SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 2
Baixar para ler offline
3- Identificação de Falhas Humanas
Objetivo: Redução das falhas humanas de forma
estruturada e proactiva, com o mesmo rigor aplicado
aos aspetos técnicos da segurança, tornando-a parte
integrante do Sistema de Gestão da Segurança.
• Considerar os principais perigos no estabelecimento.
• Identificação das tarefas criticas de segurança – as
tarefas que podem iniciar ou propagar um incidente
grave através da ação humana ou inação.
• Análise da tarefa e identificação das atividades
humanas envolvidas – comparar a tarefa atual com
procedimentos existentes, e com o envolvimento dos
operadores.
• Análise qualitativa do desempenho humano em
operações essenciais para a segurança.
• Fatores que influenciam o desempenho humano – a
probabilidade de ocorrência de falhas humanas é
determinada pela condição de um número finito de
fatores que influenciam o desempenho: Pressão de
tempo, Distração, Carga de trabalho, Competência,
Fadiga, Condições físicas do trabalho (ruído,
vibrações, temperatura, luz, etc.), Sistemas de
comunicação, Supervisão, Qualidade dos
procedimentos, entre outros.
• Medidas de Prevenção – remoção do perigo, prever
consequências da falha humana, interlocks
mecânicos/elétricos, otimização dos fatores que
influenciam o desempenho humano.
• Medidas de mitigação – garantir que a falha humana
possa ser identificada e recuperada.
Analisar os fatores humanos: como?
Porque razão me deve interessar o tema “fatores huma-
nos” no trabalho?
A integração dos fatores humanos na conceção do trabalho
pode reduzir o número de acidentes e casos de saúde precá-
ria. Estima-se que até 80% dos acidentes podem ser atribuí-
dos, às ações ou omissões das pessoas.
Como é que eu sei se esses problemas existem na minha
organização?
É necessário pensar sobre os fatores humanos no trabalho
quando: acidentes envolvendo funcionários, fornecedores ou
visitantes têm como causa o erro humano; se verificam eleva-
das taxas de absentismo ou doença; há elevada rotatividade
de efetivos; há queixas de funcionários sobre as condições de
trabalho ou funções; se verifica um baixo desempenho no
cumprimento das regras de saúde, ambiente e segurança.
Parece ser um tema muito vasto, por onde começar?
Por quatro áreas principais:
- Durante as avaliações de risco;
- Na análise de incidentes, acidentes e quase acidentes;
- Na fase de projeto e seleção de equipamentos;
- Em certos aspetos da gestão da segurança e saúde;
Deve procurar-se os pontos de vista dos trabalhadores?
Sim, é essencial. Tanto os representantes de segurança
como os restantes colaboradores conhecem bem o seu tra-
balho e condições de trabalho, e o seu impacto na sua saú-
de, ambiente e segurança.
LINKS DE INTERESSE
www.hse.uk.com www.energyinst.org.uk
www.apambiente.pt http://ecb.jrc.ec.europa.eu/
Inspeção-Geral da Agricultura, do Mar, do Ambiente e
do Ordenamento do Território
Rua de ‘O Século’, 63 1249-033 Lisboa PORTUGAL
Telefone: +351 213 215 500
Fax: +351 213 432 777
Os fatores humanos na
prevenção de acidentes
graves.
SEVESO
www.igaot.pt
FALHAS
HUMANAS
Ações não
intencionais
Ações
desejadas
Deslizes
Lapsos
Violações
Erros de
atenção
Plano de ação satisfatório,
mas ação desviada da
intenção de forma não
intencional
Erros de
memória
Enganos
Baseados em
normas
Baseados em
conhecimentos
Excecionais
Situacionais
Atos de
sabotagem
De rotina
Aplicação incorreta da regra
ou aplicação de regra errada
Tomada de decisão
intuitiva para uma nova
situação.
Desvio habitual das
práticas regulares
Violação não rotineira
ditada por circunstâncias
locais extremas
Violação não rotineira
ditada por circunstâncias
locais
1- Definição de Fatores Humanos
Fatores Humanos referem-se a:
- Fatores ambientais;
- Fatores organizativos;
- Fatores profissionais;
- Características Humanas e Individuais,
que influenciam o comportamento dos
colaboradores no local de trabalho de uma forma
que pode afetar a saúde, o ambiente e a segurança.
Fatores Humanos preocupam-se com:
- O que se pede que seja executado (a tarefa e as
suas características) FUNÇÃO
- Quem executa (o indivíduo e a sua competência)
INDIVIDUO
- O local de trabalho (a organização e as suas
características) ORGANIZAÇÃO
Fig. 1 – Fatores Humanos
2- Tipos de Falhas Humanas
Conhecer os vários tipos de falhas:
• Ações Não Intencionais – ações que não ocorreram como planeado;
• Ações Desejadas - desvio deliberado das regras ou procedimentos e que geralmente resultam
de uma intenção de levar a cabo a ação, apesar das consequências.
Fig. 2 – Tipos de Falhas Humanas
INDIVÍDUO:
Competência; Capacida-
des; Personalidade;
Atitudes; Perceção do
risco....
FUNÇÃO:
Tarefa; Carga de trabalho;
Ambiente de trabalho;
Design de Displays &
Controlos; Procedimentos...
ORGANIZAÇÃO:
Cultura; Liderança;
Recursos; Padrões
de trabalho; Comu-
nicação...

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Panfleto1.pdf

a_contribuicao_da_ergonomia_para_a_analise_e_prevencao_de_acidentes_-_aula_.ppt
a_contribuicao_da_ergonomia_para_a_analise_e_prevencao_de_acidentes_-_aula_.ppta_contribuicao_da_ergonomia_para_a_analise_e_prevencao_de_acidentes_-_aula_.ppt
a_contribuicao_da_ergonomia_para_a_analise_e_prevencao_de_acidentes_-_aula_.pptArielO8
 
Curso de CRM para empresa da indústria de óleo e gás.
Curso de CRM para empresa da indústria de óleo e gás.Curso de CRM para empresa da indústria de óleo e gás.
Curso de CRM para empresa da indústria de óleo e gás.Monica Lavoyer Escudeiro
 
Treinamento de cipa
Treinamento de cipaTreinamento de cipa
Treinamento de cipaJosiel Leite
 
3. hst avaliação de riscos
3. hst avaliação de riscos3. hst avaliação de riscos
3. hst avaliação de riscosGilson Adao
 
abril verde.maquinas.pptx
abril verde.maquinas.pptxabril verde.maquinas.pptx
abril verde.maquinas.pptxFabio Renato
 
Higiene e segurança no trabalho
Higiene e segurança no trabalhoHigiene e segurança no trabalho
Higiene e segurança no trabalhoRita Galrito
 
Aula 2 -Análise de Riscos (1).pdf
Aula 2 -Análise de Riscos (1).pdfAula 2 -Análise de Riscos (1).pdf
Aula 2 -Análise de Riscos (1).pdfssuser1c1fba1
 
Controlo de riscos profissionais
Controlo de riscos profissionaisControlo de riscos profissionais
Controlo de riscos profissionaisFilipa Andrade
 
Modelo de PGR.pdf
Modelo de PGR.pdfModelo de PGR.pdf
Modelo de PGR.pdfNelmaLeite1
 
TREINAMENTO DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES....pptx
TREINAMENTO DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES....pptxTREINAMENTO DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES....pptx
TREINAMENTO DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES....pptxNilsonLemosMachado1
 
Slides. Avaliação de Risco Profissional.pptx
Slides. Avaliação de Risco Profissional.pptxSlides. Avaliação de Risco Profissional.pptx
Slides. Avaliação de Risco Profissional.pptxAliaCristiano
 
Treinamento acidente de trabalho
Treinamento acidente de trabalhoTreinamento acidente de trabalho
Treinamento acidente de trabalhoMonica Pinheiro
 
Acidentes do trabalho-1
Acidentes do trabalho-1Acidentes do trabalho-1
Acidentes do trabalho-1Sandro Neves
 

Semelhante a Panfleto1.pdf (20)

Ppra usina de açucar
Ppra usina de açucar Ppra usina de açucar
Ppra usina de açucar
 
Ppra usina de açucar
Ppra usina de açucar Ppra usina de açucar
Ppra usina de açucar
 
a_contribuicao_da_ergonomia_para_a_analise_e_prevencao_de_acidentes_-_aula_.ppt
a_contribuicao_da_ergonomia_para_a_analise_e_prevencao_de_acidentes_-_aula_.ppta_contribuicao_da_ergonomia_para_a_analise_e_prevencao_de_acidentes_-_aula_.ppt
a_contribuicao_da_ergonomia_para_a_analise_e_prevencao_de_acidentes_-_aula_.ppt
 
Curso de CRM para empresa da indústria de óleo e gás.
Curso de CRM para empresa da indústria de óleo e gás.Curso de CRM para empresa da indústria de óleo e gás.
Curso de CRM para empresa da indústria de óleo e gás.
 
Treinamento de cipa
Treinamento de cipaTreinamento de cipa
Treinamento de cipa
 
Ficha nº 1
Ficha nº 1Ficha nº 1
Ficha nº 1
 
3. hst avaliação de riscos
3. hst avaliação de riscos3. hst avaliação de riscos
3. hst avaliação de riscos
 
abril verde.maquinas.pptx
abril verde.maquinas.pptxabril verde.maquinas.pptx
abril verde.maquinas.pptx
 
PCP
PCPPCP
PCP
 
Higiene e segurança no trabalho
Higiene e segurança no trabalhoHigiene e segurança no trabalho
Higiene e segurança no trabalho
 
Aula 2 -Análise de Riscos (1).pdf
Aula 2 -Análise de Riscos (1).pdfAula 2 -Análise de Riscos (1).pdf
Aula 2 -Análise de Riscos (1).pdf
 
Controlo de riscos profissionais
Controlo de riscos profissionaisControlo de riscos profissionais
Controlo de riscos profissionais
 
Manual
ManualManual
Manual
 
Manual
ManualManual
Manual
 
Modelo de PGR.pdf
Modelo de PGR.pdfModelo de PGR.pdf
Modelo de PGR.pdf
 
Auditoria comportamental 1
Auditoria comportamental 1Auditoria comportamental 1
Auditoria comportamental 1
 
TREINAMENTO DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES....pptx
TREINAMENTO DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES....pptxTREINAMENTO DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES....pptx
TREINAMENTO DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES....pptx
 
Slides. Avaliação de Risco Profissional.pptx
Slides. Avaliação de Risco Profissional.pptxSlides. Avaliação de Risco Profissional.pptx
Slides. Avaliação de Risco Profissional.pptx
 
Treinamento acidente de trabalho
Treinamento acidente de trabalhoTreinamento acidente de trabalho
Treinamento acidente de trabalho
 
Acidentes do trabalho-1
Acidentes do trabalho-1Acidentes do trabalho-1
Acidentes do trabalho-1
 

Último

Protocolo Zero Rugas - formato digital01
Protocolo Zero Rugas - formato digital01Protocolo Zero Rugas - formato digital01
Protocolo Zero Rugas - formato digital01perfilnovo3rich
 
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptx
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptxanemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptx
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptxnarayaskara215
 
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...Astrid Mühle Moreira Ferreira
 
Treinamento Básico em Primeiros Socorros.ppt
Treinamento Básico em Primeiros Socorros.pptTreinamento Básico em Primeiros Socorros.ppt
Treinamento Básico em Primeiros Socorros.pptFabioSouza270
 
Não podemos esquecer que outros critérios são necessários para se fazer o dia...
Não podemos esquecer que outros critérios são necessários para se fazer o dia...Não podemos esquecer que outros critérios são necessários para se fazer o dia...
Não podemos esquecer que outros critérios são necessários para se fazer o dia...TaniaN8
 
Farmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
Farmacologia do Sistema Nervoso AutonomoFarmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
Farmacologia do Sistema Nervoso AutonomoPAULOVINICIUSDOSSANT1
 
Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?
Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?
Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?carloslins20
 
Slides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptx
Slides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptxSlides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptx
Slides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptxsaraferraz09
 
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...quelenfermeira
 
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptxAULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptxLanaMonteiro8
 
ATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdf
ATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdfATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdf
ATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdfWendelldaLuz
 
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismoEscala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismoJose Ribamar
 

Último (12)

Protocolo Zero Rugas - formato digital01
Protocolo Zero Rugas - formato digital01Protocolo Zero Rugas - formato digital01
Protocolo Zero Rugas - formato digital01
 
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptx
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptxanemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptx
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptx
 
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
 
Treinamento Básico em Primeiros Socorros.ppt
Treinamento Básico em Primeiros Socorros.pptTreinamento Básico em Primeiros Socorros.ppt
Treinamento Básico em Primeiros Socorros.ppt
 
Não podemos esquecer que outros critérios são necessários para se fazer o dia...
Não podemos esquecer que outros critérios são necessários para se fazer o dia...Não podemos esquecer que outros critérios são necessários para se fazer o dia...
Não podemos esquecer que outros critérios são necessários para se fazer o dia...
 
Farmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
Farmacologia do Sistema Nervoso AutonomoFarmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
Farmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
 
Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?
Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?
Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?
 
Slides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptx
Slides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptxSlides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptx
Slides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptx
 
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...
 
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptxAULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
 
ATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdf
ATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdfATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdf
ATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdf
 
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismoEscala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
 

Panfleto1.pdf

  • 1. 3- Identificação de Falhas Humanas Objetivo: Redução das falhas humanas de forma estruturada e proactiva, com o mesmo rigor aplicado aos aspetos técnicos da segurança, tornando-a parte integrante do Sistema de Gestão da Segurança. • Considerar os principais perigos no estabelecimento. • Identificação das tarefas criticas de segurança – as tarefas que podem iniciar ou propagar um incidente grave através da ação humana ou inação. • Análise da tarefa e identificação das atividades humanas envolvidas – comparar a tarefa atual com procedimentos existentes, e com o envolvimento dos operadores. • Análise qualitativa do desempenho humano em operações essenciais para a segurança. • Fatores que influenciam o desempenho humano – a probabilidade de ocorrência de falhas humanas é determinada pela condição de um número finito de fatores que influenciam o desempenho: Pressão de tempo, Distração, Carga de trabalho, Competência, Fadiga, Condições físicas do trabalho (ruído, vibrações, temperatura, luz, etc.), Sistemas de comunicação, Supervisão, Qualidade dos procedimentos, entre outros. • Medidas de Prevenção – remoção do perigo, prever consequências da falha humana, interlocks mecânicos/elétricos, otimização dos fatores que influenciam o desempenho humano. • Medidas de mitigação – garantir que a falha humana possa ser identificada e recuperada. Analisar os fatores humanos: como? Porque razão me deve interessar o tema “fatores huma- nos” no trabalho? A integração dos fatores humanos na conceção do trabalho pode reduzir o número de acidentes e casos de saúde precá- ria. Estima-se que até 80% dos acidentes podem ser atribuí- dos, às ações ou omissões das pessoas. Como é que eu sei se esses problemas existem na minha organização? É necessário pensar sobre os fatores humanos no trabalho quando: acidentes envolvendo funcionários, fornecedores ou visitantes têm como causa o erro humano; se verificam eleva- das taxas de absentismo ou doença; há elevada rotatividade de efetivos; há queixas de funcionários sobre as condições de trabalho ou funções; se verifica um baixo desempenho no cumprimento das regras de saúde, ambiente e segurança. Parece ser um tema muito vasto, por onde começar? Por quatro áreas principais: - Durante as avaliações de risco; - Na análise de incidentes, acidentes e quase acidentes; - Na fase de projeto e seleção de equipamentos; - Em certos aspetos da gestão da segurança e saúde; Deve procurar-se os pontos de vista dos trabalhadores? Sim, é essencial. Tanto os representantes de segurança como os restantes colaboradores conhecem bem o seu tra- balho e condições de trabalho, e o seu impacto na sua saú- de, ambiente e segurança. LINKS DE INTERESSE www.hse.uk.com www.energyinst.org.uk www.apambiente.pt http://ecb.jrc.ec.europa.eu/ Inspeção-Geral da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território Rua de ‘O Século’, 63 1249-033 Lisboa PORTUGAL Telefone: +351 213 215 500 Fax: +351 213 432 777 Os fatores humanos na prevenção de acidentes graves. SEVESO www.igaot.pt
  • 2. FALHAS HUMANAS Ações não intencionais Ações desejadas Deslizes Lapsos Violações Erros de atenção Plano de ação satisfatório, mas ação desviada da intenção de forma não intencional Erros de memória Enganos Baseados em normas Baseados em conhecimentos Excecionais Situacionais Atos de sabotagem De rotina Aplicação incorreta da regra ou aplicação de regra errada Tomada de decisão intuitiva para uma nova situação. Desvio habitual das práticas regulares Violação não rotineira ditada por circunstâncias locais extremas Violação não rotineira ditada por circunstâncias locais 1- Definição de Fatores Humanos Fatores Humanos referem-se a: - Fatores ambientais; - Fatores organizativos; - Fatores profissionais; - Características Humanas e Individuais, que influenciam o comportamento dos colaboradores no local de trabalho de uma forma que pode afetar a saúde, o ambiente e a segurança. Fatores Humanos preocupam-se com: - O que se pede que seja executado (a tarefa e as suas características) FUNÇÃO - Quem executa (o indivíduo e a sua competência) INDIVIDUO - O local de trabalho (a organização e as suas características) ORGANIZAÇÃO Fig. 1 – Fatores Humanos 2- Tipos de Falhas Humanas Conhecer os vários tipos de falhas: • Ações Não Intencionais – ações que não ocorreram como planeado; • Ações Desejadas - desvio deliberado das regras ou procedimentos e que geralmente resultam de uma intenção de levar a cabo a ação, apesar das consequências. Fig. 2 – Tipos de Falhas Humanas INDIVÍDUO: Competência; Capacida- des; Personalidade; Atitudes; Perceção do risco.... FUNÇÃO: Tarefa; Carga de trabalho; Ambiente de trabalho; Design de Displays & Controlos; Procedimentos... ORGANIZAÇÃO: Cultura; Liderança; Recursos; Padrões de trabalho; Comu- nicação...