SlideShare uma empresa Scribd logo
Curadoria Digital:
Modelos e prática de gestão,
disseminação e interpretação de
acervos memoriais
Aquiles Alencar Brayner
@aquilesbrayner
Email: abrayner@yahoo.com
Fundação Casa de Rui Barbosa
22 e 24 de novembro, 2017
www.bl.uk 2
Material para consulta
• SlideShare:
Dia 1: http://bit.ly/2j827Bz
www.bl.uk 3
Objetivos do curso
• Compartilhar informação sobre metodologias e tecnologias
para facilitar o acesso e re-uso dos nossos acervos
• Refletir, a partir de experiências e projetos de outras
instituições, do que pode ser adaptado ao nosso contexto
institucional
• Gerar idéias em torno da apresentação, disponibilização e
interpretação de conteúdos digitais
• Maximizar o conhecimento e interpretação dos nossos
acervos
• Repensar a nossa profissão e missão institucional no
panorama do mundo digital
www.bl.uk 4
Humanidades Digitais
www.bl.uk 5
A Revolução Digital
• “Quando as ideias são
separadas dos meios utilizados
para sua transmissão, elas
ficam também separadas das
circunstâncias históricas que as
moldam, tornando-se difícil
entender o contexto de
mudança em que estas ideias
devem ser entendidas“ (Elizabeth
Eisenstein, The Printing Press as an Agent
of Change. Cambridge: CUP, 1979)
www.bl.uk 6
Formato x informação
Homoliteratus.com
La grand danse macabre…[Mathias
Huss, Lyon, 1499]
Quipu - Inca
www.bl.uk 7
Humanidades Digitais: gênese
• 1949: A colaboração entre Thomas Watson,
fundador da IBM, e Padre Roberto Busa
inaugurou uma nova era de pesquisa em
humanidades. O resultado, o Índice Thomisticus,
está disponível on-line desde 2005.
• O projeto utilizou processos algorítmos para
análise linguística, a fim de produzir um índice de
9 milhões de palavras em latim medieval das
obras completas de São Tomás de Aquino.
• Na época, ninguém pensava que computadores
concebidos para cálculos numéricos pudessem
ser usados para o estudo de textos escritos e
concordâncias lingüísticas.
www.bl.uk 8
Humanidades Digitais: uma breve
introdução
• A produção, utilização e integração de
conteúdos, serviços e ferramentas
digitais para facilitar a pesquisa nas
areas das humanidades e ciências
sociais.
• Durante as últimas décadas, bibliotecas e
arquivos têm se dedicado à produção e
coleta de objetos digitais. A tecnologia
atual nos permite muito mais do que
apenas descobrir ou acessar esses
objetos nos possibilitando o uso de
novas ferramentas que nos leve a
novas descobertas a partir de uma
nova compreensão do material
analisado.
Anuario Americanista Europeo, 2014
www.bl.uk 9
Novos métodos de pesquisa
digital
Uso de APIs (Application Programming Interfaces) para integrar base
de dados, ex: metadados, imagens, etc.
Buscas baseadas em locação geográfica
Mineração de texto
Crowdsourcing /
Computação humana
Anotação
Processamento em
Linguagem Natural
(NLP)
Visualização de dados
Geo-referenciamento
www.bl.uk 10
Panorama das Humanidades Digitais hoje
• Número cada vez mais amplo de centros de pesquisa em
humanidades digitais, muitos operando como espaço de
laboratórios – principalmente na Europa e EUA
• Center.Net
• Aliança das Organizações em Humanidades Digitais
• América Latina:
México: Humanidades Digitales
Argentina: AADH
Brasil: CPDOC
HD.br
Mais informações: Anuario Americanista Europeo
www.bl.uk 11
http://eventos.fgv.br/hdrio2018
www.bl.uk 12
Curadoria Digital
www.bl.uk 13
Desafio: como selecionar, armazenar,
classificar e analisar as informações no
universo digital?
• Qual a quantidade de dados
gerados em 1 dia?
1. Twitter: 7 TB
2. Facebook: 10 TB
• Até 2020 teremos
aproximadamente 35 ZB (1.1
trilhão GB) de dados digitais
disponiveis
www.bl.uk 14
Missão das instituições de memória
cultural no século XXI
• Selecionar, capturar, descrever e preservar objetos digitais
oferecendo novos sistemas de busca e plataformas de
acesso a estes objetos
• Promover seus acervos entre diferentes tipos de usuários
• Proporcionar a integração de distintos formatos eletrônicos
e criação de ferramentas que facilitem o acesso e análise
de conteúdos digitais
• Participação ativa nos projetos de pesquisa digital
gerenciando as atividades e disseminação de resultados
obtidos
• Instituições como “laboratórios” de novas idéias e modelos
em pesquisa digital
• Atuar como centro de capacitação para pesquisadores e
profissionais envolvidos no manejamento de recursos e
dados eletrônicos
www.bl.uk 15
Curadoria Digital: as regras dos 10 “in"
1.Integridade: acesso ao objeto digital
na maneira em que ele foi criado
2.Integração: diferentes conteúdos e
formatos acessíveis apartir de uma
mesma plataforma
3.Interoperabilidade: compatibilidade
entre diferentes plataformas e
sistemas operacionais
4.Instantaneidade: acesso irrestrito e
imediato aos objetos eletrônicos
5.Interação: catálogos interativos
incorporando elementos de Web 2.0
(blogs, wikis, tags) e mídia social
6.Informação: planificação de
metadados para maior eficiencia e
confiabilidade nos resultados de
busca
7.Incorporação de conteúdos:
constante inclusão de objetos digitais
8. Interpretação: objeto digital
contextualizado em relação a outros
itens equivalentes em vários acervos
9. Inovação: apresentação do material em
plataformas inovativas
10.Acesso Indefinido: objetos digitais
preservados para futura gerações
www.bl.uk 16
Curadoria Digital (DCC)
• A Curadoria Digital involve a
manutenção, preservação e
agregação de valor aos objetos
digitais em toda sua vida útil.
http://www.dcc.ac.uk/digital-
curation/what-digital-curation
www.bl.uk 17
Curadoria Digital
Facilitar acesso
remoto ao acervo
Possibilitar a criação
de novos recursos e
reutilização de dados
digitais por usuários
Desenvolvimento de
novos modelos e
metodologias de trabalho
com pesquisadores
Programas de formação e
treinamento em novas
tecnologias e seu uso em
pesquisa
www.bl.uk 18
Pesquisa e curadoria digital
• Adoção de novas estratégias e modelos operacionais que facilitem a pesquisa
digital
• Desenvolvimento de projetos innovadores que explorem ouso dos conteúdos
digitais em instituições de memória cultural no contexto das novas tecnologias
• Formação e gestão profissional naárea de pesquisa digital para pesquisadores
e profissionais da informação
• Disseminação de serviços e acervos digitais para diferentes tipos de usuarios
• Gerenciamento de projetos na área de Humanidades Digitais
• Participacão em seminarios, conferencias e publicação de trabalhos
acadêmicos
• Programas de pós-graduação com universidades
www.bl.uk 19
Digitalização
www.bl.uk 20
Analógico Digital
www.bl.uk 21
Vantagens
• Ampliar acesso e uso de acervos em arquivos e bibliotecas para
pesquisadores, estudantes e público em geral
• Criar uma massa crítica de conteúdo digitalizado através da agregação de
coleções semelhantes espalhadas em instituições distintas
• Enriquecer a descrição dos acervos
• Facilitar a interpretação de acervos para novos usuários
• Fomentar novas áreas e modelos de pesquisa
• Estabelecer métodos inovadores de apoio para pesquisa, ensino e
aprendizagem
• Preservar documentos raros e frágeis através de sua reprodução digital,
protegendo documentos vulneráveis
www.bl.uk 22
Critérios
• Finalidade
• Público alvo
• Estratégias
1. Fomato de Imagem
2. Resolução
3. Cor
4. Manipulação pós-captura
5. Metadados
6. Armazenamento
7. Preservação
www.bl.uk 23
Considerações
• Publico
• Orçamento
• Objetivos
• Como nos certificar que o
conteúdo digitalizado
represente proporcionalmente
objetos em outros formatos
nos nossos arcervos?
www.bl.uk 24
Modelo Ciclo de Vida Objetos digitais
Ações completas ou essenciais:
1. Descrição e representação da
informação
2. Plano de preservação
3. Observação e participação da
comunidade de usuários
Ações sequenciais:
1. Conceitualização
2. Criação ou coleta
3. Avaliação e seleção
4. Ingestão
5. Ação de preservação
6. Arquivo
7. Acesso, uso e reutilizaçào
8. Transformação
Ações ocasionais:
1. Descarte
2. Reavaliação
https://curadoriadigitalblog.wordpress.com/2015/11/13/ciclo-de-vida-da-curadoria-digital/
www.bl.uk 25
Modelo de referência OAIS
THOMAZ, Katia P.; SOARES, Antonio José. A preservação digital
e o modelo de referência Open Archival Information System
(OAIS).Datagramazero, v. 5, n. 1, fev. 2004. Disponível
em:<http://www.dgz.org.br/fe-v04/F_I_art.htm>. Acesso em: 10
jan. 2016.
Funções:
1. Inserção / Ingestão
2. Armazenamento
3. Gerenciamento de dados
4. Administração
5. Acesso
6. Planejamento da Preservação
Pacotes de submissão:
1. Pacote de Submissão de Informação
(PSI): Objeto digital + metadados
descritivos e técnicos
2. Pacote de Arquivamento da informação
(PAI): dados de conteúdo do objeto
(informação de referência +
proveniência + contexto + fixação:
check sum, integridade e autenticidade)
+ dados de preservação +
representação da informação)
3. Pacote de disseminação da informação
(PDI): dados de conteudo do objeto +
metadados de sistemas de suporte para
acesso e reutilização do objeto
www.bl.uk 26
Modelo British Library
From Originals
Black-and-white photographs 8-bit greyscale, resolution dependant on size of original likely
to be in the range 300 – 1200ppi. It may be appropriate to
capture as 24-bit RGB depending on image tone.
Colour photographs 24-bit RGB, resolution dependant on size of original likely to
be in the range 300 – 1200ppi.
Slides or small negatives 8-bit greyscale or 24-bit RGB, effective resolution of 300 ppi
relative to the size of the original
Printed texts 8-bit greyscale, 400 ppi
Printed texts with half-tone, and other black-
and-white illustrations
8-bit greyscale, 400 ppi, 24-bit RGB may be considered
depending on characteristic of material
Printed texts with colour illustrated 24-bit RGB, 400 ppi
Manuscripts, maps and other materials 300 ppi, 8-bit greyscale or 24-bit RGB. Spatial resolution can
be adjusted to 400 ppi and greater where significant
elements to be captured are less than 1.5mm
From Surrogates
Microfilm Effective resolution of 300 ppi, 8-bit greyscale, relative to the
size of the original and the reduction ratio used in the
microfilming.
www.bl.uk 27
www.bl.uk 28
Critérios na digitalização: exemplos
• Imagem Multispectral: Consiste em
imagens de um mesmo objeto, tomadas
com diferentes comprimentos de ondas
eletromagnéticas. Pode ser luz visível,
infravermelha, ultravioleta, raio-X ou
qualquer outra faixa do espectro.
Diários de David Livingstone:
http://bit.ly/2vM1env
• Digitalização Tridimensional:
http://bit.ly/2tFUcQ5
https://skfb.ly/KGNq
• Imagem de ressonância magnética
Pergaminhos herculanos
www.bl.uk 29
Imagem de ressonância magnética
• Pergaminhos herculanos:
www.bl.uk 30
Alternativas experimentais
• Pesquisa levantada pela BL aponta
que maioria do material digitalizado
não é de interesse direto à pesquisa
individual
• Uso de aparelhos de reprodução
fotográfica nas salas de leitura
• Relatório OCLC
www.bl.uk 31
Considerações: exemplo
• Como utilizar tecnologias existentes para maximizar o
acesso e reuso dos nossos acervos eletrônicos entre
diferentes públicos?
• British Library:
– Pinterest: https://www.pinterest.co.uk/britishlibrary/
– Soundcloud: https://soundcloud.com/the-british-library/the-voice-of-
oscar-wilde-the-ballad-of-reading-gaol
– Wikimedia Commons:
https://commons.wikimedia.org/wiki/Category:British_Library
– Flickr: https://www.flickr.com/photos/britishlibrary/
www.bl.uk 32
Referências
• Impact: https://www.digitisation.eu/new-impact-website/
• Open Archival Information Stystem (OAIS):
http://www.oclc.org/research/publications/library/2000/lavoi
e-oais.html
• Digital Curation Centre (DCC): http://www.dcc.ac.uk/
• Tesseract (programa de OCRização de imagens com
texto): http://tesseract.projectnaptha.com/ e
http://bit.ly/2hbDExx
www.bl.uk 33
Metadados
www.bl.uk 34
Metadados
• Objetos digitais não existem sem metadados.
• Metadados devem ser criados antes mesmo
do processo de digitalização para sabermos
o que temos, onde se encontra, como
apresentar os objetos, etc.
• Em um projeto de digitalização 50% do
tempo é dedicado à catalogação e criação de
metadados
• Padrões ou esquemas pré-estabelecidos de
metadados devem ser utilizados para
facilitar consistência, precisão, busca,
interoperabilidade e reutilização dos objetos
digitais
www.bl.uk 35
Padrões de Metadados
Descrição Bibliográfica:
• METS (Metadata Encoding and Transmission Standard)
https://www.loc.gov/standards/mets/METSOverview.v2.html
• MODS (Metadata Object Description Schema) http://www.loc.gov/standards/mods/
• DUBLIN CORE http://dublincore.org/
Tanscrição:
• Iniciativa de Codificação Textual (Text Encoding Initiative -TEI) http://www.tei-c.org/
Arquivos:
• EAD (Encoded Archival Description) DTD http://lcweb.loc.gov/ead/
• Preservação:
• Premis (Preservation Metadata Maintenance Activity)
http://www.loc.gov/standards/premis/
www.bl.uk 36
Padrões de Metadados
Objetos Visuais:
• Categorias para a Descrição de Obras de Arte (CDWA)
http://www.getty.edu/research/conducting_research/standards/cdwa/index.html
• Categorias do Núcleo VRA version 3.0
http://www.vraweb.org/vracore3.htm
Dados geoespaciais:
• Padrão de conteúdo para metadados Geoespaciais Digitais (CSDGM)
http://www.fgdc.gov/metadata/contstan.html
Educação:
• Learning Object Metadata (LOM) http://ltsc.ieee.org/wg12/index.html
Som e imagens:
• http://www.chiariglione.org/mpeg/standards/mpeg-7/mpeg-7.htm
www.bl.uk 37
OCR (Optical Caracter Recognition)
• Reconhecimento Óptico de Caracteres, ou OCR, é o
processo de extração eletrônica de textos a partir de
imagens, para várias finalidades como edição de
documentos, pesquisas de texto livre, mineração de textos,
extração de entidades, etc.
• Software mais comumente usado na extração de OCR:
Tesseract
www.bl.uk 38
Direitos
• Creative Commons:
Comunidade de atribuição de direitos
dentro da realidade do mundo digital
Atribuições:
1. Direitos autorais
2. Acesso e disseminação
3. Condições de uso e reutilização
www.bl.uk 39
Modelos de licenças e atribuições
• Creative Commons
• British Library (Manuscritos)
• British Library (Coleções)
• Europeana EDM
(http://bit.ly/2iokzWW)
www.bl.uk 40
Plataformas de acesso e interação
www.bl.uk 41
Plataformas que facilitem o trabalho com
arquivos digitalizados
1. Codex Sinaiticus – Plataforma
colaborativa
2. Casebooks project – identificação de
informação em documentos
3. TITL (Text to Image Linking Tool)
– transcrição e identificação
automatizadas
4. The Archaeology of Reading –
identificação de marginália em textos
impressos
5. The Chymistry of Isaac Newton
www.bl.uk 42
Transcrição
• Transcriptorium Reconhecimento
automático de textos manuscritos – HTR
• Digipal Base de dados para paleógrafos
• Transcribing Bentham Projeto de
participação pública (crowdsourcing) para
transcrição de manuscritos
• The Book of Margery Kempe
Projeto de transcrição incluindo anotações
feitas no manuscrito original
www.bl.uk 43
Transcrição, reconstrução e visualização
de dados
• Escravidão, Abolição e Pós-Abolição
Transcrição e controle de qualidade de
dados
• Projeto Old Weather reconstrução de
dados sobre o tempo a partir de
relatórios de viagens, aventureiros,
etc. https://www.oldweather.org/
• Stanford Spatial History: vários
exemplos de análise e visualização de
dados históricos e literários
• Old Bailey: base de dados sentenças
judiciais na Inglaterra entre 1676 e
1772 https://www.oldbaileyonline.org/
www.bl.uk 44
Projetos de enfoques comunitários
(crowdsourcing) para a construção de acervos
• Projeto Quipu: coleta de depoimentos sobre
esterilização massiva, muitas vezes não
consensual, de peruanos no período do governo
Fujimori (anos 90) https://interactive.quipu-
project.com/#/en/quipu/intro
• Cantos Cautivos: experiências de presos
políticos na época de Pinochet refletidas através da
música
• Europeana 1914-18: participação pública na
digitalização de acervos pessoais, enriquecendo as
coleções institucionais sobre a Primeira Guerra
Mundial
• Plataforma abertas de crowdsourcing:
Zooniverse
www.bl.uk 45
Geo-referencialidades
• BL Maps
• Old Maps
• Mapas em livros
digitalizados e disponíveis
na plataforma Flickr
www.bl.uk 46
Apresentação interpretativa
• Museu do Mundo (British Museum e
Google)
• História da Mente (Wellcome
Collection)
• Electronic Beowulf (Universidade de
Kentucky e BL)
www.bl.uk 47
Busca e acesso
www.bl.uk 48
Serendipidade
www.bl.uk 49
Explorando as estantes
• Projeto parte do BL Lab com o objetivo de oferecer
métodos alternativos de acesso a coleções digitais para o
público em geral, permitindo aos usuários navegar
através de volumes na maneira em que estes se
encontram fisicamente organizados.
• http://ir.computing.edgehill.ac.uk/apps/explore-the-stacks
www.bl.uk 50
www.bl.uk 51
Realidade aumentada
• Mundo real perecebido
através de telas que
adicionam dados
complementares aos
objetos, pessoas, etc.
• Informação (dados,
imagens 3D, fotografias,
etc) é sobreposta àquilo que
se vê em tempo real.
www.bl.uk 52
Tags (marcadores)
• Utilização de palavras ou frases para
descrever e/ou classificar objetos
• Modelo de Folksonomia
• Por meio das tags, o usuário pode
então recuperar informações e
compartilhá-las. Pode visualizar as
tags de outros usuários, assim como
identificar o grau de popularidade de
cada tag no sistema, e acessar as
informações relacionadas a uma tag
específica.
Explore.bl.uk
www.bl.uk 53
Tagueamento
• BBC World Service Radio Archive (tag de audio)
• sift.pic (tag de fotografias - Estônia)
• Rijksmuseum – Acccurator (exemplo de tageamento para
artes visuais)
• Snapshot Serengeti https://www.snapshotserengeti.org/
(identificação de animais)
• The US National Archives ‘Citizen Archivist’ dashboard
https://www.archives.gov/citizen-archivist
www.bl.uk 54
Catálogos eletrônicos
• Comportamento informacional na era
eletrônica gerou novos modelos de
encontrar informação (ao invés de
simplesmente buscá-la)
• Catálogos em instituições de memória
cultura têm de adaptar a este novo
contexto
• Modelos das mídias sociais vêm sendo
utilizados para ampliar as possibilidades
de acesso à informação, ex:
http://westportlibrary.org/
www.bl.uk 55
Catalogação: uso do crowdsourcing
• Ficheiro de publicações chinesas
• Objetivo: retro-conversão de 48.000 titulos chineses
utilizando a plataforma Libcrowds com resgate de
metadados disponíveis na OCLC integrando-os ao
catálogo da BL: http://www.libcrowds.com/
www.bl.uk 56
www.bl.uk 57
www.bl.uk 58
www.bl.uk 59
Novos modelos de busca
• Busca de informação através de
imagens
ex: Google
Sugestões de lnformação
Ex: Amazon
Tecnologias de voz a texto ou
reconhecimento de áudio
Ex: Shazam, Google voice, etc.
www.bl.uk 60
Compartilhamentos de Metadados
• Facilitar descoberta de conteúdos
• Compartilhamento gerando maior visibilidade
de acervos
1. Europeana
https://www.europeana.eu/portal/pt
2. Biblioteca Digital da América
https://dp.la/
3. World Digital Library
4. WorldCat
www.bl.uk 61

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentação Curadoria Digital UFC - Fortaleza
Apresentação Curadoria Digital UFC - FortalezaApresentação Curadoria Digital UFC - Fortaleza
Apresentação Curadoria Digital UFC - Fortaleza
Aquiles Alencar Brayner
 
Ctcm agosto 2017
Ctcm agosto 2017Ctcm agosto 2017
Ctcm agosto 2017
Aquiles Alencar Brayner
 
Fcrb 9 agosto_2017
Fcrb 9 agosto_2017Fcrb 9 agosto_2017
Fcrb 9 agosto_2017
Aquiles Alencar Brayner
 
Curadoria Digital_Arquivo Nacional_julho 2017
Curadoria Digital_Arquivo Nacional_julho 2017Curadoria Digital_Arquivo Nacional_julho 2017
Curadoria Digital_Arquivo Nacional_julho 2017
Aquiles Alencar Brayner
 
Aula UnB_8_maio-2017
Aula UnB_8_maio-2017Aula UnB_8_maio-2017
Aula UnB_8_maio-2017
Aquiles Alencar Brayner
 
Apresentação história ufrj
Apresentação história ufrjApresentação história ufrj
Apresentação história ufrj
Aquiles Alencar Brayner
 
Curadoria de conteúdos abertos em instituições de memória cultural
Curadoria de conteúdos abertos em instituições de memória culturalCuradoria de conteúdos abertos em instituições de memória cultural
Curadoria de conteúdos abertos em instituições de memória cultural
Liber UFPE
 
Integrar 2016
Integrar 2016Integrar 2016
Que memória preservar para o futuro (uma abordagem ecológica sobre a sustenta...
Que memória preservar para o futuro (uma abordagem ecológica sobre a sustenta...Que memória preservar para o futuro (uma abordagem ecológica sobre a sustenta...
Que memória preservar para o futuro (uma abordagem ecológica sobre a sustenta...
Liber UFPE
 
Abralic 11 agosto_2917
Abralic 11 agosto_2917Abralic 11 agosto_2917
Abralic 11 agosto_2917
Aquiles Alencar Brayner
 
Museu do futebol aquiles
Museu do futebol aquilesMuseu do futebol aquiles
Museu do futebol aquiles
Aquiles Alencar Brayner
 
Redes sociais e os dispositivos móveis promoção dos produtos e serviços de bi...
Redes sociais e os dispositivos móveis promoção dos produtos e serviços de bi...Redes sociais e os dispositivos móveis promoção dos produtos e serviços de bi...
Redes sociais e os dispositivos móveis promoção dos produtos e serviços de bi...
Universidade Federal do Cariri
 
Artigo CBBD 2013 marketing de geolocalização 10/07/2013
Artigo CBBD 2013 marketing de geolocalização 10/07/2013Artigo CBBD 2013 marketing de geolocalização 10/07/2013
Artigo CBBD 2013 marketing de geolocalização 10/07/2013
Universidade Federal do Cariri
 
ACESSO E USO DE TECNOLOGIAS EM TESES DE DISSERTAÇÕES: O CASO BDTD
ACESSO E USO DE TECNOLOGIAS EM TESES DE DISSERTAÇÕES:  O CASO BDTDACESSO E USO DE TECNOLOGIAS EM TESES DE DISSERTAÇÕES:  O CASO BDTD
ACESSO E USO DE TECNOLOGIAS EM TESES DE DISSERTAÇÕES: O CASO BDTD
UFSC
 
O uso de tecnologias móveis em bibliotecas
O uso de tecnologias móveis em bibliotecasO uso de tecnologias móveis em bibliotecas
O uso de tecnologias móveis em bibliotecas
Universidade Federal do Cariri
 
Dados de pesquisa (infraestrutura para publicação, compartilhamento e preserv...
Dados de pesquisa (infraestrutura para publicação, compartilhamento e preserv...Dados de pesquisa (infraestrutura para publicação, compartilhamento e preserv...
Dados de pesquisa (infraestrutura para publicação, compartilhamento e preserv...
Liber UFPE
 
Bibliotecas Digitais e Repositórios Institucionais
Bibliotecas Digitais e Repositórios Institucionais Bibliotecas Digitais e Repositórios Institucionais
Apresentação CBBD 2017 Impressora 3d em Makerspaces
Apresentação CBBD 2017 Impressora 3d em Makerspaces Apresentação CBBD 2017 Impressora 3d em Makerspaces
Apresentação CBBD 2017 Impressora 3d em Makerspaces
Universidade Federal do Cariri
 
Bibliotecadigital
BibliotecadigitalBibliotecadigital
Bibliotecadigital
Lubarck Crow
 
Artigo CBBD 2013 Redes Sociais Biblioteca Universidad Carlos III Madri 08/07/...
Artigo CBBD 2013 Redes Sociais Biblioteca Universidad Carlos III Madri 08/07/...Artigo CBBD 2013 Redes Sociais Biblioteca Universidad Carlos III Madri 08/07/...
Artigo CBBD 2013 Redes Sociais Biblioteca Universidad Carlos III Madri 08/07/...
Universidade Federal do Cariri
 

Mais procurados (20)

Apresentação Curadoria Digital UFC - Fortaleza
Apresentação Curadoria Digital UFC - FortalezaApresentação Curadoria Digital UFC - Fortaleza
Apresentação Curadoria Digital UFC - Fortaleza
 
Ctcm agosto 2017
Ctcm agosto 2017Ctcm agosto 2017
Ctcm agosto 2017
 
Fcrb 9 agosto_2017
Fcrb 9 agosto_2017Fcrb 9 agosto_2017
Fcrb 9 agosto_2017
 
Curadoria Digital_Arquivo Nacional_julho 2017
Curadoria Digital_Arquivo Nacional_julho 2017Curadoria Digital_Arquivo Nacional_julho 2017
Curadoria Digital_Arquivo Nacional_julho 2017
 
Aula UnB_8_maio-2017
Aula UnB_8_maio-2017Aula UnB_8_maio-2017
Aula UnB_8_maio-2017
 
Apresentação história ufrj
Apresentação história ufrjApresentação história ufrj
Apresentação história ufrj
 
Curadoria de conteúdos abertos em instituições de memória cultural
Curadoria de conteúdos abertos em instituições de memória culturalCuradoria de conteúdos abertos em instituições de memória cultural
Curadoria de conteúdos abertos em instituições de memória cultural
 
Integrar 2016
Integrar 2016Integrar 2016
Integrar 2016
 
Que memória preservar para o futuro (uma abordagem ecológica sobre a sustenta...
Que memória preservar para o futuro (uma abordagem ecológica sobre a sustenta...Que memória preservar para o futuro (uma abordagem ecológica sobre a sustenta...
Que memória preservar para o futuro (uma abordagem ecológica sobre a sustenta...
 
Abralic 11 agosto_2917
Abralic 11 agosto_2917Abralic 11 agosto_2917
Abralic 11 agosto_2917
 
Museu do futebol aquiles
Museu do futebol aquilesMuseu do futebol aquiles
Museu do futebol aquiles
 
Redes sociais e os dispositivos móveis promoção dos produtos e serviços de bi...
Redes sociais e os dispositivos móveis promoção dos produtos e serviços de bi...Redes sociais e os dispositivos móveis promoção dos produtos e serviços de bi...
Redes sociais e os dispositivos móveis promoção dos produtos e serviços de bi...
 
Artigo CBBD 2013 marketing de geolocalização 10/07/2013
Artigo CBBD 2013 marketing de geolocalização 10/07/2013Artigo CBBD 2013 marketing de geolocalização 10/07/2013
Artigo CBBD 2013 marketing de geolocalização 10/07/2013
 
ACESSO E USO DE TECNOLOGIAS EM TESES DE DISSERTAÇÕES: O CASO BDTD
ACESSO E USO DE TECNOLOGIAS EM TESES DE DISSERTAÇÕES:  O CASO BDTDACESSO E USO DE TECNOLOGIAS EM TESES DE DISSERTAÇÕES:  O CASO BDTD
ACESSO E USO DE TECNOLOGIAS EM TESES DE DISSERTAÇÕES: O CASO BDTD
 
O uso de tecnologias móveis em bibliotecas
O uso de tecnologias móveis em bibliotecasO uso de tecnologias móveis em bibliotecas
O uso de tecnologias móveis em bibliotecas
 
Dados de pesquisa (infraestrutura para publicação, compartilhamento e preserv...
Dados de pesquisa (infraestrutura para publicação, compartilhamento e preserv...Dados de pesquisa (infraestrutura para publicação, compartilhamento e preserv...
Dados de pesquisa (infraestrutura para publicação, compartilhamento e preserv...
 
Bibliotecas Digitais e Repositórios Institucionais
Bibliotecas Digitais e Repositórios Institucionais Bibliotecas Digitais e Repositórios Institucionais
Bibliotecas Digitais e Repositórios Institucionais
 
Apresentação CBBD 2017 Impressora 3d em Makerspaces
Apresentação CBBD 2017 Impressora 3d em Makerspaces Apresentação CBBD 2017 Impressora 3d em Makerspaces
Apresentação CBBD 2017 Impressora 3d em Makerspaces
 
Bibliotecadigital
BibliotecadigitalBibliotecadigital
Bibliotecadigital
 
Artigo CBBD 2013 Redes Sociais Biblioteca Universidad Carlos III Madri 08/07/...
Artigo CBBD 2013 Redes Sociais Biblioteca Universidad Carlos III Madri 08/07/...Artigo CBBD 2013 Redes Sociais Biblioteca Universidad Carlos III Madri 08/07/...
Artigo CBBD 2013 Redes Sociais Biblioteca Universidad Carlos III Madri 08/07/...
 

Semelhante a Curadoria digital fcrb 2017_dia 1

Apresentação Curadoria Digital USP
Apresentação Curadoria Digital USPApresentação Curadoria Digital USP
Apresentação Curadoria Digital USP
Aquiles Alencar Brayner
 
Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunid...
Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunid...Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunid...
Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunid...
Pedro Príncipe
 
Um novo olhar sobre a atuação dos Bibliotecários - Profa. Dra. Vania Mara Alv...
Um novo olhar sobre a atuação dos Bibliotecários - Profa. Dra. Vania Mara Alv...Um novo olhar sobre a atuação dos Bibliotecários - Profa. Dra. Vania Mara Alv...
Um novo olhar sobre a atuação dos Bibliotecários - Profa. Dra. Vania Mara Alv...
SIBiUSP
 
Tecnologias emergentes e web social: oportunidades nas bibliotecas públicas
Tecnologias emergentes e web social: oportunidades nas bibliotecas públicasTecnologias emergentes e web social: oportunidades nas bibliotecas públicas
Tecnologias emergentes e web social: oportunidades nas bibliotecas públicas
Pedro Príncipe
 
à procura do contexto
à procura do contextoà procura do contexto
à procura do contexto
Diana Silva
 
Acesso livre e Comunicação Científica: Intersecções
Acesso livre e Comunicação Científica: IntersecçõesAcesso livre e Comunicação Científica: Intersecções
Acesso livre e Comunicação Científica: Intersecções
Miguel Angel Mardero Arellano
 
Biblioteca Escolar e os Professores (2008 09)
Biblioteca Escolar e os Professores (2008 09)Biblioteca Escolar e os Professores (2008 09)
Biblioteca Escolar e os Professores (2008 09)
Carlos Pinheiro
 
Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas
Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecasTecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas
Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas
Pedro Príncipe
 
Ofinia em Gestão de dados científicos: o papel das bibliotecas
Ofinia em Gestão de dados científicos: o papel das bibliotecasOfinia em Gestão de dados científicos: o papel das bibliotecas
Ofinia em Gestão de dados científicos: o papel das bibliotecas
Pedro Príncipe
 
Ctdi diana
Ctdi dianaCtdi diana
Ctdi diana
Diana Silva
 
CTDI_Vila_Conde
CTDI_Vila_CondeCTDI_Vila_Conde
CTDI_Vila_Conde
Diana Silva
 
Oeiras Biblioteca 2.0
Oeiras Biblioteca 2.0Oeiras Biblioteca 2.0
Oeiras Biblioteca 2.0
Maria José Amândio
 
Bibliotecas para as Humanidades
Bibliotecas para as HumanidadesBibliotecas para as Humanidades
Bibliotecas para as Humanidades
Dalia Guerreiro
 
Software DSpace 1 de 4
Software DSpace 1 de 4Software DSpace 1 de 4
Software DSpace 1 de 4
Miguel Angel Mardero Arellano
 
Oficina 4 - Gestao de dados cientificos: o papel das bibliotecas
Oficina 4 - Gestao de dados cientificos: o papel das bibliotecasOficina 4 - Gestao de dados cientificos: o papel das bibliotecas
Oficina 4 - Gestao de dados cientificos: o papel das bibliotecas
Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta
 
Literacia digital
Literacia digitalLiteracia digital
Literacia digital
Biblioteca Avelar Brotero
 
Literacia de Informação 2.0 nas BMO: uma abordagem ao Programa Copérnico
Literacia de Informação 2.0 nas BMO: uma abordagem ao Programa CopérnicoLiteracia de Informação 2.0 nas BMO: uma abordagem ao Programa Copérnico
Literacia de Informação 2.0 nas BMO: uma abordagem ao Programa Copérnico
Maria José Amândio
 
Repositórios, Acesso Livre e Preservação Digital
Repositórios, Acesso Livre e Preservação DigitalRepositórios, Acesso Livre e Preservação Digital
Repositórios, Acesso Livre e Preservação Digital
Miguel Angel Mardero Arellano
 
Bibliotecas Digitais
Bibliotecas DigitaisBibliotecas Digitais
Bibliotecas Digitais
Carlos Pinheiro
 
Repositórios, Acesso Livre e Preservação Digital
Repositórios, Acesso Livre e Preservação DigitalRepositórios, Acesso Livre e Preservação Digital
Repositórios, Acesso Livre e Preservação Digital
Cariniana Rede
 

Semelhante a Curadoria digital fcrb 2017_dia 1 (20)

Apresentação Curadoria Digital USP
Apresentação Curadoria Digital USPApresentação Curadoria Digital USP
Apresentação Curadoria Digital USP
 
Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunid...
Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunid...Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunid...
Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunid...
 
Um novo olhar sobre a atuação dos Bibliotecários - Profa. Dra. Vania Mara Alv...
Um novo olhar sobre a atuação dos Bibliotecários - Profa. Dra. Vania Mara Alv...Um novo olhar sobre a atuação dos Bibliotecários - Profa. Dra. Vania Mara Alv...
Um novo olhar sobre a atuação dos Bibliotecários - Profa. Dra. Vania Mara Alv...
 
Tecnologias emergentes e web social: oportunidades nas bibliotecas públicas
Tecnologias emergentes e web social: oportunidades nas bibliotecas públicasTecnologias emergentes e web social: oportunidades nas bibliotecas públicas
Tecnologias emergentes e web social: oportunidades nas bibliotecas públicas
 
à procura do contexto
à procura do contextoà procura do contexto
à procura do contexto
 
Acesso livre e Comunicação Científica: Intersecções
Acesso livre e Comunicação Científica: IntersecçõesAcesso livre e Comunicação Científica: Intersecções
Acesso livre e Comunicação Científica: Intersecções
 
Biblioteca Escolar e os Professores (2008 09)
Biblioteca Escolar e os Professores (2008 09)Biblioteca Escolar e os Professores (2008 09)
Biblioteca Escolar e os Professores (2008 09)
 
Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas
Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecasTecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas
Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas
 
Ofinia em Gestão de dados científicos: o papel das bibliotecas
Ofinia em Gestão de dados científicos: o papel das bibliotecasOfinia em Gestão de dados científicos: o papel das bibliotecas
Ofinia em Gestão de dados científicos: o papel das bibliotecas
 
Ctdi diana
Ctdi dianaCtdi diana
Ctdi diana
 
CTDI_Vila_Conde
CTDI_Vila_CondeCTDI_Vila_Conde
CTDI_Vila_Conde
 
Oeiras Biblioteca 2.0
Oeiras Biblioteca 2.0Oeiras Biblioteca 2.0
Oeiras Biblioteca 2.0
 
Bibliotecas para as Humanidades
Bibliotecas para as HumanidadesBibliotecas para as Humanidades
Bibliotecas para as Humanidades
 
Software DSpace 1 de 4
Software DSpace 1 de 4Software DSpace 1 de 4
Software DSpace 1 de 4
 
Oficina 4 - Gestao de dados cientificos: o papel das bibliotecas
Oficina 4 - Gestao de dados cientificos: o papel das bibliotecasOficina 4 - Gestao de dados cientificos: o papel das bibliotecas
Oficina 4 - Gestao de dados cientificos: o papel das bibliotecas
 
Literacia digital
Literacia digitalLiteracia digital
Literacia digital
 
Literacia de Informação 2.0 nas BMO: uma abordagem ao Programa Copérnico
Literacia de Informação 2.0 nas BMO: uma abordagem ao Programa CopérnicoLiteracia de Informação 2.0 nas BMO: uma abordagem ao Programa Copérnico
Literacia de Informação 2.0 nas BMO: uma abordagem ao Programa Copérnico
 
Repositórios, Acesso Livre e Preservação Digital
Repositórios, Acesso Livre e Preservação DigitalRepositórios, Acesso Livre e Preservação Digital
Repositórios, Acesso Livre e Preservação Digital
 
Bibliotecas Digitais
Bibliotecas DigitaisBibliotecas Digitais
Bibliotecas Digitais
 
Repositórios, Acesso Livre e Preservação Digital
Repositórios, Acesso Livre e Preservação DigitalRepositórios, Acesso Livre e Preservação Digital
Repositórios, Acesso Livre e Preservação Digital
 

Mais de Aquiles Alencar Brayner

Aula uniceub
Aula uniceubAula uniceub
Dh2016 dstp
Dh2016 dstpDh2016 dstp
Aclaiir 2016
Aclaiir 2016Aclaiir 2016
Cpd25_Aquiles Alencar Brayner
Cpd25_Aquiles Alencar BraynerCpd25_Aquiles Alencar Brayner
Cpd25_Aquiles Alencar Brayner
Aquiles Alencar Brayner
 
Bl labs roadshow aab_sheffield.2016
Bl labs roadshow aab_sheffield.2016Bl labs roadshow aab_sheffield.2016
Bl labs roadshow aab_sheffield.2016
Aquiles Alencar Brayner
 
2016 03_digitorium_conference_aab
2016  03_digitorium_conference_aab2016  03_digitorium_conference_aab
2016 03_digitorium_conference_aab
Aquiles Alencar Brayner
 
Bl labs roadshow aab_open_university.2016
Bl labs roadshow aab_open_university.2016Bl labs roadshow aab_open_university.2016
Bl labs roadshow aab_open_university.2016
Aquiles Alencar Brayner
 
Aquiles imlr seminar
Aquiles imlr seminarAquiles imlr seminar
Aquiles imlr seminar
Aquiles Alencar Brayner
 
Pilas 2015
Pilas 2015Pilas 2015
Lecture city university_digital_librarian
Lecture city university_digital_librarianLecture city university_digital_librarian
Lecture city university_digital_librarian
Aquiles Alencar Brayner
 
Charla Biblioteca Nacional 08 Octubre 2015
Charla Biblioteca Nacional 08 Octubre 2015Charla Biblioteca Nacional 08 Octubre 2015
Charla Biblioteca Nacional 08 Octubre 2015
Aquiles Alencar Brayner
 
Visualising Brazil
Visualising BrazilVisualising Brazil
Visualising Brazil
Aquiles Alencar Brayner
 
Slides digital scholarship survey 2014
Slides digital scholarship survey 2014Slides digital scholarship survey 2014
Slides digital scholarship survey 2014
Aquiles Alencar Brayner
 
Europeana 1914 18_collections+open+house
Europeana 1914 18_collections+open+houseEuropeana 1914 18_collections+open+house
Europeana 1914 18_collections+open+house
Aquiles Alencar Brayner
 
Salalm 2015 Princeton
Salalm 2015 PrincetonSalalm 2015 Princeton
Salalm 2015 Princeton
Aquiles Alencar Brayner
 
Cpd25 29 may_2015
Cpd25 29 may_2015Cpd25 29 may_2015
Cpd25 29 may_2015
Aquiles Alencar Brayner
 

Mais de Aquiles Alencar Brayner (16)

Aula uniceub
Aula uniceubAula uniceub
Aula uniceub
 
Dh2016 dstp
Dh2016 dstpDh2016 dstp
Dh2016 dstp
 
Aclaiir 2016
Aclaiir 2016Aclaiir 2016
Aclaiir 2016
 
Cpd25_Aquiles Alencar Brayner
Cpd25_Aquiles Alencar BraynerCpd25_Aquiles Alencar Brayner
Cpd25_Aquiles Alencar Brayner
 
Bl labs roadshow aab_sheffield.2016
Bl labs roadshow aab_sheffield.2016Bl labs roadshow aab_sheffield.2016
Bl labs roadshow aab_sheffield.2016
 
2016 03_digitorium_conference_aab
2016  03_digitorium_conference_aab2016  03_digitorium_conference_aab
2016 03_digitorium_conference_aab
 
Bl labs roadshow aab_open_university.2016
Bl labs roadshow aab_open_university.2016Bl labs roadshow aab_open_university.2016
Bl labs roadshow aab_open_university.2016
 
Aquiles imlr seminar
Aquiles imlr seminarAquiles imlr seminar
Aquiles imlr seminar
 
Pilas 2015
Pilas 2015Pilas 2015
Pilas 2015
 
Lecture city university_digital_librarian
Lecture city university_digital_librarianLecture city university_digital_librarian
Lecture city university_digital_librarian
 
Charla Biblioteca Nacional 08 Octubre 2015
Charla Biblioteca Nacional 08 Octubre 2015Charla Biblioteca Nacional 08 Octubre 2015
Charla Biblioteca Nacional 08 Octubre 2015
 
Visualising Brazil
Visualising BrazilVisualising Brazil
Visualising Brazil
 
Slides digital scholarship survey 2014
Slides digital scholarship survey 2014Slides digital scholarship survey 2014
Slides digital scholarship survey 2014
 
Europeana 1914 18_collections+open+house
Europeana 1914 18_collections+open+houseEuropeana 1914 18_collections+open+house
Europeana 1914 18_collections+open+house
 
Salalm 2015 Princeton
Salalm 2015 PrincetonSalalm 2015 Princeton
Salalm 2015 Princeton
 
Cpd25 29 may_2015
Cpd25 29 may_2015Cpd25 29 may_2015
Cpd25 29 may_2015
 

Último

ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.pptESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
maria-oliveira
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
Manuais Formação
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
AntonioLobosco3
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 

Último (20)

ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.pptESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 

Curadoria digital fcrb 2017_dia 1

  • 1. Curadoria Digital: Modelos e prática de gestão, disseminação e interpretação de acervos memoriais Aquiles Alencar Brayner @aquilesbrayner Email: abrayner@yahoo.com Fundação Casa de Rui Barbosa 22 e 24 de novembro, 2017
  • 2. www.bl.uk 2 Material para consulta • SlideShare: Dia 1: http://bit.ly/2j827Bz
  • 3. www.bl.uk 3 Objetivos do curso • Compartilhar informação sobre metodologias e tecnologias para facilitar o acesso e re-uso dos nossos acervos • Refletir, a partir de experiências e projetos de outras instituições, do que pode ser adaptado ao nosso contexto institucional • Gerar idéias em torno da apresentação, disponibilização e interpretação de conteúdos digitais • Maximizar o conhecimento e interpretação dos nossos acervos • Repensar a nossa profissão e missão institucional no panorama do mundo digital
  • 5. www.bl.uk 5 A Revolução Digital • “Quando as ideias são separadas dos meios utilizados para sua transmissão, elas ficam também separadas das circunstâncias históricas que as moldam, tornando-se difícil entender o contexto de mudança em que estas ideias devem ser entendidas“ (Elizabeth Eisenstein, The Printing Press as an Agent of Change. Cambridge: CUP, 1979)
  • 6. www.bl.uk 6 Formato x informação Homoliteratus.com La grand danse macabre…[Mathias Huss, Lyon, 1499] Quipu - Inca
  • 7. www.bl.uk 7 Humanidades Digitais: gênese • 1949: A colaboração entre Thomas Watson, fundador da IBM, e Padre Roberto Busa inaugurou uma nova era de pesquisa em humanidades. O resultado, o Índice Thomisticus, está disponível on-line desde 2005. • O projeto utilizou processos algorítmos para análise linguística, a fim de produzir um índice de 9 milhões de palavras em latim medieval das obras completas de São Tomás de Aquino. • Na época, ninguém pensava que computadores concebidos para cálculos numéricos pudessem ser usados para o estudo de textos escritos e concordâncias lingüísticas.
  • 8. www.bl.uk 8 Humanidades Digitais: uma breve introdução • A produção, utilização e integração de conteúdos, serviços e ferramentas digitais para facilitar a pesquisa nas areas das humanidades e ciências sociais. • Durante as últimas décadas, bibliotecas e arquivos têm se dedicado à produção e coleta de objetos digitais. A tecnologia atual nos permite muito mais do que apenas descobrir ou acessar esses objetos nos possibilitando o uso de novas ferramentas que nos leve a novas descobertas a partir de uma nova compreensão do material analisado. Anuario Americanista Europeo, 2014
  • 9. www.bl.uk 9 Novos métodos de pesquisa digital Uso de APIs (Application Programming Interfaces) para integrar base de dados, ex: metadados, imagens, etc. Buscas baseadas em locação geográfica Mineração de texto Crowdsourcing / Computação humana Anotação Processamento em Linguagem Natural (NLP) Visualização de dados Geo-referenciamento
  • 10. www.bl.uk 10 Panorama das Humanidades Digitais hoje • Número cada vez mais amplo de centros de pesquisa em humanidades digitais, muitos operando como espaço de laboratórios – principalmente na Europa e EUA • Center.Net • Aliança das Organizações em Humanidades Digitais • América Latina: México: Humanidades Digitales Argentina: AADH Brasil: CPDOC HD.br Mais informações: Anuario Americanista Europeo
  • 13. www.bl.uk 13 Desafio: como selecionar, armazenar, classificar e analisar as informações no universo digital? • Qual a quantidade de dados gerados em 1 dia? 1. Twitter: 7 TB 2. Facebook: 10 TB • Até 2020 teremos aproximadamente 35 ZB (1.1 trilhão GB) de dados digitais disponiveis
  • 14. www.bl.uk 14 Missão das instituições de memória cultural no século XXI • Selecionar, capturar, descrever e preservar objetos digitais oferecendo novos sistemas de busca e plataformas de acesso a estes objetos • Promover seus acervos entre diferentes tipos de usuários • Proporcionar a integração de distintos formatos eletrônicos e criação de ferramentas que facilitem o acesso e análise de conteúdos digitais • Participação ativa nos projetos de pesquisa digital gerenciando as atividades e disseminação de resultados obtidos • Instituições como “laboratórios” de novas idéias e modelos em pesquisa digital • Atuar como centro de capacitação para pesquisadores e profissionais envolvidos no manejamento de recursos e dados eletrônicos
  • 15. www.bl.uk 15 Curadoria Digital: as regras dos 10 “in" 1.Integridade: acesso ao objeto digital na maneira em que ele foi criado 2.Integração: diferentes conteúdos e formatos acessíveis apartir de uma mesma plataforma 3.Interoperabilidade: compatibilidade entre diferentes plataformas e sistemas operacionais 4.Instantaneidade: acesso irrestrito e imediato aos objetos eletrônicos 5.Interação: catálogos interativos incorporando elementos de Web 2.0 (blogs, wikis, tags) e mídia social 6.Informação: planificação de metadados para maior eficiencia e confiabilidade nos resultados de busca 7.Incorporação de conteúdos: constante inclusão de objetos digitais 8. Interpretação: objeto digital contextualizado em relação a outros itens equivalentes em vários acervos 9. Inovação: apresentação do material em plataformas inovativas 10.Acesso Indefinido: objetos digitais preservados para futura gerações
  • 16. www.bl.uk 16 Curadoria Digital (DCC) • A Curadoria Digital involve a manutenção, preservação e agregação de valor aos objetos digitais em toda sua vida útil. http://www.dcc.ac.uk/digital- curation/what-digital-curation
  • 17. www.bl.uk 17 Curadoria Digital Facilitar acesso remoto ao acervo Possibilitar a criação de novos recursos e reutilização de dados digitais por usuários Desenvolvimento de novos modelos e metodologias de trabalho com pesquisadores Programas de formação e treinamento em novas tecnologias e seu uso em pesquisa
  • 18. www.bl.uk 18 Pesquisa e curadoria digital • Adoção de novas estratégias e modelos operacionais que facilitem a pesquisa digital • Desenvolvimento de projetos innovadores que explorem ouso dos conteúdos digitais em instituições de memória cultural no contexto das novas tecnologias • Formação e gestão profissional naárea de pesquisa digital para pesquisadores e profissionais da informação • Disseminação de serviços e acervos digitais para diferentes tipos de usuarios • Gerenciamento de projetos na área de Humanidades Digitais • Participacão em seminarios, conferencias e publicação de trabalhos acadêmicos • Programas de pós-graduação com universidades
  • 21. www.bl.uk 21 Vantagens • Ampliar acesso e uso de acervos em arquivos e bibliotecas para pesquisadores, estudantes e público em geral • Criar uma massa crítica de conteúdo digitalizado através da agregação de coleções semelhantes espalhadas em instituições distintas • Enriquecer a descrição dos acervos • Facilitar a interpretação de acervos para novos usuários • Fomentar novas áreas e modelos de pesquisa • Estabelecer métodos inovadores de apoio para pesquisa, ensino e aprendizagem • Preservar documentos raros e frágeis através de sua reprodução digital, protegendo documentos vulneráveis
  • 22. www.bl.uk 22 Critérios • Finalidade • Público alvo • Estratégias 1. Fomato de Imagem 2. Resolução 3. Cor 4. Manipulação pós-captura 5. Metadados 6. Armazenamento 7. Preservação
  • 23. www.bl.uk 23 Considerações • Publico • Orçamento • Objetivos • Como nos certificar que o conteúdo digitalizado represente proporcionalmente objetos em outros formatos nos nossos arcervos?
  • 24. www.bl.uk 24 Modelo Ciclo de Vida Objetos digitais Ações completas ou essenciais: 1. Descrição e representação da informação 2. Plano de preservação 3. Observação e participação da comunidade de usuários Ações sequenciais: 1. Conceitualização 2. Criação ou coleta 3. Avaliação e seleção 4. Ingestão 5. Ação de preservação 6. Arquivo 7. Acesso, uso e reutilizaçào 8. Transformação Ações ocasionais: 1. Descarte 2. Reavaliação https://curadoriadigitalblog.wordpress.com/2015/11/13/ciclo-de-vida-da-curadoria-digital/
  • 25. www.bl.uk 25 Modelo de referência OAIS THOMAZ, Katia P.; SOARES, Antonio José. A preservação digital e o modelo de referência Open Archival Information System (OAIS).Datagramazero, v. 5, n. 1, fev. 2004. Disponível em:<http://www.dgz.org.br/fe-v04/F_I_art.htm>. Acesso em: 10 jan. 2016. Funções: 1. Inserção / Ingestão 2. Armazenamento 3. Gerenciamento de dados 4. Administração 5. Acesso 6. Planejamento da Preservação Pacotes de submissão: 1. Pacote de Submissão de Informação (PSI): Objeto digital + metadados descritivos e técnicos 2. Pacote de Arquivamento da informação (PAI): dados de conteúdo do objeto (informação de referência + proveniência + contexto + fixação: check sum, integridade e autenticidade) + dados de preservação + representação da informação) 3. Pacote de disseminação da informação (PDI): dados de conteudo do objeto + metadados de sistemas de suporte para acesso e reutilização do objeto
  • 26. www.bl.uk 26 Modelo British Library From Originals Black-and-white photographs 8-bit greyscale, resolution dependant on size of original likely to be in the range 300 – 1200ppi. It may be appropriate to capture as 24-bit RGB depending on image tone. Colour photographs 24-bit RGB, resolution dependant on size of original likely to be in the range 300 – 1200ppi. Slides or small negatives 8-bit greyscale or 24-bit RGB, effective resolution of 300 ppi relative to the size of the original Printed texts 8-bit greyscale, 400 ppi Printed texts with half-tone, and other black- and-white illustrations 8-bit greyscale, 400 ppi, 24-bit RGB may be considered depending on characteristic of material Printed texts with colour illustrated 24-bit RGB, 400 ppi Manuscripts, maps and other materials 300 ppi, 8-bit greyscale or 24-bit RGB. Spatial resolution can be adjusted to 400 ppi and greater where significant elements to be captured are less than 1.5mm From Surrogates Microfilm Effective resolution of 300 ppi, 8-bit greyscale, relative to the size of the original and the reduction ratio used in the microfilming.
  • 28. www.bl.uk 28 Critérios na digitalização: exemplos • Imagem Multispectral: Consiste em imagens de um mesmo objeto, tomadas com diferentes comprimentos de ondas eletromagnéticas. Pode ser luz visível, infravermelha, ultravioleta, raio-X ou qualquer outra faixa do espectro. Diários de David Livingstone: http://bit.ly/2vM1env • Digitalização Tridimensional: http://bit.ly/2tFUcQ5 https://skfb.ly/KGNq • Imagem de ressonância magnética Pergaminhos herculanos
  • 29. www.bl.uk 29 Imagem de ressonância magnética • Pergaminhos herculanos:
  • 30. www.bl.uk 30 Alternativas experimentais • Pesquisa levantada pela BL aponta que maioria do material digitalizado não é de interesse direto à pesquisa individual • Uso de aparelhos de reprodução fotográfica nas salas de leitura • Relatório OCLC
  • 31. www.bl.uk 31 Considerações: exemplo • Como utilizar tecnologias existentes para maximizar o acesso e reuso dos nossos acervos eletrônicos entre diferentes públicos? • British Library: – Pinterest: https://www.pinterest.co.uk/britishlibrary/ – Soundcloud: https://soundcloud.com/the-british-library/the-voice-of- oscar-wilde-the-ballad-of-reading-gaol – Wikimedia Commons: https://commons.wikimedia.org/wiki/Category:British_Library – Flickr: https://www.flickr.com/photos/britishlibrary/
  • 32. www.bl.uk 32 Referências • Impact: https://www.digitisation.eu/new-impact-website/ • Open Archival Information Stystem (OAIS): http://www.oclc.org/research/publications/library/2000/lavoi e-oais.html • Digital Curation Centre (DCC): http://www.dcc.ac.uk/ • Tesseract (programa de OCRização de imagens com texto): http://tesseract.projectnaptha.com/ e http://bit.ly/2hbDExx
  • 34. www.bl.uk 34 Metadados • Objetos digitais não existem sem metadados. • Metadados devem ser criados antes mesmo do processo de digitalização para sabermos o que temos, onde se encontra, como apresentar os objetos, etc. • Em um projeto de digitalização 50% do tempo é dedicado à catalogação e criação de metadados • Padrões ou esquemas pré-estabelecidos de metadados devem ser utilizados para facilitar consistência, precisão, busca, interoperabilidade e reutilização dos objetos digitais
  • 35. www.bl.uk 35 Padrões de Metadados Descrição Bibliográfica: • METS (Metadata Encoding and Transmission Standard) https://www.loc.gov/standards/mets/METSOverview.v2.html • MODS (Metadata Object Description Schema) http://www.loc.gov/standards/mods/ • DUBLIN CORE http://dublincore.org/ Tanscrição: • Iniciativa de Codificação Textual (Text Encoding Initiative -TEI) http://www.tei-c.org/ Arquivos: • EAD (Encoded Archival Description) DTD http://lcweb.loc.gov/ead/ • Preservação: • Premis (Preservation Metadata Maintenance Activity) http://www.loc.gov/standards/premis/
  • 36. www.bl.uk 36 Padrões de Metadados Objetos Visuais: • Categorias para a Descrição de Obras de Arte (CDWA) http://www.getty.edu/research/conducting_research/standards/cdwa/index.html • Categorias do Núcleo VRA version 3.0 http://www.vraweb.org/vracore3.htm Dados geoespaciais: • Padrão de conteúdo para metadados Geoespaciais Digitais (CSDGM) http://www.fgdc.gov/metadata/contstan.html Educação: • Learning Object Metadata (LOM) http://ltsc.ieee.org/wg12/index.html Som e imagens: • http://www.chiariglione.org/mpeg/standards/mpeg-7/mpeg-7.htm
  • 37. www.bl.uk 37 OCR (Optical Caracter Recognition) • Reconhecimento Óptico de Caracteres, ou OCR, é o processo de extração eletrônica de textos a partir de imagens, para várias finalidades como edição de documentos, pesquisas de texto livre, mineração de textos, extração de entidades, etc. • Software mais comumente usado na extração de OCR: Tesseract
  • 38. www.bl.uk 38 Direitos • Creative Commons: Comunidade de atribuição de direitos dentro da realidade do mundo digital Atribuições: 1. Direitos autorais 2. Acesso e disseminação 3. Condições de uso e reutilização
  • 39. www.bl.uk 39 Modelos de licenças e atribuições • Creative Commons • British Library (Manuscritos) • British Library (Coleções) • Europeana EDM (http://bit.ly/2iokzWW)
  • 40. www.bl.uk 40 Plataformas de acesso e interação
  • 41. www.bl.uk 41 Plataformas que facilitem o trabalho com arquivos digitalizados 1. Codex Sinaiticus – Plataforma colaborativa 2. Casebooks project – identificação de informação em documentos 3. TITL (Text to Image Linking Tool) – transcrição e identificação automatizadas 4. The Archaeology of Reading – identificação de marginália em textos impressos 5. The Chymistry of Isaac Newton
  • 42. www.bl.uk 42 Transcrição • Transcriptorium Reconhecimento automático de textos manuscritos – HTR • Digipal Base de dados para paleógrafos • Transcribing Bentham Projeto de participação pública (crowdsourcing) para transcrição de manuscritos • The Book of Margery Kempe Projeto de transcrição incluindo anotações feitas no manuscrito original
  • 43. www.bl.uk 43 Transcrição, reconstrução e visualização de dados • Escravidão, Abolição e Pós-Abolição Transcrição e controle de qualidade de dados • Projeto Old Weather reconstrução de dados sobre o tempo a partir de relatórios de viagens, aventureiros, etc. https://www.oldweather.org/ • Stanford Spatial History: vários exemplos de análise e visualização de dados históricos e literários • Old Bailey: base de dados sentenças judiciais na Inglaterra entre 1676 e 1772 https://www.oldbaileyonline.org/
  • 44. www.bl.uk 44 Projetos de enfoques comunitários (crowdsourcing) para a construção de acervos • Projeto Quipu: coleta de depoimentos sobre esterilização massiva, muitas vezes não consensual, de peruanos no período do governo Fujimori (anos 90) https://interactive.quipu- project.com/#/en/quipu/intro • Cantos Cautivos: experiências de presos políticos na época de Pinochet refletidas através da música • Europeana 1914-18: participação pública na digitalização de acervos pessoais, enriquecendo as coleções institucionais sobre a Primeira Guerra Mundial • Plataforma abertas de crowdsourcing: Zooniverse
  • 45. www.bl.uk 45 Geo-referencialidades • BL Maps • Old Maps • Mapas em livros digitalizados e disponíveis na plataforma Flickr
  • 46. www.bl.uk 46 Apresentação interpretativa • Museu do Mundo (British Museum e Google) • História da Mente (Wellcome Collection) • Electronic Beowulf (Universidade de Kentucky e BL)
  • 49. www.bl.uk 49 Explorando as estantes • Projeto parte do BL Lab com o objetivo de oferecer métodos alternativos de acesso a coleções digitais para o público em geral, permitindo aos usuários navegar através de volumes na maneira em que estes se encontram fisicamente organizados. • http://ir.computing.edgehill.ac.uk/apps/explore-the-stacks
  • 51. www.bl.uk 51 Realidade aumentada • Mundo real perecebido através de telas que adicionam dados complementares aos objetos, pessoas, etc. • Informação (dados, imagens 3D, fotografias, etc) é sobreposta àquilo que se vê em tempo real.
  • 52. www.bl.uk 52 Tags (marcadores) • Utilização de palavras ou frases para descrever e/ou classificar objetos • Modelo de Folksonomia • Por meio das tags, o usuário pode então recuperar informações e compartilhá-las. Pode visualizar as tags de outros usuários, assim como identificar o grau de popularidade de cada tag no sistema, e acessar as informações relacionadas a uma tag específica. Explore.bl.uk
  • 53. www.bl.uk 53 Tagueamento • BBC World Service Radio Archive (tag de audio) • sift.pic (tag de fotografias - Estônia) • Rijksmuseum – Acccurator (exemplo de tageamento para artes visuais) • Snapshot Serengeti https://www.snapshotserengeti.org/ (identificação de animais) • The US National Archives ‘Citizen Archivist’ dashboard https://www.archives.gov/citizen-archivist
  • 54. www.bl.uk 54 Catálogos eletrônicos • Comportamento informacional na era eletrônica gerou novos modelos de encontrar informação (ao invés de simplesmente buscá-la) • Catálogos em instituições de memória cultura têm de adaptar a este novo contexto • Modelos das mídias sociais vêm sendo utilizados para ampliar as possibilidades de acesso à informação, ex: http://westportlibrary.org/
  • 55. www.bl.uk 55 Catalogação: uso do crowdsourcing • Ficheiro de publicações chinesas • Objetivo: retro-conversão de 48.000 titulos chineses utilizando a plataforma Libcrowds com resgate de metadados disponíveis na OCLC integrando-os ao catálogo da BL: http://www.libcrowds.com/
  • 59. www.bl.uk 59 Novos modelos de busca • Busca de informação através de imagens ex: Google Sugestões de lnformação Ex: Amazon Tecnologias de voz a texto ou reconhecimento de áudio Ex: Shazam, Google voice, etc.
  • 60. www.bl.uk 60 Compartilhamentos de Metadados • Facilitar descoberta de conteúdos • Compartilhamento gerando maior visibilidade de acervos 1. Europeana https://www.europeana.eu/portal/pt 2. Biblioteca Digital da América https://dp.la/ 3. World Digital Library 4. WorldCat

Notas do Editor

  1. Part of grant – sample images and lists within first three months of being awarded the grant. Guidelines on the EAP website on what to consider purchasing, guidelines copying, guidelines for Excel spreadsheet lists, and a Template. Guidelines Standards for digital images General points Preservation copies must not be enhanced or modified. This includes cropping or colour corrections. Each page must be copied on its own. Weights or Melinex sheets may be needed to flatten documents. Fingers or pencils should not be used to hold down a page. A colour checker and ruler must be included on every page. You must ensure there is sufficient space between the item being digitised and the checker/ruler, both to allow for the edge of the item to be fully captured and for any cropping that may be required in the future. The entire page should be included; the edge of the paper must not be cropped out of view. If you are photographing a bound volume, the margin should be included. Minimum digital file standards The images must be uncompressed TIFF files; you may need to convert uncompressed RAW files to TIFF. JPEG files are not suitable. The file size should be roughly 30MB at A4 size The minimum resolution and colour quality are as follows: Capture standards This image includes a ruler and colour checker There is ample space between the ruler/colour checker and document. There is no distortion of the item because it was take directly overhead. The characters are clear and in focus; the edges of the page are sharply defined. There is a plain underlay that contrasts with the item being photographed.
  2. EAP Curator’s Role All aspects of collection management of the surrogate copies of collections preserved under the Endangered Archives Programme within the BL. Offering advice to recipients of research grants re: professional issues relating to collection management including digital copying of archival material Preparation of text relating to surrogate collections and archival threats, etc. for the EAP web-pages To check the quality of project outputs created by the projects and provide advice as needed – sample images and lists sent within first three months of being awarded the grant or ideally once they start digitising. L-R Top row EAP031 The Treasures of Danzan Ravjaa , Dorngobi, Mongolia, Mr Namgar photographing the manuscripts digital photographs of a rare privately-owned cache of Mongolian and Tibetan manuscripts that were spared from the communist repression and recently unearthed from caves in the Outer Mongolian province of Dorngobi. (2005) EAP039: Digital documentation of manuscript collection in Gangtey, Bhutan (2005) EAP373: Documenting, conserving and archiving the Tai Ahom manuscripts of Assam (awarded 2010 – ongoing) Bottom row EAP372 Preserving early periodicals and newspapers of Tamilnadu and Pondichery (awarded 2010 – ongoing) EAP089: Reconstruction of sound materials of endangered languages in the Russian Federation for sound archives in Saint Petersburg (2006 – completely catalogued) (EAP608: Syliphone Graeme Council) EAP584: Preserving memory II - documentation and digitisation of palm leaf manuscripts from Kerala, India Written in languages such as Malayalam, Sanskrit, and Arabic, these manuscripts are spread all over the region in state-sponsored repositories and archives, private, religious and educational institutions as well as family collections. (2012 – just sent in first sample images)