SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 20
FONTES DE ENERGIA E
RECURSOS MINERAIS
FONTES DE ENERGIA ANTIGAS E
TRADICIONAIS
 Nos primórdios da história os seres
humanos utilizavam fontes de energia
antigas ou tradicionais:
 Tração Animal;
 Fogo
 Vento
 Água
FONTES DE ENERGIA
PÓS SÉCULO XVIII (MEADOS DE 1750)
 Com a chegada da Revolução Industrial, que ocorreu
primeiramente na Inglaterra, o homem passou a utilizar
outras fontes de energia:
 Petróleo;
 Carvão Mineral;
 Gás Natural
 Essas fontes de energia são chamadas de
combustíveis fósseis, pois são formadas por um lento
processo de decomposição (aproximadamente 350
milhões de anos) e são encontrados em terrenos
sedimentares e na plataforma continental oceânica.
CLASSIFICAÇÃO DAS FONTES DE ENERGIA:
RENOVÁVEIS E NÃO RENOVÁVEIS
 As Fontes de Energia são classificadas em
renováveis e não renováveis;
 As renováveis são repostas pela natureza e as não
renováveis esgotam-se com o uso.
NÃO-RENOVÁVEIS RENOVÁVEIS
Combústíveis Fósseis
Petróleo
Nuclear
Solar
Eólica
Hidrelétrica
Maremotriz
Biomassa
Hidrogênio
Geotérmica*
PETRÓLEO E GÁS NATURAL
 O petróleo é o combustível fóssil mais popular e o
mais importante para os transportes;
 A partir dele são produzidos o óleo diesel e a
gasolina;
 Sua distribuição é bastante desigual, o Oriente
Médio e a Ásia Central concentram mais de 60%
das reservas de petróleo e gás natural;
 O país que consegue suprir sua necessidade de
petróleo e ainda exportar para outros países,
possui grande vantagem econômica.
ORIGEM DO PETRÓLEO - VÍDEO
CARVÃO MINERAL
 O uso principal do carvão mineral se concentra
nas termelétricas, que possuem energia
elétrica a partir da queima do carvão;
 Além disso, o carvão é bastante usado nos
fornos das siderúrgicas, onde é queimado para
gerar calor e mover máquinas;
 As termelétricas são bastante utilizadas nos
EUA, na China, na Índia e nos países
europeus.
TERMELÉTRICA – RIO GRANDE DO SUL
NUCLEAR
Funcionamento Usina Nuclear
FONTES DE ENERGIA ALTERNATIVAS
 Foram recentemente descobertas com o avanço da
ciência e tecnologia.
 Solar
 Eólica (Ventos)
 Maremotriz (Marés e Ondas)
 Geotérmica (Vapores do Interior da Terra)
 Biomassa (Madeira, Bagaço da Cana e lixo orgânico)
 Hidrogênio
 Nuclear (Radioativa)
 Hidráulica ou Hidrelétrica
SOLAR
 A energia solar é aquela energia obtida pela luz
do Sol, pode ser captada com paineis solares.
 Através de coletores solares, a energia solar pode
ser transformada em energia térmica, e usando
painéis fotovoltaicos a energia luminosa pode ser
convertida em energia elétrica.
 Uma grande vantagem da energia solar é que ela
permite a geração de energia, no mesmo local de
consumo, através da integração da arquitetura.
GEOTÉRMICA
 A energia geotérmica é a energia do interior da
Terra.
 A geotermia consiste no aproveitamento de águas
quentes e vapores para a produção de eletricidade
e calor.
 A produção limita-se às áreas do planeta onde há
maior atividade no interior da Terra (Círculo de
Fogo do Pacífico), principalmente na Islândia,
Japão e Indonésia.
ENERGIA EÓLICA
 A energia eólica é a energia obtida pela ação do
vento, ou seja, através da utilização da energia
cinética gerada pelas correntes aéreas.
 A energia eólica é limpa e causa poucos impactos
ambientais;
 O maior problema para a popularização dessa
fonte é o custo alto.
BIOMASSA
 Essa matéria orgânica irá para usinas onde
será queimada em fornalhas para produzir o
vapor (gás metano);
 O lixo, além de ser uma fonte renovável,
também colabora com a preservação do
meio ambiente.
 Refere-se à energia obtida a partir de matéria orgânica
vegetal e animal encontrada em diversas formas: lixo
doméstico e industrial, madeira, bagaço da cana-de-
açúcar, casca de arroz, etc.
MAREMOTRIZ
 A energia maremotriz refere-se à força das marés
que pode gerar energia elétrica.
 A produção de energia se dá nos momentos de
subida e descida das marés, quando as águas
passam pela barragem.
 Os impactos ambientais da construção de
barragens sobre a fauna e a flora são grandes.
PONTOS PARA DISCUSSÃO
 AUTOSSUFICIÊNCIA ENERGÉTICA X MATRIZ
ENERGÉTICA DEPENDENTE
 PROJETO CARRO ELÉTRICO
 RELAÇÃO ENTRE GEOPOLÍTICA E ENERGIA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fontes De Energia
Fontes De EnergiaFontes De Energia
Fontes De Energia
guest3ad92c
 
energias renováveis
energias renováveisenergias renováveis
energias renováveis
veronicasilva
 
Energia Fontes E Formas De Energia
Energia   Fontes E Formas De EnergiaEnergia   Fontes E Formas De Energia
Energia Fontes E Formas De Energia
João França
 
Fontes De Energia RenováVeis
Fontes De Energia RenováVeisFontes De Energia RenováVeis
Fontes De Energia RenováVeis
guest69ca1e7
 
Energias renováveis
Energias renováveisEnergias renováveis
Energias renováveis
Daniel Estima
 
Energias RenováVeis E NãO RenováVeis Lydia 8ºC Nº10
Energias RenováVeis E NãO RenováVeis   Lydia 8ºC  Nº10Energias RenováVeis E NãO RenováVeis   Lydia 8ºC  Nº10
Energias RenováVeis E NãO RenováVeis Lydia 8ºC Nº10
VitorJunqueira
 
As Energias RenováVeis
As Energias RenováVeisAs Energias RenováVeis
As Energias RenováVeis
Leomark7
 
Fontes e formas de energia tânia e nelson
Fontes e formas de energia   tânia e nelsonFontes e formas de energia   tânia e nelson
Fontes e formas de energia tânia e nelson
Taniabastos15
 

Mais procurados (20)

"Somos Físicos" Energias Renováveis
"Somos Físicos" Energias Renováveis"Somos Físicos" Energias Renováveis
"Somos Físicos" Energias Renováveis
 
Energias
EnergiasEnergias
Energias
 
Fontes De Energia
Fontes De EnergiaFontes De Energia
Fontes De Energia
 
Energia 6ano
Energia 6anoEnergia 6ano
Energia 6ano
 
Energia meio ambiente
Energia meio ambienteEnergia meio ambiente
Energia meio ambiente
 
energias renováveis
energias renováveisenergias renováveis
energias renováveis
 
Recursos energéticos
Recursos energéticosRecursos energéticos
Recursos energéticos
 
Energia Fontes E Formas De Energia
Energia   Fontes E Formas De EnergiaEnergia   Fontes E Formas De Energia
Energia Fontes E Formas De Energia
 
1VC TAILAN ENERGIA
1VC TAILAN ENERGIA1VC TAILAN ENERGIA
1VC TAILAN ENERGIA
 
Fontes de energia renováveis
Fontes de energia renováveisFontes de energia renováveis
Fontes de energia renováveis
 
Fontes De Energia RenováVeis
Fontes De Energia RenováVeisFontes De Energia RenováVeis
Fontes De Energia RenováVeis
 
Energias renováveis
Energias renováveisEnergias renováveis
Energias renováveis
 
Energias RenováVeis E NãO RenováVeis Lydia 8ºC Nº10
Energias RenováVeis E NãO RenováVeis   Lydia 8ºC  Nº10Energias RenováVeis E NãO RenováVeis   Lydia 8ºC  Nº10
Energias RenováVeis E NãO RenováVeis Lydia 8ºC Nº10
 
Energias Renováveis
Energias RenováveisEnergias Renováveis
Energias Renováveis
 
As Energias RenováVeis
As Energias RenováVeisAs Energias RenováVeis
As Energias RenováVeis
 
Fontes e formas de energia tânia e nelson
Fontes e formas de energia   tânia e nelsonFontes e formas de energia   tânia e nelson
Fontes e formas de energia tânia e nelson
 
Ana Luisa
Ana LuisaAna Luisa
Ana Luisa
 
Geografia - Fontes de Energia.
Geografia - Fontes de Energia.Geografia - Fontes de Energia.
Geografia - Fontes de Energia.
 
Gestão ambiental Unidade III
Gestão ambiental Unidade IIIGestão ambiental Unidade III
Gestão ambiental Unidade III
 
Energia
EnergiaEnergia
Energia
 

Destaque

Teorias demográficas resumão - 2° ano - em
Teorias demográficas   resumão - 2° ano - emTeorias demográficas   resumão - 2° ano - em
Teorias demográficas resumão - 2° ano - em
Paes Viana
 
Conceitos demográficos
Conceitos demográficosConceitos demográficos
Conceitos demográficos
Professor
 
Teorias demográficas
Teorias demográficasTeorias demográficas
Teorias demográficas
flaviocosac
 
Slides população (1)
Slides população (1)Slides população (1)
Slides população (1)
terceirob
 

Destaque (7)

Teorias demográficas resumão - 2° ano - em
Teorias demográficas   resumão - 2° ano - emTeorias demográficas   resumão - 2° ano - em
Teorias demográficas resumão - 2° ano - em
 
Conceitos demográficos
Conceitos demográficosConceitos demográficos
Conceitos demográficos
 
Teorias demográficas
Teorias demográficasTeorias demográficas
Teorias demográficas
 
TEORIAS DEMOGRÁFICAS (DE MALTHUS A TRANSIÇÃO DEMOGRÁFICA)
TEORIAS DEMOGRÁFICAS (DE MALTHUS A TRANSIÇÃO DEMOGRÁFICA)TEORIAS DEMOGRÁFICAS (DE MALTHUS A TRANSIÇÃO DEMOGRÁFICA)
TEORIAS DEMOGRÁFICAS (DE MALTHUS A TRANSIÇÃO DEMOGRÁFICA)
 
Populaçao mundial
Populaçao mundialPopulaçao mundial
Populaçao mundial
 
Populaçao brasileira
Populaçao brasileiraPopulaçao brasileira
Populaçao brasileira
 
Slides população (1)
Slides população (1)Slides população (1)
Slides população (1)
 

Semelhante a A energia que movimenta o mundo

Energia 2013
Energia 2013Energia 2013
Energia 2013
aroudus
 
Recursos Energéticos
Recursos EnergéticosRecursos Energéticos
Recursos Energéticos
grupoc1
 
ENERGIAnaoR (2).ppt kgjpçitupiutgiugttilutgliutgilgil
ENERGIAnaoR (2).ppt kgjpçitupiutgiugttilutgliutgilgilENERGIAnaoR (2).ppt kgjpçitupiutgiugttilutgliutgilgil
ENERGIAnaoR (2).ppt kgjpçitupiutgiugttilutgliutgilgil
AntnioJoaquimMatiasB
 
SLIDE-06-GEOGRAFIA-CURSINHO-UNIENEM-2022_231116_201537[1].pptx
SLIDE-06-GEOGRAFIA-CURSINHO-UNIENEM-2022_231116_201537[1].pptxSLIDE-06-GEOGRAFIA-CURSINHO-UNIENEM-2022_231116_201537[1].pptx
SLIDE-06-GEOGRAFIA-CURSINHO-UNIENEM-2022_231116_201537[1].pptx
JonathasAureliano1
 
Fatores de produção
Fatores de produçãoFatores de produção
Fatores de produção
turma10ig
 

Semelhante a A energia que movimenta o mundo (20)

Energia 2013
Energia 2013Energia 2013
Energia 2013
 
Energia
EnergiaEnergia
Energia
 
Fontes alternativas e energia no Brasil
Fontes alternativas e energia no BrasilFontes alternativas e energia no Brasil
Fontes alternativas e energia no Brasil
 
Fontes de energia.pptx
Fontes de energia.pptxFontes de energia.pptx
Fontes de energia.pptx
 
Energia
EnergiaEnergia
Energia
 
Recursos Energéticos
Recursos EnergéticosRecursos Energéticos
Recursos Energéticos
 
ENERGIAnaoR (2).ppt kgjpçitupiutgiugttilutgliutgilgil
ENERGIAnaoR (2).ppt kgjpçitupiutgiugttilutgliutgilgilENERGIAnaoR (2).ppt kgjpçitupiutgiugttilutgliutgilgil
ENERGIAnaoR (2).ppt kgjpçitupiutgiugttilutgliutgilgil
 
Fontes de energia
Fontes de energiaFontes de energia
Fontes de energia
 
Fontes de energia
Fontes de energiaFontes de energia
Fontes de energia
 
Fontes de energia
Fontes de energiaFontes de energia
Fontes de energia
 
2 energias (trabalho)
2 energias (trabalho)2 energias (trabalho)
2 energias (trabalho)
 
2 energias (trabalho)
2 energias (trabalho)2 energias (trabalho)
2 energias (trabalho)
 
FONTES DE ENERGIA.pdf
FONTES DE ENERGIA.pdfFONTES DE ENERGIA.pdf
FONTES DE ENERGIA.pdf
 
Energia curso
Energia cursoEnergia curso
Energia curso
 
SLIDE-06-GEOGRAFIA-CURSINHO-UNIENEM-2022_231116_201537[1].pptx
SLIDE-06-GEOGRAFIA-CURSINHO-UNIENEM-2022_231116_201537[1].pptxSLIDE-06-GEOGRAFIA-CURSINHO-UNIENEM-2022_231116_201537[1].pptx
SLIDE-06-GEOGRAFIA-CURSINHO-UNIENEM-2022_231116_201537[1].pptx
 
Fatores de produção
Fatores de produçãoFatores de produção
Fatores de produção
 
Livro projeto telaris capitulo 8 ciencias 6º ano
Livro projeto telaris capitulo 8 ciencias 6º anoLivro projeto telaris capitulo 8 ciencias 6º ano
Livro projeto telaris capitulo 8 ciencias 6º ano
 
Engenharia Ambiental / Case: Fontes De Energia Alternativa
Engenharia Ambiental / Case: Fontes De Energia AlternativaEngenharia Ambiental / Case: Fontes De Energia Alternativa
Engenharia Ambiental / Case: Fontes De Energia Alternativa
 
Fontes De Energia Alternativa / Engenharia Ambiental
Fontes De Energia Alternativa / Engenharia AmbientalFontes De Energia Alternativa / Engenharia Ambiental
Fontes De Energia Alternativa / Engenharia Ambiental
 
Energia solar
Energia solarEnergia solar
Energia solar
 

Mais de flaviocosac (20)

Dossie republica dominicana 2020
Dossie republica dominicana 2020Dossie republica dominicana 2020
Dossie republica dominicana 2020
 
O nosso lugar no universo
O nosso lugar no universoO nosso lugar no universo
O nosso lugar no universo
 
O continente europeu
O continente europeuO continente europeu
O continente europeu
 
Composicao9
Composicao9Composicao9
Composicao9
 
Composicao8
Composicao8Composicao8
Composicao8
 
Formacao territorio brasileiro
Formacao territorio brasileiroFormacao territorio brasileiro
Formacao territorio brasileiro
 
Composicao7
Composicao7Composicao7
Composicao7
 
Construindo um lugar
Construindo um lugarConstruindo um lugar
Construindo um lugar
 
Composicao6
Composicao6Composicao6
Composicao6
 
Hipóteses
HipótesesHipóteses
Hipóteses
 
O espaço urbano
O espaço urbanoO espaço urbano
O espaço urbano
 
Japão
JapãoJapão
Japão
 
Região sul
Região sulRegião sul
Região sul
 
[Material de aula] região sudeste
[Material de aula] região sudeste[Material de aula] região sudeste
[Material de aula] região sudeste
 
[Material de aula] tigres asiáticos
[Material de aula] tigres asiáticos[Material de aula] tigres asiáticos
[Material de aula] tigres asiáticos
 
[Material de aula] china dragao asiatico
[Material de aula] china   dragao asiatico[Material de aula] china   dragao asiatico
[Material de aula] china dragao asiatico
 
Religiões asiáticas
Religiões asiáticasReligiões asiáticas
Religiões asiáticas
 
População asiática
População asiáticaPopulação asiática
População asiática
 
Aspectos naturais do continente asiatico
Aspectos naturais do continente asiaticoAspectos naturais do continente asiatico
Aspectos naturais do continente asiatico
 
União européia
União européiaUnião européia
União européia
 

Último

AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
ssuserbb4ac2
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
VALMIRARIBEIRO1
 

Último (20)

análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 

A energia que movimenta o mundo

  • 1. FONTES DE ENERGIA E RECURSOS MINERAIS
  • 2. FONTES DE ENERGIA ANTIGAS E TRADICIONAIS  Nos primórdios da história os seres humanos utilizavam fontes de energia antigas ou tradicionais:  Tração Animal;  Fogo  Vento  Água
  • 3. FONTES DE ENERGIA PÓS SÉCULO XVIII (MEADOS DE 1750)  Com a chegada da Revolução Industrial, que ocorreu primeiramente na Inglaterra, o homem passou a utilizar outras fontes de energia:  Petróleo;  Carvão Mineral;  Gás Natural  Essas fontes de energia são chamadas de combustíveis fósseis, pois são formadas por um lento processo de decomposição (aproximadamente 350 milhões de anos) e são encontrados em terrenos sedimentares e na plataforma continental oceânica.
  • 4. CLASSIFICAÇÃO DAS FONTES DE ENERGIA: RENOVÁVEIS E NÃO RENOVÁVEIS  As Fontes de Energia são classificadas em renováveis e não renováveis;  As renováveis são repostas pela natureza e as não renováveis esgotam-se com o uso. NÃO-RENOVÁVEIS RENOVÁVEIS Combústíveis Fósseis Petróleo Nuclear Solar Eólica Hidrelétrica Maremotriz Biomassa Hidrogênio Geotérmica*
  • 5.
  • 6.
  • 7. PETRÓLEO E GÁS NATURAL  O petróleo é o combustível fóssil mais popular e o mais importante para os transportes;  A partir dele são produzidos o óleo diesel e a gasolina;  Sua distribuição é bastante desigual, o Oriente Médio e a Ásia Central concentram mais de 60% das reservas de petróleo e gás natural;  O país que consegue suprir sua necessidade de petróleo e ainda exportar para outros países, possui grande vantagem econômica. ORIGEM DO PETRÓLEO - VÍDEO
  • 8. CARVÃO MINERAL  O uso principal do carvão mineral se concentra nas termelétricas, que possuem energia elétrica a partir da queima do carvão;  Além disso, o carvão é bastante usado nos fornos das siderúrgicas, onde é queimado para gerar calor e mover máquinas;  As termelétricas são bastante utilizadas nos EUA, na China, na Índia e nos países europeus. TERMELÉTRICA – RIO GRANDE DO SUL
  • 10. FONTES DE ENERGIA ALTERNATIVAS  Foram recentemente descobertas com o avanço da ciência e tecnologia.  Solar  Eólica (Ventos)  Maremotriz (Marés e Ondas)  Geotérmica (Vapores do Interior da Terra)  Biomassa (Madeira, Bagaço da Cana e lixo orgânico)  Hidrogênio  Nuclear (Radioativa)  Hidráulica ou Hidrelétrica
  • 11. SOLAR  A energia solar é aquela energia obtida pela luz do Sol, pode ser captada com paineis solares.  Através de coletores solares, a energia solar pode ser transformada em energia térmica, e usando painéis fotovoltaicos a energia luminosa pode ser convertida em energia elétrica.  Uma grande vantagem da energia solar é que ela permite a geração de energia, no mesmo local de consumo, através da integração da arquitetura.
  • 12.
  • 13. GEOTÉRMICA  A energia geotérmica é a energia do interior da Terra.  A geotermia consiste no aproveitamento de águas quentes e vapores para a produção de eletricidade e calor.  A produção limita-se às áreas do planeta onde há maior atividade no interior da Terra (Círculo de Fogo do Pacífico), principalmente na Islândia, Japão e Indonésia.
  • 14.
  • 15. ENERGIA EÓLICA  A energia eólica é a energia obtida pela ação do vento, ou seja, através da utilização da energia cinética gerada pelas correntes aéreas.  A energia eólica é limpa e causa poucos impactos ambientais;  O maior problema para a popularização dessa fonte é o custo alto.
  • 16.
  • 17. BIOMASSA  Essa matéria orgânica irá para usinas onde será queimada em fornalhas para produzir o vapor (gás metano);  O lixo, além de ser uma fonte renovável, também colabora com a preservação do meio ambiente.  Refere-se à energia obtida a partir de matéria orgânica vegetal e animal encontrada em diversas formas: lixo doméstico e industrial, madeira, bagaço da cana-de- açúcar, casca de arroz, etc.
  • 18. MAREMOTRIZ  A energia maremotriz refere-se à força das marés que pode gerar energia elétrica.  A produção de energia se dá nos momentos de subida e descida das marés, quando as águas passam pela barragem.  Os impactos ambientais da construção de barragens sobre a fauna e a flora são grandes.
  • 19.
  • 20. PONTOS PARA DISCUSSÃO  AUTOSSUFICIÊNCIA ENERGÉTICA X MATRIZ ENERGÉTICA DEPENDENTE  PROJETO CARRO ELÉTRICO  RELAÇÃO ENTRE GEOPOLÍTICA E ENERGIA