras finalidades.
Exemplo: embalagens podem ser recriadas e receber um novo tratamento
3.Reciclar: Reciclagem é o reprocessamento de materiais, quando esses são recicláveis. Os exemplos mais
conhecidos são: papel, vidro, latas de alumínio e até mesmo matéria orgânica.
4. Repensar: Na prática é o R que precede todos os outros. Ou seja, antes de reduzir o consumo, as pessoas
deveriam repensar sobre suas atitudes consumistas.
5. Recuperar: É a parte do processo que vem antes da reciclagem: os catadores de lixo são considerados agentes
de recuperação de materiais, pois recolhe tudo e manda para uma indústria específica.
6. Recusar: É você dizer não a tudo que não for necessário, ou seja aquilo que não irar usar!
PROBLEMAS AMBIENTAIS
Problemas ambientais são contrariedade ou perturbações que se produzem
no entorno natural. os problemas ambientais podem ser responsáveis
pela ação humana ou ação natural.
Principais Problemas ambientais actuais:
 Poluição do ar por gases poluentes gerados, principalmente, pela queima
de combustíveis fósseis (carvão mineral, gasolina e diesel) e indústrias;
 Poluição de hídricas rios, lagos, mares e oceanos provocada por
despejos de esgotos e lixo, acidentes ambientais (vazamento de
petróleo);
 Poluição do solo provocada por contaminação (agrotóxicos, fertilizantes
e produtos químicos) e descarte incorreto de lixo;
 Queimadas em matas e florestas como forma de ampliar áreas para
pasto ou agricultura;
 Desmatamento com o corte ilegal de árvores para comercialização de
madeira;
 Esgotamento do solo (perda da fertilidade para a agricultura), provocado
pelo uso incorreto;
 Diminuição e extinção de espécies animais, provocados pela caça
predatória e destruição de ecossistemas;
 Falta de água para o consumo humano, causado pelo uso irracional
(desperdício), contaminação e poluição dos recursos hídricos;
 Acidentes nucleares que causam contaminação do solo por centenas de
anos. Podemos citar como exemplos os acidentes nucleares de
Chernobyl (1986) e na Usina Nuclear de Fukushima no Japão (2011);
 Aquecimento Global, causado pela grande quantidade de emissão de
gases do efeito estufa;
 Diminuição da Camada de Ozônio, provocada pela emissão de
determinados gases (CFC, por exemplo) no meio ambiente.
DESEQUILÍBRIO ECOLÓGICO
DEQUILIBRIO ECOLOGICO
O equilíbrio ecológico é caracterizado por um estado no qual o
ecossistema apresenta fauna e flora constantes, no qual os
organismos e o meio convivem de maneira equilibrada. Quando
algum elemento deste ecossistema (animal ou vegetal) é
adicionado, subtraído ou reduzido em quantidade, ocorre um
desequilíbrio ecológico que pode gerar uma reação em cadeia que
afeta diretamente o funcionamento do ecossistema.
Desequilíbrio ecológico tem duas acções:
 Acção Antropogénica
 Acção Natural ( desastre natural)
Acção Antropica
Todas actividades humana que causam um impacto adverso no meio.
Ex:
Desmatamento;
Crescimento desordenado das cidades;
Acção Natural
Quando o processo acontece de forma natural, sem interferência do homem.
Ex:
Terremoto
Vulcões
Furacão
Tsunami
Tempestade
Desequilíbrio Ambiental
Desequilíbrio Ecológico
Desequilíbrio ambiental é toda alteração (seja ela intencional ou não) provocada na natureza e que reflete de forma
negativa para os sistemas ecológicos.
Causas do desequilíbrio ambiental
 lavar tanques de navio petroleiro em alto mar, poluindo o ecossistema marinho local;
 despejar na atmosfera grandes quantidades de gases do efeito estufa, resultantes
principalmente da queima de combustíveis fósseis;
 poluir rios que cortam regiões mineradoras, com o despejo de metais pesados e lama
tóxica;
 desmatar florestas e regiões de preservação ambiental, as quais são responsáveis
pelo equilíbrio térmico e purificação do ar local;
 vazar petróleo em plataformas em alto mar;
 extrair madeira de forma ilegal;
 queimar material orgânico em grande quantidade, o que aumenta a concentração de
CO2 na atmosfera;
jogar lixo em locais inapropriados, poluindo não só a vegetação, mas contaminando
também o lençol freático.
Consequências do desequilíbrio ambiental
Aumento da temperatura global: Uma vez que há maior concentração de gases estufa na atmosfera,
haverá consequentemente a intensificação do efeito estufa, acarretando assim no aumento da
temperatura da Terra
Morte da vida marinha: O vazamento de petróleo no mar é uma prática excessivamente agressiva para
o ecossistema local, ou seja, na sua ocorrência, a vida marinha na região é totalmente comprometida.
Redução das áreas verdes: O desmatamento de florestas reduz drasticamente as áreas verdes no
mundo. Um bom exemplo didático para o estudante é o atual desmatamento da floresta Amazónica, o qual
foi responsável por dizimar cerca de 180 km² de floresta só no primeiro mês do ano de 2019.
Intensificação do efeito estufa: A intensificação do efeito estufa é um dos exemplos mais notados do
desequilíbrio ambiental. Isso porque a sua alteração causa aumento da temperatura do planeta, algo que
é percebido e sentido de maneira mais fácil pela população.
Aumento da chuva ácida
Uma vez que há o aumento da poluição do ar,
haverá também o aumento da ocorrência de chuvas
ácidas, já que elas são influenciadas pela taxa de
concentração de óxidos ácidos na atmosfera.
Alteração do pH dos rios: O ecossistema de um rio é muito prejudicado quando há alteração do seu pH
(principalmente com a morte de peixes). Como uma das causas do desequilíbrio ambiental é o despejo de metais
pesados em rios, é simples de notar que isso acarretará em alteração do pH das águas.
POLUIÇÃO EM ANGOLA
Poluição é qualquer mudança nas propriedades físicas, químicas e
biológicas de determinando ecossistema. ocasionada ou não pela
acção humana e que acarreta prejuízo ao desenvolvimento das
populações ou causa desfiguração na natureza.
segundo o artigo 19º da lei de base do ambiente poluição é a
degradação da qualidade ambiental resultante de actividades que
direta ou indiretamente:
o Prejudiquem a saúde, a segurança e o bem- estar da população;
o Criem condições adversas às actividades sociais e econômicas,
o Afetem desfavoravelmente a biota;
o Lancem matérias ou energia em desacordo com os padrões
ambientais estabelecidos.
TIPOS POLUIÇÃO
1. Poluição
Atmosférica
2. Poluição Hídrica
3. Poluição do Solo
4. Poluição Sonora
5. Poluição Visual
6. Poluição Térmica
7. Poluição Luminosa
8. Poluição
Poluição
Segundo o artigo 19º da lei de base do ambiente,
poluição é a degradação da qualidade ambiental
resultante de actividades que direta ou
indirectamente:
 Prejudiquem a saúde, a segurança e o bem-
estar da população;
 Criem condições adversas às actividades sociais
e económicas,
 Afetem desfavoravelmente a biota;
 Lancem matérias ou energia em desacordo com
os padrões ambientais estabelecidos.
Poluição Ambiental
É devido à presença de lançamentos ou
liberação nas águas, no ar no solo de toda
e qualquer forma de matéria ou energia,
com intensidade, quantidade, concentração
ou características em
POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA
É a presença ou o lançamento no meio ambiente atmosférico de substância em concentração
suficiente que interfiram, direita ou indiretamente, na saúde, segurança e no bem-estar do homem
e dos demais organismos vivos.
É a introdução do homem directa ou indirectamente, de substância ou energia no ambiente.
provocando um efeito negativo no seu equilíbrio, causando assim danos à saúde humana, aos
seres vivos e aos ecossistema.
Existem diversas fontes poluição atmosféricas , sendo as mas
comuns:
Explosão de veículos automotores( liberta no ambiente gases
CO2, CO),
Queima de combustíveis fósseis (libera chumbo),
Indústrias siderúrgica,
Queimas de florestas
Devido à poluição atmosférica e seus efeitos, muitos cientistas
apontam que o aquecimento global do planeta a médio e longo
prazo pode ter caráter irreversível. Por isso, desde já, devem ser
adotadas medidas para diminuir as emissões dos gases que
POLUIÇÃO HÍDRICAS
A poluição hídrica, também conhecida como poluição das águas, é
caracterizada pela introdução de qualquer matéria ou energia
responsável pela alteração das propriedades físico-químicas de
um corpo d’água.
Principais responsáveis por poluição hídrica:
lançamentos de efluentes industriais;
agrícolas,
comerciais e esgotos domésticos,
Poluição do solo
É quando são depositados de forma
inadequada os resíduos sólidos no solo,
causando assim a degradação ou a
alteração das características do solo.
 Consequências da poluição do solo são:
 Desfertilização do solo
 Saturação do solo
 Deposição ou infiltração no solo ou no subsolo de substâncias ou produtos poluentes
 Contaminação do solo com metano e dióxido de carbono
 Perda das funções e qualidades do solo devido à introdução de poluentes
 Perda da fauna
POLUIÇAO SONORA
Poluição sonora é o excesso de ruídos que afeta a saúde física e mental da população.
É o alto nível de decibéis provocado pelo barulho constante proveniente de atividades
que perturbam o silêncio ambiental.
O nível do barulho admitido nos grandes centros urbanos pela Organização Mundial
da Saúde (OMS), pode atingir até 50 decibéis porém, o que é verificado normalmente
chega a 90 e 100 decibéis
POLUIÇÃO VISUAL
A poluição visual é aquela poluição que está ligada ao excesso de
elementos que compõem parte da comunicação visual, seja através de
cartazes, anúncios, propagandas, placas, banners, outdoors entre outros.
Estes geralmente são mais encontrados em ambientes urbanos,
principalmente nos centros das cidades e em shoppings.
POLUIÇÃO TERMICA
Consiste no aquecimento das águas naturais pela introdução
da água quente utilizada na refrigeração de centrais
elétricas, usinas nucleares,refinaria, siderúrgicas e
industrias diversas. A elevação da temperatura afeta a
solubilidade do O2 da água, fazendo com que esse gás se
difunda mais facilmente para atmosfera. Isso acarreta uma
diminuição de sua disponibilidade na água, o que prejudica
diversas formas de vidas aquáticas.
Poluição Radioactiva
A poluição radioactiva é considerada
a forma mais perigosa de poluição.
Ela é causada pela poluição gerada
por radiação, que é o efeito da
propagação da energia por ondas
electromagnéticas.
Fontes de poluição radioactiva
As radiações, que podem causar a poluição
radioactiva, são emitidas através de fontes artificiais
ou naturais, sendo essa última a mais predominante
na Terra. Vamos a elas:
<Fontes artificiais (causadas pelo homem): As
fontes de origem artificial não são naturalmente
radioactivas, essa reação é provocada pelo homem
Soluções para a poluição
radioativa.
A primeira ação a fim de conter os
efeitos da poluição radioativa é
pensar no monitoramento e descarte
adequado do lixo nuclear.
E O QUE REALMENTE
FAZEMOS
POLUIÇÃO
ACÇÃO HUMANA
POLUIÇÃO A ESCALA
PLANETARIA
DEFINIÇÃO
Estudo de Impacto Ambiental ou Estudo de Impacte Ambiental (EIA) é um relatório técnico onde se avaliam
as consequências para o ambiente decorrentes de um determinado projeto. Nele encontram-se
identificados e avaliados de forma imparcial e meramente técnica os impactos que um determinado
projeto poderá causar no ambiente, assim como apresentar medidas mitigadoras. Por estas razões, é
um importante instrumento de avaliação de impacto ambiental (AIA).
RIMA – RELATÓRIO DE IMPACTO MEIO AMBIENTE
O relatório de impacto ambiental, RIMA, refletirá as conclusões do estudo
de impacto ambiental (EIA).
RIMA refletirá as conclusões do estudo de impacto ambiental e deverá
conter:
 Os objetivos e justificativas do projeto,
 A descrição do projeto e suas alternativas tecnológicas,
 A síntese dos resultados dos estudos de diagnósticos ambientais da
área de influência do projeto,
A descrição do efeito esperado das medidas mitigadoras previstas em
relação aos impactos negativos, mencionando aqueles que não poderão
ser evitados, e o grau de alteração esperado;
O programa de acompanhamento e monitoramento dos impactos;
Recomendação quanto à alternativa mais favorável (conclusões e
comentários de ordem geral).
 A descrição dos prováveis impactos ambientais da implantação e
operação da atividade, considerando o projeto,
 A caracterização da qualidade ambiental futura da área de influência
DECRETO SOBRE GESTÃO DE RESÍDUOS
Resíduos Sólidos
Decreto sobre Gestão de resíduos
 Decreto Presidencial n.º 190/12, de 24 de Agosto
 É aprovado o Regulamento sobre a Gestão de Resíduos e que dele é parte
integrante.
DEFINIÇÃO
“Resíduos”
substâncias ou objetos de que o detentor se desfaz ou tem a intenção ou
obrigação legal de se desfazer, que contêm características de risco por
serem inflamáveis, explosivas, corrosivas, tóxicas, infeciosas ou radioativas
ou por apresentarem qualquer outra característica que constitua perigo
para a vida ou saúde das pessoas e para o ambiente
Os resíduos são classificados em classe:
Classe I- Perigosos
Classe II- Não Inertes
Classe III- Inertes
CLASSIFICAÇÃO DOS RESIDUOS
DECOMPOSIÇÃO DA MATÉRIA NA NATUREZA
RECOLHA SELETIVA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS
recolha seletiva é o termo utilizado para o recolhimento dos materiais que
são possíveis de serem reciclados, previamente separados na fonte
geradora. Dentre estes materiais recicláveis podemos citar os diversos
tipos de papéis, plásticos, metais e vidros.
A separação no lixo evita a contaminação dos materiais reaproveitáveis,
aumentando o valor agregado destes e diminuindo os custos de
reciclagem.
Para iniciar um processo de coleta seletiva é preciso avaliar,
quantitativamente e qualitativamente, o perfil dos resíduos sólidos
gerados em determinado município ou localidade, a fim de estruturar
melhor o processo de coleta.
POLITICA DOS 3 R´S
Reduzir, reutilizar e reciclar
É a política dos 3 Rs (agora seguida de um quarto R de Recuperar) e merece
toda a atenção. Ambiciona sensibilizar-nos para os problemas do
ambiente e das necessidades da sua preservação e dá enfoque às
questões da redução e reutilização, onde, efetivamente, todos temos o
dever de seguir. Diríamos que se trata do “dever ambiental” de todos os
cidadãos.
ALGUNS PROCEDIMENTOS A TOMAR NO VAZAMENTO DE COMBUSTÍVEL
para conter e remover o combustível derramado ou Vazamento de combustível é
preocupante sob diversos pontos de vista:
 Risco ambiental e de Segurança
pode resultar em acidentes e/ou pagamento de altíssimas multas na condução
de intensos esforços de descontaminação.
Em caso de ocorrência de vazamentos deve estar preparado para lidar com
eles, e manter o monitoramento no posto.
 Vazamentos ou derramamentos de pequena monta:
 Podem ser controlados com uma equipe de funcionários treinada para este tipo
de situação
 exemplo: se ocorreu o transbordamento de uma pequena quantidade de
combustível do tanque do cliente para o piso do posto, bastará interromper o
fluxo de combustível desligando-se a bomba de abastecimento e utilizar areia

Derramamento de grande monta procedimentos: a ter em
conta
1) Verifique se há vínculo com uma empresa que atenda a
emergências;
2) Paralise a operação do tanque envolvido;
3) Na dúvida, consulte seus sistemas de controle;
4) Contate uma empresa especializada para realizar o teste
de estanqueidade;
5) Assuma a responsabilidade;
6) Arque com as consequências ( remediação ).
MUITO OBRIGADO

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a EDUCAÇÃO AMBIENTAL. NOVO.pptx

Meio ambiente
Meio ambienteMeio ambiente
Meio ambiente
Pathyciane Melo
 
Meio ambiente2
Meio ambiente2Meio ambiente2
Meio ambiente2
Pathyciane Melo
 
paper uniasselvi pronto para ser lido e apresentado
paper uniasselvi pronto para ser lido e apresentadopaper uniasselvi pronto para ser lido e apresentado
paper uniasselvi pronto para ser lido e apresentado
UNIDOSPELOBRASIL
 
Aula 01- A evolucao da questao ambiental e suas repercussoes no ambiente empr...
Aula 01- A evolucao da questao ambiental e suas repercussoes no ambiente empr...Aula 01- A evolucao da questao ambiental e suas repercussoes no ambiente empr...
Aula 01- A evolucao da questao ambiental e suas repercussoes no ambiente empr...
gomezzeduardo88
 
Ciências do Ambiente - Cap 1.1 - Conceitos básicos
Ciências do Ambiente - Cap 1.1 - Conceitos básicosCiências do Ambiente - Cap 1.1 - Conceitos básicos
Ciências do Ambiente - Cap 1.1 - Conceitos básicos
elonvila
 
Trabalho de Geografia colegio santa ines em santa
Trabalho de Geografia colegio santa ines em santaTrabalho de Geografia colegio santa ines em santa
Trabalho de Geografia colegio santa ines em santa
Edu Cunha
 
O cristão e a ecologia
O cristão e a ecologiaO cristão e a ecologia
O cristão e a ecologia
Luciana Lisboa
 
RIO +20 Cuidando do Meio Ambiente Mundialpdf
RIO +20 Cuidando do Meio Ambiente MundialpdfRIO +20 Cuidando do Meio Ambiente Mundialpdf
RIO +20 Cuidando do Meio Ambiente Mundialpdf
RicardoPorto48
 
Gestão ambiental
Gestão ambiental Gestão ambiental
Gestão ambiental
lenPereira5
 
Manual Saneamento - FUNASA
Manual Saneamento - FUNASAManual Saneamento - FUNASA
Manual Saneamento - FUNASA
charlessousa192
 
Meio ambiente e sustentabilidade aula
Meio ambiente e sustentabilidade aulaMeio ambiente e sustentabilidade aula
Meio ambiente e sustentabilidade aula
Alenilson De Sousa Nobre
 
Consciência Ecológica
Consciência Ecológica Consciência Ecológica
Consciência Ecológica
Hellen Freitas
 
Conferências internacionais
Conferências internacionaisConferências internacionais
Conferências internacionais
iracemap
 
Conferências internacionais
Conferências internacionaisConferências internacionais
Conferências internacionais
iracemap
 
Desenvolvimento sustentável
Desenvolvimento  sustentávelDesenvolvimento  sustentável
Desenvolvimento sustentável
Thais Oliveira
 
Apostila de educação ambiental
Apostila  de  educação ambiental Apostila  de  educação ambiental
Apostila de educação ambiental
danieladod
 
Desenvolvimento sustentável
Desenvolvimento sustentávelDesenvolvimento sustentável
Desenvolvimento sustentável
tirsense
 
Histórico da interferência humana nos ecossistemas e Conferências sobre o mei...
Histórico da interferência humana nos ecossistemas e Conferências sobre o mei...Histórico da interferência humana nos ecossistemas e Conferências sobre o mei...
Histórico da interferência humana nos ecossistemas e Conferências sobre o mei...
Rogério Bartilotti
 
gestão ambiental
gestão ambientalgestão ambiental
gestão ambiental
Gisele Fernandes
 
Aula1
Aula1Aula1

Semelhante a EDUCAÇÃO AMBIENTAL. NOVO.pptx (20)

Meio ambiente
Meio ambienteMeio ambiente
Meio ambiente
 
Meio ambiente2
Meio ambiente2Meio ambiente2
Meio ambiente2
 
paper uniasselvi pronto para ser lido e apresentado
paper uniasselvi pronto para ser lido e apresentadopaper uniasselvi pronto para ser lido e apresentado
paper uniasselvi pronto para ser lido e apresentado
 
Aula 01- A evolucao da questao ambiental e suas repercussoes no ambiente empr...
Aula 01- A evolucao da questao ambiental e suas repercussoes no ambiente empr...Aula 01- A evolucao da questao ambiental e suas repercussoes no ambiente empr...
Aula 01- A evolucao da questao ambiental e suas repercussoes no ambiente empr...
 
Ciências do Ambiente - Cap 1.1 - Conceitos básicos
Ciências do Ambiente - Cap 1.1 - Conceitos básicosCiências do Ambiente - Cap 1.1 - Conceitos básicos
Ciências do Ambiente - Cap 1.1 - Conceitos básicos
 
Trabalho de Geografia colegio santa ines em santa
Trabalho de Geografia colegio santa ines em santaTrabalho de Geografia colegio santa ines em santa
Trabalho de Geografia colegio santa ines em santa
 
O cristão e a ecologia
O cristão e a ecologiaO cristão e a ecologia
O cristão e a ecologia
 
RIO +20 Cuidando do Meio Ambiente Mundialpdf
RIO +20 Cuidando do Meio Ambiente MundialpdfRIO +20 Cuidando do Meio Ambiente Mundialpdf
RIO +20 Cuidando do Meio Ambiente Mundialpdf
 
Gestão ambiental
Gestão ambiental Gestão ambiental
Gestão ambiental
 
Manual Saneamento - FUNASA
Manual Saneamento - FUNASAManual Saneamento - FUNASA
Manual Saneamento - FUNASA
 
Meio ambiente e sustentabilidade aula
Meio ambiente e sustentabilidade aulaMeio ambiente e sustentabilidade aula
Meio ambiente e sustentabilidade aula
 
Consciência Ecológica
Consciência Ecológica Consciência Ecológica
Consciência Ecológica
 
Conferências internacionais
Conferências internacionaisConferências internacionais
Conferências internacionais
 
Conferências internacionais
Conferências internacionaisConferências internacionais
Conferências internacionais
 
Desenvolvimento sustentável
Desenvolvimento  sustentávelDesenvolvimento  sustentável
Desenvolvimento sustentável
 
Apostila de educação ambiental
Apostila  de  educação ambiental Apostila  de  educação ambiental
Apostila de educação ambiental
 
Desenvolvimento sustentável
Desenvolvimento sustentávelDesenvolvimento sustentável
Desenvolvimento sustentável
 
Histórico da interferência humana nos ecossistemas e Conferências sobre o mei...
Histórico da interferência humana nos ecossistemas e Conferências sobre o mei...Histórico da interferência humana nos ecossistemas e Conferências sobre o mei...
Histórico da interferência humana nos ecossistemas e Conferências sobre o mei...
 
gestão ambiental
gestão ambientalgestão ambiental
gestão ambiental
 
Aula1
Aula1Aula1
Aula1
 

Mais de TeresaSantosSeabra

EDUCAÇÃO AMBIENTAL. NOVO.pptx
EDUCAÇÃO AMBIENTAL. NOVO.pptxEDUCAÇÃO AMBIENTAL. NOVO.pptx
EDUCAÇÃO AMBIENTAL. NOVO.pptx
TeresaSantosSeabra
 
estrategia de negocio N.ppt
estrategia de negocio N.pptestrategia de negocio N.ppt
estrategia de negocio N.ppt
TeresaSantosSeabra
 
AULA DE GESTÃO DE STOCK 20H.ppt
AULA DE GESTÃO DE STOCK 20H.pptAULA DE GESTÃO DE STOCK 20H.ppt
AULA DE GESTÃO DE STOCK 20H.ppt
TeresaSantosSeabra
 
circular 02.pdf
circular 02.pdfcircular 02.pdf
circular 02.pdf
TeresaSantosSeabra
 
Identificaçao e criançao do mercado.pptx
Identificaçao e criançao do mercado.pptxIdentificaçao e criançao do mercado.pptx
Identificaçao e criançao do mercado.pptx
TeresaSantosSeabra
 
Índice.docx
Índice.docxÍndice.docx
Índice.docx
TeresaSantosSeabra
 
Índice1.docx
Índice1.docxÍndice1.docx
Índice1.docx
TeresaSantosSeabra
 
Exercicio 2.pdf
Exercicio 2.pdfExercicio 2.pdf
Exercicio 2.pdf
TeresaSantosSeabra
 

Mais de TeresaSantosSeabra (8)

EDUCAÇÃO AMBIENTAL. NOVO.pptx
EDUCAÇÃO AMBIENTAL. NOVO.pptxEDUCAÇÃO AMBIENTAL. NOVO.pptx
EDUCAÇÃO AMBIENTAL. NOVO.pptx
 
estrategia de negocio N.ppt
estrategia de negocio N.pptestrategia de negocio N.ppt
estrategia de negocio N.ppt
 
AULA DE GESTÃO DE STOCK 20H.ppt
AULA DE GESTÃO DE STOCK 20H.pptAULA DE GESTÃO DE STOCK 20H.ppt
AULA DE GESTÃO DE STOCK 20H.ppt
 
circular 02.pdf
circular 02.pdfcircular 02.pdf
circular 02.pdf
 
Identificaçao e criançao do mercado.pptx
Identificaçao e criançao do mercado.pptxIdentificaçao e criançao do mercado.pptx
Identificaçao e criançao do mercado.pptx
 
Índice.docx
Índice.docxÍndice.docx
Índice.docx
 
Índice1.docx
Índice1.docxÍndice1.docx
Índice1.docx
 
Exercicio 2.pdf
Exercicio 2.pdfExercicio 2.pdf
Exercicio 2.pdf
 

EDUCAÇÃO AMBIENTAL. NOVO.pptx

  • 2. PROGRAMA 1. Objetivos 2. Introdução 3. Evolução historica Ambiental 4. Problemática Angolana sobre meio Ambiente 5. Definições  Ambiente  Sustentabilidade Educação Ambiental 1. Importancia da Educação Ambiental no cotidiano 2. Desenvolvimento Sustentavel 3. Legislação Ambiental em Angola 4. Problemas Ambientais 5. Desequilibrio Ecologico 6. Poluição em Angola 7. Impactos Ambiental 8. Residuos Sólidos 9. CINFOTEC e o Meio Ambiente
  • 3. Objectivo  Dotar os formandos de conhecimento, habilidade e atitude sobre o meio ambiente  Ajudar os formandos a adquirir um comportamento sustentável  Prepara os formandos com de técnicas de Gestão Ambiental  Formatar os formandos de conhecimento sobre a legislação Ambiental angolana
  • 4. Introdução Durante muito tempo o homem preocupava-se simplesmente com questões económica e extraia da natureza vários recursos naturais sem se importar com os danos que esta ação representava para o ambiente. As alterações ambientais foram se intensificado ao longo dos tempos e o homem foi buscando a compreensão dos fenómenos naturais e antrópico e compreendeu que deve se agir como parte integrante do sistema natural de forma a proteger melhor a Natureza.
  • 5. Evolução histórica da preocupação ambiental A década de 1960 foi conhecida pelo conflito entre preservação e desenvolvimento. O debate iniciou com a Publicação do livro primavera Silenciosa de Rachel Carson em 1962, que alertou sobre a utilização de pesticidas na agricultura. A década de 1970 Em 1972, um grupo de cientistas do Massachusetts Institute of Technology- MIT, que assessorava o Clube de Roma, advertiu sobre os riscos económico contínuo baseado na exploração de recursos naturais não renováveis. A década de 1980 No início da década de 1980, a ONU retomou o debate das questões ambientais. Gró Herlem Brundtland, primeira- ministra da Noruega, foi indicada pela ONU para chefiar a comissão Mundial sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento com o objectivo de estudar o assunto. A década de 1990 Na década de 1990, já havia uma consciência colectiva sobre a importância da preservação e o equilíbrio ambiental. A conferência das nações Unidas sobre o Meio Ambiente e desenvolvimento, conhecida também como Cúpula da Terra ou Rio 92, realizada na cidade do Rio de Janeiro, resultou em importantes documentos como a carta da Terra (Declaração do Rio) e a Agenda 21. Século XXI Em 2002 dez anos mais tarde da realização do Rio 92, foi realizada pela ONU, em Joanesburgo, na África do Sul, a Cúpula Mundial sobre o Desenvolvimento Sustentável, também conhecida como Rio + 10.
  • 6. ÓRGÃO RESPONSÁVEL PELO AMBIENTE EM ANGOLA LEI DO AMBIENTE( lei de base) Lei nº5/98 de 19 de junho A presente lei define os conceitos e os princípios básicos do ambiente. O Ministério do Ambiente, abreviadamente designado por MINAMB, é o Departamento Ministerial que tem por missão propor a formulação, conduzir, executar e controlar a política do Executivo relativa ao ambiente numa perspetiva de Protecção, preservação e conservação da qualidade ambiental, controlo da poluição, áreas de conservação e valorização do património natural, bem como a preservação e uso racional dos recursos naturais.
  • 7. Ambiente: é o conjunto dos sistemas fisicos, químicos, biológicos e suas relações e dos factores económicos, sociais e culturais com efeito directo ou indirecto, mediato ou imediato, sobre os seres vivos e a Qualidade de Vida dos seres humanos. Educação Ambiental: é um processo de educação responsável por formar indivíduos preocupado com os problemas ambientais e que busquem a conservação e preservação dos recursos naturais e a sustentabilidade.
  • 8. Importância Da Educação Ambiental No Quotidiano Educação ambiental tem sido de grande relevância mundial para identificação de problemas ambientais, ecológico, socioeconómico e até mesmo cultural. É possível observar também que os seres humanos têm buscado meios para solucionar esses problemas, e um desses meios é a educação ambiental.
  • 9. A sustentabilidade ambiental consiste na manutenção das funções e componentes dos ecossistemas para assegurar que continuem viáveis capazes de se auto- reproduzir e se adaptar a alterações, para manter a sua variedade biológica. A sustentabilidade económica é um conjunto de medidas e politicas que visam a incorporação de preocupações e conceitos ambientais e sociais.
  • 10. A sustentabilidade sociopolítica é orientada para o desenvolvimento humano, a estabilidade das instituições públicas e culturais, bem como a redução de conflitos sociais. SUSTENTABILIDADE Sustentabilidade é a capacidade de sustentação ou conservação de um processo ou sistema. Sustentabilidade: é um termo usado para definir ações e atividades humanas que visam suprir as necessidades atuais dos seres humanos, sem comprometer o futuro das próximas gerações.
  • 11.
  • 12. DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL O desenvolvimento que procura satisfazer as necessidades da geração atual, sem comprometer a capacidade das gerações futuras de satisfazerem as suas próprias necessidades, significa possibilitar que as pessoas, agora e no futuro, atinjam um nível satisfatório de desenvolvimento social e econômico e de realização humana e cultural, fazendo, ao mesmo tempo, um uso razoável dos recursos da terra e preservando as espécies e os habitats naturais.
  • 13.
  • 14.
  • 15. Tripé da Sustentabilidade O chamado tripé da sustentabilidade é baseado em três princípios: o social, o ambiental e o económico. Esses três fatores precisam ser integrados para que a sustentabilidade de fato aconteça. Sem eles, a sustentabilidade não se sustenta.  Social: Engloba as pessoas e suas condições de vida, como educação, saúde, violência, lazer, dentre outros aspectos.  Ambiental: Refere-se aos recursos naturais do planeta e a forma como são utilizados pela sociedade, comunidades ou empresas.  Económico: Relacionado com a produção, distribuição e consumo de bens e serviços. A economia deve considerar a questão social e ambiental.
  • 16. 1. Reduzir: A própria palavra já diz é a redução do consumo do lixo, isso significa que podemos diminuir tudo o que é jogado no meio ambiente. Seja papel, vidro, plástico metais e outros objetos que poderiam ser reutilizados. 2. Reutilizar: Muitos materiais que são jogados no lixo, poderiam ser reutilizados e ter outras finalidades. Exemplo: embalagens podem ser recriadas e receber um novo tratamento 3.Reciclar: Reciclagem é o reprocessamento de materiais, quando esses são recicláveis. Os exemplos mais conhecidos são: papel, vidro, latas de alumínio e até mesmo matéria orgânica. 4. Repensar: Na prática é o R que precede todos os outros. Ou seja, antes de reduzir o consumo, as pessoas deveriam repensar sobre suas atitudes consumistas. 5. Recuperar: É a parte do processo que vem antes da reciclagem: os catadores de lixo são considerados agentes de recuperação de materiais, pois recolhe tudo e manda para uma indústria específica. 6. Recusar: É você dizer não a tudo que não for necessário, ou seja aquilo que não irar usar!
  • 17. PROBLEMAS AMBIENTAIS Problemas ambientais são contrariedade ou perturbações que se produzem no entorno natural. os problemas ambientais podem ser responsáveis pela ação humana ou ação natural. Principais Problemas ambientais actuais:  Poluição do ar por gases poluentes gerados, principalmente, pela queima de combustíveis fósseis (carvão mineral, gasolina e diesel) e indústrias;  Poluição de hídricas rios, lagos, mares e oceanos provocada por despejos de esgotos e lixo, acidentes ambientais (vazamento de petróleo);  Poluição do solo provocada por contaminação (agrotóxicos, fertilizantes e produtos químicos) e descarte incorreto de lixo;  Queimadas em matas e florestas como forma de ampliar áreas para pasto ou agricultura;
  • 18.  Desmatamento com o corte ilegal de árvores para comercialização de madeira;  Esgotamento do solo (perda da fertilidade para a agricultura), provocado pelo uso incorreto;  Diminuição e extinção de espécies animais, provocados pela caça predatória e destruição de ecossistemas;  Falta de água para o consumo humano, causado pelo uso irracional (desperdício), contaminação e poluição dos recursos hídricos;  Acidentes nucleares que causam contaminação do solo por centenas de anos. Podemos citar como exemplos os acidentes nucleares de Chernobyl (1986) e na Usina Nuclear de Fukushima no Japão (2011);  Aquecimento Global, causado pela grande quantidade de emissão de gases do efeito estufa;  Diminuição da Camada de Ozônio, provocada pela emissão de determinados gases (CFC, por exemplo) no meio ambiente.
  • 19. DESEQUILÍBRIO ECOLÓGICO DEQUILIBRIO ECOLOGICO O equilíbrio ecológico é caracterizado por um estado no qual o ecossistema apresenta fauna e flora constantes, no qual os organismos e o meio convivem de maneira equilibrada. Quando algum elemento deste ecossistema (animal ou vegetal) é adicionado, subtraído ou reduzido em quantidade, ocorre um desequilíbrio ecológico que pode gerar uma reação em cadeia que afeta diretamente o funcionamento do ecossistema. Desequilíbrio ecológico tem duas acções:  Acção Antropogénica  Acção Natural ( desastre natural)
  • 20. Acção Antropica Todas actividades humana que causam um impacto adverso no meio. Ex: Desmatamento; Crescimento desordenado das cidades; Acção Natural Quando o processo acontece de forma natural, sem interferência do homem. Ex: Terremoto Vulcões Furacão Tsunami Tempestade Desequilíbrio Ambiental Desequilíbrio Ecológico Desequilíbrio ambiental é toda alteração (seja ela intencional ou não) provocada na natureza e que reflete de forma negativa para os sistemas ecológicos.
  • 21.
  • 22.
  • 23. Causas do desequilíbrio ambiental  lavar tanques de navio petroleiro em alto mar, poluindo o ecossistema marinho local;  despejar na atmosfera grandes quantidades de gases do efeito estufa, resultantes principalmente da queima de combustíveis fósseis;  poluir rios que cortam regiões mineradoras, com o despejo de metais pesados e lama tóxica;  desmatar florestas e regiões de preservação ambiental, as quais são responsáveis pelo equilíbrio térmico e purificação do ar local;  vazar petróleo em plataformas em alto mar;  extrair madeira de forma ilegal;  queimar material orgânico em grande quantidade, o que aumenta a concentração de CO2 na atmosfera; jogar lixo em locais inapropriados, poluindo não só a vegetação, mas contaminando também o lençol freático.
  • 24. Consequências do desequilíbrio ambiental Aumento da temperatura global: Uma vez que há maior concentração de gases estufa na atmosfera, haverá consequentemente a intensificação do efeito estufa, acarretando assim no aumento da temperatura da Terra Morte da vida marinha: O vazamento de petróleo no mar é uma prática excessivamente agressiva para o ecossistema local, ou seja, na sua ocorrência, a vida marinha na região é totalmente comprometida. Redução das áreas verdes: O desmatamento de florestas reduz drasticamente as áreas verdes no mundo. Um bom exemplo didático para o estudante é o atual desmatamento da floresta Amazónica, o qual foi responsável por dizimar cerca de 180 km² de floresta só no primeiro mês do ano de 2019. Intensificação do efeito estufa: A intensificação do efeito estufa é um dos exemplos mais notados do desequilíbrio ambiental. Isso porque a sua alteração causa aumento da temperatura do planeta, algo que é percebido e sentido de maneira mais fácil pela população.
  • 25. Aumento da chuva ácida Uma vez que há o aumento da poluição do ar, haverá também o aumento da ocorrência de chuvas ácidas, já que elas são influenciadas pela taxa de concentração de óxidos ácidos na atmosfera. Alteração do pH dos rios: O ecossistema de um rio é muito prejudicado quando há alteração do seu pH (principalmente com a morte de peixes). Como uma das causas do desequilíbrio ambiental é o despejo de metais pesados em rios, é simples de notar que isso acarretará em alteração do pH das águas.
  • 26. POLUIÇÃO EM ANGOLA Poluição é qualquer mudança nas propriedades físicas, químicas e biológicas de determinando ecossistema. ocasionada ou não pela acção humana e que acarreta prejuízo ao desenvolvimento das populações ou causa desfiguração na natureza. segundo o artigo 19º da lei de base do ambiente poluição é a degradação da qualidade ambiental resultante de actividades que direta ou indiretamente: o Prejudiquem a saúde, a segurança e o bem- estar da população; o Criem condições adversas às actividades sociais e econômicas, o Afetem desfavoravelmente a biota; o Lancem matérias ou energia em desacordo com os padrões ambientais estabelecidos.
  • 27. TIPOS POLUIÇÃO 1. Poluição Atmosférica 2. Poluição Hídrica 3. Poluição do Solo 4. Poluição Sonora 5. Poluição Visual 6. Poluição Térmica 7. Poluição Luminosa 8. Poluição Poluição Segundo o artigo 19º da lei de base do ambiente, poluição é a degradação da qualidade ambiental resultante de actividades que direta ou indirectamente:  Prejudiquem a saúde, a segurança e o bem- estar da população;  Criem condições adversas às actividades sociais e económicas,  Afetem desfavoravelmente a biota;  Lancem matérias ou energia em desacordo com os padrões ambientais estabelecidos. Poluição Ambiental É devido à presença de lançamentos ou liberação nas águas, no ar no solo de toda e qualquer forma de matéria ou energia, com intensidade, quantidade, concentração ou características em
  • 28. POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA É a presença ou o lançamento no meio ambiente atmosférico de substância em concentração suficiente que interfiram, direita ou indiretamente, na saúde, segurança e no bem-estar do homem e dos demais organismos vivos. É a introdução do homem directa ou indirectamente, de substância ou energia no ambiente. provocando um efeito negativo no seu equilíbrio, causando assim danos à saúde humana, aos seres vivos e aos ecossistema.
  • 29. Existem diversas fontes poluição atmosféricas , sendo as mas comuns: Explosão de veículos automotores( liberta no ambiente gases CO2, CO), Queima de combustíveis fósseis (libera chumbo), Indústrias siderúrgica, Queimas de florestas Devido à poluição atmosférica e seus efeitos, muitos cientistas apontam que o aquecimento global do planeta a médio e longo prazo pode ter caráter irreversível. Por isso, desde já, devem ser adotadas medidas para diminuir as emissões dos gases que
  • 30. POLUIÇÃO HÍDRICAS A poluição hídrica, também conhecida como poluição das águas, é caracterizada pela introdução de qualquer matéria ou energia responsável pela alteração das propriedades físico-químicas de um corpo d’água. Principais responsáveis por poluição hídrica: lançamentos de efluentes industriais; agrícolas, comerciais e esgotos domésticos,
  • 31. Poluição do solo É quando são depositados de forma inadequada os resíduos sólidos no solo, causando assim a degradação ou a alteração das características do solo.  Consequências da poluição do solo são:  Desfertilização do solo  Saturação do solo  Deposição ou infiltração no solo ou no subsolo de substâncias ou produtos poluentes  Contaminação do solo com metano e dióxido de carbono  Perda das funções e qualidades do solo devido à introdução de poluentes  Perda da fauna
  • 32. POLUIÇAO SONORA Poluição sonora é o excesso de ruídos que afeta a saúde física e mental da população. É o alto nível de decibéis provocado pelo barulho constante proveniente de atividades que perturbam o silêncio ambiental. O nível do barulho admitido nos grandes centros urbanos pela Organização Mundial da Saúde (OMS), pode atingir até 50 decibéis porém, o que é verificado normalmente chega a 90 e 100 decibéis
  • 33. POLUIÇÃO VISUAL A poluição visual é aquela poluição que está ligada ao excesso de elementos que compõem parte da comunicação visual, seja através de cartazes, anúncios, propagandas, placas, banners, outdoors entre outros. Estes geralmente são mais encontrados em ambientes urbanos, principalmente nos centros das cidades e em shoppings.
  • 34. POLUIÇÃO TERMICA Consiste no aquecimento das águas naturais pela introdução da água quente utilizada na refrigeração de centrais elétricas, usinas nucleares,refinaria, siderúrgicas e industrias diversas. A elevação da temperatura afeta a solubilidade do O2 da água, fazendo com que esse gás se difunda mais facilmente para atmosfera. Isso acarreta uma diminuição de sua disponibilidade na água, o que prejudica diversas formas de vidas aquáticas.
  • 35. Poluição Radioactiva A poluição radioactiva é considerada a forma mais perigosa de poluição. Ela é causada pela poluição gerada por radiação, que é o efeito da propagação da energia por ondas electromagnéticas. Fontes de poluição radioactiva As radiações, que podem causar a poluição radioactiva, são emitidas através de fontes artificiais ou naturais, sendo essa última a mais predominante na Terra. Vamos a elas: <Fontes artificiais (causadas pelo homem): As fontes de origem artificial não são naturalmente radioactivas, essa reação é provocada pelo homem Soluções para a poluição radioativa. A primeira ação a fim de conter os efeitos da poluição radioativa é pensar no monitoramento e descarte adequado do lixo nuclear.
  • 36. E O QUE REALMENTE FAZEMOS
  • 38. DEFINIÇÃO Estudo de Impacto Ambiental ou Estudo de Impacte Ambiental (EIA) é um relatório técnico onde se avaliam as consequências para o ambiente decorrentes de um determinado projeto. Nele encontram-se identificados e avaliados de forma imparcial e meramente técnica os impactos que um determinado projeto poderá causar no ambiente, assim como apresentar medidas mitigadoras. Por estas razões, é um importante instrumento de avaliação de impacto ambiental (AIA).
  • 39. RIMA – RELATÓRIO DE IMPACTO MEIO AMBIENTE O relatório de impacto ambiental, RIMA, refletirá as conclusões do estudo de impacto ambiental (EIA). RIMA refletirá as conclusões do estudo de impacto ambiental e deverá conter:  Os objetivos e justificativas do projeto,  A descrição do projeto e suas alternativas tecnológicas,  A síntese dos resultados dos estudos de diagnósticos ambientais da área de influência do projeto,
  • 40. A descrição do efeito esperado das medidas mitigadoras previstas em relação aos impactos negativos, mencionando aqueles que não poderão ser evitados, e o grau de alteração esperado; O programa de acompanhamento e monitoramento dos impactos; Recomendação quanto à alternativa mais favorável (conclusões e comentários de ordem geral).  A descrição dos prováveis impactos ambientais da implantação e operação da atividade, considerando o projeto,  A caracterização da qualidade ambiental futura da área de influência
  • 41. DECRETO SOBRE GESTÃO DE RESÍDUOS Resíduos Sólidos Decreto sobre Gestão de resíduos  Decreto Presidencial n.º 190/12, de 24 de Agosto  É aprovado o Regulamento sobre a Gestão de Resíduos e que dele é parte integrante.
  • 42. DEFINIÇÃO “Resíduos” substâncias ou objetos de que o detentor se desfaz ou tem a intenção ou obrigação legal de se desfazer, que contêm características de risco por serem inflamáveis, explosivas, corrosivas, tóxicas, infeciosas ou radioativas ou por apresentarem qualquer outra característica que constitua perigo para a vida ou saúde das pessoas e para o ambiente Os resíduos são classificados em classe: Classe I- Perigosos Classe II- Não Inertes Classe III- Inertes
  • 44.
  • 46. RECOLHA SELETIVA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS recolha seletiva é o termo utilizado para o recolhimento dos materiais que são possíveis de serem reciclados, previamente separados na fonte geradora. Dentre estes materiais recicláveis podemos citar os diversos tipos de papéis, plásticos, metais e vidros. A separação no lixo evita a contaminação dos materiais reaproveitáveis, aumentando o valor agregado destes e diminuindo os custos de reciclagem. Para iniciar um processo de coleta seletiva é preciso avaliar, quantitativamente e qualitativamente, o perfil dos resíduos sólidos gerados em determinado município ou localidade, a fim de estruturar melhor o processo de coleta.
  • 47.
  • 48. POLITICA DOS 3 R´S Reduzir, reutilizar e reciclar É a política dos 3 Rs (agora seguida de um quarto R de Recuperar) e merece toda a atenção. Ambiciona sensibilizar-nos para os problemas do ambiente e das necessidades da sua preservação e dá enfoque às questões da redução e reutilização, onde, efetivamente, todos temos o dever de seguir. Diríamos que se trata do “dever ambiental” de todos os cidadãos.
  • 49.
  • 50.
  • 51.
  • 52.
  • 53. ALGUNS PROCEDIMENTOS A TOMAR NO VAZAMENTO DE COMBUSTÍVEL para conter e remover o combustível derramado ou Vazamento de combustível é preocupante sob diversos pontos de vista:  Risco ambiental e de Segurança pode resultar em acidentes e/ou pagamento de altíssimas multas na condução de intensos esforços de descontaminação. Em caso de ocorrência de vazamentos deve estar preparado para lidar com eles, e manter o monitoramento no posto.  Vazamentos ou derramamentos de pequena monta:  Podem ser controlados com uma equipe de funcionários treinada para este tipo de situação  exemplo: se ocorreu o transbordamento de uma pequena quantidade de combustível do tanque do cliente para o piso do posto, bastará interromper o fluxo de combustível desligando-se a bomba de abastecimento e utilizar areia 
  • 54. Derramamento de grande monta procedimentos: a ter em conta 1) Verifique se há vínculo com uma empresa que atenda a emergências; 2) Paralise a operação do tanque envolvido; 3) Na dúvida, consulte seus sistemas de controle; 4) Contate uma empresa especializada para realizar o teste de estanqueidade; 5) Assuma a responsabilidade; 6) Arque com as consequências ( remediação ).