Encontro com Cristo

5.346 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.346
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
356
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
142
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Encontro com Cristo

  1. 1. 1ª Escola de Formação Missionária Cidade de Itabuna-Ba Missão Nacional Redentorista
  2. 2. Encontro com Cristo “Não se começa a ser cristão por uma decisão ética ou por uma grande idéia, mas através de um encontro... com uma pessoa, que dá um novo horizonte à vida e, com isso, uma orientação decisiva” (DCE, 12)
  3. 3. 1.Olhando a realidade 1.1. Realidade social • As pessoas perderam o sentido de sua vida; • Individualismo; • Crescimento do desinteresse político e religioso; • Relativismo; • Consumismo; • Cinismo diante da vida – “cuide cada um de si mesmo”; • Corrupção na política; • Desvalorização da ética; • A fragmentação da sociedade.
  4. 4. 1.2. Realidade religiosa Hoje a sociedade consumista oferece supermercado de religiões, onde os indivíduos buscam novos refúgios. Há também um outro movimento: muitas religiões ou igrejas, vão em busca das pessoas sobretudo nas grandes periferias urbanas pobres.
  5. 5. 1.3. Importância do encontro Essas religiões vão ao encontro das pessoas. Vão visitar as famílias, fazem um encontro com as pessoas e assim convertem a muitos. Percebemos facilmente que o fator “encontro com as pessoas” é decisivo.
  6. 6. 1.4. O discípulo nasce do encontro Encontrar as pessoas e levá-las a ter um encontro forte e pessoal com Jesus Cristo. É a missão que Jesus entregou aos seus apóstolos e a nós quando disse: “Ide por todo o mundo, proclamai o Evangelho a toda criatura”. Aquele que crer e for batizado será salvo”(Mc 16,15-16); “fazei que todas as nações se tornem discípulos, batizando-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo” (Mt 28,19).
  7. 7. 2. Encontro pessoal com Jesus Cristo: o caminho da missão 2.1. Adesão dos primeiros discípulos de Jesus (Jo 1,35-51) No texto de Jo 1,35-51 ocorre a adesão dos primeiros discípulos de Jesus. João Batista ao ver Jesus proclamou dizendo: “Eis o Cordeiro de Deus”.
  8. 8. João Batista já se encontrou antes com Jesus no rio Jordão.
  9. 9. Rio Jordão
  10. 10. Rio Jordão
  11. 11. Rio Jordão
  12. 12. São João Batista
  13. 13. São João Batista
  14. 14. Cabeça de São João Batista
  15. 15. Os dois discípulos de João Batista se aproximam de Jesus e lhe perguntam: “Onde moras?”. Disse-lhes Jesus: “Vinde e vede”. • Foi um encontro muito forte; • Face a face; • Deixaram-se atrair, envolver, saíram do encontro transformados e entusiasmados; • Aderiram a Ele com todo o seu ser; • Estavam prontos à segui-lo.
  16. 16. O texto do Documento de Aparecida sublinha este aspecto quando diz que Jesus “despertava as aspirações profundas de seus discípulos e os atraía a si, maravilhados. O seguimento é fruto de uma fascinação que responde ao desejo de realização humana, ao desejo de vida plena. O discípulo é alguém apaixonado por Cristo, a quem reconhece como o mestre que o conduz e acompanha” (DAp 277).
  17. 17. Apóstolo São Paulo diria mais tarde: “Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação; a angústia; a perseguição; a fome; a nudez; os perigos; a espada? (Rm. 8,35)
  18. 18. É preciso sempre deixar-nos alcançar por Ele, de coração aberto e disponível e poder dizer como o apóstolo Paulo: “Eu já fui alcançado por Cristo Jesus”. (Flp 3,12). Quando é que eu me senti alcançado por Cristo?
  19. 19. O discípulo André ao sair do encontro com Jesus foi procurar seu irmão Simão Pedro para dizer-lhe “Encontramos o Messias”. Surpreendido Pedro aceita ir encontrar-se com Jesus. Jesus fita Pedro nos olhos e diz: “Tu és Simão”, filho de Jonas; chamar-te-ás Cefas (que quer dizer Pedra)”. Pedro e André haviam sido conquistados para sempre!
  20. 20. Jesus encontra Felipe e se repete a transformação, o forte encontro que mudou sua vida e seu futuro. Filipe vai buscar Natanael e lhe diz: “Encontramos aquele de quem escreveram Moisés, na Lei, e os profetas: Jesus, o filho de José, de Nazaré”. Natanael se sente sacudido e acaba indo com ele ao encontro de Jesus.
  21. 21. Natanael foi imediatamente acolhido e Jesus lhe diz: “Eis verdadeiramente um israelita em quem não há falsidade”. Então transformado, atraído e iluminado percebe que Jesus o vincula a si para sempre.
  22. 22. “Quando o discípulo está apaixonado por Cristo, não pode deixar de anunciar ao mundo que só Ele nos salva (cf. At 4,12). De fato, o discípulo sabe que sem Cristo não há luz, não há esperança, não há amor, não há futuro” (DAp 146).
  23. 23. 2.2. Exemplos de encontros de Jesus com as pessoas Os Evangelhos trazem muitos exemplos destes encontros de Jesus com pessoas. Podemos citar os encontros com:  Os irmãos Lázaro, Marta e Maria, de Betânia (Lc 10,38-42; Jo 11,1-45)
  24. 24. Região de Betânia
  25. 25. Betânia
  26. 26. Betânia
  27. 27. Betânia
  28. 28. Betânia
  29. 29. Jesus ressuscita Lázaro
  30. 30. Nicodemos (Jo 3,1-21; 19,38-42)
  31. 31. A Samaritana (Jo 4,5-42)
  32. 32. Mateus (Levi) (Mt 9,9)
  33. 33. O cego de Jericó (Lc 18,35-43)
  34. 34. Jericó
  35. 35. Jericó
  36. 36. Jericó
  37. 37. O rico Zaqueu (Lc 19,1-10)
  38. 38. Os encontros de Jesus com: • Os irmãos Lázaro, Marta e Maria, de Betânia; • Nicodemos (Jo 3,1-21; 19,38-42), • A Samaritana (Jo 4,5-42), • Mateus (Levi) (Mt 9,9), • O cego de Jericó (Lc 18,35-43),  O rico Zaqueu (Lc 19,1-10). Em todos, ocorre aquela transformação interior, a adesão, a fé, a prontidão em seguir Jesus e ser seu discípulo.
  39. 39. Não podemos deixar de mencionar os encontros depois da ressurreição que renovaram e aprofundaram a adesão dos discípulos fortalecendo e consolidados na sua fé. Lembremos dos encontros de Jesus ressuscitado com:  Maria Madalena (Jo 20,11-18);
  40. 40. As outras mulheres (Lc 24,1-11);
  41. 41. Simão Pedro (Jo 21,15-19);
  42. 42. Os apóstolos reunidos (Jo 20,19-23)
  43. 43. Tomé (Jo 20,24-29)
  44. 44. Os discípulos de Emaús (Lc 24,13-35)
  45. 45. A vista de Emaús para Jerusalém
  46. 46. A estrada de Emaús para Jerusalem
  47. 47. A estrada de Emaús para Jerusalém
  48. 48. A estrada de Émaus para Jerusalem
  49. 49. Émaus – Igreja
  50. 50. A multidão de discípulos reunidos na hora de sua ascensão ao céu (Lc 24,50-53)
  51. 51. Capelinha Missionária
  52. 52. Basílica de Ascensão ao Céu
  53. 53. Basílica de Ascensão ao Céu
  54. 54. Basílica de Ascensão ao Céu
  55. 55. O apóstolo Paulo, no caminho de Damasco (At 9,1-19; 22,6-21; 26,12-18)
  56. 56. Estes encontros com:  Maria Madalena (Jo 20,11-18);  As outras mulheres (Lc 24,1-11);  Simão Pedro (Jo 21,15-19);  Os apóstolos reunidos (Jo 20,19-23; Lc 24,36-49);  Tomé (Jo 20,24-29);  Os discípulos de Emaús (Lc 24,13-35);  A multidão de discípulos reunidos na hora de sua ascensão ao céu (Lc 24,50-53);  O apóstolo Paulo, no caminho de Damasco (At 9,1-19; 22,6-21; 26,12-18). Sempre trata-se de encontros pessoais e agora também comunitários, ou seja, com a comunidade que Jesus fundara e agora se consolidara com sua ressurreição e o dom do Espírito Santo.
  57. 57. 2.3. Exemplos de encontros que não resultavam em conversão Nestes encontros faltavam disponibilidade interior, desapego, por isso o encontro não resultava em conversão. Como aconteceu no caso do jovem rico (Mt 19,16-22; Mc 10,17-22),
  58. 58. Judas Iscariotes (Jo 12,1-8; 13 21-30; Mt 27,1-10), que nunca se converteu de verdade.
  59. 59. 3. Como e onde podemos fazer um encontro pessoal ou comunitário com Jesus Cristo? O papa João Paulo II, na Ecclesia in América (n.10), orienta como fazer o encontro com Jesus Cristo no tempo da Igreja. Encontrar a Cristo é um dom de Deus e não resultado de nossos esforços humanos, pois é Ele quem nos busca e nos amou primeiro, mas somos nós que devemos acolhê-lo. O apóstolo Paulo, por isso, nos diz: “Eu já fui alcançado por Jesus Cristo” (Fl 3,12).
  60. 60. Mas onde pode dar-se hoje este nosso encontro ou re-encontro? Documento de Aparecida Ecclesia in América (n.10), (n.246-257)
  61. 61. 3.1. Escuta da Palavra de Deus O encontro com Jesus Cristo pode acontecer na escuta da Palavra de Deus. Ouvindo de novo a pregação “a fé nasce da pregação” (Rm 10,17) Lendo a Palavra de Deus.
  62. 62. Pois desconhecer a Bíblia é desconhecer Jesus Cristo. Daí o convite de Bento XVI: “Ao iniciar a nova etapa que a Igreja missionária da América Latina e do Caribe se dispõe a empreender [...] é condição indispensável o conhecimento profundo e vivencia da Palavra de Deus”. É preciso fundamentar nosso compromisso missionário e toda nossa vida na rocha da Palavra de Deus” (DAp 247).
  63. 63. Entre as muitas formas de se aproximar da Sagrada Escritura, a Lectio divina ou exercício de leitura orante da Sagrada Escritura é a mais recomendada. Esta leitura conduz ao encontro com Jesus-Mestre, com o mistério de Jesus- Messias, Jesus-Filho de Deus e Jesus-Senhor do universo.
  64. 64. Esta forma tem quatro momentos: Leitura
  65. 65. Meditação
  66. 66. Oração
  67. 67. Contemplação
  68. 68. 3.2. Liturgia, principalmente a Eucaristia
  69. 69. Papa João Paulo II: “Eucaristia é o lugar privilegiado do encontro do discípulo com Jesus Cristo. A Eucaristia, fonte da vocação cristã é, ao mesmo tempo, fonte do impulso missionário. Ali, o Espírito Santo fortalece a identidade do discípulo e desperta nele a vontade de anunciar com audácia aos demais o que tem escutado e vivido” (DAp 251).
  70. 70. Nas visitas ao Santíssimo Sacramento
  71. 71. Na Celebração dominical da Palavra
  72. 72. No sacramento da reconciliação
  73. 73. 3.3. Oração pessoal e comunitária Outro lugar de encontro é na oração tanto pessoal como comunitária.
  74. 74. A oração diária é um sinal do primado da graça no caminho do discípulo missionário. “Também hoje o encontro dos discípulos com Jesus na intimidade é indispensável para alimentar a vida comunitária e a atividade missionária” (DAp 154).
  75. 75. Jesus está presente também na comunidade e cumpre sua promessa: “Onde estão dois ou três reunidos em meu nome, ali estou eu no meio deles” (Mt 18,20).
  76. 76. 3.4. Os pobres, aflitos e enfermos Só veremos Jesus nos pobres, se tivermos conseguido construir um relacionamento pessoal muito forte e consciente com Cristo.
  77. 77. “O discípulo missionário é chamado a contemplar nos rostos sofredores de nossos irmãos, o rosto de Cristo que o chama a servi-lo neles. Os rostos sofredores dos pobres são rostos sofredores de Cristo. Tudo o que tenha relação com Cristo, tem relação com os pobres e tudo o que está relacionado com os pobres reivindica a Jesus Cristo: „Quando fizeram a um destes meus irmãos menores, fizeram a mim‟ (Mt 25,40)” (DAp 393).
  78. 78. 3.5 A piedade popular A piedade popular é indispensável para conseguir que a fé do povo amadureça e se faça mais fecunda. Entre as expressões encontramos: As festas patronais
  79. 79. As novenas
  80. 80. Os rosários
  81. 81. As via-sacras
  82. 82. As procissões
  83. 83. As danças
  84. 84. Carinho dos santos e aos anjos
  85. 85. As promessas
  86. 86. As orações em família
  87. 87. As peregrinações nos Santuários
  88. 88. 4. Conclusão O discípulo nasce do encontro forte e pessoal com Cristo. É preciso que renovemos este encontro para consolidar-nos como discípulos. Contudo, os discípulos não vivem isolados, mas Cristo os reúne em comunidade. Desse modo, o encontro com Cristo, na Igreja, deve também sempre acabar tornando-se um encontro comunitário.
  89. 89. 1ª Escola de Formação Missionária Cidade de Itabuna-Ba Missão Nacional Redentorista

×