SlideShare uma empresa Scribd logo
A Teoria do Big Bang 
• A Teoria do Big Bang (ou “grande 
explosão”) é uma formulação sobre a 
origem do Universo . 
• Pressupõe a ocorrência de uma grande 
explosão há cerca de 14 bilhões de 
anos. 
• A partir da grande explosão ocorre a 
expansão do Universo e o agrupamento 
dos corpos celestes em galáxias. 
O afastamento entre as galáxias é uma 
das principais evidências que ajudam a 
sustentar a teoria do Big Bang. 
Ilustração representando o Big Bang
O Sistema Solar 
SISTEMA SOLAR: composto por oito planetas que orbitam em torno do Sol. A força que 
mantém esse movimento é a atração gravitacional exercida pelo Sol.
Vênus 
(108 200 000 km*) 
Mercúrio 
(57 900 000 km) 
(227 900 000 km) 
cinturão de 
asteroides 
Terra 
Marte 
(149 600 000 km) 
Júpiter 
(778 300 000 km) 
Saturno 
(1 427 000 000 km) 
Urano 
(2 869 600 000 km) 
Netuno 
(4 496 600 000 km) 
Ilustração adaptada de: A TERRA. São Paulo: Ática, 2003. (Série Atlas Visuais) 
LUIS MOURA / ARQUIVO DA EDITORA 
* Distância do planeta em relação ao Sol.
E o que são os astros? 
Estrelas 
são astros luminosos – que 
possuem luz própria 
Planetas 
no seu interior ocorrem 
frequentes explosões que 
liberam calor e energia 
são astros sem luz própria que 
giram (gravitam) ao redor de 
uma estrela 
REISTLIN MAGERE / SHUTTERSTOCK / GLOW IMAGES
Planetoides ou 
asteroides 
minúsculos planetas que giram 
ao redor do Sol 
seriam o resultado da explosão de um 
planeta que existiu entre Marte e Júpiter 
consequência de choques 
entre astros maiores 
“restos” do período de formação 
do Sistema Solar 
Satélites naturais 
astros que giram ao 
redor de planetas 
a Lua é o único satélite 
natural da Terra 
são 
hipóteses 
de origem 
são
Cometas 
astros de pequena dimensão e 
também giram ao redor do Sol 
são 
Cabeleira ou coma: espécie de 
nuvem de gases que envolve o 
núcleo 
NASA / NATIONAL SPACE SCIENCE DATA CENTER 
Cauda: rastro deixado 
pelo cometa 
Núcleo: parte 
central e sólida
Meteoros ou 
meteoroides 
fragmentos sólidos vindo do espaço em direção a algum 
planeta, planetoide ou satélite 
atraídos pela gravidade 
são 
“estrela cadente” 
• Quando entram na atmosfera 
terrestre, sofrem um intenso atrito com 
o ar, gerando calor e luminosidade. 
Com isso se despedaçam e caem 
sobre a superfície terrestre, 
geralmente, com tamanho reduzido. 
quando se encontram na superfície da 
Terra, esses astros recebem o nome 
de meteoritos 
JORGE GUERRERO / AGÊNCIA FRANCE-PRESSE
Universo 
Galáxia 
Sistema 
Solar 
Terra 
Satélites
calor e luz 
fornece energia 
essencial para a 
existência da vida 
astro mais próximo da Terra 
não possui atmosfera (ar) nem 
água na forma líquida 
a luminosidade da Lua é reflexo 
da luz do Sol 
a luz solar refletida pela 
Lua varia de intensidade 
conforme a posição em que ela 
se encontra em relação à Terra e 
ao Sol 
ventos, evaporação das águas, 
variação de temperatura do 
ar, entre outros fenômenos 
que ocorrem na Terra 
por isso 
O Sol e a Lua
Observe o esquema abaixo sobre as fases da Lua: 
1 
2 
3 
4 
5 
6 
7 
8 
1 
Nova 
Crescente 
Cheia 
Minguante 
Nova 
1 
2 
3 
4 
5 
6 
7 
8 
Raios solares 
A Lua como é vista da Terra em suas fases 
Polo 
sul 
LUIS MOURA / ARQUIVO DA EDITORA
A Idade da Terra 
• A Terra surgiu há cerca de 4,6 
bilhões de anos. 
• A idade da Terra pode ser dividida 
em grandes blocos de tempo 
chamados Eras geológicas. 
• As eras geológicas podem ser 
divididas em: Pré-cambriana, 
Paleozoica, Mesozoica e 
Cenozoica. 
Diagrama ilustrativo da evolução geológica e biológica 
ao longo do tempo.
Eras 
Geológicas
As camadas da Terra 
• A distância entre a crosta terrestre e o núcleo 
interno é de aproximadamente 6 400 quilômetros. 
• A Terra divide-se em três grandes camadas: 
crosta, manto e núcleo. 
Crosta: camada mais externa e menos extensa 
do planeta, aqui é onde vivemos. 
Manto: camada intermediária entre a crosta e o 
núcleo, é dividido em duas partes: inferior e 
superior. É formado principalmente por magma. 
Núcleo: centro da Terra, atinge temperaturas 
muito elevadas, chegando a 5 000 °C. Composto 
principalmente por níquel e ferro, divide-se em 
interno e externo.
Divisão da estrutura da Terra 
Manto 
Manto superior 
Manto inferior 
Crosta terrestre 
Crosta continental 
Crosta oceânica 
Litosfera 
Núcleo externo 
Núcleo interno 
Núcleo 
LUIS MOURA / ARQUIVO DA EDITORA
Influência da Lua na Terra
Os ambientes da Terra 
A superfície da Terra 
é o espaço que ocupamos 
no Universo 
condições adequadas ao 
desenvolvimento da vida 
no planeta 
= 
espaço que a humanidade ocupa e 
modifica continuamente, 
produzindo-o a partir da 
transformação da natureza 
Superfície terrestre 
Espaço geográfico
Ambientes ou sistemas terrestres 
Hidrosfera: ambiente 
aquático, mares, rios, 
lagos e aquíferos. 
Atmosfera: ambiente 
composto pelos gases 
que envolvem o 
planeta. 
Biosfera: conjunto de 
seres vivos, animais e 
vegetais. 
Litosfera: 
ambiente das rochas.
Teoria sobre a formação dos 
continentes 
Transformação da crosta terrestre desde a Pangeia até os dias atuais. 
• A Teoria da Deriva Continental foi desenvolvida por Alfred Wegener no início do 
século XX. 
• Postulava que, há cerca de 300 milhões de anos, os continentes estavam agrupados 
em um supercontinente chamado Pangeia. 
• Inicialmente a Pangeia separou-se em dois continentes: Laurásia e Gondwana. 
• O movimento contínuo levou à atual configuração dos continentes.
EVIDÊNCIAS DA TEORIA DE WEGENER: 
• Encaixe das costas da África e da América do Sul. 
• Fauna e flora da costa oeste da África e leste da América do Sul muito semelhantes.
Placas tectônicas e a constante 
transformação do planeta 
Anos 50: cientistas 
estadunidenses descobriram 
que o fundo dos oceanos 
estava em movimento. 
Anos 60: imagens de satélites 
da NASA comprovaram que os 
continentes estão em 
movimento. 
PLACAS TECTÔNICAS: blocos gigantescos de rochas com muitos quilômetros de altura 
que formam a crosta terrestre e deslizam sobre o magma.
Correntes magmáticas 
Magma 
quente 
sobe 
Magma frio 
desce
Terremoto 
Por que existem tremores na terra e no fundo do mar? 
• A movimentação das placas tectônicas gera abalos sísmicos. 
• As áreas de encontro entre as placas tectônicas estão mais sujeitas a esses 
movimentos. 
• Terremotos causam grandes problemas, especialmente em áreas urbanas, como 
desabamentos, ferimentos e mortes, além de danos sociais e financeiros.
Maremotos 
• Tremores de terra que ocorrem no fundo dos oceanos em função dos movimentos das 
placas tectônicas. 
• Dependendo da intensidade da movimentação, as ondas formadas podem transformar-se 
em tsunamis. 
• Tsunami: onda gigantesca que provoca catástrofes nas cidades da costa litorânea. 
Tsunami atinge área urbana. Onda gigante chegando à cidade.
Exemplo de uma área atingida 
por um tsunami. 
Vista aérea de Banda Aceh, na Indonésia, totalmente destruída pelo tsunami de 2004.
O vulcanismo 
A partir das rachaduras existentes nas placas tectônicas e devido à alta pressão no manto 
terrestre, o magma pode atravessar essas rachaduras e acumular-se na câmara 
magmática, dando origem a um vulcão. 
Vulcão em erupção 
Vulcão Tungurahua no Equador exalando fumaça e gases.
Distribuição geográfica das zonas sísmicas e vulcânicas 
Adaptado de: ATLAS 2000: La France et le monde. Paris: Nathan, 1998.
Distribuição geográfica dos terremotos 
Adaptado de: ATLAS 2000: La France et le monde. Paris: Nathan, 1998.
A formação das montanhas 
• Os dobramentos resultam do choque entre duas placas tectônicas (movimento 
convergente). 
• A ação horizontal do choque provoca a elevação vertical das rochas. 
Cordilheira dos Andes, Chile. Esquema representativo da formação da Cordilheira dos Andes.
• Quando ocorre o afastamento das placas tectônicas (movimento divergente), surgem 
fendas por onde o magma passa em altas temperaturas. 
• O magma resfriado dá origem a novas cadeias montanhosas, chamadas dorsais. 
• Dorsal Mesoatlântica — cadeia montanhosa em processo de formação no interior do 
oceano Atlântico. 
Dorsal Mesoatlântica Esquema que representa a formação da Dorsal Mesoatlântica.
Vento, água e ação humana: agentes 
externos que modelam o relevo 
• O relevo terrestre está em constante processo de formação e transformação. 
• Os agentes formadores estão ligados aos movimentos das placas tectônicas 
(internos). 
• Os agentes modeladores do relevo estão ligados ao vento, à chuva e à ação humana 
(externos). 
Lava quente derretida, magma na superfície 
terrestre. 
Formação rochosa erodida pela ação do vento, 
da chuva e pelas alterações de temperatura.
A ação do vento 
• Agente modelador do relevo, atua mais intensamente em espaços amplos e abertos, 
como desertos e praias. 
• As dunas são formadas a partir da ação do vento, transportando os grãos de areia de 
um local a outro. 
Dunas no Deserto do Saara Vento transportando grãos de areia em duna no Parque 
Nacional Altyn-Emel, Cazaquistão.
• A ação erosiva do vento recebe o nome de ação eólica. 
• O vento pode produzir, transportar e depositar sedimentos (resquícios de rochas ou 
de partículas da decomposição de seres vivos). 
• A ação do vento produz formatos interessantes nas superfícies afetadas. 
Parque Estadual das 
Rochas, Novo México, EUA. 
Parque Nacional dos Arcos, Utah, EUA.
A ação das águas 
A água é outro importante agente de transformação do relevo, provocando diferentes 
formas de erosão: 
Erosão de formação rochosa pela chuva e pelo 
vento em Lalu, Tailândia. 
Vale formado em milhares de anos a partir da 
erosão do Rio dos Peixes, Namíbia. 
Pela chuva (erosão pluvial) – 
ocorre com maior frequência em 
regiões de clima equatorial e 
tropical. 
Pelos rios (erosão fluvial) – 
acontece pela força exercida pela 
água nas margens e leitos dos rios.
Pelo mar (erosão marinha) – acontece 
quando as águas do mar batem nas 
rochas da costa. Ao transportar os 
sedimentos em direção à praia, o mar 
auxilia no processo de construção do 
relevo. 
Pelas geleiras (erosão 
glacial) – ocorre em regiões 
de baixas temperaturas, por 
meio do gelo e degelo. 
Ponte natural esculpida pelo mar. Geleira de Mingyong, China.
A ação dos seres humanos 
• O homem transforma o relevo pela construção de diferentes elementos: pontes, 
prédios, represas e outros. 
• Quando destrói morros, desempenha atividades agropecuárias, extrativistas, 
industriais, entre outras. 
• Geralmente orientadas por motivos econômicos, tais ações provocam sérios impactos 
ambientais, causando danos irreversíveis à natureza. 
Represa Hoover, rio Colorado, EUA. Mineração a céu aberto em Garzweiler, Alemanha.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 6º ano - Estrutura do planeta Terra, rochas e solos
Aula 6º ano - Estrutura do planeta Terra, rochas e solosAula 6º ano - Estrutura do planeta Terra, rochas e solos
Aula 6º ano - Estrutura do planeta Terra, rochas e solos
Leonardo Kaplan
 
Crosta terrestre
Crosta terrestreCrosta terrestre
Crosta terrestre
Roberta Sumar
 
IV.1 O ar - Composição e Propriedades
IV.1 O ar - Composição e PropriedadesIV.1 O ar - Composição e Propriedades
IV.1 O ar - Composição e Propriedades
Rebeca Vale
 
Orientacao e localizacao no espaco
Orientacao e localizacao no espacoOrientacao e localizacao no espaco
Orientacao e localizacao no espaco
Prof. Francesco Torres
 
A estrutura da terra
A estrutura da terraA estrutura da terra
A estrutura da terra
Prof.Paulo/geografia
 
Tempo Geológico
Tempo GeológicoTempo Geológico
Tempo Geológico
Lucca
 
O planeta terra
O planeta terraO planeta terra
O planeta terra
Prof. Francesco Torres
 
Formação terra
Formação terraFormação terra
Formação terra
Prof. Francesco Torres
 
6 ano o universo e o sistema solar
6 ano o universo e o sistema solar6 ano o universo e o sistema solar
6 ano o universo e o sistema solar
crisbassanimedeiros
 
Os movimentos da terra
Os movimentos da terraOs movimentos da terra
Os movimentos da terra
Professor
 
I.2 O sistema solar
I.2 O sistema solarI.2 O sistema solar
I.2 O sistema solar
Rebeca Vale
 
Movimento de Translação e Rotação
Movimento de Translação e RotaçãoMovimento de Translação e Rotação
Movimento de Translação e Rotação
Ivaildo
 
TERRA - Estrutura Geologica
TERRA - Estrutura GeologicaTERRA - Estrutura Geologica
TERRA - Estrutura Geologica
João José Ferreira Tojal
 
A lua
A luaA lua
A lua
Escola
 
Ações humanas e alteracoes ambientais
Ações humanas e alteracoes ambientaisAções humanas e alteracoes ambientais
Ações humanas e alteracoes ambientais
Prof. Francesco Torres
 
A Terra e o Universo
A Terra e o UniversoA Terra e o Universo
A Terra e o Universo
dantasrdl
 
Modulo 05 - O tempo e o clima
Modulo 05 - O tempo e o climaModulo 05 - O tempo e o clima
Modulo 05 - O tempo e o clima
Claudio Henrique Ramos Sales
 
Os movimentos da terra
Os movimentos da terraOs movimentos da terra
Os movimentos da terra
André Luiz Marques
 
Clima - Elementos e Fatores Climáticos
Clima - Elementos e Fatores ClimáticosClima - Elementos e Fatores Climáticos
Clima - Elementos e Fatores Climáticos
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Relevo
RelevoRelevo

Mais procurados (20)

Aula 6º ano - Estrutura do planeta Terra, rochas e solos
Aula 6º ano - Estrutura do planeta Terra, rochas e solosAula 6º ano - Estrutura do planeta Terra, rochas e solos
Aula 6º ano - Estrutura do planeta Terra, rochas e solos
 
Crosta terrestre
Crosta terrestreCrosta terrestre
Crosta terrestre
 
IV.1 O ar - Composição e Propriedades
IV.1 O ar - Composição e PropriedadesIV.1 O ar - Composição e Propriedades
IV.1 O ar - Composição e Propriedades
 
Orientacao e localizacao no espaco
Orientacao e localizacao no espacoOrientacao e localizacao no espaco
Orientacao e localizacao no espaco
 
A estrutura da terra
A estrutura da terraA estrutura da terra
A estrutura da terra
 
Tempo Geológico
Tempo GeológicoTempo Geológico
Tempo Geológico
 
O planeta terra
O planeta terraO planeta terra
O planeta terra
 
Formação terra
Formação terraFormação terra
Formação terra
 
6 ano o universo e o sistema solar
6 ano o universo e o sistema solar6 ano o universo e o sistema solar
6 ano o universo e o sistema solar
 
Os movimentos da terra
Os movimentos da terraOs movimentos da terra
Os movimentos da terra
 
I.2 O sistema solar
I.2 O sistema solarI.2 O sistema solar
I.2 O sistema solar
 
Movimento de Translação e Rotação
Movimento de Translação e RotaçãoMovimento de Translação e Rotação
Movimento de Translação e Rotação
 
TERRA - Estrutura Geologica
TERRA - Estrutura GeologicaTERRA - Estrutura Geologica
TERRA - Estrutura Geologica
 
A lua
A luaA lua
A lua
 
Ações humanas e alteracoes ambientais
Ações humanas e alteracoes ambientaisAções humanas e alteracoes ambientais
Ações humanas e alteracoes ambientais
 
A Terra e o Universo
A Terra e o UniversoA Terra e o Universo
A Terra e o Universo
 
Modulo 05 - O tempo e o clima
Modulo 05 - O tempo e o climaModulo 05 - O tempo e o clima
Modulo 05 - O tempo e o clima
 
Os movimentos da terra
Os movimentos da terraOs movimentos da terra
Os movimentos da terra
 
Clima - Elementos e Fatores Climáticos
Clima - Elementos e Fatores ClimáticosClima - Elementos e Fatores Climáticos
Clima - Elementos e Fatores Climáticos
 
Relevo
RelevoRelevo
Relevo
 

Destaque

Origem e formação do Planeta Terra
Origem e formação do Planeta TerraOrigem e formação do Planeta Terra
Origem e formação do Planeta Terra
Rodrigo Zanon
 
Formação do planeta terra e a origem da
Formação do planeta terra e a origem daFormação do planeta terra e a origem da
Formação do planeta terra e a origem da
Geisy Graziela Magri Bortolucci
 
Caderno de atividade - 5º ano - Programa Primeiros Saberes da Infância
Caderno de atividade - 5º ano - Programa Primeiros Saberes da InfânciaCaderno de atividade - 5º ano - Programa Primeiros Saberes da Infância
Caderno de atividade - 5º ano - Programa Primeiros Saberes da Infância
Jairo Felipe
 
Confira como fica o funcionamento das escolas com a greve em Jaraguá do Sul:
Confira como fica o funcionamento das escolas com a greve em Jaraguá do Sul:Confira como fica o funcionamento das escolas com a greve em Jaraguá do Sul:
Confira como fica o funcionamento das escolas com a greve em Jaraguá do Sul:
Carolina Wanzuita
 
Modelos do interior da Terra
Modelos do interior da TerraModelos do interior da Terra
Modelos do interior da Terra
mmbbss
 
Mat geo 1ºem_geologia_03-06-2013
Mat geo 1ºem_geologia_03-06-2013Mat geo 1ºem_geologia_03-06-2013
Mat geo 1ºem_geologia_03-06-2013
daniboy7lag
 
Mapas de conceitos manual
Mapas de conceitos   manualMapas de conceitos   manual
Mapas de conceitos manual
Odete Ruivo
 
Tempo geológico
Tempo geológicoTempo geológico
Tempo geológico
YagoVerling
 
Plano de aula
Plano de aulaPlano de aula
Plano de aula
Ronaldo Henn
 
Vulcões e círculos de fogo
Vulcões e círculos de fogoVulcões e círculos de fogo
Vulcões e círculos de fogo
Verônica Linhares
 
Plano de aula tic eu
Plano de aula  tic euPlano de aula  tic eu
Plano de aula tic eu
Mary Lima
 
CLASSIFICAÇÃO DE SÓLIDOS
CLASSIFICAÇÃO DE SÓLIDOSCLASSIFICAÇÃO DE SÓLIDOS
CLASSIFICAÇÃO DE SÓLIDOS
guest758fb2
 
Orientacoes curriculares ciencias2013
Orientacoes curriculares ciencias2013Orientacoes curriculares ciencias2013
Orientacoes curriculares ciencias2013
Janete Guedes
 
Desarrollo de Cuerpos Geométricos
Desarrollo de Cuerpos GeométricosDesarrollo de Cuerpos Geométricos
Desarrollo de Cuerpos Geométricos
soundsofsilence
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Plano de aula luciana juliano
Plano de aula luciana julianoPlano de aula luciana juliano
Plano de aula luciana juliano
lu-julyano
 
Falhas e dobras
Falhas e dobrasFalhas e dobras
Falhas e dobras
Carolina Corrêa
 
Aula de ciencias
Aula de cienciasAula de ciencias
Aula de ciencias
Carol Costa
 
O tempo geológico
O tempo geológicoO tempo geológico
O tempo geológico
Wendell Fabrício
 
aula tic na educacao
aula tic na educacaoaula tic na educacao
aula tic na educacao
Eduardo Becker Jr.
 

Destaque (20)

Origem e formação do Planeta Terra
Origem e formação do Planeta TerraOrigem e formação do Planeta Terra
Origem e formação do Planeta Terra
 
Formação do planeta terra e a origem da
Formação do planeta terra e a origem daFormação do planeta terra e a origem da
Formação do planeta terra e a origem da
 
Caderno de atividade - 5º ano - Programa Primeiros Saberes da Infância
Caderno de atividade - 5º ano - Programa Primeiros Saberes da InfânciaCaderno de atividade - 5º ano - Programa Primeiros Saberes da Infância
Caderno de atividade - 5º ano - Programa Primeiros Saberes da Infância
 
Confira como fica o funcionamento das escolas com a greve em Jaraguá do Sul:
Confira como fica o funcionamento das escolas com a greve em Jaraguá do Sul:Confira como fica o funcionamento das escolas com a greve em Jaraguá do Sul:
Confira como fica o funcionamento das escolas com a greve em Jaraguá do Sul:
 
Modelos do interior da Terra
Modelos do interior da TerraModelos do interior da Terra
Modelos do interior da Terra
 
Mat geo 1ºem_geologia_03-06-2013
Mat geo 1ºem_geologia_03-06-2013Mat geo 1ºem_geologia_03-06-2013
Mat geo 1ºem_geologia_03-06-2013
 
Mapas de conceitos manual
Mapas de conceitos   manualMapas de conceitos   manual
Mapas de conceitos manual
 
Tempo geológico
Tempo geológicoTempo geológico
Tempo geológico
 
Plano de aula
Plano de aulaPlano de aula
Plano de aula
 
Vulcões e círculos de fogo
Vulcões e círculos de fogoVulcões e círculos de fogo
Vulcões e círculos de fogo
 
Plano de aula tic eu
Plano de aula  tic euPlano de aula  tic eu
Plano de aula tic eu
 
CLASSIFICAÇÃO DE SÓLIDOS
CLASSIFICAÇÃO DE SÓLIDOSCLASSIFICAÇÃO DE SÓLIDOS
CLASSIFICAÇÃO DE SÓLIDOS
 
Orientacoes curriculares ciencias2013
Orientacoes curriculares ciencias2013Orientacoes curriculares ciencias2013
Orientacoes curriculares ciencias2013
 
Desarrollo de Cuerpos Geométricos
Desarrollo de Cuerpos GeométricosDesarrollo de Cuerpos Geométricos
Desarrollo de Cuerpos Geométricos
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
Plano de aula luciana juliano
Plano de aula luciana julianoPlano de aula luciana juliano
Plano de aula luciana juliano
 
Falhas e dobras
Falhas e dobrasFalhas e dobras
Falhas e dobras
 
Aula de ciencias
Aula de cienciasAula de ciencias
Aula de ciencias
 
O tempo geológico
O tempo geológicoO tempo geológico
O tempo geológico
 
aula tic na educacao
aula tic na educacaoaula tic na educacao
aula tic na educacao
 

Semelhante a Formacao terra

Terremotos.pptx
Terremotos.pptxTerremotos.pptx
Terremotos.pptx
asdf895604
 
Geografia natureza e riscos ambientais
Geografia   natureza e riscos ambientaisGeografia   natureza e riscos ambientais
Geografia natureza e riscos ambientais
geografiafelipe
 
Geografia natureza e riscos ambientais
Geografia   natureza e riscos ambientaisGeografia   natureza e riscos ambientais
Geografia natureza e riscos ambientais
geografiafelipe
 
Geografia natureza e riscos ambientais
Geografia   natureza e riscos ambientaisGeografia   natureza e riscos ambientais
Geografia natureza e riscos ambientais
felipedacarpereira
 
Geografia vestibular-enen-geografia-fisica (1)
Geografia vestibular-enen-geografia-fisica (1)Geografia vestibular-enen-geografia-fisica (1)
Geografia vestibular-enen-geografia-fisica (1)
Paulo Andrade
 
Abalos Sismicos No Brasil E No Mundo
Abalos Sismicos No Brasil E No MundoAbalos Sismicos No Brasil E No Mundo
Abalos Sismicos No Brasil E No Mundo
Planeta Diário Online
 
Um pouco sobre o nosso planeta
Um pouco sobre o nosso planeta Um pouco sobre o nosso planeta
Um pouco sobre o nosso planeta
Ritalmeida97
 
Formação da Terra e o Tectonismo
Formação da Terra e o TectonismoFormação da Terra e o Tectonismo
Formação da Terra e o Tectonismo
Professora Verônica Santos
 
Litosfera e sua Dinâmicas
Litosfera e sua DinâmicasLitosfera e sua Dinâmicas
Litosfera e sua Dinâmicas
Isabelegeografia
 
Geofísica da terra
Geofísica da terraGeofísica da terra
Geofísica da terra
Rafael Marques
 
43573_5c3526cc1529b2e8bee27219542e606d (1).pptx
43573_5c3526cc1529b2e8bee27219542e606d (1).pptx43573_5c3526cc1529b2e8bee27219542e606d (1).pptx
43573_5c3526cc1529b2e8bee27219542e606d (1).pptx
alessandraoliveira324
 
2015. aula 2 xviii oba terra
2015. aula 2 xviii oba terra2015. aula 2 xviii oba terra
2015. aula 2 xviii oba terra
Instituto Iprodesc
 
43573_5c3526cc1529b2e8bee27219542e606d (1).pptx
43573_5c3526cc1529b2e8bee27219542e606d (1).pptx43573_5c3526cc1529b2e8bee27219542e606d (1).pptx
43573_5c3526cc1529b2e8bee27219542e606d (1).pptx
Centro Educacional Nilton Oliveira Santos -CENOS
 
4.terra xix oba
4.terra xix oba4.terra xix oba
4.terra xix oba
Instituto Iprodesc
 
Estrutura geológica da terra
Estrutura geológica da terraEstrutura geológica da terra
Estrutura geológica da terra
Liz de Oliveira Mendes Francisco
 
Trabalho de geologia
Trabalho de geologiaTrabalho de geologia
Trabalho de geologia
Lucas Jordann Alvarenga Drumond
 
Geologia 2
Geologia 2Geologia 2
Geologia 2
Adsson Luz
 
Aula 2
Aula 2Aula 2
Aula 2
karolpoa
 
Aula 2
Aula 2Aula 2
Geologia evoluçao da terra e fenomenos geologicos
Geologia evoluçao da terra e fenomenos geologicosGeologia evoluçao da terra e fenomenos geologicos
Geologia evoluçao da terra e fenomenos geologicos
Wander Junior
 

Semelhante a Formacao terra (20)

Terremotos.pptx
Terremotos.pptxTerremotos.pptx
Terremotos.pptx
 
Geografia natureza e riscos ambientais
Geografia   natureza e riscos ambientaisGeografia   natureza e riscos ambientais
Geografia natureza e riscos ambientais
 
Geografia natureza e riscos ambientais
Geografia   natureza e riscos ambientaisGeografia   natureza e riscos ambientais
Geografia natureza e riscos ambientais
 
Geografia natureza e riscos ambientais
Geografia   natureza e riscos ambientaisGeografia   natureza e riscos ambientais
Geografia natureza e riscos ambientais
 
Geografia vestibular-enen-geografia-fisica (1)
Geografia vestibular-enen-geografia-fisica (1)Geografia vestibular-enen-geografia-fisica (1)
Geografia vestibular-enen-geografia-fisica (1)
 
Abalos Sismicos No Brasil E No Mundo
Abalos Sismicos No Brasil E No MundoAbalos Sismicos No Brasil E No Mundo
Abalos Sismicos No Brasil E No Mundo
 
Um pouco sobre o nosso planeta
Um pouco sobre o nosso planeta Um pouco sobre o nosso planeta
Um pouco sobre o nosso planeta
 
Formação da Terra e o Tectonismo
Formação da Terra e o TectonismoFormação da Terra e o Tectonismo
Formação da Terra e o Tectonismo
 
Litosfera e sua Dinâmicas
Litosfera e sua DinâmicasLitosfera e sua Dinâmicas
Litosfera e sua Dinâmicas
 
Geofísica da terra
Geofísica da terraGeofísica da terra
Geofísica da terra
 
43573_5c3526cc1529b2e8bee27219542e606d (1).pptx
43573_5c3526cc1529b2e8bee27219542e606d (1).pptx43573_5c3526cc1529b2e8bee27219542e606d (1).pptx
43573_5c3526cc1529b2e8bee27219542e606d (1).pptx
 
2015. aula 2 xviii oba terra
2015. aula 2 xviii oba terra2015. aula 2 xviii oba terra
2015. aula 2 xviii oba terra
 
43573_5c3526cc1529b2e8bee27219542e606d (1).pptx
43573_5c3526cc1529b2e8bee27219542e606d (1).pptx43573_5c3526cc1529b2e8bee27219542e606d (1).pptx
43573_5c3526cc1529b2e8bee27219542e606d (1).pptx
 
4.terra xix oba
4.terra xix oba4.terra xix oba
4.terra xix oba
 
Estrutura geológica da terra
Estrutura geológica da terraEstrutura geológica da terra
Estrutura geológica da terra
 
Trabalho de geologia
Trabalho de geologiaTrabalho de geologia
Trabalho de geologia
 
Geologia 2
Geologia 2Geologia 2
Geologia 2
 
Aula 2
Aula 2Aula 2
Aula 2
 
Aula 2
Aula 2Aula 2
Aula 2
 
Geologia evoluçao da terra e fenomenos geologicos
Geologia evoluçao da terra e fenomenos geologicosGeologia evoluçao da terra e fenomenos geologicos
Geologia evoluçao da terra e fenomenos geologicos
 

Mais de Prof. Francesco Torres

População brasileira
População brasileiraPopulação brasileira
População brasileira
Prof. Francesco Torres
 
Formação do Brasil
Formação do BrasilFormação do Brasil
Formação do Brasil
Prof. Francesco Torres
 
Regionalização
RegionalizaçãoRegionalização
Regionalização
Prof. Francesco Torres
 
Região Sudeste
Região SudesteRegião Sudeste
Região Sudeste
Prof. Francesco Torres
 
Regiao Sul
Regiao SulRegiao Sul
Regiao Centro oeste
Regiao Centro oesteRegiao Centro oeste
Regiao Centro oeste
Prof. Francesco Torres
 
Região Norte
Região NorteRegião Norte
Região Norte
Prof. Francesco Torres
 
Orientação
Orientação Orientação
Orientação
Prof. Francesco Torres
 
Formação e modelagem do relevo
Formação e modelagem do relevoFormação e modelagem do relevo
Formação e modelagem do relevo
Prof. Francesco Torres
 
Águas oceânicas e os mares
Águas oceânicas e os maresÁguas oceânicas e os mares
Águas oceânicas e os mares
Prof. Francesco Torres
 
Paisagem
PaisagemPaisagem
Escalas e mapas
Escalas e mapasEscalas e mapas
Escalas e mapas
Prof. Francesco Torres
 
Clima e paisagens naturais e atmosfera
Clima e paisagens naturais e atmosferaClima e paisagens naturais e atmosfera
Clima e paisagens naturais e atmosfera
Prof. Francesco Torres
 
Distribuição das águas na paisagem
Distribuição das águas na paisagemDistribuição das águas na paisagem
Distribuição das águas na paisagem
Prof. Francesco Torres
 
Formação e modelagem do relevo
Formação e modelagem do relevoFormação e modelagem do relevo
Formação e modelagem do relevo
Prof. Francesco Torres
 
A biosfera
A biosferaA biosfera
Tamanho planetas
Tamanho planetasTamanho planetas
Tamanho planetas
Prof. Francesco Torres
 
Nordeste
NordesteNordeste
Matriz brasileira produção de alimentos
Matriz brasileira produção de alimentosMatriz brasileira produção de alimentos
Matriz brasileira produção de alimentos
Prof. Francesco Torres
 
Regionalização
RegionalizaçãoRegionalização
Regionalização
Prof. Francesco Torres
 

Mais de Prof. Francesco Torres (20)

População brasileira
População brasileiraPopulação brasileira
População brasileira
 
Formação do Brasil
Formação do BrasilFormação do Brasil
Formação do Brasil
 
Regionalização
RegionalizaçãoRegionalização
Regionalização
 
Região Sudeste
Região SudesteRegião Sudeste
Região Sudeste
 
Regiao Sul
Regiao SulRegiao Sul
Regiao Sul
 
Regiao Centro oeste
Regiao Centro oesteRegiao Centro oeste
Regiao Centro oeste
 
Região Norte
Região NorteRegião Norte
Região Norte
 
Orientação
Orientação Orientação
Orientação
 
Formação e modelagem do relevo
Formação e modelagem do relevoFormação e modelagem do relevo
Formação e modelagem do relevo
 
Águas oceânicas e os mares
Águas oceânicas e os maresÁguas oceânicas e os mares
Águas oceânicas e os mares
 
Paisagem
PaisagemPaisagem
Paisagem
 
Escalas e mapas
Escalas e mapasEscalas e mapas
Escalas e mapas
 
Clima e paisagens naturais e atmosfera
Clima e paisagens naturais e atmosferaClima e paisagens naturais e atmosfera
Clima e paisagens naturais e atmosfera
 
Distribuição das águas na paisagem
Distribuição das águas na paisagemDistribuição das águas na paisagem
Distribuição das águas na paisagem
 
Formação e modelagem do relevo
Formação e modelagem do relevoFormação e modelagem do relevo
Formação e modelagem do relevo
 
A biosfera
A biosferaA biosfera
A biosfera
 
Tamanho planetas
Tamanho planetasTamanho planetas
Tamanho planetas
 
Nordeste
NordesteNordeste
Nordeste
 
Matriz brasileira produção de alimentos
Matriz brasileira produção de alimentosMatriz brasileira produção de alimentos
Matriz brasileira produção de alimentos
 
Regionalização
RegionalizaçãoRegionalização
Regionalização
 

Último

Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdfCurativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
BiancaCristina75
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
WilianeBarbosa2
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
AntonioLobosco3
 
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptxTudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
IACEMCASA
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Marília Pacheco
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
alphabarros2
 

Último (20)

Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdfCurativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
 
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptxTudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
 

Formacao terra

  • 1.
  • 2. A Teoria do Big Bang • A Teoria do Big Bang (ou “grande explosão”) é uma formulação sobre a origem do Universo . • Pressupõe a ocorrência de uma grande explosão há cerca de 14 bilhões de anos. • A partir da grande explosão ocorre a expansão do Universo e o agrupamento dos corpos celestes em galáxias. O afastamento entre as galáxias é uma das principais evidências que ajudam a sustentar a teoria do Big Bang. Ilustração representando o Big Bang
  • 3. O Sistema Solar SISTEMA SOLAR: composto por oito planetas que orbitam em torno do Sol. A força que mantém esse movimento é a atração gravitacional exercida pelo Sol.
  • 4. Vênus (108 200 000 km*) Mercúrio (57 900 000 km) (227 900 000 km) cinturão de asteroides Terra Marte (149 600 000 km) Júpiter (778 300 000 km) Saturno (1 427 000 000 km) Urano (2 869 600 000 km) Netuno (4 496 600 000 km) Ilustração adaptada de: A TERRA. São Paulo: Ática, 2003. (Série Atlas Visuais) LUIS MOURA / ARQUIVO DA EDITORA * Distância do planeta em relação ao Sol.
  • 5. E o que são os astros? Estrelas são astros luminosos – que possuem luz própria Planetas no seu interior ocorrem frequentes explosões que liberam calor e energia são astros sem luz própria que giram (gravitam) ao redor de uma estrela REISTLIN MAGERE / SHUTTERSTOCK / GLOW IMAGES
  • 6. Planetoides ou asteroides minúsculos planetas que giram ao redor do Sol seriam o resultado da explosão de um planeta que existiu entre Marte e Júpiter consequência de choques entre astros maiores “restos” do período de formação do Sistema Solar Satélites naturais astros que giram ao redor de planetas a Lua é o único satélite natural da Terra são hipóteses de origem são
  • 7. Cometas astros de pequena dimensão e também giram ao redor do Sol são Cabeleira ou coma: espécie de nuvem de gases que envolve o núcleo NASA / NATIONAL SPACE SCIENCE DATA CENTER Cauda: rastro deixado pelo cometa Núcleo: parte central e sólida
  • 8. Meteoros ou meteoroides fragmentos sólidos vindo do espaço em direção a algum planeta, planetoide ou satélite atraídos pela gravidade são “estrela cadente” • Quando entram na atmosfera terrestre, sofrem um intenso atrito com o ar, gerando calor e luminosidade. Com isso se despedaçam e caem sobre a superfície terrestre, geralmente, com tamanho reduzido. quando se encontram na superfície da Terra, esses astros recebem o nome de meteoritos JORGE GUERRERO / AGÊNCIA FRANCE-PRESSE
  • 9. Universo Galáxia Sistema Solar Terra Satélites
  • 10. calor e luz fornece energia essencial para a existência da vida astro mais próximo da Terra não possui atmosfera (ar) nem água na forma líquida a luminosidade da Lua é reflexo da luz do Sol a luz solar refletida pela Lua varia de intensidade conforme a posição em que ela se encontra em relação à Terra e ao Sol ventos, evaporação das águas, variação de temperatura do ar, entre outros fenômenos que ocorrem na Terra por isso O Sol e a Lua
  • 11. Observe o esquema abaixo sobre as fases da Lua: 1 2 3 4 5 6 7 8 1 Nova Crescente Cheia Minguante Nova 1 2 3 4 5 6 7 8 Raios solares A Lua como é vista da Terra em suas fases Polo sul LUIS MOURA / ARQUIVO DA EDITORA
  • 12. A Idade da Terra • A Terra surgiu há cerca de 4,6 bilhões de anos. • A idade da Terra pode ser dividida em grandes blocos de tempo chamados Eras geológicas. • As eras geológicas podem ser divididas em: Pré-cambriana, Paleozoica, Mesozoica e Cenozoica. Diagrama ilustrativo da evolução geológica e biológica ao longo do tempo.
  • 14. As camadas da Terra • A distância entre a crosta terrestre e o núcleo interno é de aproximadamente 6 400 quilômetros. • A Terra divide-se em três grandes camadas: crosta, manto e núcleo. Crosta: camada mais externa e menos extensa do planeta, aqui é onde vivemos. Manto: camada intermediária entre a crosta e o núcleo, é dividido em duas partes: inferior e superior. É formado principalmente por magma. Núcleo: centro da Terra, atinge temperaturas muito elevadas, chegando a 5 000 °C. Composto principalmente por níquel e ferro, divide-se em interno e externo.
  • 15. Divisão da estrutura da Terra Manto Manto superior Manto inferior Crosta terrestre Crosta continental Crosta oceânica Litosfera Núcleo externo Núcleo interno Núcleo LUIS MOURA / ARQUIVO DA EDITORA
  • 16. Influência da Lua na Terra
  • 17.
  • 18. Os ambientes da Terra A superfície da Terra é o espaço que ocupamos no Universo condições adequadas ao desenvolvimento da vida no planeta = espaço que a humanidade ocupa e modifica continuamente, produzindo-o a partir da transformação da natureza Superfície terrestre Espaço geográfico
  • 19. Ambientes ou sistemas terrestres Hidrosfera: ambiente aquático, mares, rios, lagos e aquíferos. Atmosfera: ambiente composto pelos gases que envolvem o planeta. Biosfera: conjunto de seres vivos, animais e vegetais. Litosfera: ambiente das rochas.
  • 20. Teoria sobre a formação dos continentes Transformação da crosta terrestre desde a Pangeia até os dias atuais. • A Teoria da Deriva Continental foi desenvolvida por Alfred Wegener no início do século XX. • Postulava que, há cerca de 300 milhões de anos, os continentes estavam agrupados em um supercontinente chamado Pangeia. • Inicialmente a Pangeia separou-se em dois continentes: Laurásia e Gondwana. • O movimento contínuo levou à atual configuração dos continentes.
  • 21. EVIDÊNCIAS DA TEORIA DE WEGENER: • Encaixe das costas da África e da América do Sul. • Fauna e flora da costa oeste da África e leste da América do Sul muito semelhantes.
  • 22. Placas tectônicas e a constante transformação do planeta Anos 50: cientistas estadunidenses descobriram que o fundo dos oceanos estava em movimento. Anos 60: imagens de satélites da NASA comprovaram que os continentes estão em movimento. PLACAS TECTÔNICAS: blocos gigantescos de rochas com muitos quilômetros de altura que formam a crosta terrestre e deslizam sobre o magma.
  • 23. Correntes magmáticas Magma quente sobe Magma frio desce
  • 24. Terremoto Por que existem tremores na terra e no fundo do mar? • A movimentação das placas tectônicas gera abalos sísmicos. • As áreas de encontro entre as placas tectônicas estão mais sujeitas a esses movimentos. • Terremotos causam grandes problemas, especialmente em áreas urbanas, como desabamentos, ferimentos e mortes, além de danos sociais e financeiros.
  • 25. Maremotos • Tremores de terra que ocorrem no fundo dos oceanos em função dos movimentos das placas tectônicas. • Dependendo da intensidade da movimentação, as ondas formadas podem transformar-se em tsunamis. • Tsunami: onda gigantesca que provoca catástrofes nas cidades da costa litorânea. Tsunami atinge área urbana. Onda gigante chegando à cidade.
  • 26.
  • 27. Exemplo de uma área atingida por um tsunami. Vista aérea de Banda Aceh, na Indonésia, totalmente destruída pelo tsunami de 2004.
  • 28. O vulcanismo A partir das rachaduras existentes nas placas tectônicas e devido à alta pressão no manto terrestre, o magma pode atravessar essas rachaduras e acumular-se na câmara magmática, dando origem a um vulcão. Vulcão em erupção Vulcão Tungurahua no Equador exalando fumaça e gases.
  • 29. Distribuição geográfica das zonas sísmicas e vulcânicas Adaptado de: ATLAS 2000: La France et le monde. Paris: Nathan, 1998.
  • 30. Distribuição geográfica dos terremotos Adaptado de: ATLAS 2000: La France et le monde. Paris: Nathan, 1998.
  • 31. A formação das montanhas • Os dobramentos resultam do choque entre duas placas tectônicas (movimento convergente). • A ação horizontal do choque provoca a elevação vertical das rochas. Cordilheira dos Andes, Chile. Esquema representativo da formação da Cordilheira dos Andes.
  • 32. • Quando ocorre o afastamento das placas tectônicas (movimento divergente), surgem fendas por onde o magma passa em altas temperaturas. • O magma resfriado dá origem a novas cadeias montanhosas, chamadas dorsais. • Dorsal Mesoatlântica — cadeia montanhosa em processo de formação no interior do oceano Atlântico. Dorsal Mesoatlântica Esquema que representa a formação da Dorsal Mesoatlântica.
  • 33. Vento, água e ação humana: agentes externos que modelam o relevo • O relevo terrestre está em constante processo de formação e transformação. • Os agentes formadores estão ligados aos movimentos das placas tectônicas (internos). • Os agentes modeladores do relevo estão ligados ao vento, à chuva e à ação humana (externos). Lava quente derretida, magma na superfície terrestre. Formação rochosa erodida pela ação do vento, da chuva e pelas alterações de temperatura.
  • 34. A ação do vento • Agente modelador do relevo, atua mais intensamente em espaços amplos e abertos, como desertos e praias. • As dunas são formadas a partir da ação do vento, transportando os grãos de areia de um local a outro. Dunas no Deserto do Saara Vento transportando grãos de areia em duna no Parque Nacional Altyn-Emel, Cazaquistão.
  • 35. • A ação erosiva do vento recebe o nome de ação eólica. • O vento pode produzir, transportar e depositar sedimentos (resquícios de rochas ou de partículas da decomposição de seres vivos). • A ação do vento produz formatos interessantes nas superfícies afetadas. Parque Estadual das Rochas, Novo México, EUA. Parque Nacional dos Arcos, Utah, EUA.
  • 36. A ação das águas A água é outro importante agente de transformação do relevo, provocando diferentes formas de erosão: Erosão de formação rochosa pela chuva e pelo vento em Lalu, Tailândia. Vale formado em milhares de anos a partir da erosão do Rio dos Peixes, Namíbia. Pela chuva (erosão pluvial) – ocorre com maior frequência em regiões de clima equatorial e tropical. Pelos rios (erosão fluvial) – acontece pela força exercida pela água nas margens e leitos dos rios.
  • 37. Pelo mar (erosão marinha) – acontece quando as águas do mar batem nas rochas da costa. Ao transportar os sedimentos em direção à praia, o mar auxilia no processo de construção do relevo. Pelas geleiras (erosão glacial) – ocorre em regiões de baixas temperaturas, por meio do gelo e degelo. Ponte natural esculpida pelo mar. Geleira de Mingyong, China.
  • 38. A ação dos seres humanos • O homem transforma o relevo pela construção de diferentes elementos: pontes, prédios, represas e outros. • Quando destrói morros, desempenha atividades agropecuárias, extrativistas, industriais, entre outras. • Geralmente orientadas por motivos econômicos, tais ações provocam sérios impactos ambientais, causando danos irreversíveis à natureza. Represa Hoover, rio Colorado, EUA. Mineração a céu aberto em Garzweiler, Alemanha.