SlideShare uma empresa Scribd logo
Monografia
turística do
roteiro
Guia: Mauro Friedrich
maurofriedrich@gmail.com
Abril de 2017
Versão 3
Área territorial: 9,976
milhões km2 (7% da
superfície total do planeta
Terra, sendo considerado o
2º maior país do mundo,
após a Rússia). O Brasil tem
área territorial de 8,5
milhões de km2.
População: 36 milhões
de habitantes (2016) – 89%
do território canadense
não possui população
permanente. Cerca de 80%
dos canadenses vive em
grandes centros urbanos a
cerca de 400 quilômetros
da fronteira com os EUA. De Norte a Sul = 5,5 mil km
De Leste a Oeste = 4,8 mil Km
Dados geográficos
Províncias & Territórios Sigla Capital Área ( mil km2) População Linguas
1 Yukon (território) YT Whitehorse 482 37 mil Inglês/Francês
2 British Columbia BC Victoria 945 4,3 milhões Inglês
3 Northwest Territories
(território)
NT Yellowknife 1.346 42 mil Ing/Fra /Outras
4 Alberta AB Edmonton 661 3,3 milhões Inglês
5 Saskatchewan SK Regina 651 1 milhão Inglês/Francês
6 Manitoba MB Winnipeg 647 1,2 milhões Inglês
7 Ontario ON Toronto 1.076 13 milhões Inglês/ Francês
8 Quebec QC Quebéc Ville 1.542 8,3 milhões Francês
9 Nova Scotia NS Halifax 55 936 mil Inglês
10 Newfoundland & Labrador NL Saint Johns 405 508 mil Inglês
11 New Brunswick NB Fredericton 72 749 mil Inglês/Francês
12 Prince Edward Island PE Charlottetown 5,6 139 mil Inglês
13 Nunavut (território) NT Iqaluit 2.093 31 mil Ing/Fra/Outras
Marcos históricos até o século XVI – Os primeiros europeus
1000 – Viagens dos navegadores Vikings na costa oriental
do Canadá.
1473 – O explorador português João Vaz Corte Real navega
pelo leito do rio São Lourenço. Exploração da pesca de
bacalhau nas águas do Atlântico norte.
1497 – O navegador italiano Giovanni Caboto (John Cabot)
navega pelo leito do rio São Lourenço, e reivindica a terra
em nome do rei da Inglaterra, Henrique VII.
1534 a 1539 – Viagens exploratórias do francês Jacques
Cartier que chega navegando o rio São Lourenço até a ilha
de Montreal. Criação da Nova França nas terras do Canadá.
1541 – Chegada dos primeiros 20 colonos franceses para se
estabelecer no Quebéc.
1547 – Nome “Kanada”, adotado por Jacques Cartier,
aparece em mapas como denominação da região.
.
Marcos do século XVII – Descobertas e ocupação francesa
1604 a 1618 – O geógrafo francês Samuel de Champlain, a partir de Quebéc Ville, conclui a exploração do rio São
Lourenço
1608 – Fundação de Quebéc Ville por Samuel de Champlain, na região de uma antiga aldeia de nativos Huron
(atualmente, reduzida à reserva nativa de Wendake, nos arredores de Quebéc Ville).
1610 – Henry Hudson, navegador inglês, batiza com seu nome o grande golfo do norte canadense. A partir deste
ponto a Companhia da Baía de Hudson dos Aventureiros da Inglaterra inicia uma violenta concorrência comercial
com os franceses pelo controle do comércio de peles de animais com os nativos do Canadá. A empresa existe até
hoje no Canadá, com o atual nome de Le Bay no ramo do comércio de roupas e acessórios. A pele de rabo de
castores era muito usada na Europa para confecção de chapéus finos.
1615 – O lago Ontario foi atingido pelos navegadores europeus que navegaram o leito do rio São Lourenço.
Fundação de Toronto (nome dado pelos nativos e Fort Rovilé, denominação dos franceses) pelos comerciantes de
peles franceses, como entreposto comercial.
1617 a 1632 – Guerra entre franceses e ingleses interrompeu os primeiros progressos da colonização francesa no
Canadá.
1635 – Samuel de Champlain morre, e a população de origem francesa no Canadá não passava de 200 pessoas,
enquanto a população inglesa já atingia a marca de 40 mil pessoas em toda América do Norte.
1642 – Paul de Chomedey de Maisonneuve, militar francês, funda Ville-Marie (atual cidade de Montreal) na ilha
onde havia a aldeia dos nativos Hochelaga (descoberta em 1535 por Jacques Cartier), com o objetivo da
evangelização dos povos nativos. Mas por volta de 1650, a vila já se transformara num centro de comércio e de
ocupação de colonos franceses.
1660 - Abertura da primeira trilha do Chemin du Roy (atual rodovia 138) nos arredores de Quebéc.
1663 –Luis XIV, rei da França, reintegra o Canadá ao domínio real, dotando-o de administração eficaz e
concedendo o monopólio do comércio canadense à Companhia das Índias Ocidentais.
1672 – Louis de Buade Frontenac, Conde de Buade, nobre francês, torna-se o primeiro Governador Geral do
Canadá Francês. Sua administração autoritária e faustosa fica sediada em Quebéc Ville, e traz prosperidade ao
território. Porém as brigas com os ingleses eram constantes.
1678 – O explorador francês Pache Hannepin descobre as Cataratas do Niagara.
1690 – Último ano de resistência francesa aos ataques ingleses, com a morte do general francês Montcalm.
Marcos do século XVIII – Os Britânicos estão chegando
1756 – 1763 – Guerra dos Sete Anos entre a Inglaterra e a França. A guerra europeia teve
reflexos no Canadá. A cidade de Quebéc foi tomada pelos ingleses em 1759, que passou a
dominar o comércio fluvial do rio São Lourenço. Pelo Tratado de Paris de 1763, a França cedeu
à Inglaterra quase todo território canadense em seu poder. Essa supremacia do poder militar
inglês na região abriu caminho para a ocupação dos territórios do Canadá pelos Loyalists, 20
anos depois.
1774 – Leis do Québec procuram acomodar as leis inglesas à cultura e ao modo de vida dos
franceses, mas ingleses e franceses divergiam em quase tudo (inclusive na religião).
1775 - 1783 – Colonos ingleses estabelecidos nos EUA deixam suas terras (descontentes com os
rumos da Revolução Norte-Americana que resultou na independência dos EUA). Nesta época, 2
milhões de colonos viviam nos EUA. Os “insatisfeitos” se autodenominaram “Loyalists” (termo
em inglês que designava os adeptos da Lealdade ao governo monárquico britânico, mesmo
vivendo em regime de governo colonial). Os Loyalists deslocam-se para refugiar-se nas terras da
Nova França, na parte mais alta da bacia do rio São Lourenço, dando origem ao nome do
território de “Upper Canadá” (Canadá Superior).
1787 – Os ingleses compram as terras de Toronto (hoje a maior cidade do Canadá) dos nativos
Missisauga ao preço de 1.700 libras esterlinas e alguns presentes.
1791 – O Ato Constitucional do Canadá cria as províncias do Upper Canadá (Ontário) e o Lower
Canada (Quebéc), separando territorial e institucionalmente os anglófonos dos francófonos.
1791 – 1796 – A vila de Newark mudou de nome para Niagara-on-the –Lake, às margens do
lago Ontário, tornando-se a primeira capital inglesa do Upper Canadá por apenas 5 anos.
1796 – O primeiro governador militar inglês do Canadá, Coronel John Graves Simcoe, funda na
região de Toronto a vila do Fort York, tornando-a a capital do Upper Canadá, que foi transferida
da vila de Niagara-on-the-Lake.
1796 – 1799 – Construção do Fort George em Niagara-on-the-Lake para substituir o Fort Niagara
(construído em 1790)
Marcos do século XIX – Surgimento do país moderno
1803 a 1815 – As Guerras Napoleônicas travadas na Europa pelo Imperador Napoleão I e demais nações europeias, em
especial a Grã-Bretanha, concorreram para as repercussões na história dos EUA e Canadá.
1812-1814 – Aproveitando-se de que ingleses e franceses lutavam entre si na Europa, o governo dos EUA já em processo
de consolidação de seu poder militar, abre guerra contra os ingleses na América do Norte, e avançam sobre os territórios
de Ontário. Os EUA buscavam a expansão de seus territórios e poder, e acreditavam que os Loyalists iriam aprovar a ideia
de anexação do seu território aos EUA. Houve intensas batalhas nos Grandes Lagos e na região de Niagara. Fort York
(atual cidade de Toronto) foi tomada e queimada pelos americanos, colocando um ponto final nas invasões. Em 1813,
Toronto foi atacada e queimada pelos norte-americanos. Os britânicos chegaram a “dar o troco” ao ocupar a cidade de
Washington e por fogo na Casa Branca ( de onde vem a origem do nome, “casa pintada de branco após o incêndio”). A
guerra acabou em empate para os EUA e os britânicos.
1820 – 1840 – Para evitar novas invasões a seus territórios na América do Norte, os ingleses aprovaram medidas de
oferecer terras gratuitas no Canadá à colonos súditos da Inglaterra, e quase provoca uma séria crise econômica na Grã-
Bretanha. Num período de 20 anos, mais de 1,5 milhões de britânicos cruzaram o Atlântico em busca de uma vida
melhor em Ontario.
1826 – 1832 – Construção do Canal Rideau entre as cidades de Kingston e Bytown (atual cidade de Ottawa, capital do
Canadá) pelo tenente- coronel inglês John By.
1829 - Construção dos 42 km de extensão do Canal Welland, ligando com canal navegável os lagos Érie e Ontário,
permitindo o acesso da navegação aos 5 grandes lagos da América do Norte.
1832 – 1836 – Construção pelos ingleses do Fort Henry em Kingston, às margens do rio São Lourenço.
1846 – Foi estabelecido o paralelo 49 como linha de fronteira terrestre entre os EUA e Canadá.
1860 – Construção do primeiro prédio do Parlamento canadense em Ottawa. Construção da Ponte Victoria sobre o rio
São Lourenço, na cidade de Montreal para ligar à margem direita do rio. Na época, foi considerada a 8ª. Maravilha do
mundo, em termos de Engenharia.
1861 – 1865 – Guerra de Secessão dos EUA levou os britânicos a suspeitar que os EUA tentariam mais uma vez a
anexação de territórios no Canadá.
1867 – Em 20/03/1867, o Ato da América do Norte Britânica cria o Dominion , estendendo as fronteiras do Canadá até a
costa do Pacífico, incluindo as províncias e territórios onde foram descobertas minas de ouro. Canadá (Quebec e
Ontario), New Brunswick e Nova Scotia formam a Confederação Canadense de 1867. O advogado escocês John A.
Macdonald, nascido em 1815 e cuja família emigrou para Kingston em 1820, tornou-se o primeiro Primeiro Ministro da
Confederação Canadense.
1869 – O governo inglês cedeu ao Canadá os territórios do Oeste e do Norte que haviam pertencido à Companhia da Baía
de Hudson.
1871 –Ingresso da província da British Columbia na Confederação após a construção da ferrovia Canadian Pacific
Railway.
1876 – Foi completada a Ferrovia Intercolonial entre as cidades de Halifax e Quebéc Ville.
Marcos históricos do século XX
1896 a 1911 – Governo do primeiro ministro franco-canadense, Wilfrid Laurier, que reforçou a autonomia
do Canadá, criando a Marinha (atual Forças Armadas do Canadá) e Ministério do Exterior (num país que não
era oficialmente independente da Inglaterra).
1912 – Inauguração do hotel de luxo Chateau Laurier em Ottawa. Mesmo ano em que o transatlântico inglês
Titanic afundou nas costas do Canadá.
1914 -1918 – Cerca de 424 mil soldados (dos quais morreram 52 mil em combate) formaram as tropas
canadenses durante as batalhas da I Guerra Mundial, lutando ao lado das Forças Armadas Britânicas e seus
aliados dos Estados Unidos. Após a guerra, o Canadá passa a ter importância e peso na política mundial.
1917 – Construção da primeira usina hidrelétrica canadense no rio Niágara.
1/07/1930 – Inauguração do Chateau Montbelo, um dos maiores hotéis construídos no mundo com toras de
madeira.
1959 – Construção da Saint Laurence Seaway (Via marítima do rio São Lourenço), sistema de comportas e
vias navegáveis que permitiu a navegação de grandes navios modernos pelo rio até os grandes lagos.
1962 – Com a desistência de Moscou, na Rússia, Montreal é escolhida como sede da Expo 67. Diversas obras
de infraestrutura urbana são iniciadas na cidade de Montreal, incluindo o sistema de Metrô.
1967 – Exposição internacional Expo 67 é realizada em Montreal. Foi visitada por 50 milhões de pessoas, um
recorde ainda não superado em exposições internacionais até hoje.
1970 – Completada a rodovia Transcanadense, ligando por terra a costa leste e oeste do país, num percurso
de 7.821 km de extensão.
1975 – 1976 – Construção em estrutura de concreto e abertura da CN Tower em Toronto, com 553,33
metros de altura foi considerada até 2012 a primeira mais alta torre do mundo. Desde 2016 é a 3ª. mais alta
do mundo, depois da Torre de Tóquio e a Torre de Cantão, na China.
1976 – Montreal sediou os Jogos Olímpicos de Verão, quando construiu seu parque olímpico e aumentou o
sistema de Metrô.
1982 - O Canadá torna-se oficialmente um país independente politicamnente da Inglaterra, mas mantém o
sistema de governo parlamentarista e monárquico.
1999 – Criação da província de Nunavut, a última a ser incluída na Confederação do Canadá.
Dólar Canadense
Desde 1/1/1858 o dólar canadense é a moeda do pais, mas somente em 1935 a emissão de moeda no país
ficou concentrada no Banco Central do Canadá, e os demais bancos do país não poderiam mais emití-la.
Nas transações correntes do dia-a-dia dos turistas, o dólar norte-americano é aceito no comércio canadense,
mas o troco é dado em moeda canadense.
A taxa de câmbio é flutuante: CAD 1,00 = USD 0,74 (média de Novembro de 2016).
Dados Sócio - Econômicos
Histórico Setor Primário
(Agropecuária)
Setor Secundário
(Indústria)
Setor Terciário
(Serviços)
Observações
PIB 2016 2% 32% 66%
10ª. Maior economia do
Mundo
Força de Trabalho
de 18 milhões de
pessoas.
Bom nível de
instrução e
educação
Trigo (um dos maiores
produtores mundiais)
Agropecuária
mecanizada
RECURSOS NATURAIS
Rios e lagos
48% de seu território
são de florestas (papel,
celulose, madeira)
Petróleo
Gás Natural
Níquel (*)
Zinco (*)
Urânio (*)
Ouro
Prata
Cobre
Molibdênio
Amianto
Indústria automobilística
integrada com os EUA
desde 1965
Energia Elétrica
Hidro-Quebéc é o maior
produtor e exportador
para os EUA
60% - Hidrelétricas
18% - Usinas nucleares
12% - Usinas a gás
natural
8% - Termelétricas a
carvão
2% - Outras fontes de
geração
5º. País em movimento
de turistas no mundo
(*)
Entre as maiores
reservas mundiais
73,7% de suas
exportações são para os
EUA, na base de CAD 1,4
bilhões por dia.
Produtos canadenses
destinam-se a 35 estados
dos EUA (que tem 50
estados)
Membro do Nafta com
EUA e México de 1994
Lago Ontario
(Canadá & USA)
Rio Niagara Lago Erie (Canadá & USA)
Kingston (nascente do São Lourenço)
Ilha de
Montreal
(Seaway de
1959)
Região das Mil Ilhas (área de navegação
perigosa para grandes navios)
Quebéc, ponto mais
estreito do rio
Canal Welland
5 Grandes Lagos, acessíveis ao
mar pelo rio São Lourenço.
Lago Ontario
Kingston (nascente)
Thousand Islands
Quebéc/Lévis (ponto
mais estreito do rio)
Península de Gaspé
Golfo do São Lourenço
(maior estuário do mundo)
Extensão do rio: 3.058 km
Extensão de vias navegáveis:
4.023 Km
Costa Leste do Canadá
Regiões visitada no tour rodoviário
Toronto
Niagara Falls
& Niagara
on the Lake
Região das Mil Ilhas no Rio
São Lourenço
Ottawa &
Gatineau
Ilha de
Montreal
Bertrhierville,
Trois Riviéres,
Cap de Madaleine
(Chemin du Vin e Chemin du Roy)
Quebéc,
Ilha de
Orleans, Levis
Província de Ontário
Mais populosa província do
Canadá, com 13,4 milhões de
habitantes (2014) (40% dos
canadenses) e área territorial de
1,068 milhões de KM2
(superfície maior do que a região
Sudeste do Brasil)
Uma das mais ricas províncias do
país; centro econômico-
financeiro, político e cultural.
Seus recursos hídricos (rios e
lagos) são suas maiores riquezas
naturais. Cerca de 50% dos
produtos industriais do país são
produzidas em Ontario, na região
entre Toronto e Hamilton.
O nome Ontario origina-se do
lago do mesmo nome. Em
língua nativa dos Iroquois
significa “águas brilhantes”.
O primeiro nome da província
em inglês foi Upper Canada,
por estar na parte alta da bacia
dp rio São Lourenço.
Cidades de Ontario que já foram capital do Upper Canada:
1792 a 1796 – Niagara (atual Niagara on the Lake, após 1880)
1796 a 1813 – York (atual Toronto, após 1834) População: 240 pessoas
Cidades de Ontário que já foram capital do Canadá:
1841 – 1844 – Kingston
1844 a 1865 - Montreal e Quebéc (QC) e Toronto (ON) (alternância)
1866 até hoje – Ottawa (ON) (escolhida pela Rainha Victoria, da Inglaterra)
Toronto, a capital da Província de Ontario e a maior cidade do país
Em língua indígena, Toronto
significa “lugar de encontro para
o comércio”.
O explorador francês Etienne
Brulé estabeleceu ali um posto
comercial em 1615 para troca
de peles de animais com os
nativos. Era conhecido como
Fort Rovillé.
John Graves Simcoe,
primeiro governador
inglês do Upper Canada,
resolve em 1793
estabelecer ali o Fort
York, e em 1796 transfere
a capital do Canadá de
Niagara on the Lake para
Toronto.
Com a queda do regime
francês, os ingleses
compram as terras de
Toronto dos nativos
Mississauga em 1787,
em troca de 1.700 libras
esterlinas e alguns
presentes
Principais vias Leste/Oeste
Hotel
Chelsea
Flatiron Building, o primeiro arranha-céu construído na cidade num estilo misto romanesco e gótico francês
em 1892, dez anos antes da construção do Flatiron da cidade de Nova Iorque. O nome oficial do prédio era
Gooderham, uma destilaria que tinha ali seus escritórios até 1952. Tornou-se ponto histórico em 1975,
quando Toronto viveu a era da grande expansão imobiliária. Em 2005, o prédio na 49 Wellington Street East
foi vendido por CAD$ 10,100 milhões.
Prédio central da Gooderham & Worts Distillery, complexo de 40 prédios industriais e 10 ruas na Mill Street,
datados de 1832 a 1860. Numa área de 13 acres está o maior complexo de prédios industriais da era Vitoriana
na América do Norte. Localiza-se na região mais antiga de Toronto. Foi uma das maiores destilarias de whisky
do mundo (produziu mais de 7,7 milhões de litros da bebida, exportada para todo mundo). Desde 2003 o lugar
foi transformado em centro cultural com bares e restaurantes. Região da vida boêmia da cidade de Toronto.
O complexo de prédios da Prefeitura de Toronto na Natham Philips Square reúne a antiga torre do prédio da
Prefeitura (construção de 1887 a 1889) com a moderna ala de prédios com estruturas curvas (construção a partir de
1961 e inaugurada em 1965). Entre 1870 e 1955, a área da praça era onde estava o paupérrimo bairro de Chinatown e
era conhecido como THE WARD district.
O Royal Bank Plaza, moderno edifício do centro financeiro de Toronto, com suas janelas de vidro revestidas com
película de ouro, é a sede do RBC – Royal Bank of Canada, banco fundado na província de Nova Scotia em 1864, e
atualmente a maior instituição bancária privada do país.
O Chinatown de Toronto na Spadina Street tem a sua origem na imigração de chineses da Califórnia a partir de
1890. Oficialmente, o primeiro cidadão chinês de Toronto cadastrado foi Sam Ching que abriu um negócio de
lavanderia manual em 1878 na Adelaide Street. Os chineses formavam a mão de obra barata usada nas construções
de ferrovias, mineração, comércio e serviços após 1849 na costa oeste da América do Norte. A atual região de
Chinatown data dos ano 1955. O atual bairro de Chinatown era até 1955 o bairro judeu da cidade. Desde 1970, a
sinalização local é também em chinês.
Bloor Street é o centro de comércio sofisticado da cidade. Aqui centenas de lojas de marcas internacionais
disputam os sofisticados clientes que buscam lazer e produtos na região. O nome da rua homenageia o comerciante
Joseph Bloor, o fundador do distrito de Yorkville (bairro residencial da classe alta da cidade) e criador dos primeiros
trechos da rua em 1830. A rua corta a cidade no sentido leste a oeste.
A Casa Loma (construída entre 1911 e 1914) pelo mais rico empresário canadense, o financista Henry Pellat, que ali
viveu até 1920. Excêntrico e riquíssimo, Pellat fez fortuna com a exploração de minas de ouro no norte de Ontario e
com a construção de centrais elétricas no país. Construiu sua casa (um luxuoso palácio) numa colina e deu-lhe um
nome espanhol de Casa Loma (uma homenagem a sua esposa que era espanhola). A casa tem quase 100 cômodos,
custou na época CAD$ 3 milhões e foi construída por 300 operários. Pressionado pelas dívidas do Imposto de
Renda, Pellat morreu só com o saldo de CAD 300 em sua conta bancária e na casa de seu motorista particular, o
único que não o abandonou em vida.
A CN Tower (Canadian National Tower) foi construída em 1975 e inaugurada em 1976, às margens do lago Ontario,
como torre de emissão de sinais de TV, pois nos anos 1970 a cidade teve um grande incremento na construção de
grandes edifícios e não dispunha de colinas para colocação de torres. Medindo 553,33 metros de altura, foi
considerada, durante 32 anos consecutivos a mais alta do mundo, sendo ultrapassada em 2007 pela torre Burj
Khalifa (EAU) em Dubai. Desde 2012 , é considerada a 3ª. Torre mais alta do mundo ( a primeira está em Tóquio com
634 metro – de 2012 - e a segunda, em Cantão, China com 610 metros – de 2010). A torre da Amazônia, no Brasil, de
2014, com 325 metros de altura, é a 16ª. maior do mundo.
O estádio de Baseball Roger Centre (ex-Skydome, assim denominado de 1989 até 2005, quando mudou de nome) é a
sede do time de Toronto, The Blue Jays, foi inaugurado em 3/06/1989 e dispõe de uma curiosa cobertura retrátil que
permite seu uso durante o inverno rigoroso do Canadá. Tem capacidade para 50 mil espectadores sentados e recebe
uma média de 3,5 milhões de visitantes por ano. Está ao lado da CN Tower e vizinho ao Centro de Convenções de
Toronto. Tem também um hotel de luxo, cujos apartamentos mais caros tem vista para o campo de jogo. A escultura
mais popular do estádio é obra de Michael Snow, The Audience, (foto) é um dos cartões postais da cidade.
Niagara-on-the Lake,
cidade histórica do
Canadá. Foi batizada
com este nome para
diferenciar-se de
Niagara Falls, que é
da mesma região.
Niagara Falls está
dividida em 2
cidades, uma no
Canadá e a outra nos
EUA.
Na prática, são quase
a mesma cidade.
Hamilton, Ontário, Canadá está
às margens do lago Ontário e é
importante centro industrial de
minérios de ferro. Tem 424 mil
habitantes.
Canal Welland = ligação fluvial entre os lagos Ontario (81 metros
sobre o nível do mar) e Erie (189 metros sobre nível do mar)
Construído em 1829 // 8 eclusas (261 metros X 24 metros)
Cruzado por 11 pontes levadiças e viadutos e 3 túneis sub-fluviais (
Thorold – 1968/ Main Street Welland – 1972/ Towline – 1973)
Dimensões atuais de todo o sistema do canal:
Extensão: 42 km
Profundidade: 8,20 metros
Nível do mar
Niagara
River
Lake Erie
Lake
Ontario
Niagara Falls
iluminada à
noite.
Niagara Falls, Ontario, Canada
(Clifton Hill)
Niágara = nome nativo
de “águas do trovão”
Niagara Falls, Ontario,
Canada Niagara Falls, NY,
USA
Goat
Island,
NY, USA
Rainbow
Bridge
(Canada/EUA)
O estádio de Baseball Roger Centre (ex-Skydome, assim denominado de 1989 até 2005, quando mudou de nome) é a sede do time de Toronto, The Blue
Jays, foi inaugurado em 3/06/1989 e dispõe de uma curiosa cobertura retrátil que permite seu uso durante o inverno rigoroso do Canadá. Tem capacidade
para 50 mil espectadores sentados e recebe uma média de 3,5 milhões de visitantes por ano. Está ao lado da CN Tower e vizinho ao Centro de Convenções
de Toronto. Tem também um hotel de luxo, cujos apartamentos mais caros tem vista para o campo de jogo. A escultura mais popular do estádio é obra de
Michael Snow, The Audience, (foto) é um dos cartões postais da cidade.
Niagara Falls, Ontario,
Canada
Niagara Falls, Ontario, Canada
(Clifton Hill) – a área das lojas, bares e
restaurantes da cidade.
Niagara Falls, Ontario, Canada
Oakes Garden
Niagara Falls, Ontario,
Canada Niagara Falls,
NY, USA
Horseshoe Falls
(Canada)
Altura: 54 metros
Largura: 675
metros
American Falls
(EUA)
Altura: 56 metros
Largura: 320 metros
Rainbow Bridge (Canada/EUA) - construída em
1941 sobre o rio Niágara, ligando as duas cidades
com o nome de Niagara Falls (a canadense e a
norte-americana)
Horneblower Boat
tour at Niagara
River.
Cruzeiro de 45
minutos.
Os Daredevils de Niagara. (os Intrépidos de Niagara) formam um grupo de 12 pessoas que ao longo da história
desafiaram a morte, saltando das cataratas, em busca de fama e dinheiro.
A maioria só encontrou a morte.
1829 – Sam Patch foi o primeiro saltador a registrar a tentativa.
1886 –C.D. Grahan foi o primeiro a descer o Niagara Rapids num barril de madeira.
24/10/1901 – A professora norte-americana Annie Taylor, comemorando seus 63 anos de idade, fez o salto das
cataratas dentro de um barril de madeira com seu gato e foi a primeira que saiu viva, mas morreu na pobreza 20
anos depois, aos 83 anos de idade.
Escola de Horticultura de Niagara, criada em 1936 pela Comissão de
Parques do Niagara, para formação de jardineiros qualificados para
manutenção do parque (forma cerca de 350 profissionais anualmente).
Os jardins do parque de Niagara são reconstruídos anualmente, tanto no
inverno como no verão.
O rio Niagara tem 56 km de extensão, ligando os lagos Erie e Ontário, sendo navegável acima e abaixo das cataratas.
Desde 1820, o Turismo é importante atividade econômica (5º maior do mundo). Porém destaca-se a produção agrícola
com frutas (uvas) entre outros vegetais alimentícios, como uma das maiores do Canadá. A agropecuária responde por
2% do PIB do país.
Niagara é conhecida desde os anos 1900 como a “capital
mundial da lua de mel” (Honeymoon capital).
Cerca de 50 mil casais viajam anualmente à Niagara para
festejar as suas núpcias. O Centro de Turismo da cidade j´á
emitiu até hoje cerca de 1 milhão de certificados, assinados
pelo Prefeito da cidade, confirmando que o casal é um
Niagara Official Honeymooner.
Niagara tem a menor capela de madeira para casamentos
(capacidade de no máximo 6 pessoas lá dentro).
Acredita-se que a fama do local deveu-se a dois
honeymooners da alta-sociedade norte-americana que
deram origem a tradição:
1801 – As núpcias de Theodosia, filha do 3º. Vice-
Presidente dos EUA, Aaron Burn.
1804 – As núpcias do irmão de Napoleão Bonaparte,
Jerome, que viajou de carruagem de New Orleans até
Niagara para a lua de mel.
Relógio Floral de Niagara foi construído em 1950 pela empresa Ontario
Hydro nas proximidades da Hidrelétrica Adams Beck No. 1. Foi inspirado no
relógio floral de 1902 de Edinbumrg, Escócia. São necessárias 19 mil plantas
para cubrí-lo, e é refeito 2 vezes durante o verão. Os ponteiros representam 2
muletas em homenagem às pessoas desabilitadas. Desde 1977 é mantido
pela Escola de Horticultura.
Niagara-on –the –Lake tem 13 mil habitantes, e
originalmente era chamada de Newark. Hoje, uma
pequena cidade turística, foi criada pelos
Loyalists e tornou-se a primeira capital do Upper
Canada entre 1761 e 1796. Entre 1796 e 1799, foi
construído ali o Fort George, para substituir o Fort
Niagara (de 1790). Os ingleses queriam proteger
seu território dos norte-americanos recém
independentes, á época.
VIAGEM RODOVIÁRIA DE
TORONTO A OTTAWA, VISITANDO
AS MIL ILHAS DO RIO SÃO
LOURENÇO
Partida de
Toronto, ON,
pela Road 401
East
Parada Técnica em Colborne, Exit 497 Higway 401 East,
(115 km de Toronto e 112 km de Kingston e 270 km de Ottawa).
Big Apple World (Aberto diariamente das 7,30 às 21 horas)
Rockport, ON, Thousand Islands Highway (porto do cruzeiro)
Ottawa,ON,
destino
final
Rockport, Ontario.
Porto do cruzeiro às Mil Ilhas
Thousand Islands
(Mil Ilhas)
no rio São Lourenço
Boldt Castle na ilha Coração (1900)
A região das “Mil Ilhas” tem cerca de 1.864 ilhas ao longo de um trecho de águas binacionais do rio São Lourenço.
Cerca de 2/3 das ilhas (1.242 delas) estão no território canadense. A maior delas tem 100 km2 de área, e as
menores (para serem consideradas ilhas) tem uma área mínima de 1 metro quadrado acima do nível da água
durante 365 dias e devem suportar a vida de no mínimo 3 árvores sobre ela.
A navegação aqui é considerada bem difícil pois há passagens estreitas e pouco profundas entre as ilhas. A região foi
também palco da Guerra de 1812 – 1814, e conta a lenda que um oficial inglês explorou a região, dando nome as
principais ilhas em homenagem à família real britânica. Já as ilhas menores, o mesmo oficial teria batizado com
nomes de soldados de seu batalhão.
Ottawa, ON, é
banhado pelo rio
Ottawa, que divide as
províncias de Ontário
e Quebéc.
A capital federal do Canadá, localizada às margens do rio Ottawa, é hoje uma cidade com 812 mil habitantes
(cerca de 1,456 milhão de habitantes na sua região metropolitana), no censo de 2006.
Surgiu como modesta povoação entre 1826 a 1832, com a criação do acampamento militar chamado de
BYTOWN (em homenagem ao Tenente Coronel Engenheiro inglês John By, o responsável à época pela
construção do Canal Rideau, ligando os rios Ottawa, Rideau e Cataraqui, permitindo o acesso de tropas navais
até a base militar inglesa de Kingston). Nesta época, os ingleses ainda estavam ressabiados com os efeitos da
Guerra de 1812-1814 entre os EUA e Canadá. Em 1850, mudou de nome para Ottawa, e já contava com 10
mil habitantes.
Em 1840, o Upper e o Lower Canadá foram unificados e durante 17 anos as cidades de Kingston, Toronto,
Montreal e Quebéc sediaram a capital em períodos diferentes e rotativos.
Em 1857, a então Rainha Victoria da Inglaterra (e rainha do Canadá também) decidiu por fixar a capital em
Ottawa, alegando 3 motivos básicos.:
a) Localização distante da fronteira dos EUA (que já haviam tentado tomar o Canadá da Inglaterra entre
1812 e 1814.
b) Localização em Ontario (província de cultura predominantemente inglesa) e fronteiriça com a província
de Quebéc (predomominantemente francófona), permitindo atender aos anseios culturais e
econômicos dos 2 principais grupos étnicos do novo país.
c) Facilidade de acesso por navegação pelo rio Ottawa ao rio São Lourenço pelo Canal Rideau, além da
beleza da região.
Em 1867, com a Confederação do Canadá , Ottawa passou a ser a capital do novo país e já contava com 18
mil habitantes.
Um grande incêndio em 1900 destruiu severamente a cidade (na época com 60 mil habitantes), tendo sido
lentamente reconstruída até 1912 (já com 90 mil habitantes).
Pontiac (1720 – 1769) foi o chefe nativo a
partir de 1755 da tribo dos Ottawa , nação
que vivia na região onde a cidade de Ottawa
surgiu.
Liderou a guerra de 900 nativos de 12
tribos, aliando-se aos colonos franceses,
contra a ocupação dos territórios dos
Grandes Lagos da América do Norte por
colonos ingleses na guerra de 1763 - 1764.
Tentou tomar o Fort Detroit.
Seu nome foi usado como marca de
automóveis GM de 1926 a 2010.
Hotel Delta
O complexo de prédios do
Parlamento Canadense é o
mais conhecido “cartão-
postal” de cidade.
O Canadá é governado por
um sistema de monarquia
parlamentarista:
Rainha do Canadá: Rainha
Elizabeth II da Inglaterra. (é
somente chefe do estado)
Governador Geral do Canadá:
é o representante da rainha
no Canadá (cargo mais
simbólico politicamente,
assinando as leias aprovadas
pelo Parlamento).
Primeiro-Ministro: é o chefe
de estado e também o líder
do partido político que tenha
a maioria no Parlamento
canadense.
O Parlamento canadense é bi-
camarista: Câmara dos
Deputados (Câmara dos
Comuns) e Senado. No verão, estudantes reencenam marchas militares nos jardins do Parlamento na cerimônia de Troca da
Guarda
A cerimônia da “Troca da Guarda”
(Changing of Guards) é realizada nos
jardins do Parlamento desde 1959,
iniciando-se pontualmente às 10
horas da manhã, com duração de 15
minutos, e ao som da banda marcial.
Em 2017, será realizada entre 25 de
Junho a 26 de Agosto, pois é uma
atração turística da cidade no
período do verão canadense.
Além da banda, participam dois
regimentos em formação com seus
uniformes de gala cerimoniais: a
Infantaria do Governador
(equivalentes aos Guardas da Rainha
de Londres) e os Granadeiros do
Canadá.
Nas apresentações, os dois regimentos são formados , em sua maioria, por estudantes
colegiais, universitários (que atuam como atores de um espetáculo e utilizam a função
como um emprego de verão) e reservistas militares. Os militares profissionais atuam
somente nas cerimônias em que a realeza e seus convidados estejam presentes.
Bandeira do Canadá
Bandeira da província de Ontário
Bandeira da província de Quebéc
O 28º. Governador Geral
do Canadá, o advogado
canadense David Loyd
Johnston, é representante
da Rainha da Inglaterra no
país desde 1/10/2010, pois
o Canadá é um país de
regime de governo
parlamentarista
monárquico.
O líder do Partido Liberal, Justin
Pierre James Trudeau (nascido
em 1971) é o 23º. Primeiro-
Ministro do Canadá desde
4/11/2015. É filho do também
ex-primeiro ministro canadense
Pierre Trudeau.
É o chefe do governo do país.
O Parlamento é formado pela Câmara dos Deputados (Câmara dos
Comuns) e pelo Senado. Uma lei federal no Canadá precisa ser aprovada
nas duas câmaras, e sancionada pelo Governador Geral (que endossa a
decisão do Parlamento com a concordância da monarca), para tornar-se
efetiva no país.
Câmara dos Comuns formada por 358
Membros do Parlamento (MPs)
Senado é formado por 105 senadores; Por
tradição, a rainha ou o governador geral só
tem assento no Senado e jamais entram na
Câmara dos Comuns.
Todo o cerimonial do
Parlamento é baseado nas
tradições políticas inglesas.
Uma das mais curiosas é a
figura do Sargento de Armas e
o “Mace” (arma medieval,
atualmente um objeto
decorativo e simbólico), que
representa simbolicamente o
poder concedido pelo monarca
aos membros do Parlamento e
do Senado (cada câmara tem o
seu Mace).
A entrada do Sargento de
Armas e do Mace nas câmaras
é uma cerimônia protocolar
que antecede as reuniões
parlamentares.
Técnicamente, ninguém na sala
de reuniões pode estar
armado, e esta função de
preservação da ordem no local
cabe ao Sargento de Armas.
The Royal Canadian Mace
Embora seja uma figura decorativa e tradicional, a função de Sargento de Armas é um título
de muito prestígio militar no país . O ex- RMCP e Sargento de Armas, Kevin Vickers, em
23/10/2014 disparou sua arma contra um ladrão que ingressou armado no Parlamento,
numa clara demonstração que sua função não é tão decorativa quanto possa parecer.
A Biblioteca do Parlamento foi instituída em 1857 e seu prédio original data de 1876, já tendo sobrevivido a 2 incêndios: em 1916 e
1952. Sei interior é magnificamente decorado com estantes em madeira esculpida, tendo ao centro a estátua em mármore da Rainha
Victoria, da Inglaterra, esculpida em 1871 por Marshal Madeira. Os brasões de armas ali vistos são os das províncias canadenses
existentes em 1876 e um do Domínio do Canadá. A última reforma da Biblioteca data de 2006. O acervo da biblioteca poderia alcançar
cerca de 17 km lineares de prateleiras, e é usado pelos parlamentares e seus assessores nas consultas sobre todos os assuntos da vida
canadense.
Hotel Chateau Laurier (1912) é o hotel
histórico da cidade, construído para
acomodar membros do Parlamento
canadense quando a cidade não
contava com opções de residências .
O Byward
Market é uma
das maiores
concentrações de
bares,
restaurantes e
barraquinhas de
alimentos da
cidade.
Todas as noites os bares e restaurantes desta região da cidade, próxima ao centro e do
Parlamento, são avidamente procurados por turistas e pela população local.
A Fazenda Experimental de Ottawa é órgão de pesquisa do
Ministério de Agricultura do Canadá
O Canal Rideau, construído
entre 1826 a 1836 pelo
tenente coronel inglês John
By, deu início à cidade de
Ottawa.
O canal tem 43 barragens e
24 eclusas operadas
manualmente até hoje.
Durante o inverno, o canal tem menor
volume de água e congela, tornando-se
na maior pista de patinação de gelo do
mundo
National Art Gallery of Canada
O Museu Nacional do
Canadá está localizado na
cidade de Gatineau (QC),
às margens do rio
Ottawa. Ex- Museu da
Civilização do Canadá tem
acervo voltado à
preservação das culturas
nativas do país. Sua
arquitetura simboliza os
iglús dos povos Inuits.
Os povos Inuits são errôneamente
chamados de Esquimós, porém a palavra
refere-se á raça de cachorros que os
ajudam a viver em regiões geladas.
O rio Ottawa serve de divisa entre as províncias de Ontario (onde localiza-se
Ottawa) e Quebéc (onde está a cidade de Gatineau). Na prática o Museu da
História Canadense faz parte das atrações turísticas de Ottawa.
A RESIDÊNCIA OFICIAL DO PRIMEIRO MINISTRO CANADENSE EM OTTAWA: 24 SUSSEX DRIVE
A RESIDÊNCIA OFICIAL DO GOVERNADOR GERAL DO CANADÁ, O REPRESENTANTE DA RAINHA DA INGLATERRA NO PAÍS: RIDEAU
HALL.
Nesta residência oficial são realizadas as cerimônias de encontro de chefes de estado e convidados oficiais do Governo do Canadá
As Forças Armadas canadenses tem o seu batalhão de Infantaria do
Governador Geral (equivalente canadenses dos Queen’s Guards da
Grâ-Bretanha) trajados com jaquetas vermelhas, calças pretas e o
famoso chapéu Pele de Urso (Bearskin) (que mede 50 cm de altura e
pode pesar até 700 gramas cada).
Esse grupamento militar tem a função de prestar serviços de guarda e
segurança aos membros da família real britânica, e no caso do
Canadá, são os encarregados da guarda da residência oficial do
Governador Geral do Canadá, que é o representante oficial da
monarquia inglesa no país.
Originalmente, este batalhão foi criado em 1660 no Exército britânico
no reinado de Charles II. O famoso e icônico chapéu passou a ser
usados pelos guardas após a Batalha de Waterloo, com a vitória da
Grã-Bretanha sobre as tropas de Napoleão.
A região conhecida como “Embassy Row” da cidade está ao redor do prédio do Ministério do Exterior e Negócios Estrangeiros do
Canadá (Lester B. Pearson Building) , que é um prédio moderno, cercado por ruas com grandes casarões onde se localizam as
principais embaixadas e sedes de Alto Comissariados (representação diplomática de países membros do British Commonwhealh,
do qual o Canadá também é país membro)
Royal Canadian Mounted Police (1920)
O Canadá talvez seja o único país do mundo cuja Polícia Montada é um
símbolo nacional: popularmente conhecidos como “The Mounties.”
Na verdade exercem a função de Polícia Federal do Canadá (incluindo
fiscalização de fronteiras), tendo sido formada em 1920, com a união das
equipes da Polícia Montada do Noroeste (criada em 1873) e a Polícia do
Dominion ( criada em 1868). O termo Royal foi agregado em 1904 durante
o reinado de Eduardo VII.
A RCMP tem pouca atuação nas províncias de Ontario e Quebéc, que tem
suas próprias forças policiais, mas atua bastante nas demais províncias do
Canadá. A força conta com efetivo de 28.461 profissionais (1/9/2015).
Uniforme
tradicional
para
cerimônias
(Review Order
ou Red Serge)
e o atual
uniforme de
uso cotidiano
Royal Canadian Mounted Police (1920)
Em Ottawa está localizado o quartel-general da RCMP, assim como os seus
estábulos do chamado “Caroussel Musical Ride”, um espetáculo equestre
onde 32 “Mounties” apresentam-se em manobras militares, montados em
cavalos de pelo negro (tradição que veio da cavalaria inglesa). A
apresentação relembra antigas manobras militares equestres, usadas em
forças militares de todo mundo.
Destaca-se a forma de controle do cavaleiro sobre a sua montaria, que
feita exclusivamente com as pernas do cavaleiro (sem uso das mãos), já
que uma segura o arreio e a outra uma lança (antiga arma militar usada
para atacar os inimigos). Os cowboys do “velho oeste” usam outro tipo de
técnica de controle da montaria, usando constantemente às mãos. Pode-se
visitar o Museu da RCMP e os estábulos, abertos para tours públicos
gratuitos às 10 horas da manhã das terças e quintas-feiras.
Básicamente, seguiremos por estradas que estão na margem esquerda do rio São Lourenço, saindo de Ottawa pela cidade de
Gatineau (na província de Quebéc), pela rodovia 50 (a rodovia dos Ottawas – os nativos), seguindo em direção ‘East”, passando
pelos arredores de Montreal.
Rodovia dos Ottawas (Road 50 – QC), liga a cidade de Ottawa ao Aeroporto de
Mirabel nos arredores de Montreal. (cerca de 2 horas de viagem rodoviária).
Parada
técnica:
Hotel Chateau
Montebelo
Road 50 East –
Exit 210
Hotel Chateau Montebelo (1930). Construído durante 4 meses por 3.500 operários usando 166 km de
toras de madeira de cedro vermelho. Tem 211 apartamentos, 17 salões e 4 alas. Foi sede a reunião do
G7 de 1981 e da Otan e Banqueiros mundiais em 1983. Situado na saída 210 da Road 50 East.
A rodovia provincial
quebequense 158 corta
a região das
Laurentides, passando
por Saint-Juliene e
Joilette, e conectando-
se à Auto-estrada 40 e
ao Chemin du Roy
(Rodovia 138) em
Berthierville.
Não pontos de parada
técnica de Saint-Jérome
até Berthierville.
Há uma área de
restaurantes na
intercessão da 158 com
a rodovia 40
Vindo de Ottawa
e Montebelo
Conexão da Road
50 East com a
Road 158
Parada técnica na intercessão da Road 158 e a Road
40 em Berthierville. Conexão com a Road 138
Chemin du Roy
Ao longo da rodovia
158 poderemos
apreciar as paisagens
rurais dos arredores de
Montreal e Quebéc.
Tais fazendas produzem
alimentos para as
cidades maiores, em
particular a cidade de
Montreal.
Tais cidades foram
estabelecidas durante a
colonização francesa do
Canadá, obedecendo a
divisão de terras pelo
sistema de Senhorias.
Todas as pequenas
cidades tem suas
catedrais católicas ou ao
menos uma igreja
construída em pedra e
com os telhados
geralmente pintados na
cor de alumínio.
Na foto vemos a Catedral
de Joiliette, na província
de Quebéc.
A Região das montanhas Laurentides é cortada pela rodovia
provincial 158, e todas as pequenas cidades tem geralmente
nomes de santos da igreja católica, tradição herdada do tempo da
Nova França.
O sistema feudal de distribuição de terras na Nova França era chamado de Senhorias. A terra era propriedade do monarca francês que concedia
“direitos de exploração e ocupação” a alguns nobres, chamados de Senhorios. As parcelas de terras concedidas como Senhorias eram em formato
retangular, sendo uma das extremidades ligadas ao leito do rio São Lourenço (na época, o único caminho e meio de transporte da região).
O sistema de Senhorias foi adotado em Quebéc desde 1608, resistindo após 1763 quando os ingleses compraram o território, e só sendo extinto
em 1854. Os Senhorios podiam explorar o trabalho dos servos (os camponeses), que eram registrados ao nascimento nas paróquias das senhorias,
e não podiam ser vendidos a outras senhorias. Os Senhorios não tinham o direito de venda da terra, mas negociavam o seu direito de ocupá-la
junto a outros nobres. O mapa dos condados de Quebéc mostra bem essa forma de divisão de terras. Na época existiram cerca de 7.400 fazendas.
Lotes de terras
retangulares
formavam as
Senhorias
Chemin du Roy – O
caminho do rei (1)
Foi o primeiro caminho carroçável construído na
Nova França (atual província de Quebéc) a
partir de 1660 (e um dos primeiros da América
do Norte), ligando as vilas de Cotê de Beaupré e
o Vieux Port de Quebéc, num traçado próximo à
margem esquerda do rio São Lourenço.
Em 1706, iniciaram-se os projetos de extensão
do caminho entre a vila de Quebéc e a vila de
Montreal, mas as obras só se realizaram entre
1731 e 1737. A via carroçável passou a ter 7,4
metros de largura por 280 km de extensão,
passando a ligar as 37 senhorias (fazendas que
originaram as vilas da província). Uma viagem
de carroça pelo caminho em seu trajeto
completo poderia durar de 4 a 6 dias.
Em 1967, durante visita oficial à Quebéc, o
então presidente da França, General Charles De
Gaulle, faz menção em um discurso da
existência deste caminho como grande símbolo
de estreitamento cultural entre os franco-
canadenses e os franceses.
Em 1996, surge o projeto
de mapear e sinalizar os
principais pontos
históricos e turísticos da
rodovia 138 (que abrange
a maior parte do antigo
trajeto histórico. E
finalmente em 1999,
oficialmente, é adotado o
nome de CHEMIN DU ROY
para esta rodovia.
Chemin du Roy – O
caminho do rei (2)
Apesar da viagem pela rota 138 seja um descortinar de belas paisagens rurais, com alguns moinhos antigos que foram importantes para o
desenvolvimento e colonização francesa na província, existem algumas restrições de ordem prática em alguns trechos, especialmente por
conta de antigas pontes de ferro (que cruzam rios e riachos na região), que são estreitas demais para a passagem de 2 veículos simultânemnte
em sentidos contrários. Algumas são interditadas ao tráfego de grandes ônibus de turismo e caminhões pesados.
Por conta disso, recomenda-se viagem em ônibus nos trechos de Berthierville, retornando à rodovia 40 (a principal) e depois o trecho entre
Trois- Riviére, Batiscan (há ponte sobre o riacho Batiscan), a ponte sobre o riacho Sainte Anne (foto acima), com a Igreja de Saint Anne de La
Pérade, e Grondines (de onde se retorna à rodovia 40 pela ruta 363) em prosseguimento à cidade de Quebéc.
Berthierville é a cidade natal do famoso piloto de corridas
de Fórmula Um, Gilles Villeneuve (1950 – 1982), cuja carreira
de piloto da escuderia italiana Ferrari se destacou entre 1977
a 1982.
O piloto canadense era considerado um dos mais ousados na
pista, porém jamais conquistou algum campeonato de
Fórmula 1, porém apresentava destacadas vitórias nas
corridas em que participou. O piloto morreu num trágico
acidente no GP da Bélgica em 1982, colidindo com a March
do piloto Jochen Mass a mais de 200 km/h.
Seu filho, Jacques Villeneuve (1971 - ....), também foi piloto
de Fórmula 1 de 1996 a 2006, conquistando os títulos
máximos de Fórmula Indy e 500 milhas de Indianapolis de
1995 e de Fórmula 1 em 1997. Ainda atua como piloto de
corridas em outras categorias do esporte.
Cidade fundada em 1634 por Samuel de Champlain ( é a segunda mais
antiga da província) com 134 mil habitantes (2016), localizada às margens
do rio São Lourenço, na confluência do rio Saint- Maurice (afluente do rio
São Lourenço).
O nome da cidade data de 1599, por que as ilhas Saint-Quentin e Potherie
formam 3 canais naturais do deságue do rio Saint-Mauricie no São
Lourenço, dando a idéia de ter três rios na região. O rio Saint Maurice era a
principal via de acesso às grandes florestas do Quebéc, e até 1850 a
atividade de madeireiras era um atividade econômica significativa. Em 1930,
era a capital da polpa e da fabricação de papel no país.
1694 –Criação da
Confraria do Rosário
no local.
1714 – Construção da
primeira capela em
madeira (e uma das
primeiras igrejas do
Canadá)
1879 – Ampliação da
igreja em pedra, ano
em que foi observado
o primeiro fenômeno
milagroso (o leito do
rio São Lourenço
permaneceu
congelado permitindo
o transporte das
pedras da igreja).
1888 – Data de
construção da velha
capela, onde a imagem
de Virgem maria teria
aberto os olhos.
1909 e 1954 – Congressos marianos
1924 – Construída a Ponte do Rosário
1955 a 1964 – Construção da atual
Basílica.
As quedas do rio Montmorency têm 83
metros de altura (são 30 metros mais altas
do que as cataratas do Niagara) e são as
mais altas cachoeiras da província de
Quebéc. Sua profundidade ao pé das
quedas é de 17 metros.
As quedas estão próximas ao ponto de
confluência com o rio São Lourenço, nos
arredores da cidade de Quebéc (distante 10
km), e próxima à ponte que dá acesso à ilha
de Orleans.
As quedas podem ser visitadas pelo alto
através de um sistema de teleférico ,
seguido de caminhada pela ponte sobre o
rio e uma escadaria de madeira de 487
degraus.
As quedas foram batizadas pelo explorador
francês Samuel de Champlain em 1603 com
o nome do Almirante francês Charles de
Montmorency (Duque de Damvile),
ministro da Marinha francesa na época.
O general inglês James Wolffe usou a região como reduto para o cerco militar da cidade de Quebéc em 1759.
Já em 1885, o represamento das águas do rio criou uma das primeiras usinas hidrelétricas da América do Norte ( já demolida em 1986
por questões econômicas), que movia moinhos de pequenas indústrias têxteis na região.
Foi uma das primeiras áreas a ser ocupada
pelos exploradores franceses, liderados por
Jacques Cartier, em 1535. Aqui ele
encontrou um solo fértil e videiras
selvagens. Batizou a ilha com o nome do rei
da França de então, Henrique II, o Duque
de Orelans.
A ilha está no rio São Lourenço e mede 34
km de comprimento e 8 km de largura, com
área de 190 km2 e altitude máxima de 150
metros. Está a cerca de 10 km ao norte da
cidade de Quebéc.
Existem 6 pequenas vilas na ilha, sendo
Saint-Famille a primeira a ser fundada em
1661, e as demais são: Saint-Pierre, Saint-
Jean, Saint-François, Saint-Laurent e Saint-
Petronille (de onde se pode avistar a cidade
de Quebéc). Todas as vilas tem nomes de
sua paróquias católicas.
Em 1744 foi construída a estrada que
circunda a ilha até hoje, com 67 km de
extensão, que tinha o nome de Chemin
Royal e atualmente é a rodovia 368.
Em 1759, o general inglês James Wolfe
tomou o território da ilha para concentrar
suas tropas para o ataque e tomada da
cidade de Quebéc., encerrando o período
de poder francês na região.
A ilha sempre se notabilizou pelas atividades agrárias, com fortíssima tradição francesa.
A ponta norte da ilha é o início do “maior estuário do mundo” quando as águas do rio
São Lourenço misturam-se com as águas salgadas do Oceano Atlântico.
A partir de 1935, com a construção da ponte rodoviária, a ilha foi se transformando
também em local de turismo e lazer rural, sendo visitada por caminhantes e ciclistas.
1661 – Primeira paróquia fundada
na ilha: Saint-Famille
1935 - Ponte 1744 – Chemin Royal, circunda a
ilha com extensão de 67 km;
1608 - Quebéc
Ville
Parc de La Chute de
Montmorency
A vila de Quebéc (nome nativo que significa: lugar onde o rio
São Lourenço se estreita) foi fundada em 1608 pelo
explorador francês Samuel de Champlain em terras habitadas
pelos nativos Hurons (em francês: “brutamontes”)
A vila de Quebéc (nome nativo que
significa: lugar onde o rio São
Lourenço se estreita) foi fundada em
1608 pelo explorador francês Samuel
de Champlain em terras habitatas
pelos nativos Hurons (em francês:
“brutamontes”).
Essa primeira fortificação francesa
em Quebéc tinha o nome de
“Abitation de Quebéc”.
Em 1665, Quebéc tinha 70 casas
erguidas e 550 pessoas vivendo na
cidade. Cerca de 25% da população
(138 habitantes) era formada por
religiosos diversos (em especial das
ordens dos Jesuítas e Ursulinas).
A Place Royale é o núcleo inicial da cidade de Quebéc, e data de 1608, quando aqui se estabeleceu o fundador Samuel de Champlain.
Era a área comercial da cidade, bem próxima do Vieux Port.
Na igreja, assim denominada em homenagem às vitórias dos franceses em batalhas contra os ingleses em 1690 e 1711, há no teto uma
réplica do barco francês Brezé que trouxe em 1664 ao Canadá reforços contra as invasões dos ingleses.
Na praça, destaca-se o busto em bronze do rei francês Luis XIV (o atual data de 1928, pois o original foi removido em 1700).
Notre Dame des Victoires (1608)
Busto em bronze do rei Luis
XIV
O Vieux Port de Quebéc e o quarteirão do Petit-Champlain é a área mais baixa da cidade, próxima ao estreitamento do rio São
Lourenço, onde desenvolveu-se a atividade portuária de Quebéc no começo de sua fundação. A tradição da colonização francesa
concentrava as residências nas mesmas áreas onde se praticavam atividades comerciais e portuárias. Outra característica
arquitetônica da área portuária antiga são os pequenos prédios construídos em pedra (material abundante na região) e não em
madeira, geralmente mais utilizada nas construções rurais de Quebéc. Na parte alta da cidade, o atual Hotel Chateau Frontenac, local
que serviu de residência para o Governador francês de Quebéc, Louis Buade de Frontenac a partir de 1672. O atual prédio do hotel
data de 1893.
Chateau Frontenac
Os povos nativos do Canadá foram de
vital importância na fixação da
colonização francesa de Quebéc a partir
do século XVI.
A comercialização de peles de animais
(em especial do castor) entre os nativos
e colonos comerciantes franceses era
muito lucrativa para os europeus.
Além disso, as regiões já habitadas pelos
nativos reuniam algumas condições de
habitabilidade (fonte de água e de
alimentos) para o estabelecimento de
núcleos de colonos franceses.
A Citadela e as Planícies de Abraão formavam parte das fortificações da cidade de Quebéc desde 1608. A atual
fortificação Citadelle data de 1820, construída pelos ingleses com projeto do Tenente Coronel E.W. Durnford, da
Companhia de Engenheiros Reais, e leveu mais de 30 anos para ser completada. Somente em novembro de 1871, esta
fortaleza foi entregue às forças armadas canadenses e desde 1920 é sede do 22º. Regimento do Batalhão Real.
Nestas planícies, em 1759 as tropas francesas do general Montcalm foram vencidas pelas tropas inglesas do general
inglês Wolfe, dando o controle de toda região à coroa inglesa e pondo fim ao regime de poder francês.
Além de local histórico, as planícies são o maior parque urbano da cidade de Quebéc.
A Citadela e
as Planícies
de Abraão
foram o
campo de
batalha entre
franceses e
ingleses em
1759.
Os
ingleses
atacaram
Quebéc
em1759,
nas
planícies
de
Abrahão Tropas inglesas foram concentradas nas cataratas de Montmorency e na Ilha de Orleans
Citadelle
A Place D”Armes foi construída entre 1640 a 1648, na parte superior da
cidade, com o objetivo de ser o centro de treinamento militar, quando a
Citadela ainda não existia. Está localizada ao final da Rua Saint Louis e ao
lado do hotel Chateau Frontenac, antigo local de residência do
governador geral do Quebéc. No centro da praça, o monumento à Fé
(com 12 metros de altura) data de 1915 numa homenagem aos 300 anos
da chegada dos padres Recoletos em Quebéc.
Monumento
à Fé (1915)
Monumento ao
fundador de Quebéc,
Samuel de Champlain
A Rue du Trésor é um dos mais tradicionais pontos de exposição e venda de quadros e obras de arte no
centro antigo de Quebéc.. Nessa rua estreita, que se assemelha a um pequeno beco entre as ruas
antigas de Quebéc, surgiu nos anos 1960 a apresentação de trabalhos artísticos por conta dos
estudantes de Belas Artes, que os pregavam nas paredes das casas na tentativa de vende-los aos turistas
e passantes. O local assumiu os “ares” de Montparnasse (em Paris) na cidade de Quebéc.
Rue du Trésor
Porte Saint Louis// Rue Saint Louis
Hotel Chateau
Laurier de Quebéc
O Parlamento Provincial de Quebéc, foi
construído entre 1877 a 1886 como um prédio
de 8 andares e uma torre de 52 metros de
altura, na chamada Colina do Parlamento. O
estilo arquitetônico é inspirado no Segundo
Império francês, estilo bastante popular na
Europa e na América do Norte no século XIX.
Esta área está fora do território fortificado do
centro histórico de Quebéc.
A cidade de Quebéc é capital da província de
Quebéc desde 1867, sendo denominada como
“Capital Nacional”.
Outros prédios adicionais do governo provincial
datam da primeira década do século XX.
Vinte e duas estátuas de personagens históricos
da província podem ser encontradas na
decoração da fachada do prédio ou seus
jardins.
O Manège Militaire, foi construído entre 1884 a
1887 e aberto em 1888 , tendo sofrido um grande
incêndio em 2008, estando em fase de restauração
em 2016 (segundo o projeto da foto abaixo)
O suntuoso edifício era originalmente usado como
local de adestramento de tropas de infantaria (Os
Voltigeurs de Quebéc) e cavalaria durante o período
de inverno na cidade, mas atualmente é também um
centro cultural e museu.
A Grand-Allée é a mais badalada das avenidas da
cidade , concentrando grande número de bares,
restaurantes e casas noturnas, que operam durante o
período de verão.
Muitas de suas sofisticadas residências datam do
século XIX, quando eram ocupadas por comerciantes
de peles. A Grande-Allée é a continuação do Chemin
Saint Louis, que liga a região histórica da cidade ao
bairro de Saint Foi e à Universidade de Laval.
Bons restaurantes
e casas noturnas
fazem a alegria
dos turistas na
Grand-Allée
Pont du Quebéc
(1907/1919)
Pont Pierre Laporte
(1970)
A Pont du Quebéc, construída em balanço com estrutura de aço a partir de 1907 (para substituir a antiga ponte que
caiu) e inaugurada em 1919 (durante sua construção, um grave acidente em 1916 matou 11 operários), atravessa o rio
São Lourenço, ligando a cidade de Quebéc à Levis. É uma ponte rodo-ferroviária, ainda em uso, e com seus 549 metros
de extensão e 195 metros de vão livre, era considerada um dos colossos da engenharia em sua época. Em 1970, foi
inaugurada próximo à ela, a Ponte Pierre Laporte (inicialmente denominada, Ponte Nova do Quebéc).
A Pont Pierre Laporte, foi inaugurada em 1970
num ponto cerca de 200 metros ao lado da
Ponte du Quebéc, com o objetivo de desafogar
o trânsito de veículos entre as cidades de Levis
e Quebéc.
Devido a navegação de grandes navios pelo rio
São Lourenço, as duas pontes foram
construídas apoiadas em estacas próximas às
margens do rio.
Nestas duas pontes chegam a circular 100 mil
veículos por hora, sendo que na parte da
manhã, 76% do movimento das pontes é da
cidade de Levis para Quebéc.
A Ponte Nova de Quebéc foi batizada como Ponte Pierre Laporte em homenagem ao jornalista e
político de Quebéc (foto), secretário de governo provincial de Quebéc da parta do Trabalho,
que foi sequestrado e morto (aos 49 anos de díade) à época da inauguração da ponte (no ano
de 1970) por membros do grupo terrorista esquerdista “Frente para Libertação do Quebéc”,
bastante atuante nos anos 1970.
Pierre Laporte
Sair de Québec pela Grand-
Allée em direção a Saint-Foi,
passando pela Universidade
de Laval. Cruzar o rio São
Lourenço pela Ponte Pierre
Laporte em direção à rodovia
20 West.
A rodovia 20 é conhecida como
Autoroute de Quebéc, sendo a mais
longa auto-estrada da província com
um total de 585 km de extensão.
Integra parte da auto-estrada
Transcanadense e localiza-se
paralelamente ao leito do rio São
Lourenço em sua margem direita.
De Quebéc a Montreal são cerca de 270
Km de extensão percorridos numa
média de 3 horas de viagem. As regiões
cortadas pela rodovia são de cidades
densamente povoadas na província de
Quebéc.
Popularmente, Montreal é conhecida como a “Outra
ponta da rodovia 20”, pois os quebequenses consideram
o ponto inicial da rodovia a cidade de Quebéc, a capital,
que em verdade está no meio do trajeto da rodovia 20.
Ponte-Túnel Louis H. Lafountaine (1967), a mais longa ponte-
túnel do Canadá (1,5KM), corta a Ilha de Charon. O túnel sub-
fluvial está a 22 metros de profundidade.
Ponte Victoria (1859/1860), a primeira
a cruzar o rio, basicamente rodo-
ferroviária com 3 km de extensão.
Ponte Jacques Cartier
(1930)
Ponte Champlain
(antiga) (1962), 4 km
de extensão, 24 metros
de largura (6 pistas) e
49 metros de altura
Ponte Champlain (antiga)
(1962), 4 km de extensão, 24
metros de largura (6 pistas) e
49 metros de altura
Nova Ponte Champlain (em
construção desde 2015) prevista
para abertura em Dezembro de 2018
O sistema de eclusas do Saint
Laurent Seaway, construído em
1959, permitiu a navegação de
grandes navios ao longo de todo
o rio.
Até então a navegação era
possível da foz até a ilha de
Montreal. O leito original do rio
não é muito profundo e no
inverno congela facilmente,
criando na primavera imensos
blocos de gelo e inundações nas
suas margens.
O sistema criou canais exclusivos
para as embarcações e
regularizou (através de
comportas) o fluxo das águas.
Oratório Saint-Joseph Mont Royal
Place Ville Marie Vieux-Port Casino de Montreal
Ponte La
Concorde
Ponte
Jacques
Cartier
Montreal tem 1,650 milhões de habitantes, sendo 2/3 de sua
população francófona, o que a transforma na maior cidade
francesa fora da França.
Montreal localiza-se num arquipélago
no rio São Lourenço, com altitude média
de 57 metros acima do nível do mar.
É também a 2ª. maior cidade do Canadá
(sendo Toronto a maior cidade do país).
Sua atual infraestrutura surgiu a partir
de 1967, quando foi realizada na cidade
a Expo 67. Seu porto fluvial movimenta
O explorador francês PAUL DE CHOMEDEY DE MAISONNEUVE funda a Ville-Marie em 1642 na ilha do Mont Royal,
numa região descoberta em 1535 por Jacques Cartier, e então ocupada por uma aldeia dos nativos Hochelaga. O
Mercado do Bonsecur (foto) era a área mais importante da atual região do Velho Porto de Montreal.
A pequena Ville-Marie du Montroyal crescerá como importante porto e centro de comércio. Na época, a
navegação pelo leito do rio São Lourenço só era possível do seu estuário (a leste) até a ilha de Montroyal, devido
as corredeiras que se formavam na atual região de Hochelaga.
Montreal tinha uma população muito pobre até 1860.
A cidade era dominada por uma aristocracia escocesa
presbiteriana, ávida para juntar-se aos britânicos, em
detrimento da maioria francesa.
Personalidades como Hugh Allan (um dos mais ricos
da cidade que controlava companhias de navegação,
tabaco e bebidas alcóolicas), John Molson (dono da
fábrica de cervejas), James McGill (comerciante de
peles), John Redpath (comerciante de açúcar) e a
família Ogilvies (donos de moinhos de farinha) viviam
em requintadas e luxuosas residências ao sul do Mont
Royal (na chamada Square Mile) l e controlavam cerca
de 2/3 de todas as riquezas do país.
Na metade do século XIX, as condições de vida da
maioria da população da cidade eram de extrema
pobreza. Eram bastante comum as fábricas só
operarem no verão, e no inverno famílias passavam
fome e era frequente o abandono de crianças
pequenas às margens do rio. O índice de mortalidade
infantil de Montreal era um dos mais altos na América
do Norte.
A catedral de Notre-Dame de
Montreal, o prédio da Prefeitura
da cidade e as ruas do Velho
Porto da cidade com suas
construções em pedras são
pontos de destaque da antiga
cidade.
Montreal é uma cidade católica
e francesa, tradições que o
tempo não apagou.
O distrito do Velho Porto da cidade é uma
das mais frequentadas áreas turísticas da
cidade.
Ponte Jacques
Cartier
Ponte
Champlain
(antiga), em
reforma até
2017
Boulevard Saint-Laurent
(corta a cidade de Norte a
Sul), e as vias
perpendiculares tem
sentido Leste - Oeste
Lado Oeste Lado Leste
Praças e passagens da cidade subterrânea no centro de
Montreal, ligação com o Metrô e Estação Ferroviária de
Montreal
Place Ville Marie
Boulevard Saint-Laurent divide a cidade de Oeste a Leste
UQAM – Universidade de
Quebéc em Montreal
Sheraton
Center
Montreal Downtown (Center-Ville) e centro financeiro da cidade, onde os grandes prédios são conectados por
galerias subterrâneas, com shoppings e estações de metrô, possibilitando à população circular entre eles em
ambiente climatizado (bastante conveniente para uma cidade com baixíssimas temperaturas e muita neve no
inverno).
Royal Bank of
Canada building é
centro da “cidade
subterrânea” de
Montreal na Place
Ville Marie. Foi
construído em
1962 com 47
andares (188
metros de altura).
Seu farol na
cobertura tem
alcance de 50 Km.
Basílica de Notre Dame Reine du Monde, cuja fachada apresenta estátuas dos 13
santos padroeiros das igrejas da cidade e é uma reprodução em menor escala da Basílica de
São Pedro em Roma. Foi construída em 1875 e reformada em 1955, quando passou a ter o
atual nome (era Saint-James). É sede da Arquidiocese de Montreal e é a 3ª. Maior igreja da
província de Quebéc.
Hotel The Queen Elizabeth, foi construído em 1958 pela Canadian National Pacific com 1039 apartamentos e 21
andares e está interligada pelo subterrâneo à estação ferroviária de Montreal. Vai reabrir em 2017 após obras de renovação em
2016, avaliadas em CAD 140 milhões. Atualmente é operado pela rede Fairmont, sendo o segundo maior hotel desta cadeia no
Canadá (o primeiro é o Fairmont Royal York de Toronto com 1365 apartamentos .
Exposição Internacional de Montreal
de 1967 foi o evento precursor para
a modernização urbana de Montreal
O Parque La Ronde foi inaugurado na Expo 67, exposição internacional em Montreal realizada em 1967.
Em 2017 completará 40 anos de operação consecutiva e conta com 40 diferentes equipamentos de
entretenimento. É o maior parque de diversões da Costa Leste do Canadá.
A Expo 67 , cujo tema foi “O Homem e seu
mundo” foi realizada em Montreal por 6 meses
(de 27/4 a 29/10/1967), com a apresentação de
62 países e 90 pavilhões de exposições, que forma
visitadas por 50 milhões de pessoas (um recorde
de público em exposições mundiais que ainda não
foi superado).
Os preparativos começaram em 1962, sob o
governo municipal de John Drapeau, que utilizou a
área das ilhas de Saint-Helene e de Notre Dame
para a implantação do parque de exposições.
Esta exposição mundial estava prevista para ser
realizada em Moscou, quando foi planejada em
1960, mas com a desistência de prosseguir com o
projeto em 1962, Montreal foi finalmente
escolhida para sediar a exposição.
A maior parte da atual infraestrutura da cidade de
Montreal começou a ser construída na década de
1960 para a realização da Expo 67.
O atual Casino opera desde
1993, 24 horas por dia 7 dias
por semana, com entrada
gratuita de maiores de 18 anos
de idade.
Localiza-se na ilha de Notre-
Dame, dentro do complexo do
autódromo Gilles Villeneuve, e
também fez parte do conjunto
de pavilhões de exposições da
Expo 67.
Dos atuais 3 prédios
conectados que formam o
Casino, dois deles eram
pavilhões da Expo 67: o da
França e o da província de
Quebéc.
O mais icônico prédio residencial da Expo 67 foi resultado de uma tese universitária de um jovem arquiteto
israelo-canadense Moshe Safdie, da Universidade McGill e localiza-se na 2600 Pierre-Dupuy no Marc-Drowin
Quay.
São 354 formas idênticas de concreto pré-fabricado que criaram 158 apartamentos de 20 a 90 metros
quadrados (atualmente são 146, por que alguns foram incorporados a outros), numa construção de 12 andares.
O então jovem arquiteto não ganhou o prêmio da universidade pelo seu projeto, mas vê-lo construído como
pavilhão conceito de residências (usadas na época para hospedar convidados ilustres da Expo 67) praticamente
alavancou a sua carreira para sempre. Ele já construiu 75 prédios no mundo, baseados no mesmo conceito e é
proprietário e residente num apartamento de cobertura. Na época o custo de produção de cada apartamento
era em média de CAD$ 140 mil.
A Biosphère é um dos prédios icônicos, legado pela Expo 67, e foi usado como o pavilhão dos Estados Unidos da
América. Tem cerca de 20 andares de altura e 80 metros de largura e sua forma é quase uma geodésica completa.
A construção do pavilhão Espaçonave Terra, no Parque EPOCT Center em Orlando, Flórida, EUA, na década
seguinte foi baseada na mesma estrutura, porém com a forma geodésica completa.
O sistema de Metrô de Montreal foi
construído a partir de 1966, com 3 linhas
e 26 estações. Atualmente conta com 4
linhas, 73 estações e cerca de 67 km de
extensão , transportando 286,7 milhões
de passageiros por ano.
Baseado no sistema do Metrô de Paris e
de Lyon, ambos na França, seus trens
deslocam-se sobre rodas pneumáticas.
Os Jogos Olímpicos de Montreal em 1976 foram também motivo de
transformações na cidade, com a construção da vila olímpica, do estádio
olímpico e outras infraestruturas ligadas aos esportes.
Nestes jogos, o atleta brasileiro João Carlos de Oliveira (João do Pulo –
1954/1999) foi o porta-bandeira da delegação brasileira e conquistou a
medalha de bronze no Salto Triplo.
A jovem ginasta romena de 14 anos de idade, Nádia Comanecci, foi a revelação
dos jogos: ganhou 3 medalhas de ouro, 1 de prata e 1 de bronze.
Parque Olímpico de Montreal de 1976 e o Jardim Botânico de Montreal
Biodôme e
Insectarium
Jardim
Botânico
O pavilhão do velódromo do parque olímpico é atualmente o Biodôme e Insectarium,
um museu especializado na fauna e flora mundial.
Os pavilhões estarão fechados à visitação pública para obras de reformas em 2017 e
parte de 2018, com custos avaliados em CAD 45 milhões. O investimento é feito pela
Prefeitura de Montreal e pelo governo provincial de Quebéc, como parte do legado da
festa de 375 anos de fundação de Montreal a completar em 2017.
Os dois museus alcançaram a cifra de 1,9 milhões de visitantes em 2014.
O Monte Royal deu
origem ao nome da
cidade: Montreal.
A parte sul do
monte é o bairro da
alta burguesia da
cidade desde o
século XIX
O Irmão André (Alfred Bessette – 1845 – 1937), também conhecido como Santo André de Montreal (canonizado
em 2010 pelo Papa Bento XVI), nasceu a 40 quilômetros de Montreal, de uma família pobre. Ficou órfão aos 12
anos de idade. Tentou todos os tipos de trabalho e emigrou para Nova York, mas retornou a Montreal em 1867. Em
1870 ingressou na Congregação da Santa Cruz, e devido a sua pouca escolaridade e saúde frágil, tornou-se o
porteiro do Colégio de Notre Dame (onde trabalhou por 40 anos). Sua grande devoção à São José, o levou a
construir uma pequena capela de madeira próxima a portaria do colégio onde trabalhava em 1904. Graças aos
milagres de cura, o local passou ser procurado pelos peregrinos e ficou bastante conhecido. Em 1924 é construída
a Basílica do Oratório São José, num terreno comprado com dinheiro de doações, que completada em 1967 é até
hoje a maior igreja católica do Canadá. É visitada por 2 milhões de peregrinos anualmente.
A Rue Sherbroke é segunda rua mais
longa da cidade de Montreal,
cortando a ilha de oeste a leste, com
31,3 km de extensão.
O trecho da West Sherbroke
concentra antigas mansões da
burguesia escocessa do século XIX
(conhecida como Golden Square
Mile). As escadas externas são uma
tradição arquitetônica da rua.
O Governador
Geral da
América do
Norte Britânica
de 1816 a 1818
e herói da
Guerra contra
os EUA de 1812-
1814, John
Coape
Sherbreooke é
homenageado
com o nome da
rua.
Rue Saint-
Catherine é o
centro comercial
de lojas de
maior prestígio
da cidade de
Montreal.
A rua corta a
cidade de Oeste
a Leste.
Crescent Street é centro de entretenimento e lazer no centro de Montreal, em especial no período de verão. O nome da rua advém da
forma arquitetônica original em 1860 (formato de meia-lua ou de lua-crescente). O primeiro pub da rua abriu as portas em 1967 com o
nome de Sir Winston Churchill, onde geralmente só se estabeleciam escritórios comerciais. O primeiro pub cresceu e foi se tornando
um “point” de entretenimento noturno de Montreal. Na década de 1970, novos bares e restaurantes foram se estabelecendo na região
e em 1998 os comerciantes da região se reuniram numa associação comercial.
Nos anos 1980, costumava-se citar a rua como o “point” da boemia anglófona da cidade. Mas atualmente, todos são muito bem vindos
para desfrutar da noite da cidade. A mais famosa das festas populares da rua é o “Grand Prix Festival”, realizado no mês de junho, no
período da disputa da prova automobilística de Fórmula 1 na cidade.
Rue Saint-Denis é o centro da “badalação
francesa” no coração da cidade. Ali localiza-se a
Universidade de Quebéc à Montreal (UQAM) e sua
ligação com o centro antigo da cidade (Vieux-Port).
É a região conhecida como o “Quateirão Latino”
(Latin Quartier) de Montreal, onde se pode
encontrar residências, bares, livrarias e mercados
de comida.
No século XIX, a rua era basicamente residencial
para uma elite francófona. A proximidade com a
universidade e seus alunos deu à rua sua condição
de popularidade junto aos jovens.
Curiuso notar que a Rue Saint-Denis, em Paris,
França, é uma das mais antigas do centro da
cidade e conhecida por aglutinar em seus
arredores o chamado “Le Quartier du Sexe”.
Montreal conta com 2 aeroportos principais: Dorval (YUL)
na ilha de Montreal (construído em 1941 e a 15
quilômetros de distância do centro da cidade) e Mirabel
(YMX) nos arredores de Montreal, distante cerca de 50 km
da cidade, e construído em 1975, com o objetivo de tornar-
se o principal aeroporto da cidade. Atualmente, o
aeroporto de Mirabel atende vôos de transporte de cargas.
O período de temporada
turística do leste do Canadá
vai de Maio a Outubro,
compreendendo a primavera,
verão e o início do outono
(período da troca de
folhagem nas árvores).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O império britanico
O império britanicoO império britanico
O império britanico
NILTON CARLOS
 
A República
A RepúblicaA República
A República
Beatriz Moscatel
 
Império britânico
Império britânicoImpério britânico
Império britânico
Gustavo
 
Trabalho de história.power point carolina-11ºf
Trabalho de história.power point carolina-11ºfTrabalho de história.power point carolina-11ºf
Trabalho de história.power point carolina-11ºf
Carla Teixeira
 
D.João VI
D.João VID.João VI
D.João VI
Madalena Santos
 
Resumos Para O Teste
Resumos Para O TesteResumos Para O Teste
Resumos Para O Teste
jdlimaaear
 
A inglaterra
A inglaterraA inglaterra
A inglaterra
Renato Cardoso
 
A família real no Brasil
A família real no BrasilA família real no Brasil
A família real no Brasil
Ana Luísa Walterfang
 
D.João VI
D.João VID.João VI
D.João VI
Madalena Santos
 
Gabarito da 2ª avaliação mensal 2012
Gabarito da 2ª avaliação mensal 2012Gabarito da 2ª avaliação mensal 2012
Gabarito da 2ª avaliação mensal 2012
Candancy
 
5 outubro biblio
5 outubro biblio5 outubro biblio
5 outubro biblio
mileituras
 
Dinastia de bragança
Dinastia de bragançaDinastia de bragança
Dinastia de bragança
Carmo Silva
 
D. João VI
D. João VID. João VI
D. João VI
Raquel Rodrigues
 
Curiosidades Napoleônicas
Curiosidades NapoleônicasCuriosidades Napoleônicas
Curiosidades Napoleônicas
Nathara Heloise
 
Império e monarquia absoluta no século xviii
Império e monarquia absoluta no século xviiiImpério e monarquia absoluta no século xviii
Império e monarquia absoluta no século xviii
Carlos Vaz
 
Inglaterra
InglaterraInglaterra
Inglaterra
gongas103
 

Mais procurados (16)

O império britanico
O império britanicoO império britanico
O império britanico
 
A República
A RepúblicaA República
A República
 
Império britânico
Império britânicoImpério britânico
Império britânico
 
Trabalho de história.power point carolina-11ºf
Trabalho de história.power point carolina-11ºfTrabalho de história.power point carolina-11ºf
Trabalho de história.power point carolina-11ºf
 
D.João VI
D.João VID.João VI
D.João VI
 
Resumos Para O Teste
Resumos Para O TesteResumos Para O Teste
Resumos Para O Teste
 
A inglaterra
A inglaterraA inglaterra
A inglaterra
 
A família real no Brasil
A família real no BrasilA família real no Brasil
A família real no Brasil
 
D.João VI
D.João VID.João VI
D.João VI
 
Gabarito da 2ª avaliação mensal 2012
Gabarito da 2ª avaliação mensal 2012Gabarito da 2ª avaliação mensal 2012
Gabarito da 2ª avaliação mensal 2012
 
5 outubro biblio
5 outubro biblio5 outubro biblio
5 outubro biblio
 
Dinastia de bragança
Dinastia de bragançaDinastia de bragança
Dinastia de bragança
 
D. João VI
D. João VID. João VI
D. João VI
 
Curiosidades Napoleônicas
Curiosidades NapoleônicasCuriosidades Napoleônicas
Curiosidades Napoleônicas
 
Império e monarquia absoluta no século xviii
Império e monarquia absoluta no século xviiiImpério e monarquia absoluta no século xviii
Império e monarquia absoluta no século xviii
 
Inglaterra
InglaterraInglaterra
Inglaterra
 

Semelhante a Costa leste do Canadá 2016 atualizado 5 set 2017

Canadá
CanadáCanadá
Canadá
alicealves13
 
C a n a d á
C  a  n  a  d  áC  a  n  a  d  á
C a n a d á
espacoaberto
 
Módulos 45 e 46 Expansão e colonização francesa e holandesa
Módulos 45 e 46  Expansão e colonização francesa e holandesaMódulos 45 e 46  Expansão e colonização francesa e holandesa
Módulos 45 e 46 Expansão e colonização francesa e holandesa
Lú Carvalho
 
Colonizações inglesa, francesa e holandesa
Colonizações inglesa, francesa e holandesaColonizações inglesa, francesa e holandesa
Colonizações inglesa, francesa e holandesa
Lú Carvalho
 
Canadá – costa oeste abril 2017 versão 2
Canadá – costa oeste abril 2017 versão 2Canadá – costa oeste abril 2017 versão 2
Canadá – costa oeste abril 2017 versão 2
Mauro Friedrich
 
13 colônias inglesas
13 colônias inglesas13 colônias inglesas
13 colônias inglesas
harlissoncarvalho
 
13 colônias inglesas
13 colônias inglesas13 colônias inglesas
13 colônias inglesas
harlissoncarvalho
 
13 colônias inglesas
13 colônias inglesas13 colônias inglesas
13 colônias inglesas
harlissoncarvalho
 
Apresentação - Canadá 69898454611624987031635431654
Apresentação - Canadá 69898454611624987031635431654Apresentação - Canadá 69898454611624987031635431654
Apresentação - Canadá 69898454611624987031635431654
Renan Da Silva
 
História do brasil, invasões holandesas e francesa
História do brasil, invasões holandesas e francesaHistória do brasil, invasões holandesas e francesa
História do brasil, invasões holandesas e francesa
Ócio do Ofício
 
Colonização européia na américa
Colonização européia  na américaColonização européia  na américa
Colonização européia na américa
Walter Frederico
 
imperialismo esse.ppt
imperialismo esse.pptimperialismo esse.ppt
imperialismo esse.ppt
MarceloFonseca250758
 
O Imperialismo
O ImperialismoO Imperialismo
O Imperialismo
Bruno E Geyse Ornelas
 
Independencia dos Estados Unidos
Independencia dos Estados UnidosIndependencia dos Estados Unidos
Independencia dos Estados Unidos
Slides de Tudo
 
Brasiil: invasões estrangeiras (francesas e holandesas) 2020
Brasiil: invasões estrangeiras (francesas e holandesas) 2020Brasiil: invasões estrangeiras (francesas e holandesas) 2020
Brasiil: invasões estrangeiras (francesas e holandesas) 2020
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Colonização da américa
Colonização da américaColonização da américa
Colonização da américa
Geovane da Silva Pessoa
 
América inglesa
América inglesaAmérica inglesa
América inglesa
Marlon Barros Cardozo
 
Cronologia historia do brasil
Cronologia historia do brasilCronologia historia do brasil
Cronologia historia do brasil
Bryan Jonathan
 
11ºb história
11ºb história11ºb história
11ºb história
Ricardo Martins
 
A vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasilA vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasil
historiando
 

Semelhante a Costa leste do Canadá 2016 atualizado 5 set 2017 (20)

Canadá
CanadáCanadá
Canadá
 
C a n a d á
C  a  n  a  d  áC  a  n  a  d  á
C a n a d á
 
Módulos 45 e 46 Expansão e colonização francesa e holandesa
Módulos 45 e 46  Expansão e colonização francesa e holandesaMódulos 45 e 46  Expansão e colonização francesa e holandesa
Módulos 45 e 46 Expansão e colonização francesa e holandesa
 
Colonizações inglesa, francesa e holandesa
Colonizações inglesa, francesa e holandesaColonizações inglesa, francesa e holandesa
Colonizações inglesa, francesa e holandesa
 
Canadá – costa oeste abril 2017 versão 2
Canadá – costa oeste abril 2017 versão 2Canadá – costa oeste abril 2017 versão 2
Canadá – costa oeste abril 2017 versão 2
 
13 colônias inglesas
13 colônias inglesas13 colônias inglesas
13 colônias inglesas
 
13 colônias inglesas
13 colônias inglesas13 colônias inglesas
13 colônias inglesas
 
13 colônias inglesas
13 colônias inglesas13 colônias inglesas
13 colônias inglesas
 
Apresentação - Canadá 69898454611624987031635431654
Apresentação - Canadá 69898454611624987031635431654Apresentação - Canadá 69898454611624987031635431654
Apresentação - Canadá 69898454611624987031635431654
 
História do brasil, invasões holandesas e francesa
História do brasil, invasões holandesas e francesaHistória do brasil, invasões holandesas e francesa
História do brasil, invasões holandesas e francesa
 
Colonização européia na américa
Colonização européia  na américaColonização européia  na américa
Colonização européia na américa
 
imperialismo esse.ppt
imperialismo esse.pptimperialismo esse.ppt
imperialismo esse.ppt
 
O Imperialismo
O ImperialismoO Imperialismo
O Imperialismo
 
Independencia dos Estados Unidos
Independencia dos Estados UnidosIndependencia dos Estados Unidos
Independencia dos Estados Unidos
 
Brasiil: invasões estrangeiras (francesas e holandesas) 2020
Brasiil: invasões estrangeiras (francesas e holandesas) 2020Brasiil: invasões estrangeiras (francesas e holandesas) 2020
Brasiil: invasões estrangeiras (francesas e holandesas) 2020
 
Colonização da américa
Colonização da américaColonização da américa
Colonização da américa
 
América inglesa
América inglesaAmérica inglesa
América inglesa
 
Cronologia historia do brasil
Cronologia historia do brasilCronologia historia do brasil
Cronologia historia do brasil
 
11ºb história
11ºb história11ºb história
11ºb história
 
A vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasilA vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasil
 

Mais de Mauro Friedrich

Clube de viagens tour republicas balticas e ucrania 20 abr 2020
Clube de viagens tour republicas balticas e ucrania 20 abr 2020Clube de viagens tour republicas balticas e ucrania 20 abr 2020
Clube de viagens tour republicas balticas e ucrania 20 abr 2020
Mauro Friedrich
 
Clube de viagens tour bue mvd punta del este 14 nov 2019
Clube de viagens tour bue mvd punta del este 14 nov 2019Clube de viagens tour bue mvd punta del este 14 nov 2019
Clube de viagens tour bue mvd punta del este 14 nov 2019
Mauro Friedrich
 
Rota dos contos de fadas na alemanha abril 2019
Rota dos contos de fadas na alemanha  abril 2019Rota dos contos de fadas na alemanha  abril 2019
Rota dos contos de fadas na alemanha abril 2019
Mauro Friedrich
 
Rota dos contos de fadas na alemanha abril 2019
Rota dos contos de fadas na alemanha  abril 2019Rota dos contos de fadas na alemanha  abril 2019
Rota dos contos de fadas na alemanha abril 2019
Mauro Friedrich
 
Tour à áfrica do sul 2018 2019 clube de viagens
Tour à áfrica do sul 2018 2019  clube de viagensTour à áfrica do sul 2018 2019  clube de viagens
Tour à áfrica do sul 2018 2019 clube de viagens
Mauro Friedrich
 
Conhecendo o centro do rio de janeiro Updated: Nov 2017
Conhecendo o centro do rio de janeiro  Updated: Nov 2017Conhecendo o centro do rio de janeiro  Updated: Nov 2017
Conhecendo o centro do rio de janeiro Updated: Nov 2017
Mauro Friedrich
 
Costa oeste dos estados unidos 2017 nov
Costa oeste dos estados unidos 2017 novCosta oeste dos estados unidos 2017 nov
Costa oeste dos estados unidos 2017 nov
Mauro Friedrich
 
Costa leste do canadá 2016
Costa leste do canadá 2016Costa leste do canadá 2016
Costa leste do canadá 2016
Mauro Friedrich
 
Croácia Bosnia & Hercegovina Montenegro Eslovenia 2017
Croácia Bosnia & Hercegovina Montenegro Eslovenia 2017Croácia Bosnia & Hercegovina Montenegro Eslovenia 2017
Croácia Bosnia & Hercegovina Montenegro Eslovenia 2017
Mauro Friedrich
 
Costa oeste dos estados unidos 2016 jun
Costa oeste dos estados unidos 2016 junCosta oeste dos estados unidos 2016 jun
Costa oeste dos estados unidos 2016 jun
Mauro Friedrich
 
Tour leste europeu, polônia e zurich 2016
Tour leste europeu, polônia  e zurich 2016Tour leste europeu, polônia  e zurich 2016
Tour leste europeu, polônia e zurich 2016
Mauro Friedrich
 
Rio de janeiro tour
Rio de janeiro tourRio de janeiro tour
Rio de janeiro tour
Mauro Friedrich
 
Itália 2015
Itália 2015Itália 2015
Itália 2015
Mauro Friedrich
 
Corcovado
CorcovadoCorcovado
Corcovado
Mauro Friedrich
 
Itália 2015
Itália 2015Itália 2015
Itália 2015
Mauro Friedrich
 
Sicília itália 2015
Sicília   itália 2015Sicília   itália 2015
Sicília itália 2015
Mauro Friedrich
 
Grécia & turquia tumlare 2015
Grécia & turquia tumlare 2015Grécia & turquia tumlare 2015
Grécia & turquia tumlare 2015
Mauro Friedrich
 
áFrica do sul & zimbaube 2014 version 2
áFrica do sul & zimbaube 2014 version 2áFrica do sul & zimbaube 2014 version 2
áFrica do sul & zimbaube 2014 version 2
Mauro Friedrich
 
Reino unido e irlanda 2013
Reino unido e  irlanda 2013Reino unido e  irlanda 2013
Reino unido e irlanda 2013
Mauro Friedrich
 
Hoteles del roteiro de tren por europa 2013
Hoteles del roteiro de tren por europa 2013Hoteles del roteiro de tren por europa 2013
Hoteles del roteiro de tren por europa 2013
Mauro Friedrich
 

Mais de Mauro Friedrich (20)

Clube de viagens tour republicas balticas e ucrania 20 abr 2020
Clube de viagens tour republicas balticas e ucrania 20 abr 2020Clube de viagens tour republicas balticas e ucrania 20 abr 2020
Clube de viagens tour republicas balticas e ucrania 20 abr 2020
 
Clube de viagens tour bue mvd punta del este 14 nov 2019
Clube de viagens tour bue mvd punta del este 14 nov 2019Clube de viagens tour bue mvd punta del este 14 nov 2019
Clube de viagens tour bue mvd punta del este 14 nov 2019
 
Rota dos contos de fadas na alemanha abril 2019
Rota dos contos de fadas na alemanha  abril 2019Rota dos contos de fadas na alemanha  abril 2019
Rota dos contos de fadas na alemanha abril 2019
 
Rota dos contos de fadas na alemanha abril 2019
Rota dos contos de fadas na alemanha  abril 2019Rota dos contos de fadas na alemanha  abril 2019
Rota dos contos de fadas na alemanha abril 2019
 
Tour à áfrica do sul 2018 2019 clube de viagens
Tour à áfrica do sul 2018 2019  clube de viagensTour à áfrica do sul 2018 2019  clube de viagens
Tour à áfrica do sul 2018 2019 clube de viagens
 
Conhecendo o centro do rio de janeiro Updated: Nov 2017
Conhecendo o centro do rio de janeiro  Updated: Nov 2017Conhecendo o centro do rio de janeiro  Updated: Nov 2017
Conhecendo o centro do rio de janeiro Updated: Nov 2017
 
Costa oeste dos estados unidos 2017 nov
Costa oeste dos estados unidos 2017 novCosta oeste dos estados unidos 2017 nov
Costa oeste dos estados unidos 2017 nov
 
Costa leste do canadá 2016
Costa leste do canadá 2016Costa leste do canadá 2016
Costa leste do canadá 2016
 
Croácia Bosnia & Hercegovina Montenegro Eslovenia 2017
Croácia Bosnia & Hercegovina Montenegro Eslovenia 2017Croácia Bosnia & Hercegovina Montenegro Eslovenia 2017
Croácia Bosnia & Hercegovina Montenegro Eslovenia 2017
 
Costa oeste dos estados unidos 2016 jun
Costa oeste dos estados unidos 2016 junCosta oeste dos estados unidos 2016 jun
Costa oeste dos estados unidos 2016 jun
 
Tour leste europeu, polônia e zurich 2016
Tour leste europeu, polônia  e zurich 2016Tour leste europeu, polônia  e zurich 2016
Tour leste europeu, polônia e zurich 2016
 
Rio de janeiro tour
Rio de janeiro tourRio de janeiro tour
Rio de janeiro tour
 
Itália 2015
Itália 2015Itália 2015
Itália 2015
 
Corcovado
CorcovadoCorcovado
Corcovado
 
Itália 2015
Itália 2015Itália 2015
Itália 2015
 
Sicília itália 2015
Sicília   itália 2015Sicília   itália 2015
Sicília itália 2015
 
Grécia & turquia tumlare 2015
Grécia & turquia tumlare 2015Grécia & turquia tumlare 2015
Grécia & turquia tumlare 2015
 
áFrica do sul & zimbaube 2014 version 2
áFrica do sul & zimbaube 2014 version 2áFrica do sul & zimbaube 2014 version 2
áFrica do sul & zimbaube 2014 version 2
 
Reino unido e irlanda 2013
Reino unido e  irlanda 2013Reino unido e  irlanda 2013
Reino unido e irlanda 2013
 
Hoteles del roteiro de tren por europa 2013
Hoteles del roteiro de tren por europa 2013Hoteles del roteiro de tren por europa 2013
Hoteles del roteiro de tren por europa 2013
 

Costa leste do Canadá 2016 atualizado 5 set 2017

  • 1. Monografia turística do roteiro Guia: Mauro Friedrich maurofriedrich@gmail.com Abril de 2017 Versão 3
  • 2.
  • 3. Área territorial: 9,976 milhões km2 (7% da superfície total do planeta Terra, sendo considerado o 2º maior país do mundo, após a Rússia). O Brasil tem área territorial de 8,5 milhões de km2. População: 36 milhões de habitantes (2016) – 89% do território canadense não possui população permanente. Cerca de 80% dos canadenses vive em grandes centros urbanos a cerca de 400 quilômetros da fronteira com os EUA. De Norte a Sul = 5,5 mil km De Leste a Oeste = 4,8 mil Km Dados geográficos
  • 4. Províncias & Territórios Sigla Capital Área ( mil km2) População Linguas 1 Yukon (território) YT Whitehorse 482 37 mil Inglês/Francês 2 British Columbia BC Victoria 945 4,3 milhões Inglês 3 Northwest Territories (território) NT Yellowknife 1.346 42 mil Ing/Fra /Outras 4 Alberta AB Edmonton 661 3,3 milhões Inglês 5 Saskatchewan SK Regina 651 1 milhão Inglês/Francês 6 Manitoba MB Winnipeg 647 1,2 milhões Inglês 7 Ontario ON Toronto 1.076 13 milhões Inglês/ Francês 8 Quebec QC Quebéc Ville 1.542 8,3 milhões Francês 9 Nova Scotia NS Halifax 55 936 mil Inglês 10 Newfoundland & Labrador NL Saint Johns 405 508 mil Inglês 11 New Brunswick NB Fredericton 72 749 mil Inglês/Francês 12 Prince Edward Island PE Charlottetown 5,6 139 mil Inglês 13 Nunavut (território) NT Iqaluit 2.093 31 mil Ing/Fra/Outras
  • 5. Marcos históricos até o século XVI – Os primeiros europeus 1000 – Viagens dos navegadores Vikings na costa oriental do Canadá. 1473 – O explorador português João Vaz Corte Real navega pelo leito do rio São Lourenço. Exploração da pesca de bacalhau nas águas do Atlântico norte. 1497 – O navegador italiano Giovanni Caboto (John Cabot) navega pelo leito do rio São Lourenço, e reivindica a terra em nome do rei da Inglaterra, Henrique VII. 1534 a 1539 – Viagens exploratórias do francês Jacques Cartier que chega navegando o rio São Lourenço até a ilha de Montreal. Criação da Nova França nas terras do Canadá. 1541 – Chegada dos primeiros 20 colonos franceses para se estabelecer no Quebéc. 1547 – Nome “Kanada”, adotado por Jacques Cartier, aparece em mapas como denominação da região. .
  • 6. Marcos do século XVII – Descobertas e ocupação francesa 1604 a 1618 – O geógrafo francês Samuel de Champlain, a partir de Quebéc Ville, conclui a exploração do rio São Lourenço 1608 – Fundação de Quebéc Ville por Samuel de Champlain, na região de uma antiga aldeia de nativos Huron (atualmente, reduzida à reserva nativa de Wendake, nos arredores de Quebéc Ville). 1610 – Henry Hudson, navegador inglês, batiza com seu nome o grande golfo do norte canadense. A partir deste ponto a Companhia da Baía de Hudson dos Aventureiros da Inglaterra inicia uma violenta concorrência comercial com os franceses pelo controle do comércio de peles de animais com os nativos do Canadá. A empresa existe até hoje no Canadá, com o atual nome de Le Bay no ramo do comércio de roupas e acessórios. A pele de rabo de castores era muito usada na Europa para confecção de chapéus finos. 1615 – O lago Ontario foi atingido pelos navegadores europeus que navegaram o leito do rio São Lourenço. Fundação de Toronto (nome dado pelos nativos e Fort Rovilé, denominação dos franceses) pelos comerciantes de peles franceses, como entreposto comercial. 1617 a 1632 – Guerra entre franceses e ingleses interrompeu os primeiros progressos da colonização francesa no Canadá. 1635 – Samuel de Champlain morre, e a população de origem francesa no Canadá não passava de 200 pessoas, enquanto a população inglesa já atingia a marca de 40 mil pessoas em toda América do Norte. 1642 – Paul de Chomedey de Maisonneuve, militar francês, funda Ville-Marie (atual cidade de Montreal) na ilha onde havia a aldeia dos nativos Hochelaga (descoberta em 1535 por Jacques Cartier), com o objetivo da evangelização dos povos nativos. Mas por volta de 1650, a vila já se transformara num centro de comércio e de ocupação de colonos franceses. 1660 - Abertura da primeira trilha do Chemin du Roy (atual rodovia 138) nos arredores de Quebéc. 1663 –Luis XIV, rei da França, reintegra o Canadá ao domínio real, dotando-o de administração eficaz e concedendo o monopólio do comércio canadense à Companhia das Índias Ocidentais. 1672 – Louis de Buade Frontenac, Conde de Buade, nobre francês, torna-se o primeiro Governador Geral do Canadá Francês. Sua administração autoritária e faustosa fica sediada em Quebéc Ville, e traz prosperidade ao território. Porém as brigas com os ingleses eram constantes. 1678 – O explorador francês Pache Hannepin descobre as Cataratas do Niagara. 1690 – Último ano de resistência francesa aos ataques ingleses, com a morte do general francês Montcalm.
  • 7. Marcos do século XVIII – Os Britânicos estão chegando 1756 – 1763 – Guerra dos Sete Anos entre a Inglaterra e a França. A guerra europeia teve reflexos no Canadá. A cidade de Quebéc foi tomada pelos ingleses em 1759, que passou a dominar o comércio fluvial do rio São Lourenço. Pelo Tratado de Paris de 1763, a França cedeu à Inglaterra quase todo território canadense em seu poder. Essa supremacia do poder militar inglês na região abriu caminho para a ocupação dos territórios do Canadá pelos Loyalists, 20 anos depois. 1774 – Leis do Québec procuram acomodar as leis inglesas à cultura e ao modo de vida dos franceses, mas ingleses e franceses divergiam em quase tudo (inclusive na religião). 1775 - 1783 – Colonos ingleses estabelecidos nos EUA deixam suas terras (descontentes com os rumos da Revolução Norte-Americana que resultou na independência dos EUA). Nesta época, 2 milhões de colonos viviam nos EUA. Os “insatisfeitos” se autodenominaram “Loyalists” (termo em inglês que designava os adeptos da Lealdade ao governo monárquico britânico, mesmo vivendo em regime de governo colonial). Os Loyalists deslocam-se para refugiar-se nas terras da Nova França, na parte mais alta da bacia do rio São Lourenço, dando origem ao nome do território de “Upper Canadá” (Canadá Superior). 1787 – Os ingleses compram as terras de Toronto (hoje a maior cidade do Canadá) dos nativos Missisauga ao preço de 1.700 libras esterlinas e alguns presentes. 1791 – O Ato Constitucional do Canadá cria as províncias do Upper Canadá (Ontário) e o Lower Canada (Quebéc), separando territorial e institucionalmente os anglófonos dos francófonos. 1791 – 1796 – A vila de Newark mudou de nome para Niagara-on-the –Lake, às margens do lago Ontário, tornando-se a primeira capital inglesa do Upper Canadá por apenas 5 anos. 1796 – O primeiro governador militar inglês do Canadá, Coronel John Graves Simcoe, funda na região de Toronto a vila do Fort York, tornando-a a capital do Upper Canadá, que foi transferida da vila de Niagara-on-the-Lake. 1796 – 1799 – Construção do Fort George em Niagara-on-the-Lake para substituir o Fort Niagara (construído em 1790)
  • 8. Marcos do século XIX – Surgimento do país moderno 1803 a 1815 – As Guerras Napoleônicas travadas na Europa pelo Imperador Napoleão I e demais nações europeias, em especial a Grã-Bretanha, concorreram para as repercussões na história dos EUA e Canadá. 1812-1814 – Aproveitando-se de que ingleses e franceses lutavam entre si na Europa, o governo dos EUA já em processo de consolidação de seu poder militar, abre guerra contra os ingleses na América do Norte, e avançam sobre os territórios de Ontário. Os EUA buscavam a expansão de seus territórios e poder, e acreditavam que os Loyalists iriam aprovar a ideia de anexação do seu território aos EUA. Houve intensas batalhas nos Grandes Lagos e na região de Niagara. Fort York (atual cidade de Toronto) foi tomada e queimada pelos americanos, colocando um ponto final nas invasões. Em 1813, Toronto foi atacada e queimada pelos norte-americanos. Os britânicos chegaram a “dar o troco” ao ocupar a cidade de Washington e por fogo na Casa Branca ( de onde vem a origem do nome, “casa pintada de branco após o incêndio”). A guerra acabou em empate para os EUA e os britânicos. 1820 – 1840 – Para evitar novas invasões a seus territórios na América do Norte, os ingleses aprovaram medidas de oferecer terras gratuitas no Canadá à colonos súditos da Inglaterra, e quase provoca uma séria crise econômica na Grã- Bretanha. Num período de 20 anos, mais de 1,5 milhões de britânicos cruzaram o Atlântico em busca de uma vida melhor em Ontario. 1826 – 1832 – Construção do Canal Rideau entre as cidades de Kingston e Bytown (atual cidade de Ottawa, capital do Canadá) pelo tenente- coronel inglês John By. 1829 - Construção dos 42 km de extensão do Canal Welland, ligando com canal navegável os lagos Érie e Ontário, permitindo o acesso da navegação aos 5 grandes lagos da América do Norte. 1832 – 1836 – Construção pelos ingleses do Fort Henry em Kingston, às margens do rio São Lourenço. 1846 – Foi estabelecido o paralelo 49 como linha de fronteira terrestre entre os EUA e Canadá. 1860 – Construção do primeiro prédio do Parlamento canadense em Ottawa. Construção da Ponte Victoria sobre o rio São Lourenço, na cidade de Montreal para ligar à margem direita do rio. Na época, foi considerada a 8ª. Maravilha do mundo, em termos de Engenharia. 1861 – 1865 – Guerra de Secessão dos EUA levou os britânicos a suspeitar que os EUA tentariam mais uma vez a anexação de territórios no Canadá. 1867 – Em 20/03/1867, o Ato da América do Norte Britânica cria o Dominion , estendendo as fronteiras do Canadá até a costa do Pacífico, incluindo as províncias e territórios onde foram descobertas minas de ouro. Canadá (Quebec e Ontario), New Brunswick e Nova Scotia formam a Confederação Canadense de 1867. O advogado escocês John A. Macdonald, nascido em 1815 e cuja família emigrou para Kingston em 1820, tornou-se o primeiro Primeiro Ministro da Confederação Canadense. 1869 – O governo inglês cedeu ao Canadá os territórios do Oeste e do Norte que haviam pertencido à Companhia da Baía de Hudson. 1871 –Ingresso da província da British Columbia na Confederação após a construção da ferrovia Canadian Pacific Railway. 1876 – Foi completada a Ferrovia Intercolonial entre as cidades de Halifax e Quebéc Ville.
  • 9. Marcos históricos do século XX 1896 a 1911 – Governo do primeiro ministro franco-canadense, Wilfrid Laurier, que reforçou a autonomia do Canadá, criando a Marinha (atual Forças Armadas do Canadá) e Ministério do Exterior (num país que não era oficialmente independente da Inglaterra). 1912 – Inauguração do hotel de luxo Chateau Laurier em Ottawa. Mesmo ano em que o transatlântico inglês Titanic afundou nas costas do Canadá. 1914 -1918 – Cerca de 424 mil soldados (dos quais morreram 52 mil em combate) formaram as tropas canadenses durante as batalhas da I Guerra Mundial, lutando ao lado das Forças Armadas Britânicas e seus aliados dos Estados Unidos. Após a guerra, o Canadá passa a ter importância e peso na política mundial. 1917 – Construção da primeira usina hidrelétrica canadense no rio Niágara. 1/07/1930 – Inauguração do Chateau Montbelo, um dos maiores hotéis construídos no mundo com toras de madeira. 1959 – Construção da Saint Laurence Seaway (Via marítima do rio São Lourenço), sistema de comportas e vias navegáveis que permitiu a navegação de grandes navios modernos pelo rio até os grandes lagos. 1962 – Com a desistência de Moscou, na Rússia, Montreal é escolhida como sede da Expo 67. Diversas obras de infraestrutura urbana são iniciadas na cidade de Montreal, incluindo o sistema de Metrô. 1967 – Exposição internacional Expo 67 é realizada em Montreal. Foi visitada por 50 milhões de pessoas, um recorde ainda não superado em exposições internacionais até hoje. 1970 – Completada a rodovia Transcanadense, ligando por terra a costa leste e oeste do país, num percurso de 7.821 km de extensão. 1975 – 1976 – Construção em estrutura de concreto e abertura da CN Tower em Toronto, com 553,33 metros de altura foi considerada até 2012 a primeira mais alta torre do mundo. Desde 2016 é a 3ª. mais alta do mundo, depois da Torre de Tóquio e a Torre de Cantão, na China. 1976 – Montreal sediou os Jogos Olímpicos de Verão, quando construiu seu parque olímpico e aumentou o sistema de Metrô. 1982 - O Canadá torna-se oficialmente um país independente politicamnente da Inglaterra, mas mantém o sistema de governo parlamentarista e monárquico. 1999 – Criação da província de Nunavut, a última a ser incluída na Confederação do Canadá.
  • 10. Dólar Canadense Desde 1/1/1858 o dólar canadense é a moeda do pais, mas somente em 1935 a emissão de moeda no país ficou concentrada no Banco Central do Canadá, e os demais bancos do país não poderiam mais emití-la. Nas transações correntes do dia-a-dia dos turistas, o dólar norte-americano é aceito no comércio canadense, mas o troco é dado em moeda canadense. A taxa de câmbio é flutuante: CAD 1,00 = USD 0,74 (média de Novembro de 2016).
  • 11. Dados Sócio - Econômicos Histórico Setor Primário (Agropecuária) Setor Secundário (Indústria) Setor Terciário (Serviços) Observações PIB 2016 2% 32% 66% 10ª. Maior economia do Mundo Força de Trabalho de 18 milhões de pessoas. Bom nível de instrução e educação Trigo (um dos maiores produtores mundiais) Agropecuária mecanizada RECURSOS NATURAIS Rios e lagos 48% de seu território são de florestas (papel, celulose, madeira) Petróleo Gás Natural Níquel (*) Zinco (*) Urânio (*) Ouro Prata Cobre Molibdênio Amianto Indústria automobilística integrada com os EUA desde 1965 Energia Elétrica Hidro-Quebéc é o maior produtor e exportador para os EUA 60% - Hidrelétricas 18% - Usinas nucleares 12% - Usinas a gás natural 8% - Termelétricas a carvão 2% - Outras fontes de geração 5º. País em movimento de turistas no mundo (*) Entre as maiores reservas mundiais 73,7% de suas exportações são para os EUA, na base de CAD 1,4 bilhões por dia. Produtos canadenses destinam-se a 35 estados dos EUA (que tem 50 estados) Membro do Nafta com EUA e México de 1994
  • 12. Lago Ontario (Canadá & USA) Rio Niagara Lago Erie (Canadá & USA) Kingston (nascente do São Lourenço) Ilha de Montreal (Seaway de 1959) Região das Mil Ilhas (área de navegação perigosa para grandes navios) Quebéc, ponto mais estreito do rio Canal Welland
  • 13. 5 Grandes Lagos, acessíveis ao mar pelo rio São Lourenço. Lago Ontario Kingston (nascente) Thousand Islands Quebéc/Lévis (ponto mais estreito do rio) Península de Gaspé Golfo do São Lourenço (maior estuário do mundo) Extensão do rio: 3.058 km Extensão de vias navegáveis: 4.023 Km
  • 14. Costa Leste do Canadá
  • 15. Regiões visitada no tour rodoviário Toronto Niagara Falls & Niagara on the Lake Região das Mil Ilhas no Rio São Lourenço Ottawa & Gatineau Ilha de Montreal Bertrhierville, Trois Riviéres, Cap de Madaleine (Chemin du Vin e Chemin du Roy) Quebéc, Ilha de Orleans, Levis
  • 16. Província de Ontário Mais populosa província do Canadá, com 13,4 milhões de habitantes (2014) (40% dos canadenses) e área territorial de 1,068 milhões de KM2 (superfície maior do que a região Sudeste do Brasil) Uma das mais ricas províncias do país; centro econômico- financeiro, político e cultural. Seus recursos hídricos (rios e lagos) são suas maiores riquezas naturais. Cerca de 50% dos produtos industriais do país são produzidas em Ontario, na região entre Toronto e Hamilton. O nome Ontario origina-se do lago do mesmo nome. Em língua nativa dos Iroquois significa “águas brilhantes”. O primeiro nome da província em inglês foi Upper Canada, por estar na parte alta da bacia dp rio São Lourenço. Cidades de Ontario que já foram capital do Upper Canada: 1792 a 1796 – Niagara (atual Niagara on the Lake, após 1880) 1796 a 1813 – York (atual Toronto, após 1834) População: 240 pessoas Cidades de Ontário que já foram capital do Canadá: 1841 – 1844 – Kingston 1844 a 1865 - Montreal e Quebéc (QC) e Toronto (ON) (alternância) 1866 até hoje – Ottawa (ON) (escolhida pela Rainha Victoria, da Inglaterra)
  • 17. Toronto, a capital da Província de Ontario e a maior cidade do país
  • 18. Em língua indígena, Toronto significa “lugar de encontro para o comércio”. O explorador francês Etienne Brulé estabeleceu ali um posto comercial em 1615 para troca de peles de animais com os nativos. Era conhecido como Fort Rovillé. John Graves Simcoe, primeiro governador inglês do Upper Canada, resolve em 1793 estabelecer ali o Fort York, e em 1796 transfere a capital do Canadá de Niagara on the Lake para Toronto. Com a queda do regime francês, os ingleses compram as terras de Toronto dos nativos Mississauga em 1787, em troca de 1.700 libras esterlinas e alguns presentes
  • 19.
  • 20.
  • 22. Flatiron Building, o primeiro arranha-céu construído na cidade num estilo misto romanesco e gótico francês em 1892, dez anos antes da construção do Flatiron da cidade de Nova Iorque. O nome oficial do prédio era Gooderham, uma destilaria que tinha ali seus escritórios até 1952. Tornou-se ponto histórico em 1975, quando Toronto viveu a era da grande expansão imobiliária. Em 2005, o prédio na 49 Wellington Street East foi vendido por CAD$ 10,100 milhões.
  • 23. Prédio central da Gooderham & Worts Distillery, complexo de 40 prédios industriais e 10 ruas na Mill Street, datados de 1832 a 1860. Numa área de 13 acres está o maior complexo de prédios industriais da era Vitoriana na América do Norte. Localiza-se na região mais antiga de Toronto. Foi uma das maiores destilarias de whisky do mundo (produziu mais de 7,7 milhões de litros da bebida, exportada para todo mundo). Desde 2003 o lugar foi transformado em centro cultural com bares e restaurantes. Região da vida boêmia da cidade de Toronto.
  • 24. O complexo de prédios da Prefeitura de Toronto na Natham Philips Square reúne a antiga torre do prédio da Prefeitura (construção de 1887 a 1889) com a moderna ala de prédios com estruturas curvas (construção a partir de 1961 e inaugurada em 1965). Entre 1870 e 1955, a área da praça era onde estava o paupérrimo bairro de Chinatown e era conhecido como THE WARD district.
  • 25. O Royal Bank Plaza, moderno edifício do centro financeiro de Toronto, com suas janelas de vidro revestidas com película de ouro, é a sede do RBC – Royal Bank of Canada, banco fundado na província de Nova Scotia em 1864, e atualmente a maior instituição bancária privada do país.
  • 26. O Chinatown de Toronto na Spadina Street tem a sua origem na imigração de chineses da Califórnia a partir de 1890. Oficialmente, o primeiro cidadão chinês de Toronto cadastrado foi Sam Ching que abriu um negócio de lavanderia manual em 1878 na Adelaide Street. Os chineses formavam a mão de obra barata usada nas construções de ferrovias, mineração, comércio e serviços após 1849 na costa oeste da América do Norte. A atual região de Chinatown data dos ano 1955. O atual bairro de Chinatown era até 1955 o bairro judeu da cidade. Desde 1970, a sinalização local é também em chinês.
  • 27. Bloor Street é o centro de comércio sofisticado da cidade. Aqui centenas de lojas de marcas internacionais disputam os sofisticados clientes que buscam lazer e produtos na região. O nome da rua homenageia o comerciante Joseph Bloor, o fundador do distrito de Yorkville (bairro residencial da classe alta da cidade) e criador dos primeiros trechos da rua em 1830. A rua corta a cidade no sentido leste a oeste.
  • 28. A Casa Loma (construída entre 1911 e 1914) pelo mais rico empresário canadense, o financista Henry Pellat, que ali viveu até 1920. Excêntrico e riquíssimo, Pellat fez fortuna com a exploração de minas de ouro no norte de Ontario e com a construção de centrais elétricas no país. Construiu sua casa (um luxuoso palácio) numa colina e deu-lhe um nome espanhol de Casa Loma (uma homenagem a sua esposa que era espanhola). A casa tem quase 100 cômodos, custou na época CAD$ 3 milhões e foi construída por 300 operários. Pressionado pelas dívidas do Imposto de Renda, Pellat morreu só com o saldo de CAD 300 em sua conta bancária e na casa de seu motorista particular, o único que não o abandonou em vida.
  • 29. A CN Tower (Canadian National Tower) foi construída em 1975 e inaugurada em 1976, às margens do lago Ontario, como torre de emissão de sinais de TV, pois nos anos 1970 a cidade teve um grande incremento na construção de grandes edifícios e não dispunha de colinas para colocação de torres. Medindo 553,33 metros de altura, foi considerada, durante 32 anos consecutivos a mais alta do mundo, sendo ultrapassada em 2007 pela torre Burj Khalifa (EAU) em Dubai. Desde 2012 , é considerada a 3ª. Torre mais alta do mundo ( a primeira está em Tóquio com 634 metro – de 2012 - e a segunda, em Cantão, China com 610 metros – de 2010). A torre da Amazônia, no Brasil, de 2014, com 325 metros de altura, é a 16ª. maior do mundo.
  • 30. O estádio de Baseball Roger Centre (ex-Skydome, assim denominado de 1989 até 2005, quando mudou de nome) é a sede do time de Toronto, The Blue Jays, foi inaugurado em 3/06/1989 e dispõe de uma curiosa cobertura retrátil que permite seu uso durante o inverno rigoroso do Canadá. Tem capacidade para 50 mil espectadores sentados e recebe uma média de 3,5 milhões de visitantes por ano. Está ao lado da CN Tower e vizinho ao Centro de Convenções de Toronto. Tem também um hotel de luxo, cujos apartamentos mais caros tem vista para o campo de jogo. A escultura mais popular do estádio é obra de Michael Snow, The Audience, (foto) é um dos cartões postais da cidade.
  • 31. Niagara-on-the Lake, cidade histórica do Canadá. Foi batizada com este nome para diferenciar-se de Niagara Falls, que é da mesma região. Niagara Falls está dividida em 2 cidades, uma no Canadá e a outra nos EUA. Na prática, são quase a mesma cidade.
  • 32. Hamilton, Ontário, Canadá está às margens do lago Ontário e é importante centro industrial de minérios de ferro. Tem 424 mil habitantes.
  • 33. Canal Welland = ligação fluvial entre os lagos Ontario (81 metros sobre o nível do mar) e Erie (189 metros sobre nível do mar) Construído em 1829 // 8 eclusas (261 metros X 24 metros) Cruzado por 11 pontes levadiças e viadutos e 3 túneis sub-fluviais ( Thorold – 1968/ Main Street Welland – 1972/ Towline – 1973) Dimensões atuais de todo o sistema do canal: Extensão: 42 km Profundidade: 8,20 metros
  • 36.
  • 38. Niagara Falls, Ontario, Canada (Clifton Hill) Niágara = nome nativo de “águas do trovão”
  • 39. Niagara Falls, Ontario, Canada Niagara Falls, NY, USA Goat Island, NY, USA Rainbow Bridge (Canada/EUA)
  • 40. O estádio de Baseball Roger Centre (ex-Skydome, assim denominado de 1989 até 2005, quando mudou de nome) é a sede do time de Toronto, The Blue Jays, foi inaugurado em 3/06/1989 e dispõe de uma curiosa cobertura retrátil que permite seu uso durante o inverno rigoroso do Canadá. Tem capacidade para 50 mil espectadores sentados e recebe uma média de 3,5 milhões de visitantes por ano. Está ao lado da CN Tower e vizinho ao Centro de Convenções de Toronto. Tem também um hotel de luxo, cujos apartamentos mais caros tem vista para o campo de jogo. A escultura mais popular do estádio é obra de Michael Snow, The Audience, (foto) é um dos cartões postais da cidade. Niagara Falls, Ontario, Canada
  • 41. Niagara Falls, Ontario, Canada (Clifton Hill) – a área das lojas, bares e restaurantes da cidade.
  • 42. Niagara Falls, Ontario, Canada Oakes Garden
  • 43. Niagara Falls, Ontario, Canada Niagara Falls, NY, USA Horseshoe Falls (Canada) Altura: 54 metros Largura: 675 metros American Falls (EUA) Altura: 56 metros Largura: 320 metros
  • 44. Rainbow Bridge (Canada/EUA) - construída em 1941 sobre o rio Niágara, ligando as duas cidades com o nome de Niagara Falls (a canadense e a norte-americana)
  • 45. Horneblower Boat tour at Niagara River. Cruzeiro de 45 minutos.
  • 46. Os Daredevils de Niagara. (os Intrépidos de Niagara) formam um grupo de 12 pessoas que ao longo da história desafiaram a morte, saltando das cataratas, em busca de fama e dinheiro. A maioria só encontrou a morte. 1829 – Sam Patch foi o primeiro saltador a registrar a tentativa. 1886 –C.D. Grahan foi o primeiro a descer o Niagara Rapids num barril de madeira. 24/10/1901 – A professora norte-americana Annie Taylor, comemorando seus 63 anos de idade, fez o salto das cataratas dentro de um barril de madeira com seu gato e foi a primeira que saiu viva, mas morreu na pobreza 20 anos depois, aos 83 anos de idade.
  • 47. Escola de Horticultura de Niagara, criada em 1936 pela Comissão de Parques do Niagara, para formação de jardineiros qualificados para manutenção do parque (forma cerca de 350 profissionais anualmente). Os jardins do parque de Niagara são reconstruídos anualmente, tanto no inverno como no verão.
  • 48. O rio Niagara tem 56 km de extensão, ligando os lagos Erie e Ontário, sendo navegável acima e abaixo das cataratas. Desde 1820, o Turismo é importante atividade econômica (5º maior do mundo). Porém destaca-se a produção agrícola com frutas (uvas) entre outros vegetais alimentícios, como uma das maiores do Canadá. A agropecuária responde por 2% do PIB do país.
  • 49. Niagara é conhecida desde os anos 1900 como a “capital mundial da lua de mel” (Honeymoon capital). Cerca de 50 mil casais viajam anualmente à Niagara para festejar as suas núpcias. O Centro de Turismo da cidade j´á emitiu até hoje cerca de 1 milhão de certificados, assinados pelo Prefeito da cidade, confirmando que o casal é um Niagara Official Honeymooner. Niagara tem a menor capela de madeira para casamentos (capacidade de no máximo 6 pessoas lá dentro). Acredita-se que a fama do local deveu-se a dois honeymooners da alta-sociedade norte-americana que deram origem a tradição: 1801 – As núpcias de Theodosia, filha do 3º. Vice- Presidente dos EUA, Aaron Burn. 1804 – As núpcias do irmão de Napoleão Bonaparte, Jerome, que viajou de carruagem de New Orleans até Niagara para a lua de mel.
  • 50. Relógio Floral de Niagara foi construído em 1950 pela empresa Ontario Hydro nas proximidades da Hidrelétrica Adams Beck No. 1. Foi inspirado no relógio floral de 1902 de Edinbumrg, Escócia. São necessárias 19 mil plantas para cubrí-lo, e é refeito 2 vezes durante o verão. Os ponteiros representam 2 muletas em homenagem às pessoas desabilitadas. Desde 1977 é mantido pela Escola de Horticultura.
  • 51. Niagara-on –the –Lake tem 13 mil habitantes, e originalmente era chamada de Newark. Hoje, uma pequena cidade turística, foi criada pelos Loyalists e tornou-se a primeira capital do Upper Canada entre 1761 e 1796. Entre 1796 e 1799, foi construído ali o Fort George, para substituir o Fort Niagara (de 1790). Os ingleses queriam proteger seu território dos norte-americanos recém independentes, á época.
  • 52. VIAGEM RODOVIÁRIA DE TORONTO A OTTAWA, VISITANDO AS MIL ILHAS DO RIO SÃO LOURENÇO
  • 53. Partida de Toronto, ON, pela Road 401 East Parada Técnica em Colborne, Exit 497 Higway 401 East, (115 km de Toronto e 112 km de Kingston e 270 km de Ottawa). Big Apple World (Aberto diariamente das 7,30 às 21 horas) Rockport, ON, Thousand Islands Highway (porto do cruzeiro) Ottawa,ON, destino final
  • 54. Rockport, Ontario. Porto do cruzeiro às Mil Ilhas Thousand Islands (Mil Ilhas) no rio São Lourenço Boldt Castle na ilha Coração (1900)
  • 55. A região das “Mil Ilhas” tem cerca de 1.864 ilhas ao longo de um trecho de águas binacionais do rio São Lourenço. Cerca de 2/3 das ilhas (1.242 delas) estão no território canadense. A maior delas tem 100 km2 de área, e as menores (para serem consideradas ilhas) tem uma área mínima de 1 metro quadrado acima do nível da água durante 365 dias e devem suportar a vida de no mínimo 3 árvores sobre ela. A navegação aqui é considerada bem difícil pois há passagens estreitas e pouco profundas entre as ilhas. A região foi também palco da Guerra de 1812 – 1814, e conta a lenda que um oficial inglês explorou a região, dando nome as principais ilhas em homenagem à família real britânica. Já as ilhas menores, o mesmo oficial teria batizado com nomes de soldados de seu batalhão.
  • 56.
  • 57. Ottawa, ON, é banhado pelo rio Ottawa, que divide as províncias de Ontário e Quebéc.
  • 58. A capital federal do Canadá, localizada às margens do rio Ottawa, é hoje uma cidade com 812 mil habitantes (cerca de 1,456 milhão de habitantes na sua região metropolitana), no censo de 2006. Surgiu como modesta povoação entre 1826 a 1832, com a criação do acampamento militar chamado de BYTOWN (em homenagem ao Tenente Coronel Engenheiro inglês John By, o responsável à época pela construção do Canal Rideau, ligando os rios Ottawa, Rideau e Cataraqui, permitindo o acesso de tropas navais até a base militar inglesa de Kingston). Nesta época, os ingleses ainda estavam ressabiados com os efeitos da Guerra de 1812-1814 entre os EUA e Canadá. Em 1850, mudou de nome para Ottawa, e já contava com 10 mil habitantes. Em 1840, o Upper e o Lower Canadá foram unificados e durante 17 anos as cidades de Kingston, Toronto, Montreal e Quebéc sediaram a capital em períodos diferentes e rotativos. Em 1857, a então Rainha Victoria da Inglaterra (e rainha do Canadá também) decidiu por fixar a capital em Ottawa, alegando 3 motivos básicos.: a) Localização distante da fronteira dos EUA (que já haviam tentado tomar o Canadá da Inglaterra entre 1812 e 1814. b) Localização em Ontario (província de cultura predominantemente inglesa) e fronteiriça com a província de Quebéc (predomominantemente francófona), permitindo atender aos anseios culturais e econômicos dos 2 principais grupos étnicos do novo país. c) Facilidade de acesso por navegação pelo rio Ottawa ao rio São Lourenço pelo Canal Rideau, além da beleza da região. Em 1867, com a Confederação do Canadá , Ottawa passou a ser a capital do novo país e já contava com 18 mil habitantes. Um grande incêndio em 1900 destruiu severamente a cidade (na época com 60 mil habitantes), tendo sido lentamente reconstruída até 1912 (já com 90 mil habitantes).
  • 59. Pontiac (1720 – 1769) foi o chefe nativo a partir de 1755 da tribo dos Ottawa , nação que vivia na região onde a cidade de Ottawa surgiu. Liderou a guerra de 900 nativos de 12 tribos, aliando-se aos colonos franceses, contra a ocupação dos territórios dos Grandes Lagos da América do Norte por colonos ingleses na guerra de 1763 - 1764. Tentou tomar o Fort Detroit. Seu nome foi usado como marca de automóveis GM de 1926 a 2010.
  • 61. O complexo de prédios do Parlamento Canadense é o mais conhecido “cartão- postal” de cidade. O Canadá é governado por um sistema de monarquia parlamentarista: Rainha do Canadá: Rainha Elizabeth II da Inglaterra. (é somente chefe do estado) Governador Geral do Canadá: é o representante da rainha no Canadá (cargo mais simbólico politicamente, assinando as leias aprovadas pelo Parlamento). Primeiro-Ministro: é o chefe de estado e também o líder do partido político que tenha a maioria no Parlamento canadense. O Parlamento canadense é bi- camarista: Câmara dos Deputados (Câmara dos Comuns) e Senado. No verão, estudantes reencenam marchas militares nos jardins do Parlamento na cerimônia de Troca da Guarda
  • 62. A cerimônia da “Troca da Guarda” (Changing of Guards) é realizada nos jardins do Parlamento desde 1959, iniciando-se pontualmente às 10 horas da manhã, com duração de 15 minutos, e ao som da banda marcial. Em 2017, será realizada entre 25 de Junho a 26 de Agosto, pois é uma atração turística da cidade no período do verão canadense. Além da banda, participam dois regimentos em formação com seus uniformes de gala cerimoniais: a Infantaria do Governador (equivalentes aos Guardas da Rainha de Londres) e os Granadeiros do Canadá. Nas apresentações, os dois regimentos são formados , em sua maioria, por estudantes colegiais, universitários (que atuam como atores de um espetáculo e utilizam a função como um emprego de verão) e reservistas militares. Os militares profissionais atuam somente nas cerimônias em que a realeza e seus convidados estejam presentes.
  • 63. Bandeira do Canadá Bandeira da província de Ontário Bandeira da província de Quebéc O 28º. Governador Geral do Canadá, o advogado canadense David Loyd Johnston, é representante da Rainha da Inglaterra no país desde 1/10/2010, pois o Canadá é um país de regime de governo parlamentarista monárquico. O líder do Partido Liberal, Justin Pierre James Trudeau (nascido em 1971) é o 23º. Primeiro- Ministro do Canadá desde 4/11/2015. É filho do também ex-primeiro ministro canadense Pierre Trudeau. É o chefe do governo do país.
  • 64. O Parlamento é formado pela Câmara dos Deputados (Câmara dos Comuns) e pelo Senado. Uma lei federal no Canadá precisa ser aprovada nas duas câmaras, e sancionada pelo Governador Geral (que endossa a decisão do Parlamento com a concordância da monarca), para tornar-se efetiva no país. Câmara dos Comuns formada por 358 Membros do Parlamento (MPs) Senado é formado por 105 senadores; Por tradição, a rainha ou o governador geral só tem assento no Senado e jamais entram na Câmara dos Comuns.
  • 65. Todo o cerimonial do Parlamento é baseado nas tradições políticas inglesas. Uma das mais curiosas é a figura do Sargento de Armas e o “Mace” (arma medieval, atualmente um objeto decorativo e simbólico), que representa simbolicamente o poder concedido pelo monarca aos membros do Parlamento e do Senado (cada câmara tem o seu Mace). A entrada do Sargento de Armas e do Mace nas câmaras é uma cerimônia protocolar que antecede as reuniões parlamentares. Técnicamente, ninguém na sala de reuniões pode estar armado, e esta função de preservação da ordem no local cabe ao Sargento de Armas. The Royal Canadian Mace Embora seja uma figura decorativa e tradicional, a função de Sargento de Armas é um título de muito prestígio militar no país . O ex- RMCP e Sargento de Armas, Kevin Vickers, em 23/10/2014 disparou sua arma contra um ladrão que ingressou armado no Parlamento, numa clara demonstração que sua função não é tão decorativa quanto possa parecer.
  • 66. A Biblioteca do Parlamento foi instituída em 1857 e seu prédio original data de 1876, já tendo sobrevivido a 2 incêndios: em 1916 e 1952. Sei interior é magnificamente decorado com estantes em madeira esculpida, tendo ao centro a estátua em mármore da Rainha Victoria, da Inglaterra, esculpida em 1871 por Marshal Madeira. Os brasões de armas ali vistos são os das províncias canadenses existentes em 1876 e um do Domínio do Canadá. A última reforma da Biblioteca data de 2006. O acervo da biblioteca poderia alcançar cerca de 17 km lineares de prateleiras, e é usado pelos parlamentares e seus assessores nas consultas sobre todos os assuntos da vida canadense.
  • 67. Hotel Chateau Laurier (1912) é o hotel histórico da cidade, construído para acomodar membros do Parlamento canadense quando a cidade não contava com opções de residências .
  • 68. O Byward Market é uma das maiores concentrações de bares, restaurantes e barraquinhas de alimentos da cidade. Todas as noites os bares e restaurantes desta região da cidade, próxima ao centro e do Parlamento, são avidamente procurados por turistas e pela população local.
  • 69. A Fazenda Experimental de Ottawa é órgão de pesquisa do Ministério de Agricultura do Canadá
  • 70. O Canal Rideau, construído entre 1826 a 1836 pelo tenente coronel inglês John By, deu início à cidade de Ottawa. O canal tem 43 barragens e 24 eclusas operadas manualmente até hoje. Durante o inverno, o canal tem menor volume de água e congela, tornando-se na maior pista de patinação de gelo do mundo
  • 71. National Art Gallery of Canada
  • 72. O Museu Nacional do Canadá está localizado na cidade de Gatineau (QC), às margens do rio Ottawa. Ex- Museu da Civilização do Canadá tem acervo voltado à preservação das culturas nativas do país. Sua arquitetura simboliza os iglús dos povos Inuits. Os povos Inuits são errôneamente chamados de Esquimós, porém a palavra refere-se á raça de cachorros que os ajudam a viver em regiões geladas.
  • 73. O rio Ottawa serve de divisa entre as províncias de Ontario (onde localiza-se Ottawa) e Quebéc (onde está a cidade de Gatineau). Na prática o Museu da História Canadense faz parte das atrações turísticas de Ottawa.
  • 74. A RESIDÊNCIA OFICIAL DO PRIMEIRO MINISTRO CANADENSE EM OTTAWA: 24 SUSSEX DRIVE
  • 75. A RESIDÊNCIA OFICIAL DO GOVERNADOR GERAL DO CANADÁ, O REPRESENTANTE DA RAINHA DA INGLATERRA NO PAÍS: RIDEAU HALL. Nesta residência oficial são realizadas as cerimônias de encontro de chefes de estado e convidados oficiais do Governo do Canadá
  • 76. As Forças Armadas canadenses tem o seu batalhão de Infantaria do Governador Geral (equivalente canadenses dos Queen’s Guards da Grâ-Bretanha) trajados com jaquetas vermelhas, calças pretas e o famoso chapéu Pele de Urso (Bearskin) (que mede 50 cm de altura e pode pesar até 700 gramas cada). Esse grupamento militar tem a função de prestar serviços de guarda e segurança aos membros da família real britânica, e no caso do Canadá, são os encarregados da guarda da residência oficial do Governador Geral do Canadá, que é o representante oficial da monarquia inglesa no país. Originalmente, este batalhão foi criado em 1660 no Exército britânico no reinado de Charles II. O famoso e icônico chapéu passou a ser usados pelos guardas após a Batalha de Waterloo, com a vitória da Grã-Bretanha sobre as tropas de Napoleão.
  • 77. A região conhecida como “Embassy Row” da cidade está ao redor do prédio do Ministério do Exterior e Negócios Estrangeiros do Canadá (Lester B. Pearson Building) , que é um prédio moderno, cercado por ruas com grandes casarões onde se localizam as principais embaixadas e sedes de Alto Comissariados (representação diplomática de países membros do British Commonwhealh, do qual o Canadá também é país membro)
  • 78. Royal Canadian Mounted Police (1920) O Canadá talvez seja o único país do mundo cuja Polícia Montada é um símbolo nacional: popularmente conhecidos como “The Mounties.” Na verdade exercem a função de Polícia Federal do Canadá (incluindo fiscalização de fronteiras), tendo sido formada em 1920, com a união das equipes da Polícia Montada do Noroeste (criada em 1873) e a Polícia do Dominion ( criada em 1868). O termo Royal foi agregado em 1904 durante o reinado de Eduardo VII. A RCMP tem pouca atuação nas províncias de Ontario e Quebéc, que tem suas próprias forças policiais, mas atua bastante nas demais províncias do Canadá. A força conta com efetivo de 28.461 profissionais (1/9/2015). Uniforme tradicional para cerimônias (Review Order ou Red Serge) e o atual uniforme de uso cotidiano
  • 79. Royal Canadian Mounted Police (1920) Em Ottawa está localizado o quartel-general da RCMP, assim como os seus estábulos do chamado “Caroussel Musical Ride”, um espetáculo equestre onde 32 “Mounties” apresentam-se em manobras militares, montados em cavalos de pelo negro (tradição que veio da cavalaria inglesa). A apresentação relembra antigas manobras militares equestres, usadas em forças militares de todo mundo. Destaca-se a forma de controle do cavaleiro sobre a sua montaria, que feita exclusivamente com as pernas do cavaleiro (sem uso das mãos), já que uma segura o arreio e a outra uma lança (antiga arma militar usada para atacar os inimigos). Os cowboys do “velho oeste” usam outro tipo de técnica de controle da montaria, usando constantemente às mãos. Pode-se visitar o Museu da RCMP e os estábulos, abertos para tours públicos gratuitos às 10 horas da manhã das terças e quintas-feiras.
  • 80. Básicamente, seguiremos por estradas que estão na margem esquerda do rio São Lourenço, saindo de Ottawa pela cidade de Gatineau (na província de Quebéc), pela rodovia 50 (a rodovia dos Ottawas – os nativos), seguindo em direção ‘East”, passando pelos arredores de Montreal.
  • 81. Rodovia dos Ottawas (Road 50 – QC), liga a cidade de Ottawa ao Aeroporto de Mirabel nos arredores de Montreal. (cerca de 2 horas de viagem rodoviária). Parada técnica: Hotel Chateau Montebelo Road 50 East – Exit 210
  • 82. Hotel Chateau Montebelo (1930). Construído durante 4 meses por 3.500 operários usando 166 km de toras de madeira de cedro vermelho. Tem 211 apartamentos, 17 salões e 4 alas. Foi sede a reunião do G7 de 1981 e da Otan e Banqueiros mundiais em 1983. Situado na saída 210 da Road 50 East.
  • 83. A rodovia provincial quebequense 158 corta a região das Laurentides, passando por Saint-Juliene e Joilette, e conectando- se à Auto-estrada 40 e ao Chemin du Roy (Rodovia 138) em Berthierville. Não pontos de parada técnica de Saint-Jérome até Berthierville. Há uma área de restaurantes na intercessão da 158 com a rodovia 40 Vindo de Ottawa e Montebelo Conexão da Road 50 East com a Road 158 Parada técnica na intercessão da Road 158 e a Road 40 em Berthierville. Conexão com a Road 138 Chemin du Roy
  • 84. Ao longo da rodovia 158 poderemos apreciar as paisagens rurais dos arredores de Montreal e Quebéc. Tais fazendas produzem alimentos para as cidades maiores, em particular a cidade de Montreal. Tais cidades foram estabelecidas durante a colonização francesa do Canadá, obedecendo a divisão de terras pelo sistema de Senhorias. Todas as pequenas cidades tem suas catedrais católicas ou ao menos uma igreja construída em pedra e com os telhados geralmente pintados na cor de alumínio. Na foto vemos a Catedral de Joiliette, na província de Quebéc. A Região das montanhas Laurentides é cortada pela rodovia provincial 158, e todas as pequenas cidades tem geralmente nomes de santos da igreja católica, tradição herdada do tempo da Nova França.
  • 85. O sistema feudal de distribuição de terras na Nova França era chamado de Senhorias. A terra era propriedade do monarca francês que concedia “direitos de exploração e ocupação” a alguns nobres, chamados de Senhorios. As parcelas de terras concedidas como Senhorias eram em formato retangular, sendo uma das extremidades ligadas ao leito do rio São Lourenço (na época, o único caminho e meio de transporte da região). O sistema de Senhorias foi adotado em Quebéc desde 1608, resistindo após 1763 quando os ingleses compraram o território, e só sendo extinto em 1854. Os Senhorios podiam explorar o trabalho dos servos (os camponeses), que eram registrados ao nascimento nas paróquias das senhorias, e não podiam ser vendidos a outras senhorias. Os Senhorios não tinham o direito de venda da terra, mas negociavam o seu direito de ocupá-la junto a outros nobres. O mapa dos condados de Quebéc mostra bem essa forma de divisão de terras. Na época existiram cerca de 7.400 fazendas. Lotes de terras retangulares formavam as Senhorias
  • 86. Chemin du Roy – O caminho do rei (1) Foi o primeiro caminho carroçável construído na Nova França (atual província de Quebéc) a partir de 1660 (e um dos primeiros da América do Norte), ligando as vilas de Cotê de Beaupré e o Vieux Port de Quebéc, num traçado próximo à margem esquerda do rio São Lourenço. Em 1706, iniciaram-se os projetos de extensão do caminho entre a vila de Quebéc e a vila de Montreal, mas as obras só se realizaram entre 1731 e 1737. A via carroçável passou a ter 7,4 metros de largura por 280 km de extensão, passando a ligar as 37 senhorias (fazendas que originaram as vilas da província). Uma viagem de carroça pelo caminho em seu trajeto completo poderia durar de 4 a 6 dias. Em 1967, durante visita oficial à Quebéc, o então presidente da França, General Charles De Gaulle, faz menção em um discurso da existência deste caminho como grande símbolo de estreitamento cultural entre os franco- canadenses e os franceses. Em 1996, surge o projeto de mapear e sinalizar os principais pontos históricos e turísticos da rodovia 138 (que abrange a maior parte do antigo trajeto histórico. E finalmente em 1999, oficialmente, é adotado o nome de CHEMIN DU ROY para esta rodovia.
  • 87. Chemin du Roy – O caminho do rei (2) Apesar da viagem pela rota 138 seja um descortinar de belas paisagens rurais, com alguns moinhos antigos que foram importantes para o desenvolvimento e colonização francesa na província, existem algumas restrições de ordem prática em alguns trechos, especialmente por conta de antigas pontes de ferro (que cruzam rios e riachos na região), que são estreitas demais para a passagem de 2 veículos simultânemnte em sentidos contrários. Algumas são interditadas ao tráfego de grandes ônibus de turismo e caminhões pesados. Por conta disso, recomenda-se viagem em ônibus nos trechos de Berthierville, retornando à rodovia 40 (a principal) e depois o trecho entre Trois- Riviére, Batiscan (há ponte sobre o riacho Batiscan), a ponte sobre o riacho Sainte Anne (foto acima), com a Igreja de Saint Anne de La Pérade, e Grondines (de onde se retorna à rodovia 40 pela ruta 363) em prosseguimento à cidade de Quebéc.
  • 88. Berthierville é a cidade natal do famoso piloto de corridas de Fórmula Um, Gilles Villeneuve (1950 – 1982), cuja carreira de piloto da escuderia italiana Ferrari se destacou entre 1977 a 1982. O piloto canadense era considerado um dos mais ousados na pista, porém jamais conquistou algum campeonato de Fórmula 1, porém apresentava destacadas vitórias nas corridas em que participou. O piloto morreu num trágico acidente no GP da Bélgica em 1982, colidindo com a March do piloto Jochen Mass a mais de 200 km/h. Seu filho, Jacques Villeneuve (1971 - ....), também foi piloto de Fórmula 1 de 1996 a 2006, conquistando os títulos máximos de Fórmula Indy e 500 milhas de Indianapolis de 1995 e de Fórmula 1 em 1997. Ainda atua como piloto de corridas em outras categorias do esporte.
  • 89. Cidade fundada em 1634 por Samuel de Champlain ( é a segunda mais antiga da província) com 134 mil habitantes (2016), localizada às margens do rio São Lourenço, na confluência do rio Saint- Maurice (afluente do rio São Lourenço). O nome da cidade data de 1599, por que as ilhas Saint-Quentin e Potherie formam 3 canais naturais do deságue do rio Saint-Mauricie no São Lourenço, dando a idéia de ter três rios na região. O rio Saint Maurice era a principal via de acesso às grandes florestas do Quebéc, e até 1850 a atividade de madeireiras era um atividade econômica significativa. Em 1930, era a capital da polpa e da fabricação de papel no país.
  • 90. 1694 –Criação da Confraria do Rosário no local. 1714 – Construção da primeira capela em madeira (e uma das primeiras igrejas do Canadá) 1879 – Ampliação da igreja em pedra, ano em que foi observado o primeiro fenômeno milagroso (o leito do rio São Lourenço permaneceu congelado permitindo o transporte das pedras da igreja). 1888 – Data de construção da velha capela, onde a imagem de Virgem maria teria aberto os olhos. 1909 e 1954 – Congressos marianos 1924 – Construída a Ponte do Rosário 1955 a 1964 – Construção da atual Basílica.
  • 91.
  • 92. As quedas do rio Montmorency têm 83 metros de altura (são 30 metros mais altas do que as cataratas do Niagara) e são as mais altas cachoeiras da província de Quebéc. Sua profundidade ao pé das quedas é de 17 metros. As quedas estão próximas ao ponto de confluência com o rio São Lourenço, nos arredores da cidade de Quebéc (distante 10 km), e próxima à ponte que dá acesso à ilha de Orleans. As quedas podem ser visitadas pelo alto através de um sistema de teleférico , seguido de caminhada pela ponte sobre o rio e uma escadaria de madeira de 487 degraus. As quedas foram batizadas pelo explorador francês Samuel de Champlain em 1603 com o nome do Almirante francês Charles de Montmorency (Duque de Damvile), ministro da Marinha francesa na época. O general inglês James Wolffe usou a região como reduto para o cerco militar da cidade de Quebéc em 1759. Já em 1885, o represamento das águas do rio criou uma das primeiras usinas hidrelétricas da América do Norte ( já demolida em 1986 por questões econômicas), que movia moinhos de pequenas indústrias têxteis na região.
  • 93.
  • 94. Foi uma das primeiras áreas a ser ocupada pelos exploradores franceses, liderados por Jacques Cartier, em 1535. Aqui ele encontrou um solo fértil e videiras selvagens. Batizou a ilha com o nome do rei da França de então, Henrique II, o Duque de Orelans. A ilha está no rio São Lourenço e mede 34 km de comprimento e 8 km de largura, com área de 190 km2 e altitude máxima de 150 metros. Está a cerca de 10 km ao norte da cidade de Quebéc. Existem 6 pequenas vilas na ilha, sendo Saint-Famille a primeira a ser fundada em 1661, e as demais são: Saint-Pierre, Saint- Jean, Saint-François, Saint-Laurent e Saint- Petronille (de onde se pode avistar a cidade de Quebéc). Todas as vilas tem nomes de sua paróquias católicas. Em 1744 foi construída a estrada que circunda a ilha até hoje, com 67 km de extensão, que tinha o nome de Chemin Royal e atualmente é a rodovia 368. Em 1759, o general inglês James Wolfe tomou o território da ilha para concentrar suas tropas para o ataque e tomada da cidade de Quebéc., encerrando o período de poder francês na região. A ilha sempre se notabilizou pelas atividades agrárias, com fortíssima tradição francesa. A ponta norte da ilha é o início do “maior estuário do mundo” quando as águas do rio São Lourenço misturam-se com as águas salgadas do Oceano Atlântico. A partir de 1935, com a construção da ponte rodoviária, a ilha foi se transformando também em local de turismo e lazer rural, sendo visitada por caminhantes e ciclistas.
  • 95. 1661 – Primeira paróquia fundada na ilha: Saint-Famille 1935 - Ponte 1744 – Chemin Royal, circunda a ilha com extensão de 67 km; 1608 - Quebéc Ville Parc de La Chute de Montmorency
  • 96.
  • 97. A vila de Quebéc (nome nativo que significa: lugar onde o rio São Lourenço se estreita) foi fundada em 1608 pelo explorador francês Samuel de Champlain em terras habitadas pelos nativos Hurons (em francês: “brutamontes”)
  • 98. A vila de Quebéc (nome nativo que significa: lugar onde o rio São Lourenço se estreita) foi fundada em 1608 pelo explorador francês Samuel de Champlain em terras habitatas pelos nativos Hurons (em francês: “brutamontes”). Essa primeira fortificação francesa em Quebéc tinha o nome de “Abitation de Quebéc”. Em 1665, Quebéc tinha 70 casas erguidas e 550 pessoas vivendo na cidade. Cerca de 25% da população (138 habitantes) era formada por religiosos diversos (em especial das ordens dos Jesuítas e Ursulinas).
  • 99. A Place Royale é o núcleo inicial da cidade de Quebéc, e data de 1608, quando aqui se estabeleceu o fundador Samuel de Champlain. Era a área comercial da cidade, bem próxima do Vieux Port. Na igreja, assim denominada em homenagem às vitórias dos franceses em batalhas contra os ingleses em 1690 e 1711, há no teto uma réplica do barco francês Brezé que trouxe em 1664 ao Canadá reforços contra as invasões dos ingleses. Na praça, destaca-se o busto em bronze do rei francês Luis XIV (o atual data de 1928, pois o original foi removido em 1700). Notre Dame des Victoires (1608) Busto em bronze do rei Luis XIV
  • 100.
  • 101. O Vieux Port de Quebéc e o quarteirão do Petit-Champlain é a área mais baixa da cidade, próxima ao estreitamento do rio São Lourenço, onde desenvolveu-se a atividade portuária de Quebéc no começo de sua fundação. A tradição da colonização francesa concentrava as residências nas mesmas áreas onde se praticavam atividades comerciais e portuárias. Outra característica arquitetônica da área portuária antiga são os pequenos prédios construídos em pedra (material abundante na região) e não em madeira, geralmente mais utilizada nas construções rurais de Quebéc. Na parte alta da cidade, o atual Hotel Chateau Frontenac, local que serviu de residência para o Governador francês de Quebéc, Louis Buade de Frontenac a partir de 1672. O atual prédio do hotel data de 1893. Chateau Frontenac
  • 102. Os povos nativos do Canadá foram de vital importância na fixação da colonização francesa de Quebéc a partir do século XVI. A comercialização de peles de animais (em especial do castor) entre os nativos e colonos comerciantes franceses era muito lucrativa para os europeus. Além disso, as regiões já habitadas pelos nativos reuniam algumas condições de habitabilidade (fonte de água e de alimentos) para o estabelecimento de núcleos de colonos franceses.
  • 103. A Citadela e as Planícies de Abraão formavam parte das fortificações da cidade de Quebéc desde 1608. A atual fortificação Citadelle data de 1820, construída pelos ingleses com projeto do Tenente Coronel E.W. Durnford, da Companhia de Engenheiros Reais, e leveu mais de 30 anos para ser completada. Somente em novembro de 1871, esta fortaleza foi entregue às forças armadas canadenses e desde 1920 é sede do 22º. Regimento do Batalhão Real. Nestas planícies, em 1759 as tropas francesas do general Montcalm foram vencidas pelas tropas inglesas do general inglês Wolfe, dando o controle de toda região à coroa inglesa e pondo fim ao regime de poder francês. Além de local histórico, as planícies são o maior parque urbano da cidade de Quebéc.
  • 104. A Citadela e as Planícies de Abraão foram o campo de batalha entre franceses e ingleses em 1759. Os ingleses atacaram Quebéc em1759, nas planícies de Abrahão Tropas inglesas foram concentradas nas cataratas de Montmorency e na Ilha de Orleans Citadelle
  • 105. A Place D”Armes foi construída entre 1640 a 1648, na parte superior da cidade, com o objetivo de ser o centro de treinamento militar, quando a Citadela ainda não existia. Está localizada ao final da Rua Saint Louis e ao lado do hotel Chateau Frontenac, antigo local de residência do governador geral do Quebéc. No centro da praça, o monumento à Fé (com 12 metros de altura) data de 1915 numa homenagem aos 300 anos da chegada dos padres Recoletos em Quebéc. Monumento à Fé (1915) Monumento ao fundador de Quebéc, Samuel de Champlain
  • 106. A Rue du Trésor é um dos mais tradicionais pontos de exposição e venda de quadros e obras de arte no centro antigo de Quebéc.. Nessa rua estreita, que se assemelha a um pequeno beco entre as ruas antigas de Quebéc, surgiu nos anos 1960 a apresentação de trabalhos artísticos por conta dos estudantes de Belas Artes, que os pregavam nas paredes das casas na tentativa de vende-los aos turistas e passantes. O local assumiu os “ares” de Montparnasse (em Paris) na cidade de Quebéc.
  • 108. Porte Saint Louis// Rue Saint Louis
  • 110. O Parlamento Provincial de Quebéc, foi construído entre 1877 a 1886 como um prédio de 8 andares e uma torre de 52 metros de altura, na chamada Colina do Parlamento. O estilo arquitetônico é inspirado no Segundo Império francês, estilo bastante popular na Europa e na América do Norte no século XIX. Esta área está fora do território fortificado do centro histórico de Quebéc. A cidade de Quebéc é capital da província de Quebéc desde 1867, sendo denominada como “Capital Nacional”. Outros prédios adicionais do governo provincial datam da primeira década do século XX. Vinte e duas estátuas de personagens históricos da província podem ser encontradas na decoração da fachada do prédio ou seus jardins.
  • 111. O Manège Militaire, foi construído entre 1884 a 1887 e aberto em 1888 , tendo sofrido um grande incêndio em 2008, estando em fase de restauração em 2016 (segundo o projeto da foto abaixo) O suntuoso edifício era originalmente usado como local de adestramento de tropas de infantaria (Os Voltigeurs de Quebéc) e cavalaria durante o período de inverno na cidade, mas atualmente é também um centro cultural e museu.
  • 112. A Grand-Allée é a mais badalada das avenidas da cidade , concentrando grande número de bares, restaurantes e casas noturnas, que operam durante o período de verão. Muitas de suas sofisticadas residências datam do século XIX, quando eram ocupadas por comerciantes de peles. A Grande-Allée é a continuação do Chemin Saint Louis, que liga a região histórica da cidade ao bairro de Saint Foi e à Universidade de Laval. Bons restaurantes e casas noturnas fazem a alegria dos turistas na Grand-Allée
  • 113. Pont du Quebéc (1907/1919) Pont Pierre Laporte (1970)
  • 114. A Pont du Quebéc, construída em balanço com estrutura de aço a partir de 1907 (para substituir a antiga ponte que caiu) e inaugurada em 1919 (durante sua construção, um grave acidente em 1916 matou 11 operários), atravessa o rio São Lourenço, ligando a cidade de Quebéc à Levis. É uma ponte rodo-ferroviária, ainda em uso, e com seus 549 metros de extensão e 195 metros de vão livre, era considerada um dos colossos da engenharia em sua época. Em 1970, foi inaugurada próximo à ela, a Ponte Pierre Laporte (inicialmente denominada, Ponte Nova do Quebéc).
  • 115. A Pont Pierre Laporte, foi inaugurada em 1970 num ponto cerca de 200 metros ao lado da Ponte du Quebéc, com o objetivo de desafogar o trânsito de veículos entre as cidades de Levis e Quebéc. Devido a navegação de grandes navios pelo rio São Lourenço, as duas pontes foram construídas apoiadas em estacas próximas às margens do rio. Nestas duas pontes chegam a circular 100 mil veículos por hora, sendo que na parte da manhã, 76% do movimento das pontes é da cidade de Levis para Quebéc. A Ponte Nova de Quebéc foi batizada como Ponte Pierre Laporte em homenagem ao jornalista e político de Quebéc (foto), secretário de governo provincial de Quebéc da parta do Trabalho, que foi sequestrado e morto (aos 49 anos de díade) à época da inauguração da ponte (no ano de 1970) por membros do grupo terrorista esquerdista “Frente para Libertação do Quebéc”, bastante atuante nos anos 1970. Pierre Laporte
  • 116. Sair de Québec pela Grand- Allée em direção a Saint-Foi, passando pela Universidade de Laval. Cruzar o rio São Lourenço pela Ponte Pierre Laporte em direção à rodovia 20 West.
  • 117. A rodovia 20 é conhecida como Autoroute de Quebéc, sendo a mais longa auto-estrada da província com um total de 585 km de extensão. Integra parte da auto-estrada Transcanadense e localiza-se paralelamente ao leito do rio São Lourenço em sua margem direita. De Quebéc a Montreal são cerca de 270 Km de extensão percorridos numa média de 3 horas de viagem. As regiões cortadas pela rodovia são de cidades densamente povoadas na província de Quebéc. Popularmente, Montreal é conhecida como a “Outra ponta da rodovia 20”, pois os quebequenses consideram o ponto inicial da rodovia a cidade de Quebéc, a capital, que em verdade está no meio do trajeto da rodovia 20.
  • 118. Ponte-Túnel Louis H. Lafountaine (1967), a mais longa ponte- túnel do Canadá (1,5KM), corta a Ilha de Charon. O túnel sub- fluvial está a 22 metros de profundidade.
  • 119. Ponte Victoria (1859/1860), a primeira a cruzar o rio, basicamente rodo- ferroviária com 3 km de extensão. Ponte Jacques Cartier (1930) Ponte Champlain (antiga) (1962), 4 km de extensão, 24 metros de largura (6 pistas) e 49 metros de altura
  • 120. Ponte Champlain (antiga) (1962), 4 km de extensão, 24 metros de largura (6 pistas) e 49 metros de altura Nova Ponte Champlain (em construção desde 2015) prevista para abertura em Dezembro de 2018
  • 121. O sistema de eclusas do Saint Laurent Seaway, construído em 1959, permitiu a navegação de grandes navios ao longo de todo o rio. Até então a navegação era possível da foz até a ilha de Montreal. O leito original do rio não é muito profundo e no inverno congela facilmente, criando na primavera imensos blocos de gelo e inundações nas suas margens. O sistema criou canais exclusivos para as embarcações e regularizou (através de comportas) o fluxo das águas.
  • 122. Oratório Saint-Joseph Mont Royal Place Ville Marie Vieux-Port Casino de Montreal Ponte La Concorde Ponte Jacques Cartier
  • 123. Montreal tem 1,650 milhões de habitantes, sendo 2/3 de sua população francófona, o que a transforma na maior cidade francesa fora da França. Montreal localiza-se num arquipélago no rio São Lourenço, com altitude média de 57 metros acima do nível do mar. É também a 2ª. maior cidade do Canadá (sendo Toronto a maior cidade do país). Sua atual infraestrutura surgiu a partir de 1967, quando foi realizada na cidade a Expo 67. Seu porto fluvial movimenta
  • 124.
  • 125. O explorador francês PAUL DE CHOMEDEY DE MAISONNEUVE funda a Ville-Marie em 1642 na ilha do Mont Royal, numa região descoberta em 1535 por Jacques Cartier, e então ocupada por uma aldeia dos nativos Hochelaga. O Mercado do Bonsecur (foto) era a área mais importante da atual região do Velho Porto de Montreal. A pequena Ville-Marie du Montroyal crescerá como importante porto e centro de comércio. Na época, a navegação pelo leito do rio São Lourenço só era possível do seu estuário (a leste) até a ilha de Montroyal, devido as corredeiras que se formavam na atual região de Hochelaga.
  • 126. Montreal tinha uma população muito pobre até 1860. A cidade era dominada por uma aristocracia escocesa presbiteriana, ávida para juntar-se aos britânicos, em detrimento da maioria francesa. Personalidades como Hugh Allan (um dos mais ricos da cidade que controlava companhias de navegação, tabaco e bebidas alcóolicas), John Molson (dono da fábrica de cervejas), James McGill (comerciante de peles), John Redpath (comerciante de açúcar) e a família Ogilvies (donos de moinhos de farinha) viviam em requintadas e luxuosas residências ao sul do Mont Royal (na chamada Square Mile) l e controlavam cerca de 2/3 de todas as riquezas do país. Na metade do século XIX, as condições de vida da maioria da população da cidade eram de extrema pobreza. Eram bastante comum as fábricas só operarem no verão, e no inverno famílias passavam fome e era frequente o abandono de crianças pequenas às margens do rio. O índice de mortalidade infantil de Montreal era um dos mais altos na América do Norte.
  • 127. A catedral de Notre-Dame de Montreal, o prédio da Prefeitura da cidade e as ruas do Velho Porto da cidade com suas construções em pedras são pontos de destaque da antiga cidade. Montreal é uma cidade católica e francesa, tradições que o tempo não apagou. O distrito do Velho Porto da cidade é uma das mais frequentadas áreas turísticas da cidade.
  • 128.
  • 129.
  • 130. Ponte Jacques Cartier Ponte Champlain (antiga), em reforma até 2017 Boulevard Saint-Laurent (corta a cidade de Norte a Sul), e as vias perpendiculares tem sentido Leste - Oeste Lado Oeste Lado Leste
  • 131. Praças e passagens da cidade subterrânea no centro de Montreal, ligação com o Metrô e Estação Ferroviária de Montreal Place Ville Marie Boulevard Saint-Laurent divide a cidade de Oeste a Leste UQAM – Universidade de Quebéc em Montreal Sheraton Center
  • 132. Montreal Downtown (Center-Ville) e centro financeiro da cidade, onde os grandes prédios são conectados por galerias subterrâneas, com shoppings e estações de metrô, possibilitando à população circular entre eles em ambiente climatizado (bastante conveniente para uma cidade com baixíssimas temperaturas e muita neve no inverno). Royal Bank of Canada building é centro da “cidade subterrânea” de Montreal na Place Ville Marie. Foi construído em 1962 com 47 andares (188 metros de altura). Seu farol na cobertura tem alcance de 50 Km.
  • 133. Basílica de Notre Dame Reine du Monde, cuja fachada apresenta estátuas dos 13 santos padroeiros das igrejas da cidade e é uma reprodução em menor escala da Basílica de São Pedro em Roma. Foi construída em 1875 e reformada em 1955, quando passou a ter o atual nome (era Saint-James). É sede da Arquidiocese de Montreal e é a 3ª. Maior igreja da província de Quebéc.
  • 134. Hotel The Queen Elizabeth, foi construído em 1958 pela Canadian National Pacific com 1039 apartamentos e 21 andares e está interligada pelo subterrâneo à estação ferroviária de Montreal. Vai reabrir em 2017 após obras de renovação em 2016, avaliadas em CAD 140 milhões. Atualmente é operado pela rede Fairmont, sendo o segundo maior hotel desta cadeia no Canadá (o primeiro é o Fairmont Royal York de Toronto com 1365 apartamentos .
  • 135. Exposição Internacional de Montreal de 1967 foi o evento precursor para a modernização urbana de Montreal
  • 136. O Parque La Ronde foi inaugurado na Expo 67, exposição internacional em Montreal realizada em 1967. Em 2017 completará 40 anos de operação consecutiva e conta com 40 diferentes equipamentos de entretenimento. É o maior parque de diversões da Costa Leste do Canadá.
  • 137. A Expo 67 , cujo tema foi “O Homem e seu mundo” foi realizada em Montreal por 6 meses (de 27/4 a 29/10/1967), com a apresentação de 62 países e 90 pavilhões de exposições, que forma visitadas por 50 milhões de pessoas (um recorde de público em exposições mundiais que ainda não foi superado). Os preparativos começaram em 1962, sob o governo municipal de John Drapeau, que utilizou a área das ilhas de Saint-Helene e de Notre Dame para a implantação do parque de exposições. Esta exposição mundial estava prevista para ser realizada em Moscou, quando foi planejada em 1960, mas com a desistência de prosseguir com o projeto em 1962, Montreal foi finalmente escolhida para sediar a exposição. A maior parte da atual infraestrutura da cidade de Montreal começou a ser construída na década de 1960 para a realização da Expo 67.
  • 138. O atual Casino opera desde 1993, 24 horas por dia 7 dias por semana, com entrada gratuita de maiores de 18 anos de idade. Localiza-se na ilha de Notre- Dame, dentro do complexo do autódromo Gilles Villeneuve, e também fez parte do conjunto de pavilhões de exposições da Expo 67. Dos atuais 3 prédios conectados que formam o Casino, dois deles eram pavilhões da Expo 67: o da França e o da província de Quebéc.
  • 139.
  • 140. O mais icônico prédio residencial da Expo 67 foi resultado de uma tese universitária de um jovem arquiteto israelo-canadense Moshe Safdie, da Universidade McGill e localiza-se na 2600 Pierre-Dupuy no Marc-Drowin Quay. São 354 formas idênticas de concreto pré-fabricado que criaram 158 apartamentos de 20 a 90 metros quadrados (atualmente são 146, por que alguns foram incorporados a outros), numa construção de 12 andares. O então jovem arquiteto não ganhou o prêmio da universidade pelo seu projeto, mas vê-lo construído como pavilhão conceito de residências (usadas na época para hospedar convidados ilustres da Expo 67) praticamente alavancou a sua carreira para sempre. Ele já construiu 75 prédios no mundo, baseados no mesmo conceito e é proprietário e residente num apartamento de cobertura. Na época o custo de produção de cada apartamento era em média de CAD$ 140 mil.
  • 141. A Biosphère é um dos prédios icônicos, legado pela Expo 67, e foi usado como o pavilhão dos Estados Unidos da América. Tem cerca de 20 andares de altura e 80 metros de largura e sua forma é quase uma geodésica completa. A construção do pavilhão Espaçonave Terra, no Parque EPOCT Center em Orlando, Flórida, EUA, na década seguinte foi baseada na mesma estrutura, porém com a forma geodésica completa.
  • 142. O sistema de Metrô de Montreal foi construído a partir de 1966, com 3 linhas e 26 estações. Atualmente conta com 4 linhas, 73 estações e cerca de 67 km de extensão , transportando 286,7 milhões de passageiros por ano. Baseado no sistema do Metrô de Paris e de Lyon, ambos na França, seus trens deslocam-se sobre rodas pneumáticas.
  • 143. Os Jogos Olímpicos de Montreal em 1976 foram também motivo de transformações na cidade, com a construção da vila olímpica, do estádio olímpico e outras infraestruturas ligadas aos esportes. Nestes jogos, o atleta brasileiro João Carlos de Oliveira (João do Pulo – 1954/1999) foi o porta-bandeira da delegação brasileira e conquistou a medalha de bronze no Salto Triplo. A jovem ginasta romena de 14 anos de idade, Nádia Comanecci, foi a revelação dos jogos: ganhou 3 medalhas de ouro, 1 de prata e 1 de bronze.
  • 144. Parque Olímpico de Montreal de 1976 e o Jardim Botânico de Montreal Biodôme e Insectarium Jardim Botânico
  • 145. O pavilhão do velódromo do parque olímpico é atualmente o Biodôme e Insectarium, um museu especializado na fauna e flora mundial. Os pavilhões estarão fechados à visitação pública para obras de reformas em 2017 e parte de 2018, com custos avaliados em CAD 45 milhões. O investimento é feito pela Prefeitura de Montreal e pelo governo provincial de Quebéc, como parte do legado da festa de 375 anos de fundação de Montreal a completar em 2017. Os dois museus alcançaram a cifra de 1,9 milhões de visitantes em 2014.
  • 146. O Monte Royal deu origem ao nome da cidade: Montreal. A parte sul do monte é o bairro da alta burguesia da cidade desde o século XIX
  • 147. O Irmão André (Alfred Bessette – 1845 – 1937), também conhecido como Santo André de Montreal (canonizado em 2010 pelo Papa Bento XVI), nasceu a 40 quilômetros de Montreal, de uma família pobre. Ficou órfão aos 12 anos de idade. Tentou todos os tipos de trabalho e emigrou para Nova York, mas retornou a Montreal em 1867. Em 1870 ingressou na Congregação da Santa Cruz, e devido a sua pouca escolaridade e saúde frágil, tornou-se o porteiro do Colégio de Notre Dame (onde trabalhou por 40 anos). Sua grande devoção à São José, o levou a construir uma pequena capela de madeira próxima a portaria do colégio onde trabalhava em 1904. Graças aos milagres de cura, o local passou ser procurado pelos peregrinos e ficou bastante conhecido. Em 1924 é construída a Basílica do Oratório São José, num terreno comprado com dinheiro de doações, que completada em 1967 é até hoje a maior igreja católica do Canadá. É visitada por 2 milhões de peregrinos anualmente.
  • 148. A Rue Sherbroke é segunda rua mais longa da cidade de Montreal, cortando a ilha de oeste a leste, com 31,3 km de extensão. O trecho da West Sherbroke concentra antigas mansões da burguesia escocessa do século XIX (conhecida como Golden Square Mile). As escadas externas são uma tradição arquitetônica da rua. O Governador Geral da América do Norte Britânica de 1816 a 1818 e herói da Guerra contra os EUA de 1812- 1814, John Coape Sherbreooke é homenageado com o nome da rua.
  • 149. Rue Saint- Catherine é o centro comercial de lojas de maior prestígio da cidade de Montreal. A rua corta a cidade de Oeste a Leste.
  • 150. Crescent Street é centro de entretenimento e lazer no centro de Montreal, em especial no período de verão. O nome da rua advém da forma arquitetônica original em 1860 (formato de meia-lua ou de lua-crescente). O primeiro pub da rua abriu as portas em 1967 com o nome de Sir Winston Churchill, onde geralmente só se estabeleciam escritórios comerciais. O primeiro pub cresceu e foi se tornando um “point” de entretenimento noturno de Montreal. Na década de 1970, novos bares e restaurantes foram se estabelecendo na região e em 1998 os comerciantes da região se reuniram numa associação comercial. Nos anos 1980, costumava-se citar a rua como o “point” da boemia anglófona da cidade. Mas atualmente, todos são muito bem vindos para desfrutar da noite da cidade. A mais famosa das festas populares da rua é o “Grand Prix Festival”, realizado no mês de junho, no período da disputa da prova automobilística de Fórmula 1 na cidade.
  • 151. Rue Saint-Denis é o centro da “badalação francesa” no coração da cidade. Ali localiza-se a Universidade de Quebéc à Montreal (UQAM) e sua ligação com o centro antigo da cidade (Vieux-Port). É a região conhecida como o “Quateirão Latino” (Latin Quartier) de Montreal, onde se pode encontrar residências, bares, livrarias e mercados de comida. No século XIX, a rua era basicamente residencial para uma elite francófona. A proximidade com a universidade e seus alunos deu à rua sua condição de popularidade junto aos jovens. Curiuso notar que a Rue Saint-Denis, em Paris, França, é uma das mais antigas do centro da cidade e conhecida por aglutinar em seus arredores o chamado “Le Quartier du Sexe”.
  • 152. Montreal conta com 2 aeroportos principais: Dorval (YUL) na ilha de Montreal (construído em 1941 e a 15 quilômetros de distância do centro da cidade) e Mirabel (YMX) nos arredores de Montreal, distante cerca de 50 km da cidade, e construído em 1975, com o objetivo de tornar- se o principal aeroporto da cidade. Atualmente, o aeroporto de Mirabel atende vôos de transporte de cargas.
  • 153. O período de temporada turística do leste do Canadá vai de Maio a Outubro, compreendendo a primavera, verão e o início do outono (período da troca de folhagem nas árvores).