SlideShare uma empresa Scribd logo
ACONTECIMENTOS IMPORTANTES PARA O BRASIL SE TORNAR INDEPENDENTE
Muitas foram as causas da Independência do Brasil que antecederam a declaração que, de fato,
declarou o Brasil independente. A Proclamação da Independência do Brasil ocorreu no dia 07 de
setembro de 1822, através do príncipe regente Dom Pedro I, que era filho de Dom João VI (1767 – 1826).
Entre os fatores que causaram a Independência do Brasil podemos destacar a crise do sistema
colonial, as ideias iluministas e as independências ocorridas na América Inglesa e na América Espanhola.
Além disso, a própria elite agrária brasileira se beneficiaria de uma separação entre Portugal e Brasil.
No Brasil, a superação do pacto colonial interessava a aristocracia agrária, classe dominante da
colônia. Ela via nisso a possibilidade de se ver livre definitivamente dos monopólios metropolitanos e da
submissão aos comerciantes portugueses.
A família real chegou no Brasil durante o Período Napoleônico e após o fim dessa era, no ano de
1815 nos países da Europa, os portugueses fizeram pressão para que o imperador voltasse para casa.
Por esse motivo, D. João VI transformou o Brasil em um Reino Unido de Portugal e Algarves, deixando
de ser um Brasil Colônia, posição que desacordava com os interesses de Portugal.
No Brasil existia dois movimentos políticos importantes, um era a favor de que houvesse a Revolução
Republicana Liberal Abolicionista, o outro era formado por uma elite agrária muito conservadora. As
movimentações se tornavam causas da Independência do Brasil, colocando a proclamação de soberania
como única alternativa, apesar do intuito de manter o sistema tradicional.
O movimento Republicano e Abolicionista ganhou força por causa da insistência de D. João VI em
permanecer no Brasil. A Revolução Pernambucana de 1817, surgiu a favor da República e contra o
governo português. O movimento foi influenciado pela ideologia do Iluminismo e também foi incentivado
pela econômica da época.
Família Real Portuguesa no Brasil
Um dos fatos que ajudou a desencadear as causas da Independência do Brasil foi a transferência
da Corte Portuguesa para o Brasil. Esse foi um evento importante tanto da História de Portugal quanto
da História do Brasil. A família real portuguesa e toda a sua corte, composta por nobres, servos e muitos
empregados, além de uma grande biblioteca que possuía mais de 60.000 livros, se estabeleceram no
Brasil, entre os anos de 1808 e 1821.
Fim do Período Napoleônico
O período Napoleônico ocorreu entre 09 de novembro de 1799 até 28 de junho de 1815 e o seu fim
também foi uma das importantes causas da independência do Brasil. O Era Napoleônica foi o período
que ocorreu entre a chegada de Napoleão Bonaparte ao poder no Consulado, no ano de 1799 e o seu
fim, que aconteceu por causa da derrota na Batalha de Waterloo, que findou com o exílio de Napoleão,
na Ilha de Santa Helena, no ano de 1815.
É possível ressaltar duas características importantes para esse período da história mundial, foram
eles: a consolidação das instituições burguesas nos Estados Nacionais e a expansão do Império
Napoleônico para outros países da Europa, esse evento representou uma ameaça ao Antigo Regime
Absolutista do continente europeu.
Pressão para recolonizar o Brasil novamente e o retorno de D. João VI para Portugal
CEPI ADONIRO MARTINS DE ANDRADE
AVALIAÇÃO BIMESTRAL
Componente Curricular: HISTÓRIA
Série/Ano: 8º ANO Turma: A
Professor(a): ELIANE
Aluno(a):
Objeto de conhecimento: Os caminhos até a independência do Brasil: Brasil Colônia: 1808 a 1822
Habilidade: (EF08HI12) Caracterizar a organização política e social no Brasil desde a chegada da Corte
portuguesa, em 1808, até 1822 e seus desdobramentos para a história política brasileira.
A Revolução Liberal do Porto foi o movimento mais importante dentre as causas da independência
do Brasil. Trata-se de um movimento militar que começou em agosto de 1820, na cidade do Porto, que
fica ao norte de Portugal. O movimento se espalhou muito rápido pelo país e atingiu Lisboa, capital de
Portugal.
No decorrer dos acontecimentos, o movimento conseguiu apoio da burguesia, do clero, do exército e
da nobreza, atingindo todas as esferas sociais portuguesas mais importantes. Essa revolução está
diretamente ligada com a História do Brasil no século XIX.
No ano de 1820, Portugal estava enfrentando grave crise econômica, política e social, primeiro porque
a família real não habitava mais no país desde 1808, quando fugiu da invasão das tropas francesas
comandadas por Napoleão Bonaparte. A transferência da Corte Portuguesa para o Brasil trouxe desafios
novos para o rei e provocou consequências para Portugal.
A situação mais importante foi a abertura dos portos brasileiros, que finalizou o monopólio comercial
de Portugal sobre o Brasil, monopólio esse que durou quase três séculos. Isso atingiu a economia
lusitana, principalmente a burguesia comercial, que foi totalmente favorável por restabelecer a ordem
anterior.
Divergência de interesses entre brasileiros e portugueses
A insatisfação com a permanência de D. João VI no Brasil, fizeram com que os portugueses liderassem
a Revolução Liberal do Porto no ano de 1820. Toda a burguesia liberal de Portugal reivindicava a
instauração de uma Monarquia Constitucional, além do retorno da família real e que o Brasil fosse
recolonizado novamente. Seu filho dom Pedro foi deixado no Brasil, na condição de príncipe regente,
para conduzir uma eventual a separação política.
Em seguida, várias medidas vindas de Portugal pressionaram o governo de D. Pedro, na tentativa de
anular seus poderes político, administrativo, militar e judicial e forçá-lo a regressar a Portugal. As notícias
repercutiram como uma declaração de guerra, provocando tumultos e manifestações de desagrado.
D. Pedro foi convidado para ficar, pois sua partida representaria o esfacelamento do Brasil. O Dia do
Fico (1822) era mais um passo para o rompimento definitivo com Portugal.
Os acontecimentos desencadearam uma crise no governo e os ministros fiéis às Cortes, demitiram-
se. O príncipe formou um novo ministério, sob a liderança de José Bonifácio, um dos principais partidários
da emancipação política brasileira.
Ficou estabelecido que qualquer determinação vinda de Portugal só deveria ser acatada com o
cumpra-se de D. Pedro. Este, então, dirige-se a província de São Paulo em busca de apoio para sua
causa. Ao voltar de Santos para a capital paulista recebe um correio de Portugal exigindo seu retorno
imediata a Lisboa. Também recebe duas cartas, uma de José Bonifácio e outra de Dona Leopoldina
aconselhando que não aceitasse esta ordem. Dom Pedro acata o conselho e corta os vínculos políticos
que ainda restavam com Portugal.
O príncipe deu sua resposta a Portugal no dia 9 de janeiro de 1822 (dia do Fico), com a célebre frase
"Se é para o bem de todos e felicidade geral da Nação, diga ao povo que fico".... –
Assim, iniciou-se um esforço político por parte dos ministros e conselheiros de dom Pedro, pela
permanência dos vínculos com Portugal, mantendo um pouco de autonomia para o Brasil. Queriam uma
independência sem traumas, mas as críticas ao colonialismo ficaram insustentáveis. Dom Pedro, então,
se viu pressionado a oficializar o rompimento.
Os conflitos de interesses entre os dois países eram muitos, provocando várias das causas da
independência do Brasil e após a proclamação da mesma, não mudou muita coisa, já que o primeiro
imperador do Brasil era português, os ministros, os principais burocratas do governo, os militares e os
mercadores também eram de Portugal.
Isso significa que, mesmo com a declaração da independência do Brasil em 07 de setembro de 1822,
houve mais uma continuidade do que uma ruptura, fato que só começou a mudar no ano de 1831, quando
D. Pedro I abdicou do trono.
O imperador estava diretamente envolvido com as questões políticas de Portugal, a exemplo de toda
a discordância em volta da sucessão portuguesa no ano de 1826, depois que D. João VI faleceu. Existiu
alguma desconfiança de que D. Pedro I tentasse de alguma maneira unificar Brasil e Portugal novamente,
possivelmente como um Reino Unido igual no ano de 1815.
Disponível em: < https://www.educamaisbrasil.com.br/enem/historia/causas-da-independencia-do-brasil> Acesso em 21 de mai. 2020. [Adaptado]
1. A transferência do governo português para o Brasil, em 1808, teve ligação estreita com o processo de
emancipação política da colônia porque (1,25)
a) introduziu as ideias liberais na colônia, incentivando várias rebeliões.
b) reforçou os laços de dependência e monopólio do sistema colonial, aumentando a insatisfação dos
colonos.
c) incentivou as atividades mercantis, contrariando os interesses da grande lavoura.
d) instalou no Brasil a estrutura do Estado português, reforçando a unidade e a autonomia da colônia.
Disponível em: https://exercicios.brasilescola.uol.com.br/exercicios-historia-do-brasil/exercicios-sobre-regencia-d-pedro-i.htm#questao-2 Acesso em 21de mai. 2020. [Adaptada]
2. Quais foram as causas que levaram a independência do Brasil? (1,25)
____________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________
3. A Revolução Liberal do Porto foi um dos movimentos mais importantes dentre as causas da
independência do Brasil. Sobre a Revolução Liberal é correto afirmar que se trata de um movimento de
(1,25)
a) índios que aconteceu em 1820 no Brasil Colonial.
b) militar que começou em agosto de 1820, na cidade do Porto, que fica ao norte de Portugal.
c) escravos que começou em agosto de 1820, na cidade do Porto ao norte de Portugal.
d) portugueses que começou em agosto de 1820, no Brasil Colonial.
4. A célebre frase "Se é para o bem de todos e felicidade geral da Nação, diga ao povo que fico." foi dita por
quem e está relacionada a qual momento ou fase da Proclamação da Independência do Brasil? (1,25)
____________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________
5. Os conflitos de interesses entre os dois países eram muitos, provocando várias das causas da
independência do Brasil. No entanto, após a Proclamação da Independência, não mudou muita coisa, por
quê? (1,25)
_____________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________
6. Sobre a característica da política pré-independência, no quadro a seguir preencha os espaços em branco
com os nomes dos movimentos políticos atuantes neste período. (1,25)
No Brasil existia dois movimentos políticos importantes, um era a favor de que houvesse
a ____________________________-, o outro era formado por uma __________________ muito
conservadora. As movimentações se tornavam causas da Independência do Brasil, colocando a
proclamação de soberania como única alternativa, apesar do intuito de manter o sistema tradicional.
7. O Pacto Colonial, pode ser entendido como um conjunto
de regras, leis e normas que as metrópoles impunham a
as suas colônias durante o período colonial. Estas leis
tinham como objetivo principal fazer com que as colônias
só comprassem e vendessem produtos de sua
metrópole. Conforme representado na imagem ao lado.
No Brasil, a superação do pacto colonial interessava a
aristocracia agrária, classe dominante da colônia. Por
quê? (1,25)
Disponível em: https://brainly.com.br/tarefa/23849051Acesso em 06 de maio de 2021.
____________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________
8. De acordo com a cartilha Goiás sem racismo, o que é o racismo institucional? Apresente cinco situações
em que este tipo de racismo se materializa. (1,25)
____________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________
9. Questão extra (pode consultar a cartilha Goiás sem Racismo). (1.0)
(1) Lei nº 12.288/10
(2) Lei n° 11.645/08
(3) Lei n° 10.639/03
( ) instituiu o Estatuto da Igualdade Racial, que em seu Artigo 1º dispõe sobre a sua destinação a garantir
à população negra a efetivação da igualdade de oportunidades, a defesa dos direitos étnicos individuais,
coletivos e difusos e o combate à discriminação e às demais formas de intolerância étnica.
( ) criada para combater as ideias preconceituosas e estereotipadas em relação às comunidades
indígenas. Desse modo, tornase obrigatório as escolas introduzirem em seus currículos, os conhecimentos,
saberes, modos de vida e organização social dos povos afro-brasileiros e indígenas.
( ) é um dos avanços da luta antirracista empreendida pelo movimento negro no Brasil. Esse dispositivo
legal introduziu na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - LDBEN nº 9.394/96 a obrigatoriedade
do ensino de história e cultura afro-brasileira e africana. Ela assegura e valoriza vínculos históricos e
culturais que construíram e constroem o nosso país, refazendo ideias cristalizadas em seus currículos, em
projetos pedagógicos e nas relações estabelecidas no ambiente escolar, visando uma educação
antirracista.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a AVALIAÇÃO 8 ANO HISTÓRIA 3 BIMESTRE.docx

Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415
Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415
Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415
Laboratório de História
 
A Independência do Brasil - contexto histórico.pptx
A Independência do Brasil - contexto histórico.pptxA Independência do Brasil - contexto histórico.pptx
A Independência do Brasil - contexto histórico.pptx
ssuserc8a15f1
 
Brasil independencia e constituicao 1824
Brasil independencia e constituicao 1824 Brasil independencia e constituicao 1824
Brasil independencia e constituicao 1824
Dismael Sagás
 
Brasil independencia e constituicao 1824
Brasil independencia e constituicao 1824 Brasil independencia e constituicao 1824
Brasil independencia e constituicao 1824
Dismael Sagás
 
A Fase de Dom João VI - 2M4/G3
A Fase de Dom João VI - 2M4/G3A Fase de Dom João VI - 2M4/G3
A Fase de Dom João VI - 2M4/G3
marianasloureiro
 
A Fase de Dom João VI
A Fase de Dom João VIA Fase de Dom João VI
A Fase de Dom João VI
Mariana Loureiro
 
D. João VI no Brasil – Início do Processo de Independência do Brasil.ppt
D. João VI no Brasil – Início do Processo de Independência do Brasil.pptD. João VI no Brasil – Início do Processo de Independência do Brasil.ppt
D. João VI no Brasil – Início do Processo de Independência do Brasil.ppt
CarlosNunes251270
 
D. João VI no Brasil – Início do Processo de Independência do Brasil.ppt
D. João VI no Brasil – Início do Processo de Independência do Brasil.pptD. João VI no Brasil – Início do Processo de Independência do Brasil.ppt
D. João VI no Brasil – Início do Processo de Independência do Brasil.ppt
ESCOLAMUNICIPALPROFE20
 
O primeiro reinado
O primeiro reinadoO primeiro reinado
O primeiro reinado
iandondoni
 
Chegada da Família Real – início do processo de independência do brasil
Chegada da Família Real – início do processo de independência do brasilChegada da Família Real – início do processo de independência do brasil
Chegada da Família Real – início do processo de independência do brasil
Felipe de Souza
 
Texto fim da independencia 18.10
Texto fim da independencia 18.10Texto fim da independencia 18.10
Texto fim da independencia 18.10
PIBIDSolondeLucena
 
A revolução liberal do porto
A revolução liberal do portoA revolução liberal do porto
A revolução liberal do porto
historiando
 
Revolução liberal portuguesa 1820
Revolução liberal portuguesa 1820Revolução liberal portuguesa 1820
Revolução liberal portuguesa 1820
roxy2011
 
Revolução liberal portuguesa 1820
Revolução liberal portuguesa 1820Revolução liberal portuguesa 1820
Revolução liberal portuguesa 1820
roxy2011
 
A revolução do porto
A revolução do portoA revolução do porto
A revolução do porto
Nelia Salles Nantes
 
A independência do Brasil
A independência do BrasilA independência do Brasil
A independência do Brasil
Sylvio Bazote
 
1 Reinadofera
1 Reinadofera1 Reinadofera
1 Reinadofera
Louge
 
1 Reinado
1 Reinado1 Reinado
1 Reinado
guest7c5bcf8
 
Revolução liberal portuguesa 1820
Revolução liberal portuguesa 1820Revolução liberal portuguesa 1820
Revolução liberal portuguesa 1820
roxy2011
 
7-Chegada da família real.docx
7-Chegada da família real.docx7-Chegada da família real.docx
7-Chegada da família real.docx
RafaelBritto16
 

Semelhante a AVALIAÇÃO 8 ANO HISTÓRIA 3 BIMESTRE.docx (20)

Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415
Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415
Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415
 
A Independência do Brasil - contexto histórico.pptx
A Independência do Brasil - contexto histórico.pptxA Independência do Brasil - contexto histórico.pptx
A Independência do Brasil - contexto histórico.pptx
 
Brasil independencia e constituicao 1824
Brasil independencia e constituicao 1824 Brasil independencia e constituicao 1824
Brasil independencia e constituicao 1824
 
Brasil independencia e constituicao 1824
Brasil independencia e constituicao 1824 Brasil independencia e constituicao 1824
Brasil independencia e constituicao 1824
 
A Fase de Dom João VI - 2M4/G3
A Fase de Dom João VI - 2M4/G3A Fase de Dom João VI - 2M4/G3
A Fase de Dom João VI - 2M4/G3
 
A Fase de Dom João VI
A Fase de Dom João VIA Fase de Dom João VI
A Fase de Dom João VI
 
D. João VI no Brasil – Início do Processo de Independência do Brasil.ppt
D. João VI no Brasil – Início do Processo de Independência do Brasil.pptD. João VI no Brasil – Início do Processo de Independência do Brasil.ppt
D. João VI no Brasil – Início do Processo de Independência do Brasil.ppt
 
D. João VI no Brasil – Início do Processo de Independência do Brasil.ppt
D. João VI no Brasil – Início do Processo de Independência do Brasil.pptD. João VI no Brasil – Início do Processo de Independência do Brasil.ppt
D. João VI no Brasil – Início do Processo de Independência do Brasil.ppt
 
O primeiro reinado
O primeiro reinadoO primeiro reinado
O primeiro reinado
 
Chegada da Família Real – início do processo de independência do brasil
Chegada da Família Real – início do processo de independência do brasilChegada da Família Real – início do processo de independência do brasil
Chegada da Família Real – início do processo de independência do brasil
 
Texto fim da independencia 18.10
Texto fim da independencia 18.10Texto fim da independencia 18.10
Texto fim da independencia 18.10
 
A revolução liberal do porto
A revolução liberal do portoA revolução liberal do porto
A revolução liberal do porto
 
Revolução liberal portuguesa 1820
Revolução liberal portuguesa 1820Revolução liberal portuguesa 1820
Revolução liberal portuguesa 1820
 
Revolução liberal portuguesa 1820
Revolução liberal portuguesa 1820Revolução liberal portuguesa 1820
Revolução liberal portuguesa 1820
 
A revolução do porto
A revolução do portoA revolução do porto
A revolução do porto
 
A independência do Brasil
A independência do BrasilA independência do Brasil
A independência do Brasil
 
1 Reinadofera
1 Reinadofera1 Reinadofera
1 Reinadofera
 
1 Reinado
1 Reinado1 Reinado
1 Reinado
 
Revolução liberal portuguesa 1820
Revolução liberal portuguesa 1820Revolução liberal portuguesa 1820
Revolução liberal portuguesa 1820
 
7-Chegada da família real.docx
7-Chegada da família real.docx7-Chegada da família real.docx
7-Chegada da família real.docx
 

Último

Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 

Último (20)

Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 

AVALIAÇÃO 8 ANO HISTÓRIA 3 BIMESTRE.docx

  • 1. ACONTECIMENTOS IMPORTANTES PARA O BRASIL SE TORNAR INDEPENDENTE Muitas foram as causas da Independência do Brasil que antecederam a declaração que, de fato, declarou o Brasil independente. A Proclamação da Independência do Brasil ocorreu no dia 07 de setembro de 1822, através do príncipe regente Dom Pedro I, que era filho de Dom João VI (1767 – 1826). Entre os fatores que causaram a Independência do Brasil podemos destacar a crise do sistema colonial, as ideias iluministas e as independências ocorridas na América Inglesa e na América Espanhola. Além disso, a própria elite agrária brasileira se beneficiaria de uma separação entre Portugal e Brasil. No Brasil, a superação do pacto colonial interessava a aristocracia agrária, classe dominante da colônia. Ela via nisso a possibilidade de se ver livre definitivamente dos monopólios metropolitanos e da submissão aos comerciantes portugueses. A família real chegou no Brasil durante o Período Napoleônico e após o fim dessa era, no ano de 1815 nos países da Europa, os portugueses fizeram pressão para que o imperador voltasse para casa. Por esse motivo, D. João VI transformou o Brasil em um Reino Unido de Portugal e Algarves, deixando de ser um Brasil Colônia, posição que desacordava com os interesses de Portugal. No Brasil existia dois movimentos políticos importantes, um era a favor de que houvesse a Revolução Republicana Liberal Abolicionista, o outro era formado por uma elite agrária muito conservadora. As movimentações se tornavam causas da Independência do Brasil, colocando a proclamação de soberania como única alternativa, apesar do intuito de manter o sistema tradicional. O movimento Republicano e Abolicionista ganhou força por causa da insistência de D. João VI em permanecer no Brasil. A Revolução Pernambucana de 1817, surgiu a favor da República e contra o governo português. O movimento foi influenciado pela ideologia do Iluminismo e também foi incentivado pela econômica da época. Família Real Portuguesa no Brasil Um dos fatos que ajudou a desencadear as causas da Independência do Brasil foi a transferência da Corte Portuguesa para o Brasil. Esse foi um evento importante tanto da História de Portugal quanto da História do Brasil. A família real portuguesa e toda a sua corte, composta por nobres, servos e muitos empregados, além de uma grande biblioteca que possuía mais de 60.000 livros, se estabeleceram no Brasil, entre os anos de 1808 e 1821. Fim do Período Napoleônico O período Napoleônico ocorreu entre 09 de novembro de 1799 até 28 de junho de 1815 e o seu fim também foi uma das importantes causas da independência do Brasil. O Era Napoleônica foi o período que ocorreu entre a chegada de Napoleão Bonaparte ao poder no Consulado, no ano de 1799 e o seu fim, que aconteceu por causa da derrota na Batalha de Waterloo, que findou com o exílio de Napoleão, na Ilha de Santa Helena, no ano de 1815. É possível ressaltar duas características importantes para esse período da história mundial, foram eles: a consolidação das instituições burguesas nos Estados Nacionais e a expansão do Império Napoleônico para outros países da Europa, esse evento representou uma ameaça ao Antigo Regime Absolutista do continente europeu. Pressão para recolonizar o Brasil novamente e o retorno de D. João VI para Portugal CEPI ADONIRO MARTINS DE ANDRADE AVALIAÇÃO BIMESTRAL Componente Curricular: HISTÓRIA Série/Ano: 8º ANO Turma: A Professor(a): ELIANE Aluno(a): Objeto de conhecimento: Os caminhos até a independência do Brasil: Brasil Colônia: 1808 a 1822 Habilidade: (EF08HI12) Caracterizar a organização política e social no Brasil desde a chegada da Corte portuguesa, em 1808, até 1822 e seus desdobramentos para a história política brasileira.
  • 2. A Revolução Liberal do Porto foi o movimento mais importante dentre as causas da independência do Brasil. Trata-se de um movimento militar que começou em agosto de 1820, na cidade do Porto, que fica ao norte de Portugal. O movimento se espalhou muito rápido pelo país e atingiu Lisboa, capital de Portugal. No decorrer dos acontecimentos, o movimento conseguiu apoio da burguesia, do clero, do exército e da nobreza, atingindo todas as esferas sociais portuguesas mais importantes. Essa revolução está diretamente ligada com a História do Brasil no século XIX. No ano de 1820, Portugal estava enfrentando grave crise econômica, política e social, primeiro porque a família real não habitava mais no país desde 1808, quando fugiu da invasão das tropas francesas comandadas por Napoleão Bonaparte. A transferência da Corte Portuguesa para o Brasil trouxe desafios novos para o rei e provocou consequências para Portugal. A situação mais importante foi a abertura dos portos brasileiros, que finalizou o monopólio comercial de Portugal sobre o Brasil, monopólio esse que durou quase três séculos. Isso atingiu a economia lusitana, principalmente a burguesia comercial, que foi totalmente favorável por restabelecer a ordem anterior. Divergência de interesses entre brasileiros e portugueses A insatisfação com a permanência de D. João VI no Brasil, fizeram com que os portugueses liderassem a Revolução Liberal do Porto no ano de 1820. Toda a burguesia liberal de Portugal reivindicava a instauração de uma Monarquia Constitucional, além do retorno da família real e que o Brasil fosse recolonizado novamente. Seu filho dom Pedro foi deixado no Brasil, na condição de príncipe regente, para conduzir uma eventual a separação política. Em seguida, várias medidas vindas de Portugal pressionaram o governo de D. Pedro, na tentativa de anular seus poderes político, administrativo, militar e judicial e forçá-lo a regressar a Portugal. As notícias repercutiram como uma declaração de guerra, provocando tumultos e manifestações de desagrado. D. Pedro foi convidado para ficar, pois sua partida representaria o esfacelamento do Brasil. O Dia do Fico (1822) era mais um passo para o rompimento definitivo com Portugal. Os acontecimentos desencadearam uma crise no governo e os ministros fiéis às Cortes, demitiram- se. O príncipe formou um novo ministério, sob a liderança de José Bonifácio, um dos principais partidários da emancipação política brasileira. Ficou estabelecido que qualquer determinação vinda de Portugal só deveria ser acatada com o cumpra-se de D. Pedro. Este, então, dirige-se a província de São Paulo em busca de apoio para sua causa. Ao voltar de Santos para a capital paulista recebe um correio de Portugal exigindo seu retorno imediata a Lisboa. Também recebe duas cartas, uma de José Bonifácio e outra de Dona Leopoldina aconselhando que não aceitasse esta ordem. Dom Pedro acata o conselho e corta os vínculos políticos que ainda restavam com Portugal. O príncipe deu sua resposta a Portugal no dia 9 de janeiro de 1822 (dia do Fico), com a célebre frase "Se é para o bem de todos e felicidade geral da Nação, diga ao povo que fico".... – Assim, iniciou-se um esforço político por parte dos ministros e conselheiros de dom Pedro, pela permanência dos vínculos com Portugal, mantendo um pouco de autonomia para o Brasil. Queriam uma independência sem traumas, mas as críticas ao colonialismo ficaram insustentáveis. Dom Pedro, então, se viu pressionado a oficializar o rompimento. Os conflitos de interesses entre os dois países eram muitos, provocando várias das causas da independência do Brasil e após a proclamação da mesma, não mudou muita coisa, já que o primeiro imperador do Brasil era português, os ministros, os principais burocratas do governo, os militares e os mercadores também eram de Portugal. Isso significa que, mesmo com a declaração da independência do Brasil em 07 de setembro de 1822, houve mais uma continuidade do que uma ruptura, fato que só começou a mudar no ano de 1831, quando D. Pedro I abdicou do trono. O imperador estava diretamente envolvido com as questões políticas de Portugal, a exemplo de toda a discordância em volta da sucessão portuguesa no ano de 1826, depois que D. João VI faleceu. Existiu alguma desconfiança de que D. Pedro I tentasse de alguma maneira unificar Brasil e Portugal novamente, possivelmente como um Reino Unido igual no ano de 1815. Disponível em: < https://www.educamaisbrasil.com.br/enem/historia/causas-da-independencia-do-brasil> Acesso em 21 de mai. 2020. [Adaptado]
  • 3. 1. A transferência do governo português para o Brasil, em 1808, teve ligação estreita com o processo de emancipação política da colônia porque (1,25) a) introduziu as ideias liberais na colônia, incentivando várias rebeliões. b) reforçou os laços de dependência e monopólio do sistema colonial, aumentando a insatisfação dos colonos. c) incentivou as atividades mercantis, contrariando os interesses da grande lavoura. d) instalou no Brasil a estrutura do Estado português, reforçando a unidade e a autonomia da colônia. Disponível em: https://exercicios.brasilescola.uol.com.br/exercicios-historia-do-brasil/exercicios-sobre-regencia-d-pedro-i.htm#questao-2 Acesso em 21de mai. 2020. [Adaptada] 2. Quais foram as causas que levaram a independência do Brasil? (1,25) ____________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________ 3. A Revolução Liberal do Porto foi um dos movimentos mais importantes dentre as causas da independência do Brasil. Sobre a Revolução Liberal é correto afirmar que se trata de um movimento de (1,25) a) índios que aconteceu em 1820 no Brasil Colonial. b) militar que começou em agosto de 1820, na cidade do Porto, que fica ao norte de Portugal. c) escravos que começou em agosto de 1820, na cidade do Porto ao norte de Portugal. d) portugueses que começou em agosto de 1820, no Brasil Colonial. 4. A célebre frase "Se é para o bem de todos e felicidade geral da Nação, diga ao povo que fico." foi dita por quem e está relacionada a qual momento ou fase da Proclamação da Independência do Brasil? (1,25) ____________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________ 5. Os conflitos de interesses entre os dois países eram muitos, provocando várias das causas da independência do Brasil. No entanto, após a Proclamação da Independência, não mudou muita coisa, por quê? (1,25) _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ 6. Sobre a característica da política pré-independência, no quadro a seguir preencha os espaços em branco com os nomes dos movimentos políticos atuantes neste período. (1,25) No Brasil existia dois movimentos políticos importantes, um era a favor de que houvesse a ____________________________-, o outro era formado por uma __________________ muito conservadora. As movimentações se tornavam causas da Independência do Brasil, colocando a proclamação de soberania como única alternativa, apesar do intuito de manter o sistema tradicional. 7. O Pacto Colonial, pode ser entendido como um conjunto de regras, leis e normas que as metrópoles impunham a as suas colônias durante o período colonial. Estas leis tinham como objetivo principal fazer com que as colônias só comprassem e vendessem produtos de sua metrópole. Conforme representado na imagem ao lado. No Brasil, a superação do pacto colonial interessava a aristocracia agrária, classe dominante da colônia. Por quê? (1,25) Disponível em: https://brainly.com.br/tarefa/23849051Acesso em 06 de maio de 2021. ____________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________
  • 4. ____________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________ 8. De acordo com a cartilha Goiás sem racismo, o que é o racismo institucional? Apresente cinco situações em que este tipo de racismo se materializa. (1,25) ____________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________ 9. Questão extra (pode consultar a cartilha Goiás sem Racismo). (1.0) (1) Lei nº 12.288/10 (2) Lei n° 11.645/08 (3) Lei n° 10.639/03 ( ) instituiu o Estatuto da Igualdade Racial, que em seu Artigo 1º dispõe sobre a sua destinação a garantir à população negra a efetivação da igualdade de oportunidades, a defesa dos direitos étnicos individuais, coletivos e difusos e o combate à discriminação e às demais formas de intolerância étnica. ( ) criada para combater as ideias preconceituosas e estereotipadas em relação às comunidades indígenas. Desse modo, tornase obrigatório as escolas introduzirem em seus currículos, os conhecimentos, saberes, modos de vida e organização social dos povos afro-brasileiros e indígenas. ( ) é um dos avanços da luta antirracista empreendida pelo movimento negro no Brasil. Esse dispositivo legal introduziu na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - LDBEN nº 9.394/96 a obrigatoriedade do ensino de história e cultura afro-brasileira e africana. Ela assegura e valoriza vínculos históricos e culturais que construíram e constroem o nosso país, refazendo ideias cristalizadas em seus currículos, em projetos pedagógicos e nas relações estabelecidas no ambiente escolar, visando uma educação antirracista.