SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 11
Baixar para ler offline
Escola D. Manuel I
     Para a disciplina de Língua Portuguesa
          Professora Guilhermina Reis


Literatura tradicional
 de expressão oral

                                 Trabalho realizado por:
                                        David Cruz, Nº5
                                   Diogo Guerreiro, Nº6
                                 Tiago Gonçalves, Nº20
                                                    7ºD
Introdução
 Neste trabalho, vamos
  abranger dois temas
  pedidos pela professora:
  lendas e ditados
  populares/provérbios.
 Iremos também criar uma
  uma imagem da fábula “O
  Burro que enganou o Lobo”
  e produzir uma lenda
  inventada por nós.
Lendas
   Lenda é uma narrativa fantasiosa
    transmitida pela tradição oral que, ao
    longo dos tempos, foi sendo aceite como
    verdadeira, pois relata algo sobre um
    lugar, pessoa ou acontecimento
    verdadeiro.
Lendas – exemplos
                     Lenda de S. Martinho
                         "Num dia tempestuoso ia São Martinho, valoroso
                          soldado, montado no seu cavalo, quando viu um mendigo
                          quase nu, tremendo de frio, que lhe estendia a mão
                          suplicante e gelada.
                          S. Martinho não hesitou: parou o cavalo, poisou a sua
                          mão carinhosamente na do pobre e, em seguida, com a
                          espada, cortou ao meio a sua capa de militar, dando
                          metade ao mendigo.
                          E, apesar de mal agasalhado e de chover
                          torrencialmente, preparava-se para continuar o seu
                          caminho, cheio de felicidade.
                          Mas, subitamente, a tempestade desfez-se, o céu ficou
                          límpido e um sol de Estio inundou a terra de luz
e calor.
Diz-se que Deus, para que não se apagasse da memória dos homens o ato de
bondade praticado pelo Santo, todos os anos, nessa mesma época, cessa por
alguns dias o tempo frio e o céu e a terra sorriem com a bênção dum sol quente e
miraculoso.
Lendas – exemplos
                     Lenda das Sete Cidades
   "Conta a lenda que o arquipélago dos Açores é o que hoje resta de uma ilha
    maravilhosa e estranha onde vivia um rei possuidor de um grande tesouro e de uma
    imensa tristeza por não ter um filho que lhe sucedesse no trono. Esta dor tornava-o
    amargo com a sua rainha estéril e cruel com o seu povo. Mas uma noite, perante os
    seus olhos, desceu uma estrela muito brilhante dos céus que aos poucos se foi
    materializando numa mulher de beleza irreal envolta em luz prateada. Com uma voz
    que mais parecia música, essa mulher prometeu-lhe uma filha bela como o sol sob a
    condição que o rei expiasse a sua crueldade e injustiça através da paciência. O rei teria
    que construir um palácio rodeado por sete cidades cercadas por muralhas de bronze
    que ninguém poderia transpor. A princesinha ficaria aí guardada durante trinta anos
    28 anos e com eles cresceram a impaciência e o
    longe dos olhos e do carinho do rei. O rei aceitou o desafio. Decorreram
    sofrimento do rei, que um dia não aguentou
    mais. Apesar de ter sido avisado que morreria e
    que o seu reino seria destruído, o rei dirigiu-se
    às muralhas, desembainhou a espada e nelas
    descarregou a sua fúria. A terra estremeceu
    num ruído terrível e das suas entranhas saíram
    línguas de fogo enquanto que o mar se levantou
    sobre a terra e a engoliu. No fim de
    tudo, restaram apenas as nove ilhas dos Açores
    e o palácio da princesa, transformado agora na
    Lagoa das Sete Cidades dividida em duas
Criação de uma lenda
                  Lenda da Aranha Azul
   “Conta a lenda que, em Luz de
    Tavira, vivia um homem, com a sua
    mulher, que assaltava bancos e
    consideravam-no tão perigoso que
    ninguém o apanhava. Em cada assalto
    que este fazia deixava uma marca: uma
    aranha azul desenhada no teto. Um
    dia, descobriu que a sua mulher o traíra.
    Este pegou em todo o dinheiro que roubou
    e enterrou-o perto de sua casa. De
    um espelho, partindo-o. E com um pedaço do espelho
    seguida, atirou uma cadeira contra
    quebrado, suicidou-se. Atualmente, diz-se que no dia 27 de maio às
    23:00 h, no local onde o dinheiro fora enterrado, surgirá o espirito do
    homem junto a uma aranha azul real e viva.”
Provérbios/Ditados
             populares
   Os provérbios são uma forma
    de pensamento moral / uma
    sentença que encerra em si a
    sabedoria do povo.
          Ex.: “Vozes de burro
    não chegam ao céu” quer
    dizer que não se deve ouvir
    aqueles que não têm nada
    para dizer.
Provérbios/Ditados
              populares

                      Exemplosdinheiro.
    Amigo verdadeiro vale mais do que
   Seda em Janeiro, ou fantasia ou falta de dinheiro.
   Não há luar como o de Janeiro nem amor como o
    primeiro.
   Amigo disfarçado, inimigo dobrado.
   Quem te avisa, teu amigo é.
   Quem não arrisca, não petisca.
   Em tempo de guerra, não se limpam as armas.
   Quem vai à guerra, dá e leva.
   É tarde para economia, quando a bolsa está vazia.
Criação de uma banda
     desenhada original (só uma
             imagem)
   Nós criámos uma banda desenhada( o que
    é que pensavam? Só vos damos uma
    imagem!...) baseada na fábula “O Burro
    que enganou o Lobo”, de
    Esopo, desenhada por nós.
Conclusão
  Neste trabalho, aprendemos alguns
  ditados populares, recolhemos e criámos
  lendas e imagens.
 Este trabalho foi importante e divertido ao
  ser realizado por nós. Por isso esperamos
  que tenham gostado.
Fim

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Agatha christie mistério no caribe
Agatha christie   mistério no caribeAgatha christie   mistério no caribe
Agatha christie mistério no caribeJp Prof
 
Sequência didática soldado de chumbo
Sequência didática soldado de chumboSequência didática soldado de chumbo
Sequência didática soldado de chumboJosianne Lacerda
 
Ficha de verificação de leitura " O cavaleiro da Dinamarca"
Ficha de verificação de leitura " O cavaleiro da Dinamarca"Ficha de verificação de leitura " O cavaleiro da Dinamarca"
Ficha de verificação de leitura " O cavaleiro da Dinamarca"Sandra Gil Miranda
 
Prova de portugues_2011
Prova de portugues_2011Prova de portugues_2011
Prova de portugues_2011Raquel Becker
 
Roteiro da obra o cavaleiro da dinamarca
Roteiro da obra o cavaleiro da dinamarcaRoteiro da obra o cavaleiro da dinamarca
Roteiro da obra o cavaleiro da dinamarcaTeresa Branco
 
C.s.lewis as crônicas de nárnia - vol iii - o cavalo e seu menino
C.s.lewis   as crônicas de nárnia - vol iii - o cavalo e seu meninoC.s.lewis   as crônicas de nárnia - vol iii - o cavalo e seu menino
C.s.lewis as crônicas de nárnia - vol iii - o cavalo e seu meninoAlex Martins
 
Apresentação2 camoes final
Apresentação2 camoes finalApresentação2 camoes final
Apresentação2 camoes finalNatercia
 
Tétis e a ilha dos amores
Tétis e a ilha dos amoresTétis e a ilha dos amores
Tétis e a ilha dos amoresBruno Neves
 

Mais procurados (19)

Agatha christie mistério no caribe
Agatha christie   mistério no caribeAgatha christie   mistério no caribe
Agatha christie mistério no caribe
 
1ºteste l.p 5º ano
1ºteste l.p 5º ano1ºteste l.p 5º ano
1ºteste l.p 5º ano
 
Sequência didática soldado de chumbo
Sequência didática soldado de chumboSequência didática soldado de chumbo
Sequência didática soldado de chumbo
 
Ficha de verificação de leitura " O cavaleiro da Dinamarca"
Ficha de verificação de leitura " O cavaleiro da Dinamarca"Ficha de verificação de leitura " O cavaleiro da Dinamarca"
Ficha de verificação de leitura " O cavaleiro da Dinamarca"
 
Prova de portugues_2011
Prova de portugues_2011Prova de portugues_2011
Prova de portugues_2011
 
Roteiro da obra o cavaleiro da dinamarca
Roteiro da obra o cavaleiro da dinamarcaRoteiro da obra o cavaleiro da dinamarca
Roteiro da obra o cavaleiro da dinamarca
 
Ilha dos Amores - Simbologia
Ilha dos Amores - SimbologiaIlha dos Amores - Simbologia
Ilha dos Amores - Simbologia
 
C.s.lewis as crônicas de nárnia - vol iii - o cavalo e seu menino
C.s.lewis   as crônicas de nárnia - vol iii - o cavalo e seu meninoC.s.lewis   as crônicas de nárnia - vol iii - o cavalo e seu menino
C.s.lewis as crônicas de nárnia - vol iii - o cavalo e seu menino
 
Apresentação2 camoes final
Apresentação2 camoes finalApresentação2 camoes final
Apresentação2 camoes final
 
Simulado 2 novo
Simulado 2   novoSimulado 2   novo
Simulado 2 novo
 
Simulado 01 novo
Simulado 01 novoSimulado 01 novo
Simulado 01 novo
 
A rainha da primavera
A rainha da primaveraA rainha da primavera
A rainha da primavera
 
Sequencia soldadinho de chumbo
Sequencia soldadinho de chumboSequencia soldadinho de chumbo
Sequencia soldadinho de chumbo
 
Ficha3
Ficha3Ficha3
Ficha3
 
Tétis e a ilha dos amores
Tétis e a ilha dos amoresTétis e a ilha dos amores
Tétis e a ilha dos amores
 
Teste cef módulo 16 (1)
Teste cef  módulo 16 (1)Teste cef  módulo 16 (1)
Teste cef módulo 16 (1)
 
Análise_Adamastor.pptx
Análise_Adamastor.pptxAnálise_Adamastor.pptx
Análise_Adamastor.pptx
 
O adamastor
O adamastorO adamastor
O adamastor
 
Escrita
EscritaEscrita
Escrita
 

Semelhante a T.G.

T.G. David, Diogo, Tiago, 7ºD
T.G. David, Diogo, Tiago, 7ºDT.G. David, Diogo, Tiago, 7ºD
T.G. David, Diogo, Tiago, 7ºDescrevermais
 
Brincar com coisas coisas sérias de Margarida Fonseca Santos e Rita Vilela
Brincar com coisas coisas sérias de Margarida Fonseca Santos e Rita VilelaBrincar com coisas coisas sérias de Margarida Fonseca Santos e Rita Vilela
Brincar com coisas coisas sérias de Margarida Fonseca Santos e Rita VilelaRita Vilela
 
Lendas das regiões autónomas de Portugal
Lendas das regiões autónomas de PortugalLendas das regiões autónomas de Portugal
Lendas das regiões autónomas de Portugalguest1b247a
 
Contos tradicionais, fábulas, lendas e mitos
Contos tradicionais, fábulas, lendas e mitosContos tradicionais, fábulas, lendas e mitos
Contos tradicionais, fábulas, lendas e mitosVânia Salvo Orso
 
Obras do Plano Nacional de Leitura
Obras do Plano Nacional de LeituraObras do Plano Nacional de Leitura
Obras do Plano Nacional de LeituraPaula Morgado
 
Lenda e ladainhas de torre de moncorvo
Lenda e ladainhas de torre de moncorvo Lenda e ladainhas de torre de moncorvo
Lenda e ladainhas de torre de moncorvo Nuno Cunha
 
Lenda e ladainhas de torre de moncorvo
Lenda e ladainhas de torre de moncorvo Lenda e ladainhas de torre de moncorvo
Lenda e ladainhas de torre de moncorvo Nuno Cunha
 
Lenda e ladainhas de torre de moncorvo luis e carromão
Lenda e ladainhas de torre de moncorvo luis e carromãoLenda e ladainhas de torre de moncorvo luis e carromão
Lenda e ladainhas de torre de moncorvo luis e carromãoNuno Cunha
 
Lenda e ladainhas de torre de moncorvo
Lenda e ladainhas de torre de moncorvo Lenda e ladainhas de torre de moncorvo
Lenda e ladainhas de torre de moncorvo Nuno Cunha
 
Lenda e ladainhas de torre de moncorvo
Lenda e ladainhas de torre de moncorvo Lenda e ladainhas de torre de moncorvo
Lenda e ladainhas de torre de moncorvo Nuno Cunha
 
C.s.lewis as crônicas de nárnia - vol. 5 - a viagem do peregrino da alvorada
C.s.lewis   as crônicas de nárnia - vol. 5 - a viagem do peregrino da alvoradaC.s.lewis   as crônicas de nárnia - vol. 5 - a viagem do peregrino da alvorada
C.s.lewis as crônicas de nárnia - vol. 5 - a viagem do peregrino da alvoradaAriovaldo Cunha
 

Semelhante a T.G. (20)

T.G. David, Diogo, Tiago, 7ºD
T.G. David, Diogo, Tiago, 7ºDT.G. David, Diogo, Tiago, 7ºD
T.G. David, Diogo, Tiago, 7ºD
 
O outro lado da Cidade
O outro lado da CidadeO outro lado da Cidade
O outro lado da Cidade
 
Brincar com coisas coisas sérias de Margarida Fonseca Santos e Rita Vilela
Brincar com coisas coisas sérias de Margarida Fonseca Santos e Rita VilelaBrincar com coisas coisas sérias de Margarida Fonseca Santos e Rita Vilela
Brincar com coisas coisas sérias de Margarida Fonseca Santos e Rita Vilela
 
Lendas das regiões autónomas de Portugal
Lendas das regiões autónomas de PortugalLendas das regiões autónomas de Portugal
Lendas das regiões autónomas de Portugal
 
Contos tradicionais, fábulas, lendas e mitos
Contos tradicionais, fábulas, lendas e mitosContos tradicionais, fábulas, lendas e mitos
Contos tradicionais, fábulas, lendas e mitos
 
Obras do Plano Nacional de Leitura
Obras do Plano Nacional de LeituraObras do Plano Nacional de Leitura
Obras do Plano Nacional de Leitura
 
Lenda e ladainhas de torre de moncorvo
Lenda e ladainhas de torre de moncorvo Lenda e ladainhas de torre de moncorvo
Lenda e ladainhas de torre de moncorvo
 
Lenda e ladainhas de torre de moncorvo
Lenda e ladainhas de torre de moncorvo Lenda e ladainhas de torre de moncorvo
Lenda e ladainhas de torre de moncorvo
 
Lenda e ladainhas de torre de moncorvo luis e carromão
Lenda e ladainhas de torre de moncorvo luis e carromãoLenda e ladainhas de torre de moncorvo luis e carromão
Lenda e ladainhas de torre de moncorvo luis e carromão
 
Lenda e ladainhas de torre de moncorvo
Lenda e ladainhas de torre de moncorvo Lenda e ladainhas de torre de moncorvo
Lenda e ladainhas de torre de moncorvo
 
Lenda e ladainhas de torre de moncorvo
Lenda e ladainhas de torre de moncorvo Lenda e ladainhas de torre de moncorvo
Lenda e ladainhas de torre de moncorvo
 
Exame Nacional 2008
Exame Nacional 2008Exame Nacional 2008
Exame Nacional 2008
 
São martinho
São martinhoSão martinho
São martinho
 
São Martinho
São MartinhoSão Martinho
São Martinho
 
Francisco... 7ºd
Francisco... 7ºdFrancisco... 7ºd
Francisco... 7ºd
 
Francisco 7ºd
Francisco 7ºdFrancisco 7ºd
Francisco 7ºd
 
Nov dez 18 19
Nov dez  18 19Nov dez  18 19
Nov dez 18 19
 
ADE FUND 8 ano.pdf
ADE FUND 8 ano.pdfADE FUND 8 ano.pdf
ADE FUND 8 ano.pdf
 
C.s.lewis as crônicas de nárnia - vol. 5 - a viagem do peregrino da alvorada
C.s.lewis   as crônicas de nárnia - vol. 5 - a viagem do peregrino da alvoradaC.s.lewis   as crônicas de nárnia - vol. 5 - a viagem do peregrino da alvorada
C.s.lewis as crônicas de nárnia - vol. 5 - a viagem do peregrino da alvorada
 
Rochester osmagos (1)
Rochester osmagos (1)Rochester osmagos (1)
Rochester osmagos (1)
 

Mais de escrevermais (20)

TG
TGTG
TG
 
TG
TGTG
TG
 
TG
TGTG
TG
 
TG
TGTG
TG
 
TG
TGTG
TG
 
TG
TGTG
TG
 
TG
TGTG
TG
 
TG
TGTG
TG
 
TG
TGTG
TG
 
TG
TGTG
TG
 
TG
TGTG
TG
 
T.G.
T.G.T.G.
T.G.
 
T.G.
T.G.T.G.
T.G.
 
Analisa, Mariana e Ildine
Analisa, Mariana e IldineAnalisa, Mariana e Ildine
Analisa, Mariana e Ildine
 
Analisa, Mariana e Ildine
Analisa, Mariana e IldineAnalisa, Mariana e Ildine
Analisa, Mariana e Ildine
 
Francisco nº7 7ºd... provérbios
Francisco nº7 7ºd... provérbiosFrancisco nº7 7ºd... provérbios
Francisco nº7 7ºd... provérbios
 
Francisco nº7 7ºd... provérbios
Francisco nº7 7ºd... provérbiosFrancisco nº7 7ºd... provérbios
Francisco nº7 7ºd... provérbios
 
Francisco nº7 7ºd... provérbios
Francisco nº7 7ºd... provérbiosFrancisco nº7 7ºd... provérbios
Francisco nº7 7ºd... provérbios
 
Francisco nº7 7ºd provérbios
Francisco nº7 7ºd provérbiosFrancisco nº7 7ºd provérbios
Francisco nº7 7ºd provérbios
 
Inventários fúteis teresa 7ºe
Inventários fúteis teresa 7ºeInventários fúteis teresa 7ºe
Inventários fúteis teresa 7ºe
 

T.G.

  • 1. Escola D. Manuel I Para a disciplina de Língua Portuguesa Professora Guilhermina Reis Literatura tradicional de expressão oral Trabalho realizado por: David Cruz, Nº5 Diogo Guerreiro, Nº6 Tiago Gonçalves, Nº20 7ºD
  • 2. Introdução  Neste trabalho, vamos abranger dois temas pedidos pela professora: lendas e ditados populares/provérbios.  Iremos também criar uma uma imagem da fábula “O Burro que enganou o Lobo” e produzir uma lenda inventada por nós.
  • 3. Lendas  Lenda é uma narrativa fantasiosa transmitida pela tradição oral que, ao longo dos tempos, foi sendo aceite como verdadeira, pois relata algo sobre um lugar, pessoa ou acontecimento verdadeiro.
  • 4. Lendas – exemplos Lenda de S. Martinho  "Num dia tempestuoso ia São Martinho, valoroso soldado, montado no seu cavalo, quando viu um mendigo quase nu, tremendo de frio, que lhe estendia a mão suplicante e gelada. S. Martinho não hesitou: parou o cavalo, poisou a sua mão carinhosamente na do pobre e, em seguida, com a espada, cortou ao meio a sua capa de militar, dando metade ao mendigo. E, apesar de mal agasalhado e de chover torrencialmente, preparava-se para continuar o seu caminho, cheio de felicidade. Mas, subitamente, a tempestade desfez-se, o céu ficou límpido e um sol de Estio inundou a terra de luz e calor. Diz-se que Deus, para que não se apagasse da memória dos homens o ato de bondade praticado pelo Santo, todos os anos, nessa mesma época, cessa por alguns dias o tempo frio e o céu e a terra sorriem com a bênção dum sol quente e miraculoso.
  • 5. Lendas – exemplos Lenda das Sete Cidades  "Conta a lenda que o arquipélago dos Açores é o que hoje resta de uma ilha maravilhosa e estranha onde vivia um rei possuidor de um grande tesouro e de uma imensa tristeza por não ter um filho que lhe sucedesse no trono. Esta dor tornava-o amargo com a sua rainha estéril e cruel com o seu povo. Mas uma noite, perante os seus olhos, desceu uma estrela muito brilhante dos céus que aos poucos se foi materializando numa mulher de beleza irreal envolta em luz prateada. Com uma voz que mais parecia música, essa mulher prometeu-lhe uma filha bela como o sol sob a condição que o rei expiasse a sua crueldade e injustiça através da paciência. O rei teria que construir um palácio rodeado por sete cidades cercadas por muralhas de bronze que ninguém poderia transpor. A princesinha ficaria aí guardada durante trinta anos 28 anos e com eles cresceram a impaciência e o longe dos olhos e do carinho do rei. O rei aceitou o desafio. Decorreram sofrimento do rei, que um dia não aguentou mais. Apesar de ter sido avisado que morreria e que o seu reino seria destruído, o rei dirigiu-se às muralhas, desembainhou a espada e nelas descarregou a sua fúria. A terra estremeceu num ruído terrível e das suas entranhas saíram línguas de fogo enquanto que o mar se levantou sobre a terra e a engoliu. No fim de tudo, restaram apenas as nove ilhas dos Açores e o palácio da princesa, transformado agora na Lagoa das Sete Cidades dividida em duas
  • 6. Criação de uma lenda Lenda da Aranha Azul  “Conta a lenda que, em Luz de Tavira, vivia um homem, com a sua mulher, que assaltava bancos e consideravam-no tão perigoso que ninguém o apanhava. Em cada assalto que este fazia deixava uma marca: uma aranha azul desenhada no teto. Um dia, descobriu que a sua mulher o traíra. Este pegou em todo o dinheiro que roubou e enterrou-o perto de sua casa. De um espelho, partindo-o. E com um pedaço do espelho seguida, atirou uma cadeira contra quebrado, suicidou-se. Atualmente, diz-se que no dia 27 de maio às 23:00 h, no local onde o dinheiro fora enterrado, surgirá o espirito do homem junto a uma aranha azul real e viva.”
  • 7. Provérbios/Ditados populares  Os provérbios são uma forma de pensamento moral / uma sentença que encerra em si a sabedoria do povo. Ex.: “Vozes de burro não chegam ao céu” quer dizer que não se deve ouvir aqueles que não têm nada para dizer.
  • 8. Provérbios/Ditados populares  Exemplosdinheiro. Amigo verdadeiro vale mais do que  Seda em Janeiro, ou fantasia ou falta de dinheiro.  Não há luar como o de Janeiro nem amor como o primeiro.  Amigo disfarçado, inimigo dobrado.  Quem te avisa, teu amigo é.  Quem não arrisca, não petisca.  Em tempo de guerra, não se limpam as armas.  Quem vai à guerra, dá e leva.  É tarde para economia, quando a bolsa está vazia.
  • 9. Criação de uma banda desenhada original (só uma imagem)  Nós criámos uma banda desenhada( o que é que pensavam? Só vos damos uma imagem!...) baseada na fábula “O Burro que enganou o Lobo”, de Esopo, desenhada por nós.
  • 10. Conclusão  Neste trabalho, aprendemos alguns ditados populares, recolhemos e criámos lendas e imagens.  Este trabalho foi importante e divertido ao ser realizado por nós. Por isso esperamos que tenham gostado.