SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 21
BIOCOMBUSTÍVEIS
Professor: Marla Oliveira Andrade
Disciplina: Seminário de Pesquisa
interdisciplinar
Componentes:
 Juliana Costa
 Jaciara Reis
INTRODUÇÃO
 São combustíveis produzidos a partir da biomassa
(matéria orgânica), isto é, de fontes renováveis – produtos
vegetais ou compostos de origem animal.
As fontes mais conhecidas no mundo são cana-de-
açúcar, milho, soja, semente de girassol, madeira e
celulose.
Os biocombustíveis são biodegradáveis – por isso
provocam menor impacto à natureza.
ORIGEM
No Brasil começa a partir de testes pioneiros realizados,
entre os anos de 1905 e 1925, com o álcool combustível. Em
1931, o governo brasileiro estabelece um decreto que obriga
a mistura de 5% de álcool na gasolina importada pelo país;
sete anos depois, o decreto-lei nº 737 estende a
obrigatoriedade da mistura de 5% de álcool também à
gasolina.
Em 14 de Novembro de 1975 o decreto n° 76.593 cria
o Pró álcool, sendo os engenheiros Lamartine Navarro
Júnior e Cícero Junqueira Franco considerados "os pais do
Pró álcool", acompanhado pelo empresário Maurílio Biagi.
PRÓALCOOL
O Pró-Álcool ou Programa Nacional do Álcool foi um
programa de substituição em larga escala dos
combustíveis veiculares derivados de petróleo por álcool,
financiado pelo governo do Brasil a partir de 1975 devido
a crise do petróleo em 1973 e mais agravante depois da
crise de 1979.
MATÉRIA-PRIMA
Os biocombustíveis são fontes de energia que não
contribuem para o acúmulo de gases do efeito estufa na
atmosfera. As fontes mais conhecidas no mundo são cana-
de-açúcar, milho, soja, semente de girassol, madeira e
celulose.
IMPORTÂNCIA
 Reduzem a emissão de CO2 e geram menos poluentes;
 Diminuem a dependência das importações de petróleo;
 Proporciona geração de empregos ;
 São produzidos a partir das plantas e de sebo animal;
 Os gases gerados na sua queima são reabsorvidos no
crescimento da safra seguinte;
 Sua produção pode ser controlada;
 Preserva o meio ambiente e contribui para melhorar a
qualidade do ar nos grandes centros urbanos.
ALGUNS TIPOS :
Etanol
Biogás
Biodiesel
ETANOL
 O etanol é um álcool, um composto orgânico
oxigenado, também denominado álcool etílico, e sua
fórmula química é o C2H5OH.
 No Brasil, o etanol é produzido pela fermentação, por
leveduras, do caldo extraído da cana-de-açúcar. Em
outras partes do mundo também se usa, como
matérias-primas, o milho, a mandioca e a beterraba,
por exemplo.
CICLO DO ETANOL
Saída do
bagaço
Entrada
da cana
VANTAGENS
 Alternativa limpa e renovável;
 Com uma tecnologia simples, qualquer país pode
produzi-lo, desde que haja condições mínimas;
 Podendo ser utilizado puro ou misturado aos
combustíveis fósseis;
 Preço mais baixo quando comparado ao dos
combustíveis fósseis.
DESVANTAGENS
 Necessidade de grandes extensões de terras para o
plantio de matérias-primas;
 Desmatamento
 Degradação ambiental causada pelo uso de
fertilizantes e pesticidas;
 O rendimento energético do etanol
BIODISEL
Biodiesel é um combustível biodegradável
derivado de fontes renováveis, que substitui total ou
parcialmente o óleo diesel de fonte mineral nos
motores de combustão interna de ciclo (movidos a)
diesel como os de caminhões, tratores, ônibus e
outros veículos, ou em motores estacionários, como
os utilizados para geração de energia elétrica.
PRODUÇÃO DE BIODIESEL
O biodiesel pode ser produzido a partir de várias
matérias-primas diferentes. É possível obter o
combustível partindo de óleos vegetais, gorduras
animais ou produtos residuais, como o óleo de fritura já
usado.
CICLO DO BIODIESEL
VANTAGENS
 É energia renovável;
 Biodiesel é biodegradável e não tóxico;
 O Brasil possui muitas terras cultiváveis permitindo a
produção de uma enorme variedade de oleaginosas;
 Maior facilidade no transporte e fácil armazenamento, devido
ao seu menor risco de explosão.
 Gera emprego e renda para o campo, uma vez que prioriza o
uso de matérias-primas, como mamona e dendê, advindos da
agricultura familiar e das regiões Norte e Nordeste do país;
DESVANTAGENS
 Tem uma produção ligeiramente mais baixa de energia, se
comparada a um volume equivalente do diesel regular;
 Pode ser mais caro do que o diesel regular dependendo da
área e da matéria-prima utilizada;
 Poucos pontos de abastecimento se comparado ao diesel
regular;
 No inverno, pode apresentar problemas com a temperatura.
MULTIDISCIPLINARIDADE
“Uma simples associação de disciplinas que concorrem
para uma realização comum, mas sem que cada
disciplina tenha que modificar significativamente a sua
própria visão das coisas e dos próprios métodos [...].
Toda realização teórica que põe em prática saberes
diversos corresponde de fato a um empreendimento
pluridisciplinar” (DELATTRE, 2006, p. 280).
Cultivo de Beterraba Cultivo de Cana
Cultivo de
Girassol
Cultivo
de
Dendê
Cultivo de
Soja
INTERDISCIPLINARIDADE
“Geração de conhecimentos através de diferentes
modalidades de interação visando à integração de
conceitos, métodos, dados, ou as abordagens
epistemológicas de múltiplas disciplinas em torno de
uma idéia, problema, tema, ou questão em particular; A
interdisciplinaridade se desenvolveria dentro do campo
científico, buscando a superação e reformulação das
fronteiras paradigmáticas” (GONZÁLEZ DE GÓMEZ,
2003a, p. 6).
Laboratório
Indústria
Refino
CONCLUSÃO
Podemos concluir que a produção de biodiesel
proporciona ganho ambiental para todo o planeta, pois
colabora para diminuir a poluição e o efeito estufa.
Outro fator importante é que o biodiesel poderia
diminuir também a dependência dos Estados Unidos na
importação de petróleo e aumentar sua segurança
energética. No Brasil, o aumento da produção no setor
agrícola gerou mais empregos, devido ao fato do país
ter ótimas condições climáticas e um vasto território, o
que beneficia a produção do biocombustível. Contudo,
o biocombustível ainda traz algumas desvantagens.
Além disso, o país ainda não possui normas e
especificações para a produção do biodiesel. Uma saída
para este problema seria a adoção de normas mundiais
pré-existentes.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
EMBRAPA, Biocombustíveis. Disponível em:
<http://www.portaleducacao.com.br/pedagogia/artigos/48764/referencias-
bibliograficas-tiradas-na-internet-como-colocar-no-trabalho>. Acesso em: 13
de junho de 2016.
IFMA, Biocombustíveis (Operações Unitárias). Disponível em:
<http://www.ebah.com.br/content/ABAAAggOgAK/biocombustiveis-
operacoes-unitarias> . Acesso em: 15 de junho de 2016
PENSAMENTO VERDE, Vantagens e desvantagens do Etanol. Disponível
em: <http://www.pensamentoverde.com.br/economia-verde/vantagens-
desvantagens-etanol/>. Acesso em: 15 de junho de 2016
SCIELO, O Biocombustível no Brasil. Disponível em:
<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-
33002007000200003.> Acesso em: 13 de junho de 2016
AGRADECIMENTOS
Agradecemos a Professora Marla por nos possibilitar
esta análise criteriosa, e pela oportunidade de fazer essa
atividade, a qual nos fez obter mais conhecimentos com
relação aos assuntos abordados, e a todos envolvidos
pelo esclarecimento de dúvidas que tínhamos, e por
despertar em nós o desejo de pesquisa sobre o tema e
por nos fazer ponderar sobre os assuntos relacionados.
Juliana eJaciara.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Biocombustíveis
BiocombustíveisBiocombustíveis
Biocombustíveis
veroleal
 
Biocombustiveis no brasil
Biocombustiveis no brasilBiocombustiveis no brasil
Biocombustiveis no brasil
Líbian Volsi
 

Mais procurados (20)

'ATUALIDADES GEOGRAFIA BRASIL BIOCOMBUSTÍVEIS Prof Marco Aurelio Gondim [www....
'ATUALIDADES GEOGRAFIA BRASIL BIOCOMBUSTÍVEIS Prof Marco Aurelio Gondim [www....'ATUALIDADES GEOGRAFIA BRASIL BIOCOMBUSTÍVEIS Prof Marco Aurelio Gondim [www....
'ATUALIDADES GEOGRAFIA BRASIL BIOCOMBUSTÍVEIS Prof Marco Aurelio Gondim [www....
 
BiocombustíVeis
BiocombustíVeisBiocombustíVeis
BiocombustíVeis
 
Biocombustíveis
BiocombustíveisBiocombustíveis
Biocombustíveis
 
Mamona e a produção de biodiesel
Mamona e a produção de biodieselMamona e a produção de biodiesel
Mamona e a produção de biodiesel
 
Biocombustíveis
BiocombustíveisBiocombustíveis
Biocombustíveis
 
Biocombustivel
BiocombustivelBiocombustivel
Biocombustivel
 
Biogás e biodisel
Biogás e biodiselBiogás e biodisel
Biogás e biodisel
 
Minicurso biodiesel - Profª Drª Claudia Cardoso Bejan
Minicurso biodiesel - Profª Drª Claudia Cardoso BejanMinicurso biodiesel - Profª Drª Claudia Cardoso Bejan
Minicurso biodiesel - Profª Drª Claudia Cardoso Bejan
 
Biocombustível 3 B
Biocombustível 3 BBiocombustível 3 B
Biocombustível 3 B
 
Biocombustiveis no brasil
Biocombustiveis no brasilBiocombustiveis no brasil
Biocombustiveis no brasil
 
TCC sobre Biodiesel
TCC sobre Biodiesel TCC sobre Biodiesel
TCC sobre Biodiesel
 
Biodiesel slide
Biodiesel slideBiodiesel slide
Biodiesel slide
 
Biogás e Biodisel
Biogás e BiodiselBiogás e Biodisel
Biogás e Biodisel
 
Biodiesel novo
Biodiesel novoBiodiesel novo
Biodiesel novo
 
Biocombustivel......
Biocombustivel......Biocombustivel......
Biocombustivel......
 
Combustiveis
CombustiveisCombustiveis
Combustiveis
 
Aula 1 combustíveis
Aula 1   combustíveisAula 1   combustíveis
Aula 1 combustíveis
 
biodiesel
biodieselbiodiesel
biodiesel
 
Biogás No Brasil
Biogás No BrasilBiogás No Brasil
Biogás No Brasil
 
Biocombustível
BiocombustívelBiocombustível
Biocombustível
 

Semelhante a 1. seminário de pesquisa (july)

Trabalho de bioenergia sérgio valadão
Trabalho de bioenergia  sérgio valadãoTrabalho de bioenergia  sérgio valadão
Trabalho de bioenergia sérgio valadão
Sérgio Valadão
 
Biocombustivel
BiocombustivelBiocombustivel
Biocombustivel
8bgrp9ap
 
Biodiesel(poster)
Biodiesel(poster)Biodiesel(poster)
Biodiesel(poster)
belavideira
 
A política brasileira de biocombustíveis
A política brasileira de biocombustíveisA política brasileira de biocombustíveis
A política brasileira de biocombustíveis
ProjetoBr
 
Matéria Orgânica em Decomposição - 10º B
Matéria Orgânica em Decomposição - 10º BMatéria Orgânica em Decomposição - 10º B
Matéria Orgânica em Decomposição - 10º B
Física Química A
 
Intregração de conhecimentos para o ENEM - Biocombustíveis
Intregração de conhecimentos para o ENEM  - BiocombustíveisIntregração de conhecimentos para o ENEM  - Biocombustíveis
Intregração de conhecimentos para o ENEM - Biocombustíveis
Maiquel Vieira
 
XIV CBE - Palestra 1 - Marco Aurelio Vasconcellos Freitas - 24 outubro 2012
XIV CBE - Palestra 1 - Marco Aurelio Vasconcellos Freitas - 24 outubro 2012XIV CBE - Palestra 1 - Marco Aurelio Vasconcellos Freitas - 24 outubro 2012
XIV CBE - Palestra 1 - Marco Aurelio Vasconcellos Freitas - 24 outubro 2012
CBE2012
 
Case sérgio valadão usina de biodiesel 1
Case sérgio valadão   usina de biodiesel 1Case sérgio valadão   usina de biodiesel 1
Case sérgio valadão usina de biodiesel 1
Sérgio Valadão
 
Poster biodiesel2
Poster biodiesel2Poster biodiesel2
Poster biodiesel2
belavideira
 

Semelhante a 1. seminário de pesquisa (july) (20)

biodiesel no Brasil
biodiesel no Brasilbiodiesel no Brasil
biodiesel no Brasil
 
Trabalho de bioenergia sérgio valadão
Trabalho de bioenergia  sérgio valadãoTrabalho de bioenergia  sérgio valadão
Trabalho de bioenergia sérgio valadão
 
Biocombustivel
BiocombustivelBiocombustivel
Biocombustivel
 
Biocombustivel
BiocombustivelBiocombustivel
Biocombustivel
 
Combustíveis alternativos
Combustíveis alternativosCombustíveis alternativos
Combustíveis alternativos
 
Biodiesel(poster)
Biodiesel(poster)Biodiesel(poster)
Biodiesel(poster)
 
Biodiesel apertir do oleo de cozinha
Biodiesel apertir do oleo de cozinhaBiodiesel apertir do oleo de cozinha
Biodiesel apertir do oleo de cozinha
 
Biogás e biodisel
Biogás e biodiselBiogás e biodisel
Biogás e biodisel
 
PMI 2008 - Sherman
PMI 2008 - ShermanPMI 2008 - Sherman
PMI 2008 - Sherman
 
A política brasileira de biocombustíveis
A política brasileira de biocombustíveisA política brasileira de biocombustíveis
A política brasileira de biocombustíveis
 
Biodiesel
BiodieselBiodiesel
Biodiesel
 
ENERGIAS RENOVAVEIS - Aula 07-2016.pdf
ENERGIAS RENOVAVEIS - Aula 07-2016.pdfENERGIAS RENOVAVEIS - Aula 07-2016.pdf
ENERGIAS RENOVAVEIS - Aula 07-2016.pdf
 
Agronegócio
AgronegócioAgronegócio
Agronegócio
 
Avaliacao dos biocombustiveis em mocambique
Avaliacao dos biocombustiveis em mocambiqueAvaliacao dos biocombustiveis em mocambique
Avaliacao dos biocombustiveis em mocambique
 
Bioenergias
BioenergiasBioenergias
Bioenergias
 
Matéria Orgânica em Decomposição - 10º B
Matéria Orgânica em Decomposição - 10º BMatéria Orgânica em Decomposição - 10º B
Matéria Orgânica em Decomposição - 10º B
 
Intregração de conhecimentos para o ENEM - Biocombustíveis
Intregração de conhecimentos para o ENEM  - BiocombustíveisIntregração de conhecimentos para o ENEM  - Biocombustíveis
Intregração de conhecimentos para o ENEM - Biocombustíveis
 
XIV CBE - Palestra 1 - Marco Aurelio Vasconcellos Freitas - 24 outubro 2012
XIV CBE - Palestra 1 - Marco Aurelio Vasconcellos Freitas - 24 outubro 2012XIV CBE - Palestra 1 - Marco Aurelio Vasconcellos Freitas - 24 outubro 2012
XIV CBE - Palestra 1 - Marco Aurelio Vasconcellos Freitas - 24 outubro 2012
 
Case sérgio valadão usina de biodiesel 1
Case sérgio valadão   usina de biodiesel 1Case sérgio valadão   usina de biodiesel 1
Case sérgio valadão usina de biodiesel 1
 
Poster biodiesel2
Poster biodiesel2Poster biodiesel2
Poster biodiesel2
 

Último (7)

aula-7sobre tipos de-grafos-eulerianos.pdf
aula-7sobre tipos de-grafos-eulerianos.pdfaula-7sobre tipos de-grafos-eulerianos.pdf
aula-7sobre tipos de-grafos-eulerianos.pdf
 
Planejamento e controle da Produção_Lustosa.pdf
Planejamento e controle da Produção_Lustosa.pdfPlanejamento e controle da Produção_Lustosa.pdf
Planejamento e controle da Produção_Lustosa.pdf
 
apostila de eletricidade básica Werther serralheiro
apostila de eletricidade básica Werther serralheiroapostila de eletricidade básica Werther serralheiro
apostila de eletricidade básica Werther serralheiro
 
Normas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdf
Normas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdfNormas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdf
Normas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdf
 
CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADE
CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADECONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADE
CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADE
 
ST 2024 Statum Apresentação Comercial - VF
ST 2024 Statum Apresentação Comercial - VFST 2024 Statum Apresentação Comercial - VF
ST 2024 Statum Apresentação Comercial - VF
 
pgr programa de gerenciamento de risco posto de gasolina
pgr programa de gerenciamento de risco posto  de gasolinapgr programa de gerenciamento de risco posto  de gasolina
pgr programa de gerenciamento de risco posto de gasolina
 

1. seminário de pesquisa (july)

  • 1. BIOCOMBUSTÍVEIS Professor: Marla Oliveira Andrade Disciplina: Seminário de Pesquisa interdisciplinar Componentes:  Juliana Costa  Jaciara Reis
  • 2. INTRODUÇÃO  São combustíveis produzidos a partir da biomassa (matéria orgânica), isto é, de fontes renováveis – produtos vegetais ou compostos de origem animal. As fontes mais conhecidas no mundo são cana-de- açúcar, milho, soja, semente de girassol, madeira e celulose. Os biocombustíveis são biodegradáveis – por isso provocam menor impacto à natureza.
  • 3. ORIGEM No Brasil começa a partir de testes pioneiros realizados, entre os anos de 1905 e 1925, com o álcool combustível. Em 1931, o governo brasileiro estabelece um decreto que obriga a mistura de 5% de álcool na gasolina importada pelo país; sete anos depois, o decreto-lei nº 737 estende a obrigatoriedade da mistura de 5% de álcool também à gasolina. Em 14 de Novembro de 1975 o decreto n° 76.593 cria o Pró álcool, sendo os engenheiros Lamartine Navarro Júnior e Cícero Junqueira Franco considerados "os pais do Pró álcool", acompanhado pelo empresário Maurílio Biagi.
  • 4. PRÓALCOOL O Pró-Álcool ou Programa Nacional do Álcool foi um programa de substituição em larga escala dos combustíveis veiculares derivados de petróleo por álcool, financiado pelo governo do Brasil a partir de 1975 devido a crise do petróleo em 1973 e mais agravante depois da crise de 1979.
  • 5. MATÉRIA-PRIMA Os biocombustíveis são fontes de energia que não contribuem para o acúmulo de gases do efeito estufa na atmosfera. As fontes mais conhecidas no mundo são cana- de-açúcar, milho, soja, semente de girassol, madeira e celulose.
  • 6. IMPORTÂNCIA  Reduzem a emissão de CO2 e geram menos poluentes;  Diminuem a dependência das importações de petróleo;  Proporciona geração de empregos ;  São produzidos a partir das plantas e de sebo animal;  Os gases gerados na sua queima são reabsorvidos no crescimento da safra seguinte;  Sua produção pode ser controlada;  Preserva o meio ambiente e contribui para melhorar a qualidade do ar nos grandes centros urbanos.
  • 8. ETANOL  O etanol é um álcool, um composto orgânico oxigenado, também denominado álcool etílico, e sua fórmula química é o C2H5OH.  No Brasil, o etanol é produzido pela fermentação, por leveduras, do caldo extraído da cana-de-açúcar. Em outras partes do mundo também se usa, como matérias-primas, o milho, a mandioca e a beterraba, por exemplo.
  • 9. CICLO DO ETANOL Saída do bagaço Entrada da cana
  • 10. VANTAGENS  Alternativa limpa e renovável;  Com uma tecnologia simples, qualquer país pode produzi-lo, desde que haja condições mínimas;  Podendo ser utilizado puro ou misturado aos combustíveis fósseis;  Preço mais baixo quando comparado ao dos combustíveis fósseis. DESVANTAGENS  Necessidade de grandes extensões de terras para o plantio de matérias-primas;  Desmatamento  Degradação ambiental causada pelo uso de fertilizantes e pesticidas;  O rendimento energético do etanol
  • 11. BIODISEL Biodiesel é um combustível biodegradável derivado de fontes renováveis, que substitui total ou parcialmente o óleo diesel de fonte mineral nos motores de combustão interna de ciclo (movidos a) diesel como os de caminhões, tratores, ônibus e outros veículos, ou em motores estacionários, como os utilizados para geração de energia elétrica.
  • 12. PRODUÇÃO DE BIODIESEL O biodiesel pode ser produzido a partir de várias matérias-primas diferentes. É possível obter o combustível partindo de óleos vegetais, gorduras animais ou produtos residuais, como o óleo de fritura já usado.
  • 14. VANTAGENS  É energia renovável;  Biodiesel é biodegradável e não tóxico;  O Brasil possui muitas terras cultiváveis permitindo a produção de uma enorme variedade de oleaginosas;  Maior facilidade no transporte e fácil armazenamento, devido ao seu menor risco de explosão.  Gera emprego e renda para o campo, uma vez que prioriza o uso de matérias-primas, como mamona e dendê, advindos da agricultura familiar e das regiões Norte e Nordeste do país; DESVANTAGENS  Tem uma produção ligeiramente mais baixa de energia, se comparada a um volume equivalente do diesel regular;  Pode ser mais caro do que o diesel regular dependendo da área e da matéria-prima utilizada;  Poucos pontos de abastecimento se comparado ao diesel regular;  No inverno, pode apresentar problemas com a temperatura.
  • 15. MULTIDISCIPLINARIDADE “Uma simples associação de disciplinas que concorrem para uma realização comum, mas sem que cada disciplina tenha que modificar significativamente a sua própria visão das coisas e dos próprios métodos [...]. Toda realização teórica que põe em prática saberes diversos corresponde de fato a um empreendimento pluridisciplinar” (DELATTRE, 2006, p. 280).
  • 16. Cultivo de Beterraba Cultivo de Cana Cultivo de Girassol Cultivo de Dendê Cultivo de Soja
  • 17. INTERDISCIPLINARIDADE “Geração de conhecimentos através de diferentes modalidades de interação visando à integração de conceitos, métodos, dados, ou as abordagens epistemológicas de múltiplas disciplinas em torno de uma idéia, problema, tema, ou questão em particular; A interdisciplinaridade se desenvolveria dentro do campo científico, buscando a superação e reformulação das fronteiras paradigmáticas” (GONZÁLEZ DE GÓMEZ, 2003a, p. 6).
  • 19. CONCLUSÃO Podemos concluir que a produção de biodiesel proporciona ganho ambiental para todo o planeta, pois colabora para diminuir a poluição e o efeito estufa. Outro fator importante é que o biodiesel poderia diminuir também a dependência dos Estados Unidos na importação de petróleo e aumentar sua segurança energética. No Brasil, o aumento da produção no setor agrícola gerou mais empregos, devido ao fato do país ter ótimas condições climáticas e um vasto território, o que beneficia a produção do biocombustível. Contudo, o biocombustível ainda traz algumas desvantagens. Além disso, o país ainda não possui normas e especificações para a produção do biodiesel. Uma saída para este problema seria a adoção de normas mundiais pré-existentes.
  • 20. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS EMBRAPA, Biocombustíveis. Disponível em: <http://www.portaleducacao.com.br/pedagogia/artigos/48764/referencias- bibliograficas-tiradas-na-internet-como-colocar-no-trabalho>. Acesso em: 13 de junho de 2016. IFMA, Biocombustíveis (Operações Unitárias). Disponível em: <http://www.ebah.com.br/content/ABAAAggOgAK/biocombustiveis- operacoes-unitarias> . Acesso em: 15 de junho de 2016 PENSAMENTO VERDE, Vantagens e desvantagens do Etanol. Disponível em: <http://www.pensamentoverde.com.br/economia-verde/vantagens- desvantagens-etanol/>. Acesso em: 15 de junho de 2016 SCIELO, O Biocombustível no Brasil. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101- 33002007000200003.> Acesso em: 13 de junho de 2016
  • 21. AGRADECIMENTOS Agradecemos a Professora Marla por nos possibilitar esta análise criteriosa, e pela oportunidade de fazer essa atividade, a qual nos fez obter mais conhecimentos com relação aos assuntos abordados, e a todos envolvidos pelo esclarecimento de dúvidas que tínhamos, e por despertar em nós o desejo de pesquisa sobre o tema e por nos fazer ponderar sobre os assuntos relacionados. Juliana eJaciara.