Hotel Astra
INDICE
Introdução
Conceito
Arquitectura
Receitas de Exploração
Promotores
Proposta
INTRODUCAO

O presente documento tem como objectivo
apresentar uma proposta de arrendamento para
fins hoteleiros do imóvel...
FOTOGRAFIAS DO PREDIO
CONCEITO
Propõe-se o desenvolvimento de um boutique
hotel de 4 estrelas, ao estilo dos pequenos
hotéis de charme que podem...
MOODS LOBBY
ARQUITECTURA – MEMORIA DESCRITIVA
PISO 0 e PISO -1
Estes pisos serao utilizados para as areas do
restaurante e esplanada d...
MOODS QUARTOS
ARQUITECTURA - AREAS
MOODS RESTAURANTE
RECEITAS DE EXPLORACAO
MOODS TERRACO E LOGRADOURO
PROMOTORES

SUSANA CALDAS
directora financeira e de investimentos da Gespura
desde 2005, sociedade de direito português co...
MOODS DETALHES
PROPOSTA

RENDA:
A renda anual proposta está indexada as receitas do
Hotel, de acordo com a seguinte formula:
Renda = 22% ...
MOODS DIVERSOS
APRESENTACAO
Joao Vaz Guedes
jadvguedes@gmail.com
Proposta Hotel Astra, Av.Liberdade - Miguel Guedes de Sousa
Proposta Hotel Astra, Av.Liberdade - Miguel Guedes de Sousa
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Proposta Hotel Astra, Av.Liberdade - Miguel Guedes de Sousa

825 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
825
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
18
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Proposta Hotel Astra, Av.Liberdade - Miguel Guedes de Sousa

  1. 1. Hotel Astra
  2. 2. INDICE Introdução Conceito Arquitectura Receitas de Exploração Promotores Proposta
  3. 3. INTRODUCAO O presente documento tem como objectivo apresentar uma proposta de arrendamento para fins hoteleiros do imóvel sito na Avenida da Liberdade 164 em Lisboa, que se encontra em fase final de construcao, e para onde estava prevista a abertura de um Hotel desenhado e explorado pela Lanidor. O proponente, constituído por um grupo de investidores com experiência no sector de hotelaria e restauração, propõe-se desenvolver um conceito de hotel de 4 estrelas num estilo intemporal com elevados níveis de conforto, dirigido maioritariamente a clientes “leisure”. A proposta aborda em primeiro lugar o conceito proposto para o Hotel, aproveitando a arquitectura de base ja executada para o Hotel da Lanidor, e em seguida apresentam-se as receitas de exploração previstas para o Hotel. No final do documento é apresentada a proposta de arrendamento, precedida de uma apresentação sumária dos promotores. A presente proposta é o resultado de um estudo detalhado do edifício, ainda que preliminar, bem como do conhecimento dos investidores do sector hoteleiro em geral e, do mercado de hotelaria e restauração no centro de Lisboa em particular. Estamos plenamente convictos da nossa capacidade em desenvolver um conceito diferenciado e de sucesso, esperando para tal que a nossa proposta vá ao encontro das expectativas dos proprietários do imóvel.
  4. 4. FOTOGRAFIAS DO PREDIO
  5. 5. CONCEITO Propõe-se o desenvolvimento de um boutique hotel de 4 estrelas, ao estilo dos pequenos hotéis de charme que podemos encontrar nos centros das grandes capitais europeias. Vocacionado essencialmente para o turista de lazer que privilegia um ambiente de conforto e bom gosto numa localização central a preços moderados. O conceito proposto é o de um hotel “full service”, com 26 quartos, restaurante/bar/esplanada com capacidade para 70 lugares sentados situado nos pisos 0 e -1 com entrada pela Loja na Avenida da Liberdade, e recepcao/lounge no piso 1, com entrada pelo numero 164 da Avenida da liberdade Os ambientes pensados para as áreas comuns do hotel preveem a utilização de tons neutros sendo o calor dos ambientes conseguido através da escolha de materiais quentes como madeira, couro e tecidos em tons de terra, assim como através de elementos decorativos diversos. Os quartos do hotel tem na sua maioria areas médias entre 25 e 35 m2, condizentes com a categoria do hotel e com a proposta de tarifa média diária estimada de cerca de 100 euros. A decoração dos mesmos pretende ser intemporal, embora com toques de modernidade, oferecendo uma elevada sensação de conforto e bem-estar. Será feito um esforço no sentido de dar personalidade a cada quarto, de modo a oferecer aos clientes um ambiente o mais acolhedor possivel, em contraste com a impessoalidade da maioria dos hoteis de cidade. As areas de alimentação e bebidas estão pensadas para atrair não apenas os clientes do hotel mas tambem o publico exterior. A zona da Avenida da Liberdade tem bastante clientela permanente de almoco, para uma faixa de despesa de 15-20 euros por pessoa, essencialmente para quadros das instituições financeiras assim como de escritórios de advogados, Ministérios e outras instituições ali presentes. Ao jantar, a excelente localizacao do hotel juntamente com a capacidade de divulgação por parte do grupo investidor permitira atrair público exterior para jantares na faixa dos 2530 euros por pessoa. A utilizacao do logradouro como esplanada do restaurante, será um factor essencial para a atracção de clientes à hora do almoco e jantar e também para servico de bar ao final da tarde, sobretudo no periodo de Marco a Outubro. O conceito gastronomico é o de “bistrot/brasserie” e “wine bar”, com pratos de confecção simples mas requintada, com recurso a materias primas de boa qualidade.
  6. 6. MOODS LOBBY
  7. 7. ARQUITECTURA – MEMORIA DESCRITIVA PISO 0 e PISO -1 Estes pisos serao utilizados para as areas do restaurante e esplanada do hotel. O restaurante que tera entrada pela actual loja sera distribuido em dois niveis (o nivel da Loja e o nivel do logradouro). O logradouro sera transformado em esplanada com ligacao a area de restaurante do piso -1. A distribuicao por dois pisos e em areas distintas permitira a criacao de dois conceitos diferentes de restauracao, embora utilizando a mesma infrastrutura de cozinha e copa. PISO 1 o piso 1 sera ocupado em parte pelos espaços públicos da área de lounge / recepção / bar. O acesso de publico sera feita pela escada existente e desde esse nivel um elevador dara acesso aos restantes pisos superiores e inferiores. O piso 1 ainda incluira 3 quartos de hotel devidamente isolados dos espacos publicos, garantindo total privacidade e isolamento acustico. PISOS 2 a 6 Estes pisos estão totalmente reservados aos quartos. Cada piso tera 5 quartos (com excepcao do piso 6 que tera 3 quartos) com áreas amplas, acessíveis através de elevador e escada para publico e serviço. A organização dos quartos na frente do edificio (2 em cada piso a excepcao do piso 6 com apenas um quarto) tiram proveito dos vaos existentes maximizando a luz natural no interior dos espaços. Na parte de tras, os quartos terao abertura para o logradouro.
  8. 8. MOODS QUARTOS
  9. 9. ARQUITECTURA - AREAS
  10. 10. MOODS RESTAURANTE
  11. 11. RECEITAS DE EXPLORACAO
  12. 12. MOODS TERRACO E LOGRADOURO
  13. 13. PROMOTORES SUSANA CALDAS directora financeira e de investimentos da Gespura desde 2005, sociedade de direito português com participadas na área hoteleira (Aquapura e Stravaganza), imobiliária (Artepura) e energias renováveis (Dreen Water Re-Energy). É responsável pela análise de oportunidades de investimento e respectiva viabilidade financeira, pela avaliação económica e financeira de projectos nas suas fases de investimento e implementação e pela estruturação de financiamentos, entre outros. Antes de integrar o grupo Gespura, foi subdirectora de corporate finance do Bes Investimento, com responsabilidades a nível do aconselhamento financeiro em operações de fusões e aquisições, privatizações e joint-ventures nas áreas de hotelaria, imobiliário, construção, cimentos, banco e seguros, entre outras. Licenciou-se em economia na Universidade Católica Portuguesa e tem uma pós-graduação em finanças da mesma instituição. MARIA MANUEL VAZ GUEDES depois de uma breve passagem pela Secretaria de Estado da Cultura em 1990, esteve alguns anos no Centro Cultural de Belém como assistente comercial na área de congressos. Em 2003 ficou com a gestão da cantina da sede da Somague na Beloura onde esteve ate 2007. Em 2010 criou com o marido Joao o restaurante MOMA na rua de São Nicolau, onde e simultaneamente responsável pela cozinha e sala. Tirou alguns cursos de cozinha com chefes internacionais ligados ao Cordon Bleu e Ritz de Paris. GONCALO VASCONCELLOS GUIMARÃES Possuidor de cerca de 20 anos de experiencia ligados à área imobiliária, é licenciado em Direito pela Universidade Autónoma de Lisboa, possui ainda uma pós graduação em Gestão para não financeiros da Universidade Católica Portuguesa e diversos cursos da LSE e do INSEAD na vertente de Negociação e Real Estate Business Ventures e Leadership. Assegurou durante 14 anos a coordenação do Departamento Legal da Sonae Sierra, tendo trabalhado em diversos mercados (Portugal, Brasil, Espanha, Alemanha, Grécia, Itália e Roménia), acompanhando a estratégia de internacionalização daquela sub-holding do Grupo Sonae. Desde 2009 que é Director Jurídico da Gespura SGPS, sociedade de direito português com participadas na área hoteleira (Aquapura e Stravaganza), imobiliária (Artepura) e energias renováveis (Dreen Water Re-Energy). JOAO VAZ GUEDES engenheiro de formação, foi administrador da Somague durante mais de 10 anos. Desde 2000, tem-se dedicado ao desenvolvimento de projectos de Hotelaria e Imobiliária. Foi responsável pelo desenvolvimento do resort Warapuru no Brasil, e pela criação do fundo imobiliário Itacaré Capital cotado na bolsa de Londres e especializado no desenvolvimento de resorts no Brasil. Em 2011 esteve em Londres a trabalhar como director de desenvolvimento de um “family office” Mosaic Blue Capital, com interesses nas áreas imobiliária e novas tecnologias.
  14. 14. MOODS DETALHES
  15. 15. PROPOSTA RENDA: A renda anual proposta está indexada as receitas do Hotel, de acordo com a seguinte formula: Renda = 22% Receitas Quartos + 8% Receitas A&B RENDA MINIMA: O proponente garante aos proprietários uma renda mínima de 200.000,00 Euros por ano, caso a renda conforme calculo acima não atinja esse valor. DURACAO DO CONTRATO: 25 anos a partir do inicio da exploração hoteleira. PERIODO DE CARENCIA: Propõe-se um período de carência de renda até ao final do primeiro ano de exploração. LIMITES DE FORNECIMENTO: Os proprietários do imóvel serão responsáveis pelo investimento na conclusao das obras de remodelacao do edifício, com excepção do investimento em “FF&E” (mobiliário de todas as áreas do hotel; equipamento cozinha e bares; equipamentos dos quarto como TV, minibar, cofre; objectos de decoração diversos; enxoval; serviços de copos, pratos e faqueiros; papel de parede) que ficara a cargo do proponente arrendatário. VALORES ESTIMADOS DAS RENDAS ANUAIS (€): Ano 1 Renda (€) 0 Ano 2 Ano 3 Ano 4 Ano 5 Ano 6 200,000 201,560 223,577 246,733 254,135
  16. 16. MOODS DIVERSOS
  17. 17. APRESENTACAO Joao Vaz Guedes jadvguedes@gmail.com

×