2 Lc 15 Os Dois Filhos

917 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Turismo
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
917
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

2 Lc 15 Os Dois Filhos

  1. 1. <ul><li>O Pai fica com os filhos, quer adverti-los dos perigos… Em Sua casa poderão encontrar aquela felicidade que procuram em outros lugares. </li></ul><ul><li>Mas cada filho é livre: pode corresponder ou rejeitar esse amor. </li></ul>A LIBERDADE DO HOMEM DIANTE DE DEUS <ul><li>Por isso é que, pela intensidade desse amor divino, os nossos pecados são para Ele causa de divino sofrimento. </li></ul><ul><li>Deus, criador do céu e da terra, escolheu ser, em primeiro lugar e acima de tudo, um Pai. </li></ul>Quantos trabalhadores na casa do meu Pai têm pão em abundância, e eu aqui a morrer de fome !
  2. 2. <ul><li>Sim, Deus sofre quando os filhos o honram só com os lábios e não com o coração. Conhece-os profundamente, mas não pode obrigá-los a amar. </li></ul><ul><li>Deus é Pai: por isso, os pecados dos filhos lhe penetram no coração. </li></ul><ul><li>Não há luxúria, cobiça, ira, ressentimento, ciúmes ou vingança nos filhos perdidos que não lhe cause uma dor imensa. </li></ul><ul><li>É a partir do coração que o Pai abraça toda a dor humana e chega até aos filhos. </li></ul>O PECADO DO HOMEM FERE O CORAÇÃO DE DEUS
  3. 3. <ul><li>Um Pai que se compadece pelos filhos perdidos e esperando o seu regresso para lhes falar ao coração, com amor, … e para que, cansados, repousem nos seus ombros. </li></ul><ul><li>É nesse Deus de amor que nós acreditamos: um Pai que abraça os filhos com misericórdia, sem forçar ninguém. </li></ul><ul><li>Um pai que não castiga porque os filhos já receberam demasiados castigos por causa dos seus caprichos. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Foram as mãos desse Pai que me abençoaram no preciso momento em que fui concebido, </li></ul><ul><li>As suas mãos deram-me as boas vindas quando nasci, sustentaram-me junto ao peito maternal, alimentaram-me e deram-me calor. </li></ul><ul><li>As suas mãos protegeram-me em momentos de perigo e consolaram-me em momentos de dor. Disseram-me adeus e deram-me as boas vindas. </li></ul><ul><li>Sim, foram as mãos de Deus, mas também as mãos dos meus pais, professores, amigos, superiores e de todas as pessoas que Deus pôs no meu caminho para me lembrar como vivo em segurança. </li></ul>ABENÇOADO E ACOLHIDO CARINHOSAMENTE
  5. 5. O filho mais novo, juntando tudo, partiu para uma terra longínqua e por lá esbanjou tudo quanto possuía, numa vida desregrada. (Lc 15,13)
  6. 6. <ul><li>Estou espantado por continuar a receber os dons de Deus, a saúde, os dons intelectuais e afectivos, e continuar a utilizá-los egoisticamente, para impressionar os outros, para me afirmar, … em vez de os utilizar para a glória de Deus. </li></ul>Vejo-me como o filho mais novo: <ul><li>E assim afasto-me do Pai, levo os Seus dons, para a terra distante, e ponho-os ao serviço do mundo que os explora e nem sequer reconhece o seu verdadeiro valor. </li></ul><ul><li>Vivo neste mundo sem Deus, convicto que posso viver sozinho, sem precisar de ninguém, pensando só em mim, e sendo totalmente independente. </li></ul><ul><li>Eis a minha verdadeira rebelião, o meu não rotundo ao amor do Pai. </li></ul>
  7. 7. Procurei longe, afastei-me e perdi. Quero voltar para casa, confiar na voz do Pai que me chama «amado». Agora o Pai diz-me: «Em casa encontrarás um abrigo seguro, lá receberás o Meu Amor que preenche teu coração; lá, em casa, finalmente encontrará descanso o teu coração inquieto!»
  8. 8. <ul><li>O filho mais novo perdeu tudo: dinheiro, amigos, reputação, dignidade, paz interior … </li></ul><ul><li>Sim, perdeu tudo, mas não perdeu a consciência de “ser filho” … por isso resolveu voltar. </li></ul>O desejo de voltar
  9. 9. 28Encolerizado, não queria entrar; mas o seu pai, saindo, suplicava-lhe que entrasse. (Lc 15,28) O filho mais velho <ul><li>Ele não sabia o que tinha acontecido. O Pai não teve tempo de o avisar. A sua alegria era tão grande que mal podia aguardar… </li></ul>
  10. 10. <ul><li>O Pai transborda de alegria pelo regresso do filho mais novo, mas não se esquece do mais do velho. </li></ul>O REGRESSO DO FILHO MAIS VELHO <ul><li>O filho mais velho, entre ciúmes e amargura, só percebe que se presta mais atenção ao seu irresponsável irmão do que a ele. Chega à conclusão de que o Pai gosta mais do irmão do que dele.  </li></ul><ul><li>No entanto o coração do Pai não esta dividido. A reacção livre e espontânea do Pai não inclui nenhuma comparação. Pelo contrário, deseja que também este participe na sua alegria. </li></ul><ul><li>quando chegou, também para ele, o Pai deixou tudo, saiu fora para o receber e pediu-lhe que se juntasse à fazer festa com seu irmão. </li></ul>
  11. 11. <ul><li>Sempre fui obediente, nunca sai de casa, não perdi tempo, nem desperdicei dinheiro … fui responsável, tradicional, caseiro … mas agora vejo os meus ciúmes, a minha ira, susceptibilidade, obstinação, ressentimento e, sobretudo, o meu subtil farisaísmo. </li></ul><ul><li>Fiquei em casa e trabalhei, mas nunca saboreei de verdade a alegria de ser filho. </li></ul>VEJO-ME COMO O FILHO MAIS VELHO <ul><li>por isso, em vez de me sentir grato pelos privilégios que recebi, converti-me numa pessoa ressentida. </li></ul><ul><li>Sim, tenho ciúmes dos meus irmãos e irmãs mais novos que tão à aventura têm andado e que, apesar de tudo, foram tão calorosamente recebidos. </li></ul>Ressentimento ou gratidão? A mim escolher
  12. 12. <ul><li>O filho mais novo pecou numa forma visível: mal gastou o dinheiro, o tempo, os amigos, até o seu próprio corpo. Insurgiu-se pela luxúria e pela cobiça. Depois arrependeu-se, voltou … </li></ul><ul><li>Mas o pecado do filho mais velho é muito mais difícil de identificar. Ele é um “filho exemplar”. Mas não compreende a alegria do pai pelo regresso do irmão mais novo … de repente, aparece aquela pessoa ressentida, orgulhosa, severa e egoísta que estava escondida nele, que foi crescendo com os anos, tornando-se mais forte e poderosa. </li></ul><ul><li>O extravio do filho mais velho é tão difícil de reconhecer precisamente por estar estreitamente ligado ao desejo de ser bom e virtuoso. </li></ul>Os dois filhos em mim ...

×