SlideShare uma empresa Scribd logo
CALVINISMO VERSUS ARMINIANISMO 19
CALVINISMO VERSUS ARMINIANISMO
David N. Steele e Curtis Thomas
Este breve artigo contrasta, de maneira clara e concisa, os
Cinco Pontos do Calvinismo com os Cinco Pontos do Arminia-
nismo. Foi extraído de Romans: An Interpretative Outline (Roma-
nos — Um Esboço Interpretativo).
CINCO PONTOS DO CALVINISMO
DEPRAVAÇÃO TOTAL
OU INCAPACIDADE TOTAL
Por causa da Queda, o homem
é, por si mesmo, incapaz de crer
de maneira salvífica no evangelho.
O pecador está morto, cego e sur-
do para as coisas de Deus; seu
coração é enganoso e desesperada-
mente corrupto. Sua vontade não é
livre, está em escravidão à sua na-
tureza pecaminosa; por isso, ele não
escolhe — e realmente não pode
escolher — o bem, ao invés do mal.
Conseqüentemente, é necessário
muito mais do que apenas a assis-
tência do Espírito Santo, para trazer
um pecador a Cristo; é necessário
acontecer a regeneração por meio
da qual o Espírito Santo vivifica o
pecador e lhe dá uma nova nature-
za. A fé não é algo que o homem
contribui para a sua salvação; pelo
CINCO PONTOS DO ARMINIANISMO
LIVRE-ARBÍTRIO
OU HABILIDADE HUMANA
Embora a natureza humana te-
nha sido gravemente afetada pela
Queda, o homem não foi deixado
em um estado de total incapacida-
de espiritual. Deus graciosamente
capacita cada pecador a se arrepen-
der e crer, mas Ele não interfere na
liberdade do homem. Cada peca-
dor possui uma vontade livre e seu
eterno destino depende de como ele
a utiliza. A liberdade do homem
consiste em sua habilidade de esco-
lher o bem, em lugar do mal, nos
assuntos espirituais. A vontade do
homem não está escravizada à sua
natureza pecaminosa. O pecador
tem o poder de cooperar com o
Espírito de Deus e ser regenerado
ou de resistir a graça de Deus e pe-
recer eternamente. O pecador per-
FéparaHoje20
ELEIÇÃO CONDICIONAL
Deus escolheu certos indivídu-
os para a salvação, antes da fun-
dação do mundo, fundamentado em
sua previsão de que eles atenderi-
am a chamada divina. Deus se-
lecionou aqueles que Ele sabia cre-
riam, por si mesmos, esponta-
neamente, no evangelho. A eleição,
portanto, foi determinada ou con-
dicionada ao que o homem faria.
A fé que Deus viu antecipadamen-
te e sobre a qual Ele fundamentou
sua eleição não foi dada por Deus
ao pecador (nem criada pelo poder
regenerador do Espírito Santo); foi
o resultado exclusivo da vontade
humana. Foi deixado inteiramente
ao homem aquilo que diz respeito
a quem haveria de crer e, deste
modo, quem seria eleito para a sal-
vação. Deus escolheu aqueles que
Ele sabia escolheriam a Cristo, por
sua livre vontade. Assim a escolha
do pecador por Cristo, e não esco-
lha de Deus pelo pecador, é a causa
essencial da salvação.
ELEIÇÃO INCONDICIONAL
Deus escolheu certos indivídu-
os para a salvação, antes da fun-
dação do mundo, fundamentado
tão-somente em sua vontade sobe-
rana. A escolha divina de alguns
pecadores em particular não se ba-
seou em qualquer resposta de
obediência por parte do pecador,
vista por antecipação, tal como a
fé, o arrependimento, etc. Deus
outorga a fé e o arrependimento a
cada pessoa que Ele mesmo esco-
lheu. Esses atos são o resultado e
não a causa da eleição divina. A
eleição, portanto, não foi determi-
nada pela escolha ou condicionada
a qualquer qualidade virtuosa vista
de antemão no homem. Aqueles que
Deus escolheu soberanamente, Ele
os traz a aceitarem voluntariamen-
te a Cristo, por intermédio do po-
der do Espírito Santo. Deste modo,
a escolha do pecador por parte de
Deus, e não a escolha de Cristo por
parte do pecador, é a causa essen-
cial da salvação.
contrário, é uma parte do divino
dom da salvação. A fé é um dom
de Deus outorgado ao pecador, não
é um dom do pecador para Deus.
dido necessita da assistência do Es-
pírito de Deus; todavia, ele não
tem de ser regenerado pelo Espíri-
to Santo, antes que seja capaz de
crer, pois a fé é um ato humano e
precede o novo nascimento. A fé é
o dom do pecador para Deus; é a
contribuição do homem para a sua
salvação.
REDENÇÃO UNIVERSAL
OU EXPIAÇÃO GERAL
A obra redentora de Cristo tor-
nou possível que cada homem seja
REDENÇÃO PARTICULAR
OU EXPIAÇÃO LIMITADA
A obra redentora de Cristo ti-
nha o propósito de salvar apenas os
CALVINISMO VERSUS ARMINIANISMO 21
O ESPÍRITO SANTO PODE SER
EFICAZMENTE RESISTIDO
O Espírito Santo chama de ma-
neira íntima todos aqueles que são
chamados exteriormente através do
convite do evangelho. Ele faz tudo
o que pode para trazer o pecador à
salvação. Mas, visto que o homem
é livre, ele pode resistir com suces-
so a chamada do Espírito Santo. O
Espírito Santo não pode regenerar
o pecador, enquanto este não crer;
a fé (que é a contribuição do ho-
mem) precede e torna possível o
novo nascimento. Assim, a vonta-
de do homem limita o Espírito
Santo na aplicação da obra salvífica
de Cristo. O Espírito Santo só pode
atrair a Cristo aqueles que permiti-
rem que Ele realize sua obra. Até
que o pecador responda favoravel-
mente, o Espírito Santo não pode
lhe dar vida. Por conseguinte, a gra-
ça de Deus não é invencível; ela
pode ser, e com freqüência o é, re-
sistida e frustrada pelo homem.
salvo, mas não assegura realmente
a salvação de ninguém. Embora
Cristo tenha morrido por todos os
homens e em favor de cada indiví-
duo, somente aqueles que cre-
rem nEle serão salvos. A morte de
Cristo capacitou Deus a perdoar pe-
cadores sob a condição de que
creiam, mas realmente não remove
os pecados deles. A redenção reali-
zada por Cristo torna-se eficaz
apenas se o homem decidir aceitá-
la.
eleitos e realmente assegurou a sal-
vação para eles. A morte de Cristo
foi um suportar vicariamente a pe-
nalidade do pecado, em lugar de
certos pecadores específicos. Além
de remover os pecados de seu povo,
a redenção de Cristo assegura tudo
que é necessário à salvação deles,
incluindo a fé que os une a Cristo.
O dom da fé é aplicado de maneira
infalível pelo Espírito Santo a to-
dos aqueles em favor dos quais
Cristo morreu, garantindo, deste
modo, a salvação deles.
A GRAÇA EFICAZ
(OU IRRESISTÍVEL)
Em complemento da chamada
externa e geral para a salvação, cha-
mada dirigida a todos que ouvem o
evangelho, o Espírito Santo esten-
de aos eleitos uma chamada interior
e especial que inevitavelmente os
traz à salvação. A chamada inte-
rior (dirigida tão-somente aos elei-
tos) não pode ser resistida; sempre
resulta em conversão. Por intermé-
dio dessa chamada especial, o
Espírito Santo atrai de maneira
irresistível o pecador a Cristo. Ele
não é limitado pela vontade huma-
na em sua obra de aplicar a sal-
vação; tampouco depende da coo-
peração do homem para ser bem-
sucedido. O Espírito Santo leva gra-
ciosamente o pecador eleito a
cooperar, a crer, a arrepender-se,
a vir espontânea e livremente a Cris-
to. A graça de Deus, portanto, é
invencível; ela nunca falha em re-
sultar na salvação daqueles a quem
ela é estendida.
FéparaHoje22
CAIR DA GRAÇA
Aqueles que crêem e são ver-
dadeiramente salvos podem perder
a sua salvação, por deixarem de pre-
servar a sua fé, etc. Todos os
arminianos não concordam nesse
ponto; alguns afirmam que os cren-
tes estão eternamente seguros em
Cristo e que, tendo sido regenera-
dos, eles não podem ser mais
perdidos.
PERSEVERANÇA DOS SANTOS
Todos os que são eleitos por
Deus, redimidos por Cristo e rece-
bem a fé por intermédio do Espírito
Santo são eternamente salvos. Eles
são guardados na fé pelo poder do
Deus todo-poderoso e, deste modo,
preservados até ao final.
DE ACORDO COM O ARMINIANISMO:
A salvação é um resultado da combinação dos esforços de Deus (que
toma a iniciativa) e do homem (que tem de responder à iniciativa divina),
mas a resposta do homem é o fato determinante. Deus providenciou a salva-
ção para todos; essa provisão, porém, se torna efetiva somente para aqueles
que, por sua própria vontade, escolherem cooperar com Deus e aceitarem
sua oferta de graça. Nesse ponto crucial, a vontade do homem desempenha
um papel decisivo. Assim, o homem, e não Deus, resolve quem serão os
recipientes da salvação.
DE ACORDO COM O CALVINISMO:
A salvação é realizada pelo poder do Deus triúno. O Pai escolheu um
povo, o Filho morreu por esse povo, e o Espírito Santo torna a morte de
Cristo eficaz, ao trazer os eleitos à fé e ao arrependimento, levando-os a
obedecerem voluntariamente ao evangelho. Todo o processo (eleição, re-
denção e regeneração) é uma obra de Deus, realizada tão-somente pela graça.
Assim, Deus, e não o homem, determina quem serão os recipientes do dom
da salvação.
A erudição e a posição eclesiástica não são provas
de que o ministro de Cristo é instruído pelo Espírito.
J. C. Ryle
✩ ✩ ✩ ✩ ✩ ✩ ✩

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cinco pontos do calvinismo
Cinco pontos do calvinismoCinco pontos do calvinismo
Cinco pontos do calvinismo
Luiz Guilherme Guimarães Coelho
 
Lição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Lição 14 - Vivendo com a Mente de CristoLição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Lição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Éder Tomé
 
Evangelismo
EvangelismoEvangelismo
Evangelismo
guestf8ed39
 
Lição 10 - O Processo da Salvação
Lição 10 - O Processo da SalvaçãoLição 10 - O Processo da Salvação
Lição 10 - O Processo da Salvação
Éder Tomé
 
Lição 11 - A Ressurreição de Jesus Cristo
Lição 11 - A Ressurreição de Jesus CristoLição 11 - A Ressurreição de Jesus Cristo
Lição 11 - A Ressurreição de Jesus Cristo
Éder Tomé
 
Lição 7 - A ordenança do batismo em águas
Lição 7 - A ordenança do batismo em águasLição 7 - A ordenança do batismo em águas
Lição 7 - A ordenança do batismo em águas
Erberson Pinheiro
 
Arminianismo
ArminianismoArminianismo
Arminianismo
Arvin Narvaez
 
estudo biblico
estudo biblicoestudo biblico
estudo biblico
valmarques
 
Conhecendo a salvação
Conhecendo a salvaçãoConhecendo a salvação
Conhecendo a salvação
Josue Lima
 
FUNDAMENTOS TEOLÓGICOS DA MISSÃO
FUNDAMENTOS TEOLÓGICOS DA MISSÃOFUNDAMENTOS TEOLÓGICOS DA MISSÃO
FUNDAMENTOS TEOLÓGICOS DA MISSÃO
Paulo David
 
Lição 12 – Vivendo em Constante Vigilância
Lição 12 – Vivendo em Constante VigilânciaLição 12 – Vivendo em Constante Vigilância
Lição 12 – Vivendo em Constante Vigilância
Éder Tomé
 
Eleição Incondicional
Eleição IncondicionalEleição Incondicional
Eleição Incondicional
Igreja Presbiteriana Emanuel
 
Os 5 Pontos Do Calvinismo
Os 5 Pontos Do CalvinismoOs 5 Pontos Do Calvinismo
Os 5 Pontos Do Calvinismo
prmaycon
 
Doutrinas Bíblicas - Soteriologia
Doutrinas Bíblicas - SoteriologiaDoutrinas Bíblicas - Soteriologia
Doutrinas Bíblicas - Soteriologia
Roberto Trindade
 
02 doutrinas bíblicas
02 doutrinas bíblicas02 doutrinas bíblicas
02 doutrinas bíblicas
faculdadeteologica
 
DOCTRINA DE LA SALVACION
DOCTRINA DE LA SALVACIONDOCTRINA DE LA SALVACION
DOCTRINA DE LA SALVACION
jorge hernandez
 
História da Igreja #6
História da Igreja #6História da Igreja #6
História da Igreja #6
Respirando Deus
 
Lição 7 - A Necessidade do Novo Nascimento
Lição 7 - A Necessidade do Novo NascimentoLição 7 - A Necessidade do Novo Nascimento
Lição 7 - A Necessidade do Novo Nascimento
Éder Tomé
 
A MISSÃO DE JESUS CRISTO NA TERRA: PARTE 1 A SALVAÇÃO
A MISSÃO DE JESUS CRISTO NA TERRA: PARTE 1 A SALVAÇÃOA MISSÃO DE JESUS CRISTO NA TERRA: PARTE 1 A SALVAÇÃO
A MISSÃO DE JESUS CRISTO NA TERRA: PARTE 1 A SALVAÇÃO
Edmar Oliveira Andrade Filho
 
Lição 7 - O Altar sempre Aceso
Lição 7 - O Altar sempre AcesoLição 7 - O Altar sempre Aceso
Lição 7 - O Altar sempre Aceso
Éder Tomé
 

Mais procurados (20)

Cinco pontos do calvinismo
Cinco pontos do calvinismoCinco pontos do calvinismo
Cinco pontos do calvinismo
 
Lição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Lição 14 - Vivendo com a Mente de CristoLição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Lição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
 
Evangelismo
EvangelismoEvangelismo
Evangelismo
 
Lição 10 - O Processo da Salvação
Lição 10 - O Processo da SalvaçãoLição 10 - O Processo da Salvação
Lição 10 - O Processo da Salvação
 
Lição 11 - A Ressurreição de Jesus Cristo
Lição 11 - A Ressurreição de Jesus CristoLição 11 - A Ressurreição de Jesus Cristo
Lição 11 - A Ressurreição de Jesus Cristo
 
Lição 7 - A ordenança do batismo em águas
Lição 7 - A ordenança do batismo em águasLição 7 - A ordenança do batismo em águas
Lição 7 - A ordenança do batismo em águas
 
Arminianismo
ArminianismoArminianismo
Arminianismo
 
estudo biblico
estudo biblicoestudo biblico
estudo biblico
 
Conhecendo a salvação
Conhecendo a salvaçãoConhecendo a salvação
Conhecendo a salvação
 
FUNDAMENTOS TEOLÓGICOS DA MISSÃO
FUNDAMENTOS TEOLÓGICOS DA MISSÃOFUNDAMENTOS TEOLÓGICOS DA MISSÃO
FUNDAMENTOS TEOLÓGICOS DA MISSÃO
 
Lição 12 – Vivendo em Constante Vigilância
Lição 12 – Vivendo em Constante VigilânciaLição 12 – Vivendo em Constante Vigilância
Lição 12 – Vivendo em Constante Vigilância
 
Eleição Incondicional
Eleição IncondicionalEleição Incondicional
Eleição Incondicional
 
Os 5 Pontos Do Calvinismo
Os 5 Pontos Do CalvinismoOs 5 Pontos Do Calvinismo
Os 5 Pontos Do Calvinismo
 
Doutrinas Bíblicas - Soteriologia
Doutrinas Bíblicas - SoteriologiaDoutrinas Bíblicas - Soteriologia
Doutrinas Bíblicas - Soteriologia
 
02 doutrinas bíblicas
02 doutrinas bíblicas02 doutrinas bíblicas
02 doutrinas bíblicas
 
DOCTRINA DE LA SALVACION
DOCTRINA DE LA SALVACIONDOCTRINA DE LA SALVACION
DOCTRINA DE LA SALVACION
 
História da Igreja #6
História da Igreja #6História da Igreja #6
História da Igreja #6
 
Lição 7 - A Necessidade do Novo Nascimento
Lição 7 - A Necessidade do Novo NascimentoLição 7 - A Necessidade do Novo Nascimento
Lição 7 - A Necessidade do Novo Nascimento
 
A MISSÃO DE JESUS CRISTO NA TERRA: PARTE 1 A SALVAÇÃO
A MISSÃO DE JESUS CRISTO NA TERRA: PARTE 1 A SALVAÇÃOA MISSÃO DE JESUS CRISTO NA TERRA: PARTE 1 A SALVAÇÃO
A MISSÃO DE JESUS CRISTO NA TERRA: PARTE 1 A SALVAÇÃO
 
Lição 7 - O Altar sempre Aceso
Lição 7 - O Altar sempre AcesoLição 7 - O Altar sempre Aceso
Lição 7 - O Altar sempre Aceso
 

Destaque

3º trimestre 2015 lição 01 adultos
3º trimestre 2015 lição 01 adultos3º trimestre 2015 lição 01 adultos
3º trimestre 2015 lição 01 adultos
Joel Silva
 
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 04
E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 04E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 04
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 04
Joel Silva
 
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 03
E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 03E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 03
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 03
Joel Silva
 
LBJ Lição 9 - A missão ensinadora da igreja
LBJ Lição 9 -  A missão ensinadora da igrejaLBJ Lição 9 -  A missão ensinadora da igreja
LBJ Lição 9 - A missão ensinadora da igreja
Natalino das Neves Neves
 
LBJ Lição 10 - A missão social da igreja
LBJ Lição 10 - A missão social da igrejaLBJ Lição 10 - A missão social da igreja
LBJ Lição 10 - A missão social da igreja
Natalino das Neves Neves
 
LBJ Lição 8 - A igreja e os dons espirituais
LBJ Lição 8 - A igreja e os dons espirituaisLBJ Lição 8 - A igreja e os dons espirituais
LBJ Lição 8 - A igreja e os dons espirituais
Natalino das Neves Neves
 
Escatologia estudo das últimas coisas parte 2
Escatologia   estudo das últimas coisas parte 2Escatologia   estudo das últimas coisas parte 2
Escatologia estudo das últimas coisas parte 2
Natalino das Neves Neves
 
Vivendo de Forma Moderada.
Vivendo de Forma Moderada.Vivendo de Forma Moderada.
Vivendo de Forma Moderada.
Márcio Martins
 
Interpretação teológica de israel a partir do exílio_Completo
Interpretação teológica de israel a partir do exílio_CompletoInterpretação teológica de israel a partir do exílio_Completo
Interpretação teológica de israel a partir do exílio_Completo
Natalino das Neves Neves
 
LBJ Lição 11 - A igreja e a política
LBJ Lição 11 - A igreja e a políticaLBJ Lição 11 - A igreja e a política
LBJ Lição 11 - A igreja e a política
Natalino das Neves Neves
 
VIAGEM MISSIONÁRIA
VIAGEM MISSIONÁRIAVIAGEM MISSIONÁRIA
VIAGEM MISSIONÁRIA
Markson Cézar
 
LBA Lição 11 - Vivendo de forma moderda
LBA Lição 11 - Vivendo de forma moderdaLBA Lição 11 - Vivendo de forma moderda
LBA Lição 11 - Vivendo de forma moderda
Natalino das Neves Neves
 
LBJ Lição 12 - A igreja e a salvação dos perdidos
LBJ Lição 12 - A igreja e a salvação dos perdidosLBJ Lição 12 - A igreja e a salvação dos perdidos
LBJ Lição 12 - A igreja e a salvação dos perdidos
Natalino das Neves Neves
 
Uma Vida de Frutificação.
Uma Vida de Frutificação.Uma Vida de Frutificação.
Uma Vida de Frutificação.
Márcio Martins
 
LBA Lição 13 - Uma vida de frutificação
LBA Lição 13 - Uma vida de frutificaçãoLBA Lição 13 - Uma vida de frutificação
LBA Lição 13 - Uma vida de frutificação
Natalino das Neves Neves
 

Destaque (15)

3º trimestre 2015 lição 01 adultos
3º trimestre 2015 lição 01 adultos3º trimestre 2015 lição 01 adultos
3º trimestre 2015 lição 01 adultos
 
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 04
E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 04E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 04
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 04
 
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 03
E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 03E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 03
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 03
 
LBJ Lição 9 - A missão ensinadora da igreja
LBJ Lição 9 -  A missão ensinadora da igrejaLBJ Lição 9 -  A missão ensinadora da igreja
LBJ Lição 9 - A missão ensinadora da igreja
 
LBJ Lição 10 - A missão social da igreja
LBJ Lição 10 - A missão social da igrejaLBJ Lição 10 - A missão social da igreja
LBJ Lição 10 - A missão social da igreja
 
LBJ Lição 8 - A igreja e os dons espirituais
LBJ Lição 8 - A igreja e os dons espirituaisLBJ Lição 8 - A igreja e os dons espirituais
LBJ Lição 8 - A igreja e os dons espirituais
 
Escatologia estudo das últimas coisas parte 2
Escatologia   estudo das últimas coisas parte 2Escatologia   estudo das últimas coisas parte 2
Escatologia estudo das últimas coisas parte 2
 
Vivendo de Forma Moderada.
Vivendo de Forma Moderada.Vivendo de Forma Moderada.
Vivendo de Forma Moderada.
 
Interpretação teológica de israel a partir do exílio_Completo
Interpretação teológica de israel a partir do exílio_CompletoInterpretação teológica de israel a partir do exílio_Completo
Interpretação teológica de israel a partir do exílio_Completo
 
LBJ Lição 11 - A igreja e a política
LBJ Lição 11 - A igreja e a políticaLBJ Lição 11 - A igreja e a política
LBJ Lição 11 - A igreja e a política
 
VIAGEM MISSIONÁRIA
VIAGEM MISSIONÁRIAVIAGEM MISSIONÁRIA
VIAGEM MISSIONÁRIA
 
LBA Lição 11 - Vivendo de forma moderda
LBA Lição 11 - Vivendo de forma moderdaLBA Lição 11 - Vivendo de forma moderda
LBA Lição 11 - Vivendo de forma moderda
 
LBJ Lição 12 - A igreja e a salvação dos perdidos
LBJ Lição 12 - A igreja e a salvação dos perdidosLBJ Lição 12 - A igreja e a salvação dos perdidos
LBJ Lição 12 - A igreja e a salvação dos perdidos
 
Uma Vida de Frutificação.
Uma Vida de Frutificação.Uma Vida de Frutificação.
Uma Vida de Frutificação.
 
LBA Lição 13 - Uma vida de frutificação
LBA Lição 13 - Uma vida de frutificaçãoLBA Lição 13 - Uma vida de frutificação
LBA Lição 13 - Uma vida de frutificação
 

Semelhante a Calvinismo x arminianismo

Cinco Pontos do Calvinismo 01
Cinco Pontos do Calvinismo 01Cinco Pontos do Calvinismo 01
Cinco Pontos do Calvinismo 01
Roberto Branquinho
 
02 os 5_pontos
02 os 5_pontos02 os 5_pontos
02 os 5_pontos
Luiza Dayana
 
5 os cinco pontos do calvinismo
5   os cinco pontos do calvinismo5   os cinco pontos do calvinismo
5 os cinco pontos do calvinismo
Pedro Barros Filho
 
Calvinismo vs Arminianismo
Calvinismo vs ArminianismoCalvinismo vs Arminianismo
Calvinismo vs Arminianismo
Cesar Oliveira
 
As chamadas eterna e interna
As chamadas eterna e internaAs chamadas eterna e interna
As chamadas eterna e interna
Antonio Ferreira
 
Aplicação da redenção
Aplicação da redençãoAplicação da redenção
Aplicação da redenção
Pr. Ladislau Rodrigues de Jesus
 
Institutogamaliel.com só é possível crer depois de chamado e habilitado por d...
Institutogamaliel.com só é possível crer depois de chamado e habilitado por d...Institutogamaliel.com só é possível crer depois de chamado e habilitado por d...
Institutogamaliel.com só é possível crer depois de chamado e habilitado por d...
Instituto Teológico Gamaliel
 
Institutogamaliel.com só é possível crer depois de chamado e habilitado por deus
Institutogamaliel.com só é possível crer depois de chamado e habilitado por deusInstitutogamaliel.com só é possível crer depois de chamado e habilitado por deus
Institutogamaliel.com só é possível crer depois de chamado e habilitado por deus
Instituto Teológico Gamaliel
 
Licao 10
Licao 10Licao 10
A fe e_a_mensagem_batista
A fe e_a_mensagem_batistaA fe e_a_mensagem_batista
A fe e_a_mensagem_batista
Luiza Dayana
 
O chamado para o discipulado
O chamado para o discipuladoO chamado para o discipulado
O chamado para o discipulado
Pastor Wanderley
 
Lição 08 - Salvação e Livre-Arbítrio
Lição 08 - Salvação e Livre-ArbítrioLição 08 - Salvação e Livre-Arbítrio
Lição 08 - Salvação e Livre-Arbítrio
Éder Tomé
 
Institutogamaliel.com crenças não removem montanhas
Institutogamaliel.com crenças não removem montanhasInstitutogamaliel.com crenças não removem montanhas
Institutogamaliel.com crenças não removem montanhas
Instituto Teológico Gamaliel
 
Sola Fide.pptx
Sola Fide.pptxSola Fide.pptx
Sola Fide.pptx
GenivaldoRodrigues10
 
A salvação do pecado
A salvação do pecadoA salvação do pecado
A salvação do pecado
Nilza Paulo
 
1 salvação pela fé
1   salvação pela fé1   salvação pela fé
1 salvação pela fé
Alex Lotti
 
A predestinacao john stot
A predestinacao john stotA predestinacao john stot
A predestinacao john stot
Vera Lucia Sousa
 
Arminianos...
Arminianos...Arminianos...
Arminianos...
LÊNIO GRAVAÇÕES
 
Historia Reformada - Palestra
Historia Reformada - PalestraHistoria Reformada - Palestra
Historia Reformada - Palestra
Hubner Braz
 
03 analise do_calvinismo
03 analise do_calvinismo03 analise do_calvinismo
03 analise do_calvinismo
Luiza Dayana
 

Semelhante a Calvinismo x arminianismo (20)

Cinco Pontos do Calvinismo 01
Cinco Pontos do Calvinismo 01Cinco Pontos do Calvinismo 01
Cinco Pontos do Calvinismo 01
 
02 os 5_pontos
02 os 5_pontos02 os 5_pontos
02 os 5_pontos
 
5 os cinco pontos do calvinismo
5   os cinco pontos do calvinismo5   os cinco pontos do calvinismo
5 os cinco pontos do calvinismo
 
Calvinismo vs Arminianismo
Calvinismo vs ArminianismoCalvinismo vs Arminianismo
Calvinismo vs Arminianismo
 
As chamadas eterna e interna
As chamadas eterna e internaAs chamadas eterna e interna
As chamadas eterna e interna
 
Aplicação da redenção
Aplicação da redençãoAplicação da redenção
Aplicação da redenção
 
Institutogamaliel.com só é possível crer depois de chamado e habilitado por d...
Institutogamaliel.com só é possível crer depois de chamado e habilitado por d...Institutogamaliel.com só é possível crer depois de chamado e habilitado por d...
Institutogamaliel.com só é possível crer depois de chamado e habilitado por d...
 
Institutogamaliel.com só é possível crer depois de chamado e habilitado por deus
Institutogamaliel.com só é possível crer depois de chamado e habilitado por deusInstitutogamaliel.com só é possível crer depois de chamado e habilitado por deus
Institutogamaliel.com só é possível crer depois de chamado e habilitado por deus
 
Licao 10
Licao 10Licao 10
Licao 10
 
A fe e_a_mensagem_batista
A fe e_a_mensagem_batistaA fe e_a_mensagem_batista
A fe e_a_mensagem_batista
 
O chamado para o discipulado
O chamado para o discipuladoO chamado para o discipulado
O chamado para o discipulado
 
Lição 08 - Salvação e Livre-Arbítrio
Lição 08 - Salvação e Livre-ArbítrioLição 08 - Salvação e Livre-Arbítrio
Lição 08 - Salvação e Livre-Arbítrio
 
Institutogamaliel.com crenças não removem montanhas
Institutogamaliel.com crenças não removem montanhasInstitutogamaliel.com crenças não removem montanhas
Institutogamaliel.com crenças não removem montanhas
 
Sola Fide.pptx
Sola Fide.pptxSola Fide.pptx
Sola Fide.pptx
 
A salvação do pecado
A salvação do pecadoA salvação do pecado
A salvação do pecado
 
1 salvação pela fé
1   salvação pela fé1   salvação pela fé
1 salvação pela fé
 
A predestinacao john stot
A predestinacao john stotA predestinacao john stot
A predestinacao john stot
 
Arminianos...
Arminianos...Arminianos...
Arminianos...
 
Historia Reformada - Palestra
Historia Reformada - PalestraHistoria Reformada - Palestra
Historia Reformada - Palestra
 
03 analise do_calvinismo
03 analise do_calvinismo03 analise do_calvinismo
03 analise do_calvinismo
 

Mais de LÊNIO GRAVAÇÕES

Bíblia acf palavras de jesus em vermelho
Bíblia acf   palavras de jesus em vermelhoBíblia acf   palavras de jesus em vermelho
Bíblia acf palavras de jesus em vermelho
LÊNIO GRAVAÇÕES
 
Arqueologia da bíblia
Arqueologia da bíbliaArqueologia da bíblia
Arqueologia da bíblia
LÊNIO GRAVAÇÕES
 
Arqueologia
ArqueologiaArqueologia
Arqueologia
LÊNIO GRAVAÇÕES
 
Atlas bíblico
Atlas bíblicoAtlas bíblico
Atlas bíblico
LÊNIO GRAVAÇÕES
 
Timothy george joão calvino
Timothy george   joão calvinoTimothy george   joão calvino
Timothy george joão calvino
LÊNIO GRAVAÇÕES
 
Timothy george a predestinação de acordo com martinho lute
Timothy george   a predestinação de acordo com martinho luteTimothy george   a predestinação de acordo com martinho lute
Timothy george a predestinação de acordo com martinho lute
LÊNIO GRAVAÇÕES
 
Textos calvinistas e arminianos
Textos calvinistas e arminianosTextos calvinistas e arminianos
Textos calvinistas e arminianos
LÊNIO GRAVAÇÕES
 
Justo gonzales calvino, as institutas e a reforma protesta
Justo gonzales   calvino, as institutas e a reforma protestaJusto gonzales   calvino, as institutas e a reforma protesta
Justo gonzales calvino, as institutas e a reforma protesta
LÊNIO GRAVAÇÕES
 
Implicações dos cinco pontos do calvinismo no aconselhamento cristão
Implicações dos cinco pontos do calvinismo no aconselhamento cristãoImplicações dos cinco pontos do calvinismo no aconselhamento cristão
Implicações dos cinco pontos do calvinismo no aconselhamento cristão
LÊNIO GRAVAÇÕES
 
Calvinismo, hiper calvinismo e arminianismo
Calvinismo, hiper calvinismo e arminianismoCalvinismo, hiper calvinismo e arminianismo
Calvinismo, hiper calvinismo e arminianismo
LÊNIO GRAVAÇÕES
 
Arminianismo
ArminianismoArminianismo
Arminianismo
LÊNIO GRAVAÇÕES
 
Arminianismo o caminho para roma
Arminianismo   o caminho para romaArminianismo   o caminho para roma
Arminianismo o caminho para roma
LÊNIO GRAVAÇÕES
 
46 definindo a janela 10-40
46 definindo a janela 10-4046 definindo a janela 10-40
46 definindo a janela 10-40
LÊNIO GRAVAÇÕES
 
44 as tribos indígenas do brasil
44 as tribos indígenas do brasil44 as tribos indígenas do brasil
44 as tribos indígenas do brasil
LÊNIO GRAVAÇÕES
 
43 qualidade de vida na janela 10-40
43 qualidade de vida na janela 10-4043 qualidade de vida na janela 10-40
43 qualidade de vida na janela 10-40
LÊNIO GRAVAÇÕES
 
42 povos indígenas do brasil
42 povos indígenas do brasil42 povos indígenas do brasil
42 povos indígenas do brasil
LÊNIO GRAVAÇÕES
 
41 porque alcançar a janela 10-40
41 porque alcançar a janela 10-4041 porque alcançar a janela 10-40
41 porque alcançar a janela 10-40
LÊNIO GRAVAÇÕES
 
39 nações muçulmanas população evangélica
39 nações muçulmanas população evangélica39 nações muçulmanas população evangélica
39 nações muçulmanas população evangélica
LÊNIO GRAVAÇÕES
 
36 os maiores grupos muçulmanos
36 os maiores grupos muçulmanos36 os maiores grupos muçulmanos
36 os maiores grupos muçulmanos
LÊNIO GRAVAÇÕES
 
35 a igreja perseguida
35 a igreja perseguida35 a igreja perseguida
35 a igreja perseguida
LÊNIO GRAVAÇÕES
 

Mais de LÊNIO GRAVAÇÕES (20)

Bíblia acf palavras de jesus em vermelho
Bíblia acf   palavras de jesus em vermelhoBíblia acf   palavras de jesus em vermelho
Bíblia acf palavras de jesus em vermelho
 
Arqueologia da bíblia
Arqueologia da bíbliaArqueologia da bíblia
Arqueologia da bíblia
 
Arqueologia
ArqueologiaArqueologia
Arqueologia
 
Atlas bíblico
Atlas bíblicoAtlas bíblico
Atlas bíblico
 
Timothy george joão calvino
Timothy george   joão calvinoTimothy george   joão calvino
Timothy george joão calvino
 
Timothy george a predestinação de acordo com martinho lute
Timothy george   a predestinação de acordo com martinho luteTimothy george   a predestinação de acordo com martinho lute
Timothy george a predestinação de acordo com martinho lute
 
Textos calvinistas e arminianos
Textos calvinistas e arminianosTextos calvinistas e arminianos
Textos calvinistas e arminianos
 
Justo gonzales calvino, as institutas e a reforma protesta
Justo gonzales   calvino, as institutas e a reforma protestaJusto gonzales   calvino, as institutas e a reforma protesta
Justo gonzales calvino, as institutas e a reforma protesta
 
Implicações dos cinco pontos do calvinismo no aconselhamento cristão
Implicações dos cinco pontos do calvinismo no aconselhamento cristãoImplicações dos cinco pontos do calvinismo no aconselhamento cristão
Implicações dos cinco pontos do calvinismo no aconselhamento cristão
 
Calvinismo, hiper calvinismo e arminianismo
Calvinismo, hiper calvinismo e arminianismoCalvinismo, hiper calvinismo e arminianismo
Calvinismo, hiper calvinismo e arminianismo
 
Arminianismo
ArminianismoArminianismo
Arminianismo
 
Arminianismo o caminho para roma
Arminianismo   o caminho para romaArminianismo   o caminho para roma
Arminianismo o caminho para roma
 
46 definindo a janela 10-40
46 definindo a janela 10-4046 definindo a janela 10-40
46 definindo a janela 10-40
 
44 as tribos indígenas do brasil
44 as tribos indígenas do brasil44 as tribos indígenas do brasil
44 as tribos indígenas do brasil
 
43 qualidade de vida na janela 10-40
43 qualidade de vida na janela 10-4043 qualidade de vida na janela 10-40
43 qualidade de vida na janela 10-40
 
42 povos indígenas do brasil
42 povos indígenas do brasil42 povos indígenas do brasil
42 povos indígenas do brasil
 
41 porque alcançar a janela 10-40
41 porque alcançar a janela 10-4041 porque alcançar a janela 10-40
41 porque alcançar a janela 10-40
 
39 nações muçulmanas população evangélica
39 nações muçulmanas população evangélica39 nações muçulmanas população evangélica
39 nações muçulmanas população evangélica
 
36 os maiores grupos muçulmanos
36 os maiores grupos muçulmanos36 os maiores grupos muçulmanos
36 os maiores grupos muçulmanos
 
35 a igreja perseguida
35 a igreja perseguida35 a igreja perseguida
35 a igreja perseguida
 

Calvinismo x arminianismo

  • 1. CALVINISMO VERSUS ARMINIANISMO 19 CALVINISMO VERSUS ARMINIANISMO David N. Steele e Curtis Thomas Este breve artigo contrasta, de maneira clara e concisa, os Cinco Pontos do Calvinismo com os Cinco Pontos do Arminia- nismo. Foi extraído de Romans: An Interpretative Outline (Roma- nos — Um Esboço Interpretativo). CINCO PONTOS DO CALVINISMO DEPRAVAÇÃO TOTAL OU INCAPACIDADE TOTAL Por causa da Queda, o homem é, por si mesmo, incapaz de crer de maneira salvífica no evangelho. O pecador está morto, cego e sur- do para as coisas de Deus; seu coração é enganoso e desesperada- mente corrupto. Sua vontade não é livre, está em escravidão à sua na- tureza pecaminosa; por isso, ele não escolhe — e realmente não pode escolher — o bem, ao invés do mal. Conseqüentemente, é necessário muito mais do que apenas a assis- tência do Espírito Santo, para trazer um pecador a Cristo; é necessário acontecer a regeneração por meio da qual o Espírito Santo vivifica o pecador e lhe dá uma nova nature- za. A fé não é algo que o homem contribui para a sua salvação; pelo CINCO PONTOS DO ARMINIANISMO LIVRE-ARBÍTRIO OU HABILIDADE HUMANA Embora a natureza humana te- nha sido gravemente afetada pela Queda, o homem não foi deixado em um estado de total incapacida- de espiritual. Deus graciosamente capacita cada pecador a se arrepen- der e crer, mas Ele não interfere na liberdade do homem. Cada peca- dor possui uma vontade livre e seu eterno destino depende de como ele a utiliza. A liberdade do homem consiste em sua habilidade de esco- lher o bem, em lugar do mal, nos assuntos espirituais. A vontade do homem não está escravizada à sua natureza pecaminosa. O pecador tem o poder de cooperar com o Espírito de Deus e ser regenerado ou de resistir a graça de Deus e pe- recer eternamente. O pecador per-
  • 2. FéparaHoje20 ELEIÇÃO CONDICIONAL Deus escolheu certos indivídu- os para a salvação, antes da fun- dação do mundo, fundamentado em sua previsão de que eles atenderi- am a chamada divina. Deus se- lecionou aqueles que Ele sabia cre- riam, por si mesmos, esponta- neamente, no evangelho. A eleição, portanto, foi determinada ou con- dicionada ao que o homem faria. A fé que Deus viu antecipadamen- te e sobre a qual Ele fundamentou sua eleição não foi dada por Deus ao pecador (nem criada pelo poder regenerador do Espírito Santo); foi o resultado exclusivo da vontade humana. Foi deixado inteiramente ao homem aquilo que diz respeito a quem haveria de crer e, deste modo, quem seria eleito para a sal- vação. Deus escolheu aqueles que Ele sabia escolheriam a Cristo, por sua livre vontade. Assim a escolha do pecador por Cristo, e não esco- lha de Deus pelo pecador, é a causa essencial da salvação. ELEIÇÃO INCONDICIONAL Deus escolheu certos indivídu- os para a salvação, antes da fun- dação do mundo, fundamentado tão-somente em sua vontade sobe- rana. A escolha divina de alguns pecadores em particular não se ba- seou em qualquer resposta de obediência por parte do pecador, vista por antecipação, tal como a fé, o arrependimento, etc. Deus outorga a fé e o arrependimento a cada pessoa que Ele mesmo esco- lheu. Esses atos são o resultado e não a causa da eleição divina. A eleição, portanto, não foi determi- nada pela escolha ou condicionada a qualquer qualidade virtuosa vista de antemão no homem. Aqueles que Deus escolheu soberanamente, Ele os traz a aceitarem voluntariamen- te a Cristo, por intermédio do po- der do Espírito Santo. Deste modo, a escolha do pecador por parte de Deus, e não a escolha de Cristo por parte do pecador, é a causa essen- cial da salvação. contrário, é uma parte do divino dom da salvação. A fé é um dom de Deus outorgado ao pecador, não é um dom do pecador para Deus. dido necessita da assistência do Es- pírito de Deus; todavia, ele não tem de ser regenerado pelo Espíri- to Santo, antes que seja capaz de crer, pois a fé é um ato humano e precede o novo nascimento. A fé é o dom do pecador para Deus; é a contribuição do homem para a sua salvação. REDENÇÃO UNIVERSAL OU EXPIAÇÃO GERAL A obra redentora de Cristo tor- nou possível que cada homem seja REDENÇÃO PARTICULAR OU EXPIAÇÃO LIMITADA A obra redentora de Cristo ti- nha o propósito de salvar apenas os
  • 3. CALVINISMO VERSUS ARMINIANISMO 21 O ESPÍRITO SANTO PODE SER EFICAZMENTE RESISTIDO O Espírito Santo chama de ma- neira íntima todos aqueles que são chamados exteriormente através do convite do evangelho. Ele faz tudo o que pode para trazer o pecador à salvação. Mas, visto que o homem é livre, ele pode resistir com suces- so a chamada do Espírito Santo. O Espírito Santo não pode regenerar o pecador, enquanto este não crer; a fé (que é a contribuição do ho- mem) precede e torna possível o novo nascimento. Assim, a vonta- de do homem limita o Espírito Santo na aplicação da obra salvífica de Cristo. O Espírito Santo só pode atrair a Cristo aqueles que permiti- rem que Ele realize sua obra. Até que o pecador responda favoravel- mente, o Espírito Santo não pode lhe dar vida. Por conseguinte, a gra- ça de Deus não é invencível; ela pode ser, e com freqüência o é, re- sistida e frustrada pelo homem. salvo, mas não assegura realmente a salvação de ninguém. Embora Cristo tenha morrido por todos os homens e em favor de cada indiví- duo, somente aqueles que cre- rem nEle serão salvos. A morte de Cristo capacitou Deus a perdoar pe- cadores sob a condição de que creiam, mas realmente não remove os pecados deles. A redenção reali- zada por Cristo torna-se eficaz apenas se o homem decidir aceitá- la. eleitos e realmente assegurou a sal- vação para eles. A morte de Cristo foi um suportar vicariamente a pe- nalidade do pecado, em lugar de certos pecadores específicos. Além de remover os pecados de seu povo, a redenção de Cristo assegura tudo que é necessário à salvação deles, incluindo a fé que os une a Cristo. O dom da fé é aplicado de maneira infalível pelo Espírito Santo a to- dos aqueles em favor dos quais Cristo morreu, garantindo, deste modo, a salvação deles. A GRAÇA EFICAZ (OU IRRESISTÍVEL) Em complemento da chamada externa e geral para a salvação, cha- mada dirigida a todos que ouvem o evangelho, o Espírito Santo esten- de aos eleitos uma chamada interior e especial que inevitavelmente os traz à salvação. A chamada inte- rior (dirigida tão-somente aos elei- tos) não pode ser resistida; sempre resulta em conversão. Por intermé- dio dessa chamada especial, o Espírito Santo atrai de maneira irresistível o pecador a Cristo. Ele não é limitado pela vontade huma- na em sua obra de aplicar a sal- vação; tampouco depende da coo- peração do homem para ser bem- sucedido. O Espírito Santo leva gra- ciosamente o pecador eleito a cooperar, a crer, a arrepender-se, a vir espontânea e livremente a Cris- to. A graça de Deus, portanto, é invencível; ela nunca falha em re- sultar na salvação daqueles a quem ela é estendida.
  • 4. FéparaHoje22 CAIR DA GRAÇA Aqueles que crêem e são ver- dadeiramente salvos podem perder a sua salvação, por deixarem de pre- servar a sua fé, etc. Todos os arminianos não concordam nesse ponto; alguns afirmam que os cren- tes estão eternamente seguros em Cristo e que, tendo sido regenera- dos, eles não podem ser mais perdidos. PERSEVERANÇA DOS SANTOS Todos os que são eleitos por Deus, redimidos por Cristo e rece- bem a fé por intermédio do Espírito Santo são eternamente salvos. Eles são guardados na fé pelo poder do Deus todo-poderoso e, deste modo, preservados até ao final. DE ACORDO COM O ARMINIANISMO: A salvação é um resultado da combinação dos esforços de Deus (que toma a iniciativa) e do homem (que tem de responder à iniciativa divina), mas a resposta do homem é o fato determinante. Deus providenciou a salva- ção para todos; essa provisão, porém, se torna efetiva somente para aqueles que, por sua própria vontade, escolherem cooperar com Deus e aceitarem sua oferta de graça. Nesse ponto crucial, a vontade do homem desempenha um papel decisivo. Assim, o homem, e não Deus, resolve quem serão os recipientes da salvação. DE ACORDO COM O CALVINISMO: A salvação é realizada pelo poder do Deus triúno. O Pai escolheu um povo, o Filho morreu por esse povo, e o Espírito Santo torna a morte de Cristo eficaz, ao trazer os eleitos à fé e ao arrependimento, levando-os a obedecerem voluntariamente ao evangelho. Todo o processo (eleição, re- denção e regeneração) é uma obra de Deus, realizada tão-somente pela graça. Assim, Deus, e não o homem, determina quem serão os recipientes do dom da salvação. A erudição e a posição eclesiástica não são provas de que o ministro de Cristo é instruído pelo Espírito. J. C. Ryle ✩ ✩ ✩ ✩ ✩ ✩ ✩