SlideShare uma empresa Scribd logo
A origem da Terra
A evolução geológica da Terra
 A Terra se originou a cerca de 4,6 bilhões de anos,
muito depois da formação do universo.
 Acredita- se que tenha surgido à cerca de 13 á 15
bilhões de anos, com uma enorme explosão
denominada Big-Bang .
 Para iniciarmos o estudo da
Teoria do surgimento da Terra,
utilizaremos o Tempo
Geológico.
O tempo geológico
Para a geologia, um milhão de
anos é um espaço de tempo
relativamente curto.
O tempo geológico é dividido
em eras, como veremos na escala
a seguir:
Métodos para conhecer a idade geológica
 Vários métodos são empregados para determinar a
idade de fósseis e estruturas geológicas, o que permite
reconstituir a história da terra, embora as datações
absolutas nem sempre sejam possíveis.
 Os principais métodos utilizados são a
termoluminescência e chamados métodos de datação
baseados na medição de radioatividade(carbono- 14,
urânio- 238 ,tório- 230, potássio- árgon).
A origem dos continentes
 Os continentes, conforme se apresentam nos dias de hoje, foram na
verdade originados de um processo de fragmentação e afastamento
de terras emersas de um único aglomerado primordial, processo este
que durou centenas de milhões de anos. Este aglomerado de terras
continentais, chamado Pangéia, existiu há cerca de 200 milhões de
anos atrás. O afastamento de suas porções continentais foi gerado
provavelmente a partir da atividade tectônica terrestre que, no
período referido, encontrava-se em plena ação e em larga escala.
Segundo consta nos estudos realizados, uma primeira porção
continental teria sido separada das demais na região setentrional da
Pangéia. A este primeiro grande fragmento deu-se o nome de
Laurásia, originada por volta de 130 milhões de anos atrás.
Deriva continental
 A ideia da deriva continental foi proposta pela primeira vez
por Alfred Wegener em 1912. Em 1915 publicou o livro "A
origem dos Continentes e dos Oceanos", onde propôs a
teoria, com base nas formas dos continentes de cada lado
do Oceano Atlântico, que pareciam se encaixar.
 A similaridade entre os fósseis encontrados em diferentes
continentes, bem como entre formações geológicas, levou
alguns geólogos do hemisfério Sul a acreditar que todos os
continentes já estiveram unidos, na forma de um
supercontinente que recebeu o nome de Pangeia.
 A hipótese da deriva continental tornou-se parte de uma
teoria maior, a teoria da tectônica de placas. Este artigo
trata do desenvolvimento da teoria da deriva continental
antes de 1950.
A estrutura da Terra
 Em seu processo de formação, a Terra registrou altíssimas
temperaturas. Por causa disso grande parte do nosso
planeta fundiu-se e houve uma acomodação desigual de
seus componentes.
 Os materiais mais pesados afundaram e formaram o
núcleo;Os mais leves ficaram próximos da superfície.
 Assim, a Terra é formada por diferentes camadas;
 A crosta, constituída de materiais mais leves;
 O manto, camada intermediária;
 O núcleo, formada por materiais mais densos.
Isostacia
 Isostasia, ou movimento isostático, é o termo utilizado
em Geologia para se referir ao estado de equilíbrio
gravitacional, e as suas alterações, entre a litosfera e a
astenosfera da Terra. Esse processo resulta da flutuação das
placas tectónicas sobre o material mais denso da
astenosfera, cujo equilíbrio depende das suas densidades
relativas e do peso da placa. Tal equilíbrio implica que um
aumento do peso da placa (por espessamento ou por
deposição de sedimentos, água ou gelo sobre a sua
superfície) leva ao seu afundamento, ocorrendo,
inversamente, uma subida (em geral chamada re-
emergência ou rebound), quando o peso diminui.
Rochas e minerais
 Rochas ígneas:
 O material que origina as rochas magmáticas é o magma, que se
forma no manto terrestre. As rochas magmáticas ou ígneas são
as rochas mais antigas que se formam na crosta terrestre.
 A palavra ígneo define as coisas que dizem respeito ao fogo, que
são da natureza do fogo. A palavra magmática vem de magma.
 As rochas magmáticas podem ser classificadas em extrusivas e
intrusivas.
 Extrusivas: São rochas magmáticas que se formam na superfície
da crosta terrestre. Vulcões em atividade lançam na superfície da
crosta uma enorme quantidade de magma. Depois de algum
tempo, a lava solidifica-se ( torna-se sólida), formando a rocha; é
o caso do basalto.
 Intrusivas: São as rochas magmáticas que se formaram no
interior da crosta terrestre. Essas rochas são muito duras, e não
contêm fósseis; é o caso do granito.
Rochas metafóricas
 Em geologia, chamam-se rochas metamórficas àquelas
que são formadas por transformações físicas e
químicas sofridas por outras rochas, quando
submetidas ao calor e à pressão do interior da Terra,
num processo denominado metamorfismo.
As rochas metamórficas são o produto da
transformação de qualquer tipo de rocha levada a um
ambiente onde as condições físicas (pressão,
temperatura) são muito distintas daquelas onde a
rocha se formou. Nestes ambientes, os minerais
podem se tornar instáveis e reagir formando outros
minerais, estáveis nas condições vigentes.
Rochas sedimentares
 A palavra sedimentar tem sua origem no latin sedere
 (= acumular) e é uma referência ao seu processo de
formação. Elas cobrem cerca de 2/3 da área dos continentes
e a maior parte do fundo dos oceanos.
Quando as rochas são atingidas pelos agentes do tempo
como o vento, a chuva, o gelo, elas se desagregam,
liberando pequenas partículas das rochas, ou se dissolvem e
são carregadas pelas águas, pelo vento, ou pela gravidade,
para outros locais mais baixos, como planícies,lagos, e
mares. Ali estas partículas vão se acumulando em camadas
(estratos)e vão se compactando formando arenitos e
conglomerados.
O ciclo das rochas
 O ciclo das rochas representa as diversas possibilidades de
transformação de um tipo de rocha em outro. As setas que
interligam as rochas ígneas, sedimentares e metamórficas indicam
processos relacionados à dinâmica geológica da crosta terrestre.
 Os continentes se originaram ao longo do tempo geológico pela
transferência de materiais menos densos do manto para a
superfície terrestre.
 As rochas, uma vez expostas à atmosfera e à biosfera passam a
sofrer a ação do intemperismo, através de reações de oxidação,
hidratação, solubilização, ataques por substâncias orgânicas,
variações diárias e sazonais de temperatura, entre outras. O
intemperismo faz com que as rochas percam sua coesão, sendo
erodidas, transportadas e depositadas em depressões onde, após a
diagênese, passam a constituir as rochas sedimentares.
 A cadeia de processos de formação de rochas sedimentares pode
atuar sobre qualquer rocha (ígnea, metamórfica, sedimentar)
exposta à superfície da Terra.
Estrutura geológica
 Podemos chamar de estrutura geológica o conjunto de
diferentes rochas de um lugar e os vários processos por elas
sfridos, o que dá aos terrenos desse lugar uma característica
própria.
 Crátons ou plataformas: São Rochas magmáticas e
metafóricas muito antigas, das eras Pré-Cambriana e
Paleozóica.Apresentam-se desgastadas e com baixas
altitudes, porque sofreram forte processo erosivo.
 Bacias sedimentares: Os sedimentos produzidos e
transportados pelo vento e pelas águas acumularam-se em
depressões existentes na superfícies dos escudos (bacias).
 Preenchidas pelos sediment0s que dormaram as
rochas sedimentares, essas áreas são chamadas de
bacias sedimentares.
 Faixas orogênicas: Dividem-se em-
 Dobramentos antigos: São blocos imensos de rochas
antigas. Estes escudos são constituídos por rochas
cristalinas (magmático-plutônicas), formadas em eras
pré-cambrianas, ou por rochas metamórficas (material
sedimentar) do Paleozóico, são resistentes, estáveis,
porém bastante desgastadas.
 Dobramentos modernos: Os dobramentos
modernos são estruturas formadas por rochas
magmáticas e sedimentares pouco resistentes que
foram afetadas por forças tectônicas durante o período
Terciário provocando o enrugamento e originando as
cadeias montanhosas ou cordilheiras.
A teoria das placas tectônicas
 A crosta terrestre está divida em placas de espessura
média de 150 km que flutuam sobre um substrato
pastoso, a astenosfera.
Tema especial:
O BigBang
 O Big Bang é uma teoria sobre a orgiem do universo, que ocorreu
há cerca de 13,7 bilhões de anos. O Big Bang teve seu primeiro
estudo com Friedmann, porém foi com Lamaítre que essa teoria
ganhou força. Embora muito criticado pelos astronomos e
físicos da época, entre eles o própiro Einstein, Lamaítre persistiu
em sua tese sobre um universo em expansão. Apesar de seus
estudos sobre essa tese serem bem satisfatórios, o qual iniciou a
partir da teoria da relatividade geral de Einstein, Lamaítre só
conseguiu que acreditassem nele após as observações de Hubble,
que viu as galáxia se afastando a partir do desvio para o vermelho.
Hubble provou não só que elas estavam se afastando como
também mostrou que a velocidade das galáxias eram totalmente
proporcional a suas distâncias, ou seja, quanto mais longe elas
estavam, mas rapidamente se moviam.
Cada cientista vê o Big Bang de uma forma.Então a
seguir, lindas imagens formuladas por especialistas no
assunto mostram sua visão aprimorada da teoria do
Big Bang.Boa apreciação.
FIM.
OBRIGADA PELA
ATENÇÃO DE TODOS!
 BY:
Alana
Ana Laura
Anderson Falla
Ingrid
Kelly
• Agradecimentos:
Professora Rosemeire
Todos os alunos do 1° A

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Origem da terra
Origem da terraOrigem da terra
Origem da terra
marclae
 
Contituicao geral do planeta terra e sua história de formaçao
Contituicao geral do planeta terra e sua história de formaçaoContituicao geral do planeta terra e sua história de formaçao
Contituicao geral do planeta terra e sua história de formaçao
Wendell Fabrício
 
Etapasp
EtapaspEtapasp
Etapasp
Tânia Reis
 
Pérmico
PérmicoPérmico
Pérmico
Marco Oliveira
 
Eras geologicas aula pibid biologia-1º ano-luiz carlos da costa
Eras geologicas aula pibid biologia-1º ano-luiz carlos da costaEras geologicas aula pibid biologia-1º ano-luiz carlos da costa
Eras geologicas aula pibid biologia-1º ano-luiz carlos da costa
Luiz Carlos
 
Evolução da planeta terra.
Evolução da planeta terra.Evolução da planeta terra.
Evolução da planeta terra.
Lineu Manelinho Gomes Pinto
 
Eras geológicas da terra
Eras geológicas da terraEras geológicas da terra
Eras geológicas da terra
Matheus Zambonin
 
6º ano formação da terra
6º ano   formação da terra6º ano   formação da terra
6º ano formação da terra
Nagela Gharib
 
Atmosfera, litosfera, hidrosfera
Atmosfera, litosfera, hidrosferaAtmosfera, litosfera, hidrosfera
Atmosfera, litosfera, hidrosfera
marcommendes
 
Pré-Cambriana
Pré-CambrianaPré-Cambriana
Pré-Cambriana
rodrigodalri
 
Tempo GeolóGico
Tempo GeolóGicoTempo GeolóGico
Tempo GeolóGico
Nuno Correia
 
História da Terra
História da TerraHistória da Terra
História da Terra
Zé Matos
 
Eras geológicas slide
Eras geológicas slideEras geológicas slide
Eras geológicas slide
geolourdes
 
A origem da Terra
A origem da TerraA origem da Terra
A origem da Terra
Rodrigo Baglini
 
Etapas Da História Da Terra
Etapas Da História Da TerraEtapas Da História Da Terra
Etapas Da História Da Terra
Tânia Reis
 
Eras geologicas
Eras geologicasEras geologicas
Eras geologicas
Bianca Martins
 
Vida na terra
Vida na terraVida na terra
História da Terra
História da TerraHistória da Terra
História da Terra
Teresa Monteiro
 
CN: Terra Em Transformação - Etapas Historia da Terra
CN: Terra Em Transformação - Etapas Historia da TerraCN: Terra Em Transformação - Etapas Historia da Terra
CN: Terra Em Transformação - Etapas Historia da Terra
7F
 
Sistema físico da Terra
Sistema físico da TerraSistema físico da Terra
Sistema físico da Terra
Fábio Roque
 

Mais procurados (20)

Origem da terra
Origem da terraOrigem da terra
Origem da terra
 
Contituicao geral do planeta terra e sua história de formaçao
Contituicao geral do planeta terra e sua história de formaçaoContituicao geral do planeta terra e sua história de formaçao
Contituicao geral do planeta terra e sua história de formaçao
 
Etapasp
EtapaspEtapasp
Etapasp
 
Pérmico
PérmicoPérmico
Pérmico
 
Eras geologicas aula pibid biologia-1º ano-luiz carlos da costa
Eras geologicas aula pibid biologia-1º ano-luiz carlos da costaEras geologicas aula pibid biologia-1º ano-luiz carlos da costa
Eras geologicas aula pibid biologia-1º ano-luiz carlos da costa
 
Evolução da planeta terra.
Evolução da planeta terra.Evolução da planeta terra.
Evolução da planeta terra.
 
Eras geológicas da terra
Eras geológicas da terraEras geológicas da terra
Eras geológicas da terra
 
6º ano formação da terra
6º ano   formação da terra6º ano   formação da terra
6º ano formação da terra
 
Atmosfera, litosfera, hidrosfera
Atmosfera, litosfera, hidrosferaAtmosfera, litosfera, hidrosfera
Atmosfera, litosfera, hidrosfera
 
Pré-Cambriana
Pré-CambrianaPré-Cambriana
Pré-Cambriana
 
Tempo GeolóGico
Tempo GeolóGicoTempo GeolóGico
Tempo GeolóGico
 
História da Terra
História da TerraHistória da Terra
História da Terra
 
Eras geológicas slide
Eras geológicas slideEras geológicas slide
Eras geológicas slide
 
A origem da Terra
A origem da TerraA origem da Terra
A origem da Terra
 
Etapas Da História Da Terra
Etapas Da História Da TerraEtapas Da História Da Terra
Etapas Da História Da Terra
 
Eras geologicas
Eras geologicasEras geologicas
Eras geologicas
 
Vida na terra
Vida na terraVida na terra
Vida na terra
 
História da Terra
História da TerraHistória da Terra
História da Terra
 
CN: Terra Em Transformação - Etapas Historia da Terra
CN: Terra Em Transformação - Etapas Historia da TerraCN: Terra Em Transformação - Etapas Historia da Terra
CN: Terra Em Transformação - Etapas Historia da Terra
 
Sistema físico da Terra
Sistema físico da TerraSistema físico da Terra
Sistema físico da Terra
 

Destaque

Tema 15. Procesos PetroxenéTicos Internos Ii.Metamorfismo
Tema 15. Procesos PetroxenéTicos Internos Ii.MetamorfismoTema 15. Procesos PetroxenéTicos Internos Ii.Metamorfismo
Tema 15. Procesos PetroxenéTicos Internos Ii.Metamorfismo
Consellería de Educación, Universidade e Formación Profesional. Xunta de Galicia
 
Geologia.
Geologia.Geologia.
Geologia.
Ludmiilaa
 
Tipos de rochas
Tipos de rochasTipos de rochas
Tipos de rochas
Adrianna Carvalho
 
Formação do espaço geográfico mundial
Formação do espaço geográfico mundialFormação do espaço geográfico mundial
Formação do espaço geográfico mundial
karolpoa
 
A dinâmicas do Planeta Terra - Geografia
A dinâmicas do Planeta Terra - GeografiaA dinâmicas do Planeta Terra - Geografia
A dinâmicas do Planeta Terra - Geografia
Positivo e Sesi
 
Formação do espaço geográfico mundial
Formação do espaço geográfico mundialFormação do espaço geográfico mundial
Formação do espaço geográfico mundial
karolpoa
 
Geografia para o ensino fundamental partir dos PCN
Geografia para o ensino fundamental partir dos PCNGeografia para o ensino fundamental partir dos PCN
Geografia para o ensino fundamental partir dos PCN
Patrícia Éderson Dias
 
Exercícios de Geografia
Exercícios de GeografiaExercícios de Geografia
Exercícios de Geografia
Jorge Ferreira
 

Destaque (8)

Tema 15. Procesos PetroxenéTicos Internos Ii.Metamorfismo
Tema 15. Procesos PetroxenéTicos Internos Ii.MetamorfismoTema 15. Procesos PetroxenéTicos Internos Ii.Metamorfismo
Tema 15. Procesos PetroxenéTicos Internos Ii.Metamorfismo
 
Geologia.
Geologia.Geologia.
Geologia.
 
Tipos de rochas
Tipos de rochasTipos de rochas
Tipos de rochas
 
Formação do espaço geográfico mundial
Formação do espaço geográfico mundialFormação do espaço geográfico mundial
Formação do espaço geográfico mundial
 
A dinâmicas do Planeta Terra - Geografia
A dinâmicas do Planeta Terra - GeografiaA dinâmicas do Planeta Terra - Geografia
A dinâmicas do Planeta Terra - Geografia
 
Formação do espaço geográfico mundial
Formação do espaço geográfico mundialFormação do espaço geográfico mundial
Formação do espaço geográfico mundial
 
Geografia para o ensino fundamental partir dos PCN
Geografia para o ensino fundamental partir dos PCNGeografia para o ensino fundamental partir dos PCN
Geografia para o ensino fundamental partir dos PCN
 
Exercícios de Geografia
Exercícios de GeografiaExercícios de Geografia
Exercícios de Geografia
 

Semelhante a geografia origem do mundo

Geografia natureza e riscos ambientais
Geografia   natureza e riscos ambientaisGeografia   natureza e riscos ambientais
Geografia natureza e riscos ambientais
geografiafelipe
 
Geografia natureza e riscos ambientais
Geografia   natureza e riscos ambientaisGeografia   natureza e riscos ambientais
Geografia natureza e riscos ambientais
geografiafelipe
 
Geografia natureza e riscos ambientais
Geografia   natureza e riscos ambientaisGeografia   natureza e riscos ambientais
Geografia natureza e riscos ambientais
felipedacarpereira
 
Resumo biologia e geologia 10º e 11º ano
Resumo biologia e geologia 10º e 11º anoResumo biologia e geologia 10º e 11º ano
Resumo biologia e geologia 10º e 11º ano
Rita Pereira
 
Estrutura geológica da terra
Estrutura geológica da terraEstrutura geológica da terra
Estrutura geológica da terra
Liz de Oliveira Mendes Francisco
 
Noções de Geologia - Formação do planeta terra
Noções de Geologia - Formação do planeta terraNoções de Geologia - Formação do planeta terra
Noções de Geologia - Formação do planeta terra
AndreaGama16
 
Aula 01 curso de mineração (geologia) l
Aula 01 curso de mineração (geologia) lAula 01 curso de mineração (geologia) l
Aula 01 curso de mineração (geologia) l
Homero Alves de Lima
 
Trabalho Geologia geral [2]
Trabalho Geologia geral [2]Trabalho Geologia geral [2]
Trabalho Geologia geral [2]
Marcelo Lois
 
Resumo bio geo 10º 11º
Resumo bio geo 10º 11ºResumo bio geo 10º 11º
Resumo bio geo 10º 11º
Filipe Raivel
 
Biologia_e_Geologia_10_e_11_anooooooo.pdf
Biologia_e_Geologia_10_e_11_anooooooo.pdfBiologia_e_Geologia_10_e_11_anooooooo.pdf
Biologia_e_Geologia_10_e_11_anooooooo.pdf
MariaFerreira8G
 
Biogeoano1e2 (1)
Biogeoano1e2 (1)Biogeoano1e2 (1)
Biogeoano1e2 (1)
Pedro Tonyzinho
 
Ifes aula 5-formação-geológica_da_terra
Ifes aula 5-formação-geológica_da_terraIfes aula 5-formação-geológica_da_terra
Ifes aula 5-formação-geológica_da_terra
Kéliton Ferreira
 
Geologia 2011
Geologia 2011Geologia 2011
Geologia 2011
UFES
 
Aula 04 - Geologia estrutural, planeta Terra
Aula 04 - Geologia estrutural, planeta TerraAula 04 - Geologia estrutural, planeta Terra
Aula 04 - Geologia estrutural, planeta Terra
AndreaGama16
 
Geologia
GeologiaGeologia
Geologia
espacoaberto
 
Geologia evoluçao da terra e fenomenos geologicos
Geologia evoluçao da terra e fenomenos geologicosGeologia evoluçao da terra e fenomenos geologicos
Geologia evoluçao da terra e fenomenos geologicos
Wander Junior
 
Estrutura geológica e relevo
Estrutura geológica e relevoEstrutura geológica e relevo
Estrutura geológica e relevo
Diana Lima
 
Sagrada familia 1 ano resolução de atividades
Sagrada familia 1 ano resolução de atividadesSagrada familia 1 ano resolução de atividades
Sagrada familia 1 ano resolução de atividades
Jose Luiz de Oliveira
 
Litosfera 110419124325-phpapp02
Litosfera 110419124325-phpapp02Litosfera 110419124325-phpapp02
Litosfera 110419124325-phpapp02
Regis Barbosa Batista
 
aformaodaterra-110321121503-phpapp01.pptx
aformaodaterra-110321121503-phpapp01.pptxaformaodaterra-110321121503-phpapp01.pptx
aformaodaterra-110321121503-phpapp01.pptx
ssuser60b183
 

Semelhante a geografia origem do mundo (20)

Geografia natureza e riscos ambientais
Geografia   natureza e riscos ambientaisGeografia   natureza e riscos ambientais
Geografia natureza e riscos ambientais
 
Geografia natureza e riscos ambientais
Geografia   natureza e riscos ambientaisGeografia   natureza e riscos ambientais
Geografia natureza e riscos ambientais
 
Geografia natureza e riscos ambientais
Geografia   natureza e riscos ambientaisGeografia   natureza e riscos ambientais
Geografia natureza e riscos ambientais
 
Resumo biologia e geologia 10º e 11º ano
Resumo biologia e geologia 10º e 11º anoResumo biologia e geologia 10º e 11º ano
Resumo biologia e geologia 10º e 11º ano
 
Estrutura geológica da terra
Estrutura geológica da terraEstrutura geológica da terra
Estrutura geológica da terra
 
Noções de Geologia - Formação do planeta terra
Noções de Geologia - Formação do planeta terraNoções de Geologia - Formação do planeta terra
Noções de Geologia - Formação do planeta terra
 
Aula 01 curso de mineração (geologia) l
Aula 01 curso de mineração (geologia) lAula 01 curso de mineração (geologia) l
Aula 01 curso de mineração (geologia) l
 
Trabalho Geologia geral [2]
Trabalho Geologia geral [2]Trabalho Geologia geral [2]
Trabalho Geologia geral [2]
 
Resumo bio geo 10º 11º
Resumo bio geo 10º 11ºResumo bio geo 10º 11º
Resumo bio geo 10º 11º
 
Biologia_e_Geologia_10_e_11_anooooooo.pdf
Biologia_e_Geologia_10_e_11_anooooooo.pdfBiologia_e_Geologia_10_e_11_anooooooo.pdf
Biologia_e_Geologia_10_e_11_anooooooo.pdf
 
Biogeoano1e2 (1)
Biogeoano1e2 (1)Biogeoano1e2 (1)
Biogeoano1e2 (1)
 
Ifes aula 5-formação-geológica_da_terra
Ifes aula 5-formação-geológica_da_terraIfes aula 5-formação-geológica_da_terra
Ifes aula 5-formação-geológica_da_terra
 
Geologia 2011
Geologia 2011Geologia 2011
Geologia 2011
 
Aula 04 - Geologia estrutural, planeta Terra
Aula 04 - Geologia estrutural, planeta TerraAula 04 - Geologia estrutural, planeta Terra
Aula 04 - Geologia estrutural, planeta Terra
 
Geologia
GeologiaGeologia
Geologia
 
Geologia evoluçao da terra e fenomenos geologicos
Geologia evoluçao da terra e fenomenos geologicosGeologia evoluçao da terra e fenomenos geologicos
Geologia evoluçao da terra e fenomenos geologicos
 
Estrutura geológica e relevo
Estrutura geológica e relevoEstrutura geológica e relevo
Estrutura geológica e relevo
 
Sagrada familia 1 ano resolução de atividades
Sagrada familia 1 ano resolução de atividadesSagrada familia 1 ano resolução de atividades
Sagrada familia 1 ano resolução de atividades
 
Litosfera 110419124325-phpapp02
Litosfera 110419124325-phpapp02Litosfera 110419124325-phpapp02
Litosfera 110419124325-phpapp02
 
aformaodaterra-110321121503-phpapp01.pptx
aformaodaterra-110321121503-phpapp01.pptxaformaodaterra-110321121503-phpapp01.pptx
aformaodaterra-110321121503-phpapp01.pptx
 

Último

Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!
Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!
Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!
Annelise Gripp
 
Por que escolhi o Flutter - Campus Party Piauí.pdf
Por que escolhi o Flutter - Campus Party Piauí.pdfPor que escolhi o Flutter - Campus Party Piauí.pdf
Por que escolhi o Flutter - Campus Party Piauí.pdf
Ian Oliveira
 
Orientações para utilizar Drone no espaço Brasil
Orientações para utilizar Drone no espaço BrasilOrientações para utilizar Drone no espaço Brasil
Orientações para utilizar Drone no espaço Brasil
EliakimArajo2
 
Teoria de redes de computadores redes .doc
Teoria de redes de computadores redes .docTeoria de redes de computadores redes .doc
Teoria de redes de computadores redes .doc
anpproferick
 
Como fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptx
Como fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptxComo fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptx
Como fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptx
tnrlucas
 
Gestão de dados: sua importância e benefícios
Gestão de dados: sua importância e benefíciosGestão de dados: sua importância e benefícios
Gestão de dados: sua importância e benefícios
Rafael Santos
 
PRATICANDO O SCRUM Scrum team, product owner
PRATICANDO O SCRUM Scrum team, product ownerPRATICANDO O SCRUM Scrum team, product owner
PRATICANDO O SCRUM Scrum team, product owner
anpproferick
 

Último (7)

Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!
Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!
Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!
 
Por que escolhi o Flutter - Campus Party Piauí.pdf
Por que escolhi o Flutter - Campus Party Piauí.pdfPor que escolhi o Flutter - Campus Party Piauí.pdf
Por que escolhi o Flutter - Campus Party Piauí.pdf
 
Orientações para utilizar Drone no espaço Brasil
Orientações para utilizar Drone no espaço BrasilOrientações para utilizar Drone no espaço Brasil
Orientações para utilizar Drone no espaço Brasil
 
Teoria de redes de computadores redes .doc
Teoria de redes de computadores redes .docTeoria de redes de computadores redes .doc
Teoria de redes de computadores redes .doc
 
Como fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptx
Como fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptxComo fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptx
Como fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptx
 
Gestão de dados: sua importância e benefícios
Gestão de dados: sua importância e benefíciosGestão de dados: sua importância e benefícios
Gestão de dados: sua importância e benefícios
 
PRATICANDO O SCRUM Scrum team, product owner
PRATICANDO O SCRUM Scrum team, product ownerPRATICANDO O SCRUM Scrum team, product owner
PRATICANDO O SCRUM Scrum team, product owner
 

geografia origem do mundo

  • 1. A origem da Terra
  • 2. A evolução geológica da Terra  A Terra se originou a cerca de 4,6 bilhões de anos, muito depois da formação do universo.  Acredita- se que tenha surgido à cerca de 13 á 15 bilhões de anos, com uma enorme explosão denominada Big-Bang .  Para iniciarmos o estudo da Teoria do surgimento da Terra, utilizaremos o Tempo Geológico.
  • 3. O tempo geológico Para a geologia, um milhão de anos é um espaço de tempo relativamente curto. O tempo geológico é dividido em eras, como veremos na escala a seguir:
  • 4.
  • 5. Métodos para conhecer a idade geológica  Vários métodos são empregados para determinar a idade de fósseis e estruturas geológicas, o que permite reconstituir a história da terra, embora as datações absolutas nem sempre sejam possíveis.  Os principais métodos utilizados são a termoluminescência e chamados métodos de datação baseados na medição de radioatividade(carbono- 14, urânio- 238 ,tório- 230, potássio- árgon).
  • 6. A origem dos continentes  Os continentes, conforme se apresentam nos dias de hoje, foram na verdade originados de um processo de fragmentação e afastamento de terras emersas de um único aglomerado primordial, processo este que durou centenas de milhões de anos. Este aglomerado de terras continentais, chamado Pangéia, existiu há cerca de 200 milhões de anos atrás. O afastamento de suas porções continentais foi gerado provavelmente a partir da atividade tectônica terrestre que, no período referido, encontrava-se em plena ação e em larga escala. Segundo consta nos estudos realizados, uma primeira porção continental teria sido separada das demais na região setentrional da Pangéia. A este primeiro grande fragmento deu-se o nome de Laurásia, originada por volta de 130 milhões de anos atrás.
  • 7.
  • 8. Deriva continental  A ideia da deriva continental foi proposta pela primeira vez por Alfred Wegener em 1912. Em 1915 publicou o livro "A origem dos Continentes e dos Oceanos", onde propôs a teoria, com base nas formas dos continentes de cada lado do Oceano Atlântico, que pareciam se encaixar.  A similaridade entre os fósseis encontrados em diferentes continentes, bem como entre formações geológicas, levou alguns geólogos do hemisfério Sul a acreditar que todos os continentes já estiveram unidos, na forma de um supercontinente que recebeu o nome de Pangeia.  A hipótese da deriva continental tornou-se parte de uma teoria maior, a teoria da tectônica de placas. Este artigo trata do desenvolvimento da teoria da deriva continental antes de 1950.
  • 9. A estrutura da Terra  Em seu processo de formação, a Terra registrou altíssimas temperaturas. Por causa disso grande parte do nosso planeta fundiu-se e houve uma acomodação desigual de seus componentes.  Os materiais mais pesados afundaram e formaram o núcleo;Os mais leves ficaram próximos da superfície.  Assim, a Terra é formada por diferentes camadas;  A crosta, constituída de materiais mais leves;  O manto, camada intermediária;  O núcleo, formada por materiais mais densos.
  • 10.
  • 11.
  • 12. Isostacia  Isostasia, ou movimento isostático, é o termo utilizado em Geologia para se referir ao estado de equilíbrio gravitacional, e as suas alterações, entre a litosfera e a astenosfera da Terra. Esse processo resulta da flutuação das placas tectónicas sobre o material mais denso da astenosfera, cujo equilíbrio depende das suas densidades relativas e do peso da placa. Tal equilíbrio implica que um aumento do peso da placa (por espessamento ou por deposição de sedimentos, água ou gelo sobre a sua superfície) leva ao seu afundamento, ocorrendo, inversamente, uma subida (em geral chamada re- emergência ou rebound), quando o peso diminui.
  • 13.
  • 14. Rochas e minerais  Rochas ígneas:  O material que origina as rochas magmáticas é o magma, que se forma no manto terrestre. As rochas magmáticas ou ígneas são as rochas mais antigas que se formam na crosta terrestre.  A palavra ígneo define as coisas que dizem respeito ao fogo, que são da natureza do fogo. A palavra magmática vem de magma.  As rochas magmáticas podem ser classificadas em extrusivas e intrusivas.  Extrusivas: São rochas magmáticas que se formam na superfície da crosta terrestre. Vulcões em atividade lançam na superfície da crosta uma enorme quantidade de magma. Depois de algum tempo, a lava solidifica-se ( torna-se sólida), formando a rocha; é o caso do basalto.  Intrusivas: São as rochas magmáticas que se formaram no interior da crosta terrestre. Essas rochas são muito duras, e não contêm fósseis; é o caso do granito.
  • 15. Rochas metafóricas  Em geologia, chamam-se rochas metamórficas àquelas que são formadas por transformações físicas e químicas sofridas por outras rochas, quando submetidas ao calor e à pressão do interior da Terra, num processo denominado metamorfismo. As rochas metamórficas são o produto da transformação de qualquer tipo de rocha levada a um ambiente onde as condições físicas (pressão, temperatura) são muito distintas daquelas onde a rocha se formou. Nestes ambientes, os minerais podem se tornar instáveis e reagir formando outros minerais, estáveis nas condições vigentes.
  • 16. Rochas sedimentares  A palavra sedimentar tem sua origem no latin sedere  (= acumular) e é uma referência ao seu processo de formação. Elas cobrem cerca de 2/3 da área dos continentes e a maior parte do fundo dos oceanos. Quando as rochas são atingidas pelos agentes do tempo como o vento, a chuva, o gelo, elas se desagregam, liberando pequenas partículas das rochas, ou se dissolvem e são carregadas pelas águas, pelo vento, ou pela gravidade, para outros locais mais baixos, como planícies,lagos, e mares. Ali estas partículas vão se acumulando em camadas (estratos)e vão se compactando formando arenitos e conglomerados.
  • 17. O ciclo das rochas  O ciclo das rochas representa as diversas possibilidades de transformação de um tipo de rocha em outro. As setas que interligam as rochas ígneas, sedimentares e metamórficas indicam processos relacionados à dinâmica geológica da crosta terrestre.  Os continentes se originaram ao longo do tempo geológico pela transferência de materiais menos densos do manto para a superfície terrestre.  As rochas, uma vez expostas à atmosfera e à biosfera passam a sofrer a ação do intemperismo, através de reações de oxidação, hidratação, solubilização, ataques por substâncias orgânicas, variações diárias e sazonais de temperatura, entre outras. O intemperismo faz com que as rochas percam sua coesão, sendo erodidas, transportadas e depositadas em depressões onde, após a diagênese, passam a constituir as rochas sedimentares.  A cadeia de processos de formação de rochas sedimentares pode atuar sobre qualquer rocha (ígnea, metamórfica, sedimentar) exposta à superfície da Terra.
  • 18.
  • 19.
  • 20. Estrutura geológica  Podemos chamar de estrutura geológica o conjunto de diferentes rochas de um lugar e os vários processos por elas sfridos, o que dá aos terrenos desse lugar uma característica própria.  Crátons ou plataformas: São Rochas magmáticas e metafóricas muito antigas, das eras Pré-Cambriana e Paleozóica.Apresentam-se desgastadas e com baixas altitudes, porque sofreram forte processo erosivo.  Bacias sedimentares: Os sedimentos produzidos e transportados pelo vento e pelas águas acumularam-se em depressões existentes na superfícies dos escudos (bacias).
  • 21.  Preenchidas pelos sediment0s que dormaram as rochas sedimentares, essas áreas são chamadas de bacias sedimentares.  Faixas orogênicas: Dividem-se em-  Dobramentos antigos: São blocos imensos de rochas antigas. Estes escudos são constituídos por rochas cristalinas (magmático-plutônicas), formadas em eras pré-cambrianas, ou por rochas metamórficas (material sedimentar) do Paleozóico, são resistentes, estáveis, porém bastante desgastadas.  Dobramentos modernos: Os dobramentos modernos são estruturas formadas por rochas magmáticas e sedimentares pouco resistentes que foram afetadas por forças tectônicas durante o período Terciário provocando o enrugamento e originando as cadeias montanhosas ou cordilheiras.
  • 22.
  • 23. A teoria das placas tectônicas  A crosta terrestre está divida em placas de espessura média de 150 km que flutuam sobre um substrato pastoso, a astenosfera.
  • 24.
  • 25.
  • 26. Tema especial: O BigBang  O Big Bang é uma teoria sobre a orgiem do universo, que ocorreu há cerca de 13,7 bilhões de anos. O Big Bang teve seu primeiro estudo com Friedmann, porém foi com Lamaítre que essa teoria ganhou força. Embora muito criticado pelos astronomos e físicos da época, entre eles o própiro Einstein, Lamaítre persistiu em sua tese sobre um universo em expansão. Apesar de seus estudos sobre essa tese serem bem satisfatórios, o qual iniciou a partir da teoria da relatividade geral de Einstein, Lamaítre só conseguiu que acreditassem nele após as observações de Hubble, que viu as galáxia se afastando a partir do desvio para o vermelho. Hubble provou não só que elas estavam se afastando como também mostrou que a velocidade das galáxias eram totalmente proporcional a suas distâncias, ou seja, quanto mais longe elas estavam, mas rapidamente se moviam.
  • 27. Cada cientista vê o Big Bang de uma forma.Então a seguir, lindas imagens formuladas por especialistas no assunto mostram sua visão aprimorada da teoria do Big Bang.Boa apreciação.
  • 28.
  • 29.
  • 30.
  • 31.
  • 32.
  • 33.
  • 34.
  • 36.  BY: Alana Ana Laura Anderson Falla Ingrid Kelly • Agradecimentos: Professora Rosemeire Todos os alunos do 1° A