Giesta Amarela

849 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
849
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Giesta Amarela

  1. 1. Circulação do vento Movimentação do ar nas superfícies frontais
  2. 2. Porque é que o ar se move? Quais as forças que causam esse movimento?   O aquecimento diferenciado da superfície da Terra pelo Sol causa   diferenças de pressão. Estas diferenças levam ao movimento do ar. Este movimento do ar verifica- se a diferentes escalas; à escala global (circulação global), à escala média (tornados) e à escala local (ventos de montanha). Em algumas regiões os ventos têm uma direcção predominante enquanto que em outras a direcção predominante muda sazonalmente. Na maior parte das regiões o vento muda de dia para dia. O vento é classificado de acordo com o ponto da bússola da qual sopra, por exemplo, um vento que sopra de norte é um vento de norte.
  3. 3. Circulação do vento Quanto mais estreito for o vale maior a inclinação das encostas e maior é a quantidade de ar em ascensão. O ar em movimento de subida é substituído pelo ar dos vales ou dos planaltos, com menor declive. Assim, o vento durante os dias surge habitualmente das partes mais baixas e sem declive e sobe. Como a denominação do vento está   associado à sua origem, este denomina-se de brisa de vale. Durante a noite, o ar frio desce sobre as encostas para o vale. A brisa segue o percurso no sentido oposto. Vem das montanhas e dirige-se para o vale. Assim, denomina-se de brisa de montanha
  4. 4. Formação dos ventos O vento é o movimento horizontal do ar sobre a superfície do Globo, e é resultante do aquecimento diferenciado pela radiação solar que incide sobre a Terra. Em meteorologia, esta palavra refere-se geralmente a um fluxo de ar bastante amplo, junto à superfície do Globo ou na atmosfera livre. O vento pode ser considerado como um vector definido por uma grandeza, a velocidade do vento e uma direcção. O valor da grandeza "velocidade vectorial do vento" é a velocidade escalar. Considera- se direcção do vento a direcção de onde ele sopra. Esta é expressa em graus, medidos em sentido ao dos ponteiros do relógio, a partir do norte geográfico, ou em termos de pontos da rosa dos ventos. A velocidade do vento é expressa em metros por segundo (m/s), quilómetros por hora (km/h) e nós (milhas náuticas por hora - nó).
  5. 5. Movimentação do ar nas superfícies frontais Quando duas massas de ar com características físicas diferentes (temperatura e humidade) se aproximam uma da outra, não se misturam. Mantém-se separadas, estabelecendo- se entre elas uma superfície de descontinuidade, a que se dá o nome de superfície frontal. A intersecção da superfície frontal com a superfície terrestre é uma linha que se chama frente. Quando uma superfície frontal se desloca em direcção ao ar mais quente, chama-se superfície frontal fria e as superfícies frontais quentes deslocam-se em direcção ao ar frio e quando uma superfície frontal não está em movimento, chama-se superfície frontal estacionária
  6. 6. Composição do ar • A atmosfera é a camada gasosa que envolve a Terra. O ar atmosférico é uma mistura de gases e vapores incolores e inodoros. A sua composição, à superfície da Terra é: 21% de oxigénio, 78% de azoto e 1% de quantidades reduzidas de ozono, hidrogénio, dióxido de carbono, vapor de água e gases raros (árgon, néon, xénon, crípton e hélio).
  7. 7. Trabalho Elaborado Por: Cidália Santo Carla Silva

×