SlideShare uma empresa Scribd logo
PUB




Carência Social em Algueirão-Mem Martins
“Todas as semanas se chora neste gabinete. As pessoas dirigem-se aqui com todos os
problemas que têm, rendas para pagar, falta de gás, corte de luz, desempregados. Estamos
a falar de carenciados, de gente com determinada idade, algumas inválidas, e que precisam
de apoio”, disse ao Correio de Sintra o presidente da Junta. Pág. 4

                      Eléctrico voltou à                 Opinião
                      praia das Maçãs
                      SOCIEDADE. À medida que
                      desce a sinuosa serra de Sintra
                      em direcção às praias, o guarda-
                      freios faz soar a campainha de
                      presença do centenário eléctrico
                      de Sintra, que regressou aos
                      carris a 17 de Junho no percurso   OPINIÃO. Rui Pereira e
                      entre a vila e o mar. Pág. 6       Marco Almeida. Pág. 19

Resultados Eleitorais. José Faustino, Rui Pereira, Lino Ramos, Pedro Ventura e
André Beja comentam resultados eleitorais. Pág. 6
                                                                                              PUB
2 Correio de Sintra 19 de Junho de 2011                                                                                                                A abrir


             editorial                                                          Salta à vista...
  Marionetas da troika?
  N     uma altura em que os por-
        tugueses vivem a ressaca da
eleição de um novo governo, com
                                         pendentes. À falta de experiência de
                                         alguns nas áreas para onde foram
                                         indicados (como Assunção Cristas
novas caras a assumirem as pastas        ou Pedro Mota Soares) deverão agora
que devem encaminhar o país para         rodear-se de Secretários de Estado
a prosperidade, é altura de fazer        com trabalho de casa feito e provas
uma reflexão sobre os caminhos que       dadas, técnicos com experiência nas
teremos que trilhar.                     áreas que dêem garantias que efec-
   Os portugueses escolheram uma         tivamente algo vai mudar na espiral
coligação de direita em vez de manter    recessiva da política do país. Que a
no poder um partido submisso às          qualidade deste novo governo supere
ideias de um líder que caiu em des-      em larga escala a quantidade do
graça. Que afundou o país.               governo anterior.
   Os portugueses optaram pelo polí-        Uma última nota: a saúde é hoje
tico não profissional, o tão apregoado   um dos maiores “sorvedores” de
candidato dos “tiros no pé” durante a    dinheiro do Estado português. Não é
campanha e afundaram o Bloco de          de admirar por isso que a liderança
Esquerda a números nunca vistos          deste ministério esteja a cargo de
nos últimos doze anos, contrariando      um gestor profissional. Aguardam-se       Arte para uns, lixo urbano para outros. Os graffitis são hoje o sinal de uma
uma subida contínua de eleição           muitas medidas nesta área, sem que     cultura suburbana que não olha a meios para deixar a sua marca. Estações fer-
para eleição. Um partido que não         fique, esperamos nós, comprometida     roviárias, prédios, muros, tudo serve. Alguns são até casos de polícia, pois os
assumiu as suas responsabilidades        uma das mais importantes medidas       gangues utilizam-nos para marcar o seu território. A lembrar o velho ditado:
e não se sentou à mesa das negocia-      pós 25 de Abril – o Serviço Nacional   “se não os podes vencer, junta-te a eles”, juntas e empresas começam a servir-
ções com os estrangeiros ‘ingerentes’    de Saúde.                              se dos grafitis para a decoração de muros e de edifícios.
que vão emprestar milhões de euros          Joaquim José Reis
à economia portuguesa a troco de
um apertar de cinto contínuo dos
nativos deste país. Já o PCP manteve
praticamente o mesmo eleitorado,
sinal de que a renovação dos ‘fiéis’ é
um dado adquirido.
   Quanto ao CDS ficou aquém das
expectativas do seu líder mas ainda
assim numa posição muito confor-
tável que lhe permitiu ter força rei-
vindicativa na formação do novo
executivo.
   Qual a autonomia que os novos
governantes têm para aplicar
medidas protectoras da economia
dos portugueses? Será Passos Coelho
uma marioneta do chamado sistema
da ‘troika’, um ‘yes man” perante as
medidas restritivas dos fundos euro-
peus?
   Ainda é cedo para o saber, embora
muitos apregoem que esse compor-
tamento será inevitável. Pela terceira
vez na história da democracia portu-
guesa, o Fundo Monetário Interna-
cional (FMI) é chamado para aplicar
o que os políticos portugueses não
conseguiram, ou não souberam,
fazer.
   É de facto lamentável que tenham
que vir gestores de fora para meter o
país na ordem, mas agora nada há a
fazer.                                      É certo que as viaturas da Polícia de Segurança Pública são em número muito reduzido para a área de actuação
   Quanto às escolhas de Passos          desta autoridade. Há esquadras onde apenas existe uma viatura operacional, enquanto que, nos seus lugares de esta-
Coelho e de Paulo Portas no que diz      cionamento, jazem várias delas ao abandono. Em Rio de Mouro e Massamá parece já ser normal… E o mesmo acon-
respeito à equipa governativa, note-     tece nas oficinas onde, à falta de dinheiro, as viaturas da PSP ficam por longas temporadas à espera que alguém pague
se que quatro são do PSD, três do        o trabalho dos mecânicos.
CDS-PP e outros quatro são inde-
PUB
4 Correio de Sintra 19 de Junho de 2011                                                                                                                        Concelho

Concelho
Carência Social: porta da Junta de
Freguesia de Algueirão-Mem Martins “está
sempre aberta”




                                                                                                                                                                         JOAQUIM REIS
SOCIEDADE. O                    muitas das vezes, os compro-
crescimento populacional que    missos dos urbanizadores
tornou Algueirão-Mem Martins    em instalar equipamentos
a maior freguesia do país       sociais que seriam impor-
não foi acompanhado com a       tantes para a freguesia. Se
construção de equipamentos      me perguntarem onde é que
                                posso construir um parque
e de respostas sociais. Em
                                urbano, com dimensão razo-
tempos de crise, muitos         ável, eu não sei porque não
dos moradores procuram          temos terrenos”, disse o
na Junta as respostas para      autarca.
situações de carência.             Com um orçamento anual
                                a rondar o milhão de euros -
   “A grande dificuldade que    recebe pouco mais de 300 mil
temos é que de facto temos      das transferências da autar-
muitas carências e eu diria     quia de Sintra - o dinheiro
que uma delas é a nível         mal chega para a conser-
social. Há problemas graves     vação dos 150 mil metros
de carácter social na fre-      quadrados de espaços verdes
guesia. Todas as semanas se     e para o apoio social que a
chora neste gabinete. As pes-   junta presta. No entanto,
soas dirigem-se aqui com        para fazer face às carências,
todos os problemas que têm,     a porta está sempre aberta,
rendas para pagar, falta de     muitas vezes fora das horas
gás, corte de luz, desempre-    do expediente.
gados. Estamos a falar de          Os sessenta telefonemas
carenciados, de gente com       que recebe por dia e os dez
determinada idade, algumas      mil atestados assinados         Manuel do Cabo considera que número de equipamentos sociais é insuficiente.
inválidas, e que precisam de    anualmente evidenciam a         zação, causando problemas a         sei quantos hospitais e não              matinal” nem para contri-
apoio”, disse ao Correio de     dimensão populacional da        quem está por cima, porque          sei quantos milhões de inves-            buir para “as almoçaradas”.
Sintra o presidente da Junta.   freguesia. Para Manuel do       os estão ali a incomodar.           timentos feitos em espaço                  Considera que os dois
   Segundo Manuel do Cabo,      Cabo, a dedicação tem que       Temos que ter consciência           público, e têm menos habi-               mil euros mensais fazem do
nesta área de dezasseis qui-    ser total uma vez que os        de que estes jovens não têm         tantes que nós aqui”, consi-             cargo de presidente da maior
lómetros quadrados onde         dezassete funcionários são      espaço nenhum para estar.           derou.                                   junta do país um posto bem
moram 120 mil pessoas, dos      insuficientes para dar res-       Quanto à revisão do mapa             “Não há dúvida nenhuma                remunerado.
quais 49 mil estão recense-     postas efectivas.               das freguesias, o autarca           que o mapa administrativo                  “Quando se vem para uma
ados, não existe um parque         Manuel do Cabo considera     admite que é necessária,            tem que ser mexido. Agora,               junta desta dimensão, é evi-
urbano, um centro de saúde      que a falta de equipamentos     desde que a maior freguesia         também temos que ter em                  dente que temos que largar a
construído de raíz ou um        prejudica principalmente os     do país fique de fora.              consideração as zonas e a                nossa actividade, e é natural
pavilhão gimno-desportivo.      mais jovens, que à falta de       “Concordo que se faça             sensibilidade com que é pre-             que se estamos aqui somos
   “Isto ilustra bem a          locais de convívio, têm como    uma revisão do mapa das             ciso mexer nestas questões”,             remunerados. E até diria que
ganância do construir numa      alternativa as ruas.            autarquias. E não concordo          adiantou.                                considero que o vencimento
zona próxima de Lisboa. E          “Temos que fazer alguma      [a revisão do espaço de                Manuel do Cabo tra-                   do presidente da Junta de
portanto, todo o espaço que     coisa por estes jovens.         Algueirão-Mem Martins],             balha das 9:15 às vezes até às           Algueirão-Mem Martins é
havia disponível serviu para    Muitas vezes ocupam o           porque em 36 concelhos, que         22:00. Não está disponível               muito bom”, disse.
a construção, esquecendo-se,    espaço junto a uma urbani-      têm 186 freguesias, têm não         para abdicar do “cafezinho                  Joaquim Reis
PUB
Concelho                                                                                                          19 de Junho de 2011   Correio de Sintra 5




Crianças fardadas fizeram de polícias na
primeira esquadra infantil do concelho




                                                                                                                                                              DR
                                  ambiente lúdico transmitir     shopping, cada um com o
Cerca de 150 crianças
inauguraram      a     primeira   uma imagem positiva e          seu giro de patrulha. Como
esquadra infantil da PSP          aproximá-las da polícia.       a Esquadra não podia estar
de Mem Martins e ficaram          Para que não sejam vistos      fechada, uma das crianças
responsáveis pela segurança       como aquele senhor que os      foi eleita o Graduado de
do centro comercial Floresta      pais chamam quando não         Serviço e juntamente com
Center, numa iniciativa para      comem a sopa”, disse o         o Sentinela zelaram pelas
assinalar o Dia da Criança.       comandante da Divisão de       instalações do edifício, e
                                  Sintra da PSP, Hugo Palma.     receberam as participações
Esta iniciativa insere-se         Segundo a PSP, esta ini-       de quem ali se lhes dirigiu.
no Programa Integrado de          ciativa surgiu pelo facto de   Como não existem viaturas
Policiamento de Proximi-          existir uma necessidade por    a circular no interior, foram
dade e pretende também            parte das entidades compe-     efectuadas em simultâneo,       aram -me um documento”,         os mais velhos, mostrar-lhe
“humanizar o trabalho com         tentes de responder a certas   operações de fiscalização       “senhor agente encontrei        que os polícias são “pessoas
as crianças”. Fardadas a          carências da população, e      de viaturas no parque ex-       uma carteira”, ou “senhor       como as outras”.
rigor, algumas crianças fo-       no sentido de as aproxi-       terior do Floresta Center.      agente preciso de ir de-        “Acho muito importante esta
ram distribuídas pelo cen-        mar mais. Assim, miúdos        Aqui, caso se verificasse       positar uma grande quantia      aproximação entre as cri-
tro comercial, enquanto           e graúdos inverteram o seu     infracções, os agentes in-      ali ao banco e estou com        anças e a polícia. Quando o
outras ficaram na Esquadra        papel.                         fantis podiam proceder          receio,acompanha-me”.           meu filho se está a portar mal
Infantil.                         A fim de garantir a seg-       com a simulação dos autos.      Alguns dos adultos presentes    eu digo-lhe: olha que está ali
“Alguns pais ainda me-            urança do centro comer-        Conjuntamente com os lo-        nesta iniciativa disseram ao    o senhor polícia e ele leva-te
tem medo aos filhos com           cial, alunos de várias es-     jistas do espaço, foram         Correio de Sintra que este      preso’. Se calhar não o devia
o ‘senhor polícia’ e algu-        colas, foram fardados a        simuladas situações padrão      tipo de acções são impor-       fazer porque ele tem medo
mas crianças têm receio           rigor, e distribuídos pelo     como: “senhor agente, deix-     tantes para, além de ensinar    dos polícias”, disse Rui Dias.
da polícia. Procuramos em                                                                        os mais jovens a respeitar         Joaquim Reis
PUB
6 Correio de Sintra 19 de Junho de 2011                                                                                                                              Concelho

Concelho
PSD foi o partido mais votado em Sintra




                                                                                                               DR
                                                                                                                    deputado adiantou que passa      em Sintra acompanhou ao
                                                                                                                    por “voltar à vida fora da       milímetro o plano nacional.
                                                                                                                    representação política” e tra-   Isso e eventualmente os
                                                                                                                    balhar, enquanto presidente      eleitores que ficaram em
                                                                                                                    da concelhia, para “recu-        casa”, disse.
                                                                                                                    perar a confiança dos portu-
                                                                                                                    gueses e dos sintrenses”.           Para o PCP, que obteve
                                                                                                                       Para Lino Ramos o resul-      uma votação superior em
                                                                                                                    tado do CDS-PP mostra            Sintra à média nacional,
                                                                                                                    que a mensagem do partido        estes resultados mostram
                                                                                                                    tem chegado aos sintrenses.      que “há renovação” do elei-
                                                                                                                    “O CDS em Sintra está vivo.      torado afecto ao partido.
                                                                                                                    Mostra que estamos a tra-           “Ao contrário do que
                                                                                                                    balhar em prol da popu-          dizem de que há tendência
                                                                                                                    lação do concelho. É a pri-      para envelhecimento do
                                                                                                                    meira vez que, numa legis-       eleitorado, os resultados
                                                                                                                    lação nacional, o par-           mostram que isso não se
                                                                                                                    tido atinge em Sintra uma        verifica. Com o passar dos
                                                                                                                    média superior à nacional”,      anos o eleitorado vai-se
                                                                                                                    disse.                           mantendo, por isso há
Na Escola Secundária Padre Alberto Neto, em Queluz, o PS foi o partido mais votado.
                                                                                                                       O     agora       vereador    sempre uma renovação.
                                                                                                                    adiantou que vai manter o        Para nós o resultado é posi-
 POLÍTICA. O partido do                na Assembleia da República,             interesses de Sintra”.               lugar de vereador da autar-      tivo dada a campanha de
 primeiro-ministro, Passos             estas eleições colocaram                   Para o socialista Rui             quia com responsabili-           desinformação e uma tri-
 Coelho, obteve 31,83 por              cinco sintrenses no parla-              Pereira, que concorria em            dades na área do Turismo.        polarização à volta do PS,
 cento dos votos, superando o          mento. São eles o vereador              16º lugar do círculo elei-           “Fico exactamente nos            PSD e CDS”, sublinhou
 PS que se ficou pelos 28,58.          do CDS-PP e secretário geral            toral de Lisboa, a votação no        mesmos moldes que esteve         Pedro Ventura, adjunto do
 Nestas eleições o CDS-PP foi          do partido, Lino Ramos, a               Partido Socialista acompa-           João Soares [PS] no ante-        vereador da CDU na autar-
                                       democrata cristã Inês Teo-              nhou a tendência nacional            rior executivo”, considerou.     quia de Sintra.
 o terceiro partido mais votado
                                       tónio Pereira, o socialista             e resulta de um contexto                Para o socialista Rui            O comunista António
 (14,12), seguido de PCP               Vitalino Canas e os sociais             “fora do comum” de crise             Pereira, que concorria em        Filipe obteve um lugar ele-
 (9,35) e Bloco de Esquerda            democratas António Rodri-               internacional e nacional             16º lugar do círculo elei-       gível como deputado mas,
 (6,28). Comparativamente              gues e Ana Sofia Bettencourt            que “não se resolve pela             toral de Lisboa, a votação no    embora resida em Sintra,
 com as anteriores                     - ambos eleitos na Assem-               mudança do governo”.                 Partido Socialista acompa-       foi eleito pelo círculo de
 legislativas, a abstenção             bleia Municipal de Sintra.                 “A mesma razão que                nhou a tendência nacional        Santarém.
 foi ligeiramente maior em                Para o presidente da con-            levou os eleitores no plano          e resulta de um contexto            Para André Beja, 10º
 2011 do que em 2009.                  celhia do PSD, José Faus-               nacional a não votar no              “fora do comum” de crise         lugar da lista do BE pelo
                                       tino, este resultado mostra             PS foi acompanhada em                internacional e nacional         círculo de Lisboa, esta foi
                                       que “quando se coloca                   Sintra. Esperava melhores            que “não se resolve pela         uma “votação que acom-
    Em 2009, o PS obteve               novamente a democracia a                resultados até porque a              mudança do governo”.             panhou a descida geral em
 37,56 por cento da votação            funcionar os cidadãos mos-              receptividade na campanha               “A mesma razão que            todo o país” e que “ficou
 em Sintra, seguido de PSD,            tram o seu descontenta-                 foi boa e não havia razões,          levou os eleitores no plano      aquém das expectativas”.
 com 21,63, BE, com 12,48,             mento ou o contentamento”               para nós, que levasse a              nacional a não votar no             “Não estamos muito
 CDS-PP com 11,72 e PCP,               através do voto.                        essa situação. Foi exacta-           PS foi acompanhada em            satisfeitos, mas aceitamos
 com 9,47 por cento.                      “Comparativamente       a            mente a descida a nível              Sintra. Esperava melhores        a decisão soberana dos
    A abstenção foi menor              2009 o PSD teve mais vinte              nacional pois o comporta-            resultados até porque a          eleitores.    Continuamos
 em 2011 (59,56) do que em             mil votos”, disse, adian-               mento em Sintra acompa-              receptividade na campanha        a defender a justeza das
 2009 (59,72).                         tando ter “plena convicção”             nhou ao milímetro o plano            foi boa e não havia razões,      nossas ideias e continu-
    Enquanto que o presi-              de que os dois deputados                nacional. Isso e eventu-             para nós, que levasse a essa     amos a ter razão em muitas
 dente da concelhia do Par-            sintrenses eleitos pelos                almente os eleitores que             situação. Foi exactamente        das coisas que dizemos”,
 tido Socialista, Rui Pereira,         sociais-democratas      tudo            ficaram em casa”, disse.             a descida a nível nacional       disse.
 perdeu o lugar de deputado            farão para “defender os                    Quanto ao futuro, o antigo        pois o comportamento                 Joaquim Reis
PUB
PUB
8 Correio de Sintra 19 de Junho de 2011                                                                                                                         Concelho

Concelho
Eléctrico abre portas à serra e ao mar até
final de Setembro




                                                                                                                               JOAQUIM REIS
                                                                                                                                              ando assim num eléc-
                                                                                                                                              trico. Em França só temos
                                                                                                                                              daqueles mais modernos,
                                                                                                                                              o que não é nada compa-
                                                                                                                                              rável com o facto de andar
                                                                                                                                              num destes, com tanta his-
                                                                                                                                              tória e romantismo”, admite
                                                                                                                                              Monique Auet.
                                                                                                                                                 A ideia de ligar a serra ao
                                                                                                                                              mar através do percurso da
                                                                                                                                              vila até à Praia das Maçãs
                                                                                                                                              surgiu em 1886. Em 1903
                                                                                                                                              foram adquiridos treze eléc-
                                                                                                                                              tricos a uma empresa ame-
                                                                                                                                              ricana de Filadélfia e o pro-
                                                                                                                                              jecto foi concretizado em
                                                                                                                                              1904.
                                                                                                                                                 Hoje, é um dos ex-líbris
                                                                                                                                              turísticos da vila, com dois
                                                                                                                                              veículos a circular entre
                                                                                                                                              Junho e Setembro e a trans-
                                                                                                                                              portar centenas de turistas
                                                                                                                                              anualmente.
                                                                                                                                                 Para o vereador do
                                                                                                                                              Turismo, Lino Ramos, esta
                                                                                                                                              “é uma peça histórica que faz
                                                                                                                                              parte da identidade, da cul-
                                                                                                                                              tura, da memória” de Sintra.
                                                                                                                                                 “Faz parte do nosso ima-
SOCIEDADE. À medida                 Habituado ao percurso, o     plátanos da vila de Colares,      não respeitam as priori-                   ginário e é destas peças que
que desce a sinuosa serra        guarda-freios que conduz o      pelas habitações de Gala-         dades e não é fácil travar o               fazem com que Sintra seja
de Sintra em direcção às         veículo construído em 1904      mares e pela sinuosidade da       eléctrico”, afirmou Luís Car-              uma zona mágica e única. É
praias, o guarda-freios faz      está sempre atento aos carris   serra.                            valho que em “menino” já                   um todo da Sintra Capital
soar a campainha de presença     e não esconde o orgulho de         Neste percurso circula,        se agarrava do lado de fora                do Romantismo. As pessoas
do centenário eléctrico de       descer diariamente a serra a    por vezes, a menos de meio        do veículo para não pagar a                vêm cá não só pelo eléctrico,
                                 pouco mais de 25 quilóme-       metro das residências, ‘sal-      viagem.                                    mas também pelo eléctrico”,
Sintra, que regressou aos
                                 tros por hora.                  tando’ pelas entradas das            E foi aí que nasceu “o                  sublinhou o vereador, adian-
carris a 17 de Junho no             “Parece complicado con-      garagens. Aqui, o guarda-         bichinho” que em 1997 o faz                tando que, de 1904 a 2008
percurso entre a vila e o mar.   duzir mas não é. É mais         freios faz soar a campainha       enveredar por esta profissão               foram transportadas nos
                                 difícil conhecer a própria      para dar o sinal de que o eléc-   que cada vez mais está em                  eléctricos 158 mil pessoas.
  Os solavancos são compa-       linha do que conduzir o elé-    trico voltou a circular, depois   desuso.                                       De sexta-feira a domingo,
nheiros de viagem dos visi-      trico. Como o carril é antigo   da interrupção durante o             Andar no eléctrico faz                  o eléctrico circula para o
tantes que deixam a vila his-    não convém andar muito          período de inverno.               lembrar tempos antigos e os                público em geral e com car-
tórica em direcção à Praia       depressa”, explica Luís Car-       “Já tivemos alguns aci-        turistas não perdem a opor-                reiras regulares até à praia.
das Maçãs, assinalando o         valho.                          dentes. Especialmente junto       tunidade de andar no veículo               De terça a quinta mantém-
regresso do eléctrico ao tra-       Nos doze quilómetros do      às casas, com as pessoas a        número um, com capacidade                  se os alugueres, não havendo
çado original inaugurado há      percurso, o eléctrico ‘finta’   tirarem as viaturas de dentro     para 24 pessoas.                           circulação às segundas.
107 anos.                        por entre os tradicionais       das propriedades. Algumas            “É a primeira vez que                       Joaquim Reis
PUB
Concelho                                                                                                                            19 de Junho de 2011   Correio de Sintra 9




Municípios querem refeições Quim Barreiros
escolares nas férias lectivas animou Fação
                                  JOAQUIM REIS




SOCIEDADE. Os                                                                                                          Centenas de pessoas         de marcar presença no largo
municípios da Área                                                                                                  viram o artista português      da Fação. Às tradicionais
Metropolitana de Lisboa                                                                                             Quim Barreiros encerrar as     bancas de venda de roupas,
pretendem que o programa                                                                                            festas em Honra de Santo       farturas, pão com chou-
das refeições escolares dos                                                                                         António, na Fação, Pêro        riço, juntaram-se vende-
alunos do primeiro ciclo do                                                                                         Pinheiro. As sardinhas, as     dores de balões, numa festa
                                                                                                                    bifanas, o vinho e a cer-      que animou esta localidade
ensino básico seja alargado
                                                                                                                    veja marcaram presença e       de Pêro Pinheiro. No final,
às férias escolares do primeiro                                                                                     a animação durou até altas     o artista deu autógrafos a
e segundo períodos.                                                                                                 horas.                         dezenas de pessoas.
                                                                                                                       A 14 de Junho, e depois        As festas, cujo ponto alto
   Segundo o coordenador                                                                                            do baile, Quim Barreiros       foi a actuação de Quim Bar-
do grupo de vereadores da                                                                                           arrancou para uma actu-        reiros, tiveram início no dia
Educação dos municípios                                                                                             ação que animou cerca de       9 com a abertura da quer-
da AML, Marco Almeida,                                                                                              duas centenas de pessoas       messe e com a feira de arte-
também vereador na Câmara                                                                                           que nesse dia não deixaram     sanato.
Municipal de Sintra “foi pre-
parada uma recomendação
dirigida ao Ministério da
Educação a propor que haja
o prolongamento do serviço
de refeições nas duas pausas
lectivas”.
   Para o vice-presidente
da autarquia de Sintra, “no                  Autarcas querem alargar programa de refeições às férias escolares
actual contexto social e eco-
nómico, esta é uma medida                    fazer a preparação do pró-               Segundo     o     vereador,
de apoio social às famílias                  ximo ano lectivo de acordo            os municípios mostram
muito importante”. A decisão                 com as suas prioridades e             “alguma resistência” em
surgiu durante uma reunião                   objectivos, mas há ques-              relação “ao número de alunos
realizada no Sobralinho, con-                tões que são estruturantes            que está previsto” e consi-
celho de Vila Franca de Xira,                e dependem exclusivamente             deram que “o que deve ser
que juntou os vereadores da                  da forma como o ministério            avaliado é a qualidade com
Educação dos municípios da                   se posiciona em relação a             que os diferentes agrupa-
AML.                                         cada uma delas”, explicou             mentos existentes prestam
   Os autarcas consideram                    Marco Almeida.                        o serviço a cada uma das
que é fundamental a reali-                     O responsável da Coli-              comunidades educativas”.
zação de uma reunião com a                   gação Mais Sintra (PSD                   “Ter como base uma
nova equipa do Ministério da                 e CDS-PP) congratulou-                redução das verbas gastas
Educação para “serem tra-                    se ainda com a suspensão              com o funcionamento dos
tadas algumas questões que                   do processo de criação dos            agrupamentos        existentes
são alvo de preocupação”,                    mega-agrupamentos        por          não nos parece uma boa
entre os quais a preparação                  parte do Governo de José              opção. Cada município tem
do novo ano lectivo e o pro-                 Sócrates, considerando que            as suas especificidades e não
cesso de criação dos mega-                   “deverá ser a próxima equipa          pode haver uma medida que
agrupamentos.                                ministerial a definir qual o          seja genérica e penalizadora
     “Cada câmara muni-                      caminho a seguir relativa-            das vulnerabilidades de cada
cipal tem autonomia para                     mente a esta matéria”.                um”, sustentou.
10 Correio de Sintra 19 de Junho de 2011                                                                                                                                 Concelho

Concelho
Núcleo gere respostas ao consumo de
drogas e álcool




                                                                                  JOAQUIM REIS
SOCIEDADE. Câmara de                     trabalhar competências parentais
Sintra e o Instituto da Droga e          e sociais com famílias identificadas
Toxicodependência (IDT) vão              como de risco – cerca de oitenta -
trabalhar em conjunto na prevenção       residentes na Tapada das Mercês.
do consumo de drogas e álcool               Na área da redução de riscos e
através de um núcleo territorial do      minimização de danos está a ser
                                         desenvolvido um projecto da VITAE
Programa de Respostas Integradas
                                         que tem como suporte uma unidade
em Algueirão - Mem Martins.              móvel que presta apoio psicossocial
                                         a pessoas sem-abrigo ou que apre-
   O protocolo assinado a 9 de Junho,    sentem clara situação de exclusão
que define a criação do núcleo terri-    social.
torial de Algueirão - Mem Martins,          Segundo João Ribeiro, respon-
envolve, além do IDT e da autarquia,     sável do IDT, este núcleo territorial
a Associação Luso-Caboverdeana de        “serve para gerir um programa de
Sintra e a VITAE - Associação de         respostas integradas e pode ter inter-
Solidariedade e Desenvolvimento          venções nas várias áreas, quer seja no
Internacional.                           tratamento, na redução de riscos e de
   Apesar da formalização do pro-        danos e prevenção na reinserção”.
                                                                                                 Toxicodependentes concentravam-se junto ao Largo da Estação.
tocolo apenas agora ter sido con-           O responsável adiantou ao Correio
cluída, os dois projectos das associa-   de Sintra que, após a realização de                 este é “um projecto de intervenção                 de vida mais desfasados. É impor-
ções abrangidos por este núcleo ter-     um diagnóstico em Sintra, foi esco-                 que visa uma acção prática” ao nível               tante que essas pessoas sejam recu-
ritorial já estão em desenvolvimento     lhida a freguesia de Algueirão - Mem                da prevenção nesta freguesia, que                  peradas socialmente, mas a pre-
desde 2010, terminam em 2012 e           Martins por ser a mais populosa e por               por ser a mais populosa do país, com               venção é essencial porque o custo
podem ser renováveis.                    ser aquela “onde havia mais necessi-                cerca de 120 mil moradores, repre-                 que pode ter a nível imediato vai
   Na área da prevenção, o programa      dade de intervenções prioritárias”.                 senta maior risco.                                 minimizar muitíssimo os custos,
“Trilhos com Sentido”, cujo pro-            Para a vereadora da Câmara de                      “Preocupa-nos muito a prevenção,                 quer económicos, quer sociais, a
motor é a Associação Luso-Cabover-       Sintra com o pelouro da Saúde, Acção                independentemente do tratamento                    médio longo prazo”, adiantou.
deana de Sintra, tem como objectivo      Social e Habitação, Paula Simões,                   das pessoas que já estão em projectos                 Joaquim Reis
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
Cidades                                                                                                                                     19 de Junho de 2011   Correio de Sintra 15


Agualva-Cacém
Centro para toxicodependentes abre depois
do Verão
                                JOAQUIM REIS




SOCIEDADE. Centro para
toxicodependentes em Agualva                                                                                                                               ensino.
que foi alvo de protestos                                                                                                                                     Nessa altura, os ânimos
de populares contra a sua                                                                                                                                  ficaram exaltados quando
instalação na freguesia, abre                                                                                                                              um elemento da oposição
depois do Verão. Segundo                                                                                                                                   da Junta (CDU) se mostrou
                                                                                                                                                           favorável ao projecto.
João Ribeiro, responsável                                                                                                                                     Os cerca de 40 mora-
do IDT, as instalações desta                                                                                                                               dores que estavam a pro-
unidade deverão estar                                                                                                                                      testar começaram aos gritos
concluídas a 13 de Junho,                                                                                                                                  quando o representante
                                                                                                                                                           da CDU na Assembleia de
   João Ribeiro adiantou                                                                                                                                   Freguesia de Agualva, Rui
ao Correio de Sintra que,                                                                                                                                  Ramos, se deslocou ao local
                                           Moradores protestaram contra a instalação desta unidade junto a habitações.
apesar de a população ini-                                                                                                                                 e explicou aos jornalistas
cialmente estar contra a                   centro de tratamento e de             ano.                                    utentes activos”, afiançou.       que os partidos da oposição
instalação deste equipa-                   atendimento. Vimos que a                “A população de Sintra                   Em Novembro de 2010,           estão favoráveis à insta-
mento na freguesia, tudo                   população tem estado muito            é de 400 mil habitantes                 vários     moradores      de      lação do centro de recupe-
não passou de “um mal                      calma e receptiva”, observou.         [logo] potencialmente há                Agualva e presidente da           ração naquele local.
entendido”, tendo já “com-                    João Ribeiro explicou              quatro mil toxicodepen-                 Junta de Freguesia, Rui              Por entre empurrões e
preendido” o objectivo                     que nesta unidade vai estar           dentes no concelho. Como                Castelhano,     protestaram       gritos, muitos moradores
desta unidade.                             uma equipa de vinte a                 vamos manter o pólo de                  contra a instalação do            disseram a Rui Ramos para
   “As pessoas pensavam que                trinta técnicos, preparada            Sintra, que abrangerá a                 Centro de Respostas Inte-         abandonar o local, impe-
aquilo ia ser um centro de                 para receber entre oitenta            parte norte do concelho,                gradas de Sintra junto a          dindo as entrevistas. “Aqui
internamento de toxicode-                  a cem pessoas diariamente             no Cacém serão abrangidos               uma área de residências,          não há política. O senhor é
pendentes, mas não é o caso,               – através de consultas e do           2500 utentes. Mas não                   alegando que esta unidade         que devia morar aqui”, gri-
porque é um centro de con-                 programa de metadona -a               estão todos em tratamento               iria perturbar um bairro          taram alguns dos manifes-
sultas e de ambulatório. Não               uma média de acompanha-               ao mesmo tempo e geral-                 “calmo” e que está próximo        tantes.
é para instalar pessoas, é um              mento de 500 utentes por              mente por ano teremos 500               de dois estabelecimentos de           Joaquim Reis



Televisão analógica foi desligada
                                                                                 em número “inferior ao                  pagos de televisão, para o           “Percebemos que este [pro-
SOCIEDADE. A cidade                            das Comunicações                  esperado”.                              qual deve ser adquirido um        jecto piloto] era o caso mais
de Agualva-Cacém foi a                         (ANACOM) desligou o                  Este desligamento                    descodificador que custa          complicado, porque temos a
segunda localidade piloto                      sinal analógico da cidade,        abrange oito freguesias do              entre 30 a 200 euros, em          noção que os vizinhos aqui
a aderir à Televisão Digital                   naquela que, considera o          concelho de Sintra (Agualva,            parte financiados.                não se conhecem. Isto hoje é
Terrestre (TDT) em Portugal.                   organismo, será a maior           Belas, Cacém, Massamá,                     Segundo o presidente da        mais importante como piloto
O desligamento do sinal                        revolução televisiva desde o      Mira-Sintra, Rio de Mouro,              ANACOM, José Amado da             para o país, do que para o
                                               aparecimento dos aparelhos        São Marcos e São Pedro de               Silva, as características desta   Cacém e para Sintra. Espero
analógico do retransmissor
                                               a cores.                          Penaferrim), onde moram                 zona urbana com grande            que a população do país apro-
local aconteceu a 16 de                           Esta entidade consi-           cerca de duzentas mil pes-              concentração de habitantes        veite estas colmeias para se
Junho e 120 famílias podem                     dera que “o processo correu       soas.                                   fazem deste projecto piloto       prevenir”, disse o responsável
ter ficado sem acesso aos                      de forma positiva” com o             Esta alteração só afecta             um elemento importante para       durante a iniciativa que assi-
quatro canais gratuitos.                       número de famílias que            as habitações que recebem o             apurar a forma como a divul-      nalou o desligamento do sinal
                                               ficara, sem ver televisão na      sinal analógico (por antena)            gação e a implementação da        analógico.
      A Autoridade Nacional                    sequência do desligamento         e que não possuam serviços              TDT está a ser feita.              Joaquim Reis
PUB                                                                                                                                                                                   PUB
16 Correio de Sintra 19 de Junho de 2011                                                                                                                                 Cidades

Queluz
Grupo armado com metralhadora Recolha do lixo
assaltou café no 1.º de Maio  insuficiente



                                                                     JOAQUIM REIS
                                                                                    nado por ter a filha longe. Se   SOCIEDADE. As juntas            blema. Teremos certamente
                                                                                    disséssemos alguma coisa         de freguesia de Casal de        que acertar os circuitos para
                                                                                    eles matavam-nos. Não            Cambra e Belas estão            que possamos corrigir estas
                                                                                    estavam para brincadeiras”,      insatisfeitas com a recolha     dificuldades”, explicou o
                                                                                    disse uma das vítimas ao         do lixo realizada pela          administrador.
                                                                                    Correio da Manhã.                HPEM, principalmente ao            Para Guilherme Dias,
                                                                                       Segundo a proprietária                                        presidente da junta de fre-
                                                                                    do estabelecimento, o fun-
                                                                                                                     fim-de-semana. A empresa        guesia de Belas, esta situ-
                                                                                    cionário estava já a servir      responsável pela higiene        ação é “uma vergonha.
                                                                                    a última bebida quando           pública garantiu ao Correio     O serviço prestado pela
                                                                                    o assalto ocorreu. ““Até         de Sintra que, apesar de        HPEM é muito mau. Não
                                                                                    pareceu azar. Estávamos          o corte substancial das         podemos viver de horas
                                                                                    quase a sair. O funcio-          horas extraordinárias           extraordinárias”, sublinhou
PSP admite que poderá não ter havido disparo de arma automática.
                                                                                    nário até estava a servir a      nos trabalhadores, irá          o presidente.
                                                                                    última bebida e aprovei-         regularizar este problema.         A limpeza do lixo volu-
CRIME. Três homens                   entraram no estabeleci-                        támos apenas para estar à                                        moso é o principal pro-
armados com caçadeiras               mento do bairro 1º de Maio,                    conversa. Foi quando eles                                        blema que se sente em
e uma metralhadora                   tendo obrigado a criança                       entraram e começaram a              “O lixo não é removido       ambas as freguesias. Em
assaltaram o café e                  a entrar. Agrediram um                         ameaçar de morte”, disse.        com a frequência como era       Casal de Cambra, “a última
cervejaria Caldeira, em              cliente com socos e pon-                          O caso está entregue à        habitual. Todas as semanas      recolha feita pela HPEM é
Monte Abraão no dia                  tapés e atiraram-no ao chão                    Polícia Judiciária.              mando correio electrónico       às 18h de sexta e só volta a
                                     para lhe levarem a carteira e                     Contactada pelo Correio       à HPEM mas a empresa            recolher lixo na madrugada
10, espalhando o terror
                                     um fio de ouro.                                de Sintra, a presidente da       não dá a sequência devida”,     de segunda para terça. Esta
entre os clientes que,                  Mas o pânico instalou-                      Junta de Freguesia, Fátima       disse Vítor Novo, vogal do      situação é insustentável”,
perto da hora de fecho,              se durante a fuga. Segundo                     Campos, adiantou que,            executivo da junta de fre-      reiterou Vítor Novo.
ainda se encontravam no              vários órgãos de comuni-                       apesar de este já ter sido       guesia de Casal de Cambra.         Embora a situação seja
estabelecimento. Este é              cação social, durante a fuga                   um bairro bastante proble-       o O responsável adiantou        passível de ser resolvida
mais um caso de um assalto           o agente da PSP disparou                       mático devido “aos tráfico       que o problema existente        pela empresa de higiene
violento na cidade de                contra os assaltantes que,                     e consumo de droga”, actu-       há vários meses resulta do      pública,     Rui     Caetano
Queluz, um espaço cada vez           por sua vez, terão dispa-                      almente já não apresentava       corte das horas extraordi-      admitiu que podia existir
mais afectado pela crise.            rado uma rajada de metra-                      este tipo de criminalidade.      nárias nos trabalhadores da     mais “disciplina por parte
                                     lhadora contra o estabeleci-                      “Não tem havido pro-          empresa de higiene pública.     da população”. Vítor Novo
                                     mento.                                         blemas de maior ali. Aquilo      Contactado pelo Correio         partilhou o mesmo ponto de
   Os clientes – entre eles             No entanto, fonte da                        não pode ter sido gente do       de Sintra, Rui Caetano,         vista do administrador da
estava um agente da PSP À            PSP garantiu ao Correio                        bairro a fazer esse assalto.     administrador da HPEM,          HPEM, e pediu mais cola-
civil e a filha de oito anos         de Sintra que não foram                        Eles protegem-se uns aos         garantiu que “o problema        boração aos habitantes de
- foram sequestrados sob             “encontrados nenhuns indí-                     outros”, disse.                  resulta da redução do orça-     Casal de Cambra. “A popu-
ameaça de morte e tiveram            cios de que houve disparos                        A autarca teme que,           mento de estado”. “A HPEM       lação podia colaborar mais.
duas caçadeiras e uma                feitos por uma arma auto-                      em tempos de crise, possa        limita-se a respeitar o orça-   A HPEM tem um número
metralhadora apontadas às            mática”, mas sim por outro                     haver um aumento da cri-         mento de estado, logo não       verde. As pessoas podiam
cabeças. Foram obrigados             tipo de arma.                                  minalidade violenta na fre-      é responsável pela redução      ligar para ficarem a saber os
a permanecer em silêncio                Apesar da gravidade                         guesia.                          das horas extraordiná-          dias em que a empresa vem
enquanto os assaltantes              do assalto, ninguém ficou                         “Temo que agrave este         rias. Contudo, penso que        recolher o lixo volumoso. As
esvaziavam a caixa regista-          ferido.                                        tipo de assaltos. Preocupa-      as juntas devem informar        pessoas não o fazem e pre-
dora que, àquela hora, tinha            “Foi um pesadelo. A                         me bastante, apesar de hoje      a empresa de modo a             ferem abandonar o lixo em
150 euros.                           menina estava à porta e nem                    haver mais policiamento do       conhecer os locais onde         qualquer lugar”, salientou
   Passava da meia-noite             se mexia. O polícia estava no                  que há uns anos”, adiantou.      existem estas dificuldades      Vítor Novo.
quando os três homens                outro lado da sala, transtor-                      Joaquim Reis                para regularizar este pro-          AOP
PUB
PUB
18 Correio de Sintra 19 de Junho de 2011                                                                                                                       Desporto

Desporto
Arbitragem: época marcada por evolução
                                                                                      e árbitro da 3.ª divisão nacional, a




                                                                                 DR
                                                                                                                                    Brás.
                                                                                      época contou com boas arbitragens               Para a próxima época, o presi-
                                                                                      e com poucos casos polémicos.                 dente do NAFLS pretende ajudar
                                                                                                                                    os 162 associados que o núcleo
                                                                                        A arbitragem futebolística não              possui a atingir os seus objectivos.
                                                                                      está apenas a mudar no panorama               “Temos árbitros em todas as divi-
                                                                                      dos grandes escalões. A AFL não é             sões, excepto na segunda. O núcleo
                                                                                      excepção. Os responsáveis da arbi-            existe para ajudar os seus asso-
                                                                                      tragem reconhecem que a época                 ciados a tornarem-se melhores
                                                                                      que findou conheceu uma evo-                  árbitros”, explicou Luís Brás. Para
                                                                                      lução com momentos de grande                  tal, o NAFLS organiza todas as
                                                                                      futebol e de fair-play. “O balanço            terças e quintas-feiras, às 19h,
                                                                                      é muito positivo. Houve boas                  no campo do Real Sport Clube,
                                                                                      arbitragens. No final da tempo-               treinos com a presença de um pro-
                                                                                      rada subiram quatro árbitros à 3.ª            fessor de educação física. Os asso-
                                                                                      divisão nacional. Isto mostra que             ciados podem ainda usufruir de
Árbitos fazem balanço positivo da época                                               a AFL tem bons árbitros. A arbi-              sessões técnicas nos mesmos dias,
                                                                                      tragem tem evoluído muito graças              de futebol onze e futsal, respecti-
FUTEBOL. A temporada 2010/11              tirar conclusões. Segundo Luís Brás,        a vontade dos árbitros. Hoje em               vamente, a partir das 21h.
da Associação de Futebol de Lisboa        presidente do Núcleo de Árbitros de         dia temos árbitros licenciados e                 Alexandre Oliveira Pereira
(AFL) chegou ao fim e é altura de         Futebol da Linha de Sintra (NAFLS)          com formação”, sublinhou Luís



Hockey Club de Sintra “não vai fechar portas”
HÓQUEI. Hockey Club de Sintra está           Apesar das grandes dificuldades          60 mil euros para pagar. Contactei            situação do clube não é brilhante.
a atravessar um dos períodos mais         financeiras, o presidente do clube,         a câmara municipal de Sintra, de              Há dificuldades, e temos que fazer
negros da sua história. As dificuldades   Jaime Ramos, garante que “o clube           modo a obter alguma ajuda. Há                 esforços. Dá trabalho, mas o clube
financeiras são grandes, o clube tem      não vai fechar portas”.                     cerca de três semanas, numa deli-             não vai fechar portas”, salientou
uma dívida de sessenta mil euros             “O clube tinha, inicialmente,            beração da autarquia, foram atri-             o presidente. Com o objectivo de
à banca que a direcção pretende           uma dívida à banca no valor de              buídos 25 mil euros ao clube”,                angariar fundos, o HCD está a
                                          80 mil euros. A direcção anterior           explicou Jaime Ramos. Segundo                 organizar, nos dias 23, 24 e 25 de
liquidar nos próximos três anos.
                                          pagou 20 mil, deixando-nos ainda            o presidente, esta verba vai per-             Junho, uma sardinhada convívio
PUB                                                                                   mitir o pagamento de 20 mil euros             para os sócios, adeptos e simpati-
                                                                                      ao banco de forma a “colmatar                 zantes.
                                                                                      umas das tranches dos 60 mil”. O                 A situação desportiva do clube
                                                                                      responsável adiantou que os res-              contrasta com a financeira. Todos
                                                                                      tantes cinco mil estão destinados à           os escalões, excepto os juniores,
                                                                                      “gestão corrente”.                            encontram-se a disputar as compe-
                                                                                         O restante será pago nos pró-              tições nacionais. O resultado disso
                                                                                      ximos dois anos, com apoio da                 é o resultado obtido pelos seniores,
                                                                                      câmara sintrense, uma vez que “o              que terminaram a época no sexto
                                                                                      clube tem um compromisso com a                lugar da 2.ª divisão nacional.
                                                                                      autarquia”. Além desta ajuda “pre-               Contando com cerca de 150
                                                                                      ciosa”, a câmara “paga as taxas dos           atletas, o HCS aposta na formação,
                                                                                      jogadores que moram no concelho”.             de forma a criar atletas e fomentar
                                                                                      “É uma grande ajuda para todos os             o reconhecimento da modalidade.
                                                                                      clubes”, sublinhou Jaime Ramos.               “Desenvolvemos uma escola de
                                                                                         O responsável garante que a                formação, considerada uma das
                                                                                      situação financeira do clube parece           melhores do país”, reconheceu
                                                                                      estar a resolver-se aos poucos. “Em           Jaime Ramos.
                                                                                      termos económico-financeiros, a                   Alexandre Oliveira Pereira
                                                                                                                                                                       DR




                                                                                      Clube conta com apoio da Câmara para pagar dívidas.
Opinião                                                                                                              19 de Junho de 2011   Correio de Sintra 19


Tribuna
Devolver a esperança                                                               que por aqui existem e o número
                                                                                   exponencial de pessoas que afectam.
                                                                                                                            cipal não estica. Ele é limitado e cada
                                                                                                                            vez conta menos com as transferên-
   As eleições legislativas do pas-                                                É neste plano da acção política que      cias provenientes do Estado central.
sado dia 5 de Junho ditaram uma                                                    devemos apostar, todos, independen-         Mas, perante tudo isto, conti-
mudança clara na governação do                                                     temente do partido que militamos ou      nuamos a encontrar empresas que
país. Sai o Partido Socialista, entram                                             da ideologia que abraçamos. Sintra       geram emprego, escolas que brilham
o PSD e o CDS, mas da troika nin-                                                  precisa de gente na Assembleia da        nos rankings nacionais, associações
guém se livra.                                                                     República que nos defenda, Sintra        de referência nas diferentes áreas de
   Embora o documento de compro-                                                   precisa de gente nos sectores inter-     actividade, instituições de solidarie-
misso assinado com o FMI, com a                                                    médios da administração central (na      dade que dão prova do seu querer
Comissão Europeia e com o Banco                                                    Saúde, na Educação, na Segurança         no apoio ao próximo, forças de segu-
Central Europeu seja exigente e limi-                                              Social ou no Ordenamento do Ter-         rança que contrariam a tendência
tador da acção governativa, acredito                                               ritório) que opte por nós. Hoje, um      de crescimento da criminalidade e
que o refrescamento trazido pelos                                                  concelho com esta dimensão quali-        cidadãos anónimos que defendem as
novos protagonistas e pelas políticas                                              fica-se com as opções da gestão muni-    suas comunidades.
deles emergentes constituem uma                                                    cipal, mas também com as decisões           Foi o seu exemplo que me levou a



                                           “
oportunidade para Portugal. Depois                                                 tomadas pelos gabinetes de Lisboa.       lançar, no passado dia 19 de Maio, a
do desgaste do eng. José Sócrates,                                                 Enquanto a influência do concelho        associação “Viver Sintra”. Espaço de
do descrédito do país traduzido nos           Em Sintra, há muito                  não chegar a esse patamar da decisão     encontro, de valorização das boas
altíssimos juros da dívida pública e da                                            do Estado, continuaremos a ver as        práticas e de promoção do nosso con-
insolvência a que chegou o Estado, os      que se exige a devida                   nossas arribas a cair, a frequentar      celho. Apesar da desconfiança com
portugueses votaram na esperança.          atenção do Governo para                 centros de saúde decrépitos, escolas     que os velhos do Restelo dos par-
   Também os sintrenses confir-            com este território.                    do 2º, 3º ciclo por reabilitar, esta-    tidos políticos olharam para esta ini-
maram esse sentimento generalizado                                                 belecimentos do ensino secundário        ciativa, a presença de tantas e tantas
dos portugueses. Das 20 freguesias,       da administração central, mas esse       por concretizar, edifícios obsoletos     pessoas no auditório da Casa da Cul-
14 confirmaram a vitória do PSD e 6       ficou aquém das expectativas e das       das forças de segurança e muito mais     tura de Mira-Sintra é o melhor sinal
no Partido Socialista. O CDS PP foi o     suas reais necessidades em matéria       podia ser aqui referido.                 do interesse que a mesma suscitou
3º partido com mais votos expressos,      de qualificação. O que foi feito é uma      E mais não acontece porque a          na sociedade civil do concelho.
seguindo-se o PCP e o Bloco de            gota de água num oceano de esque-        Câmara Municipal de Sintra tem pro-         Sinal de esperança, como de espe-
Esquerda. A abstenção, também por         cimento.                                 curado intervir em áreas que não são     rança é o novo Governo. Aos diri-
cá, continua elevada e traduz o afas-        Porque conheço bem esse afasta-       da sua competência. Com protocolos,      gentes que a partir dele forem nome-
tamento dos cidadãos dos actos elei-      mento, não estranhem o que adiante       ou não, a cedência de terrenos e edi-    ados faço votos que Sintra, apesar da
torais. Preocupante, sem dúvida.          defendo:                                 fícios para abrigar as forças de segu-   crise, seja uma prioridade.
   Em Sintra, há muito que se exige a        Se tivermos em conta a extensão       rança, da saúde e da educação, teste-
devida atenção do Governo para com        territorial do concelho e a sua          munham a opção que tem sido feita.          Marco Almeida
este território e para com as comuni-     dimensão humana, depressa consta-        Não é de agora esta prática, mas acen-      Vice-presidente da Câmara Muni-
dades que nele vivem e trabalham. É       tamos que há opções feitas em con-       tuou-se nesta gestão municipal. Disso    cipal de Sintra
certo que se assistiu à concretização     celhos vizinhos que não se justificam    ninguém tenha dúvida, mas também
de investimento público proveniente       perante a dimensão dos problemas         não duvide que o orçamento muni-


Circunstâncias difíceis                                                            uma governação sem sobressaltos e
                                                                                   duradoira.
                                                                                                                            tico nacional.
                                                                                                                               O Secretário-Geral do PS, José
   No passado dia 5 de Junho ter-            Difíceis para os portugueses que         Nestas condições o PS tinha muita     Sócrates, decidiu deixar a liderança
minou um ciclo Político. Os portu-        se viram confrontados com o desem-       dificuldade em se afirmar, não con-      do partido. Termina um ciclo de lide-
gueses, intempestivamente, foram          prego, com o agravamento das con-        seguia, nem à direita nem à esquerda     rança no qual o Partido Socialista
chamados às urnas e pronunciaram-         dições de vida e com perspectivas de     nenhuma perspectiva clara de acordo      atingiu a primeira maioria absoluta
se, claramente, pela mudança de           futuro pouco optimistas.                 ou coligação pós eleitoral. Este terá    da sua história.
governo. Cansados de tanta agitação          Apesar da boa campanha que o Par-     sido um dos mais relevantes ele-            O debate interno está lançado e
política, da permanente ameaça de         tido Socialista e o seu líder fizeram,   mentos de ponderação de muitos           constitui-se como a grande demons-
crise, das dificuldades próprias e ine-   uma campanha mobilizadora, de                                                     tração de vitalidade que o Partido
rentes a um governo sem o suporte         verdade e responsabilidade, os elei-                                              Socialista dá para enfrentar os desa-
parlamentar de uma maioria,               tores decidiram castigar o partido do                                             fios do futuro
optaram por garantir a maioria par-       governo e garantir aos partidos de                                                   Os socialistas têm agora de optar
lamentar aos partidos da direita.         direita uma confortável maioria par-                                              entre dois excepcionais quadros
   As circunstâncias em que se rea-       lamentar, que lhes permite governar                                               políticos, dois candidatos que já
lizaram estas eleições eram difíceis,     sem desculpas.                                                                    deram provas da sua qualidade e do
mesmo muito difíceis.                        A primeira conclusão que devemos                                               empenho que colocam ao serviço do
   Difíceis para a Europa, que não        tirar do resultado das eleições é que                                             PS e de Portugal.
consegue encontrar um caminho             os portugueses optaram por mudar                                                     A minha opção é clara, decidi
comum para a crise que a ameaça.          de governo mas não de políticas. Ao                                               apoiar António José Seguro, pela sua
   Difíceis para Portugal que se viu      dar a maioria ao PSD e ao CDS os                                                  consistência, experiência e maturi-
empurrado, por força da crise mun-        eleitores confirmam o rumo traçado       eleitores. Quando queriam um             dade política.
dial, para um turbilhão de ameaças        pelo governo, e referendam o acordo      governo com suporte parlamentar             António José Seguro como líder do
especulativas dos mercados finan-         com a troika.                            estável e de maioria o Partido Socia-    PS será capaz de assegurar a reno-
ceiros totalmente desregulados.              A segunda conclusão que podemos       lista não conseguia apresentar aos       vação que o PS precisa e que o país
   Difíceis para o Governo porque se      extrair da votação dos portugueses é     eleitores nenhum parceiro ou puta-       reclama. O País contará com um Par-
viu confrontado com uma oposição          que perceberam como é difícil, sobre-    tivo aliado.                             tido Socialista, moderno, sereno, res-
parlamentar cujos líderes, sedentos       tudo em contexto de crise, governar         A mudança de governo não resolve      ponsável e defensor dos valores fun-
de poder e protagonismo, privile-         sem maioria parlamentar. Corri-          os problemas que assolam o país e a      dadores do estado social.
giaram os interesses pessoais e par-      giram assim o erro de 2009 e deram       Europa. Só no quadro europeu será
tidários acima do interesse nacional.     aos partidos que davam garantias de      possível encontrar essas soluções,         Rui Pereira
Acabando, oportunistamente, por           construir uma maioria parlamentar        mas as eleições de 5 de Junho já pro-      Presidente da concelhia de Sintra
derrubar o governo.                       uma vitória clara que lhes permite       duziram mudanças no espectro polí-       do Partido Socialista
PUB
Publi-Reportagem

Publi-Reportagem
      Qualidade do ensino no Externato Calimero                                                       A oficina multimarca Real Choice conta com
                                                                                                      uma equipa de profissionais com uma vasta ex-
                                                                                                                                                                      Real Choice
                                                                                                      periência e com exigentes padrões de qualidade
    O bem-estar dos alunos e a qualidade do                                                           para oferecer um serviço de excelência aos seus
                                                                                                      clientes. Inaugurada a 8 de Junho, a empresa
 ensino fazem do Externato Calimero uma aposta                                                        apresenta competências técnicas para prestar
 segura na área educativa. A actual gerência                                                          qualquer serviço do sector automóvel.
                                                                                                      No entanto, é nos serviços de mecânica geral, de
 encontra-se à frente destes espaço desde 2006 e,                                                     electricidade, de chapa e pintura e nos serviços
 de dois alunos passou para sessenta. O segredo                                                       rápidos (mudança de óleo e filtros, substituição
                                                                                                      de discos e pastilhas, pneus e alinhamentos) que
 passa por uma estrutura familiar que ensina aos                                                      se distingue. A Real Choice leva a sua viatura ao
 mais novos os valores que farão deles o futuro do                                                    IPO (serviço de inspecção periódica automóvel)
                                                                                                      e dá garantia de um ano em todas as reparações
 país, onde as novas tecnologias fazem parte da                                                       e montagens e de dois anos em peças novas.
 metodologia de ensino.                                                                               “Temos um novo espaço e uma nova organi-
                                                                                                      zação e isso faz toda a diferença. A estrutura
   “O nosso trabalho tem sido a nossa melhor                                                          accionista achou que deveria dar um salto
 publicidade. Temos grandes preocupações com                                                          quantitativo e qualitativo. Esta empresa existia
                                                                                                      em nome individual e ponderando o sector            Sendo o nosso ponto de partida para todo o
 que as crianças estejam em segurança e que                                                           económico do concelho, achámos que nos              concelho”, sustentou Artur Gomes.
 tenham uma excelente qualidade de ensino.                                                            deveríamos colocar num patamar acima, em            A Real Choice - Serviço Automóvel, Lda,
                                                                                                      termos de qualidade de instalações, por forma       encontra-se na, Estrada Nacional 249 - 4,
 Aqui é tudo muito transparente e a porta está                                                        a acompanhar a evolução tecnológica do sector       Abrunheira Park - Armazém I, em frente à
 sempre aberta aos pais, que podem entrar a                                                           automóvel”, considerou o gestor, Artur Gomes.       Wurth, na Abrunheira, Sintra.
                                                                                                      “A Abrunheira é a localização que do ponto de       Contactos: 219 152 229 / 968 382 625 E-mail:
 qualquer hora”, admite Patrícia Gato, proprie-                                                       vista geográfico e do ponto de vista de insta-      mail@real-choice.pt
 tária do Externato.                                                                                  lações nos ofereceu maiores garantias. Alia a
                                                                                                      localização e a qualidade à qualidade do espaço.
    Este espaço tem um acordo com o Estado,
 o que permite que as mensalidades sejam sub-
 sidiadas. Recebe crianças dos 3 aos 9 anos, do                                                                              Predimed 100% Partilha
 jardim-de-infância ao 1º. ciclo, mas para o pró-                                                     A agência imobiliária Predimed 100% Partilha
                                                                                                      mudou de instalações para a Avenida dos
 ximo ano lectivo pretende abrir a valência de                                                        Bons Amigos, em Agualva. Segundo um dos
 creche, para mais 33 crianças.                                                                       dois directores da agência, Miguel Bernardo, a
                                                                                                      nova localização do espaço permite aumentar a
      O 1º. ciclo tem horário completo, das 9:00                                                      captação de clientes.
 às 16:30, complementado por aulas de ginás-         sejam cidadãos conscientes e que no futuro se    “O negócio cresceu e tivemos que mudar de
                                                                                                      instalações. Contratámos mais consultores e
 tica, música, inglês, projecto psico-pedagógico e   tornem activos, fazendo uso dessas aquisições.   precisávamos de um novo espaço. As novas in-
 ciência divertida uma vez por mês, tudo incluído    Pretendemos auxiliá-lo na educação do seu edu-   stalações estão melhor localizadas e têm maior
                                                                                                      cobertura a nível comercial porque abrangem
 na mensalidade. A seguir à hora do lanche há        cando, assumindo um ensino sério e de quali-     mais clientes”, explicou.
 estudo acompanhado, o que faz com que as            dade”, sublinha a responsável.                   Segundo o responsável, esta agência possui
                                                                                                      vários consultores comerciais, cujas funções         imobiliária. É uma agência de consultores
 crianças estejam sempre envolvidas na aprendi-         O Externato Calimero está na Rua Caminho      passam por acompanhar todo o processo de an-         imobiliários que conta com vários profission-
 zagem.                                              do Rio, nº. 20, Mem Martins. Telefone: 219 218   gariação e compra de imóveis, até à assinatura       ais no ramo imobiliário para ajudar a vender,
                                                                                                      da escritura.                                        comprar ou arrendar imóveis.
    “O nosso objectivo é que os alunos tenham        536 / 917 144 946. www.externatocalimero.pt      Gerida por Miguel Bernardo e Nuno Ribeiro,           “É uma agência de agentes imobiliários que
 uma boa preparação a nível de conteúdos, que                                                         a Predimed de Agualva é mais do que uma              também funciona como imobiliária”, ressalvou.


PUB
22 Correio de Sintra 19 de Junho de 2011                                                                                                                                                                                                              Guia


Farmácias
Serviço Permanente /Reforço               (1)                (2)
                                                                                                                                                                                                                                Até 3 de Julho
                                                                                                                                                                                                                                       Fonte: ARSLVT
                     Algualva-Cacém                   Algueirão                         Idanha/Massamá/                   Queluz                       Rio de Mouro/Rinchoa/               Sintra                          Concelho
                                                                                        Monte Abraão                                                   Fitares
  Sábado, 18         Clotilde Dias - 214 262 576      Flora - 219 214 103               Portela - 214 377 619             Zeller - 214 350 045         Dumas Brousse - 219 160 404         Crespo - 219 245 320            Da Terrugem - 219619049
                     Rodrigues Garcia - 219 138 052                                                                                                    Fitares - 219 167 461

 Domingo, 19         Garcia - 219 142 181             Vítor Manuel - 219 266 280        O’Neill Pedrosa - 214 377 205     Queluz - 214 365 849         Fitares - 219 167 461               Tereza Garcia - 219 106 700     De Colares - 219 290 088
                     Mira Sintra - 219 138 290                                                                                                         Dumas Brousse - 219 160 404

 Segunda, 20         Araújo e Sá - 219 140 781        Santos Pinto - 214 374 144        Baião Santos - 214 375 566        André - 214 350 043          Serra das Minas - 219 165 532       Valentim - 219 230 456          Casal de Cambra - 219 804 193
                     Ascensão Nunes - 214 324 097     Fidalgo - 219 200 876             Idanha - 214 328 317                                           Fitares - 219 167 461                                               Abrunheira - 219 111 206

      Terça, 21      Rico - 219 138 003               Marques Rodrigues - 219 169 907   Pinto Leal - 214 387 580          Azeredo - 214 350 879        Rio de Mouro - 219 169 200          Marrazes - 219 230 058          Fontanelas - 219 289 986
                     S. F. Xavier - 214 260 615       Almargem - 219 622 835            Portela - 214 377 619                                          Cargaleiro Lourenço - 219 162 006                                   Costa - 219 618 239

  Quarta, 22         Rodrigues Garcia - 219 138 052   Tapada das Mercês - 219 169 907   Vasconcelos - 214 372 649         Simões Lopes - 214 350 123   Cargaleiro Lourenço - 219 162 006   Da Misericórdia - 219 230 391   D’Albarraque - 219 154 370
                     Clotilde Dias - 214 262 576      Santos Pinto - 214 374 144                                                                       Dumas Brousse - 219 160 404                                         De Colares - 219 290 088

      Quinta, 23     Campos - 219 180 098             Fidalgo - 219 200 876             Quinta das Flores - 214 302 064   Gil - 214 350 117            Moderna - 219 154 510               Simões - 219 230 832            Do Magoito - 219 610 376
                     Guerra Rico - 219 138 003                                                                                                         Fitares - 219 167 461

       Sexta, 24     Caldeira - 219 147 542           Cristina - 219 214 820            Idanha - 214 328 317              Zeller - 214 350 045         Dumas Brousse - 219 160 404         Crespo - 219 245 320            Da Beloura - 219 245 763
                     Central - 219 140 034            Tapada das Mercês - 219 169 907                                     André - 214 350 043          Cargaleiro Lourenço - 219 162 006                                   Casal de Cambra - 219 804 193

 Sábado, 25          Mira Sintra - 219 138 290        Almargem - 219 622 835            Domus Massamá - 219 259 323       Queluz - 214 365 849         Fitares - 219 167 461               Tereza Garcia - 219 106 700     Nave Ribeiro - 219 670 802
                     Garcia - 219 142 181                                                                                                              Dumas Brousse - 219 160 404

Domingo, 26          Ascensão Nunes - 214 324 097     Químia - 219 210 012              Neves - 214 389 010               André - 214 350 043          Serra das Minas - 219 165 532       Valentim - 219 230 456          De Colares - 219 290 088
                     Araújo e Sá - 219 140 781                                                                                                         Dumas Brousse - 219 160 404                                         Praia das Maçãs - 219 292 021

 Segunda, 27         Silva Duarte - 219 148 120       Rodrigues Rato - 219 212 038      Portela - 214 377 619             Azeredo - 214 350 879        Rio de Mouro - 219 169 200          Marrazes - 219 230 058          Costa - 219 618 239
                     Guerra Rico - 219 138 003        Cristina - 219 214 820                                              Zeller - 214 350 045         Fitares - 219 167 461                                               Da Beloura - 219 245 763

       Terça, 28     S. F. Xavier - 214 260 615       Ouressa - 219 207 594             O’Neill Pedrosa - 214 377 205     Correia - 214 350 905        Cargaleiro Lourenço - 219 162 006   Da Misericórdia - 219 230 391   Abrunheira - 219 111 206
                     Campos - 219 180 098             Químia - 219 210 012              Vasconcelos - 214 372 649                                      Fitares - 219 167 461                                               Do Magoito - 219 610 376

  Quarta, 29         Rico - 219 138 003               Claro Russo - 219 228 540         Baião Santos - 214 375 566        Gil - 214 350 117            Moderna - 219 154 510               Simões - 219 230 832            Da Terrugem - 219619049
                     Caldeira - 219 147 542                                                                                                            Dumas Brousse - 219 160 404

      Quinta, 30     Central - 219 140 034            Flora - 219 214 103               Pinto Leal - 214 387 580          Zeller - 214 350 045         Dumas Brousse - 219 160 404         Crespo - 219 245 320            De Colares - 219 290 088
                     Silva Duarte - 219 148 120       Ouressa - 219 207 594                                               Azeredo - 214 350 879        Fitares - 219 167 461                                               Praia das Maçãs - 219 292 021

        Sexta, 1     Clotilde Dias - 214 262 576      Vítor Manuel - 219 266 280        Vasconcelos - 214 372 649         Queluz - 214 365 849         Fitares - 219 167 461               Tereza Garcia - 219 106 700     Casal de Cambra - 219 804 193
                     Rodrigues Garcia - 219 138 052   Claro Russo - 219 228 540         Idanha - 214 328 317                                           Cargaleiro Lourenço - 219 162 006                                   Abrunheira - 219 111 206

      Sábado, 2      Garcia - 219 142 181             Santos Pinto - 214 374 144        Quinta das Flores - 214 302 064   André - 214 350 043          Serra das Minas - 219 165 532       Valentim - 219 230 456          Fontanelas - 219 289 986
                     Mira Sintra - 219 138 290                                                                                                         Cargaleiro Lourenço - 219 162 006

  Domingo, 3         Araújo e Sá - 219 140 781        Marques Rodrigues - 219 169 907   Idanha - 214 328 317              Azeredo - 214 350 879        Rio de Mouro - 219 169 200          Marrazes - 219 230 058          D’Albarraque - 219 154 370
                     Clotilde Dias - 214 262 576                                                                                                       Dumas Brousse - 219 160 404

                     Belas                            Pero Pinheiro                     Confirme estes dados na Internet na página da Associação Nacional de Farmácias: http://www.anf.pt/
       Reforço (2)   Ferreira - 214 310 031           Confiança - 219 270 045            (1) Os serviços Permanentes funcionam desde a hora de encerramento normal da farmácia até às 9 horas do dia seguinte.
                     (segunda a sexta)                (segunda a sexta)                 (2) Os serviços de Reforço funcionam desde a hora de encerramento normal até às 22 horas do mesmo dia.

PUB                                                                                                                                                                                                                                                        PUB
Edicao26 final
Edicao26 final

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Jornal digital 4750 qua-09092015
Jornal digital 4750 qua-09092015Jornal digital 4750 qua-09092015
Jornal digital 4750 qua-09092015
Jornal Correio do Sul
 
Discurso paulo matos gaviao camara vereador PSD
Discurso paulo matos gaviao camara vereador PSDDiscurso paulo matos gaviao camara vereador PSD
Discurso paulo matos gaviao camara vereador PSD
Paulo Matos
 
Pela Mudança
Pela MudançaPela Mudança
Pela Mudança
Amândio Silva
 
Mr apresentação candidaturas 28 agosto 2013
Mr apresentação candidaturas 28 agosto 2013Mr apresentação candidaturas 28 agosto 2013
Mr apresentação candidaturas 28 agosto 2013
Manuela Ruivo
 
Jornal Cidade - Ano II - Nº 25
Jornal Cidade - Ano II - Nº 25Jornal Cidade - Ano II - Nº 25
Jornal Cidade - Ano II - Nº 25
Jornal Cidade
 
Informativo três pontes
Informativo três pontesInformativo três pontes
Informativo três pontes
Rogerio Catanese
 
O Alterense 14
O Alterense 14O Alterense 14
O Alterense 14
Cdu Alter Do Chão
 
Precariações 7
Precariações 7Precariações 7
Precariações 7
precariaccoesbraga
 
Vereador Rezende - Requerimentos 09
Vereador Rezende - Requerimentos 09Vereador Rezende - Requerimentos 09
Vereador Rezende - Requerimentos 09
Prestone
 
Boletim final psd_gaviao
Boletim final psd_gaviaoBoletim final psd_gaviao
Boletim final psd_gaviao
Paulo Matos
 
JORNAL DO MUNICÍPIO março 2016
JORNAL DO MUNICÍPIO março 2016JORNAL DO MUNICÍPIO março 2016
JORNAL DO MUNICÍPIO março 2016
Pery Salgado
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 135 - 28/FEV/2019
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 135 - 28/FEV/2019Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 135 - 28/FEV/2019
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 135 - 28/FEV/2019
Jornal Cidade
 
JORNAL ALTO TAQUARAL - CAMPINAS/SP
JORNAL ALTO TAQUARAL - CAMPINAS/SPJORNAL ALTO TAQUARAL - CAMPINAS/SP
JORNAL ALTO TAQUARAL - CAMPINAS/SP
gilberto gonçalves
 
Jornal A Cidade Edição Digital Completa. Edição n. 1106 que circula no dia 19...
Jornal A Cidade Edição Digital Completa. Edição n. 1106 que circula no dia 19...Jornal A Cidade Edição Digital Completa. Edição n. 1106 que circula no dia 19...
Jornal A Cidade Edição Digital Completa. Edição n. 1106 que circula no dia 19...
JornalACidade
 
Jornal A Cidade Edição Digital Completa. Edição n. 1105 que circula no dia 12...
Jornal A Cidade Edição Digital Completa. Edição n. 1105 que circula no dia 12...Jornal A Cidade Edição Digital Completa. Edição n. 1105 que circula no dia 12...
Jornal A Cidade Edição Digital Completa. Edição n. 1105 que circula no dia 12...
JornalACidade
 
O alterense 30
O alterense 30O alterense 30
O alterense 30
Francisco Martins
 
Ao povo - Por nós e pelos nossos filhos
Ao povo - Por nós e pelos nossos filhosAo povo - Por nós e pelos nossos filhos
Ao povo - Por nós e pelos nossos filhos
Armin Caldas
 
Pg 2
Pg 2Pg 2
A voz do trabalhador n° 27 jul-2012
A voz do trabalhador n° 27   jul-2012A voz do trabalhador n° 27   jul-2012
A voz do trabalhador n° 27 jul-2012
Agostinho Neto
 
JORNAL DO MUNICÍPIO - setembro 2015
JORNAL DO MUNICÍPIO - setembro 2015JORNAL DO MUNICÍPIO - setembro 2015
JORNAL DO MUNICÍPIO - setembro 2015
Pery Salgado
 

Mais procurados (20)

Jornal digital 4750 qua-09092015
Jornal digital 4750 qua-09092015Jornal digital 4750 qua-09092015
Jornal digital 4750 qua-09092015
 
Discurso paulo matos gaviao camara vereador PSD
Discurso paulo matos gaviao camara vereador PSDDiscurso paulo matos gaviao camara vereador PSD
Discurso paulo matos gaviao camara vereador PSD
 
Pela Mudança
Pela MudançaPela Mudança
Pela Mudança
 
Mr apresentação candidaturas 28 agosto 2013
Mr apresentação candidaturas 28 agosto 2013Mr apresentação candidaturas 28 agosto 2013
Mr apresentação candidaturas 28 agosto 2013
 
Jornal Cidade - Ano II - Nº 25
Jornal Cidade - Ano II - Nº 25Jornal Cidade - Ano II - Nº 25
Jornal Cidade - Ano II - Nº 25
 
Informativo três pontes
Informativo três pontesInformativo três pontes
Informativo três pontes
 
O Alterense 14
O Alterense 14O Alterense 14
O Alterense 14
 
Precariações 7
Precariações 7Precariações 7
Precariações 7
 
Vereador Rezende - Requerimentos 09
Vereador Rezende - Requerimentos 09Vereador Rezende - Requerimentos 09
Vereador Rezende - Requerimentos 09
 
Boletim final psd_gaviao
Boletim final psd_gaviaoBoletim final psd_gaviao
Boletim final psd_gaviao
 
JORNAL DO MUNICÍPIO março 2016
JORNAL DO MUNICÍPIO março 2016JORNAL DO MUNICÍPIO março 2016
JORNAL DO MUNICÍPIO março 2016
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 135 - 28/FEV/2019
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 135 - 28/FEV/2019Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 135 - 28/FEV/2019
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 135 - 28/FEV/2019
 
JORNAL ALTO TAQUARAL - CAMPINAS/SP
JORNAL ALTO TAQUARAL - CAMPINAS/SPJORNAL ALTO TAQUARAL - CAMPINAS/SP
JORNAL ALTO TAQUARAL - CAMPINAS/SP
 
Jornal A Cidade Edição Digital Completa. Edição n. 1106 que circula no dia 19...
Jornal A Cidade Edição Digital Completa. Edição n. 1106 que circula no dia 19...Jornal A Cidade Edição Digital Completa. Edição n. 1106 que circula no dia 19...
Jornal A Cidade Edição Digital Completa. Edição n. 1106 que circula no dia 19...
 
Jornal A Cidade Edição Digital Completa. Edição n. 1105 que circula no dia 12...
Jornal A Cidade Edição Digital Completa. Edição n. 1105 que circula no dia 12...Jornal A Cidade Edição Digital Completa. Edição n. 1105 que circula no dia 12...
Jornal A Cidade Edição Digital Completa. Edição n. 1105 que circula no dia 12...
 
O alterense 30
O alterense 30O alterense 30
O alterense 30
 
Ao povo - Por nós e pelos nossos filhos
Ao povo - Por nós e pelos nossos filhosAo povo - Por nós e pelos nossos filhos
Ao povo - Por nós e pelos nossos filhos
 
Pg 2
Pg 2Pg 2
Pg 2
 
A voz do trabalhador n° 27 jul-2012
A voz do trabalhador n° 27   jul-2012A voz do trabalhador n° 27   jul-2012
A voz do trabalhador n° 27 jul-2012
 
JORNAL DO MUNICÍPIO - setembro 2015
JORNAL DO MUNICÍPIO - setembro 2015JORNAL DO MUNICÍPIO - setembro 2015
JORNAL DO MUNICÍPIO - setembro 2015
 

Destaque

Herramientas Educativos Digitales
Herramientas Educativos DigitalesHerramientas Educativos Digitales
Herramientas Educativos Digitales
japedro
 
Graphic Designers and Their Clients
Graphic Designers and Their ClientsGraphic Designers and Their Clients
Graphic Designers and Their Clients
Marc
 
Caso ejemplo oftalmologia latenció primària
Caso ejemplo oftalmologia latenció primàriaCaso ejemplo oftalmologia latenció primària
Caso ejemplo oftalmologia latenció primària
formaciocamfic
 
Advanced calculus
Advanced calculusAdvanced calculus
Advanced calculus
ntinoss
 
Rele control secuencia
Rele control secuenciaRele control secuencia
Rele control secuencia
Marco A. Sobrevilla
 
April Phillips-Resume- outline
April Phillips-Resume- outlineApril Phillips-Resume- outline
April Phillips-Resume- outline
Amp Communications
 
Naruto Manga 619
Naruto Manga 619Naruto Manga 619
Naruto Manga 619
Ninjinha Andrade da Silva
 
regimes de-concentracao de soluções
 regimes de-concentracao de soluções regimes de-concentracao de soluções
regimes de-concentracao de soluções
nathali ricardo
 
ESCUELA DE PAREJAS 2010
ESCUELA DE PAREJAS 2010ESCUELA DE PAREJAS 2010
ESCUELA DE PAREJAS 2010
jrvelasquez
 
Aplicativos 3º Bimestre
Aplicativos 3º BimestreAplicativos 3º Bimestre
Aplicativos 3º Bimestre
Vitor Rangel
 
ResumeTemplate 4
ResumeTemplate 4ResumeTemplate 4
ResumeTemplate 4
TJ Sumners
 
O universo e o sistema solar. clase 4c
O universo e o sistema solar. clase 4cO universo e o sistema solar. clase 4c
O universo e o sistema solar. clase 4c
Recursos Educativos
 
Presentación cibernética
Presentación cibernéticaPresentación cibernética
Presentación cibernética
auroraboreal64
 
Mirando el cielo..
Mirando el cielo..Mirando el cielo..
Mirando el cielo..
usodelastic
 
Design Thinking - Design é função, não forma (Evento Empr3ender)
Design Thinking - Design é função, não forma (Evento Empr3ender)Design Thinking - Design é função, não forma (Evento Empr3ender)
Design Thinking - Design é função, não forma (Evento Empr3ender)
Renan Crippa Freitas
 
Persahabatan xi c
Persahabatan xi cPersahabatan xi c
Persahabatan xi c
devispoli
 
Presentación de microsoft power point berria
Presentación de microsoft power point berriaPresentación de microsoft power point berria
Presentación de microsoft power point berria
Sararatalytal
 
Web quest base de datos
Web quest base de datosWeb quest base de datos
Web quest base de datos
Carlos Jara
 

Destaque (20)

Herramientas Educativos Digitales
Herramientas Educativos DigitalesHerramientas Educativos Digitales
Herramientas Educativos Digitales
 
Graphic Designers and Their Clients
Graphic Designers and Their ClientsGraphic Designers and Their Clients
Graphic Designers and Their Clients
 
Caso ejemplo oftalmologia latenció primària
Caso ejemplo oftalmologia latenció primàriaCaso ejemplo oftalmologia latenció primària
Caso ejemplo oftalmologia latenció primària
 
Advanced calculus
Advanced calculusAdvanced calculus
Advanced calculus
 
Rele control secuencia
Rele control secuenciaRele control secuencia
Rele control secuencia
 
April Phillips-Resume- outline
April Phillips-Resume- outlineApril Phillips-Resume- outline
April Phillips-Resume- outline
 
Naruto Manga 619
Naruto Manga 619Naruto Manga 619
Naruto Manga 619
 
regimes de-concentracao de soluções
 regimes de-concentracao de soluções regimes de-concentracao de soluções
regimes de-concentracao de soluções
 
ESCUELA DE PAREJAS 2010
ESCUELA DE PAREJAS 2010ESCUELA DE PAREJAS 2010
ESCUELA DE PAREJAS 2010
 
Aplicativos 3º Bimestre
Aplicativos 3º BimestreAplicativos 3º Bimestre
Aplicativos 3º Bimestre
 
Incili pinar
Incili pinarIncili pinar
Incili pinar
 
ResumeTemplate 4
ResumeTemplate 4ResumeTemplate 4
ResumeTemplate 4
 
O universo e o sistema solar. clase 4c
O universo e o sistema solar. clase 4cO universo e o sistema solar. clase 4c
O universo e o sistema solar. clase 4c
 
Presentación cibernética
Presentación cibernéticaPresentación cibernética
Presentación cibernética
 
Mirando el cielo..
Mirando el cielo..Mirando el cielo..
Mirando el cielo..
 
Los actos
Los actosLos actos
Los actos
 
Design Thinking - Design é função, não forma (Evento Empr3ender)
Design Thinking - Design é função, não forma (Evento Empr3ender)Design Thinking - Design é função, não forma (Evento Empr3ender)
Design Thinking - Design é função, não forma (Evento Empr3ender)
 
Persahabatan xi c
Persahabatan xi cPersahabatan xi c
Persahabatan xi c
 
Presentación de microsoft power point berria
Presentación de microsoft power point berriaPresentación de microsoft power point berria
Presentación de microsoft power point berria
 
Web quest base de datos
Web quest base de datosWeb quest base de datos
Web quest base de datos
 

Semelhante a Edicao26 final

Ediçao28
Ediçao28Ediçao28
Ediçao28
correiodesintra
 
FAZER POR TODOS NÓS (2)
FAZER POR TODOS NÓS (2)FAZER POR TODOS NÓS (2)
FAZER POR TODOS NÓS (2)
Nuno Antão
 
Atitude Laranja Calheta (VersãO Final)
Atitude Laranja   Calheta (VersãO Final)Atitude Laranja   Calheta (VersãO Final)
Atitude Laranja Calheta (VersãO Final)
João Gonçalves
 
Atitude Laranja Calheta (VersãO Final)
Atitude Laranja   Calheta (VersãO Final)Atitude Laranja   Calheta (VersãO Final)
Atitude Laranja Calheta (VersãO Final)
João Gonçalves
 
Atitude Laranja Calheta (VersãO Final)
Atitude Laranja   Calheta (VersãO Final)Atitude Laranja   Calheta (VersãO Final)
Atitude Laranja Calheta (VersãO Final)
João Gonçalves
 
Jornal feito por militantes da JSD Calheta - Atitude Laranja
Jornal feito por militantes da JSD Calheta - Atitude LaranjaJornal feito por militantes da JSD Calheta - Atitude Laranja
Jornal feito por militantes da JSD Calheta - Atitude Laranja
João Gonçalves
 
O Alterense 35.pdf
O Alterense 35.pdfO Alterense 35.pdf
O Alterense 35.pdf
Francisco Martins
 
FAZER POR TODOS NÓS
FAZER POR TODOS NÓSFAZER POR TODOS NÓS
FAZER POR TODOS NÓS
Nuno Antão
 
O Alterense 40.pdf
O Alterense 40.pdfO Alterense 40.pdf
O Alterense 40.pdf
Francisco Martins
 
O alterense 21
O alterense 21O alterense 21
O alterense 21
Francisco Martins
 
Revista Integração Ed.05
Revista Integração Ed.05Revista Integração Ed.05
Revista Integração Ed.05
Marcelo Guerra
 
Periscópio jf Arentim
Periscópio jf ArentimPeriscópio jf Arentim
Periscópio jf Arentim
radioff
 
Diz Jornal 178
Diz Jornal 178Diz Jornal 178
Diz Jornal 178
dizjornal jornal
 
O alterense 20
O alterense 20O alterense 20
O alterense 20
Francisco Martins
 
Jornal Quinzenal n° 01
Jornal Quinzenal n° 01Jornal Quinzenal n° 01
Jornal Quinzenal n° 01
Rogerio Catanese
 
Informativo Semanal nº 01
Informativo Semanal nº 01 Informativo Semanal nº 01
Informativo Semanal nº 01
Rogerio Catanese
 
Catanese quinzenal 01
Catanese quinzenal 01Catanese quinzenal 01
Catanese quinzenal 01
Rogerio Catanese
 
O Alterense 15
O Alterense 15O Alterense 15
O Alterense 15
Cdu Alter Do Chão
 
Des globalização do trabalho ee
Des globalização do trabalho eeDes globalização do trabalho ee
Des globalização do trabalho ee
Elisio Estanque
 
(Des)globalização do trabalho publico 2016.07.14
(Des)globalização do trabalho publico 2016.07.14(Des)globalização do trabalho publico 2016.07.14
(Des)globalização do trabalho publico 2016.07.14
Elisio Estanque
 

Semelhante a Edicao26 final (20)

Ediçao28
Ediçao28Ediçao28
Ediçao28
 
FAZER POR TODOS NÓS (2)
FAZER POR TODOS NÓS (2)FAZER POR TODOS NÓS (2)
FAZER POR TODOS NÓS (2)
 
Atitude Laranja Calheta (VersãO Final)
Atitude Laranja   Calheta (VersãO Final)Atitude Laranja   Calheta (VersãO Final)
Atitude Laranja Calheta (VersãO Final)
 
Atitude Laranja Calheta (VersãO Final)
Atitude Laranja   Calheta (VersãO Final)Atitude Laranja   Calheta (VersãO Final)
Atitude Laranja Calheta (VersãO Final)
 
Atitude Laranja Calheta (VersãO Final)
Atitude Laranja   Calheta (VersãO Final)Atitude Laranja   Calheta (VersãO Final)
Atitude Laranja Calheta (VersãO Final)
 
Jornal feito por militantes da JSD Calheta - Atitude Laranja
Jornal feito por militantes da JSD Calheta - Atitude LaranjaJornal feito por militantes da JSD Calheta - Atitude Laranja
Jornal feito por militantes da JSD Calheta - Atitude Laranja
 
O Alterense 35.pdf
O Alterense 35.pdfO Alterense 35.pdf
O Alterense 35.pdf
 
FAZER POR TODOS NÓS
FAZER POR TODOS NÓSFAZER POR TODOS NÓS
FAZER POR TODOS NÓS
 
O Alterense 40.pdf
O Alterense 40.pdfO Alterense 40.pdf
O Alterense 40.pdf
 
O alterense 21
O alterense 21O alterense 21
O alterense 21
 
Revista Integração Ed.05
Revista Integração Ed.05Revista Integração Ed.05
Revista Integração Ed.05
 
Periscópio jf Arentim
Periscópio jf ArentimPeriscópio jf Arentim
Periscópio jf Arentim
 
Diz Jornal 178
Diz Jornal 178Diz Jornal 178
Diz Jornal 178
 
O alterense 20
O alterense 20O alterense 20
O alterense 20
 
Jornal Quinzenal n° 01
Jornal Quinzenal n° 01Jornal Quinzenal n° 01
Jornal Quinzenal n° 01
 
Informativo Semanal nº 01
Informativo Semanal nº 01 Informativo Semanal nº 01
Informativo Semanal nº 01
 
Catanese quinzenal 01
Catanese quinzenal 01Catanese quinzenal 01
Catanese quinzenal 01
 
O Alterense 15
O Alterense 15O Alterense 15
O Alterense 15
 
Des globalização do trabalho ee
Des globalização do trabalho eeDes globalização do trabalho ee
Des globalização do trabalho ee
 
(Des)globalização do trabalho publico 2016.07.14
(Des)globalização do trabalho publico 2016.07.14(Des)globalização do trabalho publico 2016.07.14
(Des)globalização do trabalho publico 2016.07.14
 

Mais de correiodesintra

Edicao 35
Edicao 35Edicao 35
Edicao 35
correiodesintra
 
Edicao 35
Edicao 35 Edicao 35
Edicao 35
correiodesintra
 
Edicao 34 internet
Edicao 34 internetEdicao 34 internet
Edicao 34 internet
correiodesintra
 
Ediçao33 internet
Ediçao33 internetEdiçao33 internet
Ediçao33 internet
correiodesintra
 
Ediçao 33
Ediçao 33Ediçao 33
Ediçao 33
correiodesintra
 
Edição 32
Edição 32Edição 32
Edição 32
correiodesintra
 
Edicao31
Edicao31Edicao31
Edicao31
correiodesintra
 
Ediçao 30 Correio de Sintra
Ediçao 30 Correio de SintraEdiçao 30 Correio de Sintra
Ediçao 30 Correio de Sintra
correiodesintra
 
Edicao29
Edicao29Edicao29
Edicao29
correiodesintra
 
Edicao27
Edicao27Edicao27
Edicao27
correiodesintra
 
Ediçao 23
Ediçao 23Ediçao 23
Ediçao 23
correiodesintra
 
Correiode sintra n22
Correiode sintra n22Correiode sintra n22
Correiode sintra n22
correiodesintra
 

Mais de correiodesintra (12)

Edicao 35
Edicao 35Edicao 35
Edicao 35
 
Edicao 35
Edicao 35 Edicao 35
Edicao 35
 
Edicao 34 internet
Edicao 34 internetEdicao 34 internet
Edicao 34 internet
 
Ediçao33 internet
Ediçao33 internetEdiçao33 internet
Ediçao33 internet
 
Ediçao 33
Ediçao 33Ediçao 33
Ediçao 33
 
Edição 32
Edição 32Edição 32
Edição 32
 
Edicao31
Edicao31Edicao31
Edicao31
 
Ediçao 30 Correio de Sintra
Ediçao 30 Correio de SintraEdiçao 30 Correio de Sintra
Ediçao 30 Correio de Sintra
 
Edicao29
Edicao29Edicao29
Edicao29
 
Edicao27
Edicao27Edicao27
Edicao27
 
Ediçao 23
Ediçao 23Ediçao 23
Ediçao 23
 
Correiode sintra n22
Correiode sintra n22Correiode sintra n22
Correiode sintra n22
 

Último

Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 

Último (20)

Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 

Edicao26 final

  • 1. PUB Carência Social em Algueirão-Mem Martins “Todas as semanas se chora neste gabinete. As pessoas dirigem-se aqui com todos os problemas que têm, rendas para pagar, falta de gás, corte de luz, desempregados. Estamos a falar de carenciados, de gente com determinada idade, algumas inválidas, e que precisam de apoio”, disse ao Correio de Sintra o presidente da Junta. Pág. 4 Eléctrico voltou à Opinião praia das Maçãs SOCIEDADE. À medida que desce a sinuosa serra de Sintra em direcção às praias, o guarda- freios faz soar a campainha de presença do centenário eléctrico de Sintra, que regressou aos carris a 17 de Junho no percurso OPINIÃO. Rui Pereira e entre a vila e o mar. Pág. 6 Marco Almeida. Pág. 19 Resultados Eleitorais. José Faustino, Rui Pereira, Lino Ramos, Pedro Ventura e André Beja comentam resultados eleitorais. Pág. 6 PUB
  • 2. 2 Correio de Sintra 19 de Junho de 2011 A abrir editorial Salta à vista... Marionetas da troika? N uma altura em que os por- tugueses vivem a ressaca da eleição de um novo governo, com pendentes. À falta de experiência de alguns nas áreas para onde foram indicados (como Assunção Cristas novas caras a assumirem as pastas ou Pedro Mota Soares) deverão agora que devem encaminhar o país para rodear-se de Secretários de Estado a prosperidade, é altura de fazer com trabalho de casa feito e provas uma reflexão sobre os caminhos que dadas, técnicos com experiência nas teremos que trilhar. áreas que dêem garantias que efec- Os portugueses escolheram uma tivamente algo vai mudar na espiral coligação de direita em vez de manter recessiva da política do país. Que a no poder um partido submisso às qualidade deste novo governo supere ideias de um líder que caiu em des- em larga escala a quantidade do graça. Que afundou o país. governo anterior. Os portugueses optaram pelo polí- Uma última nota: a saúde é hoje tico não profissional, o tão apregoado um dos maiores “sorvedores” de candidato dos “tiros no pé” durante a dinheiro do Estado português. Não é campanha e afundaram o Bloco de de admirar por isso que a liderança Esquerda a números nunca vistos deste ministério esteja a cargo de nos últimos doze anos, contrariando um gestor profissional. Aguardam-se Arte para uns, lixo urbano para outros. Os graffitis são hoje o sinal de uma uma subida contínua de eleição muitas medidas nesta área, sem que cultura suburbana que não olha a meios para deixar a sua marca. Estações fer- para eleição. Um partido que não fique, esperamos nós, comprometida roviárias, prédios, muros, tudo serve. Alguns são até casos de polícia, pois os assumiu as suas responsabilidades uma das mais importantes medidas gangues utilizam-nos para marcar o seu território. A lembrar o velho ditado: e não se sentou à mesa das negocia- pós 25 de Abril – o Serviço Nacional “se não os podes vencer, junta-te a eles”, juntas e empresas começam a servir- ções com os estrangeiros ‘ingerentes’ de Saúde. se dos grafitis para a decoração de muros e de edifícios. que vão emprestar milhões de euros Joaquim José Reis à economia portuguesa a troco de um apertar de cinto contínuo dos nativos deste país. Já o PCP manteve praticamente o mesmo eleitorado, sinal de que a renovação dos ‘fiéis’ é um dado adquirido. Quanto ao CDS ficou aquém das expectativas do seu líder mas ainda assim numa posição muito confor- tável que lhe permitiu ter força rei- vindicativa na formação do novo executivo. Qual a autonomia que os novos governantes têm para aplicar medidas protectoras da economia dos portugueses? Será Passos Coelho uma marioneta do chamado sistema da ‘troika’, um ‘yes man” perante as medidas restritivas dos fundos euro- peus? Ainda é cedo para o saber, embora muitos apregoem que esse compor- tamento será inevitável. Pela terceira vez na história da democracia portu- guesa, o Fundo Monetário Interna- cional (FMI) é chamado para aplicar o que os políticos portugueses não conseguiram, ou não souberam, fazer. É de facto lamentável que tenham que vir gestores de fora para meter o país na ordem, mas agora nada há a fazer. É certo que as viaturas da Polícia de Segurança Pública são em número muito reduzido para a área de actuação Quanto às escolhas de Passos desta autoridade. Há esquadras onde apenas existe uma viatura operacional, enquanto que, nos seus lugares de esta- Coelho e de Paulo Portas no que diz cionamento, jazem várias delas ao abandono. Em Rio de Mouro e Massamá parece já ser normal… E o mesmo acon- respeito à equipa governativa, note- tece nas oficinas onde, à falta de dinheiro, as viaturas da PSP ficam por longas temporadas à espera que alguém pague se que quatro são do PSD, três do o trabalho dos mecânicos. CDS-PP e outros quatro são inde-
  • 3. PUB
  • 4. 4 Correio de Sintra 19 de Junho de 2011 Concelho Concelho Carência Social: porta da Junta de Freguesia de Algueirão-Mem Martins “está sempre aberta” JOAQUIM REIS SOCIEDADE. O muitas das vezes, os compro- crescimento populacional que missos dos urbanizadores tornou Algueirão-Mem Martins em instalar equipamentos a maior freguesia do país sociais que seriam impor- não foi acompanhado com a tantes para a freguesia. Se construção de equipamentos me perguntarem onde é que posso construir um parque e de respostas sociais. Em urbano, com dimensão razo- tempos de crise, muitos ável, eu não sei porque não dos moradores procuram temos terrenos”, disse o na Junta as respostas para autarca. situações de carência. Com um orçamento anual a rondar o milhão de euros - “A grande dificuldade que recebe pouco mais de 300 mil temos é que de facto temos das transferências da autar- muitas carências e eu diria quia de Sintra - o dinheiro que uma delas é a nível mal chega para a conser- social. Há problemas graves vação dos 150 mil metros de carácter social na fre- quadrados de espaços verdes guesia. Todas as semanas se e para o apoio social que a chora neste gabinete. As pes- junta presta. No entanto, soas dirigem-se aqui com para fazer face às carências, todos os problemas que têm, a porta está sempre aberta, rendas para pagar, falta de muitas vezes fora das horas gás, corte de luz, desempre- do expediente. gados. Estamos a falar de Os sessenta telefonemas carenciados, de gente com que recebe por dia e os dez determinada idade, algumas mil atestados assinados Manuel do Cabo considera que número de equipamentos sociais é insuficiente. inválidas, e que precisam de anualmente evidenciam a zação, causando problemas a sei quantos hospitais e não matinal” nem para contri- apoio”, disse ao Correio de dimensão populacional da quem está por cima, porque sei quantos milhões de inves- buir para “as almoçaradas”. Sintra o presidente da Junta. freguesia. Para Manuel do os estão ali a incomodar. timentos feitos em espaço Considera que os dois Segundo Manuel do Cabo, Cabo, a dedicação tem que Temos que ter consciência público, e têm menos habi- mil euros mensais fazem do nesta área de dezasseis qui- ser total uma vez que os de que estes jovens não têm tantes que nós aqui”, consi- cargo de presidente da maior lómetros quadrados onde dezassete funcionários são espaço nenhum para estar. derou. junta do país um posto bem moram 120 mil pessoas, dos insuficientes para dar res- Quanto à revisão do mapa “Não há dúvida nenhuma remunerado. quais 49 mil estão recense- postas efectivas. das freguesias, o autarca que o mapa administrativo “Quando se vem para uma ados, não existe um parque Manuel do Cabo considera admite que é necessária, tem que ser mexido. Agora, junta desta dimensão, é evi- urbano, um centro de saúde que a falta de equipamentos desde que a maior freguesia também temos que ter em dente que temos que largar a construído de raíz ou um prejudica principalmente os do país fique de fora. consideração as zonas e a nossa actividade, e é natural pavilhão gimno-desportivo. mais jovens, que à falta de “Concordo que se faça sensibilidade com que é pre- que se estamos aqui somos “Isto ilustra bem a locais de convívio, têm como uma revisão do mapa das ciso mexer nestas questões”, remunerados. E até diria que ganância do construir numa alternativa as ruas. autarquias. E não concordo adiantou. considero que o vencimento zona próxima de Lisboa. E “Temos que fazer alguma [a revisão do espaço de Manuel do Cabo tra- do presidente da Junta de portanto, todo o espaço que coisa por estes jovens. Algueirão-Mem Martins], balha das 9:15 às vezes até às Algueirão-Mem Martins é havia disponível serviu para Muitas vezes ocupam o porque em 36 concelhos, que 22:00. Não está disponível muito bom”, disse. a construção, esquecendo-se, espaço junto a uma urbani- têm 186 freguesias, têm não para abdicar do “cafezinho  Joaquim Reis PUB
  • 5. Concelho 19 de Junho de 2011 Correio de Sintra 5 Crianças fardadas fizeram de polícias na primeira esquadra infantil do concelho DR ambiente lúdico transmitir shopping, cada um com o Cerca de 150 crianças inauguraram a primeira uma imagem positiva e seu giro de patrulha. Como esquadra infantil da PSP aproximá-las da polícia. a Esquadra não podia estar de Mem Martins e ficaram Para que não sejam vistos fechada, uma das crianças responsáveis pela segurança como aquele senhor que os foi eleita o Graduado de do centro comercial Floresta pais chamam quando não Serviço e juntamente com Center, numa iniciativa para comem a sopa”, disse o o Sentinela zelaram pelas assinalar o Dia da Criança. comandante da Divisão de instalações do edifício, e Sintra da PSP, Hugo Palma. receberam as participações Esta iniciativa insere-se Segundo a PSP, esta ini- de quem ali se lhes dirigiu. no Programa Integrado de ciativa surgiu pelo facto de Como não existem viaturas Policiamento de Proximi- existir uma necessidade por a circular no interior, foram dade e pretende também parte das entidades compe- efectuadas em simultâneo, aram -me um documento”, os mais velhos, mostrar-lhe “humanizar o trabalho com tentes de responder a certas operações de fiscalização “senhor agente encontrei que os polícias são “pessoas as crianças”. Fardadas a carências da população, e de viaturas no parque ex- uma carteira”, ou “senhor como as outras”. rigor, algumas crianças fo- no sentido de as aproxi- terior do Floresta Center. agente preciso de ir de- “Acho muito importante esta ram distribuídas pelo cen- mar mais. Assim, miúdos Aqui, caso se verificasse positar uma grande quantia aproximação entre as cri- tro comercial, enquanto e graúdos inverteram o seu infracções, os agentes in- ali ao banco e estou com anças e a polícia. Quando o outras ficaram na Esquadra papel. fantis podiam proceder receio,acompanha-me”. meu filho se está a portar mal Infantil. A fim de garantir a seg- com a simulação dos autos. Alguns dos adultos presentes eu digo-lhe: olha que está ali “Alguns pais ainda me- urança do centro comer- Conjuntamente com os lo- nesta iniciativa disseram ao o senhor polícia e ele leva-te tem medo aos filhos com cial, alunos de várias es- jistas do espaço, foram Correio de Sintra que este preso’. Se calhar não o devia o ‘senhor polícia’ e algu- colas, foram fardados a simuladas situações padrão tipo de acções são impor- fazer porque ele tem medo mas crianças têm receio rigor, e distribuídos pelo como: “senhor agente, deix- tantes para, além de ensinar dos polícias”, disse Rui Dias. da polícia. Procuramos em os mais jovens a respeitar  Joaquim Reis PUB
  • 6. 6 Correio de Sintra 19 de Junho de 2011 Concelho Concelho PSD foi o partido mais votado em Sintra DR deputado adiantou que passa em Sintra acompanhou ao por “voltar à vida fora da milímetro o plano nacional. representação política” e tra- Isso e eventualmente os balhar, enquanto presidente eleitores que ficaram em da concelhia, para “recu- casa”, disse. perar a confiança dos portu- gueses e dos sintrenses”. Para o PCP, que obteve Para Lino Ramos o resul- uma votação superior em tado do CDS-PP mostra Sintra à média nacional, que a mensagem do partido estes resultados mostram tem chegado aos sintrenses. que “há renovação” do elei- “O CDS em Sintra está vivo. torado afecto ao partido. Mostra que estamos a tra- “Ao contrário do que balhar em prol da popu- dizem de que há tendência lação do concelho. É a pri- para envelhecimento do meira vez que, numa legis- eleitorado, os resultados lação nacional, o par- mostram que isso não se tido atinge em Sintra uma verifica. Com o passar dos média superior à nacional”, anos o eleitorado vai-se disse. mantendo, por isso há Na Escola Secundária Padre Alberto Neto, em Queluz, o PS foi o partido mais votado. O agora vereador sempre uma renovação. adiantou que vai manter o Para nós o resultado é posi- POLÍTICA. O partido do na Assembleia da República, interesses de Sintra”. lugar de vereador da autar- tivo dada a campanha de primeiro-ministro, Passos estas eleições colocaram Para o socialista Rui quia com responsabili- desinformação e uma tri- Coelho, obteve 31,83 por cinco sintrenses no parla- Pereira, que concorria em dades na área do Turismo. polarização à volta do PS, cento dos votos, superando o mento. São eles o vereador 16º lugar do círculo elei- “Fico exactamente nos PSD e CDS”, sublinhou PS que se ficou pelos 28,58. do CDS-PP e secretário geral toral de Lisboa, a votação no mesmos moldes que esteve Pedro Ventura, adjunto do Nestas eleições o CDS-PP foi do partido, Lino Ramos, a Partido Socialista acompa- João Soares [PS] no ante- vereador da CDU na autar- democrata cristã Inês Teo- nhou a tendência nacional rior executivo”, considerou. quia de Sintra. o terceiro partido mais votado tónio Pereira, o socialista e resulta de um contexto Para o socialista Rui O comunista António (14,12), seguido de PCP Vitalino Canas e os sociais “fora do comum” de crise Pereira, que concorria em Filipe obteve um lugar ele- (9,35) e Bloco de Esquerda democratas António Rodri- internacional e nacional 16º lugar do círculo elei- gível como deputado mas, (6,28). Comparativamente gues e Ana Sofia Bettencourt que “não se resolve pela toral de Lisboa, a votação no embora resida em Sintra, com as anteriores - ambos eleitos na Assem- mudança do governo”. Partido Socialista acompa- foi eleito pelo círculo de legislativas, a abstenção bleia Municipal de Sintra. “A mesma razão que nhou a tendência nacional Santarém. foi ligeiramente maior em Para o presidente da con- levou os eleitores no plano e resulta de um contexto Para André Beja, 10º 2011 do que em 2009. celhia do PSD, José Faus- nacional a não votar no “fora do comum” de crise lugar da lista do BE pelo tino, este resultado mostra PS foi acompanhada em internacional e nacional círculo de Lisboa, esta foi que “quando se coloca Sintra. Esperava melhores que “não se resolve pela uma “votação que acom- Em 2009, o PS obteve novamente a democracia a resultados até porque a mudança do governo”. panhou a descida geral em 37,56 por cento da votação funcionar os cidadãos mos- receptividade na campanha “A mesma razão que todo o país” e que “ficou em Sintra, seguido de PSD, tram o seu descontenta- foi boa e não havia razões, levou os eleitores no plano aquém das expectativas”. com 21,63, BE, com 12,48, mento ou o contentamento” para nós, que levasse a nacional a não votar no “Não estamos muito CDS-PP com 11,72 e PCP, através do voto. essa situação. Foi exacta- PS foi acompanhada em satisfeitos, mas aceitamos com 9,47 por cento. “Comparativamente a mente a descida a nível Sintra. Esperava melhores a decisão soberana dos A abstenção foi menor 2009 o PSD teve mais vinte nacional pois o comporta- resultados até porque a eleitores. Continuamos em 2011 (59,56) do que em mil votos”, disse, adian- mento em Sintra acompa- receptividade na campanha a defender a justeza das 2009 (59,72). tando ter “plena convicção” nhou ao milímetro o plano foi boa e não havia razões, nossas ideias e continu- Enquanto que o presi- de que os dois deputados nacional. Isso e eventu- para nós, que levasse a essa amos a ter razão em muitas dente da concelhia do Par- sintrenses eleitos pelos almente os eleitores que situação. Foi exactamente das coisas que dizemos”, tido Socialista, Rui Pereira, sociais-democratas tudo ficaram em casa”, disse. a descida a nível nacional disse. perdeu o lugar de deputado farão para “defender os Quanto ao futuro, o antigo pois o comportamento  Joaquim Reis PUB
  • 7. PUB
  • 8. 8 Correio de Sintra 19 de Junho de 2011 Concelho Concelho Eléctrico abre portas à serra e ao mar até final de Setembro JOAQUIM REIS ando assim num eléc- trico. Em França só temos daqueles mais modernos, o que não é nada compa- rável com o facto de andar num destes, com tanta his- tória e romantismo”, admite Monique Auet. A ideia de ligar a serra ao mar através do percurso da vila até à Praia das Maçãs surgiu em 1886. Em 1903 foram adquiridos treze eléc- tricos a uma empresa ame- ricana de Filadélfia e o pro- jecto foi concretizado em 1904. Hoje, é um dos ex-líbris turísticos da vila, com dois veículos a circular entre Junho e Setembro e a trans- portar centenas de turistas anualmente. Para o vereador do Turismo, Lino Ramos, esta “é uma peça histórica que faz parte da identidade, da cul- tura, da memória” de Sintra. “Faz parte do nosso ima- SOCIEDADE. À medida Habituado ao percurso, o plátanos da vila de Colares, não respeitam as priori- ginário e é destas peças que que desce a sinuosa serra guarda-freios que conduz o pelas habitações de Gala- dades e não é fácil travar o fazem com que Sintra seja de Sintra em direcção às veículo construído em 1904 mares e pela sinuosidade da eléctrico”, afirmou Luís Car- uma zona mágica e única. É praias, o guarda-freios faz está sempre atento aos carris serra. valho que em “menino” já um todo da Sintra Capital soar a campainha de presença e não esconde o orgulho de Neste percurso circula, se agarrava do lado de fora do Romantismo. As pessoas do centenário eléctrico de descer diariamente a serra a por vezes, a menos de meio do veículo para não pagar a vêm cá não só pelo eléctrico, pouco mais de 25 quilóme- metro das residências, ‘sal- viagem. mas também pelo eléctrico”, Sintra, que regressou aos tros por hora. tando’ pelas entradas das E foi aí que nasceu “o sublinhou o vereador, adian- carris a 17 de Junho no “Parece complicado con- garagens. Aqui, o guarda- bichinho” que em 1997 o faz tando que, de 1904 a 2008 percurso entre a vila e o mar. duzir mas não é. É mais freios faz soar a campainha enveredar por esta profissão foram transportadas nos difícil conhecer a própria para dar o sinal de que o eléc- que cada vez mais está em eléctricos 158 mil pessoas. Os solavancos são compa- linha do que conduzir o elé- trico voltou a circular, depois desuso. De sexta-feira a domingo, nheiros de viagem dos visi- trico. Como o carril é antigo da interrupção durante o Andar no eléctrico faz o eléctrico circula para o tantes que deixam a vila his- não convém andar muito período de inverno. lembrar tempos antigos e os público em geral e com car- tórica em direcção à Praia depressa”, explica Luís Car- “Já tivemos alguns aci- turistas não perdem a opor- reiras regulares até à praia. das Maçãs, assinalando o valho. dentes. Especialmente junto tunidade de andar no veículo De terça a quinta mantém- regresso do eléctrico ao tra- Nos doze quilómetros do às casas, com as pessoas a número um, com capacidade se os alugueres, não havendo çado original inaugurado há percurso, o eléctrico ‘finta’ tirarem as viaturas de dentro para 24 pessoas. circulação às segundas. 107 anos. por entre os tradicionais das propriedades. Algumas “É a primeira vez que  Joaquim Reis PUB
  • 9. Concelho 19 de Junho de 2011 Correio de Sintra 9 Municípios querem refeições Quim Barreiros escolares nas férias lectivas animou Fação JOAQUIM REIS SOCIEDADE. Os Centenas de pessoas de marcar presença no largo municípios da Área viram o artista português da Fação. Às tradicionais Metropolitana de Lisboa Quim Barreiros encerrar as bancas de venda de roupas, pretendem que o programa festas em Honra de Santo farturas, pão com chou- das refeições escolares dos António, na Fação, Pêro riço, juntaram-se vende- alunos do primeiro ciclo do Pinheiro. As sardinhas, as dores de balões, numa festa bifanas, o vinho e a cer- que animou esta localidade ensino básico seja alargado veja marcaram presença e de Pêro Pinheiro. No final, às férias escolares do primeiro a animação durou até altas o artista deu autógrafos a e segundo períodos. horas. dezenas de pessoas. A 14 de Junho, e depois As festas, cujo ponto alto Segundo o coordenador do baile, Quim Barreiros foi a actuação de Quim Bar- do grupo de vereadores da arrancou para uma actu- reiros, tiveram início no dia Educação dos municípios ação que animou cerca de 9 com a abertura da quer- da AML, Marco Almeida, duas centenas de pessoas messe e com a feira de arte- também vereador na Câmara que nesse dia não deixaram sanato. Municipal de Sintra “foi pre- parada uma recomendação dirigida ao Ministério da Educação a propor que haja o prolongamento do serviço de refeições nas duas pausas lectivas”. Para o vice-presidente da autarquia de Sintra, “no Autarcas querem alargar programa de refeições às férias escolares actual contexto social e eco- nómico, esta é uma medida fazer a preparação do pró- Segundo o vereador, de apoio social às famílias ximo ano lectivo de acordo os municípios mostram muito importante”. A decisão com as suas prioridades e “alguma resistência” em surgiu durante uma reunião objectivos, mas há ques- relação “ao número de alunos realizada no Sobralinho, con- tões que são estruturantes que está previsto” e consi- celho de Vila Franca de Xira, e dependem exclusivamente deram que “o que deve ser que juntou os vereadores da da forma como o ministério avaliado é a qualidade com Educação dos municípios da se posiciona em relação a que os diferentes agrupa- AML. cada uma delas”, explicou mentos existentes prestam Os autarcas consideram Marco Almeida. o serviço a cada uma das que é fundamental a reali- O responsável da Coli- comunidades educativas”. zação de uma reunião com a gação Mais Sintra (PSD “Ter como base uma nova equipa do Ministério da e CDS-PP) congratulou- redução das verbas gastas Educação para “serem tra- se ainda com a suspensão com o funcionamento dos tadas algumas questões que do processo de criação dos agrupamentos existentes são alvo de preocupação”, mega-agrupamentos por não nos parece uma boa entre os quais a preparação parte do Governo de José opção. Cada município tem do novo ano lectivo e o pro- Sócrates, considerando que as suas especificidades e não cesso de criação dos mega- “deverá ser a próxima equipa pode haver uma medida que agrupamentos. ministerial a definir qual o seja genérica e penalizadora “Cada câmara muni- caminho a seguir relativa- das vulnerabilidades de cada cipal tem autonomia para mente a esta matéria”. um”, sustentou.
  • 10. 10 Correio de Sintra 19 de Junho de 2011 Concelho Concelho Núcleo gere respostas ao consumo de drogas e álcool JOAQUIM REIS SOCIEDADE. Câmara de trabalhar competências parentais Sintra e o Instituto da Droga e e sociais com famílias identificadas Toxicodependência (IDT) vão como de risco – cerca de oitenta - trabalhar em conjunto na prevenção residentes na Tapada das Mercês. do consumo de drogas e álcool Na área da redução de riscos e através de um núcleo territorial do minimização de danos está a ser desenvolvido um projecto da VITAE Programa de Respostas Integradas que tem como suporte uma unidade em Algueirão - Mem Martins. móvel que presta apoio psicossocial a pessoas sem-abrigo ou que apre- O protocolo assinado a 9 de Junho, sentem clara situação de exclusão que define a criação do núcleo terri- social. torial de Algueirão - Mem Martins, Segundo João Ribeiro, respon- envolve, além do IDT e da autarquia, sável do IDT, este núcleo territorial a Associação Luso-Caboverdeana de “serve para gerir um programa de Sintra e a VITAE - Associação de respostas integradas e pode ter inter- Solidariedade e Desenvolvimento venções nas várias áreas, quer seja no Internacional. tratamento, na redução de riscos e de Apesar da formalização do pro- danos e prevenção na reinserção”. Toxicodependentes concentravam-se junto ao Largo da Estação. tocolo apenas agora ter sido con- O responsável adiantou ao Correio cluída, os dois projectos das associa- de Sintra que, após a realização de este é “um projecto de intervenção de vida mais desfasados. É impor- ções abrangidos por este núcleo ter- um diagnóstico em Sintra, foi esco- que visa uma acção prática” ao nível tante que essas pessoas sejam recu- ritorial já estão em desenvolvimento lhida a freguesia de Algueirão - Mem da prevenção nesta freguesia, que peradas socialmente, mas a pre- desde 2010, terminam em 2012 e Martins por ser a mais populosa e por por ser a mais populosa do país, com venção é essencial porque o custo podem ser renováveis. ser aquela “onde havia mais necessi- cerca de 120 mil moradores, repre- que pode ter a nível imediato vai Na área da prevenção, o programa dade de intervenções prioritárias”. senta maior risco. minimizar muitíssimo os custos, “Trilhos com Sentido”, cujo pro- Para a vereadora da Câmara de “Preocupa-nos muito a prevenção, quer económicos, quer sociais, a motor é a Associação Luso-Cabover- Sintra com o pelouro da Saúde, Acção independentemente do tratamento médio longo prazo”, adiantou. deana de Sintra, tem como objectivo Social e Habitação, Paula Simões, das pessoas que já estão em projectos  Joaquim Reis PUB
  • 11. PUB
  • 12. PUB
  • 13. PUB
  • 14. PUB
  • 15. Cidades 19 de Junho de 2011 Correio de Sintra 15 Agualva-Cacém Centro para toxicodependentes abre depois do Verão JOAQUIM REIS SOCIEDADE. Centro para toxicodependentes em Agualva ensino. que foi alvo de protestos Nessa altura, os ânimos de populares contra a sua ficaram exaltados quando instalação na freguesia, abre um elemento da oposição depois do Verão. Segundo da Junta (CDU) se mostrou favorável ao projecto. João Ribeiro, responsável Os cerca de 40 mora- do IDT, as instalações desta dores que estavam a pro- unidade deverão estar testar começaram aos gritos concluídas a 13 de Junho, quando o representante da CDU na Assembleia de João Ribeiro adiantou Freguesia de Agualva, Rui ao Correio de Sintra que, Ramos, se deslocou ao local Moradores protestaram contra a instalação desta unidade junto a habitações. apesar de a população ini- e explicou aos jornalistas cialmente estar contra a centro de tratamento e de ano. utentes activos”, afiançou. que os partidos da oposição instalação deste equipa- atendimento. Vimos que a “A população de Sintra Em Novembro de 2010, estão favoráveis à insta- mento na freguesia, tudo população tem estado muito é de 400 mil habitantes vários moradores de lação do centro de recupe- não passou de “um mal calma e receptiva”, observou. [logo] potencialmente há Agualva e presidente da ração naquele local. entendido”, tendo já “com- João Ribeiro explicou quatro mil toxicodepen- Junta de Freguesia, Rui Por entre empurrões e preendido” o objectivo que nesta unidade vai estar dentes no concelho. Como Castelhano, protestaram gritos, muitos moradores desta unidade. uma equipa de vinte a vamos manter o pólo de contra a instalação do disseram a Rui Ramos para “As pessoas pensavam que trinta técnicos, preparada Sintra, que abrangerá a Centro de Respostas Inte- abandonar o local, impe- aquilo ia ser um centro de para receber entre oitenta parte norte do concelho, gradas de Sintra junto a dindo as entrevistas. “Aqui internamento de toxicode- a cem pessoas diariamente no Cacém serão abrangidos uma área de residências, não há política. O senhor é pendentes, mas não é o caso, – através de consultas e do 2500 utentes. Mas não alegando que esta unidade que devia morar aqui”, gri- porque é um centro de con- programa de metadona -a estão todos em tratamento iria perturbar um bairro taram alguns dos manifes- sultas e de ambulatório. Não uma média de acompanha- ao mesmo tempo e geral- “calmo” e que está próximo tantes. é para instalar pessoas, é um mento de 500 utentes por mente por ano teremos 500 de dois estabelecimentos de  Joaquim Reis Televisão analógica foi desligada em número “inferior ao pagos de televisão, para o “Percebemos que este [pro- SOCIEDADE. A cidade das Comunicações esperado”. qual deve ser adquirido um jecto piloto] era o caso mais de Agualva-Cacém foi a (ANACOM) desligou o Este desligamento descodificador que custa complicado, porque temos a segunda localidade piloto sinal analógico da cidade, abrange oito freguesias do entre 30 a 200 euros, em noção que os vizinhos aqui a aderir à Televisão Digital naquela que, considera o concelho de Sintra (Agualva, parte financiados. não se conhecem. Isto hoje é Terrestre (TDT) em Portugal. organismo, será a maior Belas, Cacém, Massamá, Segundo o presidente da mais importante como piloto O desligamento do sinal revolução televisiva desde o Mira-Sintra, Rio de Mouro, ANACOM, José Amado da para o país, do que para o aparecimento dos aparelhos São Marcos e São Pedro de Silva, as características desta Cacém e para Sintra. Espero analógico do retransmissor a cores. Penaferrim), onde moram zona urbana com grande que a população do país apro- local aconteceu a 16 de Esta entidade consi- cerca de duzentas mil pes- concentração de habitantes veite estas colmeias para se Junho e 120 famílias podem dera que “o processo correu soas. fazem deste projecto piloto prevenir”, disse o responsável ter ficado sem acesso aos de forma positiva” com o Esta alteração só afecta um elemento importante para durante a iniciativa que assi- quatro canais gratuitos. número de famílias que as habitações que recebem o apurar a forma como a divul- nalou o desligamento do sinal ficara, sem ver televisão na sinal analógico (por antena) gação e a implementação da analógico. A Autoridade Nacional sequência do desligamento e que não possuam serviços TDT está a ser feita.  Joaquim Reis PUB PUB
  • 16. 16 Correio de Sintra 19 de Junho de 2011 Cidades Queluz Grupo armado com metralhadora Recolha do lixo assaltou café no 1.º de Maio insuficiente JOAQUIM REIS nado por ter a filha longe. Se SOCIEDADE. As juntas blema. Teremos certamente disséssemos alguma coisa de freguesia de Casal de que acertar os circuitos para eles matavam-nos. Não Cambra e Belas estão que possamos corrigir estas estavam para brincadeiras”, insatisfeitas com a recolha dificuldades”, explicou o disse uma das vítimas ao do lixo realizada pela administrador. Correio da Manhã. HPEM, principalmente ao Para Guilherme Dias, Segundo a proprietária presidente da junta de fre- do estabelecimento, o fun- fim-de-semana. A empresa guesia de Belas, esta situ- cionário estava já a servir responsável pela higiene ação é “uma vergonha. a última bebida quando pública garantiu ao Correio O serviço prestado pela o assalto ocorreu. ““Até de Sintra que, apesar de HPEM é muito mau. Não pareceu azar. Estávamos o corte substancial das podemos viver de horas quase a sair. O funcio- horas extraordinárias extraordinárias”, sublinhou PSP admite que poderá não ter havido disparo de arma automática. nário até estava a servir a nos trabalhadores, irá o presidente. última bebida e aprovei- regularizar este problema. A limpeza do lixo volu- CRIME. Três homens entraram no estabeleci- támos apenas para estar à moso é o principal pro- armados com caçadeiras mento do bairro 1º de Maio, conversa. Foi quando eles blema que se sente em e uma metralhadora tendo obrigado a criança entraram e começaram a “O lixo não é removido ambas as freguesias. Em assaltaram o café e a entrar. Agrediram um ameaçar de morte”, disse. com a frequência como era Casal de Cambra, “a última cervejaria Caldeira, em cliente com socos e pon- O caso está entregue à habitual. Todas as semanas recolha feita pela HPEM é Monte Abraão no dia tapés e atiraram-no ao chão Polícia Judiciária. mando correio electrónico às 18h de sexta e só volta a para lhe levarem a carteira e Contactada pelo Correio à HPEM mas a empresa recolher lixo na madrugada 10, espalhando o terror um fio de ouro. de Sintra, a presidente da não dá a sequência devida”, de segunda para terça. Esta entre os clientes que, Mas o pânico instalou- Junta de Freguesia, Fátima disse Vítor Novo, vogal do situação é insustentável”, perto da hora de fecho, se durante a fuga. Segundo Campos, adiantou que, executivo da junta de fre- reiterou Vítor Novo. ainda se encontravam no vários órgãos de comuni- apesar de este já ter sido guesia de Casal de Cambra. Embora a situação seja estabelecimento. Este é cação social, durante a fuga um bairro bastante proble- o O responsável adiantou passível de ser resolvida mais um caso de um assalto o agente da PSP disparou mático devido “aos tráfico que o problema existente pela empresa de higiene violento na cidade de contra os assaltantes que, e consumo de droga”, actu- há vários meses resulta do pública, Rui Caetano Queluz, um espaço cada vez por sua vez, terão dispa- almente já não apresentava corte das horas extraordi- admitiu que podia existir mais afectado pela crise. rado uma rajada de metra- este tipo de criminalidade. nárias nos trabalhadores da mais “disciplina por parte lhadora contra o estabeleci- “Não tem havido pro- empresa de higiene pública. da população”. Vítor Novo mento. blemas de maior ali. Aquilo Contactado pelo Correio partilhou o mesmo ponto de Os clientes – entre eles No entanto, fonte da não pode ter sido gente do de Sintra, Rui Caetano, vista do administrador da estava um agente da PSP À PSP garantiu ao Correio bairro a fazer esse assalto. administrador da HPEM, HPEM, e pediu mais cola- civil e a filha de oito anos de Sintra que não foram Eles protegem-se uns aos garantiu que “o problema boração aos habitantes de - foram sequestrados sob “encontrados nenhuns indí- outros”, disse. resulta da redução do orça- Casal de Cambra. “A popu- ameaça de morte e tiveram cios de que houve disparos A autarca teme que, mento de estado”. “A HPEM lação podia colaborar mais. duas caçadeiras e uma feitos por uma arma auto- em tempos de crise, possa limita-se a respeitar o orça- A HPEM tem um número metralhadora apontadas às mática”, mas sim por outro haver um aumento da cri- mento de estado, logo não verde. As pessoas podiam cabeças. Foram obrigados tipo de arma. minalidade violenta na fre- é responsável pela redução ligar para ficarem a saber os a permanecer em silêncio Apesar da gravidade guesia. das horas extraordiná- dias em que a empresa vem enquanto os assaltantes do assalto, ninguém ficou “Temo que agrave este rias. Contudo, penso que recolher o lixo volumoso. As esvaziavam a caixa regista- ferido. tipo de assaltos. Preocupa- as juntas devem informar pessoas não o fazem e pre- dora que, àquela hora, tinha “Foi um pesadelo. A me bastante, apesar de hoje a empresa de modo a ferem abandonar o lixo em 150 euros. menina estava à porta e nem haver mais policiamento do conhecer os locais onde qualquer lugar”, salientou Passava da meia-noite se mexia. O polícia estava no que há uns anos”, adiantou. existem estas dificuldades Vítor Novo. quando os três homens outro lado da sala, transtor-  Joaquim Reis para regularizar este pro-  AOP PUB
  • 17. PUB
  • 18. 18 Correio de Sintra 19 de Junho de 2011 Desporto Desporto Arbitragem: época marcada por evolução e árbitro da 3.ª divisão nacional, a DR Brás. época contou com boas arbitragens Para a próxima época, o presi- e com poucos casos polémicos. dente do NAFLS pretende ajudar os 162 associados que o núcleo A arbitragem futebolística não possui a atingir os seus objectivos. está apenas a mudar no panorama “Temos árbitros em todas as divi- dos grandes escalões. A AFL não é sões, excepto na segunda. O núcleo excepção. Os responsáveis da arbi- existe para ajudar os seus asso- tragem reconhecem que a época ciados a tornarem-se melhores que findou conheceu uma evo- árbitros”, explicou Luís Brás. Para lução com momentos de grande tal, o NAFLS organiza todas as futebol e de fair-play. “O balanço terças e quintas-feiras, às 19h, é muito positivo. Houve boas no campo do Real Sport Clube, arbitragens. No final da tempo- treinos com a presença de um pro- rada subiram quatro árbitros à 3.ª fessor de educação física. Os asso- divisão nacional. Isto mostra que ciados podem ainda usufruir de Árbitos fazem balanço positivo da época a AFL tem bons árbitros. A arbi- sessões técnicas nos mesmos dias, tragem tem evoluído muito graças de futebol onze e futsal, respecti- FUTEBOL. A temporada 2010/11 tirar conclusões. Segundo Luís Brás, a vontade dos árbitros. Hoje em vamente, a partir das 21h. da Associação de Futebol de Lisboa presidente do Núcleo de Árbitros de dia temos árbitros licenciados e  Alexandre Oliveira Pereira (AFL) chegou ao fim e é altura de Futebol da Linha de Sintra (NAFLS) com formação”, sublinhou Luís Hockey Club de Sintra “não vai fechar portas” HÓQUEI. Hockey Club de Sintra está Apesar das grandes dificuldades 60 mil euros para pagar. Contactei situação do clube não é brilhante. a atravessar um dos períodos mais financeiras, o presidente do clube, a câmara municipal de Sintra, de Há dificuldades, e temos que fazer negros da sua história. As dificuldades Jaime Ramos, garante que “o clube modo a obter alguma ajuda. Há esforços. Dá trabalho, mas o clube financeiras são grandes, o clube tem não vai fechar portas”. cerca de três semanas, numa deli- não vai fechar portas”, salientou uma dívida de sessenta mil euros “O clube tinha, inicialmente, beração da autarquia, foram atri- o presidente. Com o objectivo de à banca que a direcção pretende uma dívida à banca no valor de buídos 25 mil euros ao clube”, angariar fundos, o HCD está a 80 mil euros. A direcção anterior explicou Jaime Ramos. Segundo organizar, nos dias 23, 24 e 25 de liquidar nos próximos três anos. pagou 20 mil, deixando-nos ainda o presidente, esta verba vai per- Junho, uma sardinhada convívio PUB mitir o pagamento de 20 mil euros para os sócios, adeptos e simpati- ao banco de forma a “colmatar zantes. umas das tranches dos 60 mil”. O A situação desportiva do clube responsável adiantou que os res- contrasta com a financeira. Todos tantes cinco mil estão destinados à os escalões, excepto os juniores, “gestão corrente”. encontram-se a disputar as compe- O restante será pago nos pró- tições nacionais. O resultado disso ximos dois anos, com apoio da é o resultado obtido pelos seniores, câmara sintrense, uma vez que “o que terminaram a época no sexto clube tem um compromisso com a lugar da 2.ª divisão nacional. autarquia”. Além desta ajuda “pre- Contando com cerca de 150 ciosa”, a câmara “paga as taxas dos atletas, o HCS aposta na formação, jogadores que moram no concelho”. de forma a criar atletas e fomentar “É uma grande ajuda para todos os o reconhecimento da modalidade. clubes”, sublinhou Jaime Ramos. “Desenvolvemos uma escola de O responsável garante que a formação, considerada uma das situação financeira do clube parece melhores do país”, reconheceu estar a resolver-se aos poucos. “Em Jaime Ramos. termos económico-financeiros, a  Alexandre Oliveira Pereira DR Clube conta com apoio da Câmara para pagar dívidas.
  • 19. Opinião 19 de Junho de 2011 Correio de Sintra 19 Tribuna Devolver a esperança que por aqui existem e o número exponencial de pessoas que afectam. cipal não estica. Ele é limitado e cada vez conta menos com as transferên- As eleições legislativas do pas- É neste plano da acção política que cias provenientes do Estado central. sado dia 5 de Junho ditaram uma devemos apostar, todos, independen- Mas, perante tudo isto, conti- mudança clara na governação do temente do partido que militamos ou nuamos a encontrar empresas que país. Sai o Partido Socialista, entram da ideologia que abraçamos. Sintra geram emprego, escolas que brilham o PSD e o CDS, mas da troika nin- precisa de gente na Assembleia da nos rankings nacionais, associações guém se livra. República que nos defenda, Sintra de referência nas diferentes áreas de Embora o documento de compro- precisa de gente nos sectores inter- actividade, instituições de solidarie- misso assinado com o FMI, com a médios da administração central (na dade que dão prova do seu querer Comissão Europeia e com o Banco Saúde, na Educação, na Segurança no apoio ao próximo, forças de segu- Central Europeu seja exigente e limi- Social ou no Ordenamento do Ter- rança que contrariam a tendência tador da acção governativa, acredito ritório) que opte por nós. Hoje, um de crescimento da criminalidade e que o refrescamento trazido pelos concelho com esta dimensão quali- cidadãos anónimos que defendem as novos protagonistas e pelas políticas fica-se com as opções da gestão muni- suas comunidades. deles emergentes constituem uma cipal, mas também com as decisões Foi o seu exemplo que me levou a “ oportunidade para Portugal. Depois tomadas pelos gabinetes de Lisboa. lançar, no passado dia 19 de Maio, a do desgaste do eng. José Sócrates, Enquanto a influência do concelho associação “Viver Sintra”. Espaço de do descrédito do país traduzido nos Em Sintra, há muito não chegar a esse patamar da decisão encontro, de valorização das boas altíssimos juros da dívida pública e da do Estado, continuaremos a ver as práticas e de promoção do nosso con- insolvência a que chegou o Estado, os que se exige a devida nossas arribas a cair, a frequentar celho. Apesar da desconfiança com portugueses votaram na esperança. atenção do Governo para centros de saúde decrépitos, escolas que os velhos do Restelo dos par- Também os sintrenses confir- com este território. do 2º, 3º ciclo por reabilitar, esta- tidos políticos olharam para esta ini- maram esse sentimento generalizado belecimentos do ensino secundário ciativa, a presença de tantas e tantas dos portugueses. Das 20 freguesias, da administração central, mas esse por concretizar, edifícios obsoletos pessoas no auditório da Casa da Cul- 14 confirmaram a vitória do PSD e 6 ficou aquém das expectativas e das das forças de segurança e muito mais tura de Mira-Sintra é o melhor sinal no Partido Socialista. O CDS PP foi o suas reais necessidades em matéria podia ser aqui referido. do interesse que a mesma suscitou 3º partido com mais votos expressos, de qualificação. O que foi feito é uma E mais não acontece porque a na sociedade civil do concelho. seguindo-se o PCP e o Bloco de gota de água num oceano de esque- Câmara Municipal de Sintra tem pro- Sinal de esperança, como de espe- Esquerda. A abstenção, também por cimento. curado intervir em áreas que não são rança é o novo Governo. Aos diri- cá, continua elevada e traduz o afas- Porque conheço bem esse afasta- da sua competência. Com protocolos, gentes que a partir dele forem nome- tamento dos cidadãos dos actos elei- mento, não estranhem o que adiante ou não, a cedência de terrenos e edi- ados faço votos que Sintra, apesar da torais. Preocupante, sem dúvida. defendo: fícios para abrigar as forças de segu- crise, seja uma prioridade. Em Sintra, há muito que se exige a Se tivermos em conta a extensão rança, da saúde e da educação, teste- devida atenção do Governo para com territorial do concelho e a sua munham a opção que tem sido feita. Marco Almeida este território e para com as comuni- dimensão humana, depressa consta- Não é de agora esta prática, mas acen- Vice-presidente da Câmara Muni- dades que nele vivem e trabalham. É tamos que há opções feitas em con- tuou-se nesta gestão municipal. Disso cipal de Sintra certo que se assistiu à concretização celhos vizinhos que não se justificam ninguém tenha dúvida, mas também de investimento público proveniente perante a dimensão dos problemas não duvide que o orçamento muni- Circunstâncias difíceis uma governação sem sobressaltos e duradoira. tico nacional. O Secretário-Geral do PS, José No passado dia 5 de Junho ter- Difíceis para os portugueses que Nestas condições o PS tinha muita Sócrates, decidiu deixar a liderança minou um ciclo Político. Os portu- se viram confrontados com o desem- dificuldade em se afirmar, não con- do partido. Termina um ciclo de lide- gueses, intempestivamente, foram prego, com o agravamento das con- seguia, nem à direita nem à esquerda rança no qual o Partido Socialista chamados às urnas e pronunciaram- dições de vida e com perspectivas de nenhuma perspectiva clara de acordo atingiu a primeira maioria absoluta se, claramente, pela mudança de futuro pouco optimistas. ou coligação pós eleitoral. Este terá da sua história. governo. Cansados de tanta agitação Apesar da boa campanha que o Par- sido um dos mais relevantes ele- O debate interno está lançado e política, da permanente ameaça de tido Socialista e o seu líder fizeram, mentos de ponderação de muitos constitui-se como a grande demons- crise, das dificuldades próprias e ine- uma campanha mobilizadora, de tração de vitalidade que o Partido rentes a um governo sem o suporte verdade e responsabilidade, os elei- Socialista dá para enfrentar os desa- parlamentar de uma maioria, tores decidiram castigar o partido do fios do futuro optaram por garantir a maioria par- governo e garantir aos partidos de Os socialistas têm agora de optar lamentar aos partidos da direita. direita uma confortável maioria par- entre dois excepcionais quadros As circunstâncias em que se rea- lamentar, que lhes permite governar políticos, dois candidatos que já lizaram estas eleições eram difíceis, sem desculpas. deram provas da sua qualidade e do mesmo muito difíceis. A primeira conclusão que devemos empenho que colocam ao serviço do Difíceis para a Europa, que não tirar do resultado das eleições é que PS e de Portugal. consegue encontrar um caminho os portugueses optaram por mudar A minha opção é clara, decidi comum para a crise que a ameaça. de governo mas não de políticas. Ao apoiar António José Seguro, pela sua Difíceis para Portugal que se viu dar a maioria ao PSD e ao CDS os consistência, experiência e maturi- empurrado, por força da crise mun- eleitores confirmam o rumo traçado eleitores. Quando queriam um dade política. dial, para um turbilhão de ameaças pelo governo, e referendam o acordo governo com suporte parlamentar António José Seguro como líder do especulativas dos mercados finan- com a troika. estável e de maioria o Partido Socia- PS será capaz de assegurar a reno- ceiros totalmente desregulados. A segunda conclusão que podemos lista não conseguia apresentar aos vação que o PS precisa e que o país Difíceis para o Governo porque se extrair da votação dos portugueses é eleitores nenhum parceiro ou puta- reclama. O País contará com um Par- viu confrontado com uma oposição que perceberam como é difícil, sobre- tivo aliado. tido Socialista, moderno, sereno, res- parlamentar cujos líderes, sedentos tudo em contexto de crise, governar A mudança de governo não resolve ponsável e defensor dos valores fun- de poder e protagonismo, privile- sem maioria parlamentar. Corri- os problemas que assolam o país e a dadores do estado social. giaram os interesses pessoais e par- giram assim o erro de 2009 e deram Europa. Só no quadro europeu será tidários acima do interesse nacional. aos partidos que davam garantias de possível encontrar essas soluções, Rui Pereira Acabando, oportunistamente, por construir uma maioria parlamentar mas as eleições de 5 de Junho já pro- Presidente da concelhia de Sintra derrubar o governo. uma vitória clara que lhes permite duziram mudanças no espectro polí- do Partido Socialista
  • 20. PUB
  • 21. Publi-Reportagem Publi-Reportagem Qualidade do ensino no Externato Calimero A oficina multimarca Real Choice conta com uma equipa de profissionais com uma vasta ex- Real Choice periência e com exigentes padrões de qualidade O bem-estar dos alunos e a qualidade do para oferecer um serviço de excelência aos seus clientes. Inaugurada a 8 de Junho, a empresa ensino fazem do Externato Calimero uma aposta apresenta competências técnicas para prestar segura na área educativa. A actual gerência qualquer serviço do sector automóvel. No entanto, é nos serviços de mecânica geral, de encontra-se à frente destes espaço desde 2006 e, electricidade, de chapa e pintura e nos serviços de dois alunos passou para sessenta. O segredo rápidos (mudança de óleo e filtros, substituição de discos e pastilhas, pneus e alinhamentos) que passa por uma estrutura familiar que ensina aos se distingue. A Real Choice leva a sua viatura ao mais novos os valores que farão deles o futuro do IPO (serviço de inspecção periódica automóvel) e dá garantia de um ano em todas as reparações país, onde as novas tecnologias fazem parte da e montagens e de dois anos em peças novas. metodologia de ensino. “Temos um novo espaço e uma nova organi- zação e isso faz toda a diferença. A estrutura “O nosso trabalho tem sido a nossa melhor accionista achou que deveria dar um salto publicidade. Temos grandes preocupações com quantitativo e qualitativo. Esta empresa existia em nome individual e ponderando o sector Sendo o nosso ponto de partida para todo o que as crianças estejam em segurança e que económico do concelho, achámos que nos concelho”, sustentou Artur Gomes. tenham uma excelente qualidade de ensino. deveríamos colocar num patamar acima, em A Real Choice - Serviço Automóvel, Lda, termos de qualidade de instalações, por forma encontra-se na, Estrada Nacional 249 - 4, Aqui é tudo muito transparente e a porta está a acompanhar a evolução tecnológica do sector Abrunheira Park - Armazém I, em frente à sempre aberta aos pais, que podem entrar a automóvel”, considerou o gestor, Artur Gomes. Wurth, na Abrunheira, Sintra. “A Abrunheira é a localização que do ponto de Contactos: 219 152 229 / 968 382 625 E-mail: qualquer hora”, admite Patrícia Gato, proprie- vista geográfico e do ponto de vista de insta- mail@real-choice.pt tária do Externato. lações nos ofereceu maiores garantias. Alia a localização e a qualidade à qualidade do espaço. Este espaço tem um acordo com o Estado, o que permite que as mensalidades sejam sub- sidiadas. Recebe crianças dos 3 aos 9 anos, do Predimed 100% Partilha jardim-de-infância ao 1º. ciclo, mas para o pró- A agência imobiliária Predimed 100% Partilha mudou de instalações para a Avenida dos ximo ano lectivo pretende abrir a valência de Bons Amigos, em Agualva. Segundo um dos creche, para mais 33 crianças. dois directores da agência, Miguel Bernardo, a nova localização do espaço permite aumentar a O 1º. ciclo tem horário completo, das 9:00 captação de clientes. às 16:30, complementado por aulas de ginás- sejam cidadãos conscientes e que no futuro se “O negócio cresceu e tivemos que mudar de instalações. Contratámos mais consultores e tica, música, inglês, projecto psico-pedagógico e tornem activos, fazendo uso dessas aquisições. precisávamos de um novo espaço. As novas in- ciência divertida uma vez por mês, tudo incluído Pretendemos auxiliá-lo na educação do seu edu- stalações estão melhor localizadas e têm maior cobertura a nível comercial porque abrangem na mensalidade. A seguir à hora do lanche há cando, assumindo um ensino sério e de quali- mais clientes”, explicou. estudo acompanhado, o que faz com que as dade”, sublinha a responsável. Segundo o responsável, esta agência possui vários consultores comerciais, cujas funções imobiliária. É uma agência de consultores crianças estejam sempre envolvidas na aprendi- O Externato Calimero está na Rua Caminho passam por acompanhar todo o processo de an- imobiliários que conta com vários profission- zagem. do Rio, nº. 20, Mem Martins. Telefone: 219 218 gariação e compra de imóveis, até à assinatura ais no ramo imobiliário para ajudar a vender, da escritura. comprar ou arrendar imóveis. “O nosso objectivo é que os alunos tenham 536 / 917 144 946. www.externatocalimero.pt Gerida por Miguel Bernardo e Nuno Ribeiro, “É uma agência de agentes imobiliários que uma boa preparação a nível de conteúdos, que a Predimed de Agualva é mais do que uma também funciona como imobiliária”, ressalvou. PUB
  • 22. 22 Correio de Sintra 19 de Junho de 2011 Guia Farmácias Serviço Permanente /Reforço (1) (2) Até 3 de Julho Fonte: ARSLVT Algualva-Cacém Algueirão Idanha/Massamá/ Queluz Rio de Mouro/Rinchoa/ Sintra Concelho Monte Abraão Fitares Sábado, 18 Clotilde Dias - 214 262 576 Flora - 219 214 103 Portela - 214 377 619 Zeller - 214 350 045 Dumas Brousse - 219 160 404 Crespo - 219 245 320 Da Terrugem - 219619049 Rodrigues Garcia - 219 138 052 Fitares - 219 167 461 Domingo, 19 Garcia - 219 142 181 Vítor Manuel - 219 266 280 O’Neill Pedrosa - 214 377 205 Queluz - 214 365 849 Fitares - 219 167 461 Tereza Garcia - 219 106 700 De Colares - 219 290 088 Mira Sintra - 219 138 290 Dumas Brousse - 219 160 404 Segunda, 20 Araújo e Sá - 219 140 781 Santos Pinto - 214 374 144 Baião Santos - 214 375 566 André - 214 350 043 Serra das Minas - 219 165 532 Valentim - 219 230 456 Casal de Cambra - 219 804 193 Ascensão Nunes - 214 324 097 Fidalgo - 219 200 876 Idanha - 214 328 317 Fitares - 219 167 461 Abrunheira - 219 111 206 Terça, 21 Rico - 219 138 003 Marques Rodrigues - 219 169 907 Pinto Leal - 214 387 580 Azeredo - 214 350 879 Rio de Mouro - 219 169 200 Marrazes - 219 230 058 Fontanelas - 219 289 986 S. F. Xavier - 214 260 615 Almargem - 219 622 835 Portela - 214 377 619 Cargaleiro Lourenço - 219 162 006 Costa - 219 618 239 Quarta, 22 Rodrigues Garcia - 219 138 052 Tapada das Mercês - 219 169 907 Vasconcelos - 214 372 649 Simões Lopes - 214 350 123 Cargaleiro Lourenço - 219 162 006 Da Misericórdia - 219 230 391 D’Albarraque - 219 154 370 Clotilde Dias - 214 262 576 Santos Pinto - 214 374 144 Dumas Brousse - 219 160 404 De Colares - 219 290 088 Quinta, 23 Campos - 219 180 098 Fidalgo - 219 200 876 Quinta das Flores - 214 302 064 Gil - 214 350 117 Moderna - 219 154 510 Simões - 219 230 832 Do Magoito - 219 610 376 Guerra Rico - 219 138 003 Fitares - 219 167 461 Sexta, 24 Caldeira - 219 147 542 Cristina - 219 214 820 Idanha - 214 328 317 Zeller - 214 350 045 Dumas Brousse - 219 160 404 Crespo - 219 245 320 Da Beloura - 219 245 763 Central - 219 140 034 Tapada das Mercês - 219 169 907 André - 214 350 043 Cargaleiro Lourenço - 219 162 006 Casal de Cambra - 219 804 193 Sábado, 25 Mira Sintra - 219 138 290 Almargem - 219 622 835 Domus Massamá - 219 259 323 Queluz - 214 365 849 Fitares - 219 167 461 Tereza Garcia - 219 106 700 Nave Ribeiro - 219 670 802 Garcia - 219 142 181 Dumas Brousse - 219 160 404 Domingo, 26 Ascensão Nunes - 214 324 097 Químia - 219 210 012 Neves - 214 389 010 André - 214 350 043 Serra das Minas - 219 165 532 Valentim - 219 230 456 De Colares - 219 290 088 Araújo e Sá - 219 140 781 Dumas Brousse - 219 160 404 Praia das Maçãs - 219 292 021 Segunda, 27 Silva Duarte - 219 148 120 Rodrigues Rato - 219 212 038 Portela - 214 377 619 Azeredo - 214 350 879 Rio de Mouro - 219 169 200 Marrazes - 219 230 058 Costa - 219 618 239 Guerra Rico - 219 138 003 Cristina - 219 214 820 Zeller - 214 350 045 Fitares - 219 167 461 Da Beloura - 219 245 763 Terça, 28 S. F. Xavier - 214 260 615 Ouressa - 219 207 594 O’Neill Pedrosa - 214 377 205 Correia - 214 350 905 Cargaleiro Lourenço - 219 162 006 Da Misericórdia - 219 230 391 Abrunheira - 219 111 206 Campos - 219 180 098 Químia - 219 210 012 Vasconcelos - 214 372 649 Fitares - 219 167 461 Do Magoito - 219 610 376 Quarta, 29 Rico - 219 138 003 Claro Russo - 219 228 540 Baião Santos - 214 375 566 Gil - 214 350 117 Moderna - 219 154 510 Simões - 219 230 832 Da Terrugem - 219619049 Caldeira - 219 147 542 Dumas Brousse - 219 160 404 Quinta, 30 Central - 219 140 034 Flora - 219 214 103 Pinto Leal - 214 387 580 Zeller - 214 350 045 Dumas Brousse - 219 160 404 Crespo - 219 245 320 De Colares - 219 290 088 Silva Duarte - 219 148 120 Ouressa - 219 207 594 Azeredo - 214 350 879 Fitares - 219 167 461 Praia das Maçãs - 219 292 021 Sexta, 1 Clotilde Dias - 214 262 576 Vítor Manuel - 219 266 280 Vasconcelos - 214 372 649 Queluz - 214 365 849 Fitares - 219 167 461 Tereza Garcia - 219 106 700 Casal de Cambra - 219 804 193 Rodrigues Garcia - 219 138 052 Claro Russo - 219 228 540 Idanha - 214 328 317 Cargaleiro Lourenço - 219 162 006 Abrunheira - 219 111 206 Sábado, 2 Garcia - 219 142 181 Santos Pinto - 214 374 144 Quinta das Flores - 214 302 064 André - 214 350 043 Serra das Minas - 219 165 532 Valentim - 219 230 456 Fontanelas - 219 289 986 Mira Sintra - 219 138 290 Cargaleiro Lourenço - 219 162 006 Domingo, 3 Araújo e Sá - 219 140 781 Marques Rodrigues - 219 169 907 Idanha - 214 328 317 Azeredo - 214 350 879 Rio de Mouro - 219 169 200 Marrazes - 219 230 058 D’Albarraque - 219 154 370 Clotilde Dias - 214 262 576 Dumas Brousse - 219 160 404 Belas Pero Pinheiro Confirme estes dados na Internet na página da Associação Nacional de Farmácias: http://www.anf.pt/ Reforço (2) Ferreira - 214 310 031 Confiança - 219 270 045 (1) Os serviços Permanentes funcionam desde a hora de encerramento normal da farmácia até às 9 horas do dia seguinte. (segunda a sexta) (segunda a sexta) (2) Os serviços de Reforço funcionam desde a hora de encerramento normal até às 22 horas do mesmo dia. PUB PUB