Daphnia

3.254 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.254
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
47
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Daphnia

  1. 1. “A Daphnia…” ……………………………………………………Sofia Coutinho 1 UM PEQUENO ANIMAL MAS COM MUITA COISA PARA DESCOBRIR! Ciências Naturais Trabalho para a disciplina de: Ciências Naturais; Professora: Adélia Pires; Aluna: Sofia Coutinho Ano/Turma: 7ºb Ano lectivo: 2008/2009 Escola Básica 2/3 de Sobreira
  2. 2. “A Daphnia…” ……………………………………………………Sofia Coutinho 2 Ciências Naturais
  3. 3. “A Daphnia…” ……………………………………………………Sofia Coutinho 3 Índice Introdução ……………………..………………………………………….……...…4 Apresentação………………….....…………………………………………....….…5 1.1 – Definição………………………………………………………………...………..5 1.2 – Origem ……………………………………………………………………………5 1.3 – Habitat e alimentação …………………………………………………………...6 Constituição do organismo…...……………………………..……………...…….7 Reprodução…………………………………………………………………………8 Esperança média de vida …………………………………………………………9 As daphnias na Biologia…………………………………………………………10 Conclusão……………………………………….…………………………………11 Bibliografia………………………………………………………………………...12 Ciências Naturais
  4. 4. “A Daphnia…” ……………………………………………………Sofia Coutinho 4 Introdução Este trabalho, pretende apresentar a informação que se tem vindo a aprender com as aulas de Área de Projecto, nas quais se tem vindo a trabalhar sobre a Daphnia, um animal aquático, pequeno, curioso e interessante. Para tal, vão aqui ser tratados assuntos como o organismo deste animal, a sua reprodução e um breve olhar pela sua importância na biologia Ciências Naturais
  5. 5. “A Daphnia…” ……………………………………………………Sofia Coutinho 5 Apresentação Daphnia Classificação científica Reino: Animalia Filo: Crustacea Classe: Branchiopoda Ordem: Cladocera Família: Daphniidae Daphnia Género: 1.1- Definição Daphnia é um género de crustáceos da ordem Cladocera, também chamado de pulga de água. Devido à forma como nada impulsionada por duas antenas Ciências Naturais situadas no cimo da sua cabeça, a daphnia parece pular dentro de água como pulam as pulgas terrestres. Origem 1.2- As daphnias têm origem na Austrália ocidental.
  6. 6. “A Daphnia…” ……………………………………………………Sofia Coutinho 6 1.3 – Habitat e alimentação As daphnias vivem em águas paradas, ricas em matéria orgânica. É fácil encontrá-las em balsas de rega, bebedouros para animais, charcos temporários, estações de depuração de águas residuais e em lagos de jardim. Alimentam-se da mesma forma que as baleias filtradoras, filtrando o alimento da água que passa pelo seu tubo digestivo. As suas pernas, teracópodes ou apêndices articulados, estão especializados para a alimentação e locomoção. O primeiro e o segundo par de apêndices retêm as partículas de maior dimensão e que o ser não pode absorver, enquanto os outros pares de apêndices impulsionam a água para que esta possa entrar pela sua boca levando consigo o alimento. Ciências Naturais
  7. 7. “A Daphnia…” ……………………………………………………Sofia Coutinho 7 Constituição do organismo Ao longo do seu crescimento, as daphnias vão perdendo várias vezes o seu exoesqueleto, num processo normal e similar à mudança de pele em alguns répteis. Este processo denomina-se muda ou ecdise, e é inerente a todos os animais do filo Arthropoda, como é o seu caso. Têm uma envergadura que varia entre 0,2 e 5,0 milímetros. Devido ao facto destes animais terem um exoesqueleto transparente, é possível observar ao microscópio todas as partes que o constituem, desde o coração a bater até ao desenvolvimento embrionário na sua cavidade incubadora. Coração 1 Olho composto 2 Antenas 3 Ocellos 4 Garras coticolares 5 Pêlos 6 Abdómen 7 Os organismos do género Daphnia, chamados microcrustáceos, são amplamente sensíveis a mudanças no seu ambiente aquático, principalmente causadas por acção de xenobióticos. Ciências Naturais
  8. 8. “A Daphnia…” ……………………………………………………Sofia Coutinho 8 Reprodução Durante o verão, as daphnias reproduzem-se por partenogénese, sendo a sua população composta maioritariamente por fêmeas. No fim do verão, com a diminuição das temperaturas, os ovos que se estavam a desenvolver dão origem a dáfnias machos que possuem um ou dois óvulos junto do ânus, que se podem transformar num orgão copulatório quando estes utilizam as segundas antenas para agarrar a fêmea e introduzir o seu orgão copulador na gónada da fêmea à qual vão fecundar. A partir desta, formam-se ovos de inverno que só são produzidos quando as condições de desenvolvimento são desfavoráveis, às quais os ovos resistem durante um máximo de vinte anos até que se reunam as condições necessárias para se desenvolverem. Tal capacidade deve-se ao facto de possuírem uma camada protectora constituída pelos restos da cavidade incubadora das suas progenitoras e que se denomina ephippium. Podem flutuar, ser transportados, congelados e até digeridos sem sofrerem danos porque a ephippium é resistente a enzimas digestivas. Esta é uma característica importante para a proliferação e colonização da espécie em novos habitats. Ciências Naturais
  9. 9. “A Daphnia…” ……………………………………………………Sofia Coutinho 9 Esperança média de vida A sua esperança de vida não excede um ano. Dependendo das temperaturas, um indivíduo pode sobreviver 108 dias a temperaturas de 3ºC e sobreviver apenas 29 dias a temperaturas de 28°C. No inverno existem excepções, a população fica muito limitada, mas várias fêmeas sobrevivem até cerca de seis meses, tendo um crescimento lento mas atingindo maiores proporções que as fêmeas que se desenvolvem em condições normais. Ciências Naturais
  10. 10. “A Daphnia…” ……………………………………………………Sofia Coutinho 10 As daphnias na Biologia… Actualmente esses organismos são utilizados em bioensaios, ou seja, testes que usam organismos vivos na avaliação de toxicidade em áreas afectadas por efluentes industriais e domésticos, agricultura e locais próximos a portos (exemplo: Porto de Santos, Porto de Paranaguá), desde que sejam água doce. E, devido à sua sensibilidade, as Daphnias são usadas para realizar esses bioensaios e essa é uma área importante da Biologia chamada Ecotoxicologia aquática. Ciências Naturais
  11. 11. “A Daphnia…” ……………………………………………………Sofia Coutinho 11 Conclusão Com a elaboração deste trabalho, o objectivo foi alcansado tendo assim aumentado os conhecimentos relativamente às Daphnias e o conhecimento de um mundo aquático tão vasto e interessante. A Daphnia exige um meio aquático muito específico para a sua sobrevivência sendo a esperança média de vida reduzidíssima. Na Biologia tem um interesse significativo no âmbito de estudos do meio ambiente. Ciências Naturais
  12. 12. “A Daphnia…” ……………………………………………………Sofia Coutinho 12 Bibliografia Google:  www.aquariofilia.net/.../t41985-150.html  http://br.geocities.com/pjbettas/Alimentosvivos.htm  www.imagens.google.pt … Ciências Naturais
  13. 13. “A Daphnia…” ……………………………………………………Sofia Coutinho 13 Gostas-te de me conhecer? Adeus! Ciências Naturais
  14. 14. “A Daphnia…” ……………………………………………………Sofia Coutinho 14 Professora: __________________ Classificação: ________________ Escola Básica 2/3 de Sobreira Ano lectivo 2008/2009 Ciências Naturais

×