SlideShare uma empresa Scribd logo
Desenho de serviço
RICHARD FUGISSE
ANDRÉ ABEKAWA
LETICIA MANTEGA
TASSIANA JUNKER ASSUMPÇÃO
THAMIRES TEIXEIRA SÁ
INTRODUÇÃO
GUIA DE BOAS PRÁTICAS NOS PROJETOS DE TI

PROJETAR E ENTENDER

INTERAÇÃO COM AMBIENTE TÉCNINO E CENÁRIO DE
NEGÓCIO

INCLUEM GERENCIAMENTOS DE DISPONIBILIDADE,
CAPACIDADE, NÍVEL DE SERVIÇO, FORNECEDORES E
ETC.
GERENCIAMENTO DE
CATÁLOGO DE SERVIÇOS

POSSUI SERVIÇO?

QUEM É RESPONSÁVEL?

COMO ELE É FEITO?
OBJETIVOS DE CATÁLOGO DE
SERVIÇOS



CONTROLE EFETIVO DE INFORMAÇÕES
PROCESSOS DE
GERENCIAMENTO DE
CATÁLOGO DE SERVIÇOS
DEFINIÇÃO DE SERVIÇO
Os Serviços devem possuir uma definição coerente com as necessidades pela qual o próprio serviço foi
criado, ou seja, de forma correta expor a sua real necessidade de existência dentro do Catalogo de
Serviços.


PRODUÇÃO E MANUTENÇÃO DE UM CATÁLOGO DE SERVIÇO
As organizações sofrem mudanças radicais dentro do atual cenário corporativo, logo a Produção e
Manutenção de um Catalogo de Serviço deve ser constante, acompanhando as mudanças necessários
para manter um alinhamento entre a TI e os serviços da organização.


INTERFACE E DEPEDÊNCIAS ENTRE PORTFÓLIOS E CATÁLOGOS
DE SERVIÇOS
O Gerenciamento do Catalogo de Serviços garante, ou deve garantir a consistência e
atualizações das informações, portanto deve existir interfaces que permitam que o Catalogo de
Serviços seja um reflexo consequente do Portfólio de Serviços garantindo que os Serviços de TI
sejam coerentes com os serviços prestados pela organização.
PROCESSOS DE
GERENCIAMENTO DE
CATÁLOGO DE SERVIÇOS
INTERFACES E DEPENDÊNCIAS ENTRE SERVIÇOS DE
SUPORTE DO CATÁLOGO DE SERVIÇOS
De certa forma os serviços de TI que compõe o Catalogo de Serviços necessitam de suporte para pleno
funcionamento, logo deverá existir Interfaces para as dependências entre tais serviços objetivando
execução e controle para os serviços de suporte quando solicitados.



INTERFACES E DEPENDÊNCIAS ENTRE TODOS OS
SERVIÇOS E COMPONENTES DE SUPORTE E INTES DE
CONFIGURAÇÃO RELACIONADOS SO SERVIÇOS
PRESENTES NO CATÁLOGO
Para o gerenciamento do Catalogo de Serviço Técnicos que são relacionados aos itens de
configuração e componentes de suporte também deverá possuir interfaces para controle das
dependências entre todos os serviços e itens relacionados.
GERENCIAMENTO DE NÍVEL DE
SERVIÇO



O QUE É NÍVEL DE SERVIÇO?
OBJETIVOS DE
GERENCIAMENTO DO NÍVEL DO
SERVIÇO

ENTREGUES E CUMPRIDOS PELAS PARTES
INTERESSADAS

UTILIZAÇÃO DE TÉCNICAS E FERRAMENTAS
PROCESSOS ENVOLVIDOS
PARA O GERENCIAMENTO DE
NÍVEL DE SERVIÇO
DESENVOLVIMENTO DE RELAÇÕES DE NEGÓCIOS
Dentro do Gerenciamento dos Níveis de Serviço deve ser levantado os requisitos dos serviços em
relação às estratégias do negócio afim de garantir um alinhamento entre as áreas interessadas.



NEGOCIAÇÃO DE ACORDO DE NÍVEL DE SERVIÇO PARA
TODOS OS SERVIÇOS OPERACIONAIS
Deve ser estabelecido canais de comunicação para evidenciar os níveis de acordo necessário para
todos os serviços operacionais, ou seja, os serviços que mantem as operações básicas e essenciais
para organização. Normalmente estes níveis de acordo de serviço possuem baixo ou risco moderado
para a organização.
PROCESSOS ENVOLVIDOS
PARA O GERENCIAMENTO DE
NÍVEL DE SERVIÇO
NEGOCIAÇÃO DE ACORDO DOS OBJETIVOS E REQUISITOS
FUTUROS ALÉM DE DOCUMENTAÇÃO E GERENCIAMENTO
DAS REQUISIÇÕES DOS NÍVEIS DE SERVIÇO PARA
SERVIÇOS FUTUROS
São as especificações das necessidades dos clientes, que foram levantadas no processo Estratégia de Serviços.
São usadas para definir os Acordos de Nível de Serviço.



DESENVOLVIMENTO E GERENCIAMENTO DE ACORDOS DE
NÍVEL OPERACIONAL ADEQUADOS E ALINHADOS A SLA
São as comunicações e acordos internos da prestadora de serviços de TI para prover os Serviços
relacionados no Catalogo de Serviços, estes acordos e sua documentação devem estar alinhadas aos
acordos de nível de serviço objetivando qualidade dos serviços operacionais.
PROCESSOS ENVOLVIDOS
PARA O GERENCIAMENTO DE
NÍVEL DE SERVIÇO
REVISÃO DOS ACORDOS E CONTRATOS
Todos os acordos devem ser revisados e refinados para assegurar a qualidade dos serviços e o
comprometimento das partes envolvidas, este processo é continuo e deve ser refeito a cada
desenvolvimento de um acordo sendo SLA, SLR, SLO.



PREVENÇÃO PROATIVA DE FALHAS DE SERVIÇO,
REDUÇÃO DE RISCOS E MELHORA NA QUALIDADE DOS
SERVIÇOS
É o resultado do refino dos acordos, com objetivo de melhoria de serviços contínua.
PROCESSOS ENVOLVIDOS
PARA O GERENCIAMENTO DE
NÍVEL DE SERVIÇO
REPORTE E GERENCIAMENTO DE TODOS OS SERVIÇOS
E REVISÃO DE TODAS AS VULNERABILIDADES DOS ANS
É a acurácia dos feedbacks obtidos por meio de negociações, com intenção de prevenir que falhas ou
vulnerabilidades dos acordos de nível de serviço sejam explorados intencionalmente por alguma das
partes envolvidas.



ELABORAR O PLANO DE APERFEIÇOAMENTO DE
SERVIÇO PARA PLANEJAR, GERENCIAR E IMPLANTAR
MELHORIAS EM TODOS OS PROCESSOS E SERVIÇOS
Por fim após analisar todo ciclo de vida dos acordos de serviço em diversos níveis é hora de
relacionar os pontos fracos e fortes, os riscos e aperfeiçoar por meio de planejamento para
implantação destes níveis de serviço.
GERENCIAMENTO DE
CAPACIDADE
LOCALIZAÇÃO CORRETA

CLIENTE ADEQUADO

TEMPO CERTO

PREÇO JUSTO
BENEFICÍOS DE
GERENCIMANETO DA
CAPACIDADE
REDUÇÃO DE RISCOS

AUMENTO DE EFICIÊNCIA

PRECISÃO EM COMPORTAMENTOS DOS SISTEMAS
BASEADOS NA CAPACIDADE
FUNÇÕES DOS PROCESSOS
DE GERENCIAMENTO DE
CAPACIDADE
DESEMPENHO DE SERVIÇOS – Contrato de níveis de
serviços

ADMINISTRAR NECESSIDADES FUTURAS DOS
SERVIÇOS

PROJETAR E MODELAR RECURSOS NECESSÁRIOS

MONITORAMENTO DE COMPONENTES
ATIVIDADES DE PROCESSOS
DE GERENCIAMENTO DE
CAPACIDADE
BANCO DE DADOS DE CAPACIDADE
Guardam dados necessários para previsões futuras de capacidade. Os repositórios contém informações
do negócio, serviços, técnica, financeira e as variáveis necessárias para o gerenciamento de capacidade
de acordo com a estratégia de negócio



ATIVIDADES INTERATIVAS
Analisar e ajustar, as atividades acontecem de forma cíclicas, visando o aperfeiçoamento dos níveis de
capacidade de acordo com a demanda, capacidade e custo.



GERENCIAMENTO DE DEMANDA
utilizado para definir quando os recursos poderão estar disponíveis, a curto e longo prazo. O
gerenciamento de demanda possui restrições físicas e financeiras
ATIVIDADES DE PROCESSOS
DE GERENCIAMENTO DE
CAPACIDADE
DIMENSIONAMENTO DE APLICATIVOS
estimar os requerimentos de recursos de uma proposta de alteração de aplicativo ou de ciração de um
novo para garantir o conhecimento desses requeriamentos


MODELAGEM
prever o comportamento dos serviços de TI sobre diversas condições, utilizando de métodos como:
analise de tendências, modelagem analítica e simulação


PLANEJAMENTO DE CAPACIDADE
documentar os níveis reais da utilização dos recursos e desempenho do serviço, considerando
em todo o momento a estratégia e planos do negocio, prognósticos de requerimentos futuros de
recursos para suportar os serviços de TI que apoiam essas atividade
ADMINISTRADOR E
COORDENADOR DE
GERENCIAMENTO DE
CAPACIDADE
ADMINISTRAÇÃO

COMUNICAÇÃO

TRABALHO EM EQUIPE

INFRAESTRUTURA
GERENCIAMENTO DE
DISPONIBLIDADE
DISPONIBILIDADE DE SERVIÇO DE ACORDO COM
CONTRATO ENTRE A ORGANIZAÇÃO E CLIENTE

LIGAÇÃO COM GERENCIAMENTO DE CAPACIDADE

OTIMIZAR CAPACIDADE DE INFRAESTRUTURA

CUSTO JUSTO
FUNÇÕES
DISPONIBILIDADE

CONFIABILIDADE

FACILIDADE DE MANUTENÇÃO

SEGURANÇA

FACILIDADE DE SERVIÇO

FUNÇÕES VITAIS DO NEGÓCIO
ATIVIDADES DO PROCESSO DE
GERENCIAMENTO DE
DISPONIBILIDADE
DETERMINAR REQUISITOS DE DISPONIBILIDADE
É necessário identificar os requisitos do negócio relativos à disponibilidade dos serviços de TI, tanto para
os serviços existentes quanto para os que estão em desenvolvimento. Isto deve ser realizado através da
negociação com o negócio, sendo possível ter a perspectiva do negócio e do usuário.


GERAÇÃO DO PLANO DE DISPONIBLIDADE
Depende da capacidade da infra-estrutura atual para determinar como realizar as medições de
disponibilidade. Onde forem necessárias melhorias na infra-estrutura para suporte de requerimentos de
disponibilidade, o processo desenvolverá e realizará a manutenção do Plano de Disponibilidade,
detalhando as melhorias necessárias


IMPLANTAÇÃO DE MELHORIA DE DISPONIBILIDADE
As melhorias de disponibilidade e os detalhes das medições do Plano de Disponibilidade podem
ser implantadas incluindo qualquer requerimento de monitoramento e relatórios. 
A implantação
é realizada de acordo com o processo de Gerenciamento de Alterações
ATIVIDADES DO PROCESSO DE
GERENCIAMENTO DE
DISPONIBILIDADE
MONITORAR A DISPONIBILIDADE
O processo de Gerenciamento de Disponibilidade precisa garantir que está sendo realizado o correto
monitoramento e que a informação está disponível para obter os relatórios de disponibilidade e que eles
sejam úteis para verificar melhorias e cumprimento dos níveis de serviço.



INFORMAR E PESQUISAR EXCESSÕES
Onde as medições atuais de disponibilidade não sejam cumpridas, o processo é responsável
por informar e pesquisar as exceções. O gerenciamento de Disponibilidade suporta o processo
de Gerenciamento de Problemas, que apresenta foco na identificação dos custos de falta de
disponibilidade, as causas das exceções e qualquer melhoria que possa ser realizada para
prever futuras faltas de disponibilidade.
GERENCIAMENTO DE
CONTINUIDADE DE SERVIÇO
PREPARAR PROVEDOR

RECUPERAÇÃO DE SERVIÇO EM CASO DE
INTERRUPÇÃO GRAVE

PLANO B

ESCOLHA DE RECUPERAÇÃO

AVALIAR RISCOS E REVISAR REGULARMENTE
GERENCIAMENTO DE
CONTINUIDADE DE SERVIÇO
CONTINUIDADE E RECUPERAÇÃO EM TODAS ÁREAS DE
SERVIÇOS

IMPACTOS DO PLANO DE CONTINUIDADE

FOCADA EM EVENTOS
ANALISE DE IMPACTO DO
NEGÓCIO
ATRIBUIÇÃO E
RESPONSABILIDADE
GERENTE DE CONTINUIDADE DE SERVIÇO:

- Implanta e mantem o processo de gerenciamento de
  continuidade de serviço

- Ajuda na execução de Analise de Impacto do Negócio para
  todos os serviços

- Matem agenda de Testes de TI para todos os serviços
  existentes alinhado com plano de negócios

- Avalia mudanças em impactos nos planos de continuidade.
GERENCIAMENTO DE
CONTINUIDADE DE SERVIÇO
EM TI
GARANTIR QUE AS NECESSÁRIAS INFRAESTRUTURA DE TI E
PROVISÃO DE SERVIÇO POSSAM SER RECUPERADOS DENTRO
DOS PRAZOS REQUERIDOS E ACORDADOS COM O NEGÓCIO

APOIA GERENCIAMENTO DE CONTINUIDADE DE SERVIÇO DO
NEGÓCIO

NORTEADO ATRAVÉS DOS RISCOS DO NEGÓCIO DE FORMA QUE
A RECUPERAÇÃO DE TI ESTEJAM ALINHADOS AOS IMPACTOS DO
NEGÓCIO

TRATA DA RECUPERAÇÃO DE DESASTRES E DA GARANTIA DE QUE
EXISTAM MECANISMO APROPRIADOS
OBJETIVO
MANTER CONJUNTO DE PLANOS DE CONTINUIDADE DE
SERVIÇOS DE TI QUE APOIEM O PLANO DE
CONTINUIDADE DO NEGÓCIO

REALIZAR EXERCICIOS REGULARES DE ANÁLISES DE
IMPACTO DE NEGÓCIO

CONDUZIR AVALIAÇÃO DE RISCO REGULAR EM
CONJUNTO COM O NEGÓCIO, O GERENCIAMENTO DE
DISPONIBILIDADE E OS PROCESSOS DE
GERENCIAMENTO DE SEGURANÇA
OBJETIVO
ASSEGURAR QUE EXISTEM MECANISMOS
APROPRIADOS DE CONTINUIDADE

AVALIAR O IMPACTO DE MUDANÇAS NOS PLANOS DE
CONTINUIDADE

NEGOCIAR E ACORDAR OS CONTRATOS NECESSÁRIOS
COM FORNECEDORES PARA A PROVISÃO DE
CAPACIDADE DE RECUPERAÇÃO NECESSÁRIA
GERENCIAMENTO DE
SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO
ALINHAR A SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO COM A SEGURANÇA DO
NEGÓCIO

GARANTE CONFIDENCIABILIDADE, INTEGRIDADE,
DISPONIBILIDADE DOS ATIVOS, INFORMAÇÕES, DADOS E
SERVIÇOS DE TI

ASSEGURA POLÍTICA DE SI ESTEJA IMPLEMENTADA PARA QUE
CUMPRA AS NECESSIDADES DA POLÍTICA DE SEGURANÇA DO
NEGÓCIO E AS EXIGÊNCIAS DA GOVERNANÇA CORPORATIVA

ADMINISTRA TODOS ASPECTOS DE SEGURANÇA DE TI

ADMINISTRA OS RISCOS DE TI JUNTO AO NEGÓCIO
PILARES DE GSI
DISPONIBILIDADE
 A informação está disponível e utilizável, quando exigida, e os sistemas que a provêem podem resistir
adequadamente a ataques, serem recuperados ou prevenir falhas (disponibilidade), por exemplo,
geradores, sistemas resiliente



CONFIDENCIABILIDADE
A informação está disponível apenas àqueles que têm direito para conhecê-la (confidencialidade), por
exemplo, senhas, firewalls


INTEGRIDADE
A informação está completa, precisa e protegida contra modificação sem autorização (integridade), por
exemplo, mecanismos de retrocesso à situação anterior, procedimentos de teste
PILARES DE GSI
AUTENTICIDADE E NÃO REPÚDIO
As transações empresariais, bem como a troca de informações entre empresas ou com parceiros, são
confiáveis


BASELINES
O nível de segurança adotado pela organização de TI para sua própria segurança e do ponto de vista de
um bom "diligenciamento (due diligence)". Podem existir múltiplas baselines, por exemplo, segurança de
acesso baseada no nível/cargo.
GERENCIAMENTO DE
FORNECEDOR
ALINHAR-SE COM TODOS OS REQUISITOS CORPORATIVOS,
DOS PROCESSOS DE TI E GERENCIAMENTO DE SERVIÇO

ASSEGURAR OBTENÇÃO DE VALORES DOS SERVIÇOS DE
SUPORTE AO FORNECEDOR E QUE ESTEJAM ALINHADOS
AOS NEGÓCIOS

OBTER USO OTIMIZADO DOS RECURSOS DOS
PROVEDORES

MANTER UMA POLÍTICA DE FORNECEDORES E UM BANCO
DE DADOS DE FORNECEDORES E CONTRATOS COMO
SUPORTE DE INFORMAÇÃO
GERENCIAMENTO DE
FORNECEDOR
CUMPRIR OBJETIVOS DE CONTRATOS E ACORDOS

GERENCIAMENTO DE FORNECEDORES E SERVIÇOS
PARA GARANTIR OS OBJETIVOS DE SERVIÇOS DE TI E
AS EXPECTATIVAS GERENCIAIS

GERENCIAR RELACIONAMENTO E DESEMPENHO DOS
FORNECEDORES

NEGOCIAR E OBTER ACORDO ENTRE FORNECEDORES
E GERENCIÁ-LOS EM TODO CICLO DE VIDA
CICLO DE VIDA DE UM
CONTRATO
AVALIAÇÃO DE NOVOS FORNECEDORES E CONTRATOS

CATEGORIZAÇÃO DOS FORNECEDORES E MANUTENÇÃO DAS
INFORMAÇÕES DO BANCO DE DADOS DE FORNECEDORES E
CONTRATOS

ESTABELECIMENTO DE NOVOS FORNECEDORES E CONTRATOS

GERENCIAMENTO DE NOVOS FORNECEDORES E CONTRATOS

RENOVAÇÃO OU TÉRMINO DE CONTRATOS
BASE DE DADOS DE
FORNECEDORES E
CONTRATOS
ELEMENTO INTEGRADO COM SISTEMA DE
GERENCIAMENTO DE CONFIGURAÇÃO E AO SISTEMA DE
GERENCIAMENTO DE CONHECIMENTO

POSSUI DETALHES DE TODOS OS CONTRATOS E
FORNECEDORES, COMO DETALHES DE TIPOS DE
SERVIÇOS E PRODUTOS FORNECIDOS

OS SERVIÇOS FORNECIDOS PELOS FORNECEDORES
FAZEM PARTE DO CATÁLOGO DE SERVIÇOS
FUNÇÃO DO GERENTE DE
GERENCIAMENTO DE
FORNECEDOR
FORNECER ASSISTÊNCIA E REVISÃO DE ANS,
CONTRATOS E QUALQUER OUTRO DOCUMENTO COM
TERCEIROS

MANTER E REVISAR BANCO DE DADOS DE CONTRATOS
E FORNECEDORES

AVALIAR E ADQUIRIR NOVOS CONTRATOS COM
FORNECEDORES E GERENCIAR SUA CATEGORIZAÇÃO
FUNÇÃO DO GERENTE DE
GERENCIAMENTO DE
FORNECEDOR
FAZER REGURLAMENTE UMA REVISÃO E AVALIAÇÃO DE
RISCOS DE TODOS FORNECEDORES E CONTRATOS

MANTER O PROCESSO DE NEGOCIAÇÃO EM DISPUTAS
CONTRATUAIS GARANTINDO QUE A DISPUTA SEJA
ENCERRADA COMN EFICIÊNCIA E EFICÁCIA
REFERÊNCIAS
 BMC Software. Entendendo o ITIL® - Gestão do Portfólio de
  Serviços e Catálogo de Serviços. Disponível em: <
  http://www1.cscbrasil.com.br/upload/solucao/arquivos/67/745477b99bd
  8fd328780967e620116b99d6705a2.pdf>. Acesso em: 14 out. 2011

 CANCIAN, Maiara. Uma proposta para elaboração de Contrato de
  Nível de Serviço para Software-as-a-Service (SaaS). Disponível em:
  < http://www.das.ufsc.br/~maiara/files/i2ts_maiara.pdf>. Acesso em: 14
  out. 2011

 CARVALHO, Pedro F. Desenho de Serviço – ITIL FOUNDATION V3.
  Disponível em:
  <http://www.pedrofcarvalho.com.br/PDF/ITIL_DESIGNER_DE_SERVIC
  O.pdf>. Acesso em: 15 out. 2011
REFERÊNCIAS
 CAVALCANTE, Daniel. Introdução ao Gerenciamento de TI.
  Disponível em:
  <http://cavalcante.us/Concursos/Analista_de_Sistemas/ITIL/>.
  Acesso em: 16 out. 2011

 FAGURY, Thiago. ITIL V3. Disponível em: <
  http://fagury.com.br/sys/wp-content/uploads/2010/09/apostila-itil-
  v3-3.pdf>. Acesso em: 15 out. 2011

 REDWOOD, Quint Wellington. Desenho de Serviço. Disponível
  em:
  <http://www.cesarfelipe.com.br/downloads/resumos/informatica/
  resumao-itil/Parte-03-Desenho-do-servico-
  WWW.CESARFELIPE.COM.BR.pdf>. Acesso em: 15 out. 2011.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Gestao arquivistica de documentos usando alfresco infused solutions
Gestao arquivistica de documentos usando alfresco infused solutionsGestao arquivistica de documentos usando alfresco infused solutions
Gestao arquivistica de documentos usando alfresco infused solutions
Alfresco Software
 
President-elect: Leading Your Club to Greatness
President-elect: Leading Your Club to GreatnessPresident-elect: Leading Your Club to Greatness
President-elect: Leading Your Club to Greatness
Rotary International
 
Apostila principios-de-sistemas-de-informacao
Apostila principios-de-sistemas-de-informacaoApostila principios-de-sistemas-de-informacao
Apostila principios-de-sistemas-de-informacao
Marcia Abrahim
 
ITIL Implementation
ITIL ImplementationITIL Implementation
ITIL Implementation
Rildo (@rildosan) Santos
 
Club Visioning Living the Rotary Action Plan_Presentation.pdf
Club Visioning Living the Rotary Action Plan_Presentation.pdfClub Visioning Living the Rotary Action Plan_Presentation.pdf
Club Visioning Living the Rotary Action Plan_Presentation.pdf
RILearn
 
ITIL v3 - Foundation: Uma abordagem geral sobre a gestão de serviços de TI
ITIL v3 - Foundation: Uma abordagem geral sobre a gestão de serviços de TIITIL v3 - Foundation: Uma abordagem geral sobre a gestão de serviços de TI
ITIL v3 - Foundation: Uma abordagem geral sobre a gestão de serviços de TI
Leonardo Dias Nascimento
 
Aula Design de Serviços
Aula Design de ServiçosAula Design de Serviços
Aula Design de Serviços
Fernando Arruda
 
ITIL v3 vs v4
ITIL v3 vs v4ITIL v3 vs v4
ITIL v3 vs v4
BITIL.COM
 
Families Career and Rotary A Winning Combination
Families Career and Rotary A Winning CombinationFamilies Career and Rotary A Winning Combination
Families Career and Rotary A Winning Combination
RILearn
 
A Practical Guide to CMDB Deployment in a Tivoli Environment
A Practical Guide to CMDB Deployment in a Tivoli EnvironmentA Practical Guide to CMDB Deployment in a Tivoli Environment
A Practical Guide to CMDB Deployment in a Tivoli Environment
Antonio Rolle
 
Rotary club treasurer's manual
Rotary club treasurer's manualRotary club treasurer's manual
Rotary club treasurer's manual
Southwest 59 Sunrise Rotary Club
 
Enhance your clubs impact and reach through RCC
Enhance your clubs impact and reach through RCCEnhance your clubs impact and reach through RCC
Enhance your clubs impact and reach through RCC
RILearn
 
Crystal method
Crystal methodCrystal method
ITIL na prática - Gerenciamento de Incidentes, Problemas e Mudanças
ITIL na prática - Gerenciamento de Incidentes, Problemas e MudançasITIL na prática - Gerenciamento de Incidentes, Problemas e Mudanças
ITIL na prática - Gerenciamento de Incidentes, Problemas e Mudanças
Wise Systems
 
Itil Service Portfolio Management, The Service Catalog, And You
Itil Service Portfolio Management, The Service Catalog, And YouItil Service Portfolio Management, The Service Catalog, And You
Itil Service Portfolio Management, The Service Catalog, And You
rajanam
 
Áreas de Conhecimento da Engenharia de Software
Áreas de Conhecimento da Engenharia de SoftwareÁreas de Conhecimento da Engenharia de Software
Áreas de Conhecimento da Engenharia de Software
Elaine Cecília Gatto
 
ITIL V3 Foundation
ITIL V3 FoundationITIL V3 Foundation
ITIL V3 Foundation
Alireza Ghahremani Farahnak
 
IT Service Catalogue Overview
IT Service Catalogue OverviewIT Service Catalogue Overview
IT Service Catalogue Overview
cesilia_123
 
Especificação de requisitos
Especificação de requisitosEspecificação de requisitos
Especificação de requisitos
Fernando Palma
 
PI service desk final
PI service desk finalPI service desk final
PI service desk final
Marcelo Mcneill
 

Mais procurados (20)

Gestao arquivistica de documentos usando alfresco infused solutions
Gestao arquivistica de documentos usando alfresco infused solutionsGestao arquivistica de documentos usando alfresco infused solutions
Gestao arquivistica de documentos usando alfresco infused solutions
 
President-elect: Leading Your Club to Greatness
President-elect: Leading Your Club to GreatnessPresident-elect: Leading Your Club to Greatness
President-elect: Leading Your Club to Greatness
 
Apostila principios-de-sistemas-de-informacao
Apostila principios-de-sistemas-de-informacaoApostila principios-de-sistemas-de-informacao
Apostila principios-de-sistemas-de-informacao
 
ITIL Implementation
ITIL ImplementationITIL Implementation
ITIL Implementation
 
Club Visioning Living the Rotary Action Plan_Presentation.pdf
Club Visioning Living the Rotary Action Plan_Presentation.pdfClub Visioning Living the Rotary Action Plan_Presentation.pdf
Club Visioning Living the Rotary Action Plan_Presentation.pdf
 
ITIL v3 - Foundation: Uma abordagem geral sobre a gestão de serviços de TI
ITIL v3 - Foundation: Uma abordagem geral sobre a gestão de serviços de TIITIL v3 - Foundation: Uma abordagem geral sobre a gestão de serviços de TI
ITIL v3 - Foundation: Uma abordagem geral sobre a gestão de serviços de TI
 
Aula Design de Serviços
Aula Design de ServiçosAula Design de Serviços
Aula Design de Serviços
 
ITIL v3 vs v4
ITIL v3 vs v4ITIL v3 vs v4
ITIL v3 vs v4
 
Families Career and Rotary A Winning Combination
Families Career and Rotary A Winning CombinationFamilies Career and Rotary A Winning Combination
Families Career and Rotary A Winning Combination
 
A Practical Guide to CMDB Deployment in a Tivoli Environment
A Practical Guide to CMDB Deployment in a Tivoli EnvironmentA Practical Guide to CMDB Deployment in a Tivoli Environment
A Practical Guide to CMDB Deployment in a Tivoli Environment
 
Rotary club treasurer's manual
Rotary club treasurer's manualRotary club treasurer's manual
Rotary club treasurer's manual
 
Enhance your clubs impact and reach through RCC
Enhance your clubs impact and reach through RCCEnhance your clubs impact and reach through RCC
Enhance your clubs impact and reach through RCC
 
Crystal method
Crystal methodCrystal method
Crystal method
 
ITIL na prática - Gerenciamento de Incidentes, Problemas e Mudanças
ITIL na prática - Gerenciamento de Incidentes, Problemas e MudançasITIL na prática - Gerenciamento de Incidentes, Problemas e Mudanças
ITIL na prática - Gerenciamento de Incidentes, Problemas e Mudanças
 
Itil Service Portfolio Management, The Service Catalog, And You
Itil Service Portfolio Management, The Service Catalog, And YouItil Service Portfolio Management, The Service Catalog, And You
Itil Service Portfolio Management, The Service Catalog, And You
 
Áreas de Conhecimento da Engenharia de Software
Áreas de Conhecimento da Engenharia de SoftwareÁreas de Conhecimento da Engenharia de Software
Áreas de Conhecimento da Engenharia de Software
 
ITIL V3 Foundation
ITIL V3 FoundationITIL V3 Foundation
ITIL V3 Foundation
 
IT Service Catalogue Overview
IT Service Catalogue OverviewIT Service Catalogue Overview
IT Service Catalogue Overview
 
Especificação de requisitos
Especificação de requisitosEspecificação de requisitos
Especificação de requisitos
 
PI service desk final
PI service desk finalPI service desk final
PI service desk final
 

Semelhante a Desenho de serviço

Rio Info 2015 - Desenvolvimento Operações Impactos na criação e entrega de so...
Rio Info 2015 - Desenvolvimento Operações Impactos na criação e entrega de so...Rio Info 2015 - Desenvolvimento Operações Impactos na criação e entrega de so...
Rio Info 2015 - Desenvolvimento Operações Impactos na criação e entrega de so...
Rio Info
 
Marcio iti lv3_3_projeto_deservicos
Marcio iti lv3_3_projeto_deservicosMarcio iti lv3_3_projeto_deservicos
Marcio iti lv3_3_projeto_deservicos
fernandao777
 
Construir um catálogo de serviço
Construir um catálogo de serviçoConstruir um catálogo de serviço
Construir um catálogo de serviço
Cioney Giovanella
 
Itil v3-simulado
Itil v3-simuladoItil v3-simulado
Itil v3-simulado
silvanaan
 
Gestão de Portfólio de Serviços segundo ITIL v3
Gestão de Portfólio de Serviços segundo ITIL v3Gestão de Portfólio de Serviços segundo ITIL v3
Gestão de Portfólio de Serviços segundo ITIL v3
CompanyWeb
 
Overview Itil V3
Overview Itil V3Overview Itil V3
Overview Itil V3
Renan Menezes
 
Itil v3 – hierarquia detalhes
Itil v3 – hierarquia detalhesItil v3 – hierarquia detalhes
Itil v3 – hierarquia detalhes
João Abussamra Neto
 
Simulado ITIL Foundation - Questões Comentadas
Simulado ITIL Foundation - Questões ComentadasSimulado ITIL Foundation - Questões Comentadas
Simulado ITIL Foundation - Questões Comentadas
Fernando Palma
 
Apresentacao Aula Parte2
Apresentacao Aula Parte2Apresentacao Aula Parte2
Apresentacao Aula Parte2
Humberto Fontes
 
Marcio iti lv3_4_transicao_deservicos
Marcio iti lv3_4_transicao_deservicosMarcio iti lv3_4_transicao_deservicos
Marcio iti lv3_4_transicao_deservicos
fernandao777
 
Este simulado é composto de 40 questões
Este simulado é composto de 40 questõesEste simulado é composto de 40 questões
Este simulado é composto de 40 questões
betoflash
 
1. introdução csc conceitos básicos e cenários
1. introdução csc    conceitos básicos e cenários1. introdução csc    conceitos básicos e cenários
1. introdução csc conceitos básicos e cenários
Allana Silveira
 
Itil v3 blog
Itil v3 blogItil v3 blog
Itil v3 blog
silvanaan
 
eSCM-CL
eSCM-CLeSCM-CL
eSCM-CL
Toni Esteves
 
Stratesys - Brochure Centro de Suporte - MAY2015
Stratesys - Brochure Centro de Suporte - MAY2015Stratesys - Brochure Centro de Suporte - MAY2015
Stratesys - Brochure Centro de Suporte - MAY2015
StratesysBR
 
MONITORAÇÃO INTEGRADA - SUPORTE TÉCNICO
MONITORAÇÃO INTEGRADA - SUPORTE TÉCNICOMONITORAÇÃO INTEGRADA - SUPORTE TÉCNICO
MONITORAÇÃO INTEGRADA - SUPORTE TÉCNICO
Wellington Monaco
 
Projeto dos Processos de Serviço
Projeto dos Processos de ServiçoProjeto dos Processos de Serviço
Projeto dos Processos de Serviço
Jaqueline dos Santos
 
Memorex itil-v3
Memorex itil-v3Memorex itil-v3
Memorex itil-v3
Cobra Tecnologia
 
Melhoria proposta itil
Melhoria proposta itilMelhoria proposta itil
Melhoria proposta itil
Jorge Luiz Felix de Santana
 
Apresentacao itil scua
Apresentacao   itil scuaApresentacao   itil scua
Apresentacao itil scua
Marcello Dias
 

Semelhante a Desenho de serviço (20)

Rio Info 2015 - Desenvolvimento Operações Impactos na criação e entrega de so...
Rio Info 2015 - Desenvolvimento Operações Impactos na criação e entrega de so...Rio Info 2015 - Desenvolvimento Operações Impactos na criação e entrega de so...
Rio Info 2015 - Desenvolvimento Operações Impactos na criação e entrega de so...
 
Marcio iti lv3_3_projeto_deservicos
Marcio iti lv3_3_projeto_deservicosMarcio iti lv3_3_projeto_deservicos
Marcio iti lv3_3_projeto_deservicos
 
Construir um catálogo de serviço
Construir um catálogo de serviçoConstruir um catálogo de serviço
Construir um catálogo de serviço
 
Itil v3-simulado
Itil v3-simuladoItil v3-simulado
Itil v3-simulado
 
Gestão de Portfólio de Serviços segundo ITIL v3
Gestão de Portfólio de Serviços segundo ITIL v3Gestão de Portfólio de Serviços segundo ITIL v3
Gestão de Portfólio de Serviços segundo ITIL v3
 
Overview Itil V3
Overview Itil V3Overview Itil V3
Overview Itil V3
 
Itil v3 – hierarquia detalhes
Itil v3 – hierarquia detalhesItil v3 – hierarquia detalhes
Itil v3 – hierarquia detalhes
 
Simulado ITIL Foundation - Questões Comentadas
Simulado ITIL Foundation - Questões ComentadasSimulado ITIL Foundation - Questões Comentadas
Simulado ITIL Foundation - Questões Comentadas
 
Apresentacao Aula Parte2
Apresentacao Aula Parte2Apresentacao Aula Parte2
Apresentacao Aula Parte2
 
Marcio iti lv3_4_transicao_deservicos
Marcio iti lv3_4_transicao_deservicosMarcio iti lv3_4_transicao_deservicos
Marcio iti lv3_4_transicao_deservicos
 
Este simulado é composto de 40 questões
Este simulado é composto de 40 questõesEste simulado é composto de 40 questões
Este simulado é composto de 40 questões
 
1. introdução csc conceitos básicos e cenários
1. introdução csc    conceitos básicos e cenários1. introdução csc    conceitos básicos e cenários
1. introdução csc conceitos básicos e cenários
 
Itil v3 blog
Itil v3 blogItil v3 blog
Itil v3 blog
 
eSCM-CL
eSCM-CLeSCM-CL
eSCM-CL
 
Stratesys - Brochure Centro de Suporte - MAY2015
Stratesys - Brochure Centro de Suporte - MAY2015Stratesys - Brochure Centro de Suporte - MAY2015
Stratesys - Brochure Centro de Suporte - MAY2015
 
MONITORAÇÃO INTEGRADA - SUPORTE TÉCNICO
MONITORAÇÃO INTEGRADA - SUPORTE TÉCNICOMONITORAÇÃO INTEGRADA - SUPORTE TÉCNICO
MONITORAÇÃO INTEGRADA - SUPORTE TÉCNICO
 
Projeto dos Processos de Serviço
Projeto dos Processos de ServiçoProjeto dos Processos de Serviço
Projeto dos Processos de Serviço
 
Memorex itil-v3
Memorex itil-v3Memorex itil-v3
Memorex itil-v3
 
Melhoria proposta itil
Melhoria proposta itilMelhoria proposta itil
Melhoria proposta itil
 
Apresentacao itil scua
Apresentacao   itil scuaApresentacao   itil scua
Apresentacao itil scua
 

Mais de André Luiz Jamarino Abekawa

Manual de Usuário - TCC André Luiz Jamarino Abekawa
Manual de Usuário - TCC André Luiz Jamarino AbekawaManual de Usuário - TCC André Luiz Jamarino Abekawa
Manual de Usuário - TCC André Luiz Jamarino Abekawa
André Luiz Jamarino Abekawa
 
Manual Sistema - TCC André L. J. Abekawa (Parte 03)
Manual Sistema - TCC André L. J. Abekawa (Parte 03)Manual Sistema - TCC André L. J. Abekawa (Parte 03)
Manual Sistema - TCC André L. J. Abekawa (Parte 03)
André Luiz Jamarino Abekawa
 
Manual Sistema - TCC André L. J. Abekawa (Parte 01)
Manual Sistema - TCC André L. J. Abekawa (Parte 01)Manual Sistema - TCC André L. J. Abekawa (Parte 01)
Manual Sistema - TCC André L. J. Abekawa (Parte 01)
André Luiz Jamarino Abekawa
 
Monografia - André Luiz Jamarino Abekawa
Monografia - André Luiz Jamarino AbekawaMonografia - André Luiz Jamarino Abekawa
Monografia - André Luiz Jamarino Abekawa
André Luiz Jamarino Abekawa
 
JAVA REFLETCION
JAVA REFLETCIONJAVA REFLETCION
TCC ANDRE ABEKAWA - Fatec (Primeira Versão)
TCC ANDRE ABEKAWA - Fatec (Primeira Versão)TCC ANDRE ABEKAWA - Fatec (Primeira Versão)
TCC ANDRE ABEKAWA - Fatec (Primeira Versão)
André Luiz Jamarino Abekawa
 

Mais de André Luiz Jamarino Abekawa (6)

Manual de Usuário - TCC André Luiz Jamarino Abekawa
Manual de Usuário - TCC André Luiz Jamarino AbekawaManual de Usuário - TCC André Luiz Jamarino Abekawa
Manual de Usuário - TCC André Luiz Jamarino Abekawa
 
Manual Sistema - TCC André L. J. Abekawa (Parte 03)
Manual Sistema - TCC André L. J. Abekawa (Parte 03)Manual Sistema - TCC André L. J. Abekawa (Parte 03)
Manual Sistema - TCC André L. J. Abekawa (Parte 03)
 
Manual Sistema - TCC André L. J. Abekawa (Parte 01)
Manual Sistema - TCC André L. J. Abekawa (Parte 01)Manual Sistema - TCC André L. J. Abekawa (Parte 01)
Manual Sistema - TCC André L. J. Abekawa (Parte 01)
 
Monografia - André Luiz Jamarino Abekawa
Monografia - André Luiz Jamarino AbekawaMonografia - André Luiz Jamarino Abekawa
Monografia - André Luiz Jamarino Abekawa
 
JAVA REFLETCION
JAVA REFLETCIONJAVA REFLETCION
JAVA REFLETCION
 
TCC ANDRE ABEKAWA - Fatec (Primeira Versão)
TCC ANDRE ABEKAWA - Fatec (Primeira Versão)TCC ANDRE ABEKAWA - Fatec (Primeira Versão)
TCC ANDRE ABEKAWA - Fatec (Primeira Versão)
 

Desenho de serviço

  • 1. Desenho de serviço RICHARD FUGISSE ANDRÉ ABEKAWA LETICIA MANTEGA TASSIANA JUNKER ASSUMPÇÃO THAMIRES TEIXEIRA SÁ
  • 2. INTRODUÇÃO GUIA DE BOAS PRÁTICAS NOS PROJETOS DE TI PROJETAR E ENTENDER INTERAÇÃO COM AMBIENTE TÉCNINO E CENÁRIO DE NEGÓCIO INCLUEM GERENCIAMENTOS DE DISPONIBILIDADE, CAPACIDADE, NÍVEL DE SERVIÇO, FORNECEDORES E ETC.
  • 3. GERENCIAMENTO DE CATÁLOGO DE SERVIÇOS POSSUI SERVIÇO? QUEM É RESPONSÁVEL? COMO ELE É FEITO?
  • 4. OBJETIVOS DE CATÁLOGO DE SERVIÇOS CONTROLE EFETIVO DE INFORMAÇÕES
  • 5. PROCESSOS DE GERENCIAMENTO DE CATÁLOGO DE SERVIÇOS DEFINIÇÃO DE SERVIÇO Os Serviços devem possuir uma definição coerente com as necessidades pela qual o próprio serviço foi criado, ou seja, de forma correta expor a sua real necessidade de existência dentro do Catalogo de Serviços. PRODUÇÃO E MANUTENÇÃO DE UM CATÁLOGO DE SERVIÇO As organizações sofrem mudanças radicais dentro do atual cenário corporativo, logo a Produção e Manutenção de um Catalogo de Serviço deve ser constante, acompanhando as mudanças necessários para manter um alinhamento entre a TI e os serviços da organização. INTERFACE E DEPEDÊNCIAS ENTRE PORTFÓLIOS E CATÁLOGOS DE SERVIÇOS O Gerenciamento do Catalogo de Serviços garante, ou deve garantir a consistência e atualizações das informações, portanto deve existir interfaces que permitam que o Catalogo de Serviços seja um reflexo consequente do Portfólio de Serviços garantindo que os Serviços de TI sejam coerentes com os serviços prestados pela organização.
  • 6. PROCESSOS DE GERENCIAMENTO DE CATÁLOGO DE SERVIÇOS INTERFACES E DEPENDÊNCIAS ENTRE SERVIÇOS DE SUPORTE DO CATÁLOGO DE SERVIÇOS De certa forma os serviços de TI que compõe o Catalogo de Serviços necessitam de suporte para pleno funcionamento, logo deverá existir Interfaces para as dependências entre tais serviços objetivando execução e controle para os serviços de suporte quando solicitados. INTERFACES E DEPENDÊNCIAS ENTRE TODOS OS SERVIÇOS E COMPONENTES DE SUPORTE E INTES DE CONFIGURAÇÃO RELACIONADOS SO SERVIÇOS PRESENTES NO CATÁLOGO Para o gerenciamento do Catalogo de Serviço Técnicos que são relacionados aos itens de configuração e componentes de suporte também deverá possuir interfaces para controle das dependências entre todos os serviços e itens relacionados.
  • 7. GERENCIAMENTO DE NÍVEL DE SERVIÇO O QUE É NÍVEL DE SERVIÇO?
  • 8. OBJETIVOS DE GERENCIAMENTO DO NÍVEL DO SERVIÇO ENTREGUES E CUMPRIDOS PELAS PARTES INTERESSADAS UTILIZAÇÃO DE TÉCNICAS E FERRAMENTAS
  • 9. PROCESSOS ENVOLVIDOS PARA O GERENCIAMENTO DE NÍVEL DE SERVIÇO DESENVOLVIMENTO DE RELAÇÕES DE NEGÓCIOS Dentro do Gerenciamento dos Níveis de Serviço deve ser levantado os requisitos dos serviços em relação às estratégias do negócio afim de garantir um alinhamento entre as áreas interessadas. NEGOCIAÇÃO DE ACORDO DE NÍVEL DE SERVIÇO PARA TODOS OS SERVIÇOS OPERACIONAIS Deve ser estabelecido canais de comunicação para evidenciar os níveis de acordo necessário para todos os serviços operacionais, ou seja, os serviços que mantem as operações básicas e essenciais para organização. Normalmente estes níveis de acordo de serviço possuem baixo ou risco moderado para a organização.
  • 10. PROCESSOS ENVOLVIDOS PARA O GERENCIAMENTO DE NÍVEL DE SERVIÇO NEGOCIAÇÃO DE ACORDO DOS OBJETIVOS E REQUISITOS FUTUROS ALÉM DE DOCUMENTAÇÃO E GERENCIAMENTO DAS REQUISIÇÕES DOS NÍVEIS DE SERVIÇO PARA SERVIÇOS FUTUROS São as especificações das necessidades dos clientes, que foram levantadas no processo Estratégia de Serviços. São usadas para definir os Acordos de Nível de Serviço. DESENVOLVIMENTO E GERENCIAMENTO DE ACORDOS DE NÍVEL OPERACIONAL ADEQUADOS E ALINHADOS A SLA São as comunicações e acordos internos da prestadora de serviços de TI para prover os Serviços relacionados no Catalogo de Serviços, estes acordos e sua documentação devem estar alinhadas aos acordos de nível de serviço objetivando qualidade dos serviços operacionais.
  • 11. PROCESSOS ENVOLVIDOS PARA O GERENCIAMENTO DE NÍVEL DE SERVIÇO REVISÃO DOS ACORDOS E CONTRATOS Todos os acordos devem ser revisados e refinados para assegurar a qualidade dos serviços e o comprometimento das partes envolvidas, este processo é continuo e deve ser refeito a cada desenvolvimento de um acordo sendo SLA, SLR, SLO. PREVENÇÃO PROATIVA DE FALHAS DE SERVIÇO, REDUÇÃO DE RISCOS E MELHORA NA QUALIDADE DOS SERVIÇOS É o resultado do refino dos acordos, com objetivo de melhoria de serviços contínua.
  • 12. PROCESSOS ENVOLVIDOS PARA O GERENCIAMENTO DE NÍVEL DE SERVIÇO REPORTE E GERENCIAMENTO DE TODOS OS SERVIÇOS E REVISÃO DE TODAS AS VULNERABILIDADES DOS ANS É a acurácia dos feedbacks obtidos por meio de negociações, com intenção de prevenir que falhas ou vulnerabilidades dos acordos de nível de serviço sejam explorados intencionalmente por alguma das partes envolvidas. ELABORAR O PLANO DE APERFEIÇOAMENTO DE SERVIÇO PARA PLANEJAR, GERENCIAR E IMPLANTAR MELHORIAS EM TODOS OS PROCESSOS E SERVIÇOS Por fim após analisar todo ciclo de vida dos acordos de serviço em diversos níveis é hora de relacionar os pontos fracos e fortes, os riscos e aperfeiçoar por meio de planejamento para implantação destes níveis de serviço.
  • 14. BENEFICÍOS DE GERENCIMANETO DA CAPACIDADE REDUÇÃO DE RISCOS AUMENTO DE EFICIÊNCIA PRECISÃO EM COMPORTAMENTOS DOS SISTEMAS BASEADOS NA CAPACIDADE
  • 15. FUNÇÕES DOS PROCESSOS DE GERENCIAMENTO DE CAPACIDADE DESEMPENHO DE SERVIÇOS – Contrato de níveis de serviços ADMINISTRAR NECESSIDADES FUTURAS DOS SERVIÇOS PROJETAR E MODELAR RECURSOS NECESSÁRIOS MONITORAMENTO DE COMPONENTES
  • 16. ATIVIDADES DE PROCESSOS DE GERENCIAMENTO DE CAPACIDADE BANCO DE DADOS DE CAPACIDADE Guardam dados necessários para previsões futuras de capacidade. Os repositórios contém informações do negócio, serviços, técnica, financeira e as variáveis necessárias para o gerenciamento de capacidade de acordo com a estratégia de negócio ATIVIDADES INTERATIVAS Analisar e ajustar, as atividades acontecem de forma cíclicas, visando o aperfeiçoamento dos níveis de capacidade de acordo com a demanda, capacidade e custo. GERENCIAMENTO DE DEMANDA utilizado para definir quando os recursos poderão estar disponíveis, a curto e longo prazo. O gerenciamento de demanda possui restrições físicas e financeiras
  • 17. ATIVIDADES DE PROCESSOS DE GERENCIAMENTO DE CAPACIDADE DIMENSIONAMENTO DE APLICATIVOS estimar os requerimentos de recursos de uma proposta de alteração de aplicativo ou de ciração de um novo para garantir o conhecimento desses requeriamentos MODELAGEM prever o comportamento dos serviços de TI sobre diversas condições, utilizando de métodos como: analise de tendências, modelagem analítica e simulação PLANEJAMENTO DE CAPACIDADE documentar os níveis reais da utilização dos recursos e desempenho do serviço, considerando em todo o momento a estratégia e planos do negocio, prognósticos de requerimentos futuros de recursos para suportar os serviços de TI que apoiam essas atividade
  • 18. ADMINISTRADOR E COORDENADOR DE GERENCIAMENTO DE CAPACIDADE ADMINISTRAÇÃO COMUNICAÇÃO TRABALHO EM EQUIPE INFRAESTRUTURA
  • 19. GERENCIAMENTO DE DISPONIBLIDADE DISPONIBILIDADE DE SERVIÇO DE ACORDO COM CONTRATO ENTRE A ORGANIZAÇÃO E CLIENTE LIGAÇÃO COM GERENCIAMENTO DE CAPACIDADE OTIMIZAR CAPACIDADE DE INFRAESTRUTURA CUSTO JUSTO
  • 21. ATIVIDADES DO PROCESSO DE GERENCIAMENTO DE DISPONIBILIDADE DETERMINAR REQUISITOS DE DISPONIBILIDADE É necessário identificar os requisitos do negócio relativos à disponibilidade dos serviços de TI, tanto para os serviços existentes quanto para os que estão em desenvolvimento. Isto deve ser realizado através da negociação com o negócio, sendo possível ter a perspectiva do negócio e do usuário. GERAÇÃO DO PLANO DE DISPONIBLIDADE Depende da capacidade da infra-estrutura atual para determinar como realizar as medições de disponibilidade. Onde forem necessárias melhorias na infra-estrutura para suporte de requerimentos de disponibilidade, o processo desenvolverá e realizará a manutenção do Plano de Disponibilidade, detalhando as melhorias necessárias IMPLANTAÇÃO DE MELHORIA DE DISPONIBILIDADE As melhorias de disponibilidade e os detalhes das medições do Plano de Disponibilidade podem ser implantadas incluindo qualquer requerimento de monitoramento e relatórios. 
A implantação é realizada de acordo com o processo de Gerenciamento de Alterações
  • 22. ATIVIDADES DO PROCESSO DE GERENCIAMENTO DE DISPONIBILIDADE MONITORAR A DISPONIBILIDADE O processo de Gerenciamento de Disponibilidade precisa garantir que está sendo realizado o correto monitoramento e que a informação está disponível para obter os relatórios de disponibilidade e que eles sejam úteis para verificar melhorias e cumprimento dos níveis de serviço. INFORMAR E PESQUISAR EXCESSÕES Onde as medições atuais de disponibilidade não sejam cumpridas, o processo é responsável por informar e pesquisar as exceções. O gerenciamento de Disponibilidade suporta o processo de Gerenciamento de Problemas, que apresenta foco na identificação dos custos de falta de disponibilidade, as causas das exceções e qualquer melhoria que possa ser realizada para prever futuras faltas de disponibilidade.
  • 23. GERENCIAMENTO DE CONTINUIDADE DE SERVIÇO PREPARAR PROVEDOR RECUPERAÇÃO DE SERVIÇO EM CASO DE INTERRUPÇÃO GRAVE PLANO B ESCOLHA DE RECUPERAÇÃO AVALIAR RISCOS E REVISAR REGULARMENTE
  • 24. GERENCIAMENTO DE CONTINUIDADE DE SERVIÇO CONTINUIDADE E RECUPERAÇÃO EM TODAS ÁREAS DE SERVIÇOS IMPACTOS DO PLANO DE CONTINUIDADE FOCADA EM EVENTOS
  • 25. ANALISE DE IMPACTO DO NEGÓCIO
  • 26. ATRIBUIÇÃO E RESPONSABILIDADE GERENTE DE CONTINUIDADE DE SERVIÇO: - Implanta e mantem o processo de gerenciamento de continuidade de serviço - Ajuda na execução de Analise de Impacto do Negócio para todos os serviços - Matem agenda de Testes de TI para todos os serviços existentes alinhado com plano de negócios - Avalia mudanças em impactos nos planos de continuidade.
  • 27. GERENCIAMENTO DE CONTINUIDADE DE SERVIÇO EM TI GARANTIR QUE AS NECESSÁRIAS INFRAESTRUTURA DE TI E PROVISÃO DE SERVIÇO POSSAM SER RECUPERADOS DENTRO DOS PRAZOS REQUERIDOS E ACORDADOS COM O NEGÓCIO APOIA GERENCIAMENTO DE CONTINUIDADE DE SERVIÇO DO NEGÓCIO NORTEADO ATRAVÉS DOS RISCOS DO NEGÓCIO DE FORMA QUE A RECUPERAÇÃO DE TI ESTEJAM ALINHADOS AOS IMPACTOS DO NEGÓCIO TRATA DA RECUPERAÇÃO DE DESASTRES E DA GARANTIA DE QUE EXISTAM MECANISMO APROPRIADOS
  • 28. OBJETIVO MANTER CONJUNTO DE PLANOS DE CONTINUIDADE DE SERVIÇOS DE TI QUE APOIEM O PLANO DE CONTINUIDADE DO NEGÓCIO REALIZAR EXERCICIOS REGULARES DE ANÁLISES DE IMPACTO DE NEGÓCIO CONDUZIR AVALIAÇÃO DE RISCO REGULAR EM CONJUNTO COM O NEGÓCIO, O GERENCIAMENTO DE DISPONIBILIDADE E OS PROCESSOS DE GERENCIAMENTO DE SEGURANÇA
  • 29. OBJETIVO ASSEGURAR QUE EXISTEM MECANISMOS APROPRIADOS DE CONTINUIDADE AVALIAR O IMPACTO DE MUDANÇAS NOS PLANOS DE CONTINUIDADE NEGOCIAR E ACORDAR OS CONTRATOS NECESSÁRIOS COM FORNECEDORES PARA A PROVISÃO DE CAPACIDADE DE RECUPERAÇÃO NECESSÁRIA
  • 30. GERENCIAMENTO DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO ALINHAR A SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO COM A SEGURANÇA DO NEGÓCIO GARANTE CONFIDENCIABILIDADE, INTEGRIDADE, DISPONIBILIDADE DOS ATIVOS, INFORMAÇÕES, DADOS E SERVIÇOS DE TI ASSEGURA POLÍTICA DE SI ESTEJA IMPLEMENTADA PARA QUE CUMPRA AS NECESSIDADES DA POLÍTICA DE SEGURANÇA DO NEGÓCIO E AS EXIGÊNCIAS DA GOVERNANÇA CORPORATIVA ADMINISTRA TODOS ASPECTOS DE SEGURANÇA DE TI ADMINISTRA OS RISCOS DE TI JUNTO AO NEGÓCIO
  • 31. PILARES DE GSI DISPONIBILIDADE A informação está disponível e utilizável, quando exigida, e os sistemas que a provêem podem resistir adequadamente a ataques, serem recuperados ou prevenir falhas (disponibilidade), por exemplo, geradores, sistemas resiliente CONFIDENCIABILIDADE A informação está disponível apenas àqueles que têm direito para conhecê-la (confidencialidade), por exemplo, senhas, firewalls INTEGRIDADE A informação está completa, precisa e protegida contra modificação sem autorização (integridade), por exemplo, mecanismos de retrocesso à situação anterior, procedimentos de teste
  • 32. PILARES DE GSI AUTENTICIDADE E NÃO REPÚDIO As transações empresariais, bem como a troca de informações entre empresas ou com parceiros, são confiáveis BASELINES O nível de segurança adotado pela organização de TI para sua própria segurança e do ponto de vista de um bom "diligenciamento (due diligence)". Podem existir múltiplas baselines, por exemplo, segurança de acesso baseada no nível/cargo.
  • 33. GERENCIAMENTO DE FORNECEDOR ALINHAR-SE COM TODOS OS REQUISITOS CORPORATIVOS, DOS PROCESSOS DE TI E GERENCIAMENTO DE SERVIÇO ASSEGURAR OBTENÇÃO DE VALORES DOS SERVIÇOS DE SUPORTE AO FORNECEDOR E QUE ESTEJAM ALINHADOS AOS NEGÓCIOS OBTER USO OTIMIZADO DOS RECURSOS DOS PROVEDORES MANTER UMA POLÍTICA DE FORNECEDORES E UM BANCO DE DADOS DE FORNECEDORES E CONTRATOS COMO SUPORTE DE INFORMAÇÃO
  • 34. GERENCIAMENTO DE FORNECEDOR CUMPRIR OBJETIVOS DE CONTRATOS E ACORDOS GERENCIAMENTO DE FORNECEDORES E SERVIÇOS PARA GARANTIR OS OBJETIVOS DE SERVIÇOS DE TI E AS EXPECTATIVAS GERENCIAIS GERENCIAR RELACIONAMENTO E DESEMPENHO DOS FORNECEDORES NEGOCIAR E OBTER ACORDO ENTRE FORNECEDORES E GERENCIÁ-LOS EM TODO CICLO DE VIDA
  • 35. CICLO DE VIDA DE UM CONTRATO AVALIAÇÃO DE NOVOS FORNECEDORES E CONTRATOS CATEGORIZAÇÃO DOS FORNECEDORES E MANUTENÇÃO DAS INFORMAÇÕES DO BANCO DE DADOS DE FORNECEDORES E CONTRATOS ESTABELECIMENTO DE NOVOS FORNECEDORES E CONTRATOS GERENCIAMENTO DE NOVOS FORNECEDORES E CONTRATOS RENOVAÇÃO OU TÉRMINO DE CONTRATOS
  • 36. BASE DE DADOS DE FORNECEDORES E CONTRATOS ELEMENTO INTEGRADO COM SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE CONFIGURAÇÃO E AO SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE CONHECIMENTO POSSUI DETALHES DE TODOS OS CONTRATOS E FORNECEDORES, COMO DETALHES DE TIPOS DE SERVIÇOS E PRODUTOS FORNECIDOS OS SERVIÇOS FORNECIDOS PELOS FORNECEDORES FAZEM PARTE DO CATÁLOGO DE SERVIÇOS
  • 37. FUNÇÃO DO GERENTE DE GERENCIAMENTO DE FORNECEDOR FORNECER ASSISTÊNCIA E REVISÃO DE ANS, CONTRATOS E QUALQUER OUTRO DOCUMENTO COM TERCEIROS MANTER E REVISAR BANCO DE DADOS DE CONTRATOS E FORNECEDORES AVALIAR E ADQUIRIR NOVOS CONTRATOS COM FORNECEDORES E GERENCIAR SUA CATEGORIZAÇÃO
  • 38. FUNÇÃO DO GERENTE DE GERENCIAMENTO DE FORNECEDOR FAZER REGURLAMENTE UMA REVISÃO E AVALIAÇÃO DE RISCOS DE TODOS FORNECEDORES E CONTRATOS MANTER O PROCESSO DE NEGOCIAÇÃO EM DISPUTAS CONTRATUAIS GARANTINDO QUE A DISPUTA SEJA ENCERRADA COMN EFICIÊNCIA E EFICÁCIA
  • 39. REFERÊNCIAS  BMC Software. Entendendo o ITIL® - Gestão do Portfólio de Serviços e Catálogo de Serviços. Disponível em: < http://www1.cscbrasil.com.br/upload/solucao/arquivos/67/745477b99bd 8fd328780967e620116b99d6705a2.pdf>. Acesso em: 14 out. 2011  CANCIAN, Maiara. Uma proposta para elaboração de Contrato de Nível de Serviço para Software-as-a-Service (SaaS). Disponível em: < http://www.das.ufsc.br/~maiara/files/i2ts_maiara.pdf>. Acesso em: 14 out. 2011  CARVALHO, Pedro F. Desenho de Serviço – ITIL FOUNDATION V3. Disponível em: <http://www.pedrofcarvalho.com.br/PDF/ITIL_DESIGNER_DE_SERVIC O.pdf>. Acesso em: 15 out. 2011
  • 40. REFERÊNCIAS  CAVALCANTE, Daniel. Introdução ao Gerenciamento de TI. Disponível em: <http://cavalcante.us/Concursos/Analista_de_Sistemas/ITIL/>. Acesso em: 16 out. 2011  FAGURY, Thiago. ITIL V3. Disponível em: < http://fagury.com.br/sys/wp-content/uploads/2010/09/apostila-itil- v3-3.pdf>. Acesso em: 15 out. 2011  REDWOOD, Quint Wellington. Desenho de Serviço. Disponível em: <http://www.cesarfelipe.com.br/downloads/resumos/informatica/ resumao-itil/Parte-03-Desenho-do-servico- WWW.CESARFELIPE.COM.BR.pdf>. Acesso em: 15 out. 2011.