SlideShare uma empresa Scribd logo
UNIBH – ENGENHARIA ELETRICA
COMANDOS ELÉTRICOS E ACIONAMENTOS
DAD 5 – parte 1
Revisão Geral
– Máquinas com ênfase nos seus
aspectos relacionados à
Acionamentos e Comandos Elétricos
HELY GALVÃO JÚNIOR
THIAGO FELIPE
MATHEUS SAID
Turma: ENE5ANESA ENTREGA EM: 14/04/2016
POR HELY GALVÃO JÚNIOR Turma: ENE5ANESA
Página 2 de 7
𝑁𝑠 =
120 ∗ 𝑓
𝑝
→
𝑁𝑠 = Velocidade síncrona em rpm
𝑓 = Frequência em Hz
𝑝 = Nº de polos
𝑁𝑠 =
120 ∗ 𝑓
𝑝
→
120 ∗ 60
4
→ 𝑁𝑠 = 1800 𝑟𝑝𝑚
A velocidade síncrona será a mesma seja em 220V ou 380V
𝑁𝑠 =
120 ∗ 𝑓
𝑝
→
𝑁𝑠 = Velocidade síncrona em rpm
𝑓 = Frequência em Hz
𝑝 = Nº de polos
𝑁𝑠 =
120 ∗ 𝑓
𝑝
→
120 ∗ 50
4
→ 𝑁𝑠 = 1500 𝑟𝑝𝑚
A velocidade síncrona será a mesma seja em 220V ou 380V
Escorregamento ou deslizamento (S) é a diferença percentual entre a velocidade do rotor e a velocidade do campo
girante de um motor de indução.
𝑆 =
𝑁𝑠 − 𝑁𝑅
𝑁𝑠
→
𝑆 = Escorregamento
𝑁𝑠 = Velocidade síncrona em rpm
𝑁𝑅 = Velocidade do rotor
Cálculo da velocidade síncrona em RPM
𝑁𝑠 =
120 ∗ 𝑓
𝑝
→
𝑁𝑠 = Velocidade síncrona em rpm
𝑓 = Frequência em Hz
𝑝 = Nº de polos
𝑁𝑠 =
120 ∗ 𝑓
𝑝
→
120 ∗ 60
6
→ 𝑁𝑠 = 1200 𝑟𝑝𝑚
Cálculo do escorregamento
Em % Em RPM
𝑆 =
𝑁𝑠 − 𝑁𝑅
𝑁𝑠
∗ 100 →
1200 − 1080
1200
→ 𝑆 = 10% 𝑆 = 𝑁𝑠 − 𝑁𝑅 → 1200 − 1080 → 𝑆 = 120 𝑟𝑝𝑚
Cálculo da velocidade síncrona em rpm
𝑁𝑠 =
120 ∗ 𝑓
𝑝
→
𝑁𝑠 = Velocidade síncrona em rpm
𝑓 = Frequência em Hz
𝑝 = Nº de polos
𝑁𝑠 =
120 ∗ 𝑓
𝑝
→
120 ∗ 60
6
→ 𝑁𝑠 = 1200 𝑟𝑝𝑚
Cálculo do escorregamento
Em % Em RPM
𝑆 =
𝑁𝑠 − 𝑁𝑅
𝑁𝑠
∗ 100 →
1200 − 1110
1200
∗ 100 → 𝑆 = 7,5% 𝑆 = 𝑁𝑠 − 𝑁𝑅 → 1200 − 1110 → 𝑆 = 90 𝑟𝑝𝑚
POR HELY GALVÃO JÚNIOR Turma: ENE5ANESA
Página 3 de 7
1 𝐽/𝑠 = 1 𝑊 →
1000 𝐽/𝑠 = 1 𝐾𝑊 →
1000 𝐽/𝑠 = 1,36 𝐶𝑉 →
1 𝐶𝑉 = 735,5 𝐽
𝑠⁄ 𝑜𝑢 735,498 75 𝑊
𝑒𝑛𝑡ã𝑜:
𝐶𝑜𝑠(𝜑) = 0,87 →
𝜃 = 𝐶𝑜𝑠−1(0,91) →
𝜃 = 29,54°
Potência mecânica Potência Aparente Potência ativa Potência reativa
8 𝐶𝑉 = (8 ∗ 735,5 ) →
𝑆 =
𝑃𝑚
𝐹𝑃
→
5.884,0 𝑊
0,87
→
𝐹𝑃 =
𝑃
𝑆
→
𝑃 = 𝐹𝑃 ∗ 𝑆 →
0,87 ∗ 6.763,218 →
𝑄 = √ 𝑆2 − 𝑃2 →
𝑄 = √6.763,2182 − 5884,02 →
𝑃𝑚 = 5.884,0 𝑊 𝑆 = 6.763,218 𝑉𝐴
𝑃 = 5,884 𝑘𝑊
ℎ⁄ 𝑄 = 3334,61 𝑘𝑉𝐴𝑅
1 𝐶𝑉 = 735,5 𝐽
𝑠⁄ 𝑜𝑢 735,498 75 𝑊
𝐶𝑜𝑠(𝜑) = 0,91 →
𝜃 = 𝐶𝑜𝑠−1(0,91) →
𝜃 = 24,49°
Potência mecânica Potência aparente Potência ativa Potência reativa
30 𝐶𝑉 = (30 ∗ 735,5 ) →
𝑆 =
𝑃
𝐹𝑃
→
𝑆 =
22.065,0
0,91
→
𝑃 = 𝑆 ∗ 𝐹𝑃 →
P = 24.247,252 ∗ 0,91 →
𝑄 = 𝑆 ∗ 𝑆𝑒𝑛(𝜃) →
𝑄 = 24.247,252 ∗ 𝑠𝑒𝑛(24,49°) →
𝑃𝑚 = 22.065,0 𝑊 𝑆 = 24.247,252 𝑉𝐴
𝑃 = 22,065 𝑘𝑊
ℎ⁄ 𝑄 = 10.051,32 𝑉𝐴𝑅
1 𝐶𝑉 = 735,5 𝐽
𝑠⁄ 𝑜𝑢 735,498 75 𝑊
𝐶𝑜𝑠(𝜑) = 0,82 →
𝜃 = 𝐶𝑜𝑠−1(0,82) →
𝜃 = 55,08°
𝑀𝑜𝑡𝑜𝑟 𝑡𝑟𝑖𝑓á𝑠𝑖𝑐𝑜
30cv;
POR HELY GALVÃO JÚNIOR Turma: ENE5ANESA
Página 4 de 7
𝑖𝑝
𝑖𝑛
= 6;
Delta;
380V;
𝜂 =90%;
𝐹𝑃 = 0,82 ;
𝐶𝑎𝑟𝑔𝑎 = 85%
A) Potencia trifásica do motor em watts.
B) Potencia elétrica trifásica aparente (VA) consumida pela rede;
C) Corrente nominal do motor/fase;
D) Corrente de partida do motor/fase;
E) Corrente de carga do motor/fase;
F) Corrente da rede/fase que supre o motor em carga nominal
G) Corrente da rede/fase que supre o motor na partida;
H) Corrente da rede/fase que supre o motor na carga especificada
A) Potência mecânica B) Potência aparente Potência ativa Potência reativa
30 𝐶𝑉 = (30 ∗ 735,5 ) →
𝑆 =
𝑃𝑚
FP
→
√3 ∗
22.065,0
0,82
→
𝑃 = 𝑆 ∗ 𝐹𝑃 →
P = 26.908,5 ∗ 0,82 →
𝑄 = 𝑆 ∗ 𝑆𝑒𝑛(𝜃) →
𝑄 = 26.908,5 ∗ 𝑠𝑒𝑛(55,08°) →
𝑃𝑚 = 22.065,0 𝑊 𝑆 = 26.908,5 𝑉𝐴
𝑃 = 22.065,0 𝑊
ℎ⁄ 𝑄 = 22.063,7 𝑉𝐴𝑅
C) D) E) F)
Corrente nominal
Motor/fase
Corrente de partida
Motor/fase
Corrente de carga
Motor/fase
Corrente da rede
Fase p/motor em carga nominal
𝐼 𝑛 =
𝑃𝑚
𝑉 ∗ √3 ∗ 𝐹𝑃 ∗ 𝜂
→
𝐼 𝑛 =
22.065,0 𝑊
380 ∗ √3 ∗ 0,82 ∗ 0,9
→
𝐼 𝑝
𝐼 𝑛
= 6 →
𝐼 𝑝 = 6 ∗ 𝐼 𝑛 →
𝐼 𝑝 = 6 ∗ 45,43 →
𝐼𝑐𝑎𝑟𝑔𝑎 = 𝐼 𝑛 ∗ carga
𝐼𝑐𝑎𝑟𝑔𝑎 =
45,4 ∗ 85%
100

𝑃 = √3 ∗ 𝑉𝐿 ∗ 𝐹𝑃 ∗ 𝐼𝐿 →
𝐼𝐿 =
𝑃𝑚
√3 ∗ 𝑉𝐿 ∗ 𝐹𝑃
→
𝐼𝐿 =
22.065,0 𝑊
ℎ⁄
√3 ∗ 380 ∗ 0,82
→
𝐼 𝑛 = 45,43 𝐴 𝐼 𝑝 = 272,6 𝐴 𝐼𝑐𝑎𝑟𝑔𝑎 = 38,59 A 𝐼𝐿 = 40,9𝐴
G) H)
Corrente de rede
Fase p/ motor em partida
Corrente da rede
Fase p/ motor em carga especificada
Potencia nominal absorvida pelo
motor
P/𝑅 𝑒𝑛𝑑𝑖𝑚𝑒𝑛𝑡𝑜 = 𝜂 = 0,9
𝐼 𝐹 =
𝐼 𝑝
√3
→
𝐼 𝐹 =
272,6 𝐴
√3
→
𝐼𝐶 = 𝐼𝐿 ∗ %𝐶𝑎𝑟𝑔𝑎 →
𝐼𝐶 =
63,73 𝐴 ∗ 85%
100
→
𝑆 =
𝑃𝑚
FP
∗ 𝜂 →
√3 ∗
22.065,0
0,82
∗ 0,9 →
POR HELY GALVÃO JÚNIOR Turma: ENE5ANESA
Página 5 de 7
𝐼 𝐹 = 157,385 A 𝐼C = 54,17 𝐴 𝑆 = 24.217,682 𝑉𝐴
1 𝐶𝑉 = 735,5 𝐽
𝑠⁄ 𝑜𝑢 735,498 75 𝑊
𝐶𝑜𝑠(𝜑) = 0,87 →
𝜃 = 𝐶𝑜𝑠−1(0,87) →
𝜃 = 29,54°
𝑀𝑜𝑡𝑜𝑟 𝑡𝑟𝑖𝑓á𝑠𝑖𝑐𝑜
10cv;
𝑖𝑝
𝑖𝑛
= 5;
Estrela;
220V;
𝜂 =85%;
𝐹𝑃 = 0,87 ;
𝐶𝑎𝑟𝑔𝑎 = 90%
A) Potencia trifásica do motor em watts.
B) Potencia elétrica trifásica aparente (VA) consumida pela rede;
C) Corrente nominal do motor/fase;
D) Corrente de partida do motor/fase;
E) Corrente de carga do motor/fase;
F) Corrente da rede/fase que supre o motor em carga nominal
G) Corrente da rede/fase que supre o motor na partida;
H) Corrente da rede/fase que supre o motor na carga especificada
A)
Potência
mecânica
B) Potência aparente Potência ativa Potência reativa
10 𝐶𝑉 = (10 ∗ 735,5 ) →
𝑆 =
𝑃𝑚
FP
→
√3 ∗
7.355,0
0,87
→
𝑃 = 𝑆 ∗ 𝐹𝑃 →
𝑃 =
8.454,02 ∗ 85%
¨100
→
𝑄 = 𝑆 ∗ 𝑆𝑒𝑛(𝜃) →
𝑄 = 8.454,02 ∗ 𝑠𝑒𝑛(29,54°) →
𝑃𝑚 = 7.355,0𝑊 𝑆 = 8.454,02 𝑉𝐴
𝑃 = 7.185,92 𝑊
ℎ⁄ 𝑄 = 4.168,09 𝑉𝐴𝑅
C) D) E) F)
Corrente nominal
Motor/fase
Corrente de
partida
Motor/fase
Corrente de carga
Motor/fase
Corrente da rede
Fase p/motor em carga nominal
𝐼 𝑛 =
𝑃𝑚
𝑉 ∗ √3 ∗ 𝐹𝑃 ∗ 𝜂
→
𝐼 𝑛 =
7.355,0
220 ∗ √3 ∗ 0,87 ∗ 0,85
→
𝐼 𝑝
𝐼 𝑛
= 5 →
𝐼 𝑝 = 5 ∗ 𝐼 𝑛 →
𝐼 𝑝 = 5 ∗ 26,101 →
𝐼𝑐𝑎𝑟𝑔𝑎 = 𝐼 𝑛 ∗ carga
𝐼𝑐𝑎𝑟𝑔𝑎 =
26,1 ∗ 90%
100

𝑃 = √3 ∗ 𝑉𝐿 ∗ 𝐹𝑃 ∗ 𝐼𝐿 →
𝐼𝐿 =
𝑃𝑚
√3 ∗ 𝑉𝐿 ∗ 𝐹𝑃
→
𝐼𝐿 =
7.185,92 𝑊
ℎ⁄
√3 ∗ 220 ∗ 0,87
→
𝐼 𝑛 = 26,101 𝐴 𝐼 𝑝 = 130,506 𝐴 𝐼𝑐𝑎𝑟𝑔𝑎 = 23,49 A 𝐼𝐿 = 21,676 𝐴
POR HELY GALVÃO JÚNIOR Turma: ENE5ANESA
Página 6 de 7
G) H)
Corrente de rede
Fase p/ motor em partida
Corrente da rede
Fase p/ motor em carga especificada
Potencia nominal absorvida pelo
motor
P/𝑅 𝑒𝑛𝑑𝑖𝑚𝑒𝑛𝑡𝑜 = 𝜂 = 85%
𝐼 𝐹 =
𝐼 𝑝
√3
→
𝐼 𝐹 =
391,52 𝐴
√3
→
𝐼𝐶 = 𝐼𝐿 ∗ %𝐶𝑎𝑟𝑔𝑎 →
𝐼𝐶 =
21,676 𝐴 ∗ 90%
100
→
𝑆 =
𝑃𝑚
FP
∗ 𝜂 →
√3 ∗
7.355,0
0,87
∗ 0,85 →
𝐼 𝐹 = 226,044 A 𝐼𝐶 = 19,508 𝐴 𝑆 = 7.185,92 𝑉𝐴
T=50Nm
K=2
𝐵𝑒𝑠𝑡 = 10 𝑊𝑏
𝑚2⁄
Brot= 8 𝑊𝑏
𝑚2⁄
𝑇 = 𝐾 ∗ 𝐵 𝐸 ∗ 𝐵 𝑅 ∗ 𝑠𝑖𝑛 𝜃 →
𝑠𝑖𝑛 𝜃 =
𝑇
𝐾 ∗ 𝐵 𝐸 ∗ 𝐵 𝑅
→
50
2 ∗ 10 ∗ 8
→ 𝑠𝑖𝑛 𝜃 = 0,3125
𝑠𝑖𝑛(𝜑) = 0,3125 →
𝜃 = 𝑆𝑖𝑛−1(0,87) →
𝜃 = 18,21°
O conjugado (também chamado de torque, momento ou binário) é a medida do esforço necessário para girar um eixo.
 C = F . d
Onde:
 C → conjugado (ou Torque), N.m;
 F → força, N;
 d → distância da aplicação da força, m.
A CM > CC Acelerando
B CM < CC Freando
C CM = CC V constante
D V é pequena e o motor
não parte
CM = CONJUGADO MOTOR
CC = CONJUGADO CARGA
POR HELY GALVÃO JÚNIOR Turma: ENE5ANESA
Página 7 de 7

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Dad 5

Apresentação de motores e servomecanismos slideshare
Apresentação de motores e servomecanismos slideshareApresentação de motores e servomecanismos slideshare
Apresentação de motores e servomecanismos slideshare
Watson Oliveira
 
Teoria
TeoriaTeoria
Teoria
Teoria Teoria
Acionamentos elétricos ventiladores
Acionamentos elétricos   ventiladoresAcionamentos elétricos   ventiladores
Acionamentos elétricos ventiladores
Angelo Hafner
 
Sel0437 aula08 motores01_2017
Sel0437 aula08 motores01_2017Sel0437 aula08 motores01_2017
Sel0437 aula08 motores01_2017
Monilson Salles
 
Tipos padronizados de cargas
Tipos padronizados de cargasTipos padronizados de cargas
Tipos padronizados de cargas
Angelo Hafner
 
Hangout servo motor 2016 2810
Hangout  servo motor 2016 2810Hangout  servo motor 2016 2810
Hangout servo motor 2016 2810
Kalatec Automação
 
Motor CC
Motor CCMotor CC
Motor CC
Fabiano Lima
 
aula 5.pdf
aula 5.pdfaula 5.pdf
aula 5.pdf
GabrielSciamarelli
 
Motores de inducao
Motores de inducaoMotores de inducao
Motores de inducao
Ademir Santos
 
Acionamentos elétricos talhas
Acionamentos elétricos   talhasAcionamentos elétricos   talhas
Acionamentos elétricos talhas
Angelo Hafner
 
Contatores e relés de proteção weg
Contatores e relés de proteção wegContatores e relés de proteção weg
Contatores e relés de proteção weg
itamar2019
 
Dimensionamento de servo motores.pdf
Dimensionamento de servo motores.pdfDimensionamento de servo motores.pdf
Dimensionamento de servo motores.pdf
PatrickFerreira67
 
Plano de teste Bosch 0402746699
Plano de teste Bosch 0402746699Plano de teste Bosch 0402746699
Plano de teste Bosch 0402746699
Junior Iung
 
Memorial de calculo_projeto_eletrico (1)
Memorial de calculo_projeto_eletrico (1)Memorial de calculo_projeto_eletrico (1)
Memorial de calculo_projeto_eletrico (1)
Manoel Salazar
 
Memorial de calculo_projeto_eletrico (1)
Memorial de calculo_projeto_eletrico (1)Memorial de calculo_projeto_eletrico (1)
Memorial de calculo_projeto_eletrico (1)
Manoel Salazar
 
Exercícios eletricidade ii_circuitos_rc_séries_e_rc_paralelo_resolução
Exercícios eletricidade ii_circuitos_rc_séries_e_rc_paralelo_resoluçãoExercícios eletricidade ii_circuitos_rc_séries_e_rc_paralelo_resolução
Exercícios eletricidade ii_circuitos_rc_séries_e_rc_paralelo_resolução
Rodrigo Amorim
 
Aula 03 Eletronica de potencia (3).pdf
Aula 03  Eletronica de potencia (3).pdfAula 03  Eletronica de potencia (3).pdf
Aula 03 Eletronica de potencia (3).pdf
JooGimenes3
 
Laboratório Máquinas Elétricas II 2009
Laboratório Máquinas Elétricas II 2009Laboratório Máquinas Elétricas II 2009
Laboratório Máquinas Elétricas II 2009
Jim Naturesa
 
Trabalho do sobre ca professor rolpiano
Trabalho do sobre ca   professor rolpianoTrabalho do sobre ca   professor rolpiano
Trabalho do sobre ca professor rolpiano
Jean Jadson do Nasc. Pereira
 

Semelhante a Dad 5 (20)

Apresentação de motores e servomecanismos slideshare
Apresentação de motores e servomecanismos slideshareApresentação de motores e servomecanismos slideshare
Apresentação de motores e servomecanismos slideshare
 
Teoria
TeoriaTeoria
Teoria
 
Teoria
Teoria Teoria
Teoria
 
Acionamentos elétricos ventiladores
Acionamentos elétricos   ventiladoresAcionamentos elétricos   ventiladores
Acionamentos elétricos ventiladores
 
Sel0437 aula08 motores01_2017
Sel0437 aula08 motores01_2017Sel0437 aula08 motores01_2017
Sel0437 aula08 motores01_2017
 
Tipos padronizados de cargas
Tipos padronizados de cargasTipos padronizados de cargas
Tipos padronizados de cargas
 
Hangout servo motor 2016 2810
Hangout  servo motor 2016 2810Hangout  servo motor 2016 2810
Hangout servo motor 2016 2810
 
Motor CC
Motor CCMotor CC
Motor CC
 
aula 5.pdf
aula 5.pdfaula 5.pdf
aula 5.pdf
 
Motores de inducao
Motores de inducaoMotores de inducao
Motores de inducao
 
Acionamentos elétricos talhas
Acionamentos elétricos   talhasAcionamentos elétricos   talhas
Acionamentos elétricos talhas
 
Contatores e relés de proteção weg
Contatores e relés de proteção wegContatores e relés de proteção weg
Contatores e relés de proteção weg
 
Dimensionamento de servo motores.pdf
Dimensionamento de servo motores.pdfDimensionamento de servo motores.pdf
Dimensionamento de servo motores.pdf
 
Plano de teste Bosch 0402746699
Plano de teste Bosch 0402746699Plano de teste Bosch 0402746699
Plano de teste Bosch 0402746699
 
Memorial de calculo_projeto_eletrico (1)
Memorial de calculo_projeto_eletrico (1)Memorial de calculo_projeto_eletrico (1)
Memorial de calculo_projeto_eletrico (1)
 
Memorial de calculo_projeto_eletrico (1)
Memorial de calculo_projeto_eletrico (1)Memorial de calculo_projeto_eletrico (1)
Memorial de calculo_projeto_eletrico (1)
 
Exercícios eletricidade ii_circuitos_rc_séries_e_rc_paralelo_resolução
Exercícios eletricidade ii_circuitos_rc_séries_e_rc_paralelo_resoluçãoExercícios eletricidade ii_circuitos_rc_séries_e_rc_paralelo_resolução
Exercícios eletricidade ii_circuitos_rc_séries_e_rc_paralelo_resolução
 
Aula 03 Eletronica de potencia (3).pdf
Aula 03  Eletronica de potencia (3).pdfAula 03  Eletronica de potencia (3).pdf
Aula 03 Eletronica de potencia (3).pdf
 
Laboratório Máquinas Elétricas II 2009
Laboratório Máquinas Elétricas II 2009Laboratório Máquinas Elétricas II 2009
Laboratório Máquinas Elétricas II 2009
 
Trabalho do sobre ca professor rolpiano
Trabalho do sobre ca   professor rolpianoTrabalho do sobre ca   professor rolpiano
Trabalho do sobre ca professor rolpiano
 

Dad 5

  • 1. UNIBH – ENGENHARIA ELETRICA COMANDOS ELÉTRICOS E ACIONAMENTOS DAD 5 – parte 1 Revisão Geral – Máquinas com ênfase nos seus aspectos relacionados à Acionamentos e Comandos Elétricos HELY GALVÃO JÚNIOR THIAGO FELIPE MATHEUS SAID Turma: ENE5ANESA ENTREGA EM: 14/04/2016
  • 2. POR HELY GALVÃO JÚNIOR Turma: ENE5ANESA Página 2 de 7 𝑁𝑠 = 120 ∗ 𝑓 𝑝 → 𝑁𝑠 = Velocidade síncrona em rpm 𝑓 = Frequência em Hz 𝑝 = Nº de polos 𝑁𝑠 = 120 ∗ 𝑓 𝑝 → 120 ∗ 60 4 → 𝑁𝑠 = 1800 𝑟𝑝𝑚 A velocidade síncrona será a mesma seja em 220V ou 380V 𝑁𝑠 = 120 ∗ 𝑓 𝑝 → 𝑁𝑠 = Velocidade síncrona em rpm 𝑓 = Frequência em Hz 𝑝 = Nº de polos 𝑁𝑠 = 120 ∗ 𝑓 𝑝 → 120 ∗ 50 4 → 𝑁𝑠 = 1500 𝑟𝑝𝑚 A velocidade síncrona será a mesma seja em 220V ou 380V Escorregamento ou deslizamento (S) é a diferença percentual entre a velocidade do rotor e a velocidade do campo girante de um motor de indução. 𝑆 = 𝑁𝑠 − 𝑁𝑅 𝑁𝑠 → 𝑆 = Escorregamento 𝑁𝑠 = Velocidade síncrona em rpm 𝑁𝑅 = Velocidade do rotor Cálculo da velocidade síncrona em RPM 𝑁𝑠 = 120 ∗ 𝑓 𝑝 → 𝑁𝑠 = Velocidade síncrona em rpm 𝑓 = Frequência em Hz 𝑝 = Nº de polos 𝑁𝑠 = 120 ∗ 𝑓 𝑝 → 120 ∗ 60 6 → 𝑁𝑠 = 1200 𝑟𝑝𝑚 Cálculo do escorregamento Em % Em RPM 𝑆 = 𝑁𝑠 − 𝑁𝑅 𝑁𝑠 ∗ 100 → 1200 − 1080 1200 → 𝑆 = 10% 𝑆 = 𝑁𝑠 − 𝑁𝑅 → 1200 − 1080 → 𝑆 = 120 𝑟𝑝𝑚 Cálculo da velocidade síncrona em rpm 𝑁𝑠 = 120 ∗ 𝑓 𝑝 → 𝑁𝑠 = Velocidade síncrona em rpm 𝑓 = Frequência em Hz 𝑝 = Nº de polos 𝑁𝑠 = 120 ∗ 𝑓 𝑝 → 120 ∗ 60 6 → 𝑁𝑠 = 1200 𝑟𝑝𝑚 Cálculo do escorregamento Em % Em RPM 𝑆 = 𝑁𝑠 − 𝑁𝑅 𝑁𝑠 ∗ 100 → 1200 − 1110 1200 ∗ 100 → 𝑆 = 7,5% 𝑆 = 𝑁𝑠 − 𝑁𝑅 → 1200 − 1110 → 𝑆 = 90 𝑟𝑝𝑚
  • 3. POR HELY GALVÃO JÚNIOR Turma: ENE5ANESA Página 3 de 7 1 𝐽/𝑠 = 1 𝑊 → 1000 𝐽/𝑠 = 1 𝐾𝑊 → 1000 𝐽/𝑠 = 1,36 𝐶𝑉 → 1 𝐶𝑉 = 735,5 𝐽 𝑠⁄ 𝑜𝑢 735,498 75 𝑊 𝑒𝑛𝑡ã𝑜: 𝐶𝑜𝑠(𝜑) = 0,87 → 𝜃 = 𝐶𝑜𝑠−1(0,91) → 𝜃 = 29,54° Potência mecânica Potência Aparente Potência ativa Potência reativa 8 𝐶𝑉 = (8 ∗ 735,5 ) → 𝑆 = 𝑃𝑚 𝐹𝑃 → 5.884,0 𝑊 0,87 → 𝐹𝑃 = 𝑃 𝑆 → 𝑃 = 𝐹𝑃 ∗ 𝑆 → 0,87 ∗ 6.763,218 → 𝑄 = √ 𝑆2 − 𝑃2 → 𝑄 = √6.763,2182 − 5884,02 → 𝑃𝑚 = 5.884,0 𝑊 𝑆 = 6.763,218 𝑉𝐴 𝑃 = 5,884 𝑘𝑊 ℎ⁄ 𝑄 = 3334,61 𝑘𝑉𝐴𝑅 1 𝐶𝑉 = 735,5 𝐽 𝑠⁄ 𝑜𝑢 735,498 75 𝑊 𝐶𝑜𝑠(𝜑) = 0,91 → 𝜃 = 𝐶𝑜𝑠−1(0,91) → 𝜃 = 24,49° Potência mecânica Potência aparente Potência ativa Potência reativa 30 𝐶𝑉 = (30 ∗ 735,5 ) → 𝑆 = 𝑃 𝐹𝑃 → 𝑆 = 22.065,0 0,91 → 𝑃 = 𝑆 ∗ 𝐹𝑃 → P = 24.247,252 ∗ 0,91 → 𝑄 = 𝑆 ∗ 𝑆𝑒𝑛(𝜃) → 𝑄 = 24.247,252 ∗ 𝑠𝑒𝑛(24,49°) → 𝑃𝑚 = 22.065,0 𝑊 𝑆 = 24.247,252 𝑉𝐴 𝑃 = 22,065 𝑘𝑊 ℎ⁄ 𝑄 = 10.051,32 𝑉𝐴𝑅 1 𝐶𝑉 = 735,5 𝐽 𝑠⁄ 𝑜𝑢 735,498 75 𝑊 𝐶𝑜𝑠(𝜑) = 0,82 → 𝜃 = 𝐶𝑜𝑠−1(0,82) → 𝜃 = 55,08° 𝑀𝑜𝑡𝑜𝑟 𝑡𝑟𝑖𝑓á𝑠𝑖𝑐𝑜 30cv;
  • 4. POR HELY GALVÃO JÚNIOR Turma: ENE5ANESA Página 4 de 7 𝑖𝑝 𝑖𝑛 = 6; Delta; 380V; 𝜂 =90%; 𝐹𝑃 = 0,82 ; 𝐶𝑎𝑟𝑔𝑎 = 85% A) Potencia trifásica do motor em watts. B) Potencia elétrica trifásica aparente (VA) consumida pela rede; C) Corrente nominal do motor/fase; D) Corrente de partida do motor/fase; E) Corrente de carga do motor/fase; F) Corrente da rede/fase que supre o motor em carga nominal G) Corrente da rede/fase que supre o motor na partida; H) Corrente da rede/fase que supre o motor na carga especificada A) Potência mecânica B) Potência aparente Potência ativa Potência reativa 30 𝐶𝑉 = (30 ∗ 735,5 ) → 𝑆 = 𝑃𝑚 FP → √3 ∗ 22.065,0 0,82 → 𝑃 = 𝑆 ∗ 𝐹𝑃 → P = 26.908,5 ∗ 0,82 → 𝑄 = 𝑆 ∗ 𝑆𝑒𝑛(𝜃) → 𝑄 = 26.908,5 ∗ 𝑠𝑒𝑛(55,08°) → 𝑃𝑚 = 22.065,0 𝑊 𝑆 = 26.908,5 𝑉𝐴 𝑃 = 22.065,0 𝑊 ℎ⁄ 𝑄 = 22.063,7 𝑉𝐴𝑅 C) D) E) F) Corrente nominal Motor/fase Corrente de partida Motor/fase Corrente de carga Motor/fase Corrente da rede Fase p/motor em carga nominal 𝐼 𝑛 = 𝑃𝑚 𝑉 ∗ √3 ∗ 𝐹𝑃 ∗ 𝜂 → 𝐼 𝑛 = 22.065,0 𝑊 380 ∗ √3 ∗ 0,82 ∗ 0,9 → 𝐼 𝑝 𝐼 𝑛 = 6 → 𝐼 𝑝 = 6 ∗ 𝐼 𝑛 → 𝐼 𝑝 = 6 ∗ 45,43 → 𝐼𝑐𝑎𝑟𝑔𝑎 = 𝐼 𝑛 ∗ carga 𝐼𝑐𝑎𝑟𝑔𝑎 = 45,4 ∗ 85% 100  𝑃 = √3 ∗ 𝑉𝐿 ∗ 𝐹𝑃 ∗ 𝐼𝐿 → 𝐼𝐿 = 𝑃𝑚 √3 ∗ 𝑉𝐿 ∗ 𝐹𝑃 → 𝐼𝐿 = 22.065,0 𝑊 ℎ⁄ √3 ∗ 380 ∗ 0,82 → 𝐼 𝑛 = 45,43 𝐴 𝐼 𝑝 = 272,6 𝐴 𝐼𝑐𝑎𝑟𝑔𝑎 = 38,59 A 𝐼𝐿 = 40,9𝐴 G) H) Corrente de rede Fase p/ motor em partida Corrente da rede Fase p/ motor em carga especificada Potencia nominal absorvida pelo motor P/𝑅 𝑒𝑛𝑑𝑖𝑚𝑒𝑛𝑡𝑜 = 𝜂 = 0,9 𝐼 𝐹 = 𝐼 𝑝 √3 → 𝐼 𝐹 = 272,6 𝐴 √3 → 𝐼𝐶 = 𝐼𝐿 ∗ %𝐶𝑎𝑟𝑔𝑎 → 𝐼𝐶 = 63,73 𝐴 ∗ 85% 100 → 𝑆 = 𝑃𝑚 FP ∗ 𝜂 → √3 ∗ 22.065,0 0,82 ∗ 0,9 →
  • 5. POR HELY GALVÃO JÚNIOR Turma: ENE5ANESA Página 5 de 7 𝐼 𝐹 = 157,385 A 𝐼C = 54,17 𝐴 𝑆 = 24.217,682 𝑉𝐴 1 𝐶𝑉 = 735,5 𝐽 𝑠⁄ 𝑜𝑢 735,498 75 𝑊 𝐶𝑜𝑠(𝜑) = 0,87 → 𝜃 = 𝐶𝑜𝑠−1(0,87) → 𝜃 = 29,54° 𝑀𝑜𝑡𝑜𝑟 𝑡𝑟𝑖𝑓á𝑠𝑖𝑐𝑜 10cv; 𝑖𝑝 𝑖𝑛 = 5; Estrela; 220V; 𝜂 =85%; 𝐹𝑃 = 0,87 ; 𝐶𝑎𝑟𝑔𝑎 = 90% A) Potencia trifásica do motor em watts. B) Potencia elétrica trifásica aparente (VA) consumida pela rede; C) Corrente nominal do motor/fase; D) Corrente de partida do motor/fase; E) Corrente de carga do motor/fase; F) Corrente da rede/fase que supre o motor em carga nominal G) Corrente da rede/fase que supre o motor na partida; H) Corrente da rede/fase que supre o motor na carga especificada A) Potência mecânica B) Potência aparente Potência ativa Potência reativa 10 𝐶𝑉 = (10 ∗ 735,5 ) → 𝑆 = 𝑃𝑚 FP → √3 ∗ 7.355,0 0,87 → 𝑃 = 𝑆 ∗ 𝐹𝑃 → 𝑃 = 8.454,02 ∗ 85% ¨100 → 𝑄 = 𝑆 ∗ 𝑆𝑒𝑛(𝜃) → 𝑄 = 8.454,02 ∗ 𝑠𝑒𝑛(29,54°) → 𝑃𝑚 = 7.355,0𝑊 𝑆 = 8.454,02 𝑉𝐴 𝑃 = 7.185,92 𝑊 ℎ⁄ 𝑄 = 4.168,09 𝑉𝐴𝑅 C) D) E) F) Corrente nominal Motor/fase Corrente de partida Motor/fase Corrente de carga Motor/fase Corrente da rede Fase p/motor em carga nominal 𝐼 𝑛 = 𝑃𝑚 𝑉 ∗ √3 ∗ 𝐹𝑃 ∗ 𝜂 → 𝐼 𝑛 = 7.355,0 220 ∗ √3 ∗ 0,87 ∗ 0,85 → 𝐼 𝑝 𝐼 𝑛 = 5 → 𝐼 𝑝 = 5 ∗ 𝐼 𝑛 → 𝐼 𝑝 = 5 ∗ 26,101 → 𝐼𝑐𝑎𝑟𝑔𝑎 = 𝐼 𝑛 ∗ carga 𝐼𝑐𝑎𝑟𝑔𝑎 = 26,1 ∗ 90% 100  𝑃 = √3 ∗ 𝑉𝐿 ∗ 𝐹𝑃 ∗ 𝐼𝐿 → 𝐼𝐿 = 𝑃𝑚 √3 ∗ 𝑉𝐿 ∗ 𝐹𝑃 → 𝐼𝐿 = 7.185,92 𝑊 ℎ⁄ √3 ∗ 220 ∗ 0,87 → 𝐼 𝑛 = 26,101 𝐴 𝐼 𝑝 = 130,506 𝐴 𝐼𝑐𝑎𝑟𝑔𝑎 = 23,49 A 𝐼𝐿 = 21,676 𝐴
  • 6. POR HELY GALVÃO JÚNIOR Turma: ENE5ANESA Página 6 de 7 G) H) Corrente de rede Fase p/ motor em partida Corrente da rede Fase p/ motor em carga especificada Potencia nominal absorvida pelo motor P/𝑅 𝑒𝑛𝑑𝑖𝑚𝑒𝑛𝑡𝑜 = 𝜂 = 85% 𝐼 𝐹 = 𝐼 𝑝 √3 → 𝐼 𝐹 = 391,52 𝐴 √3 → 𝐼𝐶 = 𝐼𝐿 ∗ %𝐶𝑎𝑟𝑔𝑎 → 𝐼𝐶 = 21,676 𝐴 ∗ 90% 100 → 𝑆 = 𝑃𝑚 FP ∗ 𝜂 → √3 ∗ 7.355,0 0,87 ∗ 0,85 → 𝐼 𝐹 = 226,044 A 𝐼𝐶 = 19,508 𝐴 𝑆 = 7.185,92 𝑉𝐴 T=50Nm K=2 𝐵𝑒𝑠𝑡 = 10 𝑊𝑏 𝑚2⁄ Brot= 8 𝑊𝑏 𝑚2⁄ 𝑇 = 𝐾 ∗ 𝐵 𝐸 ∗ 𝐵 𝑅 ∗ 𝑠𝑖𝑛 𝜃 → 𝑠𝑖𝑛 𝜃 = 𝑇 𝐾 ∗ 𝐵 𝐸 ∗ 𝐵 𝑅 → 50 2 ∗ 10 ∗ 8 → 𝑠𝑖𝑛 𝜃 = 0,3125 𝑠𝑖𝑛(𝜑) = 0,3125 → 𝜃 = 𝑆𝑖𝑛−1(0,87) → 𝜃 = 18,21° O conjugado (também chamado de torque, momento ou binário) é a medida do esforço necessário para girar um eixo.  C = F . d Onde:  C → conjugado (ou Torque), N.m;  F → força, N;  d → distância da aplicação da força, m. A CM > CC Acelerando B CM < CC Freando C CM = CC V constante D V é pequena e o motor não parte CM = CONJUGADO MOTOR CC = CONJUGADO CARGA
  • 7. POR HELY GALVÃO JÚNIOR Turma: ENE5ANESA Página 7 de 7