SlideShare uma empresa Scribd logo
Aula_6_-__Mercado_de_Bens_I_-_taxa_de_c_mbio 2.pdf
Abertura nos mercados de bens e ativos
Economia fechada => Economia aberta
Sem interação com o resto do mundo
i. Mercado de bens
ii. Mercado financeiro
iii. Mercado de fatores (de produção)
Capacidade de escolha entre bens, serviços
e ativos domésticos ou estrangeiros
• Sujeito a tarifas e cotas
• Sujeito a controles de capital
• Sujeito a acordos, migrações, etc.
Foco
Macroeconomics (Blanchard – 2012)
Abertura nos mercados de bens e ativos
Mercado de Bens
i. “Grau de Abertura”: (Exportações + Importações) / PIB
Como medir o nível de integração internacional de uma economia?
Uma medida imperfeita do nível de integração (ou grau de abertura)
Geografia, tamanho do país, etc
ii. Proporção de bens transacionáveis (tradables) em relação ao PIB
Abertura nos mercados de bens e ativos
Mercado de Bens
• Economia fechada: consumir vs poupar
• Economia aberta: consumir vs poupar
bens domésticos ou
bens estrangeiros Taxa de Câmbio
+ / - PIB
• Nominal => preço relativo entre moedas
• Real => preço relativo entre bens
Abertura nos mercados de bens e ativos
Mercado de Bens
Taxa de Câmbio nominal
• Preço da moeda doméstica em termos da
moeda estrangeira: (estrangeira / doméstica)
• Preço da moeda estrangeira em termos da
moeda doméstica (doméstica / estrangeira)
E = US$ 0,25 / R$
E* = R$ 4,00 / US$
“the price of the domestic currency in
terms of foreign currency”
Inverso do raciocínio
brasileiro
E = 1/E*
Apreciação
(da taxa de câmbio)
Depreciação
(da taxa de câmbio)
Aumento da taxa
de câmbio
Redução da taxa
de câmbio
Abertura nos mercados de bens e ativos
Mercado de Bens
Taxa de Câmbio real
• Preço Iphone em Miami = US$ 800
• Preço Iphone em SP = R$ 5.000
• E* = R$ 5,00 / US$ 1,00
Melhor comprar em Miami
ou em SP?
Abertura nos mercados de bens e ativos
Mercado de Bens
Taxa de Câmbio real
• Preço Iphone em Miami = US$ 800
• Preço Iphone em SP = R$ 5.000
• E* = R$ 5,00 / US$ 1,00
Melhor comprar em Miami
ou em SP?
Preço em US$:
• US$ 800 em Miami
• US$ 1.000 em SP
Preço em R$:
• R$ 4.000 em Miami
• R$ 5.000 em SP
Taxa de Câmbio real:
E = US$ 800 / US$ 1000 = R$ 4.000 / R$ 5.000 = 0,80
E* = US$ 1000 / US$ 800 = R$ 5.000 / R$ 4.000 = 1,25
+ caro no Brasil
+ barato nos EUA
Como generalizar essa
relação?
Deflator do PIB ou IPCA?
Abertura nos mercados de bens e ativos
Mercado de Bens
Taxa de Câmbio real
Como generalizar essa
relação?
Deflator do PIB
Taxa de câmbio real
Preço dos produtos domésticos em
termos de bens estrangeiros
Nº Índice
• Nível do nº índice não importa
• Taxa de variação é a informação válida
Abertura nos mercados de bens e ativos
Mercado de Bens Como generalizar essa
relação?
Abertura nos mercados de bens e ativos
Mercado de Bens
A taxa de câmbio nominal de uma moeda expressa o seu
preço em relação a uma determinada moeda estrangeira.
A taxa de câmbio nominal permite verificar o preço da
mercadoria nacional convertido em moeda estrangeira.
O Índice de Taxa de Câmbio Real (TxCbR) reflete a
variação da moeda nacional em relação a uma
determinada moeda estrangeira, corrigida pelo diferencial
entre as inflações do país e do país estrangeiro. A TxCbR
é definida como a taxa de câmbio nominal corrigida pelo
diferencial de preços domésticos e externos entre dois
países (é uma taxa bilateral).
Para uma melhor representação do nível de
competitividade externa do país, costuma-se adotar o
índice de taxa de câmbio real, o qual ajusta a taxa de
câmbio nominal ao diferencial de variação de preços
internos e externos. As variações na taxa de câmbio
nominal e nos preços domésticos e externos alteram o
nível relativo dos custos de produção e preços dos países
envolvidos. Os índices de preços funcionam como
uma proxy para a variação dos custos de produção.
Abertura nos mercados de bens e ativos
Mercado de Bens
Taxa de Câmbio Multilateral
• Economia aberta tem diversos parceiros econômicos
• Competitividade efetiva do país, em termos de economia mundial
deve levar em conta uma cesta de moedas
Taxa de câmbio
Bilateral
Taxa de câmbio
Multilateral
Abertura nos mercados de bens e ativos
Taxa de Câmbio Multilateral
O Índice de Taxa de Câmbio Real Efetiva (TxCbRE) aprimora a análise por
efetuar o cálculo da taxa de câmbio real em relação a um conjunto de
países e moedas (uma cesta de países e moedas), em geral escolhidos
conforme sua importância no comércio exterior, em vez de realizar o
cálculo restrito a uma única relação bilateral. São calculados os diversos
índices de taxa de câmbio real, em seguida são calculadas as respectivas
taxas de variação mensais desses índices, e por fim é calculada a
variação do índice de taxa de câmbio efetiva, mediante a ponderação das
variações das moedas e preços em cada país incluído na cesta de países
pela participação individual de cada país no comércio bilateral dentro da
cesta de referência.
A TxCbR e a TxCbRE são um ponto de partida para a análise da
competitividade da produção do país em face à produção do país ou os
países estrangeiros em questão. Um aumento da TxCbR ou da TxCbRE
representa desvalorização da moeda nacional em termos reais, o que
amplia a competitividade tanto das exportações quanto da produção
interna substituta de produtos importados. A evolução do índice reflete,
portanto, ganho ou perda de competitividade da produção do país. O
aumento do índice é positivo para o setor exportador, que pode reduzir
seus preços no mercado externo sem que sua receita em moeda nacional
seja reduzida (a depender da elasticidade-preço das exportações pode
haver, inclusive, ganho de receita).
O grau de competitividade do país, no entanto, é influenciado por outros
fatores, aplicáveis a todos os países, tais como alterações nas proteções
tarifárias e não-tarifárias, nas políticas macroeconômicas e nos níveis de
produtividade. Quando possível, é desejável considerar essas outras
variáveis no estudo do tema em questão.
Aula_6_-__Mercado_de_Bens_I_-_taxa_de_c_mbio 2.pdf

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Aula_6_-__Mercado_de_Bens_I_-_taxa_de_c_mbio 2.pdf

Macro economia
Macro economiaMacro economia
Macro economia
Edgar Miertschink
 
CambioRealPPC20197.pptx
CambioRealPPC20197.pptxCambioRealPPC20197.pptx
CambioRealPPC20197.pptx
MariaHs10
 
Introdução à economia troster e monchón cap 17
Introdução à economia troster e monchón cap 17Introdução à economia troster e monchón cap 17
Introdução à economia troster e monchón cap 17
Claudia Sá de Moura
 
Contabilidade social i unidade
Contabilidade social i unidadeContabilidade social i unidade
Contabilidade social i unidade
Ewerton Uchôa
 
Aula_7_-_Mercado_de_Bens_II_-_Exporta__es_L_quidas 2.pdf
Aula_7_-_Mercado_de_Bens_II_-_Exporta__es_L_quidas 2.pdfAula_7_-_Mercado_de_Bens_II_-_Exporta__es_L_quidas 2.pdf
Aula_7_-_Mercado_de_Bens_II_-_Exporta__es_L_quidas 2.pdf
25spwpksgw
 
Renda nacional e Bem-estar Econômico
Renda nacional e Bem-estar EconômicoRenda nacional e Bem-estar Econômico
Renda nacional e Bem-estar Econômico
Luciano Pires
 
Trabalho variaveis macroeconomicas
Trabalho variaveis macroeconomicasTrabalho variaveis macroeconomicas
Trabalho variaveis macroeconomicas
Lowrrayny Franchesca
 
Opticas do rendimento e da despesa
Opticas do rendimento e da despesaOpticas do rendimento e da despesa
Opticas do rendimento e da despesa
duartealbuquerque
 
151120185500 thirwalle condicoesexternasbrasil_2018.1
151120185500 thirwalle condicoesexternasbrasil_2018.1151120185500 thirwalle condicoesexternasbrasil_2018.1
151120185500 thirwalle condicoesexternasbrasil_2018.1
Jefferson Fraga
 
Fluxo circular da renda
Fluxo circular da rendaFluxo circular da renda
Fluxo circular da renda
Bianca Xavier Vasconcellos
 
Setor externo - Economia
Setor externo - EconomiaSetor externo - Economia
Setor externo - Economia
RafaelYamaji
 
Macroeconomia O Setor Externo
Macroeconomia O Setor ExternoMacroeconomia O Setor Externo
Macroeconomia O Setor Externo
Deborah Ribeiro
 
Pib, Tributos e Salarios real e nominais
Pib, Tributos e Salarios real e nominaisPib, Tributos e Salarios real e nominais
Pib, Tributos e Salarios real e nominais
artelajeans
 
E 2a07
E 2a07E 2a07
E 2a07
Angelo Yasui
 
a_mc1sp.pdf
a_mc1sp.pdfa_mc1sp.pdf
a_mc1sp.pdf
RonaldoJosDela
 
Comércio Internacional.ppt
Comércio Internacional.pptComércio Internacional.ppt
Comércio Internacional.ppt
Igor da Silva
 
Indicadores econômicos
Indicadores econômicosIndicadores econômicos
Indicadores econômicos
Suzana Dias
 
Palestra Aprosoja Brasil - LucrodoAgro
Palestra Aprosoja Brasil - LucrodoAgroPalestra Aprosoja Brasil - LucrodoAgro
Palestra Aprosoja Brasil - LucrodoAgro
Eduardo Lima Porto
 
Resumos Economia A 11º ano: Contabilidade nacional
Resumos Economia A 11º ano: Contabilidade nacionalResumos Economia A 11º ano: Contabilidade nacional
Resumos Economia A 11º ano: Contabilidade nacional
Raffaella Ergün
 
aula de economia dia 03 macroeconomia.ppt
aula de economia dia 03 macroeconomia.pptaula de economia dia 03 macroeconomia.ppt
aula de economia dia 03 macroeconomia.ppt
ssuser515772
 

Semelhante a Aula_6_-__Mercado_de_Bens_I_-_taxa_de_c_mbio 2.pdf (20)

Macro economia
Macro economiaMacro economia
Macro economia
 
CambioRealPPC20197.pptx
CambioRealPPC20197.pptxCambioRealPPC20197.pptx
CambioRealPPC20197.pptx
 
Introdução à economia troster e monchón cap 17
Introdução à economia troster e monchón cap 17Introdução à economia troster e monchón cap 17
Introdução à economia troster e monchón cap 17
 
Contabilidade social i unidade
Contabilidade social i unidadeContabilidade social i unidade
Contabilidade social i unidade
 
Aula_7_-_Mercado_de_Bens_II_-_Exporta__es_L_quidas 2.pdf
Aula_7_-_Mercado_de_Bens_II_-_Exporta__es_L_quidas 2.pdfAula_7_-_Mercado_de_Bens_II_-_Exporta__es_L_quidas 2.pdf
Aula_7_-_Mercado_de_Bens_II_-_Exporta__es_L_quidas 2.pdf
 
Renda nacional e Bem-estar Econômico
Renda nacional e Bem-estar EconômicoRenda nacional e Bem-estar Econômico
Renda nacional e Bem-estar Econômico
 
Trabalho variaveis macroeconomicas
Trabalho variaveis macroeconomicasTrabalho variaveis macroeconomicas
Trabalho variaveis macroeconomicas
 
Opticas do rendimento e da despesa
Opticas do rendimento e da despesaOpticas do rendimento e da despesa
Opticas do rendimento e da despesa
 
151120185500 thirwalle condicoesexternasbrasil_2018.1
151120185500 thirwalle condicoesexternasbrasil_2018.1151120185500 thirwalle condicoesexternasbrasil_2018.1
151120185500 thirwalle condicoesexternasbrasil_2018.1
 
Fluxo circular da renda
Fluxo circular da rendaFluxo circular da renda
Fluxo circular da renda
 
Setor externo - Economia
Setor externo - EconomiaSetor externo - Economia
Setor externo - Economia
 
Macroeconomia O Setor Externo
Macroeconomia O Setor ExternoMacroeconomia O Setor Externo
Macroeconomia O Setor Externo
 
Pib, Tributos e Salarios real e nominais
Pib, Tributos e Salarios real e nominaisPib, Tributos e Salarios real e nominais
Pib, Tributos e Salarios real e nominais
 
E 2a07
E 2a07E 2a07
E 2a07
 
a_mc1sp.pdf
a_mc1sp.pdfa_mc1sp.pdf
a_mc1sp.pdf
 
Comércio Internacional.ppt
Comércio Internacional.pptComércio Internacional.ppt
Comércio Internacional.ppt
 
Indicadores econômicos
Indicadores econômicosIndicadores econômicos
Indicadores econômicos
 
Palestra Aprosoja Brasil - LucrodoAgro
Palestra Aprosoja Brasil - LucrodoAgroPalestra Aprosoja Brasil - LucrodoAgro
Palestra Aprosoja Brasil - LucrodoAgro
 
Resumos Economia A 11º ano: Contabilidade nacional
Resumos Economia A 11º ano: Contabilidade nacionalResumos Economia A 11º ano: Contabilidade nacional
Resumos Economia A 11º ano: Contabilidade nacional
 
aula de economia dia 03 macroeconomia.ppt
aula de economia dia 03 macroeconomia.pptaula de economia dia 03 macroeconomia.ppt
aula de economia dia 03 macroeconomia.ppt
 

Último

A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
Paulo Emerson Pereira
 
Informativo Agronômico n11 v1.0 - Seringueira (ppt).pdf
Informativo Agronômico n11 v1.0 - Seringueira (ppt).pdfInformativo Agronômico n11 v1.0 - Seringueira (ppt).pdf
Informativo Agronômico n11 v1.0 - Seringueira (ppt).pdf
edsonfrancojunior99
 
O legado democrático de Portugal no Brasil, enfatizando sua contribuição para...
O legado democrático de Portugal no Brasil, enfatizando sua contribuição para...O legado democrático de Portugal no Brasil, enfatizando sua contribuição para...
O legado democrático de Portugal no Brasil, enfatizando sua contribuição para...
Paulo Dalla Nora Macedo
 
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfilApostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Carlos Eduardo Coan Junior
 
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
rihabkorbi24
 
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Paulo Emerson Pereira
 

Último (6)

A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
 
Informativo Agronômico n11 v1.0 - Seringueira (ppt).pdf
Informativo Agronômico n11 v1.0 - Seringueira (ppt).pdfInformativo Agronômico n11 v1.0 - Seringueira (ppt).pdf
Informativo Agronômico n11 v1.0 - Seringueira (ppt).pdf
 
O legado democrático de Portugal no Brasil, enfatizando sua contribuição para...
O legado democrático de Portugal no Brasil, enfatizando sua contribuição para...O legado democrático de Portugal no Brasil, enfatizando sua contribuição para...
O legado democrático de Portugal no Brasil, enfatizando sua contribuição para...
 
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfilApostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
 
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
 
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
 

Aula_6_-__Mercado_de_Bens_I_-_taxa_de_c_mbio 2.pdf

  • 2. Abertura nos mercados de bens e ativos Economia fechada => Economia aberta Sem interação com o resto do mundo i. Mercado de bens ii. Mercado financeiro iii. Mercado de fatores (de produção) Capacidade de escolha entre bens, serviços e ativos domésticos ou estrangeiros • Sujeito a tarifas e cotas • Sujeito a controles de capital • Sujeito a acordos, migrações, etc. Foco Macroeconomics (Blanchard – 2012)
  • 3. Abertura nos mercados de bens e ativos Mercado de Bens i. “Grau de Abertura”: (Exportações + Importações) / PIB Como medir o nível de integração internacional de uma economia? Uma medida imperfeita do nível de integração (ou grau de abertura) Geografia, tamanho do país, etc ii. Proporção de bens transacionáveis (tradables) em relação ao PIB
  • 4. Abertura nos mercados de bens e ativos Mercado de Bens • Economia fechada: consumir vs poupar • Economia aberta: consumir vs poupar bens domésticos ou bens estrangeiros Taxa de Câmbio + / - PIB • Nominal => preço relativo entre moedas • Real => preço relativo entre bens
  • 5. Abertura nos mercados de bens e ativos Mercado de Bens Taxa de Câmbio nominal • Preço da moeda doméstica em termos da moeda estrangeira: (estrangeira / doméstica) • Preço da moeda estrangeira em termos da moeda doméstica (doméstica / estrangeira) E = US$ 0,25 / R$ E* = R$ 4,00 / US$ “the price of the domestic currency in terms of foreign currency” Inverso do raciocínio brasileiro E = 1/E* Apreciação (da taxa de câmbio) Depreciação (da taxa de câmbio) Aumento da taxa de câmbio Redução da taxa de câmbio
  • 6. Abertura nos mercados de bens e ativos Mercado de Bens Taxa de Câmbio real • Preço Iphone em Miami = US$ 800 • Preço Iphone em SP = R$ 5.000 • E* = R$ 5,00 / US$ 1,00 Melhor comprar em Miami ou em SP?
  • 7. Abertura nos mercados de bens e ativos Mercado de Bens Taxa de Câmbio real • Preço Iphone em Miami = US$ 800 • Preço Iphone em SP = R$ 5.000 • E* = R$ 5,00 / US$ 1,00 Melhor comprar em Miami ou em SP? Preço em US$: • US$ 800 em Miami • US$ 1.000 em SP Preço em R$: • R$ 4.000 em Miami • R$ 5.000 em SP Taxa de Câmbio real: E = US$ 800 / US$ 1000 = R$ 4.000 / R$ 5.000 = 0,80 E* = US$ 1000 / US$ 800 = R$ 5.000 / R$ 4.000 = 1,25 + caro no Brasil + barato nos EUA Como generalizar essa relação? Deflator do PIB ou IPCA?
  • 8. Abertura nos mercados de bens e ativos Mercado de Bens Taxa de Câmbio real Como generalizar essa relação? Deflator do PIB Taxa de câmbio real Preço dos produtos domésticos em termos de bens estrangeiros Nº Índice • Nível do nº índice não importa • Taxa de variação é a informação válida
  • 9. Abertura nos mercados de bens e ativos Mercado de Bens Como generalizar essa relação?
  • 10. Abertura nos mercados de bens e ativos Mercado de Bens A taxa de câmbio nominal de uma moeda expressa o seu preço em relação a uma determinada moeda estrangeira. A taxa de câmbio nominal permite verificar o preço da mercadoria nacional convertido em moeda estrangeira. O Índice de Taxa de Câmbio Real (TxCbR) reflete a variação da moeda nacional em relação a uma determinada moeda estrangeira, corrigida pelo diferencial entre as inflações do país e do país estrangeiro. A TxCbR é definida como a taxa de câmbio nominal corrigida pelo diferencial de preços domésticos e externos entre dois países (é uma taxa bilateral). Para uma melhor representação do nível de competitividade externa do país, costuma-se adotar o índice de taxa de câmbio real, o qual ajusta a taxa de câmbio nominal ao diferencial de variação de preços internos e externos. As variações na taxa de câmbio nominal e nos preços domésticos e externos alteram o nível relativo dos custos de produção e preços dos países envolvidos. Os índices de preços funcionam como uma proxy para a variação dos custos de produção.
  • 11. Abertura nos mercados de bens e ativos Mercado de Bens Taxa de Câmbio Multilateral • Economia aberta tem diversos parceiros econômicos • Competitividade efetiva do país, em termos de economia mundial deve levar em conta uma cesta de moedas Taxa de câmbio Bilateral Taxa de câmbio Multilateral
  • 12. Abertura nos mercados de bens e ativos Taxa de Câmbio Multilateral O Índice de Taxa de Câmbio Real Efetiva (TxCbRE) aprimora a análise por efetuar o cálculo da taxa de câmbio real em relação a um conjunto de países e moedas (uma cesta de países e moedas), em geral escolhidos conforme sua importância no comércio exterior, em vez de realizar o cálculo restrito a uma única relação bilateral. São calculados os diversos índices de taxa de câmbio real, em seguida são calculadas as respectivas taxas de variação mensais desses índices, e por fim é calculada a variação do índice de taxa de câmbio efetiva, mediante a ponderação das variações das moedas e preços em cada país incluído na cesta de países pela participação individual de cada país no comércio bilateral dentro da cesta de referência. A TxCbR e a TxCbRE são um ponto de partida para a análise da competitividade da produção do país em face à produção do país ou os países estrangeiros em questão. Um aumento da TxCbR ou da TxCbRE representa desvalorização da moeda nacional em termos reais, o que amplia a competitividade tanto das exportações quanto da produção interna substituta de produtos importados. A evolução do índice reflete, portanto, ganho ou perda de competitividade da produção do país. O aumento do índice é positivo para o setor exportador, que pode reduzir seus preços no mercado externo sem que sua receita em moeda nacional seja reduzida (a depender da elasticidade-preço das exportações pode haver, inclusive, ganho de receita). O grau de competitividade do país, no entanto, é influenciado por outros fatores, aplicáveis a todos os países, tais como alterações nas proteções tarifárias e não-tarifárias, nas políticas macroeconômicas e nos níveis de produtividade. Quando possível, é desejável considerar essas outras variáveis no estudo do tema em questão.