SlideShare uma empresa Scribd logo
TUNDRATUNDRA
 Vegetação rasteira das áreas de climaVegetação rasteira das áreas de clima
polar;polar;
 Surge no curto verão (cerca de trêsSurge no curto verão (cerca de três
meses) das regiões polares,meses) das regiões polares,
principalmente no Pólo Norte, período noprincipalmente no Pólo Norte, período no
qual ocorre o degelo;qual ocorre o degelo;
 É composta por musgos, líquens, capins eÉ composta por musgos, líquens, capins e
outras plantas herbáceas;outras plantas herbáceas;
TUNDRATUNDRA
Exemplos da Fauna:
Coruja-das-neves Lobo Ártico
Urso Polar Pinguim (Antártida)
Rena
TUNDRA: Regiões polares, extremo norte da América,
Europa e Ásia.
TUNDRA
Aspecto Fisiográfico
Também conhecida como Floresta de
Coníferas ou Boreal; clima frio subpolar;
Invernos muito frios e verões amenos;
pouca variedade de plantas);
2- TAIGA
Urso Lobo
Lebre Raposa
Lince
Marta
Aves
diversas, etc.
Taiga: Canadá, Suécia, Noruega, Finlândia e Rússia.
Arvores em
forma de
cone:
pinheiros e
abetos
Floresta Temperada: Europa Centro-Ocidental, Ásia, América do
Norte; pequenas extensões da América do Sul e da Austrália.
3 - FLORESTA TEMPERADA3 - FLORESTA TEMPERADA
 Plantas decíduas ou caducifólias: perdemPlantas decíduas ou caducifólias: perdem
as folhas durante o outono e inverno;as folhas durante o outono e inverno;
FLORESTA
TEMPERADA
Algumas espécies de plantas: carvalho,
faias, nogueiras.
FLORESTA TEMPERADA - FaunaFLORESTA TEMPERADA - Fauna
FLORESTAS TROPICAISFLORESTAS TROPICAIS
 Vegetação mais rica e diversificada do planeta;Vegetação mais rica e diversificada do planeta;
 Desenvolvem-se em áreas de climas quentes e úmidos:Desenvolvem-se em áreas de climas quentes e úmidos:
equatorial e tropical úmidoequatorial e tropical úmido;;
Florestas Tropicais: baixas latitudes na América, África
e Ásia.
Abundante radiação solar e chuvas intensas => florestas
exuberantes, com plantas muito próximas uma das outras e de
vários portes.
Neste esquema, podem-se
observar com facilidade os
estratos da floresta equatorial.
O estrato junto ao solo, é o
estrato herbáceo, pouco
desenvolvido e onde quase
não existe luz, pois as plantas
dos estratos superiores
dificultam a passagem da luz.
O estrato superior, é
constituído por árvores
bastante altas, cujas copas
apresentam uma forma
arredondada, ombrófila, tipo
guarda-chuva, e os seus
troncos, de casca fina, são
lisos, apenas ramificados na
parte superior.
Há alguns tipos de plantas
trepadoras e parasitas, que se
servem das árvores para irem
subindo e alcançar a luz.
Floresta
estratificada
www.inpa.gov.br
 Árvores de grande porte: mogno, jacarandá,Árvores de grande porte: mogno, jacarandá,
castanheira, cedro, imbuia, peroba, etc.castanheira, cedro, imbuia, peroba, etc.
Outras espécies: palmáceas, arbustos, briófitas,Outras espécies: palmáceas, arbustos, briófitas,
bromélias, etc.bromélias, etc.
 Fauna:Fauna: riquíssima fauna, tanto de mamíferos,riquíssima fauna, tanto de mamíferos,
como de insetos, répteis, peixes e outros animais.como de insetos, répteis, peixes e outros animais.
Aspecto Fisiográfico
SAVANASSAVANAS
 Vegetação mista:estratos (arbóreo, arbustivo eVegetação mista:estratos (arbóreo, arbustivo e
herbáceo);herbáceo);
 Verões chuvosos e invernos secosVerões chuvosos e invernos secos
 Exemplos: Cerrado e Savanas Africanas.Exemplos: Cerrado e Savanas Africanas.
 muitas gramíneas (gramas);muitas gramíneas (gramas);
 arbustos e árvores de raízes profundas, troncosarbustos e árvores de raízes profundas, troncos
retorcidos e casca grossa;retorcidos e casca grossa;
 Fauna na AMÉRICA DO SUL: capivara, lobo-Fauna na AMÉRICA DO SUL: capivara, lobo-
guará, tamanduá, anta, etc.guará, tamanduá, anta, etc.
Savana: África Centro-Ocidental, Brasil Central; em
menores extensões: índia.
SAVANA
Aspecto Fisiográfico
Fauna na ÁFRICA: Leões, rinocerontes, elefantes,
girafas, zebras, antílopes, etc.
PRADARIAS / ESTEPESPRADARIAS / ESTEPES
 Também chamadas de campos;Também chamadas de campos;
 Vegetação herbácea, composta basicamente deVegetação herbácea, composta basicamente de
capim; Ocorre em áreas de clima temperado ecapim; Ocorre em áreas de clima temperado e
subtropical;subtropical;
 Solos normalmente férteis, ricos em matériaSolos normalmente férteis, ricos em matéria
orgânica (húmus),orgânica (húmus),
 Áreas propícias para a agricultura e pecuária;Áreas propícias para a agricultura e pecuária;
 Grande devastação;Grande devastação;
PRADARIASPRADARIAS
Exemplos da Fauna:
Búfalo Antílope Coiote
Inúmeras aves:
Gavião Coruja
entre
outras.
Pradarias: Europa Central, oeste da Rússia, Grandes Planícies
Americanas, Pampas argentinos e Grande Bacia Australiana.
PRADARIAS
Aspecto Fisiográfico
ESTEPESESTEPES
 Vegetação herbácea, como asVegetação herbácea, como as
pradarias, porém mais esparsapradarias, porém mais esparsa
(espalhada) e ressecada;(espalhada) e ressecada;
 Regiões de clima semi-áridoRegiões de clima semi-árido
(transição entre os desertos e os(transição entre os desertos e os
climas úmidos);climas úmidos);
 Apesar de irregulares, as chuvas sãoApesar de irregulares, as chuvas são
menos escassas que nos desertos;menos escassas que nos desertos;
ESTEPES
Aspecto Fisiográfico
FORMAÇÕES DESÉRTICASFORMAÇÕES DESÉRTICAS
 Clima árido (seco) ou semi-árido;Clima árido (seco) ou semi-árido;
 Solos arenosos ou pedregosos;Solos arenosos ou pedregosos;
 Vegetação rara, com plantasVegetação rara, com plantas
xerófitas (adaptadas à seca);xerófitas (adaptadas à seca);
 Destaque para as cactáceas (cactos);Destaque para as cactáceas (cactos);
 Ocorre em todos os continentes,Ocorre em todos os continentes,
exceto na Europa;exceto na Europa;
 Fauna:Fauna: camelos, lagartos, cobras,camelos, lagartos, cobras,
ratos, etc.ratos, etc.
Formações Desérticas: aparecem nos grandes
desertos da América, África, Ásia e Oceania.
DESERTOS
Aspecto Fisiográfico
Biomas terrestres
Biomas terrestres
Biomas terrestres

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Os biomas brasileiros.ppt
Os biomas brasileiros.pptOs biomas brasileiros.ppt
Os biomas brasileiros.ppt
Jones Godinho
 
Biomas
BiomasBiomas
Biomas
Tânia Reis
 
As principais formações vegetais
As principais formações vegetaisAs principais formações vegetais
As principais formações vegetais
Fernando Barrosa
 
Biomas brasileiros
Biomas brasileirosBiomas brasileiros
Biomas brasileiros
Maicon Azevedo
 
Climas do-brasil
Climas do-brasilClimas do-brasil
Climas do-brasil
Stéfano Silveira
 
Biomas Brasileiros
Biomas Brasileiros Biomas Brasileiros
Biomas Brasileiros
Leandro A. Machado de Moura
 
A biosfera
A biosferaA biosfera
Vegetação mundial
Vegetação mundialVegetação mundial
Vegetação mundial
dela28
 
Biomas mundiais
Biomas mundiaisBiomas mundiais
Biomas mundiais
igor-oliveira
 
Bioma: Cerrado
Bioma: CerradoBioma: Cerrado
Bioma: Cerrado
Malu Anacleto
 
Slide Bioma Pampa
Slide Bioma PampaSlide Bioma Pampa
Ecossistemas e Biomas
Ecossistemas e BiomasEcossistemas e Biomas
Biomas
BiomasBiomas
Vegetação Brasileira
Vegetação BrasileiraVegetação Brasileira
Vegetação Brasileira
Cleber Reis
 
Brasil – Domínios Morfoclimáticos
Brasil – Domínios MorfoclimáticosBrasil – Domínios Morfoclimáticos
Brasil – Domínios Morfoclimáticos
Rogerio Silveira
 
Apresentação amazônia
Apresentação   amazôniaApresentação   amazônia
Apresentação amazônia
Victor Ygor
 
Asia
AsiaAsia
Cerrado
CerradoCerrado
Cerrado
Edmar Souza
 
Clima e tempo
Clima e tempoClima e tempo
Clima e tempo
Guilherme Drumond
 
Climas do Brasil
Climas do BrasilClimas do Brasil
Climas do Brasil
moajr2
 

Mais procurados (20)

Os biomas brasileiros.ppt
Os biomas brasileiros.pptOs biomas brasileiros.ppt
Os biomas brasileiros.ppt
 
Biomas
BiomasBiomas
Biomas
 
As principais formações vegetais
As principais formações vegetaisAs principais formações vegetais
As principais formações vegetais
 
Biomas brasileiros
Biomas brasileirosBiomas brasileiros
Biomas brasileiros
 
Climas do-brasil
Climas do-brasilClimas do-brasil
Climas do-brasil
 
Biomas Brasileiros
Biomas Brasileiros Biomas Brasileiros
Biomas Brasileiros
 
A biosfera
A biosferaA biosfera
A biosfera
 
Vegetação mundial
Vegetação mundialVegetação mundial
Vegetação mundial
 
Biomas mundiais
Biomas mundiaisBiomas mundiais
Biomas mundiais
 
Bioma: Cerrado
Bioma: CerradoBioma: Cerrado
Bioma: Cerrado
 
Slide Bioma Pampa
Slide Bioma PampaSlide Bioma Pampa
Slide Bioma Pampa
 
Ecossistemas e Biomas
Ecossistemas e BiomasEcossistemas e Biomas
Ecossistemas e Biomas
 
Biomas
BiomasBiomas
Biomas
 
Vegetação Brasileira
Vegetação BrasileiraVegetação Brasileira
Vegetação Brasileira
 
Brasil – Domínios Morfoclimáticos
Brasil – Domínios MorfoclimáticosBrasil – Domínios Morfoclimáticos
Brasil – Domínios Morfoclimáticos
 
Apresentação amazônia
Apresentação   amazôniaApresentação   amazônia
Apresentação amazônia
 
Asia
AsiaAsia
Asia
 
Cerrado
CerradoCerrado
Cerrado
 
Clima e tempo
Clima e tempoClima e tempo
Clima e tempo
 
Climas do Brasil
Climas do BrasilClimas do Brasil
Climas do Brasil
 

Semelhante a Biomas terrestres

Biomas do mundo_e_brasil
Biomas do mundo_e_brasilBiomas do mundo_e_brasil
Biomas do mundo_e_brasil
Adriana Gomes Messias
 
1o Ano Ecologia II
1o Ano   Ecologia II1o Ano   Ecologia II
1o Ano Ecologia II
guest787ebb4
 
1o Ano Ecologia Ii
1o Ano   Ecologia Ii1o Ano   Ecologia Ii
1o Ano Ecologia Ii
SESI 422 - Americana
 
VEGETAÇÃO DE TAIGA E TUNDRA
VEGETAÇÃO DE TAIGA E TUNDRAVEGETAÇÃO DE TAIGA E TUNDRA
VEGETAÇÃO DE TAIGA E TUNDRA
Conceição Fontolan
 
Biomas geografia
Biomas geografiaBiomas geografia
Biomas geografia
blogi4
 
Tundra
TundraTundra
Vegetacao global
Vegetacao globalVegetacao global
Vegetacao global
Altair Hoepers
 
Taiany e Victor
Taiany e VictorTaiany e Victor
Taiany e Victor
inclusaodigital2011
 
Domínio morfoclimático
Domínio morfoclimáticoDomínio morfoclimático
Domínio morfoclimático
Adriana Gomes Messias
 
Biomas - Primeira Parte
Biomas - Primeira ParteBiomas - Primeira Parte
Biomas - Primeira Parte
411sjt
 
Trabalho de Geografia 5
Trabalho de Geografia 5Trabalho de Geografia 5
Trabalho de Geografia 5
Luiz Eduardo Farias
 
GRANDES BIOMAS DO MUNDO
GRANDES BIOMAS DO MUNDOGRANDES BIOMAS DO MUNDO
GRANDES BIOMAS DO MUNDO
steeugenio
 
Contexto Da Biogeografia
Contexto Da BiogeografiaContexto Da Biogeografia
Contexto Da Biogeografia
Sandra Alves
 
Biomas mundiais
Biomas mundiaisBiomas mundiais
Biomas mundiais
segundomanhaluce
 
Fito geografia
Fito geografiaFito geografia
Fito geografia
Delmacy Cruz Souza
 
SAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAIS
SAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAISSAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAIS
SAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAIS
Conceição Fontolan
 
As grandes paisagens vegetais
As grandes paisagens vegetaisAs grandes paisagens vegetais
As grandes paisagens vegetais
bruno rangel
 
Pesquisa de campo
Pesquisa de campoPesquisa de campo
Pesquisa de campo
turma102
 
Biomas terrestres
Biomas terrestresBiomas terrestres
Biomas terrestres
Nivea Neves
 
Biogeografia 14
Biogeografia 14Biogeografia 14
Biogeografia 14
Virna Salgado Barra
 

Semelhante a Biomas terrestres (20)

Biomas do mundo_e_brasil
Biomas do mundo_e_brasilBiomas do mundo_e_brasil
Biomas do mundo_e_brasil
 
1o Ano Ecologia II
1o Ano   Ecologia II1o Ano   Ecologia II
1o Ano Ecologia II
 
1o Ano Ecologia Ii
1o Ano   Ecologia Ii1o Ano   Ecologia Ii
1o Ano Ecologia Ii
 
VEGETAÇÃO DE TAIGA E TUNDRA
VEGETAÇÃO DE TAIGA E TUNDRAVEGETAÇÃO DE TAIGA E TUNDRA
VEGETAÇÃO DE TAIGA E TUNDRA
 
Biomas geografia
Biomas geografiaBiomas geografia
Biomas geografia
 
Tundra
TundraTundra
Tundra
 
Vegetacao global
Vegetacao globalVegetacao global
Vegetacao global
 
Taiany e Victor
Taiany e VictorTaiany e Victor
Taiany e Victor
 
Domínio morfoclimático
Domínio morfoclimáticoDomínio morfoclimático
Domínio morfoclimático
 
Biomas - Primeira Parte
Biomas - Primeira ParteBiomas - Primeira Parte
Biomas - Primeira Parte
 
Trabalho de Geografia 5
Trabalho de Geografia 5Trabalho de Geografia 5
Trabalho de Geografia 5
 
GRANDES BIOMAS DO MUNDO
GRANDES BIOMAS DO MUNDOGRANDES BIOMAS DO MUNDO
GRANDES BIOMAS DO MUNDO
 
Contexto Da Biogeografia
Contexto Da BiogeografiaContexto Da Biogeografia
Contexto Da Biogeografia
 
Biomas mundiais
Biomas mundiaisBiomas mundiais
Biomas mundiais
 
Fito geografia
Fito geografiaFito geografia
Fito geografia
 
SAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAIS
SAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAISSAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAIS
SAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAIS
 
As grandes paisagens vegetais
As grandes paisagens vegetaisAs grandes paisagens vegetais
As grandes paisagens vegetais
 
Pesquisa de campo
Pesquisa de campoPesquisa de campo
Pesquisa de campo
 
Biomas terrestres
Biomas terrestresBiomas terrestres
Biomas terrestres
 
Biogeografia 14
Biogeografia 14Biogeografia 14
Biogeografia 14
 

Mais de Andre Luiz Nascimento

Aula Sabões e reação de saponificação.pptx
Aula Sabões e reação de saponificação.pptxAula Sabões e reação de saponificação.pptx
Aula Sabões e reação de saponificação.pptx
Andre Luiz Nascimento
 
Aula Radioatividade aplicacoes e riscos.pdf
Aula Radioatividade aplicacoes e riscos.pdfAula Radioatividade aplicacoes e riscos.pdf
Aula Radioatividade aplicacoes e riscos.pdf
Andre Luiz Nascimento
 
Organismos transgenicos e geneticamente modificados
Organismos transgenicos e geneticamente modificadosOrganismos transgenicos e geneticamente modificados
Organismos transgenicos e geneticamente modificados
Andre Luiz Nascimento
 
Aula Sistema Cardiovascular.pdf
Aula Sistema Cardiovascular.pdfAula Sistema Cardiovascular.pdf
Aula Sistema Cardiovascular.pdf
Andre Luiz Nascimento
 
Sistema Nervoso.ppt
Sistema Nervoso.pptSistema Nervoso.ppt
Sistema Nervoso.ppt
Andre Luiz Nascimento
 
Citologia
CitologiaCitologia
Aula vertebrados I - Peixes, anfíbios e répteis
Aula vertebrados I - Peixes, anfíbios e répteisAula vertebrados I - Peixes, anfíbios e répteis
Aula vertebrados I - Peixes, anfíbios e répteis
Andre Luiz Nascimento
 
Aula invertebrados
Aula invertebradosAula invertebrados
Aula invertebrados
Andre Luiz Nascimento
 
Vertebrados II - Aves e Mamíferos
Vertebrados II - Aves e MamíferosVertebrados II - Aves e Mamíferos
Vertebrados II - Aves e Mamíferos
Andre Luiz Nascimento
 
Reino protista
Reino protistaReino protista
Reino protista
Andre Luiz Nascimento
 
Aula fungos 2018
Aula fungos 2018Aula fungos 2018
Aula fungos 2018
Andre Luiz Nascimento
 
Os seres vivos mais simples virus e bacterias
Os seres vivos mais simples   virus e  bacteriasOs seres vivos mais simples   virus e  bacterias
Os seres vivos mais simples virus e bacterias
Andre Luiz Nascimento
 
Nucleo celular e cromossomos
Nucleo celular e cromossomosNucleo celular e cromossomos
Nucleo celular e cromossomos
Andre Luiz Nascimento
 
Aula mitose e meiose 2os
Aula mitose e meiose   2osAula mitose e meiose   2os
Aula mitose e meiose 2os
Andre Luiz Nascimento
 
Grupos sanguineos
Grupos sanguineosGrupos sanguineos
Grupos sanguineos
Andre Luiz Nascimento
 
Botanica geral i grupos vegetais ppt
Botanica geral i  grupos vegetais pptBotanica geral i  grupos vegetais ppt
Botanica geral i grupos vegetais ppt
Andre Luiz Nascimento
 
Angiospermas
AngiospermasAngiospermas
Angiospermas
Andre Luiz Nascimento
 
Aula genética
Aula genéticaAula genética
Aula genética
Andre Luiz Nascimento
 
Aula dna 2015
Aula dna 2015Aula dna 2015
Aula dna 2015
Andre Luiz Nascimento
 
Aula membrana e transporte celular
Aula membrana e transporte celular Aula membrana e transporte celular
Aula membrana e transporte celular
Andre Luiz Nascimento
 

Mais de Andre Luiz Nascimento (20)

Aula Sabões e reação de saponificação.pptx
Aula Sabões e reação de saponificação.pptxAula Sabões e reação de saponificação.pptx
Aula Sabões e reação de saponificação.pptx
 
Aula Radioatividade aplicacoes e riscos.pdf
Aula Radioatividade aplicacoes e riscos.pdfAula Radioatividade aplicacoes e riscos.pdf
Aula Radioatividade aplicacoes e riscos.pdf
 
Organismos transgenicos e geneticamente modificados
Organismos transgenicos e geneticamente modificadosOrganismos transgenicos e geneticamente modificados
Organismos transgenicos e geneticamente modificados
 
Aula Sistema Cardiovascular.pdf
Aula Sistema Cardiovascular.pdfAula Sistema Cardiovascular.pdf
Aula Sistema Cardiovascular.pdf
 
Sistema Nervoso.ppt
Sistema Nervoso.pptSistema Nervoso.ppt
Sistema Nervoso.ppt
 
Citologia
CitologiaCitologia
Citologia
 
Aula vertebrados I - Peixes, anfíbios e répteis
Aula vertebrados I - Peixes, anfíbios e répteisAula vertebrados I - Peixes, anfíbios e répteis
Aula vertebrados I - Peixes, anfíbios e répteis
 
Aula invertebrados
Aula invertebradosAula invertebrados
Aula invertebrados
 
Vertebrados II - Aves e Mamíferos
Vertebrados II - Aves e MamíferosVertebrados II - Aves e Mamíferos
Vertebrados II - Aves e Mamíferos
 
Reino protista
Reino protistaReino protista
Reino protista
 
Aula fungos 2018
Aula fungos 2018Aula fungos 2018
Aula fungos 2018
 
Os seres vivos mais simples virus e bacterias
Os seres vivos mais simples   virus e  bacteriasOs seres vivos mais simples   virus e  bacterias
Os seres vivos mais simples virus e bacterias
 
Nucleo celular e cromossomos
Nucleo celular e cromossomosNucleo celular e cromossomos
Nucleo celular e cromossomos
 
Aula mitose e meiose 2os
Aula mitose e meiose   2osAula mitose e meiose   2os
Aula mitose e meiose 2os
 
Grupos sanguineos
Grupos sanguineosGrupos sanguineos
Grupos sanguineos
 
Botanica geral i grupos vegetais ppt
Botanica geral i  grupos vegetais pptBotanica geral i  grupos vegetais ppt
Botanica geral i grupos vegetais ppt
 
Angiospermas
AngiospermasAngiospermas
Angiospermas
 
Aula genética
Aula genéticaAula genética
Aula genética
 
Aula dna 2015
Aula dna 2015Aula dna 2015
Aula dna 2015
 
Aula membrana e transporte celular
Aula membrana e transporte celular Aula membrana e transporte celular
Aula membrana e transporte celular
 

Último

Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
CAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUS
CAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUSCAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUS
CAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUS
ESCRIBA DE CRISTO
 
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptxApresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Geagra UFG
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
representações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdf
representações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdfrepresentações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdf
representações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdf
EVERALDODEOLIVEIRA2
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 

Último (9)

Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 
CAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUS
CAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUSCAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUS
CAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUS
 
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptxApresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 
representações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdf
representações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdfrepresentações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdf
representações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdf
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 

Biomas terrestres

  • 1.
  • 2.
  • 3.
  • 4. TUNDRATUNDRA  Vegetação rasteira das áreas de climaVegetação rasteira das áreas de clima polar;polar;  Surge no curto verão (cerca de trêsSurge no curto verão (cerca de três meses) das regiões polares,meses) das regiões polares, principalmente no Pólo Norte, período noprincipalmente no Pólo Norte, período no qual ocorre o degelo;qual ocorre o degelo;  É composta por musgos, líquens, capins eÉ composta por musgos, líquens, capins e outras plantas herbáceas;outras plantas herbáceas;
  • 5. TUNDRATUNDRA Exemplos da Fauna: Coruja-das-neves Lobo Ártico Urso Polar Pinguim (Antártida) Rena
  • 6. TUNDRA: Regiões polares, extremo norte da América, Europa e Ásia.
  • 8.
  • 9. Também conhecida como Floresta de Coníferas ou Boreal; clima frio subpolar; Invernos muito frios e verões amenos; pouca variedade de plantas); 2- TAIGA
  • 11. Taiga: Canadá, Suécia, Noruega, Finlândia e Rússia.
  • 13.
  • 14.
  • 15.
  • 16. Floresta Temperada: Europa Centro-Ocidental, Ásia, América do Norte; pequenas extensões da América do Sul e da Austrália. 3 - FLORESTA TEMPERADA3 - FLORESTA TEMPERADA
  • 17.  Plantas decíduas ou caducifólias: perdemPlantas decíduas ou caducifólias: perdem as folhas durante o outono e inverno;as folhas durante o outono e inverno;
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 22.
  • 23.
  • 24.
  • 25. Algumas espécies de plantas: carvalho, faias, nogueiras.
  • 26. FLORESTA TEMPERADA - FaunaFLORESTA TEMPERADA - Fauna
  • 27.
  • 28. FLORESTAS TROPICAISFLORESTAS TROPICAIS  Vegetação mais rica e diversificada do planeta;Vegetação mais rica e diversificada do planeta;  Desenvolvem-se em áreas de climas quentes e úmidos:Desenvolvem-se em áreas de climas quentes e úmidos: equatorial e tropical úmidoequatorial e tropical úmido;;
  • 29. Florestas Tropicais: baixas latitudes na América, África e Ásia.
  • 30. Abundante radiação solar e chuvas intensas => florestas exuberantes, com plantas muito próximas uma das outras e de vários portes.
  • 31. Neste esquema, podem-se observar com facilidade os estratos da floresta equatorial. O estrato junto ao solo, é o estrato herbáceo, pouco desenvolvido e onde quase não existe luz, pois as plantas dos estratos superiores dificultam a passagem da luz. O estrato superior, é constituído por árvores bastante altas, cujas copas apresentam uma forma arredondada, ombrófila, tipo guarda-chuva, e os seus troncos, de casca fina, são lisos, apenas ramificados na parte superior. Há alguns tipos de plantas trepadoras e parasitas, que se servem das árvores para irem subindo e alcançar a luz. Floresta estratificada www.inpa.gov.br
  • 32.  Árvores de grande porte: mogno, jacarandá,Árvores de grande porte: mogno, jacarandá, castanheira, cedro, imbuia, peroba, etc.castanheira, cedro, imbuia, peroba, etc.
  • 33. Outras espécies: palmáceas, arbustos, briófitas,Outras espécies: palmáceas, arbustos, briófitas, bromélias, etc.bromélias, etc.
  • 34.  Fauna:Fauna: riquíssima fauna, tanto de mamíferos,riquíssima fauna, tanto de mamíferos, como de insetos, répteis, peixes e outros animais.como de insetos, répteis, peixes e outros animais.
  • 35.
  • 37.
  • 38.
  • 39.
  • 40.
  • 41.
  • 42.
  • 43. SAVANASSAVANAS  Vegetação mista:estratos (arbóreo, arbustivo eVegetação mista:estratos (arbóreo, arbustivo e herbáceo);herbáceo);  Verões chuvosos e invernos secosVerões chuvosos e invernos secos  Exemplos: Cerrado e Savanas Africanas.Exemplos: Cerrado e Savanas Africanas.
  • 44.  muitas gramíneas (gramas);muitas gramíneas (gramas);  arbustos e árvores de raízes profundas, troncosarbustos e árvores de raízes profundas, troncos retorcidos e casca grossa;retorcidos e casca grossa;  Fauna na AMÉRICA DO SUL: capivara, lobo-Fauna na AMÉRICA DO SUL: capivara, lobo- guará, tamanduá, anta, etc.guará, tamanduá, anta, etc.
  • 45. Savana: África Centro-Ocidental, Brasil Central; em menores extensões: índia.
  • 47.
  • 48. Fauna na ÁFRICA: Leões, rinocerontes, elefantes, girafas, zebras, antílopes, etc.
  • 49.
  • 50. PRADARIAS / ESTEPESPRADARIAS / ESTEPES  Também chamadas de campos;Também chamadas de campos;  Vegetação herbácea, composta basicamente deVegetação herbácea, composta basicamente de capim; Ocorre em áreas de clima temperado ecapim; Ocorre em áreas de clima temperado e subtropical;subtropical;
  • 51.  Solos normalmente férteis, ricos em matériaSolos normalmente férteis, ricos em matéria orgânica (húmus),orgânica (húmus),  Áreas propícias para a agricultura e pecuária;Áreas propícias para a agricultura e pecuária;  Grande devastação;Grande devastação;
  • 52. PRADARIASPRADARIAS Exemplos da Fauna: Búfalo Antílope Coiote Inúmeras aves: Gavião Coruja entre outras.
  • 53. Pradarias: Europa Central, oeste da Rússia, Grandes Planícies Americanas, Pampas argentinos e Grande Bacia Australiana.
  • 55.
  • 56.
  • 57. ESTEPESESTEPES  Vegetação herbácea, como asVegetação herbácea, como as pradarias, porém mais esparsapradarias, porém mais esparsa (espalhada) e ressecada;(espalhada) e ressecada;  Regiões de clima semi-áridoRegiões de clima semi-árido (transição entre os desertos e os(transição entre os desertos e os climas úmidos);climas úmidos);  Apesar de irregulares, as chuvas sãoApesar de irregulares, as chuvas são menos escassas que nos desertos;menos escassas que nos desertos;
  • 59.
  • 60. FORMAÇÕES DESÉRTICASFORMAÇÕES DESÉRTICAS  Clima árido (seco) ou semi-árido;Clima árido (seco) ou semi-árido;  Solos arenosos ou pedregosos;Solos arenosos ou pedregosos;  Vegetação rara, com plantasVegetação rara, com plantas xerófitas (adaptadas à seca);xerófitas (adaptadas à seca);  Destaque para as cactáceas (cactos);Destaque para as cactáceas (cactos);  Ocorre em todos os continentes,Ocorre em todos os continentes, exceto na Europa;exceto na Europa;  Fauna:Fauna: camelos, lagartos, cobras,camelos, lagartos, cobras, ratos, etc.ratos, etc.
  • 61. Formações Desérticas: aparecem nos grandes desertos da América, África, Ásia e Oceania.