Beume abril 14

440 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
440
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
134
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Beume abril 14

  1. 1. UNIÃO MUNICIPAL ESPÍRITA DE SANTA MARIA - RS DECOM/UME SM Umesm.blogspot.com Diretor: Cristiano Vice: Cleber O Filho Pródigo
  2. 2. EDITORIAL Parábola do Filho Pródigo • Texto: Disse ainda Jesus: Certo homem tinha dois filhos, e o mais moço disse a seu pai: — Dai-me a parte da herança que me cabe. E o pai repartiu entre ambos a sua fazenda. • 1) Quem é o pai? • Resposta: O pai da família é Deus. Esta parábola procura mostrar os descasos do coração humano e o beneplácito do amor divino. O filho mais moço representa o ser humano sem experiência e, portanto, mais afoito pelas aventuras na vida. • Texto: Poucos dias depois, o filho mais novo juntou o que era seu, e partiu para um lugar distante, onde dissipou a sua fortuna vivendo luxuriosamente. • 2) Por que o lugar distante? • Resposta: O lugar longínquo representa a distância dos conselhos e das recriminações do pai. É o lugar do erro, da liberdade viciosa, do dinheiro, dos prazeres. De certa maneira, ficou carente da proteção espiritual do pai e, por isso mesmo, não pode evitar os males pelos quais passou. • Texto: Quando tinha gasto tudo o que possuía, houve uma grande fome nessa região, e ele começou a passar necessidade. Então foi pedir trabalho a um homem do lugar, que o mandou para a roça, cuidar dos porcos. O rapaz queria matar a fome com a lavagem que os porcos comiam, mas nem isso lhe davam. • 3) O que podemos entender por essa fome? • Resposta: A parábola é sempre interpretação. Nesse caso, podemos entender como a indigência do amparo divino. Afastando-se dos ensinos de Jesus e dos bons Espíritos, precipitou-se no vazio espiritual. Caiu nas garras do maligno. • Texto: Então, caindo em si, disse: Quantos empregados do meu pai têm pão com fartura, e eu aqui, morrendo de fome... Vou me levantar, e vou encontrar meu pai, e dizer a ele: Pai, pequei contra o céu e contra ti. Já não mereço que me chamem teu filho. Trata-me como um dos teus empregados. Então se levantou, e foi ao encontro do pai. • 4) Como interpretar o "caindo em si"? • Resposta: É preciso ponderar se o "caindo em si" não é demasiadamente tardio. Judas sonhou com o domínio político, mas quando caiu em si, Jesus já tinha sido entregue aos juízes. O "caindo em si" mostra a nossa percepção do erro, o arrependimento e a tomada de posição para a nova vida, como fizeram Maria de Madalena, Pedro, Paulo e outros. O Espírito Emmanuel, ao comentar essa passagem, diz: "Cai, contudo, em mesmo, sob a benção de Jesus e, transferindo-te, então, da inércia para o trabalho incessante pela tua redenção, observarás, surpreendido, como a vida é diferente". • 5) E o levantar-me-ei e irei ter com meu pai...? • Resposta: É sair da obscuridade para a luz, da ociosidade para a ação no bem, do remorso, do arrependimento para a edificação em Jesus. Quantos de nós, chafurdados nos desvarios das paixões, não clamamos para os benfeitores nos ajudarem nessa posição, exigindo que atendam aos nossos desejos. Lembremos de que o aperfeiçoamento pede esforço, labuta, trabalho de regeneração interior. • Texto: Quando ainda estava longe, o pai o avistou, e teve compaixão. Saiu correndo, o abraçou, e o cobriu de beijos. Então o filho disse: Pai, pequei contra Deus e contra ti; já não mereço que me chamem teu filho. • 6) Como explicar a compaixão do pai?
  3. 3. • Resposta: O pai não esperou que o filho lhe explicasse toda a sua amargura. Teve compaixão do filho que voltou ao lar. O pai, de relance, percebeu toda a dor que o seu filho tinha passado. Para que aumentá-la com exigências ou explicações? Simplesmente recebeu-o nos braços. • Texto: Mas o pai disse aos empregados: Depressa, tragam a melhor túnica para vestir meu filho. E coloquem um anel no seu dedo e sandálias nos pés. • 7) O que significam a túnica, o anel e as sandálias? • Resposta: A túnica representa a recompensa do perdão. O anel era um sinal de distinção. O calçado indicava um homem livre, porque os escravos andam descalços. • Texto: Peguem o novilho gordo e o matem. Vamos fazer um banquete. Porque este meu filho estava morto, e tornou a viver; estava perdido, e foi encontrado. E começaram a festa. • 8) Por que o novilho? • Resposta: Os judeus usavam de carne muito raramente. O banquete em que se servia um novilho gordo e dos melhores do rebanho, indicava bem a alegria que reinava na casa. • Texto: O filho mais velho estava na roça. Ao voltar, já perto de casa, ouviu música e barulho de dança. Então chamou um dos criados, e perguntou o que estava acontecendo. O criado respondeu: É seu irmão que voltou. E seu pai, porque o recuperou são e salvo, matou o novilho gordo. Então, o irmão ficou com raiva, e não queria entrar. O pai, saindo, insistia com ele. • Mas ele respondeu ao pai: Eu trabalho para ti há tantos anos, jamais desobedeci a qualquer ordem tua; e nunca me deste um cabrito para eu festejar com meus amigos. Quando chegou esse teu filho, que devorou teus bens com prostitutas, matas para ele o novilho gordo. • Então o pai lhe disse: Filho, você está sempre comigo, e tudo o que é meu é seu. Mas, era preciso festejar e nos alegrar, porque esse seu irmão estava morto, e tornou a viver; estava perdido, e foi encontrado. • 9) Como entender a censura do outro filho? • Resposta: Se um filho foi perdulário, o outro foi egoísta. Este procede como quem lastima o dever cumprido. • 10) O que se depreende desta parábola? • Esta é uma das mais conhecidas e sugestivas parábolas evangélicas. Foi apresentada por Jesus, aos que o censuravam por dar bom acolhimento aos "pecadores". Jesus quer chamar a atenção do ser humano quanto ao perdão incondicional. Quer ensinar-nos que o Pai, misericordioso que é, está sempre disposto a nos dar uma nova oportunidade, mesmo que tenhamos caído nos maiores deslizes. Basta apenas nos arrependermos e fazermos os esforços necessários para nos redimirmos do erro. • Fonte de Consulta • XAVIER, F. C. Fonte Viva, pelo Espírito Emmanuel. Rio de Janeiro: FEB, [s.d.p.], capítulo 13 e 88. • XAVIER, F. C. Palavras de Vida Eterna, pelo Espírito Emmanuel. 8. ed., Rio de Janeiro: FEB, 1986. • Fonte de Consulta • XAVIER, F. C. Fonte Viva, pelo Espírito Emmanuel. Rio de Janeiro: FEB, [s.d.p.], capítulo 13 e 88. • XAVIER, F. C. Palavras de Vida Eterna, pelo Espírito Emmanuel. 8. ed., Rio de Janeiro: FEB, 1986.
  4. 4. • PAIS E FILHOS EM CONFLITO • Pais e filhos em conflito. É possível contes com eles na equipe familiar. Sofres por vê-los em contradição com as tuas ideias ou enlaçando experiências inquietantes e negativas. • Entretanto, é imperioso te ilumines de paz e compreensão, a fim de entendê- los. Dá-lhes a palavra emoldurada de paciência e de amor, para que a tua voz se faça ouvida, e abençoa-os ainda mesmo quando te não aceitem o modo de pensar ou de ser. • Quase sempre, na Terra, os sentimentos que nos agridem, naqueles que se nos associam à existência física, são a colheita das plantações de ordem moral que levamos a efeito nas leiras afetivas do pretérito, a nos pedirem reajuste e renovação. E as chamadas complicações edipianas outra cousa não representam senão os laços obscuros que entretecemos, ao enlear almas queridas no nosso carro sentimental - laços esses que passam a reclamar-nos o preciso desfazimento, para que a mútua libertação nos felicite. • O filho excessivamente vinculado ao coração materno, com manifesta dificuldade para ser ele próprio, na maioria das ocasiões é aquele mesmo companheiro que a genitora jungiu à própria senda, em épocas recuadas, a suplicar-lhe agora o apoio necessário, a fim de exonerar-se das algemas psicológicas que o prendem à insegurança. E a filha imensamente ligada ao espírito paternal, em sérios obstáculos para se lhe desvencilhar da autoridade, habitualmente é a mesma companheira que ele acorrentou ao próprio destino em experiências transatas, a implorar-lhe hoje o auxílio indispensável, a fim de se desembaraçar do egoísmo com que se lhe enviscou à influência, em nome do amor. • Quantos choques e quantos atritos, até que se estabeleçam as concessões recíprocas, através de vários ajustes cármicos em que uns e outros se vejam emancipados das condições obsessivas em que se interligaram! • Se trazes contigo esse ou aquele filho em conflito ou se te encontras à frente de pais difíceis, nunca te irrites nem condenes. Ama-os quais se mostram e ora por eles, louvando lhes a presença e respeitando Ihes as decisões, na certeza de que Deus, cuja infinita bondade tem zelado por nós, cuidará também deles. E de que nem eles nem nós fomos criados para o cativeiro afetivo, mas sim para sermos responsáveis e livres, de modo a trabalharmos conscientemente no aprimoramento da vida, ante a sublimação do amor imortal. • Emmanuel (Médium: Francisco Cândido Xavier) • Colaborou: Irmão Moacir • Material: SEDIC
  5. 5. O TOP Você já ouviu falar em TOP, leitor amigo? É a sigla que engloba os lobos temporal, occipal e parietal, na parte posterior do cérebro. A novidade é que para alguns pesquisadores o TOP é uma espécie de individualidade com vida própria, coabitando conosco na caixa craniana, disposto a nos sugerir ideias e iniciativas sempre que lhe dermos a devida atenção. Você poderá até conversar com ele, estimulando-o ao bate-papo, começando assim: - Então, meu caro TOP, como vão as coisas por aí? Tudo bem? Depois é soltar o verbo, á maneira de bons amigos que permutam experiências. É preciso prestar muita atenção, alertam os pesquisadores, porque em princípio teremos certa dificuldade para entender o TOP, talvez por não estarmos habituados a conversar com a ilustre figura. E mantenha o canal aberto, dizendo-lhe: - Se tiver novidade, estou aqui. Situação curiosa: se há um fluxo de ideias que vem do TOP, talvez possamos atribuir aos seus humores a diferenciação de sentimentos e sensações que nos assaltam, mais ou menos assim: - Tristeza: TOP na fossa. - Alegria: TOP em festa. - Agressividade: TOP nervoso. - Serenidade: TOP tranquilo. - Pessimismo: TOP negativo. - Otimismo: TOP animado. - Apatia: TOP preguiçoso. - Energia: TOP agitado. - Ódio: TOP irado. - Amor: TOP enamorado.
  6. 6. O TOP não lembra alguém, caro leitor? Diria que é mais ou menos assim que estabelecemos contato com os Espíritos pelos condutos da inspiração, quando prestamos atenção ao fluxo de ideias que surgem em nossa mente e nos dispomos ao diálogo mental com a individualidade espiritual que as emite. Exatamente como está na questão 460, de O livro dos espíritos, em que Kardec indaga: Além dos pensamentos que nos são próprios, haverá outros que nos sejam sugeridos? Dizem os Espíritos reveladores: Vossa alma é um Espírito que pensa. Não ignorais que muitos pensamentos vos ocorrem ao mesmo tempo sobre o mesmo assunto e, frequentemente, bastante contraditórios. Pois bem! Neles há sempre um pouco de vós e um pouco de nós, e é isso que vos deixa na incerteza, porque tendes em vós duas ideias que se combatem. O problema é que na insistente pretensão de reduzir os fenômenos mediúnicos a meras manifestações do cérebro, nos domínios do animismo, os cientistas materialistas chamam de TOP o que chamamos de Espírito. E quando o TOP se põe contra nós e passa o tempo todo nos azucrinando com ideias perturbadoras, causando-nos transtornos físicos e psíquicos e induzindo-nos ao comportamento desajustado? Os pesquisadores não falam a respeito, mas fatalmente terão que se debruçar sobre essa possibilidade, que nada mais exprime senão a influência dos maus Espíritos, obsessivos, definidos por Kardec, em O livro dos médiuns, no capítulo 23. É importante, sim, que conversemos com o TOP, mas lembrando sempre que ele é apenas a representação de Espíritos que nos procuram e nos influenciam, sendo razoável que tomemos cuidado, atentos ao início da resposta que o mentor espiritual oferece a Kardec, quando pergunta, na questão 469, como podemos neutralizar a influência dos maus Espíritos: “Praticando o Bem e pondo em Deus toda a vossa confiança [...]. Richard Simonetti ( Revista Reformador-Agosto 2013) Colaborou: João Luiz Souza Soc. Esp. Discipulos de Jesus
  7. 7. As Propostas Espíritas em face da violência social • A violência de todos os matizes deslustra as conquistas sociológicas deste século. Irrompe-se, e em todos os níveis da sociedade, manifestando-se em múltiplas intensidades. A brutalidade humana tem esmaecido o caminho para Deus. • Lemos um jornal, uma revista; assistimos à televisão e a violência é insistentemente veiculada, seja pelos noticiários, pelos documentários; seja pelos filmes, pelos programas de auditórios cada vez mais obscuros de valores éticos. Assimilamos subliminarmente as informações e no quotidiano reagimos violentamente, muitas vezes, perante os reveses da vida ou perante as contrariedades. Condenamos a violência alheia, no nosso dia-a-dia; ao invés de agirmos de forma pacífica e fraterna, somos como que androides, reagindo sempre de acordo com o que motivou a nossa reação. Somos autômatos sem nos apercebermos. • Desde há mais de dois mil anos que Jesus de Nazaré trouxe à humanidade um código de conduta que traria ao homem a felicidade. Essa diretriz que Jesus deixou na Terra é a garantia da paz, da felicidade, do bem-estar social. Contudo o homem perdeu-se no meio das suas lutas, do egoísmo, do orgulho, da violência, ignorou tal diretriz e hoje confronta-se consigo próprio numa mistura explosiva de intranquilidade interior e gargalhadas descontroladas. • Jamais o homem conquistara tantas coisas na ciência como nos dias atuais, porém nunca caminhou tão vagarosamente em busca de sua espiritualização. São as contradições da vida contemporânea. Esse homem velho, que carrega dentro de si ao longo das várias existências, experiências violentas, vê-se hoje a braços com uma dualidade muito intensa: os hábitos enraizados no passado, nas vidas anteriores, onde semeou essa violência, colhendo hoje na sua vida, já que somos o somatório das nossas vidas pretéritas. • O Espiritismo, demonstrando a imortalidade da alma, através dos fatos mediúnicos, aponta também que existe uma lógica para a vida e que cada um colhe dela aquilo que semeia e/ou semeou outrora, dentro da lei de ação e reação, onde cada ato, positivo ou negativo, irá repercutir-se invariavelmente em nós, trazendo-nos paz ou tormento interior. Claro que quem estuda o Espiritismo e pratica seus preceitos vê-se melhor instrumentalizado para a vida em sociedade, nestes tempos atribulados, encontrando conceitos lógicos e racionais para o entendimento da vida numa visão evangélica da mesma. • Assim sendo, os postulados espíritas são antídotos para a violência, posto que quem o conhece sabe que não poderá se eximir das suas responsabilidades sociais, sabendo que o seu futuro será uma decorrência do presente. Aquele que conhece o Espiritismo sabe ainda mais que terá de se modificar moralmente, se quiser ter mais harmonia íntima. • O Espiritismo, no seu aspecto tríplice resgata as Verdades que Jesus ensinou, clareando o raciocínio, interpretando-as com mais lógica e atualidade dentro dos enfoques da pluralidade das existências que cada vez mais vai sendo uma realidade nos centros de pesquisas desatrelados dos dogmas religiosos em torno do estudo da personalidade humana. • Precisamos cultivar a compaixão, a generosidade que se conjuga no ato de dar as coisas para aportar na atitude de olvidarmo-nos espontaneamente em favor do próximo. Aprendermos a orar e meditar, porque quem não tem o hábito de introjetar o pensamento pela meditação não se conhece a si mesmo, e nesse exercício teremos autoridade para soltar as estoicas vozes inarticuladas emitidas por quem sente alegria espiritual como o fez Paulo: "Já não sou quem vive, mas o Cristo vive em mim...”. • Torna-se imprescindível praticarmos o Evangelho nos vários setores do campo social, contribuindo com a parcela de mansidão para pacificá-la, até porque, todos desencarnarão um dia, mas a forma de nos comportarmos dentro do limite berço-túmulo é da nossa livre opção e haveremos de alcançar a iluminação íntima com o ato de desejar, movidos pela fé raciocinada, consoante propõe O CONSOLADOR. • Jorge Luiz Hessen - Palestrante, escritor e articulista em diversos jornais e sites Colaborou: Nei Bastos - 0 Consolador.
  8. 8. Centro espírita A Casa do Consolador Prometido
  9. 9. TERÇA-FEIRA ÀS 20:00 HORAS DIA EXPOSITOR TEMA COORDENADOR 01 LUIZ GUSTAVO (S.E. ESTUDO E CARIDADE) MISSÃO PROVIDENCIAL DOS ESPÍRITOS (GEN.Cap XV ITEM 28) PAULO 08 ADAIR MARQUES (ALIANÇA ESPÍRITA) DEPRESSÃO BARROS 15 SILVA (S.E. O CONSOLADOR PROMETIDO) O EFEITO DAS EMOÇÕES EM SUAS VIDAS LÚCIA 22 CLEBER (S.E. LUZ E CARIDADE) A PARÁBOLA DOS TALENTOS PAULO 29 RENATO (S.E. BENJAMIM POTTI) COMO VIVER O EVANGELHO EM TEMPO DE TRANSIÇÃO BARROS SÁBADO ÀS 15:00 HORAS DIA EXPOSITOR TEMA COORDENADOR 05 PAULO CRISTIANO 12 CRISTIANO LIVRE CÂNDIDA 19 BARROS O HOMEM DE BEM, GRANDE DESAFIO INEZ 26 LÚCIA LIVRE PAULO APOIO ESPIRITUAL (Segunda-Feira das 19:30H às 20:15H) Estudo sistematizado do evangelho segundo espiritismo DIA EXPOSITOR Tema 07 LUCIA Quem Se Elevar Será Rebaixado 14 CRISTIANO Mistérios Ocultos Aos Sábios E Prudentes 21 BARROS O Orgulho e a Humildade 28 INÊS Missão do Homem Inteligente na Terra
  10. 10. Departamento Doutrinário Abril 2014 DATA EXPOSITOR(A) TEMA 01 – terça-feira Leni Espaço Universal (LE, cap. II) 04 – sexta-feira Teltz Farias (Abrigo Esp. Oscar Pithan) A Felicidade 07 – segunda-feira Ricardo O Dever (ESE, cap. XVII) 08 – terça-feira Claudine Formação dos Mundos (LE, Cap. III) 11 - sexta-feira Dr. Adair Marques Livre 14 – segunda-feira Roselaine A Virtude (ESE, cap. XVII) 15 – terça-feira Solange Parábola do Festim de Núpcias (ESE, cap. XVIII) 18 - sexta-feira Mary Ângela Amorim (Soc. Esp. Menna Barreto) A Organização do Evangelho por Kardec. 21 - segunda-feira Carmen Formação dos seres vivos (LE, Cap. III) 22 - terça-feira Lucy Stefanello O Homem no mundo (ESE, cap. XVII) 25 - sexta-feira Paulo Afonso Caetano (Abrigo Oscar Pithan) Pluralidade dos mundos (LE, Cap. III) 28 - segunda-feira Cleber Diversidade das raças humanas (LE, Cap. III) 29 – terça-feira Derli Cuidar do corpo e do Espírito (ESE, cap. XVII) Horários das doutrinárias: - Segunda-feira – das 13h às 13h25min; - Terça-feira – das 19h30min às 20h; - Sexta-feira – das 20h às 20h30min.(CONVIDADOS)
  11. 11. SOCIEDADE ESPIRITA FRANCISCO COSTA DEPTO DOUTRINÁRIO ESPIRITUAL ( Rejane- 3225 1737 –Loreno – 3222 1713) ABRIL 2014 SEG E SÁB 17H - QUARTA 20H DATA TEMA EXPOSITOR COORDEN 02-QUA CI- CAP VII- Código Penal da Vida Futura FIGUEIREDO LORENO 05-SAB O EVANGELHO DE JESUS E AS FUNÇÕES ESPIRITUAIS DA GABRIEL SALUM LORENO-REJA INFÂNCIA 07-SEG G.-CAP III ORIGEM DO BEM E DO MAL MARA OSVALDO 09-QUA EV CAP VI -3 e 4- CONSOLADOR PROMETIDO CENOLI LORENO 12-SAB DAI DE GRAÇA O QUE DE GRAÇA RECEBESTES ADALBERTO SIQUEIRA LORENO-REJANE 14-SEG HOMENAGEM AOS FUNDADORES LORENO MARA 16-QUA EV CAP VI- 5- O ADVENTO DO ESPÍRITO DE VERDADE REJANE CENOLI 19-SAB CUIDAR DA TERRA COMO NOSSA MÃE PAULO CAETANO LORENO-REJANE 21-SEG LE-619-628- CONHECIMENTO DA LEI NATURAL MARIA PAZ MARA 23-QUA HOMENAGEM AOS FUNDADORES LORENO JOÃO 26-SAB BRASIL CORAÇÃO DO MUNDO, PÁTRIA DO EVANGELHO ELIZABETE BARBIERI LORENO-REJANE 28-SEG EV- CASP XVII – 4 – OS BONS ESPÍRITAS LILIA OSVALDO 30-qua EV- CAP- IV- 25 NECESSIDADE DA ENCARNAÇÃO VALÊNCIO LORENO COMEMORANDO OS 94 ANOS DA SOCIEDADE: SEMEANDO O BEM COM O EVANGELHO DE JESUS
  12. 12. 74 ANOS DA SOCIEDADE ESPÍRITA DISCÍPULOS DE JESUS Fundado em 04/04/1940 Rua Tenente Fraga, 40 – Bairro João Goulart QUARTAS FEIRAS – 20:00 HORAS 02/04/2014: O CENTRO ESPÍRITA ( DIJ – SOC. ESPÍRITA DISCÍPULOS DE JESUS) 09/04/2014: A ORGANIZAÇÃO DO EVANGELHO POR ALLAN KARDEC (Mary Angela Leivas do Amorim – Núcleo Espírita Casa do Caminho Francisco Spinelli). 16/04/2014: EVANGELHO, UM CÓDIGO MORAL UNIVERSAL (TERECA – SOCIEDADE ESPÍRITA UNIÃO DOS FIÉIS). 23/04/2014: A FELICIDADE (TELTZ FARIAS – Abrigo Espírita Oscar José Pithan) 30/04/2014: PLENITUDE DO AMOR (ARTE E LUZ – GRUPO DE MÚSICA ESPÍRITA) JOÃO LUIZ S. SOUZA Presidente
  13. 13. EVENTOS ESPÍRITAS
  14. 14. CONVITE HOMENAGEM A JESUS Na próxima quinta-feira, dia três (03) de abril, às 20 horas, o Instituto Espírita “Leocádio José Correia” realizará em sua sede central, à Rua Venâncio Aires, 806, uma sessão pública doutrinária, em homenagem a Jesus. Esta data marca o desencarne do Mestre. Além da palestra, a solenidade terá a participação especial do Coral “Allan Kardec”. Também neste dia, no período da manhã acontecerá à entrega de cesta básica às mães carentes. HORÁRIO DO ESTUDO DAS OBRAS BÁSICAS INSTITUTO ESPÍRITA “LEOCÁDIO JOSÉ CORREIA” - SEDE CENTRAL RUA VENÂNCIO AIRES, 806-CENTRO. Informações Leocádio Ribas ou Beatriz Aymay Telefone: 3225-2731. DIA HORÁRIO ESTUDO SEGUNDAS-FEIRAS 20h AVANÇADO DAS OBRAS – ESDE TERÇAS-FEIRAS 15h AVANÇADO DAS OBRAS – ESDE TERÇAS-FEIRAS 20h INICIAL DAS OBRAS – ESDE QUINTAS-FEIRAS 18h10min NOÇÕES BÁSICAS DAS OBRAS CIEDE 18h INICIAL DAS OBRAS – ESDE GRUPO DIA HORÁRIO RUA BAIRRO FRATERNIDADE QUINTAS-FEIRAS 16h15min. SUSANA, 137 ITARARÉ CARIDADE SEXTAS-FEIRAS 20h ERNESTO ALVES, 255 VILA OLIVEIRA
  15. 15. Sociedade espírita Francisco Costa PROGRAMAÇÃO ANIVERSÁRIO ABRIL 2014 “Chico Costa. 94 Anos Semeando o Bem com o Evangelho de Jesus” 05 sáb 17h Doutrinária O Evangelho de Jesus e as Funções Espirituais da Infância -Gabriel Salum- Vice Pres. FERGS 16h ás 18h Feira Livro* 12 sáb 17h Doutrinária .Dai de Graça o que de graça Recebestes – Adalberto Siqueira (AE Pithan) 16h às 18h Feira Livro 13 dom 09h Vibração- Paz e Perdão (efeito Kiss) 16h Tarde Sonhos ( para trabalhadores da casa) 14 seg 17h Doutrinária- Homenagem 94 anos – Loreno Cruz 16h às 18h Feira Livro 19 sáb 17h Doutrinária :Cuidar da Terra como Nossa Mãe – Paulo Caetano (AE Pithan) 16h às 18h Feira Livro 23 qua 20h Doutrinária – Homenagem 94 anos – Loreno Cruz 19h às 21h Feira Livro 26 sáb 17h Doutrinária- Brasil, Coração do Mundo, Pátria do Evangelho – Elizabeth Barbieri –Pres. FERGS 16h. às 18. Feira Livro 27 dom Almoço Comemorativo 30 qua Entrega cestas OBs.: Cada grupo de trabalho oferecerá um presente para a Casa. *Feira Livro ocorrerá todos dias de doutrinária do mês: seg e sáb 16/18h e qua 19/21h
  16. 16. A SOCIEDADE ESPÍRITA LUZ E CARIDADE CONVIDA PARA O RISOTO DO MÊS DE ABRIL NO PRÓXIMO DOMINGO À PARTIR DAS 11HS. VENDAS NAS SEGUNDAS, TERÇAS E SEXTAS OU COM OS TRABALHADORES DA CASA. Data: 06.04.14 7,00 a concha 4,00 maionese (porção)
  17. 17. Aconteceu no dia 06 de março a aula inaugural de iniciação aos Estudos da Doutrina Espírita na Soc. Esp. Luz e Caridade. Na ocasião, nossa irmã Mary Ângela Amorim, brindou os estudantes da Casa com uma excepcional palestra sobre o tema. A Selc agradece a Mary Ângela. Abaixo imagens do evento.
  18. 18. MENSAGEM DO BEUME PRA VOCÊ Teus Filhos Se conflitos inquietantes te envenenam a alma, obstando-te a harmonia conjugal, as leis da vida não te impedem a separação do companheiro ou da companheira, com quem a convivência se te fez impraticável, embora, com isso, estejas debitando ao futuro a solução de graves compromissos em tua vida de espírito... Entretanto, pensa nos filhos. Almas queridas que viajaram das estâncias do passado, pelas vias da reencarnação, desembarcaram no presente, através dos teus braços, suplicando-te auxílio e renovação. Quem são eles? Habitualmente, são aqueles mesmos companheiros de alegria e sofrimento, culpa e resgate, nas existências passadas, em cujo clima resvalaste em problemas difíceis de resolver. Ontem, associados de trabalho e ideal, são hoje os continuadores de tua ação ou intérpretes de tuas obras. Quase sempre, renascemos na Terra à maneira das vergônteas de uma raiz, e, em nosso caso, a raiz é o conjunto de débitos e aspirações em que se nos desdobram os dias terrestres, objetivando nossa ascensão espiritual. Os filhos não te pedem apenas dinheiro ou reconforto no plano físico, Solicitam-te igualmente assistência e rumo, apoio e orientação. Se te uniste com alguém no tálamo doméstico, semelhante comunhão encerra também todos aqueles que acolhes na condição de herdeiros do teu nome, a te rogarem proteção e entendimento, a fim de que não lhes faleçam o dom de servir e a alegria de viver. Em verdade, repetimos, as leis da vida não te impedem o divórcio, porque situações calamitosas existem no mundo nas quais a alma encarnada se vê sob a ameaça de naufrágio nas pesadas correntes do suicídio ou da criminalidade e o Senhor não faz a apologia da violência. Apesar disso, considera a extensão dos teus compromissos, porquanto não te reunirias com alguém no âmago do recinto caseiro para a criação da família ou para a sustentação de tarefas específicas, sem razões justas nos princípios de causa e efeito, evolução e aperfeiçoamento. Sejam, pois, quais forem as circunstâncias constrangedoras que te afligem o lar, reflete, acima de tudo, em teus filhos, que precisam de ti. A tua união inclui particularmente cada um deles; e eles, que necessitam hoje de tua bênção, se buscas esquecer-te a fim de abençoá-los, amanhã também te abençoarão. Emmanuel
  19. 19. Sociedade Espírita Discípulos de Jesus Sociedade Espírita União dos Fieis Sociedade Espírita Bezerra de Menezes (Santa Maria) Sociedade Espírita Estudo e Caridade (Lar de Joaquina) Casa do Caminho Francisco Spinelli (Núcleo do Menna Barreto) Sociedade Espírita Francisco costa Sociedade Espírita Luz e caridade
  20. 20. VAMOS DIVULGAR A DOUTRINA ESPÍRITA? DIVULGUEM SUAS CASA ESPÍRITAS ATRAVÉS DO BEUME. • Enviem-nos materiais de divulgação das doutrinárias, encontros, seminários e eventos diversos que estaremos publicando no BEUME, FACEBOOK e outros meios de comunicação virtual. • decomumesm@yahoo.com.br "A maior caridade que podemos fazer pela Doutrina Espírita é a sua divulgação." Chico Xavier – Emmanuel.

×