Negócios de mídia na era da midiatização: uma reflexão sobre os modelos de exposição e interação <br />II Congresso Intern...
Como se comporta o negócio do jornalismo  no contexto de uma sociedade midiatizada no patamar das relações sociais em níve...
Nossa hipótese<br />Na era da sociedade midiatizada em nível 2.0 o papel da mídia e do jornalismo  será parte de uma matri...
O modelo de exposição da mídia clássica<br />Desde o surgimento do ciberjornalismo assistimos à eterna busca do “modelo id...
O modelo de exposição garante:<br />Manutenção do status quoda mídia na sociedade<br />Manutenção de sua legitimidade e su...
O modelo de interação da mídia contemporânea<br />A geração de valor não é linear e atrelada à situação de consumo, mas si...
O modelo de interação instiga: <br />Reconfiguração do papel do jornalismo  na sociedade <br />Reconfiguração dos formatos...
Os modelos de exposição<br />Publicidade em múltiplos formatos<br />Assinatura de conteúdo<br />Acesso gratuito parcial- P...
Em resumo....<br />Escassez da oferta de conteúdos informativos ante a necessidade/abundância de leitores e espectadores c...
Modelos de interação<br />Formatos de produção flexível<br />Produção colaborativa<br />Disputa pela atenção do mercado pe...
Em resumo....<br />Bens materiais são substituídos por relacionamentos<br />Contexto é mais importante que o conteúdo<br /...
Nossa reflexão<br />Seria possível a convivência entre modelos de interação e modelos de exposição no cenário do ciberjorn...
O Conteúdo pode ser a conexão<br />Entre o mercado “econômico”<br />Regido pela mensuração<br />Troca de audiência por rec...
Capital social da marca jornalística<br />Medida de sua capacidade em mobilizar pessoas com interesses comuns na troca de ...
UGC + News<br />Meio de compatibilização entre o modelo de interação e o de exposição<br />Amplia o efeito-rede<br />Promo...
Tentativas brasileiras<br />Grupo Estado<br />Reconfiguração do processo organizacional da redação – editorias paralelas<b...
Obrigado!<br />bethsaad@gmail.com<br />bethsaad@usp.br<br />@bethsaad<br />
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Negócios da mídia na era da midiatização: uma reflexão sobre modelos de exposição e de interação. (Elizabeth Saad Corrêa)

1.004 visualizações

Publicada em

Comunicação apresentada no II Congresso Internacional de Ciberjornalismo, no Porto, dia 9 de Dezembro de 2010.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.004
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Negócios da mídia na era da midiatização: uma reflexão sobre modelos de exposição e de interação. (Elizabeth Saad Corrêa)

  1. 1. Negócios de mídia na era da midiatização: uma reflexão sobre os modelos de exposição e interação <br />II Congresso Internacional de Ciberjornalismo<br />Universidade do Porto, 9 e 10 /12/2010<br />
  2. 2. Como se comporta o negócio do jornalismo no contexto de uma sociedade midiatizada no patamar das relações sociais em nível 2.0?<br />Ainda em busca da lucratividade clássica?<br />Nossa questão<br />
  3. 3. Nossa hipótese<br />Na era da sociedade midiatizada em nível 2.0 o papel da mídia e do jornalismo será parte de uma matriz de produtores de conteúdo onde o valor da informação resultará da interação e da experiência que ela estabelecer com seus consumidores.<br />
  4. 4. O modelo de exposição da mídia clássica<br />Desde o surgimento do ciberjornalismo assistimos à eterna busca do “modelo ideal”<br />Equiparação da lucratividade do meio online àquela da mídia clássica<br />Transposição das práticas offline de obtenção de receitas – publicidade, assinaturas e classificados<br />Dinâmica circular da experimentação<br />Auto-sustentação do negócio digital e não integração à cena corporativa<br />
  5. 5. O modelo de exposição garante:<br />Manutenção do status quoda mídia na sociedade<br />Manutenção de sua legitimidade e suposta centralidade social <br />Manutenção da auto-referencialidade no processo de produção da informação <br />
  6. 6. O modelo de interação da mídia contemporânea<br />A geração de valor não é linear e atrelada à situação de consumo, mas sim à fruição e à experiência com o processo informativo<br />Surge a figura do produser ou do prosumer que convive com o jornalista e é legitimado pela sociedade – um novo fluxo informativo circular <br />
  7. 7. O modelo de interação instiga: <br />Reconfiguração do papel do jornalismo na sociedade <br />Reconfiguração dos formatos organizacionais e da cadeia de valor das empresas informativas <br />Um novo protagonismo social liderado pela “velha” audiência<br />
  8. 8. Os modelos de exposição<br />Publicidade em múltiplos formatos<br />Assinatura de conteúdo<br />Acesso gratuito parcial- PayWall<br />Patrocínio<br />Freemium<br />Financiamento/mecenato<br />Angel capital<br />Fundos de investimento<br />Cooperativa de profissionais<br />
  9. 9. Em resumo....<br />Escassez da oferta de conteúdos informativos ante a necessidade/abundância de leitores e espectadores carentes de informação <br />A empresa informativa compõe seu público/audiência valorizando e capitalizando receita pela venda de seus espaços publicitários e do próprio produto informativo<br />
  10. 10. Modelos de interação<br />Formatos de produção flexível<br />Produção colaborativa<br />Disputa pela atenção do mercado pelo relacionamento centrado no consumidor<br />Crowdsourcing<br />Protagonismo horizontal do público<br />Cadeia de nichos: agregadores jornalísticos, micro-plataformas, robos, websites informativos<br />
  11. 11. Em resumo....<br />Bens materiais são substituídos por relacionamentos<br />Contexto é mais importante que o conteúdo<br />Mensuração quantitativa é secundária<br />Transações ocorrem em fluxo contínuo<br />Caos se transforma em oportunidade<br />A não-rivalidade (compartilhamento) aumenta o valor da informação<br />A inclusão é indicador importante<br />O efeito-rede é valorizado<br />
  12. 12. Nossa reflexão<br />Seria possível a convivência entre modelos de interação e modelos de exposição no cenário do ciberjornalismo contemporâneo?<br />
  13. 13. O Conteúdo pode ser a conexão<br />Entre o mercado “econômico”<br />Regido pela mensuração<br />Troca de audiência por recursos financeiros<br />E o “mercado social”<br />Trazer uma informação nova (notícia, game, música) para uma comunidade gera prestígio, simpatia, retribuição<br />Elemento crucial é o capital social de uma marca jornalística<br />
  14. 14. Capital social da marca jornalística<br />Medida de sua capacidade em mobilizar pessoas com interesses comuns na troca de informações relacionadas com atividades que envolvam a marca em questão.<br />Co-criação de valor<br />NewsEcosystem – Steven Johnson<br />Ampliação do espectro midiático – Arsenault & Castells<br />
  15. 15. UGC + News<br />Meio de compatibilização entre o modelo de interação e o de exposição<br />Amplia o efeito-rede<br />Promove a inclusão de novos públicos<br />Gera valor pelo compartilhamento<br />Mantém o público no espaço do website, expostos à informação clássica<br />Comentam, compartilham e contribuem com a informação interativa nesse mesmo espaço<br />
  16. 16. Tentativas brasileiras<br />Grupo Estado<br />Reconfiguração do processo organizacional da redação – editorias paralelas<br />Foco na produção visual/infográficos inteligentes<br />Tecnobrega – Música em movimento<br />Cadeia de valor social<br />Descolamento do mainstream<br />
  17. 17. Obrigado!<br />bethsaad@gmail.com<br />bethsaad@usp.br<br />@bethsaad<br />

×