SlideShare uma empresa Scribd logo
Normas da ABNT para Desenho Técnico
Associação Brasileira de Normas Técnicas
TERMINOLOGIA
Norma ABNT NBR 10647, Abril 1989
(1) Quanto ao aspecto geométrico:
Desenho Projetivo – Desenho resultante de projeções do objeto sobre um ou mais
planos que fazem coincidir com o próprio desenho, compreendendo:
- Vistas ortográficas: figuras resultantes de projeções ortogonais, sobre planos
convenientemente escolhidos, de modo a representar, com exatidão, a forma do
mesmo com seus detalhes.
- Perspectivas: figuras resultantes de projeção isométrica ou cônica, sobre um único
plano, com a finalidade de permitir uma percepção mais fácil da forma do objeto.
Desenho Não Projetivo – Desenhos não subordinados à correspondência, por meio
de projeção, entre as figuras que constituem e o que é por ele representado,
compreendendo uma variedade de representações gráficas, tais como:
- Diagramas: desenhos nos quais valores funcionais são representados em um
sistema de coordenadas.
- Esquema: figura que representa não a forma dos objetos, mas as suas relações e
funções.
- Fluxogramas: representação gráfica de uma seqüência de operações.
- Organograma: quadro geométrico que representa os níveis hierárquicos de uma
organização, ou de um serviço, e que indica os arranjos e as inter-relações de suas
unidades constitutivas.
(2) Quanto ao grau de elaboração:
- Esboço: representação gráfica aplicada habitualmente aos estágios iniciais de
elaboração de um projeto, podendo, entretanto, servir ainda à representação de
elementos existentes ou à execução de obras.
- Desenho preliminar: representação gráfica empregada nos estágios intermediários
da elaboração do projeto, sujeita ainda a alterações e que corresponde ao
anteprojeto.
- Croqui: desenho não obrigatoriamente em escala, confeccionado normalmente à
mão livre e contendo todas as informações necessárias à sua finalidade.
- Desenho definitivo: desenho integrante da solução final do projeto, contendo os
elementos necessários à sua compreensão.
(3) Quanto ao grau de pormenorização:
- Desenho de componente: desenho de um ou vários componentes representados
separadamente.
- Desenho de conjunto: desenho mostrando reunidos componentes, que se
associam para formar um todo.
- Detalhe: vista geralmente ampliada do componente ou parte de todo um complexo.
(4) Quanto ao material empregado:
Desenho executado a lápis, giz, carvão ou outro material adequado.
(5) Quanto à técnica de execução:
Se executado manualmente (à mão livre ou com instrumento) ou à máquina.
(6) Quanto ao modo de obtenção:
Desenho matriz que serve para reprodução.
- Original: desenho matriz que serve para reprodução.
- Reprodução: desenho obtido a partir do original mediante cópia (reprodução na
mesma escala do original), ampliação (reprodução maior que o original) ou redução
(reprodução menor que o original).
FOLHA PARA DESENHO: DIMENSÕES
Norma ABNT NBR 10068, Outubro 1987
x
A2
A3
x
y=x 2
A0 A1
y
Formatos:
O formato da folha recortada da séria “A” é tido principal conforme dimensões abaixo. O
formato básico A0 consiste em um retângulo de 1 m2
e lados medindo uma proporção
de y = x 2 . Deste formato deriva-se a série A pela bipartição sucessiva.
Formato Dimensões (mm)
A0 841 x 1189
A1 594 x 841
A2 420 x 594
A3 297 x 420
A4 210 x 297
O original deve ser executado em menor formato possível, desde que não prejudique a
sua clareza.
Margem e Quadro:
As margens são limitadas pelo contorno externo da folha e quadro. O quadro limita o
espaço para desenho de acordo com as seguintes dimensões:
Formato Margem Largura da
Esquerda Direita linha
A0 10 1.4
A1 10 1.0
A2 25 7 0.7
A3 7 0.5
A4 7 0.5
A margem esquerda serve para ser perfurada e utilizada no arquivamento.
FOLHA PARA DESENHO: APRESENTAÇÃO
Norma ABNT NBR 10582, Dezembro 1988
Espaço
para texto
Espaço
para
desenho
Legenda
Espaço para desenho:
- Os desenhos são dispostos na ordem horizontal ou vertical.
- O desenho principal é colocado acima e à esquerda, na área para desenho.
- Os desenhos são executados, se possível, levando em consideração o dobramento
das cópias do padrão de desenho, conforme formato A4.
Espaço para texto:
- Todas as informações necessárias ao entendimento do conteúdo do espaço para
desenho são colocadas no espaço para texto.
- O espaço para texto é colocado à direita ou na margem inferior do padrão de
desenho.
- Quando o espaço para texto é colocado na margem inferior, a altura varia conforme
a natureza do serviço.
- A largura do espaço de texto é igual a da legenda ou no mínimo 100 mm.
- O espaço para texto é separado em colunas com larguras apropriadas de forma
que possível, leve em consideração o dobramento da cópia do padrão de desenho,
conforme padrão A4.
- As seguintes informações devem conter no espaço para texto: explanação
(identificação dos símbolos empregados no desenho), instrução (informações
necessárias à execução do desenho), referência a outros desenhos ou documentos
que se façam necessários, tábua de revisão (histórico da elaboração do desenho
com identificação/assinatura do responsável pela revisão, data, etc).
Legenda:
- Usada para informação, indicação e identificação do desenho, a saber: designação
da firma, projetista, local, data, assinatura, conteúdo do desenho, escala, número
do desenho, símbolo de projeção, logotipo da firma, unidade empregada, escala,
etc.
- A legenda deve ter 178 mm de comprimento nos formatos A2, A3 e A4, e 175 mm
nos formatos A0 e A1.
FOLHA PARA DESENHO: DOBRAMENTO
Norma ABNT NBR 13142, Dezembro 1999
O formato final do dobramento de cópias de desenhos formatos A0, A1, A2 e A3
deve ser o formato A4. Para formatos maiores que o A0 (formatos especiais), o
dobramento deve ser tal que esteja no formato A4.
As cópias devem ser dobradas de modo a deixar visível a legenda.
Quando as cópias de formato A0, A1 e A2 tiverem de ser perfuradas para
arquivamento, deve ser dobrado para trás o canto superior esquerdo, conforme as
figuras a seguir.
105 119.5 A0
247
A3
297
297
297
130 105 185
210 239 185 185 185 185
A1
A2
297
123
297 297
210 130 130 185 185 121 96 96 96 185
ESCALAS
Norma ABNT NBR 8196, Dezembro 1999
A designação de uma escala deve consistir na palavra ESCALA ou ESC, seguida da
indicação da relação:
ESCALA 1:1 para escala natural
ESCALA X:1 para escala de ampliação (X > 1)
ESCALA 1:X para escala de redução (X > 1)
A escala deve ser indicada na legenda.
O valor de X deve ser igual a 2, 5 ou 10, ou múltiplos destes. Por exemplo, 1:2, 50:1,
1:100.
TIPOS DE LINHAS E APLICAÇÕES
Norma ABNT NBR 8403, Março 1984
A relação entre as larguras de linhas larga e estreita não deve ser inferior a 2.
A largura das linhas deve ser escolhida conforme o tipo, dimensão, escala e densidade,
de acordo com o seguinte escalonamento (em mm): 0.13, 0.18, 0.25, 0.35, 0.50, 0.70, 1.00,
1.40 e 2.00. As larguras 0.13 e 0.18 mm são utilizadas apenas para originais em
que a reprodução se faz em escala natural, não sendo recomendadas para reproduções
com redução.
O espaçamento mínimo entre linhas paralelas (inclusive hachuras) não deve ser menor
que 2 vezes a largura da linha mais larga, no entanto recomenda-se que não seja inferior
a 0,70 mm.
Para diferentes vistas de uma peça, desenhadas na mesma escala, as larguras das linhas
devem ser conservadas.
Tipos de linhas:
- contínua larga – contornos visíveis
- contínua estreita – cotagem, linhas auxiliares, hachuras, linha de chamada, linhas de
centro curtas
- contínua estreita à mão livre – limites ou interrupções
- contínua estreita em zique-zague – limites ou interrupções
- tracejada estreita – contornos não visíveis
- traço e ponto estreita – linhas de centro, simetria
- traço e ponto estreita, mas larga nas extremidades e nas mudanças de direção
– planos de cortes
Prioridade de linhas coincidentes:
1. Contornos visíveis
2. Contornos não visíveis
3. Planos de cortes e seções
4. Linhas de centro e simetria
5. Linhas de cota e auxiliar
Terminação das linhas de chamada conforme desenho a seguir:

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Nbr 10068 nb 1087 - folha de desenho
Nbr 10068   nb 1087 - folha de desenhoNbr 10068   nb 1087 - folha de desenho
Nbr 10068 nb 1087 - folha de desenho
mjmcreatore
 
Apresentação normas abnt desenho técnico
Apresentação normas abnt desenho técnicoApresentação normas abnt desenho técnico
Apresentação normas abnt desenho técnico
Klaumir Torres
 
DESENHO TÉCNICO NORMAS E PADROES
DESENHO TÉCNICO NORMAS E PADROESDESENHO TÉCNICO NORMAS E PADROES
DESENHO TÉCNICO NORMAS E PADROES
ordenaelbass
 
Desenho tecnico arquitetonico leitura de projetos
Desenho tecnico arquitetonico   leitura de projetosDesenho tecnico arquitetonico   leitura de projetos
Desenho tecnico arquitetonico leitura de projetos
LehTec
 
Apresentação normas abnt desenho técnico
Apresentação normas abnt desenho técnicoApresentação normas abnt desenho técnico
Apresentação normas abnt desenho técnico
Tiago Gomes
 
Apostila de-desenho-tecnico-1
Apostila de-desenho-tecnico-1Apostila de-desenho-tecnico-1
Apostila de-desenho-tecnico-1
Francisco Costa
 
Nbr 08403 1984 - aplição de linhas em desenhos
Nbr 08403   1984 - aplição de linhas em desenhosNbr 08403   1984 - aplição de linhas em desenhos
Nbr 08403 1984 - aplição de linhas em desenhos
Luciano Otavio
 
Segurança do trabalho desenho técnico
Segurança do trabalho desenho técnicoSegurança do trabalho desenho técnico
Segurança do trabalho desenho técnico
Pedro Ricardo Wolf
 
Nbr 10068 folha de desenho - leiaute e dimensões - 1987
Nbr 10068   folha de desenho - leiaute e dimensões - 1987Nbr 10068   folha de desenho - leiaute e dimensões - 1987
Nbr 10068 folha de desenho - leiaute e dimensões - 1987
Luciano Otavio
 
Parte 1 introducao-vista_e_diedros
Parte 1 introducao-vista_e_diedrosParte 1 introducao-vista_e_diedros
Parte 1 introducao-vista_e_diedros
Haroldo Costa
 
desenho aula 5
desenho aula 5desenho aula 5
desenho aula 5
bluesky659
 
Nbr 10126 cotagem em desenho tecnico - 1987
Nbr 10126   cotagem em desenho tecnico - 1987Nbr 10126   cotagem em desenho tecnico - 1987
Nbr 10126 cotagem em desenho tecnico - 1987
Luciano Otavio
 
Apostila desenho mecanico i
Apostila   desenho mecanico iApostila   desenho mecanico i
Apostila desenho mecanico i
Carlos A. Silva
 
Aula 1 desenho tecnico
Aula 1   desenho tecnicoAula 1   desenho tecnico
Aula 1 desenho tecnico
Boris Marinho
 
Desenho tecnico _normas_gerais
Desenho tecnico _normas_geraisDesenho tecnico _normas_gerais
Desenho tecnico _normas_gerais
Universidade de Passo Fundo
 
Normas tecnicas desenho
Normas tecnicas desenhoNormas tecnicas desenho
Normas tecnicas desenho
Daniel Ferreira
 

Mais procurados (16)

Nbr 10068 nb 1087 - folha de desenho
Nbr 10068   nb 1087 - folha de desenhoNbr 10068   nb 1087 - folha de desenho
Nbr 10068 nb 1087 - folha de desenho
 
Apresentação normas abnt desenho técnico
Apresentação normas abnt desenho técnicoApresentação normas abnt desenho técnico
Apresentação normas abnt desenho técnico
 
DESENHO TÉCNICO NORMAS E PADROES
DESENHO TÉCNICO NORMAS E PADROESDESENHO TÉCNICO NORMAS E PADROES
DESENHO TÉCNICO NORMAS E PADROES
 
Desenho tecnico arquitetonico leitura de projetos
Desenho tecnico arquitetonico   leitura de projetosDesenho tecnico arquitetonico   leitura de projetos
Desenho tecnico arquitetonico leitura de projetos
 
Apresentação normas abnt desenho técnico
Apresentação normas abnt desenho técnicoApresentação normas abnt desenho técnico
Apresentação normas abnt desenho técnico
 
Apostila de-desenho-tecnico-1
Apostila de-desenho-tecnico-1Apostila de-desenho-tecnico-1
Apostila de-desenho-tecnico-1
 
Nbr 08403 1984 - aplição de linhas em desenhos
Nbr 08403   1984 - aplição de linhas em desenhosNbr 08403   1984 - aplição de linhas em desenhos
Nbr 08403 1984 - aplição de linhas em desenhos
 
Segurança do trabalho desenho técnico
Segurança do trabalho desenho técnicoSegurança do trabalho desenho técnico
Segurança do trabalho desenho técnico
 
Nbr 10068 folha de desenho - leiaute e dimensões - 1987
Nbr 10068   folha de desenho - leiaute e dimensões - 1987Nbr 10068   folha de desenho - leiaute e dimensões - 1987
Nbr 10068 folha de desenho - leiaute e dimensões - 1987
 
Parte 1 introducao-vista_e_diedros
Parte 1 introducao-vista_e_diedrosParte 1 introducao-vista_e_diedros
Parte 1 introducao-vista_e_diedros
 
desenho aula 5
desenho aula 5desenho aula 5
desenho aula 5
 
Nbr 10126 cotagem em desenho tecnico - 1987
Nbr 10126   cotagem em desenho tecnico - 1987Nbr 10126   cotagem em desenho tecnico - 1987
Nbr 10126 cotagem em desenho tecnico - 1987
 
Apostila desenho mecanico i
Apostila   desenho mecanico iApostila   desenho mecanico i
Apostila desenho mecanico i
 
Aula 1 desenho tecnico
Aula 1   desenho tecnicoAula 1   desenho tecnico
Aula 1 desenho tecnico
 
Desenho tecnico _normas_gerais
Desenho tecnico _normas_geraisDesenho tecnico _normas_gerais
Desenho tecnico _normas_gerais
 
Normas tecnicas desenho
Normas tecnicas desenhoNormas tecnicas desenho
Normas tecnicas desenho
 

Semelhante a Desenho técnico cap1

N02normasabnt
N02normasabntN02normasabnt
N02normasabnt
Breno Juliano
 
Apresentação normas abnt desenho técnico
Apresentação normas abnt desenho técnicoApresentação normas abnt desenho técnico
Apresentação normas abnt desenho técnico
Tiago Gomes
 
Apresentação normas abnt desenho técnico
Apresentação normas abnt desenho técnicoApresentação normas abnt desenho técnico
Apresentação normas abnt desenho técnico
Tiago Gomes
 
Apostiladesenho1
Apostiladesenho1Apostiladesenho1
Apostiladesenho1
Jair Roberto Bächtold
 
Apostila 4
Apostila 4Apostila 4
Apostila 4
Gabriel RV
 
Caderno exercícios desenho_tecnico 3
Caderno exercícios desenho_tecnico 3Caderno exercícios desenho_tecnico 3
Caderno exercícios desenho_tecnico 3
Heromo
 
Caderno exercícios desenho_tecnico
Caderno exercícios desenho_tecnicoCaderno exercícios desenho_tecnico
Caderno exercícios desenho_tecnico
MarceloJMF
 
02 - FAI_AULA_SEMANA 02_ENGAGRONOMICA_ 02-03-2018.pdf
02 - FAI_AULA_SEMANA 02_ENGAGRONOMICA_ 02-03-2018.pdf02 - FAI_AULA_SEMANA 02_ENGAGRONOMICA_ 02-03-2018.pdf
02 - FAI_AULA_SEMANA 02_ENGAGRONOMICA_ 02-03-2018.pdf
DntsGames
 
Apostila desenho-tecnico-2018
Apostila desenho-tecnico-2018Apostila desenho-tecnico-2018
Apostila desenho-tecnico-2018
paulosergiojreis1
 
Aula3 papel e linhas
Aula3   papel e linhasAula3   papel e linhas
Aula3 papel e linhas
LucasAninger1
 
Desenho Tecnico 2.pdf
Desenho Tecnico 2.pdfDesenho Tecnico 2.pdf
Desenho Tecnico 2.pdf
Catarina Alves
 
Apostila de expressão gráfica 02
Apostila de expressão gráfica 02Apostila de expressão gráfica 02
Apostila de expressão gráfica 02
Djanane Anjos
 
Dtm aula 1
Dtm aula 1Dtm aula 1
Dtm aula 1
Valério Fernandes
 
Aula 02.pdf
Aula 02.pdfAula 02.pdf
Aula 02.pdf
instthiagoceep
 
Apostila des basico de carlos kleber
Apostila des basico de carlos kleberApostila des basico de carlos kleber
Apostila des basico de carlos kleber
Claudio Mesquita mesquita
 
Apostila dtb
Apostila dtbApostila dtb
Apostila dtb
Marcos Topa
 
Apostila dtb
Apostila dtbApostila dtb
Apostila dtb
Marcos Topa
 
Aula 1 desenho tecnico
Aula 1   desenho tecnicoAula 1   desenho tecnico
Aula 1 desenho tecnico
gilbertocbmdf
 
01 leiaute e_dimensoes
01 leiaute e_dimensoes01 leiaute e_dimensoes
01 leiaute e_dimensoes
Feon Oliveira
 
Nbr 10068 nb 1087 folha de desenho
Nbr 10068 nb 1087 folha de desenhoNbr 10068 nb 1087 folha de desenho
Nbr 10068 nb 1087 folha de desenho
ejfelix
 

Semelhante a Desenho técnico cap1 (20)

N02normasabnt
N02normasabntN02normasabnt
N02normasabnt
 
Apresentação normas abnt desenho técnico
Apresentação normas abnt desenho técnicoApresentação normas abnt desenho técnico
Apresentação normas abnt desenho técnico
 
Apresentação normas abnt desenho técnico
Apresentação normas abnt desenho técnicoApresentação normas abnt desenho técnico
Apresentação normas abnt desenho técnico
 
Apostiladesenho1
Apostiladesenho1Apostiladesenho1
Apostiladesenho1
 
Apostila 4
Apostila 4Apostila 4
Apostila 4
 
Caderno exercícios desenho_tecnico 3
Caderno exercícios desenho_tecnico 3Caderno exercícios desenho_tecnico 3
Caderno exercícios desenho_tecnico 3
 
Caderno exercícios desenho_tecnico
Caderno exercícios desenho_tecnicoCaderno exercícios desenho_tecnico
Caderno exercícios desenho_tecnico
 
02 - FAI_AULA_SEMANA 02_ENGAGRONOMICA_ 02-03-2018.pdf
02 - FAI_AULA_SEMANA 02_ENGAGRONOMICA_ 02-03-2018.pdf02 - FAI_AULA_SEMANA 02_ENGAGRONOMICA_ 02-03-2018.pdf
02 - FAI_AULA_SEMANA 02_ENGAGRONOMICA_ 02-03-2018.pdf
 
Apostila desenho-tecnico-2018
Apostila desenho-tecnico-2018Apostila desenho-tecnico-2018
Apostila desenho-tecnico-2018
 
Aula3 papel e linhas
Aula3   papel e linhasAula3   papel e linhas
Aula3 papel e linhas
 
Desenho Tecnico 2.pdf
Desenho Tecnico 2.pdfDesenho Tecnico 2.pdf
Desenho Tecnico 2.pdf
 
Apostila de expressão gráfica 02
Apostila de expressão gráfica 02Apostila de expressão gráfica 02
Apostila de expressão gráfica 02
 
Dtm aula 1
Dtm aula 1Dtm aula 1
Dtm aula 1
 
Aula 02.pdf
Aula 02.pdfAula 02.pdf
Aula 02.pdf
 
Apostila des basico de carlos kleber
Apostila des basico de carlos kleberApostila des basico de carlos kleber
Apostila des basico de carlos kleber
 
Apostila dtb
Apostila dtbApostila dtb
Apostila dtb
 
Apostila dtb
Apostila dtbApostila dtb
Apostila dtb
 
Aula 1 desenho tecnico
Aula 1   desenho tecnicoAula 1   desenho tecnico
Aula 1 desenho tecnico
 
01 leiaute e_dimensoes
01 leiaute e_dimensoes01 leiaute e_dimensoes
01 leiaute e_dimensoes
 
Nbr 10068 nb 1087 folha de desenho
Nbr 10068 nb 1087 folha de desenhoNbr 10068 nb 1087 folha de desenho
Nbr 10068 nb 1087 folha de desenho
 

Mais de Carlos Melo

Treinamento 1
Treinamento 1Treinamento 1
Treinamento 1
Carlos Melo
 
Zener
ZenerZener
Gestão de projetos introduçao
Gestão de projetos introduçaoGestão de projetos introduçao
Gestão de projetos introduçao
Carlos Melo
 
Capacitancia
CapacitanciaCapacitancia
Capacitancia
Carlos Melo
 
Roteiro da aula prática de sexta à tarde
Roteiro da aula prática de sexta à tardeRoteiro da aula prática de sexta à tarde
Roteiro da aula prática de sexta à tarde
Carlos Melo
 
5a.aulacapacitor
5a.aulacapacitor5a.aulacapacitor
5a.aulacapacitor
Carlos Melo
 
Atividade final acionamentos
Atividade final   acionamentosAtividade final   acionamentos
Atividade final acionamentos
Carlos Melo
 
Questões clp-automação
Questões clp-automaçãoQuestões clp-automação
Questões clp-automação
Carlos Melo
 
Apresentação12
Apresentação12Apresentação12
Apresentação12
Carlos Melo
 
Pneumática
PneumáticaPneumática
Pneumática
Carlos Melo
 
Gestão da manutenção os 2
Gestão da manutenção os 2Gestão da manutenção os 2
Gestão da manutenção os 2
Carlos Melo
 
Gestão da manutenção os 1
Gestão da manutenção os 1Gestão da manutenção os 1
Gestão da manutenção os 1
Carlos Melo
 
Eletrônica básica
Eletrônica básicaEletrônica básica
Eletrônica básica
Carlos Melo
 
Analise de circuito indutores
Analise de circuito   indutoresAnalise de circuito   indutores
Analise de circuito indutores
Carlos Melo
 
Notas ete jags - destec
Notas ete   jags - destecNotas ete   jags - destec
Notas ete jags - destec
Carlos Melo
 
Ucr3 fundamentos mecanica_sa1_suporte dosador_1_22_mai12
Ucr3 fundamentos mecanica_sa1_suporte dosador_1_22_mai12Ucr3 fundamentos mecanica_sa1_suporte dosador_1_22_mai12
Ucr3 fundamentos mecanica_sa1_suporte dosador_1_22_mai12
Carlos Melo
 
Recuperação descrição
Recuperação   descriçãoRecuperação   descrição
Recuperação descrição
Carlos Melo
 
Recuperação 1
Recuperação 1Recuperação 1
Recuperação 1
Carlos Melo
 
Ete projetos elétricos 2
Ete projetos elétricos 2Ete projetos elétricos 2
Ete projetos elétricos 2
Carlos Melo
 
Uc3.desenho técnico aplicado_a_eletromecânica (1)
Uc3.desenho técnico aplicado_a_eletromecânica (1)Uc3.desenho técnico aplicado_a_eletromecânica (1)
Uc3.desenho técnico aplicado_a_eletromecânica (1)
Carlos Melo
 

Mais de Carlos Melo (20)

Treinamento 1
Treinamento 1Treinamento 1
Treinamento 1
 
Zener
ZenerZener
Zener
 
Gestão de projetos introduçao
Gestão de projetos introduçaoGestão de projetos introduçao
Gestão de projetos introduçao
 
Capacitancia
CapacitanciaCapacitancia
Capacitancia
 
Roteiro da aula prática de sexta à tarde
Roteiro da aula prática de sexta à tardeRoteiro da aula prática de sexta à tarde
Roteiro da aula prática de sexta à tarde
 
5a.aulacapacitor
5a.aulacapacitor5a.aulacapacitor
5a.aulacapacitor
 
Atividade final acionamentos
Atividade final   acionamentosAtividade final   acionamentos
Atividade final acionamentos
 
Questões clp-automação
Questões clp-automaçãoQuestões clp-automação
Questões clp-automação
 
Apresentação12
Apresentação12Apresentação12
Apresentação12
 
Pneumática
PneumáticaPneumática
Pneumática
 
Gestão da manutenção os 2
Gestão da manutenção os 2Gestão da manutenção os 2
Gestão da manutenção os 2
 
Gestão da manutenção os 1
Gestão da manutenção os 1Gestão da manutenção os 1
Gestão da manutenção os 1
 
Eletrônica básica
Eletrônica básicaEletrônica básica
Eletrônica básica
 
Analise de circuito indutores
Analise de circuito   indutoresAnalise de circuito   indutores
Analise de circuito indutores
 
Notas ete jags - destec
Notas ete   jags - destecNotas ete   jags - destec
Notas ete jags - destec
 
Ucr3 fundamentos mecanica_sa1_suporte dosador_1_22_mai12
Ucr3 fundamentos mecanica_sa1_suporte dosador_1_22_mai12Ucr3 fundamentos mecanica_sa1_suporte dosador_1_22_mai12
Ucr3 fundamentos mecanica_sa1_suporte dosador_1_22_mai12
 
Recuperação descrição
Recuperação   descriçãoRecuperação   descrição
Recuperação descrição
 
Recuperação 1
Recuperação 1Recuperação 1
Recuperação 1
 
Ete projetos elétricos 2
Ete projetos elétricos 2Ete projetos elétricos 2
Ete projetos elétricos 2
 
Uc3.desenho técnico aplicado_a_eletromecânica (1)
Uc3.desenho técnico aplicado_a_eletromecânica (1)Uc3.desenho técnico aplicado_a_eletromecânica (1)
Uc3.desenho técnico aplicado_a_eletromecânica (1)
 

Último

reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CristviaFerreira
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docxPlanejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
marcos oliveira
 

Último (20)

reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docxPlanejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
 

Desenho técnico cap1

  • 1. Normas da ABNT para Desenho Técnico Associação Brasileira de Normas Técnicas TERMINOLOGIA Norma ABNT NBR 10647, Abril 1989 (1) Quanto ao aspecto geométrico: Desenho Projetivo – Desenho resultante de projeções do objeto sobre um ou mais planos que fazem coincidir com o próprio desenho, compreendendo: - Vistas ortográficas: figuras resultantes de projeções ortogonais, sobre planos convenientemente escolhidos, de modo a representar, com exatidão, a forma do mesmo com seus detalhes. - Perspectivas: figuras resultantes de projeção isométrica ou cônica, sobre um único plano, com a finalidade de permitir uma percepção mais fácil da forma do objeto. Desenho Não Projetivo – Desenhos não subordinados à correspondência, por meio de projeção, entre as figuras que constituem e o que é por ele representado, compreendendo uma variedade de representações gráficas, tais como: - Diagramas: desenhos nos quais valores funcionais são representados em um sistema de coordenadas. - Esquema: figura que representa não a forma dos objetos, mas as suas relações e funções. - Fluxogramas: representação gráfica de uma seqüência de operações. - Organograma: quadro geométrico que representa os níveis hierárquicos de uma organização, ou de um serviço, e que indica os arranjos e as inter-relações de suas unidades constitutivas. (2) Quanto ao grau de elaboração: - Esboço: representação gráfica aplicada habitualmente aos estágios iniciais de elaboração de um projeto, podendo, entretanto, servir ainda à representação de elementos existentes ou à execução de obras. - Desenho preliminar: representação gráfica empregada nos estágios intermediários da elaboração do projeto, sujeita ainda a alterações e que corresponde ao anteprojeto. - Croqui: desenho não obrigatoriamente em escala, confeccionado normalmente à mão livre e contendo todas as informações necessárias à sua finalidade. - Desenho definitivo: desenho integrante da solução final do projeto, contendo os elementos necessários à sua compreensão. (3) Quanto ao grau de pormenorização: - Desenho de componente: desenho de um ou vários componentes representados separadamente.
  • 2. - Desenho de conjunto: desenho mostrando reunidos componentes, que se associam para formar um todo. - Detalhe: vista geralmente ampliada do componente ou parte de todo um complexo. (4) Quanto ao material empregado: Desenho executado a lápis, giz, carvão ou outro material adequado. (5) Quanto à técnica de execução: Se executado manualmente (à mão livre ou com instrumento) ou à máquina. (6) Quanto ao modo de obtenção: Desenho matriz que serve para reprodução. - Original: desenho matriz que serve para reprodução. - Reprodução: desenho obtido a partir do original mediante cópia (reprodução na mesma escala do original), ampliação (reprodução maior que o original) ou redução (reprodução menor que o original). FOLHA PARA DESENHO: DIMENSÕES Norma ABNT NBR 10068, Outubro 1987 x A2 A3 x y=x 2 A0 A1 y
  • 3. Formatos: O formato da folha recortada da séria “A” é tido principal conforme dimensões abaixo. O formato básico A0 consiste em um retângulo de 1 m2 e lados medindo uma proporção de y = x 2 . Deste formato deriva-se a série A pela bipartição sucessiva. Formato Dimensões (mm) A0 841 x 1189 A1 594 x 841 A2 420 x 594 A3 297 x 420 A4 210 x 297 O original deve ser executado em menor formato possível, desde que não prejudique a sua clareza. Margem e Quadro: As margens são limitadas pelo contorno externo da folha e quadro. O quadro limita o espaço para desenho de acordo com as seguintes dimensões: Formato Margem Largura da Esquerda Direita linha A0 10 1.4 A1 10 1.0 A2 25 7 0.7 A3 7 0.5 A4 7 0.5 A margem esquerda serve para ser perfurada e utilizada no arquivamento.
  • 4. FOLHA PARA DESENHO: APRESENTAÇÃO Norma ABNT NBR 10582, Dezembro 1988 Espaço para texto Espaço para desenho Legenda Espaço para desenho: - Os desenhos são dispostos na ordem horizontal ou vertical. - O desenho principal é colocado acima e à esquerda, na área para desenho. - Os desenhos são executados, se possível, levando em consideração o dobramento das cópias do padrão de desenho, conforme formato A4. Espaço para texto: - Todas as informações necessárias ao entendimento do conteúdo do espaço para desenho são colocadas no espaço para texto. - O espaço para texto é colocado à direita ou na margem inferior do padrão de desenho. - Quando o espaço para texto é colocado na margem inferior, a altura varia conforme a natureza do serviço. - A largura do espaço de texto é igual a da legenda ou no mínimo 100 mm. - O espaço para texto é separado em colunas com larguras apropriadas de forma que possível, leve em consideração o dobramento da cópia do padrão de desenho, conforme padrão A4. - As seguintes informações devem conter no espaço para texto: explanação (identificação dos símbolos empregados no desenho), instrução (informações necessárias à execução do desenho), referência a outros desenhos ou documentos que se façam necessários, tábua de revisão (histórico da elaboração do desenho com identificação/assinatura do responsável pela revisão, data, etc). Legenda: - Usada para informação, indicação e identificação do desenho, a saber: designação da firma, projetista, local, data, assinatura, conteúdo do desenho, escala, número do desenho, símbolo de projeção, logotipo da firma, unidade empregada, escala, etc.
  • 5. - A legenda deve ter 178 mm de comprimento nos formatos A2, A3 e A4, e 175 mm nos formatos A0 e A1. FOLHA PARA DESENHO: DOBRAMENTO Norma ABNT NBR 13142, Dezembro 1999 O formato final do dobramento de cópias de desenhos formatos A0, A1, A2 e A3 deve ser o formato A4. Para formatos maiores que o A0 (formatos especiais), o dobramento deve ser tal que esteja no formato A4. As cópias devem ser dobradas de modo a deixar visível a legenda. Quando as cópias de formato A0, A1 e A2 tiverem de ser perfuradas para arquivamento, deve ser dobrado para trás o canto superior esquerdo, conforme as figuras a seguir. 105 119.5 A0 247 A3 297 297 297 130 105 185 210 239 185 185 185 185 A1 A2 297 123 297 297 210 130 130 185 185 121 96 96 96 185
  • 6. ESCALAS Norma ABNT NBR 8196, Dezembro 1999 A designação de uma escala deve consistir na palavra ESCALA ou ESC, seguida da indicação da relação: ESCALA 1:1 para escala natural ESCALA X:1 para escala de ampliação (X > 1) ESCALA 1:X para escala de redução (X > 1) A escala deve ser indicada na legenda. O valor de X deve ser igual a 2, 5 ou 10, ou múltiplos destes. Por exemplo, 1:2, 50:1, 1:100. TIPOS DE LINHAS E APLICAÇÕES Norma ABNT NBR 8403, Março 1984 A relação entre as larguras de linhas larga e estreita não deve ser inferior a 2. A largura das linhas deve ser escolhida conforme o tipo, dimensão, escala e densidade, de acordo com o seguinte escalonamento (em mm): 0.13, 0.18, 0.25, 0.35, 0.50, 0.70, 1.00, 1.40 e 2.00. As larguras 0.13 e 0.18 mm são utilizadas apenas para originais em que a reprodução se faz em escala natural, não sendo recomendadas para reproduções com redução. O espaçamento mínimo entre linhas paralelas (inclusive hachuras) não deve ser menor que 2 vezes a largura da linha mais larga, no entanto recomenda-se que não seja inferior a 0,70 mm. Para diferentes vistas de uma peça, desenhadas na mesma escala, as larguras das linhas devem ser conservadas. Tipos de linhas: - contínua larga – contornos visíveis - contínua estreita – cotagem, linhas auxiliares, hachuras, linha de chamada, linhas de centro curtas - contínua estreita à mão livre – limites ou interrupções - contínua estreita em zique-zague – limites ou interrupções - tracejada estreita – contornos não visíveis - traço e ponto estreita – linhas de centro, simetria - traço e ponto estreita, mas larga nas extremidades e nas mudanças de direção – planos de cortes
  • 7. Prioridade de linhas coincidentes: 1. Contornos visíveis 2. Contornos não visíveis 3. Planos de cortes e seções 4. Linhas de centro e simetria 5. Linhas de cota e auxiliar Terminação das linhas de chamada conforme desenho a seguir: