SlideShare uma empresa Scribd logo
 O que é?
 Sistema respiratório.
 sistema respiratório o
conjunto de órgãos
responsáveis pelas
trocas gasosas entre o
organismo dos
animais e o meio
ambiente, ou seja, a
hematose pulmonar,
possibilitando a
respiração celular.1
 Nariz e cavidade do nariz
 As duas cavidades por onde
o ar entra no sistema
respiratório são chamadas de
fossas nasais. São separadas
por uma cartilagem chamada
cartilagem do septo,
formando o septo nasal. Os
pêlos no interior do nariz
retém as partículas que
entram junto com o ar. É
composto de células ciliadas
e produtoras de muco. O teto
da cavidade nasal possui
células com função olfativa.
Nesta região, a mucosa é
bem irrigada e aquece o ar
inalado.
 Faringe
 A faringe pertence tanto ao
sistema respiratório como ao
sistema digestório. Através
das coanas esta ligada com a
cavidade do nariz e através
das fauces, com a boca. Liga-
se com o ouvido médio pelas
tubas auditivas. Liga-se
também com a laringe e com
o esôfago. Antes de ir para a
laringe, o ar inspirado pelo
nariz passa pela faringe.
 Laringe
 A laringe é um tubo
cartilaginoso de forma
irregular que conecta a
faringe com a traquéia. Situa-
se na parte superior do
pescoço. A laringe possui
uma estrutura cartilaginosa
que chama epiglote, que
trabalha para desviar das
vias respiratórias para o
esôfago os alimentos
deglutidos. Caso não ocorra
este desvio, o alimento é
expelido com uma tosse
violenta.
 Na laringe encontramos as
cordas vocais, que são pregas
horizontais na parede da
laringe. Entre as cordas
vocais há uma abertura
chamada glote e é por ela
que o ar entra na laringe,
provocando uma vibração
nas cordas vocais e
produzindo som. Na face
anterior do pescoço forma-se
a proeminência laríngea,
chamada de pomo de Adão,
que é mais visível nos
homens que nas mulheres.
 Traquéia
 A traquéia é um tubo de
aproximadamente 12 cm de
comprimento e 2,5 de
diâmetro e suas paredes são
reforçadas por uma série de
anéis de cartilagem que
impedem que as paredes se
colapsem.
 A traquéia bifurca-se na sua
região inferior, originando os
brônquios.
 O epitélio é formado
por células ciliadas e
células secretoras. Estes
cílios servem para
remover as partículas e
microorganismos que
entram com o ar
inalado. O muco
produzido pelas células
secretoras serve como
uma barreira também.
 Pulmão
 Os brônquios penetram no
pulmão através do hilo.
Esses brônquios
ramificam-se várias vezes,
originando os
bronquíolos, que
penetram no lóbulo
pulmonar e ramificam-se,
formando os bronquíolos
terminais, que originam os
bronquíolos respiratórios,
que terminam nos
alvéolos pulmonares.
 Os pulmões possuem
consistência esponjosa,
que está relacionada com
a quantidade de sacos
alveolares.
 O formato do pulmão
lembra um cone e é
revestido por uma
membrana dupla serosa
chamada pleura. Os dois
pulmões são separados
pelo mediastino, local
onde está o coração, o
esôfago, timo, artérias,
veias e parte da traquéia.
 O diafragma é um músculo situado
abaixo do pulmão, e é onde ele se apóia.
Separa o tórax do abdome e está
relacionado com os movimentos da
respiração.
 O que é?
 O sistema circulatório é o
sistema pelo qual são
transportados nutrientes
(como aminoácidos,
eletrólitos e linfa), gases,
hormônios, hemácias etc.
para as células do
organismo e também a
partir delas, a fim de
defender o corpo contra
doenças, regular a
temperatura corporal,
estabilizar o pH e manter a
homeostase. Faz a
comunicação entre os
diversos tecidos do corpo.
 O coração
 O coração de uma pessoa
tem o tamanho aproximado
de sua mão fechada, e
bombeia o sangue para
todo o corpo, sem parar;
localiza-se no interior da
cavidade torácica, entre os
dois pulmões. O ápice
(ponta do coração) está
voltado para baixo, para a
esquerda e para frente. O
peso médio do coração é de
aproximadamente 300
gramas, variando com o
tamanho e o sexo da
pessoa.
 Observe o esquema do
coração humano, existem
quatro cavidades:
 Átrio direito e átrio
esquerdo, em sua parte
superior;
 Ventrículo direito e
ventrículo esquerdo, em
sua parte inferior.
 O sangue que entra no átrio
direito passa para o ventrículo
direito e o sangue que entra
no átrio esquerdo passa para
o ventrículo esquerdo. Um
átrio não se comunica com o
outro átrio, assim como um
ventrículo não se comunica
com o outro ventrículo. O
sangue passa do átrio direito
para o ventrículo direito
através da valva
atrioventricular direita; e
passa do átrio esquerdo para
o ventrículo esquerdo através
da valva atrioventricular
esquerda.

 O coração humano um órgão
cavitário (que apresenta
cavidade), basicamente
constituído por três camadas:
 Pericárdio – é a membrana que
reveste externamente o coração,
como um saco. Esta membrana
propicia uma superfície lisa e
escorregadia ao coração,
facilitando seu movimento
ininterrupto;
 Endocárdio – é uma membrana
que reveste a superfície interna
das cavidades do coração;
 Miocárdio – é o músculo
responsável pelas contrações
vigorosas e involuntárias do
coração; situa-se entre o
pericárdio e o endocárdio.
 Quando, por algum motivo, as
artérias coronárias – ramificações
da aorta – não conseguem irrigar
corretamente o miocárdio, pode
ocorrer a morte (necrose) de
células musculares, o que
caracteriza o infarto do
miocárdio.
 Existem três tipos básicos de
vasos sanguíneos em nosso
corpo: artérias, veias e capilares.
 Quando, por algum motivo, as artérias
coronárias – ramificações da aorta – não
conseguem irrigar corretamente o miocárdio,
pode ocorrer a morte (necrose) de células
musculares, o que caracteriza o infarto do
miocárdio.
 Existem três tipos básicos de vasos sanguíneos
em nosso corpo: artérias, veias e capilares.
 Artérias
 As artérias são vasos de
paredes relativamente espessa
e muscular, que transporta
sangue do coração para os
diversos tecidos do corpo. A
maioria das artérias
transporta sangue oxigenado
(rico em gás oxigênio), mas as
artérias pulmonares
transportam sangue não
oxigenado (pobre em gás
oxigênio) do coração até os
pulmões. A aorta é a artéria
mais calibrosa (de maior
diâmetro) do corpo humano.
 Veias
 As veias são vasos de paredes
relativamente fina, que
transportam sangue dos
diversos tecidos do corpo
para o coração. A maioria das
veias transporta sangue não
oxigenado, mas as veias
pulmonares transportam
sangue oxigenado dos
pulmões para o coração. As
veias cavas superior e inferior
são as mais calibrosas do
corpo humano.
 No esquema abaixo você
pode ver o caminho
percorrido pelo sangue em
nosso corpo. Observe-o e
acompanhe a explicação.
 O sangue oxigenado é
bombeado pelo ventrículo
esquerdo do coração para o
interior da aorta. Essa artéria
distribui o sangue oxigenado
para todo o corpo, através de
inúmeras ramificações, como
a artéria coronária, a artéria
carótida e a artéria braquial.

 Nos tecidos, o sangue libera
gás oxigênio e absorve gás
carbônico. O sangue não
oxigenado e rico em gás
carbônico é transportado por
veias diversas, que acabam
desembocando na veia cava
superior e na veia cava
inferior. Essas veias levam
então o sangue não
oxigenado até o átrio direito.
Deste, o sangue não
oxigenado passa para o
ventrículo direito e daí é
transportado até os pulmões
pelas artérias pulmonares.
 Nos pulmões, o sangue libera
o gás carbônico e absorve o
gás oxigênio captado do
ambiente pelo sistema
respiratório. Esse fenômeno,
em que o sangue é oxigenado,
chama-se hematose.
 Então, o sangue oxigenado
retorna ao átrio esquerdo do
coração, transportado pelas
veias pulmonares. Do átrio
esquerdo, o sangue oxigenado
passa para o ventrículo
esquerdo e daí é
impulsionado para o interior
da aorta, reiniciando o
circuito.
 Num circuito completo pelo
corpo, o sangue passa duas
vezes pelo coração humano.
 Nesse circuito são
reconhecidos dois tipos de
circulação: a pequena
circulação e a grande
circulação.
 Pequena circulação- Também
chamada circulação pulmonar,
compreende o trajeto do sangue
desde o ventrículo direito até o
átrio esquerdo. Nessa circulação,
o sangue passa pelos pulmões,
onde é oxigenado.
 Grande circulação- Também
chamada de circulação
sistêmica, compreende o trajeto
do sangue desde o ventrículo
esquerdo até o átrio direito;
nessa circulação, o sangue
oxigenado fornece gás oxigênio
os diversos tecidos do corpo,
além de trazer ao coração o
sangue não oxigenado dos
tecidos.
 Pelo que foi descrito, e para
facilitar a compreensão:
 A aorta transporta sangue
oxigenado do ventrículo
esquerdo do coração para os
diversos tecidos do corpo;
 as veias cavas (superior e
inferior) transportam sangue
não oxigenado dos tecidos do
corpo para o átrio direito do
coração;
 as artérias pulmonares
transportam sangue não
oxigenado do ventrículo direito
do coração até os pulmões;
 as veias pulmonares
transportam sangue oxigenado
dos pulmões até o átrio
esquerdo do coração.
 O que é?
 O sistema nervoso é a
parte do organismo que
coordena suas ações
voluntárias e involuntárias
e transmite sinais entre as
diferentes partes do
organismo. O tecido
nervoso surge com os
vermes, cerca de 550 a 600
milhões de anos atrás. Na
maioria das espécies
animais, constitui-se de
duas partes principais: o
sistema nervoso central
(SNC) e o sistema nervoso
periférico (SNP).
 Sistema Nervoso
 Na nossa relação com o
mundo, o tempo inteiro
somos estimulados e
respondemos aos
elementos do ambiente. A
cada estímulo externo
(como o cheiro de um
alimento ou o som de uma
buzina) e mesmo interno
(como dor ou sensação de
fome), o organismo reage,
ou seja, de certo modo
“responde a essas
perguntas:
 De onde vem o estímulo?
 Como meu corpo reage a esse estímulo?
 Isto me fará bem ou mal?
 Já tive essa sensação antes?
 Esse processo ocorre no sistema nervoso
central de maneira tão instantânea que a
nossa consciência não tem como
identificar todas as suas etapas, nem os
milhares de estímulos que o corpo recebe
a todo instante.
 Para compreender melhor como
percebemos os estímulos externos e como
respondemos a eles, é fundamental
reconhecer o sistema que forma a rede de
comunicação do corpo.
 As membranas protetoras
do cérebro
 Por ser um órgão tão
importante, o cérebro
precisa de boa proteção
contra acidentes. Ficando
em pé, o ser humano
mantém o cérebro e a
cabeça afastados de
choques e batidas. Mesmo
assim, é necessária uma
proteção muito confiável.
Por isso o cérebro fica
alojado no crânio, uma
dura caixa óssea.
 Embora de paredes finas, o crânio é
muito resistente devido a sua forma
arredondada. Uma das formas mais
fortes que se conhece é uma bola
rígida. Um ovo, por exemplo, é
extremamente resistente,
considerando-se como é fina sua
casca. Assim, o mole e delicado
cérebro é protegido contra danos
externos diretos pelo resistente
crânio. Entretanto, mesmo sendo o
crânio rígido e forte, um abalo
violento poderia balançar o cérebro e
causar-lhe danos. É preciso, então,
maior proteção, que é dada por três
membranas, denominadas
meninges, que recobrem
completamente o cérebro. A
membrana mais externa é chamada
de dura-máter, que fornece uma boa
proteção e apoio devidos a sua
constituição forte e coriácea.
 Junto ao cérebro há uma outra membrana,
denominada pia-máter, muito mais fina, que
acompanha cada depressão e cada elevação da
superfície do cérebro. Entre essas duas membranas
há uma terceira, de constituição esponjosa, a
aracnóide. Os espaços desta membrana são
preenchidos por um liquido no qual flutua todo o
cérebro, fornecendo a camada protetora final. Há
ainda grandes espaços dentro do cérebro, que
também são preenchidos com o mesmo liquido da
aracnóide, de modo que o delicado tecido do
cérebro não se deforma quando movemos nossa
cabeça.
 A medula espinhal
 A medula espinhal é uma
extensão do cérebro,
estendendo-se da base do
crânio até logo abaixo das
costelas. E uma haste de
tecido cerebral, com um
pequeno canal passando
através de todo seu
comprimento. Toda a
medula é coberta por
membranas, tal como o
cérebro, e é também
banhada por dentro e por
fora com o mesmo líquido
protetor do cérebro.
 Como o cérebro, a medula
espinhal precisa de proteção.
Enquanto o cérebro está
seguramente encerrado em um
crânio rígido, a medula espinhal
está cercada por um conjunto de
ossos chamados vértebras. Estes
formam a coluna vertebral, que é
capaz de flexionar-se quando nos
dobramos ou movemos. Ao
mesmo tempo, a coluna vertebral
tem que ser forte o suficiente para
suportar o peso do corpo e dar
proteção segura à coluna
espinhal. Poderia parecer que
flexibilidade, força e proteção de
seu frágil conteúdo não poderiam
ser obtidos pela coluna vertebral,
mas sua construção engenhosa
toma tudo isso possível.
 A coluna vertebral é constituída por
mais de duas dúzias de vértebras em
forma de anel. A medula espinhal
passa através do buraco existente no
centro de cada uma das vértebras, e
é completamente protegida pelos
arcos ósseos. As protuberâncias
ósseas das vértebras articulam-se de
maneira que cada vértebra pode
mover-se apenas um pouco, para
não apertar ou machucar a medula
espinhal. Entre cada par de vértebras
há pequenas aberturas através das
quais os nervos podem passar,
ramificando-se a partir da própria
medula espinhal. A complicada
estrutura da coluna é mantida unida
por flexíveis cordões de ligamento e
por músculos poderosos.
 A estrutura do encéfalo
 O encéfalo se parece com uma noz
grande, de cor rosa clara. Sua
superfície é profundamente
enrugada e cheia de dobras, e sua
parte superior está quase dividida
em duas partes por um sulco muito
profundo. Essa superfície enrugada
ocupa a maior parte do encéfalo e é
chamada de cérebro. Na maioria dos
animais o cérebro é bem pequeno,
mas no homem ele cresceu tanto que
cobre todo o resto do encéfalo.
 O cérebro, junto com outras partes
do encéfalo, cresce do tronco
cerebral, que é uma expansão no
topo da medula espinhal. Um pouco
mais abaixo do tronco cerebral está o
cerebelo, com apenas 1/8 do
tamanho do cérebro, mas bastante
semelhante em sua aparência
exterior. E até mesmo mais
enrugado, e está colocado
diretamente na parte de trás da
cabeça. O tálamo e o hipotálamo,
outras partes menores do encéfalo,
também crescem do tronco cerebral,
sendo completamente cobertos pela
massa do cérebro. Uma série de
grandes espaços, ou ventrículos,
atravessam toda a estrutura do
cérebro, e são preenchidos com
líquido.

 O que é?
 O aparelho digestivo, digesto
ou digestório ou ainda sistema
digestório é o sistema que, nos
humanos, é responsável por
obter dos alimentos ingeridos os
nutrientes necessários às
diferentes funções do
organismo, como crescimento,
energia para reprodução,
locomoção, etc. É composto por
um conjunto de órgãos que têm
por função a realização da
digestão. Sua extensão desde a
boca até o ânus é de 6 a 9 metros
em um ser humano adulto.3
 Boca
 A boca é a primeira estrutura do sistema
digestório. Experimente abrir a sua boca.
A abertura que se forma entre o lábio
superior e o inferior se chama fenda
bucal. Ela serve de comunicação do tubo
digestório com o meio externo; é por ela
que entram os alimentos. O “céu da
boca” é também chamado de véu
palatino ou palato duro. Mais para o
fundo está a “campainha” ou úvula
palatina.
 O arco dental superior e o arco dental
inferior são as estruturas em forma de
arco em que os dentes estão dispostos e
fixos.
 O assoalho da boca é ocupado pela
língua. Ela contribui para a mistura dos
alimentos com a saliva, mantém o
alimento junto aos dentes, empurra o
alimento para a faringe, limpa os dentes e
é o órgão importante da fala. A língua
apresenta ainda as papilas linguais,
estruturas responsáveis pela gustaç
 Anexas à boca estão três
pares de glândulas
salivares, que são
órgãos produtores de
saliva.
 A saliva contém uma
enzima do tipo amilase,
chamada ptialina, que
age sobre o amido e o
transforma em maltose,
uma variedade de
açúcar formada pela
união de duas
moléculas de glicose.
 Da boca para o estômago

 Deglutição
 Após a mastigação e a
salivação, forma-se o que
chamamos de bolo
alimentar, que é deglutido.
Após o ato de engolir, o
bolo alimentar passa pela
faringe e chega ao esôfago.
 Faringe
 A faringe é um órgão cavitário
alongado em forma de funil, situado
logo a pós a boca. Ela se comunica
com a boca, com as cavidades nasais,
com a laringe e com o
esôfago. Quando o alimento chega à
faringe, os músculos de sua parede
se contraem e empurram o alimento
para o esôfago.
 Quando o alimento chega à faringe,
os músculos de sua parede se
contraem e empurram o alimento
para o esôfago. Na região entre a
boca e a faringe encontram-se as
tonsilas palatinas (amídalas) direita e
esquerda. São órgãos de defesa do
corpo.

 Esôfago
 O esôfago é um órgão em forma de
tubo, com paredes flexíveis e que
mede aproximadamente 25
centímetros de comprimento. Em
sua parede superior, ele se comunica
com a faringe; em sua parte inferior,
comunica-se com o estômago. Por
meio de movimentos peristálticos, o
esôfago empurra o alimento para o
estômago.
 Estômago
 No estômago, órgão mais
musculoso do canal
alimentar, continua as
contrações, misturando aos
alimentos uma solução
denominada suco gástrico,
realizando a digestão dos
alimentos protéicos. O
suco gástrico é um líquido
claro, transparente e
bastante ácido produzido
pelo estômago.
 Intestino Delgado
 O intestino delgado é um
órgão dividido em três
partes: duodeno, jejuno e
íleo. A primeira parte do
intestino delgado é
formada pelo duodeno que
é a seção responsável por
receber o bolo alimentar
altamente ácido vindo do
estômago, denominado
quimo. Para auxiliar o
duodeno no processo
digestivo, o pâncreas e o
fígado fornecem secreções
antiácidas
 O pâncreas produz e fornece
ao intestino delgado, suco
pancreático, constituído de
íons bicarbonato,
neutralizando assim, a acidez
do quimo.
 O Fígado fornece a maior
glândula do corpo, a bile, que
é secretada continuamente e
armazenada em vesícula
biliar.
 Ao final deste processo no
intestino, o bolo alimentar se
transforma em um material
escuro e pastoso
denominado quilo, contendo
os produtos finais da
digestão de proteínas,
carboidratos e lipídios.
 As últimas partes do
intestino delgado, jejuno e
íleo, são formados por um
canal longo onde são
absorvidos os
nutrientes. Apresentam em
sua superfície interna,
vilosidades que são vários
dobramentos.
 Intestino Grosso
 O intestino grosso é um órgão
divido em três partes: ceco, cólon e
reto, onde ocorre a reabsorção de
água, absorção de eletrólitos (sódio e
potássio), decomposição e
fermentação dos restos alimentares,
e formação e acúmulo das fezes.
 O ceco é a primeira parte do
intestino grosso, que tem como
função receber o conteúdo vindo do
intestino delgado e iniciar o processo
de reabsorção de nutrientes e água.
 A segunda e maior parte do intestino
grosso recebe o nome de cólon,
subdividindo-se em cólon
ascendente, cólon transverso, cólon
descendente e cólon sigmóide
 Ânus
 A última e menor parte do
intestino grosso é o reto,
responsável por acumular as
fezes, até que o ânus as libere,
finalizando o processo da
digestão. Durante todo esse
processo, o muco é secretado
pela mucosa do intestino para
facilitar o percurso das fezes até
sua eliminação.
 Sistema Reprodutor Feminino
 O aparelho reprodutor feminino, ou
sistema reprodutor feminino, é
formado por dois ovários, duas
tubas uterinas, também conhecidas
como trompas de Falópio, um útero,
uma vagina e uma vulva.
 A vagina é um canal de 6 a 10
centímetros de comprimento, de
paredes elásticas, que liga o colo do
útero ao genital externo, conhecido
como vulva. O útero une-se aos
ovários pelas trompas, que têm
extremidades formadas por células
ciliadas. Os batimentos dos cílios
microscópicos e os movimentos das
trompas fazem com que os óvulos,
produzidos nos ovários, sejam
transportados pela trompa.
 Uma vez por mês, ocorre a liberação
de um óvulo, após um processo de
desenvolvimento e maturação. Essa
massa celular transforma-se em
corpo lúteo ou amarelo. Quando não
ocorre a fecundação, esse corpo lúteo
percorre o caminho da trompa até o
útero e é eliminado junto com a
camada interna do útero, chamada
endométrio, formando a
menstruação.
 Quando o corpo lúteo é fecundado
por um espermatozoide que alcança
a trompa, forma-se uma nova célula,
com dois pró-núcleos, que se
desenvolve e tem suas células
multiplicadas, tornando-se depois
uma mórula, em seguida um
blastocisto e, finalmente, um
embrião, que irá se fixar no útero e
iniciar seu processo de
desenvolvimento ao longo da
gestação.
 Sistema Reprodutor Masculino
 O aparelho reprodutor masculino,
ou sistema reprodutor masculino, é
formado por testículos, epidídimo,
ductos deferentes, glândulas
seminais, próstata, ducto ejaculatório
e pênis. O pênis é o órgão muscular
encarregado de depositar os
espermatozoides no interior da
vagina.
 As gônadas masculinas, ou
testículos, são os órgãos sexuais
principais, pois produzem os
gametas e os hormônios que
definem as características sexuais
secundárias. O epidídimo, o ducto
deferente, as vesículas seminais, a
próstata, as glândulas bulbouretrais,
o escroto e o pênis são chamados de
órgãos sexuais acessórios.
 O espermatozóide é a célula
reprodutiva formada durante a
gametogênese. Espermatozóides
normais de seres humanos possuem
23 cromossomos. Cada testículo
possui de 250 a 1.000 túbulos
seminíferos que medem
aproximadamente 150 a 250 µm de
diâmetro e 30-70 centímetros de
comprimento cada um, sendo o
comprimento combinado dos
túbulos de um testículo de
aproximadamente 250 metros.
Corpo humano
Corpo humano
Corpo humano

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sistema Circulatório
Sistema CirculatórioSistema Circulatório
Sistema Circulatório
Douglas Freitas
 
II - SISTEMA CIRCULATÓRIO
II - SISTEMA CIRCULATÓRIOII - SISTEMA CIRCULATÓRIO
II - SISTEMA CIRCULATÓRIO
sandranascimento
 
Apostila Sistema Circulatório-2016
Apostila Sistema Circulatório-2016Apostila Sistema Circulatório-2016
Apostila Sistema Circulatório-2016
arn4ldo
 
Sistema Cardio respiratório
Sistema Cardio respiratórioSistema Cardio respiratório
Sistema Cardio respiratório
Andrey Moreira
 
Pulmões
PulmõesPulmões
Pulmões
Elane Santana
 
Sistema cardiorrespiratório
Sistema cardiorrespiratórioSistema cardiorrespiratório
Sistema cardiorrespiratório
xanapreto
 
Aula 10 sistema circulatório - anatomia e fisiologia
Aula 10   sistema circulatório - anatomia e fisiologiaAula 10   sistema circulatório - anatomia e fisiologia
Aula 10 sistema circulatório - anatomia e fisiologia
Hamilton Nobrega
 
Apresentacao 7-sistema-cardiorespiratorio
Apresentacao 7-sistema-cardiorespiratorioApresentacao 7-sistema-cardiorespiratorio
Apresentacao 7-sistema-cardiorespiratorio
Deolinda Silva
 
Unidade 6
Unidade 6Unidade 6
Unidade 6
Bárbara Marques
 
Arlindo ugulino netto_medresumos_2016_se
Arlindo ugulino netto_medresumos_2016_seArlindo ugulino netto_medresumos_2016_se
Arlindo ugulino netto_medresumos_2016_se
Ana Júlia
 
Doenças cardio respiratórias e actividade física
Doenças cardio respiratórias e actividade física Doenças cardio respiratórias e actividade física
Doenças cardio respiratórias e actividade física
Joana Azevedo
 
Sistema cardiorrespiratório
Sistema cardiorrespiratórioSistema cardiorrespiratório
Sistema cardiorrespiratório
Leonardo Alves
 
3 Apostila Anato - Sis. Cardiovascular e Sis. Respiratório
3  Apostila Anato - Sis. Cardiovascular e Sis. Respiratório3  Apostila Anato - Sis. Cardiovascular e Sis. Respiratório
3 Apostila Anato - Sis. Cardiovascular e Sis. Respiratório
Michaela Helena Moretto Alves
 
Sistema circulatorio
Sistema circulatorioSistema circulatorio
Sistema circulatorio
HOSPITAL GERAL DE PROMISSÃO
 
Sistema circulatorio 2011
Sistema circulatorio 2011Sistema circulatorio 2011
Sistema circulatorio 2011
Antonio Fernandes
 
Sistema respiratório
Sistema respiratórioSistema respiratório
Sistema respiratório
MariaJoão Agualuza
 
Sistema circulatório_Lidiane
Sistema circulatório_LidianeSistema circulatório_Lidiane
Sistema circulatório_Lidiane
Marcia Regina
 
Unidade6 sistemacardiorespiratrio-110915114212-phpapp02
Unidade6 sistemacardiorespiratrio-110915114212-phpapp02Unidade6 sistemacardiorespiratrio-110915114212-phpapp02
Unidade6 sistemacardiorespiratrio-110915114212-phpapp02
Pelo Siro
 
Aula sistema respiratório
Aula sistema respiratórioAula sistema respiratório
Aula sistema respiratório
carlotabuchi
 
Sistema cardiovascular
Sistema cardiovascularSistema cardiovascular
Sistema cardiovascular
wagneripo
 

Mais procurados (20)

Sistema Circulatório
Sistema CirculatórioSistema Circulatório
Sistema Circulatório
 
II - SISTEMA CIRCULATÓRIO
II - SISTEMA CIRCULATÓRIOII - SISTEMA CIRCULATÓRIO
II - SISTEMA CIRCULATÓRIO
 
Apostila Sistema Circulatório-2016
Apostila Sistema Circulatório-2016Apostila Sistema Circulatório-2016
Apostila Sistema Circulatório-2016
 
Sistema Cardio respiratório
Sistema Cardio respiratórioSistema Cardio respiratório
Sistema Cardio respiratório
 
Pulmões
PulmõesPulmões
Pulmões
 
Sistema cardiorrespiratório
Sistema cardiorrespiratórioSistema cardiorrespiratório
Sistema cardiorrespiratório
 
Aula 10 sistema circulatório - anatomia e fisiologia
Aula 10   sistema circulatório - anatomia e fisiologiaAula 10   sistema circulatório - anatomia e fisiologia
Aula 10 sistema circulatório - anatomia e fisiologia
 
Apresentacao 7-sistema-cardiorespiratorio
Apresentacao 7-sistema-cardiorespiratorioApresentacao 7-sistema-cardiorespiratorio
Apresentacao 7-sistema-cardiorespiratorio
 
Unidade 6
Unidade 6Unidade 6
Unidade 6
 
Arlindo ugulino netto_medresumos_2016_se
Arlindo ugulino netto_medresumos_2016_seArlindo ugulino netto_medresumos_2016_se
Arlindo ugulino netto_medresumos_2016_se
 
Doenças cardio respiratórias e actividade física
Doenças cardio respiratórias e actividade física Doenças cardio respiratórias e actividade física
Doenças cardio respiratórias e actividade física
 
Sistema cardiorrespiratório
Sistema cardiorrespiratórioSistema cardiorrespiratório
Sistema cardiorrespiratório
 
3 Apostila Anato - Sis. Cardiovascular e Sis. Respiratório
3  Apostila Anato - Sis. Cardiovascular e Sis. Respiratório3  Apostila Anato - Sis. Cardiovascular e Sis. Respiratório
3 Apostila Anato - Sis. Cardiovascular e Sis. Respiratório
 
Sistema circulatorio
Sistema circulatorioSistema circulatorio
Sistema circulatorio
 
Sistema circulatorio 2011
Sistema circulatorio 2011Sistema circulatorio 2011
Sistema circulatorio 2011
 
Sistema respiratório
Sistema respiratórioSistema respiratório
Sistema respiratório
 
Sistema circulatório_Lidiane
Sistema circulatório_LidianeSistema circulatório_Lidiane
Sistema circulatório_Lidiane
 
Unidade6 sistemacardiorespiratrio-110915114212-phpapp02
Unidade6 sistemacardiorespiratrio-110915114212-phpapp02Unidade6 sistemacardiorespiratrio-110915114212-phpapp02
Unidade6 sistemacardiorespiratrio-110915114212-phpapp02
 
Aula sistema respiratório
Aula sistema respiratórioAula sistema respiratório
Aula sistema respiratório
 
Sistema cardiovascular
Sistema cardiovascularSistema cardiovascular
Sistema cardiovascular
 

Semelhante a Corpo humano

Resumos dos sistemas do copo com Pngs para imprimir.pdf
Resumos dos sistemas do copo com Pngs para imprimir.pdfResumos dos sistemas do copo com Pngs para imprimir.pdf
Resumos dos sistemas do copo com Pngs para imprimir.pdf
palommaviana12
 
Sistema circulatório
Sistema circulatórioSistema circulatório
Sistema circulatório
DesconFiles
 
Circulação sanguínea
Circulação sanguíneaCirculação sanguínea
Circulação sanguínea
Kákarus Guerreiro
 
sistema circulatorio.pptx
sistema circulatorio.pptxsistema circulatorio.pptx
sistema circulatorio.pptx
AndreiaCosta151227
 
4- SISTEMA CIRCULATÓRIO.pptx
4- SISTEMA CIRCULATÓRIO.pptx4- SISTEMA CIRCULATÓRIO.pptx
4- SISTEMA CIRCULATÓRIO.pptx
jaquelinemelo57
 
sistemacardiovascular1-170831184902.pdf
sistemacardiovascular1-170831184902.pdfsistemacardiovascular1-170831184902.pdf
sistemacardiovascular1-170831184902.pdf
NetoPaes2
 
Sistema CirculatóRio
Sistema CirculatóRioSistema CirculatóRio
Sistema CirculatóRio
Segundo B
 
O sistema circulatório
O sistema circulatórioO sistema circulatório
O sistema circulatório
Erika Renata
 
sistema circulatório, fisiologia humana e comparada
sistema circulatório, fisiologia humana e comparadasistema circulatório, fisiologia humana e comparada
sistema circulatório, fisiologia humana e comparada
IsanaCarlaAmorimSouz
 
Circulação slides
Circulação slidesCirculação slides
Circulação slides
Fábio Ianomami
 
O Sistema Circulatório
O Sistema CirculatórioO Sistema Circulatório
O Sistema Circulatório
Antonio Gilberto
 
Circulatorio
CirculatorioCirculatorio
Circulatorio
biomedunifil
 
Sistema circulatório.docx
Sistema circulatório.docxSistema circulatório.docx
Sistema circulatório.docx
EduardoGomes340723
 
Relatório de dissecação do coração de um mamífero.
Relatório de dissecação do coração de um mamífero.Relatório de dissecação do coração de um mamífero.
Relatório de dissecação do coração de um mamífero.
Rita Varejão
 
Sistema cardiovascular e o sangue
Sistema cardiovascular e o sangueSistema cardiovascular e o sangue
Sistema cardiovascular e o sangue
robioprof
 
AULA DE SISTEMA RESPIRATÓRIO E VIAS.pptx
AULA DE SISTEMA RESPIRATÓRIO E VIAS.pptxAULA DE SISTEMA RESPIRATÓRIO E VIAS.pptx
AULA DE SISTEMA RESPIRATÓRIO E VIAS.pptx
IgorMartinsMartins
 
Sistema cardiovascular
Sistema cardiovascular Sistema cardiovascular
Sistema cardiovascular
Sabrina Mares
 
Sistema respiratório
Sistema respiratórioSistema respiratório
Sistema respiratório
Mariana Sofia
 
Fisiologia - Sistema Cardiorrespiratório - Circulação Sanguínea
Fisiologia - Sistema Cardiorrespiratório - Circulação SanguíneaFisiologia - Sistema Cardiorrespiratório - Circulação Sanguínea
Fisiologia - Sistema Cardiorrespiratório - Circulação Sanguínea
Wisley Velasco
 
Sistema circulatório aula 07 cetesp
Sistema circulatório aula 07 cetespSistema circulatório aula 07 cetesp
Sistema circulatório aula 07 cetesp
Laercio Leao
 

Semelhante a Corpo humano (20)

Resumos dos sistemas do copo com Pngs para imprimir.pdf
Resumos dos sistemas do copo com Pngs para imprimir.pdfResumos dos sistemas do copo com Pngs para imprimir.pdf
Resumos dos sistemas do copo com Pngs para imprimir.pdf
 
Sistema circulatório
Sistema circulatórioSistema circulatório
Sistema circulatório
 
Circulação sanguínea
Circulação sanguíneaCirculação sanguínea
Circulação sanguínea
 
sistema circulatorio.pptx
sistema circulatorio.pptxsistema circulatorio.pptx
sistema circulatorio.pptx
 
4- SISTEMA CIRCULATÓRIO.pptx
4- SISTEMA CIRCULATÓRIO.pptx4- SISTEMA CIRCULATÓRIO.pptx
4- SISTEMA CIRCULATÓRIO.pptx
 
sistemacardiovascular1-170831184902.pdf
sistemacardiovascular1-170831184902.pdfsistemacardiovascular1-170831184902.pdf
sistemacardiovascular1-170831184902.pdf
 
Sistema CirculatóRio
Sistema CirculatóRioSistema CirculatóRio
Sistema CirculatóRio
 
O sistema circulatório
O sistema circulatórioO sistema circulatório
O sistema circulatório
 
sistema circulatório, fisiologia humana e comparada
sistema circulatório, fisiologia humana e comparadasistema circulatório, fisiologia humana e comparada
sistema circulatório, fisiologia humana e comparada
 
Circulação slides
Circulação slidesCirculação slides
Circulação slides
 
O Sistema Circulatório
O Sistema CirculatórioO Sistema Circulatório
O Sistema Circulatório
 
Circulatorio
CirculatorioCirculatorio
Circulatorio
 
Sistema circulatório.docx
Sistema circulatório.docxSistema circulatório.docx
Sistema circulatório.docx
 
Relatório de dissecação do coração de um mamífero.
Relatório de dissecação do coração de um mamífero.Relatório de dissecação do coração de um mamífero.
Relatório de dissecação do coração de um mamífero.
 
Sistema cardiovascular e o sangue
Sistema cardiovascular e o sangueSistema cardiovascular e o sangue
Sistema cardiovascular e o sangue
 
AULA DE SISTEMA RESPIRATÓRIO E VIAS.pptx
AULA DE SISTEMA RESPIRATÓRIO E VIAS.pptxAULA DE SISTEMA RESPIRATÓRIO E VIAS.pptx
AULA DE SISTEMA RESPIRATÓRIO E VIAS.pptx
 
Sistema cardiovascular
Sistema cardiovascular Sistema cardiovascular
Sistema cardiovascular
 
Sistema respiratório
Sistema respiratórioSistema respiratório
Sistema respiratório
 
Fisiologia - Sistema Cardiorrespiratório - Circulação Sanguínea
Fisiologia - Sistema Cardiorrespiratório - Circulação SanguíneaFisiologia - Sistema Cardiorrespiratório - Circulação Sanguínea
Fisiologia - Sistema Cardiorrespiratório - Circulação Sanguínea
 
Sistema circulatório aula 07 cetesp
Sistema circulatório aula 07 cetespSistema circulatório aula 07 cetesp
Sistema circulatório aula 07 cetesp
 

Último

Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
jenneferbarbosa21
 
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
FlorAzaleia1
 
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
jenneferbarbosa21
 
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
jenneferbarbosa21
 
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptxMÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MnicaPereira739219
 
anatomia e fisiologia de peixes CRMVCP.
anatomia e fisiologia de peixes  CRMVCP.anatomia e fisiologia de peixes  CRMVCP.
anatomia e fisiologia de peixes CRMVCP.
FERNANDACAROLINEPONT
 
10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf
10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf
10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf
FlorAzaleia1
 
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.pptAula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
cleidianevieira7
 

Último (8)

Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
 
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
 
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
 
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
 
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptxMÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
 
anatomia e fisiologia de peixes CRMVCP.
anatomia e fisiologia de peixes  CRMVCP.anatomia e fisiologia de peixes  CRMVCP.
anatomia e fisiologia de peixes CRMVCP.
 
10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf
10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf
10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf
 
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.pptAula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
 

Corpo humano

  • 1.
  • 2.  O que é?  Sistema respiratório.  sistema respiratório o conjunto de órgãos responsáveis pelas trocas gasosas entre o organismo dos animais e o meio ambiente, ou seja, a hematose pulmonar, possibilitando a respiração celular.1
  • 3.  Nariz e cavidade do nariz  As duas cavidades por onde o ar entra no sistema respiratório são chamadas de fossas nasais. São separadas por uma cartilagem chamada cartilagem do septo, formando o septo nasal. Os pêlos no interior do nariz retém as partículas que entram junto com o ar. É composto de células ciliadas e produtoras de muco. O teto da cavidade nasal possui células com função olfativa. Nesta região, a mucosa é bem irrigada e aquece o ar inalado.  Faringe  A faringe pertence tanto ao sistema respiratório como ao sistema digestório. Através das coanas esta ligada com a cavidade do nariz e através das fauces, com a boca. Liga- se com o ouvido médio pelas tubas auditivas. Liga-se também com a laringe e com o esôfago. Antes de ir para a laringe, o ar inspirado pelo nariz passa pela faringe.
  • 4.  Laringe  A laringe é um tubo cartilaginoso de forma irregular que conecta a faringe com a traquéia. Situa- se na parte superior do pescoço. A laringe possui uma estrutura cartilaginosa que chama epiglote, que trabalha para desviar das vias respiratórias para o esôfago os alimentos deglutidos. Caso não ocorra este desvio, o alimento é expelido com uma tosse violenta.  Na laringe encontramos as cordas vocais, que são pregas horizontais na parede da laringe. Entre as cordas vocais há uma abertura chamada glote e é por ela que o ar entra na laringe, provocando uma vibração nas cordas vocais e produzindo som. Na face anterior do pescoço forma-se a proeminência laríngea, chamada de pomo de Adão, que é mais visível nos homens que nas mulheres.
  • 5.  Traquéia  A traquéia é um tubo de aproximadamente 12 cm de comprimento e 2,5 de diâmetro e suas paredes são reforçadas por uma série de anéis de cartilagem que impedem que as paredes se colapsem.  A traquéia bifurca-se na sua região inferior, originando os brônquios.  O epitélio é formado por células ciliadas e células secretoras. Estes cílios servem para remover as partículas e microorganismos que entram com o ar inalado. O muco produzido pelas células secretoras serve como uma barreira também.
  • 6.  Pulmão  Os brônquios penetram no pulmão através do hilo. Esses brônquios ramificam-se várias vezes, originando os bronquíolos, que penetram no lóbulo pulmonar e ramificam-se, formando os bronquíolos terminais, que originam os bronquíolos respiratórios, que terminam nos alvéolos pulmonares.  Os pulmões possuem consistência esponjosa, que está relacionada com a quantidade de sacos alveolares.  O formato do pulmão lembra um cone e é revestido por uma membrana dupla serosa chamada pleura. Os dois pulmões são separados pelo mediastino, local onde está o coração, o esôfago, timo, artérias, veias e parte da traquéia.
  • 7.
  • 8.  O diafragma é um músculo situado abaixo do pulmão, e é onde ele se apóia. Separa o tórax do abdome e está relacionado com os movimentos da respiração.
  • 9.  O que é?  O sistema circulatório é o sistema pelo qual são transportados nutrientes (como aminoácidos, eletrólitos e linfa), gases, hormônios, hemácias etc. para as células do organismo e também a partir delas, a fim de defender o corpo contra doenças, regular a temperatura corporal, estabilizar o pH e manter a homeostase. Faz a comunicação entre os diversos tecidos do corpo.
  • 10.  O coração  O coração de uma pessoa tem o tamanho aproximado de sua mão fechada, e bombeia o sangue para todo o corpo, sem parar; localiza-se no interior da cavidade torácica, entre os dois pulmões. O ápice (ponta do coração) está voltado para baixo, para a esquerda e para frente. O peso médio do coração é de aproximadamente 300 gramas, variando com o tamanho e o sexo da pessoa.  Observe o esquema do coração humano, existem quatro cavidades:  Átrio direito e átrio esquerdo, em sua parte superior;  Ventrículo direito e ventrículo esquerdo, em sua parte inferior.
  • 11.  O sangue que entra no átrio direito passa para o ventrículo direito e o sangue que entra no átrio esquerdo passa para o ventrículo esquerdo. Um átrio não se comunica com o outro átrio, assim como um ventrículo não se comunica com o outro ventrículo. O sangue passa do átrio direito para o ventrículo direito através da valva atrioventricular direita; e passa do átrio esquerdo para o ventrículo esquerdo através da valva atrioventricular esquerda. 
  • 12.  O coração humano um órgão cavitário (que apresenta cavidade), basicamente constituído por três camadas:  Pericárdio – é a membrana que reveste externamente o coração, como um saco. Esta membrana propicia uma superfície lisa e escorregadia ao coração, facilitando seu movimento ininterrupto;  Endocárdio – é uma membrana que reveste a superfície interna das cavidades do coração;  Miocárdio – é o músculo responsável pelas contrações vigorosas e involuntárias do coração; situa-se entre o pericárdio e o endocárdio.  Quando, por algum motivo, as artérias coronárias – ramificações da aorta – não conseguem irrigar corretamente o miocárdio, pode ocorrer a morte (necrose) de células musculares, o que caracteriza o infarto do miocárdio.  Existem três tipos básicos de vasos sanguíneos em nosso corpo: artérias, veias e capilares.
  • 13.  Quando, por algum motivo, as artérias coronárias – ramificações da aorta – não conseguem irrigar corretamente o miocárdio, pode ocorrer a morte (necrose) de células musculares, o que caracteriza o infarto do miocárdio.  Existem três tipos básicos de vasos sanguíneos em nosso corpo: artérias, veias e capilares.
  • 14.  Artérias  As artérias são vasos de paredes relativamente espessa e muscular, que transporta sangue do coração para os diversos tecidos do corpo. A maioria das artérias transporta sangue oxigenado (rico em gás oxigênio), mas as artérias pulmonares transportam sangue não oxigenado (pobre em gás oxigênio) do coração até os pulmões. A aorta é a artéria mais calibrosa (de maior diâmetro) do corpo humano.  Veias  As veias são vasos de paredes relativamente fina, que transportam sangue dos diversos tecidos do corpo para o coração. A maioria das veias transporta sangue não oxigenado, mas as veias pulmonares transportam sangue oxigenado dos pulmões para o coração. As veias cavas superior e inferior são as mais calibrosas do corpo humano.
  • 15.
  • 16.  No esquema abaixo você pode ver o caminho percorrido pelo sangue em nosso corpo. Observe-o e acompanhe a explicação.  O sangue oxigenado é bombeado pelo ventrículo esquerdo do coração para o interior da aorta. Essa artéria distribui o sangue oxigenado para todo o corpo, através de inúmeras ramificações, como a artéria coronária, a artéria carótida e a artéria braquial.   Nos tecidos, o sangue libera gás oxigênio e absorve gás carbônico. O sangue não oxigenado e rico em gás carbônico é transportado por veias diversas, que acabam desembocando na veia cava superior e na veia cava inferior. Essas veias levam então o sangue não oxigenado até o átrio direito. Deste, o sangue não oxigenado passa para o ventrículo direito e daí é transportado até os pulmões pelas artérias pulmonares.
  • 17.  Nos pulmões, o sangue libera o gás carbônico e absorve o gás oxigênio captado do ambiente pelo sistema respiratório. Esse fenômeno, em que o sangue é oxigenado, chama-se hematose.  Então, o sangue oxigenado retorna ao átrio esquerdo do coração, transportado pelas veias pulmonares. Do átrio esquerdo, o sangue oxigenado passa para o ventrículo esquerdo e daí é impulsionado para o interior da aorta, reiniciando o circuito.  Num circuito completo pelo corpo, o sangue passa duas vezes pelo coração humano.  Nesse circuito são reconhecidos dois tipos de circulação: a pequena circulação e a grande circulação.
  • 18.  Pequena circulação- Também chamada circulação pulmonar, compreende o trajeto do sangue desde o ventrículo direito até o átrio esquerdo. Nessa circulação, o sangue passa pelos pulmões, onde é oxigenado.  Grande circulação- Também chamada de circulação sistêmica, compreende o trajeto do sangue desde o ventrículo esquerdo até o átrio direito; nessa circulação, o sangue oxigenado fornece gás oxigênio os diversos tecidos do corpo, além de trazer ao coração o sangue não oxigenado dos tecidos.  Pelo que foi descrito, e para facilitar a compreensão:  A aorta transporta sangue oxigenado do ventrículo esquerdo do coração para os diversos tecidos do corpo;  as veias cavas (superior e inferior) transportam sangue não oxigenado dos tecidos do corpo para o átrio direito do coração;  as artérias pulmonares transportam sangue não oxigenado do ventrículo direito do coração até os pulmões;  as veias pulmonares transportam sangue oxigenado dos pulmões até o átrio esquerdo do coração.
  • 19.  O que é?  O sistema nervoso é a parte do organismo que coordena suas ações voluntárias e involuntárias e transmite sinais entre as diferentes partes do organismo. O tecido nervoso surge com os vermes, cerca de 550 a 600 milhões de anos atrás. Na maioria das espécies animais, constitui-se de duas partes principais: o sistema nervoso central (SNC) e o sistema nervoso periférico (SNP).  Sistema Nervoso  Na nossa relação com o mundo, o tempo inteiro somos estimulados e respondemos aos elementos do ambiente. A cada estímulo externo (como o cheiro de um alimento ou o som de uma buzina) e mesmo interno (como dor ou sensação de fome), o organismo reage, ou seja, de certo modo “responde a essas perguntas:
  • 20.  De onde vem o estímulo?  Como meu corpo reage a esse estímulo?  Isto me fará bem ou mal?  Já tive essa sensação antes?  Esse processo ocorre no sistema nervoso central de maneira tão instantânea que a nossa consciência não tem como identificar todas as suas etapas, nem os milhares de estímulos que o corpo recebe a todo instante.  Para compreender melhor como percebemos os estímulos externos e como respondemos a eles, é fundamental reconhecer o sistema que forma a rede de comunicação do corpo.  As membranas protetoras do cérebro  Por ser um órgão tão importante, o cérebro precisa de boa proteção contra acidentes. Ficando em pé, o ser humano mantém o cérebro e a cabeça afastados de choques e batidas. Mesmo assim, é necessária uma proteção muito confiável. Por isso o cérebro fica alojado no crânio, uma dura caixa óssea.
  • 21.  Embora de paredes finas, o crânio é muito resistente devido a sua forma arredondada. Uma das formas mais fortes que se conhece é uma bola rígida. Um ovo, por exemplo, é extremamente resistente, considerando-se como é fina sua casca. Assim, o mole e delicado cérebro é protegido contra danos externos diretos pelo resistente crânio. Entretanto, mesmo sendo o crânio rígido e forte, um abalo violento poderia balançar o cérebro e causar-lhe danos. É preciso, então, maior proteção, que é dada por três membranas, denominadas meninges, que recobrem completamente o cérebro. A membrana mais externa é chamada de dura-máter, que fornece uma boa proteção e apoio devidos a sua constituição forte e coriácea.
  • 22.  Junto ao cérebro há uma outra membrana, denominada pia-máter, muito mais fina, que acompanha cada depressão e cada elevação da superfície do cérebro. Entre essas duas membranas há uma terceira, de constituição esponjosa, a aracnóide. Os espaços desta membrana são preenchidos por um liquido no qual flutua todo o cérebro, fornecendo a camada protetora final. Há ainda grandes espaços dentro do cérebro, que também são preenchidos com o mesmo liquido da aracnóide, de modo que o delicado tecido do cérebro não se deforma quando movemos nossa cabeça.
  • 23.  A medula espinhal  A medula espinhal é uma extensão do cérebro, estendendo-se da base do crânio até logo abaixo das costelas. E uma haste de tecido cerebral, com um pequeno canal passando através de todo seu comprimento. Toda a medula é coberta por membranas, tal como o cérebro, e é também banhada por dentro e por fora com o mesmo líquido protetor do cérebro.  Como o cérebro, a medula espinhal precisa de proteção. Enquanto o cérebro está seguramente encerrado em um crânio rígido, a medula espinhal está cercada por um conjunto de ossos chamados vértebras. Estes formam a coluna vertebral, que é capaz de flexionar-se quando nos dobramos ou movemos. Ao mesmo tempo, a coluna vertebral tem que ser forte o suficiente para suportar o peso do corpo e dar proteção segura à coluna espinhal. Poderia parecer que flexibilidade, força e proteção de seu frágil conteúdo não poderiam ser obtidos pela coluna vertebral, mas sua construção engenhosa toma tudo isso possível.
  • 24.  A coluna vertebral é constituída por mais de duas dúzias de vértebras em forma de anel. A medula espinhal passa através do buraco existente no centro de cada uma das vértebras, e é completamente protegida pelos arcos ósseos. As protuberâncias ósseas das vértebras articulam-se de maneira que cada vértebra pode mover-se apenas um pouco, para não apertar ou machucar a medula espinhal. Entre cada par de vértebras há pequenas aberturas através das quais os nervos podem passar, ramificando-se a partir da própria medula espinhal. A complicada estrutura da coluna é mantida unida por flexíveis cordões de ligamento e por músculos poderosos.  A estrutura do encéfalo  O encéfalo se parece com uma noz grande, de cor rosa clara. Sua superfície é profundamente enrugada e cheia de dobras, e sua parte superior está quase dividida em duas partes por um sulco muito profundo. Essa superfície enrugada ocupa a maior parte do encéfalo e é chamada de cérebro. Na maioria dos animais o cérebro é bem pequeno, mas no homem ele cresceu tanto que cobre todo o resto do encéfalo.
  • 25.  O cérebro, junto com outras partes do encéfalo, cresce do tronco cerebral, que é uma expansão no topo da medula espinhal. Um pouco mais abaixo do tronco cerebral está o cerebelo, com apenas 1/8 do tamanho do cérebro, mas bastante semelhante em sua aparência exterior. E até mesmo mais enrugado, e está colocado diretamente na parte de trás da cabeça. O tálamo e o hipotálamo, outras partes menores do encéfalo, também crescem do tronco cerebral, sendo completamente cobertos pela massa do cérebro. Uma série de grandes espaços, ou ventrículos, atravessam toda a estrutura do cérebro, e são preenchidos com líquido. 
  • 26.  O que é?  O aparelho digestivo, digesto ou digestório ou ainda sistema digestório é o sistema que, nos humanos, é responsável por obter dos alimentos ingeridos os nutrientes necessários às diferentes funções do organismo, como crescimento, energia para reprodução, locomoção, etc. É composto por um conjunto de órgãos que têm por função a realização da digestão. Sua extensão desde a boca até o ânus é de 6 a 9 metros em um ser humano adulto.3
  • 27.  Boca  A boca é a primeira estrutura do sistema digestório. Experimente abrir a sua boca. A abertura que se forma entre o lábio superior e o inferior se chama fenda bucal. Ela serve de comunicação do tubo digestório com o meio externo; é por ela que entram os alimentos. O “céu da boca” é também chamado de véu palatino ou palato duro. Mais para o fundo está a “campainha” ou úvula palatina.  O arco dental superior e o arco dental inferior são as estruturas em forma de arco em que os dentes estão dispostos e fixos.  O assoalho da boca é ocupado pela língua. Ela contribui para a mistura dos alimentos com a saliva, mantém o alimento junto aos dentes, empurra o alimento para a faringe, limpa os dentes e é o órgão importante da fala. A língua apresenta ainda as papilas linguais, estruturas responsáveis pela gustaç
  • 28.  Anexas à boca estão três pares de glândulas salivares, que são órgãos produtores de saliva.  A saliva contém uma enzima do tipo amilase, chamada ptialina, que age sobre o amido e o transforma em maltose, uma variedade de açúcar formada pela união de duas moléculas de glicose.  Da boca para o estômago   Deglutição  Após a mastigação e a salivação, forma-se o que chamamos de bolo alimentar, que é deglutido. Após o ato de engolir, o bolo alimentar passa pela faringe e chega ao esôfago.
  • 29.  Faringe  A faringe é um órgão cavitário alongado em forma de funil, situado logo a pós a boca. Ela se comunica com a boca, com as cavidades nasais, com a laringe e com o esôfago. Quando o alimento chega à faringe, os músculos de sua parede se contraem e empurram o alimento para o esôfago.  Quando o alimento chega à faringe, os músculos de sua parede se contraem e empurram o alimento para o esôfago. Na região entre a boca e a faringe encontram-se as tonsilas palatinas (amídalas) direita e esquerda. São órgãos de defesa do corpo.   Esôfago  O esôfago é um órgão em forma de tubo, com paredes flexíveis e que mede aproximadamente 25 centímetros de comprimento. Em sua parede superior, ele se comunica com a faringe; em sua parte inferior, comunica-se com o estômago. Por meio de movimentos peristálticos, o esôfago empurra o alimento para o estômago.
  • 30.  Estômago  No estômago, órgão mais musculoso do canal alimentar, continua as contrações, misturando aos alimentos uma solução denominada suco gástrico, realizando a digestão dos alimentos protéicos. O suco gástrico é um líquido claro, transparente e bastante ácido produzido pelo estômago.  Intestino Delgado  O intestino delgado é um órgão dividido em três partes: duodeno, jejuno e íleo. A primeira parte do intestino delgado é formada pelo duodeno que é a seção responsável por receber o bolo alimentar altamente ácido vindo do estômago, denominado quimo. Para auxiliar o duodeno no processo digestivo, o pâncreas e o fígado fornecem secreções antiácidas
  • 31.  O pâncreas produz e fornece ao intestino delgado, suco pancreático, constituído de íons bicarbonato, neutralizando assim, a acidez do quimo.  O Fígado fornece a maior glândula do corpo, a bile, que é secretada continuamente e armazenada em vesícula biliar.  Ao final deste processo no intestino, o bolo alimentar se transforma em um material escuro e pastoso denominado quilo, contendo os produtos finais da digestão de proteínas, carboidratos e lipídios.  As últimas partes do intestino delgado, jejuno e íleo, são formados por um canal longo onde são absorvidos os nutrientes. Apresentam em sua superfície interna, vilosidades que são vários dobramentos.
  • 32.  Intestino Grosso  O intestino grosso é um órgão divido em três partes: ceco, cólon e reto, onde ocorre a reabsorção de água, absorção de eletrólitos (sódio e potássio), decomposição e fermentação dos restos alimentares, e formação e acúmulo das fezes.  O ceco é a primeira parte do intestino grosso, que tem como função receber o conteúdo vindo do intestino delgado e iniciar o processo de reabsorção de nutrientes e água.  A segunda e maior parte do intestino grosso recebe o nome de cólon, subdividindo-se em cólon ascendente, cólon transverso, cólon descendente e cólon sigmóide  Ânus  A última e menor parte do intestino grosso é o reto, responsável por acumular as fezes, até que o ânus as libere, finalizando o processo da digestão. Durante todo esse processo, o muco é secretado pela mucosa do intestino para facilitar o percurso das fezes até sua eliminação.
  • 33.  Sistema Reprodutor Feminino  O aparelho reprodutor feminino, ou sistema reprodutor feminino, é formado por dois ovários, duas tubas uterinas, também conhecidas como trompas de Falópio, um útero, uma vagina e uma vulva.  A vagina é um canal de 6 a 10 centímetros de comprimento, de paredes elásticas, que liga o colo do útero ao genital externo, conhecido como vulva. O útero une-se aos ovários pelas trompas, que têm extremidades formadas por células ciliadas. Os batimentos dos cílios microscópicos e os movimentos das trompas fazem com que os óvulos, produzidos nos ovários, sejam transportados pela trompa.  Uma vez por mês, ocorre a liberação de um óvulo, após um processo de desenvolvimento e maturação. Essa massa celular transforma-se em corpo lúteo ou amarelo. Quando não ocorre a fecundação, esse corpo lúteo percorre o caminho da trompa até o útero e é eliminado junto com a camada interna do útero, chamada endométrio, formando a menstruação.  Quando o corpo lúteo é fecundado por um espermatozoide que alcança a trompa, forma-se uma nova célula, com dois pró-núcleos, que se desenvolve e tem suas células multiplicadas, tornando-se depois uma mórula, em seguida um blastocisto e, finalmente, um embrião, que irá se fixar no útero e iniciar seu processo de desenvolvimento ao longo da gestação.
  • 34.  Sistema Reprodutor Masculino  O aparelho reprodutor masculino, ou sistema reprodutor masculino, é formado por testículos, epidídimo, ductos deferentes, glândulas seminais, próstata, ducto ejaculatório e pênis. O pênis é o órgão muscular encarregado de depositar os espermatozoides no interior da vagina.  As gônadas masculinas, ou testículos, são os órgãos sexuais principais, pois produzem os gametas e os hormônios que definem as características sexuais secundárias. O epidídimo, o ducto deferente, as vesículas seminais, a próstata, as glândulas bulbouretrais, o escroto e o pênis são chamados de órgãos sexuais acessórios.  O espermatozóide é a célula reprodutiva formada durante a gametogênese. Espermatozóides normais de seres humanos possuem 23 cromossomos. Cada testículo possui de 250 a 1.000 túbulos seminíferos que medem aproximadamente 150 a 250 µm de diâmetro e 30-70 centímetros de comprimento cada um, sendo o comprimento combinado dos túbulos de um testículo de aproximadamente 250 metros.