SlideShare uma empresa Scribd logo
Aula 05 - Marielce Tosta
Pensar e decidir 
Como diretor da Fábrica de Brindes 
Surpresa você precisa melhorar a 
lucratividade da empresa com 
URGÊNCIA. 
O que fazer? Eu quero 
LUCROS 
MAIORES 
!!! 
Acionista
Um processo simples … 
Cia dos Sonhos Possíveis S.A. 
Cia dos Sonhos Possíveis S.A.
Uns numerozinhos legais 
DDaaddoo LLaappiisseeiirraa CCaanneettaa 
PPrreeççoo 00,,5500 00,,7700 
QQttddee 11..000000 11..000000 
MMDD 110000,,0000 440000,,0000 
MMOODD 114400,,0000 6600,,0000 
OOuuttrrooss ddaaddooss:: 
CCuussttooss iinnddiirreettooss:: 
$$440000,,0000
Lapiseira 1000 Caneta 1000 Total 
Total Un Total Un Geral 
Calculando os custos individuais 
Receita 500,00 0,50 700,00 0,70 1.200,00 
MD (100,00) (0,10) (400,00) (0,40) (500,00) 
MOD (140,00) (0,14) (60,00) (0,06) (200,00) 
MOD% 70% 30% 100% 
CIF (280,00) (0,28) (120,00) (0,12) (400,00) 
Custos (520,00) (0,52) (580,00) (0,58) (1.100,00) 
Resultado (20,00) (0,02) 120,00 0,12 100,00 
SSóó iissssoo !!!!!! 
PPrreejjuuíízzoo!! 
CCoorrttaarr?? 
Vamos 
ratear!
Eu quero 
solução!!! 
CCoorrttaarr aa 
pprroodduuççããoo 
ddee 
llaappiisseeiirraa 
ss
Excluindo as lapiseiras Lapiseira 1000 Caneta 1000 Total 
Total Un Total Un Geral 
X 
? 
? 
Receita 500,00 0,50 700,00 0,70 1.200,00 
MD (100,00) (0,10) (400,00) (0,40) (500,00) 
MOD (140,00) (0,14) (60,00) (0,06) (200,00) 
MOD% 70% 30% 100% 
CIF (280,00) (0,28) (120,00) (0,12) (400,00) 
Custos (520,00) (0,52) (580,00) (0,58) (1.100,00) 
Resultado (20,00) (0,02) 120,00 0,12 100,00
O resultado das canetas 
Caneta 1000 Total 
Total Un Geral 
Receita 700,00 0,70 700,00 
MD (400,00) (0,40) (400,00) 
MOD (60,00) (0,06) (60,00) 
MOD% 100% 100% 
CIF (400,00) (0,40) (400,00) 
Custos (860,00) (0,86) (860,00) 
Resultado (160,00) (0,16) (160,00)
Novos números financeiros 
EE ssee aa bbaassee 
ddee rraatteeiioo ffoorr 
ttrrooccaaddaa??
MD como base de rateio 
Lapiseira 1000 Caneta 1000 Total 
Total Un Total Un Geral 
Receita 500,00 0,50 700,00 0,70 1.200,00 
MD (100,00) (0,10) (400,00) (0,40) (500,00) 
MOD (140,00) (0,14) (60,00) (0,06) (200,00) 
MOD% 20% 80% 100% 
CIF (80,00) (0,08) (320,00) (0,32) (400,00) 
Custos (320,00) (0,32) (780,00) (0,78) (1.100,00) 
Resultado 180,00 0,18 (80,00) (0,08) 100,00 
PPrreejjuuíízzoo!! 
MD% 
CCoorrttaarr??
E agora? 
QQuuaall aa 
ssoolluuççaaoo??
Margem de contribuição 
Lapiseira 1000 Caneta 1000 Total 
Total Un Total Un Geral 
Receita 500,00 0,50 700,00 0,70 1.200,00 
MD (100,00) (0,10) (400,00) (0,40) (500,00) 
MOD (140,00) (0,14) (60,00) (0,06) (200,00) 
MC 260,00 0,26 240,00 0,24 500,00 
CIF (400,00) 
Custos (1.100,00) 
Margens positivas 
Os dois produtos 
contribuem para 
a formação do lucro 
Resultado 100,00 
Analisar aa mmaarrggeemm ddee ccoonnttrriibbuuiiççããoo 
MMCC == RReecceeiittaass –– GGaassttooss VVaarriiáávveeiiss 
MMCC == RReecceeiittaass –– MMDD -- MMOODD
Pensando … 
EE aaíí?? 
QQuuaall aa 
ssoolluuççaaoo?? 
Não eliminar nenhum 
dos produtos !!!
Respostas … 
OOrrttooddooxxaass 
AAuummeennttoo 
ddee pprreeççooss 
AAuummeennttoo 
ddee qquuaannttiiddaaddeess 
RReedduuççããoo 
ddee ccuussttooss
Outras respostas … 
HHeetteerrooddooxxaass 
AAuummeennttoo 
ddoo mmiixx 
RReedduuççããoo ddooss 
ccuussttooss rraatteeaaddooss 
EEccoonnoommiiaass 
ddee eessccooppoo
Para pensar … 
Conclusão da análise da 
Fábrica de Brindes Supresa 
RRaatteeiioo ppooddee 
sseerr iilluussóórriioo!!!!!!
Uma síntese ... 
Processo de 
tomada de 
decisões: rateios 
dificultam a 
gestão
De fundamental importância … 
PPaarraa ddeecciiddiirr …… 
ffuujjaa ddooss rraatteeiiooss!!!!!! 
QQuuaannttiiffiiqquuee ttooddooss 
ooss ggaassttooss ddiirreettooss 
ee eevviittee rraatteeaarr!!!!!!
Métodos de custeio 
Absorção 
estoques absorvem custos 
fixos e indiretos 
margem de lucro 
Variável ou direto 
estoques absorvem apenas 
os gastos variáveis ou 
diretos 
margem contribuição 
PPaarraa 
ttoommaarr 
ddeecciissõõeess 
,, ffuujjaa ddoo 
rraatteeiioo!!!!!!
Um conceito essencial 
- 
= 
RReecceeiittaass 
GGaassttooss 
VVaarriiáávveeiiss 
MMaarrggeemm ddee 
ccoonnttrriibbuuiiççããoo 
EEssqquueeççaa 
rraatteeiiooss!!!!!!
Para fixar a aprendizagem 
Uma loja de artesanatos compra um 
vaso de cerâmica por $16,00 e o vende 
por $30,00. Sabendo que sobre o preço 
de venda incidem impostos no valor 
de 10% e que a empresa paga uma 
comissão aos seus funcionários de 5%, 
calcule a margem de contribuição 
registrada para o vaso de cerâmica
MC do artesanato 
Margem de contribuição 
Receita $30,00 
(-) CMV ($16,00) 
(-) Despesas ( $1,50) 
(-) Impostos ( $3,00) 
Margem Contribuição $9,50
Para rir e pensar … 
Uma estória 
engrançada …
Poucos amendoins e muitas dúvidas 
Leia o caso dos 
amendoins. 
Quem tem a razão? 
Qual a moral da 
estória?
O caso dos amendoins … 
UNS POUCOS AMENDOINS E 
MUITAS DÚVIDAS 
Leia a estória apresentada a seguir 
e discuta: vale a pena vender os 
amendoins?
Para entender o caso … 
Tudo o que é preciso saber antes 
de ampliar o seu negócio - ou 
de como há mais coisa entre 
você e o seu lucro do que pode 
imaginar a vã filosofia...
O empreendedor … 
Jane Gudaidias, dona de uma 
pequena casa de lanches 
rápidos, decidiu colocar sobre o 
balcão do estabelecimento uma 
prateleira com alguns 
saquinhos de amendoins com a 
esperança de faturar um 
dinheiro extra.
Um contador … de estória … 
Comunicou a importante decisão 
ao seu homem de confiança, o 
contador Rateando Com vontade, 
que de tão perspicaz e rápido em 
defender seus pontos de vista, 
sempre lhe pareceu um super-herói 
das finanças. 
Aqui, segue a conversa entre os dois.
Rateando 
- Srta. Gudaidias, você disse 
que colocou estes amendoins 
aqui no balcão porque alguns 
clientes estavam pedindo. Mas 
eu pergunto: será que você sabe 
mesmo quanto os tais 
amendoins vão lhe custar?
Gudaidias 
- Do que você está falando? É 
claro que não vão custar grande 
coisa! Amendoim é artigo barato. 
Por isso, vão dar lucro, um belo 
lucro. Eu paguei uns $250,00 por 
esta prateleira, assim os 
amendoins vão chamar mais 
atenção dos fregueses, mas este 
desembolso é praticamente nada.
Gudaidias (cont) 
Depois, cada saquinho me custa 
$0,50 e eu vou vender por $1,00. 
Espero vender 50 por semana, para 
começar, e se tudo correr como eu 
imagino, em dez semanas eu cubro 
os custos da prateleira. Depois 
disso, passo a ganhar $0,50 em cada 
saquinho de amendoim.
Rateando 
- Lamento dizer, srta. Gudaidias, 
mas essa é uma abordagem 
antiquada, ultrapassada e 
absolutamente não-realista. Não é 
assim que se raciocina quando se 
quer decidir pela implantação de 
um negócio.
Rateando (cont) 
Felizmente, os modernos 
procedimentos contábeis 
permitem traçar um quadro 
mais preciso da situação que, 
indiscutivelmente, revelará 
complexidades subjacentes, 
importantíssimas de se levar em 
conta antes de seguir em frente.
Gudaidias 
- O quê?
Rateando 
- Calma, calma, eu explico. Você 
não pode pensar nesses amendoins 
isoladamente. Eles devem ser 
integrados às suas operações 
comerciais. Isso significa que os 
amendoins precisam arcar com a 
sua parcela nos custos gerais do 
negócio.
Rateando (cont) 
Eles não podem, de maneira 
alguma, ficar alheios à parte que 
lhes cabe nos gastos do aluguel, 
aquecimento, luz, depreciação dos 
equipamentos, decoração, salários 
das garçonetes, do cozinheiro...
Gudaidias 
- Do cozinheiro? Mas o que é que 
o cozinheiro tem a ver com os 
amendoins? Ele nem sabe que eu 
tenho os amendoins...
Rateando 
- Veja bem, srta. Gudaidias, 
acompanhe o meu raciocínio. O seu 
cozinheiro está, como não poderia 
deixar de ser, na cozinha, e é a 
cozinha que prepara a comida. A 
comida atrai as pessoas para cá, e são 
as pessoas que perguntam se você tem 
amendoins para vender.
Rateando (cont) 
É por isso que você deve 
fazer com que os amendoins 
paguem uma parte do 
ordenado do cozinheiro e 
também uma parte dos seus 
próprios ganhos.
Rateando (cont) 
Nestas contas que eu fiz com 
cuidado, levando em 
consideração todos os custos 
da casa, fica bem claro: o 
negócio dos amendoins 
precisa arcar semanalmente 
com $127,00 dos gastos 
gerais.
Gudaidias 
- Os amendoins? Gastam $127,00 
por semana de gastos gerais? Os 
coitados dos amendoins? Ai meu 
Deus!
Rateando 
- Na ponta do lápis, é um pouco mais 
do que isto. Não se pode esquecer que 
você também gasta dinheiro todas as 
semanas para lavar as prateleiras, para 
mandar varrer o chão e para repor o 
sabonete do toalete. Com isso, os 
custos plenos atingem $131,00 por 
semana.
Gudaidias 
- (pensativa) Mas quem me 
vendeu os amendoins me garantiu 
que eu ia ganhar um bom dinheiro 
com eles. É só colocar os 
saquinhos à vista do freguês e ir 
faturando cinqüenta centavinhos 
de lucro em cada um, ele me disse.
Rateando 
- (com um certo ar de 
superioridade) Acontece que 
esse vendedor não é um 
teórico em Contabilidade de 
Custos, como eu. Não leva os 
detalhes em conta. Por 
exemplo, você sabe quanto 
vale aquele canto no balcão 
onde está a prateleira dos 
amendoins?
Gudaidias 
- Que eu saiba, nada. Não me 
serve para nada; é só um pedaço 
de balcão sem utilidade.
Rateando 
- Um enfoque moderno de 
custos não permite a existência 
de locais sem limites num 
negócio. O seu balcão tem cerca 
de seis metros quadrados, e 
fatura em torno de $15.000,00 
por ano.
Rateando (cont) 
Calculei com precisão o espaço 
ocupado pela prateleira dos 
amendoins e posso afirmar que ela 
lhe custa $ 25,00 por semana. 
Como a prateleira está impedindo 
que o balcão seja usado, não há 
outra alternativa senão cobrar a 
ocupação do balcão.
Gudaidias 
- Isso por acaso quer dizer 
que eu vou ter de repassar 
mais esses $ 25,00 semanais 
para o preço dos amendoins?
Rateando 
- Exatamente. O que elevaria a sua 
parcela de custos operacionais gerais 
com os amendoins para um total final 
e definitivo de $ 156,00 por semana.
Rateando (cont) 
Ora, como você pretende vender 50 
saquinhos de amendoins por semana, 
se efetuarmos a alocação dos custos, 
vamos constatar que estes saquinhos 
deverão ser vendidos por $3,12 cada 
um, e não por $1,00.
Gudaidias 
- O quê?
Rateando 
- Ah! Ainda estamos 
esquecendo uma coisa: a esse 
preço, deve ser acrescentado o 
custo da compra de $0,50 por 
saquinho, o que perfaz um 
total de $25,00 por semana.
Rateando (cont.) 
Deste modo, você há de 
compreender que, vendendo 
amendoins a $1,00, como era a sua 
intenção, estará incorrendo num 
prejuízo de $ 2,62 em cada venda. 
Portanto, o amendoim terá que ser 
comercializado a $ 4,12 para manter o 
lucro de $0,50.
Gudaidias 
- Mas isso é uma loucura! A 
esse preço eu não conseguirei 
vender os amendoins! Fica 
muito caro!
Rateando 
- De jeito nenhum! Os 
números não mentem jamais, e 
eles provam que o seu negócio 
de amendoins não tem futuro.
Gudaidias 
- (com ar de quem descobriu 
o pulo do gato) E se eu vender 
muito, muito amendoim, 
digamos 1.000 saquinhos por 
semana em vez de 50?
Rateando 
- (com toda paciência do 
mundo) Srta. Gudaidias, 
parece que você não 
compreende o problema... Se 
o volume de vendas 
aumentar, os gastos 
operacionais também 
aumentarão.
Rateando (cont.) 
Você terá mais trabalho, isso 
lhe tomará mais tempo e, 
como haverá mais mercadoria 
em jogo, a depreciação será 
maior.
Rateando (cont.) 
O princípio básico da 
contabilidade é inequívoco 
nesse ponto: "Quanto maior a 
operação, maiores os gastos a 
serem alocados".
Rateando (cont.) 
Não, não, infelizmente 
aumentar o volume de vendas 
não vai ajudar neste caso. 
Análises modernas de custos 
são para isso mesmo, srta. 
Gudaidias. Para que não haja 
ilusões no mundo dos 
negócios.
Gudaidias 
- Tudo bem, tudo bem. 
Então o que é que eu faço?
Rateando 
- (condescendente) Bem, você poderia 
reduzir os custos operacionais. Para 
começar, mude-se para um prédio de 
aluguel mais barato.
Rateando (cont.) 
Depois, reduza os salários dos 
seus funcionários. Passe a 
lavar as janelas a cada 15 dias e 
mande varrer o chão só às 
quintas-feiras. Acabe com a 
mordomia do sabonete na pia 
do toalete.
Rateando (cont.) 
Diminua o valor do metro 
quadrado do seu balcão. Se com 
tudo isso você reduzir suas 
despesas em 50%, a parcela que 
cabe aos amendoins cairá 
substancialmente. Ai, os 
amendoins poderão ser vendidos 
a $ 3,00 o saquinho para ter lucro.
Gudaidias 
- (pasma) Você quer dizer que, 
mesmo depois de cortar os 
meus custos operacionais pela 
metade, eu ainda vou ter que 
cobrar $ 3,00 por saquinho de 
amendoins? Ninguém é bobo de 
pagar este preço! Quem é que 
vai querer comprar os meus 
amendoins?
Rateando 
- Esse são outros quinhentos, 
srta. Gudaidias. O fato é que a 
este valor você estaria 
vendendo amendoins a um 
preço baseado numa real e 
relevante estimativa dos 
custos já reduzidos.
Gudaidias 
 - (afobada) Olhe aqui, eu 
tenho uma idéia melhor. Por 
que eu não jogo fora de uma 
vez todos esses malditos 
amendoins? Que tal se eu 
colocar todos eles no lixo?
Rateando 
- Você pode se dar a esse luxo?
Gudaidias 
- Mas é claro. Eu só comprei 50 
saquinhos, que me custaram uns 
trocados, apenas. Meu maior 
gasto foi com a prateleira, mas 
tudo bem, prefiro perder esse 
dinheiro e cair fora desse 
negócio maluco.
Rateando 
- (balançando a cabeça) Aí é 
que você se engana; as coisas 
não são assim tão simples. 
Afinal, você já ingressou o ramo 
dos amendoins, e no instante 
em que se desfizer deles estará 
acrescentando $ 156,00 
semanais - a parte deles, no seu 
negócio – aos gastos da sua 
operação.
Rateando (cont.) 
 Portanto, seja realista: será que 
você pode mesmo encerrar as 
vendas dos amendoins?
Gudaidias 
- (arrasada) Eu não acredito! Na 
semana passada, eu era uma 
próspera comerciante, tinha pela 
frente a perspectiva de um 
dinheiro a mais e agora estou 
aqui, metida em uma complicação 
daquelas só porque eu pensei que 
uns amendoins no balcão 
poderiam melhorar o meu caixa.
Rateando 
- (erguendo a sobrancelha) 
Vamos, vamos, srta. Gudaidias, 
não é o fim do mundo. Ainda 
bem que nós temos essas 
análises modernas de custos. 
Sem elas, como poderíamos 
desfazer falsas ilusões como 
essa dos amendoins?
Assim … 
Em outras palavras ... muito 
cuidado com o rateio de 
custos indiretos.
A evolução de Rateando … 
Com alguma razão … 
Salário do cozinheiro 
Louco varrido 
Pare de varrer o chão 
Corte a mordomia do sabonete 
Reduza os salários 
Mude-se para imóvel mais barato 
Os números não mentem jamais
ComLo upecnsrao Gudaidias 
?Ganho! 
Venderei por $1,00 
Comprarei por $0,50 
Ganharei +$0,50 
Margem de contribuição
Um síntese … 
Margem de contribuição
CUSTEIO VARIÁVEL
Para decidir … 
Gastos 
Fixos 
Variáveis 
CCllaassssiiffiiccaaççããoo 
vvoolluummééttrriiccaa 
NNããoo oosscciillaamm ccoonnffoorrmmee 
pprroodduuççããoo ee vveennddaass 
OOsscciillaamm ccoonnffoorrmmee 
pprroodduuççããoo ee vveennddaass 
DDeecciissõõeess RRoottiinneeiirraass
Classifique os gastos 
Consumo de matéria-prima em uma 
indústria 
Variável 
Seguro da planta industrial 
Fixo 
Comissões sobre vendas 
Variável 
Salários administrativos 
Fixo 
Fretes de insumos produtivos 
Variável 
Fretes de entregas 
Variável
Para pensar … 
Qual a classificação da conta de telefone da 
indústria? 
Já que apresenta um valor diferente todos 
os meses é um gasto …. 
FIXO!!! 
Classificação 
Volumétrica 
NNããoo oosscciillaamm 
ccoonnffoorrmmee pprroodduuççããoo 
ee vveennddaass
Um exemplo ilustrativo … 
Fábrica de Sorvetes Frio Delícia Ltda. 
Gastos produtivos: 
Aluguel e salários: $1.000,00/mês; 
Fixos 
Variáveis 
Matéria-prima/embalagem: $8,00/Kg.
Outros dados … 
Dados do mercado 
Preço de venda: $10,00/kg 
Volume de vendas: 600 
Kg/mês
Estudando os … 
Gráficos
Os gastos fixos 
Volume (Q) 
Gastos ($) 
Constantes
Os gastos variáveis 
Volume (Q) 
Gastos ($) 
Crescentes
Uma curiosidade … 
Totais 
Unitários
Os gastos fixos unitários 
Volume (Q) 
Gastos ($) Decrescentes 
EEccoonnoommiiaass ddee EEssccaallaa
Marcando Goolllsss ... 
A GOL prosseguirá com seu modelo de negócios bem sucedido 
de baixo custo, baixa tarifa. Continuaremos a avaliar 
oportunidades de expandir nossas operações, adicionando 
novos vôos no mercado interno onde há demanda suficiente e 
em outros centros de alto tráfego em países da América do Sul. 
Esperamos nos beneficiar de economias de escala e reduzir 
nosso custo médio por ASK (CASK), excluindo as despesas com 
combustíveis, à medida que adicionamos aeronaves a uma 
malha altamente eficiente e bem estabelecida, e o nosso Centro 
de Manutenção de Aeronaves entrar em plena operação. 
http://www.voegol.com.br/ri/ 17/09/2006
Os gastos variáveis unitários 
Volume (Q) 
Gastos ($) 
Constantes
Uma síntese … 
Gastos fixos 
Totais ($) 
Quantidade 
Gastos variáveis 
totais ($) 
Quantidade 
Gastos variáveis 
unitários ($) 
Quantidade 
Gastos fixos 
unitários ($) 
Quantidade
Análise CVL 
Custo 
Volume 
Lucro 
Variações nnooss vvoolluummeess 
pprroodduuzziiddooss 
pprroovvooccaamm ddiiffeerreenntteess 
ccoonnsseeqquuêênncciiaass 
ssoobbrree ccuussttooss ee lluuccrrooss
Novo exemplo … 
Restaurante Bom de Garfo
Analisando os números … 
O restaurante Bom de Garfo 
apresenta os dados seguintes. 
Pratos servidos: 3.000 por mês 
Custos fixos: $12.000,00 
Custos variáveis: $15.000,00 
Preço de venda: $10,00 por prato 
Capacidade: 5.000 pratos por mês 
Calcule o custo por prato.
Custo do prato 
F $12.000,00 
V $15.000,00 
$27.000,00 
÷ 3000 
$9,00
E agora? 
Sabendo que o estabelecimento recebeu uma 
proposta para o fornecimento de 1.000 
refeições mensais a $6,00 por prato, discuta 
a viabilidade da proposta. 
Custo ddoo pprraattoo = $$99,,0000 
MMaass …… ddiissttrriibbuuííddooss 
ccoommoo?? 
FF = 1122 mmiill,, VV = 1155 mmiill
VVeennddaa:: $66,,0000 
((--)) GGVVuu:: --$55,,0000 
((==)) GGaannhhoo:: $11,,0000 
MMaarrggeemm ddee ccoonnttrriibbuuiiççããoo
Um número mágico … 
Na contabilidade gerencial, 
é de fundamental 
importância saber usar e 
analisar a … 
margem de contribuição 
!!!
A análise conjunta e o ... 
Ponto de 
equilíbrio
Construindo um único gráfico 
Receita total 
Gasto total 
Gasto 
variável 
Volume (Q) 
Un. Monet. ($) 
Gasto fixo 
Break-even point 
Ponto de ruptura 
Ponto de equilíbrio 
contábil (PEC$) 
Ponto de equilíbrio contábil (PECq)
Uma formulazinha básica … 
Ponto de equilíbrio contábil (PECq) 
Quantidade produzida e vendida para 
lucro contábil nulo 
A partir dele as operações começam a 
ser lucrativas 
PPEECCqq == 
GGaassttooss FFiixxooss 
PPrreeççoo -- GGVVuunn 
MMaarrggeemm ddee CCoonnttrriibbuuiiççããoo UUnniittáárriiaa 
PPEECC$$ == PPEECCqq xx PPrreeççoo
Para a Fábrica de Sorvetes 
Aluguel e salários: $1.000,00/mês 
Matéria-prima/embalagem: $8,00/Kg 
Preço de venda: $10,00 
Volume de vendas: 600 Kg/mês 
PPEECCqq == 
GGaassttooss FFiixxooss 
PPrreeççoo -- GGVVuunn 
PPEECCqq == 
GGaassttooss FFiixxooss 
PPrreeççoo -- GGVVuunn 
== 1000 
1100 -- 88 
MMaarrggeemm ddee CCoonnttrriibbuuiiççããoo 
UUnniittáárriiaa 
== 550000 KKgg//mmêêss 
PPEECC$$ == PPEECCqq xx PPrreeççoo == 550000 xx 1100 == $$55..000000,,0000//mmêêss
No gráfico … 
Volume (Q) 
Un Monet ($) 
550000 
$$55..000000,,0000 
660000 
$$66..000000,,0000 
LLuuccrroo == $$220000,,0000
PRINCIPAIS CONCEITOS DO MÉTODO DE CUSTEIO VARIÁVEL/DIRETO
PONTO DE EQUILIBRIO CONTÁBIL
Ponto de equilíbrio financeiro 
GGFFss –– GGaassttooss nnããoo 
PPEEFFqq == 
ddeesseemmbboollssaaddooss 
PPrreeççoo -- GGVVuunn 
PPEEFF$$ == PPEEFFqq xx PPrreeççoo 
O que eu preciso 
vender no mínimo 
para pagar os 
gastos 
desembolsáveis 
EExxeemmpplloo:: 
ddeepprreecciiaaççããoo
PONTO DE EQUILIBRIO ECONÔMICO 
PONTO DE EQUILIBRIO FINANCEIRO
Perdas possíveis sem prejuízo 
Margens de 
segurança
No gráfico … 
($) 
MMaarrggeemm ddee sseegguurraannççaa 
Monet Un FFaattuurraammeennttoo 
Volume (Q) 550000 
$$55..000000,,0000 
660000 
$$66..000000,,0000 
QQuuaannttiiddaaddee
Analisando o conforto 
Margem de segurança 
O quanto se pode perder em vendas sem 
incorrer em prejuízos 
MS em quantidade 
Vendas (Q) – PEC (Q) 
MS em $ 
Vendas ($) – PEC ($) 
MS em % 
MS (Q) / Vendas (Q) ou 
MS ($) / Vendas ($) ou
Fábrica de Sorvetes … 
MS em quantidade 
Vendas (Q) – PEC (Q) 
600 – 500 = 100 kg 
MS em $ 
Vendas ($) – PEC ($) 
6000 – 5000 = $1.000,00 
MS em % 
100 / 600 = 16,67% 
1000/6000 = 16,67%
MARGEM DE SEGURANÇA 
ALAVANCAGEM OPERACIONAL
Movendo o mundo 
Alavancagem
Um conceito físico 
Alavancagem 
“Dê-me uma alavanca e 
um ponto de apoio, e 
eu moverei o mundo”. 
Arquimedes 
matemático grego 
(287 AC e 212 AC)
Gastos fixos e alavancagem 
Variação nos lucros!!! 
Variação 
nas vendas!!!
Três exemplos 
Receitas iguais a $100 e GV iguais a 40% 
Brisa: apresenta gastos fixos iguais a $20 
por período e não possui endividamento 
Vento: apresenta gastos fixos iguais a $40 
por período e não possui endividamento 
Tempestade: apresenta gastos fixos iguais a 
$40 por período e possui endividamento 
que provoca o pagamento de juros iguais a 
$5 por período
Brisa 
Números da Brisa -20% Base 20% 
Rec 80 100 120 
(-) GF -20 -20 -20 
(-) GV -32 -40 -48 
(=) LAJIR 28 40 52 
(-) J - - 30% 
- 
(=) LAIR 28 40 52 
30%
Números da Vento 
-20% Base 20% 
Rec 80 100 120 
(-) GF -40 -40 -40 
(-) GV -32 -40 -48 
(=) LAJIR 8 20 32 
(-) J 60% 
- - - 
(=) LAIR 8 20 32 
60%
Números da Tempestade 
Tempestade 
-20% Base 20% 
Rec 80 100 120 
(-) GF -40 -40 -40 
(-) GV -32 -40 -48 
(=) LAJIR 8 20 60% 
32 
(-) J -5 -5 -5 
(=) LAIR 3 15 80% 
27
Calculando a alavancagem 
Brisa Vento Tempestade 
Vendas 20% 20% 20% 
LAJIR 30% 60% 60% 
LAIR 30% 60% 80% 
GA o 1,5 3 3 
GA f 1 1 1,3333 
GA c 1,5 3 4 
GAo 
Apresenta o efeito 
multiplicador da 
variação percentual 
das Vendas sobre 
LAJIR 
GAf 
Apresenta o efeito 
multiplicador da 
variação percentual 
do LAIR sobre 
LAJIR 
GAc 
Apresenta o efeito 
multiplicador da 
variação percentual 
das Vendas sobre o 
LAIR
MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO DE MÚLTIPLOS PRODUTOS 
MIX DE PRODUTOS 
O gestor da Luminária e Materiais elétricos comercial ltda. 
Está preocupado em identificar o volume de cada um dos produtos 
de seu estoque que deve vender para que sua empresa não apure 
prejuízo. 
Sabe-se que os gastos fixos somam $35.050,00 por mês. 
Sabe-se ainda:
Ponto de equilíbrio = 35050/70,10 = 500 lotes
CONTRIBUIÇÃO MARGINAL E LIMITAÇÃO DA CAPACIDADE DA PRODUÇÃO 
FATOR RESTRITIVO 
A Vinícula Chateau du Szuster Cardoso produz e engarrafa 
vinhos com a uva do tipo Cabernet Sauvignon com as seguintes 
características: 
Os custos fixos anuais somam $90.000,00. A demanda pela 
garrafa de 750 ml é de 1.000 unidades por ano e a de 375 ml é de 
800 unidades por ano. 
Devido a reprovação de um dos barris, o envasamento deste 
ano está limitado a 900 litros. 
Considerando estas informações quantas garrafas devem ser 
produzidas de cada tipo?
Margem de contribuição unitária das duas garrafas: 
Para atender toda a demanda seria necessário: 
Quantidade de litros de vinho = 1000*0,75 + 800*0,375 = 1.050
800 garrafas de 375 ml = 800*0,375 = 300 litros 
900- 300 = 600 litros para garrafas de 750 ml 
600/0,75 = 800 garrafas de 750 ml
Lei dos rendimentos decrescentes
Aula 5 2014 02

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Contabilidade de gestao
Contabilidade de gestaoContabilidade de gestao
Contabilidade de gestao
Universidade Pedagogica
 
Circulação
CirculaçãoCirculação
Circulação
Douglas Boto
 
1ª Lista de exercício de administração financeira completa com respostas
1ª Lista de exercício de administração financeira completa com respostas1ª Lista de exercício de administração financeira completa com respostas
1ª Lista de exercício de administração financeira completa com respostas
Felipe Pontes
 
Teoria da contabilidade i exercicios contabilidade ativo gabarito
Teoria da contabilidade i exercicios contabilidade ativo gabaritoTeoria da contabilidade i exercicios contabilidade ativo gabarito
Teoria da contabilidade i exercicios contabilidade ativo gabarito
gabaritocontabil
 
Orçamento Operacional
Orçamento OperacionalOrçamento Operacional
Orçamento Operacional
Edivan Barreto
 
Origem da bolsa de valores
Origem da bolsa de valoresOrigem da bolsa de valores
Origem da bolsa de valores
Universidade Pedagogica
 
PPh Pasal 23
PPh Pasal 23PPh Pasal 23
PPh Pasal 23
Muhammad Fajar
 
Estudo de Caso - Sistema de Custeio por Absorção e Variável
Estudo de Caso -  Sistema de Custeio por Absorção e VariávelEstudo de Caso -  Sistema de Custeio por Absorção e Variável
Estudo de Caso - Sistema de Custeio por Absorção e Variável
Érica Rangel
 
Balancetes e razonetes cap 05
Balancetes e razonetes cap 05Balancetes e razonetes cap 05
Balancetes e razonetes cap 05
zeramento contabil
 
Exercicios resolvidos contabilidade geral aula 11 cathedra
Exercicios resolvidos contabilidade geral   aula 11 cathedraExercicios resolvidos contabilidade geral   aula 11 cathedra
Exercicios resolvidos contabilidade geral aula 11 cathedra
cathedracontabil
 
Exercícios sobre balanço patrimonial
Exercícios sobre balanço patrimonialExercícios sobre balanço patrimonial
Exercícios sobre balanço patrimonial
capitulocontabil
 
Exercicios contabilidade gabarito resolucao
Exercicios contabilidade gabarito resolucaoExercicios contabilidade gabarito resolucao
Exercicios contabilidade gabarito resolucao
capitulocontabil
 
Contabilidade geral exerc 11
Contabilidade geral exerc 11Contabilidade geral exerc 11
Contabilidade geral exerc 11
J M
 
Gestão financeira
Gestão financeiraGestão financeira
Gestão financeira
Studiesfree
 
Prova Comenta - Exame CFC 2016.2
Prova Comenta - Exame CFC 2016.2Prova Comenta - Exame CFC 2016.2
Prova Comenta - Exame CFC 2016.2
Gabrielrabelo87
 
Aula pratica de acido e base
Aula pratica de acido e baseAula pratica de acido e base
Aula pratica de acido e base
Lucas Valente
 
Exercicio análise
Exercicio análiseExercicio análise
Exercicio análise
vaniasiquei
 
Principais instrumentos da política fiscal
Principais instrumentos da política fiscalPrincipais instrumentos da política fiscal
Principais instrumentos da política fiscal
refugiodosanjos
 
Fluxo de Caixa: teoria e prática
Fluxo de Caixa: teoria e práticaFluxo de Caixa: teoria e prática
Fluxo de Caixa: teoria e prática
Elmano Cavalcanti
 
(Bab 5) analisis sumber dan modal kerja
(Bab 5) analisis sumber dan modal kerja(Bab 5) analisis sumber dan modal kerja
(Bab 5) analisis sumber dan modal kerja
kridoeko
 

Mais procurados (20)

Contabilidade de gestao
Contabilidade de gestaoContabilidade de gestao
Contabilidade de gestao
 
Circulação
CirculaçãoCirculação
Circulação
 
1ª Lista de exercício de administração financeira completa com respostas
1ª Lista de exercício de administração financeira completa com respostas1ª Lista de exercício de administração financeira completa com respostas
1ª Lista de exercício de administração financeira completa com respostas
 
Teoria da contabilidade i exercicios contabilidade ativo gabarito
Teoria da contabilidade i exercicios contabilidade ativo gabaritoTeoria da contabilidade i exercicios contabilidade ativo gabarito
Teoria da contabilidade i exercicios contabilidade ativo gabarito
 
Orçamento Operacional
Orçamento OperacionalOrçamento Operacional
Orçamento Operacional
 
Origem da bolsa de valores
Origem da bolsa de valoresOrigem da bolsa de valores
Origem da bolsa de valores
 
PPh Pasal 23
PPh Pasal 23PPh Pasal 23
PPh Pasal 23
 
Estudo de Caso - Sistema de Custeio por Absorção e Variável
Estudo de Caso -  Sistema de Custeio por Absorção e VariávelEstudo de Caso -  Sistema de Custeio por Absorção e Variável
Estudo de Caso - Sistema de Custeio por Absorção e Variável
 
Balancetes e razonetes cap 05
Balancetes e razonetes cap 05Balancetes e razonetes cap 05
Balancetes e razonetes cap 05
 
Exercicios resolvidos contabilidade geral aula 11 cathedra
Exercicios resolvidos contabilidade geral   aula 11 cathedraExercicios resolvidos contabilidade geral   aula 11 cathedra
Exercicios resolvidos contabilidade geral aula 11 cathedra
 
Exercícios sobre balanço patrimonial
Exercícios sobre balanço patrimonialExercícios sobre balanço patrimonial
Exercícios sobre balanço patrimonial
 
Exercicios contabilidade gabarito resolucao
Exercicios contabilidade gabarito resolucaoExercicios contabilidade gabarito resolucao
Exercicios contabilidade gabarito resolucao
 
Contabilidade geral exerc 11
Contabilidade geral exerc 11Contabilidade geral exerc 11
Contabilidade geral exerc 11
 
Gestão financeira
Gestão financeiraGestão financeira
Gestão financeira
 
Prova Comenta - Exame CFC 2016.2
Prova Comenta - Exame CFC 2016.2Prova Comenta - Exame CFC 2016.2
Prova Comenta - Exame CFC 2016.2
 
Aula pratica de acido e base
Aula pratica de acido e baseAula pratica de acido e base
Aula pratica de acido e base
 
Exercicio análise
Exercicio análiseExercicio análise
Exercicio análise
 
Principais instrumentos da política fiscal
Principais instrumentos da política fiscalPrincipais instrumentos da política fiscal
Principais instrumentos da política fiscal
 
Fluxo de Caixa: teoria e prática
Fluxo de Caixa: teoria e práticaFluxo de Caixa: teoria e prática
Fluxo de Caixa: teoria e prática
 
(Bab 5) analisis sumber dan modal kerja
(Bab 5) analisis sumber dan modal kerja(Bab 5) analisis sumber dan modal kerja
(Bab 5) analisis sumber dan modal kerja
 

Semelhante a Aula 5 2014 02

Aulas de Custos (Custeio Variavel)
Aulas de Custos (Custeio Variavel)Aulas de Custos (Custeio Variavel)
Aulas de Custos (Custeio Variavel)
Adriano Bruni
 
Aulas de Custos (Custeio Variavel)
Aulas de Custos (Custeio Variavel)Aulas de Custos (Custeio Variavel)
Aulas de Custos (Custeio Variavel)
Adriano Bruni
 
Terminologias contabeis para custos
Terminologias contabeis para custosTerminologias contabeis para custos
Terminologias contabeis para custos
razonetecontabil
 
Exercio ponto equilibrio
Exercio ponto equilibrioExercio ponto equilibrio
Exercio ponto equilibrio
Elisangela Cabral
 
1. desconto ou bonificação (31 jan. 2017)
1. desconto ou bonificação (31 jan. 2017)1. desconto ou bonificação (31 jan. 2017)
1. desconto ou bonificação (31 jan. 2017)
Adriano Alves de Aquino
 
E as terceirizações
E as terceirizaçõesE as terceirizações
E as terceirizações
Rui da Silveira Cruz Ventura
 
Aulas de Custos (Contabilidade Gerencial)
Aulas de Custos (Contabilidade Gerencial)Aulas de Custos (Contabilidade Gerencial)
Aulas de Custos (Contabilidade Gerencial)
Adriano Bruni
 
Aulas de Custos (Conceitos)
Aulas de Custos (Conceitos)Aulas de Custos (Conceitos)
Aulas de Custos (Conceitos)
Adriano Bruni
 
Exerc res
Exerc resExerc res
Porcentagem 7 ano
Porcentagem 7 anoPorcentagem 7 ano
Porcentagem 7 ano
Robson S
 
Matematica vol2
Matematica vol2Matematica vol2
Matematica vol2
Blaunier Matheus
 
Novo catalogo
Novo catalogoNovo catalogo
Novo catalogo
rtcomercio
 
Apresentacao CONTRATIPO Perfumes
Apresentacao CONTRATIPO PerfumesApresentacao CONTRATIPO Perfumes
Apresentacao CONTRATIPO Perfumes
Claudemir Miguel Luqueta
 
Micro franquia de Camisetas - Comics Camisetas
Micro franquia de Camisetas - Comics CamisetasMicro franquia de Camisetas - Comics Camisetas
Micro franquia de Camisetas - Comics Camisetas
Thiago Ideali
 
Apostila de matematica_raiz
Apostila de matematica_raizApostila de matematica_raiz
Apostila de matematica_raiz
GJ MARKETING DIGITAL
 
Gás do Povo - Apresentação
Gás do Povo - ApresentaçãoGás do Povo - Apresentação
Gás do Povo - Apresentação
gasdopovo
 
Matem c!tica moderna
Matem c!tica modernaMatem c!tica moderna
Matem c!tica moderna
pr_afsalbergaria
 
Aula 3
Aula 3Aula 3
Apresentação Sutaco em Valinhos
Apresentação Sutaco em ValinhosApresentação Sutaco em Valinhos
Apresentação Sutaco em Valinhos
poponapolitica
 
Custos de Produção: Custo Total, Variável e Marginal
Custos de Produção: Custo Total, Variável e MarginalCustos de Produção: Custo Total, Variável e Marginal
Custos de Produção: Custo Total, Variável e Marginal
MairaLuizaSpanholi
 

Semelhante a Aula 5 2014 02 (20)

Aulas de Custos (Custeio Variavel)
Aulas de Custos (Custeio Variavel)Aulas de Custos (Custeio Variavel)
Aulas de Custos (Custeio Variavel)
 
Aulas de Custos (Custeio Variavel)
Aulas de Custos (Custeio Variavel)Aulas de Custos (Custeio Variavel)
Aulas de Custos (Custeio Variavel)
 
Terminologias contabeis para custos
Terminologias contabeis para custosTerminologias contabeis para custos
Terminologias contabeis para custos
 
Exercio ponto equilibrio
Exercio ponto equilibrioExercio ponto equilibrio
Exercio ponto equilibrio
 
1. desconto ou bonificação (31 jan. 2017)
1. desconto ou bonificação (31 jan. 2017)1. desconto ou bonificação (31 jan. 2017)
1. desconto ou bonificação (31 jan. 2017)
 
E as terceirizações
E as terceirizaçõesE as terceirizações
E as terceirizações
 
Aulas de Custos (Contabilidade Gerencial)
Aulas de Custos (Contabilidade Gerencial)Aulas de Custos (Contabilidade Gerencial)
Aulas de Custos (Contabilidade Gerencial)
 
Aulas de Custos (Conceitos)
Aulas de Custos (Conceitos)Aulas de Custos (Conceitos)
Aulas de Custos (Conceitos)
 
Exerc res
Exerc resExerc res
Exerc res
 
Porcentagem 7 ano
Porcentagem 7 anoPorcentagem 7 ano
Porcentagem 7 ano
 
Matematica vol2
Matematica vol2Matematica vol2
Matematica vol2
 
Novo catalogo
Novo catalogoNovo catalogo
Novo catalogo
 
Apresentacao CONTRATIPO Perfumes
Apresentacao CONTRATIPO PerfumesApresentacao CONTRATIPO Perfumes
Apresentacao CONTRATIPO Perfumes
 
Micro franquia de Camisetas - Comics Camisetas
Micro franquia de Camisetas - Comics CamisetasMicro franquia de Camisetas - Comics Camisetas
Micro franquia de Camisetas - Comics Camisetas
 
Apostila de matematica_raiz
Apostila de matematica_raizApostila de matematica_raiz
Apostila de matematica_raiz
 
Gás do Povo - Apresentação
Gás do Povo - ApresentaçãoGás do Povo - Apresentação
Gás do Povo - Apresentação
 
Matem c!tica moderna
Matem c!tica modernaMatem c!tica moderna
Matem c!tica moderna
 
Aula 3
Aula 3Aula 3
Aula 3
 
Apresentação Sutaco em Valinhos
Apresentação Sutaco em ValinhosApresentação Sutaco em Valinhos
Apresentação Sutaco em Valinhos
 
Custos de Produção: Custo Total, Variável e Marginal
Custos de Produção: Custo Total, Variável e MarginalCustos de Produção: Custo Total, Variável e Marginal
Custos de Produção: Custo Total, Variável e Marginal
 

Último

A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
MarcoAurlioResende
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
bmgrama
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
WELTONROBERTOFREITAS
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
Ailton Barcelos
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
MARCELARUBIAGAVA
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
ThiagoRORISDASILVA1
 
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
y6zh7bvphf
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
geiseortiz1
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Maurício Bratz
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
Manuais Formação
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
ConservoConstrues
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 

Último (20)

A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
 
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 

Aula 5 2014 02

  • 1. Aula 05 - Marielce Tosta
  • 2. Pensar e decidir Como diretor da Fábrica de Brindes Surpresa você precisa melhorar a lucratividade da empresa com URGÊNCIA. O que fazer? Eu quero LUCROS MAIORES !!! Acionista
  • 3. Um processo simples … Cia dos Sonhos Possíveis S.A. Cia dos Sonhos Possíveis S.A.
  • 4. Uns numerozinhos legais DDaaddoo LLaappiisseeiirraa CCaanneettaa PPrreeççoo 00,,5500 00,,7700 QQttddee 11..000000 11..000000 MMDD 110000,,0000 440000,,0000 MMOODD 114400,,0000 6600,,0000 OOuuttrrooss ddaaddooss:: CCuussttooss iinnddiirreettooss:: $$440000,,0000
  • 5. Lapiseira 1000 Caneta 1000 Total Total Un Total Un Geral Calculando os custos individuais Receita 500,00 0,50 700,00 0,70 1.200,00 MD (100,00) (0,10) (400,00) (0,40) (500,00) MOD (140,00) (0,14) (60,00) (0,06) (200,00) MOD% 70% 30% 100% CIF (280,00) (0,28) (120,00) (0,12) (400,00) Custos (520,00) (0,52) (580,00) (0,58) (1.100,00) Resultado (20,00) (0,02) 120,00 0,12 100,00 SSóó iissssoo !!!!!! PPrreejjuuíízzoo!! CCoorrttaarr?? Vamos ratear!
  • 6. Eu quero solução!!! CCoorrttaarr aa pprroodduuççããoo ddee llaappiisseeiirraa ss
  • 7. Excluindo as lapiseiras Lapiseira 1000 Caneta 1000 Total Total Un Total Un Geral X ? ? Receita 500,00 0,50 700,00 0,70 1.200,00 MD (100,00) (0,10) (400,00) (0,40) (500,00) MOD (140,00) (0,14) (60,00) (0,06) (200,00) MOD% 70% 30% 100% CIF (280,00) (0,28) (120,00) (0,12) (400,00) Custos (520,00) (0,52) (580,00) (0,58) (1.100,00) Resultado (20,00) (0,02) 120,00 0,12 100,00
  • 8. O resultado das canetas Caneta 1000 Total Total Un Geral Receita 700,00 0,70 700,00 MD (400,00) (0,40) (400,00) MOD (60,00) (0,06) (60,00) MOD% 100% 100% CIF (400,00) (0,40) (400,00) Custos (860,00) (0,86) (860,00) Resultado (160,00) (0,16) (160,00)
  • 9. Novos números financeiros EE ssee aa bbaassee ddee rraatteeiioo ffoorr ttrrooccaaddaa??
  • 10. MD como base de rateio Lapiseira 1000 Caneta 1000 Total Total Un Total Un Geral Receita 500,00 0,50 700,00 0,70 1.200,00 MD (100,00) (0,10) (400,00) (0,40) (500,00) MOD (140,00) (0,14) (60,00) (0,06) (200,00) MOD% 20% 80% 100% CIF (80,00) (0,08) (320,00) (0,32) (400,00) Custos (320,00) (0,32) (780,00) (0,78) (1.100,00) Resultado 180,00 0,18 (80,00) (0,08) 100,00 PPrreejjuuíízzoo!! MD% CCoorrttaarr??
  • 11. E agora? QQuuaall aa ssoolluuççaaoo??
  • 12. Margem de contribuição Lapiseira 1000 Caneta 1000 Total Total Un Total Un Geral Receita 500,00 0,50 700,00 0,70 1.200,00 MD (100,00) (0,10) (400,00) (0,40) (500,00) MOD (140,00) (0,14) (60,00) (0,06) (200,00) MC 260,00 0,26 240,00 0,24 500,00 CIF (400,00) Custos (1.100,00) Margens positivas Os dois produtos contribuem para a formação do lucro Resultado 100,00 Analisar aa mmaarrggeemm ddee ccoonnttrriibbuuiiççããoo MMCC == RReecceeiittaass –– GGaassttooss VVaarriiáávveeiiss MMCC == RReecceeiittaass –– MMDD -- MMOODD
  • 13. Pensando … EE aaíí?? QQuuaall aa ssoolluuççaaoo?? Não eliminar nenhum dos produtos !!!
  • 14. Respostas … OOrrttooddooxxaass AAuummeennttoo ddee pprreeççooss AAuummeennttoo ddee qquuaannttiiddaaddeess RReedduuççããoo ddee ccuussttooss
  • 15. Outras respostas … HHeetteerrooddooxxaass AAuummeennttoo ddoo mmiixx RReedduuççããoo ddooss ccuussttooss rraatteeaaddooss EEccoonnoommiiaass ddee eessccooppoo
  • 16. Para pensar … Conclusão da análise da Fábrica de Brindes Supresa RRaatteeiioo ppooddee sseerr iilluussóórriioo!!!!!!
  • 17. Uma síntese ... Processo de tomada de decisões: rateios dificultam a gestão
  • 18. De fundamental importância … PPaarraa ddeecciiddiirr …… ffuujjaa ddooss rraatteeiiooss!!!!!! QQuuaannttiiffiiqquuee ttooddooss ooss ggaassttooss ddiirreettooss ee eevviittee rraatteeaarr!!!!!!
  • 19. Métodos de custeio Absorção estoques absorvem custos fixos e indiretos margem de lucro Variável ou direto estoques absorvem apenas os gastos variáveis ou diretos margem contribuição PPaarraa ttoommaarr ddeecciissõõeess ,, ffuujjaa ddoo rraatteeiioo!!!!!!
  • 20.
  • 21.
  • 22.
  • 23.
  • 24.
  • 25. Um conceito essencial - = RReecceeiittaass GGaassttooss VVaarriiáávveeiiss MMaarrggeemm ddee ccoonnttrriibbuuiiççããoo EEssqquueeççaa rraatteeiiooss!!!!!!
  • 26. Para fixar a aprendizagem Uma loja de artesanatos compra um vaso de cerâmica por $16,00 e o vende por $30,00. Sabendo que sobre o preço de venda incidem impostos no valor de 10% e que a empresa paga uma comissão aos seus funcionários de 5%, calcule a margem de contribuição registrada para o vaso de cerâmica
  • 27. MC do artesanato Margem de contribuição Receita $30,00 (-) CMV ($16,00) (-) Despesas ( $1,50) (-) Impostos ( $3,00) Margem Contribuição $9,50
  • 28. Para rir e pensar … Uma estória engrançada …
  • 29. Poucos amendoins e muitas dúvidas Leia o caso dos amendoins. Quem tem a razão? Qual a moral da estória?
  • 30. O caso dos amendoins … UNS POUCOS AMENDOINS E MUITAS DÚVIDAS Leia a estória apresentada a seguir e discuta: vale a pena vender os amendoins?
  • 31. Para entender o caso … Tudo o que é preciso saber antes de ampliar o seu negócio - ou de como há mais coisa entre você e o seu lucro do que pode imaginar a vã filosofia...
  • 32. O empreendedor … Jane Gudaidias, dona de uma pequena casa de lanches rápidos, decidiu colocar sobre o balcão do estabelecimento uma prateleira com alguns saquinhos de amendoins com a esperança de faturar um dinheiro extra.
  • 33. Um contador … de estória … Comunicou a importante decisão ao seu homem de confiança, o contador Rateando Com vontade, que de tão perspicaz e rápido em defender seus pontos de vista, sempre lhe pareceu um super-herói das finanças. Aqui, segue a conversa entre os dois.
  • 34. Rateando - Srta. Gudaidias, você disse que colocou estes amendoins aqui no balcão porque alguns clientes estavam pedindo. Mas eu pergunto: será que você sabe mesmo quanto os tais amendoins vão lhe custar?
  • 35. Gudaidias - Do que você está falando? É claro que não vão custar grande coisa! Amendoim é artigo barato. Por isso, vão dar lucro, um belo lucro. Eu paguei uns $250,00 por esta prateleira, assim os amendoins vão chamar mais atenção dos fregueses, mas este desembolso é praticamente nada.
  • 36. Gudaidias (cont) Depois, cada saquinho me custa $0,50 e eu vou vender por $1,00. Espero vender 50 por semana, para começar, e se tudo correr como eu imagino, em dez semanas eu cubro os custos da prateleira. Depois disso, passo a ganhar $0,50 em cada saquinho de amendoim.
  • 37. Rateando - Lamento dizer, srta. Gudaidias, mas essa é uma abordagem antiquada, ultrapassada e absolutamente não-realista. Não é assim que se raciocina quando se quer decidir pela implantação de um negócio.
  • 38. Rateando (cont) Felizmente, os modernos procedimentos contábeis permitem traçar um quadro mais preciso da situação que, indiscutivelmente, revelará complexidades subjacentes, importantíssimas de se levar em conta antes de seguir em frente.
  • 40. Rateando - Calma, calma, eu explico. Você não pode pensar nesses amendoins isoladamente. Eles devem ser integrados às suas operações comerciais. Isso significa que os amendoins precisam arcar com a sua parcela nos custos gerais do negócio.
  • 41. Rateando (cont) Eles não podem, de maneira alguma, ficar alheios à parte que lhes cabe nos gastos do aluguel, aquecimento, luz, depreciação dos equipamentos, decoração, salários das garçonetes, do cozinheiro...
  • 42. Gudaidias - Do cozinheiro? Mas o que é que o cozinheiro tem a ver com os amendoins? Ele nem sabe que eu tenho os amendoins...
  • 43. Rateando - Veja bem, srta. Gudaidias, acompanhe o meu raciocínio. O seu cozinheiro está, como não poderia deixar de ser, na cozinha, e é a cozinha que prepara a comida. A comida atrai as pessoas para cá, e são as pessoas que perguntam se você tem amendoins para vender.
  • 44. Rateando (cont) É por isso que você deve fazer com que os amendoins paguem uma parte do ordenado do cozinheiro e também uma parte dos seus próprios ganhos.
  • 45. Rateando (cont) Nestas contas que eu fiz com cuidado, levando em consideração todos os custos da casa, fica bem claro: o negócio dos amendoins precisa arcar semanalmente com $127,00 dos gastos gerais.
  • 46. Gudaidias - Os amendoins? Gastam $127,00 por semana de gastos gerais? Os coitados dos amendoins? Ai meu Deus!
  • 47. Rateando - Na ponta do lápis, é um pouco mais do que isto. Não se pode esquecer que você também gasta dinheiro todas as semanas para lavar as prateleiras, para mandar varrer o chão e para repor o sabonete do toalete. Com isso, os custos plenos atingem $131,00 por semana.
  • 48. Gudaidias - (pensativa) Mas quem me vendeu os amendoins me garantiu que eu ia ganhar um bom dinheiro com eles. É só colocar os saquinhos à vista do freguês e ir faturando cinqüenta centavinhos de lucro em cada um, ele me disse.
  • 49. Rateando - (com um certo ar de superioridade) Acontece que esse vendedor não é um teórico em Contabilidade de Custos, como eu. Não leva os detalhes em conta. Por exemplo, você sabe quanto vale aquele canto no balcão onde está a prateleira dos amendoins?
  • 50. Gudaidias - Que eu saiba, nada. Não me serve para nada; é só um pedaço de balcão sem utilidade.
  • 51. Rateando - Um enfoque moderno de custos não permite a existência de locais sem limites num negócio. O seu balcão tem cerca de seis metros quadrados, e fatura em torno de $15.000,00 por ano.
  • 52. Rateando (cont) Calculei com precisão o espaço ocupado pela prateleira dos amendoins e posso afirmar que ela lhe custa $ 25,00 por semana. Como a prateleira está impedindo que o balcão seja usado, não há outra alternativa senão cobrar a ocupação do balcão.
  • 53. Gudaidias - Isso por acaso quer dizer que eu vou ter de repassar mais esses $ 25,00 semanais para o preço dos amendoins?
  • 54. Rateando - Exatamente. O que elevaria a sua parcela de custos operacionais gerais com os amendoins para um total final e definitivo de $ 156,00 por semana.
  • 55. Rateando (cont) Ora, como você pretende vender 50 saquinhos de amendoins por semana, se efetuarmos a alocação dos custos, vamos constatar que estes saquinhos deverão ser vendidos por $3,12 cada um, e não por $1,00.
  • 57. Rateando - Ah! Ainda estamos esquecendo uma coisa: a esse preço, deve ser acrescentado o custo da compra de $0,50 por saquinho, o que perfaz um total de $25,00 por semana.
  • 58. Rateando (cont.) Deste modo, você há de compreender que, vendendo amendoins a $1,00, como era a sua intenção, estará incorrendo num prejuízo de $ 2,62 em cada venda. Portanto, o amendoim terá que ser comercializado a $ 4,12 para manter o lucro de $0,50.
  • 59. Gudaidias - Mas isso é uma loucura! A esse preço eu não conseguirei vender os amendoins! Fica muito caro!
  • 60. Rateando - De jeito nenhum! Os números não mentem jamais, e eles provam que o seu negócio de amendoins não tem futuro.
  • 61. Gudaidias - (com ar de quem descobriu o pulo do gato) E se eu vender muito, muito amendoim, digamos 1.000 saquinhos por semana em vez de 50?
  • 62. Rateando - (com toda paciência do mundo) Srta. Gudaidias, parece que você não compreende o problema... Se o volume de vendas aumentar, os gastos operacionais também aumentarão.
  • 63. Rateando (cont.) Você terá mais trabalho, isso lhe tomará mais tempo e, como haverá mais mercadoria em jogo, a depreciação será maior.
  • 64. Rateando (cont.) O princípio básico da contabilidade é inequívoco nesse ponto: "Quanto maior a operação, maiores os gastos a serem alocados".
  • 65. Rateando (cont.) Não, não, infelizmente aumentar o volume de vendas não vai ajudar neste caso. Análises modernas de custos são para isso mesmo, srta. Gudaidias. Para que não haja ilusões no mundo dos negócios.
  • 66. Gudaidias - Tudo bem, tudo bem. Então o que é que eu faço?
  • 67. Rateando - (condescendente) Bem, você poderia reduzir os custos operacionais. Para começar, mude-se para um prédio de aluguel mais barato.
  • 68. Rateando (cont.) Depois, reduza os salários dos seus funcionários. Passe a lavar as janelas a cada 15 dias e mande varrer o chão só às quintas-feiras. Acabe com a mordomia do sabonete na pia do toalete.
  • 69. Rateando (cont.) Diminua o valor do metro quadrado do seu balcão. Se com tudo isso você reduzir suas despesas em 50%, a parcela que cabe aos amendoins cairá substancialmente. Ai, os amendoins poderão ser vendidos a $ 3,00 o saquinho para ter lucro.
  • 70. Gudaidias - (pasma) Você quer dizer que, mesmo depois de cortar os meus custos operacionais pela metade, eu ainda vou ter que cobrar $ 3,00 por saquinho de amendoins? Ninguém é bobo de pagar este preço! Quem é que vai querer comprar os meus amendoins?
  • 71. Rateando - Esse são outros quinhentos, srta. Gudaidias. O fato é que a este valor você estaria vendendo amendoins a um preço baseado numa real e relevante estimativa dos custos já reduzidos.
  • 72. Gudaidias  - (afobada) Olhe aqui, eu tenho uma idéia melhor. Por que eu não jogo fora de uma vez todos esses malditos amendoins? Que tal se eu colocar todos eles no lixo?
  • 73. Rateando - Você pode se dar a esse luxo?
  • 74. Gudaidias - Mas é claro. Eu só comprei 50 saquinhos, que me custaram uns trocados, apenas. Meu maior gasto foi com a prateleira, mas tudo bem, prefiro perder esse dinheiro e cair fora desse negócio maluco.
  • 75. Rateando - (balançando a cabeça) Aí é que você se engana; as coisas não são assim tão simples. Afinal, você já ingressou o ramo dos amendoins, e no instante em que se desfizer deles estará acrescentando $ 156,00 semanais - a parte deles, no seu negócio – aos gastos da sua operação.
  • 76. Rateando (cont.)  Portanto, seja realista: será que você pode mesmo encerrar as vendas dos amendoins?
  • 77. Gudaidias - (arrasada) Eu não acredito! Na semana passada, eu era uma próspera comerciante, tinha pela frente a perspectiva de um dinheiro a mais e agora estou aqui, metida em uma complicação daquelas só porque eu pensei que uns amendoins no balcão poderiam melhorar o meu caixa.
  • 78. Rateando - (erguendo a sobrancelha) Vamos, vamos, srta. Gudaidias, não é o fim do mundo. Ainda bem que nós temos essas análises modernas de custos. Sem elas, como poderíamos desfazer falsas ilusões como essa dos amendoins?
  • 79. Assim … Em outras palavras ... muito cuidado com o rateio de custos indiretos.
  • 80. A evolução de Rateando … Com alguma razão … Salário do cozinheiro Louco varrido Pare de varrer o chão Corte a mordomia do sabonete Reduza os salários Mude-se para imóvel mais barato Os números não mentem jamais
  • 81. ComLo upecnsrao Gudaidias ?Ganho! Venderei por $1,00 Comprarei por $0,50 Ganharei +$0,50 Margem de contribuição
  • 82. Um síntese … Margem de contribuição
  • 84.
  • 85.
  • 86.
  • 87. Para decidir … Gastos Fixos Variáveis CCllaassssiiffiiccaaççããoo vvoolluummééttrriiccaa NNããoo oosscciillaamm ccoonnffoorrmmee pprroodduuççããoo ee vveennddaass OOsscciillaamm ccoonnffoorrmmee pprroodduuççããoo ee vveennddaass DDeecciissõõeess RRoottiinneeiirraass
  • 88. Classifique os gastos Consumo de matéria-prima em uma indústria Variável Seguro da planta industrial Fixo Comissões sobre vendas Variável Salários administrativos Fixo Fretes de insumos produtivos Variável Fretes de entregas Variável
  • 89. Para pensar … Qual a classificação da conta de telefone da indústria? Já que apresenta um valor diferente todos os meses é um gasto …. FIXO!!! Classificação Volumétrica NNããoo oosscciillaamm ccoonnffoorrmmee pprroodduuççããoo ee vveennddaass
  • 90. Um exemplo ilustrativo … Fábrica de Sorvetes Frio Delícia Ltda. Gastos produtivos: Aluguel e salários: $1.000,00/mês; Fixos Variáveis Matéria-prima/embalagem: $8,00/Kg.
  • 91. Outros dados … Dados do mercado Preço de venda: $10,00/kg Volume de vendas: 600 Kg/mês
  • 92. Estudando os … Gráficos
  • 93. Os gastos fixos Volume (Q) Gastos ($) Constantes
  • 94. Os gastos variáveis Volume (Q) Gastos ($) Crescentes
  • 95. Uma curiosidade … Totais Unitários
  • 96. Os gastos fixos unitários Volume (Q) Gastos ($) Decrescentes EEccoonnoommiiaass ddee EEssccaallaa
  • 97. Marcando Goolllsss ... A GOL prosseguirá com seu modelo de negócios bem sucedido de baixo custo, baixa tarifa. Continuaremos a avaliar oportunidades de expandir nossas operações, adicionando novos vôos no mercado interno onde há demanda suficiente e em outros centros de alto tráfego em países da América do Sul. Esperamos nos beneficiar de economias de escala e reduzir nosso custo médio por ASK (CASK), excluindo as despesas com combustíveis, à medida que adicionamos aeronaves a uma malha altamente eficiente e bem estabelecida, e o nosso Centro de Manutenção de Aeronaves entrar em plena operação. http://www.voegol.com.br/ri/ 17/09/2006
  • 98. Os gastos variáveis unitários Volume (Q) Gastos ($) Constantes
  • 99. Uma síntese … Gastos fixos Totais ($) Quantidade Gastos variáveis totais ($) Quantidade Gastos variáveis unitários ($) Quantidade Gastos fixos unitários ($) Quantidade
  • 100. Análise CVL Custo Volume Lucro Variações nnooss vvoolluummeess pprroodduuzziiddooss pprroovvooccaamm ddiiffeerreenntteess ccoonnsseeqquuêênncciiaass ssoobbrree ccuussttooss ee lluuccrrooss
  • 101. Novo exemplo … Restaurante Bom de Garfo
  • 102. Analisando os números … O restaurante Bom de Garfo apresenta os dados seguintes. Pratos servidos: 3.000 por mês Custos fixos: $12.000,00 Custos variáveis: $15.000,00 Preço de venda: $10,00 por prato Capacidade: 5.000 pratos por mês Calcule o custo por prato.
  • 103. Custo do prato F $12.000,00 V $15.000,00 $27.000,00 ÷ 3000 $9,00
  • 104. E agora? Sabendo que o estabelecimento recebeu uma proposta para o fornecimento de 1.000 refeições mensais a $6,00 por prato, discuta a viabilidade da proposta. Custo ddoo pprraattoo = $$99,,0000 MMaass …… ddiissttrriibbuuííddooss ccoommoo?? FF = 1122 mmiill,, VV = 1155 mmiill
  • 105. VVeennddaa:: $66,,0000 ((--)) GGVVuu:: --$55,,0000 ((==)) GGaannhhoo:: $11,,0000 MMaarrggeemm ddee ccoonnttrriibbuuiiççããoo
  • 106. Um número mágico … Na contabilidade gerencial, é de fundamental importância saber usar e analisar a … margem de contribuição !!!
  • 107. A análise conjunta e o ... Ponto de equilíbrio
  • 108. Construindo um único gráfico Receita total Gasto total Gasto variável Volume (Q) Un. Monet. ($) Gasto fixo Break-even point Ponto de ruptura Ponto de equilíbrio contábil (PEC$) Ponto de equilíbrio contábil (PECq)
  • 109. Uma formulazinha básica … Ponto de equilíbrio contábil (PECq) Quantidade produzida e vendida para lucro contábil nulo A partir dele as operações começam a ser lucrativas PPEECCqq == GGaassttooss FFiixxooss PPrreeççoo -- GGVVuunn MMaarrggeemm ddee CCoonnttrriibbuuiiççããoo UUnniittáárriiaa PPEECC$$ == PPEECCqq xx PPrreeççoo
  • 110. Para a Fábrica de Sorvetes Aluguel e salários: $1.000,00/mês Matéria-prima/embalagem: $8,00/Kg Preço de venda: $10,00 Volume de vendas: 600 Kg/mês PPEECCqq == GGaassttooss FFiixxooss PPrreeççoo -- GGVVuunn PPEECCqq == GGaassttooss FFiixxooss PPrreeççoo -- GGVVuunn == 1000 1100 -- 88 MMaarrggeemm ddee CCoonnttrriibbuuiiççããoo UUnniittáárriiaa == 550000 KKgg//mmêêss PPEECC$$ == PPEECCqq xx PPrreeççoo == 550000 xx 1100 == $$55..000000,,0000//mmêêss
  • 111. No gráfico … Volume (Q) Un Monet ($) 550000 $$55..000000,,0000 660000 $$66..000000,,0000 LLuuccrroo == $$220000,,0000
  • 112. PRINCIPAIS CONCEITOS DO MÉTODO DE CUSTEIO VARIÁVEL/DIRETO
  • 113.
  • 114.
  • 115.
  • 116. PONTO DE EQUILIBRIO CONTÁBIL
  • 117. Ponto de equilíbrio financeiro GGFFss –– GGaassttooss nnããoo PPEEFFqq == ddeesseemmbboollssaaddooss PPrreeççoo -- GGVVuunn PPEEFF$$ == PPEEFFqq xx PPrreeççoo O que eu preciso vender no mínimo para pagar os gastos desembolsáveis EExxeemmpplloo:: ddeepprreecciiaaççããoo
  • 118. PONTO DE EQUILIBRIO ECONÔMICO PONTO DE EQUILIBRIO FINANCEIRO
  • 119. Perdas possíveis sem prejuízo Margens de segurança
  • 120. No gráfico … ($) MMaarrggeemm ddee sseegguurraannççaa Monet Un FFaattuurraammeennttoo Volume (Q) 550000 $$55..000000,,0000 660000 $$66..000000,,0000 QQuuaannttiiddaaddee
  • 121. Analisando o conforto Margem de segurança O quanto se pode perder em vendas sem incorrer em prejuízos MS em quantidade Vendas (Q) – PEC (Q) MS em $ Vendas ($) – PEC ($) MS em % MS (Q) / Vendas (Q) ou MS ($) / Vendas ($) ou
  • 122. Fábrica de Sorvetes … MS em quantidade Vendas (Q) – PEC (Q) 600 – 500 = 100 kg MS em $ Vendas ($) – PEC ($) 6000 – 5000 = $1.000,00 MS em % 100 / 600 = 16,67% 1000/6000 = 16,67%
  • 123. MARGEM DE SEGURANÇA ALAVANCAGEM OPERACIONAL
  • 124. Movendo o mundo Alavancagem
  • 125. Um conceito físico Alavancagem “Dê-me uma alavanca e um ponto de apoio, e eu moverei o mundo”. Arquimedes matemático grego (287 AC e 212 AC)
  • 126. Gastos fixos e alavancagem Variação nos lucros!!! Variação nas vendas!!!
  • 127. Três exemplos Receitas iguais a $100 e GV iguais a 40% Brisa: apresenta gastos fixos iguais a $20 por período e não possui endividamento Vento: apresenta gastos fixos iguais a $40 por período e não possui endividamento Tempestade: apresenta gastos fixos iguais a $40 por período e possui endividamento que provoca o pagamento de juros iguais a $5 por período
  • 128. Brisa Números da Brisa -20% Base 20% Rec 80 100 120 (-) GF -20 -20 -20 (-) GV -32 -40 -48 (=) LAJIR 28 40 52 (-) J - - 30% - (=) LAIR 28 40 52 30%
  • 129. Números da Vento -20% Base 20% Rec 80 100 120 (-) GF -40 -40 -40 (-) GV -32 -40 -48 (=) LAJIR 8 20 32 (-) J 60% - - - (=) LAIR 8 20 32 60%
  • 130. Números da Tempestade Tempestade -20% Base 20% Rec 80 100 120 (-) GF -40 -40 -40 (-) GV -32 -40 -48 (=) LAJIR 8 20 60% 32 (-) J -5 -5 -5 (=) LAIR 3 15 80% 27
  • 131. Calculando a alavancagem Brisa Vento Tempestade Vendas 20% 20% 20% LAJIR 30% 60% 60% LAIR 30% 60% 80% GA o 1,5 3 3 GA f 1 1 1,3333 GA c 1,5 3 4 GAo Apresenta o efeito multiplicador da variação percentual das Vendas sobre LAJIR GAf Apresenta o efeito multiplicador da variação percentual do LAIR sobre LAJIR GAc Apresenta o efeito multiplicador da variação percentual das Vendas sobre o LAIR
  • 132. MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO DE MÚLTIPLOS PRODUTOS MIX DE PRODUTOS O gestor da Luminária e Materiais elétricos comercial ltda. Está preocupado em identificar o volume de cada um dos produtos de seu estoque que deve vender para que sua empresa não apure prejuízo. Sabe-se que os gastos fixos somam $35.050,00 por mês. Sabe-se ainda:
  • 133. Ponto de equilíbrio = 35050/70,10 = 500 lotes
  • 134. CONTRIBUIÇÃO MARGINAL E LIMITAÇÃO DA CAPACIDADE DA PRODUÇÃO FATOR RESTRITIVO A Vinícula Chateau du Szuster Cardoso produz e engarrafa vinhos com a uva do tipo Cabernet Sauvignon com as seguintes características: Os custos fixos anuais somam $90.000,00. A demanda pela garrafa de 750 ml é de 1.000 unidades por ano e a de 375 ml é de 800 unidades por ano. Devido a reprovação de um dos barris, o envasamento deste ano está limitado a 900 litros. Considerando estas informações quantas garrafas devem ser produzidas de cada tipo?
  • 135. Margem de contribuição unitária das duas garrafas: Para atender toda a demanda seria necessário: Quantidade de litros de vinho = 1000*0,75 + 800*0,375 = 1.050
  • 136. 800 garrafas de 375 ml = 800*0,375 = 300 litros 900- 300 = 600 litros para garrafas de 750 ml 600/0,75 = 800 garrafas de 750 ml
  • 137. Lei dos rendimentos decrescentes