SlideShare uma empresa Scribd logo
O LIVRO QUE QUERIA SER
BRINQUEDO
Autora
Sandra Aymone
Coordenação editorial
Maria Fernanda Moscheta
Sílnia N. Martins Prado
Ilustração
Pierre Trabbold
Luiz Rodrigues
Revisão de texto
Marília Mendes
Diagramação
Linea Creativa
Realização
Fundação EDUCAR DPaschoal
www.educardpaschoal.org.br
F: (19) 3728-8129
Todos os livros da Fundação Educar são distribuídos gratuitamente a escolas
públicas, organizações sociais e bibliotecas.
Esta obra foi impressa em Papelcartão ArtPremium Novo 250 g/m² (capa) e Papel Couché
Image Mate 145 g/m² (miolo), fabricados pela Ripasa S/A Celulose e Papel em harmonia
com o meio ambiente, na Gráfica e Editora Modelo Ltda., no ano de 2005, com tiragem de
23.000 exemplares, para esta 1ª edição.
O Caminhãozinho de Madeira e o Coelhinho de Pelúcia estavam
conversando pertinho da entrada do País dos Brinquedos, quando
ouviram um “psiu”. Foram olhar e encontraram um Livro de Capa Azul
que estava com a cara mais triste do mundo.
– Por acaso vocês sabem como eu faço para encontrar a Fada
dos Brinquedos? – perguntou o Livro, enxugando uma lágrima
– Eu sei que as crianças gostam muito de vocês e queria que
gostassem de mim do mesmo jeito. Será que a Fada concorda
em me transformar num brinquedo?
1
A Bola vinha chegando e, ao ouvir o que o Livro tinha dito, contestou:
– Ué! Mas você é um brinquedo tanto quanto nós! As crianças adoram
ler suas histórias!
Mas o Livro não se convenceu:
– Você diz isso só pra me consolar! Ah, quem me dera ser um trenzinho,
ou uma boneca!... E então? Vocês sabem onde posso encontrar a Fada?
– Ela mora láááááá longe. – explicou o Coelhinho, apontando para um
morro coberto de árvores – Nós nunca vamos até sua casa, porque é
muito difícil atravessar a floresta.
– Desista dessa idéia, Livro! – aconselhou o Caminhãozinho – Fique
morando aqui com a gente!
Mas o livro ficou olhando na direção da floresta, como se estivesse
pensando numa maneira de chegar ao outro lado.
Naquele instante, a Corda de Pular e a Bóia Inflável chegaram contando
as novidades:
– A Pipa acaba de avisar que vai chegar de viagem hoje. Desta vez ela
voou até um deserto muito, muito quente e está trazendo um amigo de lá!
– Disse que esse amigo é uma planta chamada Cacto! – completou a Bóia.
2 3
Os brinquedos, que não sabiam o que era um cacto, ficaram curiosos e
a conversa ficou animada. Cada um dava a idéia mais maluca sobre o
tamanho, a forma e a cor daquele novo amigo da Pipa.
A Bola virou-se para onde estava o Livro e perguntou:
– E você, Livro? Sabe o que é um ca... Ué! Cadê o Livro?
O Livro tinha sumido! O Coelhinho logo adivinhou:
– Tenho certeza de que ele foi atravessar a floresta para encontrar a Fada
dos Brinquedos! Ficamos tão distraídos que nem percebemos quando ele
saiu. A estas horas, deve estar perdido!
– Precisamos ir atrás dele! – disse a Corda de Pular.
Todos concordaram e foram chamar mais brinquedos para ir junto.
Logo, todos caminhavam em direção à floresta. Na frente, ia o
Caminhãozinho, que apesar de andar aos solavancos por ter uma
rodinha rachada, ainda era quem melhor conhecia os caminhos.
A mata foi ficando fechada e as dificuldades eram muitas, mas ninguém
queria desistir.
Depois de andarem bastante, encontraram o Livro, que estava
todo enrolado num cipó e não conseguia se soltar. O Serrote
de Plástico num instante resolveu o problema.
4 5
O Livro ficou muito agradecido e reconheceu que tinha feito bobagem:
– Desculpem, amigos. Eu que conheço tantas histórias, como
“Chapeuzinho Vermelho” e “João e Maria”, devia ter lembrado que é
perigoso entrar sozinho na floresta...
Naquele instante, porém, o Coelhinho parou e levantou as orelhas, como
se ouvisse algo. Disse:
– Vocês estão ouvindo isso? O Tamborzinho está tocando! Ele não pôde
vir, porque ficou cuidando da Corneta, que está com tosse. Deve ter
acontecido alguma coisa!
Nenhum dos outros conseguia ouvir nada, porque não tinham aquelas
orelhonas, mas acreditaram no Coelhinho. Para tentar enxergar mais
longe, os Cubos de Madeira subiram uns sobre os outros até formar uma
pilha bem alta.
O que ficou mais em cima olhou na direção da cidade e gritou:
6 7
– Estou vendo! Caramba! Carambola! Nossa! Cruzes!
– Conte logo o que é! – gritaram todos, na maior aflição.
– É a Pipa! Ela está no ar, parada bem em cima da lagoa dos Barquinhos
de Papel! Tem alguém com ela... uma coisa verde... deve ser o Cacto!
Ele perdeu o equilíbrio e caiu, mas conseguiu se agarrar na pontinha da
corda da Pipa. Acho que não sabe nadar, porque está com muito medo
de cair na água!
– Coitado! – exclamaram todos.
– Precisamos fazer alguma coisa! – disse o Caminhãozinho, já
correndo na direção da cidade.
– Vamos com você! – disseram a Bóia, o Livro e o Ioiô, pulando em
sua carroceria. Mas o peso foi demais e a rodinha rachada quebrou de
vez...
– Vou assim mesmo! Eles precisam de ajuda! – falou o
Caminhãozinho, rodando com muito esforço e dificuldade.
– Espere que dou um jeito. – propôs o Ioiô, colocando-se no lugar da
roda quebrada.
Redondinho como era, ficou quase perfeito e o Caminhãozinho
arrancou bem depressa. Os outros brinquedos correram atrás.
8 9
Quando chegaram à beira da lagoa, ouviram o Cacto gritar:
– Socorro! Acudam! Sou do deserto, tenho medo de água!
Os frágeis Barquinhos de Papel olhavam para o alto. Apesar de
assustados, tentavam acalmar o Cacto, dizendo a ele que o socorro já
estava chegando.
Num instante o Caminhãozinho chegou à beira da lagoa. A Bóia pulou
na água para segurar o Cacto quando ele caísse. Mas o Livro deu um
grito:
– Não faça isso! Aqui nas minhas páginas diz que os cactos são
plantas que têm muitos espinhos! Você vai furar e acabar
afundando com ele...
Todos os brinquedos pararam e ficaram olhando uns para os
outros. Ninguém tinha coragem de ir segurar alguém que era
cheio de espinhos...
– Eu vou! – decidiu, corajosamente, o Livro, enquanto se ajeitava
sobre a Bóia – Minha capa é dura, não vou me ferir.
Os outros brinquedos ficaram na maior aflição. Sabiam que se ele se
molhasse... era uma vez um Livro!
A Bóia nadou depressa. Naquele minuto, o Cacto perdeu as forças e
se soltou da corda da Pipa. Veio caindo, caindo, caiu! Bem em cima
do Livro!
Todos os brinquedos que estavam na margem gritaram, pularam e
aplaudiram.
10 11
Com cuidado, a Bóia voltou com o Livro e o Cacto para terra firme. A
Pipa desceu do céu e agradeceu, muito emocionada, a todos que tinham
ajudado no salvamento.
Para comemorar o salvamento do Cacto, a Pipa deu uma grande festa.
Todos os brinquedos foram convidados.
Depois que já tinham se divertido bastante, a Pipa pediu silêncio e disse:
– Tenho certeza que o susto que eu e o Cacto passamos ajudou todos a
perceber que cada um de nós tem um talento especial. É muito bom que
existam coelhinhos de grandes orelhas, capazes de ouvir o que ninguém
– Caminhões cuja coragem compense até a falta de uma rodinha.
– acrescentou o Cacto – Ioiôs tão inteligentes que possam encontrar
soluções em momentos difíceis. Barquinhos de papel sempre prontos a
dizer uma palavra amiga. Bóias que flutuam como ninguém...
– Porém, – continuou a Pipa – queremos fazer um agradecimento
especial a alguém que é, sem dúvida, o mais sabido de todos nós. Se não
fossem seus conhecimentos, tudo teria acabado em desastre... E aposto
que todos sabem quem é ele...
– É o Livro! É o Livro! É o Livro! – gritaram os brinquedos na maior
animação.
mais ouve. Cubos que possam se elevar tão alto a ponto de enxergar
quem precisa de ajuda...
12 13
O Livro nunca tinha se sentido tão feliz! A Pipa ainda disse:
– O que seria de nós sem esse mundo de conhecimentos que os livros
trazem dentro deles? Se ele não soubesse tudo sobre plantas do deserto,
a uma hora dessas, a Bóia e o Cacto estariam no fundo do lago... Ele,
mais que todos, merece nosso carinho e o amor das crianças!
A Bóia, comovida, deu um beijo no Livro, dizendo:
– Você é o brinquedo mais bacana que uma criança pode ter!
De repente, vinda de não se sabe onde, uma voz retumbante falou:
– Eu sou a Fada dos Brinquedos e vim aqui para satisfazer o seu desejo!
A partir de agora, o Livro vai virar um trenzinho!
O Livro levou um susto e gritou:
– Não! Mudei de idéia! Quero continuar sendo o que sou!
O Tamborzinho pensou:
– Conheço essa voz! – e falou – Calma gente! É só a Cornetinha que
sarou da tosse e está pregando uma peça em vocês!
14 15
Na mesma hora, a Cornetinha pulou no
meio da festa, toda sapeca, e saiu galopando
montada no Cavalinho de Pau. O Livro
correu atrás dela, dando muitas risadas, e a
farra durou até o sol raiar...
16
“Um livro aberto é um cérebro que fala;
fechado, é um amigo que espera;
esquecido, uma alma que perdoa;
destruído, um coração que chora.”
Ditado popular da Índia

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O caso da lagarta que tomou um chá de sumiço
O caso da lagarta que tomou um chá de sumiçoO caso da lagarta que tomou um chá de sumiço
O caso da lagarta que tomou um chá de sumiço
Rosemary Batista
 
As vacas não voam
As vacas não voamAs vacas não voam
As vacas não voam
jleiteg
 
Kiko o dentinho de leite
Kiko o dentinho de leiteKiko o dentinho de leite
Kiko o dentinho de leite
Paula Sousa
 
A ovelhinha-que-veio-para-jantar
A ovelhinha-que-veio-para-jantarA ovelhinha-que-veio-para-jantar
A ovelhinha-que-veio-para-jantar
Ofelia Liborio
 
Que bicho será que a cobra comeu
Que bicho será que a cobra comeu Que bicho será que a cobra comeu
Que bicho será que a cobra comeu
Elaine Moreira
 
Monstruosidades
MonstruosidadesMonstruosidades
Monstruosidades
Rosemary Batista
 
HISTÓRIA INFANTL:Conte comigo amigo
HISTÓRIA INFANTL:Conte comigo amigoHISTÓRIA INFANTL:Conte comigo amigo
HISTÓRIA INFANTL:Conte comigo amigo
roessencia
 
A joaninha que perdeu as pintinhas
A joaninha que perdeu as pintinhasA joaninha que perdeu as pintinhas
A joaninha que perdeu as pintinhas
lauridesm
 
O mistério do ovo power point
O mistério do ovo power pointO mistério do ovo power point
O mistério do ovo power point
lurdestecedeiro
 
Livro Usando as mãos: contando de cinco em cinco
Livro   Usando as mãos: contando de cinco em cincoLivro   Usando as mãos: contando de cinco em cinco
Livro Usando as mãos: contando de cinco em cinco
Fabiana Esteves
 
Peixinho arco íris
Peixinho arco írisPeixinho arco íris
Peixinho arco íris
Raquel Moreira
 
Peixe Arco Iris
Peixe Arco IrisPeixe Arco Iris
Peixe Arco Iris
guestb0f4a46
 
ApresentaçãO Grilo Verde
ApresentaçãO Grilo VerdeApresentaçãO Grilo Verde
ApresentaçãO Grilo Verde
Ana Rodrigues
 
Fugindo das garras do gato
Fugindo das garras do gatoFugindo das garras do gato
Fugindo das garras do gato
Fabiana Esteves
 
Os melhores beijinhos
Os melhores beijinhosOs melhores beijinhos
Os melhores beijinhos
Mariajosesantos57
 
A escola de marcelo
A escola de marceloA escola de marcelo
A escola de marcelo
Lakalondres
 
Os dedos luisa ducla soares
Os dedos luisa ducla soaresOs dedos luisa ducla soares
Os dedos luisa ducla soares
mmdaaraujo
 

Mais procurados (20)

O caso da lagarta que tomou um chá de sumiço
O caso da lagarta que tomou um chá de sumiçoO caso da lagarta que tomou um chá de sumiço
O caso da lagarta que tomou um chá de sumiço
 
As vacas não voam
As vacas não voamAs vacas não voam
As vacas não voam
 
Kiko o dentinho de leite
Kiko o dentinho de leiteKiko o dentinho de leite
Kiko o dentinho de leite
 
A ovelhinha-que-veio-para-jantar
A ovelhinha-que-veio-para-jantarA ovelhinha-que-veio-para-jantar
A ovelhinha-que-veio-para-jantar
 
Boneco de neve
Boneco de neveBoneco de neve
Boneco de neve
 
Que bicho será que a cobra comeu
Que bicho será que a cobra comeu Que bicho será que a cobra comeu
Que bicho será que a cobra comeu
 
Quando a mãe grita...
Quando a mãe grita...Quando a mãe grita...
Quando a mãe grita...
 
Monstruosidades
MonstruosidadesMonstruosidades
Monstruosidades
 
HISTÓRIA INFANTL:Conte comigo amigo
HISTÓRIA INFANTL:Conte comigo amigoHISTÓRIA INFANTL:Conte comigo amigo
HISTÓRIA INFANTL:Conte comigo amigo
 
A joaninha que perdeu as pintinhas
A joaninha que perdeu as pintinhasA joaninha que perdeu as pintinhas
A joaninha que perdeu as pintinhas
 
O mistério do ovo power point
O mistério do ovo power pointO mistério do ovo power point
O mistério do ovo power point
 
Livro Usando as mãos: contando de cinco em cinco
Livro   Usando as mãos: contando de cinco em cincoLivro   Usando as mãos: contando de cinco em cinco
Livro Usando as mãos: contando de cinco em cinco
 
Peixinho arco íris
Peixinho arco írisPeixinho arco íris
Peixinho arco íris
 
Rafa girafa
Rafa girafaRafa girafa
Rafa girafa
 
Peixe Arco Iris
Peixe Arco IrisPeixe Arco Iris
Peixe Arco Iris
 
ApresentaçãO Grilo Verde
ApresentaçãO Grilo VerdeApresentaçãO Grilo Verde
ApresentaçãO Grilo Verde
 
Fugindo das garras do gato
Fugindo das garras do gatoFugindo das garras do gato
Fugindo das garras do gato
 
Os melhores beijinhos
Os melhores beijinhosOs melhores beijinhos
Os melhores beijinhos
 
A escola de marcelo
A escola de marceloA escola de marcelo
A escola de marcelo
 
Os dedos luisa ducla soares
Os dedos luisa ducla soaresOs dedos luisa ducla soares
Os dedos luisa ducla soares
 

Semelhante a O livro que queria ser brinquedo

O livro que_queria_ser_brinquedo
O livro que_queria_ser_brinquedoO livro que_queria_ser_brinquedo
O livro que_queria_ser_brinquedo
Edilene Dias Cabral
 
A Galinha Que Sabia Ler
A Galinha Que Sabia LerA Galinha Que Sabia Ler
A Galinha Que Sabia Ler
Graça Sousa
 
A galinha que sabia ler
A galinha que sabia lerA galinha que sabia ler
A galinha que sabia ler
SABERES E FAZERES EM NOSSAS MÃOS
 
A galinha-que-sabia-ler
A galinha-que-sabia-lerA galinha-que-sabia-ler
A galinha-que-sabia-ler
Lília Azevedo
 
A galinha que sabia ler
A galinha que sabia lerA galinha que sabia ler
A galinha que sabia ler
Marisa Seara
 
A galinha-que-sabia-ler
A galinha-que-sabia-lerA galinha-que-sabia-ler
A galinha-que-sabia-ler
Patricia Wolff
 
Misterio na biblioteca
Misterio na bibliotecaMisterio na biblioteca
Misterio na biblioteca
Marisa Seara
 
54 misterio na_biblioteca
54 misterio na_biblioteca54 misterio na_biblioteca
54 misterio na_biblioteca
Maurício Guimarães
 
Historinhas do Vovô Juca: Um mundo de insetos
Historinhas do Vovô Juca: Um mundo de insetosHistorinhas do Vovô Juca: Um mundo de insetos
Historinhas do Vovô Juca: Um mundo de insetos
Freekidstories
 
Pnl polo
Pnl poloPnl polo
Pnl polo
sorrisinhu
 
De volta para o para
De volta para o paraDe volta para o para
De volta para o para
Marisa Seara
 
Boletim BE 9
Boletim BE  9Boletim BE  9
Boletim BE 9
Clara Mata
 
27 folclore
27 folclore27 folclore
27 folclore
Joelma Watanabe
 
O livro que não tinha fim
O livro que não tinha fimO livro que não tinha fim
O livro que não tinha fim
Marisa Seara
 
O livro que não tinha fim.PDF
O livro que não tinha fim.PDFO livro que não tinha fim.PDF
O livro que não tinha fim.PDF
FetengAutomaoudioeVd
 
Oficina de leitura atividades
Oficina de leitura   atividadesOficina de leitura   atividades
Oficina de leitura atividades
Meire Lopes
 
Oficina de leitura atividades
Oficina de leitura   atividadesOficina de leitura   atividades
Oficina de leitura atividades
Junior Pereira
 
A historia de chiquinho walquiria raizer
A historia de chiquinho   walquiria raizerA historia de chiquinho   walquiria raizer
A historia de chiquinho walquiria raizer
AELPB
 
Adivinhe o que_e_folclore_web
Adivinhe o que_e_folclore_webAdivinhe o que_e_folclore_web
Adivinhe o que_e_folclore_web
GuilhermeRighettiFan
 
ADIVINHE O QUE É... FOLCLORE ( Fundação Educar)
ADIVINHE O QUE É... FOLCLORE ( Fundação Educar)ADIVINHE O QUE É... FOLCLORE ( Fundação Educar)
ADIVINHE O QUE É... FOLCLORE ( Fundação Educar)
Nádia Rabelo
 

Semelhante a O livro que queria ser brinquedo (20)

O livro que_queria_ser_brinquedo
O livro que_queria_ser_brinquedoO livro que_queria_ser_brinquedo
O livro que_queria_ser_brinquedo
 
A Galinha Que Sabia Ler
A Galinha Que Sabia LerA Galinha Que Sabia Ler
A Galinha Que Sabia Ler
 
A galinha que sabia ler
A galinha que sabia lerA galinha que sabia ler
A galinha que sabia ler
 
A galinha-que-sabia-ler
A galinha-que-sabia-lerA galinha-que-sabia-ler
A galinha-que-sabia-ler
 
A galinha que sabia ler
A galinha que sabia lerA galinha que sabia ler
A galinha que sabia ler
 
A galinha-que-sabia-ler
A galinha-que-sabia-lerA galinha-que-sabia-ler
A galinha-que-sabia-ler
 
Misterio na biblioteca
Misterio na bibliotecaMisterio na biblioteca
Misterio na biblioteca
 
54 misterio na_biblioteca
54 misterio na_biblioteca54 misterio na_biblioteca
54 misterio na_biblioteca
 
Historinhas do Vovô Juca: Um mundo de insetos
Historinhas do Vovô Juca: Um mundo de insetosHistorinhas do Vovô Juca: Um mundo de insetos
Historinhas do Vovô Juca: Um mundo de insetos
 
Pnl polo
Pnl poloPnl polo
Pnl polo
 
De volta para o para
De volta para o paraDe volta para o para
De volta para o para
 
Boletim BE 9
Boletim BE  9Boletim BE  9
Boletim BE 9
 
27 folclore
27 folclore27 folclore
27 folclore
 
O livro que não tinha fim
O livro que não tinha fimO livro que não tinha fim
O livro que não tinha fim
 
O livro que não tinha fim.PDF
O livro que não tinha fim.PDFO livro que não tinha fim.PDF
O livro que não tinha fim.PDF
 
Oficina de leitura atividades
Oficina de leitura   atividadesOficina de leitura   atividades
Oficina de leitura atividades
 
Oficina de leitura atividades
Oficina de leitura   atividadesOficina de leitura   atividades
Oficina de leitura atividades
 
A historia de chiquinho walquiria raizer
A historia de chiquinho   walquiria raizerA historia de chiquinho   walquiria raizer
A historia de chiquinho walquiria raizer
 
Adivinhe o que_e_folclore_web
Adivinhe o que_e_folclore_webAdivinhe o que_e_folclore_web
Adivinhe o que_e_folclore_web
 
ADIVINHE O QUE É... FOLCLORE ( Fundação Educar)
ADIVINHE O QUE É... FOLCLORE ( Fundação Educar)ADIVINHE O QUE É... FOLCLORE ( Fundação Educar)
ADIVINHE O QUE É... FOLCLORE ( Fundação Educar)
 

Mais de Marisa Seara

O RATO DO CAMPO E O RATO DA CIDADE
O RATO DO CAMPO E O RATO DA CIDADEO RATO DO CAMPO E O RATO DA CIDADE
O RATO DO CAMPO E O RATO DA CIDADE
Marisa Seara
 
A MENINA QUE NÃO GOSTAVA DE FRUTA
A MENINA QUE NÃO GOSTAVA DE FRUTAA MENINA QUE NÃO GOSTAVA DE FRUTA
A MENINA QUE NÃO GOSTAVA DE FRUTA
Marisa Seara
 
SACI PERERÊ
SACI PERERÊSACI PERERÊ
SACI PERERÊ
Marisa Seara
 
CADE MEU DOCE
CADE MEU DOCECADE MEU DOCE
CADE MEU DOCE
Marisa Seara
 
O casamento do bode com a raposa
O casamento do bode com a raposaO casamento do bode com a raposa
O casamento do bode com a raposa
Marisa Seara
 
MICO MANECO
MICO MANECOMICO MANECO
MICO MANECO
Marisa Seara
 
CONTO OU NÃO CONTO?
CONTO OU NÃO CONTO?CONTO OU NÃO CONTO?
CONTO OU NÃO CONTO?
Marisa Seara
 
VITOR VIRTUAL
VITOR VIRTUALVITOR VIRTUAL
VITOR VIRTUAL
Marisa Seara
 
TREM DE FERRO
TREM DE FERROTREM DE FERRO
TREM DE FERRO
Marisa Seara
 
NO CIRCO
NO CIRCONO CIRCO
NO CIRCO
Marisa Seara
 
Um caminhão nas estrelas
Um caminhão nas estrelasUm caminhão nas estrelas
Um caminhão nas estrelas
Marisa Seara
 
Turma da Mônica e o MINISTÉRIO PÚBLICO
Turma da Mônica e o MINISTÉRIO PÚBLICOTurma da Mônica e o MINISTÉRIO PÚBLICO
Turma da Mônica e o MINISTÉRIO PÚBLICO
Marisa Seara
 
Turma da Mônica cuidando do mundo
Turma da Mônica cuidando do mundoTurma da Mônica cuidando do mundo
Turma da Mônica cuidando do mundo
Marisa Seara
 
Tristeza
TristezaTristeza
Tristeza
Marisa Seara
 
QUANDO ME SINTO ZANGADO
QUANDO ME SINTO ZANGADOQUANDO ME SINTO ZANGADO
QUANDO ME SINTO ZANGADO
Marisa Seara
 
QUANDO ME SINTO TRISTE
QUANDO ME SINTO TRISTEQUANDO ME SINTO TRISTE
QUANDO ME SINTO TRISTE
Marisa Seara
 
QUANDO ME SINTO ASSUSTADO
QUANDO ME SINTO ASSUSTADOQUANDO ME SINTO ASSUSTADO
QUANDO ME SINTO ASSUSTADO
Marisa Seara
 
QUANDO ME SINTO FELIZ
QUANDO ME SINTO FELIZQUANDO ME SINTO FELIZ
QUANDO ME SINTO FELIZ
Marisa Seara
 
O REI DOS CANUDINHOS
O REI DOS CANUDINHOSO REI DOS CANUDINHOS
O REI DOS CANUDINHOS
Marisa Seara
 
O QUE HÁ DE BOM
O QUE HÁ DE BOMO QUE HÁ DE BOM
O QUE HÁ DE BOM
Marisa Seara
 

Mais de Marisa Seara (20)

O RATO DO CAMPO E O RATO DA CIDADE
O RATO DO CAMPO E O RATO DA CIDADEO RATO DO CAMPO E O RATO DA CIDADE
O RATO DO CAMPO E O RATO DA CIDADE
 
A MENINA QUE NÃO GOSTAVA DE FRUTA
A MENINA QUE NÃO GOSTAVA DE FRUTAA MENINA QUE NÃO GOSTAVA DE FRUTA
A MENINA QUE NÃO GOSTAVA DE FRUTA
 
SACI PERERÊ
SACI PERERÊSACI PERERÊ
SACI PERERÊ
 
CADE MEU DOCE
CADE MEU DOCECADE MEU DOCE
CADE MEU DOCE
 
O casamento do bode com a raposa
O casamento do bode com a raposaO casamento do bode com a raposa
O casamento do bode com a raposa
 
MICO MANECO
MICO MANECOMICO MANECO
MICO MANECO
 
CONTO OU NÃO CONTO?
CONTO OU NÃO CONTO?CONTO OU NÃO CONTO?
CONTO OU NÃO CONTO?
 
VITOR VIRTUAL
VITOR VIRTUALVITOR VIRTUAL
VITOR VIRTUAL
 
TREM DE FERRO
TREM DE FERROTREM DE FERRO
TREM DE FERRO
 
NO CIRCO
NO CIRCONO CIRCO
NO CIRCO
 
Um caminhão nas estrelas
Um caminhão nas estrelasUm caminhão nas estrelas
Um caminhão nas estrelas
 
Turma da Mônica e o MINISTÉRIO PÚBLICO
Turma da Mônica e o MINISTÉRIO PÚBLICOTurma da Mônica e o MINISTÉRIO PÚBLICO
Turma da Mônica e o MINISTÉRIO PÚBLICO
 
Turma da Mônica cuidando do mundo
Turma da Mônica cuidando do mundoTurma da Mônica cuidando do mundo
Turma da Mônica cuidando do mundo
 
Tristeza
TristezaTristeza
Tristeza
 
QUANDO ME SINTO ZANGADO
QUANDO ME SINTO ZANGADOQUANDO ME SINTO ZANGADO
QUANDO ME SINTO ZANGADO
 
QUANDO ME SINTO TRISTE
QUANDO ME SINTO TRISTEQUANDO ME SINTO TRISTE
QUANDO ME SINTO TRISTE
 
QUANDO ME SINTO ASSUSTADO
QUANDO ME SINTO ASSUSTADOQUANDO ME SINTO ASSUSTADO
QUANDO ME SINTO ASSUSTADO
 
QUANDO ME SINTO FELIZ
QUANDO ME SINTO FELIZQUANDO ME SINTO FELIZ
QUANDO ME SINTO FELIZ
 
O REI DOS CANUDINHOS
O REI DOS CANUDINHOSO REI DOS CANUDINHOS
O REI DOS CANUDINHOS
 
O QUE HÁ DE BOM
O QUE HÁ DE BOMO QUE HÁ DE BOM
O QUE HÁ DE BOM
 

Último

Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdfAtividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
sesiomzezao
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
EsterGabriiela1
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 

Último (20)

Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdfAtividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 

O livro que queria ser brinquedo

  • 1. O LIVRO QUE QUERIA SER BRINQUEDO
  • 2. Autora Sandra Aymone Coordenação editorial Maria Fernanda Moscheta Sílnia N. Martins Prado Ilustração Pierre Trabbold Luiz Rodrigues Revisão de texto Marília Mendes Diagramação Linea Creativa Realização Fundação EDUCAR DPaschoal www.educardpaschoal.org.br F: (19) 3728-8129 Todos os livros da Fundação Educar são distribuídos gratuitamente a escolas públicas, organizações sociais e bibliotecas. Esta obra foi impressa em Papelcartão ArtPremium Novo 250 g/m² (capa) e Papel Couché Image Mate 145 g/m² (miolo), fabricados pela Ripasa S/A Celulose e Papel em harmonia com o meio ambiente, na Gráfica e Editora Modelo Ltda., no ano de 2005, com tiragem de 23.000 exemplares, para esta 1ª edição. O Caminhãozinho de Madeira e o Coelhinho de Pelúcia estavam conversando pertinho da entrada do País dos Brinquedos, quando ouviram um “psiu”. Foram olhar e encontraram um Livro de Capa Azul que estava com a cara mais triste do mundo. – Por acaso vocês sabem como eu faço para encontrar a Fada dos Brinquedos? – perguntou o Livro, enxugando uma lágrima – Eu sei que as crianças gostam muito de vocês e queria que gostassem de mim do mesmo jeito. Será que a Fada concorda em me transformar num brinquedo? 1
  • 3. A Bola vinha chegando e, ao ouvir o que o Livro tinha dito, contestou: – Ué! Mas você é um brinquedo tanto quanto nós! As crianças adoram ler suas histórias! Mas o Livro não se convenceu: – Você diz isso só pra me consolar! Ah, quem me dera ser um trenzinho, ou uma boneca!... E então? Vocês sabem onde posso encontrar a Fada? – Ela mora láááááá longe. – explicou o Coelhinho, apontando para um morro coberto de árvores – Nós nunca vamos até sua casa, porque é muito difícil atravessar a floresta. – Desista dessa idéia, Livro! – aconselhou o Caminhãozinho – Fique morando aqui com a gente! Mas o livro ficou olhando na direção da floresta, como se estivesse pensando numa maneira de chegar ao outro lado. Naquele instante, a Corda de Pular e a Bóia Inflável chegaram contando as novidades: – A Pipa acaba de avisar que vai chegar de viagem hoje. Desta vez ela voou até um deserto muito, muito quente e está trazendo um amigo de lá! – Disse que esse amigo é uma planta chamada Cacto! – completou a Bóia. 2 3
  • 4. Os brinquedos, que não sabiam o que era um cacto, ficaram curiosos e a conversa ficou animada. Cada um dava a idéia mais maluca sobre o tamanho, a forma e a cor daquele novo amigo da Pipa. A Bola virou-se para onde estava o Livro e perguntou: – E você, Livro? Sabe o que é um ca... Ué! Cadê o Livro? O Livro tinha sumido! O Coelhinho logo adivinhou: – Tenho certeza de que ele foi atravessar a floresta para encontrar a Fada dos Brinquedos! Ficamos tão distraídos que nem percebemos quando ele saiu. A estas horas, deve estar perdido! – Precisamos ir atrás dele! – disse a Corda de Pular. Todos concordaram e foram chamar mais brinquedos para ir junto. Logo, todos caminhavam em direção à floresta. Na frente, ia o Caminhãozinho, que apesar de andar aos solavancos por ter uma rodinha rachada, ainda era quem melhor conhecia os caminhos. A mata foi ficando fechada e as dificuldades eram muitas, mas ninguém queria desistir. Depois de andarem bastante, encontraram o Livro, que estava todo enrolado num cipó e não conseguia se soltar. O Serrote de Plástico num instante resolveu o problema. 4 5
  • 5. O Livro ficou muito agradecido e reconheceu que tinha feito bobagem: – Desculpem, amigos. Eu que conheço tantas histórias, como “Chapeuzinho Vermelho” e “João e Maria”, devia ter lembrado que é perigoso entrar sozinho na floresta... Naquele instante, porém, o Coelhinho parou e levantou as orelhas, como se ouvisse algo. Disse: – Vocês estão ouvindo isso? O Tamborzinho está tocando! Ele não pôde vir, porque ficou cuidando da Corneta, que está com tosse. Deve ter acontecido alguma coisa! Nenhum dos outros conseguia ouvir nada, porque não tinham aquelas orelhonas, mas acreditaram no Coelhinho. Para tentar enxergar mais longe, os Cubos de Madeira subiram uns sobre os outros até formar uma pilha bem alta. O que ficou mais em cima olhou na direção da cidade e gritou: 6 7
  • 6. – Estou vendo! Caramba! Carambola! Nossa! Cruzes! – Conte logo o que é! – gritaram todos, na maior aflição. – É a Pipa! Ela está no ar, parada bem em cima da lagoa dos Barquinhos de Papel! Tem alguém com ela... uma coisa verde... deve ser o Cacto! Ele perdeu o equilíbrio e caiu, mas conseguiu se agarrar na pontinha da corda da Pipa. Acho que não sabe nadar, porque está com muito medo de cair na água! – Coitado! – exclamaram todos. – Precisamos fazer alguma coisa! – disse o Caminhãozinho, já correndo na direção da cidade. – Vamos com você! – disseram a Bóia, o Livro e o Ioiô, pulando em sua carroceria. Mas o peso foi demais e a rodinha rachada quebrou de vez... – Vou assim mesmo! Eles precisam de ajuda! – falou o Caminhãozinho, rodando com muito esforço e dificuldade. – Espere que dou um jeito. – propôs o Ioiô, colocando-se no lugar da roda quebrada. Redondinho como era, ficou quase perfeito e o Caminhãozinho arrancou bem depressa. Os outros brinquedos correram atrás. 8 9
  • 7. Quando chegaram à beira da lagoa, ouviram o Cacto gritar: – Socorro! Acudam! Sou do deserto, tenho medo de água! Os frágeis Barquinhos de Papel olhavam para o alto. Apesar de assustados, tentavam acalmar o Cacto, dizendo a ele que o socorro já estava chegando. Num instante o Caminhãozinho chegou à beira da lagoa. A Bóia pulou na água para segurar o Cacto quando ele caísse. Mas o Livro deu um grito: – Não faça isso! Aqui nas minhas páginas diz que os cactos são plantas que têm muitos espinhos! Você vai furar e acabar afundando com ele... Todos os brinquedos pararam e ficaram olhando uns para os outros. Ninguém tinha coragem de ir segurar alguém que era cheio de espinhos... – Eu vou! – decidiu, corajosamente, o Livro, enquanto se ajeitava sobre a Bóia – Minha capa é dura, não vou me ferir. Os outros brinquedos ficaram na maior aflição. Sabiam que se ele se molhasse... era uma vez um Livro! A Bóia nadou depressa. Naquele minuto, o Cacto perdeu as forças e se soltou da corda da Pipa. Veio caindo, caindo, caiu! Bem em cima do Livro! Todos os brinquedos que estavam na margem gritaram, pularam e aplaudiram. 10 11
  • 8. Com cuidado, a Bóia voltou com o Livro e o Cacto para terra firme. A Pipa desceu do céu e agradeceu, muito emocionada, a todos que tinham ajudado no salvamento. Para comemorar o salvamento do Cacto, a Pipa deu uma grande festa. Todos os brinquedos foram convidados. Depois que já tinham se divertido bastante, a Pipa pediu silêncio e disse: – Tenho certeza que o susto que eu e o Cacto passamos ajudou todos a perceber que cada um de nós tem um talento especial. É muito bom que existam coelhinhos de grandes orelhas, capazes de ouvir o que ninguém – Caminhões cuja coragem compense até a falta de uma rodinha. – acrescentou o Cacto – Ioiôs tão inteligentes que possam encontrar soluções em momentos difíceis. Barquinhos de papel sempre prontos a dizer uma palavra amiga. Bóias que flutuam como ninguém... – Porém, – continuou a Pipa – queremos fazer um agradecimento especial a alguém que é, sem dúvida, o mais sabido de todos nós. Se não fossem seus conhecimentos, tudo teria acabado em desastre... E aposto que todos sabem quem é ele... – É o Livro! É o Livro! É o Livro! – gritaram os brinquedos na maior animação. mais ouve. Cubos que possam se elevar tão alto a ponto de enxergar quem precisa de ajuda... 12 13
  • 9. O Livro nunca tinha se sentido tão feliz! A Pipa ainda disse: – O que seria de nós sem esse mundo de conhecimentos que os livros trazem dentro deles? Se ele não soubesse tudo sobre plantas do deserto, a uma hora dessas, a Bóia e o Cacto estariam no fundo do lago... Ele, mais que todos, merece nosso carinho e o amor das crianças! A Bóia, comovida, deu um beijo no Livro, dizendo: – Você é o brinquedo mais bacana que uma criança pode ter! De repente, vinda de não se sabe onde, uma voz retumbante falou: – Eu sou a Fada dos Brinquedos e vim aqui para satisfazer o seu desejo! A partir de agora, o Livro vai virar um trenzinho! O Livro levou um susto e gritou: – Não! Mudei de idéia! Quero continuar sendo o que sou! O Tamborzinho pensou: – Conheço essa voz! – e falou – Calma gente! É só a Cornetinha que sarou da tosse e está pregando uma peça em vocês! 14 15
  • 10. Na mesma hora, a Cornetinha pulou no meio da festa, toda sapeca, e saiu galopando montada no Cavalinho de Pau. O Livro correu atrás dela, dando muitas risadas, e a farra durou até o sol raiar... 16
  • 11. “Um livro aberto é um cérebro que fala; fechado, é um amigo que espera; esquecido, uma alma que perdoa; destruído, um coração que chora.” Ditado popular da Índia