SlideShare uma empresa Scribd logo
A DOUTRINA DA TRINDADE
I. A TRINDADE DEFINIDA
T alvez o sentido da T rindade de Deus nunca foi afirmado melhor do que está por A . H. Strong - "em a natureza do Deus
único há três distinções eternas que se nos representam sob a figura de pessoas e estas três são iguais" (Systematic
T heology, pág. 144).
O s princípios do Seminário T eológico Batista do Sul estabelecem a doutrina da T rindade como segue: "Deus nos é
revelado como P ai, Filho e Espírito Santo, cada um com atributos pessoais distintos, mas sem divisões de natureza,
essência ou ser".
Na consideração destas definições, notai:
1. A T RINDA DE C O NSIST E DE T RÊS DIST INÇ Õ ES.
A doutrina da T rindade não quer dizer que Deus meramente Se manifesta em três diferentes maneiras. Há três
distinções atuais na Divindade. A verdade disto aparecerá mais claramente depois.
2. EST A S T RÊS DIST INÇ Õ ES SÃ O ET ERNA S.
Isto está provado, de um lado, pela imutabilidade de Deus. Se já houve um tempo em que estas distinções não
existiram, então, quando vieram a existir, Deus mudou. P rovado está outra vez pelas Escrituras, as quais afirmam ou
implicam a eternidade do Filho e do Espírito Santo. V ide João 1:1,2; A pocalipse 22:13,14; Hebreus 9:14.
"Não é resposta a isto, que as expressões "gerado" e "procedido de" envolvem, a idéia da existência antecedente do
que gera e de quem há processão, porque estes são termos da linguagem humana aplicados a ações divinas e devem
ser entendidos ajustadamente a Deus. Não há aqui dificuldade maior do que em outros casos em que este princípio
está prontamente reconhecido (Boyce, A bstract of Systematic T heology, págs. 138, 139).
3. ESTAS TRÊS DISTINÇÕES NOS SÃO REPRESENTADAS SOB A FIGU RA DE P ESSO A S, M A S NÃ O HÁ DIV ISÃ O DE
NA T U REZA , ESSENC IA O U SER.
A Doutrina da T rindade não quer dizer triteismo. Q uando falamos das distinções da Divindade como pessoas, devemos
entender que usamos o termo figuradamente. Não há três pessoas na Divindade no mesmo sentido em que três seres
humanos são pessoas. No caso de três seres humanos há divisão de natureza, essência e ser, mas Deus não é assim.
T al concepção de Deus está proibida pelo ensino da Escritura quanto à unidade de Deus.
4. O S T RÊS M EM BRO S DA T RINDA D E SÃ O IGU A IS.
M uitos dos mesmos atributos atribuem-se a cada membro da T rindade e os atributos assim atribuídos são tais como
não podiam ser possuídos sem todos os outros atributos divinos. A igualdade dos membros da T rindade mostra -se
ainda pelo fato de c ada um deles ser reconhecido como Deus, como veremos depois.
II. PROVAS ESCRITURISTICAS DA DOUTRINA DA TRINDADE.
1. O P A I, O FILHO E O ESP ÍRIT O SA NT O SÃ O T O DO S REC O NHEC IDO S C O M O DEU S.
(1. O Pai Reconhecido como Deus.
Isto ocorre em tão grande número de passagens que é por igual desnecessário e impraticável citá-las todas. A s duas
seguintes bastarão:
"T rabalhai, não pela comida que perece, mas pela que permanece para a vida eterna, a qual o Filho do homem vos
dará; porque a este selou o P ai, Deus" (João 6 :27).
"Eleitos... segundo a presciência de Deus o P ai" (1 P edro 1:1,2).
(2) O Filho Reconhecido como Deus.
A . Ele é chamado Deus.
João 1:1; Romanos 9:5; 1 João 5:20.
B. P assagens que no V elho T estamento se referem a Deus são aplicadas ao Filho em o Novo T estamento.
M ateus 3:3, aludindo a Isaías 40:3; João 12:41 aludindo a Isaías 6:1.
C . O Filho possui os atributos de Deus.
Eternidade: João 1:1; Onipresença: M ateus 28:20 e Efésios 1:23; O nisciência: M ateus 9:4 e João 2:24,25 e João 16:30
e 1 C oríntios 4:5 e C olossenses 2:3; O nipotência: M ateus 28:18 e A pocalipse 1:8; A uto -existência: João 5:26;
Imutabilidade: Hebreus 13:8; V erdade: João 14:6; A mor: 1 João 3:16; Santidade: Lucas 1:35 e João 6:39; Hebreus
7:26.
D. A s obras de Deus são atribuídas ao Filho.
C riação: João 1:3; 1 C oríntios 8:6; C olossenses 1:16; Hebreus 1:10. C onservação: C olossenses 1:17; Hebreus 1:3.
Ressuscitando os mortos e julgando: João 5:27 -28; M ateus 25:31,32.
E. Ele recebe honra e adoração só a Deus devidas.
João 5:23; Hebreus 1:6; 1 C oríntios 11:24,25; 2 P edro 3:18; 2 T imóteo 4:18.
(3. O Espírito Santo é reconhecido como Deus.
A . A Ele se atribuem os atributos de Deus.
Eternidade: Hebreus 9:14; O nisciência: 1 C oríntios 2:10; Onipresença: Salmos 139:7; Santidade: todas as passagens
que aplicam o termo "santo" ao Espírito; V erdade: João 16:13; A mor: Romanos 15:30.
B. Ele está representado como fazendo as obras de Deus.
C riação: Gênesis 1:2; "movia" significa "chocava". Regeneração: João 3:8; T ito 3:5. Ressurreição: Romanos 8:11.
2. O P A I, O FILHO E O ESP ÍRIT O SA NT O A SSO C IA M -SE JU NT A M ENT E NU M A BA SE IGU A L.
Isto está feito. -
(1) Na formula do Batismo. Mateus 28:19
(2) Na Benção Apostólica. 2 Coríntios 13:14.
3. O P A I, O FILHO E O ESP ÍRIT O SA NT O DIST INGU EM -SE U M DO O U T RO .
(1) O Pai e o Filho dis tinguem-se um do outro.
O P ai e o Filho distinguem-se como o que gera do gerado; e como o que manda do enviado. C risto distinguiu-se do P ai
quando orou ao P ai, como fez muitas vezes. Q ue a distinção assim implicada não foi temporal, continuando somente
enquanto C risto esteve na carne, está provado pelo fato que C risto ainda intercede com o P ai (Hebreus 7:25; 1 João
2:1). Ele é um mediador perpétuo entre Deus e o homem (1 T imóteo 2:5) e assim é perpetuamente distinguido de
Deus.
(2) O Espírito distingue-se do Pai.
O Espírito distingue-se do P ai quando dEle se diz proceder do P ai e ser enviado pelo P ai (João 15:26; 14:26; Gálatas
4:6).
(3) O Filho distingue-se do Espírito.
Jesus está referindo ao Espírito como "um outro C onfortador" (João 14:16). E Jesus falou de Si mesmo como enviando
o Espírito (João 15:26).
4. O P A I, O FILHO E O ESP ÍRIT O SA NT O SÃ O U M DEU S.
T rindade quer dizer tri-unidade, ou três -unidade. M ostramos que há três distinções na Divindade. A gora, para
provarmos a doutrina da T rindade, mais que a doutrina de T riteismo, devemos mostrar que os três, enquanto sendo
distinguíveis um do outro, contudo são um. Isto está provado:
(1) Por todas as passagens que ensinam a Unidade de Deus.
O estudante refere-se aqui ao capítulo sobre a natureza e os atributos de Deus, onde se notam estas passagens.
(2) Pelo fato que cada um dos três é reconhecido como Deus.
Já mostramos que o P ai, o Filho e o Espírito Santo são várias vezes reconhecidos como Deus na Escritura. Isto mostra
Sua unidade, porque Deus está representado como sendo o Ser Supremo. P or essa razão não podia haver três Deuses.
A supremacia só é possível a um só.
(3) Pelo fato que os Três são iguais.
Já discutimos a igualdade dos membros da T rindade. Igualdade absoluta é impossível sem identidade na essência, em a
natureza e no ser.
III. A DOUTRINA DA TRINDADE É MISTÉRIO INSCRUTAVEL E INSOLUVEL AS MENTES FINITAS; MAS NÃO É AUTO-
CONTRADITORIA.
Não fazemos tentativas de negar ou de explicar o mistério da doutrina da T rindade. A lto mistério é que ment es
humanas nunca podem sondar.
C ontudo, a doutrina da T rindade não é autocontraditória. Deus não é três no mesmo sentido em que Ele é um. Ele é
um em essência, natureza e ser; mas, nesta uma essência, natureza e ser há três distinções eternas que se nos
representam de uma tal maneira que as chamamos pessoas. Q uem pôde dizer que tais distinções são impossíveis em a
natureza de Deus? P ara fazer isso ter-se-ia de ter perfeito entendimento da natureza de Deus. De maneira que fazemos
bem de aceitar o que a Escritura ensina e deixar o mistério para solucionar-se quando tivermos mais luzes, se
semelhante luz que nos habilite a explicar e entender nos for sempre dada. O mistério vem por causa de nossa
inabilidade para compreendermos totalmente a natureza de Deus.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Corpo, Alma E Espírito
Corpo, Alma E EspíritoCorpo, Alma E Espírito
Corpo, Alma E Espírito
Catedral de Adoração
 
Doutrinas bíblicas PARACLETOLOGIA
Doutrinas bíblicas   PARACLETOLOGIADoutrinas bíblicas   PARACLETOLOGIA
Doutrinas bíblicas PARACLETOLOGIA
Roberto Trindade
 
A Doutrina da Trindade 1
A Doutrina da Trindade 1A Doutrina da Trindade 1
A Doutrina da Trindade 1
Rodrigo Eleutério
 
O Espírito Santo de Deus
O Espírito Santo de DeusO Espírito Santo de Deus
O Espírito Santo de Deus
José Silva
 
LIÇÃO 01 - QUEM É O ESPÍRITO SANTO
LIÇÃO 01 -   QUEM É O ESPÍRITO SANTOLIÇÃO 01 -   QUEM É O ESPÍRITO SANTO
LIÇÃO 01 - QUEM É O ESPÍRITO SANTO
Igreja Evangélica Assembleia de Deus
 
Doutrinas bíblicas introdução
Doutrinas bíblicas introduçãoDoutrinas bíblicas introdução
Doutrinas bíblicas introdução
Roberto Trindade
 
Comunidade Com Cristo/ Escola Bíblica 2014 - A pessoa do espírito santo
Comunidade Com Cristo/ Escola Bíblica 2014 - A pessoa do espírito santoComunidade Com Cristo/ Escola Bíblica 2014 - A pessoa do espírito santo
Comunidade Com Cristo/ Escola Bíblica 2014 - A pessoa do espírito santo
Leandro Sales
 
Trindade
TrindadeTrindade
Trindade
Rogerio Sena
 
Tríplice Constituição do Homem
Tríplice Constituição do HomemTríplice Constituição do Homem
Tríplice Constituição do Homem
lucena
 
Estudo sobre o homem
Estudo sobre o homemEstudo sobre o homem
Estudo sobre o homem
prjosealencar
 
Lição 03 - a santíssima trindade, um só deus em três pessoas
Lição 03 - a santíssima trindade, um só deus em três pessoasLição 03 - a santíssima trindade, um só deus em três pessoas
Lição 03 - a santíssima trindade, um só deus em três pessoas
Daniel Felipe Kroth
 
QUEM É O ESPIRITO SANTO
QUEM É O ESPIRITO SANTOQUEM É O ESPIRITO SANTO
QUEM É O ESPIRITO SANTO
ASD Remanescentes
 
È O Espirito Santo Deus?
È O Espirito Santo Deus?È O Espirito Santo Deus?
È O Espirito Santo Deus?
guest056458
 
Escoladeservosout09
Escoladeservosout09Escoladeservosout09
Escoladeservosout09
Flavio Ignacio
 
Espirito Santo
Espirito SantoEspirito Santo
Espirito Santo
Samuel Oliveira
 
Subsídio da lição 5 adultos
Subsídio da lição 5 adultosSubsídio da lição 5 adultos
Subsídio da lição 5 adultos
Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
 
Pneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimento
Pneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimentoPneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimento
Pneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimento
Dangelo Nascimento
 
Estudo sobre a Trindade na Bíblia
Estudo sobre a Trindade na BíbliaEstudo sobre a Trindade na Bíblia
Estudo sobre a Trindade na Bíblia
Fernando Xavier China
 
Doutrinas bíblicas CRISTOLOGIA
Doutrinas bíblicas  CRISTOLOGIADoutrinas bíblicas  CRISTOLOGIA
Doutrinas bíblicas CRISTOLOGIA
Roberto Trindade
 
A indentidade do Espírito Santo
A indentidade do Espírito SantoA indentidade do Espírito Santo
A indentidade do Espírito Santo
Pr Neto
 

Mais procurados (20)

Corpo, Alma E Espírito
Corpo, Alma E EspíritoCorpo, Alma E Espírito
Corpo, Alma E Espírito
 
Doutrinas bíblicas PARACLETOLOGIA
Doutrinas bíblicas   PARACLETOLOGIADoutrinas bíblicas   PARACLETOLOGIA
Doutrinas bíblicas PARACLETOLOGIA
 
A Doutrina da Trindade 1
A Doutrina da Trindade 1A Doutrina da Trindade 1
A Doutrina da Trindade 1
 
O Espírito Santo de Deus
O Espírito Santo de DeusO Espírito Santo de Deus
O Espírito Santo de Deus
 
LIÇÃO 01 - QUEM É O ESPÍRITO SANTO
LIÇÃO 01 -   QUEM É O ESPÍRITO SANTOLIÇÃO 01 -   QUEM É O ESPÍRITO SANTO
LIÇÃO 01 - QUEM É O ESPÍRITO SANTO
 
Doutrinas bíblicas introdução
Doutrinas bíblicas introduçãoDoutrinas bíblicas introdução
Doutrinas bíblicas introdução
 
Comunidade Com Cristo/ Escola Bíblica 2014 - A pessoa do espírito santo
Comunidade Com Cristo/ Escola Bíblica 2014 - A pessoa do espírito santoComunidade Com Cristo/ Escola Bíblica 2014 - A pessoa do espírito santo
Comunidade Com Cristo/ Escola Bíblica 2014 - A pessoa do espírito santo
 
Trindade
TrindadeTrindade
Trindade
 
Tríplice Constituição do Homem
Tríplice Constituição do HomemTríplice Constituição do Homem
Tríplice Constituição do Homem
 
Estudo sobre o homem
Estudo sobre o homemEstudo sobre o homem
Estudo sobre o homem
 
Lição 03 - a santíssima trindade, um só deus em três pessoas
Lição 03 - a santíssima trindade, um só deus em três pessoasLição 03 - a santíssima trindade, um só deus em três pessoas
Lição 03 - a santíssima trindade, um só deus em três pessoas
 
QUEM É O ESPIRITO SANTO
QUEM É O ESPIRITO SANTOQUEM É O ESPIRITO SANTO
QUEM É O ESPIRITO SANTO
 
È O Espirito Santo Deus?
È O Espirito Santo Deus?È O Espirito Santo Deus?
È O Espirito Santo Deus?
 
Escoladeservosout09
Escoladeservosout09Escoladeservosout09
Escoladeservosout09
 
Espirito Santo
Espirito SantoEspirito Santo
Espirito Santo
 
Subsídio da lição 5 adultos
Subsídio da lição 5 adultosSubsídio da lição 5 adultos
Subsídio da lição 5 adultos
 
Pneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimento
Pneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimentoPneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimento
Pneumatologia ibaderj pdf Prof. Dangelo nascimento
 
Estudo sobre a Trindade na Bíblia
Estudo sobre a Trindade na BíbliaEstudo sobre a Trindade na Bíblia
Estudo sobre a Trindade na Bíblia
 
Doutrinas bíblicas CRISTOLOGIA
Doutrinas bíblicas  CRISTOLOGIADoutrinas bíblicas  CRISTOLOGIA
Doutrinas bíblicas CRISTOLOGIA
 
A indentidade do Espírito Santo
A indentidade do Espírito SantoA indentidade do Espírito Santo
A indentidade do Espírito Santo
 

Destaque

ENQUANTO HOUVER SOL
ENQUANTO HOUVER SOLENQUANTO HOUVER SOL
ENQUANTO HOUVER SOL
guest5ef02f
 
A fragilidade dos seres bviw
A fragilidade dos seres   bviwA fragilidade dos seres   bviw
A fragilidade dos seres bviw
budcesar13
 
Geothermal Heat Pumps
Geothermal Heat PumpsGeothermal Heat Pumps
Geothermal Heat Pumps
Ryan McCall
 
Objetivo geral
Objetivo geralObjetivo geral
Objetivo geral
professora2013
 
Reportaje Interpretativo
Reportaje InterpretativoReportaje Interpretativo
Reportaje Interpretativo
Hecma Montesinos Torres
 
Marco Teorico
Marco TeoricoMarco Teorico
Marco Teorico
Yeison14
 
Mapa De Mi Ksa (Viviana)
Mapa De Mi Ksa (Viviana)Mapa De Mi Ksa (Viviana)
Mapa De Mi Ksa (Viviana)
guestf81bc4
 
O império britanico
O império britanicoO império britanico
O império britanico
NILTON CARLOS
 
Jornal 11 "Santos pra Frente é Beto com a gente"
Jornal 11 "Santos pra Frente é Beto com a gente" Jornal 11 "Santos pra Frente é Beto com a gente"
Jornal 11 "Santos pra Frente é Beto com a gente"
DeputadoBetoMansur1144
 
Trabalho de biologia
Trabalho de biologiaTrabalho de biologia
Trabalho de biologia
Thailap
 
Szekszárd
SzekszárdSzekszárd
Szekszárd
Baranyigabi
 
Presentacion Pedro Morales en Rosario
Presentacion Pedro Morales en RosarioPresentacion Pedro Morales en Rosario
Presentacion Pedro Morales en Rosario
GFOrellana
 
Red de aprendizaje
Red de aprendizajeRed de aprendizaje
Red de aprendizaje
Iñaki BZoco
 
Congresso osternack
Congresso osternackCongresso osternack
Congresso osternack
Rose Meardi
 
Plano i luciana
Plano i  lucianaPlano i  luciana
Plano i luciana
familiaestagio
 
Logo envio
Logo envioLogo envio
Logo envio
Equipe Adoleta
 
A vida como ela é
A vida como ela éA vida como ela é
A vida como ela é
enamoradasempre
 
Salmos e hinos 473
Salmos e hinos 473Salmos e hinos 473
Salmos e hinos 473
rafael gomide
 
Presentación1
Presentación1Presentación1

Destaque (20)

ENQUANTO HOUVER SOL
ENQUANTO HOUVER SOLENQUANTO HOUVER SOL
ENQUANTO HOUVER SOL
 
A fragilidade dos seres bviw
A fragilidade dos seres   bviwA fragilidade dos seres   bviw
A fragilidade dos seres bviw
 
Geothermal Heat Pumps
Geothermal Heat PumpsGeothermal Heat Pumps
Geothermal Heat Pumps
 
Objetivo geral
Objetivo geralObjetivo geral
Objetivo geral
 
Reportaje Interpretativo
Reportaje InterpretativoReportaje Interpretativo
Reportaje Interpretativo
 
Marco Teorico
Marco TeoricoMarco Teorico
Marco Teorico
 
Mapa De Mi Ksa (Viviana)
Mapa De Mi Ksa (Viviana)Mapa De Mi Ksa (Viviana)
Mapa De Mi Ksa (Viviana)
 
O império britanico
O império britanicoO império britanico
O império britanico
 
Jornal 11 "Santos pra Frente é Beto com a gente"
Jornal 11 "Santos pra Frente é Beto com a gente" Jornal 11 "Santos pra Frente é Beto com a gente"
Jornal 11 "Santos pra Frente é Beto com a gente"
 
Trabalho de biologia
Trabalho de biologiaTrabalho de biologia
Trabalho de biologia
 
Szekszárd
SzekszárdSzekszárd
Szekszárd
 
Gi̇mnasti̇ka
Gi̇mnasti̇kaGi̇mnasti̇ka
Gi̇mnasti̇ka
 
Presentacion Pedro Morales en Rosario
Presentacion Pedro Morales en RosarioPresentacion Pedro Morales en Rosario
Presentacion Pedro Morales en Rosario
 
Red de aprendizaje
Red de aprendizajeRed de aprendizaje
Red de aprendizaje
 
Congresso osternack
Congresso osternackCongresso osternack
Congresso osternack
 
Plano i luciana
Plano i  lucianaPlano i  luciana
Plano i luciana
 
Logo envio
Logo envioLogo envio
Logo envio
 
A vida como ela é
A vida como ela éA vida como ela é
A vida como ela é
 
Salmos e hinos 473
Salmos e hinos 473Salmos e hinos 473
Salmos e hinos 473
 
Presentación1
Presentación1Presentación1
Presentación1
 

Semelhante a A doutrina da trindade

A doutrina da trindade
A doutrina da trindadeA doutrina da trindade
A doutrina da trindade
Antonio Ferreira
 
5º módulo 1ª aula
5º módulo   1ª aula5º módulo   1ª aula
5º módulo 1ª aula
Monergista Post
 
5º módulo 1ª aula
5º módulo   1ª aula5º módulo   1ª aula
5º módulo 1ª aula
Joel Silva
 
Trindade Deus Jesus E. santo
Trindade Deus Jesus E. santoTrindade Deus Jesus E. santo
Trindade Deus Jesus E. santo
jb1955
 
Jeová, Jesus, E. Santo
Jeová, Jesus, E. SantoJeová, Jesus, E. Santo
Jeová, Jesus, E. Santo
jb1955
 
1 trindade - 08-09-2013 (1)
1   trindade - 08-09-2013 (1)1   trindade - 08-09-2013 (1)
1 trindade - 08-09-2013 (1)
judju
 
A doutrina da trindade
A doutrina da trindadeA doutrina da trindade
A doutrina da trindade
Marcianno Teofilo
 
A doutrina da trindade
A doutrina da trindadeA doutrina da trindade
A doutrina da trindade
Marcianno Teofilo
 
A trindade
A trindadeA trindade
A trindade
Igor Queiroz
 
Introdução à Teologia Sistemática 1
Introdução à Teologia Sistemática 1Introdução à Teologia Sistemática 1
Introdução à Teologia Sistemática 1
Luciana Lisboa
 
AULA_TRINDADE_(1)Elly.pdf
AULA_TRINDADE_(1)Elly.pdfAULA_TRINDADE_(1)Elly.pdf
AULA_TRINDADE_(1)Elly.pdf
AMILTON gomes Gomes
 
A santissima trindade
A santissima trindadeA santissima trindade
A santissima trindade
Pr Neto
 
Teontologia - AULA 03
Teontologia - AULA 03Teontologia - AULA 03
Teontologia - AULA 03
Pastor W. Costa
 
➤Série de Estudos Vida Eterna.
➤Série de Estudos Vida Eterna.➤Série de Estudos Vida Eterna.
➤Série de Estudos Vida Eterna.
ASD Remanescentes
 
Doutrinas biblicas
Doutrinas biblicasDoutrinas biblicas
Doutrinas biblicas
Lemuell Canario
 
Lição 3: A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas
Lição 3: A Santíssima Trindade um só Deus em três PessoasLição 3: A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas
Lição 3: A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas
Francisco Barbosa
 
Lição 1 - A Doutrina da Trindade
Lição 1 - A Doutrina da TrindadeLição 1 - A Doutrina da Trindade
Lição 1 - A Doutrina da Trindade
Éder Tomé
 
Testemunha de Jeová
Testemunha de JeováTestemunha de Jeová
Testemunha de Jeová
prantoniocarlos
 
Desmascarando seitas e heresias 1
Desmascarando seitas e   heresias 1Desmascarando seitas e   heresias 1
Desmascarando seitas e heresias 1
ThayaneCristineManho
 
Apostila Transfefencia.pdf
Apostila Transfefencia.pdfApostila Transfefencia.pdf
Apostila Transfefencia.pdf
Fabrício Tarles
 

Semelhante a A doutrina da trindade (20)

A doutrina da trindade
A doutrina da trindadeA doutrina da trindade
A doutrina da trindade
 
5º módulo 1ª aula
5º módulo   1ª aula5º módulo   1ª aula
5º módulo 1ª aula
 
5º módulo 1ª aula
5º módulo   1ª aula5º módulo   1ª aula
5º módulo 1ª aula
 
Trindade Deus Jesus E. santo
Trindade Deus Jesus E. santoTrindade Deus Jesus E. santo
Trindade Deus Jesus E. santo
 
Jeová, Jesus, E. Santo
Jeová, Jesus, E. SantoJeová, Jesus, E. Santo
Jeová, Jesus, E. Santo
 
1 trindade - 08-09-2013 (1)
1   trindade - 08-09-2013 (1)1   trindade - 08-09-2013 (1)
1 trindade - 08-09-2013 (1)
 
A doutrina da trindade
A doutrina da trindadeA doutrina da trindade
A doutrina da trindade
 
A doutrina da trindade
A doutrina da trindadeA doutrina da trindade
A doutrina da trindade
 
A trindade
A trindadeA trindade
A trindade
 
Introdução à Teologia Sistemática 1
Introdução à Teologia Sistemática 1Introdução à Teologia Sistemática 1
Introdução à Teologia Sistemática 1
 
AULA_TRINDADE_(1)Elly.pdf
AULA_TRINDADE_(1)Elly.pdfAULA_TRINDADE_(1)Elly.pdf
AULA_TRINDADE_(1)Elly.pdf
 
A santissima trindade
A santissima trindadeA santissima trindade
A santissima trindade
 
Teontologia - AULA 03
Teontologia - AULA 03Teontologia - AULA 03
Teontologia - AULA 03
 
➤Série de Estudos Vida Eterna.
➤Série de Estudos Vida Eterna.➤Série de Estudos Vida Eterna.
➤Série de Estudos Vida Eterna.
 
Doutrinas biblicas
Doutrinas biblicasDoutrinas biblicas
Doutrinas biblicas
 
Lição 3: A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas
Lição 3: A Santíssima Trindade um só Deus em três PessoasLição 3: A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas
Lição 3: A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas
 
Lição 1 - A Doutrina da Trindade
Lição 1 - A Doutrina da TrindadeLição 1 - A Doutrina da Trindade
Lição 1 - A Doutrina da Trindade
 
Testemunha de Jeová
Testemunha de JeováTestemunha de Jeová
Testemunha de Jeová
 
Desmascarando seitas e heresias 1
Desmascarando seitas e   heresias 1Desmascarando seitas e   heresias 1
Desmascarando seitas e heresias 1
 
Apostila Transfefencia.pdf
Apostila Transfefencia.pdfApostila Transfefencia.pdf
Apostila Transfefencia.pdf
 

Mais de antonio ferreira

kathryn-kuhlman-nada-e-impossivel-para-Deus
  kathryn-kuhlman-nada-e-impossivel-para-Deus   kathryn-kuhlman-nada-e-impossivel-para-Deus
kathryn-kuhlman-nada-e-impossivel-para-Deus
antonio ferreira
 
A unçao dos ancioes ..O pai o filho o espirito santo transmissores de gloria
 A unçao dos ancioes ..O pai o filho o espirito santo transmissores de gloria  A unçao dos ancioes ..O pai o filho o espirito santo transmissores de gloria
A unçao dos ancioes ..O pai o filho o espirito santo transmissores de gloria
antonio ferreira
 
Don gossett há poder em suas palavras
Don gossett   há poder em suas palavrasDon gossett   há poder em suas palavras
Don gossett há poder em suas palavras
antonio ferreira
 
como-deus-pode-e-vai-salvar-seu-casamento
  como-deus-pode-e-vai-salvar-seu-casamento  como-deus-pode-e-vai-salvar-seu-casamento
como-deus-pode-e-vai-salvar-seu-casamento
antonio ferreira
 
jorge-linhares-artimanhas-das-trevas-e-do-o-inimigo
  jorge-linhares-artimanhas-das-trevas-e-do-o-inimigo  jorge-linhares-artimanhas-das-trevas-e-do-o-inimigo
jorge-linhares-artimanhas-das-trevas-e-do-o-inimigo
antonio ferreira
 
evidencia-que-exige-um-veredito-josh-mc-dowell
 evidencia-que-exige-um-veredito-josh-mc-dowell evidencia-que-exige-um-veredito-josh-mc-dowell
evidencia-que-exige-um-veredito-josh-mc-dowell
antonio ferreira
 
Carta de amor de deus
Carta de amor de deusCarta de amor de deus
Carta de amor de deus
antonio ferreira
 
Características do sacerdócio de samuel
Características do sacerdócio de samuelCaracterísticas do sacerdócio de samuel
Características do sacerdócio de samuel
antonio ferreira
 
Caracteristicas da pessoa sob influência de jezabel
Caracteristicas da pessoa sob influência de jezabelCaracteristicas da pessoa sob influência de jezabel
Caracteristicas da pessoa sob influência de jezabel
antonio ferreira
 
Cara de leão
Cara de leãoCara de leão
Cara de leão
antonio ferreira
 
Campanha obede edom terceira semana
Campanha obede edom terceira semanaCampanha obede edom terceira semana
Campanha obede edom terceira semana
antonio ferreira
 
Buscar me-eis e me achareis
Buscar me-eis e me achareisBuscar me-eis e me achareis
Buscar me-eis e me achareis
antonio ferreira
 
Caminho no meio do mar
Caminho no meio do marCaminho no meio do mar
Caminho no meio do mar
antonio ferreira
 
Benefícios da obediência
Benefícios da obediênciaBenefícios da obediência
Benefícios da obediência
antonio ferreira
 
Bençãos em cristo
Bençãos em cristoBençãos em cristo
Bençãos em cristo
antonio ferreira
 
Benção e maldição ml 1
Benção e maldição ml 1Benção e maldição ml 1
Benção e maldição ml 1
antonio ferreira
 
Benção das alianças 2010
Benção das alianças 2010Benção das alianças 2010
Benção das alianças 2010
antonio ferreira
 
Avidaquevence 110324204737-phpapp02
Avidaquevence 110324204737-phpapp02Avidaquevence 110324204737-phpapp02
Avidaquevence 110324204737-phpapp02
antonio ferreira
 
Benção apostólica
Benção apostólicaBenção apostólica
Benção apostólica
antonio ferreira
 
Autoridade
AutoridadeAutoridade
Autoridade
antonio ferreira
 

Mais de antonio ferreira (20)

kathryn-kuhlman-nada-e-impossivel-para-Deus
  kathryn-kuhlman-nada-e-impossivel-para-Deus   kathryn-kuhlman-nada-e-impossivel-para-Deus
kathryn-kuhlman-nada-e-impossivel-para-Deus
 
A unçao dos ancioes ..O pai o filho o espirito santo transmissores de gloria
 A unçao dos ancioes ..O pai o filho o espirito santo transmissores de gloria  A unçao dos ancioes ..O pai o filho o espirito santo transmissores de gloria
A unçao dos ancioes ..O pai o filho o espirito santo transmissores de gloria
 
Don gossett há poder em suas palavras
Don gossett   há poder em suas palavrasDon gossett   há poder em suas palavras
Don gossett há poder em suas palavras
 
como-deus-pode-e-vai-salvar-seu-casamento
  como-deus-pode-e-vai-salvar-seu-casamento  como-deus-pode-e-vai-salvar-seu-casamento
como-deus-pode-e-vai-salvar-seu-casamento
 
jorge-linhares-artimanhas-das-trevas-e-do-o-inimigo
  jorge-linhares-artimanhas-das-trevas-e-do-o-inimigo  jorge-linhares-artimanhas-das-trevas-e-do-o-inimigo
jorge-linhares-artimanhas-das-trevas-e-do-o-inimigo
 
evidencia-que-exige-um-veredito-josh-mc-dowell
 evidencia-que-exige-um-veredito-josh-mc-dowell evidencia-que-exige-um-veredito-josh-mc-dowell
evidencia-que-exige-um-veredito-josh-mc-dowell
 
Carta de amor de deus
Carta de amor de deusCarta de amor de deus
Carta de amor de deus
 
Características do sacerdócio de samuel
Características do sacerdócio de samuelCaracterísticas do sacerdócio de samuel
Características do sacerdócio de samuel
 
Caracteristicas da pessoa sob influência de jezabel
Caracteristicas da pessoa sob influência de jezabelCaracteristicas da pessoa sob influência de jezabel
Caracteristicas da pessoa sob influência de jezabel
 
Cara de leão
Cara de leãoCara de leão
Cara de leão
 
Campanha obede edom terceira semana
Campanha obede edom terceira semanaCampanha obede edom terceira semana
Campanha obede edom terceira semana
 
Buscar me-eis e me achareis
Buscar me-eis e me achareisBuscar me-eis e me achareis
Buscar me-eis e me achareis
 
Caminho no meio do mar
Caminho no meio do marCaminho no meio do mar
Caminho no meio do mar
 
Benefícios da obediência
Benefícios da obediênciaBenefícios da obediência
Benefícios da obediência
 
Bençãos em cristo
Bençãos em cristoBençãos em cristo
Bençãos em cristo
 
Benção e maldição ml 1
Benção e maldição ml 1Benção e maldição ml 1
Benção e maldição ml 1
 
Benção das alianças 2010
Benção das alianças 2010Benção das alianças 2010
Benção das alianças 2010
 
Avidaquevence 110324204737-phpapp02
Avidaquevence 110324204737-phpapp02Avidaquevence 110324204737-phpapp02
Avidaquevence 110324204737-phpapp02
 
Benção apostólica
Benção apostólicaBenção apostólica
Benção apostólica
 
Autoridade
AutoridadeAutoridade
Autoridade
 

A doutrina da trindade

  • 1. A DOUTRINA DA TRINDADE I. A TRINDADE DEFINIDA T alvez o sentido da T rindade de Deus nunca foi afirmado melhor do que está por A . H. Strong - "em a natureza do Deus único há três distinções eternas que se nos representam sob a figura de pessoas e estas três são iguais" (Systematic T heology, pág. 144). O s princípios do Seminário T eológico Batista do Sul estabelecem a doutrina da T rindade como segue: "Deus nos é revelado como P ai, Filho e Espírito Santo, cada um com atributos pessoais distintos, mas sem divisões de natureza, essência ou ser". Na consideração destas definições, notai: 1. A T RINDA DE C O NSIST E DE T RÊS DIST INÇ Õ ES. A doutrina da T rindade não quer dizer que Deus meramente Se manifesta em três diferentes maneiras. Há três distinções atuais na Divindade. A verdade disto aparecerá mais claramente depois. 2. EST A S T RÊS DIST INÇ Õ ES SÃ O ET ERNA S. Isto está provado, de um lado, pela imutabilidade de Deus. Se já houve um tempo em que estas distinções não existiram, então, quando vieram a existir, Deus mudou. P rovado está outra vez pelas Escrituras, as quais afirmam ou implicam a eternidade do Filho e do Espírito Santo. V ide João 1:1,2; A pocalipse 22:13,14; Hebreus 9:14. "Não é resposta a isto, que as expressões "gerado" e "procedido de" envolvem, a idéia da existência antecedente do que gera e de quem há processão, porque estes são termos da linguagem humana aplicados a ações divinas e devem ser entendidos ajustadamente a Deus. Não há aqui dificuldade maior do que em outros casos em que este princípio está prontamente reconhecido (Boyce, A bstract of Systematic T heology, págs. 138, 139). 3. ESTAS TRÊS DISTINÇÕES NOS SÃO REPRESENTADAS SOB A FIGU RA DE P ESSO A S, M A S NÃ O HÁ DIV ISÃ O DE NA T U REZA , ESSENC IA O U SER. A Doutrina da T rindade não quer dizer triteismo. Q uando falamos das distinções da Divindade como pessoas, devemos entender que usamos o termo figuradamente. Não há três pessoas na Divindade no mesmo sentido em que três seres humanos são pessoas. No caso de três seres humanos há divisão de natureza, essência e ser, mas Deus não é assim. T al concepção de Deus está proibida pelo ensino da Escritura quanto à unidade de Deus. 4. O S T RÊS M EM BRO S DA T RINDA D E SÃ O IGU A IS. M uitos dos mesmos atributos atribuem-se a cada membro da T rindade e os atributos assim atribuídos são tais como não podiam ser possuídos sem todos os outros atributos divinos. A igualdade dos membros da T rindade mostra -se ainda pelo fato de c ada um deles ser reconhecido como Deus, como veremos depois. II. PROVAS ESCRITURISTICAS DA DOUTRINA DA TRINDADE. 1. O P A I, O FILHO E O ESP ÍRIT O SA NT O SÃ O T O DO S REC O NHEC IDO S C O M O DEU S. (1. O Pai Reconhecido como Deus. Isto ocorre em tão grande número de passagens que é por igual desnecessário e impraticável citá-las todas. A s duas seguintes bastarão: "T rabalhai, não pela comida que perece, mas pela que permanece para a vida eterna, a qual o Filho do homem vos dará; porque a este selou o P ai, Deus" (João 6 :27). "Eleitos... segundo a presciência de Deus o P ai" (1 P edro 1:1,2). (2) O Filho Reconhecido como Deus. A . Ele é chamado Deus. João 1:1; Romanos 9:5; 1 João 5:20. B. P assagens que no V elho T estamento se referem a Deus são aplicadas ao Filho em o Novo T estamento.
  • 2. M ateus 3:3, aludindo a Isaías 40:3; João 12:41 aludindo a Isaías 6:1. C . O Filho possui os atributos de Deus. Eternidade: João 1:1; Onipresença: M ateus 28:20 e Efésios 1:23; O nisciência: M ateus 9:4 e João 2:24,25 e João 16:30 e 1 C oríntios 4:5 e C olossenses 2:3; O nipotência: M ateus 28:18 e A pocalipse 1:8; A uto -existência: João 5:26; Imutabilidade: Hebreus 13:8; V erdade: João 14:6; A mor: 1 João 3:16; Santidade: Lucas 1:35 e João 6:39; Hebreus 7:26. D. A s obras de Deus são atribuídas ao Filho. C riação: João 1:3; 1 C oríntios 8:6; C olossenses 1:16; Hebreus 1:10. C onservação: C olossenses 1:17; Hebreus 1:3. Ressuscitando os mortos e julgando: João 5:27 -28; M ateus 25:31,32. E. Ele recebe honra e adoração só a Deus devidas. João 5:23; Hebreus 1:6; 1 C oríntios 11:24,25; 2 P edro 3:18; 2 T imóteo 4:18. (3. O Espírito Santo é reconhecido como Deus. A . A Ele se atribuem os atributos de Deus. Eternidade: Hebreus 9:14; O nisciência: 1 C oríntios 2:10; Onipresença: Salmos 139:7; Santidade: todas as passagens que aplicam o termo "santo" ao Espírito; V erdade: João 16:13; A mor: Romanos 15:30. B. Ele está representado como fazendo as obras de Deus. C riação: Gênesis 1:2; "movia" significa "chocava". Regeneração: João 3:8; T ito 3:5. Ressurreição: Romanos 8:11. 2. O P A I, O FILHO E O ESP ÍRIT O SA NT O A SSO C IA M -SE JU NT A M ENT E NU M A BA SE IGU A L. Isto está feito. - (1) Na formula do Batismo. Mateus 28:19 (2) Na Benção Apostólica. 2 Coríntios 13:14. 3. O P A I, O FILHO E O ESP ÍRIT O SA NT O DIST INGU EM -SE U M DO O U T RO . (1) O Pai e o Filho dis tinguem-se um do outro. O P ai e o Filho distinguem-se como o que gera do gerado; e como o que manda do enviado. C risto distinguiu-se do P ai quando orou ao P ai, como fez muitas vezes. Q ue a distinção assim implicada não foi temporal, continuando somente enquanto C risto esteve na carne, está provado pelo fato que C risto ainda intercede com o P ai (Hebreus 7:25; 1 João 2:1). Ele é um mediador perpétuo entre Deus e o homem (1 T imóteo 2:5) e assim é perpetuamente distinguido de Deus. (2) O Espírito distingue-se do Pai. O Espírito distingue-se do P ai quando dEle se diz proceder do P ai e ser enviado pelo P ai (João 15:26; 14:26; Gálatas 4:6). (3) O Filho distingue-se do Espírito. Jesus está referindo ao Espírito como "um outro C onfortador" (João 14:16). E Jesus falou de Si mesmo como enviando o Espírito (João 15:26). 4. O P A I, O FILHO E O ESP ÍRIT O SA NT O SÃ O U M DEU S. T rindade quer dizer tri-unidade, ou três -unidade. M ostramos que há três distinções na Divindade. A gora, para provarmos a doutrina da T rindade, mais que a doutrina de T riteismo, devemos mostrar que os três, enquanto sendo distinguíveis um do outro, contudo são um. Isto está provado: (1) Por todas as passagens que ensinam a Unidade de Deus.
  • 3. O estudante refere-se aqui ao capítulo sobre a natureza e os atributos de Deus, onde se notam estas passagens. (2) Pelo fato que cada um dos três é reconhecido como Deus. Já mostramos que o P ai, o Filho e o Espírito Santo são várias vezes reconhecidos como Deus na Escritura. Isto mostra Sua unidade, porque Deus está representado como sendo o Ser Supremo. P or essa razão não podia haver três Deuses. A supremacia só é possível a um só. (3) Pelo fato que os Três são iguais. Já discutimos a igualdade dos membros da T rindade. Igualdade absoluta é impossível sem identidade na essência, em a natureza e no ser. III. A DOUTRINA DA TRINDADE É MISTÉRIO INSCRUTAVEL E INSOLUVEL AS MENTES FINITAS; MAS NÃO É AUTO- CONTRADITORIA. Não fazemos tentativas de negar ou de explicar o mistério da doutrina da T rindade. A lto mistério é que ment es humanas nunca podem sondar. C ontudo, a doutrina da T rindade não é autocontraditória. Deus não é três no mesmo sentido em que Ele é um. Ele é um em essência, natureza e ser; mas, nesta uma essência, natureza e ser há três distinções eternas que se nos representam de uma tal maneira que as chamamos pessoas. Q uem pôde dizer que tais distinções são impossíveis em a natureza de Deus? P ara fazer isso ter-se-ia de ter perfeito entendimento da natureza de Deus. De maneira que fazemos bem de aceitar o que a Escritura ensina e deixar o mistério para solucionar-se quando tivermos mais luzes, se semelhante luz que nos habilite a explicar e entender nos for sempre dada. O mistério vem por causa de nossa inabilidade para compreendermos totalmente a natureza de Deus.